Você está na página 1de 3

Escola Municipal Governador Leonel de Moura Brizola

Austin, ____ de setembro 2017.


Prova de ILPT/ Prof. Adilson/ 3º bimestre/ Turma:90___

Aluno:_______________________________________________________________________ nº_____

TEXTO I
Família: como fazer
Talvez sendo rigorosa, creio que nas escolhas importantes revelamos o que
pensamos merecer. Casamento, trabalho, prazer, estilo de vida, nos cuidados ou nos
descuidos – não importa. Mas a família, esse chão sobre o qual caminhamos por toda a
vida, seja ele esburacado ou plano, ensolarado ou sombrio, não é uma escolha nossa.
Porque lhe atribuo uma importância tão grande, para o bem e para o mal, ela tem sido
tema recorrente de meu trabalho, em livros, artigos e palestras.
Pela família, com a qual eventualmente nem gostaríamos de conviver, somos
parcialmente moldados, condenados ou salvos. Ela nos lega as memórias ternas, o
necessário otimismo, a segurança – ou a baixa autoestima e os processos destrutivos.
Esse pequeno território é nosso campo de treinamento como seres humanos. Misto de
amor e conflito, ela é que nos dá os verdadeiros amigos e os melhores amores.
Para saber o que seria uma família positiva (não gosto do termo “normal”),
deixemos de lado os estereótipos da mãe vitimizada, geradora de culpas e raiva; do pai
provedor, destinado a trabalhar pelo sustento da família, sem espaço para ter, ele
próprio, carinho e escuta; e dos filhos sempre talentosos e amorosos com seus pais. A
boa família, na verdade, é aquela que, até quando não nos compreende, quando
desaprova alguma escolha nossa, mesmo assim nos faz sentir aceitos e respeitados. É
onde sempre somos queridos e onde sempre temos lugar.(LUFT, Lya. Família: como
fazer. Veja, São Paulo, n.44, p.25, 3 nov. 2004. Ponto de Vista.)

1) Na frase “Mas a família, esse chão sobre o qual caminhamos por toda a vida …”, o uso da
palavra sublinhada mostra que, para a autora, a família

(A) apoia o indivíduo. (B) resulta de escolha.

(C) propicia sucesso. (D) agrada sempre.

2) No texto, a autora defende a tese de que

(A) a família, mesmo não sendo perfeita, é uma instituição importante para os indivíduos.
(B) a relação familiar é sempre harmônica.
(C) os filhos nem sempre são talentosos.
(D) o pai deve sustentar toda a família.

3) Segundo a autora, a boa família é aquela


(A) na qual há uma dependência entre jovens e adultos.
(B) na qual, mesmo quando há conflitos, é mantido o respeito.
(C) na qual há preocupação dos filhos com os pais.
(D) na qual existe a aceitação e respeito entre seus membros.
4- Como estratégia argumentativa, a autora também se utiliza de recursos expressivos como a
metáfora. Marque a opção que há a ocorrência desse recurso linguístico:

(A) “Porque lhe atribuo uma importância tão grande, para o bem e para o mal, ela tem sido
tema recorrente de meu trabalho, em livros, artigos e palestras.”

(B) “Esse pequeno território é nosso campo de treinamento como seres humanos. Misto de amor
e conflito, ela é que nos dá os verdadeiros amigos e os melhores amores.”

(C) “Ela nos lega as memórias ternas, o necessário otimismo, a segurança – ou a


baixa autoestima e os processos destrutivos.”

(D )“A boa família, na verdade, é aquela que, até quando não nos compreende, quando
desaprova alguma escolha nossa, mesmo assim nos faz sentir aceitos e respeitados.”

Texto II

5- Em relação aos dois textos da prova, é correto afirmar que:

(A) O primeiro é um conto e o segundo uma tirinha.

(B) Os dois textos tratam de assuntos diferentes.

(C) O primeiro texto é um artigo de opinião e o segundo é uma tirinha e há uma relação
intertextual entre eles.

(D) O primeiro é uma crônica e o segundo uma charge.

6- Baseando-se nos textos desta prova e na sua experiência de vida, escreva um texto
argumentativo, entre dez e quinze linhas, sobre o seguinte tema:

“A importância da família na formação dos jovens” (Escreva no verso da folha)