Você está na página 1de 10

Plano de Aula

Prof. Thiago Rogério Cavallari - Disciplina: Língua Portuguesa

Estrutura e Formação de Palavras / Parte 1

Conceitos básicos:
Observe as seguintes palavras:

escola
escolar
escolarização
escolarizar
subescolarização

Observando-as, percebemos que há um elemento comum a todas elas: a forma escol-. Além
disso, em todas há elementos destacáveis, responsáveis por algum detalhe de significação.
Compare, por exemplo, escola e escolar: partindo de escola, formou-se escolar pelo acréscimo do
elemento destacável -ar.
Por meio desse trabalho de comparação entre as diversas palavras que selecionamos,
podemos depreender a existência de diferentes elementos formadores. Cada um desses elementos
formadores é uma unidade mínima de significação, um elemento significativo indecomponível, a
que damos o nome de morfema.

Classificação dos morfemas:

Radical
Há um morfema comum a todas as palavras que estamos analisando: escol-. é esse morfema
comum – o radical – que faz com que as consideremos palavras de uma mesma família de
significação – os cognatos. O radical é a parte da palavra responsável por sua significação
principal.

Afixos
Como vimos, o acréscimo do morfema –ar cria uma nova palavra a partir de escola. De
maneira semelhante, o acréscimo dos morfemas sub- e –arização à forma escol-
criou subescolarização. Esses morfemas recebem o nome de afixos.
Quando são colocados antes do radical, como acontece com sub-, os afixos recebem o
nome de prefixos.
Quando, como –arização, surgem depois do radical os afixos são chamados de sufixos.
Prefixos e sufixos, além de operar mudança de classe gramatical, são capazes de introduzir
modificações de significado no radical a que são acrescentados.

Desinências
Quando se conjuga o verbo amar, obtêm-se formas como amava, amavas, amava,
amávamos, amáveis, amavam. Essas modificações ocorrem à medida que o verbo vai sendo
flexionado em número (singular e plural) e pessoa (primeira, segunda ou terceira). Também ocorrem
se modificarmos o tempo e o modo do verbo (amava, amara, amasse, por exemplo).
Podemos concluir, assim, que existem morfemas que indicam as flexões das palavras. Esses
morfemas sempre surgem no fim das palavras variáveis e recebem o nome de desinências. Há
desinências nominais e desinências verbais.

• Desinências nominais: indicam o gênero e o número dos nomes. Para a indicação de


gênero, o português costuma opor as desinências -o/-a:
garoto/garota; menino/menina.
Para a indicação de número, costuma-se utilizar o morfema –s, que indica o plural em
oposição à ausência de morfema, que indica o singular garoto e o plural garotos; garota/garotas;
menino/meninos; menina/meninas.
No caso dos nomes terminados em –r e –z, a desinência de plural assume a forma -es:
mar/mares; revólver/revólveres; cruz/cruzes.

• Desinências verbais: em nossa língua, as desinências verbais pertencem a dois tipos


distintos. Há aqueles que indicam o modo e o tempo (desinências modo-temporais) e aquelas que
indicam o número e a pessoa dos verbos (desinência número-pessoais):

QUADRO DAS DESINÊNCIAS MODO-TEMPORAIS (Indicam modo e tempo)

MODO INDICATIVO
TEMPOS 1ª CONJUGAÇÃO 2ª E 3ª CONJUGAÇÕES
Presente --- ---
Pretérito Perfeito --- ---
Pretérito Imperfeito VA / VE A/E
Pretérito Mais-que-perfeito RA / RE (átonas) RA / RE (átonas)
Futuro do Presente RA / RE (tônicas) RA / RE (tônicas)
Futuro do Pretérito RIA / RIE RIA / RIE
MODO SUBJUNTIVO
Presente E A
Pretérito Imperfeito SSE SSE
Futuro R R

FORMAS NOMINAIS
TEMPOS DESINÊNCIAS
Gerúndio NDO
Infinitivo R
Particípio DO, TO

QUADRO DAS DESINÊNCIAS NÚMERO PESSOAIS


(Indicam o número (singular/plural) e as pessoas (1ª, 2ª, 3ª) dos verbos)

FORMAS NOMINAIS
PESSOAS
SINGULAR PLURAL
1ª 2ª 3ª 1ª 2ª 3ª

Presente do Indicativo O S - MOS IS M


Pretérito Perfeito do Indicativo I STE U MOS STES RAM
Pretérito Imperfeito do Indicativo - S - MOS IS M
Pretérito Mais-que-perfeito do - S - MOS IS M
Ind.
Futuro do Presente do Indicativo I S - MOS IS O
Futuro do Pretérito do Indicativo - S - MOS IS M
Presente do Subjuntivo - S - MOS IS M
Pretérito Imperfeito do - S - MOS IS M
Subjuntivo
Futuro do Subjuntivo - ES - MOS DES EM
QUADRO DAS DESINÊNCIAS MODO-TEMPORAIS (Indicam modo e tempo)

MODO INDICATIVO
TEMPOS 1ª CONJUGAÇÃO 2ª E 3ª CONJUGAÇÕES
Presente --- ---
Pretérito Perfeito --- ---
Pretérito Imperfeito VA / VE A/E
Pretérito Mais-que-perfeito RA / RE (átonas) RA / RE (átonas)
Futuro do Presente RA / RE (tônicas) RA / RE (tônicas)
Futuro do Pretérito RIA / RIE RIA / RIE
MODO SUBJUNTIVO
Presente E A
Pretérito Imperfeito SSE SSE
Futuro R R
FORMAS NOMINAIS
TEMPOS DESINÊNCIAS
Gerúndio NDO
Infinitivo R
Particípio DO, TO

QUADRO DAS DESINÊNCIAS NÚMERO PESSOAIS


(Indicam o número (singular/plural) e as pessoas (1ª, 2ª, 3ª) dos verbos)

FORMAS NOMINAIS
PESSOAS
SINGULAR PLURAL
1ª 2ª 3ª 1ª 2ª 3ª

Presente do Indicativo O S - MOS IS M


Pretérito Perfeito do Indicativo I STE U MOS STES RAM
Pretérito Imperfeito do - S - MOS IS M
Indicativo
Pretérito Mais-que-perfeito do - S - MOS IS M
Ind.
Futuro do Presente do I S - MOS IS O
Indicativo
Futuro do Pretérito do Indicativo - S - MOS IS M
Presente do Subjuntivo - S - MOS IS M
Pretérito Imperfeito do - S - MOS IS M
Subjuntivo
Futuro do Subjuntivo - ES - MOS DES EM

Vogal temática
Observe que, entre o radical cant- e as desinências verbais, surge sempre o morfema –a.
Esse morfema, que liga o radical às desinências, é chamado de vogal temática. Sua função é ligar-
se ao radical, constituindo o chamado tema. É ao tema (radical + vogal temática) que se
acrescentam as desinências. Tanto os verbos como os nomes apresentam vogais temáticas.

• Vogais temáticas nominais: São -a, -e, e -o, quando átonas finais, como em mesa, artista,
busca, perda, escola, triste, base, combate. Nesses casos, não poderíamos pensar que essas
terminações são desinências indicadoras de gênero, pois a mesa, escola, por exemplo, não sofrem
esse tipo de flexão. É a essas vogais temáticas que se liga a desinência indicadora de plural: mesa-
s, escola-s, perda-s. Os nomes terminados em vogais tônicas (sofá, café, cipó, caqui, por exemplo)
não apresentam vogal temática.
Substantivos Substantivos Substantivos
terminados em: terminados em: terminados em:
a / as e / ES o /os
• Vogais temáticas verbais: São -a, -e e -i, que caracterizam três grupos de verbos a que se
dá o nome de conjugações. Assim, os verbos cuja vogal temática é -a pertencem à primeira
conjugação; aqueles cuja vogal temática é -e pertencem à segunda conjugação e os que têm
vogal temática -i pertencem à terceira conjugação.

primeira segunda terceira


conjugação conjugação conjugação
a e I
Verbos Verbos Verbos
terminados terminados terminados
em: em: em:
-ar -er -ir

Vogal ou consoante de ligação


As vogais ou consoantes de ligação são morfemas que surgem por motivos eufônicos, ou
seja, para facilitar ou mesmo possibilitar a leitura de uma determinada palavra. Temos um exemplo
de vogal de ligação na palavra escolaridade: o -i- entre os sufixos -ar- e -dade facilita a emissão
vocal da palavra. Outros exemplos: gasômetro, alvinegro, tecnocracia, paulada, cafeteira,
chaleira, tricota.

Estrutura e Formação de Palavras / Parte 2

Há em Português palavras primitivas, palavras derivadas, palavras simples, palavras


compostas. São elas:

Palavras primitivas: aquelas que, na língua portuguesa, não provêm de outra palavra.
Pedra, flor.
Palavras derivadas: aquelas que, na língua portuguesa, provêm de outra palavra.
Pedreiro, floricultura.
Palavras simples: aquelas que possuem um só radical.
Azeite, cavalo.
Palavras compostas: aquelas que possuem mais de um radical.
Couve-flor, planalto.
Obs.: As palavras compostas podem ou não ter seus elementos ligados por hífen.

Processos de formação de palavras:

Composição
Haverá composição quando se juntarem dois ou mais radicais para formar nova palavra. Há
dois tipos de composição; justaposição e aglutinação.

• Justaposição: ocorre quando os elementos que formam o composto são postos lado a
lado, ou seja, justapostos:
Para-raios, corre-corre, guarda-roupa, segunda-feira, girassol.

• Composição por aglutinação: ocorre quando os elementos que formam o composto se


aglutinam e pelo menos um deles perde sua integridade sonora:
Aguardente (água + ardente) / planalto (plano + alto)
Pernalta (perna + alta) / vinagre (vinho + acre)

Derivação por acréscimo de afixos


É o processo pelo qual se obtêm palavras novas (derivada) pela anexação de afixos à
palavra primitiva. A derivação pode ser: prefixal, sufixal e parassintética.

• Prefixal (ou prefixação): a palavra nova é obtida por acréscimo de prefixo.


In----------------feliz des----------leal
prefixo-----------radical prefixo-----------radical

• Sufixal (ou sufixação): a palavra nova é obtida por acréscimo de sufixo.


Feliz-------------mente leal-------------dade
radical-----------sufixo radical------------sufixo

• Parassintética: a palavra nova é obtida pelo acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo. Por
parassíntese formam-se principalmente verbos.
En------------------trist---------------ecer
Prefixo------------radical-----------sufixo
en----------------tard---------------ecer
Outros tipos de derivação
Há dois casos em que a palavra derivada é formada sem que haja a presença de afixos. São
eles: a derivação regressiva e a derivação imprópria.

• Derivação regressiva: a palavra nova é obtida por redução da palavra primitiva. Ocorre,
sobretudo, na formação de substantivos derivados de verbos. Observe:
jantar (substantivo)
deriva de jantar (verbo)

• Derivação imprópria: a palavra nova (derivada) é obtida pela mudança de categoria


gramatical da palavra primitiva. Não ocorre, pois, alteração na forma, mas tão somente na classe
gramatical. Observe:
mulher aranha (o adjetivo aranha deriva do substantivo aranha)
Não admito um não vindo de você! (o advérbio torna-se substantivo)

Outros processos de formação de palavras:


Hibridismo: é a palavra formada com elementos oriundos de línguas diferentes.
automóvel (auto: grego; móvel: latim)
sociologia (socio: latim; logia: grego)
sambódromo (samba: dialeto africano; dromo: grego)
Anexos

1 – Radicais Gregos

•acro (alto, elevado = acrobata, acrópole, acrofobia);


•aer, aero (ar = aeronave, aeronauta);
•agogo (o que conduz = pedagogo, demagogo);
•agro (campo = agronomia, agrônomo);
•alg, algia (dor, sofrimento = analgésico, nevralgia);
•andro (homem, macho = andrógino, androfobia);
•anemo (vento = anemógrafo, anemômetro);
•antropo (ser humano = antropocentrismo, antropofagia);
•arcai, arqueo (antigo, velho = arcaísmo, arqueologia);
•aristo (ótimo, o melhor = aristocracia, aristocrata);
•aritmo (número = aritmética, aritmologia);
•arquia (governo = monarquia, anarquia);
•asteno, astenia (fraqueza, debilidade = astenopia, neurastenia);
•astro (corpo celeste = astronomia, astrodinâmica);
•atmo (gás, vapor = atmosfera, atmômetro);
•baro (pressão, peso = barômetro, barítono );
•bata (o que anda = acrobata, nefelibata );
•biblio (livro = biblioteca, bibliotecário);
•bio (vida = biologia, biografia);
•caco (feio, mau = cacofonia, cacoépia);
•cali (belo = caligrafia, calidoscópio);
•cardio (coração = cardíaco, cardiograma);
•cefalo (cabeça = acefalia, cefaléia);
•ciclo (círculo = ciclometria, bicicleta, triciclo);
•cine, cinesi (movimento = cinética, cinesalgia);
•cito (célula = citologia, citoplasma);
•cosmo (mundo, universo = cosmovisão, macrocosmo);
•cracia (poder, autoridade = gerontocracia, tecnocracia);
•cromo (cor = cromogravura, cromógeno);
•crono (tempo = cronômetro, cronograma);
•datilo (dedo = datilografia, datiloscopia);
•deca (dez = decâmetro, decalitro);
•demo (povo = democracia, demográfico);
•derma (pele = dermatologista, dermite);
•di (dois = dissílabo, ditongo);
•dinamo (força, potência = dinamite, dinamismo);
•doxo (crença, opinião = ortodoxo, paradoxo);
•dromo (corrida = autódromo, hipódromo);
•eco (casa, domicílio, habitat = ecologia, ecônomo, ecossistema);
•edro (base, face = poliedro, pentaedro);
•ergo (trabalho = ergofobia, ergógrafo);
•esperma, espermato (semente = espermatologia, espermatozóide);
•etio, etimo (origem = etiologia, etimologia);
•etno (raça, nação = etnia, etnocentrismo);
•fago (que come ou aquele que come = antropófago, necrófago);
•filo (amigo, amante = fílósofo, filantropo);
•fisio (natureza física ou moral = fisiologia, fisionomia, fisioterapia);
•fobo (aversão = claustrofobia, xenofobia);
•fono (som, voz = fonógrafo, fonoteca);
•fos, foto (luz = fosfeno, fotografia);
•gamo (casamento = gamomania, monogamia);
•gastro (estômago = gastronomia, gástrico);
•gene (origem = gênese, genética);
•geo (terra = geografia, geóide);
•gine, gineco (mulher = andrógino, ginecocracia);
•gono, gonio (ângulo = polígono, goniômetro);
•grafia (escrita = ortografia, caligrafia);
•helio (sol = heliocentrismo, heliografia);
•hemo (sangue = hemorragia, hemograma);
•hepato (fígado = hepatite, hepático);
•hetero (outro, diferente = heterossexual, heterogêneo);
•hidro (água = hidrografia, hidrófilo);
•higro (umidade = higrômetro, higrófilo);
•hipno (sono = hipnose, hipnotismo);
•hipo (cavalo = hipódromo, hipopótamo);
•homeo, homo (semelhante = homeopatia, homossexual);
•icon, icono (imagem = iconoclasta, iconografia);
•ictio (peixe = ictiofagia, ictiologia);
•iso (igual = isóbaro, isósceles);
•latria (culto = idolatria, alcoólatra);
•lito (pedra = litografia, aerólito);
•log, logia (estudo = ginecologia, astrologia);
•macro (grande = macrocosmo, macrobiótica);
•mancia (adivinhação = quiromancia, cartomancia);
•mani, mania (loucura = manicômio, cleptomania);
•mega, megalo (grande = megalomaníaco, megalocefalia);
•meso (meio = Mesopotâmia, mesóclise);
•metro (que mede, medição = barômetro, termômetro);
•micro (pequeno = microcosmo, microfone);
•miso (ódio, aversão = misantropia, misossofia);
•mito (fábula = mitologia, mitomania);
•mnemo (memória = amnésia, mnemônico);
•mono (único, sozinho = monarquia, monobloco);
•morfo (forma = zoomórfico, amorfo, morfologia);
•necro (morte, cadáver = necrotério, necrofilia);
•neo (novo, moderno = neologismo, neolatino);
•neuro (nervo = neurite, neuralgia);
•nomo (regra, lei = nomologia, agrônomo);
•odonto (dente = odontologia, odontalgia);
•oftalmo (olho = oftalmologista, oftalmia);
•oligo (pouco = oligarquia, oligopólio);
•onimo (nome = ortônimo, sinônimo);
•onir, oniro (sonho = onírico, oniromancia);
•ornito (ave = ornitologia, ornitofilia);
•orto (reto, correto = ortônimo, ortografia);
•oxi (agudo, ácido = oxítona, oxidação);
•paleo (antigo = paleografia, paleontologia);
•pato (doença, sofrimento = patologia, patogenia);
•pedia (educação = ortopedia, pediatria);
•pole, polis (cidade = metrópole, acrópole, Florianópolis);
•poli (muito = poligamia, polígono, politeísmo);
•potamo (rio = Mesopotâmia, hipopótamo);
•pneumato (ar, gás, espírito = pneumatologia, pneumatólise);
•pneum(o) (pulmão = pneumonia, pneumotórax);
•proto (primeiro = protozoário, protótipo);
•pseudo (falso = pseudônimo);
•psico (alma, espírito = psicologia, psiquiatria);
•quiro ( mão = quiromancia);
•rino (nariz = rinite, rinoceronte);
•rizo (raiz = rizotônico, rizófago);
•scopio (o que faz ver = telescópio, microscopia);
•sema, semio (sinal = semáforo, semiótica);
•sidero (ferro, aço = siderurgia, siderografia);
•sismo (terremoto = sísmico, sismógrafo);
•sofo (sábio = filosofia, sofomaníaco);
•soma, somo, somato (corpo, matéria = cromossomo, somatologia);
•stico (linha, verso = dístico, hemistíquio);
•tanato (morte = eutanásia, tanatofobia);
•taqui (rápido = taquicardia, taquigrafia);
•teca (coleção = fonoteca, filmoteca, discoteca);
•tecno (arte, ofício = tecnologia, tecnocracia);
•tele (ao longe, distância = telefone, telescópio, telégrafo);
•teo (deus, divindade = teocentrismo, teocracia);
•termo (calor, temperatura = termômetro, térmico, termostato);
•topo (lugar, localidade = topografia, topônimo);
•xeno (estranho = xenofobia, xenofilia);
•xer, xero (seco, secura = xerófilo, xerografia);
•xilo (madeira = xilogravura, xilófago);
•zoo (animal = zoologia, zoomorfo).

2 – Radicais Latinos

•agri (campo = agricultura, agrícola);


•ambi (ambos = ambivalência, ambidestro, ambíguo);
•ambulo (caminhar, andar = sonâmbulo, noctâmbulo);
•animi (alma = animicida, anímico);
•arbori (árvore = arborícola, arboriforme, arboricultura);
•beli (guerra = bélico, belicista, beligerante);
•bi, bis (repetição, duas vezes = bisavô, bilíngüe, bissexual);
•calori (calor = caloria, calorífero);
•cida (que mata = vermicida, inseticida);
•cola (que habita, que cultiva = vinícola, citrícola);
•cole, colo (pescoço = colar, colarinho);
•color (cor, coloração = colorífico, quadricolor);
•cordi (coração = cordial);
•corn(i) (chifre, antena = cornear, cornudo, cornucópia);
•crimino (crime = criminoso, criminologia);
•cruci (cruz = crucificado);
•cultura (ato de cultivar = suinocultura, piscicultura);
•cupr(i) (cobre = cúprico, cuprífero);
•curvi (curvo = curvilíneo);
•deci (décimo = decímetro, decigrama);
•digit(i) (dedo = digitador, digitação);
•dui (dois = duidade, duelo);
•ego (eu = egocentrismo, egoísmo);
•equi (igual = equivalência, eqüidistante);
•estil(i) (estilo = estilista, estilismo);
•estrato (coberta, camada = estratosfera, estrato);
•evo (idade = longevidade, longevo, medievo);
•fero (que contém = mamífero, carbonífero);
•ferr(i), ferro (ferro = ferrovia, ferrífero, ferrugem);
•fico (que faz, que produz = benéfico, maléfico, frigorífico);
•fide (fé = fidelidade, fidedigno);
•fili (filho = filiação, filial);
•forme (forma = uniforme, disforme, cordiforme);
•frater (irmão = fraterno, fratricida);
•frig(i) (frio = frigidez, frigorífico);
•fugo (que foge = centrífugo, vermífugo);
•genito (relativo a geração = genitor);
•gradu (grau, passo = centígrado, graduação);
•herbi (erva = herbívoro, herbicida);
•homin(i) (homem = hominal, homicídio);
•igni (fogo = ignição, ígneo);
•lati (largo, amplo = latifúndio, latofólio);
•loquo (que fala = ventríloquo, altíloquo);
•luc(i) (luz = lucidez, lúcido);
•mini (muito pequeno = minissaia, mínimo);
•multi (numeroso = multissecular, multiangular);
•ocul(i) (olho = oculista, oculiforme);
•odori (odor, cheiro = odorífero, desodorante);
•oni (tudo, todo = onipresente, onisciente);
•pani (pão = panificadora);
•pari (igual = paridade, paritário);
•ped(i), pede (pé = pedestre, pedicuro, bípede);
•personal(i) (pessoal = personalidade, personificar);
•petr(i) (pedra = petrificar, petróleo);
•pisci (peixe = piscicultura, pisciano);
•plani (plano = planisfério, planície);
•pluri (muitos = pluralizar, pluricelular);
•pluvio (chuva = pluviômetro, pluviosidade);
•popul(o) (povo = populoso, populismo);
•primi (primeiro = primogênito, primícias);
•quadr(i), quadru (quatro = quadrangular, quadrúpede, quadricular);
•radic(i) (raiz = radicar, radiciação);
•reti (reto, direito = retificar, retilíneo);
•reti (rede = reticulado, retiforme);
•retro (movimento para trás = retroceder, retroagir);
•sabat(i) (sábado = sabatina, sabatismo);
•sacar(i) (açúcar = sacarífero, sacarose, sacarina);
•sesqui (um e meio = sesquicentenário, sesquipedal);
•sexi, sexo (sexo = sexologia, assexuado);
•sideri (astro = sideral, sidério);
•silvi (selva = silvícola, silvicultura);
•sino (da China = sinologia, sino-brasileiro);
•socio (sociedade = sociologia, sociolingüística);
•sono (som, ruído = sônico, sonoplastia);
•sudor(i) (suor = sudoríparo, sudoral);
•telur(i) (terra, solo = telúrico, telurismo);
•toni (tom, vigor = tônico, tonificar);
•toxico (veneno = toxicomania, toxina);
•triti (trigo = triticultura, triticultor);
•veloci (veloz = velocípede, velocímetro);
•vermi (verme = vermífugo, vermicida);
•vin(i) (vinho = vinicultura, vinícola);
•vitri (vidro = vitrina, vitrificar, vitral);
•voto (que quer, que deseja = malévolo, benévolo);
•voro (que devora = carnívoro, herbívoro).