Você está na página 1de 17

Química básica

Química orgânica: estuda os compostos que têm o elemento Carbono (C)

Colesterol Alanina

Química inorgânica: estuda os demais compostos. NaCl (cloreto de sódio); HNO3 (ácido
nítrico), HCl (ácido clorídrico – secretado no suco gástrico)

Conceitos e definições:
Universo: é constituído de matéria e energia

Matéria: do latim Materia que significa aquilo de que uma coisa é feita. É tudo aquilo que
ocupa espaço e tem peso. As rochas, a água e o ar são exemplos de matéria. Matéria pode
ser encontrada em qualquer estado físico (sólido, líquido ou gasoso). Pode ser composta
por um elemento ou por uma combinação de elementos.

Elemento: é uma substância que não pode ser reduzida a uma forma mais simples por
meios químicos. Ex.: Ferro, Carbono, Oxigênio, Cobre.

Composto (ou Substância química): é uma combinação química de dois ou mais elementos
iguais ou diferentes. Eles formam as moléculas (por ligações covalentes) ou os compostos
iônicos (por ligações iônicas). Ex.: água e sal de cozinha.

Molécula ou Composto iônico: é a menor parte de um composto que tem todas as


características deste. Cada molécula/ composto iônico contém algum ou alguns dos átomos
de cada elemento que o forma. Ex.: H2O, NaCl.

Átomo: palavra de origem grega que significa: a (não) e tomos (cortar ou dividir) = não
divisível. É a menor parte na qual um elementos pode ser dividido (por meios físicos) e
ainda manter suas propriedades originais. Um átomo é composto por partículas
fundamentais: prótons, nêutrons e elétrons. A quantidade e distribuição dessas partículas
determinam o tipo de elemento.
Massa atômica: A massa do átomo de um dado isótopo (também chamada de peso
atômico) é a massa deste átomo em seu estado fundamental. Esta massa é expressa em
unidade de massa atômica (representada pelo símbolo uma ou simplesmente u).

Massa molar (M)ou massa molecular (MM): é a soma das massas atômicas de cada átomo
que forma a respectiva molécula, expressas em: massa molar: g/ mol e massa molecular: u.

Mol: é a quantidade de entidades elementares ou moleculares contidas em um átomo ou


uma molécula. Relacionado à constande de Avogadro (6,02 x 1023). Ou seja 1 mol de
moleculas = 6,02 x 1023 moléculas.

Modelo Atômico Atual (Bohr 1913)

• Segundo o modelo atômico atual:

– Prótons (p+): localizam-se no núcleo, carga positiva. É a partícula que


caracteriza o elemento.

– Nêutrons: localizam-se no núcleo, sem carga elétrica

– Elétrons (e-): ao redor do núcleo, em camadas chamadas órbitas ou eletrosfera


(pode ser até 10 mil X maior que o núcleo); um átomo pode ter até 8 camadas,
carga negativa

Os nºs de prótons (+) e elétrons(-) em um átomo são iguais, de maneira que este
seja eletricamente neutro (nem +, nem -). Nº ELÉTRONS = Nº PRÓTONS
1
Ex.:

• Número atômico (Z): é o número que indica a quantidade de prótons existentes no


núcleo de um átomo. Z = p (= e)

• Nº de massa (A): é a soma do nº de prótons (p) e do número de nêutrons (n)


presentes no núcleo do átomo (os elétrons não são contados pois apresentam massa
desprezível). A = p + n

Cálcio (Ca): Z = 20; A = 40; A = p + n --> 40 = 20 + n --> n = 20

Carbono (C): Z = 6; A = 12; A = p + n --> 12 = 6 + n --> n = 6

• Camadas eletrônicas: são a órbitas onde os elétrons se localizam ao redor do núcleo.


Existem 7 camadas eletrônicas, cada uma acomoda um número máximo de elétrons.

K L M N O P Q

2 8 18 32 32 18 2
Menor energia/ Maior atração pelo núcleo Maior energia/ Menor atração pelo núcleo

• Camada de valência: é a camada mais externa de um átomo (elétrons na camada de


valência possuem menor atração pelo núcleo e estão sujeitos à “saltarem” para
outros átomos ou a serem compartilhados). É a camada de valência que “permite” as
ligações químicas.

• Principais elementos químicos (Z) que compõem as moléculas bioquímicas: C(6),


H(1), O(8), N(7), Na(11), K(19)

• Representações dos elementos químicos:


A ou zXA 23 Na 23
zX 11 ou 11Na

2
Distribuição eletrônica
 Segundo o modelo atômico de Bohr, os elétrons estão distribuídos em
órbitas circulares ao redor do núcleo. Os elétrons nas órbitas mais
afastadas apresentam maior quantidade de energia e estão mais sujeitos a
saltarem para órbitas mais externas (são 7 camadas, K menor energia, Q
maior energia).

 Existem ainda os subníveis de energia (como se cada camada tivesse várias


subcamadas, raias mais finas).

 O nº de cada nível indica a quantidade de subníveis existente (o nível 1


tem 1 subnível, o 3 tem 3 subníveis...). Os subníveis são representados
pelas letras:

menor energia s, p, d, f, g, h maior energia

energia crescente

 Elétrons de um mesmo subnível contêm a mesma quantidade de energia.


Os elétrons se distribuem pela eletrosfera ocupando o subnível de menor
energia possível.

 Para entender como os elétrons estão distribuídos ao redor do núcleo,


Linus Pauling propôs o diagrama. Cada subnível acomoda no máximo a
seguinte quantidade de elétrons:

s p d f g h (g e h são teóricos)

2 6 10 14 18 22

3
Ex.: 20Ca : 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2subnível mais afastado 4s2 (maior Energia)

K L M N 4 camadas, 2 elétrons na camada de valência N = 2

25Mn : 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d5subnível mais afastado 3d5 (maior Energia)

K L M N M 4 camadas, 2 elétrons na camada de valência N = 2

8 O: 1s2 2s2 2p4subnível mais afastado 2p4 (maior Energia)

K L2 camadas, 6 elétrons na camada de valência L = 6

Camada número de elétrons subcamadas


K 2 1s
L 8 2s e 2p
M 18 3s, 3p e 3d
N 32 4s, 4p, 4d e 4f
O 32 5s, 5p, 5d e 5f
P 18 6s, 6p e 6d
Q 2 7s 7p

4
Tabela periódica

• Em 1869 Mendeleev propôs a tabela periódica que se tornou a base da


tabela atual

• Os elementos foram organizados em ordem crescente de nº atômico (Z),


pois as propriedades dos elementos se repetem de maneira periódica
nessa ordem (Lei de Moseley)

• Propriedades periódicas dos elementos: (que se repetem periodicamente):


eletronegatividade, raio atômico, ponto de fusão e ebulição, potencial de
ionização, afinidade eletrônica.

• Propriedades aperiódicas dos elementos (que não se repetem


periodicamente) aumentam de acordo com o número atômico: massa
atômica (A), calor específico.

• Os períodos (na horizontal, são 7) representam a quantidade de níveis de


energia ou camadas e os grupos (na vertical, são 18) reúnem elementos
químicos com a mesma configuração eletrônica na última camada (mesmo
número de elétrons)

• Alguns grupos possuem nomes específicos:

Família 1 (1A) - Alcalinos

Família 2 (2A) - Alcalino-terrosos

Família 13 (3A) - Família do boro


Família 14 (4A) - Família do carbono

Família 15 (5A) - Família do nitrogênio

Família 16 (6A) - Calcogênios


Família 17 (7A) - Halogênios

Família 18 (Zero) - Gases Nobres

5
 Para nosso estudo, em bioquímica, podemos observar pela tabela
periódica o número de camadas e o número de elétrons na última camada
(sem necessidade de fazer a distribuição por Linus Pauling)

6
7
Substâncias químicas
 Conjunto de elementos químicos que se unem por meio de ligações
químicas a fim de estabilizarem-se.

 Os gases nobres são os elementos que encontram-se sozinhos na


natureza, sem estarem ligados a outros elementos. Todos os demais
elementos estão sempre ligados a um ou mais elementos, como se assim
estivesse “estáveis”. A partir da percepção desses fatos, definiu-se a regra
do octeto:

 Regra do octeto: um átomo está estável quando possui 8 elétrons na


camada de valência ou seja, a mesma configuração eletrônica dos gases
nobres. Exceção: 2 elétrons se a camada for a primeira (como o Hélio e o
Hidrogênio)

 Os elementos precisam fazer um certo número de ligações químicas para


ficarem estáveis (com 8 e na camada de valência):
Elemento
C H O N K Na
Nº elétrons
4 1 6 5 1 1
na camada de
valência

Nº ligações
4 1 2 3 1 1
químicas

Tipo de Covalente Covalente ou Covalente ou Covalente ou Iônica Iônica


ligação Iônica Iônica Iônica

Metais Tendem a perder e 1 a 3 e na camada de valênica

Não metais Tendem a receber e 5 a 7 e na camada de valênica

Hidrogênio Recebe 1 e 1 e na camada de valência

 Exemplos de substâncias químicas: (oxigênio, cloro, água, glicose, sal, cal)

 O2 Cl2 H2O C6H12O6 NaCl CaO


8
Ligações químicas
Iônica:

 Ocorre entre metal e não metal (uma quer perder outro quer receber e)

 há doação e recepção de elétrons

 Há formação de íons: cátion (íon de carga positiva) e ânion (íon de carga


negativa)

Cátion Átomo que perde e Carga positiva +

Ânion Átomo que ganha e Carga negativa -

(representada somente a camada de valência nos esquemas)

 Sempre há diferença de eletronegatividade entre os elementos. A


eletronegatividade é a capacidade que um elemento tem de atrair elétrons (e).
Quanto maior a eletronegatividade, maior essa capacidade. Logo, se um
elemento tem eletronegatividade maior e outro menor, o que ocorre é a
passagem dos elétrons do de menor para o de maior eletronegatividade (na
ligação iônica). A eletronegatividade é uma propriedade periódica, e varia da
seguinte maneira:

9
Covalente:

 Ocorre entre não metais (ambos querem receber e)

 os átomos compartilham os elétrons (e) para completarem a última camada


eletrônica

 não forma íon, pois não há perda ou recepção de e

 pode ou não haver diferença de eletronegatividade, podendo formar


compostos polares (com polos, quando há diferença de eletronegatividade) ou
apolares (sem polos, quando não há diferença de eletronegatividade).

Óxido de Enxofre I – ligação covalente apolar (S e O possuem eletronegatividade semelhante)

Água: ligação covalente polar (H e O possuem


eletronegatividade diferente)

Átomos ligados com eletronegatividade parecida não polarizam as cargas, formando moléculas
apolares:

Ex.: O2O=O e triglicerídeo:

10
Interações Moleculares
 São forças que ocorrem entre compostos e moléculas de uma substância sólida
ou líquida, que não são ligações verdadeiras (são mais fracas que as ligações).

 Quanto maior a força de atração entre elas, maior a coesão entre as moléculas
ou compostos, aumentando o ponto de fusão e ebulição da substância.

Principais interações:

- Forças de Van der Waals:variam conforme a natureza das partes (se são moléculas
polares, apolares ou compostos iônicos). Podem ser mais fracas ou fortes,
dependendo deste fator.

- Pontes de Hidrogênio: não são ligações verdadeiras, são forças que ocorrem
quando um átomo de H ligado a um O, F ou N é atraído por um átomo de O ou N de
outra molécula ou de outra parte da mesma molécula.

11
Essa atração ocorre devido à diferença de eletronegatividade desses elementos.
- A eletronegatividade é a capacidade que um elemento químico tem de atrair os
elétrons para próximo de si. Quanto mais eletronegativo, maior a força de atração
deste elemento pelos elétrons ao seu redor (o oposto também é verdadeiro: menos
eletronegativo, menor força).
- Em uma ligação covalente, os elétrons envolvidos serão atraídos para perto do
elemento mais eletronegativo. Mas se não houver diferença de eletronegatividade,
os elétrons ficarão no centro da ligação.
- Com o acúmulo dos elétrons é formada uma “nuvem eletrônica” com carga
negativa, e o outro pólo, em que não estão os elétrons, fica com carga positiva
(devido à predominância dos prótons, de carga positiva) = formação de pólos.

12
Polaridade

Uma característica importante das moléculas é o caráter polar/apolar, que


resulta no comportamento hidrofílico/hidrofóbico.
Para ser polar, a molécula deve possuir átomos eletronegativos (como F, O
e N) ligados à atomos eletropositivos (como H). A água é um exemplo de
molécula polar e forma pontes de hidrogênio com ela mesma, causando
arranjos ordenados, como visto a seguir.

Moléculas formadas por átomos com eletronegatividade parecida ou igual


formam moléculas apolares, pois não são capazes de formar pólos.

Ex.: O2 (O=O)
CO2 (O=C=O)
Eletronegatividade dos elementos (quanto maior a diferença de
eletronegatividade maior a polarização):

• F O N Cl Br I S C P H

mais eletronegativo menos eletronegativo

13
A formação dos pólos + e - nas moléculas POLARES permite a atração
entre moléculas POLARES, denominadas pontes de hidrogênio. Assim o pólo + é
atraído pelo pólo -, ocorrendo uma interação:

Isso ocorre com a molécula de água:

Ex.:

H H
| |
H OH OH OH
| |
OH H
H H há pontes de hidrogênio
| | entre as moléculas
HO HO HO HO de água
| |
H H

Solubilidade de moléculas
“Semelhante dissolve semelhante”

 Substâncias polares dissolvem bem outras substâncias polares, ou seja, dissolvem em


água = HIDROFÍLICAS

Ex.: NaCl (sal), C6H12O6(glicose), álcool (-OH)

- as substâncias iônicas (que formam cátions + e ânions -) também são solúveis em água.

14
* essas substâncias solubilizam-se por meio de interações como Pontes de hidrogênio ou
Forças de Van der Waals – não são ligações químicas, portanto são mais fracas e podem ser
rompidas com certa facilidade (como na mudança de estado físico)

(em vermelho O (carga -) e em branco H (carga +))

 Substâncias apolares dissolvem bem outras substâncias apolares, ou seja, não


dissolvem em água = HIDROFÓBICAS

* ocorre por meio de interação chamada Força de Van der Waals, moléculas apolares
quando se aproximam tendem a ser aproximarem originando pólos momentâneos

Ex.: querosene, óleo de cozinha, éter (-OR), triglicerídeos, colesterol (C27H46O), gasolina

A união de substâncias resultam em misturas, ou soluções, que podem ser:

- homogêneas: em que visualizamos apenas uma fase, com cor e textura iguais
em todas as partes; (lembrar da preparação das soluções de NaCl e de glicose –
aula prática).

Ex.: POLAR + POLAR ou APOLAR + APOLAR

- heterogêneas: em que visualizamos mais de uma fase, com cor e textura


diferentes em pontos diferentes da mistura; (lembrar da mistura de água e
óleo)

Ex.: POLAR + APOLAR

15
16