Você está na página 1de 8

Chefe de Linha Sr.

Omolu
Cor Preto e Branco
Ervas Arruda, alecrim, Guiné, Capim Rosário,
Eucalipto
Otim café, cachaça c/ mel
Símbolo cruzeiro, cruz, estrela de salomão
Flor Flores Brancas
Fruta Todas
Essência Arruda
Mineral pemba

Dia segunda feira


Data 13/05
Comida virado de feijão, feijoada, doces caseiros
(tudo o que a boca come..)
Saudação adorei as almas! Angorô
Chamada
Firma ponto minha gente
Preto Velho vai chegar
Ele vem de Aruanda
Ele vem pra trabalhar,
Sarava Pai Joaquim,
Sarava Sarava, sarava,
Ele vem de Aruanda, ele vem nos ajudar,
Sarava o Pai Jerônimo
Sarava, sarava, sarava
Saravá Vó Benedita...
(nomes)
Ainda bem não era dia,
Papai mandou chamar,
Firma cabeça meus filhos,
Que tem Pretos pra chegar.
E vem preto velho,
Descendo do céu,
E Nossa Senhora,
Cobrindo com o véu.
Saudação
A é a e a minha Angola
Ae ae meu Meu Angolá
Aue meu cativeiro
Meu cativeiro meu cativerá
Aue meu cativeiro, meu cativeiro
Meu cativerá
Preto velho
Tava cansado ia pra senzala
Batia o tambor
Preto velho dava viva a iaiá
Dava viva a sinhá
Dava viva ao sinhô
Bate tambor lá na Angola
Bate tambor
Bate tambor lá na Angola
Bate tambor
Benedito – (bate tambor)
Pai Joaquim – (bate tambor)
Pai José (bate tambor)
Pai Mane (bate tambor)
Bate tambor lá na Angola
Pai João
Pai José
Pai Francisco

Pai Cambinda
Porque que que vc não bate
Tambor la na Angola
Bate tambor...
Olha ai vc tem que
Bater tambor la na Angola
Saravá os preto velho,
Saravá o seu congá,
Eles vem lá de aruanda,
Eles vem trabalhar,
Com suas mirongas,
E seus patuá,
Saravá os pretos velhos,
Na fé de Oxalá.
Tizorere, orere, orerá,
Tizorere, orere, orerá,
Os pretos velhos,
Quando vem pra trabalhar,
Vem trazendo a sua gente,
Para todo o mal levar,
Ago, ago,
Vem saravá filhos de Umbanda,
Ago, ago,
Vem saravá nesse congá,
Saravá eles,
Como chefe do terreiro,
Saravá eles com todos,
Seus companheiros.
Na sua urucaia
Tem quibombô
Na sua urucaia
Tem mungunzá
Na sua urucaia
Vovó da Bahia
No seu patuá
Tem sua urucaia
Meu Senhor do Bonfim saravou
Na sua urucaia
Cadê a sua pemba cade
Cadê a sua guia
É nagô é É nagô é
É nagô é - bis
Se ele é filho de nagô seu padrinho é São José - bis
Preto na senzala bateu sua caixa deu viva a iaia
Preto na senzala bateu sua caixa deu viva a ioio - bis
Viva iaia, viva ioio, viva Nossa Senhora
O cativeiro já acabou
Ponto Riscado
Preto Velho tá quebrado
De tanto trabalhar
Preto velho tá cansado
De tanto curimbar – bis
Canta ponto

Risca pemba
Que é longa a caminhada
Quem tem fé tem tudo
Quem não tem fé - bis
Não tem nada
Preto velho que nasceu no cativeiro,
Hoje desce no terreiro,
De cachimbo e pé no chão,
Oi, pega na pemba, risca ponto,
Faz mironga,
Saravá Maria Conga,
Saravá meu Pai João.
Ponto Riscado
Oie Senhor Macutá –4x
Ele vem da Angola
Senhor Macuta
Chegou agora
Senhor Macuta
Com a mão na pemba
Senhor Macutá
Alcançou vitória
Senhor Macutá
Saudação e Segurança
Eu já plantei café de meia,
Eu já plantei canavial,
Café de meia não da lucro,
Sinhá dona,
Canavial marafo dá,
Deus abençoe os pretos velho,
Na porteira do congá.
Pai Serafim
Pai Serafim vem no meio das flores
Olhando o céu
Beirando o mar – bis
Ele é preto velho de umbanda
Que vem de Aruanda para nos salvar
Pai Guiné
É o vento que balança a folha , Guiné - bis
É É é Pai Guiné
É o vento que balança a folha
Corta Demanda e Trabalho Preta Velha
Ô Preta Velha você não me engana
Amarra a saia com palha de cana – bis
E o cigarro que ela fuma é de palha
De Aruanda
E o marafo que ela bebe
Vai vencer toda a demanda
Proteção – Corta Demanda

Trabalho
Vovó tem sete saias,
Na última saia,
Tem mironga,
Vovó veio de angola,
Pra salvar filhos de Umbanda,
Com seu patuá,
E a figa de guiné,
Vovó veio de Angola,
Pra salvar filhos de fé.
Tudo o que eu peço
A vovó ele faz
Também o que eu peço a vovô
Ele faz - bis
O que eu quero mais, o que eu quero mais – bis
Ele é rei de Aruanda
Mas vovó também manda
Quando os dois pedem juntos
Ninguém me passa pra traz.
O que eu quero mais, o que eu quero mais...
Cura
Ele é Preto Velho
Preto sim senhor
Ele é Preto Velho, Meu Filho
Nego rezador
Sentado no toco
Ele vem trabalhar
E a sua doença , meu filho
Ele vai levar
Cura
Deixei me cachimbo no toco,
Mandei o moleque buscar,
Na hora da derrubada,
Meu cachimbo ficou lá.
Que pedra linda e bonita
Que Xangô mandou buscar – bis
Eu tenho ordem de Zambi
Prá trazer pra este congá
Quem é que estava doente
Que mandaram me chamar – bis
Já tenho ordem de Zambi
Prá curar neste Congá
Pai Congo
Pisa na linha de Congo
Meu filho, filho meu
Pisa na linha de Congo
Devagar, filho meu – bis
Pisa na linha de Congo
Destemido filho meu
Pai Congo trabalha na Umbanda para lhe ajudar
Olha a Conga a girar
Arriou na linha de Congo
É de Congo é de Congo aruê

Arriou na linha de Congo


Trabalha que eu quero ver
Congo, Rei Congo
Congo chegou
Congo é maravilha
No terreiro saravou
Congo ê congo ê congo de sassaravá – bis
Congo de sassaravá
Segura seus filhos que Deus é maior
É congo é um belê
Um belê é Rei de Congo
É congo é um belê
Bele é um naruê
É congo é um bele
Bele é rei de congo
É congo é um bele
Bele e um narue
É congo é um bele
Bele é rei de congo
É congo é um bele
Lé lé lé leô
Rei de Congo lé lé
Rei de Congo leleô
Senhora do rosário foi quem me trouxe aqui – bis
A água do mar é santa
Eu vi eu vi eu vi – bis
Caminhou caminhou
Preto velho caminhou - bis
Lá na Aruanda maior
Preto Velho caminhou – bis
Pai Tomáz
Oh Pai Tomáz
Oh Pai Tomáz
Vem no terreiro, vem trabalhar
Filho de Zambi
Ele é filho de Oxalá
Oh Pai Tomáz
Oh Pai Tomáz
Vem no terreiro, vem trabalhar
Sua falange
Com licença de Oxalá
Meu pito ta apagado
Minha marafa acabou
Vou trabalhar pra sunce
por que sou trabalhador
eu vou trabalhar
sunce vai ganhar
muito bango meu filho
depois vem me pagar

Pai Benedito
Quem é aquele velhinho,
Que vem no caminho,
Andando devagar,
Com seu cachimbo na boca,
Puxando a fumaça,
E soltando fumaça pro ar,
Ele é do cativeiro,
E pai Benedito, ele é mirongueiro.
Pai João
Preto velho que nasceu no cativeiro,
Hoje desce no terreiro,
De cachimbo e pé no chão,
Oi, pega a pemba risca o ponto,
Faz mironga,
Saravá Maria Conga,
Saravá meu Pai João.
Pai Joaquim
É na Aroeira de São Benedito,
Santo Antonio mandou me chamar,
Pai Joaquim,ê,ê.
Pai Joaquim, ê,a,
Pai Joaquim veio de Angola,
Pai Joaquim veio de Angola, Angola.
Pai Joaquim de Angola
Que preto é esse oi calunga
Que chegou agora calunga - bis
É pai Joaquim o calunga
Que veio da Angola
Vovó Joaquina
Sarava Vovó Joaquina
Sarava o seu congá
Ela vem lá de Aruanda
Ela vem pra trabalhar
Com suas mirongas
E seu patuá
Sarava Vovó Joaquina
Na fé de Oxalá
Linha de Quenguele
Quenguelê, Queguelê Xangô,
Ele é filho da Cobra Coral,
Olha preto tá trabalhando,
Olha o branco não tá olhando.
Pai Luis ( quenguele)
Kaô, Kaô Xangô
Kaô Kaô Xangô me chamou - bis
Olha o nego arriou no terreiro, kaô, Kaô cabecile ele é meu protetor – bis
Kaô, Kaô Xangô

Kaô Kaô Xangô me chamou - bis


Olha a linha de quenguelê
Pai Luis de Aruanda
ele vem me valer
ALMAS
Foi lá
No cruzeiro das almas
Aonde as almas vão rezar – bis
As almas choram de alegria quando seus filhos combinam
Também choram de tristeza quando não quer combinar
As almas já ascenderam o candieiro
Êê
Lá no fundo do mar
Adorei as almas
As almas me atenderam - bis
Eram santas almas
La do cruzeiro - bis
Vovó Catarina
Sarava pra vovó Catarina
Que é dona da gira do meu terreiro
Sarava pra vovó Catarina
E pra todas as almas do cativeiro
A vovó Catarina do Congo é
A Vovó Catarina vai baixá
Sarava pra vovó Catarina
Que é dona da gira e do meu congá
Mas como é lindo,
O canto do meu preto velho,
É do meu preto velho,
Seu canto é lindo,
É humildade,
Por onde passa,
Vai levando a caridade.
Mãe Maria
Mãe Maria, Mãe Maria
Lavadeira de iá iá
Vai lavar saia de renda
Não é dela é de Iemanjá
Bate que bate tambor de Aruanda
Bate que bate
É a Maria Redonda
Flor de laranja
Vovó pegou
Trouxe pro terreiro
Cuscuz e marafo
Cuscuz e marafo ela entregou
Na encruzilhada ela saravou
Saravou saravou – bis
Desafio - Confirmação
Lá vem vovó descendo a ladeira,

Com sua sacola,


Com seu rosário, seu patuá,
Ela vem de Angola,
Eu quero ver vovó,
Eu quero ver vovó,
Se filho de pemba tem querer.
Com dendê com dendê
Preto velho trabalha com dendê – bis
Agora que eu quero ver
Preto velho trabalha com dendê
Minha cachimba tem mironga
Minha cachimba tem dendê
Quem duvida da minha cachimba que venha ver que venha ver
Ta caindo flor - bis
Lá do céu cá na terra
O lele ta caindo flor - bis
Pontos de linha
É preto, é preto,
É do meu congá,
É preto, é preto,
Ora vamos saravá.
Navio negreiro
Nas ondas do mar
Correntes pesadas
Na areia a arrastar
E a negra escrava
Tristonha a cantar
Saravá nossa mãe Yemanjá
Vovó não quer,
Casca de coco no terreiro,
Faz (a)lembrar,
Do tempo do cativeiro.
O Preto esta molhado de suor
Feliz porque Deus o libertou
Oi Sinhá Sinhá
Segura a xibata não deixa bater
Faz uma prece pra nego morrer
Que nego não quer mais sofrer -bis
Maleime
Tem pena dele Benedito
Tenha dó
Ele é filho de Zambi
Ô São Benedito tenha dó
Tem pena dele Nanã
Tenha dó
Ele é filho de Zambi
Ô Nanã tenha dó
Quem vem de longe,

É Preto Velho de Angola,


Quem vem de longe,
É Preta Velha de Angola,
Com seus cabelos brancos encaracolados,
Tem a brancura da pureza e da alegria,
São abençoados pelo filho de Maria.
Pai Antonio
Que fumaça cheirosa vovô
Sai do seu cachimbo - bis
Não sei se é arruda, vovo, ou majericao
Só sei que essa fumaça vovo, faz bem ao meu coração,
Meu Pai Antonio de Angola
Protetor bondoso guia
Ele traz num patuá
O feitiço da Bahia
Enquanto a senzala dormia - bis
Sua oração fazia –bis
Ajoelhado pedia clemência a Jesus e
a Virgem Maria
Cativeiro cativeiro
Cativeiro cativerá
Aue meu cativeiro
Cativeiro cativerá
Firmeza - Confirmação
Saravá, saravá, saravá,
Este filho de pemba,
Que fica de pé no congá,
Saravá, saravá Oxalá,
Ele é pai de cabeça,
E não deixa seus filhos tombar,
Lua, ó lua já deu meia noite,
Meu galo de pena cantou.
Lua, ó lua, ilumine o terreiro,
Que pai de cabeça chegou,
Subida de Preto Velho
E vai preto velhos,
Subindo pro céu ,
E Nossa Senhora,
Cobrindo com o véu.
A sineta do céu bateu,
Oxalá já diz que é hora, - bis
Eu vou, eu vou, eu vou,
Fica com Deus e
Nossa Senhora. - bis
Preto velho já vai
Que a sua banda lhe chama
Vai prá Aruanda
Desmanchar se tem mironga
Mas eu já vou embora.
Vou, mas torno a voltar,

Vou com Deus e Nossa Senhora,


Até a Umbanda me chamar.

Você também pode gostar