Você está na página 1de 6

SINTAGMAS

são pelos elementos que, inseridos na oração, constituem uma unidade significativa, mantendo
entre si relações de dependência e de ordem, uma vez organizados em torno de um elemento
fundamental denominado núcleo. Sendo assim, podemos afirmar que os sintagmas se
subdividem em: nominal, verbal, adjetivo, adverbial e preposicional. Vejamo-los, de forma
particular :

Sintagma nominal:

Constitui-se de um nome e seus respectivos determinantes. Geralmente são representados pelo


sujeito e pelos complementos verbais da oração. Vejamos um exemplo:

Os alunos entregaram os livros.

Temos na oração dois sintagmas: os alunos, cujo núcleo é “alunos” e o complemento verbal
representado pelo objeto direto, cujo núcleo é “livros”.

Sintagma verbal

Constitui o predicado da oração, em que o núcleo é o próprio verbo.

As visitas chegaram.
Temos o sujeito – as visitas; e o predicado – chegaram, representando, assim, o sintagma em
evidência.

Sintagma adverbial

É formado pelo advérbio e seus modificadores. Vejamos:

Jamais acreditarei em você.


Temos que o advérbio de negação “jamais” representa o sintagma adverbial.

Sintagma preposicional

Constitui-se da locução prepositiva, servindo de modificador de qualquer outro sintagma.


Observemos:

Somos todos muito responsáveis pelo cumprimento de todos os deveres.


Temos que “pelo cumprimento de todos os deveres” representa o sintagma preposicional.
SINTAXE

A sintaxe é a área da gramática que se ocupa do estudo da disposição das palavras na frase e
das frases quando inseridas em um discurso.

O que é sintaxe de concordância?

A sintaxe de concordância estuda a relação gramatical estabelecida entre dois termos. Ela pode
ser verbal ou nominal. Observe os exemplos:

► Concordância verbal:

Os alunos ficaram entusiasmados com o passeio no museu

ou

Os alunos ficou entusiasmados com o passeio no museu?

A primeira opção é aquela que estabelece correta combinação entre o verbo e o sujeito. Se
o sujeito (alunos = eles) está no plural, o verbo da oração deverá ser flexionado na terceira
pessoa do plural: eles 'ficaram'.

► Concordância nominal:

Os aluno indisciplinado foram suspenso da escola

ou

Os alunos indisciplinados foram suspensos da escola?

O segundo exemplo obedece às regras da concordância nominal porque nele o substantivo –


alunos – concorda com seus determinantes, que podem ser artigo, numeral, pronome ou
adjetivo. A concordância nominal é, portanto, a combinação entre os nomes de uma oração.

O que é sintaxe de regência?

A sintaxe de regência ocupa-se do estudo dos tipos de ligação existentes entre um verbo
(regência verbal) ou nome e seus complementos (regência nominal). Dessa maneira, haverá os
termos regentes, aqueles que precisam de um complemento, e os termos regidos, aqueles que
complementam o sentido dos termos regentes.

► Regência verbal:

A regência verbal ocupa-se do estudo da relação estabelecida entre os verbos e os termos que
os complementam ou caracterizam. Estudá-la nos permite aprimorar nossa capacidade
expressiva, pois a partir da análise de uma preposição um mesmo verbo pode assumir diferentes
significados. Observe:

Os parlamentares implicaram-se em escândalos por causa do desvio de verbas públicas.


(implicar = envolver)

Os alunos implicaram com o novo coordenador. (implicar = ter implicância, aversão).

► Regência nominal:

A regência nominal estuda a relação existente entre um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio)
e os termos por ele regidos. É a partir da análise da preposição que essa relação será construída.
Observe os exemplos:

A nova tarifa é acessível a todos os cidadãos.


Os atentados contra a embaixada deixaram vários feridos.
Eles preferiram ficar longe de todos.

Na regência nominal é interessante observar que alguns nomes apresentam o mesmo regime dos
verbos de que derivam: se você conhece o regime de um verbo, conhecerá também o regime dos
nomes cognatos, ou seja, dos nomes que têm a mesma raiz ou origem etimológica:

As crianças devem obedecer às regras.(obedecer = verbo)


Eles foram obedientes às regras. (obediente = nome)

A SABER:

Os verbos de ligação fazem parte do predicado nominal, que é formado por um verbo de
ligação e pelo predicativo do sujeito. Assim, os verbos de ligação introduzem o predicativo do
sujeito, que é o termo da oração que atribui uma qualidade ao sujeito.
Morfossintaxe
A Morfossintaxe é a análise feita às orações em termos morfológicos e em termos sintáticos. Recorde-se que:
A análise morfológica analisa as palavras de uma oração individualmente, ou seja, independentemente da sua ligação
com as outras palavras.
A análise sintática, por sua vez, analisa conjuntamente a relação das palavras de uma oração, ou seja, a função que as
palavras desempenham na sua formação.

Análise Morfossintática

SUBSTANTIVOS

Substantivo é uma classe de palavras que nomeia seres, objetos, fenômenos, lugares,
qualidades, ações, dentre outros.
Eles podem ser flexionados em gênero (masculino e feminino), número (singular e plural)
e grau (aumentativo e diminutivo).

Tipos de Substantivos

Os substantivos são classificados em nove tipos: comum, próprio, simples, composto, concreto,
abstrato, primitivo, derivado e coletivo.
Substantivo Comum
Os substantivos comuns são as palavras que designam os seres da mesma espécie de forma
genérica:
Exemplos: pessoa, gente, país.
Substantivo Próprio
Os substantivos próprios, grafados em letra maiúscula, são palavras que particularizam seres,
entidades, países, cidades, estados da mesma espécie.
Exemplos: Brasil, São Paulo, Maria.

Substantivo Simples
Os substantivos simples são formados por apenas uma palavra.
Exemplos: casa, carro, camiseta.

Substantivo Composto
Os substantivos compostos são formados por mais de uma palavra.
Exemplos: guarda-chuva, guarda-roupa, beija-flor.

Substantivo Concreto
Os substantivos concretos designa as palavras reais, concretas, sejam elas pessoas, objetos,
animais ou lugares.
Exemplos: menina, homem, cachorro.

Substantivo Abstrato
Os substantivos abstratos são aqueles relacionados aos sentimentos, estados, qualidades e
ações.
Exemplos: beleza, alegria, bondade.

Substantivo Primitivo
Os substantivos primitivos, como o próprio nome indica, são aqueles que não derivam de outras
palavras.
Exemplos: casa, folha, chuva.

Substantivo Derivado
Os substantivos derivados são aquelas palavras que derivam de outras.
Exemplos: casarão (derivado de casa), folhagem (derivado de folha), chuvarada (derivado de
chuva).

Substantivo Coletivo
Os substantivos coletivos são aqueles que se referem a um conjunto de seres.
Exemplos: flora (conjunto de flores), álbum (conjunto de fotos), colmeia (conjunto de abelhas).

Gênero dos Substantivos


De acordo com o gênero (feminino e masculino) das palavras substantivas, elas são classificadas
em:

Substantivos Biformes: apresentam duas formas, ou seja, uma para o masculino e outra para o
feminino, por exemplo: professor e professora; amigo e amiga.

Substantivos Uniformes: somente um termo especifica os dois gêneros (masculino e feminino),


sendo classificados em:

Epicenos: palavra que apresenta somente um gênero e refere-se aos animais, por exemplo: foca
(macho ou fêmea).
Sobrecomum: palavra que apresenta somente um gênero e refere-se às pessoas, por exemplo:
criança (masculino e feminino).
Comum de dois gêneros: termo que se refere aos dois gêneros (masculino e feminino),
identificado por meio do artigo que o acompanha, por exemplo: "o artista" e "a artista".
Fique Atento!

Quanto ao gênero, os substantivos de origem grega terminados em "ema" e "oma" são


masculinos, por exemplo: teorema, poema.

Há os substantivos chamados de "gênero duvidoso ou incerto", ou seja, aqueles utilizados para


os dois gêneros sem alteração do significado, por exemplo: o personagem e a personagem.

Existem alguns substantivos que variando de gênero, mudam seu significado, por exemplo: "o
cabeça" (líder), "a cabeça" (parte do corpo humano).

Número dos Substantivos


De acordo com o número do substantivo, eles são classificados em:
Singular: palavra que designa uma única coisa, pessoa ou um grupo, por exemplo: bola, mulher.
Plural: palavra que designa várias coisas, pessoas ou grupos, por exemplo: bolas, mulheres.

Grau dos Substantivos


De acordo com o grau dos substantivos, eles são classificados em aumentativo e diminutivo:

Aumentativo
Palavra que indica o aumento do tamanho de algum ser ou alguma coisa. Divide-se em:
Analítico: substantivo acompanhado de um adjetivo que indica grandeza, por exemplo: casa
grande.
Sintético: substantivo com acréscimo de um sufixo indicador de aumento, por exemplo: casarão.

Diminutivo
Palavra que indica a diminuição do tamanho de algum ser ou alguma coisa. Divide-se em:
Analítico: substantivo acompanhado de um adjetivo que indica pequenez, por exemplo: casa
pequena.
Sintético: substantivo com acréscimo de um sufixo indicador de diminuição, por exemplo:
casinha.

Quais são as funções sintáticas dos substantivos?

A função sintática de cada substantivo representa o papel que aquela palavra desempenha
dentro de uma oração, levando em consideração todas as outras palavras que o acompanham
naquele contexto (diferente da morfologia, que estuda o substantivo sozinho).

Sendo assim, o substantivo pode atuar como núcleo dentro das seguintes funções sintáticas:

1. Sujeito (José foi embora; cigarros causam câncer);


2. Predicativo (ela é um anjo; o primeiro colocado foi João);
3. Objeto (preciso de um livro novo; procurei algumas flores lá fora);
4. Complemento nominal (a leitura do livro é necessária para a prova);
5. Vocativo (Pai, vamos embora!);
6. Adjunto (o rosto de Maria é muito bonito; comprei arroz no supermercado);
7. Aposto (Fernanda Silva, a vítima, morreu na hora);
8. Agente da passiva (fui assaltado por aquele homem).