Você está na página 1de 2

Introdução

OBADIAS

VOLTAR

Introdução

Capítulo 1

A primeira parte deste livro anuncia a destruição de Edom, detendo-

se nas injúrias que infligiram aos judeus. A segunda parte prediz a restauração dos judeus, e a glória posterior da Igreja.

Obadias 1

Versículos 1-16. A destruição cai sobre Edom - As suas ofensas contra Jacó; 17-21: A restauração dos judeus e o seu estado florescente nos últimos tempos. Vv. 1-16. Esta profecia é contra Edom. A sua destruição parece ter sido uma tipificação, como a rejeição de Esaú, seu pai, e refere-se à destruição dos inimigos do Evangelho. Observemos a predição do êxito desta guerra; Edom será saqueado e derribado. Todos os inimigos da Igreja de Deus se decepcionarão com as coisas em que se firmaram. Deus pode facilmente abater a todos aqueles que magnificam e exaltam-se a si mesmos; e o fará.

A segurança carnal prepara o homem para a ruína, e faz com que a

ruína seja ainda pior quando chega. Os tesouros da terra não podem ser acumulados com segurança, porque os ladrões podem entrar e roubar; portanto, uma atitude sábia de nossa parte é acumular tesouros nos céus. Aqueles que depositam a sua confiança na carne mortal, armam-na contra si mesmos. O Deus de nosso pacto jamais nos enganará, porém, se confiamos nos homens a quem nos juntamos, podemos sair feridos e desonrados. É justo que Deus negue o entendimento, para que mantenha fora de perigo aqueles que não utilizam o entendimento para estarem distanciados do pecado. Toda a violência e toda a injustiça são pecados. Porém, a violência se torna demasiadamente agravada quando é exercida

Obadias (Comentário Bíblico de Matthew Henry)

2

contra aqueles que são parte do povo de Deus. A sua conduta bárbara contra Judá e Jerusalém foi carregada contra eles. Ao pensarmos em nós mesmos, é bom que consideremos aquilo que deveríamos fazer; e que comparemos aquilo que devemos fazer, com a regra bíblica. O pecado, assim contemplado no espelho do mandamento, parecerá excessivamente pecaminoso. Aqueles que são observadores pacíficos dos problemas de seu próximo, quando poderiam ser ajudadores ativos, têm muito pelo que responder. Aqueles que pensam que se enriquecem com a ruína do povo de Deus, na realidade empobrecem. E aqueles que chamam seu, a tudo aquilo em que são capazes de colocar as suas mãos em épocas de calamidades, enganam-se. Ainda que o juízo comece pela casa de Deus, não terminará ali. Que os crentes sofredores e os insolentes opressores saibam que os problemas dos justos logo se findarão, porém os dos ímpios serão eternos. Vv. 17-21. Haverá libertação e santificação em Jerusalém, e a casa de Jacó ocupará novamente as suas possessões. Muito desta profecia se cumpriu quando os judeus retornaram do cativeiro à sua terra, porém, nos parece que aqui também se pensa na salvação e na santidade do Evangelho, em sua propagação e na conversão dos gentios, e especialmente na restauração de Israel, na destruição do Anticristo, e no próspero estado da Igreja, do qual todos os profetas dão testemunho, Quando Cristo voltar, e não antes disto, será estabelecido o reino do Senhor no todo e no pleno sentido da palavra. Como não prosperará nenhum daqueles que se exalte contra o Senhor, e todos serão humilhados, assim, nenhum daqueles que serve ao Senhor, e deposita nEle a sua confiança, será jamais desenganado. Bendito seja o Salvador e Juiz divino no Monte sião! Para muitos, a sua Palavra será sabor de vida para vida, porém, julga e condena os incrédulos obstinados.