Você está na página 1de 32

Caderno de exercícios resolvidos e comentados

O presente caderno tem como objetivo apresentar de maneira clara e


objetiva a resolução de diversos exercícios de Geometria Analítica. Esse caderno é
mais do que simplesmente um conjunto de exercícios resolvidos. A nossa proposta
é auxiliar o estudante na aquisição e, principalmente, na consolidação dos
conhecimentos relacionados aos principais conteúdos da Geometria Analítica. O
intuito desses exercícios é proporcionar ao estudante a fixação dos procedimentos
necessários para a resolução dos problemas propostos e a fixação de operações
relativas aos temas abordados. Antes de cada conjunto de exercícios,
apresentaremos uma breve visão sobre os conteúdos que serão necessários para a
resolução dos exercícios propostos. Desde já desejamos bons estudos!

1. Vetores

1.1 Vetores

Vetor: um vetor é um segmento de reta que possui módulo, direção e sentido.

Módulo: o módulo é o comprimento do vetor e pode ser calculado pela fórmula


| v | a 2  b 2 .

1.2 Casos particulares de vetores

Vetores paralelos: possuem a mesma direção.


Vetores iguais: possuem mesmo módulo, direção e sentido.

Vetor nulo: vetor de módulo igual a 0; qualquer ponto do espaço.


Vetores opostos: vetores de mesmo módulo e direção, mas de sentidos contrários.

Vetor unitário: vetor de módulo igual a 1.


Vetores ortogonais: vetores que formam um ângulo reto.

Vetores coplanares: vetores que estão no mesmo plano.

1.3 Inclinação de um vetor

A inclinação de um vetor é a medida  em relação à horizontal, no sentido anti-


horário.
b
sen ( )  
|v |
a
cos ( )  
|v |
b
tg( ) 
a

A tabela a seguir apresenta os valores do seno, cosseno e tangente para os arcos


notáveis correspondentes a 30°, 45° e 60° e será útil em muitos casos.

30° 45° 60°

1 2 3
sen
2 2 2
3 2 1
cos
2 2 2
3
tg 1 3
3

2. Operações envolvendo vetores

2.1 Produto de um vetor por um escalar


   
O produto de  por v é o vetor v , onde v  0 ,   0 ,   R .

2.2 Adição de vetores

 
u  v  AC ou AB  BC  AC
ou

 
u  v  AC ou AB  AD  AC

2.3 Subtração de vetores


   
u  (v )  u  v
 
u  v  DB ou DC  CB  DB

 
Observação: As diagonais de um paralelogramo de lados iguais a u e v
   
correspondem a u  v e u  v .
2.4 Combinação linear de vetores
    
Um vetor v é uma combinação linear dos vetores v1, v2 ,..., vn quando v é a soma
  
dos múltiplos dos vetores v1, v2 ,..., vn :

   
v  1v1   2 v2       n vn , onde 1,  2 ,...,  n  R

Exercícios

1. Considere os pontos A, B, C e D localizados nos vértices do quadrado abaixo.

Dentre as afirmativas a seguir, determine quais são verdadeiras e quais são falsas.
a) AB // CD
b) AB // AC
c) AC // BD
d) AC  CD
e) AC  BD
f) CD  BD

Resolução:
a) Como AB e CD estão sobre os lados opostos do quadrado ABCD, AB e CD
são paralelos. Portanto a afirmação AB // CD é VERDADEIRA.
b) Os vetoresAB e AC estão sobre dois lados adjacentes do quadrado ABCD.
Logo, AB e AC não são paralelos. Portanto a afirmação AB // AC é FALSA.

c) Os vetoresAC e BD estão sobre dois lados paralelos do quadrado ABCD.


Logo, AC e BD são paralelos. Portanto a afirmação AC // BD é VERDADEIRA.
d) Observe que os vetores
AC e CD estão sobre lados adjacentes do quadrado
ABCD. Logo AC e CD são ortogonais. Portanto, a afirmação AC  CD é
VERDADEIRA.

e) Como vimos no item (c), os vetores AC e BD estão sobre dois lados paralelos
do quadrado ABCD. Logo, AC e BD não são ortogonais. Portanto a afirmação
AC  BD é FALSA.

f) Os vetores
CD e BD estão sobre lados adjacentes do quadrado ABCD. Logo
CD e BD são ortogonais. Portanto, a afirmação CD  BD é VERDADEIRA.
2. Determine o módulo do vetor indicado na figura abaixo.

Resolução:
 
Sabemos que o módulo | v | consiste no comprimento do vetor v . Para calcularmos

esse comprimento, podemos utilizar a fórmula | v | a  b .
2 2

Como a=4 e b=3, vamos substituir esses valores na expressão



| v | a 2  b 2 .
Fazendo essa substituição, temos

| v | 4 2  32
O próximo passo é elevarmos 4 ao quadrado e também 3 ao quadrado que
resultam, respectivamente, em 16 e 9.

| v | 16  9

Somando 16 e 9, temos 16+9=25



| v | 25

Para, finalmente, encontrarmos o valor do módulo do vetor v , precisamos calcular
a raiz quadrada de 25, o que é igual a 5

| v | 5
 
Portanto, o módulo de v , representado por | v | , é igual a 5.

3. Determine a inclinação do vetor v .

Resolução:

Para determinarmos a inclinação do vetor v , podemos utilizar a relação
b
tg( ) 
a
pois temos, nesse exercício, os valores de a e b. Sabemos que b é o cateto oposto
ao ângulo  e que a é o cateto adjacente a esse ângulo. Logo, b=3 e a=4.
Substituindo esses valores na fórmula
b
tg( ) 
a
temos
3
tg( ) 
4
Dividindo 3 por 4, o resultado é 0,75, ou seja,
tg( )  0,75
Precisamos agora determinar qual é o ângulo cuja tangente é igual a 0,75. Para
1
isso, vamos utilizar a função inversa tg , também conhecida como arco tangente e
representada por arc tg . O cálculo do arco tangente é feito facilmente com o uso de
uma calculadora científica. Para isso, o valor de  é dado por
  arc tg0,75
Nesse caso, o valor de  é 36,87°. Portanto
  36,87
Obs.: O valor de  , com mais casas decimais, é 36,8698976...

Vamos usar a calculadora:

Para calcularmos o arco tangente, podemos utilizar uma calculadora científica.


Nesse caso, utilizaremos as teclas e .

Dependendo do modelo da calculadora, primeiro iremos fazer a divisão de b por a.


Depois deveremos pressionar a tecla [SHIFT] e em seguida a tecla [tan-1]. Em
outros modelos, primeiro pressionamos a tecla [SHIFT], em seguida a tecla [tan-1]
e depois digitamos, entre parênteses, a divisão de b por a.

Veja como é simples:

1° Caso: [3] [  ] [4] [=] [SHIFT] [tan-1]

2° Caso: [SHIFT] [tan-1] [(] [3] [  ] [4] [)] [=]

Obs.: Dependendo do modelo da calculadora, vamos encontrar a tecla [2ndf] no


lugar da tecla [SHIFT].

4. Determine o módulo e a inclinação do vetor v .

Resolução:
Nesse exercício temos dois itens a serem calculados: o módulo e a inclinação do
 
vetor. Para calcularmos o módulo de v , vamos utilizar a fórmula | v | a 2  b 2 .
É importante ressaltar que a=9 e b=5. Vamos agora substituir esses valores na
fórmula

| v | a 2  b 2 .
Substituindo a por 9 e b por 5, temos

| v | 9 2  5 2
Ao elevarmos 9 e 5 ao quadrado, temos, respectivamente, em 81 e 25. Logo

| v | 81  25
Efetuando a soma, temos 81+25 que é igual a 106

| v | 106
O próximo passo é calcularmos a raiz quadrada de 106. Com o auxílio de uma
calculadora, o resultado é 10,3.

| v | 10,3

Sendo assim, o módulo de v é igual a 10,3. Note que temos as componentes do
 
vetor v e também o módulo de v . Por isso, para calcularmos a inclinação do vetor

v , podemos usar uma das seguintes relações

b
sen ( )  
|v |
a
cos ( )  
|v |
b
tg( ) 
a

Vamos utilizar a relação


b
tg( )  .
a
Inicialmente vamos considerar o ângulo  indicado na figura a seguir

Para que possamos calcular o valor de  , precisaremos calcular o valor de  .


Como     180 , temos que  180   . Para calcularmos  , basta utilizarmos
a relação
b
tg( ) 
a
Substituindoa por 9 e b por 5 na fórmula, temos
5
tg( ) 
9
Efetuando a divisão de 5 por 9, temos 0,56. Portanto
tg( )  0,56
Vamos determinar qual é o ângulo  cuja tangente é igual a 0,56. Para isso, basta
calcularmos o arco tangente de 0,56
  arc tg0,56
Com o uso de uma calculadora científica, chegamos à conclusão que  é igual a
29,25°. Portanto
  29,25
Vamos determinar agora o valor de  . Como  180   , e   29,25 , temos

  180  29,25
Logo
  150,75

ou seja, a inclinação do vetor v é igual a 150,75°.


5. Determine a inclinação do vetor u.

Resolução:

Como o vetor u está sobre uma reta horizontal e seu sentido é da esquerda para a
direita, a sua inclinação é igual a zero. Para comprovarmos isso, vamos fazer os
cálculos necessários. Sabemos que
b
tg( ) 
a
e que, nessa situação, a=7 e que b=0.
Substituindo a e b por 7 e 0, respectivamente, temos
0
tg( ) 
7
Dividindo 0 por 7, o resultado é igual a 0
tg( )  0
Para encontrarmos o valor de  , vamos calcular o arco tangente de 0
  arc tg0
Finalmente, o arco tangente de 0 é igual a 0. Logo,   0 . Portanto, a inclinação do

vetor u é igual a 0.


6. Qual é a inclinação do vetor v ?

Resolução:

A inclinação do vetor é igual a 180°. Observe que v está sobre uma reta horizontal

e o sentido de v é da direita para a esquerda.

7. O que é um vetor nulo?


Resolução:
 
Um vetor v é dito nulo quando | v | 0 . Podemos representar um vetor nulo por um
único ponto.

8. Determine o módulo de um vetor v cuja origem está no ponto (2, 3) e cuja
extremidade está no ponto (-1, 1).
Resolução:
Inicialmente iremos representar os pontos (2, 3) e (-1, 1) em um sistema de eixos
coordenados, também conhecido como plano cartesiano.
Para representarmos o ponto (2, 3), vamos considerar, a partir da origem do plano
cartesiano, duas unidades sobre o eixo-x, da esquerda para a direita e, a partir
desse ponto, três unidades na direção do eixo-y, de baixo para cima. Em relação ao
ponto (-1, 1), vamos considerar, a partir da origem, uma unidade da direita para a
esquerda, pois a componente em relação a x é negativa e, a partir desse ponto,
uma unidade para cima, na direção do eixo-y. Agora é só representar o vetor com
origem em (2, 3) e extremidade em (-1, 1).

O próximo passo é determinarmos as componentes a e b do vetor. Como a origem



de v está no ponto (2, 3) e a extremidade no ponto (-1, 1), basta calcularmos (-1,
1) - (2, 3)
(-1, 1) - (2, 3)
Vamos subtrair as respectivas componentes de cada ponto, ou seja, -1-2 e 1-3
(-1-2, 1-3)
o que resulta em
(-3, -2)
 
Logo, as componentes do vetor v são -3 e -2. Para calcularmos o módulo de v ,
vamos utilizar a fórmula

| v | a 2  b 2
Substituindo a e b por -3 e -2, temos

| v | (3) 2  (2) 2
Elevando -3 e -2 ao quadrado

| v | 9  4
Somando 9 e 4

| v | 13
Calculando a raiz quadrada de 13

| v | 3,61

Portanto, o módulo de v é igual a 3,61.

9. O quadrado abaixo apresenta a posição dos pontos A a P.

Determine o vetor associado a cada uma das seguintes operações.


a) AB  AE
b) EG  FJ
c) NP  NF
d) IL  DH
e) MN  ME
f) AC  CD
d) IJ  KL
h) IK  GC
i) 3MN
j)  2GH

Resolução:
a) Na figura abaixo temos a representação dos vetores AB e AE . Como ambos
têm a mesma origem, podemos utilizar a regra do paralelogramo para
encontrarmos a soma. Logo, AB  AE  AF .
b) Os vetores EG e FJ estão representados na figura abaixo.

Para podermos encontrar a soma desses vetores, vamos coincidir a origem do vetor
FJ com a extremidade do vetor EG .
A soma EG  FJ consiste no vetor EK .
Uma outra alternativa é fazermos a origem do vetor EG coincidir com a
extremidade do vetor FJ .

Nesse caso a soma EG  FJ é representada pelo vetor FL .

c) A soma NP  NF pode ser obtida pela regra do paralelogramo, pois NP e NF


têm a mesma origem.
Nesse caso, o resultado da soma é o vetor NH .

d) A figura abaixo ilustra os vetores IL e DH .

Vamos representar o vetor DH de modo que a sua origem coincida com a


extremidade do vetor IL .
Fazendo isso, temos que a soma IL  DH é igual a IP .

e) Utilizando a regra do paralelogramo, o resultado de MN  ME é o vetor MF .

f) A figura a seguir apresenta os vetores AC e CD .


Para calcularmos AC  CD vamos determinar o oposto do vetor CD , o que
corresponde ao vetor  CD , representado na figura abaixo.

A subtração  
AC  CD corresponde à soma AC   CD , o que resulta no vetor
AB . Observe que a origem do vetor  CD coincide com a extremidade do vetor
AC .

g) Inicialmente, vamos representar os vetores IJ e KL .


Como  
IJ  KL corresponde a IJ   KL , basta representarmos a origem do vetor
 KL coincidindo com a extremidade do vetor IJ .

Os dois vetores têm mesma direção e módulo, mas sentidos opostos. Logo,

IJ  KL  0 .

h) A representação dos vetores IK e GC está na figura a seguir.


Fazendo  
IK  GC  IK   GC , e representando o vetor  GC de modo que sua
origem coincida com a extremidade de IK , temos que IK  GC  IO .

i) O vetor MN está representado na figura a seguir.


A multiplicação do vetorMN pelo escalar 3 resulta em um vetor de mesma direção
e sentido do que MN , as com módulo 3 vezes maior do que o módulo de MN .

Portanto, 3MN  MP .

j) A representação do vetor GH pode ser vista na figura a seguir.


O vetor  2GH tem direção igual à do vetor GH , mas com sentido oposto e
módulo igual ao dobro do módulo de GH .

Logo,  2GH  GE .

 
10. Considere os vetores u e v representados a seguir.

e
 
Determine a soma u  v .

Resolução:
   
A soma u  v é obtida a partir das somas das componentes dos vetores u e v , ou
seja, precisamos calcular 4+6 e 5+3, o que resulta em 10 e 8, respectivamente. A
   
figura abaixo ilustra os vetores u e v e a soma u  v .

   
11. Calcule a diferença u  v onde u e v são dados a seguir.

Resolução:
     
O cálculo de u  v é dado pela soma de u e  v , ou seja, u   v  . Vamos calcular
(4, 5) – (6, 3) que é igual a (4-6, 5-3), o que resulta em (-2, 2).
  
12. Determine o vetor r como combinação linear dos vetores u e v onde
    
r  2u  3v e u e v são os vetores dados a seguir.

Resolução:
 
Vamos considerar os vetores 2u e 3v

e
 
Somando os vetores 2u e 3v , temos

Logo, o vetor r é dado a seguir.

 
13. Considere os vetores u  (2, 3) e v  (5, 7) . Determine
 
a) u  v
 
b) 5u  2v
 
c)  u  v
 
d) u  v
 
e)  2u  3v

Resolução:
 
a) Para calcularmos o valor de u  v , vamos somar as respectivas componentes de
(2, 3) e (-5, 7), ou seja, vamos somar 2+(-5) e 3+7
(2, 3) + (-5, 7) =
(2+(-5), 3+7) =
(2-5, 3+7) =
(-3, 10)
 
Portanto, u  v  (3, 10) .
 
b) Inicialmente, precisamos obter os valores de 5u e de 2v

5u  5.(2, 3)

5u  (10, 15)
e

2v  2.(5, 7)

2v  (10, 14)
 
A soma 5u  2v corresponde à soma de (10, 15) e (-10, 14)
(10, 15) + (-10, 14) =
(10+(-10), 15+14) =
(10-10, 15+14) =
(0, 29)
 
Logo, 5u  2v  (0, 29) .

 
c) A soma  u  v é dada por
-(2, 3) + (-5, 7) =
(-2, -3) + (-5, 7) =
(-2+(-5), -3+7) =
(-2-5, -3+7) =
(-7, 4)
 
Podemos concluir que  u  v  (7, 4) .

   
d) Vamos agora calcular a diferença entre u e v , representada por u  v .
 
Podemos fazer u  (v )
(2, 3) + (-(-5, 7)) =
(2, 3) + (-(-5), -7) =
(2, 3) + (5, -7) =
(2+5, 3+(-7)) =
(2+5, 3-7) =
(7, -4)
 
Logo, u  v  (7, - 4) .
   
e) Para calcularmos o valor de  2u  3v , vamos calcular  2u e 3v e, em seguida,
somar as respectivas componentes
-2.(2, 3) + 3.(-5, 7) =
(-2.2, -2.3) + (3.(-5), 3.7) =
(-4, -6) + (-15, 21) =
(-4+(-15), -6+21) =
(-4-15, -6+21) =
(-19, 15)
 
Donde  2u  3v  (19, 15) .

14. Sabendo que o módulo do vetor w  (7,  ) é igual a 12,2066, determine o
valor de .
Resolução:

Sabemos que | w | a 2  b 2

Substituindo a por 7, b por  e | w | por 12,2066, temos

12,2066  7 2   2
Para obtermos o valor e  vamos, inicialmente, calcular o valor de 72
12,2066  49   2
O próximo passo é elevarmos os dois membros ao quadrado para que possamos
eliminar a raiz que está no segundo membro

12,20662   49   2 
2

Calculando 12,20662 e simplificando a raiz com a potência, temos


149,0011  49   2
Como 149,0011 é igual a 49+  2, podemos escrever, equivalentemente, que 49+  2
é igual a 149,0011
49   2  149,0011
Subtraindo 49 dos dois membros, temos
49  49   2  149,0011  49
que resulta em:
 2  100,0011
Vamos agora extrair a raiz quadrada dos dois membros
 2  100,0011
Isso nos leva a
  10,000055

Logo,  = 10. Graficamente, o vetor w é representado como segue


15. Determine as componentes do vetor v sabendo que seu módulo é igual a 17 e
sua inclinação é igual a 60°.

Resolução:
Se conhecemos o módulo do vetor e a sua inclinação, podemos utilizar as relações

a seguir para encontrarmos as componentes a e b do vetor v .
b
sen ( )  
|v |
a
cos ( )  
|v |

Sabemos que   60 | v | 17 . Inicialmente, vamos calcular o valor de b
e que
b
sen ( )  
|v |

O primeiro passo é substituirmos os valores de  e de | v | por 60° e 17,
respectivamente
b
sen (60) 
17
3
Como sen (60)  , podemos escrever
2
3 b

2 17
Multiplicando b por 2 e 3 por 17, temos
2b  17 3
Dividindo ambos os membros por 2, temos
17 3
b
2
Para obtermos o valor de b na forma decimal, basta calcularmos o valor da raiz
quadrada de 3, multiplicarmos esse resultado por 17 e, depois, dividirmos esse
valor por 2:
b  14,72

O cálculo de a pode ser feito de forma análoga ao cálculo de b. Para isso, vamos
utilizar a relação
a
cos ( )  
|v |

Substituindo  por 60° e | v | por 17 temos
a
cos (60) 
17
1
Vamos agora substituir cos (60) por
2
1 a

2 17
Multiplicaremos a por 2 e 17 por 1
2a  17x1
Donde
2a  17
Dividindo ambos os membro por 2, temos
17
a
2
Finalmente, dividindo
17 por 2, temos o valor de a
a  8,5

Sendo assim, as componentes do vetor v são a  8,5 e b  14,72 . A representação

de v é dada por
   
16. Sejam u  (1, 1) e v  (3, 2) . Calcule o módulo de 5u  4v .

Resolução:
 
Para calcularmos o módulo de 5u  4v , primeiro precisamos obter as componentes
 
do vetor 5u  4v .
 
5u  4v  5(1, 1)  4(3, 2)
Vamos agora multiplicar cada componente do vetor (1, 1) por 5 e cada componente
do vetor (3, 2) por 4
 
5u  4v  (5, 5)  (12, 8)
O próximo passo é somarmos as respectivas componentes, ou seja, 5+12 e 5+8
 
5u  4v  (17, 13)
 
Agora que já sabemos quais são as componentes de 5u  4v , vamos calcular o seu
módulo
 
| 5u  4v | 17 2  132
Elevando 17 e 13 ao quadrado, temos
 
| 5u  4v | 289  169
Vamos agora somar 289 com 169
 
| 5u  4v | 458
 
Para obtermos o valor de | 5u  4v | , vamos calcular a raiz quadrada de 458
 
| 5u  4v | 21,4
 
Portanto, o módulo de | 5u  4v | é igual a 21,4.