Você está na página 1de 53

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

ESCOLA DE NUTRIÇÃO
METODOLOGIA DA PESQUISA

REVISÕES DE LITERATURA
Andrêa Ferreira
Doutoranda ISC/UFBA

Salvador, 2018
Objetivos:
▪ Analisar a importância da literatura científica para a saúde

▪ Compreender o propósito de uma revisão de literatura

▪ Conhecer os principais tipos de estudos de revisão da literatura cientifica

▪ Conhecer os principais repositórios de revisões sistemáticas

▪ Entender os principais passos aplicados na construção de um protocolo de revisão


sistemática

▪ Brainstorm
Literatura científica
Avanço das pesquisas científicas têm contribuindo para a geração de um grande volume de
informações → especial na área da Saúde

Diversos tipos de estudos são realizados e publicados diariamente em anais de congressos,


periódicos científicos, livros, entre outros lugares → Resultados diversos: divergentes ou
contraditórios

Massificação da informação → dificulta a atualização do pesquisador, profissional de saúde,


estudante e demais interessados

Sínteses → facilitam o acesso a informações concisas, baseadas na combinação


dos resultados oriundos de múltiplas fontes → Revisões de literatura
Revisões de literatura:

Adaptado de Whitemore (2005); BOTELHO; DE ALMEIDA CUNHA; MACEDO. Gestão e sociedade, v. 5, n. 11, p. 121-136, 2011
Revisão de literatura vs Revisão sistemática

Revisão
Requisitos Revisão narrativa
sistemática
Tipos de Revisão sistemática
de literatura

BOTELHO; DE ALMEIDA CUNHA; MACEDO. Gestão e sociedade, v. 5, n. 11, p. 121-136, 2011


Revisões sistemáticas e as evidências científicas:
Revisões sistemáticas tem contribuído para a elaboração das evidências cientificas em
vários campos → Saúde

• Auxiliam a credibilidade na busca, coleta, ordenação e análise das pesquisas sobre as


intervenções de saúde que têm sido realizadas ao longo do tempo

▪ Permitiu uma prática terapêutica e uma assistência em saúde baseada em evidências


sólidas, objetivando o alcance de maior efetividade clínica, estabelecimento de
protocolos, consensos e implementação de novas Políticas em Saúde

▪ Unificação, atualização e criação de novas evidências científicas → Progressos

Guyatt et al. 2008


Classificação da evidência Científica
Evidência Forte
• A confiança na estimativa de efeito não mudará, provavelmente, com mais investigações

Evidência Moderada
• Uma nova investigação é susceptível de ter um impacto importante na estimativa de efeito

Evidência Fraca
• Uma investigação nova, provavelmente terá um impacto importante na medida de efeito

Evidência muito fraca


• Qualquer estimativa de efeito é muito incerto

Guyatt et al. 2008


RS = Revisões sistemáticas M = Metanálise ECRC = estudos clínicos randomizados e controlados
Qualidade da Informação e a Pirâmide da Evidência

DARTMOUTH BIOMEDICAL LIBRARY


http://www.dartmouth.edu/~biomed/resources.htmld/guides/ebm_resources.shtml
REVISÃO SISTEMÁTICA
Definição:
A revisão sistemática da literatura é um estudo que tem por objetivo reunir estudos
semelhantes, publicados ou não, avaliando-os criticamente em sua metodologia, reduzindo
a possibilidade de vieses. Caso as medidas de efeito dos estudos originais sejam passiveis
de reunião, via análise estatística, obtém-se uma medida de efeito única, a metanálise,
quando possível, visando a sumarização das medidas de efeito

• Por sintetizar estudos primários semelhantes e de boa qualidade é considerada o


melhor nível de evidência para tomadas de decisões em questões sobre terapêutica

• Para evitar viés de análise na revisão sistemática, os métodos de seleção e análise


dos dados são estabelecidos antes de a revisão ser conduzida, em um processo
rigoroso e bem definido
Clarke; Horton. Lancet-Cochrane collaborate on systematic reviews. Lancet June 2, 2001; 357:1728. Cochrane, 2001
Importância da revisão sistemática:
Oferece subsídios para implementação de terapêuticas e assistência à saúde

Mantém os pesquisadores, os clínicos e os demais profissionais atualizados em suas


áreas → síntese das principais informações cientificas

Contribui para o conhecimento do estado da arte

Contribui para o conhecimento do estado da arte

RevisõesPonto
sistemáticas
de partidapodem
para oser encomendadasdepor
desenvolvimento Agênciasoudefluxogramas
algoritmos fomento à pesquisa ou Instituições
de procedimentos
de referência, noasintuito
referentes declínica
práticas assegurar a necessidade ou não de pesquisas adicionais sobre
determinados temas
Clarke; Horton. Lancet-Cochrane collaborate on systematic reviews. Lancet June 2, 2001; 357:1728. Cochrane, 2001
Limitações da revisão sistemática
▪ Resultados ainda podem ser inconclusivos → Pode não haver provas/evidências

▪ Estudos/ensaios podem ser de má qualidade → influência a força da evidência


científica

▪ A intervenção pode ser muito complexa para ser testada por um ensaio clínico →
✓ Ex. Políticas de públicas em saúde

▪ Prática no serviço não muda só porque você tem a evidência de efeito/eficácia →


complexidade de fatores a serem operados
Antes de fazer uma revisão sistemática:
The Cochrane Library

Fornece
instrumentos e
guia para
elaboração de
uma revisão
sistemática

Um dos mais importantes portais e


repositórios de revisão sistemática
Etapas de uma revisão sistemática:

Concepção do protocolo de pesquisa Etapa de análise


1. Formule a questão de revisão 5. Avaliar a qualidade dos estudo

6. Extração dos dados


2. Definir os critérios de inclusão e exclusão

6.1. Hierarquização das evidências (opcional)


3. Desenvolver as estratégia de pesquisa e
localizar os estudos
8. Analisar e interpretar os resultados

4. Selecionar os estudos 9. Disseminar os resultados

Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
Exemplo I

Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rn/v28n4/1415-5273-rn-28-04-00451.pdf


1. Formule a questão de revisão:
▪ Definição da pergunta/questão da revisão

• Clara, concisa e bem delineada → objetiva


• Revisão sistemática registradas no Cochrane não necessitam da identificação
no titulo

▪ Formulação de hipóteses (quando pertinente)

▪ Desenvolvimento de um título → focalizado no problema

Será que a recomendação generalizada de aumento no consumo de frutas e vegetais resulta em


perda ponderal em humanos?
Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
Exemplo:

Titulo:

Fatores associados ao estado nutricional


Titulo?
de crianças pré-escolares brasileiras
assistidas em creches públicas: uma
revisão sistemática

Pergunta potencial:
Pergunta?
Quais os fatores associados ao estado
nutricional de crianças brasileiras
assistidas em creches públicas?
2. Definir os critérios de inclusão e exclusão:
2.1 Uso dos Acrônimos

• PICOS: P – População; I – Intervenção; C – Controle; O – desfecho (outcome) ou


PICOS contexto; S – tipo de estudo

P–população; I–Teste Índice (Index test); R–Padrão de referência (Reference standart); O


PIRO: –Desfecho

P–População; E–Exposição; C–Controle; O–Desfecho


PECO:

Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
Formulação da pergunta de investigação de ensaios
clínicos randomizados - Acrônimo PICOS
Formulação da pergunta de investigação com o acrônimo
PICOS*

* Adaptado para outros tipos de estudos


Formulação da pergunta de investigação de testes de
acurácia diagnóstica - Acrônimo PIRO
Formulação da pergunta de investigação de estudos
observacionais comparativos sobre fatores de risco e
prognóstico - Acrônimo PECO
2. Definir os critérios de inclusão e exclusão:
2.2 Decisão a priori: critérios de inclusão e não inclusão:

▪ Tipos de estudo (transversais, ensaio clínico, caso controle, coorte, estudo experimental,
pesquisa qualitativa)
▪ Ano de publicação e Tipo de intervenção
▪ Idiomas
▪ Estudos publicados e não publicados
▪ Literatura cinzenta
▪ Número mínimo de participantes nos estudos

Elaboração do Protocolo de revisão sistemática após revisão por pares e por


pesquisador experiente na área (opcional) → Publicação na Cochrane

Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
Formulando perguntas de investigação utilizando os acrônimos
3. Desenvolver estratégia de pesquisa e localizar
estudos
▪ Bibliotecário de referência → extrema importância para a construção da estratégia de
busca

▪ Lista abrangente de termos-chave ( termos "MeSH“ ou “Decs”) relacionados a cada


termo do acrônimo PICO, PETO, PECO

• Ex.

Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
3. Desenvolver estratégia de pesquisa e localizar
estudo

▪ Estratégia de busca ideal ou “string de busca” deve apresentar equilíbrio entre:

✓ Sensibilidade (recuperando uma alta proporção de estudos relevantes)

✓ Especificidade (recuperando uma baixa proporção de estudos irrelevantes)

✓ Uso de operadores booleanos (AND; OR; “ “; ( ); $)

▪ Bancos de dados eletrônicos; Referências de artigos chaves; Revistas de pesquisa


manual

Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
Operadores
booleanos

Exemplo:
4. Selecionar os estudos
Seleção dos estudos por titulo e resumo após aplicação dos critérios de
inclusão e exclusão

• Listar os estudos selecionados para serem lidos na integra


• Anotar os estudos excluídos e os motivos da exclusão
• Tarefa realizada por no mínimo 2 revisores independentes → confiabilidade intra-
avaliador

Necessidades que poderão surgir:

• Contatar os autores dos estudos para obtenção de mais informações referentes


aos estudos já publicados
• Contratação de um tradutor
• Reuniões de consenso → solucionar divergências na seleção dos artigos

Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
Fluxo de
sistematização
das informações
Rev. Nutr., Campinas, 28(4):451-464, jul./ago., 2015
5. Avaliar a qualidade do estudo
▪ Avaliar a qualidade dos estudos incluídos na revisão sistemática

• Organização das evidências científicas segundo o tipo de estudo

• Vários formulários e checklist → dependente do tipo de estudo incluso na revisão

Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology (Iniciativa STROBE) → estudos


observacionais

Preferred Reporting Items for Systematic Review and Meta Analysis (PRISMA) → ensaios clínicos

Consolidated Standards of Reporting Trials (CONSORT) → ensaios clínicos

Strengthening the Reporting of Molecular Epidemiology for Infectious Diseases (STROME-ID) → para doenças
infeciosas
Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
Strengthening the Reporting of Observational Studies in
Epidemiology (Iniciativa STROBE)

Disponível em: https://www.strobe-statement.org/index.php?id=strobe-home


Itens do checklist a serem incluídos no relato de revisão sistemática ou meta-análise
PRISMA, 2015. Disponível em: http://www.prisma-statement.org/documents/PRISMA%20Portugese%20checklist.pdf
Importante: Instruções para realização/avaliação de diversos tipos de estudos
Exemplo:
6. Extração dos dados

Criação/Revisão
Formulário ou tabela para extração de dados

Informações relevantes:
Autor, ano de publicação, número de participantes, faixa etária, design do estudo, dosagens, resultados
principais, entre outros

Forma de trabalho:
Trabalho em pares → confiabilidade inter-avaliador e evita erros na entrada de dados

Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
Exemplo:

Versão final fruto da tabela inicial feita no Excel ou no Word


7. Analisar e interpretar resultados
Resumir as descobertas/evidências

Fornecer recomendações

Na presença de dados homogêneos é possível calcular medidas de efeito

Dados heterogêneos → cautela na interpretação dessas medidas

Quando o cálculo das medidas de efeito é possível → Metanálise

Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
7. Analisar e interpretar resultados
▪ Identificar possíveis lacunas do conhecimento

▪ Delimitar prioridades para estudos futuros

▪ Contudo, para proteger a validade da revisão, o pesquisador deve salientar suas


conclusões e inferências, bem como explicitar os possíveis vieses.
8. Disseminar os resultados

Protocolos registrados na Cochrane Publicações em outros periódicos

• Publicadas no banco de dados Cochrane • Mais curtos


on-line de Revisões Sistemática
• Importantes contribuições para o
• Mais detalhadas conhecimento cientifico

• Mais demoradas • Estimulo a publicações em linguagem


simples para os pacientes e familiares

Expectativa: revisões sistemáticas sejam atualização rotineiramente ou pelos autores


(preferencialmente) ou por outros grupos

Uman. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p. 57, 2011
Bases para consultas de revisões
sistemáticas:
Resumindo!

Revista brasileira de fisioterapia, v. 11, n. 1, p. 83-89, 2007.


Data de entrega:
Brainstorm: 21/06/2018

Opção I - Aplique o checklist do PRISMA (atividade em sala)


PEDRAZA, D. F.; DE SOUZA, M. M.; ROCHA, A. C. Fatores associados ao estado
nutricional de crianças pré-escolares brasileiras assistidas em creches públicas:
uma revisão sistemática. Revista de Nutrição, v. 28, n. 4, p. 451-464, 2015.
Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rn/v28n4/1415-5273-rn-28-04-00451.pdf

1. Buscar e ler o artigo acima citado.


2. Verificar se o artigo está de acordo para cada item do check-list PRISMA
(disponibilizado em documento word para edição).
3. Caso o artigo esteja de acordo para determinado item, identificar a
passagem do texto que comprova esta concordância, registrando o número
da página no check-list e destacando o texto no próprio artigo ou copiando
e colando em um documento no word.

O acesso aos portais apresentados em aula podem se acessados durante a realização do trabalho
Para próxima aula
Brainstorm: 14/06/2018

Opção II - Elabore o seu protocolo de pesquisa de acordo com o


seu tema (para as próximas aulas praticas)

1. Pergunta de investigação e hipótese


2. Critérios de inclusão e exclusão (incluindo PICOS)
3. Definir descritores e estratégia de busca

O acesso aos portais apresentados em aula podem se acessados durante a realização do trabalho
Referências consultadas:
GALVÃO, Taís Freire; PANSANI, Thais de Souza Andrade; HARRAD, David. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e meta-análises: a
recomendação PRISMA. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 24, p. 335-342, 2015.

CASTIEL, Luis David; PÓVOA, Eduardo Conte. Evidence Based Medicine:" a new paradigm for teaching and the provision of care?". Interface-
Comunicação, Saúde, Educação, v. 6, n. 11, p. 117-121, 2002.

GALVÃO, Taís Freire; PANSANI, Thais de Souza Andrade; HARRAD, David. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e meta-análises: a
recomendação PRISMA. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 24, p. 335-342, 2015.

CASTIEL, Luis David; PÓVOA, Eduardo Conte. Evidence Based Medicine:" a new paradigm for teaching and the provision of care?". Interface-
Comunicação, Saúde, Educação, v. 6, n. 11, p. 117-121, 2002.

UMAN, Lindsay S. Systematic reviews and meta-analyses. Journal of the Canadian Academy of Child and Adolescent Psychiatry, v. 20, n. 1, p.
57, 2011.

Clarke M, Horton R. Bringing it all together: Lancet-Cochrane collaborate on systematic reviews. Lancet June 2, 2001; 357:1728.
PEDRAZA, Dixis FIGUEROA; DE SOUZA, Maercio Mota; ROCHA, Ana Carolina Dantas. Fatores associados ao estado nutricional de crianças pré-
escolares brasileiras assistidas em creches públicas&58; uma revisão sistemática. Revista de Nutrição, v. 28, n. 4, p. 451-464, 2015.
RF, SAMPAIO. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista brasileira de fisioterapia, v. 11, n. 1, p.
83-89, 2007.
BOTELHO, Louise Lira Roedel; DE ALMEIDA CUNHA, Cristiano Castro; MACEDO, Marcelo. O método da revisão integrativa nos estudos
organizacionais. Gestão e sociedade, v. 5, n. 11, p. 121-136, 2011.