Você está na página 1de 66

Maria Auxiliadora

Ficha Técnica
Edição do «CAVALEIRO DA IMACULADA»
Av. Camilo, 240 — 4349-014 PORTO
ISBN: 978-972-690-678-0
Depósito Legal: 348355/12
Fotocomposição e paginação:
«Cav aleiro da Imaculada»
Impressão e acabamento:
SERSILITO — Empresa Gráfica, Lda.
Trav essa Sá e Melo, 209 N Gueifães — MAIA
Índice
Maria Auxiliadora
Apresentação
I - O título de Auxiliadora
II - A Virgem de Dom Bosco
III - Orações a Maria Auxiliadora
IV - Dev oções à Auxiliadora
V - Objectos religiosos
VI - Cânticos a Nossa Senhora
SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA AUXILIADORA - Mogofores

Apresentação
A Família Salesiana venera Maria com o título de Auxiliadora dos Cristãos, tal
como fez Dom Bosco.
Para ajudar os devotos de Maria Auxiliadora, publicamos este pequeno livro. Nele
encontram-se as razões desta bela invocação mariana, um conjunto de orações,
as devoções tradicionais e ainda uma referência aos objectos religiosos marianos.
Existe ainda uma referência ao santuário nacional de Maria Auxiliadora, em
Mogofores.
É uma publicação para utilizar e também para oferecer aos amigos. Deste modo
cumprimos com alegria o desejo de Dom Bosco: divulgar a devoção a Maria
Auxiliadora.
Ela é auxiliadora não só do povo cristão mas também de todos os homens,
todos eles muito amados por Deus.

I - O título de Auxiliadora

2
3
Em 1500, no santuário mariano de Loreto (Itália), já se recitava uma ladainha
onde se atribuía a Nossa Senhora o título de Auxiliadora dos Cristãos.
Em 1571, os Turcos, inimigos da Igreja Católica, ameaçavam invadir a Europa e
impor a religião de Maomé.
S. Pio V, para defender o cristianismo, organizou uma poderosa esquadra, que
avançou pelas águas do Mediterrâneo. Os dois exércitos lutaram entre si na
batalha naval de Lepanto. Os muçulmanos foram vencidos e toda a cristandade
rejubilou em acção de graças. O papa viu nesta vitória uma graça concedida por
intercessão de Nossa Senhora.
Em 1683, a cidade de Viena foi cercada pelos Turcos. Eram uma grave ameaça
para a fé. O povo cristão invocou o auxílio de Nossa Senhora e o exército cristão
saiu vitorioso.
Em memória deste triunfo, foi fundada na Baviera uma Confraria em honra de
Nossa Senhora Auxiliadora. Teve muito sucesso na divulgação deste título
mariano e foi aprovada pelo papa Inocêncio XI. A cidade de Munique ainda hoje
presta um culto especial a Nossa Senhora.
Em 1809, num tempo muito agitado da história da Europa, o imperador Napoleão
I de França, que se queria apoderar dos estados pontifícios, sequestrou o Papa
Pio VII, mantendo-o no exílio.
O Papa implorou o auxílio de Maria e convidou o povo cristão a unir-se a ele. A
força da oração fez com que o imperador permitisse que ele regressasse livre a
Roma. A sua libertação aconteceu no dia 24 de Maio de 1814.
Como reconhecimento, o Papa instituiu a festa de Nossa Senhora Auxiliadora, a
celebrar precisamente nesse dia.
O Concílio Vaticano II, na Constituição Dogmática sobre a Igreja, dedicou o
Capítulo VIII a Maria, relacionando-a com o mistério de Cristo e da Igreja. O
texto conciliar sublinha o papel de Maria como auxiliadora do povo cristão.
«Com o seu amor de Mãe, cuida dos irmãos de seu Filho, que ainda peregrinam
e se debatem entre perigos e angústias, até que sejam conduzidos à Pátria feliz.
Por isso, a Santíssima Virgem é invocada, na Igreja, com os títulos de Advogada,
Auxiliadora, Amparo e Medianeira». (Lumen Gentium, n.º 62)
O Papa João Paulo II deixou-nos um testemunho da confiança em Maria, que
auxilia os seus filhos, sobretudo nas grandes necessidades.
A 13 de Maio de 1981, foi vítima de um atentado na Praça de S. Pedro. Atingido
por uma bala assassina, foi hospitalizado na Clínica Gemelli, onde esteve

4
internado alguns meses. Um amigo, ao visitá-lo no dia seguinte, disse-lhe: «A
Virgem Maria há-de proteger Vossa santidade no sofrimento». O Papa
respondeu: «Foi ela quem velou por tudo isto. Totus tuus».
Dirá mais tarde, em Fátima, que a mão materna de Maria desviou a bala, para
que não lhe atingisse órgãos vitais, salvando-lhe assim a vida.
Estes e outros factos são apenas uma amostra da fé do povo cristão em Maria
como Auxiliadora nas horas difíceis da história das pessoas e dos povos.

II - A Virgem de Dom Bosco

5
6
João Bosco nasceu em 16 de Agosto de 1815, no lugar dos Becchi, distrito de
Turim. Logo ao nascer, foi colocado sob a especial protecção de Nossa Senhora.
A sua mãe Margarida contou-lhe isso num dia especial.
Quando o seu filho João entrou no seminário, realizou-se a cerimónia da
vestidura da batina. A sua bondosa mãe, entre outras coisas, disse-lhe: «Quando
vieste ao mundo, consagrei-te à Santíssima Virgem».
Aos 9 anos, João Bosco teve um sonho que marcou a sua vida de pai e mestre
da juventude.
Viu muitos rapazes violentos e a dizer palavrões. Foi ter com eles e, aos berros e
murros, procurava fazê-los calar.
Nesse momento, apareceu um personagem de rosto luminoso que lhe disse:
— João, não é com murros mas sim com a mansidão e a caridade que deverás
fazer deles teus amigos. Vai ter com eles e fala-lhes da beleza da virtude.
Joãozinho respondeu que era pobre e igno-rante, e perguntou-lhe:
— Quem é você que me manda coisas impossíveis?
O personagem respondeu:
— Eu sou o Filho daquela a quem a tua mãe ensinou a saudar três vezes ao dia.
Ela será a tua Mestra.
Nesse momento, viu junto dele uma Senhora vestida de sol, que o tomou pela
mão e lhe disse:
— Olha à tua volta.
Ele olhou e viu que, em vez dos rapazes, estavam agora animais ferozes, que
depois se torna-ram mansos cordeirinhos a brincar. A Senhora disse-lhe:
— O que aconteceu a estes animais, irás tu fazê-lo com os jovens. Torna-te
humilde, forte e robusto.
Joãozinho continuava confundido. Então a Senhora pôs-lhe a mão na cabeça e
disse-lhe:
— A seu tempo tudo compreenderás.
E acordou. Este sonho indicou a sua missão. Com a protecção de Maria, iria
transformar os rapazes «ferozes», pobres e abandonados, em honrados cidadãos
e bons cristãos.
Em 1841, João Bosco foi ordenado sacerdote. Como irá realizar a missão
sacerdotal? Um acontecimento marcou o início de uma vida totalmente dedicada
aos jovens.

7
No dia 8 de Dezembro desse ano, festa da Imaculada Conceição, foi à igreja de
S. Francisco de Assis, em Turim, para celebrar a missa. Na sacristia encontrava-se
um jovem pobre e cheio de frio. O sacristão espantou-o e Dom Bosco
repreendeu-o:
— Vai chamá-lo. Ele é meu amigo.
Terminada a celebração, seguiu-se um diálogo cordial. O pobre jovem chamava-
se Bartolomeu Garelli, era órfão, tinha 16 anos, era analfabeto. Respondeu que
não sabia cantar e Dom Bosco perguntou-lhe:
— Sabes assobiar?
Bartolomeu Garelli sorriu. Estava ganha a sua confiança. Contou depois que
gostaria de conhecer Jesus. Dom Bosco prontificou-se a ser seu catequista e,
para começar, ajoelharam-se os dois e o jovem sacerdote recitou uma Ave Maria.
Iniciava assim a sua obra sob a protecção de Nossa Senhora.
A partir desse dia, todos os domingos se começou a reunir com os jovens pobres
e abandonados. Passava com eles um dia feliz, onde havia tempo para brincar,
para cantar, para rezar, para conviver. Eram cada vez em maior número.
Dom Bosco, para poder reunir-se com os jovens pobres e abandonados,
necessitava de espaços. Andou de um lugar para o outro, até que em 1846
encontrou um lugar definitivo. Comprou a casa Pinardi, nos arrabaldes de Turim,
e adaptou-a a Oratório, espaço de encontro onde iniciaria a sua obra.
Invocava frequentemente Nossa Senhora e sentia a ajuda da Providência divina.
Os amigos, um dia, perguntaram-lhe:
— Como faz para pagar tantas dívidas?
Ele respondeu:
— Eu tenho uma boa cobradora. Ela vai à procura de migalhas para dar aos
meus passarinhos que estão no ninho. A minha cobradora chama-se Maria
Auxiliadora.
Convidava os jovens a serem devotos de Maria. Quando começou a ter os
primeiros jovens internos, recomendava-lhes:
— Antes de vos deitardes, deveis ajoelhar-vos e rezar três Ave-Marias a Nossa
Senhora.
No Oratório de Valdocco respirava-se um ambiente mariano. As suas festas eram
preparadas com todo o esmero, sobretudo o dia da Imaculada, a 8 de
Dezembro.

8
Os jovens faziam a novena de preparação para a festa e eram convidados a
confessar-se, preparando-se assim para comungar.
Os melhores jovens formaram um grupo muito especial, a que deram o nome de
Companhia da Imaculada, do qual fazia parte Domin-gos Sávio. Maria iria auxiliá-
los a serem santos e a ajudarem os seus companheiros a praticar o bem.
Sentindo o auxílio sempre oportuno de Maria, Dom Bosco decidiu erigir uma
grande igreja em sua honra, sob a invocação de Maria Auxiliadora.
Uns dias depois da bênção da primeira pedra, aproximou-se do mestre-de-obras
e disse-lhe:
— Quero dar-te o primeiro dinheiro para as despesas. Não é muito mas é tudo o
que tenho.
Levou a mão ao bolso e tirou oito cêntimos. O construtor ficou surpreendido e
Dom Bosco disse-lhe:
— Tem calma. Nossa Senhora arranjará o dinheiro de que necessitas.
De facto, Maria auxiliou-o verdadeiramente.
Mandou pintar, para o altar-mor, um grande quadro onde Maria é representada
tendo na mão direita o ceptro, símbolo do poder, e no braço esquerdo o Menino
Jesus de braços abertos, como quem acolhe com ternura.
Quatro anos depois, a igreja era aberta ao culto. Em 1911 recebeu o título de
basílica.

9
Dom Bosco divulgava a devoção a Maria Auxiliadora. Escreveu pequenos livros, e
oferecia estampas. Aconselhava os aflitos e doentes a voltarem o seu olhar para
Maria e a suplicarem o seu auxílio.
Um dia, viu uma mãe com uma criança muito doente ao colo. A mãe informou-o
de que o menino, de cerca de 1 ano, estava desenganado dos médicos. Dom
Bosco perguntou-lhe:
— Acredita que Nossa Senhora o pode curar?
Ela respondeu:

10
— Sim, seria uma grande graça.
Dom Bosco recomendou-lhe que fizesse a novena a Maria Auxiliadora, que
incluía a confissão e a comunhão.
Quinze dias depois, esta mulher, muito feliz, veio ao santuário para agradecer a
cura.
Em 1869, Dom Bosco fundou a Associação de Maria Auxiliadora, cuja finalidade
era a de divulgar a devoção a Maria e a adoração ao Santíssimo Sacramento.
Actualmente, ainda existe com a sigla de ADMA: Associação de Maria Auxiliadora.
Os membros desta Associação comprometem-se a tomar a Maria como modelo e
auxiliadora na missão de viver santamente na família, na comunidade cristã e na
sociedade.
Procuram meditar assiduamente na Palavra de Deus, a participar na Eucaristia e a
confessar-se frequentemente.
Comprometem-se a difundir a devoção a Maria Auxiliadora, a rezar o terço e a
ter um momento especial de oração no dia 24 de cada mês.
Comprometem-se ainda a dar uma especial atenção às vocações para a vida
sacerdotal e religiosa.
Dom Bosco fundou a Sociedade de S. Francisco de Sales. Os seus seguidores são
conhecidos como Salesianos, e têm a Maria Auxiliadora como padroeira principal.
Os salesianos acreditam que Maria está presente no meio deles, como esteve
sempre com Dom Bosco, guiando-o e amparando-o ao longo dos seus dias.
Acreditam firmemente que Maria os auxilia a serem entre os jovens testemunhos
do amor inesgotável de seu Filho, Jesus Cristo.
Dom Bosco fundou, juntamente com Maria Mazzarello, uma Congregação
feminina. Deu-lhe a designação de Filhas de Maria Auxiliadora e afirmou que este
Instituto religioso seria na Igreja e no mundo um monumento vivo a Maria
Auxiliadora.
Fundou ainda os Salesianos Cooperadores, jovens e adultos que vivem no
mundo segundo o espírito salesiano.
Quando chegou ao fim dos seus dias, observando como as Obras salesianas
tinham crescido tanto, apontava para Maria Auxiliadora e dizia: «Foi ela quem
tudo fez». E recomendou insistentemente a devoção filial a Nossa Senhora. Eis
algumas das suas palavras.
«Nossa Senhora quer que a veneremos com o título de Auxiliadora. Vivemos em
tempos difíceis e necessitamos que a Santíssima Virgem nos ajude a conservar e

11
a defender a fé cristã».
«Maria é a nossa guia, a nossa mestra, a nossa mãe».
«Maria Auxiliadora obtém e obterá sempre graças particulares para aqueles que
ajudem a dar educação cristã à juventude em perigo, com as obras, com o
conselho, com o exemplo ou, simplesmente, com a oração».
«Maria Santíssima protege os seus devotos em todas as necessidades, mas
especialmente na hora da sua morte».

III - Orações a Maria Auxiliadora

12
13
1. Sois o nosso auxílio
Maria, Virgem poderosa,
admirável defensora da Igreja
e auxiliadora dos cristãos,
sois forte
como um exército
em ordem de batalha.
Lutastes
contra todas as heresias
da história.
Sois o nosso auxílio
nas horas de angústia e de lutas,
e nos momentos de necessidade.
Defendei-nos sempre dos inimigos,
e na hora da nossa morte,
acolhei-nos no Paraíso.
Amen.
(S. João Bosco)
2. Acolher Maria
Senhor Jesus Cristo,
eu Vos amo de todo o meu coração.
Suplico-Vos que renoveis hoje em mim
aquele testamento que fizestes na cruz,
quando entregastes Maria como mãe
e o discípulo João a recebeu em sua casa.
Desejo também tê-la como minha Mãe,
e ser um dos seus filhos
por ela amados.
Maria, minha Mãe e Auxiliadora,
graças pelo vosso carinho materno

14
e o vosso auxílio sempre oportuno
em todas as horas dos meus dias.
Sois a causa da minha alegria.
Ajudai-me a ter uma fé viva e alegre,
uma esperança firme, mesmo na dor,
e uma caridade expressa em obras.
Que eu seja membro vivo da Igreja
e anunciador de Cristo no mundo.
Amen.
3. Imitar Maria
Santíssima e Imaculada Virgem Maria,
Auxiliadora dos Cristãos, Mãe da Igreja,
nós Vos suplicamos que nos auxilieis
a percorrer o caminho da nossa fé
que Vós mesma percorrestes na vida.
Por isso, dizemos com confiança filial:
R/ Auxiliadora dos Cristãos, rogai por nós.
1. Maria da Anunciação,
disponível, dissestes sim a Deus.
Auxiliai-nos a escutar a sua palavra
E a fazer alegremente a sua vontade.
2. Maria de Belém,
contemplastes Jesus no presépio.
Auxiliai-nos a sentir
o encanto e beleza
de um Deus que habitou entre nós.

15
3. Maria da Visitação,
cantastes as maravilhas do Senhor.
Auxiliai-nos a viver
em acção de graças
pelo amor com que somos amados.
4. Maria de Nazaré,
experimentastes o que é ser esposa
e mãe.
Auxiliai-nos a fazer das nossas casas
um espaço onde há união, amor e paz.
5. Maria de Caná,
ajudastes os jovens esposos aflitos.
Auxiliai-nos também a nós
nas dificuldades
para que não falte o vinho da alegria.
6. Maria do Calvário,
estivestes de pé junto à cruz.

16
Auxiliai-nos a manter a fortaleza
que nos vem da vitória pascal de Cristo.
7. Maria do Cenáculo,
estivestes com os apóstolos em oração.
Auxiliai-nos a ser membros vivos
e activos
na comunidade eclesial
a que pertencemos.
4. Consagração a Maria
Ó Senhora minha, ó minha Mãe,
eu me ofereço todo a Vós,
e, em prova da minha devoção
para convosco,
Vos consagro neste dia e para sempre,
os meus olhos, os meus ouvidos,
a minha boca, o meu coração,
e inteiramente todo o meu ser.
E porque assim sou todo vosso,
ó incomparável mãe,
guardai-me e defendei-me
como coisa e propriedade vossa.
Lembrai-Vos que Vos pertenço,
terna Mãe e Senhora nossa.
Ah! Guardai-me e defendei-me
como coisa própria vossa.

17
5. Orar pelo povo cristão

18
19
Santíssima e Imaculada Virgem Maria,
Mãe da Igreja e nossa Mãe,
Auxiliadora do povo cristão,
eu Vos peço pela Igreja presente
pelo mundo.
Auxiliai-a no anúncio do Evangelho,
a fim de que todos os povos acreditem
em Cristo, Caminho, Verdade e Vida.
Defendei o Papa de todos os perigos,
iluminai e fortalecei os nossos bispos,
amparai os sacerdotes na sua missão,
dai ao povo cristão a alegria de crer.
Prestai um especial carinho maternal
às crianças e jovens, que são o futuro,
aos casais jovens em dificuldades,
aos cidadãos que estão sem trabalho,
aos idosos que vivem na solidão,
aos doentes, aos presos, aos aflitos,
aos prestes a passar deste mundo.
Fazei, Maria Auxiliadora,
que todos sintam o amparo da vossa mão,
que levanta os caídos e acaricia os tristes.
Sede para todos eles o espelho fiel
da imensa ternura do rosto de Deus.
Amen.
6. Por intercessão de Maria
Rezemos a Deus Pai, por intercessão de Maria Auxiliadora, dizendo:
R/ Auxílio dos Cristãos, rogai por nós.
1. Por todos os cristãos,
para que dêem testemunho no mundo

20
da alegria e da beleza de seguir Cristo,
oremos por intercessão de Maria.
2. Pelo Papa e pelos bispos,
para que realizem a nova evangelização
com ardor, criatividade e audácia,
oremos por intercessão de Maria.
3. Pelos governantes,
para que numa atitude de serviço ao povo
busquem de verdade o bem comum,
oremos por intercessão de Maria.
4. Pelos que sofrem no corpo ou no espírito,
para que encontrem forças para lutar
e acreditem sempre na vitória da vida,
oremos por intercessão de Maria.
5. Pelas crianças e jovens,
para que cresçam em sabedoria
e encontrem em Cristo a alegria de viver,
oremos por intercessão de Maria.
7. Lembrai-Vos
Lembrai-Vos, ó piíssima Virgem Maria,
que nunca se ouviu dizer
que algum daqueles
que tendo recorrido à vossa protecção,
implorado a vossa assistência
e reclamado o vosso socorro
fosse por Vós desamparado.
Animado eu, pois, com igual confiança
a Vós, Virgem entre todas singular,
como a Mãe recorro, de Vós me valho
e, gemendo sob o peso
dos meus pecados,

21
me prostro a vossos pés.
Não desprezeis as minhas súplicas,
ó Mãe do Filho de Deus humanado,
mas dignai-Vos de as ouvir propícia
e de me alcançar o que Vos rogo.
Amen.
(S. Bernardo)
8. Oração dos Salesianos
Santíssima e Imaculada
Virgem Auxiliadora,
Mãe da Igreja,
inspiradora e guia da nossa Congregação,
nós nos acolhemos à vossa protecção
e, fiéis à vocação salesiana,
Vos prometemos trabalhar sempre
para a maior glória de Deus
e para a salvação do mundo.
Confiantes na vossa intercessão,
nós Vos pedimos pela Igreja,
pela Congregação
e pela Família salesiana,
pelos jovens, especialmente
os mais pobres
e por todos os homens remidos em Cristo.
Ensinai-nos, ó Mestra de Dom Bosco,
a imitar as suas virtudes,
especialmente a união com Deus,
a vida casta, obediente e pobre,
o amor ao trabalho e à temperança,
a bondade e a doação total aos irmãos,
a fidelidade ao Papa e aos Pastores

22
da Igreja.
Fazei, ó Maria Auxiliadora,
que a nossa entrega ao Senhor
seja fiel e generosa até à morte,
e dai-nos a graça de participar
da alegria da plena comunhão
na Casa do Pai.
Amen.

23
9. Protectora da família
Nossa Senhora Auxiliadora,
nós Vos escolhemos e declaramos
Senhora e Auxiliadora desta casa.
Guardai-nos como vossos filhos.

24
Livrai-nos do egoísmo e do mal.
Que esta casa seja uma comunidade
onde amamos e nos sentimos amados,
onde vivemos com os pés na terra
mas com os olhos postos em Deus.
Que esta nossa casa tenha a porta aberta
para que nela entrem os que quiserem,
e na mesa haja alimentos para nós
e também para partilhar com os pobres.
Nossa Senhora Auxiliadora,
acariciai-nos maternalmente
e ajudai-nos a seguir Jesus,
caminho, verdade e vida.
Amen.
10. Salve-Rainha
Salve Rainha, mãe de misericórdia,
vida, doçura
e esperança nossa, salve!
A Vós bradamos,
os degredados filhos de Eva,
a Vós suspiramos gemendo e chorando,
neste vale de lágrimas.
Eia, pois, advogada nossa,
esses vossos olhos misericordiosos
a nós volvei.
E, depois deste desterro,
nos mostrai Jesus,
bendito fruto do vosso ventre.
Ó clemente, ó piedosa, ó doce
sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, santa Mãe de Deus,

25
para que sejamos dignos
das promessas de Cristo.
Amen.

11. Oração de Maria (Magnificat)


A minha alma glorifica o Senhor
e o meu espírito se alegra em Deus,
meu Salvador.
Porque pôs os olhos na humildade
da sua serva,
de hoje em diante, me chamarão
bem-aventurada todas as gerações.
O Todo-poderoso
fez em mim maravilhas,
Santo é o seu nome.
A sua misericórdia se estende
de geração em geração,

26
sobre aqueles que o temem.
Manifestou o poder do seu braço
e dispersou os soberbos.
Derrubou os poderosos
de seus tronos
e exaltou os humildes.
Aos famintos encheu de bens
e aos ricos despediu de mãos vazias.
Acolheu a Israel seu servo,
lembrado da sua misericórdia,
como tinha prometido
aos nossos pais, a Abraão
e à sua descendência
para sempre.
(Lc 1, 46-55)
12. Angelus
O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
R/ E ela concebeu do Espírito Santo.
Ave-Maria…
Eis a escrava do Senhor.
R/ Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Ave-Maria…
E o Verbo Divino encarnou.
R/ E habitou entre nós.
Ave-Maria…
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus.
R/ Para que sejamos dignos das pro-messas de Cristo.
Infundi, Senhor, a vossa graça em nossas almas, para que nós, que pela
anunciação do Anjo conhecemos a encarnação de Jesus Cristo, vosso Filho, pela
sua paixão e morte na cruz sejamos conduzidos à glória da Ressurreição.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do

27
Espírito Santo.
R/ Amen.

IV - Devoções à Auxiliadora

28
29
1. Bênção de Maria Auxiliadora
Dom Bosco compôs a bênção de Nossa Senhora Auxiliadora, aprovada pela
Santa Sé em 18 de Maio de 1878.
Esta bênção é uma prece a Deus, por intercessão de Maria, para que olhe para
nós com amor e nos dê forças para nos mantermos firmes na fé, alegres na
esperança e activos no amor em todas as situações da nossa vida, especialmente
nos momentos mais difíceis.
Esta bênção é simplesmente uma devoção. Por isso, pode ser recitada ou dada
não só por um sacerdote mas também por qualquer leigo cristão.
Pode ser utilizada na família, sendo o pai ou a mãe a presidir. Será certamente
utilizada pelos devotos de Maria Auxiliadora, nos seus encontros ou reuniões.
Bênção
O nosso auxílio está no nome do Senhor.
R/ Que fez o céu e a terra.
Ave Maria…
R/ cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres e
bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.
Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa
morte. Amen.
À vossa protecção…
R/ recorremos, santa Mãe de Deus,
não desprezeis as nossas súplicas
em nossas necessidades,
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.
Maria, Auxiliadora dos Cristãos.
R/ Rogai por nós.
Senhor, escutai a nossa oração.
R/ Chegue até Vós o nosso clamor.
O Senhor esteja convosco.
R/ Ele está no meio de nós.
Oremos.

30
Deus todo-poderoso e eterno,
que, com a ajuda do Espírito Santo,
preparastes o corpo e a alma de Maria
para digna morada do vosso Filho,
ao recordá-la com alegria,
livrai-nos, por sua intercessão,
dos males presentes e da morte eterna.
Por Jesus Cristo, nosso Senhor.
R/ Amen.
A bênção de Deus todo-poderoso,
Pai, Filho e Espírito Santo,
desça sobre vós
e permaneça convosco para sempre.
R/ Amen.
2. Novena a Maria Auxiliadora
Dom Bosco recomendava aos aflitos, necessitados de uma bênção especial de
Deus, por intercessão de Maria, a novena a Maria Auxiliadora.
A mesma pode servir de preparação para a sua festa, que se celebra no dia 24
de Maio.
Nove dias
A novena, segundo Dom Bosco, consiste no seguinte:
— Rezar durante nove dias seguidos:
1.º — Três vezes o Pai-nosso, a Avé-Maria e o Glória, com uma jaculatória:
«Graças e louvores se dêem a todo o momento ao Santíssimo e Diviníssimo
Sacramento».
2.º — Três vezes a Salve-Rainha com a jacula-tória: «Maria, Auxiliadora dos
Cristãos, rogai por nós».
3.º — Além destas orações, é necessário também confessar-se e participar na
Eucaristia.
4.º — Recomenda-se também que se faça um gesto de partilha, dando uma
oferta para as Obras Salesianas.
Para enriquecer esta novena, sugerimos que, antes das orações indicadas, se

31
faça uma breve reflexão a partir da Palavra de Deus. Ela indica-nos os caminhos
que nos levam a uma imitação das virtudes de Maria.
Primeiro dia
Maria disse então: «Eis a serva do Senhor, ​faça-se em mim segundo a tua
palavra». (Lc 1, 38)
A jovem de Nazaré foi saudada pelo anjo como a cheia de graça e convidada
para ser a Mãe de Jesus. Ela reflectiu e decidiu dizer sim ao Senhor.
Maria, auxiliai-nos a escutar os apelos de Deus, a escutar os seus projectos e a
dizer sim à sua Palavra. Seja ela o farol que nos guia na vida.
Segundo dia
Maria disse então: «A minha alma glorifica o Senhor e o meu espírito exulta de
alegria em Deus, meu Salvador». (Lc 1, 46)
Maria, depois da Anunciação do anjo, dirigiu-se apressadamente a casa de
Isabel. Esta saudou-a com alegria. E Maria cantou um belo cântico de louvor.
Maria, auxiliai-nos a viver numa atitude de louvor e de acção de graças pelas
maravilhas que o Senhor realiza naqueles que o amam de todo o coração.
Terceiro dia
Maria ficou em casa de Isabel cerca de três meses. Depois regressou a sua casa.
(Lc 1, 56)
Isabel estava grávida de João Baptista e necessitava certamente de ajuda. Maria,
pronta para servir, ficou com ela todo o tempo neces-sário.
Maria, auxiliai-nos a estar sempre numa atitude de serviço a toda a gente,
imitando Jesus que pôs um toalha e lavou os pés aos seus apóstolos.
Quarto dia
Entretanto os pastores chegaram apres-sados a Belém e aí encontraram Maria,
José e o Menino deitado numa manjedoura. (Lc 2, 15-16)
Maria e José dirigiram-se a Belém e Maria deu à luz o Menino numa gruta. Na
noite e num ambiente pobre, essa jovem mãe meditava no seu coração.
Maria, auxiliai-nos a meditar no mistério, na beleza, na maravilha que é o próprio
Deus vir habitar no meio de nós, assumindo a nossa humanidade.
Quinto dia
Simeão abençoou-os e disse: «Este Menino está aqui para queda e
ressurgimento de muitos em Israel e para ser sinal de contradição». (Lc 2, 34)
Simeão disse a Maria que Jesus iria ser rejeitado e que ela teria muito que sofrer.

32
Uma espada de dor iria trespassar o seu coração.
Maria, auxiliai-nos todas as vezes que tiver-mos de sofrer por defendermos os
valores do Evangelho, por sermos coerentes com a nossa fé.
Sexto dia
Sua mãe disse-lhe:
«Por que nos fizeste isto? O teu pai e eu andávamos aflitos à tua procura». (Lc
2, 48)
Jesus adolescente ficou no Templo de Jerusalém sem avisar os pais. A sua mãe
repreendeu-o e Jesus respondeu-lhe com uma pergunta.
Maria, auxiliai os pais a educarem os seus filhos, sabendo harmonizar a firmeza
com a bondade. Fazei que as nossas famílias sejam lares de paz.
Sétimo dia
Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galileia e estava lá a Mãe de
Jesus. (Jo 2, 1)
A um certo momento da boda faltou o vinho. Maria, preocupada, falou com
Jesus e recomendou aos serventes para fazerem o que Ele disser.
Maria, auxiliai-nos a fazer sempre o que Jesus nos diz. Sabemos que a sua
vontade é que não falte o vinho, isto é, que sejamos felizes no tempo e na
eternidade.
Oitavo dia
Junto à cruz de Jesus estavam, de pé, sua mãe… Jesus, ao ver sua mãe e o
discí- pulo que Ele amava, disse à sua mãe: «Mulher, eis o teu Filho». (Jo 19, 25-
26)
Jesus, antes de morrer, entregou a sua mãe a João, que representava toda a
humanidade. Por isso, com razão, a veneramos como Mãe da Igreja.
Maria, auxiliai-nos a sentirmo-nos pedras vivas da Igreja de Cristo. Vós sois a
perfeita cristã, o nosso modelo de virtudes, a nossa auxiliadora.
Nono dia
Apareceu no céu um sinal grandioso: uma mulher vestida de Sol, com a Lua
debaixo dos pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. (Ap 12, 1)
Quando terminou a sua vida terrena, Maria foi elevada ao Céu em corpo e alma,
para participar com Cristo na glória da ressurreição.
Maria, auxiliai-nos a caminhar na vida com os olhos postos em Vós, já na glória
celeste. Acreditamos que a nossa peregrinação tem a sua meta no Céu.

33
V - Objectos religiosos

34
35
1. A imagem de Maria Auxiliadora em casa
Recomenda-se aos devotos de Maria Auxiliadora que adquiram uma imagem, a
colocar em lugar de destaque.
Será uma maneira de indicar o nosso desejo de que a nossa família seja um lar
onde existe o ambiente de afecto, de ajuda, de perdão, de paz, de alegria que
existia na Família de Nazaré.
Para o dia da inauguração da imagem, sugerimos uma oração, a recitar pela mãe.
Oração
Maria Auxiliadora,
é com alegria que colocamos esta imagem em nossa casa.
Ela irá recordar-nos discretamente a vossa presença materna,
ao longo dos dias, sejam eles de sol luminoso ou de nuvens escuras.
Contamos com o vosso auxílio sobretudo nos momentos difíceis,
quando o amor entre todos nós necessitar de crescer ainda mais,
quando surgirem dificuldades que ameacem a nossa felicidade,
quando a nossa fé, esperança e caridade forem muito frágeis.
Maria Auxiliadora,
fiel rosto humano da bondade e da ternura do nosso Deus,
não nos falteis com o vosso auxílio em todas as adversidades.
Maria Auxiliadora,
esta imagem irá também recordar-nos que a vida boa e feliz
consiste em fazermos o que Jesus nos diz no Evangelho.
Maria, Auxiliadora dos Cristãos.
R/ Rogai por nós.
No final, pode colocar-se um ramo de flores junto da imagem. Como alternativa,
pode beijar-se.
2. Maria Auxiliadora na carteira
Em alguns lugares, sobretudo onde há obras salesianas, existe a tradição de
espalhar estampas de Maria Auxiliadora.
Alguns colocam essa estampa na carteira, juntamente com outros documentos. É
um sinal a indicar a nossa condição de cristãos e de devotos de Maria
Auxiliadora.

36
Esta estampa não funciona como um talismã para dar sorte. É apenas um sinal
visível daquilo que trazemos sempre no coração, isto é, um grande amor a Maria.
Para o dia em que a colocarmos na carteira, sugerimos uma oração.

Oração
Maria Auxiliadora,
coloco a vossa imagem na minha carteira,
pois quero que me acompanheis sempre,
em casa, no lugar de trabalho e na rua.
Maria Auxiliadora,
concedei-me a saúde da alma e do corpo,
aumentai a minha fé, esperança e amor,
e fazei de mim uma testemunha de Cristo.
Maria Auxiliadora,
fazei que a minha maior riqueza

37
seja a de seguir o vosso Filho Jesus
e a de ser pedra viva da sua Igreja.
Maria Auxiliadora,
que, depois de uma vida longa e feliz,
juntamente com a multidão dos eleitos.
possa contemplar o vosso rosto no Céu.
Amen.
3. A medalha de Maria Auxiliadora
Nos lugares onde está divulgada a devoção a Maria Auxiliadora, é costume as
pessoas trazerem consigo ao peito uma medalha com a efígie de Maria
Auxiliadora.
Do mesmo modo que se pode trazer, de forma visível, o símbolo de um clube
desportivo, de uma empresa, de uma marca famosa… assim também se poder
trazer, de forma oculta e dependurada num fio mais ou menos valioso uma
medalha de Nossa Senhora.
A medalha não tem nada a ver com um amuleto mágico nem com uma
superstição. Trazer a medalha é uma forma de nos recordarmos que olhamos
para Maria como o nosso modelo de vida e a nossa auxiliadora.
Antes de começarmos a usar a medalha, podemos recitar uma oração.

38
Oração
Santíssima e Imaculada Virgem Maria,
Mãe e Auxiliadora do povo cristão,
eu quero ser verdadeiramente vosso filho,
manifestar-Vos com alegria o meu amor filial
e imitar as vossas virtudes de perfeita cristã.
Trazendo esta medalha junto do coração,
peço-Vos que me auxilieis, hoje e sempre
a cumprir o mandamento novo de Jesus.
Trazendo esta medalha como um escudo,
peço-Vos que sejais a minha protecção,
e me livreis de todo o egoísmo e maldade.
Amen.

39
Maria, Auxiliadora dos Cristãos.
R/ Rogai por nós.

4. O Terço do Rosário
Os devotos de Maria Auxiliadora trazem consigo o terço. Começa com o sinal da
cruz e é composto por 5 dezenas. Cada dezena inclui um Pai-Nosso, 10 Avé-
Marias e um Glória.
No fim do Terço, rezam-se ainda 3 Avé-Marias pelas intenções do Papa e a
Salve-Rainha.
Cada dezena é rezada, meditando num mistério da vida de Cristo e de Nossa
Senhora.

40
Mistérios gozosos

41
1.º mistério
A Anunciação do Anjo a Nossa Senhora.
Maria disse então: «Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua
palavra». (Lc 1, 38)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todo o povo cristão e pelos que não conhecem
a Jesus.
2.º mistério
A Visitação de Nossa Senhora a sua prima Isabel.
«Maria ficou com Isabel cerca de três meses. Depois, regressou a sua casa». (Lc
1, 56)
Rezemos a Maria Auxiliadora pelos que dedicam a vida a servir os mais
necessitados.
3.º mistério
O Nascimento de Jesus no presépio de Belém.
«Entretanto os pastores chegaram apressados a Belém e aí encontraram Maria,
José e o menino deitado numa manjedoura». (Lc 22, 13-16)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todas as crianças, especialmente as que sofrem.
4.º mistério

42
A Apresentação de Jesus no Templo.
«Quando se completou o tempo da sua purificação, segundo a Lei de Moisés,
levaram-no a Jerusalém para o apresentarem ao Senhor». (Lc 2, 22)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos os religiosos e religiosas.
5.º mistério
O Encontro do Menino Jesus no Templo.
«Jesus ficou em Jerusalém sem que os pais o soubessem. Pensando que estava
na caravana, fizeram um dia de viagem e começaram a procurá-lo entre parentes
e conhecidos». (Lc 2, 43-44)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos os adolescentes e seus pais.
Mistérios luminosos

1.º mistério
O Baptismo de Jesus no rio Jordão.
«Naquele tempo, Jesus veio da Galileia até ao rio Jordão. Aproximou-se de João
para ser por ele baptizado». (Mt 3, 13)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos os que renasceram pelo Baptismo.
2.º mistério
A Revelação de Jesus nas Bodas de Caná.
«Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galileia e estava lá a mãe

43
de Jesus. Ele foi convidado para a boda com os seus discípulos». (Jo 2, 1-2)
Rezemos a Maria Auxiliadora pelos noi-vos e pelos casais jovens.
3.º mistério
O anúncio do Reino de Deus.
A partir desse momento, Jesus começou a pregar a sua mensagem. Ele dizia:
«Convertei-vos, porque o Reino de Deus está próximo!» (Mt 4, 17)
Rezemos a Maria Auxiliadora pelos anunciadores da Boa Nova.
4.º mistério
A Transfiguração de Jesus no Monte Tabor.
«Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e subiu a um monte para rezar.
Enquanto rezava, o seu rosto mudou de aspecto e as suas vestes tornaram-se de
uma brancura fulgurante». (Lc 9, 28-29)
Rezemos a Maria Auxiliadora pelos que não rezam e pelos que não sabem rezar.
5.º mistério
A instituição da Eucaristia.
Jesus pegou no pão, fez uma oração de bênção, depois partiu-o, deu-o aos
discípulos e disse: «Tomai e comei: isto é o meu corpo». (Mt 26, 26)
Rezemos a Maria Auxiliadora pelos bis-pos e sacerdotes.
Mistérios dolorosos

44
1.º mistério
A Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras.
Jesus disse aos discípulos: «Ficai aqui enquanto Eu vou rezar». Tomando consigo
Pedro, Tiago e João, começou a sentir pavor e a angustiar-se». (Mc 14, 32-33)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos os que vivem angustiados.
2.º mistério
A Flagelação de Jesus.
Depois cuspiam-lhe no rosto e batiam-lhe. Outros esbofeteavam-no, dizendo:
«Profetiza, Messias, quem foi que te bateu?» (Mt 26, 67-68)
Rezemos a Maria Auxiliadora pelos cris-tãos perseguidos por causa da sua fé.
3.º mistério
A Coroação de espinhos de Jesus.
«Os soldados do governador, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na
cabeça, e uma cana na mão direita». (Mt 27, 29)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos os humilhados, desprezados e
abandonados.
4.º mistério
Jesus a caminho do Calvário.
«Para lhe levar a cruz, requisitaram um homem que passava por ali ao regressar
dos campos, um tal Simão de Cirene». (Mc 15, 21)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos os que aliviam o sofrimento dos outros.
5.º mistério
A Crucifixão e a Morte de Jesus.
Junto à cruz de Jesus estavam, de pé, sua mãe… Então Jesus, ao ver ali de pé a
sua mãe e o discípulo que Ele amava, disse à sua mãe: «Mulher, eis o teu filho».
E ao discípulo: «Eis a tua mãe!» (Jo 19, 25-27)
Rezemos a Maria Auxiliadora pelos moribundos, especialmente os que estão sós.
Mistérios gloriosos

45
1.º mistério
A Ressurreição de Jesus Cristo.
O anjo disse às mulheres: «Não tenhais medo! Buscais a Jesus de Nazaré, o
Crucificado? Ressuscitou, não está aqui!» (Mc 16, 6)
Rezemos a Maria Auxiliadora pelos anunciadores de Cristo e do seu Evangelho.
2.º mistério
A Ascensão de Jesus Cristo ao Céu.
«Depois, levou-os até junto de Betânia e, erguendo as mãos, abençoou-os.
Enquanto os abençoava, separou-se deles e elevava-se ao Céu». (Lc 24, 50-51)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos os que trabalham nos meios de
comunicação social.
3.º mistério
A Descida do Espírito Santo.
«E todos unidos pelo mesmo sentimento, os apóstolos entregavam-se
assiduamente à oração, com algumas mulheres, entre as quais Maria, mãe de
Jesus». (Act 1, 14)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos os que se preparam para o sacramento
da Confirmação.
4.º mistério
A Assunção de Nossa Senhora ao Céu.

46
«Tu és a glória de Jerusalém, tu és a alegria de Israel, tu és a honra do nosso
povo». (Jdt 15, 10)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos os membros da Família Salesiana.
5.º mistério
A Coroação de Nossa Senhora no Céu.
«Apareceu no céu um sinal grandioso: uma mulher vestida de Sol, com a Lua
debaixo dos pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas». (Ap 12, 1)
Rezemos a Maria Auxiliadora por todos nós, peregrinos da pátria celeste.

VI - Cânticos a Nossa Senhora

47
48
Auxiliadora
(V. Cimatti)
Auxiliadora, Virgem formosa,
Dos teus devotos, mãe carinhosa,
De mil tormentas entre o furor,
Teus filhos salva, astro de amor.
Bradamos todos numa só voz,
Auxiliadora, roga por nós.
És mãe da Igreja, povo de Deus
Que peregrina rumando aos céus.
Seguro amparo dos vacilantes,
A mão estende aos caminhantes.
Tu és a estrela, celeste guia,
Para os que anelam um novo dia.
Tu és a aurora da redenção
Que traz ao mundo paz e perdão.
Da juventude mãe providente,
Por ela nutres amor ardente.
Caminhos novos p’lo mundo fora,
Abre a teus filhos, Auxiliadora.
Maria e Mãe
José Alberto – António Ferreira
Tu és o sol num novo amanhecer,
Tu és farol da vida a renascer.
Maria, Maria, és poema de amor,
És minha mãe e mãe do meu Senhor.
Hoje quero acordar,
E ter-te junto a mim.
Quero hoje cantar
Poemas de amor sem fim.
Com a luz do teu olhar

49
Vou semear a esperança.
Pelo tempo vou voar
Sentir que sou criança.
Teu carinho e ternura
Abraçam todo o mundo.
Teu sorriso de candura
Certeza de amor profundo.
Ave Maria, Mãe da esperança
Liturgia – J. R. Monteiro
Ave, Maria,
Mãe da esperança!
Cheia de graça,
Ave, Maria!
Ditosa Virgem, sois Vós, Maria,
De cujo seio Cristo nasceu.
Sois nascente da eterna graça,
Sois a formosa estrela do Céu!
Eternamente por Deus pensada,
Sois maravilha do seu amor.
Em Vós, Senhora,
Deus se contempla.
Mãe gloriosa do Redentor.
Imaculada, cheia de graça.
Sois a alegria da Santa Igreja,
Todas as gentes
Hão-de aclamar-Vos,
Salve Rainha, bendita seja.
Sois a mais bela das criaturas
De Deus esposa, Mãe de Jesus.
Sois Mãe dos homens,
Por Vós gerados

50
Do mesmo sangue dado na Cruz.
Nossa Senhora do Sim
J. A. Traquina – M. Clemente
Nossa Senhora do Sim,
Maravilha: Virgem Mãe!
Cuida, Maria, de mim,
E que eu diga «sim» também.
Chamou o Anjo de Deus,
Maria, não tenhas medo,
Serás mãe do Filho eterno:
Eis revelado o segredo.
Ao Céu nada é vedado,
Para a salvação do mundo;
E onde a mente não vai,
Chega o coração profundo.
Maria era o povo eleito,
Cheio de uma antiga esperança.
Por isso, ao querer de Deus,
Respondeu na confiança.
Eis a serva do Senhor!
Foi a resposta que deu.
Cumpriu-se então a promessa
E o Evangelho nasceu.
Com ela a Igreja toda
Respondeu «sim» a Deus.
E com Maria proclama
Nova terra e novos céus.
Quero ser como tu
Quero ser como tu,
Como tu, Maria.
Como tu, um dia,

51
Como tu, Maria.
Quero dizer meu sim,
Como tu, Maria.
Como tu, um dia,
Como tu, Maria.
Quero levar Jesus,
Como tu, Maria.
Como tu, um dia,
Como tu, Maria.
Quero-me consagrar
Como tu, Maria.
Como tu, um dia,
Como tu, Maria.
Tu és a glória de Jerusalém
Manuel Luís
Tu és a glória de Jerusalém.
Ave Maria!
És a alegria do povo de Deus.
Ave Maria!
Tu és a honra da humanidade.
Tu és a ditosa por Deus escolhida.
Das tuas mãos nos vieram prodígios.
És o refúgio do povo de Deus.
O que fizeste agradou ao Senhor.
Bendito sejas por Deus poderoso.
Vem e caminha connosco
J. Espinosa
Vem e caminha connosco, vem.
Santa Maria, vem.
Nunca percorres sozinho
As sendas deste mundo.

52
Junto de ti vai Maria,
Tua bondosa mãe.
Mesmo que ouças dizer
Que nada pode mudar,
Luta por um mundo novo,
Luta pela verdade.
Senhora nossa, Senhora minha
Popular
Senhora nossa, Senhora minha,
Vida e esperança, clemência e luz.
Salve, Rainha, salve, Rainha.
Senhora minha, Mãe de Jesus.
Virgem das Dores, da Conceição,
Dos pecadores tem compaixão.
Bendizemos o teu nome
Popular
Bendizemos o teu nome,
Mãe do Céu, Virgem Maria,
Bendizemos à porfia
O teu filho Salvador.
Aqui vimos, Mãe querida,
Consagrar-te o nosso amor.

SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA AUXILIADORA -


Mogofores

53
54
O Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora, em Mogofores, foi inaugurado em 25
de Maio de 1963, ano em que se comemoravam as Bodas de Prata da fundação
do Instituto Salesiano de S. João Bosco.
Projecto do arquitecto João Antunes, a traça do edifício é de estilo neoclássico.
A frontaria principal do templo é dominada por uma estátua de Nossa Senhora
Auxiliadora, de quatro metros de altura, ladeada por dois anjos de dois metros,
de pedra. Quatro colunas monolíticas ladeiam a porta de entrada.
Dois painéis de mosaico artístico alusivos à vida de Dom Bosco ornamentam a
porta principal.
O edifício tem uma única nave. Nas paredes laterais destacam-se seis arcaduras,
algumas com altares dedicados a alguns santos salesianos.
As janelas têm vitrais com cenas da vida de Dom Bosco, o divulgador da
devoção a Maria Auxiliadora.
Este Santuário é meta de peregrinação para os membros da Família Salesiana e
de todo o povo cristão.

55
Dois mosaicos da fachada que representam
Dom Bosco e Nossa Senhora Auxiliadora

56
57
Fachada do Santuário de Mogofores

Estátuas da fachada do Santuário

58
Vitrais

59
60
Interior do Santuário

61
62
INTERNET
www.salesianos.pt/santuarioauxiliadora
www.salesianos.pt
www.salesianas.por.net
www.donbosco-torino.it
www.agencia.ecclesia.pt
www.liturgia.pt
www.lugarssagrado.com
www.passo-a-rezar.net
www.vatican.va
www.zenit.org
www.fatima.pt
www.lourdes-france.org
www.colledonbosco.it
www.maria-auxiliadora.org

63
64
65
Índice
Maria Auxiliadora 2
Apresentação 2
I - O título de Auxiliadora 2
II - A Virgem de Dom Bosco 5
III - Orações a Maria Auxiliadora 12
IV - Devoções à Auxiliadora 28
V - Objectos religiosos 34
VI - Cânticos a Nossa Senhora 47
SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA AUXILIADORA - Mogofores 53

66