Você está na página 1de 8

DIREITO INTERNACIONAL

Avaliando Aprend.: CCJ0056_SM_201301185035 V.1

Aluno(a): MIRILENA NOGUEIRA DALTRO Matrícula: 201301185035

Desemp.: 0,5 de 0,5 03/05/2018 23:04:15 (Finalizada)

1a Questão (Ref.:201301398071) Pontos: 0,1 / 0,1

(CESPE/ AGU/ ADVOGADO/ 2006) O direito internacional público, até pouco mais de cem anos
atrás, foi essencialmente um direito costumeiro. Regras de alcance geral norteando a então
restrita comunidade das nações, havia-as, e supostamente numerosas, mas quase nunca
expressas em textos convencionais. Na doutrina, e nas manifestações intermitentes do direito
arbitral, essas regras se viam reconhecer com maior explicitude. Eram elas apontadas como
obrigatórias, já que resultantes de uma prática a que os Estados se entregavam não por acaso,
mas porque convencidos de sua justiça e necessidade. José Francisco Rezek. Manual de direito
internacional público. São Paulo: Saraiva, 2000, p. 120 (com adaptações). A partir do tema do
texto acima, julgue os seguintes itens, relativos ao costume internacional.

___ Embora possua relevantes qualidades de flexibilidade e uma grande proximidade


com os fenômenos e fatos que regula, o costume internacional apresenta grandes
dificuldades quanto à sua prova, o que lhe diminui o valor na hierarquia das fontes do
direito internacional, mantendo, com isso, a supremacia dos tratados e convenções.
__ Para que um comportamento comissivo ou omissivo seja considerado como um
costume internacional, é necessária a presença de um elemento material, qual seja:
uma prática reiterada de comportamentos que, de início, pode ser um simples uso.
___ Para se constatar a existência de um costume, é necessário verificar a presença de
um elemento subjetivo, qual seja: a certeza de que tais comportamentos são
obrigatórios por expressarem valores exigíveis e essenciais.

2a Questão (Ref.:201301398156) Pontos: 0,1 / 0,1

(34º Exame de Ordem) Em razão de sua natureza descentralizada, o direito internacional


público desenvolveu-se no sentido de admitir fontes de direito diferentes daquelas admitidas no
direito interno. Que fonte, entre as listadas a seguir, não pode ser considerada fonte de direito
internacional?

D) Princípios gerais de direito.


C) Costume
B) Decisões de tribunais constitucionais dos estados
A) Tratado.

3a Questão (Ref.:201301931193) Pontos: 0,1 / 0,1

São Fontes do Direito Internacional Público aquelas estabelecidas a fim de produzir as normas
que ordenarão o cenário jurídico internacional. Em outras palavras, é a fonte que faz nascer a
norma. O Direito Internacional Público tem suas fontes sistematizadas no artigo 38 do Estatuto
da Corte Internacional de Justiça, o principal órgão judiciário da ONU, sediado em Haia, nos
Países Baixos. Recentemente, alguns especialistas entendem que outras figuras têm servido
como fonte de direito internacional, como por exemplo os atos unilaterais dos estados, mas
prevalece o entendimento de que os dispositivos contidos no artigo citado acima ainda são
predominantes e suficientes na criação do direito no plano internacional. Importante frisar que
não existe hierarquia entre as fontes. O fato de uma ser mais utilizada que a outra em
determinada época depende do momento e das preferências entre estados e organizações
internacionais. De acordo com o art. 38 do Estatuto da Corte Internacional de Justiça, são
fontes do Direito Internacional as convenções internacionais,

o costume, os atos unilaterais e a doutrina e a jurisprudência, de forma auxiliar.


Todas as afirmativas estão incompletas.
o costume internacional, os princípios gerais do direito, os atos unilaterais e as
resoluções das organizações internacionais.
o costume, princípios gerais do direito, atos unilaterais, resoluções das organizações
internacionais, decisões judiciais e a doutrina.
o costume internacional, os princípios gerais do direito, as decisões judiciais e a
doutrina, de forma auxiliar, admitindo, ainda, a possibilidade de a Corte decidir ex
aequo et bono, se as partes concordarem.

4a Questão (Ref.:201301395663) Pontos: 0,1 / 0,1

Os insurgentes, como movimento armado de uma população, mesmo exercendo poderes


similares ao do Estado, não pode ser reconhecido como tal para fins de direito LOGO os
insurgentes não são jamais considerados pessoa de direito internaciional.

Apenas a primeira alternativa está correta.


A segunda alternativa está correta.
Ambas as alternativas são falsas.
A primeira alternativa está correta.
Ambas as alternativas são verdadeiras.

5a Questão (Ref.:201301841082) Pontos: 0,1 / 0,1

Comparando-se as instituições do direito internacional público com as típicas do direito interno


de determinado país, percebe-se que no direito internacional

há cortes judiciais com jurisdição transnacional;


há um governo central, que possui soberania sobre todas as nações,
há órgão central legislativo para todo o planeta;
submete-se às regras da ONU de forma compulsória.
há uma norma suprema como o direito interno,

DIREITO INTERNACIONAL

Avaliando Aprend.: CCJ0056_SM_201301185035 V.1

Aluno(a): MIRILENA NOGUEIRA DALTRO Matrícula: 201301185035

Desemp.: 0,5 de 0,5 03/05/2018 23:16:33 (Finalizada)


1a Questão (Ref.:201301955706) Pontos: 0,1 / 0,1

(IX EXAME UNIFICADO OAB) Após ter entrado irregularmente em território nacional, um
estrangeiro tem a sua deportação promovida, por não se retirar voluntariamente. Assinale a
afirmativa que indica o procedimento a ser adotado por esse estrangeiro, caso pretenda
reingressar em território nacional.

O deportado só poderá reingressar no território nacional após o transcurso do lapso


prescricional quinquenal para a cobrança da quantia devida.
O estrangeiro deportado nunca mais poderá reingressar no território nacional.
O deportado poderá retornar se comprovadamente não tiver condições de arcar com o
pagamento da quantia devida, sem prejuízo de sua própria subsistência.
O deportado só poderá reingressar no território nacional se ressarcir o Tesouro
Nacional, com correção monetária, das despesas com a sua deportação e efetuar, se
for o caso, o pagamento da multa devida à época, também corrigida.

2a Questão (Ref.:201301287196) Pontos: 0,1 / 0,1

40º Exame da OAB No âmbito do direito internacional, a soberania, importante característica do


palco internacional, significa a possibilidade de:

ONU dominar a legislação dos Estados participantes.


Celebração de tratados sobre direitos humanos com o consentimento do Tribunal Penal
Permanente.
Um estado impor-se sobre o outro
Igualdade entre países, independentemente de sua dimensão ou importância econômica
mundial.

3a Questão (Ref.:201301892427) Pontos: 0,1 / 0,1

A CIDH, tendo como provocador o indivíduo, julga Estados acusados de violar direitos da
pessoa humana. O Tribunal Penal Penal Internacional julga indivíduos acusados de crimes
graves com repercussão internacional, na forma do seu Estatuto. Já a CIJ

Julga crimes envolvendo ditadores de países subdesenvolvidos envolvidos em crimes


de genocídio.
Julga litígios internacionais em que sejam partes Estados soberanos.
Não tem competência para julgar, apenas para orientar os Estados, devido à soberania
destes.
Julga litígios em que figurem como partes a pessoa humana e empresas multinacionais
que violem o Direito do Consumidor.
Julga litígios envolvendo multinacionais gigantes tais como empresas do ramo da
internet, a FIFA, entre outras.

4a Questão (Ref.:201301956232) Pontos: 0,1 / 0,1


O estrangeiro, nos termos do Estatuto do Estrangeiro (Lei Federal nº 6.815/80), que ingressar
de forma irregular no domínio territorial brasileiro e dele não se retirar voluntariamente no
prazo que lhe for concedido pelo Poder Executivo Federal (Ministério da Justiça- Departamento
de Polícia Federal) é passível de ser:

banido.
deportado.
extraditado.
expulso.

5a Questão (Ref.:201301955705) Pontos: 0,1 / 0,1

(IX EXAME UNIFICADO OAB) Após obter sentença favorável perante a Corte Interamericana de
Direitos Humanos, que condenou a República Federativa do Brasil ao pagamento de
determinada quantia em dinheiro, deverá o interessado, em caso de inércia da sucumbente em
adimplir o comando condenatório voluntariamente, adotar o seguinte procedimento:

Executar a sentença perante a Justiça Federal pelo processo interno vigente para a
execução de sentenças contra o Estado.
Aceitar que as sentenças proferidas pela Corte Interamericana de Direitos Humanos
são desprovidas de executoriedade.
Solicitar o encaminhamento dos autos do processo ao Conselho de Segurança da ONU
para a imposição de sanções internacionais.
Requerer perante a Corte a intimação da executada para efetuar o pagamento em
vinte e quatro horas ou nomear bens à penhora.

DIREITO INTERNACIONAL

Avaliando Aprend.: CCJ0056_SM_201301185035 V.1

Aluno(a): MIRILENA NOGUEIRA DALTRO Matrícula: 201301185035

Desemp.: 0,3 de 0,5 13/06/2018 14:41:33 (Finalizada)

1a Questão (Ref.:201301398154) Pontos: 0,0 / 0,1

(34º Exame de Ordem)- No que se refere aos direitos de nacionalidade previstos na


Constituição, julgue os seguintes itens marcando com V ou F:

III) É privativo de brasileiro nato o cargo de ministro da Justiça.


IV) A Constituição prevê que são brasileiros natos os nascidos no estrangeiro, de pai
brasileiro ou mãe brasileira, desde que venham a residir na República Federativa do
Brasil e optem, em qualquer tempo, pela nacionalidade brasileira.
II) É proibida a distinção entre brasileiros natos e naturalizados, salvo os casos previstos
na própria Constituição.
I) A Constituição admite a perda de nacionalidade do brasileiro nato.
2a Questão (Ref.:201301973721) Pontos: 0,1 / 0,1

A respeito do direito internacional do mar e sua recepção no direito brasileiro, assinale a opção
incorreta.

O mar territorial brasileiro compreende uma faixa de duzentas milhas marítimas de


largura, medidas a partir da linha de base.
É reconhecido aos navios de todas as nacionalidades o direito de passagem inocente no
mar territorial brasileiro.
Em sua zona econômica exclusiva, o Brasil tem o direito exclusivo de regular a
investigação científica marinha.
A zona contígua brasileira compreende uma faixa que se estende de 12 a 24 milhas
marítimas, contadas a partir das linhas de base que servem para medir a largura do mar
territorial.

3a Questão (Ref.:201301398175) Pontos: 0,1 / 0,1

O asilo diplomático é um instituto latino-americano de direito internacional e tem por objetivo a


proteção de pessoas perseguidas por motivos ou delitos políticos. São locais de asilo, segundo a
Convenção de Caracas, de 1954:

A) Legações, navios de guerra e acampamentos ou aeronaves militares.


C) Acampamentos militares, consulados e veículos de embaixadas.
B) Legações, consulados e sedes de organizações internacionais.
D) Navios e aeronaves militares e sedes de organizações internacionais.

4a Questão (Ref.:201301955711) Pontos: 0,1 / 0,1

(VIII EXAME UNIFICADO OAB) Jean Pierre, cidadão estrangeiro, foi preso em flagrante em
razão de suposta prática de crime de falsificação de passaporte com o objetivo de viabilizar sua
permanência no Brasil. Diante dessa situação hipotética, assinale a afirmativa correta.

A fraude para obter entrada e permanência no território brasileiro não é motivo para
fundamentar ato de expulsão de estrangeiro.
O mérito do ato de expulsão é analisado mediante juízo de conveniência e oportunidade
(discricionariedade), sendo descabido o ajuizamento de ação judicial para impugnar
suposta lesão ou ameaça de lesão a direito, devendo, nesse caso, o juiz rejeitar a
petição inicial por impossibilidade jurídica do pedido.
O ilícito deverá ser apurado no âmbito do Ministério da Relações Exteriores, tornando
desnecessária a instauração de processo administrativo ou inquérito para fins de
apuração dos fatos que ensejam a expulsão.
A fraude para obter a entrada e permanência no território brasileiro constitui motivo
suficiente para a expulsão do estrangeiro, cabendo, exclusivamente, ao Presidente da
República, de forma discricionária, resolver sobre a conveniência e oportunidade da sua
retirada compulsória do País.

5a Questão (Ref.:201301398062) Pontos: 0,0 / 0,1


(CESPE/ CÂMARA FEDERAL/ ÁREA 18/ 2002) Aécio participa da conferência Rio+10 na África do
Sul O presidente Aécio Neves viaja no final da próxima semana para a África do Sul onde
participará da Rio+10, a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e
Desenvolvimento, que começa na próxima segunda-feira e vai até 4 de setembro, em
Johanesburgo. Pelo menos sessenta chefes de Estado e quarenta mil representantes de governos
nacionais e de organizações não-governamentais devem participar da Cúpula de Johanesburgo,
que vai avaliar o que foi feito nos últimos dez anos para garantir o desenvolvimento sustentável
sem prejuízos ao ambiente global. Aécio Neves recebeu o apoio de ambientalistas para defender
a posição brasileira de promover o desenvolvimento sustentável e acredita que a assinatura do
Protocolo de Kyoto antecipou a participação do Brasil na Rio+10. Esse protocolo é um acordo
global sobre o meio ambiente para reduzir a emissão de gases poluentes ¿ principais
responsáveis pelo efeito estufa e o aquecimento global. O tratado estabelece a meta de reduzir
até 2012 as emissões de seis gases causadores do efeito estufa para 95% dos índices registrados
no ano de 1990, já tendo sido ratificado por 74 países. Jornal da Câmara, 23/8/2002 (com
adaptações). Considerando o texto acima, julgue os itens seguintes, à luz da ordem constitucional
vigente.

No sistema jurídico brasileiro, os tratados ou convenções internacionais estão


hierarquicamente subordinados à autoridade normativa da Constituição da República; em
conseqüência, os tratados internacionais que, incorporados ao sistema de direito positivo
interno, transgredirem, formal ou materialmente, o texto da Carta Política, devem ser
destituídos de valor jurídico.
No sistema jurídico brasileiro vigente, a eventual precedência dos tratados ou convenções
internacionais sobre as regras infraconstitucionais de direito interno somente se justifica
quando a situação de antinomia com o ordenamento doméstico impuser, para a solução do
conflito, a aplicação do critério cronológico ou, quando cabível, do critério da
especialidade.
Os tratados ou convenções internacionais, uma vez regularmente incorporados ao direito
interno, situam-se, no sistema jurídico brasileiro, nos mesmos planos de validade, de
eficácia e de autoridade em que se posicionam as leis ordinárias, não podendo, em
conseqüência, versar sobre matéria posta sob reserva constitucional de lei complementar.
O Poder Judiciário brasileiro ¿ fundado na supremacia da Constituição da República ¿
dispõe de competência para efetuar o exame de constitucionalidade dos tratados ou
convenções internacionais já incorporados ao sistema de direito positivo interno; todavia,
essa competência restringe-se ao âmbito do controle difuso, não sendo cabível em sede de
fiscalização abstrata de constitucionalidade.
O exame da vigente Constituição da República permite constatar que a execução dos
tratados internacionais e a sua incorporação à ordem jurídica interna decorrem, no sistema
adotado pelo Brasil, de um ato subjetivamente complexo, resultante da conjugação de
duas vontades homogêneas: a do Congresso Nacional, que resolve, definitivamente,
mediante resoluções aprovadas pelo Senado Federal e pela Câmara dos Deputados, sobre
tratados, acordos ou atos internacionais, e a do presidente da República, que, além de
poder celebrar esses atos de direito internacional, também dispõe de competência para
promulgá-los por meio de lei delegada ou medida provisória.

DIREITO INTERNACIONAL

Avaliando Aprend.: CCJ0056_SM_201301185035 V.1

Aluno(a): MIRILENA NOGUEIRA DALTRO Matrícula: 201301185035

Desemp.: 0,4 de 0,5 13/06/2018 15:09:03 (Finalizada)

1a Questão (Ref.:201301394263) Pontos: 0,1 / 0,1

VI Exame de Ordem Unificado

A respeito da Convenção sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a


Mulher, ratificada pelo Brasil, assinale a alternativa correta.
A Convenção permite que o Estado-parte adote, de forma definitiva, ações afirmativas
para garantir a igualdade entre gêneros.
A Convenção possui um protocolo facultativo, que permite a apresentação de denúncias
sobre violação dos direitos por ela consagrados.
Uma vez que a Convenção tem como objetivo proteger um grupo específico, não pode
ser considerada como um documento de proteção internacional dos direitos humanos.
A Convenção traz em seu texto um mecanismo de proteção dos direitos que consagra,
por meio de petições sobre violações, que podem ser protocoladas por qualquer Estado-
parte.

2a Questão (Ref.:201301944808) Pontos: 0,1 / 0,1

De acordo com a Constituição Federal, ocorrerá a perda da nacionalidade brasileira quando:

o brasileiro residente no exterior adquirir outra nacionalidade, por naturalização


voluntária.
a brasileira residente no exterior contrair matrimônio com estrangeiro.
o brasileiro tiver reconhecida outra nacionalidade originária por Estado estrangeiro que
adota o critério do jus sanguinis.
a brasileira naturalizada residente no Brasil divorciar-se do cônjuge brasileiro.

3a Questão (Ref.:201301955686) Pontos: 0,1 / 0,1

(IX EXAME UNIFICADO OAB) Sobre a execução da sentença proferida pela Corte Interamericana
de Direitos Humanos, assinale a afirmativa correta.

A Assembleia Geral da OEA, na hipótese de inexecução dos julgados, indicará, em


relatório anual, de maneira especial e com as recomendações pertinentes, os casos em
que um Estado não tenha dado cumprimento a suas sentenças.
A Corte, findo o processo, profere uma sentença fundamentada, passível de recurso de
revisão e de embargos de declaração. Somente após o trânsito em julgado da decisão o
Estado estará obrigado a cumprir a decisão da Corte.
O Estado condenado, em razão de situações internas como a ocorrência de catástrofes
ambientais, poderá requerer dilação do prazo para o cumprimento da sentença proferida
pela Corte em até um ano, contados a partir do término dos eventos.
O Estado signatário, em respeito ao princípio da soberania, não está obrigado a cumprir
as decisões da Corte em todo caso em que for parte, mas somente nos casos em que
houver solução amistosa sobre a denúncia.

4a Questão (Ref.:201301459952) Pontos: 0,1 / 0,1

Ricardo, brasileiro, pretende inventariar os bens deixados por de seu falecido pai, português
naturalizado brasileiro, sendo que todo o patrimônio encontra-se no Brasil. Além de Ricardo,
figuram como herdeiros Joana e João, ambos portugueses. Neste caso:

Somente será possível a aplicação da lei portuguesa.


Os herdeiros poderão convencionar qual será a lei aplicável.
Será a aplicável a lei brasileira, se esta for mais favorável a João.
Somente será possível a aplicação da lei brasileira.
Será a aplicável a lei brasileira ou portuguesa, se esta for mais favorável a Ricardo.

5a Questão (Ref.:201301395740) Pontos: 0,0 / 0,1

Sabe-se que a navegação da cabotagem detém importância basilar no comércio mundial,


tornando-se os canais e estreitos de importância impar. Partindo disso, o que diferencia um
"canal" de um "estreito".

O canal é um corredor natural ao passo que o estreito é um corredor resultante de


construção humana.
O estreito é um corredor natural ao passo que o canal é um corredor resultante de
construção humana.
O canal liga dois mares e o estreito liga seções do mesmo mar.
O estreito liga dois mares e o canal liga seções do mesmo mar.
Ambos apresentam o mesmo conceito.