Você está na página 1de 7

FAI - FACULDADE DE IPORÁ

NÍVEA COLODETO OLIVEIRA

OS OITO ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL DE ERIK ERIKSON

Iporá
2018
FAI - FACULDADE DE IPORÁ

NÍVEA COLODETO OLIVEIRA

OS OITO ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL DE ERIK ERIKSON

Trabalho feito em razão da Disciplina: Psicologia do


Desenvolvimento na Adolescência, exigido pela
Prof.ª Daniella Cunha para obtenção de nota.

Iporá, 11 de junho de 2018


A TEORIA DO DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL DE ERIK ERIKSON

Erik Erikson foi um psicólogo que desenvolveu uma das teorias do desenvolvimento mais
populares e influentes. Embora sua teoria tenha sido influenciada pelo trabalho do psicanalista
Sigmund Freud, a teoria de Erikson centra no desenvolvimento psicossocial ao invés de
desenvolvimento psicossexual.
Muito parecido com Sigmund Freud, Erikson acredita que a personalidade se desenvolve
em uma série de etapas. Ao contrário da teoria dos estágios psicossexuais de Freud, a teoria de Erikson
descreve o impacto da experiência social ao longo de toda a vida. Erikson estava interessado em como
a interação social e relações desempenham um papel no desenvolvimento e crescimento dos seres
humanos.
Um dos principais elementos da teoria de estágios psicossociais de Erikson é o
desenvolvimento da identidade do ego. Identidade do ego é o sentido consciente de si que nós
desenvolvemos através da interação social. De acordo com Erikson, a nossa identidade do ego está
em constante mutação devido às novas experiências e informações que adquirimos em nossas
interações diárias com os outros. À medida que enfrentamos cada novo estágio de desenvolvimento,
estamos diante de um novo desafio que pode ajudar a desenvolver ou dificultar o desenvolvimento
da identidade.
A formação da identidade é algo que se inicia na infância e torna-se particularmente
importante durante a adolescência, mas Erikson acredita que é um processo que continua ao longo da
vida. Nossa identidade pessoal dá a cada um de nós um sentido integrado e coeso de si que permanece
e continua a crescer à medida que envelhecemos.
Nosso senso de identidade pessoal é moldado por nossas experiências e interações com
os outros, e é essa identidade que ajuda a guiar nossas ações, crenças e comportamentos e nos ajuda
a crescer e se desenvolver ao longo da vida.
Além da identidade do ego, Erikson também acreditava que um senso de competência
motiva comportamentos e ações. Cada etapa na teoria de Erikson está preocupada com tornar-se
competente em uma área da vida. Se a fase é bem desenvolvida, a pessoa vai sentir uma sensação de
domínio, que é por vezes referida como a força do ego ou a qualidade ego. Se a fase é mal gerida, a
pessoa vai sair com um sentimento de inadequação.
Em cada etapa, Erikson acreditava que as pessoas experimentam um conflito que serve
como um ponto de viragem no desenvolvimento. Na visão de Erikson, estes conflitos estão centrados
em desenvolver uma qualidade psicológica ou deixar de desenvolver essa qualidade. Durante estas
fases, o potencial para o crescimento pessoal é alto, mas assim também é o potencial para o fracasso.
Se as pessoas lidam com sucesso com o conflito, elas emergem com forças psicológicas
que irão atendê-las bem para o resto da sua vida. Se elas não conseguem lidar eficazmente com estes
conflitos, elas não podem desenvolver as habilidades essenciais necessárias para um forte senso de
identidade e de si.
A - Os oito estágios de desenvolvimento psicossocial de Erik Erikson

1º Estágio - Confiança vs. Desconfiança


A primeira etapa da teoria do desenvolvimento psicossocial de Erikson ocorre entre o
nascimento e um ano de idade e é a fase mais fundamental na vida.
Uma criança é totalmente dependente. Desenvolvimento da confiança é baseado na
confiabilidade e qualidade dos cuidadores da criança. Neste ponto do desenvolvimento, a criança é
totalmente dependente de cuidadores adultos para tudo o que ela precisa para sobreviver, incluindo
comida, amor, carinho, segurança. Tudo. Se um cuidador não fornece cuidado e amor adequado, a
criança vai vir a sentir que não pode confiar ou depender dos adultos em sua vida.
Se uma criança se desenvolve com sucesso a confiança, vai se sentir segura no mundo.
Os cuidadores que são inconsistentes, emocionalmente indisponíveis, ou rejeitam, contribuem para
sentimentos de desconfiança nas crianças que cuidam. A incapacidade de desenvolver a confiança irá
resultar em medo e uma crença de que o mundo é inconsistente e imprevisível.
Claro, nenhuma criança vai desenvolver um senso de 100% de confiança ou 100% dúvida.
Erikson acredita que o desenvolvimento bem sucedido se baseia sobre um equilíbrio entre os dois
lados opostos. Quando isso acontece, as crianças adquirem a esperança, que Erikson descreveu como
uma abertura à experiência temperada por algum receio de que o perigo pode estar presente.

2º Estágio - Autonomia vs. Vergonha e Dúvida


A segunda etapa da teoria do desenvolvimento psicossocial de Erikson tem lugar durante
a primeira infância e é focada em crianças que desenvolvem uma maior sensação de controle pessoal.
Neste ponto do desenvolvimento, as crianças estão apenas começando a ganhar um pouco
de independência. Elas estão começando a executar ações básicas por conta própria e a tomar decisões
simples sobre o que elas preferem. Ao permitir que as crianças façam escolhas e tomem o controle,
pais e cuidadores podem ajudar as crianças a desenvolverem um senso de autonomia.
Como Freud, Erikson acredita que o treinamento da toalete era uma parte vital desse
processo. No entanto, o raciocínio de Erikson foi muito diferente do de Freud. Erikson acreditava que
aprender a controlar as funções corporais leva a uma sensação de controle e um senso de
independência.
Outros eventos importantes incluem ganhar mais controle sobre as escolhas alimentares,
preferências de brinquedo, e seleção de roupas.
Crianças que concluem com êxito esta fase se sentem seguras e confiantes, enquanto que
aquelas que não o fazem são deixadas com um sentimento de inadequação e insegurança.
Erikson acredita que a obtenção de um equilíbrio entre a autonomia e vergonha e dúvida
levaria a vontade, que é a crença de que as crianças podem agir com intenção, dentro da razão e
limites.

3º Estágio - Iniciativa vs. Culpa


A terceira etapa do desenvolvimento psicossocial tem lugar durante os anos pré-escolares.
Neste ponto no desenvolvimento psicossocial, as crianças começam a afirmar o seu poder e controle
sobre o mundo através de liderar o jogo e outras interações sociais.
As crianças que são bem sucedidos nesta fase se sentem capazes e capazes de conduzir
os outros. Aquelas que não conseguem adquirir essas habilidades são deixadas com um sentimento
de culpa, autodúvida e falta de iniciativa.
Quando um equilíbrio ideal entre a iniciativa individual e uma vontade de trabalhar com
outras pessoas é alcançado, a qualidade do ego conhecida como finalidade emerge.

4º Estágio - Produtividade vs. Inferioridade


A quarta etapa psicossocial tem lugar durante os primeiros anos escolares, cerca de 5 anos
de idade a 11.
Através de interações sociais, as crianças começam a desenvolver um sentimento de
orgulho em suas realizações e habilidades.
As crianças que são encorajadas e elogiadas pelos pais e professores desenvolvem um
sentimento de competência e crença em suas habilidades. Aquelas que recebem pouco ou nenhum
incentivo de pais, professores ou colegas vão duvidar de suas habilidades para ser bem sucedidas.
Sucesso no equilíbrio nesta fase do desenvolvimento psicossocial leva à força conhecida
como a competência ou a crença de nossas próprias capacidades para lidar com as tarefas definidas
antes de nós.

5º Estágio - Identidade vs. Confusão de identidade


O quinto estágio psicossocial ocorre durante a adolescência, às vezes turbulenta. Esta fase
tem um papel essencial no desenvolvimento de um senso de identidade pessoal que continuará a
influenciar o comportamento e desenvolvimento para o resto da vida de uma pessoa.

Durante a adolescência, as crianças exploram a sua independência e desenvolvem um


sentido de si.
Aquelas que recebem incentivo e reforço adequados através da exploração pessoal vão
emergir desta fase com um forte senso de si mesmas e uma sensação de independência e controle.
Aquelas que permanecem inseguras de suas crenças e desejos vão se sentir inseguras e confusas sobre
si mesmas e o futuro.
Concluir esta etapa leva com sucesso para a fidelidade, o que Erikson descreveu como
uma capacidade de viver de acordo com as normas e as expectativas da sociedade.

6º Estágio - Intimidade vs. Isolamento


Esta fase abrange o período de início da idade adulta, quando as pessoas estão explorando
as relações pessoais.
Erikson acreditava que era vital que as pessoas desenvolvessem relações estreitas e
comprometidas com outras pessoas. Aquelas que são bem sucedidas nesta etapa irão formar
relacionamentos que são duradouros e seguros.
Lembre-se que cada etapa se baseia em habilidades aprendidas nas etapas anteriores.
Erikson acredita que um forte senso de identidade pessoal foi importante para o desenvolvimento de
relações íntimas. Estudos têm demonstrado que as pessoas com um mau senso de si tendem a ter
relações menos comprometidas e são mais propensas a sofrer isolamento emocional, solidão e
depressão.
Resolução bem sucedida desta etapa resulta na força conhecida como amor. Ela é marcada
pela capacidade de formar relacionamentos duradouros e significativos com outras pessoas.
7º Estágio - Generatividade vs. Estagnação
Durante a idade adulta, continuamos a construir nossas vidas, com foco em nossa carreira
e família.
Aqueles que são bem sucedidos durante esta fase vão sentir que estão contribuindo para
o mundo por ser ativos em sua casa e na comunidade. Aqueles que não conseguem atingir essa
habilidade vão se sentir improdutivos e não envolvidos no mundo.
Cuidado é a virtude alcançada quando este estágio é tratado com sucesso. Ser orgulhoso
de suas realizações, ver os seus filhos se tornam adultos, e desenvolver um sentido de unidade com o
seu parceiro de vida são realizações importantes desta fase.

8º Estágio - Integridade vs. Desespero


O estágio psicossocial final ocorre durante a velhice e está focado em refletir sobre a vida.
Neste ponto do desenvolvimento, as pessoas olhar para trás sobre os acontecimentos de
suas vidas e determinar se elas estão felizes com a vida que viveram ou se arrependem das coisas que
fizeram ou deixaram de fazer.
Aquelas que forem mau sucedidas durante este estágio vão sentir que sua vida tem sido
desperdiçada e vão experimentar muitos arrependimentos. O indivíduo vai ficar com sentimentos de
amargura e desespero.
Aquelas que se sentem orgulhosas de suas realizações vão sentir uma sensação de
integridade. Concluir com sucesso esta fase significa olhar para trás com poucos arrependimentos e
um sentimento geral de satisfação. Essas pessoas irão atingir a sabedoria , mesmo quando
confrontados com a morte.
Bibliografia
http://psicoativo.com/2016/08/teoria-do-desenvolvimento-psicossocial-de-erik-
erikson.html
http://psicoativo.com/2016/08/as-8-fases-do-desenvolvimento-psicossocial-de-erik-
erikson.html