Vou falar-vos de um dia que eu pensava ser igual a tantos outros

dias de escola. De um dia que se tornou diferente depois de eu ter
acabado de entrar no recinto escolar e zarpado rumo ao ginásio, pois
estava fora da hora.
A minha mochila pesava mais que o habitual, mas não liguei e segui
o meu caminho. Os meus colegas ainda não tinham entrado.
Cumprimentei-os, libertei-me da mochila e preparei-me para mais uma
aula de Educação Física.
E foi no momento do aquecimento que entrou o meu amigo
especial. Um pouco amarelado, de olho verde vivo e pernas velozes.
Corria tanto que o perdi de vista!
Ninguém mesmo se apercebeu da sua presença. Só eu vi o seu
piscar de olho, os bigodes enormes e senti o odor de aperitivo de salmão.
Hábito estranho, pensarão vocês.
Era o meu gato! Tinha entrado ali, receoso, mas decidido a dar-me o
seu cumprimento matinal. Depois, fugiu e entrou, manhoso, na minha
mochila.
O meu quarto deixou entrar os primeiros raios de sol, o meu gato
dormia aos pés da cama e eu parti para a escola após aquele sonho.

Autor: Miguel da Silva Maciel, 8º C, junho de 2018