Você está na página 1de 2

Álgebra Linear – 3ª Lista de Exercícios

1) Numa aula de Computação Gráfica os alunos tinham de fazer uma simulação no


computador a respeito de rotação de figuras em ℝ2 e ℝ3 . Num dos exercícios
práticos, era importante analisar o ângulo 𝜃𝑛 entre os vetores 𝑒1 = (1,0,0, … ,0) ∈
ℝ𝑛 e 𝑣 = (1,1,1, … ,1) ∈ ℝ𝑛 . Embora apenas nos casos n = 2 e n = 3 fosse possível
uma visualização gráfica, o professor pediu aos alunos que fizessem um modelo
matemático explicando o que aconteceria no caso n > 3.
a) Calcule 𝜃𝑛 para n = 2, 3 e 4.
b) Verifique que, para n suficientemente grande, 𝑒1 e 𝑣 tendem a ficar ortogonais,
justificando sua resposta.

2) Seja V um espaço vetorial com produto interno. Sejam 𝑢, 𝑣 ∈ 𝑉. Verifique que:

a) |< 𝑢, 𝑣 >| ≤ ‖𝑢‖‖𝑣‖ (Desigualdade de Cauchy-Schwarz);


b) |< 𝑢, 𝑣 >| = ‖𝑢‖‖𝑣‖ ⇔ u e v são LD;
c) ‖𝑢 + 𝑣‖ ≤ ‖𝑢‖ + ‖𝑣‖ (Desigualdade Triangular);
d) ‖𝑢 + 𝑣‖2 + ‖𝑢 − 𝑣‖2 = 2(‖𝑢‖2 + ‖𝑣‖2 );
e) u e v têm mesma direção e mesmo sentido ⇔ 𝜃 = 0;
f) u e v têm mesma direção e sentidos opostos ⇔ 𝜃 = 𝜋;
𝜋
g) u e v são ortogonais ⇔ 𝜃 = 2 .

3) Seja 𝑉 = ℝ2 munido do produto escalar euclidiano usual. Sejam 𝑢, 𝑣 ∈ 𝑉 não nulos.


Dê a interpretação geométrica de:

a) ‖𝑢‖;
b) ‖𝑢 − 𝑣‖;
c) ‖𝑢 + 𝑣‖ ≤ ‖𝑢‖ + ‖𝑣‖;
d) ‖𝑢 + 𝑣‖2 + ‖𝑢 − 𝑣‖2 = 2(‖𝑢‖2 + ‖𝑣‖2 )

4) Seja 𝑉 = ℝ2 munido do produto escalar euclidiano usual. Sejam 𝑢, 𝑣 ∈ 𝑉 não nulos.


<𝑢,𝑣>
Verifique que 𝑐𝑜𝑠𝜃 = ‖𝑢‖‖𝑣‖ usando a Lei dos Cossenos.
5) Considere P = (1, 2, 3, 4), Q = (4, 3, 2, 1) e A = (1, 1, 1, 1) ∈ ℝ4 . Considere L a reta
em ℝ4 passando por P na direção de A.

a) Verifique que P – Q é ortogonal a A.


b) Determine as coordenadas de X = (x, y, z, w) ∈ 𝐿 em função de um parâmetro 𝑡 ∈ ℝ
c) Calcule 𝑑(𝑄, 𝑋) = ‖𝑋 − 𝑄‖como uma função de t.
d) Verifique que existe um único ponto 𝑋0 ∈ 𝐿 tal que 𝑑(𝑄, 𝑋0) é mínima e, neste caso,
a distância mínima é igual a 2√5.

6) Seja V um espaço vetorial com produto interno e de dimensão finita n, sendo


{𝑣1 , 𝑣2 , … , 𝑣𝑛 } um base de V. Verifique que:

a) O vetor nulo é o único vetor de V que é ortogonal a todos os vetores da base.


b) (Generalização do Teorema de Pitágoras) Se {𝑢1 , 𝑢2 , … , 𝑢𝑟 } é um conjunto
ortogonal de vetores de V, então
‖𝑢1 + 𝑢2 + ⋯ 𝑢𝑟 ‖2 = ‖𝑢1 ‖2 + ‖𝑢2 ‖2 + ⋯ +‖𝑢𝑟 ‖2 .
c) Se {𝑢1 , 𝑢2 , … , 𝑢𝑟 } é um conjunto ortogonal de vetores não nulos de V, então
{𝑢1 , 𝑢2 , … , 𝑢𝑟 } é LI (Vale a recíproca?).
d) Se {𝑣1 , 𝑣2 , … , 𝑣𝑛 } é uma base ortonormal de V, então
𝑣 =< 𝑣, 𝑣1 > 𝑣1 +< 𝑣, 𝑣2 > 𝑣2 + ⋯ +< 𝑣, 𝑣𝑛 > 𝑣𝑛 ,∀𝑣 ∈ 𝑉.
e) (Processo de Ortogonalização de Gram-Schmidt) Todo espaço vetorial 𝑉 ≠
{0} com produto interno e de dimensão finita n possui uma base ortogonal.

Sugestão: Verificar que o conjunto {𝑤1 , 𝑤2 , … , 𝑤𝑛 } é ortogonal, em que


𝑤1 = 𝑣1 ,
<𝑣 ,𝑤 >
𝑤2 = 𝑣2 − <𝑤2 ,𝑤1 > 𝑤1 ,
1 1
<𝑣3 ,𝑤1 > <𝑣 ,𝑤 >
𝑤3 = 𝑣3 − <𝑤 𝑤1 − <𝑤3 ,𝑤2 > 𝑤2,
1 ,𝑤1 > 2 2
...
<𝑣 ,𝑤 > <𝑣 ,𝑤 > <𝑣 ,𝑤𝑛−1 >
𝑤𝑛 = 𝑣𝑛 − <𝑤𝑛 ,𝑤1 > 𝑤1 − <𝑤𝑛 ,𝑤2 > 𝑤2 − ⋯ − <𝑤 𝑛 ,𝑤 𝑤 .
1 1 2 2 𝑛−1 > 𝑛−1
𝑛−1

7) Sejam V um espaço vetorial com produto interno e W um subespaço de V.


Definimos o complemento ortogonal de W, denotado por 𝑊 ⊥ como sendo o
conjunto de vetores de V ortogonais a W, ou seja, o conjunto de vetores de V
ortogonais a cada vetor de W. Verifique que:

a) 𝑊 ⊥ é um subespaço de V;
b) 𝑉 = 𝑊 ⊕ 𝑊 ⊥ .

Você também pode gostar