Você está na página 1de 15

Quem semeia,

colherá

Capítulo 40
André Luiz manifestou o desejo de visitar
a enfermaria feminina, em função de
sentir uma “grande atração” pelo local...
Após comentar o assunto com Narcisa,
recebeu as seguintes explicações...

“Quando o Pai nos convoca 



a determinado lugar é que lá 

nos aguarda alguma tarefa.”
“Desde que nossos pensamentos
visem à prática do bem,
não será difícil identificar
as sugestões divinas.”
Na enfermaria
feminina,
por uma força quase
inexplicável,
André se sente atraído
para um leito em
especial...
Nesse leito,
ele reencontra Elisa, aquela mesma Elisa
que ele havia conhecido
no passado...

O passado sempre retorna por misericórdia de Deus...


Os amores “mal resolvidos” retornam,
no momento oportuno...
Quem era Elisa?
• Tinha sido empregada doméstica na casa dos pais de André
Luiz.
• Após “intimidades excessivas”, terminou por deixar o
serviço...
• Muitas quedas morais
se sucederam, a partir daquele episódio.
• Agora, ela era uma mulher vencida pelo sofrimento e por
muitas humilhações...
• Após os episódios no primeiro emprego, conhecera o prazer,
o luxo, o conforto material e
depois, a sífilis, o hospital, o abandono,
a cegueira e a morte...
André procura os conselhos
sábios de Narcisa que lhe diz:

“Se o Senhor
permitiu 

que reencontrasse agora 

esta irmã, 

é porque já o considera 

em condições 

de resgatar a dívida.”
“Todos nós
encontramos, 

no caminho, 

os frutos 

do bem ou do
mal 

que semeamos.”
Somente reencontramos
os desafetos e os credores do passado,
no momento em que o Pai nos considera
aptos para as devidas reparações...
O ódio virou perdão...
Disse Elisa, em relação ao seu antigo namorado:

“Para odiá-lo, tenho de odiar a mim mesma.


No meu caso, a culpa deve ser repartida.
Não devo, pois, recriminar ninguém.”
André,
sem se identificar,
promete apoio
e amizade,
e a promove à condição
de “irmã do coração”.
Conclusões:
• Na Espiritualidade, o destino irá nos aproximar de todas as
pessoas que, infelizmente , tenhamos prejudicado.

• Os relacionamentos afetivos desequilibrados criam fortes


vínculos espirituais.

• As reparações do mal praticado é algo


do qual não podemos fugir.