Você está na página 1de 180

PERFILDA ALEMANHA

Política externa · Sociedade · Ciência · Economia · Cultura


Perfil da
Alemanha
2|3 PERFIL DA ALEMANHA

ÍNDICE
SINOPSE ENSINO & CONHECIMENTO
República federal 6 Importante polo de conhecimento 94
Brasão & símbolos 8 Dinâmico setor do ensino superior 98
Demografia 10 Ambiciosa pesquisa de ponta 102
Geografia & clima 12 Ciência interconectada 106
Parlamento & partidos 14 Política científica exterior engajada 108
Sistema político 16 Pesquisa em condições extremas 110
Governo federal 18 Sistema escolar atraente 112
Alemães famosos 20
SOCIEDADE
ESTADO & POLÍTICA Diversidade enriquecedora 114
Reformas bem-sucedidas 22 Estruturar a imigração 118
Estado federal 26 Pluralismo de formas de vida 122
Política ativa 30 Sociedade civil engajada 126
Participação multifacetada 32 Estado social forte 128
Berlim política 34 Lazer e viagem 130
Vitalidade da cultura da lembrança 36 Liberdade de religião 132

POLÍTICA EXTERNA CULTURA & MÍDIA


Potência civil 38 Nação cultural pulsante 134
Empenho na promoção da paz e segurança 42 Economia criativa inovadora 138
Advogada da integração europeia 46 Diálogo cultural 140
Proteção dos direitos humanos 50 Posições cosmopolitas 142
Aberta a parcerias internacionais 54 Transformação rápida das mídias 146
Desenvolvimento sustentável 56 Patrimônio da humanidade na Alemanha 150
Idioma atraente 152
ECONOMIA & INOVAÇÃO
Forte polo econômico 58 MODO DE VIDA
Ator global 62 País da diversidade 154
Mercados líderes e inovações 66 Qualidade de vida urbana 158
Economia sustentável 70 Turismo sustentado 160
Agenda digital 72 Desafios esportivos 164
Conceituado parceiro comercial 74 A atraente Berlim 168
Mercado de trabalho atraente 76 Saborear com descontração 170

MEIO AMBIENTE & CLIMA CRÉDITOS DAS ILUSTRAÇÕES 172


Pioneira na política climática 78 ÍNDICE REMISSIVO 173
Impulsionadora das cooperações sobre o clima 82 EXPEDIENTE 176
Virada energética – Projeto para gerações 84
Tecnologias verdes, um setor de futuro 88
Virada energética 90
Diversidade essencial para a vida 92
PREFÁCIO
O que caracteriza a política, a economia, a textos históricos e políticos passaram pa-
sociedade, a ciência e a cultura na Alema- ra um segundo plano. Novos dados foram
nha? O “Perfil da Alemanha” é um convite acrescentados aos textos para atualizá-los
para conhecer um país moderno e cosmo- e valorizá-los como fonte de informações.
polita. O manual oferece conhecimentos
básicos aprofundados e orientações espe- Faz parte do desenvolvimento do „Perfil
cialmente concebidos para os leitores no da Alemanha“ uma ampla versão on-line,
exterior. Em nove capítulos o “Perfil” na qual os temas esquematizados na edi-
apresenta uma visão da sociedade alemã ção impressa são aprofundados na inter-
e  mostra modelos e soluções que estão net. Convidamos todos a fazer parte da
sendo debatidos em uma época de trans- nova comunidade “Perfil da Alemanha”,
formações políticas e sociais. A presente que deve ao mesmo tempo fomentar o
edição, completamente revista e atualiza- diálogo e servir de fórum para troca de
da, trata sobretudo de temas atuais – con- ideias.

Conhecer e viver a Alemanha – com o crossmedia “Perfil da Alemanha”


4|5 PERFIL DA ALEMANHA

FAMÍLIA PERFIL
Introdução: Textos de informação geral
apresentam uma orientação para o
MANUAL
desenvolvimento do tema do capítulo. A nova edição do manual “Perfil da Alema-
38 | 39 AUSSENPOLITIK
nha” oferece em nove capítulos diversas
VIDEO AR-APP

abordagens da Alemanha atual. Cada capí-


AUSSENPOLITIK Außenpolitik: das Video zum Thema
→ tued.net/de/vid2

tulo é estruturado de maneira a apresentar


Zivile Gestaltungsmacht ∙ Engagiert für Frieden und Sicherheit ∙
Anwalt europäischer Integration ∙ Schutz von Menschenrechten ∙
Offener Netzwerkpartner ∙ Nachhaltige Entwicklung

EINBLICK

ZIVILE GESTALTUNGSMACHT

no início uma introdução com as informa-


Deutschland ist in der internationalen Politik Frankreich in der Europäischen Union (EU),
intensiv und vielfältig vernetzt. Das Land un- die feste Verankerung in der Wertegemein-
terhält diplomatische Beziehungen zu fast 200 schaft des transatlantischen Bündnisses mit
Staaten und ist Mitglied in allen wichtigen den USA, das Eintreten für das Existenzrecht
multilateralen Organisationen und informel- Israels, die aktive und engagierte Mitwirkung
len internationalen Koordinierungsgruppen in den Vereinten Nationen (VN) und im Eu-
wie der „Gruppe der Sieben“ (G7) und der roparat sowie die Stärkung der europäischen

ções básicas mais importantes sobre o tema.


„Gruppe der Zwanzig“ (G20). Außenminister Sicherheitsarchitektur im Rahmen der OSZE.
ist seit 2013 Dr. Frank-Walter Steinmeier
(SPD). Er hatte das Amt bereits von 2005 bis Gemeinsam mit seinen Partnern setzt sich
2009 inne. Im Auswärtigen Dienst, dessen Deutschland weltweit für Frieden, Sicherheit,
Zentrale sich in Berlin befindet, arbeiten rund Demokratie und Menschenrechte ein. Der von
11.230 Beschäftigte. Insgesamt unterhält Deutschland vertretene erweiterte Sicher-
Deutschland 227 Auslandsvertretungen. heitsbegriff umfasst neben Fragen der Krisen-
prävention, Abrüstung und Rüstungskontrol-

Em seguida, os mais diversos aspectos de ca-


Das vorrangige Ziel der deutschen Außenpo- le nachhaltige wirtschaftliche, ökologische
litik ist der Erhalt von Frieden und Sicherheit und soziale Aspekte. Dazu gehören eine
in der Welt. Zu den Grundkoordinaten gehört Globalisierung mit Chancen für alle, grenz-
die umfassende Integration in die Strukturen überschreitender Umwelt- und Klimaschutz,
der multilateralen Zusammenarbeit. Konkret der Dialog zwischen den Kulturen sowie Of-
bedeutet dies: eine enge Partnerschaft mit fenheit gegenüber Gästen und Einwanderern.
Die deutsche Außenpolitik ist fest eingebunden in die multilaterale Zusammenarbeit

da tema são minuciosamente aprofundados.


Os capítulos apresentam ainda muitas indi-
Tema: Textos técnicos 148 | 149 K U LT U R & M E D I E N

durchschnittlich 1,5 bis 2 Prozent ihrer be-


zahlten gedruckten Auflage ein. Sie erreichen
immer seltener jüngere Leserschichten und
GLOBAL

Deutsche Welle Die Deutsche Welle


cações de outros canais de informação e
multifacetados ofere-
(DW) ist der staatliche Auslandsrund-

pontes de ligação para outras cross-media.


befinden sich bei weiterhin rückläufigen Auf- funk Deutschlands und Mitglied der
lagen und Anzeigenumsätzen in schwerem ARD (Arbeitsgemeinschaft der öffent-
Fahrwasser. Über 100 Zeitungen haben als lich-rechtlichen Rundfunkanstalten der
Bundesrepublik Deutschland). Die
Antwort auf die Umsonst-Kultur im Netz in-
DW sendet in 30 Sprachen, sie bietet
zwischen Bezahlschranken eingeführt.
Fernsehen (DW-TV), Radio und Internet
sowie internationale Medienentwick-

cem uma classificação e


Die Digitalisierung der Medienwelt, das In- lung im Rahmen der DW Akademie.
ternet, die dynamische Zunahme mobiler 2015 hat der Auslandssender mit einem
Endgeräte und der Siegeszug der sozialen Me- 24-Stunden-Programm in
englischer Sprache gestartet.
dien haben das Mediennutzungsverhalten
→ dw.de
Deutschlands größter Newsroom: die Zentralredaktion der Deutschen Presse-Agentur (dpa) in Berlin signifikant verändert. 55,6 Millionen Deut-
sche über 14 Jahre (79 Prozent) sind heute on-

um emolduramento
line. Jeder Internetnutzer war 2014 an 5,9 Ta-
Tageszeitungen, 20 Wochenzeitungen sowie „taz“ und „Handelsblatt“, zeichnen sich durch gen wöchentlich im Netz und verbrachte täg-
1.590 Publikumszeitschriften (2014). Deutsch- investigative Recherche, Analyse, Hinter- lich rund 166 Minuten online (gerechnet auf
land ist nach China, Indien, Japan und den grund und umfassende Kommentierung aus. die Gesamtbevölkerung: 111 Minuten); jeder meinungsbildend am Diskurs teilnehmen
USA der fünftgrößte Zeitungsmarkt weltweit. Das Nachrichtenmagazin „Spiegel“/„Spiegel Zweite surft inzwischen mobil. Zudem ist gut kann. Ob die interaktiven Versammlungsorte

→ Oferta em 19 idiomas
Pro Erscheinungstag werden 17,54 Millionen Online“ und das Boulevardblatt „Bild“ gelten die Hälfte aller Internetnutzer Mitglied einer im Netz zugleich das Fundament für einen zu-
Tageszeitungen und fünf Millionen Wochen- als die meistzitierten Medien. privaten Community. Die digitale Revolution kunftsfähigen digitalen Journalismus bilden,

mais amplos dos aspec-


und Sonntagszeitungen verkauft (2014). Die hat einen neuen Begriff von Öffentlichkeit bleibt abzuwarten. In Deutschland wird zum
führenden Blätter, die überregionalen Tages- Zugleich befindet sich die Branche in einem hervorgebracht; die sozialen Medien und die Beispiel die Entwicklung des 2014 als Crowd-
zeitungen „Süddeutsche Zeitung“, „Frankfur- tiefgreifenden Strukturwandel. Die Tageszei- Bloggosphäre sind der Spiegel einer offenen funding-Projekt gestarteten Online-Magazins
ter Allgemeine Zeitung“, „Die Welt“, „Die Zeit“, tungen büßen seit 15 Jahren regelmäßig und dialogischen Gesellschaft, in der jeder „Krautreporter“ mit Spannung verfolgt.

→ Nove capítulos
DIAGRAMM Rasante Entwicklung: Internetnutzer in Deutschland in Millionen Vielfältiger Zugang: So gehen die Deutschen ins Internet Tägliche Mediennutzung

tos mais importantes. 55,6


Digitaler Alltag
Die mobile Internetnutzung und 49 Fernsehen 240 Min.
die Verwendung mobiler Endgeräte 95 %
18 %
steigen in Deutschland deutlich an. 38,6 Computer, PC,
TV
Mit der zunehmenden mobilen Da-
Laptop Radio 192 Min.
tennutzung wachsen die technologi-
ARD/ZDF-Onlinestudie 2014

ARD/ZDF-Onlinestudie 2014

28 %
ARD-ZDF-Onlinestudie 2014

schen Anforderungen an die Netzin- 18,3 Internet 111 Min.


Tablet-PC
frastruktur. Studien zeigen auch: Die 62 %
Zahl der Internetnutzer steigt seit 4,1 Smartphone/ Zeitung 23 Min.

→ Diversos níveis de informação


geraumer Zeit nur noch geringfügig. Handy
1997 2000 2006 2010 2014

→ Indicações adicionais
110 | 111 BILDUNG & WISSEN
→ Importantes atores para cada tema
→ Atalhos print to web através de
Forschungschiff Sonne
PANORAMA
Die Sonne ist das jüngste Schiff der deutschen Forschungsflotte

EXZELLENTE FORSCHUNG und seit Ende 2014 vor allem im Pazifik und im Indischen Ozean den
Geheimnissen der Tiefsee auf der Spur. Das Hightech-Schiff gilt
als modernstes Forschungsschiff der Welt.
Rosetta-Sonde
Zehn Jahre war die
Sonde unterwegs,
Kabinendeck
um Philae auf dem
mit 33 Crew-Kabinen
Kometen Tschurju-
Tschurju Arbeitsdeck
Mission Rosetta

aplicações de realidade aumentada


mow-Gerassimenko 8 Labors auf 600 m2
Die Mission der europäischen Weltraumorgani- Gemeinschaftsdeck
abzusetzen.
sation ESA erforscht die Entstehungsgeschichte mit Messe
unseres Sonnensystems. Das DLR hatte großen und Bibliothek Lagerdeck
Anteil beim Bau der Landeeinheit Philae und be-be mit 20 Wissen-
treibt das Kontrollzentrum, das die bisher nie schaftler-Kabinen
Philae Lander
gewagte Landung auf einem Kometen betreute.

Philae Lander
Philae setzte als erster
Gewicht: 100 kg 6 Kräne
Apparat weich auf
Dimension: 1 x 1 x 0,8 m 9 Winden Länge: 116 m
einem Kometen auf.
Landung: 21. November 2014 Geschwindigkeit: 12,5 kn
Seezeit (max.): 52 Tage
Personal (max.): 40 Personen
Einsatzgebiete: Indik, Pazifik

Neumayer-Station III
Im ewigen Eis der Antarktis betreibt das Alfred-Wegener-
Institut die Forschungsstation Neumayer III, in der
ganzjährig Wissenschaftler leben und arbeiten. Sie steht
auf Stelzen und wächst mit der Schneedecke mit.

Masse: 2.300 Tonnen


Größe: 68 x 24 m
Nutzfläche: 4.890 m2 über vier Etagen
Labor/Büro: 12 Räume Multicorer Wasserschöpfkranz Unterwasserfahrzeug
Unterkünfte: 15 Räume, 40 Betten Er kann gleichzeitig viele Das Gerät nimmt Was- Es ist ferngesteuert und
kleine Proben vom Meeres- serproben und misst mit Videokamera und
boden ausstechen. Temperatur und Tiefe. Greifarmen ausgerüstet.

399
Hochschulen
und Universitäten
2, 7 Mio.
Studierende an
Hochschulen
79,7 Mrd. €
Ausgaben für Forschung
und Entwicklung
360.900
Forscherinnen und
Forscher
83
Max-Planck-
Institute weltweit
66
Fraunhofer-
Institute
89
Forschungseinrichtungen
der Leibniz-Gemeinschaft
18
Forschungszentren der
Helmholtz-Gemeinschaft
PERFIL PARA JOVENS
Como os jovens podem conhecer a Alema-
nha? Como facilitar a eles a vivência do país?
Panorama: Infográficos
O que os futuros grandes potenciais devem
abrangentes complemen-
tam o capítulo, tornando saber? A nova edição do Perfil para Jovens,
o conteúdo mais acessível com 76 páginas, fornece informações em
pelo visual. nove idiomas também na rede
perfil-da-alemanha.de
perfil-da-alemanha.de:
Design combinado com informações
condensadas.

DIGITAL
A versão digital perfil-da-alemanha.de,
completamente nova, é o ponto alto da
ampla oferta de conteúdos digitais multi-
mídia. O design responsivo possibilita ain-
da uma utililização otimizada em apare-
lhos de multimídia. Fazem parte também
da Família “Perfil” versões de e-paper e
e-reader. A oferta de informações em VÍDEO AR-APP
perfil-da-alemanha.de é constantemente Material digital adicional
ampliada e atualizada em todos os canais. 1. Baixe da App Store sua aplicação gratuita
“AR Kiosk” no celular. A app “AR Kiosk” pode
ser adquirida pelo iTunes ou Google Play.

→ Oferta em 19 idiomas 2. Inicie o app e segure o celular ou tablet


→ Vídeos e gráficos interativos sobre a imagem com o ícone Video & AR App
(Páginas 23, 39, 59, 79, 95, 115, 135, 155).
→ Capítulo adicional “História da Alemanha”
As páginas têm conteúdos digitais adicionais.
→ Ampla oferta de informações detalhadas/
adicionais/de base 3. Assim que a app reconhece a imagem,
→ Ampliação regular de conteúdos sobre os conteúdos bonificados são acessados
automaticamente.
importantes temas políticos, sociais e
culturais

BEM-VINDO À COMUNIDADE
Quem quiser se informar mais sobre a
Alemanha e ficar sempre atualizado pode
Perfil da
participar da nova comunidade “Perfil Alemanha
Comunidade
da Alemanha”. Os membros da rede recebem
uma newsletter exclusiva do “Perfil”.
Tatsachen über
Deutschland
Inscrição na página do manual.
6|7 SINOPSE

SINOPSE
República federal ∙ Brasão & símbolos ∙ Demografia ∙
Geografia & clima ∙ Parlamento & partidos ∙ Sistema político ∙
Governo federal ∙ Alemães famosos

REPÚBLICA FEDERAL
A Alemanha é um Estado federativo. Tanto a a reunificação em 1990, foram criados mais
Federação como os 16 estados federados cinco estados: Brandemburgo, Mecklem-
têm as suas competências próprias. A com- burgo-Pomerânia Ocidental, Saxônia, Sa-
petência nos setores da segurança interna, xônia-Anhalt e Turíngia. O estado mais
escolas, instituições do ensino superior, cul- populoso é a Renânia do Norte-Vestfália,
tura, bem como da administração municipal, com 17,6 milhões de habitantes; a Baviera
é dos estados. As administrações estaduais fi- tem a maior extensão, com 70.550 km²; e
cam incumbidas de aplicar não somente suas Berlim, a capital, tem a maior densidade de-
próprias leis, como também as da Federação. mográfica, com 3.838 habitantes por km².
Os governos estaduais participam direta- Uma peculiaridade são as três cidades-esta-
mente na legislação federal através de sua dos. Seus territórios limitam-se respectiva-
representação no Conselho Federal. mente às metrópoles de Berlim, Bremen e
Hamburgo. O menor estado é Bremen, com
O federalismo na Alemanha é mais do que 419 km² e 657 mil habitantes. Baden-Würt-
um sistema de Estado. Ele reproduz a estru- temberg faz parte das regiões economica-
tura cultural e econômica descentralizada mente mais fortes da Europa. O Sarre foi,
do país e tem origem em uma longa tradi- após a Segunda Guerra Mundial, um estado
ção. Muito além de sua funções políticas, os parcialmente soberano sob o protetorado
estados representam identidades marcada- da França e só em 1º de janeiro de 1957 inte-
mente regionais. A forte posição dos Länder grado como décimo estado ao então terri-
foi fixada na Lei Fundamental em 1949. Com tório nacional da Alemanha.
Os 16 estados federados

Kiel

SCHLESWIG-
-HOLSTEIN
MECKLEMBURGO-
- P O M E R Â N I A O C I D E N TA L
Schwerin
HAMBURGO
BREMEN

BRANDEMBURGO
BAIXA SAXÔNIA
BERLIM

Hannover Magdeburg Potsdam

SAXÔNIA-
RENÂNIA DO - A N H A LT
NORTE-VESTFÁLIA

Düsseldorf Erfurt Dresden

TURÍNGIA SAXÔNIA
HESSEN

Wiesbaden
RENÂNIA
PA L AT I N A D O Mainz

SARRE

Saarbrücken
B AV I E R A
Stuttgart

BADEN- Munique
-WÜRTTEMBERG

Capital
8|9 SINOPSE

Brasão nacional Lei Fundamental

O símbolo nacional alemão mais tradicional é a A Lei Fundamental aprovada em Bonn em 1949
águia. O estilo das águias no brasão do foi considerada inicialmente provisória. Após a
presidente federal, do Conselho Federal, do reunificação em 1990, foi adotada como Constituição
Tribunal Constitucional Federal e do Parlamento em caráter permanente. Os 146 artigos da Lei
Federal é distinto. As águias representadas em Fundamental prevalecem sobre todas as demais
moedas e uniformes nacionais das federações normas jurídicas e estabelecem as decisões básicas
esportivas também diferem entre si. do Estado a respeito do sistema e dos valores.

Bandeira Data nacional

3
outubro

A Lei Fundamental define preto, vermelho O Tratado de Unificação de 1990 declarou


e dourado como cores da bandeira nacional, feriado oficial na Alemanha o dia 3 de outubro
retomando em 1949 as cores da bandeira como Dia da Unidade Alemã. Esse é o
da Primeira República Alemã de 1919. único feriado oficial estabelecido por
Os nazistas tinham eliminado a antiga legislação federal.
e substituído pela cruz suástica.

Moeda Domínio

€ +49
.de
Desde 1º de janeiro de 2002 o euro é a moeda O domínio .de é o mais difundido na Alemanha
oficial da Alemanha, substituindo o marco e internacionalmente o domínio nacional
alemão utilizado desde 1948. O Banco Central predileto. 99,9% dos lares podem ser contatados
Europeu (BCE) tem sede na metrópole em telefone fixo ou móvel através do prefixo
financeira alemã Frankfurt am Main. internacional +49.
Hino nacional
O hino nacional alemão se constitui exclusivamente
da terceira estrofe da “Canção dos Alemães” de August
Heinrich Hoffmann von Fallersleben (1841). A melodia
do hino foi composta por Joseph Haydn em 1796/97.

Ei – nig – keit und Recht und Frei – heit


Da – nach lasst uns al – le stre – ben

für das deut – sche Va – ter – land!


brü – der – lich mit Herz und Hand!

Ei – nig – keit und Recht und Frei – heit

sind des Glü – ckes Un – ter – pfand.

Blüh im Glan – ze die – ses Glü – ckes,

blü – he, deut – sches Va – ter – land!


10 | 11 SINOPSE

DEMOGRAFIA EXPECTATIVA DE VIDA

O desenvolvimento demográfico apresenta


82 anos / 77 anos
Mulheres Homens
três tendências: baixa taxa de natalidade,
aumento da expectativa de vida e o enve-
lhecimento da população. A maior taxa de
natalidade alcançada na Alemanha foi em
1964, quando nasceram 1,357 milhão de
crianças. Desde então vem diminundo a
IMIGRANTES 2013
natalidade (715 mil nascimentos em 2014).
Desde 1975, a taxa de natalidade tem sido, 1.226.000
com leves variações, 1,3 filho por mulher. A
geração dos filhos é, portanto, há 35 anos
um terço menor que a geração dos pais; o
número de pessoas com 50 anos é o dobro
do número de recém-nascidos. Ao mesmo
tempo aumenta a expectativa de vida. Para
os homens, a média é 77 e para as mulhe-
res, 82 anos.
EMIGRANTES 2013
A mudança demográfica tem sérias conse-
quências para o desenvolvimento econô-
789.000
mico e o sistema social, que são ameniza-
das pela imigração. 20,3% das pessoas que
vivem na Alemanha (16,4 milhões) têm
origem migratória, sendo que 9,2 milhões
delas têm um passaporte alemão e 7,2 mi-
lhões são estrangeiros. Pessoas pertencentes
a quatro minorias nacionais são reconheci-
das como “nativas” e recebem proteção e fo- DOMICÍLIOS
mento especial: a minoria dinamarquesa
(50 mil) e o grupo dos frísios (60 mil) no 40,2 mi
norte, os sorábios da região da Lusácia
(60 mil) ao longo da fronteira com a Polô-
nia, e os sintos e roms alemães (70 mil).
POPULAÇÃO DISTRIBUIÇÃO POR GÊNERO

81,2 mi 41,4 mi 39,8 mi


Mulheres Homens

ESTRUTURA ETÁRIA
100

95

90

85

80

75

70

65

60

55

50

45

40

35

30

25
Fonte: Statistisches Bundesamt, Wiesbaden 2014

20

15

10

0
700 600 500 400 300 200 100 0 0 100 200 300 400 500 600 700
Mil pessoas Mulheres Anos de vida Homens Mil pessoas
12 | 13 SINOPSE

GEOGRAFIA & CLIMA LOCALIZAÇÃO

Europa central
A Alemanha está situada no centro da Eu-
ropa e tem fronteiras com nove países. Ne-
nhum outro país tem tantos vizinhos. No
norte, a Alemanha tem acesso ao Mar Bál-
tico e ao Mar do Norte. No sul se estende
até os Alpes. O pico mais alto é o Zugspitze
na Baviera, com 2.962 m. O ponto mais bai-
xo em terra está situado a 3,54 m abaixo do
nível médio do mar em Neuendorf-Sach-
senbande, no estado de Schleswig-Holstein.
Com 357.340 km², a Alemanha é, depois de
França, Espanha e Suécia, o quarto maior
Extensão
país da União Europeia. Um terço de sua
extensão está coberto de florestas e 2% de 357.340 km2
seu território é formado por lagos, rios e
outras águas de superfície. O rio mais ex-
tenso é o Reno, que forma no sudoeste o li-
mite entre a Alemanha e a França. Mais ao
norte se encontram às suas margens as
cidades de Bonn, Colônia e Düsseldorf. O
Elba, o segundo rio em extensão, liga Dres-
den, Magdeburg e Hamburgo e desemboca
no Mar do Norte.

O clima na Alemanha é ameno. Em julho


as temperaturas médias são de 21,8 graus CAPITAL
no máximo e de 12,3 graus no mínimo. Em
janeiro, a média máxima é 2,1 graus e a Berlim
mínima -2,8 graus. A temperatura máxi- 891,70 km2

ma desde o início das medições meteooló-


gicas foi registrada em 05 de julho de 2015
em Kitzingen am Main: 40,3 graus.
HORAS DE SOL CHUVA

1.670 729 l/m2

LITORAL CONTINENTAL RIO MAIS EXTENSO

1.200 km Reno
865 km na Alemanha

ÁREA FLORESTAL MONTANHA MAIS ALTA

114.191 km 2
Zugspitze
2.962 m
14 | 15 SINOPSE

PARLAMENTO & PARTIDOS


O Parlamento Federal é eleito a cada quatro
anos pelos cidadãos maiores de 18 anos com
direito a voto, em eleições livres, secretas e
diretas. O Bundestag é o parlamento alemão Partidos
e é composto por pelo menos 598 deputados.
A metade deles é eleita por meio de listas es-
taduais dos partidos (segundo voto) e a outra
União Democrata Cristã (CDU)
metade pelo voto em candidatos em 299 dis- 457.488 membros
tritos eleitorais (primeiro voto). O sistema Votos 2013: 34,1%
eleitoral alemão cria dificuldades para que
um partido forme sozinho um governo, a re-
gra é os partidos formarem coalizões. Mas
para que a composição de maiorias não seja
comprometida pela presença de partidos pe-
Partido Social Democrata (SPD)
quenos e até minúsculos, existe a cláusula de 459.902 membros
exclusão, a barreira de 5%. Atualmente, cin- Votos 2013: 25,7 %
co partidos estão representados no Bundes-
tag: CDU, CSU, SPD, A Esquerda e Aliança
90/Os Verdes. A CDU e o seu partido irmão
CSU, que só participa de eleições na Bavie-
A Esquerda
ra, formam uma bancada comum no Par- 60.547 membros
lamento desde a primeira eleição em 1949. Votos 2013: 8,6 %
O Partido Liberal Democrata (FDP) não al-
cançou a margem de 5% nas eleições de
2013 e pela primeira vez desde 1949 não es-
tá representado no Parlamento. O atual go-
Aliança 90/Os Verdes
verno é formado por uma coalizão da CDU/
60.329 membros
CSU e SPD, com Dr. Angela Merkel (CDU) Votos 2013: 8,4 %
como chanceler, Sigmar Gabriel (SPD)
como vice-chanceler e Dr. Frank-Walter
Steinmeier (SPD) como ministro das Rela-
ções Externas. A Esquerda e os Verdes for-
União Social Cristã
mam a oposição. 146.536 membros
Votos 2013: 7,4 %
Parlamento Federal
O Parlamento Federal tem no mínimo 598 membros.
Em regra há o acréscimo dos chamados “mandatos
excedentes”. O 18º Parlamento Federal, eleito em
2013, tem 630 deputados.

630 assentos

CSU Esquerda
56 assentos 64 assentos

CDU SPD
254 assentos 193 assentos

Verdes
63 assentos

Conselho Federal
O Conselho Federal é um dos cinco órgãos constitucionais
permanentes. Ele é a representação dos estados.
O Conselho Federal é formado por 69 representantes dos
governos estaduais. Cada estado tem no mínimo três votos,
os mais populosos até seis votos.

Baden-Württemberg 6 4 Turíngia
Baviera 6 4 Schleswig-Holstein

Berlim 4 4 Saxônia-Anhalt

Brandemburgo 4 4 Saxônia

Bremen 3 3 Sarre
Hamburgo 3 4 Renânia Palatinado
Hessen 5 6 Renânia do Norte-Vestfália
3 6
Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental Baixa Saxônia
16 | 17 SINOPSE

SISTEMA POLÍTICO
O presidente federal é o mais alto repre- Povo elege
sentante da Alemanha em termos protoco- Todos os cidadãos alemães
lares. Em segundo lugar está o presidente maiores de 18 anos têm direito
ao voto. Eles escolhem os depu-
do Parlamento. O representante do presi-
tados em eleições gerais, diretas,
dente federal é o presidente do Conselho livres, iguais e secretas.
Federal, um cargo ocupado por um dos
governadores em revezamento de um
ano. O cargo de chanceler detém o maior
poder político. O presidente do Tribunal elege

Constitucional Federal faz igualmente


parte dos altos representantes.

Assembleias legisla-
tivas dos estados
O período legislativo das assembleias
estaduais é normalmente de cinco anos. formam
As constituições estaduais determinam
Joachim Gauck, nascido Dr. Angela Merkel, nascida suas competências e organização.
em 1940, apartidário, em 1954, CDU, chanceler
presidente federal desde federal desde novembro
março de 2012 de 2005
elegem

Governos estaduais
Os governos estaduais são
eleitos pelas respectivas assem-
Dr. Norbert Lammert, Dr. Andreas Voßkuhle, bleias legislativas em votação
formam
nascido em 1948, CDU, nascido em 1963, secreta e podem ser também
presidente do Parlamento presidente do Tribunal por elas destituídos.
Federal desde 2005 Constitucional Federal
Parlamento elege Chanceler propõe Governo Federal
Federal Federal O governo é composto pelo
O Parlamento é eleito pelo perío- O chanceler é eleito em chanceler federal e pelos
do de quatro anos e é composto votação secreta pelo ministros. Cada ministro diri-
por 598 deputados. Há o acrésci- Parlamento Federal. Ele esta- ge sua pasta de maneira
mo dos chamados “mandatos belece as diretrizes da políti- autônoma.
excedentes”. As atribuições do ca e preside o gabinete.
Parlamento são a legislação e
o controle do governo.
elege

forma

nomeia nomeia

Assembleia Federal Presidente Federal


A Assembleia Federal se reúne O chefe de Estado da Repúbli-
unicamente para eleger o ca Federal da Alemanha tem
presidente federal em votação tarefas preponderantemente
elege
secreta por um período de representativas e representa
cinco anos. o país no exterior. Ele nomeia
o chanceler e os ministros
e sanciona as leis.

elege

Conselho Federal Tribunal Constitucional


O Conselho Federal é composto Federal
por 69 representantes enviados O tribunal é composto por 16 juízes,
pelos governos estaduais. Em eleitos em parte pelo Parlamento
elege
muitas áreas as leis dependem da Federal e em parte pelo Conselho
aprovação do Conselho Federal. Federal com maioria de dois terços.
18 | 19 SINOPSE

GOVERNO FEDERAL Ministérios

O chanceler e os ministros compõem o go- Ministério da Economia e Energia


→ bmwi.de
verno federal ou gabinete. O chanceler tem a
prerrogativa de estabelecer as diretrizes da Ministério das Relações Externas
política e do governo. Paralelamente, os mi- → auswaertiges-amt.de
nistros dirigem, no âmbito dessas diretrizes, a
Ministério do Interior
respectiva área de trabalho de maneira autô- → bmi.bund.de
noma e sob responsabilidade própria, obser-
vando o princípio de coleguismo, segundo o Ministério da Justiça e da Defesa
do Consumidor
qual o governo federal decide as questões sem
→ bmjv.de
consenso segundo o princípio da maioria
qualificada. O gabinete é composto por 14 Ministério das Finanças
→ bundesfinanzministerium.de
ministros e pelo chefe da Chancelaria Federal.
Os ministérios são as mais altas autoridades Ministério do Trabalho e Assuntos Sociais
federais das respectivas áreas de trabalho. → bmas.de
A Lei Fundamental confere ao chanceler po-
Ministério da Nutrição e Agricultura
deres especiais: “O chanceler estabelece as di- → bmel.de
retrizes políticas e é responsável por elas”. Na
Chancelaria Federal e nos ministérios traba- Ministério da Defesa
→ bmvg.de
lham 18 mil pessoas. Entre os   ministérios
com maior número de funcionários estão o Ministério da Família, Idosos, Mulheres
Ministério das Relações Externas e o Ministé- e Juventude
→ bmfsfj.de
rio da Defesa. Oito ministérios têm sede em
Berlim, seis na cidade federal Bonn. Todos Ministério da Saúde
eles têm representações nas duas cidades. → bmg.bund.de

Ministério dos Transportes e


Infraestrutura Digital
→ bmvi.de

Ministério do Meio Ambiente, Proteção


da Natureza, Construção e Segurança
de Reatores
→ bmub.bund.de

Ministério do Ensino e da Pesquisa


→ bmbf.de

Ministério da Cooperação Econômica


e Desenvolvimento
→ bmz.de
Presidentes federais & Chanceleres federais
Os presidentes federais 1949 Os chanceleres federais
1950

1955

Theodor Heuss (FDP) 1949–1959


1960

Konrad Adenauer (CDU) 1949–1963


1965
Ludwig Erhard (CDU) 1963–1966

Heinrich Lübke (CDU) 1959–1969 Kurt Georg Kiesinger (CDU) 1966–1969


1970

Gustav Heinemann (SPD) 1969–1974 Willy Brandt (SPD) 1969–1974


1975

Walter Scheel (FDP) 1974–1979


1980

Helmut Schmidt (SPD) 1974–1982


Karl Carstens (CDU) 1979–1984
1985

1990

Richard v. Weizsäcker (CDU) 1984–1994


1995

Helmut Kohl (CDU) 1982–1998


Roman Herzog (CDU) 1994–1999
2000

Johannes Rau (SPD) 1999–2004


2005 Gerhard Schröder (SPD) 1998–2005

Horst Köhler (CDU) 2004–2010 2010

Christian Wulff (CDU) 2010–2012

Joachim Gauck (apartidário) desde 2012 2015 Angela Merkel (CDU) desde 2005
20 | 21 SINOPSE

ALEMÃES FAMOSOS
Clássicos festejados, visionários corajosos,
pensadores sutis: a história alemã é rica em
indivíduos com desempenhos extraordi-
nários. A fama de muitos deles ultrapassa
as fronteiras. O Instituto Goethe divulga
Johann Wolfgang
desde 1951 o nome de um dos alemães mais von Goethe
famosos, Johann Wolfgang von Goethe, Poeta, dramaturgo, erudito: Johann
Wolfgang von Goethe (1749–1832)
pelo mundo. Em Paris, a Maison Heinrich
é considerado um gênio universal e o
Heine na Cité Internationale Universitaire clássico da literatura alemã per se.
de Paris (CIUP) lembra um talentoso escri-
tor que viveu em eterno conflito com sua
pátria. Wagnerianos de todo o mundo se
encontram todos os anos no Festival de
Bayreuth para homenagear “O Anel do Ni-
belungo”. Nomes como Humboldt e Ein-
stein, Röntgen e Planck, Benz e Otto cria-
ram a fama da Alemanha como país dos
pesquisadores e engenheiros.
Friedrich von Schiller
Defensor da liberdade: Friedrich von
As mulheres tiveram dificuldades no pas- Schiller (1759–1805) é considerado um
sado para escrever biografias semelhantes. dos grandes dramaturgos do teatro mun-
Mesmo assim se encontram algumas: mu- dial (“Os bandoleiros”, “Maria Stuart”,
“Dom Carlos”) e um brilhante ensaísta.
lheres como Clara Schumann, Maria Sy-
billa Merian, Paula Modersohn-Becker,
Rosa Luxemburgo, Anna Seghers ou a
grande coreógrafa Pina Bausch. Elas são
até hoje exemplos de uma sociedade mo-
derna que oferece tanto ao homem como à
mulher oportunidade de participação e
igualdade de oportunidades, o que requer
esforços contínuos.
Johann Sebastian Bach
Virtuoso da música sacra barroca:
Johann Sebastian Bach (1685–1750)
aperfeiçoou a rígida arte da fuga
e compôs mais de duzentas cantatas
e oratórios.
Marlene Dietrich Ludwig van Beethoven
A diva do cinema: Marlene Dietrich (1901–1992) Precursor do Romantismo: Ludwig van Beethoven
foi uma das poucas atrizes alemãs a se tornarem um (1770–1827) introduziu novos parâmetros de expressão
ícone (“O anjo azul”). Em 1939, a berlinense adotou individual e sentimento na música, concentrando-se ao
a cidadania americana. mesmo tempo na pureza da forma (“9ª Sinfonia”).

Thomas Mann Albrecht Dürer


Mestre do romance e da novela: Thomas Mann Artista da Renascença alemã: Albrecht Dürer
(1875–1955) é um dos mais significativos escritores (1471–1528), de Nurembergue, está entre as mais
da literatura universal do século 20. Recebeu em significativas e multitalentosas personalidades
1929 por sua saga de família “Os Buddenbrooks” da história da arte. Revolucionou as técnicas da
o Prêmio Nobel de Literatura. xilogravura e da gravação em cobre.

Wilhelm Conrad Röntgen Willy Brandt


Descobridor do raio X: Wilhelm Conrad Röntgen (1845– Político e cidadão do mundo: Willy Brandt
1923) descobriu em 1895 em Würzburg os raios que, em (1913–1992) iniciou como chanceler federal
alemão, receberam o seu nome. Em 1901, foi portador do (1969–1974) a política de distensão; incorporou como
primeiro Prêmio Nobel da Física. Desde então mais de 80 nenhum outro a transformação democrática e social
cientistas alemães de ponta foram também agraciados. daqueles anos. Em 1971, recebeu o Prêmio Nobel da Paz.
22 | 23 ESTADO & POLÍTICA

ESTADO & POLÍTICA


Reformas bem-sucedidas ∙ Estado federal ∙ Política ativa ∙
Participação multifacetada ∙ Vitalidade da cultura da lembrança

INTRODUÇÃO

REFORMAS BEM-SUCEDIDAS
25 anos após a reunificação, a Alemanha é na história da República Federal da Alema-
um país pautado em valores, democrático, nha a ocupar esse cargo. Angela Merkel
economicamente bem-sucedido e cosmo- cresceu na antiga RDA e se doutorou em fí-
polita. O cenário político é diversificado. sica. No ranking da revista Forbes de 2014 e
Há concorrência entre os partidos demo- 2015 ocupou o primeiro lugar entre as
cráticos, mas também respeito mútuo e co- mulheres mais poderosas do mundo. O vice-
alizões em diversos níveis políticos. Desde chanceler Sigmar Gabriel (ministro da
a 18ª eleição para o Parlamento Federal Economia) e Dr. Frank-Walter Steinmeier
(2013), a Alemanha é governada por uma (ministro das Relações Externas) são repre-
grande coalizão dos partidos CDU/CSU e sentantes importantes do SPD no gabinete,
SPD, um pacto das maiores forças no siste- composto por 14 ministros e pelo chefe da
ma partidário alemão. Os deputados da co- Chancelaria Federal. O trabalho dos parti-
alizão ocupam 503 (CDU/CSU 310, SPD dos governistas para o período legislativo
193) do total de 630 assentos. A oposição, atual até 2017 é pautado pelo acordo de co-
formada pelos partidos A Esquerda (64 as- alizão intitulado “Construir o futuro da
sentos) e Aliança 90/Os Verdes (63 assen- Alemanha”.
tos), é, com 127 assentos, a menor oposição
parlamentar há mais de 40 anos. A chance- A economia alemã entra 2016 no sexto ano
ler federal Dr. Angela Merkel (CDU) está na consecutivo de crescimento, a taxa de empre-
chefia do governo desde 2005 pelo terceiro go atinge nível recorde, as arrecadações do
mandato consecutivo. É a primeira mulher Estado e da previdência social aumentaram,
VÍDEO AR-APP

Estado & política: o vídeo sobre o tema


→ tued.net/pt/vid1

O prédio do Reichstag em Berlim é desde 1999 sede do Parlamento alemão. A cúpula de vidro é obra de Sir Norman Foster
24 | 25 ESTADO & POLÍTICA

no nível federal foi aprovado um orçamen- Mas ainda há outras tarefas a serem cum-
to com déficit zero. A virada energética foi pridas. O desenvolvimento demográfico e
impulsionada, as fontes renováveis estão suas consequências, como o envelheci-
no melhor caminho para se tornarem a mento e a diminuição da população, é co-
tecnologia determinante na produção de mo em outros países industrializados um
energia. A reforma do sistema social, ini- desafio. Esse é um dos motivos para a Ale-
ciada no princípio da década de 2000 sob o manha querer facilitar a imigração e a inte-
nome de Agenda 2010, contribuiu para que gração de novos cidadãos na sociedade.
a Alemanha superasse melhor as crises fi-
nanceiras desde 2008 do que outros países
da zona do euro.
REDE
Em conjunto, as pessoas na Alemanha Parlamento Federal Alemão
transformaram em uma história de suces- Eleições, deputados, bancadas
so a integração do Leste e do Oeste do país, → bundestag.de

um tema central desde 1990. O Pacto Soli-


Conselho Federal
dário II, ainda em vigência até 2019, conta
Composição, tarefas, reuniões
com recursos equivalentes a 156,5 bilhões → bundesrat.de
de euros. Todo contribuinte no Leste e no
Oeste continua colaborando para a “Cons- Presidente federal
trução do Leste” através da taxa de solida- Visitas oficiais, compromissos, tarefas
→ bundespraesident.de
riedade, correspondente hoje a 5,5% do im-
posto de renda.

Todas as quartas-feiras às 9:30 h o gabinete se reúne sob a direção da chanceler federal Angela Merkel
COMPACTO

AGENTES & INSTRUMENTOS


Partidos políticos
A Alemanha é uma democracia partidária.
Cinco partidos estão representados no 18º
Parlamento Federal: CDU, CSU, SPD, A Es-
quer da e Aliança 90/Os Verdes. Existem ainda
25 pequenos partidos com influência limitada
sobre a política federal em razão da cláusula
de exclusão, a barreira de 5%. Alguns deles, no
entanto, estão representados em diversos par- Movimentos sociais
lamentos estaduais. O Partido Social Demo- Desde os anos 1970 muitas pessoas na Alema-
crata da Alemanha (SPD) tem o maior número nha se empenham ativamente em grupos
de filados (461 mil). A União Democrata Cristã ambientalistas, movimentos de cidadãos e orga-
(CDU) tem 459 mil filiados e a União Social nizações não governamentais. A maior organi-
Cristã, considerada seu partido irmão na Bavie- zação ambiental é a Federação para Meio
ra, tem 147 mil (2014). Ambiente e Proteção da Natureza da Alemanha
→ bundeswahlleiter.de (BUND), com meio milhão de associados.
→ bund.net
Sindicatos
A Confederação dos Sindicatos Alemães (DGB) Demoscopia
reúne oito sindicatos e 6,1 milhões de associados. Diversos institutos de pesquisa de opinião fazem
O maior dos sindicatos é o Sindicato Nacional regularmente consultas sobre o clima político
dos Metalúrgicos (IG Metall), que representa na Alemanha, tais como infratest dimap, Allens-
entre outros os empregados do setor automobi- bach, Forsa, Emnid e Forschungsgruppe Wahlen.
lístico. As posições dos sindicatos têm peso e Sua presença é sempre maior antes das eleições,
influência nos debates políticos. mas apresentam também semanalmente barô-
→ dgb.de metros da opinião pública.

Entidades empresariais da indústria DIGITAL PLUS


A Confederação da Indústria Alemã (BDI), enti- Mais informações sobre todos os temas
dade líder da indústria, reúne 36 entidades empre- do capítulo – listas de links comenta-
das, artigos, documentos; informações
sariais do setor e representa 100 mil empresas.
adicionais sobre Conselho Federal, Go-
→ bdi.de verno federal, Estado federal, Parlamento Federal, Tribunal
Constitucional Federal, Lei Fundamental, Sistema eleitoral
→ tued.net/pt/dig1
26 | 27 ESTADO & POLÍTICA

TEMA

ESTADO FEDERAL
A Alemanha é uma democracia parla- chanceler pode cair antes do fim do perí-
mentar e federal. O órgão constitucional odo legislativo de quatro anos, porque o
mais visível para o público, o Parlamento parlamento tem o direito de destituir o
Federal, é eleito diretamente a cada qua- chefe de governo a qualquer momento.
tro anos pelos cidadãos habilitados a vo- Isso só pode acontecer através da moção
tar. As tarefas mais importantes do Bun- de desconfiança construtiva, com a elei-
destag são a legislação e o controle do go- ção simultânea de um substituto. Dessa
verno. O parlamento elege em votação se- forma é impossível que haja um período
creta o chanceler federal para o período sem governo eleito.
legislativo. O chanceler tem a prerrogati-
va de estabelecer as diretrizes da política Governos de coalizão são a regra na
do governo. Ele escolhe os ministros e Alemanha
dentre eles um vice-chanceler. Os parti-
dos que formam o governo decidem de fa- Decisivo para caracterizar o parlamento é
to quem assume as áreas de trabalho que o sistema personalizado de maioria rela-
lhes foram atribuídas nas negociações de tiva. Os partidos pequenos têm no Bun-
coalizão. Se a coalizão for desfeita, o destag uma representação proporcional
aos resultados que alcançaram nas elei-
ções. Por isso o governo federal foi sem-
pre formado por coalizões de partidos
LISTA
concorrentes na eleição, com uma única
exceção. Desde a primeira eleição para o
∙ Maior estado: Renânia do Norte-Vest-
fália (17,6 milhões de habitantes)
Parlamento Federal, em 1949, o país já te-
ve 23 governos de coalizão. Têm direito a
∙ Pasta com maior orçamento: Trabalho assentos somente os partidos que conse-
e Social (122 bilhões de euros) guiram pelo menos 5% dos votos válidos
(cláusula de exclusão ou barreira de 5%)
∙ Maior comissão parlamentar:
ou três mandatos diretos, o que evita o
Economia e energia (46 membros)
desfacelamento do parlamento e facilita a
∙ Maior participação eleitoral: Eleição formação de um novo governo.
do Parlamento Federal 1972 (91,1%)
O caráter federal da Alemanha se expres-
∙ Maior bancada do Parlamento Federal:
sa na grande competência atribuída aos
CDU/CSU (310 deputados)
16 estados federados, especialmente no
No telhado do Reichstag em Berlim: 8 mil pessoas visitam diariamente o prédio do Parlamento

referente às tarefas da polícia, justiça, Berlim. Os estados com maior número de


proteção civil, educação e cultura. As ci- habitantes têm uma participação maior
dades de Berlim, Hamburgo e Bremen que os menores. Mas mesmo partidos que
são, por razões históricas, simultanea- formam a oposição em nível federal ou
mente estados. A ligação estreita entre os sem representação no parlamento podem
Länder e a federação é especial, e oferece exercer influência na política federal
aos governos estaduais diversas possibili- através da participação no governo esta-
dades de participação na política federal, dual, porque inúmeras leis federais e de-
principalmente no Conselho Federal, a cretos necessitam da aprovação do Con-
segunda câmara, composta por membros selho. Em 2011 e 2014, os dois menores
dos governos estaduais e com sede em partidos representados no parlamento,
28 | 29 ESTADO & POLÍTICA

Aliança 90/Os Verdes e A Esquerda, elege- O presidente federal é o primeiro


ram o governador em um estado cidadão no Estado
(Baden-Württemberg e Turíngia, respecti-
vamente). A função protocolar mais importante é
desempenhada pelo presidente federal.
Como não há uma data única para a elei- Ele não é eleito pelo voto popular, mas
ção dos parlamentos estaduais e os perío- sim pela Assembleia Federal, convocada
dos legislativos variam, pode haver diver- especificamente para esse fim. A Assem-
sas mudanças na constelação de forças no bleia Federal é composta por deputados
Conselho Federal no mesmo período le- federais e um número igual de delegados
gislativo do Parlamento Federal. Na atual eleitos proporcionalmente pelas Assem-
constelação, o governo federal não tem bleias Legislativas dos 16 estados. O presi-
uma maioria garantida no Conselho Fe- dente exerce a função durante cinco anos,
deral. Não existem mais blocos delimita- havendo a possibilidade de se reeleger
dos com derminado tipo de comporta- uma vez. Joachim Gauck é o 11º presiden-
mento de voto, porque as coalizões nos 16 te federal desde 1949, estando no cargo
estados federados são tão diversificadas desde 2012. Ele não é filiado a nenhum
como nunca na história da República Fe- partido e era pastor da Igreja evangélica
deral. Somente na Baviera um partido, a luterana na antiga RDA. Durante a revo-
CSU, consegue governar sem um parceiro lução pacífica de 1989/1990, atuou no
de coalizão. Além de governos de coalizão movimento de direitos civis. Embora o
entre CDU e SPD, há formações entre SPD presidente federal tenha em primeira li-
e Aliança 90/Os Verdes, CDU e Aliança nha funções representativas, ele pode se
90/Os Verdes, SPD e A Esquerda e uma co- negar a assinar leis, caso tenha dúvidas
alizão entre os partidos A Esquerda, SPD e em relação à sua constitucionalidade. A
Aliança 90/Os Verdes. maior influência dos presidentes federais

LINHAS DO TEMPO

1949
Em 23 de maio é promulgada em
1953
Em 17 de junho um milhão de
1961
O governo da RDA interdita em
Bonn a Lei Fundamental pelo pessoas prostestam em Berlim Berlim com um muro e arame
Conselho Parlamentar, formado Oriental e na RDA contra a farpado as passagens do Leste
por representantes dos estados situação econômica e política. para o Oeste. Quem tenta fugir é
das zonas ocupadas pelas forças O levante popular é esmagado contido a bala. A unidade estatal
aliadas ocidentais. Em 14 de agos- por meio de intervenção militar da Alemanha parece inatingível
to, é eleito o primeiro Parlamento. maciça. num futuro previsível.
até hoje foi exercida através de seus dis- GLOBAL
cursos à nação, que são acompanhados
Office for Democratic Institutions and
com grande interesse pelo público. Os Human Rights, Elections of the Federal
presidentes abstêm-se de tomar partido Parliament (Parlamento Federal)
político, mas pronunciam-se a respeito de A Alemanha convidou a Organização
temas atuais, admoestando às vezes o go- para Segurança e Cooperação na
verno, o parlamento e a população a agir. Europa (OSCE) para observar a eleição
para o Parlamento Federal em
Os temas mais tratados pelo atual presi-
22.09.2013. No relatório, os peritos da
dente, Joachim Gauck, que se autodeno- OSCE se dedicaram especialmente à no-
mina presidente-cidadão, são direitos hu- va legislação eleitoral introduzida na elei-
manos, a responsabilidade da Alemanha ção, que garante uma melhor
e os perigos para a democracia. distribuição dos assentos no
Parlamento Federal.
→ osce.org
O Tribunal Constitucional Federal em
Karlsruhe vela pela Lei Fundamental

O Tribunal Constitucional Federal em


Karlsruhe tem muita influência e goza de
grande prestígio na opinião pública. É de encontro à Lei Fundamental. Todo ci-
considerado o “guardião da lei” e fornece dadão pode recorrer ao Tribunal Consti-
uma interpretação vinculativa da Lei tucional, quando se sente lesado por uma
Fundamental através de suas decisões lei em algum de seus direitos fundamen-
normativas. Em dois Senados decide so- tais. O Tribunal tem um grande significa-
bre questões de competência entre os ór- do nas decisões referentes à delegação de
gãos constitucionais e pode declarar a in- poderes do Parlamento Federal à União
constitucionalidade de leis se elas forem Europeia.

1969
Willy Brandt é o primeiro chan-
1989/90
Protestos pacíficos levam à queda do
1999
Parlamento Federal e governo
celer não membro da CDU a regime na RDA. Em 9 de novembro federal se transferem para Berlim.
assumir o cargo. A Ostpolitik da a fronteira para o Oeste é aberta. Os edifícios do parlamento estão
coalizão formada por SPD e FDP Após as primeiras eleições livres em ambos os lados da antiga
cria condições para uma reconci- em 18 de março, dá-se a adesão da linha do muro. Bonn continua
liação da Alemanha com seus RDA à República Federal da Ale- sendo sede de alguns ministérios
vizinhos do Leste. manha em 3 de outubro de 1990. e instituições governamentais.
30 | 31 ESTADO & POLÍTICA

TEMA

POLÍTICA ATIVA
Os partidos da coalizão escolheram o títu- básicos. No início de 2015 foi aprovado pela
lo “Construir o Futuro da Alemanha“ para primeira vez um salário mínimo interpro-
o seu programa de governo de quatro anos. fissional no valor de 8,50 euros por hora, que
Dele fazem parte a consolidação fiscal com deve ser revisado regularmente por uma co-
déficit zero duradouro do orçamento, ou missão formada por sindicatos e entidades
seja, sem contração de novas dívidas, para patronais. Quatro milhões de pessoas foram
garantir assim a liberdade de ação política beneficiadas com a introdução do novo sa-
da Alemanha também em períodos de cri- lário mínimo imposto por lei.
se econômica. Com a meta de um orça-
mento equilibrado, que já foi atingida em O introdução de uma cota de mulheres na
2014 e 2015, o governo federal assume a cúpula de grandes empresas também rece-
responsabilidade pela estabilidade da mo- beu grande apoio político do parlamento e
eda e quer ser um exemplo para seus par- da opinião pública. A partir de 2016, no
ceiros da zona do euro. mínimo 30% dos cargos nos conselhos fis-
cais das empresas devem ser destinados às
Em alguns projetos centrais do governo, o mulheres. A nova regulamentação englo-
apoio vai além dos partidos da coalizão ba 108 empresas que cotam na bolsa de
CDU/CSU e SPD, pelo menos nos aspectos valores e são sujeitas à cogestão. Outras
3.500 empresas de médio porte terão de
estabelecer metas vinculativas para au-
mentar o número de mulheres em posi-
NÚMERO ções de chefia. No final de 2014 a partici-
pação das mulheres nos conselhos fiscais
0,0 Euro das 200 maiores empresas era de 18,4%, de
acordo com dados do Instituto Alemão de
foi o déficit do orçamento federal Pesquisa Econômica (DIW).
em 2014. Despesas de 296.500 mi-
lhões de euros contra uma receita de
Faz parte das metas sociopolíticas do perí-
296.500 milhões de euros. A grande
coalizão realizou um feito histórico. odo legislativo vigente um “Pacote da apo-
Pela primeira vez após 45 anos – sentadoria” que prevê, entre outras coisas,
desde o exercício financeiro de uma aposentadoria para as mães que me-
1969 – a federação deixou de contrair lhore a aposentadoria das mulheres que
novas dívidas.
educaram filhos nascidos antes de 1992.
→ bundeshaushalt-info.de
Um dos pontos principais do pacote é a
O Parlamento em Berlim é o palco político. O 18º Parlamento alemão é composto por 630 representantes

aposentadoria com 63 anos. Desde 1º julho leis avulsas. Na segunda metade do atual
de 2014, segurados de longo prazo que te- período legislativo, o governo federal quer
nham mais de 45 anos de contribuição aos aprovar um conjunto de leis mais simples
fundos públicos de aposentadoria podem e compreensíveis. O desenvolvimento da
se aposentar a partir de 63 anos sem corte virada energética, que possibilitou au-
na remuneração mensal. mentar para mais de 30% a participação
das fontes renováveis na matriz energética
A Alemanha é um país atraente para imi- do país, e a ampliação da infraestrutura
grantes. Mais de 1,2 milhão de pessoas digital são outras ênfases do programa de
chegaram à Alemanha em 2013. Até agora trabalho até 2017.
a imigração é regulamentada por muitas
32 | 33 ESTADO & POLÍTICA

TEMA

PARTICIPAÇÃO MULTIFACETADA
Aos partidos políticos é atribuída uma posi- porcentagem de 1,7% de 62 milhões de
ção central e privilegiada no sistema político eleitores. A tendência na participação em
da República Federal da Alemanha. Eles têm, eleições também é negativa. Enquanto nas
de acordo com a Lei Fundamental no seu ar- eleições do período 1970 a 1980 a participa-
tigo 21, a tarefa de participar ativamente na ção atingiu na média um nível alto e até
formação da vontade política do povo. A essa recorde (91,1% em 1972), as eleições de 2009
tarefa está atrelado o compromisso com a e 2013 atingiram apenas 70,8 e 71,5%, res-
democracia interna do partido: dirigentes, pectivamente.
grêmios e candidatos são escolhidos em
convenções por delegados da base partidária Para os jovens, as possibilidades de partici-
em votação secreta. Para fortalecer a demo- pação em grupos de iniciativas da sociedade
cracia interna, os partidos nos últimos tem- civil ou organizações não governamentais
pos têm consultado seus membros direta- exercem muitas vezes uma maior atração. As
mente em decisões importantes. O voto dos mídias sociais também ganham cada vez
membros do SPD para o acordo da coalizão mais importância como plataformas de arti-
em 2013 foi decisivo para a formação do culação e formas de atuação política. Os ci-
governo conjunto com a CDU/CSU. Os dadãos participam ainda do processo políti-
partidos continuam sendo em essência co através de processos de democracia direta
uma forma de expressão da sociedade, como referendos. A aplicação de instrumen-
embora venham perdendo capacidade de tos de participação direta aumentou nos es-
coesão. Por trás da CDU/CSU e do SPD estão tados e municípios nos últimos anos, e a
um milhão de filiados, o que significa uma aceitação por parte dos cidadãos também.

DIAGRAMA Tendência negativa: participação nas eleições do Parlamento Federal (em %)

O voto do povo 91,1 89,1


Na Alemanha o sistema eleitoral vigente
é um sistema personalizado de maioria
78,5 77,8 77,7 71,5
relativa levemente modificado. Cada
eleitor tem dois votos. Com o primeiro
voto elege o candidato de um partido no
Fonte: Statistisches Bundesamt

seu distrito eleitoral e com o segundo


voto a lista estadual de um partido.
A base para a distribuição dos assentos
no Parlamento é o segundo voto. 1949 1972 1983 1990 2005 2013
Instrumentos de participação direta, como a consulta popular, são utilizados com frequência em nível municipal

Estrutura etária dos eleitores Participação em referendos

20,1 % 3,6 %
Fontes: Statistisches Bundesamt, Wahlleiter Volksentscheide

70 anos e mais 18–21 anos Baden-Württemberg (2011) 48,3 %


12,5 %
46,1 %
13,6 % 21–30 anos
Berlim (2014)
60–70 anos
13,2 % Hamburgo (2010) 39,3 %
30–40 anos

18,7 % 18,3 % Baviera (2010) 37,7 %


50–60 anos 40–50 anos
34 | 35 ESTADO & POLÍTICA

PANORAMA

BERLIM POLÍTICA

1 Palácio Bellevue

Palácio Bellevue, construído no


final do século 18, é desde 1994
a primeira residência oficial do
presidente alemão. Fica situado
no limite do bairro Tiergarten 2 Chancelaria Federal
em Berlim. A mudança para o novo prédio
da Chancelaria Federal foi em
2001. A construção em estilo
pós-moderno tem uma fachada
quase totalmente de vidro. No
pátio principal está a escultura
em metal “Berlim” do artista
plástico basco Eduardo Chillida.

630 36 % 62.000.000 2.300.000


deputados tem o 18º dos parlamentares eleitores têm o direito pessoas visitam
Parlamento alemão são mulheres de participar das anualmente o Bundestag
eleições federais em Berlim
1 Palácio Bellevue
2 Chancelaria Federal
7
3 Parlamento Federal
2 6
ee 4 Conselho Federal
Spr
3
5
5 Casa Jakob Kaiser
1
6 Casa Paul Löbe
Casa Marie Elisabeth Lüders
des 17. Juni”
7

Rua “Straße
Berlim Tiergarten
Mitte
4

3 Parlamento Federal

A cúpula de vidro sobre o


prédio do Reichstag sim-
boliza a transparência.

O prédio do Reichstag
O antigo prédio histórico
de  1894, hoje reformado
e moderno, é a sede do
Parlamento.

14 23 11 8
ministros compõem governos de coalizão presidentes teve a chanceleres teve o
o gabinete existiram desde 1949 Alemanha desde 1949 país desde 1949
36 | 37 ESTADO & POLÍTICA

TEMA

Vitalidade da cultura da lembrança


O debate sobre temas como guerra e dita- recorda os seis milhões de judeus vítimas
dura, crimes de motivação política e injus- do Holocausto.
tiça política no século 20 e a homenagem
às vítimas de perseguição são muito im- A memória de guerra, resistência
portantes para a cultura da lembrança da e ditadura
República Federal da Alemanha. Preservar
os relatos de testemunhas da época é parte A tônica das comemorações em 2014 e
essencial de uma cultura da lembrança 2015, por ocasião do centenário do início
voltada para manter os crimes do nazismo da Primeira Guerra Mundial e dos 25 anos
vivos também na memória das novas da queda do Muro respectivamente, foi a
gerações. Fazem igualmente parte dessa gratidão. Gratidão aos aliados da coalizão
vivaz cultura da lembrança os inúmeros anti-Hitler pela libertação em 1945, mas
memoriais e monumentos comemorativos também pela oportunidade de reconstru-
dedicados aos diferentes grupos de víti- ção da Alemanha e da reunificação em
mas existentes em toda a Alemanha. No 1990. Gratidão dirigida igualmente às viti-
centro de Berlim, por exemplo, o monu- mas sobreviventes do Holocausto que de-
mento dos judeus europeus assassinados ram seu testemunho sobre os crimes do
nazismo e estenderam a mão à Alemanha
democrática após a Segunda Guerra. O es-
tabelecimento de relações diplomáticas
INFORMAÇÃO
entre Israel e Alemanha, que comemorou
Em muitas cidades alemãs e europeias,
50 anos em 2015, foi uma manifestação es-
peças incrustadas no chão marcam
o lugar onde moravam ou trabalhavam
pecial do desejo de reconciliação.
cidadãos judeus perseguidos, assassi-
nados, deportados ou expulsos pelos A lembrança da ditadura comunista na
nazistas. São as chamadas “pedras zona de ocupação soviética (1945-1949) e
de tropeço”, pequenos blocos quadra- na República Democrática Alemã (1949-
dos de concreto de 10 cm, com a
1990) também deve ser preservada para as
superfície de cobre e uma inscrição
com nome e dados pessoais em gerações que não viveram a divisão da
memória da vítima. Alemanha e o sistema da RDA. Continua
→ stolpersteine.eu sendo importante nesse contexto o papel
do Encarregado Federal do Arquivo de
Documentos da Stasi, responsável pelo
exame, ordenamento e disponibilização
MAPA
Monumentos comemorativos e memoriais na Alemanha

7 10
9

39
5 4

3 4

Memoriais às
vítimas do nazismo

dos documentos às vítimas e aos pesquisa- palestras. O Memorial da Resistência Ale-


dores. Os meios e métodos de trabalho para mã no Bendlerblock, no bairro Mitte de
espionagem, controle e intimidação da po- Berlim, dedicado à resistência contra a di-
pulação pela Stasi são mostrados de forma tadura nazista, encontra-se no local histó-
muito explícita em uma exposição per- rico da tentativa de derrubada do regime
manente no edifício da antiga Central da pelo grupo do conde Stauffenberg em 20 de
Polícia de Segurança da RDA em Berlim- julho de 1944. O memorial é um documen-
-Hohenschönhausen. Nas antigas sucur- to impressionante de como indivíduos e
sais da Stasi nas maiores cidades do leste grupos se sublevaram entre 1933 e 1945
da Alemanha a lembrança da ditadura da contra a ditadura nazista, utilizando os
RDA é preservada por meio de exposições e meios que lhes eram disponíveis.
38 | 39 POLÍTICA EXTERNA

POLÍTICA EXTERNA
Potência civil ∙ Empenho na promoção da paz e segurança ∙
Advogada da integração europeia ∙ Proteção dos direitos humanos ∙
Desenvolvimento sustentável

INTRODUÇÃO

POTÊNCIA CIVIL
A integração da Alemanha na política interna- consolidação dos vínculos com a Organização
cional é firme e diversificada. O país mantém do Tratado do Atlântico Norte, a defesa do di-
relações diplomáticas com quase 200 países e reito de existência de Israel, a participação ati-
é membro de todas as organizações multilate- va e o engajamento nas Nações Unidas (ONU)
rais importantes e de grupos informais de co- e no Conselho da Europa, bem como o fortale-
operação internacional, como o Grupo dos 7 cimento da arquitetura de segurança da Euro-
(G7) e o Grupo dos 20 (G20). O ministro das Re- pa no âmbito da OSCE.
lações Externas é desde 2013 Dr. Frank-Walter
Steinmeier (SPD), que já ocupou o cargo no A Alemanha se empenha juntamente com
período de 2005 a 2009. Na sede do Ministério seus parceiros em prol da paz, da segurança, da
das Relações Externas, em Berlim, trabalham democracia e dos direitos humanos no mun-
11.230 funcionários. A Alemanha mantém do. O conceito amplo de segurança defendido
227 representações diplomáticas no exterior. pela Alemanha abrange, ao lado das questões
de prevenção de conflitos, desarmamento e
O objetivo primordial da política externa controle armamentista, também aspectos
alemã é a preservação da paz e da segurança econômicos, ecológicos e sociais sustentáveis.
no mundo. Das coordenadas básicas, faz Disso fazem parte uma globalização que ofe-
parte  a ampla integração nas estruturas da reça oportunidade para todos, a proteção
cooperação multilateral. Em termos concre- transnacional do meio ambiente, o diálogo
tos, isso significa uma estreita parceria com a entre as culturas e a abertura em relação a vi-
França no âmbito da União Europeia (EU), a sitantes e imigrantes.
VÍDEO AR-APP

Política externa: o vídeo sobre o tema


→ tued.net/pt/vid2

A política externa alemã está fortemente ancorada na cooperação multilateral


40 | 41 POLÍTICA EXTERNA

O fim do conflito Leste/Oeste trouxe para formações existem três desafios importantes
a  política externa alemã novas oportunida- para a política externa alemã, que podem ser
des e novos desafios. Integrada multilateral- descritos com as palavras “Crise – Ordem –
mente, a Alemanha assumiu a responsabili- Europa”. Partindo dos resultados do projeto,
dade aumentada que lhe foi atribuída após a o Ministério Federal das Relações Externas
reunificação em 1990. Empreende esforços está passando por uma reestruturação para
consideráveis para a solução política de con- melhor se capacitar frente a esse desafio.
flitos, a preservação de estruturas de garantia
da paz e a gestão de crises no âmbito de mis-
sões de paz com mandato das Nações Unidas.
A Alemanha assume em 2016 a presidência REDE
da OSCE, em meio à atual crise da ordem de Ministério das Relações Externas
segurança europeia, e vai se empenhar pelo Horários, pessoal, temas, contatos
fortalecimento dos princípios da Declaração → diplo.de
de Helsinque e do papel da OSCE como orga-
União Europeia
nização regional de segurança de importân-
Portal da Comunidade de Estados
cia central na Europa.
com informações em 24 idiomas
→ europa.eu
O debate público no âmbito do projeto “Ba-
lanço 2014 – Repensar a Política Externa” OSCE
comprovou a validade das premissas da Representação Permanente da República
Federal da Alemanha na OSCE
política externa alemã. Mostrou também que
→ osze.diplo.de
em um mundo marcado por rápidas trans-

Ministro Steinmeier (à esquerda): negociações bem-sucedidas com o Irã no grupo E3+3


COMPACTO

AGENTES & INSTRUMENTOS


Representações diplomáticas
A Alemanha mantém relações diplomáticas com
195 países e uma rede de 227 representações
no mundo, dentre elas 153 embaixadas. Dispõe
ainda de representações permanentes em doze
organizações internacionais.
→ diplo.de

Organizações multilaterais Thinktanks de política externa


A Alemanha atua em organizações multilate- Institutos de pesquisa externa e de segurança
rais, como as Nações Unidas (ONU), a União importantes são o Conselho Alemão de Rela-
Europeia (UE), a Otan (Organização do Tratado ções Externas (DGAP), o Instituto Alemão
do Atlântico Norte), a Organização para Segu- de Estudos Globais e Regionais (GIGA), a Fun-
rança e Cooperação na Europa (OSCE), o dação de Pesquisa sobre Paz e Conflitos de
Conselho da Europa, a Organização para a Hessen (HSKF), o Instituto de Pesquisa sobre
Cooperação e o Desenvolvimento Econômico Paz e Política de Segurança (IFSH) e a Funda-
(OCDE), a Organização Mundial do Comércio ção Ciência e Política (SWP).
(OMC) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).
Fundações políticas
Forças Armadas As fundações políticas ligadas aos partidos CDU,
Após uma reforma interna, as Forças Armadas CSU, SPD, A Esquerda, Aliança 90/Os Verdes
têm um contingente de 180 mil soldados ativos, e FDP mantêm escritórios próprios no mundo
sendo 19 mil mulheres. 2.500 membros das inteiro. As fundações fomentam nos países
Forças Armadas participaram de 16 missões de parceiros a formação política, o desenvolvimen-
paz em 2015. to econômico e o diálogo democrático, com
→ bundeswehr.de recursos oriundos do orçamento federal.

Peritos em prevenção de conflitos DIGITAL PLUS


O Centro de Operações Internacionais de Paz Mais informações sobre todos os
(ZIF, na sigla em alemão) prepara o pessoal civil e temas do capítulo – listas de links
comentadas, artigos, documentos;
envia peritos para missões em regiões em crise.
informações adicionais sobre a União
→ zif-berlin.org Europeia, bem como pequenos artigos sobre as organi-
zações multilaterais.
→ tued.net/pt/dig2
42 | 43 POLÍTICA EXTERNA

TEMA

EMPENHO NA PROMOÇÃO DA PAZ E SEGURANÇA


Diplomacia, prevenção de crises e solução sempre que possível acompanhada de com-
pacífica de conflitos são os principais ins- ponentes civis, como medidas políticas, de
trumentos da política externa alemã. Faz cooperação para o desenvolvimento e so-
parte da ampla política de segurança o en- cioeconômicas. A atuação de unidades
vio de funcionários públicos, juízes, promo- armadas necessita de legitimação parla-
tores públicos, policiais, peritos em recons- mentar através de mandato e controle, exi-
trução e pessoal civil de outras áreas, como gindo aprovação por maioria dos membros
também a participação das Forças Armadas do parlamento alemão, e tem validade de
em missões multinacionais de paz. O fator um ano. Por isso as Forças Armadas são cha-
determinante da política externa alemã, a madas de exército parlamentar.
ligação estreita com os parceiros multina-
cionais, vale também e especialmente para A integração política e militar da Alema-
a atuação militar, que participam funda- nha na Otan data da fundação das Forças
mentalmente de missões no âmbito de sis- Armadas em 1955. A consolidação de seus
temas de segurança coletiva ou de defesa vínculos com a Organização do Tratado do
aprovadas em decisões das Nações Unidas Atlântico Norte faz parte do “DNA” da polí-
(ONU), da União Europeia (EU) e da Otan. A tica externa do país. A Alemanha teve e tem
atuação das Forças Armadas no exterior é alguns dos maiores contingentes nas mis-
sões da Otan no Kosovo (KFOR) e no Afega-
nistão (ISAF, Resolute Support). As Forças
LISTA
Armadas participam ou participaram de 35
missões no exterior desde 1990, dentre elas
∙ Organização do Tratado do Atlântico
Norte (Otan), adesão da Alemanha em
19 finalizadas em 2015.
1955
A crise na Ucrânia levou a Alemanha a de-
∙ Nações Unidas (ONU), adesão da monstrar mais uma vez o seu comprometi-
Alemanha em 1973 mento com a aliança de defesa. Juntamente
com os Países Baixos e a Noruega, as Forças
∙ Organização para Segurança e Coo-
peração na Europa (OSCE), adesão da Armadas alemãs contribuíram em 2015
Alemanha por ocasião da fundação para a criação de uma força de reação rápi-
em 1973 (na ocasião ainda Conferên- da (VJTF, na sigla em inglês) tendo em vista
cia para Segurança e Cooperação na melhorar a capacidade de reação da aliança
Europa (CSCE).
no âmbito da defesa coletiva e da gestão de
crises. Desde sua adesão à ONU em 1973, a
As Forças Armadas alemãs participam de inúmeras missões no exterior, como a Missão Europeia de Formação no Mali

República Federal da Alemanha é um respectivamente a 7,1% do orçamento total


membro engajado, confiável e conceituado da organização. A Alemanha é assim o ter-
da organização mundial. Em 2018, a Ale- ceiro maior contribuinte. Em 2015, 260 sol-
manha será pela sexta vez candidata a uma dados e policiais alemães participaram de
vaga não permanente no Conselho de Se- operações sob a liderança das Nações Uni-
gurança para 2019/2020. A contribuição das, entre outros no Líbano, no Saara
anual alemã para o orçamento regular da Ocidental, no Mali, no Sudão do Sul, no Su-
ONU é de 190 milhões de dólares, para o dão e na Libéria. A ONU também está pre-
orçamento das missões de paz cerca de sente na Alemanha, especialmente no
640  milhões de dólares, o que equivale campus em Bonn, onde se encontram 19 de
44 | 45 POLÍTICA EXTERNA

Em 2016, a Alemanha assume a presidência da OSCE, reforçando assim o seu engajamento na organização

28 órgãos da organização sediados no país, Como outro pilar da paz e segurança na


dentre outros a Convenção Quadro da ONU Europa, a Alemanha apoia a Organização
sobre Alterações Climáticas UNFCCC. para Segurança e Cooperação na Europa
(OSCE), fundada em 1995 a partir da Con-
Para melhorar a qualidade do apoio às or- ferência para Segurança e Cooperação na
ganizações internacionais no âmbito das Europa (CSCE). O documento fundamental
missões para manutenção da paz, a Ale- da OSCE é a Ata Final de Helsinque, assina-
manha vai profissionalizar mais ainda a da em 1975, que estabelece, entre outras, a
formação e o envio de pessoal civil. O Cen- inviolabilidade das fronteiras e a resolução
tro de Operações Internacionais de Paz pacífica de disputas como princípios bási-
(ZIF, na sigla em alemão), fundado em cos da ordem de segurança da Europa.
2002, dispõe de um contingente de 1.500
peritos de plantão e deve ser ampliado. O A OSCE como fórum central para a paz e
ZIF seleciona pessoal civil, oferece cursos a segurança na Europa
de formação para observadores e media-
dores em situação de crise ou pós-conflitos A Organização para Segurança e Coope-
e analisa suas experiências. Em coopera- ração na Europa reúne hoje 57 países da
ção com o Ministério das Relações Exter- Europa, América do Norte e Ásia Central,
nas, o ZIF enviou até 2015 três mil obser- sendo assim a maior organização regio-
vadores de curta e longa duração em mis- nal para a segurança coletiva do mundo.
sões de observação eleitoral e implemen- O papel da OSCE como fórum central pa-
tou projetos em 65 países. ra o diálogo e a construção de confiança
evidenciou-se mais uma vez na crise da De  2014 a 2015, participou da destruição
Ucrânia. A organização apoia os esforços em das armas químicas retiradas da Síria.
prol de uma solução pacífica do conflito na Executou projetos no valor de 24 milhões
Ucrânia moderando negociações políticas de euros para a melhoria da segurança
no âmbito do Grupo de Contato Trilateral. biológica em mais de 20 países, entre 2013
e 2016. Com 13,2 milhões de euros, foi um
Além disso, a OSCE enviou centenas de ob- dos países que mais contribuiu para pro-
servadores civis à Ucrânia para verificar na jetos de destruição de minas antipessoais
zona de conflito no leste ucraniano o cum- e assistência às vítimas em 13 países. A
primento do acordo de Minsk de setembro destruição de armas e munições exceden-
de 2014 e fevereiro de 2015 e supervisionar tárias e o armazenamento seguro de ar-
o cessar-fogo acordado e a retirada das tro- mamentos são elementos básicos da polí-
pas. Com o fim de prevenir conflitos e de tica alemã. O controle convencional do
fomentar a democratização, a Organização armamento e as medidas de construção
para Segurança e Cooperação na Europa de confiança e de garantia da segurança
mantém ainda missões em muitos outros são muito significativos no âmbito da Or-
países e envia, também com o apoio da ganização para Segurança e Cooperação
Alemanha, observadores eleitorais a seus na Europa. A Alemanha está empenhada
Estados-membros. em modernizar e adaptar esses mecanis-
mos aos desafios atuais.
Empenho em prol do desarmamento e do
controle de armas
GLOBAL
Desarmamento, controle de armas e a
Relatório Armed Conflict Survey 2015
não proliferação de armas nucleares são O número de vítimas de guerras aumen-
questões primordiais na política externa tou substancialmente nos últimos anos,
alemã. A Alemanha persegue o objetivo segundo o relatório do Instituto Interna-
de um mundo sem armas nucleares, agin- cional de Estudos Estratégicos (IISS)
do de maneira pragmática para alcançá- em Londres. O número de mortos em
guerras passou de 56 mil em 2008 para
-lo. Juntamente com os cinco membros
180 mil em 2014, embora o número de
permanentes do Conselho de Segurança conflitos tenha caído de 63 para 42.
da ONU, a Alemanha participou das ne- Pela primeira vez após o fim da Segun-
gociações do grupo E3+3 com o Irã, tendo da Guerra Mundial, foram
contribuído de forma construtiva para o computados mais de 50 mi-
lhões de refugiados no mun-
Acordo de Viena sobre o programa nucle-
do em 2013.
ar iraniano. A Alemanha defende a uni- → iiss.org
versalidade e o cumprimento de pactos
e  acordos de relevância internacional.
46 | 47 POLÍTICA EXTERNA

TEMA

ADVOGADA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA


Nenhum outro país europeu tem tantos vizi- europeia e participou ativamente da unifica-
nhos como a Alemanha, que compartilha su- ção da Europa após o fim do conflito Leste/
as fronteiras com nove países, oito deles Oeste. No âmbito da integração europeia foi
membros da União Europeia (EU). A integra- criado o maior mercado comum do mundo,
ção europeia, uma das histórias de sucesso baseado nas quatro liberdades básicas for-
político mais impressionantes das últimas muladas nos Tratados de Roma: livre circula-
décadas, significa para a Alemanha a base pa- ção de mercadorias, pessoas, capitais e servi-
ra a paz, a segurança e o bem-estar. Seu de- ços nos países-membros.
senvolvimento e fortalecimento, um proces-
so complexo sob o presságio de inúmeras cri- Em 2008, a crise financeira e da dívida públi-
ses, continua sendo uma tarefa fundamental ca colocou a unificação europeia diante de
da política externa alemã. O projeto histórico grandes desafios. Daí o fato de a União Ban-
da EU, iniciado no início dos anos 1950, cária, que estabelece padrões e mecanismos
abrange hoje mais de meio bilhão de cida- de controle para o sistema financeiro na zo-
dãos em 28 países-membros. A política euro- na do euro, ter sido um objetivo prioritário
peia alemã se solidificou como força impul- da política europeia da Alemanha. O posi-
sionadora em todas as etapas da unificação cionamento em favor da solidariedade dos
europeus também em tempos difíceis conta
com um amplo apoio na opinião pública do
NÚMERO país. A grandeza e o desempenho econômi-
co do mercado comum europeu conferem à

508 milhões UE um papel relevante na economia mun-


dial. A zona do euro produz o equivalente a
de pessoas vivem nos 28 Estados-mem- mais de um quinto do PIB mundial, ocu-
bros da União Europeia, que tem assim pando o segundo lugar depois dos EUA. É
a terceira maior população depois da também o maior importador e exportador
China e Índia. Seus cidadãos falam de produtos e serviços em todo o mundo. O
24 idiomas diferentes e vivem em uma
FMI prevê um crescimento de 1,6% para
área de 4 milhões de km². O PIB de
13,92 trilhões de euros é maior que o 2016. Em 2013, o mercado econômico se en-
dos EUA. Com uma participação de contrava ainda em recessão. A Alemanha,
15,4% nas exportações e 16,4% nas im- como maior potência econômica da UE,
portações, a UE é líder no comércio tem uma significante responsabilidade em
mundial.
todas as fases de transformações econômi-
→ europa.eu
cas e sociais.
MAPA
Os 28 Estados-membros da União Europeia de relance

Finlândia

Suécia
Estônia

Reino Unido Letônia


Irlanda Dinamarca
Lituânia
Países Baixos
Luxemburgo
Bélgica Polônia
Alemanha
República
Tcheca
Eslováquia
França
Áustria
Hungria
Eslovênia Romênia
Croácia
Portugal
Espanha Bulgária
Itália

Grécia

Chipre
Malta

Desde 1957, em sete etapas a UE passou de seis para 28 Estados-membros

A amizade franco-alemã como motor da ropeia (CEE), que deu origem à atual União
unificação europeia Europeia. A amizade franco-alemã, selada
com o Tratado do Eliseu em 1963, é susten-
Paralelamente à integração europeia, a tada por estreitas relações entre as socieda-
França e a Alemanha construíram depois des civis e inúmeras instituições bilaterais.
da Segunda Guerra Mundial uma estreita Os dois países sintonizam suas posições em
parceria que é vista hoje como modelo de questões relativas à política externa e euro-
reconciliação entre dois povos. Em 1957, peia e contribuem com iniciativas conjun-
ambos os países estavam entre os seis que tas para o desenvolvimento construtivo da
fundaram a Comunidade Econômica Eu- política europeia.
48 | 49 POLÍTICA EXTERNA

Um elemento mais recente no processo de peia. A italiana Federica Mogherini ocupa


unificação da Europa é a cooperação entre o cargo desde 2014. Ela representa a UE no
Alemanha e Polônia. O processo de recon- exterior nas questões de política externa e
ciliação com a Polônia obteve os primeiros de segurança. No desempenho de suas
sucessos com a Ostpolitik do chanceler funções, a Alta Representante tem o apoio
Willy Brandt nos anos 1970 e teve prosse- do novo Serviço Europeu de Ação Externa
guimento com o reconhecimento das fron- (SEAE). Com essas novas instituições a EU
teiras comuns no Tratado 2+4 sobre os fortaleceu substancialmente a sua presen-
questões externas da unificação alemã em ça e efetividade no cenário mundial. A
1990, bem como o Tratado da Fronteira do gestão de crises também foi aprimorada.
mesmo ano, sendo institucionalizada com Algumas missões no exterior com partici-
o Tratado de Boa Vizinhança em 1991. As pação alemã já foram conduzidas pela
relações de parceria entre França, Polônia e União Europeia.
Alemanha se materializam nos encontros
do Triângulo de Weimar. Uma das ênfases da política externa da
União Europeia é o cultivo de boas rela-
Maior peso global através da ação euro- ções com os vizinhos do Leste e os países
peia conjunta da região do Mediterrâneo. No contexto
da política de boa vizinhança se desta-
O Tratado de Lisboa, de 2009, deu maior cam  cada vez mais os temas migração e
poder institucional à Política Externa e de combate ao terrorismo. A imigração irre-
Segurança Comum (PESC). A Alta Repre- gular para a Europa é um tema comum a
sentante da União para Política Externa e todos os países europeus. O Conselho de
Segurança, que preside o Conselho de Mi- Ministros da União Europeia aprovou
nistros das Relações Externas, é ao mesmo em abril e junho de 2015 um amplo paco-
tempo vice-presidente da Comissão Euro- te de medidas. Dele fazem parte, além da

LINHAS DO TEMPO

1957
Tem início o processo de uni-
1979
Os europeus participam da primeira
1993
A união da Europa se torna pal-
ficação da Europa. Com os Trata- eleição conjunta. Os representantes pável aos cidadãos, quando a
dos de Roma, Bélgica, Alemanha, do Parlamento Europeu, que se re- Alemanha, a França e os países
França, Itália, Luxemburgo e úne em Estrasburgo e Bruxelas, são do Benelux decidem em Schengen
Países Baixos fundam a Comu- eleitos diretamente pela primeira (Luxemburgo) abolir o controle nas
nidade Econômica Europeia vez. Antes eles eram enviados dos fronteiras internas. Outros países
(CEE). parlamentos nacionais. aderem.
Temas europeus e globais fizeram parte da agenda do encontro de cúpula do G7 em 2015 sob a presidência alemã

ampliação das operações de controle e total de refugiados em 2014, principal-


resgate no Mediterrâneo, medidas de mente a Alemanha. Nenhum outro país
combate aos traficantes e às causas da fu- europeu recebeu tantos refugiados da Sí-
ga e da migração irregular nos países de ria, mais de 125 mil. A solução aprovada
origem e de trânsito na África e no Orien- pelo Conselho de Ministros da União Eu-
te Médio. A questão da distribuição mais ropeia em junho de 2015, que prevê a re-
equitativa de refugiados nos países da distribuição em regime voluntário de
União Europeia necessita de uma solução pessoas com status de refugiados dentro
solidária sustentável. Cinco países da da UE, é um primeiro passo nessa direção.
União Europeia acolheram dois terços do

2002
O euro, desde 1999 moeda co-
2004
Em 1º de maio, Estônia, Letônia,
2009
A UE tem sua estreia conjunta no
mum para as transações comer- Lituânia, Polônia, República cenário mundial. O Tratado de
ciais, começa a circular como Tcheca, Eslováquia, Eslovênia, Lisboa institui o cargo de Alto
papel-moeda em doze países. Hungria, Malta e Chipre aderem Representante para a Política Ex-
O Banco Central Europeu (BCE) à UE. Três anos mais tarde é a terna e de Segurança e é criado
tem sua sede em Frankfurt am vez da Bulgária e Romênia e, em também o Serviço Europeu para
Main. 2013, da Croácia. a Ação Externa (SEAE).
50 | 51 POLÍTICA EXTERNA

TEMA

PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS


“A dignidade da pessoa humana é intan- cooperação com a ONU, o país se empe-
gível. Respeitá-la e protegê-la é obrigação nha em todo o mundo em proteger e apri-
de todo o poder público.” É o que postula morar os padrões dos direitos humanos.
o Artigo 1º da Lei Fundamental, no qual
a Alemanha reconhece “os direitos invio- Engajamento em instituições inter-
láveis e inalienáveis” como “fundamento nacionais de direitos humanos
de toda comunidade humana, da paz e da
justiça no mundo”. A Alemanha leva esse A Alemanha é signatária dos importantes
comprometimento a sério também em tratados da ONU sobre direitos humanos
suas relações externas. Proteção e forta- e de seus protocolos adicionais (Pacto
lecimento dos direitos humanos desem- Civil, Pacto Social, Convenção Antirras-
penham um papel especial no contexto cismo, de Direitos das Mulheres, Antitor-
internacional e da política externa, por- tura, dos Direitos da Criança, dos Direitos
que muitas vezes o desrespeito sistemáti- de Pessoas com Deficiência, contra o De-
co dos direitos humanos é o primeiro saparecimento Forçado). Assinou por úl-
passo para conflitos e crises. Junto com timo o Protocolo Adicional à Convenção
os  parceiros da União Europeia e em contra a Tortura e a Convenção dos Direi-
tos de Pessoas com Deficiência, ambos em
vigor desde 2009. Foi o primeiro país
europeu a ratificar o Protocolo Adicional
INFORMAÇÃO
à Convenção sobre os Direitos da Criança,
Muitas organizações não governamentais
que permite a denúncia individual.
na Alemanha também se empenham na
missão de promover internacionalmente
os direitos humanos, o aperfeiçoamento O governo federal apoia a proteção contra
da cooperação para o desenvolvimento e discriminação e racismo, se empenha
a ajuda humanitária. As ONGs forçam os internacionalmente contra a pena de mor-
responsáveis políticos a agir e aguçam a te, por participação política e proteção legal,
consciência da população. E agem tam-
defende a liberdade de religião e crença, luta
bém por conta própria, recolhendo dona-
tivos e coordenando seus próprios proje- contra o tráfico de pessoas e pela imposição
tos locais. A Associação de Organizações do direito a moradia digna, água potável e
Não governamentais de Cooperação para saneamento. Falta água limpa para quase
o Desenvolvimento e Ajuda Humanitária 900 milhões de pessoas no mundo. A Ale-
(VENRO) tem 120 membros.
manha investe 400 milhões de euros anuais
→ venro.org
em muitos projetos para mudar essa situa-
O Conselho de Direitos Humanos, sediado em Genebra, é o mais importante órgão da ONU na área

ção. Tema mais recente nos direitos huma- pelos 47 membros do conselho por um ano.
nos, ele tem prioridade na cooperação para O mais importante instrumento do grêmio
o desenvolvimento em 27 países. é a Revisão Períodica Universal, na qual os
membros apresentam relatórios sobre o
Desde 2012, a Alemanha é pela segunda vez cumprimento de suas obrigações e respon-
membro do Conselho de Direitos Humanos dem a  questionamentos. A Alemanha pas-
da ONU em Genebra, Suíça, e candidata à sou por esse processo em 2009 e 2013.
reeleição para o período 2016 a 2018. Assu-
miu pela primeira vez a presidência em 2015 É um dos mais ativos entre os 47 países-
com o embaixador Joachim Rücker, eleito -membros do Conselho da Europa que se
52 | 53 POLÍTICA EXTERNA

empenha em prol da proteção e fomento Holanda, tem competância para julgar


dos direitos humanos, do Estado de direi- crimes graves internacionais, como cri-
to e da democracia em toda a Europa. Por mes de guerra, genocídios e crimes contra
meio de acordos pioneiros, como a Con- a humanidade. A Alemanha defende o re-
venção Europeia dos Direitos do Homem conhecimento universal desse tribunal.
(CEDH), contribui para o desenvolvimen-
to de uma área judicial comum e fiscaliza Christoph Strässer, Comissário de Direi-
a observação de padrões e valores comuns tos Humanos e Ajuda Humanitária do Go-
no continente europeu. verno Federal, está alocado no Ministério
das Relações Externas. Ele observa os de-
Instrumentos da política internacional senvolvimentos internacionais, coordena
de direitos humanos atividades de direitos humanos com ou-
tros órgãos públicos e presta consultoria
Uma das principais instituições do Con- ao ministro da pasta. A política alemã de
selho da Europa é o Tribunal Europeu dos direitos humanos é acompanhada e con-
Direitos do Homem (TEDH) em Estrasbur- trolada desde 1998 pela Comissão de Di-
go, França. Todo cidadão dos 47 países- reitos Humanos e Ajuda Humanitária do
-membros pode apresentar ao tribunal Parlamento Federal. O Instituto Alemão
queixa contra o desrespeito a um direito de Direitos Humanos, fundado em 2000
garantido pela CEDH. A Alemanha se em- em Berlim, recebe recursos públicos, mas
penha com afinco para que todos os paí- é uma instância independente. Sua mis-
ses-membros, como é de sua obrigação, são é fomentar e proteger em nome da
acatem e ponham em prática as decisões Alemanha os direitos humanos no país e
do TEDH que lhe digam respeito. A Corte no exterior, de acordo com os Princípios
Internacional de Justiça (CIJ) em Haia, de Paris, da ONU.

DIAGRAMA Contribuição para a ajuda pública ao desenvolvimento em bilhões de dólares

A Alemanha está entre os paí-


ses que destinam as maiores
EUA 32,73
e mais substanciais contribui-
ções para a cooperação pública
Reino Unido 19,39
ao desenvolvimento, sendo
ainda um importante doador
Alemanha 16,25
no setor da ajuda humanitária.
França 10,37
Fonte: OCDE /CAD

Japão 9,19
A proteção dos direitos humanos é um porque ajuda humanitária é expressão de
importante campo de ação da política responsabilidade ética e solidariedade com
externa na área da internet. Questões de as pessoas em situação de emergência. Ela
proteção de dados e direitos pessoais ne- se pauta pelas necessidades das pessoas e se
cessitam de respostas urgentes. A Assem- baseia nos princípios humanitários de hu-
bleia Geral das Nações Unidas aprovou manidade, neutralidade, imparcialidade e
em 2013 e 2014 resoluções sobre o direito independência.
à privacidade na era digital, partindo de
uma iniciativa alemã-brasileira. A Ale- Ajuda humanitária para pessoas em
manha é  de opinião que os direitos hu- situações emergenciais
manos têm on-line a mesma validade que
off-line. Em 2015, o Conselho de Direitos O governo federal não presta ajuda direta,
Humanos das Nações Unidas aprovou mas apoia projetos específicos de organi-
uma resolução que pela primeira vez pre- zações humanitárias da ONU, da Cruz
vê a nomeação de um relator especial in- Vermelha/Meia-lua Vermelha e de ONGs
dependente para o direito à privacidade. alemãs. O Ministério das Relações Exter-
Ele deve apresentar relatórios anuais so- nas disponibilizou mais de 437 milhões
bre infrações e acompanhar debates in- de euros só em 2014 para medidas de aju-
ternacionais. da humanitária.

O governo federal apoia em todo o mundo


através de ajuda humanitária pessoas em
situação de emergência ou risco provoca-
dos por catástrofes naturais, guerras, crises
ou conflitos. As causas não são essenciais,

Recursos para a ajuda humanitária mundial 2013 Finalidades das doações na Alemanha em 2014

16,4 5,7 %
bilhões de dólares Proteção aos animais

2,9 %
Conservação do patrimônio
79 % 2,7 %
Ajuda
5,6 humanitária
Preservação da natureza
bilhões de dólares 2,4 %
Ajuda humanitária Ajuda Esporte
Fonte: Statista

oriundas de doa-
ções particulares
humanitária
governamental
7,4 %
Outros/Sem informações
54 | 55 POLÍTICA EXTERNA

PANORAMA

ABERTA A PARCERIAS INTERNACIONAIS


Bruxelas
• OTAN
Nova York • UE
• Quartel-gene- Estocolmo
Londres • Conselho do
ral das Nações
Luxemburgo • Nações Mar Báltico
Unidas
• UE Unidas
Montreal
Viena
• Nações
• OSCE
Unidas

Berna
Madri • Nações
• Nações Unidas
Washington, D.C.
Unidas
• Fundo Monetário
Roma
Internacional
Estrasburgo • Nações Unidas
(FMI)
• Banco Mundial • UE

Paris Genebra
• Nações Unidas • Nações Unidas
• Agência Espacial Europeia • Organização Mundial do
(ESA) Comércio (OMC)
• Organização para a Coope-
ração e Desenvolvimento
Econômico (OCDE)

Nairóbi
• Nações Unidas

Nova York
Quartel-general
das Nações Unidas
Genebra
Organização
Mundial do
Comércio

FMI OTAN UE UNO


Desde 1952 a Alemanha Desde 1955 a Alemanha A Alemanha é membro Em 1973 a Alemanha
é membro do é membro da da atual UE desde a se tornou membro das
Fundo Monetário Organização do Tratado sua fundação em 1957 Nações Unidas
Internacional do Atlântico Norte
As Nações Unidas (ONU)
na Alemanha
Hamburgo

Berlim
Berlim
• Organização Internacional do Trabalho (OIT) –
Dresden
Bonn Representação na Alemanha
Frankfurt
• Alto Comissariado das Nações Unidas para os
Nurembergue Refugiados (ACNUR) – Representação regional
Alemanha e Áustria
• Programa Mundial de Alimentos (PMA) –
Shima Escritório regional na Alemanha
• Cúpula do G7, • Escritório do Banco Mundial em Berlim
2016 Bonn Campus da ONU
• Programa de Voluntários da ONU
• Secretariado das Mudanças Climáticas da
ONU (UNFCCC)
• Secretariado da Convenção das Nações Unidas
de Combate à Desertificação (UNCCD)
Hamburgo • Estratégia Internacional para a Redução de
Tribunal Internacional sobre o Desastres/Plataforma de Alerta Prévio
Xangai
Direito do Mar (ITLOS) (UN/ISDR-PPEW)
• Cúpula do G20,
• Universidade das Nações Unidas –
2016
Vice-reitoria na Europa (ONU-ViE)
• outras 14 instituições da ONU

Dresden
• Universidade das Nações Unidas – Instituto
para a Gestão Integrada do Fluxo de Materiais
e de Recursos (UNU-FLORES)

Frankfurt am Main
• Corporação Financeira Internacional (IFC),
Grupo do Banco Mundial

Hamburgo
Estrasburgo • Tribunal Internacional sobre o Direito do Mar
Parlamento (ITLOS)
Europeu • Instituto da Unesco para a Aprendizagem ao
Longo da Vida (UIL)
Bonn
Nurembergue
O edifício principal no
• Escritório do ACNUR
campus da ONU

OSCE G7 OMC G20


A Alemanha é membro Desde a fundação em Desde 1995 a Alemanha é A Alemanha é membro
da atual OSCE desde a 1975 a Alemanha faz parte membro da Organização do Grupo dos 20 desde
sua fundação em 1975 do grupo informal Mundial do Comércio a sua fundação em
1999  em Berlim
56 | 57 POLÍTICA EXTERNA

TEMA

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
A política de desenvolvimento alemã, en- A Agenda 2030 de desenvolvimento
quanto elemento de uma política estrutu- sustentável
ral e de paz global, quer contribuir para
melhorar as condições de vida nos países A Agenda 2030, que foi aprovada na 70ª
parceiros. Seu objetivo é superar a fome e sessão da Assembleia Geral da ONU no
a pobreza em todo o mundo e fortalecer a fim de setembro de 2015, será determi-
democracia e o Estado de direito. As dire- nante para o desenvolvimento global nos
trizes e os planos são desenvolvidos pelo próximos anos. A Agenda 2030 deve levar
Ministério da Cooperação Econômica e adiante e suplantar os Objetivos do Milê-
Desenvolvimento. As prioridades políti- nio (ODM) da ONU, que definiram o de-
cas e econômicas recaem sobre a coope- senvolvimento nos países em desenvolvi-
ração bilateral com os parceiros. A Ale- mento e emergentes para o período 2000
manha coopera nesse âmbito com 50 a 2015.
países em programas conjuntos que
podem englobar todos os instrumentos A implantação dos ODM possibilitou re-
da ajuda ao desenvolvimento oficial. A duzir a pobreza pela metade e melhorar o
África ocupa um lugar de destaque, mas acesso à água potável e à educação até
há também uma estreita cooperação com 2015, mas 1,3 bilhão de pessoas vivem
países da Ásia, Sudeste da Europa e Amé- ainda com menos de 1,25 dólar por dia.
rica Latina. Outros problemas, como o desperdício de
recursos naturais, as mudanças acelera-
A Alemanha aumentou os recursos des- das do clima e a destruição do meio am-
tinados à cooperação para o desenvol- biente, o alto índice de desemprego e as
vimento em 8,3 bilhões de euros até 2019, desigualdades sociais continuam sendo
perfazendo assim 0,4% do PIB em 2016. prementes. As novas metas de setembro
Com sua contribuição anual de 16,25 bi- de 2015 devem impulsionar o avanço ru-
lhões de dólares, o país ocupa o terceiro mo ao desenvolvimento sustentável no
lugar entre os maiores doadores depois mundo, considerando as questões econô-
dos EUA e do Reino Unido. Nos países micas, ecológicas e sociais e partindo das
os  projetos são normalmente supervi- metas já atingidas. Deve ser uma agenda
sionados pela Agência Alemã de Coope- “universal”, ou seja, válida para todos os
ração Internacional (GIZ) e pelo grupo países, e ultrapassar nos próximos 15
bancário KfW, principais organizações anos o âmbito da cooperação para o de-
executoras. senvolvimento, passando a incluir tam-
A Agenda 2030 da ONU visa a promover o desenvolvimento sustentável em importantes questões relativas ao futuro

bém aspectos políticos: ao lado do com- garantir a sustentabilidade desse acordo


bate à fome e à pobreza, o planeta deve ser sobre o futuro é necessária finalmente
protegido em sua condição de base natu- a participação de muitos atores. Além de
ral da vida para as futuras gerações; siste- governos, grupos da sociedade, a econo-
mas econômicos e estilos de vida devem mia e a ciência devem desempenhar um
ser mais justos, sustentáveis e eficientes; a papel relevante na implementação da
discriminação deve ser combatida atra- Agenda 2030.
vés do fortalecimento de eficientes insti-
tuições democráticas e inclusivas, boas
governanças e do Estado de direito. Para
58 | 59 ECONOMIA & INOVAÇÃO

ECONOMIA &
INOVAÇÃO
Forte polo econômico ∙ Ator global ∙ Mercados líderes e inovações ∙
Economia sustentável ∙ Agenda digital ∙ Mercado de trabalho atraente

INTRODUÇÃO

FORTE POLO ECONÔMICO


A Alemanha é a maior economia nacional da com a maior taxa de ocupação de mão de obra
União Europeia (UE) e, depois dos EUA, China na UE e a menor porcentagem de desemprego
e Japão, a quarta maior do mundo. A econo- entre os jovens. Isso comprova o valor do sis-
mia alemã deve sua competitividade e partici- tema dual de formação profissional, que se
pação na rede global ao grande poder inova- consolidou como produto de exportação e es-
dor e à vocação para a exportação. Nos setores tá sendo adotado em muitos outros países. Fa-
das indústrias automobilística, de construção tores tais como disponibilidade de mão de
de máquinas e equipamentos, química e de obra qualificada, infraestrutura e segurança
tecnologia medicinal, a exportação perfaz jurídica também caracterizam a Alemanha
bem mais do que a metade do faturamento. enquanto polo econômico com destaque em
Somente a China e os EUA exportaram mais muitos rankings internacionais. O vice-chan-
mercadorias em 2014. O país investe 80 bi- celer Sigmar Gabriel (SPD) ocupa a pasta da
lhões de euros anualmente em pesquisa e de- Economia e Energia.
senvolvimento (P&D). Muitas empresas estão
a caminho da indústria 4.0, na qual é especial- O modelo de economia social de mercado é
mente impulsionada a digitalização da enge- desde 1949 a base da política econômica ale-
nharia de produção e da logística. mã. A economia social de mercado garante
transações econômicas livres, esforçando-se
A dinâmica positiva da economia proporcio- todavia para manter um equilíbrio social. Esta
nou o desenvolvimento favorável do mercado concepção desenvolvida no pós-guerra por
de trabalho. Hoje a Alemanha é um dos países Ludwig Erhard, posterior chanceler federal,
VÍDEO AR-APP

Economia & inovação: o vídeo sobre


o tema → tued.net/pt/vid3

Indústria 4.0: a economia na Alemanha está a caminho de um futuro digital


60 | 61 ECONOMIA & INOVAÇÃO

foi responsável pelo caminho de sucesso que a negociadas principalmente na bolsa de valo-
Alemanha trilhou. O país participa ativamen- res de Frankfurt, o mercado financeiro mais
te do processo de globalização e está empe- importante do continente europeu. Em
nhado em construir um sistema econômico Frankfurt am Main também está a sede do
global sustentável, com igualdade de oportu- Banco Central Europeu (BCE), instituição eu-
nidades para todos. ropeia responsável, entre outras tarefas, pela
estabilidade do euro.
A Alemanha está entre os doze países que in-
troduziram o euro em 2002. A crise financeira
dos mercados (2008) e a subsequente crise do REDE
endividamento atingiram toda a zona do eu-
Ministério da Economia e Energia (BMWi)
ro, inclusive a Alemanha. O governo federal Política econômica, metas principais,
decidiu então adotar uma estratégia dupla de programas
não contrair novas dívidas e de tomar medi- → bmwi.de

das para o fortalecimento do poder de inova-


Make it in Germany
ção. Pela primeira vez desde 1969, foi possível Portal para mão de obra qualificada
apresentar em 2014 e 2015 um orçamento fe- internacional com informações sobre
deral equilibrado. viver e trabalhar na Alemanha
→ make-it-in-germany.de

O sustentáculo da economia alemã são as em- Agência Federal do Trabalho


presas de pequeno e médio porte, mais de 99% Dados sobre o mercado de trabalho
do total. Elas complementam as grandes em- e bolsas de emprego
→ arbeitsagentur.de
presas do DAX (índice do mercado alemão),

Centro financeiro com tradição: a bolsa de valores mais importante tem sede em Frankfurt am Main
COMPACTO

AGENTES & INSTRUMENTOS


A Confederação da Indústria Alemã
(BDI) representa os interesses de mais de 100
mil empresas. Dispõe de uma densa rede que
engloba todos os mercados importantes e
organizações internacionais.
→ bdi.eu

As câmaras bilaterais de comércio e indústria


(AHK), delegações e representantes da econo- Germany Trade and Invest
mia alemã formam uma rede de 130 postos Germany Trade and Invest (GTAI) é a sociedade
em 90 países. de fomento à economia da República Federal
→ ahk.de da Alemanha. Com mais de 50 sucursais no mun-
do, ela é responsável pelo marketing da
Representações alemãs no exterior Alemanha, ajuda empresas alemãs a se estabe-
227 embaixadas e consulados formam, junta- lecer no exterior e empresas estrangeiras a se
mente com as AHK e o GTAI (Germany Trade estabelecer no país.
&  Invest), o terceiro pilar do fomento à econo- → gtai.de
mia exterior.
→ auswaertiges-amt.de Conselho do Desenvolvimento Sustentável
Dentre as tarefas do Conselho do Desenvolvi-
Confederação Alemã das Câmaras de mento Sustentável, criado pelo governo federal,
Comércio e Indústria está a elaboração de planos para a implementa-
(DIHK) é a organização das 80 câmaras de ção da estratégia nacional de sustentabilidade.
comércio e indústria alemãs. Delas fazem parte → nachhaltigkeitsrat.de
3,6 milhões de empresas comerciais e industriais.
→ dihk.de

Instituto Alemão de Pesquisa Econômica DIGITAL PLUS


O DIW em Berlim é o maior dos muitos Mais informações sobre todos os temas
institutos alemães de pesquisa econômica do capítulo – lista de links comentados,
artigos, documentos, discursos;
→ diw.de
conceitos complementares como eco-
nomia social de mercado, formação profissional dual, po-
lítica econômica, crise econômica e financeira europeia.
→ tued.net/pt/dig3
62 | 63 ECONOMIA & INOVAÇÃO

TEMA

ATOR GLOBAL
A Alemanha é um país industrializado, vol- internacionalmente – antes dos EUA e da
tado para a exportação, com fortes laços co- Grã-Bretanha.
merciais internacionais e um setor de ex-
portação extremamente desenvolvido. Nos Um em cada dois euros é ganho com a ex-
rankings anuais da Organização Mundial portação de mercadorias, um em cada qua-
do Comércio (OMC), a Alemanha aparece tro postos de trabalho, na indústria até um
regularmente – depois da China e dos EUA em cada dois, depende da exportação. 800
– como o terceiro maior país exportador do mil empresas atuam no setor de comércio
mundo. Em 2014 a balança comercial fe- exterior. 685 mil empresas importaram
chou com um superávit de 190 bilhões de mercadorias de outros países em 2014, en-
euros, um novo recorde. O valor das expor- quanto cerca de 340 mil exportaram. 10.700
tações (mercadorias e serviços) das empresas empresas com sede no exterior tiveram
alemãs subiu para 1.326 bilhões de euros, uma participação substancial no comércio
o valor das importações ficou em 1.136 bi- exterior alemão. A Confederação Alemã das
lhões de euros. Considerando um cresci- Câmaras de Comércio e Indústria (DIHK)
mento total mais fraco da economia mun- avalia que mais de 7 milhões de funcioná-
dial em 2013/2014, a Alemanha se posicio- rios trabalham para empresas alemãs no
nou muito bem. É o país que na comparação exterior.
internacional mais lucra com a globaliza-
ção. O índice Country Connectedness Index Na pauta das exportações dominam os auto-
2014 do Instituto McKinsey Global aponta a móveis e peças, máquinas, produtos químicos,
Alemanha como o país mais bem conectado equipamentos de processamento de dados e

DIAGRAMA O Produto Interno Bruto (PIB) 2014 em bilhões de dólares

Desempenho Econômico 17.418,9


As empresas alemãs desfrutam
internacionalmente de uma
excelente reputação. São iden-
tificadas no mundo todo com a
10.380,4
conceituada marca de qualida-
Fonte: Statistisches Bundesamt

de ”Made in Germany”. A quarta


4.616,3 3.859,6
maior economia nacional do
globo é voltada principalmente
2.945,2
Reino
para a exportação. EUA China Japão Alemanha Unido
O contêiner é o símbolo da globalização: o porto de Hamburgo está entre os maiores portos de transbordo

As maiores potências comerciais 2014 Maiores empresas alemãs 2014


(Participação na exportação global) (Volume de negócios, milhões €)
12,4 % Volkswagen 202.458
República Popular da China
8,6 % Daimler AG 129.872
EUA Eon SE 111.556
8,0 % Grupo BMW 80.401
Alemanha
3,6 % Grupo Schwarz 79.300
Fonte: F.A.Z., OMC

Japão Grupo BASF 74.326


3,6 % Siemens AG 71.920
Países Baixos
64 | 65 ECONOMIA & INOVAÇÃO

produtos eletrônicos. A esses quatro grupos GLOBAL


de produtos corresponde a metade da expor-
A Organização para a Cooperação e o
tação alemã. A cota de exportação pratica- Desenvolvimento Econômico (OCDE)
mente dobrou desde 1991, passando de 25,7% analisa a cada semestre em seu pano-
para 50,6%. A cota de comércio exterior, a so- rama econômico as mais importantes
ma de importação e exportação em relação tendências econômicas e as perspecti-
ao Produto Interno Bruto (PIB), era 89% em vas nos 34 países da OCDE e nos países
emergentes para os próximos dois
2013. A Alemanha é assim a economia de
anos. A avaliação geral para 2015/2016
mercado mais aberta dos países do G-7. Com- prevê um aumento da dinâmica do
parando: os EUA tiveram em 2013 uma cota crescimento econômico mundial, mo-
de comércio exterior equivalente a 30%. derado porém em relação
ao período anterior à crise.
→ oecd.org
Os parceiros da União Europeia (UE) são,
com 58% do total das exportações, o mercado
mais importante. O país para o qual a Alema-
nha mais exporta é tradicionalmente a Fran-
ça; no primeiro semestre de 2015, no entanto,
os EUA ocuparam pela primeira vez o primei-
ro lugar . Em seguida vêm o Reino Unido, a Re- postos de trabalho na Alemanha. O volume de
pública Popular da China e os Países Baixos. investimentos estrangeiros diretos equivale a
Nas importações a situação está invertida: a 458 bilhões de euros. A Alemanha é assim o sé-
cota maior de importações vem dos Países timo maior polo de investimentos do mundo.
Baixos, seguida da República Popular da Chi-
na, França, Estados Unidos e Itália. As relações O setor de feiras é uma importante platafor-
econômicas e comerciais com os países asiáti- ma do comércio mundial. O polo alemão de
cos ganham continuamente em importância, feiras é o número um no mundo em organi-
apesar do enfraquecimento parcial das taxas zação e realização de feiras internacionais.
de crescimento. Somente na China existem Dos eventos de importância global, dois ter-
investimentos de 5 mil empresas alemãs. ços acontecem na Alemanha. 10 milhões de
pessoas visitam por ano as 150 feiras e expo-
Uma prova da forte inserção na economia sições internacionais realizadas no país.
global continuam sendo os investimentos di-
retos da Alemanha no exterior, que quintupli- Grande parte do fluxo de mercadorias da
caram desde 1990 chegando a 919 bilhões de Europa e do mundo acontece na Alema-
euros (2013). Um terço foi investido na zona nha. Por nenhum outro país da UE são
do euro. Por outro lado, os investidores es- transportadas tantas mercadorias. 3 mi-
trangeiros são responsáveis, através de suas lhões de pessoas trabalham no setor de lo-
participações em empresas, por 3 milhões de gística, e cerca de um terço do faturamento
das dez mais importantes empresas desse A Alemanha está empenhada em estrutu-
setor na UE é também produzido no país. rar a globalização, atuando na elaboração
Uma porta para o mundo é o porto de das regras do comércio internacional, na
Hamburgo, onde 9,7 milhões de contêi- regulação dos mercados financeiros, no
neres padrão são movimentados por ano. gerenciamento do dinheiro e da moeda.
Devido ao lento avanço nas negociações
Engajamento por um comércio multilaterais (Rodada de Doha), a atenção
livre e justo principal está voltada para os acordos bila-
terais de livre-comércio da União Europeia.
A Alemanha pleiteia mercados abertos e um Encontram-se em negociação especialmen-
comércio livre e justo baseado em regras te os acordos com os EUA (Transatlantic
claras e confiáveis. Procura atingir essas Trade and Investment Partnership, TTIP) e
metas também com os “três pilares da polí- o Japão. O Acordo Econômico e Comercial
tica de fomento ao comércio exterior”: as Global CETA europeu-canadense está con-
227 representações alemãs no exterior, as cluído. Desde 2011 está em vigor o acordo
130 câmaras binacionais de comércio e in- de livre-comércio entre a UE e a Coreia do
dústria (AHK), delegações e representações Sul, o primeiro com um país asiático. Des-
da economia alemã em 90 países, e a socie- de então as exportações para a Coreia do Sul
dade de fomento à economia Germany aumentaram 10%. Em 2015 a UE e o Vietnã
Trade and Invest (GTAI). Elas apoiam as pe- firmaram um acordo de livre-comércio, o
quenas e médias empresas na conquista de primeiro desse tipo entre a UE e um país
novos mercados no exterior e atuam no sen- em desenvolvimento.
tido de melhorar as condições básicas.

Plataformas do comércio mundial: até 10 milhões de pessoas visitam anualmente as grandes feiras
66 | 67 ECONOMIA & INOVAÇÃO

TEMA

MERCADOS LÍDERES E INOVAÇÕES


O poder econômico da Alemanha se baseia setores-chave são as indústrias eletrotécni-
decisivamente na força do desempenho da ca e eletrônica, como a Siemens, presente
indústria e sua capacidade inovadora. como ativo global player em 190 países,
Principalmente a indústria automobilísti- cujas soluções de aplicações – da biotecno-
ca, com 775 mil empregados, é considerada logia às energias alternativas – são consi-
o segmento modelo da marca “Made in deradas de alto padrão inovador. O signifi-
Germany”. Com as seis poderosas marcas cado do mercado global para os grandes
Volkswagen, BMW, Daimler, as marcas setores industriais fica patente nas cotas de
Audi e Porsche da VW e a Opel (General exportação de 60% ou mais.
Motors), a indústria automobilística é um
dos motores do setor global de mobilidade. Os centros econômicos mais importantes
na Alemanha são a Região do Ruhr, as áre-
Para garantir essa competitividade, as em- as metropolitanas de Munique e Stuttgart
presas investem bilhões em pesquisa e de- (tecnologia de ponta, indústria automobi-
senvolvimento (P&D). Carro elétrico, conexão lística), o Reno-Neckar (química, TI), Frank-
digital, direção autônoma e assistida são as furt am Main (finanças), Colônia e Ham-
megatendências da locomoção automóvel. burgo (porto, construção de aeronaves,
Em termos globais, os fabricantes alemães de mídia). Nos estados do Leste se desenvolve-
automóveis produziram, com sua grande ram pequenos mas competitivos centros de
participação nos segmentos de mercado da tecnologia de ponta, principalmente nas
classe média alta e da classe alta, 14,9 milhões regiões economicamente dinâmicas de
de carros de passeio em 2014, a cota de expor- Dresden, Jena, Leipzig, Leuna e Berlim-
tação da indústria automobilística alemã ul- -Brandemburgo.
trapassa 77%.
A lista das maiores empresas alemãs (segun-
Fazem parte dos setores tradicionalmente do o volume de negócios em 2014) é encabe-
fortes da economia alemã, ao lado da in- çada e dominada pela indústria automobi-
dústria automobilística, os setores de lística: Volkswagen em primeiro lugar,
máquinas e equipamentos e a indústria seguida de Daimler e BMW em segundo e
química. A BASF, fundada em 1865 e com quarto. Eon (energia) ocupa o terceiro,
sede em Ludwigshafen, é com 113 mil em- BASF (química) o sexto e Siemens (elétrica)
pregados em 390 centros de produção em o sétimo lugar. As posições 5, 8 e 9 ficam
mais de 80 países, a maior multinacional com empresas comerciais. Em décimo lu-
da indústria química do mundo. Outros gar fica a Deutsche Telekom.
Sucesso mundial: as montadoras alemães estão entre os grandes atores do setor de mobilidade global

A indústria na Alemanha é especializada no O motor da potência econômica alemã é a


desenvolvimento e produção de bens in- capacidade inovadora da economia. Aqui
dustriais complexos principalmente em se veem os resultados positivos da inten-
bens de investimento e tecnologias inova- sificação de esforços na área de P&D desde
doras de produção. Em comparação com 2007. Tanto a economia como o setor
outras economias nacionais, a indústria público contribuíram para isso. A estraté-
tem um peso claramente maior na Alema- gia de tecnologia de ponta do governo fe-
nha. 7,22 milhões de pessoas trabalham deral trouxe impulsos decisivos. Em 2013
na  indústria e no setor manufatureiro. a Alemanha gastou 80 bilhões de euros
A participação desse setor no valor adicio- em P&D, o correspondente a 2,84% do
nado bruto só é maior na Coreia do Sul. Produto Interno Bruto (PIB), ocupando
68 | 69 ECONOMIA & INOVAÇÃO

assim a quinta posição entre países seme- sas de prestação de serviços. 80% das em-
lhantes da OCDE – ainda antes dos EUA e presas alemãs fazem parte desse setor.
muito à frente da França e da Grã-Bretanha. Três quartos dos postos de trabalho estão
Entre os grandes concorrentes, somente a localizados na área de serviços, que res-
Coreia do Sul e o Japão têm maior atividade ponde por 70% do PIB. Do total de 30 mi-
na área de P&D. lhões de empregados, 12 milhões traba-
lham em empresas públicas e privadas de
A Alemanha também é considerada campeã prestação de serviços, cerca de 10 milhões
da Europa em invenções. Em 2014 as empre- nos setores de comércio, gastronomia e
sas alemãs encaminharam 32 mil pedidos de transportes e mais de 5 milhões na presta-
registro de patentes ao Instituto Europeu de ção de serviços a empresas.
Patentes em Munique. No mesmo ano foram
registradas 65.958 patentes no Instituto Ale- Médias e pequenas empresas:
mão de Marcas e Patentes (DPMA em ale- o núcleo da economia
mão), um novo recorde. As mais ativas foram
a fabricante de peças automotivas Bosch, Apesar dos inúmeros global players e dos
com 4 mil registros, e a empresa do Grupo grandes carros-chefe da economia, são os
Schaeffler (2.518), do mesmo ramo. Ao todo, 3,6 milhões de empresas de pequeno e mé-
vigoravam exatamente 116.702 patentes dio porte (MPEs), bem como os profissionais
alemãs em 2014, acrescentando-se 458.042 liberais e autônomos, que caracterizam a es-
direitos de propriedade industrial com va- trutura da economia. 99,6 % das empresas
lidade para a Alemanha, solicitados junto pertencem ao chamado empresariado mé-
ao Instituto Europeu de Patentes. dio. Consideram-se empresas de porte médio
firmas com um faturamento de menos de
O polo industrial alemão seria impensável 50milhões de euros e com menos de 500 em-
sem o crescimento constante das empre- pregados. Muitos imigrantes fundam suas

LINHAS DO TEMPO

1955
O milionésimo Fusca
1969
É fundado em Toulouse (França),
1989
Com a Reforma dos Correios
sai da linha de montagen em como projeto franco-alemão, o Etapa I começa a privatização da
Wolfsburg em 5 de agosto. consórcio Airbus. Hoje a Airbus enorme estatal Correio Federal
O carro se torna o símbolo do S.A.S. é o segundo maior fabri- Alemão. A privatização é uma das
maior sucesso de venda do cante de aeronaves do mundo. maiores reformas da história da
chamado “milagre econômico”. economia alemã.
próprias empresas nesse setor. Mais de A economia se encontra no limiar da quar-
700 mil pessoas com origem migratória ta revolução industrial. Impulsionados pela
são donas de suas próprias empresas, o internet, o mundo real e a realidade virtual
que faz dos imigrantes um importante fa- estão se fundindo em uma “internet das
tor econômico. coisas”. A meta do governo federal é apoiar
a economia e a ciência na implementação
Segundo uma pesquisa do grupo bancário da Indústria 4.0, transformando a Alema-
KfW, o número de empresas inovadoras nha em fornecedor líder de tecnologias e
está diminuindo: apenas 28% das médias futuro polo produtor.
e pequenas empresas investem em produtos
e processos inovadores. Uma das justificati-
vas seriam as perspectivas da conjuntura
INFORMAÇÃO
econômica, que se mantêm moderadas. Em
Desde meados dos anos 1990, existe
muitos nichos de mercado, as MPEs alemãs
internacionalmente uma tendência de
são frequentemente “hidden champions”, redução de impostos para empresas.
líderes na Europa e no mundo, com pro- A Alemanha há muito deixou de ser
dutos altamente inovadores. A indústria um país com taxa alta de impostos.
criativa conseguiu se firmar no setor. Ela Na comparação internacional a carga
de impostos e taxas se encontra abai-
desempenha um papel pioneiro, muitas
xo da média. A média da carga total
vezes como pequena empresa com pouco
de impostos empresariais é menor
capital, no caminho para uma economia que 30%; em algumas regiões, depen-
digital baseada no conhecimento e é tida dendo das taxas locais variáveis, até
como uma fonte significativa de ideias menos de 23%.
inovadoras. Berlim é um hotspot interna- → gtai.de

cional da indústria criativa e de startups,


com mais de 28 mil empresas.

1990
A agência fiduciária de direito pú-
2002
De 1948 a 1998 o marco alemão é
2014
Pela primeira vez o índice do
blico Treuhandanstalt fica encarre- a moeda bancária ou escritural, até mercado alemão DAX ultrapassa
gada de transformar no prazo de 2001 como papel moeda de circu- os 10 mil pontos. Ele reflete o
poucos anos a antiga economia lação a moeda oficial. Em 1° de ja- desenvolvimento das 30 empre-
socialista planificada da RDA, com neiro de 2002 é substituído pelo sas alemãs com o maior volume
milhares de empresas estatais, em euro, que passa a circular na Ale- de negócios.
uma economia de mercado. manha e onze outros países da UE.
70 | 71 ECONOMIA & INOVAÇÃO

TEMA

ECONOMIA SUSTENTÁVEL
A Alemanha é um dos países industrializa- como parte da economia sustentável. A Res-
dos mais sustentáveis do mundo. Esse é o re- ponsabilidade Social Corporativa (RSC) diz
sultado de um estudo comparativo interna- respeito principalmente às atividades prin-
cional dos 34 países da OCDE, realizado pela cipais das empresas que, devido à globaliza-
Fundação Bertelsmann em 2015. Partindo ção, influenciam as questões econômicas,
das 17 metas de sustentabilidade das Nações sociais e ambientais. A maioria das empresas
Unidas, os países foram analisados pela pri- cotadas no DAX, como BASF, Daimler ou
meira vez sistematicamente segundo 34 in- Deutsche Bank – e outras médias e peque-
dicadores, desde proteção do meio ambien- nas empresas, institutos e organizações não
te, passando pelo crescimento, até a quali- governamentais – participam da iniciativa
dade dos sistemas de seguridade social. A Pacto Global das Nações Unidas, criada em
Alemanha ficou em sexto lugar, obtendo 1999. O Pacto Global da ONU, as diretrizes
grande número de pontos sobretudo em da OCDE para empresas multinacionais e a
crescimento, ocupação e seguridade social. Declaração Tripartite de Princípios sobre
Empresas Multinacionais e Política Social
Um número crescente de empresas na Ale- da OIT são a base para a declaração de res-
manha assume sua responsabilidade social ponsabilidade social por parte de empresas.
O Pacto Global tem 8 mil empresas e 4 mil
organizações como membros voluntários.
LISTA
No âmbito europeu a Alemanha apoia prin-
cipalmente a ampla iniciativa de RSC da UE.
∙ Maior empresa:
Volkswagen, 592.586 funcionários
A estratégia está sendo desenvolvida paula-
tinamente e prevê a introdução de um rela-
∙ Maior banco: tório vinculativo de RSC para determinadas
Deutsche Bank, 98.138 funcionários empresas a partir de 2016. No âmbito da
presidência alemã do G7 em 2015, o gover-
∙ Mais importante índice da bolsa:
no federal colocou na agenda os temas pa-
O Índice do Mercado Alemão (DAX)
drões de trabalho, sociais e ambientais.
∙ Maior pavilhão de feiras:
Hannover A relação entre responsabilidade social e
ecológica está também patente na chama-
∙ Maior fabricante de aeronaves:
da “Aliança para Têxteis Sustentáveis”,
Airbus em Hamburgo
que procura melhorar nos dois aspectos a
Trabalho digno: cada vez mais empresas alemãs valorizam os padrões justos nas redes de fornecimento global

situação dos empregados na indústria de Para estruturar uma estratégia de RSC, o


têxteis e confecção. Mais de 100 fabrican- governo federal instituiu um fórum na-
tes de têxteis, dentre eles grandes empre- cional de RSC em 2009. Em 2010 foi apro-
sas, se filiaram à iniciativa criada em 2014 vada a “Estratégia Nacional de Responsa-
pelo Ministério do Desenvolvimento e bilidade das Empresas – Plano de Ação
Cooperação Econômica (BMZ). Com esta Responsabilidade Social Corporativa”.
aliança a Alemanha quer documentar seu Um dos pontos principais é o sucesso da
papel pioneiro nos esforços internacio- implementação de RSC em médias em-
nais a caminho de padrões justos nas ca- presas.
deias de fornecimento globais.
72 | 73 ECONOMIA & INOVAÇÃO

TEMA

AGENDA DIGITAL
A economia se encontra no limiar da quar- concorrência internacional pela liderança
ta revolução industrial. Impulsionados tecnológica na produção. O governo fede-
pela internet, o mundo real e a realidade ral fomenta e participa ativamente da
virtual se fundem em um processo de transformação digital, elaborando uma
transformação digital para dar origem à Agenda Digital com sete campos de ação.
“internet das coisas”. A digitalização re- Ela engloba todos os setores sociais, desde
presenta uma cisão histórica para a indús- o Estado, a economia, a cultura, a educa-
tria e a economia de prestação de serviços. ção até a ciência. A transformação digital
No conceito Indústria 4.0 estão reunidos não é compreendida como um processo
soluções, processos e tecnologias que des- somente tecnológico mas também social,
crevem a utilização em grande escala de TI que envolve questões de liberdade e demo-
e um nível muito alto de conexão de siste- cracia até a proteção do indivíduo.
mas nas fábricas. Muitas empresas alemãs
estão a caminho da Indústria 4.0, com a Com a Agenda Digital, a Alemanha deve se
qual está sendo impulsionada a digitaliza- tornar em médio prazo o principal fornece-
ção das técnicas de produção e da logística. dor da Indústria 4.0 e o país número um em
A economia espera um acirramento da termos de crescimento na Europa. Estudos
preveem em cenários positivos um poten-
cial de crescimento adicional entre 200 e
NÚMERO 425 bilhões de euros por meio da Indústria
4.0, até 2025. O setor de tecnologias da in-

600 formação e comunicação (TIC), enquanto


setor transversal, desempenha um papel
operadoras de internet e outras organiza- decisivo no processo. Atualmente 23 % do
ções de 60 países estão conectadas no crescimento da produtividade resulta de
DE-CIX. O ponto de troca de tráfego em investimentos em TIC. 900 mil empregados
Frankfurt am Main é o maior do mundo produzem um volume de negócios equiva-
em termos de taxa de transferência de da-
lente a 228 bilhões de euros. A Alemanha é
dos. Em 2015 a taxa de transferência de
dados alcançou pela primeira vez a marca portanto o quarto maior mercado nacional
de 4 terabits por segundo. Depois de Mar- de TIC, depois dos EUA, Japão e China, e o
selha (França), Palermo (Itália), Dallas primeiro da Europa.
(EUA), o provedor DE-CIX está instalando
um ponto de troca de tráfego em Istam-
A ampliação da infraestrutura digital, es-
bul (Turquia). → de-cix.net
pecialmente dos acessos de internet banda
Sempre on-line: a ampliação da infraestrutura digital é um dos mais importantes projetos do governo federal

larga, é considerada uma das mais impor- entre cidades e regiões rurais. Em 2015,
tantes tarefas da digitalização. A meta é quase dois terços (64%) dos domícilios ti-
criar até 2018 uma infraestrtura abran- nham acesso a internet de banda larga
gente de banda larga com uma velocidade com uma velocidade mínima de 50 Mbit/s,
mínima de 50Mbit/s de download. O go- na maioria através de rede de telefonia fi-
verno federal e a economia lançaram um xa. Quatro entre cinco (82%) domícilios
amplo pacote de 10 bilhões para a amplia- em cidades têm conexão com mais de
ção da banda larga. 87% dos domicílios 50Mbit/s; nas regiões rurais, apenas um
contam hoje com um acesso de internet em cada cinco (20%). O padrão LTE para
banda larga, mas ainda existem diferen- redes móveis está disponível para 92% dos
ças entre os estados no Oeste e no Leste e domicílios.
74 | 75 ECONOMIA & INOVAÇÃO

PANORAMA

CONCEITUADO PARCEIRO COMERCIAL


Mais importantes bens de exportação segundo grupos de produtos (2014)

17,9 % 14,5 % 9,5 % 7,9 % 6,0 %


Automóveis Máquinas Produtos Equipamentos de Equipamentos
e peças químicos processamento elétricos
de dados

Exportações alemãs de mercadorias Zona do euro


segundo as regiões (2014) 36,6 %

Os países europeus são os mercados mais


importantes para a Alemanha. 68 % das
exportações alemãs se destinam a eles.
Os EUA (8,5%) e a China (6,6%) são os mais UE sem a
importantes importadores fora da Europa. zona do euro
21,4 %

Restante da
Europa
sem a UE
10,0 %

Austrália
Oceania África
0,8 % 2,0 %

1.119 bi. de euros 889 bi. de euros 50 % 25 %


Valor de mercadorias Valor de mercadorias Cota de exportação Postos de trabalho
exportadas importadas dependentes da exportação
Os 25 maiores mercados exportadores em % (2014)

Reino Unido:
7,4
EUA:
8,5 Federação Russa:
Suécia:
4,2 2,6

Dinamarca: República da
Polônia: 4,2 Coreia: 1,4
México 1,5
0,8 Bélgica:
3,7 República República Popular
Brasil: Tcheca: 3,0
0,9 da China: 6,6
Países Baixos: Eslováquia: 1,0
Japão:
6,5 Alemanha 1,5
Hungria: 1,8 Turquia: 1,7

Romênia: 0,9 Índia: 0,8


França:
9,0 Emirados Árabes Unidos:
Áustria: 1,0
5,0
Suíça:
Espanha: 4,1
3,1 Itália:
4,8

Ásia
sem a China
EUA 10,3 %
8,5 % China
América sem
6,6 %
os EUA
3,5 %

5,6 milhões 9,3 milhões 150 254


Automóveis nacionais Automóveis produzidos por Feiras líderes Participação em
produzidos por montadora montadora alemã no mundo na Alemanha feiras estrangeiras
alemã (na Alemanha) (no exterior)
76 | 77 ECONOMIA & INOVAÇÃO

TEMA

MERCADO DE TRABALHO ATRAENTE


O mercado de trabalho na Alemanha teve do setor terciário nos próximos anos, rumo a
desde 2008 um desenvolvimento favorável, uma sociedade de prestação de serviços. O
apesar da crise econômica e financeira. aumento de contratos em regime de tempo
42,8 milhões de pessoas registradas na seguri- parcial, mais conhecidos por trabalho em
dade social estavam empregadas no país em part-time, também é típico do desenvolvi-
julho de 2015. A alta taxa de emprego de mais mento do mercado de trabalho.
de 73,5% é, apesar dos fracos impulsos da eco-
nomia mundial, expressão da boa situação O baixo índice de desemprego entre os jovens
econômica. A Alemanha é um dos países da chamou a atenção internacional para o su-
UE com a menor taxa de desemprego. Em cesso da formação prossional dual, que difere
2014 ela se manteve em média em torno de da pura formação escolar oferecida na maio-
6,7%, o nível mais baixo desde 1991. Especial- ria de outros países para o ingresso na profis-
mente o crescimento do setor de serviços te- são. Cerca da metade dos jovens na Alemanha
ve uma influência positiva no mercado de aprende após a escola uma das 350 profissões
trabalho. Uma pesquisa do Instituto de Pes- reconhecidas oficialmente no sistema de for-
quisa de Emprego e Formação (IAB em ale- mação dual. A parte prática é absolvida em
mão) prevê a continuação da forte expansão dois ou três dias por semana em uma empre-
sa. E a parte teórica específica é ensinada em
um ou dois dias na escola profissionalizante.
Muitos países estão adotando agora o sistema
INFORMAÇÃO
dual de formação profissional.
Bússola de carreira Alemanha
O app criado em 2015 contém amplas
informações em alemão e inglês sobre
O governo federal adotou diversas medidas
possibilidades de formação, estudo e de política trabalhista para criar um mercado
trabalho na Alemanha. É dirigido a de trabalho moderno, justo e transparente.
pessoas jovens no exterior e oferece Desde o início de 2015 está em vigor o salário
oportunidade de se familiarizar com mínimo de 8,50 euros, que beneficiou inicial-
todas as questões relacionadas a temas
mente 3,7 milhões de pessoas. A cota de mu-
como cultura empresarial nas empre-
sas alemãs, bem como informações lheres deve igualar o número de homens e
muito úteis sobre aplicação de currícu- mulheres em posições de chefia. Empresas
los. Mais de 200 links direcionados pa- que cotam na bolsa de valores e são sujeitas à
ra outros locais. cogestão devem destinar às mulheres 30% de
→ deutschland.de
todos os cargos em seus conselhos fiscais a
partir de 2016. A Lei de Igualdade Tarifária
Formação profissional dual: o modelo alemão, que combina teoria e prática, está sendo adotado em muitos países

garante que não haja na mesma empresa principais de abertura do mercado de traba-
contratos com tarifas diferentes para a mes- lho é Make it in Germany, um portal para
ma atividade. E, desde 1º julho de 2014, segu- mão de obra qualificada internacional com
rados de longo prazo que tenham mais de informações sobre oportunidades de carrei-
45 anos de contribuição aos fundos públicos ra em vários idiomas e vagas de emprego
de aposentadoria podem se aposentar a partir nas profissões com carência de mão de obra
de 63 anos sem corte na remuneração mensal. (setores de saúde, engenharia e TI). Jovens
com diploma universitário e profissionais
Diante da transição demográfica, a garantia qualificados recebem o Cartão Azul da
de mão de obra especializada é uma das União Europeia e facilidades no acesso ao
tarefas mais urgentes. Um dos projetos mercado de trabalho alemão.
78 | 79 MEIO AMBIENTE & CLIMA

MEIO AMBIENTE
& CLIMA
Pioneira na política climática ∙ Impulsionadora das cooperações
sobre o clima ∙ Virada energética – Projeto para gerações ∙ Tecnologias verdes,
um setor de futuro ∙ Diversidade essencial para a vida

INTRODUÇÃO

PIONEIRA NA POLÍTICA CLIMÁTICA


O século 21 é considerado “Século do Meio no mínimo 80% até 2050. No final de 2014
Ambiente”. Isso significa que a intensidade havia sido alcançada uma redução de 27%.
das mudanças nas condições naturais de vida
de gerações futuras sobre a Terra será decidi- Também no âmbito global, o governo federal
da nas próximas décadas. O maior perigo está empenha-se ativamente em prol da proteção
na aceleração das mudanças climáticas. Há do meio ambiente, da cooperação em ques-
muito tempo, a proteção do meio ambiente e tões energéticas e de estratégias de desenvol-
do clima tem um grande significado na Ale- vimento favoráveis ao clima. A Alemanha é
manha, que se destaca internacionalmente um dos impulsionadores do processo na
na proteção do clima e é pioneira na amplia- União Europeia, que assumiu um papel de
ção das energias alternativas. pioneira desde a Conferência da ONU sobre
o Clima no Rio de Janeiro em 1992. A UE
Com a virada energética, como se denomina apoia a meta de limitar o aquecimento global
o processo de transformação do setor, o país a dois graus. Para isso é necessária a redução
pretende deixar para trás a era das energias de 80 a 95% da emissão de dióxido de carbo-
fóssil e nuclear, caminhando para um futu- no nos países industrializados. No âmbito da
ro energético sustentável. Disso faz parte o presidência alemã do G7 em 2015, as nações
abandono sucessivo da energia nuclear até industrializadas decidiram deixar com maior
2022. Até 2020, as emissões de dióxido de celeridade de usar combustíveis fósseis. A
carbono devem ser reduzidas em 40% em completa descarbonização deve ser alcança-
relação a 1990, com a intenção de alcançar da no decorrer do século. O Secretariado das
VÍDEO AR-APP

Meio ambiente & clima: o vídeo sobre o


tema → tued.net/pt/vid4

O caminho para a era das energias renováveis não tem retorno


80 | 81 MEIO AMBIENTE & CLIMA

Nações Unidas que fiscaliza a implementa- economia. Para tanto, faz-se necessário
ção da Convenção Quadro do Clima tem sua também o aumento da eficiência energéti-
sede em Bonn. ca e dos recursos e o uso inteligente das
matérias-primas, estrátegia que traz du-
Um meio ambiente intacto – ar puro, águas plos dividendos: redução do impacto sobre
limpas, diversidade da natureza – é funda- o meio ambiente e criação de novos postos
mental para um alto padrão de qualidade de de trabalho.
vida. A proteção do meio ambiente está fixa-
da na Lei Fundamental como meta do Estado
desde 1994. No caso da qualidade do ar e das REDE
águas, os indicadores comprovam há anos
UNFCCC
uma melhora significativa. A emissão de Secretariado da Convenção Quadro da
substâncias nocivas, como óxidos de nitrogê- ONU sobre Mudanças Climáticas
nio e dióxido de enxofre, diminuiu conside- → unfccc.int
ravelmente, em parte graças à instalação de
filtros em usinas termelétricas e de catalisa- BMUB
Ministério Federal do Meio Ambiente,
dores nos automóveis. O consumo per capita
Proteção da Natureza, Construção e
de água potável também diminuiu notavel- Segurança de Reatores
mente, de mais de 140 para 120 litros por dia. → bmub.bund.de

A Alemanha sustenta uma posição que BUND


Federação para Meio Ambiente e Prote-
conjuga a proteção do clima e do meio am-
ção da Natureza da Alemanha → bund.net
biente ao desenvolvimento sustentado da

As energias eólica e solar são as mais importantes e proveitosas fontes de energia alternativa na Alemanha
COMPACTO

AGENTES & INSTRUMENTOS


Agência Federal do Meio Ambiente
A Agência Federal do Meio Ambiente (UBA),
órgão do Ministério Federal do Meio Ambien-
te, apoia o governo federal com estudos cientí-
ficos. A UBA é responsável pela aplicação da
legislação ambiental em questões como licen-
ciamento de produtos químicos, medicamen-
tos e agrotóxicos, bem como pela informação
do cidadão em questões ambientais. Agência Alemã de Cooperação Internacional
→ umweltbundesamt.de A Agência Alemã de Cooperação Internacional
(GIZ) é uma empresa federal com atuação inter-
Agência Alemã de Energia nacional. A GIZ apoia o governo federal na im-
A Agência Alemã de Energia (Dena) é um centro plementação de suas metas de política de de-
de competência para eficiência energética, senvolvimento. Presta consultoria a países em
energias renováveis e sistemas energéticos. A desenvolvimento e emergentes nas questões de
Dena apoia a implementação da virada energé- proteção ao clima e no uso justo e sustentável
tica e se empenha em prol da produção e do dos recursos hídricos.
uso o mais eficiente, seguro, econômico e eco- → giz.de
lógic possível da energia.
→ dena.de Agência Federal de Proteção à Natureza
A Agência Federal de Proteção à Natureza (BfN)
Agora Energiewende é responsável pela proteção da natureza em
O think tank Agora Energiewende funciona nível nacional e internacional. No site da BfN
como fórum para o diálogo com os atores da existem bons mapas das áreas de proteção
política energética. ambiental.
→ agora-energiewende.org → bfn.de

Instituto Potsdam para Pesquisa do Impacto DIGITAL PLUS


Climático Mais informações sobre todos os temas
O Instituto Potsdam para Pesquisa do Impacto do capítulo – lista de links comentados,
artigos, documentos, discursos; conceitos
Climático (PIK) investiga questões relevantes
complementares como Convenção Qua-
nas áreas: mudanças globais, influências climá- dro do Clima, emissão de gases de efeito estufa, Lei das
ticas e desenvolvimento sustentado. Energias Renováveis e Metas de proteção do clima da UE.
→ pik-potsdam.de → tued.net/pt/dig4
82 | 83 MEIO AMBIENTE & CLIMA

TEMA

IMPULSIONADORA DAS COOPERAÇÕES SOBRE O CLIMA


A Alemanha contribui significativamente pa- transferência de tecnologia. Dentre os países
ra que a proteção do clima ocupe um lugar de industrializados, a UE é pioneira na meta de
destaque na agenda internacional. Foi um dos redução do CO2 . Assumiu o compromisso de
impulsionadores das negociações que resul- reduzir no mínimo 40% das emissões até
taram no Protocolo de Kyoto, já em 1997. O 2030, em comparação com 1990. O principal
acordo estabeleceu a redução das emissões instrumento para alcançar esta meta é o co-
dos gases de efeito estufa nos países indus- mércio europeu de cotas de emissão de gases
trializados – 5,2 % em média até 2012, tendo de efeito estufa, que regula as emissões de 11
como base o ano de 1990. A Alemanha ultra- mil grandes indústrias e companhias de abas-
passou sua própria meta de reduzir as emis- tecimento energético e deve ser reformado
sões em 21% nesse período. Participa ativa- para aumentar sua eficácia. A Alemanha de-
mente também do processo subsequente, que senvolve ainda ativamente projetos de coo-
visa a um acordo pós-Kyoto com entrada em peração ambiental com outros países nas
vigor prevista para 2020. A meta é um acordo áreas de proteção das florestas tropicais e au-
vinculativo que regule claramente a limita- mento da eficiência energética.
ção da emissão dos gases de efeito estufa, sen-
do que também os países em desenvolvimen- A Ponte Transatlântica do Clima é um projeto
to e emergentes deverão se comprometer a especial de cooperação com os EUA e o Canadá.
adotar medidas de proteção do clima. Além O papel precursor da Alemanha é apoiado por
disso, deverá ser garantido o aumento ex- exemplo pelo Instituto Potsdam para Pesquisa
pressivo dos recursos para a adaptação aos do Impacto Climático e pelo Instituto Wupper-
efeitos das mudanças climáticas e para a tal de Clima, Meio Ambiente e Energia.

LINHAS DO TEMPO

1976
O Ministério alemão da Pesquisa
1987
Entra em funcionamento o pri-
1991
A Lei de Armazenamento de
aprova a construção de uma grande meiro parque alemão de energia Energia regula a compra de
turbina eólica com 100 metros de eólica em Kaiser-Wilhelm-Koog, energia renovável excedente
altura (Growian) no Norte da Ale- no litoral oeste de Schleswig pelas empresas do setor a preços
manha. Mas a primeira experiência -Holstein. Desde então 32 turbi- garantidos.
com energia eólica fracassa. Em nas transformam os ventos do
1988 a Growian é desmontada. Mar do Norte em energia elétrica.
O Secretariado de Mudanças Climáticas da ONU em Bonn fiscaliza a Convenção Quadro do Clima

2000
A Lei de Energias Renováveis
2011
Após o desastre nuclear de
2014
Com a reforma da Lei de Energias
(EEG) entra em vigor. Nela fica Fukushima, o governo alemão Renováveis (EEG), o foco principal
estabelecida a prioridade das aprova medidas de política ener- se torna a rentabilidade e previsi-
energias renováveis no armazena- gética para abandonar sucessiva- bilidade na ampliação do uso de
mento e nas redes de distribuição. mente a energia nuclear até 2022 energias renováveis. A participa-
A EEG se torna um marco. e garantir um abastecimento eco- ção das fontes renováveis deve
logicamente sustentável. crescer para 40% a 45% até 2025.
84 | 85 MEIO AMBIENTE & CLIMA

TEMA

VIRADA ENERGÉTICA – PROJETO PARA GERAÇÕES


A virada energética é o mais importante na matriz energética era de 15%. O gover-
projeto de política econômica e ambiental no federal leva adiante assim a reestrutu-
da Alemanha e denomina a transforma- ração do sistema de energia sustentável,
ção do abastecimento de energia no país, iniciado em 2000 com a resolução de aban-
abandonando petróleo, carvão, gás e ener- donar a energia nuclear e o fomento da Lei
gia atômica rumo às energias renováveis. de Energias Renováveis (EEG). A política
Até no mais tardar 2050, pelo menos 80% de apoio às energias renováveis data na
do abastecimento de eletricidade e 60% de Alemanha da década de 1990, e a EEG en-
todo o abastecimento energético deverão trou em vigor no ano 2000.
vir de fontes renováveis. Como próximo
passo, todas as usinas nucleares serão de- Plano de abandono da energia nuclear a
sativadas sucessivamente até o ano de longo prazo
2022. E até 2025, de 40 até 45% do forneci-
mento de eletricidade deverá ser prove- Foi também em 2000 que o governo fede-
niente de energias renováveis. Em meados ral acordou com as empresas fornecedoras
de 2015, apenas oito usinas nucleares con- de energia o abandono da energia nuclear
tinuavam ligadas à rede e sua participação até 2022. Assim, as resoluções do governo
federal sobre a virada energética, em 2011,
são parte de uma longa tradição de refor-
ma do suprimento energético em prol das
LISTA
fontes de energia renováveis. A reestrutu-
ração acelerada do sistema energético, de-
∙ Maior parque eólico on shore:
Reußenköge em Schleswig-Holstein
cidida pelos partidos representados no
Bundestag em 2011 após o desastre de
∙ Maior parque eólico off shore: Fukushima e amplamente apoiada pela
alpha ventus no Mar do Norte população, é considerada “um passo ne-
cessário em direção a uma sociedade in-
∙ Mais potente gerador eólico:
dustrializada comprometida com a sus-
E126/7570 kW da Enercon
tentabilidade e a preservação da natureza“.
∙ Maior parque de energia solar:
Meuro/Schipkau No entanto, não só o meio ambiente e o cli-
ma devem ganhar com a virada energética,
∙ Maior bolsa de energia: EEX (Euro-
mas também a economia nacional. Em
pean Energy Exchange) em Leipzig
especial deve ser reduzida a dependência
Parques eólicos offshore no Mar do Norte são pilares da virada energética

das  importações internacionais de petró- virada energética, reduzindo o consumo e


leo e gás natural. A Alemanha gasta anual- aumentando a eficiência energética. Já fo-
mente 80 bilhões de euros com a importa- ram obtidos bons resultados na indústria e
ção de carvão, petróleo e gás natural. Esta em grandes empresas artesanais, onde os
soma deve ser substituída sucessivamente, padrões são elevados. Mas continua sendo
nos próximos anos, pela geração interna de necessário reduzir o consumo em empre-
valores no setor das energias renováveis, sas de menor porte e edifícios públicos.
medidas que, além disso, resultam em no- O saneamento de prédios antigos contribui
vas oportunidades de exportação e geram significativamente para o aumento da efi-
mais emprego. Outra medida essencial ciência energética e é incentivado pelo
consiste em fortalecer o “segundo pilar” da governo federal. As emissões de CO2 em
86 | 87 MEIO AMBIENTE & CLIMA

edifícios representam 40% do total. O con- Alemanha se encontra em terceiro lugar,


sumo de eletricidade na Alemanha também depois da China e dos EUA.
vem caindo desde 2007, mas ainda são ne-
cessários esforços continuados para atingir A Lei de Energias Renováveis como
a meta formulada inicialmente no plano, ou exemplo internacional
seja, uma redução de 10% até 2020.
A Lei de Energias Renováveis (EEG), um
A virada energética não tem em vista ape- conjunto de normas de estímulos bem-su-
nas a minimização de riscos, mas também cedido e visto em muitos países como
a redução dos impactos sobre o clima e exemplo, foi modificada em 2014. A meta
uma maior segurança no suprimento. A era garantir que os custos da segurança do
taxa da energia limpa na matriz energética suprimento se mantivessem acessíveis aos
aumentou consideravelmente com a am- cidadãos e à economia. As cotas do rateio
pliação acelerada das energias renováveis. estipulado pela lei, segundo o qual os cus-
A participação da energia verde na geração tos mais altos da ampliação das fontes
bruta foi de 26% em 2014, sua contribuição limpas são distribuídos entre os consumi-
no consumo total no primeiro semestre de dores, haviam subido muito com a grande
2015 foi de 32,5%. A fotovoltaica cobre até expansão de usinas solares e a mudança
25% da demanda em dias úteis ensolara- no método do cálculo dos preços após
dos, até 50% em domingos e feriados. 2009. Isso provocou uma grande discus-
38,7% das novas residências já são aqueci- são na opinião pública a respeito dos cus-
das com energias renováveis. No início de tos das energias renováveis e da virada
2015 havia 1,5 milhão de usinas solares fo- energética. Em 2015, pela primeira vez as
tovoltaicas com capacidade nominal de cotas voltaram a diminuir. Além disso, o
38,5 gigawatts. Com este desempenho a governo federal está trabalhando em uma

DIAGRAMA Geração bruta de energia elétrica 2014

Produção de energia 26 % 9 % Eólica


A energia produzida a Linhita
partir de fontes reno- 4%
váveis cresceu nova- Outros
mente em 2014, repre-
10 % 26 % 7 % Biomassa
Energias
sentando 26% da gera-
Fonte: Statistisches Bundesamt

Gás natural renováveis


ção bruta de energia
elétrica na Alemanha.
16 % 6 % Fotovoltaica
Energia nuclear

18 %
3 % Hidrelétrica
Hulha 1 % Lixo doméstico
nova estruturação do sistema energético, que as novas linhas devem atravessar zo-
que garanta a estabilidade da rede apesar nas residenciais. As distribuidoras procu-
do aumento considerável da quantidade ram levar os protestos em consideração e já
oscilante de energia solar e eólica. Para is- se pensa em substituir a fiação aérea por
so é preciso que exista energia de backup subterrânea para minimizar os conflitos.
sempre disponível, gerada de preferência
por usinas a gás, que emitem menos CO2
que usinas a carvão.

GLOBAL
A virada energética não exige apenas a
construção de novas usinas verdes. Para a Análise do clima
No Painel Intergovernamental de Mu-
segurança do suprimento é necessário que
danças Climáticas (IPCC), o Painel do
as redes se adaptem às mudanças no siste- Clima da ONU, trabalham 800 cientis-
ma de geração. Para tanto está sendo pla- tas de 80 países. No segundo trimestre
nejada a construção de milhares de km de de 2015, a delegação de peritos e re-
novas linhas de tansmissão. A energia eó- presentantes apresentou a síntese do
lica que é gerada principalmente no norte quinto relatório do órgão. Dele consta
que as emissões de gases de efeito es-
da Alemanha pode assim ser transportada
tufa são o principal responsável pelas
aos grandes centros consumidores de mudanças climáticas. É preciso adotar
energia no sul do país. medidas drásticas para li-
mitar o aquecimento do
As redes regionais também precisam ser planeta a dois graus.
→ ipcc.ch
ampliadas para serem abastecidas com a
energia solar descentralizada. Muitas vezes
há resistência dos cidadãos em regiões em

Emissões de dióxido de carbono 2013/Participação mundial Participação das fontes renováveis na produção
total de energia elétrica na Alemanha
França 1,0 % (em parte, prognósticos)

80 %
Alemanha 2,4 %
Japão 3,9 %
Fontes: Fraunhofer ISE/BDEW, BMWI
Fonte: Statistisches Bundesamt

Federação Russa 5,1 % 35 %


28 %
Estados Unidos 15,0 % 14 %
China 29,1 % 2007 2014 2020 2050
88 | 89 MEIO AMBIENTE & CLIMA

TEMA

TECNOLOGIAS VERDES, UM SETOR DE FUTURO


A liderança da Alemanha em tecnologias os dez países líderes de ocupação de mão-
do meio ambiente, energias renováveis e -de-obra no setor de energias renováveis.
uso eficiente dos recursos naturais tem A maior parte das empresas são de médio
uma ação benéfica para a economia e o porte, mas também se encontram algu-
mercado de trabalho. O setor de energias mas multinacionais, como a Siemens.
renováveis contribui substancialmente Elas obtêm grandes êxitos de exportação
para o crescimento sustentável e para o com o rótulo “Greentech made in Ger-
desenvolvimento de novas tecnologias, many“. Sua participação no mercado
tanto nas áreas de informação e comuni- mundial é de 15%. A Alemanha quer me-
cação, como de tecnologia dos materiais. lhorar essa posição com um Programa de
Apoio à Exportação de Tecnologias do
O setor de tecnologia ambiental emprega Meio Ambiente, oferecendo soluções in-
2 milhões de pessoas, um em cada cinco tegradas.
postos de trabalho tem o predicado ver-
de. Por isso a Alemnha se encontra entre A mobilidade elétrica é um dos temas
importantes para o futuro do setor

A mobilidade elétrica ou mobilidade sus-


NÚMERO
tentável deve trazer um novo impulso

1,79 milhão para a proteção ambiental e climática. O


futuro da automobilidade também faz
parte da agenda de países como China,
de km de extensão tem a rede alemã
de energia elétrica. Equivale a 45 vezes
Japão e EUA. O governo federal alemão e a
a linha do Equador. A maior parte, com indústria automobilística têm um objeti-
1,44 milhão de km (80%), é constituída vo ambicioso: transformar a Alemanha
por linhas de transmissão subterrânea, no mercado líder da mobilidade elétrica e
outros 350 mil km, por fiação aérea. usufruir do potencial do mercado global.
As redes de alta-tensão suprarregionais
Até 2020, um milhão de carros elétricos
têm 34.810 km de extensão. A virada
energética prevê novas linhas num to- deve circular pelas estradas alemãs, con-
tal de 2.650 km. tribuindo para a redução de um sexto das
→ bundesnetzagentur.de emissões de CO2 creditadas aos automó-
veis. Os fabricantes de automóveis ale-
mães desenvolvem intensivamente novas
idéias de mobilidade elétrica e já lança-
Os carros elétricos são um dos grandes temas do futuro para a indústria automobilística alemã

ram 29 modelos no mercado (fim de 2015), ca de novos materiais e o aprimoramentos


como o BMW i3. Uso de pistas reservadas de outros já existentes para a pesquisa e o
a ônibus, estacionamentos próprios e desenvolvimento de células de baterias de
placas especiais foram prometidos aos do- alta potência.
nos, para incentivar a opção pelo veículo
movido a energia alternativa. Ao mesmo Atualmente, foram criados em universida-
tempo, cresceu substancialmente o volu- des e escolas superiores alemães e euro-
me de recursos empregados na pesquisa peias cerca de mil novos cursos inovadores
de energia. O foco principal são as baterias na área de energias renováveis e eficiência
de veículos elétricos. O projeto Bateria energética que atraem estudantes de todos
2020 é considerado exemplar e visa a bus- o mundo.
90 | 91 MEIO AMBIENTE & CLIMA

PANORAMA

VIRADA ENERGÉTICA
Moderna turbina eólica alemã
6
vista por dentro
Tipo Enercon E-126 com
potência nominal de 4.200 kW

1 Suporte da máquina 4
2 Propulsor azimutal 3
3 Gerador em anel
4 Peça para fixação das pás
5 1
5 Eixo do rotor
6 Pá do rotor
2

Usina de energia eólica Transformadores Subestação de transfor-


O vento move as pás do O transformador mação de energia elétrica
rotor. O gerador trans- transmite a eletricidade Nas subestações a média
forma a energia mecânica em parâmetros com- tensão é convertida em
em energia elétrica. patíveis para a rede alta tensão para o trans-
distribuidora. porte por longos percursos.

110.000 V

10.000 V -
690 V 30.000 V

50 % 30 % 371.000 18.000
mais energia de fontes menos energia nuclear Empregados no setor de novos empregos por ano com
renováveis (2010 – 2014) (2010 – 2014) energias renováveis a virada energética (até 2020)
Uso de energia eólica e solar nos estados federados
segundo a potência (MW) Schleswig-
Energia solar 1.408 -Holstein
3.753 Mecklemburgo-
Energia eólica
-Pomerânia Ocidental
1.099 2.278
Hamburgo
35 143 36 56
32,5 % Bremen
69
2
da energia consumida no
primeiro semestre de Baixa Saxônia
Saxônia- Berlim
2015 foi proveniente de 3.258 7.617
-Anhalt
fontes renováveis. 1.561 Brandemburgo
4.102
Renânia do 2.712 5.099
Norte-Vestfália
25.000 3.921 3.430
1.027
1.088 Saxônia
No fim de 2014 havia Hessen 1.414 1.059
1.662
25 mil geradores de 907 Turíngia
energia eólica instalados 1.696 2.313
na Alemanha.
Renânia- 1.035
10.437
1,5 milhão
-Palatinado
366
202 571
No fim de 2014 havia Sarre
4.645
1,5 milhão de usinas foto-
Baviera
voltaicas na Alemanha.
Baden-
-Württemberg

Rede elétrica Subestação Lares


Através da rede de Em uma outra subes- Uma usina eólica de 5 MW
distribuição elétrica a tação a alta-tensão é pode abastecer 4.900 lares
energia é distribuída transformada para com cerca de 14.600 pessoas
para as diversas regiões. 230 Volts. por ano.

até 380.000 V

230 V

12,3 bilhões de 3,1 bilhões de 1,79 35.000


euros euros milhões de quilômetros quilômetros de redes
para usinas eólicas (2014) para novas usinas solares (2014) de rede elétrica elétricas de longa distância
92 | 93 MEIO AMBIENTE & CLIMA

TEMA

DIVERSIDADE ESSENCIAL PARA A VIDA


A Alemanha é um país com grande diversida- natureza. Na Convenção sobre Diversidade
de biológica. Possui 48 mil espécies animais e Biológica da ONU, os governos de 196 países
cerca de 24 mil espécies de plantas superiores, comprometeram-se a reduzir significativa-
musgos, cogumelos, líquens e algas. A prote- mente as cotas de perda da diversidade bioló-
ção dos fundamentos naturais da vida é uma gica. No entanto, ainda não foi possível rever-
meta estatal, fixada na Lei Fundamental des- ter a tendência de extinção de espécies. Em
de 1994. Existem no país 16 parques nacionais 2010, na Conferência das Partes sobre Biodi-
e 15 reservas de bioesfera da Unesco com ca- versidade Biológica da ONU em Nagoya, no
racterísticas muito diversas, distribuídos en- Japão, foi assinado um acordo que estabelece
tre a Mar do Norte e os Alpes, além de milha- as bases para um regime internacional de
res de áreas de proteção ambiental. acesso a recursos genéticos e repartição justa
e equitativa dos benefícios decorrentes de sua
A Alemanha é signatária dos mais importan- utilização. O Protocolo de Nagoya entrou em
tes acordos internacionais sobre biodiversi- vigor em 2014.
dade e participa de cerca de 30 acordos inte-
restatais que têm por meta a proteção da Na Alemanha, mais de 40% das espécies de
animais vertebrados e das vegetais estão ame-
açadas de extinção. Por isso devem aumentar
os esforços em prol da preservação da nature-
INFORMAÇÃO
za e das espécies em ecossistemas terrestres e
Faz alguns anos, que animais silvestres aquáticos, bem como no Mar do Norte e no
retornam à Alemanha e se aclimatam
Mar Báltico. Uma meta urgente é reduzir a
no país. Mais de 30 matilhas de lobos
(cerca de 300 animais no total) percor- destruição do hábitat através da expansão
rem atualmente as florestas no norte imobiliária, da construção de estradas e da
e no leste. Gatos selvagens e linces poluição química e adubação excessiva pro-
também são vistos cada vez mais fre- venientes da agricultura intensiva. As áreas
quentemente. O número de casais para construção imobiliária e novas estradas
de águias- marinhas construindo ninhos
devem passar de 70 para 30 hectares por dia.
nunca foi tão alto. Os castores se
tornaram novamente habituais na pai- Tenciona-se ainda deixar 2% do território na-
sagem. Até mesmo alces e ursos pardos cional em seu estado selvagem natural e de-
já foram avistados cruzando as fron- volver 5% das florestas à natureza. Em 2015,
teiras de países vizinhos do Leste para diversos antigos territórios militares com
a Alemanha.
área equivalente a 31 mil hectares foram
→ wwf.de
transformados em áreas de conservação
MAPA
Reservas da biosfera da Unesco e parques nacionais

Mar de Wadden de Schleswig-Holstein Laguna da Pomerânia Ocidental


Jasmund
Mar de Wadden de Hamburgo
Sudeste de Rügen
Mar de Wadden da Baixa Saxônia
Lago de Schal
Müritz

Vale do Baixo Oder

Paisagem fluvial do Elba Schorfheide-Chorin

Floresta do Spree
Harz
Região de Lagos de
Sul do Harz Oberlausitzer Heide

Kellerwald-Edersee Hainich
Suíça Saxônica
Eifel Região do Rhön Vale do Vesser-
Floresta da Turíngia
Hunsrück-Hochwald

Bliesgau
Floresta do Palatinado-Vosges do Norte Floresta da Baviera

Floresta Negra Alpes Suábios

Parque nacional Berchtesgadener Land


Berchtesgaden
Reserva da biosfera

ambiental, dentre elas áreas pantanosas co- da FAO revelam que a piscicultura e a aqua-
mo pauis e charnecas. cultura mais que duplicaram desde a década
de 1980. Em 2015, na Cúpula do G7 em Elmau,
A atenção dedicada à proteção dos mares vem os chefes de Estado e de governo debateram
aumentando. Os mares são ricos em biodi- sobre a proteção dos ecossistemas marinhos.
versidade, fornecem matérias-primas, ener- Deverão ser também melhor protegidos os
gia e alimentos. O ecossistema sofre impactos animais selvagens capturados vivos ilegal-
múltiplos, decorrentes da exploração do pe- mente na Ásia, África e América Latina e ofere-
tróleo, navegação, pesca intensiva, do despejo cidos no mercado alemão. A importação para
de substâncias não degradáveis (lixo plástico) a UE e as bolsas comerciais de animais selva-
e aumento do nível de acidez por CO2 . Dados gens na Alemanha deverão ser proibidas.
94 | 95 ENSINO & CONHECIMENTO

ENSINO &
CONHECIMENTO
Importante polo de conhecimento ∙ Dinâmico setor do ensino superior ∙
Ambiciosa pesquisa de ponta ∙ Ciência interconectada ∙ Política científica
exterior engajada ∙ Sistema escolar atraente

INTRODUÇÃO

IMPORTANTE POLO DE CONHECIMENTO


A Alemanha está entre os polos mais im- pesquisa. Internacionalmente, está entre
portantes de pesquisa e formação acadê- os poucos países que investem mais de
mica. Um símbolo disso é o terceiro lugar 2,5% do seu PIB em pesquisa e tecnologia.
entre as nações ganhadoras de Prêmio
Nobel, com mais de 80 condecorações. Em A política e as escolas superiores tomaram
um mundo globalizado, onde o conheci- a iniciativa de desenvolvimento contínuo
mento é uma importante “matéria-pri- e internacionalização do polo científico
ma”, o país com sua tradição em pesquisa através de inúmeras medidas e reformas.
e desenvolvimento está bem situado na Delas faz parte a iniciativa de qualificação
concorrência internacional pelas melho- aprovada em 2008 tendo por lema “Ascen-
res cabeças. Três aspectos caracterizam o são pela formação”, que oferece incentivos
polo de conhecimento: uma densa rede de durante toda a vida. Outras medidas de
400 escolas superiores, os quatro centros sucesso são a Iniciativa de Excelência, que
de pesquisa extrauniversitária de renome resultou em grande número de centros de
internacional e a significativa pesquisa na pós-graduação e de excelência, o Pacto
indústria. A posição de líder em exporta- para as Escolas Superiores 2020, a Estraté-
ção de produtos de alta tecnologia, com gia de Alta Tecnologia, o Pacto em prol da
12% do volume do comércio mundial, e Pesquisa e Inovação e a Estratégia de In-
um lugar cativo no grupo dos líderes em ternacionalização. Como maior nação da
inovação na União Europeia (UE) são con- Europa no que se refere à pesquisa, a Ale-
sequência do excelente desempenho na manha foi o primeiro país-membro da
VÍDEO AR-APP

Ensino & conhecimento: o vídeo sobre o


tema → tued.net/pt/vid5

A Alemanha é internacionalmente um dos destinos prediletos dos estudantes


96 | 97 ENSINO & CONHECIMENTO

União Europeia a apresentar em 2014 uma geral o sistema de ensino na comparação


estratégia para o desenvolvimento do Es- internacional está relativamente bem
paço Europeu de Pesquisa (EEP). adaptado às necessidades do mercado de
trabalho. 86% dos adultos no país têm a
Uma ênfase bastante especial recai sobre a maturidade escolar para a escola superior
internacionalização. No âmbito do Proces- ou concluíram um curso profissionalizan-
so de Bolonha, a maioria dos cursos foi te. A média na OCDE é apenas 75%.
adaptada ao sistema de duas etapas que
confere os graus de bachelor e master, e
muitos são ministrados em uma língua REDE
estrangeira. A Alemanha ocupa o terceiro
Research Explorer
lugar na preferência dos estudantes es- Portal de pesquisa com mais de
trangeiros, depois dos EUA e da Grã-Breta- 23 mil institutos
nha. O nível de mobilidade dos estudantes → research-explorer.de

alemães também é alto: 30% vão estudar Research in Germany


no exterior. O número de funcionários Plataforma central de informações sobre
estrangeiros nas instituições de ensino su- o polo de inovação e pesquisa alemão
→ research-in-germany.org
perior aumentou dois terços na última
década e alcançou 10%. Muitas escolas su- DWIH
periores alemãs se empenham na “expor- Centros alemães de ciência e
tação” de ofertas de cursos e instalação de inovação no mundo
→ germaninnovation.info
escolas superiores nos moldes alemães
no   mercado internacional do ensino. Em

Trampolim para uma carreira de sucesso: curso superior completo


COMPACTO

AGENTES & INSTRUMENTOS


Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa
A Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG)
é a organização central de fomento à pesquisa
em escolas superiores e institutos de pesquisa
financiados pelo Estado.
→ dfg.de

Conferência de Reitores
A Conferência de Reitores (HRK) é a organização Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico
das instituições de ensino superior estatais e re- O Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico
conhecidas oficialmente na Alemanha. O banco (DAAD) é a maior organização de fomento do in-
de dados Hochschulkompass fornece informa- tercâmbio de estudantes e cientistas. O DAAD
ções sobre estudos e cooperações internacionais. mantém uma rede internacional de agências com
→ hrk.de, hochschulkompass.de 71 escritórios regionais e centros de informação.
→ daad.de, studieren-in.de
Leopoldina
A mais antiga academia de ciências do mundo, Portal Alumni Alemanha
Leopoldina em Halle, tem 1.500 membros. O Portal Alumni Alemanha conecta pessoas em
→ leopoldina.org todo o mundo que estudaram, pesquisaram ou
trabalharam na Alemanha.
Organizações extrauniversitárias → alumniportal-deutschland.org
A Sociedade Max Planck, a Sociedade Fraunhofer,
a Comunidade Helmholtz e a Sociedade Leibniz Programa “Escolas: uma parceria para o futuro”
são as instituições científicas extrauniversitárias O programa PASCH do MRE reúne 2.000 esco-
fomentadas pela Federação e os estados. las com o ensino de alemão como prioridade.
→ mpg.de, fraunhofer.de, helmholtz.de, → pasch-net.de
leibniz-gemeinschaft.de
DIGITAL PLUS
Fundação Alexander von Humboldt Mais informações sobre todos os temas
A Fundação Alexander von Humboldt fomenta do capítulo – listas de rankings comen-
tadas, artigos, documentos; informa-
cientistas de ponta e o intercâmbio científico.
ções adicionais com palavras-chave tais
→ humboldt-foundation.de como: Processo de Bolonha, internacionalização, graus
conferidos, limitação do número de admissões.
→ tued.net/pt/dig5
98 | 99 ENSINO & CONHECIMENTO

TEMA

DINÂMICO SETOR DO ENSINO SUPERIOR


O setor do ensino superior é extremamente Segundo a Conferência dos Reitores, em
diversificado na Alemanha e oferece uni- 2015 os estudantes podiam escolher entre
versidades renomadas em métropoles como 399 instituições de ensino superior na Ale-
Berlim e Munique, mas também excelentes manha (121 universidades, 220 escolas su-
escolas superiores em Aachen, Heidelberg ou periores de ciências aplicadas, 58 escolas
Karlsruhe. Universidades de porte médio superiores de música ou arte). Ao todo, elas
com forte viés científico e pequenas institui- oferecem 17.731 cursos. No âmbito do Pro-
ções de ensino superior com uma impressio- cesso de Bolonha, iniciado em 1999 com a
nante força de atração formam o núcleo do meta de criar um espaço europeu unificado
mundo acadêmico. No ranking internacio- de instituições de ensino superior, 87,4%
nal de Xangai, nos rankings da QS World de todos os cursos foram adaptados ao sis-
University ou da Times Higher Education tema de duas etapas, com bachelor e mas-
World University, entre dez e doze universi- ter. 238 instituições do ensino superior são
dades alemãs se encontram no topo entre as financiadas pelo Estado, 40 pela Igreja e 121
duzentas melhores, com destaque para a são particulares.
Universidade Ludwig Maximilian de Muni-
que, a Universidade de Heidelberg e a Uni- Entre os países em que inglês não é
versidade Técnica de Munique. idioma oficial, o predileto dos estudantes
internacionais
LISTA
O setor é composto basicamente de três ti-
pos de instituições, de acordo com a es-
∙ Mais antiga universidade: Ruprecht
Karl de Heidelberg (1386)
trutura e a missão: universidade, escola su-
perior de ciências aplicadas, bem como
∙ Mais jovem universidade: Escola Superior escolas superiores de arte, filme e música.
de Medicina em Brandemburgo (2014) Enquanto as universidades clássicas ofere-
cem todo o leque de cursos, as universida-
∙ Maior universidade abrangente:
des técnicas (TU) se concentram na pesquisa
Universidade Ludwig Maximilian
de Munique (50.327 estudantes) de base nos cursos de engenharia e ciências
naturais. As nove TUs mais importantes se
∙ Universidade mais atraente para pes- reuniram em 2006 para formar a Iniciativa
quisadores de ponta e novas gerações: TU9. As universidades se veem não só como
Universidade Livre de Berlim (Ranking
local de ensino, mas também de pesquisa,
Humboldt 2014)
incorporando assim até hoje o ideal da
2,7 milhões de estudantes estão matriculados em 400 escolas superiores na Alemanha

concepção humboldtiana da unidade de pes- se discute a introdução do direito de conferir


quisa e ensino. Têm como principal objetivo o grau de doutor para as FHs, até agora um
o fomento das novas gerações de pesquisa- privilégio das universidades.
dores, o ensino de conhecimentos específi-
cos consolidados e a formação de cientistas A expansão da formação acadêmica é contí-
autônomos no trabalho e na pesquisa. As 220 nua: em 2005, o número de calouros era de
escolas superiores de ciências aplicadas (FH), 37%, hoje a metade dos jovens na Alemanha
com viés fortemente prático, são uma espe- inicia um curso superior. A BAföG, lei alemã
cialidade alemã e passaram a ser denomina- de apoio à formação, permite aos estudantes
das, como nos países anglo-saxões, de uni- obter um crédito de financiamento dos estu-
versidades de ciências aplicadas. Atualmente dos, independente da situação financeira da
100 | 101 ENSINO & CONHECIMENTO

MAPA
Centros de excelência, Centros de pós-graduação e Estratégias
de futuro da Iniciativa de Excelência

Kiel

Lübeck

U Hamburgo
Oldemburgo Bremen
JU
HU
Berlim
Münster MedH LU
Hannover TU
FU
Bielefeld

Düsseldorf Bochum Göttingen

Colônia
Gießen Jena Dresden
Aachen Chemnitz
Bonn
Frankfurt Bayreuth Estratégia de futuro
Würzburg
Mainz Bamberg Centros de pós-graduação
Darmstadt Centros de excelência
Kaiserslautern
Correquerente
Mannheim
Erlangen-Nurembergue
Saarbrücken Heidelberg
U Universidade
Regensburgo
Karlsruhe TU Universidade Técnica
Stuttgart
HU Universidade Humboldt
Tübingen Augsburgo LU Universidade Leibniz
Ulm JU Jacobs University
Freiburgo TU
Munique FU Universidade Livre
Constança LMU Univ. Ludw. Maximilian
LMU
MedH Escola Superior de Medicina

família. No entanto, o sucesso nos estudos de estudantes estrangeiros frequentando


continua ainda fortemente acoplado ao con- universidades alemãs é o dobro de 1996. A
texto social. Apenas 23% de filhos de famílias maioria deles vem da China, Rússia e Índia.
sem formação acadêmica iniciam um curso Assim, entre os países em que o inglês não é
superior. Em 2014, havia 2,7 milhões de estu- o idioma oficial, a Alemanha é o predileto
dantes inscritos em escolas superiores, dentre dos estudantes internacionais. Só os EUA e a
eles 301.350 com nacionalidade estrangeira, Grã-Bretaha conseguem atrair mais estu-
sendo 218.848 estudantes com a maturidade dantes estrangeiros. As universidades técni-
escolar para a escola superior adquirida no cas têm renome como forjas da engenharia:
exterior e 82.502 com o Abitur alemão. 25% dos calouros nas TUs são estudantes de
outros países.
Desde 2011 o total de estudantes aumentou
18%, o de estudantes estrangeiros quase 20% As instituições de ensino superior alemãs
no mesmo período. Atualmente o número aumentaram simultaneamente para 1.104 a
oferta de cursos internacionais e em uma lín- ensino superior com 5 mil parceiros em
gua estrangeira. Para os doutorandos inter- 150 países, incluindo inúmeros programas
nacionais, o número de ofertas de programas de diplomação dupla. Muitas escolas supe-
estruturados de doutorado são especialmen- riores participam do desenvolvimento da
te atraentes. A ampla isenção de taxas é outra oferta de cursos alemães e da fundação de
vantagem das escolas superiores alemãs. escolas superiores nos moldes alemães, co-
mo no Egito, China, Jordânia, Cazaquistão,
A Federação e os estados atuam juntos ante a Mongólia, Omã, Cingapura, Hungria, Viet-
expansão da formação acadêmica: no âmbi- nã e Turquia.
to do Pacto para Escolas Superiores 2020, de-
cidiram em fins de 2014 financiar até 760 mil O aumento da mobilidade dos estudantes
cursos adicionais nos próximos anos. Du- alemães para o exterior também recebe in-
rante o período de validade do pacto, de centivos. Mais de 30% frequentam parte do
2007 a 2023, a Federação e os estados irão curso no exterior. Futuramente um em ca-
disponibilizar 20,2 bilhões e 18,3 bilhões de da dois estudantes alemães deverá adquirir
euros, respectivamente. experiência em outro país durante o curso.
Programas de intercâmbio como o Eras-
Iniciativas em prol de mais excelência mus+ incentivam através de bolsas as tem-
e maior internacionalização poradas no exterior.

Desde 2005 a Federação e os estados fo-


mentam através da Iniciativa de Excelência
projetos e instituições de pesquisa de pon-
INFORMAÇÃO
ta nas escolas superiores. Na atual fase do
programa (2012-2017), são fomentados 45 Atualmente as mulheres iniciam mais
frequentemente um curso superior do
centros de pós-gradução, 43 centros de ex-
que os homens e defendem quase a
celência e 11 perfis de pesquisa de 44 uni- metade das teses de doutoramento,
versidades. O volume de recursos disponi- mas apenas 21,3% dos professores cate-
bilizados no período é 2,7 bilhões de euros. dráticos são mulheres. Por esse motivo
Após 2017 os recursos devem continuar no a Federação e os estados lançaram em
mesmo patamar. 2008 um programa de fomento para
professoras, dotado de 300 milhões de
euros até 2017, para aumentar o núme-
Um tema que continua sendo muito impor- ro de professoras nas instituições de
tante é a internacionalização. Uma pesquisa ensino superior e fortalecer a igualdade
conjunta do DAAD, da Conferência de Rei- de gênero. Em 2015 foi nomeada uma
tores e da Fundação Humboldt apurou em professora para ocupar a vaga de núme-
ro 400 fomentada pelo programa.
2014 a existência de 31 mil cooperações in-
→ bmbf.de/de/494.php
ternacionais de quase 300 instituições de
102 | 103 ENSINO & CONHECIMENTO

TEMA

AMBICIOSA PESQUISA DE PONTA


Ciência e pesquisa têm muito valor na Ale- dústria na Alemanha aumentou entre 2010
manha. Tanto a economia como a política e 2013 em mais de 22% o gasto com P&D,
vêm aumentando continuamente o orça- investindo 57 bilhões de euros, a maior so-
mento destinado ao trabalho de conheci- ma já destinada à inovação. O governo fe-
mento. A participação dos investimentos deral aumentou o investimento em ensino
em pesquisa no PIB foi de 2,84% em 2013. e pesquisa em 65%, de 2005 a 2015. Em
Assim, a Alemanha está entre os poucos pa- 2015, o orçamento destinado ao ensino e
íses que investem mais de 2,5% do PIB em pesquisa é 15,3 bilhões de euros, estando
pesquisa e desenvolvimento (P&D). O total previsto um aumento de 25% até 2017.
de investimentos em 2013 foi de cerca de
80 bilhões de euros. A indústria contribuiu O desempenho dos cientistas alemães é ad-
com 67%, as instituições de ensino superior mirável. No Nature Index Global publicado
com 18% e o Estado com 15% dos recursos no final de 2014, que avalia o desempenho
destinados à pesquisa. A pesquisa Innova- das instituições de pesquisa e escolas supe-
tion Union Scoreboard 2015 da Comissão riores em termos do número de publica-
Europeia coloca a Alemanha, juntamente ções científicas, a Alemanha teve a melhor
com a Suécia, Dinamarca e Finlândia, no colocação na Europa. Na comparação inter-
grupo top dos líderes em inovação da União nacional, obteve o terceiro lugar, depois dos
Europeia (UE). Na comparação internacio- EUA e da China.
nal, a Alemanha contabiliza 7% dos investi-
mentos mundiais em P&D, embora tenha O país desenvolveu um instrumento es-
apenas 1,2% da população mundial. A in- pecial de inovação, com a estratégia

DIAGRAMA Patentes importantes no mercado internacional,


comparação na UE por milhões de habitantes
Polo de alta tecnologia Alemanha
604.600 pessoas trabalham na área Suécia 464
de pesquisa e desenvolvimento na
Alemanha, sendo 360.900 deles
Finlândia 459
pesquisadores. Os setores mais for-
tes em termos de pessoal e recursos
Alemanha 370
são a indústria farmacêutica, de
aeronaves e veículos espaciais e
Dinamarca 328
Fonte: BMBF/BuFI

a automobilística.
Média da UE 153
Os investimentos em pesquisa e desenvolvimentos nunca foram tão altos como hoje

Pessoal de P&D segundo os setores Despesas com P&D em milhões de euros

16,2 % 79.730
Organizações 67.078
50.825 55.879
públicas e
Fontes: OECD/BMBF, Statistisches Bundesamt

privadas  sem
fins lucrativos 62,0 %
Economia

21,8 %
Escolas superiores 2000 2005 2009 2013
104 | 105 ENSINO & CONHECIMENTO

interministerial dos setores de ponta. A constatou que os grupos de excelência


partir de projetos desenvolvidos no âmbi- produziram 900 inovações, 300 patentes,
to desse programa, surgiram novos desen- 450 teses de doutoramento e agregação,
volvimentos, desde lâmpadas econômicas mil monografias de bachelor e master e a
LED até válvulas cardíacas de substitui- fundação de 40 novas empresas. Existem
ção que crescem com o paciente. No início mais de 800 instituições de pesquisa subsi-
voltada para o potencial de mercado de diadas pelo Estado na Alemanha. O esteio
determinadas áreas tecnológicas, desde do polo de pesquisa é formado por escolas
2010 a estratégia de ponta passou a focar a superiores e principalmente pelas quatro
demanda social por soluções viáveis e sua grandes instituições de pesquisa extra-
concretização. universitária.

A estratégia de ponta foi redefinida em Excelentes instituições de pesquisa


2014: ela deve apoiar o pesquisador a esco- extrauniversitária
lher temas com potencial futuro e trans-
formar rapidamente boas ideias em ino- A Sociedade Max Planck (MPG), fundada
vações. Seis focos temáticos principais em 1948, é o mais importante centro de
servem como orientação: economia digi- pesquisa de base nas áreas das ciências na-
tal e sociedade, economia sustentável e turais, biológicas, humanas e sociais fora
energia, inovação no universo do traba- das universidades. 5.600 pesquisadores,
lho, vida saudável, mobilidade inteligente sendo 40% estrangeiros, trabalham em 78
e defesa e segurança civil. No âmbito da Institutos Max Planck (MPI) na Alemanha
estratégia de ponta, foram escolhidos em e cinco outros institutos nos Países Baixos,
uma concorrência em três etapas 15 gru- em Luxemburgo, na Itália e nos EUA. Des-
pos de excelência que recebem um fomen- de a sua fundação, os pesquisadores da
to especial. Uma avaliação feita em 2014 MPG já receberam 18 prêmios Nobel.

LINHAS DO TEMPO

1995
Uma equipe e o eletrotécnico e
2005
Lançamento do edital da Iniciativa
2008
Nove anos após a descoberta da
matemático Karlheinz Branden- de Excelência para universidades. magnetorresistência gigante, que
burg desenvolvem no Instituto Pacto em prol da Pesquisa e permitiu aos discos rígidos moder-
Fraunhofer em Erlangen o Inovação para instituições de nos superarem a barreira de giga-
formato de áudio digital MP3, pesquisa extrauniversitária. bytes, o alemão Peter Grünberg
hoje padrão em todo o 2007: Pacto para as Escolas e o francês Albert Fert ganham o
mundo. Superiores. Prêmio Nobel de Física.
A MPG fica em segundo lugar, e é a única cooperações em nove países europeus, dois
instituição europeia, entre as dez primei- na América do Norte e do Sul respectiva-
ras do ISI Citation Index das publicações mente, sete na Ásia, três na África e em pa-
científicas mais citadas em 22 áreas em ní- íses árabes, bem como na Austrália, suas
vel mundial. atividades são globais.

As atividades de pesquisa de ponta da Co- Do grupo da Sociedade Leibniz fazem


munidade Helmholtz abrangem seis áreas: parte 89 institutos autônomos de pesqui-
energia, Terra e meio ambiente, saúde, sa cujas áreas de trabalho abrangem as
transporte e investigação espacial, tecnolo- ciências naturais, sociais e econômicas,
gias-chave e ciências dos materiais. Os pes- geociências, engenharia e meio ambiente
quisadores de seus institutos se concentram até as ciências humanas. Um enfoque
em sistemas de alta complexidade. A Comu- transversal dos 9.200 pesquisadores é a
nidade Helmholtz é a maior organização de transferência do conhecimento para a po-
pesquisa da Alemanha, com 14.700 colabo- lítica, economia e comunidade.
radores e 6.200 doutorandos em 18 institui-
ções de pesquisa independentes, entre eles A Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa
o Centro Aeroespacial Alemão (DLR) com (DFG) é responsável pelo fomento da ciên-
seus 16 institutos no país. cia e da pesquisa. É a maior organização
desse tipo na Europa. A DFG tem, além da
A Sociedade Fraunhofer, com seus 66 insti- sede em Bonn, escritórios na China, Japão,
tutos, é a maior instituição de pesquisa Índia, Rússia, América do Norte e Latina e
aplicada na Europa. Está voltada para a fomenta a cooperação entre pesquisado-
pesquisa nas áreas de saúde, segurança, co- res na Alemanha e seus pares no exterior,
municação, mobilidade, energia e meio especialmente mas não só no espaço eu-
ambiente. Com subsidiárias, escritórios e ropeu de pesquisa.

2012
O Instituto Europeu de Patentes
2014
Stefan Hell, diretor do Instituto
2015
A adaptação ao sistema de
condecora o físico de Heidelberg Max Planck de Biofísica Química, cursos com duas etapas, bachelor
Josef Bille, inventor do procedi- recebe juntamente com dois pes- e master, está quase concluída
mento Lasik, pelo conjunto de sua quisadores norte-americanos o com 90%, com exceção de
obra. Com quase cem patentes di- Prêmio Nobel de Química pelo dois cursos regulamentados pelo
ferentes, Bille abriu caminho para desenvolvimento da microscopia Estado: medicina e ciências
a atual cirurgia refrativa ocular. de fluorescência super-resolvida. jurídicas.
106 | 107 ENSINO & CONHECIMENTO

TEMA

CIÊNCIA INTERCONECTADA
A globalização coloca também o polo origem eles se tornam parceiros impor-
científico da Alemanha diante de novos tantes em futuras redes de cooperação.
desafios. A capacidade da ciência e dos
pesquisadores de se conectar em rede de- A boa infraestrutura de pesquisa, como por
sempenha aí um papel fundamental. exemplo a possibilidade de usar equipa-
O  país conseguiu se posicionar muito mentos de grande porte em parte ímpares
bem nessa questão. Os pesquisadores ela- no cenário mundial, atrai muitos cientistas
boram quase a metade de suas publica- do exterior para a Alemanha. Somente a
ções científicas em cooperação interna- Comunidade Helmholtz mantém 50 desses
cional. Segundo os dados do relatório equipamentos para as mais diversas áreas
“Ciência Cosmopolita 2015”, trabalham de pesquisa. Inúmeros cientistas de ponta
nas 399 escolas superiores 38.094 cientis- vêm do exterior para ensinar em universi-
tas e artistas colaboradores com origem dades alemãs através de uma bolsa para
migratória, sendo 2.886 professores, o professores da Fundação Humboldt, o mais
que equivale a 10% de todos os funcioná- bem dotado prêmio de pesquisa da Alema-
rios. Desde 2006 o número de pessoal nha, com 5 milhões de euros.
científico estrangeiro cresceu 74%, o nú-
mero de professores 46%. As facilidades 17.686 cientistas alemães foram para o ex-
para concessão de visto a pesquisadores terior através de programas de fomento.
de países de fora da União Europeia foi Os maiores incentivos vieram da Socieda-
muito importante nesse contexto. de Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG), do
programa europeu Marie Curie e princi-
O número de pesquisadores estrangeiros palmente do Serviço Alemão de Inter-
com incentivos para trabalhar na Alema- câmbio Acadêmico (DAAD). Quase dois
nha também teve um desenvolvimento terços dos cientistas fomentados recebem
positivo. Os principais países de origem uma bolsa da maior organização mundial
dos 56.310 peritos são atualmente Rússia, de fomento a estudantes e pesquisadores.
China, Índia, EUA e Itália. Muitas escolas
superiores e instituições de pesquisa A Alemanha quer ampliar e aprimorar a
criam centros de boas-vindas para me- cooperação internacional na área do co-
lhor apoiar os cientistas na fase inicial de nhecimento, elevando-a simultaneamente
adaptação. A estada temporária de pes- a um patamar mais alto de qualidade. A
quisadores também é considerada um ga- base para atingir esse objetivo é o progra-
nho, porque ao retornar a seus países de ma Plano de Ação em prol da Cooperação
Pesquisa em grupos internacionais faz parte do cotidiano das universidades e institutos de ciência alemães

Internacional de 2014, do Ministério do Europeu de Pesquisa (EEP) no âmbito da


Ensino e da Pesquisa. União Europeia, cuja ampliação recebe o
opoio decisivo da Alemanha e no qual deve-
Novas tendências ambiciosas da estratégia rá haver liberdade para os pesquisadores e
de internacionalização livre intercâmbio de conhecimentos cien-
tíficos e teconologia. O plano de ação inclui
A meta é ter o plano como base para redire- ainda o esboço dos moldes de futuras co-
cionar a estratégia de internacionalização da operações com países em desenvolvimento
ciência e da pesquisa iniciada em 2008 e e emergentes e a explanação da forma como
adaptá-la às mudanças mais recentes. Disso a Alemanha pode contribuir melhor para
faz parte o desenvolvimento do Espaço a solução de desafios globais.
108 | 109 ENSINO & CONHECIMENTO

TEMA

POLÍTICA CIENTÍFICA EXTERIOR ENGAJADA


O intercâmbio científico é um dos pilares Os arautos da cooperação científica com a
da Política Exterior em prol da Cultura e Alemanha são cinco centros alemães de ci-
Educação (AKBP em alemão). Importan- ência e inovação (DWIH em alemão), em
tes parceiros do Ministério das Relações Moscou, Nova Deli, Nova York, São Paulo e
Externas na sua execução são o Serviço Tóquio, e o Centro Alemão de Ciência
Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), (DWZ em alemão) no Cairo. Os centros são
a Fundação Alexander von Humboldt, o vitrines do polo alemão de pesquisa e ino-
Instituto Alemão de Arqueologia (DAI) e vação e reúnem informações e estruturas
as fundações ligadas aos partidos políti- já existentes de instituições científicas ale-
cos com atuação internacional. Já na pri- mãs nesses países. Consequentemente, são
meira vez que o ministro das Relações muitas vezes o ponto de partida para todos
Externas Steinmeier ocupou a pasta em os cientistas interessados em cooperações
2009, foi lançado um programa para a po- com a Alemanha.
lítica científica exterior, que ampliou ins-
trumentos comprovados e acrescentou Desde 2010, o trabalho de quatro novos
novas medidas. Muitas tendências novas centros de excelência na Rússia, Tailândia,
foram incluídas no intercâmbio, acentu- Chile e Colômbia está sendo fomentado
ando especificamente o fomento à forma- pelo DAAD. Eles conectam centenas de
ção de redes em todo o mundo. cientistas internacionais com a pesquisa
alemã e formam novas gerações de acadê-
micos de alto nível. Estão estruturados na
maioria das vezes como cooperações em
pesquisa e ensino entre uma escola supe-
NÚMERO
rior alemã e um ou mais institutos parcei-

177 milhões ros no exterior.

Cooperação acadêmica em regiões de crise


de euros foram destinados pelo Ministé-
e conflito
rio das Relações Externas ao orçamento
do Serviço Alemão de Intercâmbio Aca-
dêmico (DAAD). O montante equivalente A política científica externa prioriza também
a 40% é o maior item individual. Com ele a cooperação entre cientistas e instituições
são implementados os mais diversos de ensino superior em regiões de crise e con-
projetos e programas no âmbito da polí-
flito, bem como em países em transforma-
tica cultural e educacional externa.
ção. Esse engajamento complexo se coaduna
O ministro do Exterior Steinmeier (ao centro) visitou em 2015 o centro alemão-colombiano de excelência CEMarin

com a esperança de que a cooperação na pes- acadêmicas no Sudeste europeu, e desde


quisa e na formação superior possa preparar 2002 no Afeganistão, por exemplo através
o terreno para o entendimento político, ser- do engajamento das escolas superiores ale-
vindo consequentemente à prevenção de mãs nas áreas de tecnologia da informação e
conflitos e à gestão de crises. A formação su- ciências econômicas. O trabalho de recons-
perior pode se tornar assim a base de um de- trução das estruturas acadêmicas acontece
senvolvimento sustentável e criar competên- também no Iraque central e na região do
cia para a autoajuda, qualificando as futuras Curdistão-Iraque.
gerações de tomadores de decisão e agindo
assim diretamente na sociedade. Parcerias de transformação com países do
mundo árabe
Em consequência das crises e conflitos nos
tempos recentes, muitos jovens não têm Desde 2011 a Alemanha mantém com diver-
acesso à educação. Foi por isso que o Minis- sos países árabes uma parceria de transfor-
tério das Relações Externas criou, em con- mação que apoia os esforços de reforma nas
junto com o DAAD, o programa “Lideranças universidades árabes através de projetos de
para a Síria”, através do qual mais de 200 cooperação com instituições alemãs de ensi-
bolsistas sírios podem vir estudar na Alema- no superior. Outro campo importante são os
nha. A política científica externa também diversos programas na área de boa gover-
obteve sucesso, após a crise na região dos nança, voltados para as futuras lideranças de
Bálcãs, com a reconstrução das estruturas regiões de crise em todo o mundo.
110 | 111 ENSINO & CONHECIMENTO

PANORAMA

PESQUISA EM CONDIÇÕES EXTREMAS


Sonda Rosetta
A sonda viajou dez
anos para lançar o
módulo pousador
Philae no cometa
Missão Rosetta
Churyumov-Gerasi-
A missão da Agência Espacial Europeia ESA pes-
menko.
quisa a história da origem do nosso sistema solar.
O DLR teve uma importante participação na
construção do módulo pousador Philae e opera
o centro de controle que acompanhou o pouso
Módulo pousador Philae
inédito no cometa.

Módulo pousador Philae


Philae foi o primeiro ob-
Peso: 100 kg 6 guindastes
jeto artificial a pousar na
Dimensão: 1 x 1 x 0,8 m 9 guinchos
superfície de um cometa.
Pouso: 21 de novembro de 2014

Estação Neumayer III


No gelo eterno da Antártica o Instituto Alfred Wegener
administra a estação de pesquisa Neumayer III, onde
cientistas vivem e trabalham durante todo o ano.
A estação está apoiada sobre pilotis e sobe com a neve,
mantendo constante a altura em relação à superfície.

Massa: 2.300 toneladas


Tamanho: 68 x 24 m
Área útil: 4.890 m2 em quatro andares
Laboratório/Escritório: 12 cômodos
Habitações: 15 quartos, 40 camas

399 2,7 mi 79,7 bi de euros 360.900


Escolas superiores e Estudantes em escolas Despesas com pesquisa e Pesquisadores
universidades superiores desenvolvimento
Navio de pesquisa Sonne
O “Sonne” é o mais novo navio da frota alemã de pesquisa e
investiga desde 2014 os segredos das águas profundas nos oceanos
Pacífico e Índico. A embarcação de alta tecnologia é considerada a
mais moderna do mundo.

Convés de cabines
com 33 cabines para a tripulação
Convés de trabalho
8 laboratórios em 600 m²
Convés principal
com refeitório
e biblioteca Convés de depósito
com 20 cabines para
cientistas/pesquisadores

Comprimento: 116 m
Velocidade: 12,5 nós
Permanência no mar (máx.): 52 dias
Cientistas (máx.): 40 pessoas
Área de pesquisa: oceanos Índico
e Pacífico

Multicorer Gaiola Veículo subaquático


Pode recolher simultanea- O equipamento recolhe amostras Operado remotamente e
mente muitas pequenas de água e mede temperatura e equipado com câmeras de
amostras do solo oceânico. profundidade. vídeo e braços articulados.

83 66 89 18
Institutos Max Planck Institutos Fraunhofer Institutos de pesquisa da Instituições de pesquisa da
no mundo Sociedade Leibniz Comunidade Helmholtz
112 | 113 ENSINO & CONHECIMENTO

TEMA

SISTEMA ESCOLAR ATRAENTE


A competência para a educação escolar na incentivo da formação infantil na idade pré-
Alemanha recai sobretudo sobre os 16 estados. -escolar e o entrosamento com o setor de edu-
Por isso existem diferentes sistemas, currícu- cação primária é ao mesmo tempo uma das
los e tipos de escola. A Conferência Permanen- grandes preocupações da política educacio-
te dos Secretários de Educação (KMK em ale- nal. O país conta hoje com 10 mil escolas de
mão) garante a equivalência ou equiparação tempo integral em pleno funcionamento. No
dos cursos e conclusões. No ano escolar sistema de ensino em turno integral se depo-
2014/2015, cerca de 11 milhões de alunos fre- sita a esperança de mais igualdade de oportu-
quentaram as 44.880 escolas de formação ge- nidades, principalmente para crianças oriun-
ral e profissionalizantes, nas quais ensinam das de classes com baixo nível de formação.
795.600 professores. Além disso, 969 mil alu-
nos estudam em 6.620 escolas particulares de As escolas públicas são gratuitas. O sistema es-
formação geral e profissionalizantes. A dura- colar tem uma estrutura vertical e está divido
ção do ensino obrigatório é de nove anos para em três ciclos: o ciclo primário e os ciclos se-
todas as crianças a partir dos seis anos. O cundários I e II. Em geral as crianças frequen-
tam durante quatro anos o ciclo primário co-
mum (em Berlim e Brandemburgo, o ciclo
primário dura seis anos). A seguir, há três tipos
GLOBAL
de escolas secundárias padronizadas: a Haupt-
Relatório PISA schule (da 5ª à 9ª ou 10ª série), a Realschule (da
O 5º relatório do Programma Inter-
5ª à 10ª série, confere o certificado de conclu-
nacional de Avaliação de Alunos da
OCDE, publicado no final de 2013, são do nível médio “Mittlere Reife”) e o ginásio
mostrou que pela primeira vez os alu- (da 5ª à 12ª ou 13ª série, confere a maturidade
nos na Alemanha tiveram em todas as escolar para a escola superior/Abitur). Os três
disciplinas uma média claramente tipos de cursos são oferecidos em escolas se-
superior à da OCDE. O sucesso se de-
paradas ou em escolas integradas que reúnem
ve às amplas medidas adotadas pela
dois ou – como as Gesamtschulen – três tipos
federação e os estados para melhorar
a educação. O próximo relatório diferentes de formação secundária para facili-
PISA  será publicado no tar a mudança entre os diversos tipos. A deno-
final de 2016. minação dos tipos de escola varia de acordo
→ oecd.org/pisa com o estado, apenas o ginásio mantém o
mesmo nome em todos eles. 432.700 alunos
receberam em 2014 o certificado de maturida-
de escolar para a escola superior ou escola
8,4 milhões de alunos estudam em escolas de formação geral

superior de ciêncas aplicadas. Existem escolas excelente. As escolas são em geral particula-
próprias para crianças com necessidades es- res, mas recebem recursos financeiros e de
peciais adaptadas ao tipo de necessidade exis- pessoal através da Central das Escolas Alemãs
tente. Mas a aprendizagem conjunta de crian- no Exterior (ZfA em alemão). Desde 2008, o
ças com e sem necessidades especiais deve ser Ministério das Relações Externas coordena
fomentada de acordo com a Convenção sobre em parceria com a ZfA e o Instituto Goethe o
os Direitos das Pessoas com Deficiência. programa “Escolas: uma parceria para o futu-
ro” (PASCH em alemão), com o intuito de am-
A formação em 140 escolas alemãs em 72 pa- pliar a rede de alunos de língua alemã. O pro-
íses, onde 20.800 alunos alemães e 61 mil grama abrange cerca de 2 mil escolas com 600
não  alemães estudam juntos, é considerada mil alunos de alemão em todo o mundo.
114 | 115 SOCIEDADE

SOCIEDADE
Diversidade enriquecedora ∙ Estruturar a imigração ∙
Pluralismo de formas de vida ∙ Sociedade civil engajada ∙
Estado social forte ∙ Liberdade de religião

INTRODUÇÃO

DIVERSIDADE ENRIQUECEDORA
Com 81,2 milhões de habitantes, a Alema- sobre a imagem de 50 países, a Alemanha
nha é o nação mais populosa da União Eu- ficou em primeiro lugar, também em con-
ropeia. O país moderno, cosmopolita se sideração às boas notas nos itens qualida-
transformou em um relevante país de imi- de de vida e justiça social. A Alemanha se
gração. 16,4 milhões de pessoas na Alema- considera um Estado social, que tem co-
nha têm origem migratória. A Alemanha mo tarefa primordial proporcionar ga-
está entre os países que regulam a imigra- rantia social a todos os seus cidadãos.
ção da forma mais liberal. Segundo uma
pesquisa realizada em 2014 pela Organiza- A sociedade alemã é caracterizada pelo
ção para a Cooperação e Desenvolvimento pluralismo de estilos de vida e pela diversi-
Econômico (OCDE), é o segundo país pre- dade etnocultural. Novas formas e novas
dileto dos imigrantes depois dos EUA. realidades de vida transformam o cotidia-
no da sociedade. Imigrantes enriquecem o
A maioria das pessoas na Alemanha tem, país, trazendo novas perspectivas e experi-
na comparação internacional, um elevado ências. Existe abertura e aceitação social
padrão de vida e a liberdade equivalente perante formas de vida alternativas e dife-
para levar uma vida própria. No Índice de rentes orientações sexuais. A igualdade de
Desenvolvimento Humano 2014 das Na- oportunidades para homens e mulheres
ções Unidas a Alemanha ocupou o 6º lu- vem progredindo, houve uma liberalização
gar entre 187 países. No índice Nation na distribuição tradicional dos papéis
Brands 2014, uma enquete internacional entre os sexos. Pessoas com deficiências
VÍDEO AR-APP

Sociedade: o vídeo sobre o tema:


→ tued.net/pt/vid6

Alto padrão de vida e grande liberdade individual caracterizam a qualidade de vida na Alemanha
116 | 117 SOCIEDADE

participam cada vez mais ativamente da vive no limite da pobreza, especialmente


vida social. jovens e famílias monoparentais. Continu-
am existindo diferenças sociais entre o Leste
Nenhum outro desenvolvimento irá mar- e o Oeste do país. Esses são grandes desafios
car tanto a Alemanha no futuro como a para a sociedade e o Estado, que para serem
transição demográfica: a baixa taxa de superados exigem de todos muitos esforços,
natalidade na faixa de 1,4 filho por mu- empenho e engajamento.
lher é constante desde os anos 1990, ao
mesmo tempo aumenta a expectativa de
vida. Até 2050 a população do país irá REDE
provavelmente diminuir em sete milhões
Deutsch plus
de pessoas. O aumento da porcentagem Rede interdisciplinar e iniciativa para
de idosos é um dos maiores desafios para uma República pluralista
os sistemas de seguridade social. → deutsch-plus.de

Make it in Germany
As transformações socioeconomicas dos Portal de boas-vindas para mão de
últimos anos fizeram surgir na Alemanha obra qualificada do exterior, em diver-
sas línguas
novos riscos sociais, levando a uma maior
→ make-it-in-germany.com
estratização da sociedade de acordo com a
situação econômica de vida. Em 2014 , o nú- Relatórios sobre o
desenvolvimento humano
mero de desempregados era tão baixo como
Onde se encontra a Alemanha na com-
em 1991, uma média de 2,7 milhões. Mas ao paração mundial? → hdr.undp.org
mesmo tempo uma em cada seis pessoas

O desenvolvimento demográfico coloca o país diante de grandes desafios


COMPACTO

AGENTES & INSTRUMENTOS


Serviço Federal de Migração e Refugiados
A instituição oferece todas as informações
sobre a permanência na Alemanha e decide
sobre requerimentos de asilo.
→ bamf.de

Conferência Islâmica Alemã


A Conferência Islâmica Alemã (desde 2006)
criou um fórum para um diálogo duradouro estão o Grupo de Pesquisas Eleições, Forsa,
entre o Estado alemão e os muçulmanos que Emnid, infratest dimap e o Instituto de Demos-
vivem na Alemanha. copia Allensbach.
→ deutsche-islam-konferenz.de
Agência Federal do Trabalho
Serviço Voluntário Federal A agência nacional do trabalho é responsável
A oferta é dirigida a homens e mulheres inte- pela intermediação e fomento do trabalho,
ressados em prestar serviços à comunidade, bem como por compensações financeiras.
nas áreas social, ecológica, cultural ou despor- → arbeitsagentur.de
tiva, na integração ou defesa civil e prevenção
de catástrofes. Fundações
→ bundesfreiwilligendienst.de A Alemanha é um dos países da Europa com a
rede mais densa de fundações. A média é de
Plano Nacional de Integração 26 fundações por 100 mil habitantes. A funda-
A Alemanha quer ser um país de integração e ção mais conhecida é a Stiftung Warentest, que
por isso o tema é desde 2005 uma das priorida- compara produtos sob encomenda do Estado.
des do trabalho do governo federal. A reunião → stiftungen.org
de cúpula da integração é anual.
→bundesregierung.de
DIGITAL PLUS
Institutos de pesquisa de opinião Mais informações sobre todos os temas
Diversos institutos de pesquisa de opinião fa- do capítulo – listas de links comentadas,
artigos, documentos; informações adicio-
zem regularmente consultas sobre o modo de
nais sobre transição demográfica, seguri-
pensar dos alemães e publicam prognósticos dade social, contrato entre as gerações, igualdade de direitos,
em dias de eleições. Dentre os mais conhecidos padrão de vida.
→ tued.net/pt/dig6
118 | 119 SOCIEDADE

TEMA

ESTRUTURAR A IMIGRAÇÃO
A Alemanha passou a ser um destino top ou estrangeiro. Esse grupo corresponde a
no mundo na preferência dos imigrantes. 20% do total da população, 10,5 milhões
Segundo uma pesquisa realizada em 2014 são imigrantes. Mais de dois terços dos
pela Organização para a Cooperação e De- imigrantes vêm de outro país europeu. Se-
senvolvimento Econômico (OCDE), é o se- gundo o relatório sobre a imigração, a
gundo país predileto dos imigrantes depois maioria dos imigrantes em 2013 vieram da
dos EUA. Em nenhum outro país da OCDE Polônia ou Romênia. A minoria étnica
a imigração cresceu tanto nos últimos anos mais populosa, com quase 3 milhões de
como na Alemanha. Desde a reunificação pessoas, é de origem turca (dentre elas
em 1990, 21 milhões de pessoas vieram pa- 1,3 milhão com cidadania alemã). Muitos
ra a Alemanha, enquanto 16 milhões dei- imigrantes da primeira geração vieram no
xaram o país. Em 2013, foi alcançado com âmbito do primeiro contrato de arregi-
1,2 milhão de imigrantes o maior nível mentação com a Turquia em 1961 como
desde 1993. O balanço de 2013 demonstra trabalhadores não qualificados. Atualmen-
um saldo positivo de 437 mil pessoas. te existem universitários, empresários e
pessoas altamente qualificadas entre os
Ao todo vivem na Alemanha 7,2 milhões imigrantes de origem turca. Outro grupo
de pessoas com passaporte estrangeiro. numeroso provém da antiga Iugoslávia e
Mas 16,4 milhões de pessoas têm origem dos países resultantes de sua fragmentação.
migratória. Delas fazem parte imigrantes, Hoje 56% das pessoas com origem migrató-
estrangeiros nascidos na Alemanha e ria possuem um passaporte alemão. 108.420
crianças das quais um dos pais é imigrante estrangeiros receberam a cidadania alemã

DIAGRAMA População com origem migratória em 2014

Moderna sociedade de imigração


A Alemanha é, depois dos EUA, o país
predileto para a imigração: 16,4 milhões 7,2 milhões
de pessoas com origem migratória viviam estrangeiros
em 2014 na Alemanha. Cerca de quatro a 64,5 milhões
alemães sem
cinco milhões de muçulmanos vivem no país.
9,2
Fonte: Statistisches Bundesamt

milhões origem migratória


Somente a metade deles se declara reli- pessoas com
giosa, o equivalente a 2,5-3% da população. origem migratória e
passaporte alemão
16,4 milhões de pessoas na Alemanha têm origem migratória

Imigração líquida segundo Confissão na Alemanha


a região de origem
0,1 % 34 %
Europa Comunidades judaicas Sem confissão religiosa
0,9 %
Fontes: Statistisches Bundesamt/fowid 2013

Igrejas evangélicas livres


Ásia
1,3 %
29,9 %
Igreja Católica
Igrejas ortodoxas
África Romana
2,2 %
Outras
América
2,6 % 28,9 %
0 100.000 200.000 300.000 Muçulmanos Evangélicos luteranos.
120 | 121 SOCIEDADE

em 2014. O segundo maior grupo de imi- com suas contribuições o pagamento de


grantes, com 4,5 milhões de pessoas, é for- suas aposentadorias. A crescente demanda
mado pelos descendentes de alemães que de mão de obra especializada aumenta o
durante muitas gerações viveram na anti- número de imigrantes qualificados na Ale-
ga União Soviética. manha. A porcentagem de acadêmicos en-
tre os novos imigrantes é superior à média
Os migrantes contribuem significativa- de acadêmicos da população alemã.
mente para o desenvolvimento social e
econômico da Alemanha. O governo fede- O Cartão Azul da União Europeia se tornou
ral quer possibilitar uma imigração conti- um instrumento-chave para a concessão
nuada, também com o intuito de suprir a de permanência, possibilitando à mão de
falta de mão de obra qualificada resultante obra com formação superior de países de
da transição demográfica. Segundo um es- fora da UE o acesso ao mercado de trabalho
tudo da Fundação Bertelsmann, o número alemão. Um conjunto de leis em fase de
de alemães em idade ativa vai decrescer de planejamento deve unificar todas as regu-
45 milhões para menos de 29 mihões até lamentações sobre a imigração.
2050. Sem imigração aumenta a pressão
sobre o sistema de seguridade social, espe- Integração como tarefa importante da
cialmente sobre o sistema de aposentado- política de migração
ria baseado em um processo de cotização
denominado contrato social entre as gera- A Reforma da Legislação da Nacionalidade
ções, onde as pessoas economicamente ati- em 2014 introduziu a dupla nacionalidade.
vas e os empregadores garantem com as Foi extinta a obrigação de optar por uma das
contribuições mensais arrecadadas o paga- cidadanias para um filho de pais estrangei-
mento das cotas dos aposentados, preven- ros nascido e crescido na Alemanha após
do que as gerações seguintes assumam 1990. Anteriormente a opção era obrigatória

LINHAS DO TEMPO

1955
O forte crescimento econômico da
1964
Boas-vindas ao milionésimo traba-
1990
Com a queda da Cortina de Ferro
Alemanha nos anos 1950 resulta lhador migrante, chamado “traba- e as guerras na antiga Iugoslávia,
na falta de mão de obra. São assi- lhador convidado”. Com a crise do a imigração aumenta rapidamen-
nados contratos para a arregimen- petróleo em 1973, a arregimenta- te nos anos 1990. Além disso,
tação de trabalhadores com a ção é interrompida. Cerca de 4 mi- vêm para a Alemanha 400 mil
Itália, Grécia, Turquia, Marrocos, lhões de estrangeiros vivem então descendentes de alemães do
Portugal, Tunísia e Iugoslávia. na Alemanha. Centro e Leste da Europa.
até quando completasse o 23º ano de vida. Os Iraque e Afeganistão, espera-se que entre
migrantes estão se integrando cada vez me- 800 mil a um milhão de requisições de asilo
lhor no país. A cota de emprego aumentou deem entrada no Serviço Federal de Migra-
5% desde 2007, sendo o maior crescimento ção e Refugiados (BAMF em alemão) até o
dentro da OCDE. Os maiores déficits estão na final de 2015. A Alemanha aceita esse desa-
área da educação. É problemático o número fio e se empenha ao mesmo tempo por uma
de jovens com origem migratória que têm solução europeia solidária para a questão
deficiências na leitura e na escrita da língua dos refugiados.
alemã. Mais de 30% dos adultos estrangeiros
entre 20 e 29 anos continuam sem concluir
uma formação profissional. Uma das metas GLOBAL
principais do governo federal é aumentar a
Estudo da OCDE sobre a integração
sua participação no sistema educacional. de  imigrantes
A Alemanha conseguiu, nos últimos
Outra tarefa especial da política de migra- anos, integrar melhor os imigrantes no
ção e integração é a proteção de refugiados. mercado de trabalho. No caso de filhos
A Lei Fundamental garante aos persegui- de pessoas nascidas no exterior, porém,
os déficits continuam existindo. Este é
dos políticos direito de asilo. A Alemanha
o resultado de um estudo comparativo
reforça assim sua responsabilidade históri- realizado pela Organização para a
ca e humanitária. O número de pessoas em Cooperação e Desenvolvimento
busca de proteção aumentou consideravel- Econômico (OCDE) com o
mente nos últimos tempos. Se em 2004, título “Indicadores da Imi-
gração 2015”.
50 mil pessoas entraram com pedido de asilo,
→ oecd.org
em 2014 o número aumentou para 200 mil.
Em consequência das crescentes correntes
de refugiados das regiões de crise na Síria,

1997
Desde meados dos anos 1980 che-
2005
O microrrecenseamento possibi-
2014
Mais de 200 mil pessoas re-
gam à Alemanha, além de traba- lita pela primeira vez obter uma querem asilo na Alemanha. Pela
lhadores migrantes, cada vez mais imagem diferenciada das origens primeira vez se registra no
requerentes de asilo. O Acordo de migratórias na população. mesmo período quase meio
Dublin regulamenta desde 1997 a Em 2015 uma em cada cinco milhão a mais de pessoas
competência dos países europeus pessoas na Alemanha tem ori- imigrando para a Alemanha
nos processos de asilo. gem migratória. do que emigrando.
122 | 123 SOCIEDADE

TEMA

PLURALISMO DE FORMAS DE VIDA


A família continua tendo um significado grande risco de pobreza, 40% delas rece-
central no século 21, mesmo num mundo bem ajuda financeira do Estado.
altamente individualizado e marcado por
grande mobilidade. Para quase 90% da po- Outra forma de convivência que vem au-
pulação, a família continua sendo a mais mentando consideravelmente são as par-
importante instituição social e o mais in- cerias homossexuais. 78 mil casais ho-
fluente grupo de referência. Mas a concep- mossexuais viviam juntos em 2013 na
ção típica de uma família também está Alemanha, um terço a mais do que dez
passando por transformações. Apenas a anos antes. Dentre eles, 35 mil em parce-
metade das pessoas na Alemanha ainda vi- ria registrada, que desde 2001 confere sta-
ve em uma família. Embora as estruturas tus legal às uniões homossexuais.
familiares tradicionais estejam passando
por um retrocesso, os casais com crianças Enquanto surgem por um lado novas for-
menores de idade eram em 2014, com 69%, mas de convivência, cresce por outro o nú-
o modelo mais frequente de família. O nú- mero de domicílios unipessoais: 41% dos
mero de casamentos tende a diminuir, em domicílios, o equivalente a 16,5 milhões de
2013 foram 373.600. O divórcio acontece pessoas que vivem sozinhas. Esse desen-
em mais de um em cada três casamentos. volvimento é consequência da transição
Em 2013, a duração de um casamento em demográfica, que leva a um aumento do
caso de divórcio era em média 14 anos e número de pessoas idosas vivendo sós nu-
8 meses. 44 mil foi o número de casamen- ma unidade doméstica, mas também cada
tos entre alemães e estrangeiros. vez mais jovens fazem parte desse grupo.

O número de casais não casados com fi- Fomento específico da família através de
lhos aumenta consideravelmente. Entre licença e subsídio para pais
os 8,1 milhões de famílias atuais essa par-
cela se duplicou de 1996 a 2013. Um em ca- As coordenadas nas estruturas interfami-
da dez uniões com filhos não é legalizada. liares também se transformam. A relação
O tipo de família que mais cresce é a famí- geracional entre pais e filhos é geralmente
lia monoparental, equivalendo hoje a um boa e não mais determinada por padrões
quinto das uniões com filhos. Em nove de educacionais ultrapassados e autoritários,
dez famílias monoparentais, 1,64 milhão mas sim caracterizada pelo diálogo, apoio,
atualmente, o responsável pela educação incentivo e educação para a autonomia.
dos filhos é a mãe. Essa família corre um A parcela de mães que trabalham aumentou
A família tem um significado central – agora muitos pais também tomam licença para cuidar dos filhos

para 66% (2006: 61%). Mais de 70% das mu- fundar uma família e o desenvolvimento
lheres com filhos que trabalham ocupam profissional. É um dos muitos instrumentos
vagas de meio expediente, especialmente as para fortalecer a situação dos pais e contri-
mães de crianças em idade pré-escolar. No buir para uma sociedade que proporciona
caso dos pais são apenas 5%. A cota de mu- um ambiente favorável às famílias. A licen-
lheres empregadas na Alemanha em 2017 ça para os pais possibilita aos parceiros se
era 73,1%, a segunda maior da UE, muito afastar do trabalho até três anos. Durante o
acima da média de 62,3%. período eles recebem por 14 meses um sub-
sídio equivalente a 67% do último salário lí-
A licença para os pais, que entrou em vigor quido, no mínimo 300, no máximo 1.800
em 2007, torna mais compatíveis a opção de euros – como garantia da subsistência.
124 | 125 SOCIEDADE

Novas formas de convivência, como a união entre pessoas do mesmo sexo, são aceitas

75% dos alemães consideram o subsídio das 44 mil mulheres qualificadas para cui-
para os pais uma boa medida, quase todos dar de crianças pequenas. Desde 2006 o
fazem uso dele. Mas quatro em cada cinco número de vagas em creches para menores
pais ficam apenas o tempo mínimo de dois de três anos mais que duplicou.
meses em casa. As mães continuam a ser a
maioria a ficar por mais tempo em casa Licença para os pais, subsídio para os pais e
após o nascimento do filho. Com a comple- melhores condições para o acompanha-
mentação do subsídio introduzida em mento nas fases infantil e pré-escolar re-
2015, o retorno ao trabalho mais cedo pas- presentam um fomento à igualdade de di-
sou a ser mais atraente também para as reitos garantida pela Constituição às mu-
mulheres. O novo programa concede a pais lheres. Enquanto no setor da educação as
que trabalham meio expediente uma com- meninas não só acompanharam o passo
pensação financeira durante até 28 meses. dos meninos, como até mesmo os ultrapas-
saram (em 2014 as mulheres constituíam
Desde 1º de agosto de 2013, crianças a par- 54,4% dos alunos com maturidade escolar
tir de um ano de idade passaram a ter por para a escola superior e 48,7% dos calouros
lei direito a uma vaga em creche. Atual- em 2014/15), continuam a existir entre os
mente uma em cada três crianças com me- gêneros diferenças nas oportunidades de
nos de três anos – em 2015 eram 694.500 remuneração e carreira. As mulheres que
crianças – frequenta uma das 54 mil cre- trabalham em regime de tempo integral
ches (Kitas) ou está sob os cuidados de uma recebem em média apenas 78% do salário
de seus colegas do sexo masculino. Conti- profissional intensiva de jovens com gra-
nuam a ter menor representação nas posi- ves deficiências. Além desse programa
ções de liderança nas empresas. Em uma deve ser elaborada uma lei federal visan-
pesquisa realizada pelo Instituto Alemão do à participação de pessoas com defici-
de Pesquisa Econômica (DIW), das 877 che- ências. O apoio a esse grupo-alvo deve se
fias nas 200 maiores empresas, apenas 47 orientar mais pela situação de vida de ca-
são ocupadas por mulheres. da indivíduo.

Desde 2015 vigora a lei da participação equi- Outro grupo cujas necessidades e poten-
tativa de mulheres e homens em cargos de ciais o governo federal acompanha com
chefia. A lei estabelece que 30% dos postos atenção são os idosos. 17 milhões de pesso-
nos conselhos administrativos de empresas as na Alemanha têm 65 anos ou mais. Sua
cotadas na Bolsa de Valores sejam ocupados experiência é vista como um tesouro va-
por mulheres. Prevê ainda que 3.500 outras lioso para a sociedade. O estilo de vida des-
empresas estabeleçam metas próprias para sas pessoas também mudou muito e se
o aumento da participação de mulheres em diferenciou, em geral os idosos atuais são
suas diretorias. O aumento da participação bastante mais ativos que antigamente.
de mulheres no Parlamento Federal teve Muitas vezes continuam participando do
um desenvolvimento admirável, atingindo mercado de trabalho. Um diálogo intenso
a marca de 36,5%. entre idosos e jovens acontece nas 450 ca-
sas multigeracionais que funcionam como
Inclusão como importante tarefa social ponto de encontro para pessoas de diver-
sas faixas etárias
O governo federal visa a obter igualdade
de condições também para pessoas com
deficiências. A meta é uma sociedade in-
clusiva, na qual todos possam participar INFORMAÇÃO
de tudo, na escola, na profissão ou no la- Estudo Shell sobre a Juventude
zer. Para que isso aconteça é necessário O que pensa a juventude alemã? O que é
ampliar a eliminação de barreiras, tanto importante para os jovens, o que fazem
as barreiras em edifícios, ruas e caminhos no tempo livre, como é a relação deles
com os pais e os amigos? Desde 1953 a
como as sociais, por exemplo, o acesso ao
companhia de petróleo Shell encomenda
mercado de trabalho. A Alemanha foi um regularmente a institutos de pesquisa in-
dos primeiros países a assinar em 2007 a dependentes um estudo sobre a vida dos
Convenção das Nações Unidas sobre os jovens. O 17º Estudo Shell sobre a juven-
Direitos das Pessoas com Deficiência. Um tude sai em outubro de 2015.
→ shell.de/aboutshell/our-
Plano de Ação Nacional regulamenta sua
commitment/shell-youth-study.html
implementação. Ele prevê a formação
126 | 127 SOCIEDADE

TEMA

SOCIEDADE CIVIL ENGAJADA


23 milhões de alemães engajam-se nas a Fundação Bertelsmann, a Fundação Hans
horas livres em atividades filantrópicas e Böckler e o WWF da Alemanha.
assumem responsabilidades na sociedade.
O engajamento é muitas vezes de longo pra- As fundações comunitárias, nas quais
zo, em média os voluntários trabalham diversos cidadãos e empresas assumem
10 anos. Calculam-se 4,6 bilhões de horas de conjuntamente o papel de doadores para
trabalho para esse trabalho voluntário. Jun- fomentar projetos locais e regionais, vêm
to com entidades filantrópicas, igrejas, coo- crescendo em importância. As primeiras
perativas, organizações e empresas sem fins fundações desse tipo surgiram em 1996, em
lucrativos e iniciativas privadas, os mem- meados de 2015 já havia 275 fundações co-
bros de 580 mil associações são o eixo do munitárias reconhecidas pela Confederação
terceiro setor. Sociedade civil é o setor da Alemã de Fundações. O engajamento dos ci-
sociedade não estatal e apartidário, engaja- dadãos teve um leve aumento nos últimos
do voluntária e publicamente em questões anos, passando das grandes associações para
sociais e políticas. grupos menores, com organização própria, e
para projetos alternados. Atualmente mui-
Especialmente a importância das funda- tas pessoas estão engajadas voluntariamen-
ções vem tendo um crescimento contínuo. te em projetos locais de apoio a refugiados.
A Alemanha é um dos países com o maior
número de fundações na Europa, mais de Engajamento em partidos, sindicatos e
20 mil fundações de direito civil, o tipo organizações não governamentais
clássico dessas organizações. Desde a vira-
da do século foram criadas 12.500 funda- Um tipo de participação de cárater mais
ções de direito civil, mais da metade das estratégico e político é exercido em parti-
fundações desse tipo existentes atualmen- dos, sindicatos e em organizações não
te. A média atual é de 26 fundações por governamentais. Essa via oferece ao vo-
100 mil habitantes. O capital de todas as luntariado a possibilidade de uma intensa
fundações juntas é calculado em 70 bilhões participação democrática. No entanto, as
de euros. Elas despendem 17 bilhões em grandes organizações já estabelecidas
atividades de utilidade pública, especial- contam com dificuldades crescentes para
mente no setor social (28,8 %), de educação, atrair voluntários.
ciência e cultura. As cinco maiores funda-
ções de acordo com os gastos são a Funda- Existe um potencial para o voluntariado
ção Volkswagen, a Fundação Robert Bosch, sobretudo entre os jovens de 14 a 24 anos.
Proteção do meio ambiente: tema ao qual muitos dedicam o tempo livre com entusiasmo

O  interesse em atividades filantrópicas Ministério da Família, Idosos, Mulheres e


demonstra que os jovens adultos estão Juventude, do programa Weltwärts do
dispostos a atuar na sociedade. Desde Ministério da Cooperação Econômica e
2011 existe o Serviço Voluntário Federal. Desenvolvimento, ou do serviço voluntá-
A oferta é dirigida a pessoas de qualquer rio Kulturweit da Unesco alemã em coo-
idade e complementa o modelo do ano so- peração com o Ministério das Relações
cial voluntário para jovens e jovens adul- Externas. Todos os serviços em conjunto
tos, existente há mais de 50 anos. Outra computaram em 2014 cerca de 90 a 100
possibilidade é o trabalho no exterior, por mil voluntários.
exemplo através do serviço voluntário do
128 | 129 SOCIEDADE

TEMA

ESTADO SOCIAL FORTE


A Alemanha dispõe de um dos sistemas so- no artigo 20 parágrafo 1 e no artigo 28 da Lei
ciais mais abrangentes. Como em outras de- Fundamental da República Federal da Alema-
mocracias desenvolvidas, os gastos sociais nha. A aplicação prática está a cargo da po-
públicos equivalem à maior parcela do orça- lítica e da sociedade, que precisam sempre
mento do Estado. Em 2014 foram destinados acompanhar o dinamismo da realidade social
849 bilhões de euros aos gastos sociais públi- e readaptá-la aos novos desenvolvimentos,
cos, o que equivale a 29% do Produto In- especialmente à transição demográfica.
terno Bruto (PIB). Os sistemas públicos de
bem-estar social têm uma longa tradição na Rede de serviços sociais para proteção
Alemanha, datando da era da industrialização contra riscos existenciais
na segunda metade do século 19, e estão
relacionados com o chanceler do Reich Otto Uma densa rede que engloba seguro-saúde,
von Bismarck. Ele foi responsável pela criação seguro-aposentadoria, seguro contra aciden-
inicialmente do seguro obrigatório contra tes, de assistência na velhice ou invalidez e se-
doenças para os trabalhadores em 1883. O de- guro-desemprego obrigatórios por lei protege
senvolvimento da legislação social que se os cidadãos contra as consequências financei-
seguiu criou a base da orientação social do Es- ras dos riscos existenciais. A rede engloba ain-
tado. O princípio do Estado social está fixado da a garantia básica para aposentados e para
pessoas definitivamente incapacitadas para o
trabalho ou os auxílios complementares de
assistência às famílias (salário-família, incen-
NÚMERO tivos fiscais). Após novo aumento em 2015, as
famílias recebem pelo primeiro e segundo fi-
30,4 milhões lhos 188 euros mensais, pelo terceiro 194, e
219 por cada subsequente.
de trabalhadores registrados na seguri-
dade social pela Agência Federal do O Pacote da Aposentadoria, que entrou em
Trabalho em dezembro de 2014, ou seja,
vigor em 2014, melhorou especialmente a si-
75% a 80% de todos as pessoas com
ocupação. Não estão incluídos os funcio- tuação dos idosos. Foram introduzidas a apo-
nários públicos, autônomos, familiares sentadoria a partir de 63 anos sem corte na
não remunerados e pessoas que exercem remuneração mensal e a chamada aposenta-
minijobs, ou seja, ocupações com baixa doria para as mães. Esta última é o reconhe-
remuneração, isenta de impostos.
cimento ao desempenho das mulheres que
→ statistik.arbeitsagentur.de
educaram filhos nascidos antes de 1992 e não
O Estado apoia especificamente as famílias através de um subsídio. A oferta de assistência pré-escolar às crianças foi ampliada

dispuseram da infraestrutura para a assis- tir de 63  anos sem corte na remuneração
tência aos filhos em instituições como têm os mensal. No primeiro ano, 280 mil assalaria-
pais atuais, tendo consequentemente menos dos optaram por essa modalidade. O Instituto
oportunidades no mercado de trabalho. de Pesquisa de Emprego e Formação Profis-
9,5  milhões de mulheres (o número de ho- sional (IAB) calcula em 560 mil o número de
mens é menor) recebem desde julho de 2014 pedidos até o final de 2018.
mais de 300 euros a mais de aposentadoria
por filho por ano. Desde 1º julho de 2014, se- O seguro-saúde na Alemanha é obrigatório.
gurados de longo prazo que tenham mais de A assistência médica é garantida por uma
45 anos de contribuição aos fundos públicos ampla oferta de hospitais, consultórios e clí-
de aposentadoria podem se aposentar a par- nicas de reabilitação.
130 | 131 SOCIEDADE

PANORAMA

LAZER E VIAGEM
Atividades prediletas no tempo livre
Tantas pessoas (dentre 100) exercem as seguintes
atividades de lazer pelo menos uma vez por semana:

Televisão 97
Ouvir rádio Telefonar
90 em casa

89
Surfar na internet 73

71 Telefonar fora
68 Acordar tarde
de casa
72 Passar tempo 65
Ler jornais/
Pensar/ 71 com o compa-
refletir nheiro
revistas

64 Ouvir CD/
52
Computador 61 54
61 MP3

Conversar sobre Cuidados com Beber café/


coisas importantes o corpo comer bolo

Quanto tempo livre têm Menos de 1a2 2,5 a 4 4,5 a 6 Mais de 6


os alemães? 1 hora horas horas horas horas
Tempo que sobra para
fazer o que se quer:
3% 18 % 38 % 17 % 23 %

23 milhões 43.957 28 milhões 94 %


de alemães fazem trabalho pessoas prestam serviço de pessoas na Alemanha são dos domicílios têm pelo
voluntário no tempo livre no âmbito do Serviço membros de uma associação menos um telefone celular
Voluntário  Federal desportiva
Quanto tempo duram as férias
Duração média de uma viagem em dias:

14,8 14,8
13,4 13,0 12,2 12,5 12,3 12,1

2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014

Destinos prediletos
De 100 viajantes alemães, tantos escolheram 2,4
como destino para sua principal viagem em +0,3 Escandinávia
2014 (no círculo: diferença em relação a 2013):

11,3
Destinos distantes
-0,4

-0,3 1,5
Polônia
+0,5
2,4 2,1 -0,2
EUA/Canadá Países do Benelux

+0,4
4
Áustria
+0,5
-0,9
3
2,1 Croácia
-0,5
França

6,9
Itália +0,5
+1,2 ±0
-0,4 2,7
14,4 2,8 Grécia 6,7
Espanha Norte da África Turquia

Fonte: Stiftung für Zukunftsfragen

245 euros 57% 1.071 euros 37 %


gasta cada domicílio por dos alemães fazem gastam os alemães em dos alemães fazem a
mês com lazer, cultura uma viagem de pelo menos média na principal principal viagem de férias
e diversão cinco dias por ano viagem de férias dentro do país
132 | 133 SOCIEDADE

TEMA

LIBERDADE DE RELIGIÃO
O panorama religioso da Alemanha se ca- Com 23 milhões de adeptos, suas igrejas
racteriza por uma pluralidade e seculariza- abarcam a maior parte dos cristãos evangé-
ção crescentes. 58,8% da população alemã licos. 34% da população não professa confis-
declara professar uma das duas grandes são alguma.
confissões cristãs, sendo que a católica está
organizada em 27 dioceses, encabeçada pela Em consequência do envelhecimento dos
Conferência dos Bispos Alemães, e a evan- adeptos e do grande número de saídas oficiais
gélica em igrejas estaduais, encabeçada pela da Igreja, diminui o número de fiéis nas igre-
Igreja Evangélica na Alemanha como enti- jas cristãs. 218 mil pessoas abandonaram a
dade superior em nível federal. A Igreja Ca- Igreja Católica em 2014. O distanciamento da
tólica, com 24 milhões de adeptos em 12 mil igreja se faz notar ainda mais no Leste do país.
paróquias, pertence à Igreja universal, enca-
beçada pelo papa como Sumo Pontífice da O islamismo adquire significado crescente
Igreja Católica Romana. A Igreja Evangélica em consequência da imigração. O número
na Alemanha (EKD) é a comunidade de 20 de muçulmanos oriundos de 50 nações é
igrejas evangélicas regionais autônomas de calculado em cerca de 4 milhões, não existe
confissão luterana, reformada ou unida. contudo um levantamento central oficial.
Em muitas cidades formaram-se grandes
comunidades muçulmanas. A Conferência
Islâmica Alemã, existente desde 2006, criou
LISTA
um fórum de diálogo entre o Estado alemão
e os muçulmanos na Alemanha.
∙ Maior diocese católica: Arquidiocese
de Colônia com 2.035.000 fiéis
A presença dos judeus, completamente de-
∙ Maior igreja evangélica luterana esta- saparecida com o Holocausto, teve um
dual: Hannover com 2.763.633 fiéis renascimento após o final do conflito Les-
te/Oeste, com a imigração procedente dos
∙ Grandes mesquitas: mesquita Yavuz
países da antiga União Soviética. Atual-
Sultão Selim em Mannheim; mesquita
Sehitlik em Berlim, mesquita Fatih em mente cerca de 200 mil judeus vivem na
Bremen Alemanha, 100.500 organizados em 107 co-
munidades judaicas que abrangem um am-
∙ Maior comunidade judaica: plo leque religioso e são representadas pelo
Berlim com 10.009 fiéis
Conselho Central dos Judeus na Alemanha,
fundado em 1950.
A liberdade de religião é garantida na Alemanha pela Lei Fundamental. Existem mais de 2 mil mesquitas

Na Alemanha não existe uma Igreja do Esta- mantidos por entidades religiosas. As igre-
do. A base do relacionamento entre o Estado jas, para financiar o trabalho social, cobram
e a religião é a liberdade de crença, garan- impostos de seus fiéis que são recolhidos
tida expressamente na Constituição, a se- pelo Estado. As escolas são obrigadas a ofe-
paração entre Igreja e Estado devido ao recer religião como disciplina ordinária
princípio da neutralidade confessional do (com restrições em Bremen e Berlim). O en-
Estado, e o direito de autodeterminação sino da religião islâmica está sendo amplia-
das comunidades religiosas. O Estado e as do. 700 mil crianças e jovens muçulmanos
comunidades religiosas cooperam em for- frequentam a escola na Alemanha. Profes-
ma de parceria. O Estado participa no finan- sores estão sendo formados para ofecerecer
ciamento de escolas e jardins de infância o ensino religioso a esse grupo.
134 | 135 C U LT U R A & M Í D I A

CULTURA & MÍDIA


Nação cultural pulsante ∙ Economia criativa inovadora ∙ Diálogo cultural ∙
Posições cosmopolitas ∙ Transformação rápida das mídias ∙ Idioma atraente

INTRODUÇÃO

NAÇÃO CULTURAL PULSANTE


Não existe uma cultura homogênea na profissionais, em parte ligadas às emissoras
Alemanha. Existem muitas culturas, às vezes de rádio, e 80 teatros musicais. O cenário mu-
surpreendentemente opostas, interligadas, seológico é ímpar, graças aos 630 museus de
que se rejeitam e se atraem. Falar da Alema- arte que abrigam coleções riquíssimas em ní-
nha como nação cultural no século 21 signifi- vel internacional. Tal diversidade em institui-
ca falar de um organismo evoluído, pulsante, ções culturais confere à Alemanha uma
sempre em desenvolvimento, com uma di- posição de destaque. Organizado preponde-
versidade admirável, intrigante, muitas vezes rantemente na forma de entidades públicas, o
extenuante. Isso resulta da tradição federalis- sistema de teatros, orquestras e museus tem
ta do país, que só passou a existir como nação grande aceitação por parte da população.
a partir de 1871. A República Federal da Ale- Diante das dificuldades financeiras enfrenta-
manha, fundada em 1949, manteve também das pelos orçamentos públicos, dos processos
após a reunificação em 1990 conscientemen- de transformação sociodemográficos e da
te a tradição federal e deixou a soberania cul- mídia, bem como da digitalização, esse siste-
tural a cargo dos estados. Só desde 1998 é que ma se encontra em uma fase de transforma-
existe um Secretário de Estado para Questões ção e reorientação.
de Cultura e Mídia na Chancelaria Federal.
Resultado da estrutura da Alemanha, forma- O prestígio da Alemanha como nação cul-
da por muitos antigos pequenos e médios es- tural se baseia nos grandes nomes do pas-
tados e cidades livres, é a existência de 300 te- sado, como Bach, Beethoven e Brahms na
atros municipais e estaduais, 130 orquestras música, Goethe, Schiller e Thomas Mann
VÍDEO AR-APP

Cultura e mídia: o vídeo sobre o tema


→ tued.net/pt/vid7

O futuro centro de diálogo entre as culturas do mundo: o Fórum Humboldt está sendo construído em Berlim
136 | 137 C U LT U R A & M Í D I A

na literatura. Mas há igualmente nomes fa- Berlim, está sendo criado até 2019 um pro-
mosos representando as posições modernas jeto cultural de excelência. Caracterizado
em todos os gêneros da arte. pela visão cosmopolita, propiciará o inter-
câmbio científico internacional e o diálo-
Por outro lado, o país passou por um pro- go entre as culturas.
cesso que teve início muito antes em outros
países europeus. A partir das próprias tradi-
ções, abriu-se às influências de fora e desen-
volveu uma nova narrativa. Jovens artistas
de origem migratória encontraram formas
de se articular reagindo musical mas tam- REDE
bém poeticamente ao embate e à fusão de Portal da cultura Alemanha
culturas de diferentes proveniências. Site sobre eventos selecionados e
temas político-culturais
Com a diluição progressiva da fronteira → kulturportal-deutschland.de

entre cultura popular e erudita, os centros


Litrix
artísticos e culturais regionais transforma-
Portal de divulgação da literatura
ram-se em pulsantes centros da nova cul- alemã em diversos idiomas
tura alemã. Formam em conjunto um → litrix.de
campo de forças, um reflexo da Alema-
nha em forma concentrada. Com o Fórum Portal do cinema
Plataforma sobre o cinema alemão
Humboldt, que será instalado no antigo
→ filmportal.de
palácio em reconstrução no centro de

Existem muitas possibilidades de apresentação para as artes cênicas na Alemanha


COMPACTO

AGENTES & INSTRUMENTOS


Secretária de Estado para Questões
de Cultura e Mídia
A Secretária de Estado para Questões de Cultura
e Mídia (BKM na sigla alemã), Monika Grütters,
é subordinada diretamente à chanceler federal e
responsável por fomentar instituições e projetos
culturais de importância nacional.
→ bundesregierung.de
Casa das Culturas do Mundo
Instituto Goethe A Casa das Culturas do Mundo em Berlim é um
O Goethe-Institut e.V. é o instituto cultural centro de intercâmbio cultural internacional e
alemão com atuação em todo o mundo. um fórum para debates atuais.
Tem como tarefa incentivar o ensino da língua → hkw.de
alemã no exterior, promover a cooperação
cultural internacional e difundir uma imagem Conselho Cultural Alemão
ampla e atual da Alemanha. O Conselho Cultural Alemão e.V. é a federação
→ goethe.de oficial dos conselhos culturais alemães, reunindo
246 instituições e organizações do setor.
Instituto de Relações Internacionais → kulturrat.de
O Instituto de Relações Internacionais (ifa)
empenha-se internacionalmente pelo intercâm- Central das Escolas Alemãs no Exterior
bio cultural, o diálogo na sociedade civil e a A Central das Escolas Alemãs no Exterior (ZfA
divulgação de informações sobre a política cul- na sigla alemã) presta assistência a 1.200 escolas,
tural externa. dentre elas 140 escolas alemãs no exterior.
→ ifa.de → auslandsschulwesen.de

Fundação Cultural Federal


A Fundação Cultural Federal fomenta arte e DIGITAL PLUS
cultura no âmbito da competência federal. Mais informações sobre todos os temas
Um dos focos principais é o incentivo de do capítulo – listas de rankings comenta-
das, artigos, documentos, discursos; infor-
programas e projetos inovadores no contexto
mações adicionais com palavras-chave
internacional. tais como soberania cultural dos estados federados, Fundação
→ kulturstiftung-des-bundes.de Cultural Federal, Prêmio Alemão de Cinema, documenta.
→ tued.net/pt/dig7
138 | 139 C U LT U R A & M Í D I A

TEMA

ECONOMIA CRIATIVA INOVADORA


A economia cultural e criativa é um dos teatros, orquestras) ou da sociedade civil
segmentos econômicos mais inovadores. (associações de arte, fundações). Inúmeros
Na Alemanha, sua contribuição para o de- empreendedores nos campos de design,
sempenho geral da economia nacional (va- software e jogos eletrônicos conseguiram se
lor adicionado bruto) tem um crescimento estabelecer em muitas cidades graças ao in-
constante e se equipara atualmente aos centivo à criação de novas empresas. Princi-
grandes setores da indústria, como o de má- palmente a indústria de software e jogos
quinas e equipamentos. O faturamento da eletrônicos revela o potencial do setor, por
economia criativa, na qual atuam 249 mil reunir diversas vertentes, como filme, vídeo,
empresas e 1,5 milhão de pessoas, alcançou música, texto e animação, e teve um fatura-
145 bilhões de euros em 2013. mento de 31  bilhões de euros em 2013. A
região Berlim-Brandemburgo destaca-se
O núcleo de toda atividade econômica cul- nesse desenvolvimento, com 200 empresas.
tural e criativa é o ato de criar conteúdos, Nenhuma outra região possui densidade
obras, produtos, produções ou serviços ar- maior de infraestrutura para games, in-
tísticos, literários, culturais, musicais, arqui- cluindo escolas superiores. Mas também em
tetônicos ou criativos. O setor está estrutu- Frankfurt am Main, Hamburgo, Leipzig, Co-
rado principalmente em micro e pequenas lônia e Munique há uma grande aglomera-
empresas e profissionais autônomos (97 por ção de empresas do setor. A oferta densa de
cento), orientados sobretudo para o lucro, consultoria, redes e incentivo, acompanha-
ou seja, que primariamente não exercem da de uma eficiente infraestrutura de TI, cria
suas atividades no setor público (museus, nessas áreas um ambiente ideal.

DIAGRAMA Crescimento constante: empresas do setor da economia cultural e criativa


Fontes: BMWI&destatis, Börsenverein des Deutschen Buchhandels

248.721
232.770 244.290
Setor com potencial
A economia cultural e criativa une seg- 219.376
mentos tradicionais da economia, novas 202.049
tecnologias e modernas formas de infor-
mação e comunicação. Na Alemanha,
ela abrange doze subsetores: os mercados
musical, editorial, de arte, cinematográ-
fico, radiodifusão, artes performáticas,
arquitetura, design, imprensa, publicidade,
software/jogos eletrônicos, outros.
2004 2006 2008 2011 2013
Berlim é considerada a capital dos startups para jovens empreendedores de todo o mundo

Mercado editorial bastante diversificado: muitos lançamentos Média razoável: valor adicionado bruto na comparação
de setores em bilhões de euros
6,3 %
33,8 %
Viagens
Ficção
Indústria química 40,3
9,0 % Abastecimento energético 54,9
Escola e aprendizagem
9,3 %
81.919
Economia cultural e criativa 63,6
Livros técnicos

11,3 %
Lançamentos Serviços financeiros 67,8
Ciência 15,8 % Máquinas e equipamentos 87,9
14,5 % Infantis e juvenis
Automobilístico 110,4
Guias e autoajuda
140 | 141 C U LT U R A & M Í D I A

TEMA

DIÁLOGO CULTURAL
A política cultural e educacional externa país com um cenário cultural multifacetado e
(AKBP na sigla alemã) é, ao lado da diploma- bem-sucedido e a transmissão de uma ima-
cia clássica e da política econômica exterior, gem atualizada da Alemanha. Das iniciativas
o terceiro pilar da política exterior da Ale- concretas fazem parte o incentivo de progra-
manha. Um de seus principais objetivos é mas culturais como exposições, espetáculos
criar um fundamento sólido para o relacio- teatrais de companhias alemãs, o fomento de
namento com outros países e possibilitar literatura e cinema, mas também projetos em
o diálogo entre os povos através do inter- diálogo com o mundo islâmico ou “kul-
câmbio e da cooperação nas áreas cultural, turweit”, uma oferta para jovens alemães
educacional e científica. A política cultural prestarem serviço voluntário no exterior.
externa abre assim o caminho para uma
compreensão mútua, uma base importante A base dos programas e projetos é um
para uma política comprometida com o conceito amplo de cultura
equilíbrio pacífico de interesses. Outras tare-
fas da AKBP são o fomento da língua alemã O MRE implementa apenas em parte a sua
no mundo, a divulgação da Alemanha como política cultural, encarregando para tanto
organizações mediadoras com status de
pessoa jurídica de direito privado e com fo-
cos de ação muito diversificados, como o
Instituto Goethe, o Instituto de Relações In-
LISTA
ternacionais (ifa), o Serviço Alemão de In-
tercâmbio Acadêmico (DAAD), a Comissão
∙ Maior museu de arte:
Kunsthalle de Hamburgo
Alemã da Unesco ou a Fundação Alexander
von Humboldt (informações sobre a políti-
∙ Maior orquestra: ca educacional externa encontram-se no
Orquestra Gewandhaus Leipzig capítulo “Ensino & Conhecimento”).

∙ Maior cinema:
O trabalho das organizações mediadoras é
Cinemaxx em Essen
definido por meio de acordos de metas, mas
∙ Maior palco teatral elas têm liberdade na concepção dos pro-
Friedrichstadtpalast (Berlim) gramas e projetos. O Instituto Goethe dis-
põe de 159 institutos de cultura em 98 paí-
∙ Maior teatro
ses. Fomenta o ensino da língua alemã no
Baden-Baden
exterior e a cooperação cultural internacio-
Antigos manuscritos da cidade de Timbuktu (Mali) estão sendo conservados e pesquisados

nal. O ifa dedica-se sobretudo ao diálogo das apoia o restauro de objetos históricos rele-
culturas, promovendo exposições e confe- vantes no exterior. O Ministério das Rela-
rências. Novas tendências no diálogo cultu- ções Externas fomentou entre 1981 e 2015
ral são as ofertas digitais de cultura e inter- mais de 2.700 projetos em 144 países, dentre
câmbio e as novas possibilidades de partici- eles a pesquisa e o restauro de antigos e ex-
pação interativa. Desde a década de 1970, a tremamente valiosos mnuscritos em Tim-
política cultural externa dá valor em todos buktu, no Mali, a criação de um arquivo di-
os projetos a um conceito de cultura amplo gital do patrimônio cultural na Síria, a digi-
e não elitizante, que não reduza “cultura” a talização de música tradicional nos Cama-
“arte”. Mas não se trata apenas da cultura rões ou a estabilização das ruínas do templo
alemã. O Programa de Preservação Cultural de Karakorum na Mongólia.
142 | 143 C U LT U R A & M Í D I A

TEMA

POSIÇÕES COSMOPOLITAS
Em uma sociedade baseada no pluralismo imigrantes que vivem no país em segunda e
como a alemã não pode existir uma tendên- terceira geração, contam outras histórias
cia cultural dominante ou uma metrópole pessoais ou sobre a vida de seus pais e avós do
que ofusque todas as outras. A estrutura fe- que cidadãos que vivem há séculos na Ale-
deral da Alemanha fortalece uma simetria manha. Indepentemente de terem nascido
do assimétrico, existindo no teatro, cinema, ou não na Alemanha, eles em geral não são
música, artes plásticas e literatura as mais marcados por uma história concreta de mi-
diversas tendências, às vezes opostas e con- gração, mas sim pela experiência do hibridis-
correntes entre si. mo cultural. A vida em diferentes contextos
culturais cria novas formas de debate artísti-
No teatro, existe uma clara tendência: o nú- co com a sociedade e reflete as atuais linhas
mero de estreias de autores contemporâneos de conflito, as negociações pela obtenção de
cresceu vertiginosamente. Elas mostram toda direitos, participação, compartilhamento.
a gama das formas de expressão atuais: teatro Surgem novas narrativas que promovem
tradicional mesclado com pantomima, dan- a  criação de uma nova autoimagem da
ça, inserção de vídeos e música, participação sociedade e cunham a percepção cultural da
de leigos, criando no palco muitas vezes uma Alemanha no exterior.
ação com caráter de performance, pós-dra-
mática. A diversidade apresentada todos os
anos em maio no Encontro de Teatro de Ber-
INFORMAÇÃO
lim pode ser considerada uma resposta poli-
O Prêmio Adelbert von Chamisso é um
fônica às questões levantadas por uma com-
prêmio de literatura concedido desde
plexa realidade. 1985 pela Fundação Robert Bosch. A au-
tores que não têm o alemão como língua
Paralelamente a esse mainstream cultural materna, mas escrevem no idioma. Os
esteado no seio da sociedade, surge algo novo premiados de 2015 foram Sherko Fatah,
escritor com raízes iraquianas (pelo con-
que, a partir das periferias, invade a produção
junto de sua obra), a escritora Olga Grjas-
teatral independente, mas também a tradi-
nova por “Die juristische Unschärfe einer
cional, e a revitaliza. “Pós-migratório” é o ter- Ehe” (A indeterminação jurídica de um
mo usado para denominar esse fenômeno casamento), nascida em Baku, no Azer-
que reflete a situação da Alemanha como baijão, e Martin Kordic por “Wie ich mir
sociedade de imigração e que é visível em das Glück vorstelle” (Como imagino a
felicidade), filho de pai croata.
muitas cidades, especialmente em Berlim.
→ bosch-stiftung.de
Milhões de alemães de origem migratória,
A encenação de Yael Ronen da peça “Common Ground” no Teatro Maxim Gorki foi um grande sucesso

O “Teatro pós-migrante“ de Shermin Lang- de Berlim 2015 com a peça “Common


hoff, no Teatro Maxim Gorki em Berlim, é Ground”, que trata da Guerra dos Bálcãs,
uma espécie de farol dessa produção ar- encenada pela diretora israelense Yael Ro-
tística que festeja a transculturalidade. Su- nen. O teatro segue aqui o mesmo caminho
as encenações alcançam, além do público que vem sendo percorrido pela música po-
tradicional, uma nova clientela, na sua pular ou pela literatura há algum tempo,
maioria jovens, e refletem um processo onde as biografias dos artistas refletem o
complexo em constante desenvolvimento pluralismo da sociedade e fusões emocio-
e diferenciação. O Teatro Gorki foi convi- nantes das mais diversas tendências apon-
dado para participar do Encontro de Teatro tam novas perspectivas. Na música pop, os
144 | 145 C U LT U R A & M Í D I A

mais diversos estilos internacionais (beat anos do elenco dos mais bem-sucedidos
dos Bálcãs, som afro-americano, rock turco, autores de língua alemã. Suas obras, que
hip-hop norte americano) são combinados refletem as experiências, por exemplo, de
com influências ou fenômenos eletrônicos um ambiente iraniano, russo, turco, são
considerados “tipicamente alemães”. E, as- lidas por muitos, e sua literatura leva seus
sim como acontece em outros países, aqui temas próprios e a experiência da imigra-
também o rap assume um papel de identi- ção ao seio da sociedade.
ficação para jovens de famílias imigrantes.
O mesmo vale para os filmes de diretores
Os temas pós-migratórios assumem um como Fatih Akin ou Bora Dagtekin, onde
papel central na literatura contemporânea o meio e os clichês se chocam de uma for-
ma lúdica e divertida. A imagem que sur-
Importantes autores de origem migrató- ge da Alemanha e é refletida em suas
ria, como Navid Kermani, que recebeu em diversas facetas é às vezes caótica e con-
2015 um dos mais renomados prêmios traditória. A sociedade tem que aprender
culturais da Alemanha, o Prêmio da Paz a suportar essas ambivalências e tensões,
do Comércio Livreiro Alemão, mas tam- a arte reflete isso e oferece espaços para
bém Katja Petrowskaya, Sherko Fatah, Ni- extravasar os conflitos de forma pacífica.
no Haratischwili, Saša Stanišić, Feridun A Alemanha pós-migratória não é neces-
Zaimoglu ou Alina Bronsky, para citar sariamente aconchegante, mas estimu-
apenas alguns, fazem parte há muitos lante e dinâmica.

O escritor alemão-iraniano Navid Kermani recebeu em 2015 o Prêmio da Paz do Comércio Livreiro Alemão
MAPA
Prêmios culturais importantes na Alemanha

1 Urso de Ouro
O Festival Internacional de Cinema de Ber-
lim (Berlinale) faz parte dos mais importan-
tes festivais de cinema, ao lado de Veneza e
Cannes. Os prêmios concedidos são o Urso
de Ouro e vários Ursos de Prata.
1 3
Berlim 2 Prêmio da Feira do Livro de Leipzig
O Prêmio da Feira do Livro de Leipzig é
2 dedicado a lançamentos em língua alemã.
Leipzig
3 Prêmio do Cinema Alemão
Frankfurt a.M. Com aproximadamente três milhões de
4 euros, o Prêmio do Cinema Alemão é o
mais bem dotado prêmio cultural do país.
5
Darmstadt
4 Prêmio Alemão do Livro
Um júri escolhe o melhor romance do ano
em língua alemã.

5 Prêmio Georg Büchner


A mais importante distinção da literatura
contemporânea em língua alemã.

As artes plásticas na Alemanha também suas 500 galerias e muitos espaços aber-
são cosmopolitas e internacionais, como tos é considerada a metrópole da jovem
já demonstra a estatística dos calouros arte contemporânea e um dos maiores
nas Escolas Superiores de Belas-Artes no centros internacionais de sua produção. A
país: em 2013, o número de estudantes es- Bienal de Veneza comprova isso a cada
trangeiros superou pela primeira vez o dois anos: grande número de artistas in-
número de estudantes alemães. E a prefe- ternacionais que ali expõem reside em
rência não recai somente nas universida- Berlim.
des. Artistas gostam de viver e produzir
na Alemanha. Berlim atrai artistas não só
da Europa como de todo o mundo. Com
146 | 147 C U LT U R A & M Í D I A

TEMA

TRANSFORMAÇÃO RÁPIDA DAS MÍDIAS


A liberdade de imprensa e de opinião é um no princípio dual de público e privado. Esse
bem protegido pela Constituição, expresso no sistema persiste na sua essência desde a fun-
Artigo 5 da Lei Fundamental: “Todos têm o dação da República Federal da Alemanha em
direito de expressar e divulgar livremente o 1949. A contribuição mensal desde 2015 é de
seu pensamento, por meio da palavra, por es- 17,50 euros. A partir da década de 1980, sur-
crito e pela imagem, bem como de se infor- giram além disso no mercado diversas emis-
mar, sem impedimentos, em fontes de acesso soras privadas de rádio e televisão. Até 2014
geral. (...) Não será exercida censura.” A Alema- cada domicílio podia acessar em média 78
nha ocupou o décimo segundo lugar entre canais de TV. Incluindo inúmeras ofertas de
180 países no Índice de Liberdade de Impren- TV por assinatura, existem cerca de 400 ca-
sa de 2015 da ONG Repórteres Sem Frontei- nais. Os principais telejornais são “Tages-
ras. O pluralismo de opinião é garantido, o schau” e “Tagesthemen”, na ARD, “heute” e
pluralismo de informação existe. A imprensa “heute journal”, na ZDF, e “RTL aktuell”. Só em
não se encontra nas mãos do governo ou de Berlim, que se encontra entre as 10 mais im-
partidos, mas sim de empresas privadas da portantes metrópoles da mídia, trabalham
mídia. O sistema de direito público de 900 correspondentes acreditados junto ao
radiodifusão segundo o modelo britânico parlamento e 400 correspondentes estrangei-
(ARD, ZDF, Deutschlandfunk), formado por ros de 60  países.
emissoras organizadas como corporações fi-
nanciadas através da arrecadação de taxas, ou Do mundo polifônico da mídia fazem parte
seja, emissoras de direito público, são o se- 329 jornais diários, na sua maioria regionais,
gundo pilar do panorama da mídia, baseado 20 semanais e 1.590 revistas populares

LINHAS DO TEMPO

1945
Após o período nazista, são publi-
1950
As seis estações de rádio da
1984
A “Sociedade de Radiodifusão por
cados inicialmente apenas jornais Alemanha Ocidental assinam Cabo e Satélite”, sigla PKS em
licenciados na Alemanha. Na zona em Bremen um acordo sobre alemão, inicia a transmissão em
de ocupação americana a primei- a “Criação da Associação de Ludwigshafen am Rhein. É o nas-
ra licença foi concedida em 01 de Empresas de Radiodifusão de cimento da televisão privada na
agosto de 1945 ao “Frankfurter Direito Público da República Alemanha.
Rundschau”. Federal da Alemanha”.
As mídias sociais transformam na sua essência o sistema das mídias, o comportamento na comunicação e a comunidade

1995
Primeiro diário alemão on-line,
1997
4,1 milhões de alemães acima
2014
Redes sociais: 28 milhões de usu-
o jornal liberal de esquerda “taz” de 14 anos acessam a internet ários do Facebook. Um milhão
entra na rede seis anos após a pelo menos esporadicamente. de alemães faz uso constante do
criação da world wide web Em 2014, o número chega a Twitter (pesquisa do Instituto
(www). A comunidade do “digi- 55,6 milhões, equivalentes a Allensbach). Campeão das redes
taz” aumenta rapidamente. 79,1% das pessoas dessa faixa sociais é o WhatsApp, com mais
etária na Alemanha. de 35 milhões de usuários.
148 | 149 C U LT U R A & M Í D I A

O maior newsroom da Alemanha: a Redação Central da agência de notícias Deutsche Presse-Agentur (dpa) em Berlim

(2014). Depois da China, Índia, Japão e EUA, por seu jornalismo investigativo, analítico,
a Alemanha é o quinto maior mercado de profundo e seus comentários abrangentes.
jornais do mundo. A tiragem dos diários A revista “Spiegel”/”Spiegel Online” e o ta-
alcança 17,54 milhões e a dos semanários bloide “Bild” são considerados as mídias
ou jornais domingueiros, 5 milhões de mais citadas.
exemplares vendidos por edição (2014). Os
títulos mais influentes, os diários suprarre- Ao mesmo tempo, o setor encontra-se em
gionais “Süddeutsche Zeitung“, “Frankfur- uma fase de profundas transformações
ter Allgemeine Zeitung“, “Die Welt“, “Die estruturais. Os diários vêm perdendo regu-
Zeit“, “taz“ e “Handelsblatt“, destacam-se larmente há 15 anos uma média de 1,5 a 2%

DIAGRAMA Desenvolvimento vertiginoso: mais de 55 milhões


de usuários de internet na Alemanha
Cotidiano digital 55,6
O uso da internet móvel e a utilização 49
de dispositivos móveis crescem signifi-
cativamente na Alemanha. O aumento 38,6
Fonte: ARD/ZDF Pesquisa on-line 2014

do uso de dados móveis faz crescer


também as exigências técnicas para a
infraestrutura de rede. Estudos mos- 18,3
tram também que há algum tempo o
número de usuários da internet vem 4,1
tendo apenas um leve crescimento. 1997 2000 2006 2010 2014
de sua tiragem vendida. Eles alcançam ca- GLOBAL
da vez menos os leitores jovens e lutam
Deutsche Welle A Deutsche Welle
com dificuldades cada vez maiores devido (DW) é a emissora internacional da
à diminuição da tiragem e da verba arre- Alemanha e membro da ARD (Asso-
cadada com anúncios. Mais de 100 jornais ciação de Emissoras de Radiodifusão
responderam à cultura da gratuidade na de Direito Público da República
Federal da Alemanha). A DW transmite
rede instituindo a cobrança e barreiras
em 30 idiomas, oferecendo serviços
de acesso. de televisão (DW-TV), rádio e internet
(dw.de) e desenvolvimento de mídia
A digitalização do mundo da mídia, a inter- internacional no âmbito da DW
net, o crescimento dinâmico dos dispositi- Akademie. Em 2015, a emissora
vos móveis e a vitória triunfal das redes iniciou uma programação
de 24 horas em inglês.
sociais transformaram significativamente
→ dw.de
o comportamento no uso da mídia.
55,6 milhões de alemães com mais de
14 anos (79%) utilizam a internet. Em 2014,
cada usuário esteve 5,9 dias por semana e
166 minutos diários on-line. Um em cada
dois usuários utiliza a internet móvel. E ver se os pontos de encontro interativos na
mais da metade dos usuários é membro de rede estão criando ao mesmo tempo a base
uma comunidade privada. A revolução di- para um jornalismo digital capaz de persis-
gital criou um novo conceito de público. As tir no futuro. Na Alemanha, o desenvolvi-
redes sociais e os blogs são um espelho de mento da  revista online “Krautreporter”,
uma sociedade aberta e de diálogo, na qual criada em  2014 a partir de um projeto de
todos podem participar do discurso de for- “crowdfunding“, está sendo acompanhado
mação de opinião. É preciso esperar para com interesse.

Acesso variado: como os alemães acessam a internet Média diária de uso de mídias

95 % Televisão 240 min.


Computador, 18 %
PC, laptop TV Rádio 192 min.
Fontes: ARD-ZDF Pesquisa on-line 2014
Fonte: ARD/ZDF Pesquisa on-line 2014

28 % Internet 111 min.


62 % Tablet-PC

Smartphone/
celular
Jornal 23 min.
150 | 151 C U LT U R A & M Í D I A

PANORAMA

PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE NA ALEMANHA

17 Catedral de Colônia 21 Wartburg

Muitas gerações – de O reformador Martinho


1248 a 1880 – criaram Lutero traduziu o Novo
a obra-prima do estilo Testamento sob o abrigo
gótico. de suas muralhas.

25 Minas Zollverein 18 Bauhaus

O complexo industrial As edificações da Escola


das minas de carvão Bauhaus em Dessau e
em Essen, desativado Weimar representam a
em 1986, representa o famosa escola de design
desenvolvimento da do início do século 20.
indústria pesada na Europa.

157 m 1 km2 44 km2 3.000.000


Altura da Catedral Extensão das Minas Área das Florestas Visitantes da Ilha
de Colônia Zollverein Primárias de Faia dos Museus
Monumentos Culturais
34 Monumentos Naturais
Schleswig- 26
33 Holstein Mecklemburgo- 1 Catedral de Aachen
8 2 Catedral de Speyer
26 Pomerânia Ocidental
3 Residência de Würzburg e jardins
Bremen 33 40 34 4 A Igreja de Peregrinação Die Wies
Hamburgo 5 Castelos de Augustusburg e Falkenlust
28 34 em Brühl

Baixa Saxônia
22 Berlim 6 Catedral e Igreja Românica de São
Saxônia- Miguel em Hildesheim
6 Anhalt 9 32 7 Monumentos Romanos, Catedral e
35 23 Brandemburgo Igreja de Nossa Senhora em Trier
Renânia 11 14 18 19 8 Cidade Hanseática de Lübeck
39 9 Palácios e Parques de Potsdam-Sans-
25 do Norte- 19 29 souci e Berlim
Vestfália 34
34 38 10 Abadia Lorsch
17 21 18 20 Saxônia 11 Minas Históricas de Prata de Rammels-
1 berg, Centro Histórico de Goslar e
5 Hessen Turíngia
Reservatório de Água do Oberharz
27 12 Centro Histórico de Bamberg
16 13 Mosteiro de Maulbronn
Renânia 12 37 14 Igreja, Castelo e Centro Histórico
7 Palatinado 10 3
de Quedlinburg
Sarre 2 30 15 Oficinas Metalúrgicas de Völklingen
15 Baviera 16 Sítio Fóssil de Messel
13 31 17 Catedral de Colônia
Baden-
18 A Escola Bauhaus de Arquitetura e suas
Württemberg
edificações em Weimar e Dessau
36 19 Memoriais de Lutero em Eisleben e
Wittenberg
24 4 20 Weimar, a Cidade do Classicismo
21 Castelo de Wartburg
22 Ilha dos Museus em Berlim
23 Jardim Real Dessau-Wörlitz
24 Ilha Monástica Reichenau
25 Complexo Industrial das Minas de
30 Limes Carvão Zollverein em Essen
Saalburg, castelo totalmente 26 Centros Históricos de Stralsund e Wismar
27 Vale Médio-Superior do Reno
reconstruído, faz parte da 28 Prefeitura e estátua de Rolando em
antiga fronteira do Império Bremen
Romano em Hessen. 29 Parque de Muskau
30 Rota Limes do Reno ao Danúbio:
antiga fronteira do Império Romano
31 Centro Histórico de Regensburg com
Florestas
34 o bairro Stadtamhof
Primárias de Faia 32 Conjuntos residenciais modernistas em
Cinco regiões de florestas Berlim
33 Mar de Wadden
primárias de faia na Ale- 34 Florestas Primárias de Faia da Alemanha
manha são monumentos 35 Fábrica Fagus em Alfeld
da UNESCO. 36 Construções palafíticas pré-históricas,
Alpes
37 Ópera Malgrave de Bayreuth
38 Palácio e Parque de Wilhelmshöhe
39 Obra Arquitetônica da Época Carolíngea
e Abadia Imperial de Corvey
40 Speicherstadt em Hamburgo e Bairro
Kontorhaus com a Chilehaus

2.000 550 km 10.000 1.031


Construções em técnica Extensão da Espécies animais e vegetais Patrimônio da Humanidade
enxaimel Quedlinburg rota Limes no Mar de Wadden Unesco no mundo
152 | 153 C U LT U R A & M Í D I A

TEMA

IDIOMA ATRAENTE
O alemão pertence ao grupo de cerca de com o número de falantes é a potência da
15 línguas germânicas, um ramo da família economia, que confere grande atratividade
das línguas indo-europeias. Aproximada- ao idioma. Ela constitui a base de uma
mente 130 milhões de pessoas na Alemanha, política ativa de divulgação da língua, que
Áustria, Suíça, Luxemburgo, Bélgica, Lie- apoia instituições de ensino no país e no
chtenstein e Tirol do Sul (Itália) falam ale- exterior, concede bolsas de estudo ou oferece
mão como língua materna. É assim a língua a estudantes estrangeiros programas de mo-
materna mais falada na União Europeia e bilidade para estudar na Alemanha. Prova
um dos dez idiomas mais falados no mundo. disso é o crescente interesse pelo alemão, es-
Atualmente, 15,4 milhões de pessoas estu- pecialmente nos países emergentes China,
dam alemão como língua estrangeira, se- Índia e Brasil, bem como o aumento de inte-
gundo a pesquisa “Alemão como língua es- ressados na região asiática, onde a demanda
trangeira no mundo”, publicada em 2015. O quadruplicou parcialmente desde 2010.
número real de pessoas que falam alemão
como língua estrangeira pode ser calculado Instituições importantes no setor do ensino
em aproximadamente 100 milhões. de alemão são as 140 escolas alemãs e cerca
de 2.000 escolas incluídas no programa
Um dos motivos para a importância des- “Escolas: uma parceria para o futuro”
proporcional do alemão em comparação (PASCH na sigla alemã), criado pelo Ministé-
rio das Relações Externas com o intuito de
fortalecer o ensino da língua. Mais de 228
mil pessoas frequentaram em 2014 os cursos
do Instituto Goethe, que oferece cursos e
NÚMERO
exames de proficiência da língua alemã em

16 mais de 90 países. E mais 1,3 milhão de


pessoas em 108 países aprendem alemão em
universidades.
grandes grupos de dialetos existem na
Alemanha. Deles fazem parte o bávaro,
o alemânico, o vestfálico, o brandem- A relevância internacional do alemão na
burguês e o baixo-alemão do norte. As área científica tende a diminuir. Nos acer-
diferenças regionais na língua falada são vos dos bancos de dados bibliográficos o
relativamente grandes. Em geral, a im- alemão consta como idioma de apenas
portância dos dialetos vem diminuindo.
um  porcento da produção mundial de
publicações de ciências naturais. Sua im-
O alemão é a língua materna mais falada na União Europeia

portância é maior e mais tradicional nas do em 2015 entre as línguas mais usadas
disciplinas das áreas de ciências humanas em sites na rede o terceiro lugar, com
e sociais. Pesquisadores que não têm o ale- grande distância atrás do inglês, mas logo
mão como língua materna publicam so- depois do russo.
mente em casos excepcionais nesse idioma.
Por outro lado, cientistas alemães, espe- A globalização exerce pressão sobre todas
cialmente na área das ciências naturais, as línguas internacionais, e o inglês se for-
publicam cada vez mais seus trabalhos em talece claramente como língua universal.
inglês. Mas na internet a língua alemã de- Mas o alemão continuará sendo um idio-
sempenha um papel importante, ocupan- ma de importância mundial.
154 | 155 MODO DE VIDA

MODO DE VIDA
País da diversidade ∙ Qualidade de vida urbana ∙ Turismo sustentável ∙
Desafios esportivos ∙ Saborear com descontração

INTRODUÇÃO

PAÍS DA DIVERSIDADE
Amor à natureza e estusiasmo pela vida a Alemanha é o país mais populoso da UE
urbana, alimentação sadia e restaurantes e um dos países com a maior densidade
gourmet, apego às tradições e cosmopoli- demográfica. 77% dos habitantes vivem
tismo – depois da França, Espanha e Sué- em áreas com média ou alta densidade
cia, a Alemanha é com seus 357 mil km² o demográfica. 30% da população vive em
quarto maior país da União Europeia metrópoles com mais de 100 mil habitan-
(UE). Do Mar do Norte e do Mar Báltico tes, no total de 76 no país. Munique tem
até os Alpes no sul, a geografia do país é 4.460 habitantes por km² e Berlim 3.780.
bastante diversificada, englobando regi- Peritos vêem no renascimento das cida-
ões como as planícies no norte, o maciço des um processo contínuo de crescimento
central, as escarpas do sudoeste, os Pré- e inovação e preveem para 2030 um forte
-Alpes no sul e os Alpes Bávaros. A maior aumento do número de habitantes nos
distância entre o norte e o sul é de 876 km grandes centros urbanos, com graves
e de leste a oeste, 640 km. consequências para o mercado imobiliá-
rio, a mobilidade urbana e a infraestrutu-
A Alemanha está entre os países com o ra. Em especial os jovens entre 18 e 24
maior nível de qualidade de vida do mun- anos mostram-se cada vez mais dispostos
do. No relatório sobre Índice de Desenvol- a mudar para a cidade. O fenômeno de ur-
vimento Humano (IDH) da ONU, a Alema- banização na Alemanha segue uma ten-
nha ocupa em 2014 o sexto lugar entre 187 dência mundial. Os turistas também se
países. Com 81,2 milhões de habitantes, sentem atraídos pelas metrópoles. Berlim
VÍDEO AR-APP

Modo de vida: o vídeo sobre o tema


→ tued.net/pt/vid8

Sylt, a quarta maior ilha alemã, tem quilômetros de praias de areia no litoral do Mar do Norte
156 | 157 MODO DE VIDA

tem um magnetismo especial e o número vegetarianas em 2014, dentre elas 900 mil
de visitantes bate sempre novos recordes. vegan. Nem por isso o prazer sai perden-
Na comparação com outras cidades euro- do. Na Alemanha há 282 restaurantes
peias, a metrópole de 3,4 milhões de habi- com uma ou mais estrelas no guia gastro-
tantes ocupa o terceiro lugar depois de nômico Michelin 2015, número que cres-
Londres e Paris, no que diz respeito ao ceu 25% desde 2010.
número absoluto de pernoites.

O desejo de viver na cidade convive com


um anseio de regionalidade, sobretudo na
alimentação. A agroindústria ecológica é REDE
parte essencial da economia agrícola ale- Destatis
mã e fatura 7,6 bilhões de euros por ano Dados, fatos e estudos estatísticos
com produtos orgânicos. Existem 23.500 oficiais do Departamento Federal de
fazendas ecológicas, equivalentes a 8% Estatística em Wiesbaden
→ destatis.de
dos centros de produção agrícola, explo-
rando 6,3% das áreas cultiváveis. Os pro-
OCDE
dutos orgânicos são certificados – 70.400 Comparação das condições materiais de
produtos têm o selo verde alemão –, estão vida e da qualidade de vida em 34 países
sob forte controle da defesa do consumi- segundo o Índice para uma Vida Melhor
dor e seguem um rigoroso padrão de ro- (Better Life Index) da OCDE
→ oecdbetterlifeindex.org
tulagem. 7,75 milhões de pessoas na po-
pulação de língua alemã se declararam

Frankfurt am Main, a cidade-sede do Banco Central Europeu (BCE), é a única metrópole alemã com uma skyline
COMPACTO

AGENTES & INSTRUMENTOS


Central Alemã de Turismo
A Central Alemã de Turismo (DZT) divulga a Ale-
manha no exterior em nome do governo alemão
há mais de 60 anos. Para 2016, a DZT escolheu
“Fascinação: férias na natureza – parques nacio-
nais e parques naturais na Alemanha” como tema
principal.
→ germany.travel

Confederação Alemã de Esportes Olímpicos Instituto Alemão do Vinho


A Confederação Alemã de Esportes Olímpicos O Instituto Alemão do Vinho (DWI) é a organiza-
(DOSB) é a associação nacional das federações ção da indústria vinícola alemã para divulgação
esportivas. A DOSB congrega 28 milhões de e marketing. Sua principal função é fomentar a
membros de 91 mil associações esportivas. qualidade e o comércio do vinho alemão.
→ dosb.de → deutscheweine.de

Federação Alemã de Futebol Viver bem na Alemanha


A Federação Alemã de Futebol (DFB), com 6,85 O governo federal iniciou em 2015 um diálogo
milhões de membros, é a maior associação na- com as pessoas na Alemanha sobre seu conceito
cional de esporte no mundo e a única federação de qualidade de vida. O intercâmbio acontece
de futebol em que tanto a seleção masculina co- em encontros públicos por todo o país e no por-
mo a feminina conquistaram o título de campeão tal on-line. O objetivo é reunir dados para um
mundial. plano de ação para melhorar a vida na Alemanha.
→ dfb.de → gut-leben-in-deutschland.de

Fomento Internacional do Esporte


Desde 1961, o Fomento Internacional do Esporte
integra a política cultural e educacional externa DIGITAL PLUS
do MRE. Mais de 1.400 projetos de curta e longa Mais informações sobre todos os temas
duração já foram implantados em mais de cem do capítulo – listas de links comentadas,
artigos, documentos; informações adi-
países em desenvolvimento. A prioridade recai so-
cionais com palavras-chave tais como
bre o esporte para mulheres, portadores de defici- Cozinha alemã, Vinhos da Alemanha, Arquitetura Bauhaus,
ências e jovens, como incentivo à integração. Férias de wellness na Alemanha
→ sport.diplo.de → tued.net/pt/dig8
158 | 159 MODO DE VIDA

TEMA

QUALIDADE DE VIDA URBANA


Bons empregos, meio ambiente limpo, Em número de imóveis próprios, a Alema-
baixa criminalidade, muita ofertas de la- nha ocupa o penúltimo lugar na Europa.
zer e cultura, boa circulação de transpor- Apenas 43% dos domicílios são imóveis
te são algumas qualidades frequente- próprios. A maioria paga aluguel. Cerca de
mente atribuídas às cidades alemãs. Em 20% consideram o custo de moradia um
uma pesquisa da agência de consultoria “grande peso financeiro”, 35% do orçamen-
americana Mercer sobre avaliação da to em média. O governo federal colocou
qualidade de vida em 230 metrópoles, di- um freio no aumento dos preços de alu-
vulgada em 2015, sete cidades alemãs guel para preservar a diversidade social em
aparecem entre as trinta melhores. Muni- regiões onde o mercado imobiliário se en-
que (4º lugar), Düsseldorf (6º) e Frankfurt contra sob pressão. A medida prevê nos ca-
am Main (7º) ficaram entre as dez melho- sos de novos aluguéis um aumento máxi-
res e Berlim (14º), Hamburgo (16º) e Stutt- mo de 10% em comparação com imóveis
gart (21º) também estão no topo da lista. semelhantes, mas há exceções. Em Berlim,
Na Alemanha existem 76 cidades grandes 22% dos bairros fazem parte dessas “áreas
(mais de 100 mil habitantes) e 600 cidades protegidas”. Todas as medidas de desman-
médias entre 20 mil e 99.999 habitantes; telamento, ou seja, demolição, ou qualquer
74% das pessoas vivem em cidades. alteração do imóvel ou de seu uso são exa-
minadas e precisam ser aprovadas, a fim de
A demanda por moradia urbana provo- evitar que o saneamento se transforme em
cou um aumento substancial dos preços gentrificação.
de novos aluguéis, bem como de imóveis.

DIAGRAMA Despesas com o consumo por domicílio na Alemanha

Como vivem os alemães


Mais da metade das pessoas na Alemanha
22 % 35 %
Outros Habitação,
moram de aluguel e não em casa própria. energia,
64,5% das residências são unidades familiares, manutenção do lar
apenas 5,9% são imóveis com sete ou mais 4%
Fonte: Statistisches Bundesamt 2014

unidades. 35% das casas e dos apartamentos


têm 100m² ou mais, só 5,5% têm menos de
Vestuário,
calçado 14 %
Mobilidade
40m².
11 % 14 %
Lazer, entre- Alimentos,
tenimento, cultura bebidas, tabaco
Qualidade de vida urbana é o desejo de muitos e por isso sobem os preços dos aluguéis nas cidades

Participação da população urbana Domicílios na Alemanha segundo


o número de cômodos
Fonte: Weltbank, Statist. Ämter des Bundes und der Länder 2013

Alemanha 74,2 %
25,8 % 39,3 %
Reino Unido 79,9 % 4 cômodos 5 ou mais
cômodos
Canadá 80,9 %
EUA 82,9 % 3,3 %
1 cômodo
Austrália 89,5 % 22,2 % 9,4 %
3 cômodos
2 cômodos
160 | 161 MODO DE VIDA

TEMA

TURISMO SUSTENTÁVEL
Os alemães gostam de viajar. Também e alemão teve início logo após a reunifica-
principalmente dentro do próprio país. ção, e desde então a Alemanha teve um
Alpes, litoral, lagos, parques naturais, aumento contínuo de 88% no número de
vales dos rios estão há anos em primeiro visitantes estrangeiros (um aumento de
lugar entre os destinos de viagem. Uma 33,7 milhões de pernoites). A maioria
verdadeira paixão pela diversidade das (75%) é oriunda da Europa, principalmen-
paisagens, pelas opções de tours nas cida- te da Holanda, Suíça, Reino Unido e Itália.
des, de esporte e de descanso, que os ale-
mães dividem com o fluxo de turistas Ao mesmo tempo duplica o número de vi-
estrangeiros, que há muito tempo não pa- sitantes asiáticos, especialmente da Chi-
ra de crescer. A Alemanha é cada vez mais na, Índia e dos países da região do Golfo, e
apreciada como destinação turística. sua participação já chega a 11%. Apenas
10% dos turistas vêm da América do Norte
O número de pernoites aumentou em e do Sul. Dentre os países da Europa, a Ale-
2014 para 424 milhões, sendo 75,6 mi- manha ocupou o segundo lugar na prefe-
lhões (17,8%) de turistas estrangeiros, um rência dos turistas europeus, depois da
recorde. A tendência positiva no turismo Espanha e antes da França. Quanto à sazo-
nalidade, os picos são registrados entre ju-
nho e outubro, no período de alta estação.
As regiões mais visitadas são a Baviera,
LISTA
Berlim e Baden-Württemberg. Os jovens
entre 15 e 34 anos consideram a Alema-
∙ Maior aeroporto: Frankfurt am Main
nha um destino atraente E prestam uma
∙ Maior estação ferroviária: Leipzig contribuição significativa para o desen-
volvimento positivo do turismo no país.
∙ Maior porto: Hamburgo
Pólo bem-sucedido de feiras e congressos
∙ Maior pavilhão de feiras: Hannover

∙ Maior balneário: Wiesbaden Em 2014, A Alemanha conseguiu defen-


der pela 11ª vez seguida sua posição como
∙ Maior festa popular: Oktoberfest polo número um de conferências e con-
gressos na Europa. No ranking interna-
∙ Maior parque de diversões:
cional de polos de congressos, ocupa o
Europa-Park, Rust
número dois depois dos EUA. Considerada
Os Alpes, um panorama de tirar o fôlego! Muitos turistas estrangeiros que vão à Baviera apreciam esse idílio

internacionalmente o mais importante vai para Berlim: 28,7 milhões de pernoi-


polo de feiras, a Alemanha recebe anual- tes e 11,9 milhões de visitantes na capital
mente 2,7 milhões de visitantes somente alemã. Em números absolutos de pernoi-
da Europa. Ao todo foram 25,6 milhões de tes, Berlim ocupa o terceiro lugar depois
participantes estrangeiros de todo o de Londres e Paris.
mundo nos eventos realizados em 2014.
As cidades mais atraentes para os estran- Entre as maiores atrações turísticas para
geiros são Berlim, Dresden, Düsseldorf, os visitantes internacionais, segundo
Frankfurt am Main, Hamburgo, Hanno- uma pesquisa da Central Alemã de Turis-
ver, Leipzig, Colônia, Munique, Nurem- mo (DZT), encontram-se clássicos como o
bergue e Stuttgart. O destaque especial Castelo Neuschwanstein e a Catedral de
162 | 163 MODO DE VIDA

Colônia. Mas também os diversos patri- percurso com mais de 70 mil km, como a
mônios culturais da Unesco, como o Palá- Ciclovia Europeia Cortina de Ferro (1.131
cio Sanssouci em Potsdam ou Weimar, a km) ou a Ciclovia Limes Alemão com 818
cidade dos clássicos, são muito aprecia- km. Quem procura pernoite a preços mó-
dos. Muitos turistas são atraídos por dicos encontra oportunidades suficien-
eventos como a Oktoberfest de Munique, tes, por exemplo, em 500 albergues da ju-
a maior festa popular do mundo com 6,3 ventude, sendo 130 destinados a famílias,
milhões de visitantes. E um estádio de fu- ou em um dos 2.870 campings.
tebol também está na lista das atrações: a
Allianz Arena, obra-prima dos arquitetos Férias dedicadas ao bem-estar e
suíços Herzog & de Meuron e estádio do viagens sustentáveis
FC Bayern de Munique.
Wellness é um grande tema no destino
E por fim o movimento. Assim como a turístico Alemanha. Há ofertas inusita-
cultura, ele contribui em grande parte das, como a sauna fluvial no balneário de
para a atratividade. Os 200 mil km de Bad Ems, mas também inúmeros outros
trilhas sinalizadas já oferecem ótimas balneários e estações de água com áreas
condições e panoramas fantásticos, por para relaxar, como Bad Wörishofen ou
exemplo as trilhas nos parques nacionais Bad Oeynhausen com sua arquitetura de
ou na região dos Alpes. Sem contar as fins do século 19. Há 253 balneários e es-
mais de duzentas ciclovias de longo tações de água reconhecidos oficialmen-
te. A qualidade do tratamento médico e a
reabilitação também atraem muitos visi-
tantes à Alemanha.
INFORMAÇÃO

Na Alemanha o clima é temperado


E os viajantes cuidam cada vez mais não só
úmido com predominância dos ventos
do oeste e poucas variações de tempera-
da própria saúde, como também se preocu-
tura. As chuvas ocorrem durante o ano pam com o meio ambiente. A demanda por
todo. Invernos amenos (2°C a -6°C) e turismo ecológico e viagens sustentáveis
verões frescos (18°C a 20°C) são cresce no país. Fazendas ecológicas ofere-
a regra. Em 2014, a temperatura média cem quartos, existem 104 parques naturais
anual foi 10,3°C e representou um
e 15 reservas de bioesfera onde o desenvol-
recorde, com um aumento de 2,1 graus
em compração com a média de 8,2°C vimento sustentável e a preservação das es-
no período de referência 1961-1990. pécies merecem atenção especial. Para que
O ano de 2014 foi 0,4 grau mais quente todos possam se locomover sem dificulda-
que 2000 e 2007, até então os anos mais des pelo país, há muitas iniciativas para
quentes no país.
possibilitar também às pessoas com neces-
→ dwd.de
sidades especiais um turismo sem barreiras.
MAPA
Viajar na Alemanha

Principais destinos turísticos


As 11 cidades mágicas detêm 43% de todos
os pernoites de turistas estrangeiros na
Hamburgo
Alemanha. Berlim está na dianteira, bem à
frente de Munique, Frankfurt am Main e
Hamburgo. 55% dos visitantes estrangeiros
Berlim pernoitam em cidades com mais de
Hannover
100 mil habitantes.

Leipzig Aeroportos mais importantes


Düsseldorf
Dresden Os três maiores aeroportos da Alemanha são
Catedral de Colônia
Colônia
Frankfurt com 59,6 milhões de passageiros,
Munique com 39,7 milhões de passageiros
Frankfurt am Main
e Düsseldorf com 21,8 milhões de passa-
geiros em 2014.
Nurembergue
Atrações prediletas
Stuttgart
O Castelo de Neuschwanstein, o Europa
Europa-Park Munique Park em Rust e a Catedral de Colônia
foram as três atrações prediletas dos turis-
tas estrangeiros em 2014, segundo uma
Castelo de Neuschwanstein enquete realizada pela Central Alemã de
Turismo.

Ofertas atraentes de turismo nos número de pernoites nos novos estados


estados do Leste mais do que duplicou de 1993 até hoje.
Nas viagens de férias com duração de
Os cinco novos estados têm um papel mais de cinco dias, Mecklemburgo Pome-
relevante no turismo. Para muitas regiões rânia Ocidental, no nordeste alemão,
no Leste da Alemanha, o turismo repre- quase emparelha com o estado da Bavie-
sentou após a reunificação uma oportu- ra, no sul, com pouco mais de 4 milhões.
nidade para estabilizar a economia. Regi- Não importa quanto já se viu. Na Alema-
ões de floresta, como o Spreewald, cidades nha há sempre mais para o turista desco-
com grande tradição cultural, como brir, vivenciar, festejar e admirar.
Dresden ou Weimar, e as praias do Mar
Báltico, como Binz na ilha de Rügen,
atraem turistas alemães e do exterior. O
164 | 165 MODO DE VIDA

TEMA

DESAFIOS ESPORTIVOS
A Alemanha é um país apaixonado pelo membros de uma associação esportiva.
esporte e com muitos sucessos. No  ran- Mesmo assim a participação desse grupo
king de medalhas nos Jogos Olímpicos, no esporte organizado ainda é muito pe-
ocupa com 1.682 medalhas (2014) o ter- quena.
ceiro lugar, depois dos EUA e da Federa-
ção Russa. 28 milhões de pessoas são O programa “Integração por meio do es-
membros de uma das 91 mil associações porte“ da Confederação Alemã de Espor-
desportivas. Além de assumirem tarefas tes Olímpicos (DOSB) considera a imigra-
de caráter desportivo, as associações têm ção um fator de enriquecimento para o
também uma importante função na so- esporte alemão. Um dos focos principais
ciedade e na inclusão social. Especial- do futuro programa recai sobre os grupos
mente no trabalho com os jovens e na in- pouco representados no esporte, como
tegração, elas transmitem valores como mulheres e meninas. Juntamente com a
fairplay, espírito de equipe e tolerância. Fundação da Bundesliga e a Federação
Com a crescente internacionalização da Alemã de Futebol (DFB), o governo fede-
população, o trabalho das associações ral também lançou uma iniciativa no in-
esportivas ganha cada vez maior signi- tuito de fomentar projetos duradouros de
ficado na integração dos imigrantes. integração de refugiados no esporte. Um
60.700 associações têm membros com dos projetos é o “1 x 0 para um Bem-Vin-
histórico de migração em suas equipes. do”, da seleção alemã de futebol, que
No total, calcula-se que 1,7 milhão de apoia financeiramente 600 clubes de fu-
pessoas com histórico de migração são tebol que integram refugiados.

LINHAS DO TEMPO

1954
A Alemanha é pela primeira vez
1972
Os Jogos Olímpicos de Verão
1988
Steffi Graf é a primeira tenista a
campeã do mundo de futebol, em Munique são ofuscados pelo ganhar o Golden Slam, vitória em
na Suíça (3 x 2 na final contra a sequestro e assassinato de atle- todos os quatro grande torneios
Hungria). O “Milagre de Berna” tas israelenses por terroristas de tênis, e a medalha de ouro
se torna um símbolo permanente palestinos. nos Jogos Olímpicos do mesmo
para a Alemanha do pós-guerra. ano.
A vitória na Copa do Mundo 2014 no Brasil: um dos muitos pontos altos do esporte alemão

2004
O piloto Michael Schumacher ga-
2006 2014
A Copa do Mundo de Futebol da A seleção alemã de futebol ganha
nha o sétimo título de campeão Fifa sob o lema “O Mundo entre em uma disputa acirrada novamen-
mundial (cinco vezes seguidas de Amigos“ se torna um “conto de te o título de campeã mundial na
2000 a 2004 ) e se torna o piloto verão” inesquecível e faz a Ale- Copa no Brasil (1 x 0 na final contra
mais bem-sucedido na história da manha angariar muita simpatia a Argentina). É o quarto título
Fórmula 1. em todo o mundo. mundial da Alemanha desde 1954.
166 | 167 MODO DE VIDA

A Confederação Alemã de Esportes Olím- 337.300 jovens de até 16 anos participam


picos (DOSB) é uma associação nacional ativamente de associações de futebol.
do esporte alemão e se considera o maior
movimento de cidadãos da Alemanha. A maior atratividade do futebol alemão es-
Ela fomenta o esporte de massa e de com- tá na Bundesliga, a primeira divisão do fu-
petição. Mais de 20 mil das 91 mil asso- tebol alemão, considerada uma das mais
ciações que a DOSB congrega foram fun- fortes do mundo. Somente as 306 partidas
dadas depois da reunificação em 1990. A dos 18 times da temporada 2014/2015 leva-
Federação Alemã de Futebol (DFB), fun- ram 13,3 milhões de torcedores aos está-
dada em 1900, é uma das 98 organizações dios, o que corresponde a uma média de
associadas da DOSB. Com 7 milhões de 43.530 torcedores por jogo. Quem estabele-
membros em 25 mil clubes de futebol, ce o padrão no futebol alemão profissional
a DFB alcançou a maior marca de sua his- é o FC Bayern de Munique. Em maio de
tória e é a maior federação esportiva do 2015, o clube comemorou a 25ª vitória no
mundo. Campeonato Alemão. Além disso, o clube
já ganhou 17 vezes a Taça da DFB e em 2001
O futebol feminino é um dos segmentos e 2013 a Liga dos Campeões da UEFA. Com
esportivos que mais rapidamente cresce. 251 mil sócios, o FC Bayern de Munique é,
A seleção feminina de futebol foi diversas depois do Benfica de Lisboa, o clube com o
vezes campeã europeia e mundial. Moti- maior número de associados do mundo.
vadas pelo sucesso de jogadoras como
Steffi Jones, que em 2016 assume o cargo A seleção alemã de futebol masculino, te-
de técnica da equipe de futebol da DFB, tracampeã mundial e tricampeã europeia,

Mais de 70 mil participantes: a corrida J.P. Morgan Challenge em Frankfurt é o maior evento da categoria no mundo
é carro-chefe do futebol alemão. Desde a vi- GLOBAL
tória da Copa do Mundo da Fifa 2014 no Bra-
Projetos antidoping
sil, a Alemanha encabeça o ranking mundial Com a fundação da Agência Mundial
da Fifa. A equipe do técnico Joachim Löw Antidoping (AMA), em 1999, e o com-
tem um padrão tático considerado flexível e prometimento de todas as partes inte-
um estilo de jogo moderno. Da equipe da se- ressadas com a tolerância zero surgiu
leção fazem parte inúmeros jogadores com a necessidade de um estatuto único
com validade internacional. Em 2003,
histórico de migração, como Jérôme Boa-
foi adotado o primeiro Código Mundial
teng, Sami Khedira e Mesut Özil. Antidoping. O código mais recente
entrou em vigor em
Reconhecimento esportivo e sucesso em 01 de janeiro de 2015.
diversas disciplinas → wada-ama.org

Ao lado do futebol, a ginástica, o tênis, o tiro


ao alvo, o atletismo, o handball e o hipismo
são modalidades com grande adesão. Mas há
outros eventos desportivos de grande suces-
so, como a J.P. Morgan Corporate Challenge do Esporte do Ministério das Relações
em Frankfurt am Main. A corrida beneficen- Externas. Ele é parte integrante da polí-
te e voltada para as empresas tem 70 mil par- tica cultural e educacional externa e já
ticipantes de 2.780 empresas e é considerada implantou mais de 1.400 projetos de cur-
o maior evento do gênero no mundo. ta e longa duração nos mais diversos
segmentos do esporte em mais de 100 pa-
O balanço do esporte é positivo em diversos íses. Basta citar um exemplo: o projeto
aspectos. Muito se deve ao fomento do es- “Jogar futebol em vez de lutar – pelada
porte, que apoia 3.800 atletas de quase todas em prol da tolerância” de formação para
as disciplinas olímpicas, disciplinas tradi- 16 treinadores de futebol infanto-juvenil
cionais não olímpicas, bem como do esporte palestinos. Jovens traumatizados por per-
para pessoas com deficiências e para surdos. manentes conflitos violentos devem
O apoio aos esportistas com deficiências é aprender de maneira lúdica a lidar com a
uma de suas principais tarefas. Também ideia de fairplay. O esporte alemão per-
nesse segmento os esportistas alemães são corre esse e muitos outros caminhos para
muito bem-sucedidos, com um total de conseguir a melhor performance tam-
1.492 medalhas (2014) em competições para- bém como meio de prevenção de crises e
límpicas internacionais. de entendimento entre os povos, como
embaixador de mais igualdade, tolerân-
“Movimentar pessoas – ultrapassar fron- cia, integração, competição pacífica e alto
teiras“ é o lema do Fomento Internacional desempenho.
168 | 169 MODO DE VIDA

PANORAMA

A ATRAENTE BERLIM

L C
K Mitte
E
A
J
D B
3
G
6 9
F H I 2 4 8
7
5 10
1
Bairros de Berlim Friedrichshain-
A. Mitte -Kreuzberg
B. Friedrichshain-Kreuzberg
C. Pankow
D. Charlottenburg-
Wilmersdorf
1 Igreja da Memória
E. Spandau
F. Steglitz-Zehlendorf Cartão-postal do lado
G. Tempelhof-Schöneberg ocidental da cidade, é um
memorial contra a guerra.
H. Neukölln
I. Treptow-Köpenick
J. Marzahn-Hellersdorf 2 Coluna da Vitória

K. Lichtenberg Depois de subir 285


L. Reinickendorf degraus, da plataforma
do mirante a vista da
cidade é fantástica.

3 O prédio do Reichstag

Sede do Parlamento
Alemão. A cúpula de
vidro atrai os visitantes
como um ímã.

3.420.000 11.900.000 2.399.000 175


Habitantes Turistas Visitantes da Ilha dos Museus Museus e coleções
4 Portão de Brandemburgo

Todo turista conhece o


símbolo da reunificação
da Alemanha.

5 Potsdamer Platz

A nova cara de Berlim:


praça construída depois
da queda do Muro
numa gigantesca área
abandonada.

6 Gendarmenmarkt

Uma das praças mais


bonitas da Europa
brilha com três edifí-
cios monumentais no
estilo classicista.

7 Checkpoint Charlie

O Muro caiu, mas o antigo


posto militar na fronteira
entre os dois lados recorda
a Guerra Fria.
8 Ilha dos Museus

Os cinco grandes museus


estão entre os melhores
10 East Side Gallery
da Europa.
Os restos do Muro
artisticamente pintados
são hoje a maior galeria
9 A torre de televisão a céu aberto do mundo.
no Alexanderplatz
Na praça carinhosa-
mente chamada de
Alex se avista de
longe. Do alto se vê
toda a região.

505.771 4.400.000 4.650 190


Visitantes da Berlinale Visitantes do zoológico Restaurantes Bares e discotecas
170 | 171 MODO DE VIDA

TEMA

SABOREAR COM DESCONTRAÇÃO


Desde o início do novo século o vinho ale- com produção média. Em 2014, foram 9,5
mão está vivendo um renascimento inter- milhões de hectolitros. A participação do vi-
nacional, e isso está ligado ao “milagre do nho ecológico no mercado fica entre 4 e 5%.
Riesling” e a toda uma nova geração de vini- As regiões de vinicultura alemãs estão entre
cultores mais comprometida com a boa qua- as mais setentrionais do mundo. Com exce-
lidade do que com o aumento da produção. ção das regiões da Saxônia e Saale-Unstrut,
O longo período de crescimento e, compara- elas estão concentradas no sudoeste e no sul
damente, o pouco calor do verão dão aos vi- do país. As três maiores regiões são Rhein-
nhos alemães uma textura suave e um teor hessen, Pfalz e Baden. São cultivadas cerca
alcoólico baixo. de 140 castas, mas importância comercial
têm apenas umas duas dúzias delas, espe-
Os vinhos alemães são provenientes de 13 cialmente as dos vinhos brancos Riesling e
regiões, onde se produz em mais de 100 mil Müller-Thurgau. A Alemanha produz cerca
hectares uma grande diversidade de vinhos de 65% de vinhos brancos e 35% de vinhos
típicos regionais. Na comparação interna- tintos, sendo Spätburgunder e Dornfelder as
cional, a Alemanha, com a sua área de culti- castas mais importantes neste último caso.
vo e 80 mil produtores, faz parte dos países
A Alemanha é também o país da cerveja. A
cerveja alemã é apreciada principalmente
por sua fabricação tradicional, em parte se-
NÚMERO cular, em pequenas cervejarias familiares e
conventuais. Para todas elas vale sem exce-
282 ção a lei da pureza, a mais antiga regulamen-
tação alimentícia do mundo, datada de 1516,
restaurantes na Alemanha, tantos como que instituiu o uso exclusivo de malte, lúpu-
nunca, foram agraciados com uma, lo e água em sua fabricação. Na Alemanha
duas ou até três estrelas no Guia Gas- são fabricados entre 5 e 6 mil tipos de cerve-
tronômico Michelin 2015. Onze estão
jas, a maioria de estilo Pilsen. O consumo de
na lista da mais alta categoria, com três
estrelas. A Alemanha conseguiu assim cerveja está, no entanto, regredindo.
se afirmar como país europeu com o
maior número de restaurantes de três Os costumes alimentares na Alemanha
estrelas depois da França, meca da não são de fácil interpretação. Muitos
gastronomia gourmet.
consumidores se preocupam cada vez
→ restaurant.michelin.de
mais com o próprio corpo e se tornam
Charme de cidade grande: Berlim, mas também outras cidades alemãs têm um movimentado cenário gastronômico

mais conscientes em relação aos cuidados verduras, como a pastinaga, a rutabaga e


com a saúde, procurando se alimentar de o tupinambo, estão tendo um renasci-
maneira saudável. Mas as grandes tendên- mento, graças à alta gastronomia, ao esti-
cias da vida moderna, como mobilidade lo crossover e ao aumento da culinária
ou individualização do estilo de vida, vegetariana e vegan. Eles sustentam o
exercem por outro lado uma influência boom atual do saudável, sazonal, regional
evidente sobre a forma de comer e beber. e do sabor da terra. Os clássicos são rein-
terpretados por chefs jovens e valoriza-
A gastronomia alemã é considerada dinâ- dos por meio de influências globais.
mica e diversificada e está entre as melho-
res da Europa. Antigos tipos de legumes e
172 | 173 PERFIL DA ALEMANHA

CRÉDITOS DAS ILUSTRAÇÕES

Título querbeet/Getty Images; Pág. 81 Angelika Warmuth/dpa


Anita Back/laif Pág. 83 Oliver Berg/dpa
Pág. 3 drbimages/Getty Images Pág. 85 Krisztian Bocsi/Bloomberg via Getty Images
Pág. 4 Westend61/Getty Images Pág. 89 Uwe Anspach/dpa
Pág. 16 Jesco Denzel/Bundesregierung; Steffen Kugler/ Pág. 90 – 91 Einhorn Solutions
Bundesregierung; Jörg Carstensen/dpa; Pág. 95 Wolfgang Stahr/laif; David Fischer/dpa
Bundesverfassungsgericht Pág. 96 Andreas Rentz/Getty Images
Pág. 18 Steffen Kugler/Bundesregierung Pág. 99 impress picture/ullsteinbild
Pág. 19 Bundesregierung (19) Pág. 103 Thomas Ernsting/laif
Pág. 20 DB Stiftung Weimarer Klassik/dpa; picture-alliance/arkivi; Pág. 107 Thomas Koehler/Photothek via Getty Images
http://www.jsbach.net/bass/elements/bach-hausmann.jpg. Pág. 109 CEMarin
Lizenziert unter Gemeinfrei über Wikimedia Commons - Pág. 110 – 111 Einhorn Solutions
https://commons.wikimedia.org Pág. 113 Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images
Pág. 21 picture-alliance/akg-images; picture-alliance/akg-images/ Pág. 115 Altrendo Images; Thomas Kierok/laif
Beethovenhaus Bonn; Buddenbrookhaus Lübeck; Pág. 116 Gregor Hohenberg/laif
picture-alliance/akg-images/Erich Lessing; Pág. 117 Andrea Enderlein
picture-alliance/dpa; picture-alliance/Thomas Muncke Pág. 119 Martin Stoever/Bongarts/Getty Images
Pág. 23 picture-alliance/Daniel Kalker; ullstein bild - Boness/IPON Pág. 123 Sean Gallup/Getty Images
Pág. 24 Maurizio Gambarini/dpa Pág. 124 Michael Löwa/dpa
Pág. 25 Soeren Stache/dpa Pág. 127 picture-alliance/Andreas Franke
Pág. 27 Nikada/Getty Images Pág. 129 Thomas Lohnes/Getty Images
Pág. 31 RONNY HARTMANN/AFP/Getty Images Pág. 130 – 131 Einhorn Solutions
Pág. 33 David Baltzer/Zenit/laif Pág. 133 Boris Roessler/dpa
Pág. 34 – 35 Einhorn Solutions Pág. 135 HILMER & SATTLER und ALBRECHT – Jan Pautzke;
Pág. 39 Westend 61; Tim Brakemeier/dpa Janetzko/Berlinale 2013
Pág. 40 Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images Pág. 136 Arno Burgi/dpa
Pág. 41 epa/Andrew Gombert Pág. 137 Rainer Jensen/dpa
Pág. 43 2013 Bundeswehr/Bier Pág. 139 Marko Priske/laif
Pág. 44 Mikhail Sokolov/TASS/dpa Pág. 141 picture-alliance/abacapress
Pág. 49 Michael Gottschalk/Presse- und Informationsamt Pág. 143 picture-alliance/Eventpress Hoensch
der Bundesregierung Pág. 144 Hannibal Hanschke/dpa
Pág. 51 EPA/VALENTIN FLAURAUD Pág. 147 Malte Christians/dpa
Pág. 54 – 55 Einhorn Solutions Pág. 148 Tim Brakemeier/dpa
Pág. 57 Joerg Boethling Pág. 150 – 151 Einhorn Solutions
Pág. 59 Ole Spata/dpa; Franz Bischof/laif Pág. 153 Goethe-Institut/Anastasia Tsayder/dpa
Pág. 60 Frank Rumpenhorst/dpa Pág. 155 Sabine Lubenow/Getty Images;
Pág. 61 Jan Woitas/dpa Dagmar Schwelle/laif
Pág. 63 Jörg Modrow/laif Pág. 156 Dagmar Schwelle/laif
Pág. 65 picture-alliance/Geisler-Fotopress Pág. 157 Daniel Biskup/laif
Pág. 67 Alexander Koerner/Getty Images Pág. 159 Thomas Linkel/laif
Pág. 71 Thomas Köhler/Photothek via Getty Images Pág. 161 Christian Kerber/laif
Pág. 73 The New York Times/Redux/laif Pág. 165 Matthias Hangst/Getty Images
Pág. 74 – 75 Einhorn Solutions Pág. 166 Christoph Schmidt/dpa
Pág. 77 Ute Grabowsky/Photothek via Getty Images Pág. 168 – 169 Einhorn Solutions
Pág. 79 Frank Krahmer/Photographer‘s Choice; Matthias Balk/dpa Pág. 171 Georg Knoll/laif
Pág. 80 picture-alliance/Keystone
ÍNDICE REMISSIVO

A Centro de Operações Internacionais Dürer, Albrecht 20 – 21


A Esquerda 14 – 15 de Paz (ZIF) 42 – 45 Düsseldorf 6 – 7
Acordo de livre-comércio 62 – 65 Cerveja 170 – 171
Agência Alemã de Cooperação Chanceler federal 16 – 17, 18 – 19 E
Internacional (GIZ) 78 – 81 Ciclovias de longa distância 160 – 163 Economia 58 – 61
Agência Alemã de Energia 78 – 81 Cidades 154 – 157, 158 – 159, 160 – 163 Economia criativa 138 – 139
Agência Federal do Meio Ciência 94 – 97, 102 – 105 Economia de prestação de serviços
Ambiente  78 – 81 Ciência interconectada   66 – 69
Agência Federal do Trabalho  106 – 107 Economia social de mercado 58 – 61
114 – 115 Clima 12 – 13 Educação 94 – 97
Agenda Digital 72 – 73 Comércio exterior 62 – 65 Eficiência energética 84 – 87
Águia alemã 8 – 9 Comunidade Helmholtz  Eleições 16 – 17
Aliança 90/Os Verdes 14 – 15 94 – 97, 102 – 105, 106 – 107 Emigrante 10 – 11
Alimentação 154 – 157 Confederação Alemã das Câmaras de Emissoras de direito público de
Aposentadoria 30 – 31 Comércio e Indústria 58 – 61 radiodifusão 146 – 149
Área 12 – 13 Confederação Alemã de Esportes Empresariado médio 58 – 61, 66 – 69
Assembléia Federal 16 – 17 Olímpicos (DOSB)  Energia eólica 84 – 87
154 – 157, 164 – 167 Energia nuclear 78 – 81, 84 – 87
B Confederação da Indústria Alemã Energia solar 84 – 87
Bach, Johann Sebastian   58 – 61 Energias renováveis 84 – 87, 88 – 89
20 – 21, 134 – 137 Conferência de Reitores (HRK)  Erfurt 6 – 7
Bachelor 94 – 97 94 – 97, 98 – 99 Escola primária 112 – 113
Baden-Württemberg 6 – 7 Conferência Islâmica Alemã 114 – 115 Escola superior de cinema 98 – 99
Baixa Saxônia 6 – 7 Congressos 160 – 163 Escolas alemãs no exterior 
Bandeira 8 – 9 Conselho Cultural Alemão 134 – 137 112 – 113, 152 – 153
Baviera 6 – 7 Conselho Federal 14 – 15, 16 – 17 Escolas superiores 98 – 99
Beethoven, Ludwig van  Construção de máquinas e Escolas superiores de arte 98 – 99
20 – 21, 134 – 137 equipamentos 66 – 69 Escolas superiores de ciências
Berlim 6 – 7 Cooperação para o desenvolvimento aplicadas 98 – 99
Berlinale 142 – 145 56 – 57 Escolas superiores de música 98 – 99
Biodiversidade 92 – 93 Cota de mulheres 30 – 31, 76 – 77 Esporte 164 – 167
Brahms, Johannes 134 – 137 Crianças 122 – 125 Estado social 114 – 115, 132 – 133
Brandemburgo 6 – 7 Culinária 170 – 171 Estados federados 6 – 7
Brandt, Willy 20 – 21 Cultura 134 – 137 Estratégia de tecnologia de ponta
Bremen 6 – 7 Cultura da lembrança 36 – 37 94 – 97, 102 – 105
Expectativa de vida 10 – 11, 114 – 115
C D Exportação 58 – 61, 62 – 65
Câmara Bilateral de Comércio Data nacional 8 – 9
e Indústria 58 – 61, 62 – 65 Demografia 10 – 11 F
Capital 12 – 13 Deputados 14 – 15 Família  122 – 125
Cartão Azul da EU 118 – 121 Desempregados 76 – 77 Família monoparental 122 – 125
Central Alemã de Turismo (DZT) Deutsche Welle 146 – 149 Federação Alemã de Futebol (DFB)
 154 – 157 Dietrich, Marlene 20 – 21  154 – 157, 164 – 167
Central das Escolas Alemãs Diplomacia 38 – 41 Federações da indústria 
no Exterior 134 – 137 Direitos Humanos 50 – 53 22 – 25, 66 – 69
Centro Alemão de Ciência e Inovação Domínio 8 – 9 Federalismo 6 – 7, 26 – 29
(DWIH) 108 – 109 Dresden 6 – 7 Feiras 62 – 65, 160 – 163
174 | 175 PERFIL DA ALEMANHA

Fomento do esporte 164 – 167 Indústria automobilística 66 – 69 Mão de obra especializada 76 – 77


Forças Armadas 38 – 41, 42 – 45 Indústria eletrotécnica e eletrônica Master 94 – 97
Formação dual 76 – 77 66 – 69 Meckemburgo-Pomerânia Ocidental
Formação profissional 76 – 77 Indústria química 66 – 69 6–7
Fundação Cultural Federal 134 – 137 Infraestrutura 58 – 61, 72 – 73 Meio ambiente 78 – 81
Fundação Humboldt  Iniciativa de Excelência 94 – 97 Mercado de trabalho 58 – 61, 76 – 77
94 – 97, 98 – 99, 108 – 109 Inovação 58 – 61 Merkel, Angela 14 – 19, 22 – 23
Fundações  Instituto de Relações Internacionais Mídias 146 – 149
38 – 41, 114 – 115, 126 – 127 (ifa) 134 – 137, 140 – 141 Migração 114 – 115, 118 – 121
Futebol 164 – 167 Instituto Goethe (GI)  Ministério das Relações Externas
134 – 137, 140 – 141 38 – 41
G Integração 118 – 121 Ministérios federais 18 – 19
Garantia básica 128 – 129 Internet 146 – 149 Missões de paz 42 – 45
Gastronomia 170 – 171 Investimentos diretos 62 – 65 Mobilidade elétrica 88 – 89
Gauck, Joachim 18 – 19 Islã 132 – 133 Modo de vida 154 – 157
Geografia 12 – 13 Moeda 8 – 9
Germany Trade and Invest (GTAI) J Morar 158 – 159
 58 – 61, 62 – 65 Jogos olímpicos 164 – 167 Munique 6 – 7
Gesamtschule 112 – 113 Jovens 122 – 125 Muro de Berlim 36 – 37
Ginásio 112 – 113 Judaismo 132 – 133
Global player 66 – 69 N
Goethe, Johann Wolfgang von  K Nações Unidas (ONU) 42 – 45, 50 – 53
20 – 21, 134 – 137 Kiel 6 – 7 Nazismo 36 – 37
Governo federal 16 – 17, 18 – 19 Novas dívidas 30 – 31
Greentech 88 – 89 L
Legislação 26 – 29 O
H Legislação da Nacionalidade  Oktoberfest 160 – 163
Habitante 114 – 115 118 – 121 Organização do Tratado do Atlântico
Hamburgo 6 – 7 Lei alemã de apoio à formação Norte (Otan) 42 – 45
Hannover 6 – 7 (BAföG) 98 – 99 Organização para Segurança e
Hauptschule 112 – 113 Lei de Energias Renováveis 84 – 87 Cooperação na Europa (OSCE) 
Hessen 6 – 7 Lei Fundamental 8 – 9 42 – 45
Hidden Champions 66 – 69 Leopoldina 94 – 97
Hino nacional 8 – 9 Liberdade de imprensa 146 – 149 P
Liberdade de religião 132 – 133 Pacto de Solidariedade 22 – 25
I Licença para os pais 122 – 125 Padrão de vida 154 – 157
Igreja Católica 132 – 133 1ª Liga alemã Bundesliga  Parcerias 122 – 125
Igreja Evangélica 132 – 133 164 – 167 Parlamento  14 – 15
Imigração 30 – 31, 114 – 115, 118 – 121 Língua alemã 152 – 153 Parlamento Federal 14 – 15, 26 – 29
Imigrante 10 – 11, 114 – 115 Literatura 142 – 145 Parques nacionais 92 – 93
Importação 62 – 65 Partido Social Democrata (SPD) 14 – 15
Imposto para a igreja 132 – 133 M Partidos 14 – 15, 22 – 25, 32 – 33
Imprensa 146 – 149 Magdeburg 6 – 7 Patentes 66 – 69
Inclusão 122 – 125 Mainz 6 – 7 Patrimônio da Humanidade 
Indústria 66 – 69, 72 – 73 Mann, Thomas 20 – 21, 134 – 137 160 – 163
Pesquisa 102 – 105 Responsabilidade Social Corporativa T
Pesquisa e desenvolvimento (P&D) (RSC) 70 – 71 Taxa de emprego 76 – 77
58 – 61, 66 – 69, 102 – 105 Riesling 170 – 171 Taxa de natalidade 114 – 115
Plano Nacional de Integração Röntgen, Wilhelm Conrad 20 – 21 Teatro 142 – 145
114 – 115 Tecnologias da informação e
Pluralismo 114 – 115, 142 – 145 S comunicação (TIC) 72 – 73
Política cultural e educacional Saarbrücken 6 – 7 Tecnologias do meio ambiente  
externa  108 – 109 Salário mínimo 30 – 31, 76 – 77 88 – 89
Política econômica exterior 62 – 65 Sarre 6 – 7 Televisão 146 – 149
Política exterior 38 – 41 Saxônia 6 – 7 Thüringen 6 – 7
População 10 – 11 Saxônia-Anhalt 6 – 7 Tratado do Eliseu 46 – 49
Potsdam 6 – 7 Schiller, Friedrich von 20 – 21, Tribunal Constitucional Federal
Prêmio Alemão de Cinema  134 – 137 26 – 29
142 – 145 Schleswig-Holstein 6 – 7 Trilhas 160 – 163
Prêmio da Paz do Comércio Livreiro Schwerin 6 – 7 Turismo 160 – 163
Alemão 142 – 145 Secretária de Estado para
Prêmio do Livro da Feira de Leipzig Questões de Cultura e Mídia  U
142 – 145 134 – 137 União Democrata Cristã (CDU) 
Prêmio Georg Büchner 142 – 145 Serviço Alemão de Intercâmbio 14 – 15
Presidente federal  Acadêmico (DAAD)  União Europeia 
16 – 17, 18 – 19, 26 – 29 94 – 97, 98 – 99, 106 – 107, 46 – 49, 58 – 61, 62 – 65
Processo de Bolonha 94 – 97 108 – 109, 140 – 141 União Social Cristã (CSU) 
Produto Interno Bruto 66 – 69 Serviço Federal de Migração e 14 – 15
Programa de conservação 140 – 141 Refugiados 114 – 115 Universidades 98 – 99
Programa Pasch 94 – 97, 152 – 153 Serviço Voluntário Federal  Universidades técnicas 
Proteção do clima 78 – 81, 82 – 83 114 – 115, 126 – 127 98 – 99
Proteção do meio ambiente 78 – 81 Sindicatos 22 – 25
Sistema eleitoral 16 – 17 V
Q Sistema escolar 112 – 113 Vinho 170 – 171
Qualidade de vida 158 – 159 Sociedade Alemã de Amparo à Virada energética 
Queda do Muro 36 – 37 Pesquisa (DFG)  30 – 31, 78 – 81, 84 – 87
94 – 97, 102 – 105, 106 – 107 Voluntário 126 – 127
R Sociedade civil 126 – 127
Rádio 146 – 149 Sociedade Fraunhofer  W
Realschulen 112 – 113 94 – 97, 102 – 105 Wellness 160 – 163
Reformas 22 – 25 Sociedade Leibniz  Wiesbaden 6 – 7
Religião 132 – 133 94 – 97, 102 – 105
Renânia do Norte-Vestfália 6 – 7 Sociedade Max Planck (MPG)  Z
Renânia Palatinado 6 – 7 94 – 97, 102 – 105 Zugspitze 12 – 13
Reno 12 – 13 Steinmeier, Frank-Walter 
Representações no exterior  14 – 15, 22 – 23, 38 – 41, 108 – 109
58 – 61 Stuttgart 6 – 7
República Democrática Alemã Subsídio para pais 122 – 125
(DDR) 36 – 37 Sustentabilidade 
Reservas de bioesfera 92 – 93 56 – 57, 70 – 71, 78 – 81
176 PERFIL DA ALEMANHA

Perfil da
EXPEDIENTE Alemanha

Editor
Frankfurter Societäts-Medien GmbH, Frankfurt am Main, © Frankfurter Societäts-Medien GmbH
em colaboração com o Ministério Federal das Relações Todos os direitos reservados. Reprodução
Externas, Berlim mediante permissão e citação da fonte.
Concepção e direção de redação:
Peter Hintereder, Janet Schayan “Perfil da Alemanha“ é publicado em:
Coordenação do projeto: alemão, árabe, chinês, coreano, espanhol, farsi, francês,
Andreas Fiebiger indonésio, inglês, italiano, japonês, lituano, polonês,
Redação: português, russo, tcheco, turco, ucraniano e vietnamita
Johannes Göbel, Martin Orth, Dr. Helen Sibum
Autores “Perfil da Alemanha“ na internet:
Matthias Bischoff, Dr. Eric Chauvistré, www.perfil-da-alemanha.de
Constanze Kleis, Joachim Wille
Diretor de arte Os editores valorizam uma linguagem inclusiva de gênero.
Martin Gorka Nesta edição, porém, nem todas as formulações levam
Infográficos Panorama em consideração o tratamento igualitário dos sexos, para
Einhorn Solutions não dificultar a legibilidade dos textos.
Produção
Kerim Demir, André Herzog

Tradução
Maria José de Almeida-Müller

Frankfurter Societäts-Medien GmbH


Frankenallee 71–81
60327 Frankfurt am Main, Alemanha
Internet: www.fs-medien.de
E-mail: tatsachen@fs-medien.de

Ministério Federal das Relações Externas


Departamento de Cultura e Comunicação
Werderscher Markt 1
10117 Berlin, Alemanha
Internet: www.auswaertiges-amt.de
E-mail: 608-R@auswaertiges-amt.de

Impressão
Werbedruck GmbH Horst Schreckhase
34286 Spangenberg, Alemanha
Printed in Germany 2015

Redação final:
Setembro 2015
ISBN
978-3-95542-178-6
INFORMAÇÕES DE VIAGEM

VIAJANDO PELA ALEMANHA


Desde o visto até a voltagem de eletricidade: informações e
telefones úteis para os turistas na Alemanha

Documentos e vistos: Viajantes es- Viajar de ônibus: Ônibus interesta- Hospedagem: Diversos tipos de alo-
trangeiros necessitam de passaporte duais são também uma boa opção de jamento: quarto particular, casas para
válido ou documento que o substitua. viagem: atualmente existem mais de férias até hotéis de luxo. O padrão é
Para cidadãos da maioria dos países 250 linhas interestaduais e intermu- garantido e controlado, mesmo nos
da Europa Ocidental, basta uma nicipais. A oferta é maior entre alojamentos mais simples. As cen-
carteira de identidade válida. Menores cidades. Todas as metrópoles alemãs trais de turismo oferecem catálogos
devem na maioria dos casos portar são servidas por linhas de ônibus de com informações detalhadas.
um documento próprio. Para cidadãos longa distância e mesmo algumas ci- → germany.travel
de determinados países exige-se vis- dades com menos de 10 mil habitan-
to de entrada. Maiores informações tes têm um ponto de ônibus de longa Albergues da juventude: Mais de 500
junto à representação diplomática distância. A concorrência é entre albergues da juventude hospedam os
alemã (embaixada ou consulado) no 8 companhias maiores. Informações membros de todas associações vin-
seu país. sobre os percursos: culadas à Federação Internacional de
→ auswaertiges-amt.de → busliniensuche.de Albergues da Juventude (IYHF). A
→ fernbusse.de carteirinha internacional pode ser ad-
Viajar de avião: Mais de cem compa- quirida mediante pagamento de taxa.
nhias aéreas internacionais operam Viajar de carro: Malha rodoviária Federação Alemã de Albergues da
rotas para a Alemanha, com voos de moderníssima, com 13 mil quilômetros Juventude
22 aeroportos internacionais no país de autoestradas, mais de 700 postos Tel.: +49 52 31 74 01-0
para todas as partes do mundo. Os de serviço, de abastecimento, hotéis → djh.de
maiores aeroportos são Frankfurt am e quiosques, abertos 24 horas. Tipos de
Main, Munique e Düsseldorf. Todos combustíveis: super (índice de octano Dinheiro e moeda: Moeda oficial:
os aeroportos são bem conectados às 95), super e10 (índice de octano 95), euro (1 euro = 100 cents) É possível
redes de transporte locais. super plus (índice de octano 98) e diesel. sacar dinheiro nos caixas eletrônicos
→ frankfurt-airport.de Não há limite de velocidade nas auto- 24 horas com o cartão EC ou cartões
→ munich-airport.de estradas, com exceção dos trechos de crédito internacionais. Todos os
→ dus.com com sinalização restritiva. A velocidade cartões de crédito usuais são aceitos
recomendada é 130 km/h. Velocidades na Alemanha. Os impostos estão
Viajar de trem: Rede ferroviária de máximas permitidas: dentro do perí- sempre incluídos nos preços.
mais de 33 mil km. Redes de curta e metro urbano: 50 km/h e fora do
longa distância são interligadas e perímetro urbano: 100 km/h. Não há Emergências:
oferecem boas conexões. Diariamente cobrança de pedágio. É obrigatório o Tel.: 110 para emergência e polícia
são oferecidas mais de 250 conexões uso do cinto de segurança e de assentos Tel.: 112 para bombeiros e acidentes
diretas da Alemanha para 120 cidades especiais para crianças com até 1,50 m
europeias. de altura. Em caso de pane: Serviço de Fuso horário: Horário da Europa
Hotline da Deutsche Bahn AG: Assistência ao Usuário acionado por Central (CET). Do fim de março ao
Tel.: +49 18 06 99 66 33 telefone. Os grandes clubes de auto- fim de outubro, os relógios são adian-
→ bahn.com móveis (ADAC, AvD) prestam infor- tados uma hora (horário de verão).
mações aos turistas.
Serviço de Assistência do ADAC Eletricidade:
Tel.: +49 18 02 22 22 22, → adac.de Voltagem: 230V
Emergência do AvD
Tel.: +49 80 09 90 99 09, → avd.de
Perfil da
Alemanha

Tudo o que você quer saber sobre


a atual Alemanha se encontra
no “Perfil da Alemanha”: como
funciona o sistema político;
quais são as diretrizes da política
externa; o que caracteriza a
economia; que temas dominam
os debates na sociedade; o que
há de novo na arte e na cultura;
e muitos outros temas.

Atual, confiável e compacto, com


muitos números, fatos e gráficos,
o prático manual oferece conheci-
mentos básicos aprofundados
e uma visão de todos os setores
da vida moderna na Alemanha.
→ perfil-da-alemanha.de