Você está na página 1de 38

Após a saudação e saudação ( 1 Pedro 1: 1-2 ), há uma doxologia, exaltando as misericórdias

de Deus que deram aos cristãos um nascimento maravilhoso, uma herança gloriosa e a
salvação de suas almas, uma salvação que até os profetas de idade, e realmente os anjos,
tinham procurado entender mais perfeitamente ( 1 Pedro 1: 3-12 ). Os versículos finais do
capítulo ( 1 Pedro 1: 13-25) entrelaçam os comandos práticos para "cingir os lombos da
mente", para serem "filhos da obediência", não para participar de suas antigas
concupiscências, e para "amar uns aos outros", com alguns dos mais magníficos ensinamentos
do Novo Testamento. Testamento sobre o Pai que é juiz de todos os povos, a redenção dos
cristãos através do sangue de Cristo, o novo nascimento realizado através da obediência à
verdade e uma identificação pontiaguda do evangelho cristão como "a palavra do Senhor" que
"abide para sempre."

Pedro, um apóstolo de Jesus Cristo, aos eleitos que vivem na Dispersão no Ponto, na
Galácia, na Capadócia, na Ásia e na Bitínia, segundo a presciência de Deus Pai, na
santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do Espírito Santo. sangue de
Jesus Cristo: Graça a ti e paz se multiplique. ( 1 Pedro 1: 1-2 )

Como disse Barclay, "uma das coisas mais notáveis sobre essa passagem é que são
necessárias palavras e concepções que originalmente se aplicavam apenas aos judeus e as
aplicavam aos cristãos". [1] Estes são eleitos, escolhidos, dispersão e peregrinos. "Pedro, um
apóstolo de Jesus Cristo ..."

Pedro era o nome amado que o próprio Jesus havia concedido a este apóstolo, e é a forma
grega do nome aramaico que significa "pedra" ou "pedrinha". Jesus havia falado profeticamente
pela primeira vez ( João 1:42), confirmando mais tarde, quando em sua grande confissão de
Cristo ( Mateus 16:18 ), este grande apóstolo estava provando sua percepção e confiabilidade.

Um apóstolo de Jesus Cristo ... Não havia necessidade de Pedro defender seu apostolado,
pois nunca foi questionado, como às vezes era verdade com Paulo. Note também que ele não
escreveu " O apóstolo", mas "UM apóstolo". Ele sempre teve o cuidado de reconhecer sua
própria igualdade com todos os Doze e com Paulo também. "São Pedro não conhecia nenhum
título mais alto para conceder a si mesmo do que aquele que ele mantinha em comum com os
outros onze". [2]

Jesus Cristo ... Pedro usou este título composto do Mestre onze vezes nos 105 versos desta
carta; É provável que ele e os outros apóstolos a tenham ouvido pela primeira vez na grande
oração de Jesus na noite de sua traição ( João 17: 3 ).

Para os eleitos que são peregrinos da Dispersão ... Estas são as grandes palavras, uma vez
aplicáveis apenas aos judeus, que agora foram dadas pelo próprio Deus para a igreja de Jesus
Cristo, que se tornou através da rejeição do Messias pela antiga Israel o verdadeiro e somente
Israel de Deus na nova dispensação.

Eleita ... A palavra grega assim traduzida significa literalmente "escolhida, escolhida" [3] e usada
do antigo Israel porque, como Moisés disse a Israel: "Porque ele amou a teus pais, por isso
escolheu a sua semente depois deles" ( Deuteronômio 4:37 Deuteronômio 4:37 ). No entanto,
Jesus Cristo disse aos seus seguidores: "Eu te escolhi" ( João 15: 16,19 ); portanto, os cristãos
são o novo povo escolhido (note particularmente neste contexto que nenhum israelita no
sentido carnal é excluído desta comunhão, a menos que ele opte por ser excluído); Dizem que
essas pessoas são escolhidas para fora do mundo, no mundo, mas não dele ( João 15:15
esegs.).João 15:16 , 19 João 15:15

Quem é peregrino ... Os cristãos são cidadãos de outro país, até mesmo do próprio céu
( Filipenses 3:20 Filipenses 3:20 ); a cabeça deles e o Senhor está no céu; o tesouro deles está
lá ( Mateus 6:19 Mateus 6:19 ); suas afeições estão lá ( Colossenses 3: 2 Colossenses 3:
2 ); sua esperança está centrada ali; muitos entes queridos justos estão (em certo sentido)
ali; e é um cristão pobre que considera o mundo atual como sua morada permanente. Os
israelitas do Antigo Testamento também eram estrangeiros. Abraão disse aos filhos de Heth:
"Eu sou um estranho e peregrino com você" ( Gênesis 23: 4 Gênesis 23: 4 ); e Jacó também
falou dos "dias dos anos da minha peregrinação" ( Gênesis 47: 9Gênesis 47: 9).). Muitos
judeus ortodoxos, independentemente de quão grande e bela uma casa possam construir,
sempre deixam uma parte específica inacabada como uma confissão simbólica de seus
habitantes.

Da Dispersão ... A palavra grega da qual isto vem é a diáspora, que durante os tempos pré-
cristãos era uma palavra técnica para os judeus que viviam fora da Palestina; nesta passagem
notável, Pedro antecipa todas essas palavras gloriosas e as usa com uma conotação
cristã; porque, claramente, a epístola é dirigida aos cristãos, não aos judeus. Os cristãos
também, como os judeus após a remoção das dez tribos e do cativeiro na Babilônia, estão
espalhados por toda a terra, separados não apenas uns dos outros, mas também da Jerusalém
celestial.

Em Pontus, na Galácia, na Capadócia, na Ásia e na Bitínia ... Essas eram as províncias


situadas ao sul do Mar Negro e a oeste das Montanhas Taurus, "incluindo todo o que
chamamos de Ásia Menor". [4] Muitos estudiosos vêem na mesma ordem em que Pedro
mencionou essas províncias uma indicação de que Pedro estava escrevendo de Roma. Vindo
de Roma por mar, o portador da carta desembarcaria em um porto no Mar Negro em
Pontus; "Ele começaria em Pontus e viajaria pelas comunidades cristãs da Galácia, Capadócia
e Ásia, terminando sua jornada na Bitínia." [5]

De acordo com a presciência de Deus, o Pai ... Que Deus de fato conheceu o chamado dos
gentios para estar entre o povo escolhido é provado pelas dezenas de referências proféticas a
este mesmo evento no Antigo Testamento. Paulo, no nono e décimo capítulo de Romanos,
citou nada menos que nove profecias do Antigo Testamento que previam o chamado dos
gentios (ver meu Comentário sobre Romanos, pp. 326-382); e além disso, a promessa original
a Abraão tinha sido específica quanto ao propósito de Deus, a saber, que em Abraão "todas as
famílias da terra" deveriam ser abençoadas ( Gênesis 12: 3Gênesis 12: 3). O infeliz orgulho,
auto-justiça e vaidade de Israel fizeram com que aquela nação ignorasse isso ou esquecesse
tudo sobre isso.

Na santificação do Espírito ... O Espírito Santo santifica "pela palavra de Deus" ( João
17:17 João 17:17 ). Assim, a obediência ao evangelho com a consequente habitação do
Espírito proporciona a santificação inicial pertencente a todo convertido a Cristo. Assim, Paulo
foi capacitado a dirigir-se à igreja de Corinto como "os santificados em Cristo Jesus" ( 1
Coríntios 1: 2 1 Coríntios 1: 2 ; 6:11); mas a santificação deve ser continuada até que o cristão
seja santificado "totalmente" ( 1 Tessalonicenses 5:231 Tessalonicenses 5:23 ). "Esta frase
claramente deve ser conectada com a palavra 'escolhido'." [6] Isso mostra que Deus escolhe
apenas aqueles que consentirem em obedecer ao evangelho e receber o penhor do Espírito
Santo.

Para a obediência e aspersão do sangue de Cristo ... A "obediência" em vista aqui é a


contínua fidelidade do cristão, não sua obediência primária, porque isso deve preceder a
investidura do cristão com o Espírito. O Espírito sendo o agente desta contínua obediência à
santificação "totalmente", prova que os passos iniciais de aceitar e obedecer ao evangelho não
são significados, porque ninguém nunca deixou mais claro do que Pedro que as pessoas
devem acreditar, se arrepender e ser batizadas. "para receber" e antes que possam receber a
promessa do Espírito ( Atos 2:38Atos 2:38 e segs.).

E aspersão do sangue de Cristo ... Isso também tem referência a uma qualidade pós-
conversão levando a um maior grau de santificação. Praticamente todos os estudiosos
concordam que isso "se refere ao estabelecimento da aliança mosaica em Êxodo 24: 7Êxodo
24: 7 "; [7] mas, verdade como isto é, olha apenas para a típica aspersão de sangue, para a
santificação do antigo Israel, Qual é a aplicação cristã dessas palavras? Como somos
aspergidos com o sangue de Cristo? Será acordado por todos que algo típico é destinado, mas
o que é isso? Talvez nunca tenha sido dada uma resposta melhor do que a de James
Macknight, como segue: "Assim, todos os que recebem o evangelho são emblematicamente
aspergidos com o sangue de Jesus na Ceia do Senhor". [8]Concordância total é sentida com
isto, pois na mesma noite da instituição da Ceia do Senhor, o Salvador disse da taça: "Este é o
sangue do novo testamento derramado por muitos para a remissão de pecados" ( Mateus
26:26Mateus 26:26). ).

Outra palavra está em ordem com referência a "obediência" como usada por Pedro nesta
frase. Hart comparou-a à "obediência da fé", usada por Paulo em Romanos 1: 5Romanos 1:
5 ; 16:26, [9] indicando que em todos os casos de atribuição de salvação, seja para a fé como
Paulo a tem em Romanos, ou para "santificação do Espírito", como Pedro a tem nesta
passagem, a condição sine qua non de todos os celestiais bênção é obediência da parte de um
ser abençoado, obediência sendo um requerimento celestial que nunca é renunciado. É claro
que é a graça gratuita de Deus que salva; e mesmo os obedientes não são salvos por obras ou
por mérito, mas os desobedientes não serão salvos ( 2 Tessalonicenses 1: 82 Tessalonicenses
1: 8 ).

Graça a você e paz sejam multiplicadas ... A julgar pelo uso freqüente desta saudação nas
cartas de Paulo, parece ter sido a prática geral da igreja primitiva evitar evitar desprezar os
elementos judaicos ou gentios nas igrejas, o que geralmente eram compostos de ambos,
combinando as saudações grega e hebraica, com fortes implicações cristãs, para dar a
maravilhosa "graça ... e paz" do Novo Testamento.

William Barclay, As Cartas de Tiago e Pedro (Filadélfia: The Westminster Press, 1976),
[1]

p. 165.

AJ Mason, Comentário Bíblico de Ellicott, vol. VIII (Grand Rapids, Michigan: Zondervan
[2]

Publishing House, 1959), pág. 387

WE Vine, Dicionário Expositivo das Palavras do Novo Testamento (Old Tappan, Novo
[3]

Testamento: Fleming H. Revell Company, 1940), vol. Eu p. 20

JR Dummelow, One Volume Commentary sobre a Bíblia Sagrada (New York: The Macmillan
[4]

Company, 1937), p. 1040

Archibald M. Hunter, A Bíblia do Intérprete, vol. XIII (New York e Nashville: Abingdon Press,
[5]

1957), p. 89

Raymond C. Kelcy, As Cartas de Pedro e Judas (Austin, Texas: RB Sweet Company, 1972),
[6]

p. 18

GJ Polkinghorne, um comentário do Novo Testamento (Grand Rapids, Michigan: Zondervan


[7]

Publishing House, 1969), p. 586

James Macknight, Macknight nas epístolas, vol. V (Grand Rapids, Michigan: Baker Book
[8]

House, 1969), p. 434

JHA Hart, O Testamento Grego do Expositor, vol. V (Grand Rapids, Michigan: W. B.


[9]

Eerdmans Publishing Company, 1967), p. 40.

Verso 3

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua grande
misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus
Cristo dentre os mortos,

Deus Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo ... O manancial de todas as bênçãos e salvação é o
próprio Deus; e por estas palavras, Pedro mostrou que o cristianismo não era em nenhum
sentido um afastamento do Deus de Israel e dos patriarcas hebreus, mas ainda era uma
adoração daquele mesmo Deus através da aceitação do Filho unigênito de Deus; porque o
mesmo Deus que é o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo é o mesmo que nos gerou.

De acordo com sua grande misericórdia ... Toda esperança de vida eterna, de perdão dos
pecados, de toda medida concebível de salvação - toda a esperança provém, em última
instância, do favor imerecido e da misericórdia de um Deus Todo-Poderoso.

Nos gerou novamente para uma viva esperança ... Isto faz de Deus o Pai de todo cristão, o
meio pelo qual aquela esperança é transmitida a eles, sendo o novo nascimento, do qual Pedro
brevemente falará novamente.

Pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos ... Isto não nega que os cristãos são
nascidos de novo através da obediência à palavra de Deus ( 1 Pedro 1:221 Pedro 1:22 ), mas
se refere à fonte dessa palavra, Jesus Cristo, e ao poderoso ato realizado por Deus em sua
ressurreição de nosso Salvador da tumba, o mesmo sendo a carta de habilitação, a grande
conquista que possibilitou a salvação das pessoas. Assim, é correto dizer que os cristãos
nascem de novo pela ressurreição de Cristo dentre os mortos.

Além disso, é muito apropriado que o apóstolo Pedro tenha se concentrado na ressurreição
logo de início; porque, como Hunter disse, "A ressurreição tornara tudo novo na vida de Pedro,
transformara a tragédia em triunfo; por isso, é totalmente apropriado que sua epístola comece
com esse hino dela". [10]

A palavra "abençoada" como usada por Deus neste versículo é uma palavra especial,
"consagrada a Deus somente no Novo Testamento"; [11] e é completamente diferente do termo
"abençoado" como usado nas bem-aventuranças do Sermão da Montanha. Kelcy nos informa
que a palavra reservada a Deus é [@eulogetos]; e o outro é [@makarios], [12] os quais, no
entanto, são traduzidos como "abençoados" nas versões comuns.

[10]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 92

[11]
AJ Mason, op. cit., p. 388

[12]
Raymond C. Kelcy, op. cit., p. 20

Verso 4

para uma herança incorruptível e incontaminada, e que não se apaga, reservada para ti
no céu

Aqui novamente o contraste contínuo entre o antigo e o novo Israel está em vista. A herança
que pertencia ao antigo Israel era sua posse literal da terra de Canaã; e ao falar da
maravilhosa recompensa que finalmente resultará da vida cristã, Pedro a chamou de
herança. Além disso, no caso dos cristãos, é realmente uma herança, algo em que nascem,
por meio do novo nascimento, assim como os israelitas que possuíam Canaã o receberam por
serem a verdadeira posteridade de Abraão. Quatro coisas são declaradas com referência a
essa herança gloriosa.

Incorruptível ... Paulo também falou da herança do cristão ( Efésios 1:14 Efésios
1:14 ; Colossenses 3:24 Colossenses 3:24 ), e todos os escritores sagrados enalteceram as
virtudes dela. Canaã, a herança do antigo Israel, havia sido de fato corrompida; inimigos
estrangeiros a invadiram e submeteram o povo à escravidão; reis malignos surgiram de si
mesmos que oprimiram e devoraram a terra; mas a herança celestial não pode ser
corrompida. Parece haver também nesta palavra uma lembrança do que Jesus disse sobre a
traça e a ferrugem, corrompendo a riqueza terrestre ( Mateus 6:19Mateus 6:19
e segs.). Mesmo os melhores tesouros terrestres estão fadados ao fracasso e à decadência,
quando nem mesmo a própria terra permanecerá.

E imaculada ... A herança do antigo Israel (Canaã) havia sido de fato contaminada. De novo e
de novo o povo caiu em idolatria; a opressão dos pobres estava em toda parte; nem o próprio
templo sagrado estava isento do calcanhar do invasor e a poluição do altar mais sagrado pelo
sacrifício de uma porca.

E isso não desaparece ... A natureza enfraquecida de todas as coisas terrenas e temporais
contrasta com a recompensa eterna dos santos em Cristo Jesus. Não importa que riqueza,
honra, poder, glória, popularidade, beleza ou sucesso cheguem a uma pessoa na Terra, é
apenas por um momento. Toda a força, realização e desejo dos mortais terminam rapidamente
no túmulo, desaparecendo e logo são esquecidos pelas fugazes gerações de pessoas; mas
não a herança eterna dos santos na luz.

Reservado no céu para você ... É reservado para aqueles que terão direito a isso; estará lá
pronto para eles; nenhum outro deve se antecipar ou tirar deles. Observe a ênfase no
céu. Pedro ouvira o Mestre dizer: "Grande é a sua recompensa no céu" ( Mateus 5: 10-
12Mateus 5: 10-12 ). O essencial "outro-mundanismo" da fé cristã brilha em uma passagem
como esta, onde os peregrinos, estrangeiros e cidadãos do céu são chamados a contemplar a
natureza eterna de sua recompensa final, a glória da herança eterna.

Verso 5

que pelo poder de Deus são guardados através da fé para uma salvação pronta para ser
revelada na última vez.

"A palavra guardada aqui é um termo militar", [13] os cristãos são guarnecidos pelo poder de
Deus e salvaguardados pelo próprio Pai. É claro que os próprios cristãos, sob os termos da
vontade do Pai, contribuem para essa segurança. Como? A próxima frase explica como.

Pela fé ... Isto não pode suportar o significado de que o único ato de fé do cristão fornece
qualquer segurança. "Fé", como usado aqui, significa "fidelidade incondicional", bem como
confiança. [14] Barnes resumiu o pensamento deste verso assim:

A idéia é que houve uma tutela fiel exercida sobre eles para salvá-los do perigo, como um
castelo ou guarnição é vigiado para protegê-lo contra a aproximação de um inimigo. [15]

Uma salvação pronta para ser revelada na última vez ... Apesar do fato de muitos escritores
do Novo Testamento usarem a expressão "os últimos dias" para significar a dispensação cristã,
"a última vez" aqui tem referência ao dia final do julgamento quando Cristo ressuscitará os
mortos e convocará todas as pessoas para o julgamento do Trono Branco. Como Wheaton
observou:

Nestes versos a salvação é vista em todos os seus tempos (passado, presente e futuro), os
cristãos nasceram de novo pela misericórdia de Deus, estão sendo guardados pelo poder de
Deus, e esperam obter a libertação completa de todo o mal no mundo. última vez. [16]

[13]
Ibid., P. 23

[14]
AJ Mason, op. cit., p. 389

Albert Barnes, Notas sobre o Novo Testamento, Peter (Grand Rapids, Michigan: Baker Book
[15]

House, 1953), p. 114

[16]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 92
Verso 6

Em que muito nos regozijamos, ainda que agora, por um breve momento, se for
necessário, vocês terão sido atormentados em múltiplas provações,

em que ... Existem várias noções em voga sobre o que, exatamente, é o antecedente; mas o
significado mais óbvio é que toda a "situação" que acabamos de discutir está sendo dada como
a razão lógica pela qual eles se regozijam grandemente, ou são ordenados a se regozijar
muito. "O verbo grego pode ser tomado também como um imperativo, 'Portanto, regozije-
se'" [17] Isso também é dado como uma alternativa na margem do RSV .

Você se regozija muito ... Esta é uma simples declaração de fato, regozijando-se sendo
mencionada quase continuamente ao longo do Novo Testamento, como quando Paulo e Silas
se regozijaram e cantaram hinos à noite ( Atos 16:25Atos 16:25 ).

Embora agora por pouco tempo ... Isto não deve ser entendido como uma profecia de que
suas provações seriam de curta duração, mas se relaciona com o fato de a vida terrena ser
quase infinitamente menor do que a vida eterna.

Fostes atormentados em múltiplas provações ... As provações que chegam aos cristãos a
quem Pedro escreveu foram mais do que o esperado normalmente. "Aqui está uma referência
ao peso das perseguições que são sentidas pelos cristãos". [18] Mais adiante na carta, Peter
dará uma série de vislumbres do ódio, difamação e as falas do mal que, mesmo assim, foram
uma tempestade crescente de oposição à fé.

[17]
David H. Wheaton, op. cit., p. 1239

Stephen W. Paine, Comentário do Novo Testamento de Wycliffe (Chicago: Moody Press,


[18]

1971), p. 970

Verso 7

que a prova da vossa fé, sendo mais preciosa do que o ouro que perece, embora seja
provada pelo fogo, pode ser encontrada para louvor e glória e honra na revelação de
Jesus Cristo:

Este verso bastante complicado não é uma comparação da fé com o ouro; "mas há uma
analogia entre o teste do caráter (fé) e o refinamento do ouro." [19] Se as pessoas se dão ao
trabalho de testar ouro, quanto mais se deve esperar que Deus testará a fé? Barnes também
enfatizou isso da seguinte forma:

Isso não significa que a fé deles era mais preciosa do que o ouro (embora, claro, é), mas que o
teste disso ... era um processo muito mais importante e valioso do que testar ouro pelo
fogo. [20] TAMANHO>

Também inerente a este verso é o tremendo fato em si, que a fé é mais preciosa do que o ouro
fino, a razão para isso, como apontado por Zerr, sendo que:

Mesmo enquanto a terra permanece, as alegrias que o ouro pode obter para nós são incertas e
muitas vezes fogem como o orvalho da manhã; mas a felicidade obtida por uma fé duradoura
não passará. [21]

Não será perdido em um estudante próximo do Novo Testamento que estes versículos estão
cheios de frases e pensamentos usados pelo apóstolo Pedro em seus sermões ( Atos 3:
20,21 ; 10:42).Atos 3:20 , 21
Por Pedro ter atingido essa nota de sofrimento no início de sua carta, ele estava apenas
enfatizando aquilo que havia sido enfatizado pelo próprio Mestre ( Marcos 8: 31-38 Marcos 8:
31-38 ); e Pedro voltaria a isso, de novo e de novo, ao longo da epístola ( 1 Pedro 2:211 Pedro
2:21 ; 3: 14-22; 4: 12-19; 5: 1,10). (Veja o Esboço na Introdução para discussão de temas
recorrentes em toda a epístola.) Assim, os sofrimentos de um cristão não devem ser vistos
como qualquer "desastre não programado, ultrapassando-o sem a vontade de Deus, mas, por
outro lado, como o próprio caminho". pelo qual o Senhor Jesus operou sua maravilhosa
redenção. " [22]

[19]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 96

Albert Barnes, Notas sobre o Novo Testamento (Grand Rapids, Michigan: Baker Book
[20]

House, 1953), p. 116

[21]
EM Zerr, Comentário Bíblico (Marion, Indiana: Cogdill Foundation, 1954), p. 253

[22]
GJ Polkinghorne, op. cit., p. 587

Verso 8

a quem não tendo visto o amor; sobre quem, embora agora não o vedes, crendo,
regozijai-vos grandemente com alegria indizível e cheia de glória;

Dummelow achava que havia um "toque generoso" [23] por parte de Peter nisso. O apóstolo que
viu, admira e aprecia o amor e a alegria dos irmãos que não viram (!) Nos lembra das palavras
de Jesus: "Bem-aventurados aqueles que não viram e creram" ( João 20:29João
20:29). ). Apesar da natureza discreta dele, há aqui uma implicação positiva de que o escritor
da epístola de fato tinha visto o Senhor, por essas palavras lembrando aquele segundo
encontro com o Senhor depois de sua ressurreição, naquele cenáculo.

Os gregos tinham três palavras para o amor, sendo estes [@agape], [@eros] e [@fileo]. É o
primeiro deles que Pedro usou aqui; e Kelcy tem uma excelente palavra sobre o significado
disso:

Indica um amor inteligente e intencional, o amor que reconhece seu objeto pelo que é; é o
amor de consideração e cuidado, o amor da boa vontade e o amor que deseja servir e
promover os melhores interesses de seu objeto. [24]

Como pode tal alegria indescritível e regozijo existir no coração daqueles cujos corações estão
sobrecarregados com múltiplas provações e tentações? A resposta para isso é trovejada no
próximo verso.

[23]
JR Dummelow, op. cit., p. 1041

[24]
Raymond C. Kelcy, op. cit., p. 26

Versículo 9

recebendo o fim de sua fé, até mesmo a salvação de suas almas.

Fim da sua fé ... Isto significa o objetivo ou propósito da fé, aquilo que é o resultado final da
obediência da fé.
Paine, baseando sua conclusão na construção do grego, diz: "Isto não é um futuro, mas uma
referência atual", [25] tornando assim a salvação aquilo que eles já tinham. É claro que isso se
harmoniza com a visão de Atos de que aqueles que estavam sendo "salvos" foram
acrescentados à igreja ( Atos 2:47 Atos 2:47 ). Havia certamente um sentido em que os
destinatários de Pedro já estavam salvos, isto é, "seus antigos pecados", como Pedro explicou
em 2 Pedro 1: 92 Pedro 1: 9 .

Mesmo a salvação de suas almas ... Dummelow apontou que "o grego não tem palavra para
você" [26]que, por conseguinte, está em itálico em nossa versão. Se ler sem as palavras em
itálico, em seguida, o verso tem "a salvação das almas", sendo este de fato o objetivo ou fim de
toda a acreditar, o santo propósito para o qual todo o plano eterno do Pai celeste é dirigido. As
igrejas da era atual tendem a ignorar isso. Os ganhos sociais que ocuparam tanto tempo nos
planos e atividades das igrejas, embora tenham pouco valor para o agora e o aqui, não são de
forma alguma "o propósito" da igreja de Deus no mundo. É a salvação das almas das pessoas,
não o salário que elas recebem, nem a qualidade de sua moradia, que aparece nas Escrituras
como a grande comissão para a igreja.

[25]
Stephen W. Paine, op. cit., p. 970

[26]
JR Dummelow, op. cit., p. 1041

Verso 10

Em relação a qual salvação os profetas buscavam e buscavam diligentemente, que


profetizavam a graça que deveria vir a vocês:

Como Caffin observou:

Pedro era um estudante diligente dos livros proféticos, e constantemente os cita, tanto em suas
epístolas quanto em seus discursos registrados em Atos. Aqui ele dá um vislumbre muito
notável da condição da consciência profética. [27]

Aqui Pedro chamou a atenção para a curiosidade que os antigos profetas do Antigo
Testamento tinham com referência aos seus próprios escritos! É claro que os críticos do Novo
Testamento encontrariam falhas em uma verdade como essa, sugerindo que Pedro "construiu"
esse versículo em uma das declarações de Jesus "relatado de forma diferente" [28] em Mateus
13:17 Mateus 13:17 e Lucas 10:24Lucas 10:24.! Existem erros no plural em uma visualização
como essa. Primeiro, há a negação de que Jesus fez as duas declarações. A noção tola de que
afirmações semelhantes no Novo Testamento são invariavelmente baseadas em "um original"
é ridícula. Todas as declarações do Novo Testamento de Jesus são originais! Em segundo
lugar, há a noção de que Pedro teve que "construir" suas palavras. O ensino de Pedro neste
versículo poderia muito bem ter sido fundamentado nas palavras pessoais de Cristo, mas se
isso é verdade ou não, é dado pela inspiração do Espírito Santo e, portanto, verdadeiro.

Os profetas ... Estes eram os profetas da antiga aliança, os escritores do Antigo Testamento,
cujas centenas de profecias da vinda de Cristo ao mundo compõem o fardo do Antigo
Testamento. Por razões que aparecerão abaixo, os críticos têm trabalhado muito
diligentemente nesta Escritura. Selwyn argumentou que estes não são os profetas do Antigo
Testamento, mas os da igreja apostólica! [29]Entretanto, o próprio fato dos profetas que Pedro
mencionou ter profetizado os sofrimentos e glórias de Cristo os identifica com o Antigo
Testamento, não com o Novo Testamento.

Procurou e procurou diligentemente ... O que os profetas procuraram? As sagradas


escrituras que eles haviam escrito, é claro! O pronunciamento notável de João Calvino sobre
isso, no sentido de que os profetas pesquisaram, "não a escrita ou o ensino, mas o desejo
privado com o qual cada um foi demitido!" [30]também está totalmente fora de harmonia com a
passagem. O seguinte versículo mostra que foi o "testemunho" do Espírito Santo em relação
aos sofrimentos e glórias de Cristo, foi esse "testemunho" que eles não entenderam (embora
eles o tenham escrito), o ponto de seu mal-entendido é o "tempo". "quando tais coisas
ocorreriam. Ora, esses testemunhos dos sofrimentos e glórias de Cristo não eram "anseios
privados" dos profetas, mas as palavras claras das Escrituras que eles escreveram. Além
desses fatos óbvios, quem já ouviu falar de um homem "pesquisando e investigando" seus
anseios privados!

A palavra para "inquirido" é "usada somente aqui no Novo Testamento", [31]


e tem o significado
de "buscar, traçar ou explorar". [32]

A explicação lúcida de Barnes sobre o que este verso significa é, sem dúvida, correta:

Os profetas perceberam que em suas comunicações havia algumas grandes e gloriosas


verdades que eles não compreendiam plenamente; e diligentemente empregaram suas
faculdades naturais para entender aquilo que foram designados para transmitir às gerações
sucessivas. [33]

BC Caffin, The Pulpit Commentary, vol. 22, Peter (Grand Rapids, Michigan: Wm. B.
[27]

Eerdmans Publishing Company, 1950), p. 6

[28]
JHA Hart, op. cit, p. 46

EG Selwyn, A Primeira Epístola de São Pedro (London: Macmillan and Company, 1946), pp.
[29]

131ss.

[30]
Uma citação de João Calvino de AJ Mason, op. cit., p. 391

[31]
Raymond C. Kelcy, op. cit., p. 28.

[32]
Albert Barnes, op. cit, p. 120

[33]
Ibid.

Verso 11

pesquisando a que horas ou que tipo de tempo o Espírito de Cristo que neles havia
apontado, quando dava testemunho antecipado dos sofrimentos de Cristo, e as glórias
que deveriam segui-los.

A natureza exata da perplexidade dos profetas é aqui dada. Considerava o "tempo" dos
eventos maravilhosos que eles predisseram. A resposta exata para seus questionamentos, no
entanto, não foi revelada a eles, apenas que não estava programada para sua própria geração,
mas para idades subseqüentes.

O fenômeno dos profetas não sendo capazes de compreender plenamente seus próprios
escritos é uma das conseqüências mais importantes na interpretação bíblica; pois requer a
dedução de que o Espírito de Cristo, falando através deles, não meramente lhes deu as idéias
corretas, ou pensamentos, que eles então deveriam apresentar em suas próprias palavras,
mas, contrariamente, as palavras de verdade eram exatamente o que eles recebi, palavras
com idéias e pensamentos contidos que eles não entendiam nada! É um mistério porque
muitos comentaristas modernos negam uma proposição como esta, especialmente tendo em
vista o fato de que o próprio apóstolo Pedro, em Pentecostes, proferiu as palavras de Deus,
que ele não compreendia plenamente na época, a verdade vital. que as promessas do
evangelho são para "os que estão longe", significando claramente, em retrospecto, os
gentios, mas de maneira alguma sendo plenamente compreendido por Pedro no momento em
que ele falou isso. Pode-se legitimamente imaginar se a análise de Pedro de seu próprio
exemplo nisto também não revelou a ele o que havia acontecido no caso dos antigos profetas
da antiga dispensação, levando à verdade expressa aqui.

O Espírito de Cristo que estava neles ... O Espírito de Cristo aqui é o "Espírito Santo", que
também foi chamado por este título por Paulo ( Romanos 8: 9Romanos 8: 9 ); e há deduções
de vastas consequências que são impostas por isso:

Ao atribuir o ensino dos profetas ao Espírito de Cristo, Pedro está na verdade afirmando que o
mesmo Espírito que falou através dele e dos outros apóstolos também falou através dos
profetas do Antigo Testamento (compare 2 Pedro 1:212 Pedro 1:21 ) [34].

Macknight deu como significado deste verso a observação de que:

A partir disso, parece que, em muitos casos, os profetas não entenderam o significado de suas
próprias profecias, mas os estudaram, como outros, com grande cuidado, a fim de descobrir. [35]

[34]
Raymond C. Kelcy, op. cit., p. 28.

[35]
James Macknight, op. cit., p. 439

Versículo 12

A quem foi revelado que não para si mesmos, mas para vós, eles ministraram estas
coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do
céu, vos pregaram o evangelho; quais coisas os anjos desejam ver.

Muito significativamente, neste verso:

Pedro reivindica para aqueles que evangelizam a Ásia Menor (Paulo e seus companheiros) a
mesma autoridade que foi possuída pelos antigos profetas. O Espírito de Cristo estava nos
profetas; o mesmo Espírito trabalhou e pregou através dos apóstolos [36]

Este verso diz algumas coisas maravilhosas sobre a pregação, resumidas por Barclay: "Que é
o anúncio da salvação, que é do Espírito Santo, e que os próprios anjos estão intensamente
interessados nela". [37]

A menção de Pedro do Espírito Santo sendo enviado do céu implica que a palavra dos
apóstolos é ainda superior à dos profetas, sendo o resultado de uma investidura mais gloriosa
do bendito Espírito. "A referência primária (neste) é a descida do Espírito no Pentecostes ( Atos
2 )." [38]

Que coisas anjos desejam examinar ... Ao enfatizar a grandeza da salvação que chegou aos
cristãos, Pedro afirma que até mesmo os anjos do céu estão profundamente preocupados e
interessados nesta salvação; e porque não? Para o seu próprio número que havia pecado, não
houve dia da graça, nem oferta de perdão, nem oportunidade de procurar um remédio. O
mesmo verso da palavra de Deus que relaciona seu pecado também relata que eles foram
expulsos do céu! Não é de admirar que eles estivessem interessados nessa coisa nova em que
Deus perdoaria pessoas pecadoras e rebeldes! Nenhuma maravilha maior apareceu, seja no
céu ou na terra! Não há necessidade de supor que Pedro confiou no livro de Enoque para essa
informação, como alegado por Hart, [39]pois tudo o que ele afirmou aqui é representado
tipicamente nas figuras esculpidas dos santos anjos que adornam o propiciatório ( Êxodo
25:20Êxodo 25:20 e segs.), e que foram representados exatamente em tal atitude de
admiração inquisitiva como aquela que Pedro mencionou aqui. (Veja uma pequena dissertação
sobre O Propiciatório nesta série de comentários, meu Comentário sobre Hebreus, pp. 190-
191.)
Para investigar ... Essas palavras são significativas por causa do significado da
raiz. Dummelow disse: "A palavra grega significa parecer tão fora de uma janela"; [40], mas um
significado variante é evidentemente aquele aqui: "Olhar vem de uma palavra que indica uma
inclinação para ver mais claramente." [41]Macknight também concordou com a certeza deste
significado aqui:

O grego significa literalmente se inclinar; mas inclinar-se, sendo a atitude de quem deseja olhar
estreitamente para uma coisa; está devidamente traduzido olhar atentamente. [42]

Será notado que esse significado se concentra na postura inclinada dos anjos acima do
propiciatório.

[36]
BC Caffin, op. cit., p. 8

[37]
William Barclay, op. cit., p. 180

[38]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 99

[39]
JHA Hart, op. cit., p. 47

[40]
JR Dummelow, op. cit., p. 1042

[41]
Raymond C. Kelcy, op. cit., p. 29

[42]
James Macknight, op. cit., p. 441

Versículo 13

Portanto, cingindo os lombos de sua mente, fique sóbrio e ponha sua esperança
perfeitamente na graça que deve ser trazida a você na revelação de Jesus Cristo;

Fundada na exigência do Antigo Testamento de que os judeus devem observar a Páscoa com
seus "lombos cingidos", alguns imaginaram todos os tipos de coisas vãs, alegando que 1 Pedro
é um sermão proferido em conexão com a observação da ceia do Senhor; [43] mas os eruditos
devem procurar, não sempre no Antigo Testamento, mas nas palavras de Cristo, o que Pedro
quis dizer com isso ( Lucas 12: 35,36 ). Jesus usou estas palavras de estar preparado para o
Segundo Advento, e é exatamente assim que Pedro as usou aqui.Lucas 12:35 , 36

Preparando os lombos da sua mente ... Como ele fazia com frequência, Pedro aqui dá um
significado metafórico às expressões bem conhecidas. "Cingir os lombos" significava amarrar
as roupas soltas como pré-requisito para poder trabalhar sem restrições. Tinha o significado
aproximado de "arregaçar as mangas e ir trabalhar". Com certeza, a mente não pode arregaçar
as mangas; mas a mente pode ser disciplinada e preparada para o futuro através de oração
diligente, estudo e contemplação. Foi disto que Pedro falou. A partir disso, e de muitos outros
exemplos nesta carta, o método figurado usual de Pedro de se expressar empresta fortes
evidências presuntivas para a conclusão de que "Babilônia" é um nome místico para "Roma".

ENCOMENDA :

[43]
JHA Hart, op. cit., p. 48

Verso 14
como filhos da obediência, não se formando de acordo com suas antigas luxúrias no
tempo de sua ignorância:

Como filhos da obediência ... "Apesar de sua ênfase na liberdade cristã, a obediência é uma
das virtudes cardeais do Novo Testamento." [44] Aqui está outra metáfora. A obediência é
representada como a mãe dos cristãos.

Não se moldando de acordo com suas antigas luxúrias ... Um princípio nobre está em vista
aqui. Através da prática da maldade, as pessoas se formam à semelhança dos pecados que
cometem; e assim eles se tornam "filhos da desobediência" ( Efésios 2: 2 Efésios 2: 2 ; 5:
6; Colossenses 3: 6Colossenses 3: 6 ), exatamente o oposto do que Pedro exigia para os
cristãos aqui.

No tempo de sua ignorância ... A própria natureza da vida sem Cristo é que ela é controlada
pela luxúria, fundamentada na ignorância e destinada a terminar em futilidade.

ENCOMENDA :

[44]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 100

Versículo 15

mas, como quem vos chamou, é santo, sede vós também santos em toda a vida;

O caçador discerniu corretamente que a exigência aqui é aproximadamente a mesma que a


de Mateus 5:48Mateus 5:48 , a saber, a perfeição. [45] Isaías se referiu ao Pai como "o Santo de
Israel" ( Isaías 30:15 Isaías 30:15 ); e a grande premissa aqui é que os filhos de tal Deus
devem ser santos "em todos os modos de vida". O escritor de Hebreus mesmo modo exortados
a "Siga ... santidade, sem a qual ninguém verá o Senhor" ( Hebreus 12:14Hebreus
12:14 KJV ). Os teólogos podem falar tanto e tão vigorosamente quanto quiserem sobre ser
salvo "somente pela fé", mas esta e outras mil passagens do Novo Testamento ensinam o
contrário. Nem é isso para alegar que o homem tem a capacidade de conseguir isso além de
estar "em Cristo".

ENCOMENDA :

[45]
Ibid., P. 101

Versículo 16

porque está escrito: Sereis santos; porque eu sou santo.

Como Kelcy observou: "Assim se vê que a santidade é básica para a verdadeira religião no
Antigo Testamento e no Novo Testamento; sem ela, ninguém verá o Senhor ( Hebreus
12:14Hebreus 12:14 )." [46]

ENCOMENDA :

[46]
Raymond Kelcy, op. cit., p. 33

Versículo 17
E se você o invocar como Pai, que sem consideração de pessoas julga de acordo com a
obra de cada homem, passe o tempo de sua permanência com medo:

E se você invocá-lo como Pai ... Isto não implica qualquer dúvida de seu chamado sobre o
Pai, sendo como as palavras de Jesus: "Se eu for e preparar um lugar para você, etc." ( João
14: 3João 14: 3 ) A familiaridade de Pedro com as instruções de Jesus com referência a Deus
como Pai é refletida nisto; mas sua admoestação parece ser a seguinte: "Embora você se
familiarize com Deus como Pai, não ignore o fato de que ele é também o Juiz de todo homem:"
Quem, sem o respeito das pessoas, julga de acordo com o trabalho de cada homem. "

De acordo com o trabalho de cada homem ... Esse ensinamento não é peculiar a
Pedro; Paulo declarou que "Deus dará a cada um segundo as suas obras" ( Romanos 2:
6Romanos 2: 6 ). A noção de que estar debaixo da graça de Deus, e ser salvo pela graça
através da fé, anula as Escrituras como estas é extremamente errônea.

Passe o tempo de sua permanência com medo ... Outra vertente do pensamento da epístola
surge novamente aqui, como em 1 Pedro 1: 1 1 Pedro 1: 1 . Alguns alegaram uma contradição
entre esta e as palavras de João: "O amor perfeito lança fora o medo" ( 1 João 4:181 João
4:18 ); mas, como Caffin apontou:

O medo que tanto Pedro como Paulo ( Filipenses 2:12Filipenses 2:12 ) recomendaram é o
temor santo, o medo de um filho por um pai amoroso, o medo de desagradar a Deus diante de
quem andamos, o próprio Deus que deu seu abençoado Filho para morrer por nós e nos
julgará no final. [47]

ENCOMENDA :

[47]
BC Caffin, op. cit., p. 9

Versículo 18

sabendo que fostes redimidos, não com coisas corruptíveis, com prata ou ouro, por
causa do väo modo de vida que os teus pais transmitiram;

Vocês foram redimidos ... Esta é uma das grandes passagens de resgate do Novo
Testamento, junto comMarcos 10:45 Marcos 10:45 ; 1 Coríntios 6:20 1 Coríntios 6:20 ; 1
Timóteo 2: 5 1 Timóteo 2: 5 ; Apocalipse 1: 5Apocalipse 1: 5 e muitos outros.

Não com prata ou ouro ... Estas são algumas das coisas corruptíveis citadas como
exemplos; nada de valor ou mérito terrestre constituía o preço de compra dos cristãos, mas
apenas o sangue de Cristo.

Da vossa maneira de viver ... Inerente a toda redenção está o estado do qual somos
redimidos, isto é, um estado de pecado. Pedro aqui observa que os cristãos foram redimidos
"da maneira vã da vida"; e isto é, em todos os sentidos, consoante com o que o anjo disse a
José, falando de Cristo: "É ele que salvará o seu povo dos pecados deles". A vaidade, a
futilidade, a luxúria e a ignorância da vida sem Cristo são enfatizadas neste capítulo.

Entregue de seus pais ... Ah, aqui está o segredo da maior parte do erro na terra. "Em geral, o
argumento mais forte para falsas religiões, assim como para erros na verdade, é que os
homens as receberam de seus pais." [48]

ENCOMENDA :

[48]
James Macknight, op. cit., p. 444
Verso 19

mas com sangue precioso, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, mesmo o
sangue de Cristo:

Novamente, Pedro apropria-se da figura correspondente do Antigo Testamento ao descrever a


gloriosa redenção dos cristãos. Como Polkinghorne disse:

O cordeiro da Páscoa (Êxodo), como o sacrifício pelo qual Israel foi libertado da escravidão e
separado para o Senhor, é ricamente significativo no contexto, como também é o cordeiro
deIsaías 53 , a passagem tão amplamente citada em 1 Pedro 2: 22-251 Pedro 2: 22-25. . [49]

Mas com sangue precioso ... Esta passagem, com o versículo precedente, expõe Cristo como
o cordeiro pascal para os cristãos e descreve a natureza do preço do resgate. O propósito de
Cristo de redimir as pessoas foi a grande motivação de vir ao mundo.

< TAMANHO = 2> POR QUE CRISTO VEIO

Ele veio para nos salvar de nossos pecados ( Mateus 1:21Mateus 1:21 ).

Ele veio para dar a sua vida em resgate por muitos ( Marcos 10:45Marcos 10:45 ).

Ele veio para sofrer e ressuscitar ( Lucas 24:46 Lucas 24:46 ; Mateus 20:28Mateus 20:28 ).

Ele veio para tirar os pecados do mundo ( João 1:29João 1:29 ).

Ele veio para ser uma propiciação pelo pecado ( Romanos 3:25Romanos 3:25 ).

Ele veio para que pudéssemos receber a reconciliação ( Romanos 5:11Romanos 5:11 ).

Ele veio para nos comprar com um preço ( 1 Coríntios 6:191 Coríntios 6:19 ).

Ele veio para se dar um resgate por todos ( 1 Timóteo 2: 51 Timóteo 2: 5 ).

Ele veio para nos redimir de toda a iniqüidade ( Tito 2:14Tito 2:14 ).

Ele veio para purificar a si mesmo um povo ( Tito 2:17Tito 2:17 ).

Ele veio para fazer propiciação pelos pecados do povo ( Hebreus 2:17Hebreus 2:17 ).

Ele veio para levar os pecados de muitos ( Hebreus 9:27Hebreus 9:27 ).

Ele veio para guardar pecados pelo sacrifício de si mesmo ( Hebreus 9:26Hebreus 9:26 ).

Ele veio oferecer um sacrifício pelos pecados para sempre ( Hebreus 10:12Hebreus 10:12 ).

Ele veio para nos redimir com o seu sangue ( 1 Pedro 1:181 Pedro 1:18 ).

Ele veio para carregar nossos pecados em seu corpo na árvore ( 2 Pedro 2:242 Pedro 2:24 ).

Ele veio para sofrer pelos pecados que ele poderia nos trazer a Deus ( 2 Pedro 3:182 Pedro
3:18 ).

Ele veio para ser a propiciação pelos nossos pecados ( 2 João 1: 2: 2 ; 4:10).2 João 1: 2 :
Ele veio para ser a propiciação pelos pecados do mundo inteiro.

Ele veio para tirar pecados ( 1 João 3: 51 João 3: 5 ).

Ele veio para nos libertar dos nossos pecados pelo seu sangue ( Apocalipse 1: 5Apocalipse 1:
5 ). TAMANHO>

Portanto, a salvação pelo sangue de Cristo é o fio carmesim que vai de Mateus ao Apocalipse,
e não há uma teologia adequada que não considere isso.

ENCOMENDA :

[49]
GJ Polkinghorne, op. cit., p. 588

Verso 20

que era conhecido de antemão antes da fundação do mundo, mas foi manifestado no
final dos tempos por causa de você,

Quem foi de antemão conhecido ... A visitação redentora de nosso mundo pelo Filho de Deus
foi conhecida em propósito desde o princípio, mas "foi mantida em silêncio através dos tempos
eternos" ( Romanos 16:25 Romanos 16:25 ); "em outras gerações não foi dado a conhecer aos
filhos dos homens" ( Efésios 3: 5 Efésios 3: 5 ); foi "escondido por eras e gerações"
( Colossenses 1:26Colossenses 1:26 ).

Antes da fundação do mundo ... "Isto significa" antes da Criação "." [50] Deus nos escolheu em
Cristo "antes da fundação do mundo" ( Efésios 4:16Efésios 4:16 ). Não há completo
entendimento de tal coisa pela inteligência finita; mas o coração da fé acredita sem reservas ou
dúvidas.

A dispensação cristã, o ponto e período da história da vinda de Cristo, é aqui considerada


como o clímax e a consumação das eras anteriores (ver Hebreus 1: 1 , 2 ; 9:26). [51]Hebreus 1:
1,2

Por seu uso de "manifesto", Pedro também testemunha nisso a preexistência de Cristo e a
doutrina da encarnação. Não se pode dizer de qualquer homem comum que ele "se
manifestou".

No final dos tempos ... "Pedro considerava a era cristã como o último período na história
religiosa do homem". [52]

[50]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 103

Alan M. Stibbs, Tyndale New Testament Commentaries, 1 Pedro (Londres: The Tyndale
[51]

Press, 1959), p. 92

[52]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 103

Versículo 21

quem, por meio dele, é crente em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos e lhe deu
glória; para que sua fé e esperança estejam em Deus.
Quem através dele é crente em Deus ... Isto diz a quem Cristo foi manifestado, aqueles que
crêem nele e sua ressurreição e na glória que Deus lhe deu. "Não que houvesse qualquer sigilo
do mundo em geral, pois o evangelho foi pregado a toda criatura debaixo do céu." [53]

Para que a sua fé e esperança possam estar em Deus ... Esta tradução faz com que o
propósito da ressurreição e glória de Cristo seja o de criar fé em Deus; no entanto,
a versão do RSV diz: "Para que sua fé e esperança estejam em Deus". No entanto, isso não
faz diferença, pois a passagem é verdadeira de qualquer maneira. "De fato, fé e esperança em
Deus são tanto o propósito quanto o resultado da ressurreição e ascensão de Cristo." [54]

[53]
EM Zerr, op. cit., p. 254

[54]
David H. Wheaton, op. cit., p. 1240

Verso 22

Vendo que purificastes as vossas almas na vossa obediência à verdade, até ao amor não
fingido dos irmãos, amai-vos mutuamente de coração;

Hart parafraseou o significado da primeira cláusula aqui assim: "Eles devem perceber que eles
se purificaram idealmente no batismo"; [55] e que este é certamente o significado disto parece
estar certo quando a passagem é comparada com Atos 2:40 Atos 2:40 . No Pentecostes, Pedro
admoestou aqueles a quem ele estava exortando a serem batizados para "salvar a si mesmos
desta geração corrompida". Aqui fica evidente exatamente o que Pedro queria dizer com
alguém salvando a si mesmo ou purificando a si mesmo, sendo o mesmo referência a alguém
que obedecia ao evangelho de Cristo. Naturalmente, Pedro não quis dizer com isto que um
homem é seu próprio salvador, ou que ele é em qualquer sentido a força causadora de sua
purificação; portanto, devemos perguntar: "De que maneira uma pessoa é capaz de se salvar
ou purificar sua alma?" Atos 2:38Atos 2:38 e segs., É claro o suficiente que ele faz isso por
obedecer ao evangelho, e isso é algo que o próprio homem deve fazer. Ele deve preencher as
condições anteriores à sua salvação; e, através do cumprimento de tais condições
antecedentes, o cristão, no sentido de ter feito isso, se salva. Era inteiramente apropriado que
um apóstolo de Jesus Cristo falasse com referência às pessoas se salvando, porque há certas
coisas que alguém deve fazer para ser salvo; e as pessoas que as fazem são de fato salvas, e
aqueles que negligenciam ou se recusam a fazê-las não podem ser salvos, pelo menos no que
diz respeito a qualquer promessa do evangelho cristão. A noção de Wesley de que "o Espírito
concede livremente a você obediência e purificação" [56]não tem fundamento no Novo
Testamento. Embora seja verdade que o Espírito de Deus ajuda os cristãos em sua obediência
após a conversão, há uma obediência prévia e anterior que deve preceder a entrada do
Espírito nos corações cristãos; que a obediência deve ser fornecida por aquele que seria
salvo; e é disto que Pedro fala aqui.

Vendo que você purificou ... "Este é o tempo perfeito, apontando para um ato passado de
obediência que tem resultados duradouros." [57] É, portanto, uma referência clara à conversão
que vem no início da vida cristã, e não aos subseqüentes dons espirituais do cristão.

Em sua obediência à verdade ... significa simplesmente "por obedecer ao evangelho". Nas
palavras de Dummelow, "a verdade é a substância do evangelho". [58]

Para o amor não fingido dos irmãos ... Um não é meramente salvo, mas salvo para algum
propósito santo; e, nesta passagem, o amor dos irmãos é identificado como aquele propósito
santo.

Amem um ao outro do coração fervorosamente ... Veja na introdução da fidelidade de Pedro


em conformar seu ensinamento ao do Mestre. Isso mostra que Pedro não havia esquecido os
mandamentos do Salvador até esse fim. De particular interesse é a palavra "fervorosamente",
que também pode ser traduzida "sinceramente". Wheaton citou quatro usos desta palavra no
Novo Testamento, aqui, em 1 Pedro 4: 8 1 Pedro 4: 8 , e em Lucas 22:44 Lucas 22:44 , e
em Atos 12: 5Atos 12: 5 , sendo a última referência à oração oferecida em nome do próprio
Pedro. "Denota com esforço supremo, 'com cada músculo tenso'". [59]

[55]
JHA Hart, op. cit., p. 52

John Wesley, como citado por Roy S. Nicholson, Comentário Bíblico Beacon, vol. 10 Kansas
[56]

City: Beacon Hill Press, 1967), p. 276

[57]
GJ Polkinghorne, op. cit., p. 588

[58]
JR Dummelow, op. cit., p. 1042

[59]
David H. Wheaton, op. cit., p. 1240

Verso 23

tendo sido gerado de novo, não de semente corruptível, mas de incorruptível, pela
palavra de Deus, que vive e permanece.

Tendo sido gerado novamente ... Isso é estranho, e as interpretações do RSV e da New
English Bible (1961) são superiores: "nascemos de novo". Esta é uma prova positiva de que
Pedro estava falando do novo nascimento no versículo anterior.

Não de semente corruptível, .... "Pedro neste estressado que" É a palavra de Deus através
da qual Deus traz novas criaturas? [60] O apóstolo Tiago ensinou a mesma coisa ( Tiago
1:18 Tiago 1:18 ), como também o evangelista Lucas ( Lucas 8:11 Lucas 8:11 ); "A semente é a
palavra de Deus." Na época atual, muito mais precisa ser feito da semente. A noção de que a
semente é fraca e indefesa e deve ter a operação direta de alguma força externa (como o
Espírito Santo) para torná-la viva, eficaz, poderosa ou de outra forma capaz de se reproduzir
da maneira divina pretendida - todos esses pensamentos são vaidosos. A semente é capaz de
se reproduzir ( Marcos 4: 26-29 Marcos 4: 26-29 ). A semente em si é viva e ativa ( Hebreus
4:12Hebreus 4:12). É a própria semente que produz o novo nascimento e a consequente
habitação do Espírito. É a palavra de Deus que permanece para sempre.

ENCOMENDA :

[60]
Raymond C. Kelcy, op. cit., p. 40.

Verso 24

Pois toda a carne é como a erva, e toda a sua glória como a flor da erva. A erva seca e a
flor cai; mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta foi a palavra das boas
novas que foi pregada a vós.

A citação da Escritura aqui é de Isaías 4: 6-8Isaías 4: 6-8 ; mas a passagem parece ter sido
citada com mais em mente do que a simples corroboração da grande verdade de que a palavra
de Deus permanece para sempre, embora isso seja de fato maravilhoso o suficiente. A
passagem em Isaías está na linha de frente das magníficas proclamações do reino messiânico,
especialmente no tocante a "toda a carne" e não apenas aos judeus. "Pedro estava aqui
chamando a atenção para a igualdade absoluta de judeus e gentios." [61] Por sua absoluta
identificação do santo evangelho proclamado pelos apóstolos como aquela "palavra de Deus"
que permanece para sempre, parece que isso é certamente verdade.
O comentário interessante de Zerr sobre esse verso é:

O novo nascimento não consiste em alguma operação misteriosa de Deus sobre homens
pecadores; é uma simples questão de acreditar e obedecer ao evangelho

O leitor não é deixado em nenhuma incerteza quanto ao significado da semente espiritual da


reprodução ... é o evangelho. [62] TAMANHO>

O eloquente tributo de Barnes ao poder e beleza do evangelho é:

Não é removido, fixo, permanente. Em meio a todas as revoluções na Terra, as glórias


desvanescentes dos objetos naturais e a força perdedora do homem, a verdade de Deus
permanece inalterada. Sua beleza nunca desaparece; seu poder nunca é enfraquecido. O
sistema do evangelho é tão adorável agora quanto quando foi revelado ao homem pela
primeira vez, e tem tanto poder para salvar como quando aplicado pela primeira vez ao
coração humano. [63]

As pessoas podem ocupar-se com estudos de teologia e uma infinidade de assuntos religiosos,
mas o meio de salvar o mundo do pecado é o mesmo de sempre, a pregação do evangelho a
todas as pessoas. Não são as deduções que as pessoas fazem do texto sagrado, mas a
própria palavra que salva. A principal missão da igreja na terra é a proclamação da palavra que
Pedro mencionou aqui; falhando nisso, uma igreja torna-se não apenas inútil, mas
abominável. O que pode dar às pessoas o novo nascimento e salvar suas almas? A resposta
está no último verso deste capítulo: "A palavra da boa nova que foi pregada a você".

[61]
AJ Mason, op. cit., p. 399

[62]
EM Zerr, op. cit., p. 255

[63]
Albert Barnes, op. cit., p. 132

Tiago 5 1 Pedro 1 Pedro 2

Declaração de direitos autorais


James Burton Coffman Comentários reproduzidos com permissão da Abilene Christian University Press , Abilene, Texas,
EUA. Todos os outros direitos reservados.

Bibliografia Informação
Coffman, James Burton. "Comentário sobre 1 Pedro 1: 4". "Comentários de Coffman sobre o Antigo e o Novo
Testamento". https://www.studylight.org/commentaries/bcc/1-peter-1.html. Abilene Christian University Press, Abilene, Texas,
EUA. 1983-1999.

Verso 1

Neste grande capítulo, Pedro enfatizou os deveres da igreja como o novo Israel de Deus, que
estavam obrigados por seus privilégios a exibir vidas dignas de seu chamado sagrado ( 1
Pedro 2: 1-10 ); e então ele deu o primeiro de uma série de admoestações dirigidas aos
cristãos no que diz respeito às suas obrigações para com a sociedade exterior ( 1 Pedro 2: 11-
25 ).

Colocando, portanto, toda iniqüidade e todo engano, e hipocrisias, e inveja, e todas as


falas do mal, ( 1 Pedro 2: 1 )
Colocando-se longe, portanto ... Isto é de [@apothesthai], "que é a palavra para tirar as
roupas de alguém." [1] O filho de Deus deve denunciar e afastar-se de todos os tipos de
iniquidade, assim como alguém pode despir as roupas imundas. As palavras aqui são
fortemente sugestivas do que ocorre no momento do batismo:

Paulo liga a imposição de Cristo ao batismo ( Gálatas 3:27 ); e Pedro, ao falar do batismo em 1
Pedro 3:21 ; ambos usaram a palavra grega que corresponde à palavra aqui "deixando de
lado". [2]

Hunter também concordou que as palavras aqui têm o significado de "Desde que você nasceu
de novo", [3] os pecados prestes a serem enumerados sendo, por implicação, sobreviventes do
velho e mau modo de vida.

Guile ... é falsidade, especialmente mentira e falsa fala; Assim, geralmente é falado como
sendo nos lábios, ou encontrado na boca.

Hipocrisias e invejas ... A hipocrisia era o fermento dos fariseus, segundo o próprio Cristo,
sendo o mesmo um modo de vida para os líderes religiosos daquele dia. É fingir ser o que se
sabe que ele não é.

Invejas ... Enquanto o eu permanecer ativo em seu coração, haverá inveja em sua vida. " [4] Ele
brota de ciúmes que são, de fato, malícia oculta em corações que estão descontentes com
toda a beleza, realização, virtude. , ou qualquer outra qualidade desejável em outros.

E todas as falas do mal ... Todas as falas do mal são proibidas aos cristãos, seja contra
irmãos, oficiais do estado ou quaisquer outras pessoas.

William Barclay, As Cartas de Tiago e Pedro (Filadélfia: The Westminster Press, 1976),
[1]

p. 189

BC Coffin, The Pulpit Commentary, vol. 20, 1 Peter (Grand Rapids, Michigan: W. B.
[2]

Eerdmans Publishing Company, 1950), p. 68

Archibald M. Hunter, A Bíblia do Intérprete, vol. XII (New York e Nashville: Abingdon Press,
[3]

1957), p. 105

[4]
William Barclay, op. cit., p. 190

Verso 2

como recém-nascidos, ansiamos pelo leite espiritual que é sem dolo, para que cresças
por meio da salvação;

Como bebês recém-nascidos ... Paulo usou essa mesma figura em 1 Coríntios 3: 21
Coríntios 3: 2 ; mas Pedro aqui, usando a mesma figura, enfatiza não a dieta contrastante de
bebês e adultos, mas o apetite que todos os cristãos devem ter para crescer. Todos os cristãos
devem ter um desejo constante e intenso pela palavra de Deus.

Ansiamos pelo leite espiritual que é sem dolo ... Há duas mudanças da KJV neste
versículo: (1) a adição das palavras "por meio de salvação", que é uma mudança muito
saudável, e (2) a substituição desta cláusula para "desejar o leite sincero da palavra", que em
nenhum sentido melhora o significado; pois, como Hunter destacou, "pertencer à palavra" é um
pensamento seguramente contido no grego. [5] Na verdade, ele disse: "O rei Tiago é preferível,
o leite da palavra, a palavra sendo o evangelho. [6] Este é o primeiro de uma série de exemplos
neste capítulo, onde a KJV é definitivamente superior a as versões subseqüentes.
Para que você possa crescer assim até a salvação ... A força doutrinal disso é
significativa. Isso indica que a salvação é um estado maduro, não algo alcançado "por sal" (em
um salto) na conversão. [7]

Sem dolo ... Isso é traduzido como "sincero", o que é verdade, mas um dos significados disso
é "não adulterado". [8]

Espiritual ... Paulo usou isso em Romanos 12: 1Romanos 12: 1 , onde significa "razoável" ou
pertinente à razão. Deve-se notar que não é a palavra de Deus misturada com aditivos
humanos que permite que as pessoas cresçam para a salvação; mas é a pura palavra de
Deus. Como disse Macknight, "o leite da palavra não nutrirá a natureza divina dos que a usam,
se for adulterada com misturas humanas". [9]

[5]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 106

[6]
Ibid.

[7]
Ibid.

Stephen W. Paine, Comentário Bíblico Wycliffe, Novo Testamento (Chicago: Moody Press,
[8]

1971), p. 973

James Macknight, Macknight nas epístolas, 1 Pedro (Grand Rapids, Michigan: Baker Book
[9]

House, reimpressão, 1969), p. 450

Verso 3

se haveis provado que o Senhor é gracioso:

Neste versículo de Salmos 34 , Pedro aplicou ao Senhor Jesus a grande palavra do Antigo
Testamento para Deus, "o Senhor". O escritor de Hebreus ( Hebreus 6: 4,5 ) também
mencionou a "degustação" como uma metáfora de compreensão e apropriação das próprias
necessidades da palavra de Deus. Como Mason disse: "Isto dá uma nova aparência ao Salmo
34", [10] aplicando-o como uma profecia de Jesus Cristo. O salmo também é citado novamente
em 1 Pedro 3:10 . É também evidente que a metáfora de Cristo como o pão da vida ( João
6:35 ) está por trás do pensamento do apóstolo neste verso. O "se" que está na cabeça do
verso, como freqüentemente no Novo Testamento, "tem referência a um fato,Hebreus 6: 4 e 51
Pedro 3:10 João 6:35[11]

AJ Mason, Comentário Bíblico de Ellicott, vol. VII (Grand Rapids, Michigan: Zondervan
[10]

Publishing House, 1959), pág. 400

Raymond C. Kelcy, As Cartas de Pedro e Judas (Austin, Texas: RB Sweet Company, 1972),
[11]

p. 43.

Verso 4

para quem vindo, uma pedra viva, rejeitada de fato dos homens, mas com Deus eleito,
precioso,

Pedro aqui combinou o pensamento de Isaías 28:16 Isaías 28:16 e seguintes; Isaías
8:14 Isaías 8:14 eSalmos 122: 18Salmos 122: 18 em sua apresentação de Cristo, a Pedra,
viva, eleita, fundação, preciosa, rejeitada, a esquina principal e a pedra de tropeço, em uma
das mais belas metáforas da palavra de Deus. Deus. Para uma discussão completa disto, ver
em meu comentário sobre Romanos, pp. 352-357. Certamente, deve ser verdade, como
Barclay disse, que Pedro dificilmente teria falado de Jesus desta maneira sem pensar nas
palavras de Jesus para si mesmo, " [12] " Sobre esta pedra edificarei minha igreja, etc. "( Mateus
16:13Mateus 16). : 13ff); e, no entanto, Pedro, nesta passagem, não fez nenhuma ligação com
sua própria pessoa, enfatizando a visão de que Cristo é o fundamento, não Pedro. Ele não
usou nenhuma das palavras [@Petros] ou [@petra], mas "falou de Cristo como [@lithos]." [13]

Uma pedra viva ... Esta é uma metáfora apropriada para Cristo que é o Senhor da vida. Ele é
o eternamente vivo. "Rejeitado de fato dos homens ..." Jesus Cristo, o Messias, era o
fundamento verdadeiro e único deste templo espiritual; mas ele não se encaixava nos
desígnios e propósitos dos "construtores" em Jerusalém, que o consideravam totalmente
inadequado para qualquer uso no prédio que eles tinham em mente; portanto, eles o
rejeitaram. Realmente, isso deveria ser esperado, porque seu conceito de templo para Deus
era exatamente igual ao dos templos ídolos que enchiam o mundo daquela época, a saber,
uma pilha de pedra, madeira e ouro. A ideia de tal edifício ser em qualquer sentido real o
templo de Deus era um conceito humano desde o início do mesmo. Veja o artigo sobre o
Templo Verdadeiro, abaixo.

Mas com Deus, eleitos ... O propósito de construir um templo espiritual sobre o Senhor Jesus
Cristo era o propósito de Deus desde o princípio. Ele nos escolheu em Cristo antes da
fundação do mundo ( Efésios 1: 4 Efésios 1: 4 ). Foi de Cristo e do templo espiritual "nele" que
Natã falou a Davi ( 2 Samuel 7:132 Samuel 7:13 ); e à luz dessa promessa, está claro o
bastante que até o templo de Salomão não era o plano de Deus para um templo. Foi idéia de
Davi, não de Deus; Deus nunca deu um padrão para a construção do mesmo, como ele fez no
tabernáculo; e, se tivesse sido verdadeiramente o templo de Deus, Deus nunca teria destruído
isto.

Preciosa ... A margem ASV dá "honrosa" como uma leitura alternativa, a idéia é que toda a
honra e glória são devidas a Jesus Cristo, que é a pedra angular e o fundamento do verdadeiro
templo de Deus. O contraste é entre o status sem valor concedido a Jesus pelos fariseus, que
não achou utilidade alguma para ele em seus planos, e o fato de nosso Senhor ser o Filho mais
precioso e único de Deus.

As grandes profecias de Isaías que formaram o pano de fundo do pensamento do apóstolo


aqui, e que ele citaria imediatamente, predisseram: "A formação da igreja cristã, para a
adoração espiritual de Deus, sob a imagem de um templo, que Deus construiria sobre o
Messias como uma pedra fundamental da mesma. " [14] Tanto a pedra fundamental de Isaías
28:16 Isaías 28:16 como a pedra fundamental rejeitada do Salmos 118: 22Salmo 118: 22 são
cumpridas em Jesus Cristo. "Ele é tanto a Fundação em que a igreja é construída e a Keystone
em quem ela cresce." [15]

Daquela coleção de textos do Antigo Testamento que Pedro estava prestes a citar, Hart
escreveu: "Esta coleção de textos pode ser rastreada até Romanos 9:32 Romanos 9:32 f até
sua origem no dito de Marcos 12:10Marcos 12:10 f"; [16], mas essa visão é totalmente errada. A
concepção de Cristo como a Pedra remonta ao próprio Salvador ( Mateus 21:42 Mateus
21:42f). Que Pedro, que tinha ouvido o Senhor usar essa mesma figura, teria precisado pegar
emprestado de Paulo ou Marcos (que recebeu praticamente toda a sua informação de Pedro!)
É um dos pequenos conceitos dos críticos do Novo Testamento que os verdadeiros estudantes
do Novo Testamento. Visão do testamento como absurda. Muito antes de esta epístola ter sido
escrita, Pedro também usou a mesma figura do canto principal, desprezada por "seus
construtores" (a hierarquia judaica) ( Atos 4:11Atos 4:11 ).

[12]
William Barclay, op. cit., p. 195

[13]
AJ Mason, op. cit., p. 400

[14]
James Macknight, op. cit., p. 451
David H. Wheaton, The New Bible Commentary, revisado (Grand Rapids, Michigan: Wm. B.
[15]

Eerdmans Publishing Company, 1970), p. 1241

JHA Hart, O Testamento Grego do Expositor, vol. V (Grand Rapids, Michigan: W. B.


[16]

Eerdmans Publishing Company, 1967), p. 55

Verso 5

também vós, como pedras vivas, edifica-te uma casa espiritual, para ser um santo
sacerdócio, para oferecer sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por meio de Jesus
Cristo.

Vós também, como pedras vivas ... A figura do templo espiritual de Deus é continuada
nisto; Assim como Cristo é a pedra viva, também os cristãos são. E por que "viver"? Porque o
Senhor é o vivente e o que dá vida, o mesmo ontem, hoje e eternamente. Como membros do
corpo espiritual de Cristo, os cristãos participam da mesma natureza de seu Senhor, e eles
também são "pedras vivas", dotados de uma medida do Espírito que os elevará no último
dia. Nicholson estava certo em ver aqui um contraste entre um templo espiritual de crentes
nascidos de novo com o templo de pedra em Jerusalém. " [17]As palavras "pedra viva" e "pedras
vivas" devem ser entendidas como "distinguindo a igreja cristã, o templo espiritual de Deus,
tanto dos templos dos ídolos como do templo de Jerusalém, que foram construídos com
materiais mortos". [18]Não é suficiente, então, ver o templo espiritual de Deus, que é a igreja,
meramente atingindo uma glória maior do que o templo judaico; o verdadeiro templo é de um
tipo totalmente diferente, sendo o mesmo o único tipo que Deus sempre quis.

São construídos uma casa espiritual ... É importante notar que a casa aqui tem o seu
sentido eclesiástico de templo. O próprio Jesus usou a palavra no mesmo sentido quando
declarou: "Eis que a vossa casa se vos deixará deserta" ( Mateus 23:38 Mateus 23:38 ). Nesta
declaração, Pedro deu o mesmo ensinamento que Paulo deu, que disse: "Vós sois um templo
de Deus" ( 1 Coríntios 3:16 1 Coríntios 3:16 f), e "sendo edificado sobre o fundamento dos
apóstolos e profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra angular "( Efésios
3:20Efésios 3:20 ).

O VERDADEIRO TEMPLO DE DEUS

Este nunca foi o templo judeu em Jerusalém. É verdade que Deus permitiu que o templo fosse
construído e se acomodasse a ele exatamente da mesma maneira como fez com o reino
secular dos judeus; mas nem aquele reino secular nem o templo foram, em qualquer sentido,
um cumprimento da vontade de Deus. Foi a rejeição do governo de Deus que levou à formação
do reino secular ( 1 Samuel 8: 7 1 Samuel 8: 7 ); e foi a rejeição do tabernáculo que levou à
construção do templo ( 2 Samuel 7:132 Samuel 7:13 ).

Que isso é verdade em relação ao templo é evidente a partir de uma série de considerações.

(a) É chamado no Templo da Escritura de Salomão, e é exatamente o que era; e quem era
Salomão? Ele era um debochado cuja vida foi o escândalo de dez gerações. Como o mártir
Estevão sarcasticamente disse: "Salomão lhe construiu uma casa" ( Atos 7:47Atos
7:47 ); aquele comentário vindo depois de Estevão tinha acabado de contar todas as glórias de
Israel que tinham vindo a eles enquanto eles estavam adorando no tabernáculo, "como Deus
designou", um tabernáculo que havia sido construído segundo o modelo que Deus deu a
Moisés; e foi seguida pela declaração chave de que "o Altíssimo não habita em casas (templos)
feitas com as mãos". Deus habitou no templo de Salomão? Claro que não.

(b) Todas as declarações que Jesus fez sobre o templo corroboram essa visão. "Minha casa (o
verdadeiro templo) será chamada casa de oração; mas vós fizestes covil de salteadores"
( Mateus 21:13 Mateus 21:13). "Eis que a vossa casa fica desolada" ( Mateus 23:38 Mateus
23:38 ). "Não faça da casa de meu pai uma casa de mercadorias" ( João 2:16João 2:16 ). Isto
não é um endosso do templo como casa de Deus, mas uma condenação da sua casa de
mercadorias. Mateus diz: "Jesus entrou no templo de Deus"; mas mesmo que o texto seja
válido, a passagem deve ser entendida como o uso que Mateus faz de um nome popular
comum para o templo de Salomão (reconstruído por Herodes, o Grande); mas como a margem
indica (ASV), "Muitas autoridades antigas omitem de Deus".

(c) A própria idéia de construir um templo para Deus foi idéia de Davi, não de Deus ( 2 Samuel
7 ): e a profecia de Natã que após a morte de Davi um de seus descendentes se levantaria
depois dele e edificaria uma casa para Deus, cujo reino seria estabelecido para sempre ( 2
Samuel 7:132 Samuel 7:13 ), refere-se ao reino de Cristo e do verdadeiro templo espiritual de
que Pedro estava escrevendo nesta passagem. O capítulo inteiro revela que qualquer
pensamento de um templo secular não fazia parte do propósito de Deus.

(d) Quando os apóstolos e anciãos em Jerusalém enviaram essa carta às igrejas, eles
citaram Amós 9: 11-12 , que registra a promessa de Deus de reconstruir novamente “o
tabernáculo caído”, não o templo arruinado.Amós 9:11 , 12

(e) Todo o material típico no livro de Hebreus tem referência ao tabernáculo, não aos templos
salomônico e herodiano. Embora seja verdade que o templo foi construído segundo o padrão
geral do tabernáculo, o escritor de Hebreus o ignorou ( Hebreus 9: 2Hebreus 9: 2 ), que, sob as
circunstâncias, é tremendamente significativo.

(f) Deus permitiu a destruição do templo salomônico, o que ele não teria feito se fosse o
verdadeiro templo de Deus. O templo de Herodes, que com o tempo o substituiu, também foi
destruído por um plano divino, o próprio Cristo pronunciou a sentença e decretou que "nem
uma só pedra seria deixada em cima de outra" ( Mateus 24: 2Mateus 24: 2 ), um destino
inconcebível. se aquele templo realmente tivesse sido a verdadeira casa de Deus.

(g) A igreja primitiva encontrou o templo judaico como centro de inimizade e ódio contra a
igreja. Foram os senhores do templo que subornaram testemunhas a mentir sobre a
ressurreição de Cristo; eles aprisionaram, espancaram e ameaçaram os santos apóstolos; eles
os proibiram de pregar em nome de Cristo; e, quanto ao caráter do estabelecimento do templo,
era tão corrupto quanto qualquer coisa que a história registrasse.

(h) O apóstolo Paulo, após sua conversão, foi ao templo; e enquanto lá ele viu uma visão do
Senhor, mas o Senhor ordenou-lhe que saísse do templo e saísse da cidade de Jerusalém
( Atos 22:17 Atos 22:17 esegs.); mas Paulo tinha dificuldade em entender isso e parecia pensar
que algo ainda poderia ser realizado no templo. Embora expressamente proibido de voltar para
a cidade de Jerusalém ( Atos 21: 4 Atos 21: 4 ), Paulo, por meio de algum mal-entendido da
mensagem do Espírito, embora tenha sido reforçado pelas súplicas de Lucas ( Atos 21:12Atos
21:12).), no entanto, foi para Jerusalém e até para o templo, onde, exceto pela intervenção
repetida de Deus, ele teria sofrido a morte. O estabelecimento do templo organizou uma
multidão para matar Paulo; através da duplicidade e da reprovação do próprio sumo sacerdote,
eles montaram um falso julgamento na esperança de assassiná-lo; um grupo de bandidos, sob
a direção do sumo sacerdote, não jurou comer nem beber até matar Paulo. Depois desses
eventos perversos, nunca há registro de qualquer filho de Deus que tenha entrado naquele
templo novamente; mas foi trágico que eles foram obrigados a aprender da maneira mais difícil
a verdade que Jesus havia falado, ou seja, que o templo era um "covil de ladrões e ladrões".

(i) Foi o templo secular que, mais do que qualquer outra coisa, cegou Israel para o
reconhecimento do Messias. Jesus falou claramente de si mesmo como o verdadeiro templo,
desde o princípio: "Destrua este templo e em três dias levantá-lo-ei" ( João 2:19 João 2:19 ); e
"Um maior que o templo está aqui" ( Mateus 12: 6Mateus 12: 6 ); mas os líderes religiosos
estavam tão cegos por suas próprias idéias de um templo que nunca conseguiram entender a
natureza daquela instituição sagrada que Jesus veio estabelecer. Foi a ênfase de Estêvão na
natureza espiritual do verdadeiro templo que desencadeou a fúria total da multidão do templo
contra si mesmo e que se manifestou em seu martírio.
(j) O erro fundamental do próprio Davi ao planejar construir uma casa temporal a Deus foi
evidentemente o mesmo erro idêntico que levou à formação do reino secular, o desejo de ser
como as nações ao seu redor. Havia grandes templos ídolos em todo o mundo nos dias de
Davi; e, em última análise, o templo de Salomão era exatamente como todo o resto dos
templos humanos, um belo edifício preservando a vaidade da nação e controlado por um grupo
inescrupuloso de piratas.

Ser um sacerdócio sagrado ... O propósito original de Deus era que todos os israelitas
fossem uma nação de sacerdotes ( Êxodo 19: 6 Êxodo 19: 6 ); e o desenvolvimento
subseqüente de uma classe sacerdotal especial surgiu como resultado da fraqueza e dos
pecados do povo. Os propósitos de Deus são eternos; e, portanto, o mesmo objetivo de ter
uma "nação santa" um "reino de sacerdotes" ainda prevalece. O sacerdócio de todo crente em
Cristo (isto é, crentes obedientes) é evidente em uma declaração como essa. Esta concepção
também está no livro de Hebreus e em Apocalipse 1: 6Apocalipse 1: 6, onde está escrito que
Deus fez os cristãos para ser um "reino e sacerdotes para Deus". Deve-se notar especialmente
que é um sacerdócio "sagrado" ao qual os cristãos são ordenados. Toda maldade deve ser
repudiada, renunciada por todos os que participariam do sacerdócio mencionado aqui.

Oferecer sacrifícios espirituais ... Esta é uma continuação do pensamento, no qual o tipo de
sacrifício a ser oferecido pela nação de sacerdotes de Deus é dado, sacrifícios "espirituais". Um
olhar mais atento a isso é necessário.

SOBRE SACRIFÍCIOS ESPIRITUAIS

Sob a lei antiga, os sacrifícios eram mortos, sangrentos, queimados com fogo, manchados de
gordura, carnal, temporal e salgados com sal ( Levítico 2:13 Levítico 2:13 ; Marcos
12:49 Marcos 12:49 ). Em contraste, na igreja, os sacrifícios são espirituais, vivos, limpos,
puros, santos e aceitáveis para Deus. Eles são descritos como "melhores sacrifícios" ( Hebreus
9:23Hebreus 9:23 ).

Embora os cristãos devam oferecer sacrifícios a Deus, tais são sempre "sacrifícios menores", o
único sacrifício verdadeiro, grande e eficaz que já foi oferecido, a saber, o próprio Cristo. "Ora,
uma vez no fim dos séculos, ele (Cristo) se manifestou para aniquilar o pecado pelo sacrifício
de si mesmo" ( Hebreus 9:26 Hebreus 9:26 ). Este foi o "único sacrifício para sempre"
( Hebreus 10:12 Hebreus 10:12 ). Só o sangue de Cristo é o sangue do pacto eterno ( Mateus
26:28 Mateus 26:28 ; Hebreus 13:20 Hebreus 13:20 ; Hebreus 10:29Hebreus 10:29 ).

No entanto, há sacrifícios que a nação santa de Deus do novo Israel, que é a igreja, deve
agora oferecer de acordo com a vontade de Deus. E o que são esses?

(a) Nossa fé é nosso sacrifício. "Mesmo que eu seja derramado como libação sobre a oferta de
sacrifício da sua fé, estou feliz e me regozijo com todos vocês" ( Filipenses 2:17Filipenses
2:17 ).

(b) O amor de Deus é nosso sacrifício. "E amar ... é mais do que todos os holocaustos e
sacrifícios" ( Marcos 12:33Marcos 12:33 ).

(c) Nosso arrependimento é nosso sacrifício. "Toma contigo estas palavras, e dirige-te ao
Senhor, e dize-lhe: Toma toda a iniquidade, e recebe-nos graciosamente; e assim faremos os
bezerros dos nossos lábios" ( Oséias 14: 2Oséias 14: 2 ). É seguro supor que, se o
arrependimento, mesmo sob o antigo pacto, fosse um "sacrifício", ainda é assim.

(d) Nossa confissão de fé em Cristo é um sacrifício. "Através dele, então, ofereçamos


continuamente um sacrifício de louvor a Deus, que é o fruto de nossos lábios que confessam
seu nome ... com tais sacrifícios Deus está satisfeito" ( Hebreus 13: 15,16 ).Hebreus 13:15 , 16

(e) Nosso batismo em Cristo é nosso sacrifício. "Por isso, rogo-vos, irmãos, que, pela
misericórdia de Deus, apresentem a vossos corpos um sacrifício vivo, santo e agradável a
Deus, que é o vosso serviço espiritual" ( Romanos 12: 1 Romanos 12: 1 ). Veja
também Hebreus 10: 19-22Hebreus 10: 19-22 .

(f) Nosso louvor a Deus é nosso sacrifício. "Ofereçamos um sacrifício de louvor a Deus, isto é,
o fruto de nossos lábios" ( Hebreus 13:15 Hebreus 13:15 ). Há também vislumbres importantes
do Antigo Testamento sobre essa mesma verdade. "Trazendo sacrifícios de louvor para a casa
de Deus" ( Jeremias 17:26 Jeremias 17:26 ). "Sacrificar os sacrifícios de ação de graças e
declarar suas obras com alegria" ( Salmo 107: 22 Salmos 107: 22 ; Salmos 116: 117Salmos
116: 117 ).

(g) Nossas contribuições são nossos sacrifícios. Paulo falou de ter recebido uma contribuição
trazida por Epa - Tapitus, "um cheiro doce, um sacrifício aceitável, agradável a Deus"
( Filipenses 4:18Filipenses 4:18).

(h) Nossas músicas são nosso sacrifício. "Cantando com graça em vossos corações para
Deus" ( Colossenses 3:16Colossenses 3:16 ). Em virtude dessas canções serem "para Deus",
elas são entendidas como sacrifícios.

(i) Nossas orações são nossos sacrifícios. "Ter taças de ouro cheias de incenso que são as
orações dos santos" ( Apocalipse 5: 8 Apocalipse 5: 8 ). "O meu nome será grande entre os
gentios, e em todo lugar será oferecido incenso ao meu nome e uma oferta pura; porque o meu
nome é grande entre os gentios" ( Malaquias 1:11Malaquias 1:11 ).

(j) Toda a vida de honra e amor da parte de cristãos dedicados é o seu sacrifício. Paulo
escreveu: "Agora estou pronto para ser oferecido e o tempo da minha partida está próximo" ( 2
Timóteo 4: 6 2 Timóteo 4: 6 ). "Assim como também Cristo vos amou e se entregou por nós,
oferta e sacrifício a Deus, pelo odor do cheiro suave" ( Efésios 5: 2Efésios 5: 2 ).

Fé, amor de Deus, arrependimento, confissão, batismo, louvores, contribuições, cânticos,


orações e uma vida total de devoção - estes são os nossos sacrifícios; Não admira que sejam
chamados de "sacrifícios melhores".

Esses sacrifícios em vista nas passagens acima não se prestavam facilmente ao tipo de
exploração tão cara aos concessionários do templo judeu, e o resultado inevitável era um
amargo ódio à nova fé. Mason observou que "A substituição de outra coisa em vez do templo
judeu foi um dos maiores obstáculos aos hebreus desde o início". [19] No entanto, não foi o
verdadeiro templo espiritual que foi "substituído" pelo templo judaico, mas o próprio templo
tinha sido "substituído" pelo verdadeiro templo que Deus havia prometido.

Aceitável para Deus através de Jesus Cristo ... "Somente através de Cristo são estes
sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus. Eles são oferecidos por meio de Cristo, e somente
através dele." [20]

Roy S. Nicholson, comentário bíblico de Beacon, vol. 10 (Kansas City: Beacon Hill Press,
[17]

1967), p. 279

[18]
James Macknight, op. cit., p. 451

[19]
AJ Mason, op. cit., p. 401.

[20]
BC Caffin, op. cit., p. 70

Verso 6

Porque está contido nas Escrituras: Eis que ponho em Sião a principal pedra angular,
eleita e preciosa; e quem nele crê não será envergonhado. Porque tu, pois, é que credes
é a preciosidade; mas para os que não crêem, a pedra que os edificadores rejeitaram, a
mesma se fez a cabeça da esquina; e uma pedra de tropeço e uma rocha de
escândalo; porque tropeçam na palavra, sendo desobedientes, para o que também foram
designados.

Eis que eu deito em Sião ... Sião é o nome poético de Jerusalém; e "A colocação desta
preciosa pedra angular em Sião para uma fundação significa que a igreja cristã, o novo templo
de Deus, deveria começar em Jerusalém". [21]

Uma pedra de esquina principal ... O tipo de pedra aqui significada não é o tipo normalmente
chamado por esse nome hoje. "Era a pedra na extremidade do ângulo que controla o desenho
do edifício e é visível." [22] Na igreja, Cristo é tanto a pedra fundamental ( 1 Coríntios 3:111
Coríntios 3:11 ) como a pedra angular.

CHRIST ; O ANGULAR

Em Cristo, a Lei de Moisés terminou; e o evangelho começou.

Em Cristo, o Antigo Testamento culminou; e o Novo Testamento começou.

Em Cristo, toda a história se dividiu em BC e AD

Em Cristo, os ímpios encontram seu destino e os santos encontram sua salvação.

Em Cristo, o velho Israel pereceu e o novo Israel começou.

Em Cristo, o infinito passado e o futuro infinito se encontraram.

Em Cristo, Deus e humanidade se uniram.

Em Cristo, a humilhação de Deus e a glória do homem unidas.

Em Cristo, o destino de todo homem é virado, os da direita entrando em sua alegria para
sempre, e os da esquerda partindo de sua presença para sempre. TAMANHO>

Eleito, precioso ... Veja os comentários sobre estas expressões em 1 Pedro 2: 41 Pedro 2:
4. Nesta seção de Isaías, especialmente no capítulo 29, que veio em estreita conexão com a
citação de Pedro aqui, a destruição de Jerusalém é predita e também a reprovação dos líderes
judeus que mudaram a palavra de Deus por suas tradições; portanto, "a citação de Pedro aqui
tem o mesmo propósito de mostrar aos seus leitores hebreus a destruição do Israel carnal, a
fim de encorajá-los em sua lealdade cristã". [23] Estas passagens citadas por Pedro,
especialmente em seu contexto do Antigo Testamento, mostram que "Mesmo enquanto o
serviço Mosaico estava em vigor, o Senhor estava planejando outro e fez previsões a respeito
dele". [24]Os estudiosos gostam de salientar que a citação de Pedro dessas passagens não é
"nem das versões hebraicas, nem das versões Septuaginta (LXX) do Antigo Testamento,
algumas supondo que foram citadas da memória". [25] No entanto, em nossos estudos das
cartas paulinas, ficou claro que os escritores inspirados frequentemente combinavam
passagens do Antigo Testamento com sua fraseologia familiar para expressar uma nova
verdade nem sempre evidente nas "citações" citadas no Antigo Testamento; mas nunca deve
ser esquecido que os apóstolos de Jesus foram tão completamente inspirados (e mais) do que
qualquer um dos escritores do Antigo Testamento, e que suas palavras, portanto, são
verdadeiras Escrituras no mais alto sentido dessa palavra, e que é um pecado para acusar os
escritores do Novo Testamento ou com citações "falhas" do Antigo Testamento,

"E aquele que crê nele não será envergonhado ... Em vista, aqui está a eterna vergonha que
atribui à nação judaica a rejeição do Messias, a vergonha sendo simplesmente esta: o próprio
Cristo a quem eles rejeitaram foi escolhido por Deus para ser a cabeça do novo Israel, e o Pai
lhe deu "um nome que está acima de todo nome" ( Filipenses 2: 9Filipenses 2: 9 ). Por outro
lado, a fidelidade a Cristo traz honra e glória ao crente, desde ele participa da honra e da glória
do próprio Cristo.

Para você, portanto, que crer é a preciosidade ... Todas as honras e benefícios são negados
aos incrédulos. Somente o cristão compartilha a alegria da redenção em Cristo Jesus.

A pedra que os construtores rejeitaram, o mesmo é feito a cabeça do canto ... Deve-se
salientar que esta famosa linha é fundada sobre um evento real. Na construção do templo de
Salomão, a primeira pedra que desceu da pedreira tinha uma forma extraordinária, tendo sido
marcada e cortada na pedreira. Os construtores do templo não sabiam o que fazer com ele, e
ele foi arrastado para um lugar à parte e tornou-se finalmente escondido por detritos e
lixo. "Descobriu-se depois que a estrutura da estrutura dependia, a principal pedra de esquina
onde as duas paredes se encontravam e estavam unidas." [26]

Havia muitas providências na construção do templo judeu, apesar do fato de ser uma partida,
na verdade, da vontade de Deus; assim como também houve muitas providências
maravilhosas e milagres relacionados com o reino secular, que também não era realmente a
vontade de Deus; e certamente, esse incidente da pedra angular rejeitada deve ser uma
dessas maravilhas. É a ilustração perfeita de como os "construtores", a hierarquia judaica,
rejeitaram a verdadeira e única cabeça de toda a religião sagrada. Pedro gostava dessa
ilustração e disse aos saduceus em sua face que eles eram os "construtores" que haviam
rejeitado a pedra angular ( Atos 4:11Atos 4:11).). Nesta passagem, Pedro estendeu o pedido
para incluir todos os incrédulos como participantes da mesma culpa que pertencia aos
"construtores". A paráfrase de Macknight deste verso é:

Para você, portanto, quem acredita é esta honra de ser construído sobre ele, e de não ter
vergonha. Mas para o desobediente é a desonra escrita ( Salmos 118: 22Salmos 118: 22 ): a
pedra que os construtores rejeitaram, o mesmo se tornou a cabeça do canto do templo de
Deus. [27]

Uma pedra de tropeço e uma rocha ofensiva ... Alguns ficaram intrigados com a colocação
de Pedro dessas duas passagens dos Salmos e Isaías juntos, exatamente como Paulo fez em
Romanos, e portanto supuseram a dependência de Pedro de Paulo; mas tal dispositivo é
errôneo e desnecessário. Pedro estava presente sem dúvida e ouviu o próprio Senhor Jesus
Cristo colocar as duas passagens juntas exatamente da mesma maneira que aqui ( Lucas 20:
17,18 ). Portanto, nem Pedro nem Paulo dependiam do outro, seus ensinamentos, como no
caso de todos os escritores sagrados, voltando ao próprio Cristo, a fonte fonte de todo o Novo
Testamento.Lucas 20:17 , 18

Veja no meu Comentário sobre Romanos, p. 356, para discussão completa da metáfora de
Cristo a Pedra Viva.

A aplicação particular da "pedra de tropeço" como uma figura de Cristo é compará-lo a uma
pedra pesada que bloqueia um caminho ou estrada que as pessoas viajam, resultando em
seus tropeços e quedas. Cristo, como o idoso Simeão profetizou, foi "preparado para a queda e
ressurreição de muitos em Israel" ( Lucas 2:34Lucas 2:34 ). As pessoas, por meio de seu
orgulho, tropeçam no humilde nascimento do Salvador e na humildade de seus seguidores, na
severa moralidade de seus ensinamentos e na aguda exposição de seus pecados.

Pois tropeçam na palavra, sendo desobedientes ... Há muito a elogiar o ponto de vista de
Macknight sobre este lugar, que escreveu: "Pedro não significa que eles tropeçaram na palavra
pregada, mas contra o próprio Cristo, um dos cujos títulos é a Palavra ( João 1: 1João 1: 1 ).
" [28]

Para onde também foram designados ... Isso não significa que Deus preordenou, ou
designou certos indivíduos para cair; mas significa que Deus finalmente e irrevogavelmente
designou todas as almas desobedientes para tropeçarem. Quando a orgulhosa hierarquia do
antigo Israel recusou-se a acreditar em Cristo, eles se lançaram sob a acusação geral de todos
os incrédulos; e eles caíram, como Deus ordenou e designou todos os incrédulos para cair. A
acusação ainda permanece, e os incrédulos ainda incorrem na ira de Deus através de sua
incredulidade.

[21]
James Macknight, op. cit., p. 451

[22]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 109

[23]
AJ Mason, op. cit., p. 401.

EM Zerr, Comentário Bíblico, 1 Pedro (Marion, Indiana: The Cogdill Foundation, 1954),
[24]

p. 256

[25]
Roy S. Nicholson, op. cit., p. 280.

Dean Plumptre, como citado por R. Tuck, The Pulpit Commentary, vol. 15, 2 (Grand Rapids,
[26]

Michigan: Wm. B. Eerdmans Publishing Company, 1950), p. 356

[27]
James Macknight, op. cit., p. 456

[28]
Ibid., P. 456

Versículo 9

Mas vós sois uma raça eleita, um sacerdócio real, uma nação santa, um povo que é da
possessão de Deus, para mostrardes as excelências daquele que vos chamou das trevas
para a sua maravilhosa luz.

Aqui estão repetidos um após o outro todos os gloriosos títulos que outrora pertenciam
exclusivamente ao antigo Israel, os hebreus, os filhos de Abraão; mas aqui Pedro proclamava a
outorga de todos aqueles títulos sobre o novo Israel, agora não mais restrito aos descendentes
de Abraão, mas disponível tanto para judeus como para gentios "em Cristo Jesus". Pedro já
havia alertado seus leitores ( 1 Pedro 2: 51 Pedro 2: 5 ) para serem o que deveriam ser, e para
mostrar o tipo de vida e caráter que seria agradável a Deus, advertindo-os assim para evitar o
erro do antigo Israel que tinha falhado tão espetacularmente nesse dever.

Uma raça eleita ... Assim como a pedra viva foi eleita, assim são as pedras vivas que
compõem seu corpo espiritual; mas eles não são eleitos por direito próprio, sendo eleitos "em
Cristo". É verdade que os eleitos, não menos do que os desobedientes, são "designados" para
o seu destino. Isso significa que Deus predestinou e designou todos os que serão encontrados
em Cristo para a glória eterna; mas as pessoas só recebem os benefícios de tal nomeação
quando são batizadas em Cristo e são "finalmente encontradas nele" ( Apocalipse
14:13Apocalipse 14:13 ).

Um sacerdócio real ... Jesus Cristo é o verdadeiro rei e, portanto, aqueles "em Cristo" são um
sacerdócio real, sendo eles também, através de sua união com Cristo, num certo sentido, até
mesmo "reis" ( Apocalipse 1: 6Apocalipse 1: 6 ).

Uma nação santa ... Nada pode diminuir a obrigação dos cristãos de ser, de fato, o que o seu
título legal implica, uma nação verdadeiramente "sagrada". É a necessidade absoluta e
invariável disso que está subjacente ao dito freqüentemente repetido na palavra de Deus no
sentido de que as pessoas serão julgadas "de acordo com suas obras", como Pedro, Paulo,
Jesus e todos os escritores do Novo Testamento declararam. uma e outra vez.
Um povo para a possessão de Deus ... Nas versões antigas, isso era traduzido como "um
povo peculiar"; mas, com o tempo, a expressão passou a significar "estranho" ou "queer" e,
portanto, é melhor traduzida como aqui. "A frase significa literalmente 'um povo para a posse
(de Deus)'". [29] Há também um significado de "especialmente, para o seu próprio" nas palavras.

Para mostrar as excelências daquele que te chamou ... "Mostrar adiante" vem de uma
palavra "usada em nenhum outro lugar no Novo Testamento", [30]e tem o significado de "contar"
ou "falar". Pressupõe que todo cristão é automaticamente um evangelista tão cheio do
conhecimento das excelências de Deus que é obrigado a revelá-lo a todos com quem entra em
contato. Note também que os cristãos não são salvos por si mesmos, e apenas por si mesmos,
mas com o propósito de alistar tantas outras almas quanto possível a serviço de nosso Deus
excelente. Foi precisamente aqui que o antigo Israel falhou miseravelmente. Abraçando para si
as preciosas promessas de Deus, elas não fizeram nenhum esforço real para estender aos
gentios qualquer conhecimento salvador do Senhor, vindo cada vez mais a desprezar as
nações que foram comissionadas a iluminar. Deus conceda que a sua santa igreja não fundará
e afundará sobre este mesmo cardume.

Fora das trevas ... Há uma indicação aqui que muitos dos leitores de Pedro foram convertidos
a Cristo do paganismo, pois essa é a importância usual da palavra.

Em sua maravilhosa luz ... A maravilhosa luz de Deus, em sua plenitude, é inacessível ( 1
Timóteo 6:161 Timóteo 6:16 ); e, no entanto, é nessa luz que somos chamados. Os filhos de
Deus são filhos da luz ou do dia; e os filhos do maligno são filhos das trevas.

[29]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 111

[30]
Raymond C. Kelcy, op. cit., p. 50

Verso 10

que no passado não eram pessoas, mas agora são o povo de Deus: que não obteve
misericórdia, mas agora obteve misericórdia.

A varredura do parágrafo concluído aqui é infinita. As vastas dimensões do amor de Deus e de


sua misericórdia transbordante para todas as pessoas, mesmo para aqueles que caíram em
vergonha e devassidão, são tão grandes quanto o céu e a terra. O mesmo amor transbordante
pelos gentios convertidos, que marca grande parte dos escritos paulinos, também está em
evidência aqui. O "nenhum povo" é agora o povo de Deus; e as pessoas sem misericórdia
receberam agora através de Cristo. Quão maravilhoso é de fato um amor tão maravilhoso.

Por Pedro não usar nenhum povo "neste verso, deve-se concluir que a carta de Pedro foi para
os cristãos de origem gentia. Mason assinalou que" nenhum povo "também se refere a todos,
independentemente da raça, que estão em rebelião contra Deus, e que é bastante óbvio que
Pedro estava escrevendo para cristãos de origem judaica e gentia que eram então "um novo
homem em Cristo".

Verso 11

Amados, suplico-vos, como peregrinos e peregrinos, abster-me das concupiscências


carnais que combatem contra a alma;

Amado ... Este termo carinhoso carrega consigo certo sentimento de preocupação e piedade,
pois ninguém conhecia melhor do que Pedro a fúria da tempestade que logo romperia as
cabeças indefesas dos cristãos.
Suplico-lhe como peregrinos e peregrinos ... Como a abertura para uma grande ópera que
reúne as tensões dominantes de toda a produção, estas palavras sugerem a tragédia que está
tão perto. "Estas palavras, quando comparadas com os Salmos 39:12Salmos 39:12 ,
Septuaginta (LXX), de onde Pedro as desenhou, preparam-se para a descrição da aflição que
se segue." [31] Para mais comentários sobre "peregrinos", veja em 1 Pedro 2: 1: 1 . A palavra
"peregrino" significa principalmente "alguém que viaja".1 Pedro 2: 1 :

Abstenha-se das concupiscências carnais, que guerreiam contra a alma ... Há dois
motivos designados neste versículo para apoiar a renúncia às concupiscências carnais: (1) os
leitores são estrangeiros e (2) os desejos fazem guerra contra a alma. A metáfora da guerra é
apta para a vida cristã. Essa vida é uma luta constante contra muitos inimigos, tanto dentro
quanto fora. A ordem social em si é basicamente hostil ao cristianismo, e os desejos internos
da carne e da mente também tendem constantemente a corroer a espiritualidade.

ENCOMENDA :

[31]
AJ Mason, op. cit., p. 405

Versículo 12

tendo seu comportamento aparentemente entre os gentios; que, quando falam contra
você como malfeitores, eles podem por suas boas obras, que eles contemplam,
glorificam a Deus no dia da visitação.

A vitória da aceitação em um ambiente hostil é aqui sustentada como a motivação para o


comportamento correto no meio da população de gentios alienígenas.

Eles falam contra você como malfeitores ... Já, apesar do fato da primeira grande
perseguição romana ainda estar um pouco no futuro, houve antagonismos generalizados
contra os cristãos na forma de todo tipo de calúnia e opróbrio. Por quê? Os cristãos eram as
pessoas mais nobres, mais puras e mais amáveis que jamais apareceram na terra e, no
entanto, eram odiados. Por quê? "O cristianismo, por sua própria essência, opunha-se às
vaidades do paganismo a cada passo". [32] Como o antigo Noé, a própria pureza de seu
comportamento "condenou o mundo" ( Hebreus 11: 7Hebreus 11: 7e isso foi razão suficiente
para o ódio do mundo. Havia uma fonte dupla de ódio para os cristãos, sendo seu
comportamento modelo um, e também sendo amplamente confundido com os judeus. Os
próprios judeus foram odiados e expulsos de Roma nos tempos apostólicos, e muitas
difamações caluniosas contra eles circulavam em conexão com tais deslocamentos. Muitas das
pessoas identificaram o cristianismo como uma forma de judaísmo e, portanto, transferiram
para eles o ódio existente dos judeus. Quanto à natureza das calúnias contra a igreja, Barclay
apontou que:

Eles foram acusados de canibalismo ..., isso levou a sua ascensão de uma perversão das
palavras de Jesus: "Este é o meu corpo ... este é o meu sangue, etc." Eles foram acusados de
matar e comer uma criança em seus banquetes.

Eles foram acusados de imoralidade e incesto. O famoso Agape, ou festa do amor, foi
deturpado como uma orgia sensual.

Eles foram acusados de escravizar seus senhores.

Eles foram acusados de "ódio à humanidade".

Eles foram acusados de deslealdade a César, devido à sua recusa em adorar o


imperador. [33] TAMANHO>
Por suas boas obras que elas contemplam ... "As boas obras aqui não eram o que
comumente se chama de atos de benevolência". [34] A coisa que o não-cristão viu foi a bela
conduta moral dos cristãos, enfatizada por sua inflexível recusa em entrar nas sensualidades
do paganismo.

Pode glorificar a Deus ... Pedro aprendeu a lição aos pés do Mestre, porque o próprio Cristo
ensinou esse mesmo princípio no sermão da montanha ( Mateus 5:16Mateus 5:16 ).

No dia da visitação ... Se o dia aqui é entendido como o julgamento final, ou algum tempo de
conversão futura, ele produz o mesmo significado básico; porque "a glorificação de Deus no dia
do juízo pressupõe a sua conversão anterior". [35]

Como Barclay disse sobre esse verso:

Aqui está nosso desafio e nossa inspiração. É pela amabilidade de nossa vida diária e conduta
que devemos recomendar o cristianismo àqueles que não crêem, [36]

[32]
Stephen W. Paine, op. cit., p. 975

[33]
William Barclay, op. cit., p. 203

[34]
AJ Mason, op. cit., p. 406

[35]
Raymond C. Kelcy, op. cit., p. 54

[36]
William Barclay, op. cit., p. 204

Versículo 13

Esteja sujeito a toda ordenança do homem por amor do Senhor, seja ao rei, como
supremo; ou aos governadores, por ele enviados por vingança contra os malfeitores e
por louvor aos que fazem o bem.

Seja sujeito ... Isso significa "enviar ou obedecer"; e "É a palavra chave nesta epístola,
ocorrendo aqui e em 1 Pedro 2:18 1 Pedro 2:18 ; 1 Pedro 3: 1,5,22 , e em 1 Pedro 5: 5 , seis
vezes ao todo." [37]1 Pedro 3: 1, 5 , 22 1 Pedro 5: 5

Para todas as ordenanças do homem ... Macknight traduziu isso "para toda criação humana
de magistrados", [38] deixando claro que Pedro rejeitava os sofismas dos fanáticos que
afirmavam que a obediência era devida apenas àqueles magistrados designados por
Deus. Sim, são os governos humanos que Pedro aqui ordenou que os cristãos
obedecessem. Este comando não é absoluto, como a próxima frase indica.

Pelo amor do Senhor ... Jesus ainda é Senhor; e sob certas circunstâncias, o próprio Pedro
afirmou que "devemos obedecer a Deus e não aos homens" ( Atos 5:29Atos 5:29 ).

Seja para o rei, como supremo ... Alguém poderia esperar que Pedro dissesse: "ao
imperador, como supremo", mas o significado é o mesmo.

Por "o rei" entende-se o imperador romano, que foi freqüentemente descrito pelos escritores
gregos. Nero era imperador quando São Pedro escreveu. Os cristãos deviam obedecer até ele,
tirano perverso como ele era; porque o seu poder foi-lhe dado de cima, como o próprio Senhor
dissera de Pilatos ( João 19:11João 19:11 ). [39]
A existência de governos humanos é aqui revelada como sendo de Deus; e isso não é difícil de
entender quando o caos alternativo que aconteceria sem eles é contemplado. Mesmo o pior
dos governos é melhor do que nenhum. Para uma discussão completa do cristão e do estado,
ver em meu comentário sobre Romanos, págs. 447-450.

Ou a governadores, como ele enviou ... Na verdade, em Roma, na época da escrita de


Pedro, o imperador era o único governante de verdade, os muitos governadores das províncias
não eram mais do que deputados cuja autoridade e posse estavam sujeitas ao capricho. do
atual César. Entre esses governadores mencionados no Novo Testamento estavam Pilatos,
Félix e Festo.

Por vingança contra os malfeitores e por elogiar aqueles que fazem bem ... Isto declara o
propósito geral dos governos humanos e não pode ser entendido como uma declaração de que
os governadores enviados por Nero eram escrupulosos em observar tais diretrizes.

CJ Polkinghorne, um comentário do Novo Testamento (Grand Rapids, Michigan: Zondervan


[37]

Publishing House, 1969), p. 590

[38]
James Macknight, op. cit., p. 459

[39]
BC Caffin, op. cit., p. 73

Versículo 15

Porque assim é a vontade de Deus que, fazendo o bem, façais emudecer a ignorância
dos homens tolos;

Assim é a vontade de Deus ... refere-se à instituição e continuidade dos governos humanos.

Que, fazendo o bem, façais emudecer a ignorância dos homens insensatos ... Há uma
acusação de que as calúnias dos cristãos estavam fundadas na ignorância e insensatez de
seus acusadores; mas há uma culpabilidade definida tanto em tal ignorância e em tal
insensatez. "Na Bíblia, 'tolo' é freqüentemente usado no sentido do mal disposto ou
mau." [40] Além disso, o tipo de ignorância que repete uma calúnia cruel sem verificar a verdade
é igualmente repreensível.

Coloque em silêncio ... "A palavra original aqui corretamente significa amordaçar uma fera,
impedi-la de comer ou morder." [41] O método de Pedro de fazer isso, é claro, foi fazê-lo por
conduta justa. Como disse Barnes, "uma das melhores maneiras de enfrentar as acusações de
nossos inimigos é levar uma vida de integridade estrita. Não é fácil para os ímpios
responderem a esse argumento". [42]

A nossa situação com referência ao governo hoje é diferente daquela quando Pedro escreveu
sua epístola? Há, é claro, o princípio de que, numa sociedade democrática, as próprias
pessoas são aquelas que governam; e há uma grande diferença nisso. A diferença, no entanto,
ainda não autoriza o comportamento ilegal e rebelde contra as autoridades devidamente
constituídas. A grande diferença prática é que um cristão deve participar ativamente dos
assuntos de seu governo. Acordo é sentido com Barclay, que disse que "é trágico que tão
poucos cristãos realmente cumpram suas obrigações para com o Estado e a sociedade em que
vivem". [43]

Albert Barnes, Notas sobre o Novo Testamento, 1 Pedro (Grand Rapids, Michigan: Baker
[40]

Book House, 1953), p. 146

[41]
James Macknight, op. cit., p. 460
[42]
Albert Barnes, op. cit., p. 147

[43]
William Barclay, op. cit., p. 206

Versículo 16

como livres, e não usando sua liberdade para um manto de iniqüidade, mas como servos
de Deus.

"O significado deste verso é que a liberdade cristã deve mostrar-se, não em licença, mas em
obediência voluntária às autoridades constituídas". [44] Alguns supunham que alguns cristãos
poderiam realmente ter se gabado de uma liberdade contrária a essas palavras, afirmando
estar acima do estado e falando com desprezo de governos humanos. Tal atitude,
naturalmente, teria ainda mais antagonizado e despertado seus inimigos. Mason advertiu que
nenhum cristão "deve confundir a natureza de sua liberdade cristã, a fim de sonhar com uma
isenção de obediência a Deus ou ao homem". [45] É evidente que há muitos hoje que fizeram
exatamente isso, mesmo alegando que não é necessário ou essencial para eles obedecerem a
Deus!

[44]
BC Caffin, op. cit., p. 74

[45]
AJ Mason, op. cit., p. 407

Versículo 17

Honre todos os homens. Ame a irmandade. Temor a Deus. Honre o rei.

Talvez seja melhor entender esse versículo em duas partes: (1) honrar todos os homens, mas
ir muito além disso e amar particularmente a irmandade, e (2) temer a Deus primeiro, e em tudo
isso é consistente com o temor de Deus. honre o rei. Parece que "temer a Deus", ficando à
frente de "honrar o rei", tem alguma qualificação nele com referência ao último comando. É
muito semelhante à admoestação do Salvador: "Dai a César o que é de César e a Deus o que
é de Deus" ( Mateus 22:11Mateus 22:11 ).

Honre a todos os homens ... Este é um mandamento difícil, mas não mais do que a
admoestação de Paulo a todo homem para "contar os outros melhor do que a si mesmo"
( Filipenses 2: 3Filipenses 2: 3 ). Veja comentários sob essa referência em meu Comentário
sobre Filipenses. Todo homem tem o direito de honrar por causa de um traço ou outro.

Ame a irmandade ... Paulo também ordenou a mesma coisa ( Gálatas 6:10 Gálatas 6:10 ). O
termo grego para "fraternidade" que Pedro usou aqui e em 1 Pedro 5: 91 Pedro 5: 9 não ocorre
em nenhum outro lugar no Novo Testamento. [46]

Teme a Deus ... O começo de toda a sabedoria espiritual está nisto ( Provérbios 6:
7 Provérbios 6: 7 ); e o mandamento é na verdade uma forma abreviada de todo o dever do
homem ( Eclesiastes 12:13Eclesiastes 12:13 ).

ENCOMENDA :

[46]
CJ Polkinghorne, op. cit., p. 591

Versículo 18
Os servos estão sujeitos aos seus mestres com todo o medo; não apenas para os bons e
gentis, mas também para os perversos.

Em sujeição a seus mestres ... as instruções de Pedro aqui estão em total harmonia com as
instruções de Paulo aos Efésios e aos Colossenses ( Efésios 5: 6 Efésios 5: 6
e seguintes; Colossenses 3:22Colossenses 3:22 e segs.). "Os escritores sagrados usam a
linguagem da moderação estudada, evitando cuidadosamente quaisquer expressões que
possam ser consideradas empolgantes para a violência ou surtos revolucionários." [47]É claro
que o cristianismo se opunha à instituição da escravidão; mas havia considerações da natureza
mais pesada que proibiam qualquer coisa como uma campanha contra ela. Tal ataque teria
intensificado as perseguições que vêm sobre a igreja; e igualmente importante é o fato de que
qualquer campeonato aberto da causa dos escravos teria prontamente inundado a igreja com
um exército inteiro de pessoas não regeneradas, buscando não a Cristo, mas sua liberdade da
escravidão. O propósito de Cristo era mudar o mundo, mas não com dinamite; a santa fé age
como fermento.

Mas também para os perversos ... Pedro levou em consideração os dois tipos de mestres de
escravos, os bons e os maus, advertindo os escravos a prestarem serviço leal e verdadeiro a
ambos os tipos, porque essa era a vontade de Deus. Até aqui, Pedro havia apenas
mencionado vagamente o sofrimento que vinha sobre a igreja, mas nisso ele passou para "uma
classe que já sofria, os escravos da casa". [48] "Froward é uma palavra inglesa arcaica que tem
um significado literal de torto, perverso, irracional ou de granulação cruzada." [49] Mesmo esses
mestres maus deviam ser honrados e fielmente servidos pelos cristãos que eram escravos.

[47]
BC Caffin, op. cit., p. 74

JR Dummelow, Comentário sobre a Bíblia Sagrada (New York: The Macmillan Company,
[48]

1937), p. 1044

Elmer C. Homrighausen, A Bíblia do Intérprete, vol. XIII (New York e Nashville: Abingdon
[49]

Press, 1957), p. 117

Verso 19

Para isto é aceitável, se para a consciência para Deus um homem suporta sofrimentos,
sofrendo injustamente.

Se para a consciência para Deus ... "Isto vem de uma frase grega que significa consciência
de Deus. [50]O ponto de sua inclusão aqui é o de proibir a noção de que o sofrimento do
paciente é em si mesmo agradável a Deus, que não é o caso, "a menos que esteja
fundamentada na consciência da presença de Deus" [51].

Suporta tristezas ... Esta é uma referência ao tratamento cruel, e até desumano, sádico que
os escravos daquela época freqüentemente recebiam de seus senhores. Eles não tinham
direitos legais; eles poderiam ser espancados, mutilados, queimados ou torturados de qualquer
maneira que uma imaginação maligna pudesse sugerir. Griefs de fato! Nenhuma classe de
pessoas na terra sofreu mais do que os infelizes escravos que constituíam a capital de trabalho
do antigo mundo pagão. Que conquista para o cristianismo esse tal flagelo foi finalmente
banido.

[50]
Raymond C. Kelcy, op. cit., p. 59

[51]
AJ Mason, op. cit., p. 408

Verso 20
Pois que glória é esta: se, quando pecares e fores fustigado por isso, sereis levados
pacientemente? mas se, quando fizeres bem e sofreres por isso, aceitarás com
paciência, isso é aceitável para Deus.

Este é outro versículo nesta epístola que carrega a verdadeira marca de consonância com os
ensinamentos de Jesus Cristo, que nas Bem-aventuranças abençoou, não aqueles que foram
perseguidos, mas aqueles que foram perseguidos "por causa da justiça" ( Mateus 5:10 Mateus
5:10 ), não havendo honra para aqueles que, por seus próprios pecados, poderiam ter sido
perseguidos. Mateus 5:11Mateus 5:11 também carrega a mesma qualificação em relação à
bênção daqueles que são reprovados "falsamente".

Versículo 21

Porque assim fostes chamados, porque também Cristo padeceu por vós, deixando-vos
um exemplo, para que seguisses os seus passos.

Este e os quatro versículos seguintes são algumas das mais nobres Escrituras de toda a
Bíblia. Nestes cinco versos, não há menos de seis referências a Cristo como o Servo Sofredor,
como descrito em Isaías 53 . É exatamente o que deveria ser esperado do apóstolo que tão
corajosamente identificou Jesus como "o Servo de Jesus" ( Atos 3:13Atos 3:13 ).

Aqui foram chamados ... Cristo sofreu vicariamente para todas as pessoas; e cabe aos seus
seguidores que eles não devem se esquivar de nenhum dever por causa de qualquer
sofrimento que possa ser incorrido. Há também o pensamento aqui de que, assim como os
escravos eram obrigados a obedecer a seus senhores, os cristãos também são obrigados a
obedecer a Cristo.

Deixando-lhe um exemplo ... "A palavra de que" exemplo "vem é encontrada em nenhum
outro lugar no Novo Testamento"; [52] e o significado disso é muito semelhante às palavras
traduzidas como "figura" emAtos 7:44 Atos 7:44 e "padrão" em Hebreus 8: 5Hebreus 8: 5 . A
palavra é [@hupogrammos] e significa "uma cópia da escrita" [53], isto é, um padrão para um
copybook. Este é, portanto, um testemunho valioso para a existência de um padrão celestial,
não apenas para a edificação da igreja e a ordenação de seu culto, governo e programa, mas
também para o comportamento e estilo de vida dos cristãos também.

[52]
David H. Wheaton, op. cit., p. 1242

WE Vine, Dicionário Expositivo de Palavras do Novo Testamento, 2 (Old Tappan, Nova


[53]

Jersey: Fleming H. Revell Company, 1940), p. 54

Verso 22

quem não pecou, nem se achou engano na sua boca;

A impecabilidade absoluta de nosso Senhor é afirmada por isso. Jesus, apesar da perfeição de
sua vida, sofreu; e o pensamento. para os escravos é que, mesmo que pudessem ser sem
pecado, ainda haveria ocasiões de sofrimento. E como a alma suportará tal
injustiça? Lembrando que o Pecado também sofreu por nós.

Verso 23

quem, quando foi injuriado, não voltou a injuriá-lo; quando ele sofreu, não
ameaçou; mas se comprometeu com aquele que julga retamente:
Este é um desdobramento adicional na página sagrada do caráter belo e sem pecado do
Salvador. Qualquer pessoa familiarizada com a Paixão de Jesus pode visualizar o que Pedro
relatou aqui. De fato, as mesmas palavras que Pedro escreveu parecem ter uma sugestão de
testemunho ocular; e isso é natural, vindo de Pedro, que foi de fato uma testemunha ocular
daquelas mesmas coisas.

Comprometeu-se àquele que julga justamente ... Curiosamente, a Versão de Douay traduz
isto: "Cometeu-se a ele que julga injustamente", tornando o significado de que Jesus se
submeteu ao julgamento de Pilatos. Embora seja verdade, em certo sentido, o pensamento é
melhor em nossa versão; porque, embora Jesus tenha se submetido ao julgamento de Pilatos,
ele o fez na plena percepção de que Pilatos não tinha poder senão de cima ( João 19:11João
19:11 ). De interesse também é a leitura marginal "sua causa" em vez de "ele mesmo que foi
cometido. Na verdade, Jesus cometeu a si mesmo e sua causa a Deus.

Verso 24

que ele próprio desnudou os nossos pecados em seu corpo sobre a árvore, para que
nós, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; pelas suas feridas vocês
foram curados.

Veja abaixo 1 Pedro 2:25 1 Pedro 2:25 para uma lista de referências aqui para Isaías 53 . As
Escrituras não poderiam declarar mais claramente a grande oferta redentora de Cristo pelos
nossos pecados na cruz. Houve um tempo em que o próprio Pedro se ressentia disso ( Mateus
16:22 ), mas quão gloriosamente ele havia aprendido sua lição.Mateus 16:22

De que maneira Cristo levou nossos pecados? Ele suportou a consequência do nosso pecado,
que é a própria morte; ele sofreu separação, embora brevemente, da presença de Deus; ele foi
contado com transgressores; e fizeram a sua sepultura com o ímpio e com um homem rico na
sua morte. Ele suportou uma vida inteira de exposição à oposição escandalosa do mal e dos
homens sem escrúpulos. Como nós morremos para os pecados? Veja a nota 1, no final do
capítulo.

Por cujas ricas fostes curados ... Que tipo de remédio sagrado é este, no qual o médico
paga o preço e o sofredor recebe a cura! Jesus, é claro, foi castigado literalmente; Seu
precioso corpo estava marcado com as listras que nos redimiram.

Versículo 25

Porque estavas extraviado como ovelhas; mas agora são devolvidos ao Pastor e Bispo
de suas almas.

Os dois títulos, pastor e bispo, são aqui aplicados ao Senhor Jesus Cristo. Pode-se apenas
maravilhar-se que um estudioso como Barclay atribuísse esses títulos como sendo referidos
aqui a Deus. Ele disse: "Estes são dois nomes preciosos para Deus". [54] O próprio Jesus disse:
"Eu sou o bom pastor" ( João 10:14João 10:14 ), apropriando-se do título de modo a afirmar
sua divindade, sem dar aos fariseus qualquer desculpa para acusá-lo de sedição. Além disso,
nenhum outro título de Jesus, nosso Senhor, captou tão completamente os corações e a
imaginação da igreja primitiva exatamente da mesma maneira como esta:

Não há símbolo sobre o qual a igreja primitiva parece ter mais prazer do que a de Cristo como
o Bom Pastor, trazendo para o rebanho a ovelha perdida. Foi gravado em gemas; forneceu as
lendas dos selos; dá hoje um valor quase fabuloso a fragmentos de vidro quebrado; foi pintado
sobre o cálice da Sagrada Comunhão; e foi esculpido nos túmulos dos mártires nas
catacumbas! [55]
Não pode, portanto, haver outra maneira de entender esses dois títulos magníficos do que
como sendo atribuído aqui ao abençoado Salvador.

Bishop ... Esta palavra não tem nenhuma das implicações eclesiásticas que depois se tornou
associada com a palavra, indicando uma data em meados do primeiro século, e negando o
sucesso daqueles que tentaram em vão remover 1Peter do seu legítimo lugar histórico.

Uma das coisas verdadeiramente grandes nesses cinco últimos versículos do capítulo é a
correspondência de todo o parágrafo com a porção do Servo Sofredor de Isaías. Somos gratos
a Hunter por essa análise disso. " [56]

< MONO > < TAMANHO = 2> 1 Pedro 2 Isaías 53

1 Pedro 2:21 1 Pedro 2:21 , Cristo sofreu Isaías 53: 4Isaías 53: 4 , Ele carrega nossos
pecados. para nós.

1 Pedro 2:22 1 Pedro 2:22 , Ele não fez pecado, Isaías 53: 9Isaías 53: 9 , Ele não fez pecado,
nem nem foi encontrado em seu engano engano dele o engano na sua boca. boca.

1 Pedro 2:23 1 Pedro 2:23 , quando injuriado, ele Isaías 53: 7 , Ele não abriu o seu injuriado
não novamente. boca.Isaías 53: 7

1 Pedro 2:24 1 Pedro 2:24 a, que a si mesmo Isaías 53:12 , Ele desnudou os pecados, etc. de
muitos.Isaías 53:12

1 Pedro 2:24 1 Pedro 2:24 b: Por cujas linhas Isaías 53: 5 , pelas suas pisaduras fomos
curados. nós curamos.Isaías 53: 5

1 Pedro 2:25 1 Pedro 2:25 , pois fostes como Isaías 53: 6 . Todos nós gostamos de ovelhas
ovelhas perdidas. Desviaram-se. TAMANHO>Isaías 53: 6 MONO>

Nota 1. Em 1 Pedro 2:241 Pedro 2:24Pedro mencionou o fato de os cristãos "terem morrido
para os pecados"; e há um número de coisas que estão incluídas no significado: (1) Há
preeminentemente o fato de que Cristo pagou por nós a penalidade da morte, que era
devida; e, já tendo sido paga a penalidade, é legalmente verdade que todos os cristãos estão
mortos para pecar. Embora suas palavras aqui não pareçam estar enfatizando esse aspecto,
todo o contexto da passagem, com sua ênfase no que Cristo fez por nós, permite que esse
significado apareça. (2) Os cristãos também estão mortos para pecar no que diz respeito ao
seu propósito. O primeiro impulso do coração regenerado é a resolução de viver acima do
pecado. Portanto, no que diz respeito ao propósito dos cristãos para com o pecado, eles estão
mortos para os pecados. (3) Como Macknight apontou, do ponto de vista do mundo pagão em
que viviam e, em grande medida, do ponto de vista de nossa época, os cristãos não estão
disponíveis para a prática da sensualidade, da imoralidade e da embriaguez que se espera
deles na sociedade secular; e no que diz respeito à sociedade sem deus, eles estão mortos,
sendo, para todos os propósitos práticos, mortos para a prática popular do mal. (4) Uma coisa
que não é significada é qualquer implicação de que os cristãos não são mais tentados pelo
pecado. Até mesmo Cristo foi tentado; e não há estado de santificação ou santidade que possa
ser alcançado por um filho de Deus que possa libertá-lo das tentações de que toda carne é
herdeira. e no que diz respeito à sociedade sem deus, eles estão mortos, sendo, para todos os
propósitos práticos, mortos para a prática popular do mal. (4) Uma coisa que não é significada
é qualquer implicação de que os cristãos não são mais tentados pelo pecado. Até mesmo
Cristo foi tentado; e não há estado de santificação ou santidade que possa ser alcançado por
um filho de Deus que possa libertá-lo das tentações de que toda carne é herdeira. e no que diz
respeito à sociedade sem deus, eles estão mortos, sendo, para todos os propósitos práticos,
mortos para a prática popular do mal. (4) Uma coisa que não é significada é qualquer
implicação de que os cristãos não são mais tentados pelo pecado. Até mesmo Cristo foi
tentado; e não há estado de santificação ou santidade que possa ser alcançado por um filho de
Deus que possa libertá-lo das tentações de que toda carne é herdeira.
[54]
William Barclay, op. cit., p. 215

WA Snively, Ilustrador Bíblico, 1 Pedro (Grand Rapids, Michigan: Baker Book House, 1938),
[55]

p. 242

[56]
Archibald M. Hunter, op. cit., p. 118

1 Pedro 1 1 Pedro 1 Pedro 3

Declaração de direitos autorais


James Burton Coffman Comentários reproduzidos com permissão da Abilene Christian University Press , Abilene, Texas,
EUA. Todos os outros direitos reservados.

Bibliografia Informação
Coffman, James Burton. "Comentário sobre 1 Pedro 2: 4". "Comentários de Coffman sobre o Antigo e o Novo
Testamento". https://www.studylight.org/commentaries/bcc/1-peter-2.html. Abilene Christian University Press, Abilene, Texas,
EUA. 1983-1999.