Você está na página 1de 4

O mecanismo da sociedade democrática liberal para perdura as diferenças sociais entre negros

e brancos... Integração do Negro 2 pag 4 (revolução dentro da ordem talvez proposto por
Nabuco) talvez o crime é uma revolução fora da ordem

Durkein as regras... pag 3 sobre a herança social de tudo que já existe vindo de fora podemos
entender isso por sociologia, sofrendo sanções se agimos diferente talvez esmagando nosso
coletivo... Com isso seria inevitável a continuidade da linha evolutiva? Trazendo o elemento
coerção da história...

Pag 4 fato social existe quando existe organização, influência?

Fato social é reconhecido pelo poder de coerção

A sociologia substrato da vida coletiva pag8

A vinda do italiano e vivendo junto com o negro no Brasil alimentou um sonho de ascensão do
negro pois o branco italiano conseguia sua ascensão e o negro se via propenso a conseguir
também talvez ai vemos uns dos mitos da democracia racial sobre pretexto de igualdade, pois
a situação dos italianos já é difente pelo simples fato de ser livre no passado e ter um histórico
de trabalho ao contrário do negro ( integração 2 pag 8) antes subir era ser doutor agora com a
DIT se proliferou possibilidades (POUPANÇA, SOLIDARIEDADE E SACRIFICIO) – ESTIGMAS DO
CAPITALISMO? – com essa integração cria-se novos horizontes para o homem urbano fazendo
do s movimentos sociais uma inserção na sociedade de classe deixando-se de ser antagonico

AS VÁRIAS FACES DA LUTA POLITICA e CULTURAL, é a priori uma luta hetereogenia, com
peculiaridade que pode ser vista a com por exemplo a diversidade de etnias que migraram
para a cá no tempo da escravidão por isso torna-se uma dificuldade a aceitação da cultura
brasileira como das índios, brancos e negros pois esses por si só já possuem uma diversidade
de caracteristicas. Talvez nos interessaria então acharmos quais culturas dessas três se
sobressaíram cada uma dentro do seu universo... Isso não necessariamente corresponde ao
avançado ou mais forte, talvez nossa própria incapacidade de caracterizarmos uma cultura ela
se torna invisível aos olhos da ciência

Escravidão nos estados unidos acabou devido a guerra civil e França revolução (18 joaquim
Nabuco) Russia e Lincon(EUA)

Pretende-se nessa dissertação abordadas as diversas revoluções brasileiras provinda das


classes populares como uma forma de mostrar o Brasil visto das camadas populares tão
pensada por diversos pensadores como Sérgio Buarque de Holanda, relato a no documentário
Raízes do Brasil sua mulher diz que o seu próximo livro seria sobre a visão do oprimido sobre
as coisas. Desvendar essas revoluções é dar voz e história a classe oprimida a qual neste
momento oportuno da história entre lei 10.639 da temática Negra, entre outras politica vem a
descobrir uma parte da história contada sempre na visão Eurocentrica

É importante salientar que as classes populares possuem uma heterogeneidade caractérista de


qualquer grupo, citando por exemplo o que podemos a pontar com berço das camadas
populares do Brasil: os negros, a Africa possuem diversas civilizações como apontando Gilberto
Freyre na Página 346, com isso a construções da camadas populares aqui no Brasil já provinha
de uma diversidade étnica e cultural que por sua vez justifica-se a pluralidade, diversidade e as
vez contraditórias das lutas populares brasileiras.

Há Heteregeneidade por exemplo vem da luta iniciada por Ganga Zuma rei na construção de
Palmares, contestada pelo seu sobrinho Zumbi após acordo com os portugueses

Não pretendemos desclassificar outras lutas provinda de outras classes porém é atráves dessa
reflexão pretendemos da força lutas desqualificada na pesquisa acadêmica,

Cangaço, Males, Chico Rei, Inconfidência, lutas dos emboabas, Revolta dos
Cabanos (Verificar procedência)

Um capitulo pode ser destinado como na pag 353 de Casa grande e Senzala e Nota 23 pag 436,
falando-se da influência do ambiente sobre a biologia atuando-se assim sobre a pigmentação
pele em “Estudo sobre as alterações da forma do corpo imigrante” Franz Boas fala-se disso

Essa discussão por volta da genética ocupou grande discussão no inicio do século XX, o que
podemos dizer e problematizar, é justamente a luta negra hoje não a respeito exclusivamente
a cor da pele mas sim a luta de classes apontada por Florestan Fernandes.

O que podemos esclarecer que as politicas sociais tem que se pensar em meio de tratamento
de pessoas por iguais sem distinção da cor da pele, mas um ponto importante e as vezes
serves de argumentos de classes(QUEM?) que não concordam com as politicas de cotas. É
justamente olhar para o conceito histórico que se construiu através de politicas e ações que
hoje podemos entender como racistas, como as leis escravistas direcionada diretamente a
negros e indígenas. E hoje como forma de reparação e integração de etnias vindo do processo
migratório do Brasil que hoje podemos entender como parte essencial da raça brasileira, é a
inclusão e “privilégio” de etnias excluídos do passado, que contribuíram efetivamente na
construção econômica e cultural do país, porém os frutos colhidos dos bem estar econômico a
priori, é exclusivo do colonizador

Proposta: relações entre Palmares e guerra de Canudos

É CURIOSO NOTAR QUE NOSSAS REFORMAS POLITICA SEMPRE VIERAM DE CIMA PRA BAIXO –
Raizes do Brasil pag. 160

Elite males pag 363 – casa grande senzala

Os escravos exerceram uma função civilizatória no Brasil, devido as casamentos de brancos


com negras entre outros pag 364 e antes casa grande

Práticas metalúrgicas e de gado origem africana pag 365 casa grande

Tecnica africana - 365

O que é Educação quais valores devem ser suplantado a tão sonhada educação? O que ensinar
o que o povo já sabe e não é valorizado – O mito da Educação ( TOPICO Dissertação) (
Reflexoes raízes pag. 165 e o Homem Cordial

Para crescer o Brasil precisa de aprovação dos outros ( pag 166. Raizes)
Trecho retirado do programa Mestrado da UNIFESP “Pensamento politico e social estado e
ação coletiva”:(Provavel linha de pesquisa
Finalmente, a terceira vertente, que tem como foco a ação coletiva, relaciona-se à
mobilização de grupos sociais, sejam eles definidos a partir de um recorte de classe
(organização sindical, partidária, etc.), de recortes identitários (de gênero, étnico, de
localidades) ou de outras fronteiras culturais de várias ordens, incluindo a questão
ambiental, etc. Essa área de investigação é, acreditamos, central para a compreensão mais
aprofundada da relação entre Estado, nação e sociedade, como também da relação entre
Estado, sociedade e indivíduo - como cidadão, portador de direitos e agente de deliberação.

As pesquisas sobre as relações entre formas de ação coletiva e Estado abrangem um


conjunto de preocupações que, envolvendo as dimensões sócio-econômicas, políticas,
ideológicas e culturais da vida social, suscitam a reflexão sobre desigualdades sociais,
direitos da cidadania, desenvolvimento sócio-econômico, transformações do mundo do
trabalho, mudanças sociais relacionadas ao aquecimento global, desigualdades urbanas e
regionais associadas aos processos de urbanização e metropolização, entre outras questões
relevantes. Mais uma vez, vale lembrar a relação dessa vertente com a primeira: o
pensamento, ou o debate de idéias, é fundamental para a configuração da ação coletiva na
sociedade civil, notadamente por sua apropriação sob a forma de ideologias, que levam à
mobilização dos agentes sociais nas arenas públicas

Acredito que a partir disso podemos talvez ter um um vislumbre de descoberta de qual tema
será proposta para o mestrado

Florestan Fernandes pag 18 Integração do negro I - após a abolição da escravatura tudo


aconteceu para substituir a mãe de obra escrava, pela mão de obra imigrante ( com incentivo
do governo) desse modo não ouve uma reparação por parte do Estado, e a imigração torna-se
um mal

A questão da liberdade do capitalismo encontrou discurso pronto do governo brasileiro


deixando que o próprio mercado regule a competição entre imigrantes e escravos – florestan
pag 19

Possiveis livros:

O Exercito e a Abolição ,A Defesa Nacional .n


738,jul/ago,1988.p.7/37.

BLOCH EDITORES. História do Brasil. Rio de Janeiro, 1976.

ENNES, Ernesto. As guerras dos Palmares. São Paulo: Cia Ed.


Nacional. 1938

(Português, funcionário do Arq. Hist. Colonial de Lisboa .

FREITAS, Mario Martins de. Reino negro de Palmares. Rio de


Janeiro: BIBLIEX,
1954 (Trata-se de oficial Veterano da FEB, já falecido).

PEDROSA, José Fernando Maia. Quilombos e negritude a serviço da


ideologia. A

Defesa Nacional, 1988.

Nesse tópico resisto à tentação de indicar o clássico O abolicionismo (1883), de Joaquim


Nabuco, e deixo de lado alguns estudos contemporâneos, para ficar com a síntese
penetrante e clara de Kátia de Queirós Mattoso, Ser escravo no Brasil (1982), publicado
originariamente em francês. Feito para público estrangeiro, é uma excelente visão geral
desprovida de aparato erudito, que começa pela raiz africana, passa à escravização e ao
tráfico para terminar pelas reações do escravo, desde as tentativas de alforria até a fuga e a
rebelião. Naturalmente valeria a pena acrescentar estudos mais especializados, como A
escravidão africana no Brasil (1949), de Maurício Goulart ou A integração do negro na
sociedade de classes (1964), de Florestan Fernandes, que estuda em profundidade a
exclusão social e econômica do antigo escravo depois da Abolição, o que constitui um dos
maiores dramas da história brasileira e um fator permanente de desequilíbrio em nossa
sociedade.

Entre descobertas sobre a tese venho hoje intrigado em encontrar o cerne do pensamento
capitalista em minha monografia pagina 22, surge um uma idéia do progresso como
ferramenta de controle das diferenças sociais

O capitalismo como é hoje vem da utopia de desenvolvimento de todos, porém como pós
revolução burguesa que desde sempre explorou outras nações como sua própria população
o argumento de desenvolvimento cai por terra

Reler Furtado citado na Monografia na página acima

Imperalismo social - Alemanha Cecil Rhodes 117 a era do império

Dois temas abre outra possibilidade para o projeto de mestrado um relacionado diretamente a
formação do individuo brasileiro em um perpectiva um tanto anárquica aveso as leis, com
talvez explicar essa relação entre e leis que rege o estado e consonância com o individuo

Trabalhar sobre as politicas afirmativas hoje proposta pelo governo federal, tratando de
equiparar oportunidade entre ricos e pobres