Você está na página 1de 8

O Papel da Auriculoterapia no Tratamento de Pacientes

Obesos

Trabalho realizado por:

Letícia Rodrigues Cruz.

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Instituto de Ciências da Saúde da


Universidade Paulista, Campus Flamboyant, como requisito para a obtenção do título de
Bacharel em Fisioterapia.

Orientadores:

Xisto Sena Passos.

Doutor em Medicina Tropical pela Universidade Federal de Goiás. Professor do Curso


de Fisioterapia da UNIP.

Profª. Esp. Leandro Damas.

Especialista em Cardiorrespiratório e Trautamo-Ortopédico. Professora do Curso de


Fisioterapia da UNIP.

Resumo

A acupuntura faz parte dos recursos terapêuticos utilizados pela Medicina Tradicional
Chinesa (MTC) para tratar e equilibrar o organismo Desde 1985, é reconhecida como
prática da Fisioterapia, e como especialidade desde 2000. A busca por um resultado
satisfatório no controle e prevenção da obesidade fez com a auriculoterapia pudesse ser
uma opção para acompanhar pacientes obesos. Objetivo - Analisar como o recurso
terapêutico da Auriculoterapia pode auxiliar no tratamento de pacientes obesos, do
ponto de vista orgânico do processo de emagrecimento. Métodos – Trata-se de um
estudo de revisão de literatura. O levantamento de referencial bibliográfico foi realizado
por meio das bases de dados SciELO, LILACS dentre outros meios, como livros, e sites
específicos nesta temática. Conclusões: O tratamento da obesidade com a
auriculoterapia mostrou-se eficaz principalmente no controle do apetite e da ansiedade.
Entretanto esse é apenas uma terapia auxiliar, tendo que ser adotado por parte do
paciente hábitos saudáveis (alimentação e exercícios físicos) para a manutenção do
peso.

Descritores: Auriculoterapia, obesidade, terapia

Abstract

Acupuncture is part of the therapeutic resources used by Tradictional Chinese


Medicine(TCM) to treat and balance the body. since 1985, is recognized as the practice
of physical therapy, and as a specialty since 2000. The search for a satisfactory outcome
in the control and prevention of obesity caused auriculotherapy could be an option for
obese patients follow. Objective - To analyze how the use of ear acupuncture treatment
may help in treating obese patients, in terms of organic weight loss process. Methods -
This is a review of the literature. The survey of bibliographic references was performed
using the databases SciELO, LILACS, among other means, such as books, and specific
sites on this topic. Conclusions: Treatment of obesity with auriculotherapy was
effective mainly in the control appetite and anxiety. However this is only an adjunct
therapy, having to be adopted by the patient's healthy habits (diet and exercise) for
weight maintenance.

Descriptors: Auriculotherapy, obesity, therapy

Introdução

O presente trabalho tem como tema a Acupuntura, que por se tratar de um extenso
campo e estar propenso a várias análises, será estudado apenas em um recorte, da
acupuntura aplicada na orelha, também chamada Auriculoterapia. Como ainda sim o
tema se tornaria por demais alongado, escolhemos por analisar o papel terapêutico da
auriculoterapia em pacientes obesos.

A acupuntura faz parte dos recursos terapêuticos utilizados pela medicina oriental para
tratar e equilibrar o organismo. Seu surgimento aconteceu na China e data de
aproximadamente 4.800 a C. É um dos métodos mais antigos de cura, mas continua
evoluindo com a descoberta de novos pontos e com o avanço tecnológico de outros
instrumentos e técnicas, tais como: ultra – som, as radiações infravermelhas, o raio laser
e outros equipamentos.

Segundo Hirakui (2002) a acupuntura é uma técnica que, na Medicina Ocidental, vem
ganhando espaço como tratamento alternativo para diversas patologias. Desde 1985, é
reconhecida como prática da Fisioterapia e como especialidade desde 2000.

Dentro dos conhecimentos da acupuntura, uma técnica de tratamento, é a


auriculoterapia. Este recurso utiliza-se do estímulo de determinados pontos que se
localizam no pavilhão auricular, para reequilibrar o organismo.

Os pontos utilizados para tratamentos correspondem à união de níveis energéticos e


nódulos nervosos que, uma vez estimulados, restabelecem o equilíbrio orgânico.

Os estímulos são feitos com pressão (esferas de ouro ou prata, sementes), com pequenas
agulhas em forma de espiral (chamadas agulhas semipermanentes), ou também
estímulos com raio laser ou outros aparelhos que provocam uma pequena descarga
elétrica sobre os pontos específicos.

São muitos os benefícios que a auriculoterapia pode trazer para restabelecer a saúde,
melhorando assim a qualidade de vida. A medicina preventiva torna-se vantajosa na
medida em que se consegue a manutenção geral da saúde. O importante é não somente a
ausência de doenças mas, também, um sentimento de bem-estar e maior energia física e
mental.

A obesidade, que tem sido considerada como uma epidemia mundial, está crescendo de
forma alarmante. O aumento de sua incidência está distribuído em quase todas as raças
e sexos, e atinge principalmente a população de 25 a 44 anos. Diante disso, para tratar
esta enfermidade os procedimentos fisioterapêuticos, como a acupuntura, podem ter
grande importância.

A busca por um resultado satisfatório no controle e prevenção da obesidade fez com que
avançassem os estudos e a busca por técnicas que proporcionassem esses resultados,
neste caso, técnicas fisioterapêuticas em geral, de forma mais particular as MTC
(acupuntura, moxabustão, auriculoterapia) podem ser uma opção para acompanhar
pacientes obesos.

Apesar da eficácia demonstrada em várias situações, a carência nas bases científicas da


acupuntura ou na compreensão de sua linguagem tem restringido seu uso. A pesquisa da
acupuntura reveste-se, portanto de grande interesse, na medida em que poderá traduzir
estes conhecimentos milenares, contribuindo para sua aceitação e incorporação. Ao
mesmo tempo, poderá colaborar com avanços na medicina de forma geral, e no
tratamento da obesidade em especial. De qualquer forma, o bem-estar humano será
beneficiado.

Revisão de Literatura

Ariculoterapia, segundo a Medicina Tradicional Chinesa

De acordo com Reickmann (2002), acupuntura é o nome ocidental dado ao


procedimento ou à prática terapêutica que trata disfunções ou promove analgesia através
da inserção de agulhas em pontos específicos do corpo, localizados em canais
energéticos chamados de meridianos.

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) defende o uso das técnicas de acupuntura


relacionada com o fato dos acupontos corresponderem a regiões de acesso no trajeto
externo dos canais energéticos dos órgãos e das vísceras, conhecidos, na medicina
chinesa como Zang Fu, localizados internamente.

O pavilhão auricular, na MTC, também é utilizado para tratar desequilíbrios


energéticos, por meio de estímulos em pontos reflexos localizados na orelha externa,
que por se tratar de um microssistema6, possui mais de 200 pontos para tratamento.

Ainda de acordo a MTC, a energia responsável pela fisiologia e pelo metabolismo


celular é denominada Qi, que percorre esses canais ao longo do dia e da noite. Agentes
externos como o frio, o vento ,o calor (fogo), a secura e a umidade (fleuma) podem
causar desarmonias energéticas e comprometer as funções do Zang ou do Fu (órgãos e
vísceras), desequilibrando o Qi e contribuindo para uma desarmonia energética no
corpo.

Da mesma forma, fatores internos como as emoções em desequilíbrio (medo, alegria,


tristeza, raiva, ansiedade), seja em excesso, seja em falta, podem acarretar desarmonia
energética que poderá se manifestar em um determinado Zang.

A auriculoterapia pode ser usada em todos os problemas físicos e psíquicos, abrangendo


uma vasta relação de tratamento, como analgesia, antiinflamatório, sistema nervoso,
imunológico, endócrino, psicológico, alérgico, prevenção e manutenção de saúde, com
exceção às gestantes do segundo ao sétimo mês de gravidez.

Por ser uma técnica reflexa, a auriculoterapia pode ser associada a todos os demais
ramos de terapias ou tratamentos, sejam eles de natureza química ou energética.
Contudo, a área de atuação não se restringe a isso. Esta técnica pode ser usada sob a
forma de terapia preventiva

Questões sobre a Obesidade

A obesidade é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como patologia,


cuja prevalência tem aumentado significativamente em várias regiões do mundo, sendo
responsável, em grande parte, pelo aumento da mortalidade e morbidade com
implicações significativas no indivíduo, na família e na comunidade.

Trata-se de uma doença caracterizada pelo acúmulo de massa adiposa na composição


corporal do indivíduo, relacionado à ingestão de calorias superior ao dispêndio
energético. Pode ser fruto de uma tendência genética e hereditária, ou ainda estar
associada a outras doenças crônicas.

A Medicina Tradicional Chinesa, segundo Yamamura1 (2004), rege que a obesidade


acontece principalmente pela deficiência do Qi (energia da fisiologia) do baço, uma
disfunção desse órgão em transformar adequadamente os alimentos, causando acúmulo
de umidade e Fleuma no organismo.

De acordo com o levantamento Antropometria - Estado Nutricional de Crianças,


Adolescentes e Adultos no Brasil - da Pesquisa de Orçamentos Familiares (2008-2009),
realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), a população
brasileira está ficando mais gorda e em velocidade acelerada. O excesso de peso já
atinge metade da população adulta; uma em cada três crianças (de 5 a 9 anos); e um
quinto dos adolescentes no País.

Os impactos para o indivíduo vão muito além do ganho de peso. São diretamente
influenciados pela obesidade a qualidade de vida, o recurso aos serviços de saúde, o
absentismo escolar, a limitação nas atividades de vida diária, a prática de desporto e
alterações nas relações interpessoais, marginalização, depressão e isolamento. Ao nível
da família, as repercussões podem traduzir-se no absentismo profissional, nas alterações
dos estilos de vida e na necessidade de acompanhamento dos familiares.

O alimento causa sensação de prazer e bem estar devido a liberação de serotonina. O


indivíduo que come demais está se compensando pelas perdas que tem no seu dia-a-dia,
suas frustrações. Estes podem sentir-se desgostosos e até mesmo se odiar, nutrindo um
auto-desprezo por se considerarem fracassados.

Em decorrência das possíveis complicações devido a, a criação de protocolos e condutas


relacionadas à prevenção e controle da obesidade é um grande desafio para os
profissionais envolvidos diretamente com esses pacientes, em especial, o fisioterapeuta.

Felizmente a MTC disponibiliza a auriculoterapia que facilita a liberação da serotonina


no organismo de forma totalmente natural, auxiliando no reequilíbrio das emoções e na
harmonia energética dos pontos reflexos existentes.

Auriculoterapia no tratamento da obesidade

O tratamento de obesidade pela Auriculoterapia consiste em implantar agulhas


auriculares convencionais, presas com fita adesiva específica, que são trocadas
semanalmente. Alternativamente, pode-se aplicar agulhas removíveis, utilizando como
auxiliar no tratamento a acupressão, que consiste na aplicação de pequenas bolinhas
metálicas ou sementes, fixas por fita adesiva no pavilhão auricular.

Ross (2003) identificou em suas pesquisas, que os pacientes obesos ou aqueles com
excesso de peso por causa do processo metabólico poderiam ter síndromes relacionadas
a disfunções do baço ou do rim. E os casos de obesidade ou excesso de peso por má
alimentação seriam ocasionadas por síndromes relacionadas ao coração e ao fígado.

Se as funções do Qi do baço estão enfraquecidas, poderá haver, então a deficiência de


energia e de sangue, e, possivelmente, a estagnação de líquidos orgânicos sob a forma
de umidade e de mucosidade. Pelo fato de ser o baço-pâncreas o principal órgão (Zang)
relacionado à digestão, nestes casos, poderá haver também, alterações desarmônicas
alimentares.

O tratamento da obesidade dedica-se prioritariamente à redução do apetite excessivo,


resultado do enfraquecimento do sistema digestório, incluindo estômago e baço, bem
como diminuir a ansiedade e preocupação, que são fatores que levam à alta ingestão
alimentar. Destina-se também a reestabelecer o fluxo de energia ao longo dos
meridianos do baço e do estômago.

Martini e Cardoso (2000) descrevem a pressão dos pontos do aparelho digestório como
boca, estômago, baço/pâncreas, vesícula biliar, e estimular intestinos. Além destes
trabalha-se com o ponto She Men (ansiedade), Hunger Point (fome), hipotálamo e
outros necessários conforme o desequilíbrio apresentado.

O estímulo exercido sobre cada um destes pontos percorre os ramos nervosos até o
tronco cerebral e em seguida até a região do córtex cerebral correspondente ao órgão ou
função estimulada, de onde é enviada uma mensagem da glândula hipófise, a qual
governa todas as glândulas do corpo, para equilibrar as funções do órgão estimulado.

Para Arruda (2011), diminuindo a ansiedade e a sensação de fome, o tratamento da


obesidade por meio da auriculoterapia controla a compulsão por comida, o que favorece
a reeducação alimentar sem a necessidade da prescrição de drogas para reduzir o desejo
por alimentos.

A auriculoterapia no combate a obesidade tem proporcionado resultados satisfatórios


permitindo a perda de peso de maneira harmônica e equilibrada energeticamente.
Contudo, parte do sucesso do tratamento, deve-se a mudanças de atitudes por parte do
paciente, como rever seus hábitos alimentares e praticar exercícios físicos.

Discussões
Depois de analisar e comparar a literatura, fica é inquestionável os bons resultados
obtidos. Com o uso da auriculoterapia, fundamento da Medicina Tradicional Chinesa
(MTC), pacientes alcançaram com êxito o objetivo do tratamento de um dos mais
importantes problemas de saúde pública atualmente reconhecido

Foi constatado que a diminuição significativa do peso nas pessoas obesas (incluindo as
variações individuais) é decorrente do estímulo de pontos reflexos para equilibrar a(s)
função(ões) do(s) órgão(aos) estimulado(s) e dos tratamentos auxiliares realizados pelo
paciente.

Em decorrência das possíveis complicações causadas devido à obesidade, busca por


melhora da qualidade de vida, ineficácia de outros tratamentos e/ou necessidade de
diminuição de peso, os pacientes obesos devem, antes de tudo, aderir à atitudes
saudáveis, como uma alimentação equilibrada e pratica de exercícios físicos, o que
melhora os resultados do tratamento.

Com relação ao estímulo dos acupontos auriculares Shen Men, estômago, cárdia,
subcórtex (interno) Frazoni et al. (1996) constataram uma ação moderadamente eficaz
no tratamento da obesidade.

Isso acontece porque não são apenas as disfunções nos órgãos e funções (Zang Fu) que
influem para a obesidade. As pressões do dia-a-dia, a carência emocional, a depressão, a
insegurança e as tensões nervosas são condições que favorecem o aumento do peso.

Para Ross (2003), quanto maior a insegurança da pessoa, o medo que tem da vida,
maior é a necessidade de sua gordura protetora, a pessoa pode sentir-se mais confortável
estando acima do peso, considerando este fato tranqüilizador e agradável. Pode
inclusive pensar que o excesso de peso o capacita, que ele é levado mais a sério dessa
forma, propiciando às suas opiniões um maior credibilidade. Por isso, quanto mais
segura se sentir, menos necessidade terá de se esconder por trás desse problema.

O peso corporal extra, talvez a umidade e fleumas extras no cérebro podem propiciar a
ilusão tranquilizadora de que o mundo é lento, sólido e estável, quando na verdade o
mundo externo muda rapidamente. Essas sensações estão relacionadas com as emoções
do medo, inseguranças e preocupação associadas com rins e baço debilitados e instáveis
e podem ser tratados fortalecendo e estabilizando o Qi do Rim e do Baço.

De acordo com Gomes (2008), na prática clínica, as emoções mais comuns presentes
em pessoa obesas em tratamento são: ansiedade, irritabilidade, tristeza, depressão e
pensamentos obsessivos por comida. Para harmonizá-los pode-se aplicar a
auriculoterapia relacionado à ansiedade e irritabilidade, ao ponto She Men; a tristeza e
depressão ao Rim; os pensamentos obsessivos, o Baço e Estômago.

Uma das grandes vantagens da auriculoterapia é que essa age como moderadores de
apetite, controlando, principalmente, a compulsão alimentar por doces, sem causar
efeitos colaterais verificados e sem causar dependência química, aquela provocada por
drogas anorexígenas e ansiolíticas.

Evidentemente, que como em qualquer outro tratamento de controle de peso, algumas


pessoas podem experimentar aumento de peso após o encerramento do tratamento de
auriculoterapia, havendo grande chance de retornar à condição de obesos. Fato que pode
ser atribuído aos hábitos alimentares incorretos. Dessa forma, subentende-se que três
fatores são fundamentais no tratamento da obesidade: dietoterapia, acupuntura e
atividade física.

Todo paciente deve rever completamente seu estilo de vida, seus hábitos alimentares, a
retomada à prática de exercícios físicos, prevendo ainda, a repetição do tratamento
algumas vezes no ano.

Conclusões

Ao final desse estudo conclui-se que a Auriculoterapia, baseada na Medicina


Tradicional Chinesa, é uma terapia auxiliar dentro do processo de emagrecimento que
inclua uma dieta específica e o devido acompanhamento terapêutico. É, também, eficaz
em quitar a ansiedade e promover o equilíbrio das funções orgânicas.

Durante o tratamento para emagrecer, ela age como atuam os medicamentos ansiolíticos
e anorexígenos, o que acarreta a perda de peso. Entretanto para a manutenção dos
resultados é essencial comer bem, ter autodisciplina e manter uma atividade física
frequente, fatores que auxiliam no bem estar consigo mesma e com sua própria
natureza.

Ainda são necessários estudos mais aprofundados para identificar o real efeito da
auriculoterapia, como tratamento principal e único, para pacientes com obesidade, já
que se confirmou esta patologia como sendo uma doença que deve ser tratada de forma
interdisciplinar (por nutricionistas, educadores físicos, médicos, fisioterapeutas, etc.)
para uma maior eficácia.

Referências

1. Yamamura, Y. Acupuntura Tradicional – A Arte de Inserir. 2ª Edição, São Paulo:


Editora Roca; 2004.

2. Wen TS. Acupuntura clássica chinesa. 2ª Edição, São Paulo: Cultrix; 1989.

3. Hirakui T. Acupuntura uma terapêutica alternativa no tratamento da fibromialgia.


[acesso 12 set 2011] Disponível em: http://www.interfisio.com.br.

4. Bontempo M. Medicina Natural. São Paulo: Nova Cultural; 1999.

5. Cruz LB, Bernado FM, Terra R, Silva EM, Santos FSD, Meyer PF. Obesidade:
abordagem da medicina ocidental e da medicina tradicional chinesa. [acesso 12 mar
2011] Disponível em

http://www.patriciafroes.com.br/gestao/img/publicacoes/3b4a1448d4ed665542d9b98bb
f15caab.pdf

6. Reickmann BT. Auriculoterapia – Fundamentos da acupuntura auricular. Curitiba:


Tecnodata; 2002.
7. Maciocia G. Os fundamentos da Medicina Chinesa – Um texto abrangente para
Acupunturistas e Fitoterapeutas. 1ª Edição, São Paulo: Editora Roca; 1996.

8. Amaral O; Pereira C. Obesidade: da genética ao ambiente. Milenium. Revista do


ISPV. Abril/2008. 34: 311-322.

9. Mahn LK, Escott SS. Nutrição no Controle de Peso. In: Laquatra I. (Col). Krause
alimentos, nutrição & dietoterapia. 10ª edição. São Paulo: Roca; 2002.

10. Ross J. Sistemas de Órgãos e Vísceras da Medicina Tradicional Chinesa. 1ª Edição,


São Paulo: Editora Roca; 2003

11. Martini L, Cardoso M. Medicina Tradicional Chinesa no Tratamento da Obesidade.


[acesso 25 ago 2011] Disponível em
http://www.siaibib01.univali.br/pdf/Laraine%20Martini%20e%20Maisa%20Cardoso.pd
f

12. Franzoni et al. Acupuntura no Tratamento da Obesidade. [acesso 15 set 2011]


Disponível em: http://siaibib01.univali.br/pdf/Liciane%20Franzoni-
Tayana%20da%20Costa.pdf

13. Arruda MC. et al. Uso da Acupuntura estética e Ventosaterapia na redução da


gordura abdominal. [04 ago 2011] Disponível em:
http://www.portalunisaude.com.br/home.php?s=inst&cod=107

14. Pires FFS. O tratamento da obesidade pela acupuntura. [ 02 set 2011] Disponível
em: http://www.equilibrioemovimentorj.com.br/Artigo.doc

15.Gomes EFVO. O Papel da acupuntura e do Funcionamento do Baço-Pâncreas no


Emagrecimento e Sua Correlação Com a Nutrição. [28 set 2011] Disponível em:
http://acupunturabrasil.org/novoniai/Biblioteca/Tratamentos/PapelBPEemagrecimento.d
oc

Obs:

- Todo crédito e responsabilidade do conteúdo são de sua autora.

- Publicado em 02/12/2011.