Você está na página 1de 110

RETA DE CHEGADA

“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta


Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

TOP500
Administração vol.2
PETROBRAS-BR
Administração
Por Profa. Mônica Roberta, M.Sc.
Fevereiro de 2015

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 1


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

VOLUME 2: PETROBRAS-BR 2014 – ADMINISTRAÇÃO (1 A 516)


À Verônica Duarte (In memoriam)

Amados Alunos,

Sejam bem-vindos ao Curso Reta de Chegada. Em atenção ao edital da Petrobras


Distribuidora publicado em 15/12/2014 e face ao enorme sucesso do volume 1, preparamos
esta segunda bateria de exercícios para ser feita nesse período de preparação.

Combinamos as questões das últimas provas da Petrobras de 2014.1 e 2014.2 com o


nosso rico banco de dados, a fim de possibilitarmos uma ampla visão dos principais tópicos
descritos neste edital.

Apresentamos também as nossas orientações de estudo e o nosso desejo que vocês


consigam evoluir neste curto período de tempo.

No mais, desejamos a todos boa sorte e sucesso e lembrem-se: “não existe vitória sem
sacrifício e sem derrotas”.

Uma nota triste, fazemos uma homenagem especial à nossa aluna, Verônica Duarte,
que faleceu em dezembro/2014, aos 28 anos de idade, fato que nos deixa muito tristes, mas
esperançosos de que Deus, em Sua infinita, guarde-a na palma da Sua mão.

Fique em paz, Verônica e rumo à aprovação!!!!!

Profa. Mônica Roberta Silva, M.Sc.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 2


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

VOLUME 2: PETROBRAS-BR – ADMINISTRAÇÃO (1 A 516)


Fonte:
. Grupo Petrobras . Bancos de Questões Reta de Chegada

RETA DE CHEGADA NO GRUPO PETROBRAS


- Petrobras/2014.2: 5/6 primeiros lugares de engenharia de produção + vários aprovados.
- Petrobras/2014: o 1º, o 2o, o 4o e Cia. Alunos sala de aula: 7/24. Luiza: 1º lugar empatado com 46 pontos e 2º lugar
no desempate geral; Sancler: 1º lugar em Macaé PCD. Compradores do Kit Produção I e/ou II: 5/24. Cliente Reta:
- Liquigás 2013.1: 1º Lugar em Administração (Edgar B. Fagundes)
-Petrobras 2012.1: 5º lugar em Eng. Produção + 58/255, 8º lugar em Administração + 26/400 e 46º lugar em Colog
-BR-Distribuidora 2012: 1º lugar em Administração (Ernani), 3º Lugar em Eng. Prod. (Lívia) e 6ºlugar em Vendas
-Petrobras 2011.2: 2º lugar PCD em Eng. Produção (André Porcaro) + 4º lugar geral (Amaya) + 32/150
-Transpetro 2011: 1º lugar em Eng. Produção (Marcelo “Espeto”) + 2/10 e 2º lugar em Administração + 5/22
-Petrobras 2011.1: 1º lugar em Eng. Produção(Juliana Mol) + 14/50 e 9º lugar (Diego Chester) em Administração +
13/200. Obs.: Com depoimentos à Folha Dirigida no You Tube (http://www.youtube.com/user/retadechegada)
-BR-Distribuidora 2010: 1º lugar geral em Eng. Produção (Diogo Okida)
-Petrobras 2010.1: 3º lugar geral em Eng. Produção (Leonardo Cordeiro) + 25/200
-Termomacaé 2009: 1º lugar geral em Administração (Thiago Vale) + 2º (Rafael) e 6º lugares (Diana).

ORIENTAÇÃO DE ESTUDO:
1- Leia o material teórico completo da disciplina que vai estudar.
2- Assinale os principais tópicos, palavras-chave, ex.: kanban = sinalização.
3- Tente criar regras de mnemônica, ex: MP é CHATO, Recursos: Materiais, Patrimoniais, de Capital, Humanos e
Tecnológicos.
4- Faça uma questão por minuto, na média, isto é, 10 minutos para 10 questões.
5- Depois corrija questão por questão, item por item, procurando identificar o erro.
6- Faça os cálculos no papel, por favor, não use calculadora, não acesso internet.

- EMENTA:
$GRS: 3. Administração de Recursos Humanos: Estratégias de RH. Relações com empregados. Equipes e liderança.
Gerenciamento de desempenho. Recrutamento e Seleção. Remuneração e benefícios. Motivação. Desenvolvimento de
RH. Organizações de aprendizagem. Cultura Organizacional. – 63Q
$PEST: Ambiência Organizacional. 4. Administração mercadológica: Planejamento estratégico empresarial voltado para
o mercado. Pesquisa de mercado. Análise dos ambientes interno e externo. Segmentação de mercado. Estratégias de
Marketing. Marketing de Serviços. Gestão do Relacionamento com Cliente. Marketing Internacional. Sistemas de
Informação Gerencial. Administração de Vendas. Endomarketing. Estruturas Organizacionais. – 79Q
$MKT: Administração Mercadológica: Pesquisa de Mercado, Segmentação de Mercado, Estratégias de Marketing,
marketing de Serviços, Gestão do Relacionamento com Clientes, Marketing Internacional, Comércio Eletrônico,
Sistemas de Informação Gerencial, Administração de Vendas (B2). – 57Q
$RESA: Responsabilidade Socioambiental (B2). – 51Q
$APO: 5. Administração da Produção e Materiais: Planejamento e Controle da Produção. Higiene Industrial e
Segurança do Trabalho. Gestão da Qualidade. Gestão da Cadeia de Suprimentos (Supply Chain Management).
Gerenciamento de projetos. Administração de Material. Gestão de Estoques. – 266Q

- “LEITURA” DAS QUESTÕES:


. (BANCA/EMPRESA/ANO/CARGO/DISCIPLINA/SUB-ITEM) No GAB/No QUESTÃO PROVA OU BD RETA),

. Exemplo: (CESPE/BR/2002/ADM/APO/PCP) 01/34.1-

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 3


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

# ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS (GRS):

$GRS: 3. Administração de Recursos Humanos: Estratégias de RH. Relações com empregados. Equipes e liderança.
Gerenciamento de desempenho. Recrutamento e Seleção. Remuneração e benefícios. Motivação. Desenvolvimento de
RH. Organizações de aprendizagem. Cultura Organizacional.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/GPE) 01/21- Em termos históricos, a evolução dos conceitos de gestão de pessoas


é um reflexo das transformações social, política e econômica de nosso país ao longo do último século. A esse
respeito, pode-se afirmar que, em um determinado período, ocorreu a valorização das atividades de treinamento e
desenvolvimento, dos cargos, dos salários e dos benefícios, uma vez que a mão de obra qualificada se mostrou
escassa, em função do “milagre brasileiro” e do consequente avanço econômico e crescimento das organizações.
Essa afirmação descreve os conceitos de gestão de pessoas valorizados no período compreendido de
(A) 1890 a 1930 (B) 1930 a 1950 (C) 1950 a 1964 (D) 1964 a 1978 (E) 1980 a 1990

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/GPE) 02/21- As organizações, buscando maior competitividade,


compreenderam que os seus empregados, de maneira geral, são os elementos principais na conquista de novos
mercados, de novos clientes e na expansão do negócio quando são bem geridos. Assim, vários são os mecanismos
que as organizações passaram a utilizar com o objetivo de desenvolver seus empregados, adotando estratégias que
os tornem mais produtivos. O processo de elaboração das estratégias para os recursos humanos (RH) das empresas
exige que alguns requisitos básicos sejam atendidos. Fazem parte de tais requisitos que a(s)
(A) estratégia seja elaborada pela área de RH e que a implantação fique a cargo do nível operacional, aumentando,
assim, a produtividade.
(B) área de RH aja com a colaboração de todos os empregados, e que as estratégias de recursos humanos estejam
diretamente ligadas à estratégia corporativa.
(C) responsabilidade pela elaboração e implantação das estratégias seja dos empregados operacionais, porque o
objetivo é aumentar a sua capacitação.
(D) estratégias sejam focadas na produção, porque o nível tático da empresa é que atua diretamente na execução das
atividades.
(E) estratégias sejam individualizadas, tendo em vista que cada ser humano é único e não se pode dar a ele um
tratamento padronizado.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/GPE) 03/22- A valorização do conhecimento como forma de vantagem


competitiva das organizações fez com que o planejamento da gestão de pessoas modificasse seu foco das
estratégias de controle para as estratégias de comprometimento. Essa mudança se instaura do seguinte modo:
(A) a estrutura organizacional passou de totalmente hierarquizada e baseada na separação entre pensamento e ação
para estruturas mais achatadas que unem o fazer e o pensar, como forma de empowerment.
(B) a organização do trabalho mudou do trabalho enriquecido e desafiador para o trabalho especializado, monótono e
repetitivo.
(C) o sistema de controle mudou a ênfase de controle implícito da equipe para a ênfase nos controles explícitos do
trabalho.
(D) as carreiras que eram flexíveis e diferentes passaram a ser rígidas e especializadas.
(E) as relações com sindicatos passaram do diálogo e da busca de convergência de interesses para o confronto baseado
na divergência de interesses.

(CESG/CEFET/2014/ASSOC17/GRS/GPE) 04/37- O paradigma das relações interpessoais, que circunscreve o trabalho


do assistente social na situação-problema e no indivíduo, foi hegemônico no serviço social desde o seu surgimento
até a reconceituação. Esse paradigma foi confrontado no debate teórico-metodológico da profissão, em uma
perspectiva política, pelo paradigma da(o)
(A) correlação de forças (B) prática indiferenciada
(C) relação social (D) identidade alienada
(E) sincretismo profissional

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 4


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/CEFET/2014/BIBLIB19/GRS/GPE) 05/44- Saber ouvir, ter prazer em se comunicar, mostrar-se disponível,


apresentar curiosidade, criatividade, iniciativa, abertura de espírito, discrição e adaptabilidade são características
do profissional de referência relativas às
(A) habilidades técnicas (B) competências técnicas (C) competências teóricas
(D) atitudes e à personalidade (E) qualidades intelectuais e comportamentais

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/GPE) 06/32- Pode-se perguntar o quê, no trabalho, é fonte específica de


nocividade para a vida mental. A luta pela saúde do corpo conduzia à denúncia das condições de trabalho. Quanto
ao sofrimento mental, ele resulta da organização do trabalho. DEJOURS, Christophe. A loucura do trabalho. São
Paulo: Cortez, 2012. p. 25. O setor que mais cresce, atualmente, é o setor terciário, e, com isso, o modelo taylorista
perdeu relevância. Novas questões surgiram para aqueles que lidam com a relação entre saúde e trabalho. No
trecho citado, encontra-se uma importante distinção imposta por essas transformações do mundo do trabalho. De
acordo com a abordagem representada, um exemplo de problema relacionado à organização do trabalho seria a
(A) submissão a níveis elevados de ruído
(B) presença de vírus, fungos e bactérias no local de trabalho
(C) assunção da responsabilidade pela vida de outras pessoas
(D) exposição a situações de risco necessárias à execução da tarefa
(E) inadequação das características antropométricas do posto de trabalho

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/GPE) 07/33- Com a globalização e com as novas formas de contrato de trabalho,


a distinção da inclusão e da exclusão do mundo do trabalho vem sendo cada vez mais difícil de sustentar. No
contexto contemporâneo, mesmo um trabalhador com vínculo estável pode experimentar a precarização subjetiva
de seu trabalho quando
(A) o equipamento utilizado é inadequado às características do corpo humano.
(B) o exercício de sua função pode expô-lo a situações em que há risco de ele ser assaltado ou sequestrado.
(C) os recursos necessários para responder às exigências de seu trabalho não estão sendo garantidos.
(D) a possibilidade de crescimento e evolução na carreira e a adesão aos treinamentos oferecidos pela organização
estão vinculadas.
(E) as condições ambientais em que as tarefas vão ser realizadas estão aquém do limite da salubridade.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/GPE) 08/27- O mundo organizacional, apesar de utilizar vários recursos


materiais para a conquista de maior competitividade no mercado, depende, em grande parte, das pessoas, para
atingir suas metas e cumprir sua missão. Com essa constatação, as organizações passaram a se ocupar mais com o
desenvolvimento de seus empregados, buscando maior eficiência, produtividade e competitividade. A própria
nomenclatura acompanhou a mudança: com uma concepção fundamentada em uma visão mais complexa, passou-
se de recursos humanos para parceria. Na visão de parceria, os empregados de uma empresa passam a
(A) investir seu tempo, sua dedicação, sua responsabilidade e seu comprometimento, na organização, com expectativa
de retornos profissionais e pessoais.
(B) dedicar seu tempo às atividades da empresa, melhorando seu desempenho isoladamente, na expectativa de
recompensas monetárias.
(C) aumentar seu grau de especialização nas atividades que executam em seus cargos, com a expectativa de se
manterem na empresa.
(D) ter maior dependência da chefia direta, que é a responsável pela definição do seu desenvolvimento dentro da
organização.
(E) ter suas atividades determinadas por normas e regras que devem ser seguidas indiscriminadamente.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/PRV) 09/64- Depois de um programa de duas semanas, quando é


apresentado aos valores e à cultura da empresa por meio de uma série de atividades, um novo funcionário vê
confrontadas suas expectativas com relação ao trabalho, ao novo chefe, aos novos colegas e à organização de uma
maneira geral. Como suas expectativas e a realidade são, por vezes, conflitantes, é necessário substituir suas
impressões anteriores por um conjunto novo de premissas consideradas desejáveis pela organização. Essa etapa do
processo de socialização do funcionário é denominada

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 5


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) encontro (B) rotatividade (C) pré-chegada (D) metamorfose (E) comprometimento

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/GRS/PRV) 10/21- Para o adequado desenvolvimento das ações de


recrutamento e seleção, é fundamental a fase preliminar de identificação, seleção e manutenção das fontes de
recrutamento. O(s) benefício(s) para a organização alcançado(s) pelo desenvolvimento dessa etapa preliminar
é(são):
(A) Manter o tempo do processamento de recrutamento.
(B) Manter os custos operacionais de recrutamento por meio da aplicação de suas técnicas.
(C) Elevar o rendimento do processo de recrutamento e as seguintes proporções: candidatos/vaga e
candidatos/empregados admitidos.
(D) Reduzir os custos operacionais e elevar o tempo do processo de recrutamento.
(E) Reduzir o rendimento do processo de recrutamento e as seguintes proporções: vaga/candidatos e
eliminados/candidatos.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/GRS/PRV) 11/22- Um processo de decisão na seleção de pessoal envolve


diferentes comportamentos por parte do órgão encarregado dessa seleção, em função do número de candidatos e
das diferentes formas de tratamento ou resoluções. Em um processo seletivo que envolve somente um candidato e
somente uma vaga a ser preenchida, a decisão a ser adotada estará baseada no modelo
(A) institucional (B) de seleção (C) de colocação (D) de comparação (E) de classificação

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/GRS/APL) 12/26- Na gestão do desempenho, o desenvolvimento da avaliação


do desempenho apresenta objetivos fundamentais para o alcance do sucesso da organização. Entre os objetivos da
avaliação de desempenho NÃO se inclui o de
(A) fornecer oportunidade de crescimento e condições de efetiva participação a todos os membros da organização,
levando em consideração os objetivos organizacionais e individuais.
(B) garantir o reconhecimento e o tratamento dos recursos humanos como importante vantagem competitiva da
organização, cuja produtividade pode ser desenvolvida.
(C) permitir condições de medição do potencial humano, no sentido de determinar sua plena aplicação.
(D) propor providências no sentido de melhorar o padrão de desempenho de subordinados.
(E) viabilizar a avaliação de comportamento dos subordinados, contando com um sistema amplo de medição capaz de
levar em consideração as subjetividades individuais.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/APL) 13/28- No desenho de planos de cargos e salários, a correta definição de


alguns conceitos mostra-se fundamental para seu pleno desenvolvimento, de forma a evitar erros e inadequações.
Qual é a definição correta para o conceito de cargo?
(A) É a posição que um assume em relação aos demais na estrutura de cargos, em consequência da avaliação ou
classificação.
(B) É a sequência ou disposição hierárquica estabelecida.
(C) É o conjunto de atividades que cada indivíduo executa na organização, sendo singular, já que existe apenas um para
cada pessoa na empresa.
(D) É o conjunto de funções assemelhadas ou complementares, executadas por um ou mais indivíduos na organização,
sendo plural, pois pode haver uma ou mais pessoas que o ocupem na mesma empresa.
(E) Consiste nas exigências necessárias a que os indivíduos devem atender para o desempenho das atividades.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/APL) 14/26- O desenvolvimento do plano de carreira é fundamental na gestão de


pessoas, pois visa a possibilitar crescimento dentro da estrutura organizacional. Para garantir o desenvolvimento do
plano de carreira, é uma norma frequente entre algumas organizações
(A) manter plano anual de capacitação com, no mínimo, 40 horas, para todos os colaboradores.
(B) implementar ações de integração, como visitas técnicas, de novos colaboradores.
(C) realizar avaliação de desempenho, no final do ano, incluindo autoavaliação.
(D) admitir pessoas com escolaridade mínima de 2o grau.
(E) promover, anualmente, no mínimo, 10% do quadro funcional.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 6


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/APL) 15/26- Uma empresa do setor hospitalar está estruturando um


sistema de avaliação de desempenho para que possa estimular os empregados e providenciar as ações necessárias
de acordo com as evidências obtidas através da avaliação. Para que um sistema de avaliação de desempenho
contribua positivamente para a melhoria do desempenho organizacional, é necessário que

(A) a avaliação seja realizada pelo departamento de recursos humanos, que é o responsável pela admissão e demissão
dos empregados.
(B) o método utilizado seja o de autoavaliação, que possibilita a avaliação de 180º na organização.
(C) o formulário utilizado seja informatizado, para que possibilite a divulgação dos resultados na organização através
da intranet.
(D) os resultados da avaliação sejam utilizados para a demissão de empregados com desempenho abaixo do esperado.
(E) um trabalho de conscientização na organização seja realizado, pois a implantação desse processo requer técnica,
treinamento e preparação.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/APL) 16/30- A avaliação de desempenho é um processo dinâmico, cuja


implementação necessita de projeto detalhado em etapas sequenciais. A literatura indica algumas etapas visando à
implementação da avaliação de desempenho, dentre as quais se destacam as seguintes:
P – aplicação dos instrumentos e realização de entrevistas e reuniões;
Q – criação de programa de sensibilização, elaboração de cursos, manuais e instrumentos;
R – definição de objetivos e integração da gestão do desempenho no planejamento estratégico;
S – manutenção (anual, semestral) e acompanhamento dos resultados;
T – sensibilização e capacitação de avaliadores e avaliados (todo corpo funcional);
U – tratamento dos dados e preparação de relatórios sobre o desempenho organizacional.

A sequência apropriada de etapas, visando à adequada implementação da avaliação de desempenho, é:


(A) P, Q, R, S, T, U (B) Q, T, P, R, S, U (C) R, Q, T, P, U, S
(D) T, R, S, P, U, Q (E) U, P, R, S, Q, T

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/APL) 17/23- As empresas lidam diariamente com diversas pessoas:


empregados, clientes, fornecedores e diversos atores que, de alguma forma, mantêm contato com a empresa.
Alguns desses atores têm maior interação com a empresa, como é o caso dos empregados. Em algumas ocasiões
esse relacionamento passa por situações difíceis que interferem no desempenho do empregado, o que afeta também
o desempenho da organização. Quando algum dos empregados passa por situações que afetam seu desempenho, o
gestor deve
(A) agir com defensividade e resistência, porque problemas pessoais não podem afetar o desempenho profissional.
(B) procurar as razões pessoais dos problemas que estão interferindo no desempenho do empregado e atuar
diretamente para eliminá-los.
(C) ser tolerante com o empregado e tratá-lo de forma diferenciada, porque todos, em algum momento, também
passarão por problemas.
(D) fazer o empregado identificar o problema e, juntos, desenvolverem um plano de ação para corrigi-lo.
(E) permitir que o empregado solucione os problemas no tempo que achar adequado, sem pressioná-lo e sem
estabelecer prazo para isso

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/APL) 18/29- Uma avaliação de desempenho implica a construção de critérios que


podem ser qualificados como teóricos ou reais. Um critério real é exemplificado no caso em que um desempenho
avaliado como bom é o de um
(A) professor que ministra conhecimentos relevantes e claros aos seus alunos.
(B) vendedor que alcança a meta de vendas estabelecida pela gerência de sua loja.
(C) policial que contribui para garantir a ordem e a segurança da população.
(D) escritor que produz livros relevantes e interessantes para seu público.
(E) motorista que conduz veículos de maneira segura e eficaz.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 7


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/MAN) 19/49- Uma gerente do Departamento de Recursos Humanos da empresa X


S/A é concitada a convencer os empregados da empresa a realizar trabalhos aos sábados e aos domingos, bem
como a estabelecer o período entre essas duas jornadas. Nesse contexto, nos termos da Consolidação das Leis do
Trabalho, essa empresa deve respeitar a seguinte determinação:
(A) havendo necessidade especial, os empregados poderão trabalhar sem intervalo por período máximo de três dias.
(B) nos sábados, por determinação da Lei, a remuneração será arbitrada pelo empregador.
(C) entre duas jornadas de trabalho, haverá um período mínimo de onze horas consecutivas para descanso.
(D) será assegurado a todo empregado um descanso semanal de 24 (vinte e quatro) horas consecutivas, o qual será no
domingo.
(E) nos dias de feriados nacionais não haverá trabalho em qualquer área.

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/MAN) 20/38- Do ponto de vista específico da psicodinâmica do trabalho, a saúde


mental do trabalhador depende da
(A) relação de poder estabelecida entre trabalhadores e supervisores de uma organização de trabalho.
(B) percepção, no trabalho, da justiça distributiva e atributiva na forma como as tarefas e os trabalhadores são
alocados.
(C) adequação das condições ambientais em que o trabalho é realizado às preferências e peculiaridades do
trabalhador.
(D) inexistência, no ambiente de trabalho, de ameaças reais ou potenciais à segurança psicológica e física do
trabalhador.
(E) possibilidade de encontrar, no trabalho, vias convenientes de descarga da energia psíquica e psicomotora do
trabalhador.

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/MAN) 21/41- Um psicólogo foi contratado por uma escola para fazer uma
intervenção em uma turma onde é frequente a ocorrência de bullying. Depois de um primeiro momento com os
professores, o psicólogo percebeu que, em sua prática, os docentes da referida escola associam esses
comportamentos à indisciplina e às dificuldades de aprendizagem, embora pensem que a solução do problema seria
tarefa do Conselho Tutelar ou da Polícia Militar. A partir das ferramentas conceituais da análise institucional, uma
possibilidade de ação a ser proposta pelo psicólogo seria o(a)
(A) uso estratégico da solução pensada pelos professores como foco de reflexão sobre sua posição frente ao problema
do bullying.
(B) implementação de atividades com os professores para aumentar a confiança, a coesão e a abertura entre eles.
(C) investigação da dinâmica escolar com o intuito de melhorar o desempenho dos professores em relação ao
problema.
(D) investigação da dinâmica escolar com o intuito de melhorar o desempenho dos alunos em relação ao problema.
(E) criação de uma dinâmica entre os grupos de professores e de alunos com a ideia de mudar atitudes e estereótipos
desenvolvidos.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/MAN) 22/22- O ambiente empresarial, de maneira geral, está cada vez


mais competitivo, em função das constantes mudanças, sejam elas no ambiente macroeconômico, nas relações de
trabalho, nas relações sociais ou mesmo na complexidade do ser humano. As empresas compreenderam que
empregados pressionados, insatisfeitos ou desestimulados têm queda na sua produtividade, afetando
significativamente o seu desempenho. Nos últimos anos, visando a promover a motivação e a produtividade dos
empregados, as empresas têm implantado práticas que promovem a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT). Os
programas de QVT apresentam visões diferentes, de acordo com a cultura e objetivos das empresas. Uma das visões
a respeito de QVT existente no mundo organizacional é
(A) paternalista – cumpre as regras legais e outras que existem relativas às obrigações da empresa, com o objetivo de
que o empregado perceba o comprometimento da empresa.
(B) legalista – implementa práticas de trabalho com o objetivo de fazer com que o empregado se perceba como
indivíduo e se sinta prestigiado em seu ambiente laboral.
(C) estratégica – os programas implantados e as práticas institucionais são atrelados ao planejamento institucional e
aos resultados desejados pela organização.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 8


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(D) estrutural – as práticas implantadas têm o suporte das gerências existentes na empresa e são definidas pelas
diferentes áreas da organização, atendendo às particularidades da área.
(E) individualista – as práticas existentes na empresa são individualizadas e particularizadas de acordo com o perfil
interpessoal do empregado, possibilitando o seu reconhecimento como indivíduo.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/GRS/MAN/HST) 23/27- Um plano de higiene no trabalho é considerado


fundamental para o pleno desenvolvimento de relações de trabalho. Tal plano visa à proteção da integridade física e
mental dos trabalhadores. Em relação à prevenção de riscos, avalia-se o nível da exposição a ruídos, a temperaturas
extremas e a radiações. Essa situação envolve a avaliação de riscos do tipo
(A) ético (B) físico (C) químico (D) biológico (E) cooperativo

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/MAN/HST) 24/35- Um gerente precisa analisar uma situação inadequada de


relacionamento no ambiente de trabalho, de forma a lidar com uma doença desenvolvida por um dos funcionários,
em função de uma situação mal gerenciada. O relatório apresenta a seguinte descrição: um funcionário do setor de
vendas mostra-se com frequentes debilidades física e psicológica, implicando ausências frequentes e reações
desmesuradas a estímulos provocados em situações de maior pressão. Mostra-se menos capaz de suportar a
sobrecarga crescente, apesar de seus esforços, o que contribui para o agravamento do quadro de rompimento com o
equilíbrio biopsicossocial e de queda de produtividade. A descrição aponta para a doença conhecida como
(A) alcoolismo e drogadição (B) depressão (C) dort / LER
(D) estresse ou distress (E) síndrome de burnout

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/LID) 25/25- Um diretor de uma empresa que atua por projetos tem
encontrado algumas dificuldades no relacionamento com suas equipes. Para resolver o problema e conseguir que os
projetos sob sua responsabilidade fossem realizados dentro do tempo acordado e com a qualidade necessária, que é
um dos diferenciais de sua empresa, contratou um consultor. O diagnóstico do consultor é que lhe falta liderança,
fato identificado nas entrevistas realizadas com os seus funcionários. O diretor indagou, então, do consultor, quais
seriam os tipos de liderança e as principais características de cada um deles, para que ele pudesse adequar-se ao
estilo que considerasse mais apropriado ao seu perfil e ao seu trabalho. No estilo de liderança
(A) democrática, as diretrizes, as formas de execução e as tarefas de cada um são debatidas e decididas pelo grupo,
com o apoio e estímulo do líder.
(B) autocrática, as formas de execução e as tarefas de cada um são decididas exclusivamente pelo grupo, sem a
participação do líder.
(C) liberal, o líder fixa as diretrizes, as formas de execução das tarefas e as atribuições de cada um no grupo.
(D) participativa, o indivíduo está ligado ao líder como um meio de satisfazer suas necessidades ou de proteger seus
interesses.
(E) carismática, o líder informa sobre as decisões tomadas relativas às diretrizes estabelecidas e escuta atentamente as
opiniões do grupo.

(CESG/CEFET/2014/ADM13/GRS/LID) 26/50- Um executivo de empresa do setor automotivo foi encarregado de


liderar um projeto muito importante para a empresa, resultante de um contrato recentemente fechado. Caso seja
bem sucedido, o projeto influenciará muito o futuro da organização, uma vez que possibilitará que outros contratos
sejam conseguidos pela empresa. Para realizar o projeto, o executivo decidiu utilizar o estilo de liderança
autocrática, o qual lhe possibilitará, na condução de sua equipe,
(A) fixar as diretrizes, sem a participação do grupo, determinando as providências e as técnicas para a execução das
tarefas.
(B) debater com o grupo as diretrizes, estimulando e dando assistência aos seus membros, sempre que necessário.
(C) dividir o poder de decisão com o grupo, minimizando, assim, sua responsabilidade pelos resultados alcançados.
(D) delegar as decisões ao grupo, sem exercer qualquer tipo de controle, deixando o grupo à vontade para produzir.
(E) integrar suas atividades com as dos subordinados, passando a desenvolver comunicações espontâneas, francas e
cordiais.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 9


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/LID) 27/38- Maria é dona de um restaurante e procura adotar diferentes estilos


de liderança em função do nível de prontidão de seus funcionários. Recentemente, ela teve de dar orientações claras
e específicas para o funcionário do caixa, que, embora estivesse motivado, apresentava certa incapacidade para
realizar sua tarefa. Ao mesmo tempo, ela teve de ser apoiadora e participativa com dois garçons que sempre foram
bastante capazes, porém estavam desmotivados. Qual teoria explica a liderança de Maria?
(A) Teoria Comportamental (B) Modelo Contingencial de Fiedler
(C) Teoria da Liderança Situacional (D) Teoria do Caminho
(E) Teoria dos Traços

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/MOT) 28/31- Em paralelo às estratégias motivacionais utilizadas oficialmente, a


psicodinâmica do trabalho demonstrou que o zelo no trabalho e o comprometimento com a produtividade são
promovidos, largamente, pela manipulação de ameaças veladas e pela gestão do medo do trabalhador. O zelo no
trabalho, nesse contexto, é descrito como a
(A) submissão estrita e literal às instruções recebidas dos superiores para a execução das tarefas.
(B) ação transgressora e clandestina que subverte as regras prescritas para viabilizar o trabalho real.
(C) vigilância discreta e permanente que controla os colegas que executam funções análogas às do trabalhador.
(D) comunicação clara e frequente entre produção e supervisão que informa sobre possíveis melhorias dos
procedimentos.
(E) conformação ativa e intencional dos recursos físicos e psíquicos do trabalhador para superação das metas de
produção.

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/MOT) 29/26- Em uma organização de trabalho, cada vez que um colaborador


alcança as metas de desempenho mensais, propostas por sua gerência, ele tem a possibilidade de escolher um dia
da semana em que trabalhará apenas meio período, no mês seguinte, sem perda de remuneração. Essa redução da
carga horária vigora por um mês, até seu desempenho ser novamente avaliado, de tal modo que o seu meio período
de folga seja mantido ou modificado. De acordo com a teoria da aprendizagem, o comportamento no sentido de
cumprir as metas mensais de um funcionário, cuja carga horária foi reduzida, está sendo
(A) reforçado negativamente
(B) reforçado positivamente
(C) modelado vicariamente
(D) estimulado aversivamente
(E) apreendido cognitivamente

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/MOT) 30/29- Uma empresa do setor alimentício está elaborando um plano


para seus empregados com o objetivo de motivá-los. O plano será direcionado para o nível gerencial da empresa, e a
prática empresarial que poderá contribuir para a motivação dos empregados é
(A) estabelecer como parâmetro para os salários que serão pagos aos empregados a média de mercado no setor.
(B) delegar responsabilidades aos empregados, enfatizando, na gestão, a comunicação transparente.
(C) centralizar as decisões no nível estratégico, delegando ao nível gerencial a execução das atividades.
(D) incentivar a permanência dos empregados nos mesmos cargos ao longo do tempo, porque isso melhora o seu
desempenho.
(E) contratar pessoas de fora da organização para ocupar os cargos mais altos da hierarquia.

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/MOT) 31/27- Em uma organização de trabalho, os colaboradores de uma


determinada função recebem seu salário-base mensalmente, acrescido de um diferencial proporcional à sua
produtividade naquele mês. De acordo com a teoria da aprendizagem, o programa de reforçamento que está sendo
utilizado é o esquema de
(A) reforço contínuo
(B) intervalo e razão fixos
(C) intervalo fixo e razão variável
(D) intervalo e razão variáveis
(E) intervalo variável e razão fixa

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 10


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/MOT) 32/36- Os funcionários do setor de informática realizavam,


voluntariamente, cerca de 8 horas de treinamento em internet para pessoas idosas da comunidade onde a empresa
estava inserida. Ao perceber os benefícios de tal atividade, a empresa decidiu dar uma gratificação simbólica a tais
funcionários. A partir de então, eles começaram a desinteressar-se pelas atividades, deixando de considerá-las
divertidas ou engrandecedoras. Qual teoria contemporânea de motivação explica o recente desinteresse?
(A) Teoria da aprendizagem social (B) Teoria da avaliação cognitiva
(C) Teoria da equidade (D) Teoria do estabelecimento de objetivos
(E) Teoria do reforço

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/MOT) 33/37- O Diretor de Recursos Humanos, ao aprender sobre as diferentes


teorias motivacionais clássicas e contemporâneas, descobriu que é possível definir um conjunto de orientações e
ações que devem ser utilizadas no sentido de motivar os funcionários da empresa. Nessas circunstâncias, sua equipe
listou várias ações, dentre as quais a seguinte orientação ou ação NÃO é adequada para a motivação desses
funcionários:
(A) compreender que os funcionários têm necessidades diferentes.
(B) permitir participação dos funcionários somente em decisões que não os afetem.
(C) reconhecer as diferenças individuais.
(D) utilizar objetivos e feedback.
(E) vincular as recompensas ao desempenho.

(CESG/CEFET/2014/AADM02/GRS/MOT) 34/40- Por já estar há dois anos desempregado, um profissional inscreveu-


se em um concurso público para uma área que não era de seu interesse pessoal. O motivo que o levou a fazer essa
inscrição é a dificuldade em manter financeiramente o sustento de sua família. A situação acima descrita envolve
uma motivação baseada em uma necessidade
(A) social (B) fisiológica (C) de estima (D) de segurança (E) de realização

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/GRS/MOT) 35/30- Uma das teorias motivacionais mais conhecidas na


atualidade estabelece que as necessidades humanas estão arranjadas numa pirâmide de importância e de
influenciação do comportamento, conforme representado na Pirâmide de Maslow, a seguir.

Sobre essa teoria, verifica-se que as necessidades


(A) fisiológicas têm como característica principal sua premência, pois dominam a direção do comportamento humano,
enquanto alguma delas não for satisfeita.
(B) sociais surgem no comportamento depois que as necessidades de estima e autorrealização estão satisfeitas.
(C) de segurança são as que surgem pela presença de antagonismo, hostilidade e resistência ao relacionamento das
pessoas que cercam o indivíduo.
(D) de estima são aquelas que levam a pessoa a realizar seu próprio potencial.
(E) de autorrealização estão relacionadas com a maneira pela qual a pessoa se enxerga e se autoavalia.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 11


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/EQP) 36/28- Em um ambiente de trabalho, duas equipes estão diante de uma


negociação sobre uma meta de caráter trivial em que a barganha integrativa é impossível. Apesar de a resolução
dessa questão ter igual importância para ambas as partes, e não haver pressão de tempo, há forte presença de
conflitos interpessoais, com ameaça de rupturas irreversíveis durante o processo de negociação, independente do
resultado. Havendo um problema muito mais importante a ser resolvido em um futuro próximo, o qual necessitará
da atuação engajada e articulada das duas equipes, a estratégia de gerenciamento de conflitos mais adequada a ser
tomada, nesse momento, por quem estiver no comando de uma dessas equipes é a
(A) competição (B) colaboração (C) conciliação
(D) evasão (E) benevolência

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/EQP) 37/ 24- Um gestor de uma grande empresa atua em uma área em que
existem muitos funcionários e muitas atividades diferentes que se integram para a produção do produto final. Na
organização das atividades a serem realizadas com o objetivo de conseguir um bom desempenho para a sua área e
manter um fluxo de comunicação e de produção eficientes, este gestor formará várias equipes que se integram. Para
conseguir formar boas equipes e atingir os seus objetivos, o gestor deverá considerar que cada equipe
(A) deverá ser monodisciplinar, porque isto trará uma diversidade de conhecimentos, possibilitando a integração das
diferentes equipes.
(B) será constituída livremente pelos funcionários, e cada um escolherá em qual equipe deseja trabalhar.
(C) precisará ter sinergia, e seus membros integrarão seus conhecimentos e suas habilidades, para atingir os propósitos
organizacionais.
(D) possibilitará que cada membro, individualmente, estabeleça seus objetivos e metas, gerando, assim, o
comprometimento de toda a equipe.
(E) compartilhará a visão da organização, que se reflete nos objetivos e valores pessoais na busca pelos resultados
individualizados.

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/EQP) 38/39- A situação abaixo ilustra um conflito que envolve um dos


componentes das relações interpessoais, tais como são descritas pela psicologia organizacional. O coordenador de
um grupo de pesquisa precisa selecionar um membro de sua equipe para uma importante viagem de intercâmbio,
que tem caráter emergencial e duração indeterminada. O pesquisador adequado para a tarefa é também seu genro,
cujo filho está prestes a nascer. O conflito em questão é relativo
(A) à socialização
(B) à comunicação
(C) à interdependência
(D) à equidade
(E) aos papéis

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/EQP) 39/42- Considere as situações descritas a seguir.


Situação 1: Os inspetores de uma empresa devem, ao final do dia, reportar-se ao gerente de seu departamento para
terem seu trabalho avaliado.

Situação 2: Os funcionários de uma Universidade uniram-se com o intuito de reivindicar melhores condições salariais.

Situação 3: Aos domingos, um grupo de operários de uma empresa metalúrgica reúne-se para assistir aos jogos de seu
time de futebol.

Ao se classificarem os grupos em formais e informais, percebem-se 4 tipos específicos. A partir desse modo de
classificação, verifica-se que é característica do grupo da situação
(A) 1 ser informal de amizade.
(B) 2 ser formal de comando.
(C) 2 ser informal de interesse.
(D) 3 ser formal de tarefa.
(E) 3 ser formal de comando.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 12


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/EQP) 40/45- Considere as seguintes situações descritas a seguir:

Situação 1: O grupo de professores do curso de Física da Universidade X demonstra uma grande coesão em suas
decisões sobre as vicissitudes do curso e uma forte proximidade relacional entre seus membros.

Situação 2: A empresa Y possui um grupo experiente de contadores. Esse grupo formou-se ao longo dos anos a ponto
de sua funcionalidade estruturada encontrar-se estabelecida e consolidada, possibilitando ao grupo voltar seus
esforços à compreensão de tarefas e aos objetivos a serem realizados.

A partir do modelo de 5 estágios de desenvolvimento de grupo, os grupos apontados nas situações 1 e 2 encontram-
se, respectivamente, nos seguintes estágios:
(A) normatização; tormenta (B) normatização; desempenho (C) formação; normatização
(D) formação; interrupção (E) interrupção; tormenta

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/REC) 41/28- Dois empreendedores estavam conversando sobre algumas


questões relativas à gestão de suas empresas. Um deles estava explicando ao outro que a remuneração do
empregado consistia em seu salário mais a carga tributária referente ao salário, que compõe o custo total do
empregado para a empresa. A explicação do empreendedor relativa à remuneração dos empregados está ERRADA,
porque a
(A) carga tributária relativa aos salários pagos pelas empresas não compõe o custo do empregado para a empresa.
(B) remuneração do empregado consiste somente no salário que lhe é pago, já que o pagamento dos tributos é uma
obrigação legal da empresa.
(C) remuneração do empregado se refere somente aos benefícios que a empresa lhe concede voluntariamente.
(D) remuneração do empregado inclui o salário e benefícios agregados que a empresa dá em reconhecimento ao seu
valor como empregado.
(E) remuneração do empregado se refere à participação nos lucros da empresa e independe do salário recebido pelo
empregado.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/GRS/REC) 42/28- Atualmente, as empresas oferecem amplos pacotes de


benefícios sociais, entre os quais aqueles relacionados a serviços médicos, que podem assumir diferentes padrões e
podem ser direcionados ou de livre escolha. A situação acima descreve um benefício que envolve
(A) transporte (B) alimentação (C) assistência jurídica
(D) assistência médico-hospitalar (E) seguro de vida em grupo

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/REC) 43/31- A construção de um plano de remuneração deve levar em


consideração critérios e aspectos que permitam atender e conciliar, simultaneamente, as necessidades das pessoas e
das organizações. Qual dos aspectos a seguir NÃO permite esse atendimento e essa conciliação?
(A) Criação de equilíbrio interno e externo, tanto em cargos do mesmo nível como em cargos comparados em outras
organizações.
(B) Composição por remuneração fixa, em partes fixas ou totalmente variáveis.
(C) Valorização do desempenho ou do tempo de trabalho na organização.
(D) Decisão sobre remuneração abaixo, na média ou acima do mercado, com base em pesquisas salariais.
(E) Manutenção da descentralização nas decisões salariais, mesmo em organizações com baixa maturidade.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/REC) 44/32- Uma empresa está trabalhando no desenvolvimento de programas


de treinamento e desenvolvimento. Para tal, precisa decidir se deve convocar seus instrutores, ou se deve contratar
professores considerando que estes desempenham funções diferentes. Das funções essenciais de um instrutor, uma
delas é
(A) desenvolver o processo de ensino-aprendizagem, com foco em competências e mudanças de comportamento nos
treinandos.
(B) elaborar seus próprios planejamentos didáticos, por meio de planos de aula, apostilas e demais materiais, de
acordo com sua conveniência.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 13


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(C) desenvolver cursos e materiais didáticos independentemente de novas tecnologias educacionais.


(D) estabelecer uma relação vertical com o grupo, valorizando as titulações acadêmicas.
(E) propiciar e estimular um ambiente formal de sala de aula.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/REC) 45/25- As organizações desenvolvem políticas de gestão de pessoas que


sejam adequadas a sua filosofia, cultura e necessidades. A respeito da política de remuneração, sua função essencial
é estabelecer critérios de
(A) admissão quanto a competências cognitivas, experiência e potencial de desenvolvimento.
(B) auditoria permanente sobre aplicação e adequação das políticas e normas de gestão de pessoas junto à força de
trabalho.
(C) incentivo e participação nos lucros e resultados, alinhados às competências e ao desempenho.
(D) planejamento, alocação e movimentação interna de pessoas, considerando o plano de carreiras e oportunidades
futuras.
(E) preparação, atualização e aperfeiçoamento da força de trabalho para o desenvolvimento de tarefas e atribuições.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/REC) 46/23- Uma empresa iniciou o cadastramento de parceiros para prover a


todos os seus funcionários o benefício de acesso à academia de ginástica e clube de lazer. Considerando-se tal
situação, essa empresa tem por objetivo prover benefício do tipo
(A) assistencial
(B) legal
(C) mandatório
(D) recreativo
(E) supletivo

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/DESN) 47/30- Um psicólogo, trabalhando em um programa de treinamento,


realiza um trabalho nas seguintes etapas: desenvolve uma série de critérios comparativos para estabelecer um
padrão; produz um projeto de estudos especificando como os dados serão coletados e quais serão as medidas
utilizadas para avaliar os critérios inicialmente produzidos; coleta dados com os sujeitos aos quais o treinamento se
dirige e, finalmente, analisa os dados e interpreta resultados. Pela análise do trabalho descrito acima, conclui-se que
o psicólogo se encontra na seguinte etapa do programa de treinamento:
(A) Avaliação do treinamento
(B) Avaliação das necessidades de treinamento
(C) Aplicação do treinamento
(D) Definição dos objetivos do treinamento
(E) Projeto de treinamento

(CESG/CEFET/2014/ADM13/GRS/DESN) 48/41- O conhecimento tácito apresenta duas dimensões. Aquela que está
associada aos modelos mentais do indivíduo e que resulta em sua visão de mundo é denominada dimensão
(A) direta
(B) causal
(C) técnica
(D) cognitiva
(E) informal

(CESG/CEFET/2014/ADM13/GRS/DESN) 49/43- Há 4 modos de conversão do conhecimento. Um desses modos de


conversão se dá do conhecimento tácito para o explícito a partir de diálogo e reflexão coletiva significativos e gera
como conteúdo um conhecimento conceitual. O modo de conversão descrito é denominado
(A) combinação
(B) socialização
(C) internalização
(D) semantização
(E) externalização

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 14


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/GRS/DESN) 50/69- Experiências, histórias, convicções e normas compartilhadas que


caracterizam uma empresa: esse é o conceito de
(A) estratégia organizacional (B) comunicação interna (C) cultura corporativa
(D) inovação em marketing (E) miopia de marketing

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/DESN) 51/29- A realização das atividades de treinamento e desenvolvimento são


parte fundamental da gestão de pessoas. Dentre as suas finalidades NÃO se encontra o objetivo de
(A) aperfeiçoar a formação profissional das pessoas para que adquiram maior conhecimento em sua área de atuação.
(B) contribuir para atrair e reter os profissionais talentosos.
(C) estimular a competitividade entre superiores e subordinados, em função de futuras promoções para novos cargos
mais desafiadores.
(D) oferecer às pessoas desenvolvimento de competências, preparando-as para assumir novos cargos.
(E) permitir ao colaborador a especialização em sua função, visando a otimizar resultados.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/ GRS/DESN) 52/24- As políticas de gestão de pessoas são fundamentais para guiar o
desenvolvimento das atividades pelos colaboradores da organização. Nesse sentido, devem ser respeitados os
seguintes conceitos e características nas práticas de gestão de pessoas, EXCETO:
(A) clareza e simplicidade na definição e no entendimento das políticas, de forma a serem redigidas de modo inteligível
a todos.
(B) congruência na aplicação da política, de forma que cada nível e área recebam tratamento diferenciado em função
de cada julgamento das situações.
(C) estabilidade com um suficiente grau de permanência para evitar alterações muito grandes e seguidas.
(D) flexibilidade como uma possibilidade de aceitar correções e adaptações sem perder a essência básica.
(E) generalidade como a possibilidade de aplicação global e compreensiva para toda a organização.

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/DESN) 53/46- Um psicólogo foi contratado por uma empresa para intervir
institucionalmente. Esse consultor reúne-se com um grupo de gerentes da empresa. Seu trabalho consiste em
identificar os parâmetros positivos observáveis na dinâmica organizacional, com o intuito de utilizá-los como ponto
de partida para a melhoria do desempenho desses gerentes. Tendo-se em vista as diferentes táticas de
desenvolvimento organizacional, a descrita na situação é classificada como tática de
(A) construção de equipes
(B) consultoria de processo
(C) investigação apreciativa
(D) treinamento de sensibilidade
(E) desenvolvimento intergrupos

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/DESN) 54/37- A posição de Vygotsky sobre a relação entre desenvolvimento e


aprendizagem é que o
(A) desenvolvimento é dependente da maturação e condiciona o aprendizado.
(B) desenvolvimento é definido como a substituição de respostas inatas a partir do aprendizado.
(C) aprendizado e o desenvolvimento são coincidentes e contemporâneos.
(D) aprendizado alavanca o desenvolvimento devido ao estabelecimento das relações sociais.
(E) processo de desenvolvimento da criança é independente do aprendizado.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/DESN) 55/30- Algumas empresas têm aspectos culturais que possibilitam o


incentivo ao aprendizado organizacional; outras dificultam esse aprendizado. Constitui-se em um aspecto
dominante na empresa que facilita o aprendizado organizacional
(A) o fluxo de informações top-down.
(B) a visão voltada essencialmente para a obtenção de lucro.
(C) a competição individualizada.
(D) as atividades voltadas com ênfase para a resolução de problemas.
(E) as experiências compartilhadas na busca pela melhoria.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 15


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/DESN) 56/31- Ao longo do tempo, o capital intelectual conquistou um papel


de destaque no desenvolvimento das organizações. As empresas mais modernas e bem sucedidas, com o objetivo de
desenvolver seus empregados, fazem uso de diferentes práticas, objetivando permitir que o empregado
(A) adote uma concepção racionalista de seu desempenho, com foco nas atividades técnicas e operacionais.
(B) amplie a sua visão, focando na carreira e nos cargos que poderão ser ocupados por ele a médio e a longo prazos.
(C) tenha foco no presente e nos objetivos de curto prazo, centralizando suas ações no âmbito da empresa.
(D) tenha uma visão focada essencialmente nas suas atividades atuais, visando ao seu desempenho individual.
(E) desempenhe suas atividades com base nos princípios da divisão do trabalho e da unidade de comando.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/GRS/DESN) 57/23- Entre analistas e técnicos de Administração, deve existir


clareza quanto às diferenças entre os conceitos afeitos ao setor organizacional de Treinamento e Desenvolvimento
(T&D), frequentemente encontrados no organograma das empresas. O conceito a que se referem as ações voltadas
à preparação da pessoa ao exercício de uma futura profissão no mercado de trabalho, com objetivos amplos e
mediatos, tendo o foco no longo prazo, é o de
(A) avaliação (B) reforço (C) desenvolvimento
(D) formação (E) treinamento

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/GRS/DESN) 58/24- Os recursos instrucionais escolhidos e utilizados em


programas de educação corporativa podem ser classificados em uma escala que leva em consideração o fato de tais
recursos serem abstratos ou concretos, dependendo de sua capacidade de garantir, de forma clara, direta e precisa,
o alcance dos objetivos de treinamento. Dos recursos listados a seguir, considera-se como o mais concreto a(o)
(A) demonstração (B) exposição verbal (C) projeção de filme
(D) projeção de slides (E) quadro negro e giz

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/GRS/DESN) 59/25- O alcance de melhores desempenhos pelas organizações


depende de um adequado mapeamento de competências, que envolve as dimensões técnicas e de suporte. Na
realização do mapeamento de competências, uma competência técnica pode ser exemplificada por
(A) adaptação e flexibilidade (B) capacidade empreendedora
(C) criatividade e inovação (D) domínio de planilhas
(E) visão sistêmica

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/CULT) 60/63- Pesquisas indicam que existem 7 características básicas


que, em conjunto, capturam a essência da cultura de uma organização. Ao ser entrevistado para o novo emprego na
área de vendas, um candidato ouviu, durante todo o tempo, que, naquela empresa, todas as decisões dos dirigentes
levavam em consideração o efeito de seus resultados sobre os funcionários dentro da organização. Dessa forma, o
gerente transmitiu a ideia de que a característica básica da cultura organizacional daquela empresa era a
(A) estabilidade
(B) agressividade
(C) atenção aos detalhes
(D) orientação para a equipe
(E) orientação para as pessoas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/GRS/CULT) 61/32- Uma empresa do setor de energia está passando por uma
reestruturação para que possa tornar-se mais competitiva e ágil em relação às demandas do mercado em que atua.
O consultor que está conduzindo esse processo identificou alguns elementos que dificultam as mudanças. Esses
elementos compõem a cultura organizacional. A cultura organizacional é composta por três níveis:
(A) a estrutura organizacional, o porte da empresa e o setor em que atua.
(B) o porte da empresa, o mercado em que atua e o seu público-alvo.
(C) os membros da organização, o mercado em que a empresa atua e o seu público-alvo.
(D) os membros da organização, os valores compartilhados e os seus clientes.
(E) os artefatos, os valores compartilhados e os pressupostos básicos.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 16


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/CEFET/2014/PSICOL29/GRS/CULT) 62/34- As culturas organizacionais podem ser qualificadas como fortes ou


fracas. Cada uma dessas conformações traz vantagens e desvantagens. Comparando-se uma cultura organizacional
forte com uma fraca, percebe-se que a cultura mais forte favorece a
(A) estabilidade do sistema social
(B) aquisição de outras empresas
(C) diversidade de seus funcionários
(D) flexibilidade em relação a mudanças
(E) formalização das regras de comportamento

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/MON) 63/27- Uma organização, atenta às relações no ambiente de trabalho,


começou a preocupar-se com a crescente rotatividade de pessoal, ou seja, a flutuação de pessoal que indica a saída
de colaboradores. Para tanto, decidiu calcular o índice de rotatividade, considerando os seguintes números:
• efetivo médio da organização (EM): 1.000 funcionários;
• número de colaboradores desligados (CD): 50 funcionários;
• número de colaboradores promovidos (CP): 100 funcionários;
• número de colaboradores insatisfeitos (CI): 75 funcionários.

Nessas circunstâncias, o índice de rotatividade é de


(A) 0,07%
(B) 0,01%
(C) 3,75%
(D) 4,26%
(E) 5,00%

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 17


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

#PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (PEST):


$PEST: Ambiência Organizacional. 4. Administração mercadológica: Planejamento estratégico empresarial voltado para
o mercado. Estruturas Organizacionais.

(CESG/CEFET/2014/AS.ADM03/PEST/PE) 64/23- Uma empresa do setor de construção civil está elaborando seu
planejamento estratégico. O planejamento estratégico é importante para a organização porque
(A) especifica os detalhes de como devem ser realizadas as atividades rotineiras para controlar a operação.
(B) estabelece os planos que se aplicam à organização como um todo, posicionando-a em relação ao ambiente em que
atua.
(C) cria as interações que devem existir entre os diferentes níveis hierárquicos da organização, estabelecendo sua
relação com o mercado.
(D) estrutura a organização, segundo os padrões existentes no setor em que atua, visando à produção.
(E) controla as operações realizadas na organização seguindo os padrões estabelecidos para a produção.

(CESG/CEFET/2014/AS.ADM03/PEST/PE) 65/28- As organizações, de maneira geral, apresentam diferentes níveis


hierárquicos e cada um tem um papel distinto na gestão da empresa. Cada nível tem, atrelado a si, sua atuação e
abrangência. Assim, o nível
(A) operacional tem atuação de longo prazo e abrangência parcial, envolvendo uma unidade da organização.
(B) tático tem atuação operacional e abrangência específica, envolvendo uma determinada operação.
(C) gerencial tem atuação de curto prazo e abrangência global, envolvendo uma determinada operação.
(D) técnico tem atuação intermediária e abrangência parcial, envolvendo uma unidade da organização.
(E) institucional tem atuação estratégica e abrangência global, envolvendo toda a organização.

(CESG/CEFET/2014/ADM13/PEST/PE) 66/40- Dada a proximidade geográfica de uma empresa em relação ao seu


principal fornecedor de carvão, foi possível para essa empresa criar mais valor econômico que seus concorrentes.
Prevê-se, porém, que, em um ano, a mina de carvão estará exaurida, e a empresa passará a ter de buscar matéria-
prima de fornecedores mais distantes, da mesma forma que seus concorrentes já vêm fazendo. Do ponto de vista da
administração estratégica, a situação retratada é um exemplo de
(A) paridade competitiva (B) alavancagem competitiva estratégica
(C) vantagem competitiva temporária (D) medida estratégica vantajosa
(E) medida econômica de vantagem competitiva

(CESG/CEFET/2014/BIBLIB19/PEST/PE) 67/27- O processo de planejamento estratégico, desde a identificação do


problema até o diagnóstico, conclui-se com um documento no qual se formalizam a missão, os objetivos, as
políticas, as diretrizes, as metas e as estratégias. Nesse processo, à luz dos ambientes interno e externo, os gestores
de unidades de informação devem compreender que a(s)
(A) análise do ambiente interno verifica pontos fortes e fracos numa situação de desvantagem operacional, em que os
fracos podem ser corrigidos.
(B) análise do ambiente externo pressupõe a consideração de oportunidades e ameaças, que são forças incontroláveis
pela unidade de informação.
(C) diretrizes permitem conduzir a unidade de informação aos objetivos desejados, definindo estratégias para o
alcance das metas delineadas.
(D) estratégias são ações que alicerçam as políticas, as quais delimitam o percurso para o alcance dos resultados
planejados, em determinado período de tempo.
(E) metas são orientações de caráter geral para alcançar uma situação desejada e subsidiam a tomada de decisão.

(CESG/CEFET/2014/BIBLIB19/PEST/PE) 68/38- As bibliotecas universitárias, teoricamente, estão mais engajadas na


busca por melhorias na qualidade da prestação de seus serviços via web. Para isso, essas bibliotecas apoiam-se no
planejamento estratégico e na
(A) gestão participativa (B) gestão de conteúdo (C) disseminação da informação
(D) estratégia de busca (E) recuperação da informação
Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 18
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/CEFET/2014/BIBLIB19/PEST/PE) 69/46- Na construção de um plano de marketing, a definição do público-alvo,


o dimensionamento do produto/serviço e o estabelecimento dos canais de comunicação estão relacionados à
(A) revisão do plano (B) definição de metas (C) definição do plano tático
(D) determinação do mercado (E) determinação das estratégias

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/PEST/PE) 70/22- Todos os gestores de organizações, sejam elas com ou


sem fins lucrativos, concordam que o planejamento é uma ferramenta fundamental para o sucesso administrativo
das empresas. Porém, tal planejamento tem alguns princípios e metodologias que, se não forem seguidos
adequadamente, podem conduzir a empresa ao fracasso. Constitui causa de fracasso do planejamento
(A) elaborar estratégias pelo nível institucional da organização.
(B) considerar o cenário externo na elaboração do planejamento estratégico da organização.
(C) hierarquizar os objetivos estabelecidos procurando integrá-los ao objetivo maior da organização.
(D) tornar o processo da organização decisório com base em parâmetros racionais.
(E) inexistir um conjunto de objetivos claramente definidos para a organização.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/PE) 71/40- João Pedro participa de um processo seletivo para uma


empresa do setor energético. Ele pesquisa informações no site da organização para se preparar para sua entrevista
de emprego. Lá, João Pedro lê alguns componentes da estratégia dessa empresa, entre os quais os valores
organizacionais, que incluem o(a)
(A) respeito pelos colegas de trabalho e a ética nas relações com os clientes.
(B) objetivo de ser referência no setor energético daqui a cinco anos.
(C) missão de movimentar as empresas e os lares das famílias.
(D) economia, a política, a regulação do setor e os aspectos ambientais.
(E) clima organizacional, o departamento de pessoal e o setor de recursos humanos.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/PEST/PE) 72/21- Uma empresa de transporte aéreo está com dificuldades


para ampliar a sua participação no mercado. Através de uma análise do ambiente interno, detectaram-se várias
falhas nos processos que resultavam em reclamações de clientes. Além disso, realizou-se um estudo em relação ao
macroambiente, de modo a identificar as oportunidades e as ameaças para que a empresa pudesse estabelecer
diretrizes de atuação. Em relação à situação apresentada, observa-se que as ações realizadas se referem a uma
etapa do seguinte tipo de planejamento da empresa:
(A) operacional (B) tático (C) gerencial
(D) estratégico (E) técnico-administrativo

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/PEST/PE) 73/22- O planejamento é um processo que requer o emprego de


uma metodologia adequada, de modo a poder contribuir positivamente para a eficácia, a eficiência e o
desenvolvimento da empresa. Cada nível organizacional demanda um diferente tipo de planejamento, porém todos
devem estar alinhados com os objetivos estabelecidos para a empresa. Em relação aos diferentes tipos de
planejamento, considere as afirmações abaixo.
I - O planejamento estratégico tem um impacto amplo e profundo, e seu horizonte é de longo prazo na organização.
II - O planejamento operacional tem como principal objetivo traduzir as decisões estratégicas em ações efetivas, e seu
horizonte é de médio prazo.
III - O planejamento tático é direcionado para cada processo ou projeto da organização, sendo aplicado nas tarefas
rotineiras da empresa, e o seu horizonte é de curto prazo.

É correto APENAS o que se afirma em


(A) I (B) II (C) I e II (D) I e III (E) II e III

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/PE) 74/69- O sucesso de uma empresa não depende apenas do grau de


excelência com que cada departamento trabalha, mas também do nível de excelência com que as diversas
atividades departamentais são coordenadas para conduzir os processos centrais de negócios. O processo que melhor

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 19


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

retrata todas as atividades relacionadas à pesquisa, ao desenvolvimento e ao lançamento de produtos de alta


qualidade, com rapidez e dentro do orçamento, é o de
(A) aquisição de clientes (B) compreensão do mercado
(C) gerência do processo do pedido (D) gerência de relacionamento com os clientes
(E) realização de uma nova oferta

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/PE) 75/70- Um plano de marketing é um documento escrito que resume o que o


profissional de marketing sabe sobre o mercado e que indica como a empresa planeja alcançar seus objetivos. O
plano de contingência, quando abordado no plano de marketing, é apresentado na seção:
(A) análise da situação (B) controles para monitoramento
(C) estratégia de marketing (D) projeções financeiras
(E) resumo executivo

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/PE) 76/56- Os bens industriais podem ser classificados em três categorias:


1) materiais e peças;
2) suprimento e serviços;
3) bens de capital.

São exemplos desta última categoria os seguintes bens:


(A) componentes e manufaturados (B) instalações e equipamentos
(C) itens de manutenção e reparo (D) produtos agropecuários e naturais
(E) serviços de consultoria empresarial

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/PE) 77/25- Um consultor de gestão empresarial está fazendo um estudo


referente ao posicionamento de mercado para uma empresa do setor automotivo que fornece peças para diferentes
grandes montadoras de automóveis. O mercado, nesse setor, tem procurado ajustar suas práticas de gestão às
crescentes demandas do mercado e à competição existentes. Com base nesses elementos, o consultor realizou um
estudo que tinha como objetivo identificar as forças e fraquezas da empresa, as ameaças e oportunidades existentes
no mercado para que, com base nessas informações, a empresa pudesse reposicionar-se no mercado. O estudo
realizado pelo consultor e o objetivo da empresa constituem elementos relativos à(ao)
(A) estrutura organizacional da empresa (B) plano de gestão de projetos
(C) plano operacional do setor de vendas (D) planejamento estratégico da empresa
(E) manual de procedimentos organizacionais

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/PE) 78/26- Uma empresa do setor hoteleiro estabeleceu uma parceria com uma
agência de viagens, oferecendo condições específicas e exclusivas transformadas em pacotes personalizados visando
a atender a um público específico, com o objetivo de fidelizá-lo. As empresas, no gerenciamento do relacionamento
com o cliente, utilizam-se de ferramentas que possibilitam esse tipo de estratégia. Uma das ferramentas que pode
ser utilizada no gerenciamento do relacionamento com clientes e seu respectivo objetivo é a seguinte:
(A) CCQ – tem como objetivo coletar e manter os dados dos clientes, estabelecendo seu perfil socioeconômico,
facilitando assim a oferta de produtos e serviços direcionados.
(B) CRM – utilizado para coletar os dados dos clientes, armazená-los e facilitar cruzamentos desses dados, facilitando
assim o relacionamento entre clientes e empresa.
(C) CEP – ferramenta estatística para gerenciar o volume de clientes e suas interações com a empresa, determinando o
seu perfil econômico.
(D) SGQ – sistema que possibilita ao cliente inserir seus próprios dados, com as especificações de suas necessidades e
expectativas em relação aos produtos e serviços oferecidos pela empresa.
(E) SAC – sistema de contato dos clientes com a empresa para especificação de suas necessidades em relação ao
serviço a ser prestado pela empresa, quando envolve terceiros.

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/PEST/PE) 79/60. São características de um plano estratégico:

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 20


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) apresentar conteúdo genérico e contemplar horizonte de médio prazo.


(B) abordar cada unidade da organização separadamente e apresentar conteúdo específico.
(C) contemplar um horizonte de longo prazo e apresentar conteúdo genérico.
(D) abordar a organização como um todo e contemplar horizonte de curto prazo.
(E) abordar cada unidade da organização separadamente e contemplar horizonte de longo prazo.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/PE) 80/35- Na reunião do planejamento estratégico para o próximo ano, a


diretoria apresentou o Quadro abaixo, que separa os grupos de clientes da organização em relação à lucratividade
potencial e à fidelidade projetada.

A estratégia correta a ser adotada para o seu respectivo grupo é


(A) abrir mão da relação comercial com os clientes do grupo 1.
(B) aumentar a lucratividade nas relações com o grupo 4.
(C) dar prêmios valiosos para os clientes do grupo 1.
(D) fazer contínuos investimentos para encantar os clientes do grupo 3.
(E) não investir nada no tipo de cliente do grupo 2.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/PEST/PE/DIR) 81/49- No planejamento estratégico de uma empresa do setor


energético está escrita a seguinte frase: “Ser referência no setor de energia, oferecendo produtos de qualidade aos
clientes e atendendo aos interesses dos stakeholders”. Essa frase se refere a
(A) composto de marketing
(B) missão da empresa
(C) visão da empresa
(D) valores da empresa
(E) estratégia operacional

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/PE/DIR) 82/21- Para a elaboração de um planejamento estratégico de


comunicação, precisa-se de um esquema básico que, após a verificação do que já está implantado, passe pela
análise do ambiente e do cenário e pelo estudo das necessidades e expectativas internas e externas, para, a partir
daí, proceder-se ao planejamento de novas ações. Entre as fases desse processo de elaboração de planejamento,
está a seguinte:
(A) definição da missão, da visão e dos valores (B) contratação de pessoal para execução das ações
(C) negociação com fornecedores e credores (D) incorporação de aspirações, com mudanças gradativas
(E) adoção de um novo comportamento organizacional

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/PE/DIR) 83/61- Ao ler o plano estratégico de uma empresa, um investidor


deparou com a seguinte frase: “Ser uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo e a preferida
pelos nossos públicos de interesse”. Tal declaração retrata, referente a essa empresa, seu(sua)
(A) valor (B) princípio ético (C) visão (D) missão (E) razão de existir

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 21


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/CEFET/2014/ADM13/PEST/PE/AMB) 84/36- Segundo os princípios da administração estratégica, para


executar uma análise do ambiente de forma eficiente e efetiva, o administrador deve entender bem a maneira como
os ambientes organizacionais estão estruturados. Os componentes externos à organização, que têm amplo escopo e
sobre os quais a organização não tem nenhum controle, compõem o denominado nível de ambiente
(A) geral (B) interno (C) operacional (D) institucional (E) organizacional

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/PE/AMB) 85/57- O ambiente de marketing é formado por fatores externos e


também pelos participantes envolvidos na produção, na distribuição e na promoção da oferta. Esses participantes
compõem o ambiente de tarefa, que é constituído, entre outros, pela
(A) comunicação integrada de marketing
(B) empresa, pelos fornecedores e pelo público-alvo
(C) legislação vigente, pelos fornecedores e pela economia global
(D) promoção, pela distribuição e pelo relacionamento com os clientes
(E) tecnologia, pela regulação do mercado e pela concorrência

(UFG/UEAP/2014/EPROD/PEST/PE/CVP) 86/57- Quais são as etapas do ciclo de vida de um produto?


(A) Novo, seminovo, usado, velho e descartado.
(B) Em estoque, em processo, em espera, em trânsito e entregue.
(C) Desenvolvimento, lançamento, crescimento, maturidade e declínio.
(D) Vendas locais, regionais, estaduais, nacionais e internacionais.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/PEST/PE/SWOT) 87/21- Uma empresa do setor de energia está elaborando


o seu planejamento para um período de 5 anos. Assim, fez um estudo do setor e de suas projeções para o mesmo
período. Com base nesse estudo, projetou as ameaças e as oportunidades que a empresa enfrentará. Também fez
uma análise interna, identificando suas fraquezas e suas forças, frente à concorrência. Qual o tipo de planejamento
realizado?
(A) operacional de médio prazo, com análise das forças e fraquezas da empresa.
(B) tático de longo prazo, com análise das ameaças e oportunidades existentes no mercado.
(C) estratégico de longo prazo, com análise do ambiente interno e análise do cenário macroeconômico.
(D) técnico de médio prazo, com análise do ambiente interno e das forças e fraquezas.
(E) gerencial de longo prazo, com análise do setor e suas projeções e da concorrência.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/PE/SWOT) 88/60- O termo SWOT resulta da junção das iniciais das palavras
inglesas Strengths (forças), Weaknesses (fraquezas), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças). Para uma
empresa que opera um estacionamento particular no centro de uma cidade, o aumento da fiscalização do poder
público contra o estacionamento irregular será considerado um(a)
(A) fator interno
(B) ameaça
(C) força
(D) fraqueza
(E) oportunidade

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/PE/SWOT) 89/68- Um meio de monitorar as variáveis controláveis e


incontroláveis de marketing é a matriz de SWOT, que representa uma avaliação de
(A) ambientes externos, mercados e público-alvo (B) cinco forças competitivas de Porter
(C) forças, fraquezas, oportunidades e ameaças de uma empresa
(D) sistemas externos e internos de uma organização
(E) variáveis econômicas, políticas, tecnológicas e sociais

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/PEST/PE/5FORÇAS) 90/50- Sobre o Modelo das Cinco Forças Competitivas,


considere as afirmações a seguir.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 22


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

I - São exemplos de ameaças a produtos substitutos os custos de mudança, a diferenciação do produto e as economias
de escala.
II - O maior poder de negociação dos compradores conduz à disputa entre fornecedores concorrentes e,
consequentemente, à redução na rentabilidade do negócio.
III - A ameaça de saída de um participante da indústria diz respeito à relação entre as barreiras de saída existentes e a
reação dos concorrentes à saída deste participante.
IV - A competição com produtos substitutos faz com que haja uma redução no retorno potencial das empresas deste
mercado, uma vez que limita o preço que tais empresas podem fixar.

É correto o que se afirma em


(A) I e III, apenas (B) II e IV, apenas (C) I, II e III, apenas (D) II, III e IV, apenas (E) I, II, III e IV

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/PEST/PE/5FORÇAS) 91/51- O modelo de cinco forças de Porter considera cinco


fatores que devem ser estudados para que se possa desenvolver uma estratégia empresarial eficiente. Entre esses
fatores, ou forças competitivas, está o poder de barganha dos compradores, cuja intensidade pode ser determinada
pelo(a)
(A) grau de rivalidade entre empresas concorrentes
(B) impacto do produto na qualidade dos bens produzidos pelo comprador
(C) ameaça de novos entrantes potenciais
(D) existência de concorrentes divergentes
(E) percepção relativa de valor de produtos substitutos

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/PE/5FORÇAS) 92/43- Uma empresa de consultoria, especializada em projetos de


implantação de sistemas de pequeno porte, está iniciando sua operação e, por prestar um serviço de complexidade
intelectual, está com dificuldade em definir os preços de suas propostas a serem entregues nos processos de
prospecção de projetos. Isso ocorre porque serviços baseados em capital intelectual ou em tecnologia tendem a
exigir preços mais específicos, sendo difícil especificar todos os componentes do preço. Considerando-se essa
situação, a indicação adequada a esse contexto é os gestores dessa empresa aplicarem
(A) orçamentos cruzados (B) as 5 forças de Porter (C) modelo de precificação de Gordon
(D) diagnóstico sistêmico (E) método Price-Cap (método preço-teto)

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/PE/5FORÇAS) 93/56- A ameaça de entrada de uma empresa em uma indústria


depende de suas barreiras de entrada, combinadas à reação dos concorrentes em atuação. Uma fonte principal de
barreira de entrada, que se refere aos declínios nos custos unitários de um produto à medida que o volume absoluto
por período aumenta, é conhecida como
(A) acesso aos canais de distribuição (B) diferenciação de produto (C) necessidade de capital
(D) economias de escala (E) custos de mudança

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/PE/5FORÇAS) 94/57- As barreiras de saída e de entrada são conceitualmente


distintas, no entanto seu nível de interação é um conhecimento importante para a análise de uma indústria. O
melhor caso, no que concerne aos lucros da indústria, é aquele em que as barreiras de entrada são
(A) altas, mas as de saída são baixas. (B) altas, assim como as de saída.
(C) baixas, mas as de saída são altas. (D) baixas, assim como as de saída.
(E) baixas, mas as de saída são intransponíveis.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/EST/PORTER) 95/63- Para desenvolver uma proposta de valor, as empresas têm


estas três alternativas bem conhecidas no segmento de vendas e difundidas na literatura de estratégia empresarial:
(A) diferenciação de produtos, liderança em custo ou atendimento a um nicho.
(B) escolha adequada do público-alvo, forças competitivas ou marca forte.
(C) comunicação interna, competência gerencial ou cultura organizacional.
(D) liderança de mercado, adequação da marca ou expertise em produção.
(E) preço baixo, marca popular ou aumento da capacidade de inovação.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 23


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/EST/PORTER) 96/58- Uma empresa que planeja entrar em um novo mercado está
definindo sua abordagem estratégica para os seus primeiros quinze anos de atuação. Seu alvo está no âmbito de
toda a sua indústria, e ela busca como vantagem a unicidade observada pelo cliente. A estratégia genérica
apropriada para essa empresa é a conhecida como
(A) diferenciação (B) liderança no custo total (C) enfoque em diferenciação
(D) enfoque em baixo custo (E) meio-termo

(UFG/UEAP/2014/EPROD/PEST/EST/PORTER) 97/49- Em Competitive Strategy: Techniques for Analyzing Industries


and Competitors (1980), Porter propõe um conjunto de estratégias genéricas. Quais são essas estratégias?
(A) Produto substituto, poder de negociação de compradores e fornecedores.
(B) Liderança de custos, diferenciação e enfoque.
(C) Corporativa, competitiva e de produção em larga escala.
(D) Suporte, design e de entrada.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/PEST/PE/MINTZ) 98/50- Entre as diversas escolas do pensamento estratégico,


aquela que combina as características das escolas de naturezas prescritiva e descritiva, e busca realizar a
formulação da estratégia como um processo de transformação, é a escola
(A) cognitiva (B) cultural (C) de configuração (D) do design (E) do planejamento

(CESG/CEFET/2014/ADM13/PEST/EST/MINTZ) 99/44- Para Mintzberg, em sua análise da formação de estratégias,


apenas uma parte das estratégias pretendidas pela empresa é realmente implementada. A essa parte das
estratégias ele deu o nome de
(A) deliberada (B) realizada (C) intencional (D) emergente (E) não realizada

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/PE/VBR) 100/59- Uma empresa constitui uma reunião de atividades executadas


com o objetivo de projetar seu produto, produzi-lo, comercializá-lo, entregá-lo e sustentá-lo. Essas atividades podem
ser representadas utilizando-se de uma cadeia de valores, que as divide em atividades primárias e atividades de
apoio. Um exemplo de atividade primária é
(A) aquisição (B) desenvolvimento de tecnologia (C) gerência de recursos humanos
(D) infraestrutura da empresa (E) logística externa

(UFG/UEAP/2014/EPROD/PEST/PE/BSC) 101/42- O Balanced Scorecard (BSC) possui objetivos e medidas que focam
o desempenho organizacional a partir de quatro perspectivas: financeira, do cliente, dos processos internos e de
aprendizado e crescimento. São exemplos de indicadores relacionados ao aprendizado e crescimento:
(A) produtividade, aumento da receita e valor econômico agregado.
(B) participação de mercado, aquisição de clientes e retenção de clientes.
(C) taxa de refugo, taxa de retrabalho e utilização da capacidade.
(D) satisfação dos funcionários, retenção de funcionários e lucratividade por funcionário.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/PEST/BSC) 102/32- O Balanced Scorecard (BSC) é uma ferramenta da


administração que pode ser usada para gerenciar o desempenho organizacional. Analisando-se essa ferramenta,
verifica-se que ela
(A) permite avaliar o posicionamento estratégico da empresa por meio da identificação das forças e fraquezas
(ambiente interno) e das ameaças e oportunidades (ambiente externo).
(B) pode ser considerada como um modelo de gestão estratégico, que permite às empresas priorizarem suas ações do
dia a dia para atingirem os objetivos traçados em seus planos estratégicos.
(C) é o conceito de gestão que aumenta o gap existente entre a estratégia e a parte operacional do negócio, alinhando
a empresa aos seus objetivos estratégicos.
(D) substitui as medidas financeiras por outras relacionadas aos aspectos subjetivos como satisfação dos clientes,
aprendizagem e crescimento organizacional.
(E) analisa os fatores que satisfaçam tanto clientes (internos e externos) quanto fornecedores, considerando a
perspectiva dos clientes.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 24


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/PEST/PE/BSC) 103/39- Em relação ao Balanced Scorecard (BSC), considere as


afirmações a seguir.
I – Na gestão estratégica competitiva, o BSC é utilizado como um sistema de controle estratégico que permite às
organizações utilizarem o desdobramento da estratégia para fazerem o seu planejamento.
II – O BSC é uma ferramenta gerencial e, portanto, deve ficar nas mãos da direção e não precisa ser compartilhada com
os funcionários.
III – Em oposição aos sistemas de avaliação de gestão estratégica dos anos sessenta, o BSC baseia-se em indicadores
financeiros e não financeiros.
IV – O BSC realiza medições com indicadores para monitoramento em três dimensões-chave: clientes externos,
processos internos e financeira.

É correto o que se afirma em


(A) I e III, apenas (B) II e IV, apenas (C) I, II e III, apenas
(D) II, III e IV, apenas (E) I, II, III e IV

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/PEST/PE/BSC) 104/37- Uma das vantagens da utilização do Balanced Scorecard


é permitir que a empresa
(A) veja um único indicador.
(B) veja os indicadores de uma maneira holística.
(C) fomente a sua integração com todos os seus shareholders.
(D) aumente sua integração com todos os seus stakeholders.
(E) incentive o desenvolvimento das competências e habilidades dos trabalhadores.

(CESG/CEFET/2014/ADM13/PEST/BSC) 105/45- O Balanced Scorecard (BSC) é uma ferramenta para mensurar,


acompanhar e comunicar a estratégia da organização para seu ambiente interno e para orientar a organização em
direção à sua visão de futuro. A análise do desempenho da organização a partir do BSC trata de 4 dimensões, a
saber:
(A) custos, benefícios, utilidade e valor (B) produto, segmento, distribuição e preço
(C) receitas, despesas, empréstimos e lucro (D) eficiência, eficácia, efetividade e sustentabilidade
(E) clientes, aprendizado e crescimento, finanças e processos internos

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/EST) 106/68- A avaliação de oportunidades de crescimento envolve o


planejamento de novos negócios, assim como a redução ou a extinção de negócios superados. A decisão de
identificar oportunidades para conseguir crescimento adicional dentro dos negócios atuais está associada a uma
estratégia de crescimento
(A) downsizing (B) integrado (C) intensivo (D) por diversificação (E) por retrointegração

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/EST) 107/51- Uma empresa possui um novo produto para o qual o


mercado tem tamanho limitado. Além disso, grande parte dos consumidores conhece o produto e está disposta a
pagar um preço alto por ele, e a concorrência potencial não é significativa. Limitado a trabalhar apenas com as
variáveis preço e promoção, o gerente de marketing dessa empresa deve lançar o novo produto utilizando a
estratégia de
(A) diversificação
(B) skimming lento
(C) penetração rápida
(D) integração vertical
(E) desenvolvimento de retorno

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/EST) 108/39- A estratégia organizacional deve levar em conta as


tendências e forças que mudam o cenário competitivo, de tempos em tempos. Nesse sentido, os gestores devem
analisar os fatores que compõem o cenário competitivo atual. Nesse contexto, qual dos fatores identificados está
INCORRETO?

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 25


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) As ações de marketing também se tornaram um elemento importante na estratégia das organizações sem fins
lucrativos.
(B) As empresas sofrem pressões para assumir uma responsabilidade maior pelos impactos ambientais e sociais de
suas ações.
(C) Em um mundo cada vez menor, muitas empresas estão conectadas globalmente com seus clientes e parceiros de
negócios.
(D) Empresas de todos os tipos estão evitando o mercado internacional para não esbarrarem com a concorrência
global.
(E) Os avanços nas áreas das telecomunicações, da informação e outras tecnologias criam novas maneiras de aprender
sobre os clientes e de rastreá-los.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/EST) 109/34- No mercado competitivo atual, é difícil alcançar a liderança


(regional ou global) sem constituir alianças com empresas locais ou multinacionais. Qual das afirmativas abaixo
NÃO descreve as características ou estruturas dessas alianças estratégicas?
(A) Alianças bem gerenciadas permitem obter um impacto menor nas vendas, em função do custo maior de suas
operações em mercados diversos.
(B) Ao atuar em mercados internacionais, as organizações buscam parceiros que possam complementar suas forças e
compensar suas fraquezas.
(C) Muitas alianças estratégicas referem-se à área de marketing no desenvolvimento, na promoção, na logística e no
preço dos produtos.
(D) O ato de fazer negócios com outro país pode exigir o licenciamento de produtos e a formação de uma joint-venture
com uma empresa local.
(E) Para manter prósperas suas alianças, as corporações começaram a desenvolver estruturas organizacionais de
apoio.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/PEST/EST) 110/31. A organização que compete pelo futuro, segundo Prahalad e Hamel,
persegue uma visão de administração estratégica que engloba três fases graduais, representadas por:
(A) Liderança Intelectual; Gestão dos Caminhos de Migração; Participação Competitiva no Mercado.
(B) Liderança de Custos; Estratégia de Diferenciação; Gestão Direcionada à Foco.
(C) Crescimento de Mercado; Gestão da Participação de Mercado; Posicionamento como Vantagem Competitiva.
(D) Penetração e Desenvolvimento de Mercado; Gestão de Desenvolvimento de Produtos; Estratégia de Diversificação.
(E) Processos Internos; Perspectiva voltada ao cliente; Geração de Valor ao Acionista.

(UFG/UEAP/2014/EPROD/PEST/EST/MINTZ) 111/54- Para Henry Mintzberg (2001), a estratégia pode ser definida de
cinco formas: como plano, como pretexto, como padrão, como posição e como perspectiva. A estratégia como
pretexto é descrita como
(A) a aplicação imediata das vocações naturais da empresa.
(B) a operacionalização de diretrizes colocadas pela liderança da empresa.
(C) uma consistência de ações e decisões de forma deliberada.
(D) uma manobra específica com finalidade de enganar o concorrente.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/EST/INT) 112/54- Frente a mercados cada vez mais globalizados, empresas


locais encontram desafios significativos. Considere o caso de uma empresa local que contava com proteção
governamental e passa a atuar em um mercado mais liberalizado como consequência de um acordo de integração
econômica. Com as reformas realizadas no país e a abertura do mercado, essa empresa percebe que seus métodos
produtivos são ineficientes, e seus produtos, ultrapassados, seus ativos competitivos são adequados somente à
realidade anterior do mercado doméstico. Assim, a pressão para globalizar suas atividades elevou-se
consideravelmente. Levando em conta as estratégias competitivas para empresas locais, a empresa apresentada é
classificada como
(A) dodger (B) heater (C) extensora (D) defensora (E) contendora

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 26


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/PEST/DEC) 113/57- O processo de tomada de decisão, na maioria das


organizações, envolve alguns passos. Esses passos, ordenados do primeiro para o último, são:
(A) identificação e estudo do problema; formulação de alternativas; tomada de decisão sobre a solução mais
adequada; implementação dessa solução; avaliação do impacto da intervenção.
(B) tomada de decisão sobre a solução mais adequada; identificação do problema; implementação dessa solução;
avaliação do impacto da intervenção; formulação de alternativas.
(C) identificação e estudo do problema; tomada de decisão sobre a solução mais adequada; avaliação do impacto da
intervenção; implementação dessa solução.
(D) avaliação do impacto da intervenção; tomada de decisão sobre a solução mais adequada; implementação dessa
solução; avaliação dos resultados.
(E) identificação e estudo da solução mais adequada; implementação dessa solução; avaliação do impacto da
intervenção; avaliação do problema; tomada de decisão sobre a solução mais adequada.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/PEST/DEC) 114/27- Uma empresa de serviços da área de entregas


expressas realizou uma pesquisa de satisfação com seus clientes, identificando que a causa mais frequente de
insatisfação se referia às informações desencontradas prestadas pelos atendentes, quando os clientes precisavam
saber em que estágio do processo de entrega a encomenda se encontrava. Várias alternativas foram então
sugeridas para que esse problema fosse eliminado. Dentre as sugestões apresentadas a seguir, NÃO está
relacionada às ações necessárias para a resolução do problema apresentado aquela que
(A) recomenda o treinamento dos funcionários para que eles conheçam todas as fases que estão envolvidas na entrega
da encomenda pela empresa.
(B) desenvolve um sistema informatizado que possibilite o registro da fase em que se encontra a entrega, com acesso
aos funcionários e clientes.
(C) estabelece o fluxo dos processos envolvidos no serviço de entrega, desde o momento em que o cliente deixa a
encomenda na empresa até o momento em que o destinatário a recebe.
(D) estabelece critérios de atendimento aos clientes a serem adotados pelos funcionários, que serão acompanhados
pela gerência, através de indicadores de desempenho.
(E) estabelece normas internas que limitam a divulgação de informações sobre a encomenda ao cliente.

(CESG/CEFET/2014/ADM13/PEST/DEC) 115/39- De acordo com as situações a que se aplicam, as decisões podem ser
classificadas de diversas formas. As decisões que se aplicam a problemas repetitivos são denominadas
(A) coletivas (B) individuais (C) maximizadas (D) programadas (E) administrativas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/PEST/AUD) 116/43- A auditoria é caracterizada pela confiança em alguns


princípios que fazem dela uma ferramenta eficaz e confiável em apoio a políticas de gestão e controles, fornecendo
informações com base nas quais uma organização pode agir para melhorar seu desempenho. O princípio de
auditoria que estabelece que confiança, integridade, confidencialidade e discrição são características essenciais para
auditar é o princípio da(o)
(A) independência (B) conduta ética (C) apresentação justa
(D) abordagem baseada em evidência (E) devido cuidado profissional

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/PEST/RSC) 117/45- A Análise Preliminar de Riscos (APR) se descreve da seguinte


maneira:
(A) é uma técnica de análise de riscos que consiste em identificar os modos de falha dos componentes de um sistema, os
efeitos dessas falhas para o sistema, para o meio ambiente e para o próprio componente.
(B) é a técnica de identificação de perigos e operabilidade que consiste em detectar desvios de variáveis de processo em
relação a valores estabelecidos como normais.
(C) é uma técnica de identificação de perigos e análise de riscos que consiste em identificar eventos perigosos, causas e
consequências e estabelecer medidas de controle.
(D) é uma técnica de identificação de perigos e análise de riscos que parte de um evento topo escolhido para o estudo e
estabelece combinações de falhas e condições que poderiam causar a ocorrência desse evento.
(E) é uma técnica de identificação de perigos e análise de riscos que identifica sequências de eventos que podem suceder um
evento iniciador.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 27


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/PEST/RSC) 118/46- Os estudos de análise e controle de riscos consideram que os


danos decorrem da relação entre
(A) agente passivo e alvo (B) agente agressivo e alvo (C) agente agressivo e meta
(D) agente ativo e objetivo (E) agente ativo e meta

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/PEST/RSC) 119/51- Em relação à definição de risco, considere as afirmativas


abaixo.
I – O risco é um resultado medido do efeito potencial do perigo.
II – O risco é uma medida de danos à vida humana, resultante da combinação entre a frequência de ocorrência e a
magnitude das perdas ou danos (consequências).
III – O risco é formado por um conjunto de fatores, tais como: natureza do perigo, acessibilidade ou acesso de contato
(potencial de exposição), características da população exposta (receptores), probabilidade de ocorrência e magnitude
da exposição e das consequências.

É correto o que se afirma em


(A) I, apenas
(B) II, apenas
(C) I e III, apenas
(D) II e III, apenas
(E) I, II e III

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/PEST/RSC) 120/53- A análise de risco é a caracterização científica sistemática


de efeitos adversos, em potencial, da exposição humana ou ecológica a agentes ou atividades perigosas.
Considerando-se a existência de uma população exposta, a análise de risco ambiental é a combinação de dois
fatores, que são os seguintes:
(A) legislação e técnicas de remediação (B) legislação e dados da área de estudo
(C) avaliação da exposição e análise do perigo (D) técnicas de investigação e técnicas de remediação
(E) técnicas de investigação e dados da área de estudo

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/PEST/RSC) 121/59- Segundo normas internacionais, o processo de gestão de


riscos consagrado na literatura é composto de 4 etapas fundamentais, que são:
(A) identificação, análise, avaliação e tratamento (B) identificação, avaliação, priorização e mitigação
(C) identificação, estudo, simulação e mitigação (D) reconhecimento, estudo, avaliação e mitigação
(E) reconhecimento, análise, simulação e tratamento

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/PEST/RSC) 122/34- Risco de um investimento pode ser conceituado como uma


ocorrência discreta, que pode afetar o resultado esperado para melhor ou para pior. Todo risco tem, ao menos, os
seguintes componentes:
(A) sensibilidade e ponto de nivelamento (B) árvores de decisão e simulação de Monte Carlo
(C) planejamento, execução e controle (D) evento em si, probabilidade e impacto
(E) identificação, quantificação e qualificação

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/PEST/RSC) 123/67- Uma firma está avaliando os custos de fabricação de um


novo produto. Os encarregados dessa avaliação fizeram três estimativas de custos variáveis, com base em três
cenários possíveis de ocorrer, sendo um de menor probabilidade, um outro de maior probabilidade e ainda um
terceiro de probabilidade média. Então, o valor esperado dos custos é tomado sob a condição de
(A) certeza (B) risco (C) incerteza (D) controle (E) jogos

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/PEST/RSC) 124/68X- O gerente de produção de uma fábrica está diante de um


dilema, qual seja, fabricar ou importar um componente de um novo produto. De forma a orientar sua decisão,
colheu dados e elaborou a árvore abaixo, na qual constam os custos de preparação das máquinas (setup) para

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 28


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

fabricar ou para apenas realizar a integração do componente importado, as probabilidades de demanda e as


estimativas de lucro líquido em cada alternativa, expressas em unidades monetárias (u.m.).

Assim, a alternativa mais viável com a justificativa que a ampara é


(A) importar o componente, uma vez que o lucro esperado, nesse caso, de 29,4 u.m., é maior que o da alternativa de
fabricar, de 21,2 u.m..
(B) importar o componente, uma vez que o lucro a ser obtido, nesse caso, de 25,0 u.m., é maior que o da alternativa de
fabricar, de 16,8 u.m..
(C) escolher conforme o momento, uma vez que, tanto a alternativa de fabricar, quanto a de importar o componente
tem lucro esperado de 4,4 u.m. em caso de demanda baixa.
(D) fabricar o componente, uma vez que o lucro esperado, nesse caso, de 25,0 um., é maior que o da alternativa de
importar, de 2,4 u.m..
(E) fabricar o componente, uma vez que o lucro esperado, nesse caso, de 43,2 u.m., é maior que o da alternativa de
importar, de 31,4 u.m..

$$ ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS (OSM):

(CESG/CEFET/2014/AS.ADM03/ADG/OSM) 125/27- A organização de uma empresa envolve diversas atividades para


que haja maior eficiência. Uma dessas atividades é o agrupamento das tarefas de tal forma que se torne mais fácil a
coordenação e integração das atividades. O processo de agrupar as tarefas é a(o)
(A) competitividade (B) departamentalização (C) descentralização
(D) produtividade (E) planejamento

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/ADG/OSM) 126/36- Em uma palestra para executivos brasileiros, um renomado


consultor internacional descreveu as seguintes características, ao abordar a maneira como uma grande corporação
é administrada atualmente:
1. A empresa tem diversos negócios isolados, ou um conjunto de negócios relacionados, que podem ser planejados
separadamente.
2. Cada negócio tem seu próprio grupo de concorrentes.
3. A empresa tem um gerente responsável pelo planejamento estratégico e pelo desempenho de cada área, a quem
cabe o controle da maioria dos fatores que afetam os lucros.

Essas características referem-se às


(A) fases do ciclo de vida dos produtos (B) forças e fraquezas competitivas
(C) oportunidades e ameaças organizacionais (D) perspectivas estratégicas corporativas
(E) unidades estratégicas de negócios

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 29


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/ADG/OSM) 127/30- Se aplicada a terceirização à consecução de objetivos


empresariais, pode-se dizer que NÃO constitui característica desta prática:
A Proporcionar melhor utilização dos processos de especialização.
B Uma política de marketing interativo, cooperação e criatividade.
C Focar na qualidade.
D Focar na economia de escala.
E Não depender de processos de parcerias.

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/ADG/OSM) 128/31- Uma estrutura organizacional desenhada de forma clássica, que


organiza agentes e artefatos em torno de processos centrais, com uma clara direção de coordenação, comunicação e
de esforços, é denominada:
A Estrutura funcional vertical. B Estrutura divisional funcional.
C Estrutura geográfica. D Estrutura horizontal.
E Estrutura híbrida matricial.

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/ADG/OSM) 129/33- Os objetivos, na visão organizacional, possuem uma linguagem


comum e respondem por tipologias. No caso da tipologia de base orgânica, pode-se dizer que:
A Possui amplitude de controle e atuação em ambientes mais dinâmicos.
B Não apresenta flexibilidade estrutural. C Utiliza decisões centralizadas.
D A hierarquia é observada com rigidez. E As relações humanas tendem a ser formais.

(CESG/CEFET/2014/AADM02/ADG/OSM) 130/37- Um auxiliar administrativo precisa desenvolver um gráfico que


represente a estrutura organizacional de uma empresa, utilizando, para tanto, blocos indicativos dos órgãos e linhas
verticais ou horizontais, interligando-os hierarquicamente. Nesse caso, o auxiliar desenvolverá um(a)
(A) organograma (B) plano operacional (C) manual de controle
(D) planejamento estratégico (E) descrição do cargo

(CESG/CEFET/2014/AADM02/ADG/OSM) 131/38- Um contador foi contratado para atuar em um órgão de staff.


Antes de tomar posse no cargo, ele procurou informações sobre o futuro trabalho que iria desenvolver. Em relação
aos aspectos que envolvem o cargo de staff a ser assumido pelo contador nesse órgão, considere as afirmativas a
seguir.
I - Ele seria responsável por uma atividade-fim.
II - Suas atividades estariam diretamente relacionadas ao objetivo principal da empresa.
III - Ele teria autoridade para assessorar os tomadores de decisão com informações contábeis.

Está correto o que se afirma APENAS em


(A) I (B) II (C) III (D) I e III (E) II e III

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/ADG/OSM) 132/28- Um consultor, ao analisar o desempenho operacional de


uma empresa que se destina à condução de projetos mecânicos, sugeriu que se adotasse a estrutura organizacional
mostrada abaixo.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 30


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

A sugestão do analista compreende a adoção de um modelo de estrutura


(A) funcional, caracterizada pela centralização das decisões e na existência de apenas um superior para cada
subordinado, o que facilitará o seu desempenho como empresa de projetos.
(B) celular, que tem como característica o autogerenciamento, perfazendo verdadeiras empresas dentro de empresas.
(C) matricial, caracterizada por uma dupla subordinação eventual, onde a autoridade sobre um dado recurso é dividida
entre o gerente funcional e o de projetos, favorecendo o desempenho da empresa na condução de seus projetos.
(D) por projetos, caracterizada por um processo temporário e com seus membros diretamente alocados aos gerentes
de projeto, facilitando o desempenho da empresa na condução dos projetos.
(E) em rede, que tem como foco a desagregação de funções sob coordenação de um diretor central, o que facilita,
sobremaneira, a condução de projetos.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/ADG/OSM) 133/33- Considere-se o layout da imagem apresentada abaixo.

Esse layout é do tipo


(A) envolvente
(B) panorâmico
(C) em corredor
(D) em espaço aberto
(E) estação de trabalho

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/ADG/OSM/BPM) 134/54. Analise e responda

Sob o paradigma da Reengenharia perde-se a importância da noção de Gestão por Processos

PORQUE

fazer a Reengenharia é reinventar a empresa, desafiando suas doutrinas, práticas e atividades existentes.

É correto afirmar:
(A) As duas afirmações são verdadeiras e a segunda justifica a primeira.
(B) As duas afirmações são verdadeiras e a segunda não justifica a primeira.
(C) A primeira afirmação é verdadeira e a segunda é falsa.
(D) A primeira afirmação é falsa e a segunda é verdadeira.
(E) As duas afirmações são falsas.

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/ADG/OSM/BPM) 135/29- Em relação a uma estrutura orientada a processos, pode-se


dizer que:
A O conhecimento não é para todos.
B Atua de forma funcional ou por meio de departamentos.
C Em sua funcionalidade lógica, não investe em tecnologia da informação.
D Em sua funcionalidade física, não sugere novos processos produtivos.
E Em sua funcionalidade parcial, não é recomendada para aplicação a processos físicos.

(CESG/CEFET/2014/AADM02/ADG/COM) 136/39- A comunicação na empresa é um dos maiores desafios para os


administradores por ser muito importante para o alcance dos objetivos. Um exemplo desse desafio é a resolução de
problemas, como o ocorrido na situação em que um atendimento de telemarketing não é realizado porque a central

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 31


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

de telefonia da empresa não está funcionando no dia em que houve uma solicitação. O exemplo acima apresentado
envolve um problema no processo de comunicação causado pelo seguinte elemento:
(A) canal (B) emissor (C) receptor (D) destinatário (E) transmissor

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/ADG/DES) 137/36- No contexto de gestão de indicadores, uma importante


ferramenta utilizada é o dashboard. A finalidade de tal ferramenta é
(A) permitir a redução de custos. (B) otimizar o fluxo produtivo. (C) criar métricas de avaliação.
(D) acompanhar indicadores. (E) gerenciar a cadeia de suprimentos.

(CESG/CEFET/2014/AS.ADM03/ADG/DES) 138/29- Uma empresa que foi recém-inaugurada está-se estruturando


para que possa crescer de maneira organizada. Para isso, está estabelecendo uma série de padrões que deverão ser
atendidos nos diferentes processos que são realizados na produção e que servirão como indicadores de desempenho.
Ao estabelecer padrões para seus processos e indicadores de desempenho, que função da administração a empresa
está realizando?
(A) Planejamento (B) Direção (C) Controle (D) Organização
(E) Coordenação

(CESG/CEFET/2014/ASSOC17/ADG/DES) 139/29- Num projeto de intervenção, o assistente social definiu os


elementos que servirão para medir a efetividade das ações que ele pretende realizar, quantificando e qualificando o
trabalho proposto. Esses elementos são os
(A) indicadores (B) métodos (C) objetos
(D) objetivos (E) recursos

(CESG/CEFET/2014/ASSOC17/ADG/DES) 140/30- Um dos objetivos de um programa social consiste na melhoria da


gestão de programas preexistentes, otimizando a prestação de serviços aos usuários sem aumentar os custos.
Considerando-se essa tendência de racionalização dos gastos, no processo de avaliação, deve haver uma
preocupação com a
(A) adaptabilidade (B) autonomia (C) eficiência
(D) participação (E) flexibilidade

(CESG/CEFET/2014/AADM02/ADG/DES) 141/36- Um aluno aprendeu, no curso técnico, sobre as funções que um


administrador exerce. Dentre essas funções, a que ele considerou mais interessante para as organizações públicas
foi a do desenvolvimento da função controle, uma vez que envolve determinadas ações, tais como a de
(A) alocar recursos e competências de forma interligada e por meio de uma estrutura organizacional adequada.
(B) definir os objetivos a serem alcançados e como fazer para atingi-los no curto, médio e longo prazos.
(C) estar atento aos desafios existentes no ambiente de negócios, dada a natureza da organização.
(D) incentivar e dinamizar as pessoas, dando-lhes metas e objetivos a serem alcançados.
(E) monitorar, avaliar e tomar ações corretivas, no sentido de garantir o alcance dos objetivos organizacionais.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/ADG/DES) 142/33- Com relação à construção de indicadores e às escalas usadas


para a avaliação operacional, considere as afirmativas a seguir.
I – A seleção dos dados componentes do indicador deve levar em conta a possibilidade de medir a intensidade do
problema ou do aspecto a ser avaliado.
II – Cada dado componente do indicador deve ser selecionado em função da importância e da relevância que
apresenta para o que se quer avaliar.
III – Os dados componentes de um indicador devem ser de mesma natureza e originados de uma única disciplina, não
havendo necessidade de interdisciplinaridade.
IV – Produzir indicadores é uma ação que exige conhecimento da realidade, domínio metodológico do modelo de
análise (modelo de relações) e competência na definição das ações a serem levadas a efeito.

É correto APENAS o que se afirma em


(A) I e II (B) II e III (C) III e IV (D) I, II e IV (E) I, III e IV

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 32


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

#ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA (PEST):


$$MKT: Administração Mercadológica: Pesquisa de Mercado, Segmentação de Mercado, Estratégias de Marketing,
marketing de Serviços, Gestão do Relacionamento com Clientes, Marketing Internacional, Comércio Eletrônico,
Sistemas de Informação Gerencial, Administração de Vendas (B2).

(CESG/CEFET/2014/BIBLIB19/PEST/CCENT) 143/50- Segundo Kotler (1998), a tarefa da organização é determinar as


necessidades, os desejos e os interesses dos mercados alvos e atender às satisfações desejadas mais eficaz e
eficientemente do que os concorrentes, de maneira a preservar ou ampliar o bem-estar dos consumidores/clientes e
da sociedade. A afirmação acima refere-se ao conceito de
(A) rede de marketing (B) marketing societal (C) composto de marketing
(D) pesquisa de mercado (E) variáveis comportamentais

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/CCENT) 144/64- Se a demanda atual por um produto for demasiadamente


intensa, a empresa pode aplicar a estratégia de demarketing, visando a adequar a procura à capacidade de
fornecimento. Nesse caso, o departamento de marketing deverá
(A) diminuir a promoção da marca e o preço sugerido ao mercado.
(B) inovar as ofertas ao mercado e ampliar o mix de produtos.
(C) adequar a produção à demanda e investir em maquinário.
(D) ampliar a área de atuação e a capacidade de produção.
(E) elevar o preço e reduzir os gastos com propaganda.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/PEST/CCENT) 145/45- O gerente de um grande fabricante de computadores


decide que a empresa deve focar-se na fabricação de computadores de alto desempenho, utilizando para tal os
componentes mais avançados, e oferecer atualizações e melhorias dos aparelhos a cada três meses. Por essa
decisão, depreende-se que essa empresa é orientada para
(A) produção (B) produto (C) marketing (D) relacionamento (E) vendas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/CCENT) 146/37- Uma indústria que adotou, no último ano, um sistema de


distribuição por multicanais percebe que vem perdendo o controle dos processos mercadológicos, principalmente em
relação à exposição dos seus produtos nas gôndolas dos canais e ao volume baixo de vendas dos seus
intermediários. Ela pode precaver-se dessa desvantagem utilizando ferramentas de
(A) comunicação interna (B) marketing direto (C) distribuição própria
(D) promoção nos pontos de vendas (E) relações públicas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/CCENT) 147/38- Além de atrair e reter os consumidores, uma boa gestão


pode aumentar a participação das compras, no curto prazo, em cada uma de suas categorias de produto. Uma ação
para aumentar essa participação do cliente é
(A) ampliar o número de pontos de vendas e reforçar o apoio aos diversos intermediários nos canais.
(B) aumentar os investimentos em propaganda institucional, fortalecendo a imagem da organização.
(C) estabelecer descontos nas compras à vista nos produtos mais vendidos em cada categoria.
(D) promover para os clientes em potencial a combinação de ofertas entre produtos que se complementam.
(E) treinar a equipe para realizar vendas incrementais com o intuito de negociar mais produtos com os atuais clientes.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/CCENT) 148/36- A globalização produziu efeitos para além da balança


comercial mundial. Modificou também as relações entre as empresas e os públicos-alvo e, consequentemente,
mexeu com as estruturas da Comunicação Organizacional. Novas estratégias surgiram em prol de um marketing
positivo. Um exemplo de marketing positivo é o de uma empresa que adote a estratégia de
(A) divulgar as viagens dos executivos da empresa ao exterior.
(B) expor a imagem do diretor-executivo em revistas de entretenimento.
(C) manter presença ativa dos executivos nas redes sociais, sem critérios.
Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 33
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(D) minimizar os erros cometidos pela empresa ao longo dos anos.


(E) patrocinar a instalação de bicicletas coletivas em uma metrópole.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/CCENT) 149/67- Existem cinco orientações concorrentes com base nas quais as
organizações conduzem suas atividades de marketing. A orientação que sustenta que os consumidores dão
prioridade a produtos de baixo custo e fáceis de ser encontrados é conhecida como orientação de
(A) marketing (B) marketing holístico (C) produção
(D) produto (E) vendas

(CESG/CEFET/2014/RP30/PEST/CCENT/CIM) 150/40- A melhor definição para Comunicação de Marketing encontra-


se em:
(A) Disciplina que cuida do relacionamento entre a empresa e o segmento que representa o consumidor do produto ou
do serviço fruto da empresa.
(B) Operação financeira entre uma empresa e uma pessoa jurídica que usufrui os bens, mediante pagamento de
prestações.
(C) Pedido de trabalho que geralmente é guardado num envelope em que se colocam todas as referências à imagem
da empresa.
(D) Política responsável pela transformação da mensagem em um formato que seja aceito por meio de divulgação
original.
(E) Processo para o desenvolvimento de competências comportamentais, psicológicas e emocionais, direcionadas ao
alcance de resultados planejados.

(CESG/CEFET/2014/RP30/PEST/CCENT/CIM) 151/41- Uma bem elaborada estratégia de Comunicação Integrada de


Marketing geralmente engloba três vertentes: mídia paga, mídia não paga e no media. As três oportunidades são
fruto do trabalho, respectivamente, dos seguintes profissionais:
(A) cineasta, relações públicas e publicitário (B) jornalista, vendedor e cineasta
(C) assessor, publicitário e vendedor (D) publicitário, jornalista e relações públicas
(E) vendedor, publicitário e jornalista

(CESG/CEFET/2014/RP30/PEST/CCENT/CIM) 152/48- Duas das ferramentas da comunicação integrada de marketing


mais frequentemente utilizadas no universo do marketing esportivo são
(A) licenciamento e logística (B) produto e distribuição (C) promoção de vendas e publicidade
(D) relações públicas e pesquisa de mercado (E) vendas pessoais e merchandising

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/CCENT/CIM) 153/60- O diretor de marketing de uma empresa do setor de


energia prevê, no seu planejamento anual, ações de relações públicas para consolidar sua imagem no mercado.
Sendo assim, deveria investir em ferramentas de comunicação tais como
(A) displays em pontos de venda e comerciais de tevê
(B) incentivo e treinamento para a equipe de vendas
(C) merchandising e programa de vantagens por compra
(D) patrocínio de eventos e assessoria de imprensa
(E) telemarketing e página de comércio eletrônico

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/CCENT/CIM) 154/22- Para atingir os objetivos de comunicação, um dos


passos importantes é o briefing. Nesse documento, há o resumo das informações de mercado sobre a marca, os
produtos e a empresa, com detalhamento de seu posicionamento frente à concorrência e aos públicos-alvo, bem
como a explicitação de tais objetivos. O briefing é montado a partir do(s)
(A) plano de metas da empresa e do seu plano de marketing
(B) planejamento estratégico da empresa e do seu plano de marketing
(C) balanços anuais e dos planos de metas futuras
(D) comentários nas redes sociais e dos balanços anuais
(E) registros históricos da empresa e de seus parceiros

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 34


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/CCENT/CIM) 155/23- Com os objetivos de aumentar a chance de


sucesso das estratégias de marcas de produtos e negócios adotadas pelas empresas e de otimizar os investimentos
realizados, o profissional de comunicação pode aplicar o conceito de comunicação integrada, para a qual é preciso
(A) eleger o maior número de pontos de venda e integrá-los.
(B) escolher apenas uma mídia tradicional que seja adequada ao objetivo.
(C) integrar e ajustar as ferramentas, as mídias e os pontos de venda entre si.
(D) selecionar apenas uma ferramenta publicitária adequada ao objetivo.
(E) utilizar uma linguagem — visual e verbal — heterogênea para atingir o maior número de pessoas.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/CCENT/CIM) 156/24- Ao praticar a gestão e a operacionalização da


comunicação de forma integrada, o profissional da área tem à sua disposição uma grande quantidade de ações para
conseguir atingir seus objetivos. Entre as ferramentas disponíveis, encontram-se as seguintes:
(A) anúncio – pop up – folheto
(B) cartazes – concurso – site (C) merchandising – relações públicas – filme
(D) propaganda – promoção – anúncio (E) propaganda – promoção – relações públicas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/CCENT/CIM) 157/35- Dadas as características, os objetivos e a


conceituação da organização de eventos para a estratégia de Relações Públicas, um evento é definido como um(a)
(A) acontecimento excepcional e não planejado que busca gerar envolvimento e mobilização entre os participantes.
(B) instrumento eficiente de contato entre a empresa promotora e o contratante.
(C) meio de atingir um público heterogêneo e disperso geograficamente, mas que tem identificação direta com as
ações da organização.
(D) veículo, através do qual a organização mantém relacionamento com seus públicos de interesse, sem a participação
de intermediários.
(E) ação de comunicação massiva que busca atingir um target de potenciais consumidores.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/CCENT/CIM) 158/48- O marketing esportivo é a aplicação dos quatro P


do marketing mix em um contexto esportivo, concebido para atender às necessidades dos clientes do esporte, sejam
eles consumidores individuais, jogadores ou investidores corporativos. Um produto esportivo, no entanto, tem mais
características de serviço do que de mercadoria. Nesse contexto, a variável Distribuição do marketing mix refere-se
à(ao)
(A) emissão de ingressos e à previsão de renda da bilheteria
(B) instalação esportiva e à cobertura de mídia
(C) licenciamento de produtos e à aplicação da marca nos uniformes
(D) patrocínio corporativo e à promoção de vendas
(E) ticketing e ao merchandising

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/CCENT/CIM) 159/49- Uma atividade de patrocínio que combina vendas


pessoais com promoção é a hospitalidade, um benefício do patrocinador, comumente associado a eventos esportivos
de grande visibilidade. Um exemplo de ação de hospitalidade é a(o)
(A) aplicação da marca do patrocinador em uniformes e ingressos.
(B) associação indireta de uma marca a um evento esportivo.
(C) venda de produtos licenciados, sem a necessidade de pagamento de royalties.
(D) fornecimento de ingressos e de entretenimento em camarotes.
(E) direito de nomear um estádio com a marca do patrocinador.

(CESG/CEFET/2014/RP30/PEST/PQM) 160/37- O projeto de pesquisa de mercado envolve, entre vários processos, o


de planejar a coleta de dados e a sua posterior análise. Em relação a esse processo, considere as afirmativas abaixo.
I – A seleção das ferramentas depende da configuração do mercado e da posição ocupada pela empresa.
II – O tempo disponível e o custo para coleta e análise de dados não se configuram como restrições à aplicação da
pesquisa.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 35


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

III – Um dos delineamentos básicos da pesquisa, que pode ser exploratória, descritiva ou causal, dentre outros, é
selecionado após a definição do problema.

É correto o que se afirma em


(A) I, apenas (B) III, apenas (C) I e II, apenas (D) II e III, apenas (E) I, II e III

(CESG/CEFET/2014/RP30/PEST/PQM) 161/43- Uma pesquisa sobre o grau de confiança do consumidor nas diversas
formas de publicidade, realizada em 2009, descobriu que 90% das pessoas confiam nas recomendações de pessoas
conhecidas, 65% confiam em outras formas de publicidade e 70% dos consumidores declararam confiar nos meios
ligados ao marketing de conteúdo. O que essa pesquisa demonstra é a eficiência da indicação, a chamada
propaganda boca a boca. No meio digital, o marketing viral tem sido usado para esse tipo de comunicação. Uma
boa estratégia dessa ferramenta é a
(A) criação de redes próprias para distribuição. (B) distribuição paga através de quantias simbólicas.
(C) propagação da mensagem através de usuários alfa. (D) priorização da compra de mídia convencional.
(E) promoção que distribua amostras gratuitas do produto.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/PQM) 162/67- Uma pesquisa de mercado pode basear-se em dados primários ou


secundários, levantados para um determinado fim. A diferença entre os dois tipos de dados é que o primeiro
(A) é apurado diretamente junto ao público-alvo, e o segundo vem de fontes já existentes no mercado.
(B) está baseado em métodos qualitativos, e o segundo se baseia em modelos quantitativos.
(C) implica menos confiabilidade, enquanto o segundo fornece maior garantia para a pesquisa.
(D) representa o início de uma pesquisa de mercado, enquanto o segundo ocorre no final do trabalho.
(E) vem de fontes primárias de pesquisa como observação dos clientes, e o segundo advém dessas informações.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/PQM) 163/55- O gerente de marketing queria testar os produtos de


consumo da empresa no mercado. Para tanto, ofereceu o produto a um grupo determinado de consumidores. Uma
semana depois, ofereceu o produto novamente a um preço pouco mais baixo que o normal. Repetiu o mesmo
procedimento por mais cinco semanas e registrou quantos clientes selecionaram novamente o produto da empresa e
o nível de satisfação desses clientes. Esse método de teste de produto de consumo no mercado é denominado
(A) pesquisa ininterrupta (B) mercado-teste simulado (C) mercado-teste controlado
(D) simulação role playing selling (E) pesquisa de onda de vendas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/PEST/PQM) 164/47- Um consumidor interessado em comprar um automóvel


deixou de lado as indicações de amigos e familiares e as matérias publicadas em revistas especializadas. Muito
pouco sensível a propagandas de montadoras de carros, sua compra é decidida depois de testes com diversos
veículos. Quando vai comprar um carro, ele se inscreve em todos os eventos de test-drive e sempre pede para dirigir
os carros dos amigos. As principais fontes de informações para a compra de veículos por parte desse consumidor são
as fontes
(A) pessoais (B) comerciais (C) públicas (D) experimentais (E) ideais

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/PQM) 165/33- A Tabela abaixo foi elaborada por um instituto de pesquisa,


a pedido de uma rede de lojas de conveniência estabelecida em postos de gasolina em um país da América do Sul. O
objetivo da pesquisa foi relacionar a participação das mulheres na população economicamente ativa (PEA) com as
despesas da família em alimentação.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 36


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Com base nos dados apurados, a direção da rede deverá


(A) ampliar o mix de produtos com carnes, legumes e outros alimentos perecíveis.
(B) aumentar a oferta de produtos congelados, como massas e salgados pré-assados.
(C) diminuir o preço dos produtos, especialmente bebidas alcoólicas e refrigerantes.
(D) investir em propagandas institucionais, em redes nacionais de rádio e televisão.
(E) promover a venda casada de produtos de perfumaria e higiene pessoal.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/DSP) 166/59- O aumento na concorrência leva uma distribuidora de gás de


cozinha a buscar um posicionamento específico de mercado, afirmando em suas propagandas que é a mais antiga
da cidade. Nesse caso, a empresa adota um posicionamento
(A) por categoria (B) por atributo (C) por benefício (D) por uso/aplicação
(E) contra concorrente

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/DSP) 167/61- Uma campanha para a conquista de novos consumidores, baseada


em uma segmentação demográfica, deve ser composta de anúncios para
(A) cidadãos de terceira idade, com alto poder aquisitivo
(B) grupos de clientes com pouco relacionamento com a empresa
(C) moradores de bairros nobres em cidades da região sudeste
(D) passageiros de companhias aéreas em viagem de negócio
(E) pessoas requintadas, com estilo de vida sofisticado e luxuoso

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/DSP) 168/27- Tudo relacionado a uma organização ajuda na criação de


sua imagem na mente dos indivíduos. Uma forma de a organização interferir positivamente nesse processo é
(A) avaliando o desenvolvimento de sua imagem em outros públicos que não o seu.
(B) criando mecanismos para sua marca ter pouca evidência nas redes sociais.
(C) fazendo sua marca aparecer, não importando de que modo isso aconteça.
(D) informando o seu público sobre si e seus produtos.
(E) utilizando basicamente formas tradicionais para se comunicar com seu público.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 37


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/PEST/DSP) 169/63- Em vez de enfatizarem a fabricação e a venda, as empresas estão


passando a se enxergar como parte de uma sequência de criação e entrega de valor. Esse processo consiste em três
etapas:
1) selecionar o valor; 2) fornecer o valor; 3) comunicar o valor.

Na etapa 1, a equipe de marketing deve


(A) desenvolver o produto, sendo parte do marketing tático.
(B) determinar o preço, sendo parte do marketing estratégico.
(C) promover vendas, sendo parte do marketing tático.
(D) segmentar o mercado, sendo parte do marketing estratégico.
(E) selecionar o mercado-alvo, sendo parte do marketing tático.

(CESG/CEFET/2014/BIBLIB19/PEST/MKTSRV) 170/41- A necessidade de instrumentos mais sensíveis de medição,


capazes de identificar e de registrar elementos relativos à qualidade, fez com que um grupo de bibliotecários
desenvolvesse e implementasse, em 2002, uma avaliação apoiada numa metodologia chamada SERVQUAL, já
adotada por outras bibliotecas. As 5 dimensões analisadas por esse modelo são: tangibilidade, confiabilidade,
receptividade, além de
(A) satisfação e rapidez (B) flexibilidade e credibilidade (C) razoabilidade e reciprocidade
(D) ambiente e feedback (E) garantia e empatia

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/PEST/MKTSRV) 171/46- Ao entrar em um posto de gasolina, o consumidor


estava preocupado em calibrar os pneus de seu carro e encher o tanque em menos de quinze minutos, para não se
atrasar para o trabalho. Dez minutos depois, o consumidor estava feliz porque os pneus estavam calibrados, o
tanque cheio e até o para-brisas tinha sido lavado. Uma comparação entre o que o consumidor esperava com
relação ao serviço prestado pelo posto de gasolina e o que ele efetivamente recebeu expressa o conceito de
(A) custo (B) desejo (C) satisfação (D) demanda (E) necessidade

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/PEST/MKTSRV) 172/50- O gerente de uma loja de conveniência percebeu que


os clientes não faziam questão de ter um atendimento individualizado e, por isso, decidiu reduzir o número de
funcionários na loja. A diminuição de seus custos com pessoal pôde ser repassada para os preços dos produtos
vendidos, mas, a partir de então, os clientes teriam de procurar, comparar e selecionar os produtos que desejavam,
sem o apoio de nenhum funcionário. De acordo com o nível de serviço oferecido, essa loja de conveniência é
classificada como sendo de
(A) seleção (B) atacado (C) autosserviço (D) serviço limitado (E) serviço completo

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/MKTSRV) 173/52- Os consumidores sabem que devem esperar variações


na prestação de serviços de um prestador para o outro. Até mesmo por parte do mesmo prestador há variações nas
prestações de serviços, afinal, uma das características dos serviços é a heterogeneidade. A diferença entre os níveis
de serviço desejado pelo consumidor e aquele que ele considera adequado é denominada
(A) intangibilidade
(B) expectativa ideal (C) zona de tolerância (D) promessa explícita
(E) intensificador transitório
(CESG/CEFET/2014/RP30/PEST/MKTREL) 174/49- A administração do relacionamento com os clientes é fortemente
baseada no levantamento e na análise das informações geradas ao longo desse processo. O núcleo central do
conhecimento dentro do processo de CRM (Customer Relationship Management) é o(a)
(A) benchmarking, que identifica as melhores práticas do mercado que levam a um desempenho superior.
(B) marketing de massa, que é capaz de atingir um número maior de clientes com um custo reduzido.
(C) pesquisa de mercado, a qual realiza levantamentos sistemáticos de informações que diminuem os riscos na tomada
de decisão.
(D) campanha de promoção de vendas, que realiza ofertas de redução de preços com o objetivo de aumentar o volume
das mercadorias comercializadas nos PDV (Pontos de Vendas).
(E) data warehouse, que reúne informações detalhadas sobre o histórico dos clientes e suas transações.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 38


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/MKTREL) 175/66- Diversas empresas aplicam, hoje, cálculos para apurar o


verdadeiro nível de lucratividade de cada grupo de consumidores. Uma regra que pode ser utilizada para classificar
clientes em graus de lucratividade é a 80/20, segundo a qual
(A) 20 por cento dos clientes são responsáveis por 80 por cento dos lucros da empresa.
(B) 20 por cento das vendas concentram-se em 80 por cento dos acionistas minoritários.
(C) 80 por cento dos serviços são prestados por 20 por cento da força de trabalho.
(D) 80 por cento das vendas são concentrados em 20 áreas de atuação.
(E) 80 por cento das equipes estarão sempre motivados, enquanto 20 por cento estarão insatisfeitos.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/MKTREL) 176/70- O marketing de relacionamento é uma dimensão do


marketing, atualmente, que tem o objetivo de
(A) analisar periodicamente os ganhos do negócio e seus programas de marketing.
(B) fortalecer a relação com clientes, intermediários e outros parceiros da empresa.
(C) adotar múltiplos meios para integrar a comunicação interna e as equipes.
(D) motivar os colaboradores para o relacionamento adequado entre eles.
(E) capturar insights e desempenho das ações táticas e mercadológicas.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTREL) 177/46- No marketing de relacionamento, o processo de


análise do perfil de cada cliente é realizado por meio de
(A) análise ambiental e de pesquisa com novos entrantes no mercado
(B) análise da geração de leads e de intenção de recompra
(C) combinação dos resultados de buscas orgânicas e de ferramentas de SEO
(D) modelos estatísticos e de mineração de dados
(E) pesquisas de opinião e de clima organizacional

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTREL) 178/47- Com base nos conceitos de marketing de


relacionamento, o conjunto de três fontes de informações sobre o cliente final de uma cadeia de supermercados que
opera no varejo virtual é o seguinte:
(A) e-mail marketing, histórico de transações e carrinho de compras
(B) mala-direta, interações com call center e gestão de campanhas B2B
(C) promoção para o trade, frequência de compra e ticket médio
(D) propaganda cooperada, compras via EDI e gestão de carrinho abandonado
(E) propaganda institucional, status do usuário e Remarketing

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/MKTREL) 179/27- No relacionamento entre empresas e clientes, a figura do


vendedor ou daqueles que estabelecem contato diretamente com os clientes é fundamental na criação da imagem
da empresa perante o mercado. A administração de vendas hoje tem um papel muito importante frente à empresa e
ao mercado, sendo também responsável pelos resultados comerciais da empresa. Assim, constitui prática adequada
à administração de vendas
(A) negociar com fornecedores a entrega de matéria-prima para a produção dos bens a serem comercializados.
(B) preparar a estrutura de produção adequada àquilo que a empresa pretende produzir e vender no mercado.
(C) estabelecer metas de vendas, independente do cenário macroeconômico, que é uma variável interna.
(D) conduzir as atividades operacionais da área de produção, o que possibilitará atingir maior nível de vendas.
(E) trabalhar em conjunto com os clientes, para identificar suas necessidades, procurando proporcionar a satisfação
desejada.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/PEST/MKTREL) 180/38- A fidelização do cliente é um objetivo que as


empresas tentam alcançar, mediante a utilização de diferentes estratégias, ferramentas de gestão e práticas. Com o
avanço da tecnologia, tornou-se mais rápida e viável a interação da empresa com os clientes. Uma ferramenta de
automação que possibilita essa interação é a seguinte:
(A) SGQ (B) SGA (C) QFD (D) CRM (E) CEP

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 39


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/CEFET/2014/ADM13/PEST/MKTDI) 181/33- O comércio eletrônico desenvolveu-se muito e apresenta vários


modelos de negócios de internet. O modelo de negócio baseado em um ambiente digital onde compradores e
vendedores podem encontrar-se para fazer negócios é denominado
(A) provedor de serviços (B) provedor de conteúdo (C) provedor de comunidade virtual
(D) corretora de transações (E) criadores de mercado

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/MKTDI) 182/65- As mudanças tecnológicas trouxeram uma série de alterações


no modo como as empresas lidam com seus mercados, com a concorrência e com os consumidores. Nesse sentido, é
INCORRETO o seguinte julgamento:
(A) à medida que os custos da informação declinam, mercados caracterizados por altos custos de informação e
coordenação serão mais procurados pelos compradores.
(B) os bancos de dados das organizações deixarão de ter tanta importância para gerentes de marketing, que basearão
suas decisões no contato direto com os clientes, via internet.
(C) empresas com canais de vendas não eletrônicos bem sucedidos também poderão elaborar um canal de vendas
eletrônico para aumentar o lucro total.
(D) bens altamente conhecidos ou padronizados serão cada vez mais objeto dos mercados eletrônicos, devido ao fato
de o cliente não necessitar vê-los ou senti-los.
(E) produtos que podem ter um suporte eficiente por meio de informações on-line para os clientes terão maior
oportunidade de serem vendidos por meios eletrônicos.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTDI) 183/52- A internet consolidou a liberdade de expressão,


abrindo um espaço de baixo custo para postagens com informações e opiniões. Gastronomia, moda e
comportamento popularizaram especialistas que abriram um novo campo de trabalho para a Comunicação Social de
uma empresa. Os autores desses espaços virtuais, tratados como especialistas, são os
(A) colunistas (B) blogueiros (C) designers (D) ghostwriters (E) promoters

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTDI) 184/53- Nos sites oficiais de grandes empresas, diante das


peculiaridades em relação à veiculação das notícias via internet, é fundamental que os redatores e editores de
conteúdo possuam
(A) rapidez e superficialidade (B) decisão e concisão (C) pontualidade e criatividade
(D) bom gosto e prolixidade (E) texto final e objetividade

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTDI) 185/54- Diante do múltiplo uso das redes sociais e do grande


número de pessoas que as acessam, muitas empresas já criaram manuais de conduta de exposição dos funcionários
na internet, explicando, inclusive, como usar preferencialmente essas redes em uma relação de trabalho. Entre as
diversas redes sociais, há uma, em especial, com objetivo quase exclusivamente profissional, que é o
(A) Facebook (B) Instagram (C) Twitter (D) Linkedin (E) Youtube

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTDI) 186/55- Nascido praticamente a partir de uma brincadeira, o


Facebook surgiu com a proposta de ser um site de relacionamento, sendo logo adotado como um potente veículo de
comunicação. Para uma empresa, por exemplo, a principal vantagem para manter um perfil nesse tipo de mídia
social, dentro do conceito de uso das ferramentas contemporâneas de Comunicação Empresarial, é
(A) abrir oportunidades para seleção de candidatos.
(B) cultuar o hábito da troca de informações, via internet.
(C) estabelecer um canal entre o produtor e o consumidor.
(D) facilitar o agendamento de atividades comemorativas.
(E) promover o intercâmbio de dados entre os funcionários.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/PEST/MKTDI) 187/33- O comércio eletrônico já é uma realidade mundial.


Muitas empresas se utilizam desse veículo para ampliar a abrangência de sua atuação, conquistando mais clientes.
Embora seja um meio de atingir outros mercados mais distantes, existem alguns cuidados primordiais para que a
empresa não fracasse em sua nova estratégia. O comércio eletrônico, com sua abrangência mundial, possibilita a(o)

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 40


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) padronização dos aspectos intangíveis das relações comerciais.


(B) minimização das restrições geográficas e de tempo.
(C) plena liberdade de comercialização em função da oferta de bens de consumo, sem restrições.
(D) maior competitividade, consequência do aumento dos preços praticados pelas empresas que se utilizam desse
veículo de comercialização.
(E) atendimento a todos os mercados, indistintamente, minimizando os custos de operação.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/PEST/MKTDI) 188/30- Uma certa empresa permite que, diariamente, seus


dados sobre vendas sejam acessados por um fornecedor, através de uma rede extranet. A situação descrita acima
caracteriza uma relação de comércio eletrônico do tipo
(A) B2B (B) B2C (C) C2B (D) C2C (E) C2G

(CESG/CEFET/2014/RP30/PEST/MKTI) 189/38- Uma empresa brasileira do setor de petróleo e gás foi convidada pelo
Consulado Geral do Canadá a participar de um encontro com empresas canadenses do mesmo setor. A visita teve
como objetivo identificar e atrair empresas interessadas em investir no Brasil por meio de parcerias com companhias
brasileiras. De acordo com a tipologia dos eventos, essa situação é um exemplo de
(A) conferência (B) dia de campo (C) entrevista coletiva
(D) open day (E) rodada de negócios

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTI) 190/56- Saímos de uma Copa do Mundo para uma “copa


política” – a Sexta Cúpula Presidencial dos Brics –, à qual se seguirá uma reunião entre os líderes do Brics e da
Unasul. [...] Como qualquer proposta dirigida para mudar o status quo vigente, o Brics tem sofrido intensa
campanha nos meios de comunicação ocidentais, voltada para desacreditar o grupo, reduzindo-o à condição que
tinha, no inicio, de mera sigla econômica. [...] É claro que não podemos abrir mão de nossas relações com o resto do
mundo, mas, [...], os laços que nos ligam a Moscou, Pequim, Nova Délhi e Pretória deverão permanecer como pilar
essencial de nossas relações externas. Isso vale para a economia, com o atendimento, pelo Brasil, do imenso
mercado que surgirá, nos próximos anos, [...]. Mas também vale para a política, com o estabelecimento de uma
aliança estratégica mundial com países que podem nos ajudar a queimar etapas nas áreas de tecnologia, diplomacia
e defesa nos próximos anos. Disponível em:<http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/97/a-copa-dos-brics-
6605.html>. Acesso em: 25 jul. 2014.

No encontro mencionado entre líderes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, sediado em Fortaleza no dia
seguinte ao da final da final da Copa do Mundo, foi anunciada a criação do Banco do Brics. Com base no texto, verifica-
se que o fortalecimento da aliança estratégica no grupo do Brics reflete, principalmente, uma mudança na
(A) geopolítica global (B) globalização perversa (C) ação das empresas transnacionais
(D) cooperação militar entre países do Ocidente (E) forma de atuação dos governos da União Europeia

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTI) 191/57- Em manchete, o jornal Folha de S.Paulo, do dia 27 de


julho de 2014, apresenta a seguinte informação:

México promove reforma ampla para abrir setor de energia

As alterações para essa reforma ampla no setor de energia têm um foco que gera muita polêmica. Enquanto, por
exemplo, os defensores da medida consideram salutar a concorrência entre empresas estrangeiras, os críticos e
opositores temem falta de transparência nos contratos. Seja qual for a análise adotada, é fato que esse foco envolve,
principalmente,
(A) aumento do controle para proteção ambiental
(B) redução da capacidade produtiva industrial
(C) desmonte da autonomia energética conquistada na última década
(D) garantia de redução do custo de energia para os consumidores domésticos
(E) abertura para investimento privado na exploração, produção e transporte do petróleo e do gás natural

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 41


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTI) 192/61- Após 1945, o mundo dividiu-se ideologicamente em 2


blocos, e tal divisão teve implicações profundas sobre as relações comerciais. Os Estados Unidos lideraram a
proposta da criação de uma Pax Americana para o mundo ocidental, motivados pela ideia de que o comércio
internacional era o ponto fulcral para o desenvolvimento mundial. Em 1947, representantes de 23 países reuniram-
se para a rodada de Genebra, dando origem ao Acordo Geral de Tarifas e Comércio, conhecido pela sigla GATT. O(s)
principal(is) objetivo(s) do GATT era(m)
(A) elevar impostos de importação para reduzir o volume de importações nos Estados Unidos.
(B) promover a diminuição de barreiras comerciais e a redução de tarifas entre países participantes.
(C) desenvolver sólidas alianças entre membros do bloco soviético, com base na troca de commodities.
(D) promover embargo comercial às nações do bloco capitalista e combater o liberalismo econômico.
(E) implementar o Conselho para Mútua Assistência Econômica e criar um banco internacional de desenvolvimento.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/MKTI) 193/62- A integração econômica é um dos principais fenômenos


econômicos a afetar os mercados mundiais desde a II Guerra Mundial e tem sido praticada de 4 formas. A forma de
integração econômica na qual são removidas as barreiras de comércio entre os países, mas em que não há
harmonização de políticas monetárias, de política fiscal e de gastos governamentais, nem tampouco há política
comercial comum no que diz respeito ao comércio com não membros é denominada
(A) união aduaneira (B) união econômica (C) mercado comum
(D) conselho mercantil (E) área de livre comércio

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/PEST/VND) 194/62- Bancos de dados com informações sobre o comportamento de


compra dos clientes representam, atualmente, importante ferramenta estratégica de vendas para as empresas, que
são capazes de realizar triagem por meio de estatística. Ao utilizar essas ferramentas, no âmbito da administração
das vendas, as empresas são capazes de
(A) ampliar o alcance na distribuição e prover retorno aos intermediários.
(B) copiar estratégias vencedoras e inovar no mercado.
(C) definir melhor seus mercados-alvos e aumentar a resposta dos clientes.
(D) promover a motivação da equipe e melhorar o clima interno.
(E) reduzir os gastos com propaganda e mensurar o retorno das mídias.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/PEST/VND) 195/48- Um fabricante de lubrificantes sintéticos para motores


pratica o menor preço possível em seus produtos. Com o crescimento das vendas e o aumento da produção, seus
custos de produção passam a ser decrescentes, o que lhe possibilita oferecer produtos ainda mais baratos ao
mercado. Seus preços são tão baixos que os concorrentes se sentem desestimulados a atuar nos mesmos mercados.
Com base nessas informações, o objetivo de determinação de preços dessa empresa é classificado como
(A) sobrevivência (B) desnatamento máximo de mercado
(C) liderança na qualidade do produto (D) maximização do lucro atual
(E) maximização da participação de mercado

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/PEST/VND) 196/53- O gerente de uma empresa deseja definir qual o número


ótimo de vendedores para um determinado território cuja previsão anual de vendas é da ordem de R$ 3.000.000,00.
Dados da empresa mostram que a produtividade mínima desejável por vendedor é de R$ 200.000,00, e o turnover
anual de vendedores na empresa é de 20%. Utilizando o método do potencial de vendas, o número ótimo de
vendedores para a empresa é
(A) 12 (B) 13 (C) 15 (D) 18 (E) 21

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/PEST/VND) 197/49- Suponha que um fabricante de lubrificantes tenha os


seguintes custos e expectativas de vendas:
. Custo variável por litro = R$ 1,30 . Custos fixos = R$ 3.000.000,00
. Venda esperada, em litros = 5.000.000

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 42


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Se esse fabricante desejasse realizar um markup de 27% sobre as vendas, seu preço de markup, em reais, seria:
(A) 1,65 (B) 1,90 (C) 2,28 (D) 2,60 (E) 2,97

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/BRAND) 198/43- A reputação de uma marca está na cabeça de cada


um, é particular de cada indivíduo, e a percepção de um consumidor sobre determinada empresa pode influenciar os
outros. Pode-se dizer, então, que a credibilidade dessa empresa depende, dentre outros itens, da confiança do
público, e só será alcançada se houver honestidade e transparência nas práticas institucionais. No que diz respeito à
reputação de uma marca, verifica-se que ela
(A) é construída no interior da organização. (B) é a manifestação visual da sua realidade.
(C) gera expectativas associadas à oferta. (D) possui caráter conjuntural. (E) possui efeitos efêmeros.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/PEST/BRAND) 199/44- Alguns autores apontam uma mudança no modo


como sociedade e organizações encaram a geração de valores, ou seja, como se evoluiu de um modelo monetário
para um não monetário, mais ligado a valores qualitativos. Nesse modelo, entram em cena motivações como
expressão, experimentação e diversão. Ao assumir essas características, a construção da reputação corporativa
passa a valorizar a(o)
(A) economia tradicional (B) comunicação mercadológica (C) imagem percebida
(D) patrimônio palpável (E) portifólio de produtos

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 43


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

#RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (RESA):


(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/RSE/ETC) 200/70- O diretor de uma empresa vê-se frente a uma difícil
decisão: construir ou não a barragem que servirá para gerar energia elétrica para toda uma região. Como forma de
definir o que fazer, ele calcula as consequências das possíveis decisões sobre cada um dos grupos envolvidos. Conclui
que se a barragem for construída, o benefício a toda a comunidade será maior do que qualquer transtorno que
possa vir a ser causado. Ele acredita que sua decisão sobre a construção da barragem trará mais satisfação para
uma quantidade maior de pessoas. A abordagem para a tomada de decisão ética que descreve a estratégia desse
diretor é a abordagem
(A) utilitária (B) genérica (C) da justiça (D) do individualismo (E) da moral e dos direitos

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/RSE) 201/32- Um balanço social é um veículo para que diferentes


públicos da organização tenham acesso aos dados de investimento social. Assim, a publicação do balanço social
(A) é obrigatória por lei e tem periodicidade definida.
(B) é uma forma de prestação de contas da atuação da organização.
(C) garante incentivos fiscais para empresas que atuam na área social.
(D) propicia um relacionamento mais saudável entre a organização e os órgãos do governo.
(E) justifica-se apenas quando a organização tem ações sociais que incrementam sua imagem institucional.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/RSE) 202/41- Há, atualmente, um cenário que aponta a necessidade de


uma nova conformação das 3 forças que sustentavam as sociedades, dada a menor participação do primeiro setor
(Estado) e maior do segundo (Empresas) e do terceiro (Sociedade Civil Organizada) nas questões públicas. Essa nova
ordem de papéis, representados por esses 3 setores, é um indicador de que
(A) a atuação comercial está desvinculada de seus discursos.
(B) a universalização dos serviços públicos não é mais função do Estado.
(C) uma responsabilidade maior sobre questões sociais é atribuída às empresas.
(D) as práticas de produção ricas em informação são utilizadas pelo Estado.
(E) o engajamento social corporativo limitou-se às minorias.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/RSE) 203/58- Passadas as ondas estatizantes e privatizantes mais


agudas, novas formas de encarar o segmento de petróleo e gás se consolidam de forma a se manter o interesse do
Estado como determinante, sem deixar de integrar- se em um modelo de participação de vários atores. Disponível
em:<http://ecen.com/eee68/eee68p/petroleo_estado.htm>. Acesso em: 15 jul. 2014.

Sob o ponto de vista de que o mundo aceita formas distintas de conduzir esse negócio sem maniqueísmos redutores,
conforme a ótica predominante de reserva total para o Estado ou para o setor privado, o que mudou essencialmente
foi o sentimento, agora aparentemente majoritário, de que o petróleo e o gás são, de fato, importantes
(A) recursos naturais renováveis
(B) fatores de poder e de renda
(C) insumos de disponibilidade e distribuição igualitária no planeta
(D) instrumentos impulsionadores da justiça social
(E) riquezas sob controle absoluto dos Estados nacionais

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/RSE) 204/59- De acordo com a atual literatura internacional


especializada, países capitalistas avançados que até pouco tempo eram referência em termos de trajetórias
distributivas menos concentradoras voltaram a se conectar com o passado perverso. Ou seja, um retorno dos
indicadores alarmantes da crescente pobreza e da piora na repartição da renda em decorrência das políticas
neoliberais. O Brasil, por outro lado, segue perspectiva distinta [...] e passou a reduzir simultaneamente a pobreza e
a desigualdade de renda. [...] Ainda há muito mais o que fazer em termos de combate à má repartição da renda,
bem como no processo de inclusão social; entretanto, o que já foi feito apresenta resultados inegáveis [...]
POCHMANN, Marcio. Trajetória e deslocamento distributivo no Brasil. Jornal Le Monde Diplomatique. Brasil, Ano 7,
n. 84, jul. 2014, p.8-9.
Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 44
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Na perspectiva de análise do autor do texto, esse resultado positivo na redução da pobreza e da desigualdade de renda
se deu por conta de novas políticas que incluíram, principalmente, apoio
(A) ao setor de serviços, na forma de maior oferta de empregos informais.
(B) aos produtores rurais, na forma de incentivos à produção para o mercado interno.
(C) aos empresários da indústria, na forma de desenvolvimento da infraestrutura.
(D) às transações de comércio internacional, na forma de maior facilidade burocrática.
(E) às classes trabalhadoras, na forma de elevação da renda na base da pirâmide social.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/GRS/RSE) 205/48- Uma determinada empresa possui como principal fonte de


fornecimento o produto do plantio de agricultores familiares. Os gestores dessa empresa decidem criar um
programa de investimentos de longo prazo, a fundo perdido, visando à melhoria da qualidade da terra desses
fornecedores. Os principais resultados esperados, a partir da aplicação desse programa, são: o aumento da
produtividade e da renda por parte dos agricultores e a redução do risco e do custo no fornecimento. Nesse caso, tal
empresa demonstra desenvolver uma ação relacionada à(ao)
(A) cidadania empresarial (B) responsabilidade social empresarial (C) filantropia empresarial
(D) voluntariado empresarial (E) assistencialismo empresarial

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/RSE) 206/11- De acordo com as informações ABAIXO, referentes a um


determinado contexto cultural e histórico específico, o filme citado deve expor, na tela, uma cidade então tomada
pela

Descontando-se o excesso de capricho estético das imagens — a paisagem inteira em tons de ocre, ruas e vielas
exibindo paralelismo extremo e caravelas chegando ao cais quase em ordem unida —, devia ser mais ou menos assim
o Rio do início do século XIX. Essa foi a cidade criada em computação gráfica pelo Estúdio Aevo, um trabalho em 3D
sobre a Zona Portuária para o longa O Inventor de Sonhos, de Ricardo Nauemberg [...] Tudo começa em 1808, quando
da abertura dos portos às nações amigas, com os acontecimentos narrados sob a ótica de um menino mestiço em
busca de seu pai, um artista europeu. - Revista Veja. São Paulo Abril, 2.336. ed. ano 46, n. 35, 28 ago. 2013. Revista
Veja Rio, ano 22, n. 35, p. 26.

(A) violência urbana (B) economia neoliberal (C) ideologia escravocrata


(D) arquitetura renascentista (E) política republicana ditatorial

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/RSE) 207/12- O conceito de cidadania emerge com uma nova roupagem no


universo político e jurídico contemporâneo. [...] As novas realidades enfrentadas contemporaneamente atingem
cada vez mais uma dimensão global, colocando os cidadãos de diferentes e longínquos países diante dos mesmos
problemas. [...] A cidadania ambiental cosmopolita afirma o princípio democrático para além das fronteiras
nacionais, [...]. - SOUSA, M. T. C.; LOUREIRO, P. (org). Cidadania – Novos Temas, Velhos Desafios. Ijuí: Unijuí, 2009, p.
39.
Nesse sentido, a questão ambiental, impondo às nações e aos cidadãos uma aliança planetária na ação
internacional, é vista, de forma mais abrangente, como tendo um papel fundamental no(a)
(A) processo civilizatório local (B) acesso à informação das nações ricas
(C) avanço tecnológico dos países emergentes (D) construção da política contemporânea
(E) dinâmica econômica dos mercados regionais

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 45


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/RSE) 208/13- Entra governo, sai governo e a pauta da reforma política sempre é
incluída na agenda nacional, embora nunca efetivada. Mas este ano é diferente. Há uma urgência [...] em responder
às demandas das ruas surgidas com as manifestações iniciadas no mês de junho de 2013, quando ficou evidente a
rejeição ao atual jogo político [...]. Mas cientistas e juristas mostram-se descrentes quanto a essa possibilidade [...]. -
CIRNE, Rita. Reforma Política. Revista Caros Amigos, São Paulo: Caros Amigos Ltda, ano XVII, n. 197, 2013, p. 24.
Adaptado.

Muitos estudiosos da questão consideram que, sem pressão social, ações de interesse público ficam prejudicadas. Para
eles, é possível que, sem participação social, a tão propalada reforma política fique protelada ou aconteça de forma
limitada. A partir dessa premissa, uma reforma política efetiva exige, em primeira instância, o(a)
(A) fortalecimento do debate público com a sociedade e das propostas de iniciativa popular.
(B) instauração imediata do financiamento público de campanha e da fiscalização dos partidos.
(C) mudança para o sistema eleitoral distrital e para a exigência de nível superior para os candidatos.
(D) facilitação para a fiscalização das contas eleitorais e das doações de grupos empresariais.
(E) aprovação de dispositivo para eliminação do suplente e para o limite de idade no exercício de cargo público.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/RSE) 209/14- A desaceleração recente da economia brasileira trouxe à baila o


debate sobre o papel do investimento público na formação bruta do capital fixo e sua importância para o
desenvolvimento da economia. Desde o imediato Pós- -Guerra, o exame da trajetória da economia brasileira
confirma que o bom desempenho do investimento público é crucial para a obtenção de taxas de crescimento
elevadas. [...] nos períodos de 1950 a 1967 e de 1968 a 1979, o investimento foi o motor da expansão da economia
brasileira. [...] Esses dois períodos presenciaram a primeira e a segunda onda de industrialização pesada e
crescimento rápido no Brasil, antes de a famigerada crise da dívida externa destruir a capacidade de coordenação
do Estado. Descontada a década perdida encravada entre os anos 1980 e 1989, o desenvolvimento modesto no
período de 1990 a 2006 foi claramente estimulado por condições externas favoráveis (...). - BELLUZZO, L. G;
ALMEIDA, J. S. G. de. A macroeconomia dos desencontros. Revista Carta Capital, São Paulo: Confiança, ano XIX, n.
763, 28 ago. 2013, p.42. Adaptado.

Com base no texto acima, conclui-se que os autores consideram que a volta do crescimento depende da
(A) atitude dos governantes para atuar com ética, eliminando práticas de corrupção na relação com o setor privado.
(B) opção do setor privado para aplicar investimentos na indústria automobilística, facilitando o emprego de capitais
nacionais.
(C) ação do governo para ampliar as exportações de produtos de alta tecnologia, investindo na qualificação técnica e
intelectual dos trabalhadores.
(D) determinação dos empresários para investir na produção de bens de consumo não duráveis, estimulando a
capacidade de consumo da população.
(E) condição do Estado para recuperar a função de coordenador das decisões privadas, elevando, por exemplo, o
investimento público em infraestrutura.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/RSE) 210/51- Na medida em que é editada uma lei, regularmente votada pelo
Congresso Nacional, a qual protege as pessoas com certo grau de deficiência física, ofertando oportunidades de
inserção no mercado de trabalho, está sendo realizado o princípio da
(A) cidadania (B) organização (C) proteção (D) democracia (E) república

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/RSE) 211/60- O Nordeste,[...] vive neste ano situação inversa à do resto


do país em termos econômicos. A atividade econômica cresceu acima de 4% nos cinco primeiros meses do ano,
resultado superior à média nacional (0,6%), segundo o Banco Central. A região apresenta, por outro lado, os piores
dados em relação ao emprego. [...] A piora no mercado de trabalho reflete, principalmente, a crise na construção
civil [...]. Apesar da piora no emprego, a renda média cresce acima do verificado no restante do país, segundo o
IBGE. [...]

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 46


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

A situação apresentada acima insere-se em contexto no qual a região Nordeste passa por uma transição entre um
período com
(A) aceleração de deslocamentos populacionais significativos em direção ao Sudeste para outro com forte expressão
da migração de retorno.
(B) corte de empregos no setor de construção civil para outro com aquecimento na oferta de empregos na área rural.
(C) baixa participação da população no setor terciário para outro com elevada participação da população no setor de
serviços.
(D) grande oferta de emprego com baixos salários para outro de menor oferta de emprego no setor industrial, mas
com rendimentos maiores.
(E) altas taxas de mortalidade para outro com redução tanto das taxas de mortalidade quanto de natalidade.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CONT33/GRS/RSE/GC) 212/48- No entendimento da Organização para Cooperação e


Desenvolvimento Econômico (OCDE), a Governança Corporativa é um dos instrumentos determinantes do
desenvolvimento sustentável em suas três dimensões: a econômica, a ambiental e a social. Na Governança
Corporativa, na gestão das grandes corporações, foi ocorrendo a substituição gradativa dos “proprietários” por
executivos profissionais, especificamente nas sociedades anônimas, determinando o crescimento do grau de
importância dos sistemas de controles. Assim, em oposição às mudanças, nasceram as chamadas “forças de
controle” sintetizando as ações por uma boa prática de governança, estabelecidas tanto no ambiente interno
quanto no ambiente externo É exemplo típico de força externa de controle a(o)
(A) constituição de Conselhos de Administração (B) estrutura multidivisional dos negócios
(C) concentração da propriedade acionária (D) monitoramento compartilhado
(E) padrão contábil exigido

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/RSE/GC) 213/31- O conceito de accountability tem estreita


correspondência com o de responsabilidade social, um dos fundamentos das relações públicas comunitárias. Nesse
sentido, para uma organização ser considerada accountable, ela deve
(A) permitir livre acesso aos resultados de suas ações, sejam eles de impactos positivos ou negativos para a
organização.
(B) conquistar a anuência da opinião pública, a partir da publicação de balanços sociais que mostrem suas ações
cidadãs.
(C) justificar as decisões tomadas, a partir de projetos pontuais de apoio financeiro às comunidades carentes.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 47


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(D) concentrar seus investimentos na maximização dos resultados operacionais, para evitar ser reconhecida somente
como um modelo de responsabilidade moral.
(E) estimular ações de responsabilidade social como instrumentos de ganhos mercadológicos e de imagem
institucional, aplicando práticas responsáveis como fazem os concorrentes do seu setor.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/RSE/GC) 214/62- Governança Corporativa é um sistema que possui alguns


princípios básicos. Existe um princípio caracterizado por defender tratamento justo a todos os sócios bem como às
demais partes interessadas, sendo inaceitáveis atitudes ou políticas discriminatórias. Esse princípio é conhecido
como
(A) accountability (B) equidade (C) prestação de contas
(D) responsabilidade corporativa (E) transparência

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CONT33/GRS/RSE/SOX) 215/45- O Comitê de Auditoria passou a ter maior visibilidade e


valência no mundo corporativo a partir das fraudes contábeis ocorridas em grandes corporações americanas. Sua
importância aumentou, nos Estados Unidos, com a edição da Lei SARBANES-OXLEY, sendo obrigatório nas
companhias abertas e empresas sediadas no exterior que estiverem listadas no mercado americano. No Brasil, o
Comitê de Auditoria ainda é alvo de controvérsias quanto à sua plena aceitação, principalmente no que se refere ao
órgão ao qual ele deverá reportar-se. Independentemente dessa dubiedade, o Comitê de Auditoria vai crescendo de
importância e se impondo no Brasil, notadamente, nas empresas que demandam o mercado norte-americano e
europeu. Uma das funções tradicionalmente atribuída ao Comitê de Auditoria, como órgão da governança
corporativa, é a(o)
(A) avaliação da qualidade dos controles internos e da capacidade preventiva em relação às fraudes
(B) fiscalização dos atos praticados pelos administradores da corporação
(C) denúncia aos órgãos da administração de erros, fraudes ou crimes
(D) análise mensal de balancetes e demonstrações financeiras do exercício social
(E) levantamento e análise de “riscos vitais”

(UFG/UEAP/2014/EPROD/GRS/RSE/SA8000) 216/60- Há vários tipos de normas que regem os sistemas produtivos. A


norma de responsabilidade social elaborada pela SAI (Social Accountability International), em 1997, é a
(A) ISO14001. (B) SA8000. (C) SAI9000. (D) ISO22000.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/GRS/RSE/26000) 217/68- Entre os principais itens presentes na ISO 26000,


encontra- se a governança organizacional, que está relacionada a
(A) emprego, direitos no trabalho, proteção social, diálogo social, saúde e segurança.
(B) envolvimento comunitário, contribuição para o desenvolvimento social e econômico.
(C) comando, legitimidade, conduta justa e ética, responsabilidade, transparência e desempenho.
(D) direitos civis e políticos, assistência a minorias, direitos econômicos, sociais e culturais e direitos fundamentais do
trabalho.
(E) informações adequadas e verdadeiras ao consumidor, produtos seguros e confiáveis, sistemas de recall, práticas
justas de propaganda, segurança de informação e privacidade.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA) 218/26- O processo de tratamento da água que busca remover


compostos orgânicos e inorgânicos indesejáveis, incluindo os que causam odor e sabor, fazendo a água percolar por
um leito contendo carvão ativado é denominado
(A) adsorção (B) estabilização (C) troca iônica
(D) oxidação para formação de precipitados (E) abrandamento

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA) 219/27- A política de responsabilidade social de uma organização


deve assegurar seu compromisso com a promoção do desenvolvimento sustentável. Para tal, segundo a NBR 16001,
essa política deve estar comprometida com os princípios da responsabilidade social, entre os quais NÃO se encontra
o da(o)

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 48


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) responsabilização (B) comportamento ético (C) direito aos humanos


(D) respeito à livre concorrência (E) respeito pelos interesses dos stakeholders

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/GRS/RSA) 220/28- Uma empresa do setor petroquímico vem enfrentando


diversos desafios para estabelecer um sistema que auxilie os gestores da empresa a tomarem decisões que
contribuam positivamente para a sua sustentabilidade. No momento, os gestores estão analisando várias ações que
possam demonstrar a responsabilidade ambiental da empresa. Para atingir esse objetivo, uma ação considerada
imprescindível é a
(A) priorização da extração de recursos naturais não renováveis.
(B) utilização de energias renováveis no processo produtivo.
(C) construção de novas fábricas somente em locais de mata nativa, que dispensam a elaboração do Relatório de
Impacto Ambiental.
(D) transferência das atividades poluentes para países com menor número de restrições ambientais.
(E) aquisição de uma área para jogar os resíduos líquidos resultantes do processo produtivo, dispensando, assim, o seu
tratamento.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA) 221/59- Um bioma é definido como a(o)


(A) comunidade biótica que mantém certa uniformidade fisionômica e clímax entre os vegetais e os animais existentes.
(B) totalidade da vegetação primária e secundária em estágios inicial, médio e avançado de regeneração.
(C) quantidade total de matéria viva existente num ecossistema ou numa população animal ou vegetal.
(D) conjunto de seres vivos e seu meio ambiente em interação constante.
(E) local ou conjunto de locais onde se realizam as atividades de proteção dos ecossistemas e da diversidade biológica,
as pesquisas ambientais, a experimentação e as ações que visem ao desenvolvimento sustentável e à educação
ambiental.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA) 222/55- A superfície terrestre apresenta em sua extensão uma


grande diversidade de habitat em função das variações de clima, topografia, disponibilidade de nutrientes, entre
outras. Tais fatos levam a uma variedade de seres vivos que se adaptam a essas condições locais e, dessa forma, o
planeta pode ser dividido em biomas.

O bioma, apresentado na Figura acima em cor mais escura, é classificado como


(A) tundra (B) savana (C) floresta tropical
(D) floresta temperada de folha caduca (E) deserto e semideserto

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 49


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/GRS/RSA/POST) 223/40- Empresas podem adotar diferentes abordagens com


relação à sua gestão ambiental. Dependendo de como atuem frente aos problemas ambientais decorrentes de suas
atividades, essas abordagens podem-se dar de três formas: controle de poluição, prevenção da poluição e
estratégica. No caso de a empresa adotar a abordagem estratégica, sua atuação deverá apresentar, dentre outras,
as seguintes características:
(A) postura típica reativa; envolvimento esporádico da alta administração; preocupação básica com a competitividade
(B) postura típica reativa; envolvimento permanente e sistemático da alta administração; preocupação básica com o
uso eficiente dos insumos
(C) postura típica reativa e proativa; envolvimento periódico da alta administração; preocupação básica com as
pressões da comunidade
(D) postura típica reativa e proativa; envolvimento permanente e sistemático da alta administração; preocupação
básica com a competitividade
(E) postura típica reativa e proativa; envolvimento periódico da alta administração; preocupação básica com o
cumprimento da legislação

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/GRS/RSA/3BL) 224/25- O conceito que enfatiza a análise sistêmica do impacto


das decisões de negócios das organizações, dando importância a uma gestão eficaz e eficiente das empresas
parceiras da cadeia de suprimentos sustentável, atendendo às necessidades do presente sem comprometer as
gerações futuras, é denominado
(A) globalização (B) triple bottom line (C) produtividade
(D) global sourcing (E) benchmarking

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/GRS/RSA/DS) 225/64- O Relatório Brundtland de 1987 propõe o conceito de


desenvolvimento sustentável como sendo o(a)
(A) desenvolvimento que atende às necessidades do presente sem comprometer a habilidade das futuras gerações de
atender às suas próprias necessidades.
(B) desenvolvimento onde a prioridade são as relações de trabalho justas, e sem prejudicar a camada de ozônio e
outros elementos ambientais no presente.
(C) desenvolvimento onde a biodiversidade deve ser preservada a todo custo.
(D) forma pela qual a sociedade se organiza, considerando, essencialmente, os meios de produção e as relações
trabalhistas.
(E) forma de relacionamento entre o homem e o meio ambiente, considerando a maximização do uso dos recursos no
presente.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/GRS/RSA/DS) 226/61- Desenvolvimento sustentável é uma necessidade real das


empresas. Existem várias nuances nas definições formais de desenvolvimento sustentável, dentre as quais destaca-
se o conceito original apresentado no relatório Brundtland, que define desenvolvimento sustentável como aquele
(A) que satisfaz as necessidades globais sem sacrificar a habilidade do indivíduo de satisfazer as suas necessidades.
(B) que satisfaz as necessidades das sociedades atuais sem sacrificar a habilidade das sociedades futuras de satisfazer
as suas necessidades.
(C) que utiliza somente os recursos ambientais renováveis, não sacrificando a habilidade do futuro de satisfazer as suas
necessidades.
(D) que ocorre sem o uso de recursos naturais, de forma a preservá-los para as gerações futuras.
(E) onde as atividades da geração presente ocorrem de tal forma que o meio ambiente é preservado intocado para as
gerações futuras.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/GRS/RSA/ENE) 227/15- A visão de sustentabilidade do setor energético e os rumos da


matriz elétrica brasileira foram o tema da Expedição Planeta 2013, realizada entre os dias 15 e 18 de maio pelo
Planeta Sustentável, [...]. O encontro aconteceu no Parque Nacional do Iguaçu, ao lado das famosas cataratas e
próximo da maior usina hidrelétrica do mundo, e reuniu especialistas, entre gestores, cientistas, executivos,

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 50


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

consultores, jornalistas e organizações do terceiro setor, para debates de alto nível que apontaram alguns caminhos.
- Revista Superinteressante. São Paulo: Abril, 321. ed., ago. 2013, p.16. Adaptado.

Um dos caminhos apontados é de que a espinha dorsal do sistema elétrico brasileiro continuará com as
(A) hidrelétricas, com base no baixo custo da tecnologia empregada.
(B) hidrelétricas, com base no reconhecimento do potencial hídrico do país.
(C) termonucleares, com base na redução do preço do urânio no mercado.
(D) termoelétricas, com base na vocação histórica do país no uso do gás natural.
(E) termoelétricas, com base na tendência de aumento da oferta do petróleo.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/ENE) 228/60- As fontes de energia podem ser renováveis


(permanentes) e não renováveis (temporárias). Todas as fontes de energia apresentadas a seguir são classificadas
como renováveis, EXCETO a(o)
(A) geotérmica (B) eólica (C) hídrica
(D) solar (E) combustível fóssil

(UFG/UEAP/2014/EPROD/GRS/RSA/GEE) 229/58- O dióxido de carbono (CO2) é um dos principais gases


responsáveis pelo efeito estufa. São origens desse gás:
(A) decomposição animal, resíduos gasosos e flatulência bovina.
(B) decomposição sob a terra, fabricação de fertilizantes e combustão de petróleo.
(C) decomposição vegetal, respiração animal e combustíveis fósseis.
(D) óleos vegetais, etanol e desmatamento.
(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/GEE) 230/28- O metano é um gás incolor, de molécula tetraédrica e
apolar, com pouca solubilidade em água. Um dos principais problemas do metano é o fato de ele ser um gás de
efeito estufa com potencial de aquecimento global muito maior que o do dióxido de carbono. A atividade antrópica
que mais contribui no Brasil para a emissão aérea de metano é a
(A) pecuária (B) geração solar (C) queima de carvão em usinas termelétricas
(D) queima de gasolina em veículos automotores (E) geração de energia em usinas nucleares

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/GEE) 231/30- Um dos poluentes oriundo de atividades antrópicas


presente na atmosfera é o dióxido de carbono. O principal problema ambiental desse gás é o chamado efeito estufa.
O CO2 presente na atmosfera é decorrente de diversas atividades realizadas pelo homem, EXCETO a de
(A) queima de petróleo em veículos (B) queima de carvão em termelétricas
(C) decomposição aeróbia em leiras de compostagem (D) desmatamento com fogo
(E) uso como fluido de refrigeração em geladeiras

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/ÁGUA) 232/32- O padrão de qualidade de águas é definido como


(A) a menor concentração de uma substância que pode ser detectada, mas não necessariamente quantificada pelo
método utilizado.
(B) a menor concentração de uma substância que pode ser determinada quantitativamente com precisão e exatidão
pelo método utilizado.
(C) as substâncias ou outro indicador representativo da qualidade da água.
(D) o limite de quantificação praticável, ajustado para as características específicas da amostra analisada.
(E) o valor limite adotado como requisito normativo de um parâmetro de qualidade de água, estabelecido com base
nos valores de referência de qualidade.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/POL) 233/39- Sobre as emissões atmosféricas oriundas das refinarias


de petróleo tem-se que
(A) a amônia é formada a partir dos compostos sulfurosos presentes no petróleo e não é solúvel em água.
(B) o gás sulfídrico é gerado no catalisador de craqueamento catalítico e não é tóxico, embora irrite os olhos.
(C) o benzeno, o tolueno e os xilenos são componentes do petróleo e estão presentes em muitas operações de refino.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 51


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(D) o enxofre é um elemento químico que não está naturalmente presente no petróleo, mas podem vir a ocorrer
emissões de SOx em função do tipo de caldeira usada na refinaria.
(E) os óxidos de nitrogênio não podem ser associados à queima de combustível fóssil.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/POL) 234/54- Os recifes de corais resultam de uma simbiose entre


pólipos e algas unicelulares e se formam em águas quentes e claras das regiões tropical e subtropical. São
ecossistemas antigos, diversificados e de grande produtividade que abrigam, aproximadamente, um quarto das
espécies marinhas. Esses recifes são vulneráveis aos danos, pois crescem lentamente e são destruídos com
facilidade. Além disso, florescem apenas em águas claras e rasas com salinidade constante e de temperaturas entre
18 e 30 ºC. Entre os problemas ambientais decorrentes de atividades humanas atuais, NÃO constitui uma ameaça à
biodiversidade dos recifes o(a)
(A) aquecimento do oceano (B) aumento do nível do mar
(C) remoção de corais para uso em aquários ou como material de construção
(D) utilização de cianeto ou explosivos para a pesca na área de recifes
(E) pesca com redes em águas profundas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/14000) 235/33- O ciclo de vida de um produto é definido como


(A) a interface entre um sistema de produto e o meio ambiente ou outros sistemas de produto.
(B) o material ou energia que entra em uma unidade de processo.
(C) o conjunto de unidades de processo conectadas, material e energeticamente, que realiza uma ou mais funções
definidas.
(D) o desempenho quantificado de um sistema de produto para uso como uma unidade de referência num estudo.
(E) os estágios sucessivos e encadeados de um sistema de produto, desde a aquisição da matéria-prima ou geração de
recursos naturais até a disposição final.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/14000) 236/36- Nos últimos tempos, as empresas vêm adotando o


Sistema de Gestão Ambiental (SGA). Segundo a NBR ISO 14001, um sistema de gestão ambiental de uma
organização é o(a)
(A) propósito ambiental geral, decorrente da política ambiental a que uma organização se propõe atingir.
(B) conjunto de intenções e princípios gerais de uma organização, em relação ao seu desempenho ambiental,
conforme formalmente expresso pela Alta Administração.
(C) requisito de desempenho detalhado, aplicável a uma organização ou a parte dela, resultante dos objetivos
ambientais e que necessita ser estabelecido e atendido para que tais objetivos sejam atingidos.
(D) auditoria interna do sistema, que é realizada sistematicamente por consultoria independente.
(E) parte de um sistema da gestão de uma organização, utilizada para desenvolver e implementar sua política
ambiental e para gerenciar seus aspectos ambientais.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/14000) 237/38- A NBR ISO 14001 define as diretrizes gerais para


implementação do sistema de gestão ambiental de uma empresa. Na gestão ambiental, a ação preventiva é
(A) a ação para eliminar a causa de uma potencial não conformidade.
(B) a ação para eliminar a causa de uma não conformidade identificada.
(C) o requisito de desempenho detalhado, aplicável à organização ou à parte dela, resultante dos objetivos ambientais
e que necessita ser estabelecido e atendido para que tais objetivos sejam atingidos.
(D) o processo sistemático, independente e documentado para obter evidência e avaliá-la objetivamente,
determinando quais dos critérios de auditoria do sistema da gestão ambiental estabelecidos pela organização são
atendidos.
(E) qualquer modificação do meio ambiente, adversa ou benéfica, que resulte, no todo ou em parte, dos aspectos
ambientais da organização.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/14000) 238/37- A Figura a seguir mostra o Modelo de sistema da


gestão ambiental apresentado na NBR ISO 14001.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 52


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

As etapas ordenadas de 1 a 6 são, respectivamente:


(A) Planejamento; Política ambiental; Análise pela administração; Implementação e operação; Verificação; Melhoria
contínua
(B) Planejamento; Política ambiental; Implementação e operação; Verificação; Análise pela administração; Melhoria
contínua
(C) Política ambiental; Planejamento; Implementação e operação; Verificação; Análise pela administração; Melhoria
contínua
(D) Política ambiental; Planejamento; Implementação e operação; Verificação; Melhoria contínua; Análise pela
administração
(E) Melhoria contínua; Implementação e operação; Planejamento; Análise pela administração; Verificação; Política
ambiental

(CESG/LIQUIGÁS/2014/TSEG/GRS/RSA/LEX) 239/32- A resolução Conama no 398/2008 NÃO adota a seguinte


definição:
(A) Corpo hídrico lótico é o ambiente que se refere à água parada, com movimento estagnado.
(B) Bacia de evolução é a área geográfica imediatamente próxima ao atracadouro, na qual o navio realiza suas
manobras para atracar ou desatracar.
(C) Ações suplementares são o conjunto de ações que se seguem à situação emergencial, incluindo ações mitigatórias,
ações de rescaldo, o acompanhamento da recuperação da área impactada e gestão de resíduos gerados, entre outras.
(D) Áreas ecologicamente sensíveis são regiões das águas marítimas ou interiores, onde a prevenção, o controle da
poluição e a manutenção do equilíbrio ecológico exigem medidas especiais para a proteção e a preservação do meio
ambiente.
(E) Autoridade portuária é a autoridade responsável pela administração do porto organizado, competindo-lhe fiscalizar
as operações portuárias e zelar para que os serviços se realizem com regularidade, eficiência, segurança e respeito ao
meio ambiente.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 240/29- A Lei no 12.305, de 02/08/2010, institui a Política


Nacional de Resíduos Sólidos. A reciclagem, conforme definido nessa Lei, é o(a)
(A) conjunto de ações voltadas para a busca de soluções para os resíduos sólidos.
(B) processo de aproveitamento dos resíduos sólidos sem sua transformação biológica, física ou físico-química.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 53


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(C) processo de transformação dos resíduos sólidos que envolve a alteração de suas propriedades físicas, físico-
químicas ou biológicas, com vistas à sua transformação em insumos ou novos produtos.
(D) coleta de resíduos sólidos previamente segregados, conforme sua constituição ou composição.
(E) disposição de resíduos sólidos que, esgotadas todas as possibilidades de tratamento e recuperação por processos
tecnológicos disponíveis e economicamente viáveis, apresentam a possibilidade de uma disposição final
ambientalmente adequada.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 241/41- Conscientes de seu papel no desenvolvimento


sustentável das cidades brasileiras, as empresas vêm realizando ações para aumentar a gestão sustentável dos
resíduos sólidos no país. Com base na Política Nacional de Resíduos Sólidos, uma dessas ações é a implantação de
sistemas de logística reversa, que apresenta a seguinte definição:
(A) O processo de encerramento, recuperação e monitoramento da área degradada por antigos lixões e a proposição
de uso futuro da área.
(B) O plano de encerramento, recuperação, monitoramento e uso futuro previsto para a área do aterro sanitário a ser
licenciado.
(C) Um conjunto de ações que somente os fabricantes são obrigados a estruturar e a implementar nos sistemas de
logística.
(D) Um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos
ao setor empresarial para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou para outra destinação
final ambientalmente adequada.
(E) Uma técnica para avaliar aspectos ambientais e impactos potenciais associados a um produto.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 242/42- De acordo com a Resolução Conama no 23, de


07/12/1994, os interessados em exercer atividades de exploração e lavra de jazidas de combustíveis líquidos e de
gás natural devem obter as Licenças Prévias para Perfuração (LPper) e de Produção de Pesquisa (LPpro). Para que
essa última (LPpro) seja concedida, é necessária a apresentação do
(A) Estudo de Impacto Ambiental (EIA) (B) Estudo de Viabilidade Ambiental (EVA)
(C) Relatório de Controle Ambiental (RCA) (D) Relatório de Avaliação Ambiental (RAA)
(E) Projeto de Controle Ambiental (PCA)

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 243/44- O Sistema Nacional de Unidades de Conservação da


Natureza (SNUC) foi instituído pela Lei Federal no 9.985, de 18/07/2000. A categoria de Unidade de Conservação de
Proteção Integral, que tem como objetivos a preservação da natureza e a realização de pesquisas científicas, cuja
visitação pública é proibida, exceto quando realizada com objetivo educacional, é a(o)
(A) Estação Ecológica (B) Reserva Biológica (C) Reserva Particular do Patrimônio Natural
(D) Reserva de Desenvolvimento Sustentável (E) Parque Nacional

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 244/45- Segundo a Lei no 6.938/1981 e suas alterações, o


Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama) é constituído pelos órgãos e entidades da União, dos Estados, do
Distrito Federal, dos Municípios e pelas organizações instituídas pelo Poder Público, responsáveis pela proteção e
melhoria da qualidade ambiental. Esse Sistema tem como órgão central o
(A) Conselho de Governo
(B) Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama)
(C) Ministério do Meio Ambiente (MMA), antiga Secretaria do Meio Ambiente da Presidência da República
(D) Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)
(E) Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos
Naturais Renováveis (Ibama)

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 245/46- O processo de licenciamento ambiental conduzido pelo


Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) possui três etapas distintas:
Licenciamento Prévio, Licenciamento de Instalação e Licenciamento de Operação. Nesse processo, os estudos

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 54


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

ambientais são elaborados pelo empreendedor e entregues ao Ibama para análise e deferimento. Para cada etapa
do licenciamento há estudos específicos a serem elaborados, e sobre eles constata-se que
(A) a análise dos impactos ambientais do projeto é elaborada no licenciamento de instalação.
(B) o diagnóstico ambiental é elaborado após a implantação dos programas ambientais.
(C) o plano básico ambiental (PBA) é apresentado para a elaboração do termo de referência (TR) do processo de
licenciamento.
(D) o relatório de impacto ambiental (Rima) é o documento apresentado no licenciamento prévio, solicitando
autorização para o estudo de impacto ambiental (EIA).
(E) os programas de acompanhamento e monitoramento integram o estudo de impacto ambiental (EIA), elaborado na
fase de licenciamento prévio.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 246/47- A Lei Federal no 9.605/1998 dispõe sobre as sanções


penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente. De acordo com essa Lei, a(s)
(A) infração ter sido cometida à noite ou em domingos ou feriados é uma circunstância que agrava a pena.
(B) prestação pecuniária não pode ser usada para deduzir o montante de eventual reparação civil a que for condenado
o infrator.
(C) penas de prestação de serviços à comunidade não são aplicáveis às pessoas jurídicas.
(D) penas restritivas de direitos não são autônomas e não podem substituir as privativas de liberdade.
(E) multas simples não podem ser convertidas em serviços de preservação, melhoria e recuperação da qualidade do
meio ambiente.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 247/48- Define-se o Passivo Ambiental como


(A) a capacidade de a atmosfera de uma região receber os remanescentes das fontes emissoras.
(B) as atividades que possam pôr em risco a integridade dos ecossistemas e a harmonia da paisagem.
(C) o conjunto de diretrizes e proposições com o objetivo de disciplinar a conservação, a recuperação, o uso e a
ocupação do solo.
(D) o acúmulo de danos infligidos ao meio natural por uma determinada atividade, gerando riscos para o bem-estar da
coletividade.
(E) o tempo necessário para um determinado ecossistema recuperar o seu estado original, ou seja, o estado anterior a
uma ação antrópica.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 248/49- A Lei no 9.966, de 28/04/2000, dispõe sobre a


prevenção, o controle e a fiscalização da poluição causada por lançamento de óleo e outras substâncias nocivas ou
perigosas em águas sob jurisdição nacional. Essa Lei será aplicada
(A) em substituição à Marpol 73/1978 (Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição Causada por Navios).
(B) em substituição à CLC/1969 (Convenção Internacional sobre Responsabilidade Civil em Danos Causados por
Poluição por Óleo).
(C) em substituição à OPRC/1990 (Convenção Internacional sobre Preparo, Resposta e Cooperação em Caso de
Poluição por Óleo).
(D) às plataformas e às embarcações nacionais, desde que elas não possuam plano de emergência e de contingência.
(E) às embarcações, plataformas e instalações de apoio estrangeiras quando em águas sob jurisdição nacional.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 249/50- Os dispersantes químicos podem desempenhar uma


função importante em derrames de óleo no mar. No Brasil, no caso de haver tal derramamento, a aplicação dessas
substâncias
(A) é recomendada em áreas de migração e de reprodução de espécies.
(B) é permitida quando o processo de formação da emulsão água-óleo tiver sido iniciado.
(C) é autorizada em situações nas quais se deseja manter apenas a estética do corpo hídrico.
(D) não é permitida por apresentar riscos ao meio ambiente.
(E) não poderá ser feita em áreas abrigadas, onde tanto o dispersante químico, quanto a mistura de óleo possam
permanecer concentrados.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 55


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TAMB01/GRS/RSA/LEX) 250/52- A elaboração de uma proposta para a Política Nacional


de Biodiversidade requer a análise de temas prioritários, extraídos da Convenção sobre Diversidade Biológica. A
Conservação ex situ é um desses temas prioritários e tem como uma das atividades relacionadas a(o)
(A) realização de levantamentos etnobotânicos
(B) recuperação e restauração de ecossistemas degradados
(C) capacitação de pessoal técnico para o manejo e a gestão de unidades de conservação
(D) estabelecimento de corredores ecológicos entre as unidades de conservação
(E) controle do intercâmbio e da erradicação de espécies exóticas invasoras de ecossistemas e de habitat

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 56


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

# ADM. PRODUÇÃO & AFINS (APO):


$APO: 5. Administração da Produção e Materiais: Planejamento e Controle da Produção (PCP). Higiene Industrial e
Segurança do Trabalho (HST). Gestão da Qualidade (QLDE). Gestão da Cadeia de Suprimentos (Supply Chain
Management) (LOG). Gerenciamento de projetos (GPROJ). Administração de Material (MAT). Gestão de Estoques
(MAT).

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/PCP) 251/46. O serviço ao cliente é a agregação aos produtos das qualidades


referentes a tempo e local que o tornam útil ao comprador. Pode-se considerar que a prestação de serviços ao
cliente é composta por três etapas: pré-transação, transação e pós-transação, que podem ser representadas
respectivamente por:
(A) Facilidade de acesso ao sistema de apoio ao consumidor; Capacidade de identificar a localização dos produtos
adquiridos; Estrutura de serviço de apoio.
(B) Ciclo do pedido; Disponibilidade em estoque; Atendimento do pedido no prazo acordado.
(C) Política escrita de apoio ao consumidor; Informações sobre o estado dos pedidos; Tempo para atendimento de
solicitações de garantia.
(D) Disponibilidade de sobressalentes; Tempo decorrido entre a emissão do pedido e a entrega do produto/serviço;
Flexibilidade do sistema.
(E) Disponibilidade em estoque; Atendimento no prazo acordado; presteza na consideração das reclamações.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/PCP) 252/12. O Just in time (JIT) é um sistema de administração da


produção que determina que nada deve ser produzido, transportado ou comprado antes da hora certa. Um dos
principais objetivos do JIT é
(A) aumentar estoques e os custos decorrentes do processo.
(B) reduzir estoques e aumentar custos decorrentes do processo.
(C) reduzir estoques e os custos decorrentes do processo.
(D) aumentar estoques e reduzir os custos decorrentes do processo.
(E) aumentar estoques e eliminar os custos decorrentes do processo.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/PCP) 253/29. Buscando incrementar o desempenho operacional, frente a


um mercado cada vez mais concorrido, as organizações procuraram adotar estruturas organizacionais mais flexíveis,
utilizando tecnologias integradoras e redesenhando as suas cadeias. Um sistema de qualidade utilizado em logística
e que agrega valor na operação é o(a)
(A) Kaizen. (B) Avaliação 360°. (C) Circuit Breaker.
(D) IPO. (E) Desdobramento de Estoque.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/PCP) 254/29- Em um sistema de planejamento e controle de produção, no


qual a demanda de produção é acionada a partir de requisições de centros de trabalhos consumidores (internos),
utiliza-se o tipo de programação
(A) empurrada (B) limitada (C) puxada (D) celular (E) posicional

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/PCP) 255/36- Certa empresa de automóveis está revendo sua estratégia de


atuação no mercado, a fim de atrair mais clientes. Assim, estabeleceu que o tempo de espera de um cliente na
assistência técnica deve ser o menor possível, e a entrega das peças de reposição nos centros de serviço para o
consumidor deve ser feita no tempo previsto. Dessa forma, para alcançar os dois fatores que foram estabelecidos,
com quais objetivos de desempenho a empresa deve trabalhar, respectivamente?
(A) Rapidez e confiabilidade (B) Qualidade e confiabilidade (C) Qualidade e rapidez
(D) Qualidade e flexibilidade (E) Flexibilidade e rapidez

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 57


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/PCP) 256/51- A qualidade é um objetivo de desempenho que, caso não


atendido, pode gerar custos para as empresas. São exemplos de custos gerados pela falta de qualidade nos
processos de uma empresa:
(A) Treinamento, manutenção preventiva e inspeção de produto
(B) Teste de matéria-prima, rotatividade e comprometimento da imagem
(C) Retrabalho, desperdício de matéria-prima e treinamento
(D) Processamento de devoluções, desperdício de matéria-prima e comprometimento da imagem (E) Mensuração e
teste de matéria-prima, inspeção de produto e retrabalho

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/PCP) 257/55- Sabe-se que a filosofia Just in Time (JIT) é um sistema de


manufatura cujo objetivo é aperfeiçoar os processos e os procedimentos por meio da redução contínua de
desperdícios. O JIT considera um desperdício o hábito de produzir antecipadamente à demanda, para o caso de os
produtos serem requisitados no futuro. Esse hábito é mais bem categorizado como um desperdício de
(A) superprodução (B) processamento (C) qualidade
(D) movimento (E) transporte

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/PCP) 258/35- Existem diversos critérios competitivos na área de


operações relacionados à estratégia de negócios de uma empresa e vinculados ao nível de exigência dos clientes
quanto à aquisição de um produto. O critério que define que o produto deve ter desempenho superior ao de seus
competidores é a(o)
(A) inovação (B) flexibilidade (C) qualidade
(D) custo (E) desempenho de entrega

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/APO/PCP) 259/61- No planejamento agregado da produção, os gestores da área


de operações de uma empresa fabril desenvolvem planos de médio prazo sobre como produzirão seus produtos. O
planejamento agregado, entendido como um processo, geralmente apresenta como primeira atividade
(A) desenvolver esquemas de recursos alternativos. (B) escolher o melhor plano de produção.
(C) prever vendas para cada produto. (D) totalizar as previsões em uma demanda agregada.
(E) transformar a demanda agregada em recursos produtivos.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/APO/PCP) 260/62- A maioria dos métodos utilizados para o planejamento da


produção considera a demanda como sendo fixa. No entanto, a cada período, o plano gerado é revisto para
incorporar as informações de mercado mais recentes. As opções existentes para mudar os níveis de produção
implicam custos relevantes, sendo o mais difícil de ser estimado o custo de
(A) atraso de entregas (B) demissão de pessoal (C) horas extras
(D) contratação de pessoal (E) subcontratações

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/APO/PCP) 261/63- Os fabricantes japoneses ajudaram a desmitificar a crença na


existência da relação entre busca da qualidade e baixa produtividade. Eles mostraram ao mundo que, se o setor de
produção faz certo da primeira vez e produz produtos e serviços sem defeitos, os desperdícios são
(A) eliminados, e aumentam-se os custos. (B) eliminados, e reduzem-se os custos.
(C) inexistentes, e mantêm-se os custos. (D) reduzidos, e aumentam-se os custos.
(E) reduzidos, e mantêm-se os custos.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/PCP) 262/47- A Manufatura Just in Time busca fornecer a quantidade


certa de produto na hora certa, com o nível certo de qualidade, no lugar certo, com a maior produtividade e o menor
custo possível. Para tanto, algumas características de trabalho são fundamentais, como a seguinte:
(A) setup mais caro, porém mais rápido (B) sistema de paradas de linha
(C) produção em lotes grandes (D) foco na manutenção corretiva
(E) baixa padronização de rotinas

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 58


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/PCP) 263/21- Uma empresa de prestação de serviço possui um serviço que é


cobrado por m2. Para realizar 20 m2 desse serviço, a empresa utiliza os seguintes parâmetros de custo, descritos no
Quadro a seguir.

De acordo com as informações apresentadas, o custo unitário por m2 do serviço, em reais, é


(A) 79,80 (B) 65,00 (C) 3,99 (D) 3,25 (E) 0,74

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/PCP) 264/22- Para realizar um determinado serviço, o chefe de uma


empresa aloca dois profissionais para trabalhar num certo dia. Um dos profissionais realiza 1.000 unidades do
serviço em um período de 8 horas, e o outro, 1.500 unidades em um período de 6 horas. Supondo-se uma jornada de
trabalho de 8 horas, com o custo de cada profissional de R$ 50,00/hora, o custo unitário de mão de obra, em reais,
desse serviço, nesse dia, é
(A) 0,15 (B) 0,27 (C) 0,40 (D) 187,50 (E) 800,00

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/PCP/KNB) 265/27. Uma solução ou serviço pode ser definido como


qualquer atividade ou benefício que uma parte possa oferecer a outra. Sua produção pode ou não estar ligada a um
produto físico. Os recursos naturais e a mão de obra não especializada tornam-se cada vez menos influentes na
obtenção de vantagens competitivas verdadeiras e sustentáveis, uma vez que fatores como conhecimento,
tecnologia e capital assumem esse papel. Para tanto, quando se fala nas vantagens competitivas, são adotadas
melhorias contínuas na produção, muitas vezes por meio de técnicas e filosofias japonesas que dão direcionamento
para a otimização do fluxo de produção, da redução de perdas e do aumento da flexibilidade no sistema. Assinale a
alternativa que apresenta uma dessas técnicas e filosofias japonesas.
(A) Kanban. (B) Katran. (C) PMI. (D) CFO. (E) PMO.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/PCP/KNB) 266/27- Numa indústria que trabalha com a produção puxada,


o cartão utilizado como uma requisição de materiais ou peças da operação imediatamente anterior àquela que se
está executando no momento, e que contém, entre outras informações, a descrição da peça, o número de emissão
do kanban, o centro de trabalho precedente e o subsequente, é denominado kanban de
(A) estoque mínimo (B) nível de reposição (C) produção
(D) fornecedor (E) retirada

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/APO/PCP/KNB) 267/67- “Kanban” é uma palavra japonesa que significa sinal


visível ou apenas cartão. Uma determinada estação de trabalho apresenta um volume de produção de 300 peças por
hora e leva 15 minutos para receber um contêiner com peças a serem processadas. Sabendo-se que cada contêiner
contém 15 peças, qual é o número de kanbans necessários para controlar essa produção?
(A) 1 (B) 2 (C) 3 (D) 4 (E) 5

$$Ergonomia (HST): 36 QUESTÕES

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST) 268/49- O acidente do trabalho pode ser conceituado sob dois


aspectos: o legal e o prevencionista. Quanto a esses dois conceitos, tem-se que o

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 59


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) legal é mais abrangente que o prevencionista.


(B) legal considera sobretudo a perda de tempo útil decorrente do acidente.
(C) legal considera a ocorrência de lesões no trabalhador e os danos materiais decorrentes do acidente.
(D) prevencionista considera apenas os danos materiais e a perda de tempo útil decorrentes do acidente.
(E) prevencionista considera a ocorrência de perturbação funcional no trabalhador e os danos materiais decorrentes
do acidente.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST) 269/50- Sob o aspecto normativo, para levantamento do custo


indireto do acidente do trabalho, deve ser considerado o
(A) custeio das despesas com reparo ou substituição de máquinas envolvidas no acidente
(B) custeio das despesas médico-hospitalares do trabalhador acidentado
(C) custeio das despesas com a reabilitação profissional do acidentado
(D) pagamento do auxílio-doença ao acidentado
(E) pagamento da pensão por morte aos beneficiários do Acidentado

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST) 270/31- O conjunto de medidas que determinam e estabelecem as


responsabilidades setoriais e as ações a serem desencadeadas imediatamente após um incidente, bem como
definem os recursos humanos, materiais e equipamentos adequados à prevenção, controle e combate à poluição das
águas é denominado plano de
(A) resgate (B) prevenção (C) contingência
(D) emergência (E) auxílio mútuo

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST) 271/36- Nos termos da Constituição Federal, as ações e serviços


públicos de saúde integram uma rede e constituem um sistema único, organizado de acordo com a seguinte diretriz
(A) centralismo democrático (B) financiamento privado (C) separação das atividades educacionais
(D) prioridade para atendimentos especiais (E) participação da comunidade

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST) 272/37- Ao sistema único de saúde compete, além de outras


atribuições, nos termos da lei, controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse para a
saúde, bem como participar da produção de
(A) equipamentos ferrosos (B) espécies animais (C) vegetais modificados
(D) imunobiológicos (E) substâncias psicoativas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST) 273/38- De acordo com as normas da Consolidação das Leis do


Trabalho, incumbe ao órgão de âmbito nacional competente em matéria de segurança e medicina do trabalho
conhecer dos recursos voluntários das decisões proferidas pelos Delegados Regionais do Trabalho, na referida
matéria, em
(A) primeira instância (B) última instância (C) instância intermediária
(D) grau extraordinário (E) nível especial

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST) 274/39- De acordo com as normas da Consolidação das Leis do


Trabalho em tema de segurança e medicina do trabalho, cabe às empresas instruir os empregados, quanto às
precauções a tomar no sentido de evitar acidentes do trabalho ou doenças ocupacionais, por intermédio de
(A) projetos legislativos (B) decretos regulamentares (C) ordens de serviço
(D) avisos especiais (E) normas regulamentares

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/GRS/MAN/HST) 275/27- Um plano de higiene no trabalho é considerado


fundamental para o pleno desenvolvimento de relações de trabalho. Tal plano visa à proteção da integridade física e
mental dos trabalhadores. Em relação à prevenção de riscos, avalia-se o nível da exposição a ruídos, a temperaturas
extremas e a radiações. Essa situação envolve a avaliação de riscos do tipo
(A) ético (B) físico (C) químico (D) biológico (E) cooperativo

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 60


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST) 276/26- Os chuveiros automáticos para extinção de incêndio


(sprinklers) devem apresentar, no mínimo, no corpo e/ou no defletor, a seguinte indicação EXCETO
(A) marca do fabricante e modelo (B) temperatura nominal de operação
(C) ano de fabricação (D) diâmetro nominal do orifício de descarga
(E) prazo de validade do equipamento

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/HST) 277/62- Dentre as atribuições dos gestores está a administração e


controle dos espaços e das instalações sob suas responsabilidades. Nesse sentido, é importante considerar
determinadas regras e normas de segurança, EXCETO a seguinte:
(A) Os inventários das máquinas e equipamentos devem ser mantidos, necessariamente, atualizados, com
identificação por tipo, capacidade, sistemas de segurança e localização em planta baixa.
(B) As ferramentas e materiais utilizados nas intervenções em máquinas e equipamentos devem ser adequadas às
operações realizadas.
(C) As ferramentas manuais podem ser portadas em bolsos e sacolas ou em quaisquer locais adequados a essa
finalidade.
(D) As operações de engate devem ser realizadas em locais apropriados e com o equipamento tracionado e
imobilizado de forma segura com calço ou similar.
(E) Todas as documentações previstas em normas, inclusive os inventários, devem ficar disponíveis para o SESMT,
CIPA/CIPAMIN, sindicatos e fiscalizações.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 278/21- O órgão diretamente responsável pela fiscalização e


elaboração de normas e padrões técnicos relacionados ao transporte de produtos perigosos é o(a)
(A) Ministério da Justiça
(B) Ministério dos Transportes Terrestres
(C) Ministério do Trabalho e Emprego
(D) Agência Nacional de Transportes Terrestres
(E) Agência Nacional de Planejamento de Transportes

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 279/22- As normas de controle que abrangem as atividades


relativas ao transporte de materiais radioativos são estabelecidas pela(o)
(A) ANPT (B) CNEN (C) SRTE (D) DRT (E) MTE

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 280/26- Observe o rótulo de risco apresentado na Figura a


seguir.

Esse rótulo, cujo fundo, na forma original, é vermelho, é indicativo de


(A) substância explosiva (B) substância oxidante (C) gás não inflamável
(D) gás inflamável (E) líquido inflamável

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 61


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 281/40- Define-se como veículo de carga aquele que é utilizado


para trânsito nas vias de rolamento e que se destina ao transporte geral de cargas nas formas sólida, líquida e
gasosa. É classificado oficialmente como um veículo de carga o
(A) automóvel (B) micro-ônibus (C) ônibus (D) bonde (E) caminhão

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 282/41- No processo de combustão, os vapores emanados dos


materiais combustíveis e inflamáveis combinam-se com um gás. Esse gás é, geralmente, o
(A) hidrogênio (B) nitrogênio (C) oxigênio (D) gás carbônico (E) monóxido de carbono

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 283/42- Para que ocorra o fogo, é necessária a combinação de


alguns elementos reunidos no triângulo do fogo. Se um dos lados desse triângulo for removido, o fogo
(A) se extingue. (B) permanece estável. (C) cresce em volume.
(D) aumenta sua intensidade. (E) mantém a mesma intensidade.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 284/43- Os constituintes do fogo podem ser representados


simbolicamente por duas figuras geométricas. Uma dessas figuras possui três componentes, que são
(A) o calor, os inflamáveis e as reações químicas (B) o combustível, o comburente e o calor
(C) os inflamáveis, o combustivel e o comburente (D) as reações químicas, o comburente e o calor
(E) as reações químicas, os inflamáveis e o combustivel

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 285/44- Ao pegar fogo, a gasolina apresenta como


característica queimar
(A) somente em superficie. (B) somente em profundidade. (C) em superficie e em profundidade.
(D) em superficie e em profundidade, deixando resíduos. (E) e deixar resíduos.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 286/45- Como agente extintor, a água pode ser utilizada em


fogo de
(A) classe B, sob a forma de neblina (B) classe B, sob a forma de jato sólido
(C) classe C, sob qualquer forma ou estado (D) classe D, sob a forma de jato sólido
(E) classe D, sob a forma de neblina

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 287/46- O pó químico seco é um agente extintor que pode ser


utilizado

(A) nas classes A, B, C e D, sendo mais eficiente nas classes A, B e C, em qualquer circunstância.
(B) nas classes A, B, C e D, sendo muito mais eficiente na classe A, sem restrições.
(C) nas classes B, C e D, sendo nesta última quando na forma de pó químico seco especial.
(D) nas classes A, B e C, não havendo o risco de danificar o aparelho da classe C sobre o qual for utilizado.
(E) nas classes A, B e C, sendo muito eficiente em todas elas, indistintamente.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 288/47- Um determinado agente extintor apresenta as


seguintes características:
• pode ser conduzido facilmente através de bombas e canalizações a grandes distâncias;
• o seu jato alcança grandes alturas;
• possui maior capacidade de absorção de calor do que outros agentes extintores e
• é o mais eficiente no combate a combustíveis, como tecidos e carvão.

Esse agente extintor descrito é o(a)


(A) gás carbônico (B) pó químico (C) espuma química (D) espuma mecânica (E) água

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 62


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 289/48- O segundo andar de um edifício está em chamas. O


superaquecimento do teto desse andar transmitirá para o piso do terceiro pavimento, molécula a molécula, calor
suficiente para o fogo se propagar. Nessas condições, a propagação do fogo ocorre por
(A) convecção (B) condução (C) irradiação (D) radiação (E) ondas

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 290/49- Uma das vantagens da utilização do extintor de CO2 é


que o(a)
(A) gás carbônico não deixa resíduos e não é corrosivo.
(B) gás carbônico perde as suas características com o passar do tempo.
(C) gás carbônico não favorece o risco de reignição.
(D) alcance do seu jato é muito grande.
(E) sua válvula não apresenta risco de entupimento por congelamento.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/HST) 291/50- Há um equipamento extintor do fogo, constituído por


um bulbo de vidro contendo um líquido que se dilata com o calor, que, ao se romper, libera, sob a forma de ducha, a
água do encanamento ao qual está fixado. Esse equipamento é o
(A) esguicho (B) sprinkler (C) detetor de chama
(D) detetor de fumaça (E) detetor de calor

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TLOG.CONT11/APO/HST) 292/21- Substâncias perigosas da classe de risco 6, subclasse


6.2, são classificadas como
(A) tóxicas (B) infectantes (C) radioativas (D) oxidantes (E) explosivas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TLOG.CONT11/APO/HST) 293/22- De acordo com a classificação dos riscos dos produtos


perigosos, os sólidos inflamáveis pertencem à classe de risco 4, subclasse
(A) 4.1 (B) 4.2 (C) 4.3 (D) 4.4 (E) 4.5

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST/OHSAS) 294/42- A Norma OHSAS 18001:2007 é baseada na


metodologia conhecida como PDCA (Plan-Do-Check-Act = Planejar-Fazer-Verificar-Agir). Nessa Norma, o Agir é
descrito da seguinte forma:
(A) Estabelecer os objetivos e os processos necessários para atingir os resultados de acordo com a política de SST da
organização.
(B) Monitorar e medir os processos em relação à política e aos objetivos de SST.
(C) Executar ações para melhorar continuamente o desempenho da SST.
(D) Estabelecer uma Política de SST. (E) Implementar os processos.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST/NR05) 295/43- A SIPAT é um período de grande importância dentro da


Empresa, devido ao objetivo de conscientizar todos os funcionários sobre as necessidades de evitar acidentes e
doenças decorrentes do trabalho. Uma das atribuições da CIPA, juntamente com o SESMT (onde houver), é de
realizar a SIPAT
(A) a cada dois anos (B) semestralmente (C) bimestralmente
(D) anualmente (E) no período das campanhas de vacinação

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST/NR09) 296/54- O Programa de Controle Médico de Saúde


Ocupacional, PCMSO, estabelecido através da Portaria GM no 3.214, de 8 de junho de 1978 e atualizado através da
Portaria MTE no 1.892, de 9 de dezembro de 2013, determina que o PCMSO seja parte integrante do conjunto mais
amplo de iniciativas da empresa no campo da saúde dos trabalhadores, devendo estar articulado com o disposto nas
demais NR. Em se tratando da articulação com o disposto nas demais Normas, em 4 de outubro de 1996, a
Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho publicou uma nota técnica onde recomenda que, basicamente, o
PCMSO se articule com a(s)
(A) NR 1, que trata de disposições gerais.
(B) NR 9, que estabelece o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 63


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(C) NR 24, que trata de condições sanitárias.


(D) regras e normas específicas dos conselhos médicos.
(E) regras e normas específicas da vigilância sanitária.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST/NR15) 297/24- O técnico de segurança do trabalho de uma


plataforma de petróleo realizou, durante oito horas consecutivas, cinco medições ambientais de ruído no posto de
trabalho do eletromecânico. Na Tabela abaixo, tem-se a correlação entre os níveis de ruído encontrados e o tempo
de exposição.

Segundo a legislação trabalhista, a dose de ruído encontrada foi de


(A) 2,55 (255%) (B) 2,81 (281%) (C) 3,96 (396%) (D) 4,63 (463%) (E) 5,20 (520%)

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST/NR15) 298/25- Com relação aos termos e definições estabelecidos no


item 2 da NR 15, Anexo de No 6 (Trabalho sob Condições Hiperbáricas), a câmara hiperbárica, especialmente
projetada para ser utilizada em trabalhos submersos, é denominada sino de
(A) trabalho (B) mergulho (C) operação (D) recompressão (E) descompressão

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/HST/NR17) 299/65- Em se tratando de estudos de ergonomia, transporte


manual de cargas designa todo transporte no qual o peso da carga é suportado
(A) por um grupo de trabalho manual, compreendendo o levantamento e a deposição da carga.
(B) por um grupo de trabalho manual, excetuando-se o levantamento e a deposição da carga.
(C) inteiramente por um só trabalhador, compreendendo o levantamento e a deposição da carga.
(D) inteiramente por um só trabalhador, excetuando-se o levantamento e a deposição da carga.
(E) parcialmente por um só trabalhador, compreendendo o levantamento e a deposição da carga.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/HST/NR17) 300/60- O estudo ergonômico visa a estabelecer parâmetros


que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de
modo a proporcionar um máximo de conforto. Dentre as atividades de interesse da ergonomia, destacam-se o
levantamento, o transporte e a descarga individual de materiais. Nesse contexto, entende-se por trabalhador jovem,
aquele cuja idade se situa entre
(A) 21 anos e 25 anos (B) 18 anos e 21 anos (C) 16 anos e 18 anos
(D) 14 anos e 21 anos (E) 14 anos e 18 anos

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST/NR17) 301/52- O conforto no ambiente de trabalho interfaceia com


os conhecimentos de ergonomia, que estão normatizados, principalmente, na NR 17. Objetivando promover
conforto ergonômico, essa norma dispõe o seguinte:

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 64


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) Todos os equipamentos que compõem um posto de trabalho devem estar adequados unicamente à natureza do
trabalho a ser executado.
(B) Nas atividades que envolvam leitura de documentos para digitação, datilografia ou mecanografia deve ser
fornecido suporte fixo para documentos, padronizado para a empresa.
(C) Nas atividades que envolvam leitura de documentos para digitação, datilografia ou mecanografia deve-se evitar
movimentação frequente do pescoço e fadiga visual através do uso de cadeiras reclináveis.
(D) Quando os equipamentos de processamento eletrônico de dados com terminais de vídeo forem utilizados, não
poderão ser dispensadas as exigências previstas de os terminais de vídeo serem posicionados em superfícies de
trabalho com altura ajustável, independente da natureza das tarefas executadas e levando-se em conta a análise
ergonômica do trabalho.
(E) Para trabalho que necessite também da utilização dos pés, os pedais e demais comandos para acionamento pelos
pés devem ter posicionamento e dimensões que possibilitem fácil alcance.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST/IND) 302/48- Os dias seguidos de afastamento do trabalho


decorrentes de lesão no trabalhador, contados a partir do dia seguinte ao do acidente até o dia anterior ao do
retorno ao trabalho, são definidos como
(A) dias debitados (B) dias a debitar (C) dias perdidos
(D) dias de afastamento (E) tempo computado

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/HST/IND) 303/44- Em uma indústria de fabricação de produtos


alimentícios, no período de 10 meses, ocorreram 17 acidentes de trabalho. Desses acidentes, 7 foram com lesão com
afastamento, e 10, com lesão sem afastamento. A jornada de trabalho é de 300 horas/mês por empregado e o
número médio mensal de empregados é de 400. A taxa de frequência de acidentados com lesão com afastamento no
período foi de
(A) 5,83 (B) 15,00 (C) 23,47 (D) 25,00 (E) 27,85

$$Sistemas de informações (SI&TI) & Inovação (INOV): 33 QUESTÕES

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/SI&TI) 304/48- São exemplos de inteligência artificial (AI) utilizados em sistemas de


informação:
(A) Lógica fuzzy, redes neurais e algoritmos genéticos. (B) RFID, CRM e ERP.
(C) Datamining, drill-down e banco de dados. (D) Bluetooth, Wi-Fi e internet.

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/SI&TI) 305/35- Um determinado sistema de informação tem a seguinte descrição: é


baseado no conhecimento para aplicação em áreas específicas e complexas; oferece respostas com base em
inferências, assim como faz um ser humano; e é capaz de explicar ao usuário o processo de raciocínio e as
conclusões. De acordo com essa descrição, o sistema é do tipo
(A) ERP. (B) transacional. (C) MES. (D) especialista.

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/SI&TI) 306/52- As tecnologias de processo são dispositivos, ferramentas, máquinas e


equipamentos que auxiliam a produção. Um exemplo de tecnologia de processamento de materiais é o Sistema
Flexível de Manufatura, definido como um sistema que
(A) produz completamente um mix de produtos com pouca intervenção humana durante o processamento.
(B) realiza testes de qualidade sem que haja necessidade de monitoramento humano.
(C) compara diferentes sistemas de manufatura para seleção de tecnologias de informação e comunicação.
(D) atualiza as tecnologias informacionais da manufatura de maneira autônoma.

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/SI&TI) 307/53- Em sistemas produtivos, puxar a produção significa que a


(A) ordem de produção deve atender ao recurso-gargalo.
(B) sequência produtiva prioriza as datas de entrega.
(C) permissão para produzir vem de processos subsequentes.
(D) produção deve ser programada para a última data possível para evitar atraso.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 65


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/SI&TI) 308/59- Os sistemas do tipo ERP são tidos como uma evolução dos sistemas
MRP e MRP II. Por isso,
(A) os sistemas MRP e MRP II são possíveis de disponibilidade em sistemas do tipo ERP.
(B) a utilização do sistema ERP é restrita de sistemas de manufatura.
(C) o sistema MRP ou o MRP II deve ser implantado anteriormente ao ERP.
(D) o sistema ERP está sempre incluído nos softwares do tipo MRP ou MRP II.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/SI&TI) 309/10. Nos anos 1960, surgiu o MRP (Material Requirement


Planning), que pode ser definido como um sistema que permite
(A) avaliar quanto tempo determinado produto abastece o consumidor final.
(B) avaliar quanto tempo determinado produto abastece o fornecedor secundário.
(C) avaliar quanto de estoque determinado é necessário para períodos de maiores demandas do mercado consumidor.
(D) avaliar quanto de estoque determinado é necessário para períodos de menores demandas do mercado
consumidor.
(E) avaliar quanto material de determinado tipo é necessário e em que momento.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/SI&TI) 310/11. Nos anos 1980, surgiu o MRP II (Manufacturing Resources


Planning), que permite que
(A) as empresas avaliem as implicações de demanda futura nas áreas financeira e de engenharia, assim como as
necessidades de materiais.
(B) as empresas avaliem as implicações de demanda atuais nas áreas financeira e contábil, assim como as necessidades
de materiais.
(C) as empresas avaliem as implicações de demanda atuais nas áreas financeira e de suprimentos, assim como as
necessidades de materiais.
(D) as empresas avaliem as implicações de demanda futura nas áreas financeira e de marketing, assim como as
necessidades de materiais.
(E) as empresas avaliem as implicações de demanda passadas nas áreas contábil e de engenharia, assim como as
necessidades de materiais.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/SI&TI) 311/18. A tecnologia de RFID tem suas raízes nos sistemas de


radares utilizados na Segunda Guerra Mundial. Os alemães, japoneses, americanos e ingleses utilizavam radares –
que foram descobertos em 1935 por Sir Robert Alexander Watson-Watt, um físico escocês – para avisar com
antecedência sobre o aparecimento de aviões enquanto eles ainda estavam bem distantes. Sobre a tecnologia de
RFID, assinale a alternativa que apresenta uma de suas características.
(A) Resistência mecânica alta. (B) Resistência mecânica baixa. (C) Custo inicial baixo.
(D) Custo de manutenção alto. (E) Dados de armazenagem baixos.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/SI&TI) 312/19. Com relação ao código de barras, assinale a alternativa


que não apresenta uma de suas características.
(A) Formato em etiquetas. (B) Vida útil baixa. (C) Segurança alta.
(D) Custo de manutenção alto. (E) Exigência de contato visual.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/SI&TI) 313/20. Os sistemas de RFID são definidos pela faixa de frequência


que operam. Os sistemas de alta frequência vão de 850MHz a 950MHz e de 2,4GHz a 2,5GHz e servem para
(A) leitura em curta distância. (B) leitura em média e longa distância.
(C) leitura em baixa velocidade. (D) coleta manual de dados.
(E) leitura mecânica universal e manual de dados.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/SI&TI) 314/21. As companhias começaram a comercializar sistemas


antifurto que utilizavam ondas de rádio para determinar se um item havia sido roubado ou pago normalmente. Era
o advento das tags (etiquetas), denominadas “etiquetas de vigilância eletrônica”, as quais ainda são utilizadas até

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 66


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

hoje. Cada etiqueta utiliza um bit. Se a pessoa paga pela mercadoria, o bit é posto em off ou 0 (zero), e os sensores
não dispararão o alarme. Caso contrário, o bit continua em on ou 1 (um) e, se a mercadoria sai por meio dos
sensores, um alarme será disparado. Sobre as tags, assinale a alternativa incorreta.
(A) O leitor emite frequências que podem chegar a 2m (dois metros).
(B) O leitor opera pela emissão de um campo eletromagnético (radiofrequência).
(C) Quando a tag passa pela área de cobertura da antena, o campo magnético é detectado pelo leitor.
(D) O leitor emite frequências que podem chegar a 20cm (vinte centímetros).
(E) O leitor emite frequências que podem chegar a 2km (dois quilômetros).

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/SI&TI) 315/26. Na evolução dos procedimentos logísticos, há as


integrações interna e externa, o foco no cliente e a busca da vantagem competitiva, passando pelos serviços
prestados e atendidos pela área de processos e pela área de Tecnologia da Informação. Os Sistemas de Informações
Logísticos (SIL), apoiados pela TI, assumem papel importante no aumento da competitividade logística de uma
empresa. Esses sistemas, como o Sistema de Gerenciamento de Transporte (SGT), tem a vantagem de ter
(A) rapidez na implementação. (B) custo baixo na implementação.
(C) otimização de recursos da empresa. (D) controle parcial dos ciclos operacionais.
(E) aumento do espaço de armazenamento.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/APO/SI&TI) 316/64- Os sistemas de informações que atendem às necessidades do nível


operacional da organização e são utilizados pelos profissionais da empresa em todos os níveis de execução são
conhecidos como sistemas
(A) de automação (B) de apoio à decisão (C) especialistas
(D) gerenciais (E) transacionais

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/APO/SI&TI) 317/65- Data Warehouse pode ser conceituado como uma coleção de
dados orientada por assuntos, integrada, assim como
(A) não variante no tempo e volátil. (B) não variante no tempo e não volátil.
(C) pouco variante no tempo e volátil. (D) variante no tempo e volátil. (E) variante no tempo e não volátil.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/APO/SI&TI) 318/66- As empresas possuem grandes quantidades de dados. Em geral, a


maioria delas é incapaz de aproveitar plenamente o valor que eles têm. Com o intuito de melhorar essa situação,
surgiu o data mining, que se caracteriza por
(A) desenhar padrões já conhecidos. (B) extrair padrões ocultos nos dados.
(C) tomar decisões para os gestores. (D) não trabalhar com tendências. (E) não trabalhar com associações.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/PVND/APO/SI&TI) 319/29- Atualmente, com a utilização da tecnologia de informação, as


organizações empresariais se utilizam de sistemas de informações que as possibilitam gerir de maneira mais
eficiente seus recursos disponíveis. Os sistemas de informações gerenciais (SIG) são instrumentos muito benéficos
para o processo decisório institucional porque possibilitam
(A) relatórios mais precisos e rápidos, com menor esforço, melhorando o acesso às informações.
(B) informações utilizadas pelo nível operacional, para a tomada de decisões institucionais.
(C) interações da empresa com o ambiente externo, sendo assim classificados como sistemas fechados.
(D) a inobservância da confiabilidade das informações que são inseridas no sistema.
(E) a atuação do nível operacional da organização na definição das funções estratégicas do sistema.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/APO/SI&TI) 320/65- Os gerentes de operações, quando adotam o planejamento


das necessidades de materiais – MRP, fazem-no, dentre outros motivos, buscando melhorar o serviço ao cliente e
reduzir investimentos em estoques. O sistema MRP apresenta entradas e saídas, e uma de suas saídas principais é
o(a)
(A) arquivo estrutura analítica do produto (B) arquivo lista de materiais (C) arquivo situação do estoque
(D) programa mestre de produção (E) programação de pedidos

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 67


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/SI&TI) 321/61- Para que um sistema automatizado de montagem


obtenha sucesso, algumas modificações são necessárias no projeto de produtos. Ao se redesenharem produtos
destinados à montagem automatizada, deve-se evitar o(a)
(A) aumento da quantidade de fixadores (B) projeto de produtos para inserção vertical de peças
(C) projeto de produtos em módulos maiores para produção
(D) projeto de produtos para montagem em camadas (E) redução da quantidade de montagens

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/SI&TI) 322/32- Os sistemas de processamento transacional são sistemas


de gestão integrados que têm por objetivo
(A) dar suporte às atividades operacionais diárias da empresa.
(B) comparar a empresa com seus principais concorrentes.
(C) avaliar todas as atividades de sustentabilidade desenvolvidas pela empresa.
(D) prover a empresa de informações consolidadas de toda a indústria na qual está inserida.
(E) fornecer informações estratégicas, para apoiar a tomada de decisão.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/SI&TI) 323/33- O ERP (Enterprise Resource Planning) é uma plataforma de


software que integra todos os setores de uma empresa, armazenando todas as informações relativas aos negócios
realizados. NÃO se encontra entre as vantagens da implantação e da operação de um ERP em uma organização o(a)
(A) aumento da interdependência entre os módulos (B) aperfeiçoamento do fluxo de informação
(C) otimização da gestão de estoques (D) abreviação do tempo dos processos gerenciais
(E) redução da redundância das informações na empresa

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/SI&TI) 324/51- Um funcionário do setor administrativo de uma empresa


observa que, em seu computador, estão instalados dois programas: Firefox e Internet Explorer. Ele aciona o suporte
técnico para receber instruções sobre o modo de usá-los e recebe a informação de que tais programas são
equivalentes ao
(A) Winzip Rar (B) PDF Reader (C) Google Chrome
(D) Microsoft Java (E) Microsoft Power Point

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/SI&TI) 325/52- A supervisora de compras de uma pequena empresa


recebe uma solicitação para a compra de um firewall. Esse pedido tem como objetivo específico a(o)
(A) aceleração dos cálculos das planilhas (B) realização de videoconferência remota
(C) realização de agendamento on-line de reuniões (D) armazenamento de e-mails infinitos
(E) aumento da segurança da rede

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/SI&TI) 326/53- Um funcionário de uma empresa criou, na área de


trabalho de seu notebook Windows, um arquivo .txt contendo algumas informações pessoais. Como esse arquivo
contém dados sigilosos, ele gostaria de que seu conteúdo não fosse acessado por outras pessoas, no caso de furto ou
roubo de seu equipamento. Para evitar o acesso indevido ao conteúdo desse arquivo, é necessário que esse
funcionário
(A) renomeie o arquivo para o formato PDF.
(B) utilize criptografia simétrica com senha forte.
(C) gere um arquivo adicional contendo o hash do arquivo .txt.
(D) troque o disco interno do equipamento por um com sistema FAT32.
(E) mova o arquivo da área de trabalho para o diretório c:\tmp.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/SI&TI) 327/55- Dois amigos estão conversando sobre novidades de


informática. Um deles comenta que o backup dos dados de seu computador pessoal está na nuvem (cloud). Isso
significa que
(A) uma conexão com a Internet será necessária, na ocasião de eventual necessidade de restore dos arquivos.
(B) o spool de backup, localizado no mesmo diretório do spool de impressão, é o local de armazenamento de seus
documentos pessoais.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 68


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(C) os backups são armazenados, localmente, em memória interna, não volátil, de alta velocidade e de alto custo.
(D) os backups são armazenados em dois ou mais discos externos USB, conectados ao computador pessoal.
(E) os arquivos existentes no computador, em sua totalidade, são, localmente, duplicados e compactados no formato
MP4.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/SI&TI) 328/56- Uma funcionária deseja enviar, a partir de seu e-mail de


trabalho, uma mensagem para seu chefe. No envio dessa mensagem, ela pretende disparar uma cópia para seu e-
mail pessoal, mas sem que esse endereço particular seja revelado ao chefe. Para atingir esse objetivo, a funcionária
pode usar, na composição da mensagem, o seguinte recurso:
(A) Anexo (B) Antispam (C) Deleção Espontânea
(D) Cópia Oculta (Cco) (E) Responder a Todos

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TINF09/APO/SI&TI/COBIT) 329/44- A direção de uma empresa entendeu que, para


melhorar a gestão de TI, precisava definir as suas diretrizes de tecnologia, focando a implementação de um plano de
infraestrutura, arquitetura e padrões tecnológicos. Em função disso, segundo o Cobit 4.1, para definir os padrões de
infraestrutura tecnológica essa empresa deve basear-se
(A) na estrutura dos sistemas legados (B) na arquitetura da informação
(C) no perfil das mudanças tecnológicas (D) nas tendências da obsolescência tecnológica
(E) nos padrões de mercado

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TINF09/APO/SI&TI/COBIT) 330/45- Um técnico de suporte foi designado a implantar


uma nova forma de autorização de acesso aos bancos de dados do sistema de controle de produção. A concepção do
processo, no entanto, estava falha e, ao realizar suas funções, acabou por causar um incidente que tirou do ar o
sistema de controle de produção por cerca de duas horas. Segundo o Cobit 4.1, no processo de adquirir e manter a
infraestrutura de TI, que objetivo de uma atividade de uma equipe de TI deve ser seguido para evitar que esse
incidente torne a ocorrer?
(A) Gerenciar configuração.
(B) Gerenciar perfis de acesso a dados.
(C) Monitorar o ambiente de produção.
(D) Implantar e manter a segurança das bases de dados.
(E) Fornecer infraestrutura para ambientes de desenvolvimento e teste.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TINF09/APO/SI&TI/ISO) 331/52- A norma ISO 27002:2005, ao estabelecer regras para o


controle de acesso, recomenda que o responsável por essa área leve em conta vários aspectos relacionados à
segurança. Um técnico de informática, responsável por essa área, ao trabalhar em conformidade com essa norma,
deve
(A) considerar as mudanças nas permissões de usuários que são iniciadas automaticamente pelo sistema de
informações e aquelas iniciadas por um administrador.
(B) reconhecer que todas as regras devem ser sempre atendidas, não havendo regras condicionais em contexto de
segurança.
(C) reconhecer que sempre há usuários especiais com privilégios que devem prevalecer por serem exceções sobre a
necessidade de segurança.
(D) basear-se na premissa “tudo é geralmente permitido a menos que seja expressamente proibido”.
(E) basear-se na premissa “tudo aquilo que é proibido pode ser permitido pelo gerente de operações”.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TINF09/APO/SI&TI/ISO) 332/55- A respeito da segurança da informação, considere as


afirmativas abaixo.
I - Os riscos de segurança da informação são inerentes e inversamente proporcionais aos índices de dependência que a
empresa tem da informação.
II - A informação é reconhecida como ativo crítico para a continuidade operacional da empresa.
III - A criptografia proporciona a verificação da autenticidade do remetente.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 69


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Está correto APENAS o que se afirma em


(A) I (B) II (C) III (D) I e II (E) II e III

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/SI&TI) 333/33- Um Enterprise Resource Planning (ERP) é um sistema


de gestão empresarial que integra vários setores de uma organização, possibilitando que os usuários visualizem o
que ocorre nas diversas áreas. A adoção desse sistema apresenta diversas vantagens, entre as quais se inclui
(A) a facilidade de implementação em qualquer cenário.
(B) a ampliação dos limites de tempo de resposta ao mercado.
(C) a possibilidade de contar com um número maior de fornecedores de softwares.
(D) o curto espaço de tempo necessário para sua implementação.
(E) o fornecimento de informações em tempo real, otimizando a comunicação na cadeia de suprimentos.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/INOV) 334/70- O trecho abaixo identifica um grupo de inovação


tecnológica:
[...] Quando existe melhoria no que se faz e/ou aperfeiçoamento do modo como se faz, por acrescentar novos
materiais, ou desenhos ou embalagens que tornam mais práticos produtos ou processos já anteriormente existentes,
ou ainda acrescentando utilidades diferenciadas ou melhoras evidentes que os tornam mais desejados pelos seus
clientes/consumidores e portanto mais competitivos. - Manual de Inovação – Movimento Brasil Competitivo, 2008.

Trata-se de grupo de inovação tecnológica


(A) incremental (B) radical (C) semirradical
(D) corrente (E) sistemática

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/INOV) 335/63- No século passado, um cientista de uma empresa


conheceu uma experiência de outro cientista, um adesivo reposicionável, e passou a desenvolver tiras de papel
cobertas com esse adesivo de baixo tato, culminando com a invenção de um novo conceito de bloco de recados. Esse
é um caso típico de inovação
(A) básica (B) arquitetural (C) incremental avançada
(D) incremental intermediária (E) radical

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/INOV) 336/63- A separação do alumínio e do plástico da embalagem do


tipo longa vida já foi o grande problema para a reciclagem desse produto. Depois de anos de pesquisa e de
investimentos de milhões de reais, uma empresa desenvolveu uma tecnologia inédita no mundo para a reciclagem
total desse tipo de embalagem. Esse novo processo de reciclagem da embalagem longa vida é um caso típico de
inovação
(A) radical (B) arquitetural (C) básica
(D) incremental intermediária (E) incremental avançada

$$Gerência da Qualidade & Controle da Qualidade (QLDE): 22 QUESTÕES

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/QLDE/GER) 337/36- O programa 5S (cinco ésses) surgiu no Japão na década de 1950


com o objetivo de racionalizar e organizar o ambiente de trabalho e como parte do Controle da Qualidade Total
Japonês. Muito embora seja conceitualmente simples, é de difícil implementação e manutenção, pois, no
(A) início da implantação do programa, as pessoas envolvidas estão normalmente comprometidas e empolgadas, mas
ao final, quando é necessário o quinto passo) senso de autodisciplina), há dificuldades em se manter o padrão.
(B) primeiro passo (senso de utilização), é necessário investir altos recursos financeiros, o que normalmente é
reprovado pelos níveis hierárquicos superiores da empresa.
(C) segundo passo (senso de ordenação), há necessidade
de ampliação do espaço físico disponível para as operações, visto que todas as ferramentas, inclusive as menos
utilizadas, devem ficar próximas ao local de trabalho.
(D) quarto passo (senso de saúde), a equipe de trabalho deve se submeter a exames clínicos periódicos que devem ser
custeados com recursos dos próprios funcionários.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 70


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/QLDE/GER) 338/41- Qual é o órgão responsável por credenciar empresas que


emitem certificação ISO 9001 no Brasil?
(A) CNI (Confederação Nacional da Indústria)
(B) IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)
(C) INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia)
(D) IBICT (Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia)

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TINSP10/APO/QLDE/GER) 339/33- Qual o Organismo de Pesos e Medidas que coordena


os trabalhos internacionais efetuados nos seus domínios respectivos e propõe as recomendações concernentes às
modificações a introduzir nas definições e nos valores das unidades de medida?
(A) Conferência Geral de Pesos e Medidas (CGPM)
(B) Comitê Internacional de Pesos e Medidas (CIPM)
(C) Bureau Internacional de Pesos e Medidas (BIPM)
(D) Institutos Nacionais de Metrologia (INM)
(E) Sistema Internacional de Unidades (SIU)

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TINSP10/APO/QLDE/GER) 340/34- Como é chamada a atestação de terceira parte


relacionada a um organismo de avaliação da conformidade, comunicando a demonstração formal da sua
competência para realizar tarefas específicas de avaliação da conformidade?
(A) Conformidade (B) Rastreabilidade (C) Calibração
(D) Acreditação (E) Avaliação

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/QLDE/GER) 341/23- Uma empresa do setor de varejo, preocupada


com a crescente concorrência, resolveu alterar algumas práticas relativas ao atendimento dos clientes. Adotou para
isso um princípio da qualidade, o qual fez os empregados adotarem novos valores e atitudes, assegurando a
satisfação de todos aqueles que participam dos diversos processos da empresa, tanto internos quanto externos. O
princípio adotado pela empresa foi o(a)

(A) gerenciamento por processos (B) gerência participativa (C) constância de propósitos
(D) não aceitação de erros (E) satisfação total dos clientes

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/QLDE/GER) 342/24- Uma transportadora, contratada por uma


grande empresa, precisa implantar um sistema de gestão da qualidade, que é uma das condições para a
manutenção do contrato nos próximos anos. A empresa exige a implantação desse sistema por parte da
transportadora, porque um sistema de gestão da qualidade
(A) implica a certificação, por organismo independente, reconhecendo assim a capacidade da empresa em fornecer
produtos ou serviços de qualidade.
(B) possibilita a padronização de processos e a medição da eficiência dos mesmos, permitindo a identificação de
pontos de melhoria.
(C) permite o pleno controle dos produtos da empresa, garantindo ao cliente a qualidade total e a ausência de
defeitos.
(D) dispensa a utilização de documentos e registro dos processos, aumentando a eficiência da empresa.
(E) preconiza a política da qualidade estabelecida pelo nível operacional que executará as atividades da empresa.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/QLDE/GER) 343/69- A gestão de sistemas da qualidade envolve, entre


outros procedimentos, o monitoramento do interesse contínuo da empresa pela qualidade. A auditoria que é
conduzida para verificar se os operadores estão seguindo padrões preestabelecidos, se todos os equipamentos,
ferramentas e instruções de medida estão calibrados, identificados e com manutenção correta é a auditoria de
(A) desempenho (B) sistema (C) processo (D) produto (E) fornecedores

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 71


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/QLDE/GER) 344/54- Para uma boa administração da qualidade dos


processos produtivos de uma empresa, podem ser usadas diversas ferramentas no controle desses processos, entre
as quais NÃO se inclui a seguinte:
(A) programa 5s (B) diagrama de Pareto (C) análise de capacidade
(D) diagrama causa-efeito (E) análise de conformidade

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/QLDE/GER) 345/35- O Diagrama de Causa e Efeito consiste em uma


técnica visual que interliga os resultados (efeitos) com os fatores (causas), constituindo-se num instrumento muito
usado para estudar
(A) a relação ação/benefício, de modo que se possa priorizar a ação que trará o melhor resultado.
(B) a ordenação nas causas de perdas que devem ser sanadas.
(C) a determinação do estado atual da alocação de recursos e as estimativas de custos e desempenhos.
(D) as questões de 5W1H ou de 5W2H.
(E) os fatores que determinam os resultados que se desejam obter e as causas de problemas que se precisam evitar.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/QLDE/GER) 346/39- Determinada empresa siderúrgica fez uma inspeção


nas 1.500 chapas fabricadas e encontrou os seguintes defeitos: tanto o tamanho quanto a espessura fora das
especificações técnicas, arranhões, furos e trincas. Os valores estão apresentados no Gráfico de Pareto abaixo.

Analisando o gráfico apresentado, a falha cuja solução precisa ser priorizada é a seguinte:
(A) Espessura fora da especificação (B) Tamanho fora da especificação
(C) Trincas (D) Arranhões (E) Furos

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/QLDE/GER) 347/37. Os custos de controle de qualidade são muito representativos


em uma organização. Para Slack et al, eles são de responsabilidade do indivíduo ou de um departamento de
controle, e faz-se necessário examinar todos os custos envolvidos com qualidade, assim como, os benefícios
associados a este processo. Diante desta afirmação, os custos com o controle de qualidade são:
(A) custos diretos, indiretos, fixos e variáveis.
(B) custos diretos, indiretos, de transformação e de manutenção.
(C) custos fixos, variáveis, de falha interna e de falta de produto.
(D) custos de mão-de-obra, do produto vendido, de prevenção e de falta de produto.
(E) custos de prevenção, de avaliação, de falha interna e de falha externa.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/QLDE/GER) 348/23- A qualidade de produtos e serviços é mandatória


para as empresas que desejam manter a sua competitividade no mercado. A qualidade é um atributo esperado pelo
cliente, porém esse conceito pode tornar-se subjetivo se o foco estiver sobre a percepção de cada indivíduo. Para que
a qualidade possa ser um atributo corretamente identificado pelo cliente, é necessário que, ao oferecer seus
produtos e/ou serviços no mercado, a empresa
(A) especifique o fluxo de seus processos em seu manual da qualidade para, caso seja solicitado, apresentá-lo ao
cliente.
Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 72
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(B) afirme, durante o processo de venda, que seu produto e/ou serviço possui certificação de qualidade.
(C) ofereça produtos e/ou serviços compatíveis com os requisitos estabelecidos ou desejados pelos clientes no
processo de compra e venda.
(D) faça campanhas de publicidade direcionadas ao seu público-alvo sobre a qualidade de seus produtos e/ou serviços.
(E) treine a sua força de vendas para que se possa explicar aos clientes os elementos que contribuem para a qualidade
do produto e/ou serviço.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/QLDE/GER) 349/24- As empresas que utilizam sistemas de gestão da


qualidade (SGQ) para melhorar seus processos, produtos e/ou serviços contam com várias ferramentas que
contribuem para o acompanhamento do sistema como um todo. Um consultor que tenha sido contratado para
indicar e implementar uma ferramenta da qualidade que contribua efetivamente para a melhoria contínua do
sistema e que atenda da melhor forma ao objetivo da empresa deverá apresentar a seguinte escolha e sua
respectiva justificativa:
(A) Lista de verificação; permite a organização das informações, possibilitando a identificação das possíveis causas de
um determinado problema ou efeito.
(B) 5S; permite visualizar diversos elementos de um problema, auxiliando na determinação da sua prioridade.
(C) Diagrama de Pareto; permite registrar os dados dos itens a serem verificados, identificando rapidamente as falhas e
ajudando a diminuí-las.
(D) Diagrama espinha de peixe; permite reorganizar toda a área de trabalho, evitando desperdícios e facilitando a
localização de recursos disponíveis.
(E) Ciclo PDCA; possibilita o acompanhamento de todas as fases dos processos realizados, desde o seu planejamento
até a implementação de ações corretivas.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/QLDE/CON) 350/52- Sobre o controle estatístico da qualidade (CEQ),


considere as afirmativas abaixo.
I - O CEQ substituiu o controle de qualidade por amostragem pelo controle da qualidade 100%.
II - O CEQ tem por objetivo localizar desvios, erros, defeitos ou falhas no processo produtivo comparando o
desempenho alcançado com o padrão estabelecido.
III - No controle de qualidade por amostragem, caso a amostra seja rejeitada, todo o lote deverá ser reinspecionado.

É correto APENAS o que se afirma em


(A) I (B) II (C) III (D) I e II (E) II e III

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/QLDE/CON) 351/58- Toda análise estatística de qualidade possui a


característica de utilizar amostras, inferindo-se daí sobre o universo; no entanto, existe mais de uma maneira de
realizá-la. Caso se deseje que uma peça, de acordo com a sua especificação, tenha dimensões que variem de 15,10
cm a 15,30 cm, com média de 15,20 cm, tirando-se amostras durante o processo de fabricação, a técnica mais
indicada é a de
(A) controle da fração de defeituosos (B) controle de variáveis (C) inspeção por amostragem
(D) inspeção simples (E) inspeção dupla

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/QLDE/CON) 352/34- Uma fábrica de achocolatado em pó possui como uma de suas


principais matérias-primas o açúcar refinado, comprado em embalagens de 100 kg. O gerente de qualidade dessa
fábrica deseja selecionar um fornecedor de açúcar refinado cujas embalagens apresentem a menor variabilidade de
peso e com média igual ao peso nominal da embalagem. Considerando que o peso real da embalagem de açúcar
seja uma variável aleatória x com distribuição normal para quatro fornecedores diferentes com os seguintes
parâmetros:
. fornecedor 1 – N (90,15); . fornecedor 2 – N (100,16);
. fornecedor 3 – N (95,20); . fornecedor 4 - N (100,14),

Qual deve ser a escolha do gerente de qualidade?


(A) Fornecedor 1. (B) Fornecedor 2. (C) Fornecedor 3. (D) Fornecedor 4.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 73


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A&E/MRS/ML/2006/APO/QLDE/CON) 353/9- Analise os gráficos e responda:

(A) Gráfico a, o CP = 1
(B) Gráfico b, o CPK < 1,0
(C) Gráfico c, o CP > 1,0
(D) Gráfico d, o CPK > 1,0
(E) NRA – Nenhuma das Respostas Anteriores

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/QLDE/6SIGMA) 354/53- A aplicação do programa Seis Sigma nas


empresas tem como um de seus objetivos a redução de desperdícios devido à má qualidade. Uma das
particularidades mais relevantes desse programa é
(A) avaliar as atividades de projetos fazendo uso, unicamente, das ferramentas estatísticas.
(B) aplicar uma metodologia individualizada e fragmentada dos processos.
(C) ser uma ferramenta de modificação da cultura organizacional sem vínculo imediato com os objetivos do projeto.
(D) ser de pouca utilidade para os processos que não fazem uso de análise de capacidade, como é o caso do setor de
serviços.
(E) unir as ferramentas estatísticas e não estatísticas para a integração do gerenciamento por processo e por diretrizes,
com foco nos processos críticos, nos resultados da empresa e nos clientes.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/QLDE/ISO) 355/56- Entre as normas ISO, há um conjunto que forma um


modelo de gestão da qualidade para que as organizações possam adotar práticas que atendam aos requisitos de
qualidade do cliente. A adoção dessas normas significa que todos os produtos fabricados terão as mesmas
características e os mesmos padrões de qualidade. Essa descrição corresponde às normas ISO
(A) 9.000 (B) 14.000 (C) 26.000 (D) 31.000 (E) 50.001

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/QLDE/ISO) 356/56- A Seção 4 – Sistema de Gestão da Qualidade da ISO


9001:2008 determina os processos necessários e o estabelecimento de métodos para assegurar que esses processos
produzam os resultados desejados, bem como o controle da documentação padronizada. O documento que inclui o
campo de aplicação do Sistema de Gestão da Qualidade é o
(A) Manual da Qualidade
(B) Instrução de Trabalho
(C) Registro de Conformidade
(D) Procedimento Operacional
(E) Relatório Gerencial

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/QLDE/ISO) 357/59. A norma ISO 9001 - revisão 2008 é baseada nos seguintes
princípios:
(A) liderança, envolvimento de pessoas e enfoque no processo.
(B) melhoria contínua, sustentabilidade e abordagem sistêmica para gerenciamento.
(C) tomada de decisões baseada em fatos, custo da qualidade e liderança.
(D) envolvimento das pessoas, enfoque no processo e sustentabilidade.
(E) custos da qualidade, melhoria contínua e tomada de decisões baseadas em fatos.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/QLDE/ISO) 358/38. A série ISO 9000 forma um conjunto de padrões estabelecidos


mundialmente que estabelece exigências para os sistemas de administração da qualidade das empresas. O quadro a
seguir detalha as recomendações desta série.
Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 74
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Série Recomendações
1 ISO 9000 I Lida com administração da qualidade e dos padrões de garantia de qualidade e orientação
para seleção e uso.
2 ISO 9001 II Lida com modelo de sistemas de qualidade para a garantia de qualidade e do sistema de
qualidade: linhas de ação.
3 ISO 9002 III Lida com modelo de sistemas de qualidade para a garantia de qualidade em produção e
instalação.
4 ISO 9003 IV Lida com modelo de sistemas de qualidade para a garantia de qualidade de
design/desenvolvimento, produção, instalação e manutenção.
5 ISO 9004 V Lida com modelo de sistemas de qualidade para a garantia de qualidade na inspeção e
testes finais.

A correlação correta entre a Série e suas respectivas Recomendações ocorre em:


(A) 1-I - 2-IV - 3-III - 4-V - 5-II. (B) 1-III - 2-IV - 3-I - 4-V - 5-II. (C) 1-II - 2-I - 3-IV - 4-III - 5-V.
(D) 1-IV - 2-III - 3-II - 4-I - 5-V. (E) 1-II - 2-V - 3-I - 4-IV - 5-III.

$$Gerência de Manutenção (MAN): 10 QUESTÕES

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/MAN) 359/47- Entre os benefícios obtidos por uma empresa que realiza
manutenção, NÃO se inclui o(a)
(A) aumento da confiabilidade (B) aumento do tempo de vida do maquinário
(C) incremento da qualidade dos produtos (D) redução de custos de operação
(E) diminuição do tamanho do lote de produção

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSEG26/APO/MAN/TIP) 360/41- A Inspeção de Segurança é uma das maneiras mais


antigas de evitar acidentes de trabalho. Quando se realiza a inspeção em extintores de incêndio, de acordo com a
NBR 12962:1998 (Inspeção, manutenção e recarga em extintores de incêndio), está sendo posta em prática a
seguinte modalidade:
(A) geral (B) periódica (C) parcial (D) especial (E) eventual

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/MAN/TIP) 361/46X- A manutenção centrada em confiabilidade consiste


em realizar o trabalho
(A) somente após a primeira falha ter ocorrido, pois assim será possível prever a próxima falha.
(B) somente uma única vez por ciclo produtivo, já que não pode haver falha durante esse ciclo.
(C) somente quando as instalações apresentarem necessidade, uma vez que o padrão de falhas é determinado pela
instalação física onde o maquinário se encontra.
(D) a intervalos predefinidos, pois a manutenção deve ser realizada com a maior confiabilidade possível.
(E) com o padrão de falhas adequado a cada tipo de modo de falha de uma peça ou de um sistema.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/MAN/TIP) 362/35- Entre os diversos tipos de manutenção, existe a


manutenção preditiva, indicada para situações em que
(A) o conserto seja fácil.
(B) o conserto seja barato.
(C) a atividade de manutenção se torne dispendiosa, seja devido ao custo de manutenção, seja devido ao custo de
interrupção da produção.
(D) a realização de um monitoramento não seja necessária para as atividades de manutenção.
(E) os equipamentos de produção não precisem de uma alta utilização para reduzir o custo unitário de produção.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/MAN/TIP) 363/62- Manutenção é o termo usado para abordar a forma


pela qual as organizações tentam evitar as falhas cuidando de suas instalações físicas. Quando a falha é previsível, a

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 75


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

abordagem que visa a realizar manutenção somente quando as instalações precisarem dela, antes da quebra, é
denominada manutenção
(A) automática (B) conservadora (C) corretiva
(D) preventiva (E) preditiva

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/MAN/TIP) 364/66- Uma instalação fabril possui uma máquina de


processamento contínuo que opera por longos períodos de tempo, a fim de atingir um alto índice de utilização de
sua capacidade, necessário para que a produção seja eficiente em custos. A qualidade e as condições de operação
dessa máquina podem ser aferidas por características de vibrações medidas próximo aos seus mancais, que são
analisadas em seguida. A abordagem básica para a manutenção dessa máquina mais apropriada nesse contexto é a
(A) corretiva (B) preditiva (C) preventiva (D) profilática (E) retificadora

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/MAN/TPM) 365/34- A manutenção produtiva total (Total Productive


Maintenance) surgiu no Japão, sendo vista como uma extensão natural na evolução da manutenção corretiva para a
manutenção preventiva. Ao se considerar a função que o trabalhador desempenha nesse tipo de manutenção,
verifica-se que o seu papel sofreu um(a)
(A) lead time (B) empowerment (C) outsourcing
(D) terceirização (E) postergação

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/MAN/FER) 366/54. No desenvolvimento de um novo produto, a técnica FMEA é


usada para
(A) identificar e documentar falhas em potencial.
(B) planejar, detalhadamente, as etapas de controle da qualidade.
(C) avaliar resultados de testes práticos.
(D) transformar desejos do cliente em especificações de produto.
(E) sequenciar as atividades de desenvolvimento do produto.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/MAN/IND) 367/68- Uma empresa produz equipamentos de baixo custo,


sendo esse seu principal diferencial competitivo. O gerente de produção informa à direção que conseguirá reduzir o
custo de um determinado produto caso possa aumentar a quantidade de componentes interdependentes utilizados
nesse produto. Sabe-se que:
• cada componente apresenta uma probabilidade de não falhar de 90%;
• se algum componente falhar, o produto para de funcionar;
• a direção da companhia aceita vender seus produtos com um mínimo de 70% de confiabilidade.

Nessas condições, quantos componentes deverão ser utilizados pelo gerente de produção a fim de reduzir, ao máximo,
o custo desse produto?
(A) 1 (B) 2 (C) 3 (D) 4 (E) 5

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/MAN/IND) 368/46. Considere a tabela abaixo, que mostra os tempos de operação


e reparo de determinada máquina operatriz.
Tempo (min) Condição da máquina
100 Operação
10 Reparo
200 Operação
15 Reparo
150 Operação
5 Reparo
50 Operação

O Mean Time Between Failures − MTBF desta máquina no período apresentado é, em minutos, igual a
(A) 135. (B) 115. (C) 125. (D) 500. (E) 30.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 76


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

$$Logística (LOG), Adm. Materiais (MAT), Aquisição (AQUIS), Classificação (CLAS) e Armazenagem (ARM): 117Q

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG) 369/1. Nos dias de hoje, a logística é conhecida como uma parte
essencial nas empresas, considerada um departamento responsável pela gestão dos materiais. É correto afirmar
que, inicialmente, a logística surgiu por meio dos(as)
(A) militares. (B) egípcios.
(C) organizações filantrópicas. (D) entidades religiosas.
(E) multinacionais.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG) 370/2. É correto afirmar que a logística tem crescido muito, uma vez
que as organizações estão buscando cada vez mais desenvolver seus serviços e produtos, e ela é uma parte
importante para que ocorra(m)
(A) competitividade e qualidade. (B) centralização de processos. (C) burocracia e organização.
(D) integralização e hierarquização. (E) direcionamento e certificação.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/LOG) 371/44. Existem algumas barreiras que frequentemente inibem o processo de


integração interna da logística. Para Bowersox e Closs, estas barreiras NÃO correspondem
(A) à Amplitude do Canal de Distribuição. (B) à Estrutura Organizacional.
(C) a Sistemas de Mensuração. (D) à Capacidade de Transferência de Conhecimento.
(E) à Propriedade do Estoque.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/LOG) 372/53. As principais características da chamada Gestão da Cadeia de


Suprimentos (Supply Chain Management) estão contempladas na abordagem administrativa
(A) Sistêmica. (B) Científica. (C) Clássica. (D) Produtivista. (E) Comportamental.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG) 373/5. Uma ação de logística provoca melhoria de uma variável


focalizada por um lado e sensibilidade de outras variáveis, determinando um trade-off logístico. Um típico exemplo
de trade-off logístico ocorre quando o(a)
(A) aumento do nível de serviços em logística acarreta o aumento dos custos logísticos de forma acelerada.
(B) diminuição do nível de serviços em logística acarreta o aumento dos custos logísticos de forma acelerada.
(C) aumento do nível de serviços em logística acarreta a diminuição dos custos logísticos de forma acelerada.
(D) aumento do nível de serviços em logística não altera os custos logísticos de forma acelerada.
(E) diminuição do nível de serviços em logística não altera os custos logísticos de forma acelerada.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG) 374/7. Existem conflitos nos sistemas de distribuição logística,


devido às inadequadas integração e cooperação entre os envolvidos. O principal gerador de conflitos é o(a)
(A) investimento em recursos humanos.
(B) distribuição equitativa de dividendos.
(C) desrespeito com os compromissos assumidos.
(D) desalinhamento com áreas de staff, como jurídico e financeiro.
(E) investimento em sistemas de integração.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG) 375/9. Existem diferenças entre o conceito de logística e o de Supply


Chain Management (SCM), sendo que este tem o objetivo de agregar valor ao
(A) consumidor final. (B) fluxo de materiais. (C) fluxo de informações.
(D) fornecedor primário. (E) fornecedor secundário.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG) 376/25. Na logística, tem-se o caminho percorrido pelos produtos/


serviços de uma empresa até eles chegarem aos seus clientes/ usuários finais, ou o roteiro pelo qual uma empresa
distribui seus produtos/ serviços. Trata-se do canal de distribuição, que é diferente do canal logístico. Diante do
exposto, assinale a alternativa que apresenta a definição de canal logístico.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 77


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) Trata-se da organização ou do indivíduo envolvido na transferência, armazenagem, movimentação e nas


comunicações ao longo do canal de distribuição, exercendo as funções necessárias para um fluxo eficiente de
produtos/ serviços.
(B) É a instalação que permite a entrada de matérias-primas, componentes ou produtos acabados, que os armazena,
separa e, então, reúne tudo para o embarque.
(C) Trata-se da expedição de mercadorias diretamente da doca recebedora, sem passar pelo estoque. É utilizado para
reduzir custos e tempo de execução no despacho de produtos de grande saída e/ou perecíveis.
(D) É o agrupamento de expedições, visando obter reduções de custos ou utilização aperfeiçoada de determinado
modal de transporte. A consolidação pode acontecer a partir do agrupamento por áreas geográficas do mercado,
conforme as entregas de programação.
(E) É o documento emitido por transportador, que confirma o recebimento das mercadorias a serem transportadas e
constitui um contrato de transporte entre o embarcador e o transportador para os diversos modais de transporte.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG) 377/28. A gestão baseada em técnicas logísticas, como o lead time,


poderá colaborar decisivamente para que o crescimento competitivo, de um modo geral, obtenha o sucesso
desejado e possa crescer de maneira equilibrada, apresentando-se sempre competitiva, face aos novos desafios do
mercado. A definição mais convencional para lead time em Supply Chain Management (SCM) é o tempo entre o
momento de entrada do material até a sua saída do inventário. O lead time está intimamente ligado ao contexto
(A) do Meio Ambiente. (B) do Financeiro. (C) de Produção.
(D) de Marketing. (E) de Recursos Humanos.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG) 378/30. Trata-se do enquadramento de suprimentos, em que é o


varejo que calcula as suas necessidades e envia seus pedidos diretamente para o fornecedor. É correto afirmar que a
descrição diz respeito ao(à)
(A) inventário administrado pelo varejo. (B) controle do chão de fábrica.
(C) unidade de manutenção de estoque. (D) teoria das restrições.
(E) teoria da equidade.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/LOG) 379/52- O centro de distribuição de uma fábrica de brinquedos


eletrônicos executa diversas atividades que envolvem a distribuição física, EXCETO o(a):
(A) acondicionamento dos produtos (B) transporte interno de itens
(C) controle de pagamentos dos fornecedores (D) recebimento de encomendas de clientes
(E) armazenagem dos brinquedos

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/LOG) 380/45- Na logística empresarial, com o propósito de reduzir os


estoques, as empresas utilizam a tecnologia da informação. Geralmente, adotam a terceirização, através da
contratação de prestadores de serviços, os operadores logísticos, que gerenciam centros de distribuição. O sistema
logístico de controle e informação desempenha um conjunto de determinadas funções. NÃO é uma dessas funções
o(a)
(A) aprimoramento da utilização dos recursos físicos dentro da cadeia logística.
(B) fornecimento de informações de suporte à decisão dos gestores da cadeia de suprimentos global.
(C) aperfeiçoamento dos ciclos de fluxos de materiais no gerenciamento dos processos de circulação de produtos.
(D) controle global dos recursos humanos da cadeia de suprimentos.
(E) criação de um banco de dados para monitorar o desempenho operacional.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/LOG) 381/31- Em canais de distribuição de produtos, é preciso


implementar a logística a eles associada e a forma de mantê-los em operação. Quando da identificação e da
priorização das funções associadas a cada canal, é preciso conhecer suas características. Em relação às
características dos canais, considere as afirmações a seguir.
I - A customização do produto requer modificações técnicas para adaptação às demandas específicas do mercado.
II - O serviço pós-venda exige que os canais de distribuição ofereçam e mantenham estoques de todas as diferentes
variações de um produto.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 78


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

III - Quanto à disponibilidade, os clientes de diferentes segmentos exigem mais variedade na oferta de produtos.

Está correto o que se afirma em


(A) I, apenas (B) II, apenas (C) I e III, apenas
(D) II e III, apenas (E) I, II e III

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/LOG) 382/33- A colaboração dentro da cadeia de suprimentos ocorre


quando duas ou mais empresas dividem a responsabilidade de trocar informações sobre o planejamento, a gestão, a
execução e a medição de desempenho. A decisão operacional que estabelece parcerias para que parte dos produtos
e dos serviços utilizados em uma empresa seja fornecida por outra empresa externa, de forma colaborativa e
independente, é chamada de
(A) fornecimento operacional (B) fornecimento ganha-ganha
(C) outsourcing (D) workplace (E) postponement

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG) 383/34- Durante a elevação e o transporte de carga utilizando


ponte rolante, recomenda-se
(A) impedir a presença de mais de duas pessoas não autorizadas na ponte.
(B) exceder apenas até 10% o peso máximo indicado no equipamento para a realização do trabalho.
(C) improvisar sempre que houver necessidade.
(D) deixar a carga suspensa na ponte durante situações de emergência.
(E) elevar a carga somente quando estiver pendurada e bem presa ao sistema de guincho.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/LOG/DPS) 384/49- No Brasil, há uma predominância do modal rodoviário


na matriz de transportes, tanto no transporte de cargas como no de passageiros. No contexto de transporte de
carga, há diferentes tipos de estratégias para coleta e distribuição de materiais. Há um tipo de operação que se
refere à transferência da carga de veículos maiores para menores, cuja mercadoria recebida e a ser distribuída em
seguida já possui destino conhecido, sem a necessidade de armazenamento nem a de utilização de instalações
físicas próprias. A descrição acima corresponde à operação de
(A) unitização (B) multimodalidade (C) milk-run
(D) transit-point (E) entrega porta a porta

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/LOG) 385/31- Os fluxos de informação, de material e de dinheiro estão


incorporados à moderna definição de Logística. Entre esses fluxos, o(s) de origem no consumidor é (são)
(A) apenas de dinheiro (B) apenas de informação (C) de informação e de material
(D) de informação e de dinheiro (E) de dinheiro e de material

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/LOG) 386/32- Atuação Segmentada, Integração Rígida, Integração


Flexível e Integração Estratégica são as quatro fases de evolução da Logística moderna, desde o final da 2a Guerra
Mundial. Quais fases têm como característica o aparecimento dos sistemas MRP e Just-in-Time, respectivamente?
(A) Integração Flexível e Integração Estratégica (B) Integração Flexível e Integração Rígida
(C) Integração Rígida e Integração Flexível (D) Atuação Segmentada e Integração Rígida
(E) Atuação Segmentada e Integração Estratégica

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/LOG) 387/33- Os participantes de um canal de distribuição podem ser


classificados como primários e especializados. Dentre as entidades abaixo, qual deve ser classificada como
participante primário?
(A) Seguradoras (B) Atacadistas (C) Instituições financeiras
(D) Agências de publicidade (E) Agentes de transporte

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/LOG) 388/26- A logística, por ser um setor organizacional de muita


importância no suporte e na condução de melhor produtividade e competitividade da empresa, geralmente, é
subdividida em três áreas principais, que são:

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 79


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) tecnologia da informação, sistema operacional e distribuição


(B) armazenagem, estoque e movimentação de cargas
(C) tecnologia da informação, suprimentos e armazenagem
(D) processo produtivo, sistema operacional e estoque
(E) distribuição física, apoio à produção e suprimentos

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/LOG) 389/28- A gestão da Cadeia de Abastecimento, nas últimas


décadas, passou a ter grande importância no gerenciamento das empresas e evoluiu bastante em seus conceitos,
abordagens e práticas, gerando várias mudanças na cadeia de abastecimento, dentre as quais a integração dos
processos de negócios e a área de vendas, a diminuição dos lotes de produção e, até mesmo, a produção de maior
número de produtos diferentes, mais rapidamente. Estas modificações possibilitam às empresas
(A) reduzir seus custos com o aumento da rotatividade de pessoal, reduzindo os impactos trabalhistas, e aumentar os
estoques para diminuir os lotes de produção.
(B) tomar suas decisões de forma independente em relação à avaliação dos impactos nos parceiros da cadeia
concentrando-se nos seus próprios lucros.
(C) minimizar a utilização da tecnologia da informação e de sistemas informatizados que, geralmente, tornam-se um
problema para as empresas.
(D) obter maiores receitas em função do aumento de preços viabilizado pela integração entre precificação e estoque.
(E) diminuir seus custos, melhorar a qualidade no atendimento aos clientes e aumentar suas vendas.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/LOG) 390/29X- As organizações empresariais estabelecem inúmeras


relações de troca no ambiente em que atuam. Uma das áreas da administração que dá suporte a essas interações,
facilitando-as, é a logística. Em termos gerais, as operações logísticas
(A) estabelecem o fluxo de comunicação entre clientes e fornecedores, diretamente, agregando valor ao produto final,
que é comercializado pela empresa.
(B) fornecem informações que resultam no planejamento do processo produtivo da empresa, estabelecendo o fluxo
ótimo de processamento das matérias-primas.
(C) direcionam as relações de troca existentes no mercado, compondo o fluxo de interação dos fornecedores,
produtores e clientes.
(D) ocupam-se com a movimentação de materiais desde o carregamento inicial de um material ou componente
adquirido de um fornecedor e terminam quando o produto fabricado ou processado é entregue ao cliente final.
(E) estabelecem relações dinâmicas entre fornecedores e clientes maximizando o lucro da organização com a
manutenção da ociosidade no processo produtivo.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TLOG.CONT11/APO/LOG) 391/31- O fluxo de materiais e informações que vai desde


compras/produção indo até o cliente, mediante distribuição/serviço de entrega, é denominado cadeia
(A) logística (B) de gestão (C) de processo (D) de serviços (E) de suprimentos

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG/MPROC) 392/3. Um dos benefícios da logística reversa é reduzir o


impacto ambiental. Para que isso ocorra, faz-se necessários algumas etapas e ciclos de processos. A principal
característica da logística reversa refere-se ao(à)
(A) deslocamento de determinado produto, do ponto em que foi consumido até o ponto em que foi armazenado.
(B) encurtamento do prazo de vida útil de determinado produto.
(C) nivelamento pela qualidade de determinado produto, do ponto em que será estocado até o ponto em que será
comercializado.
(D) distribuição de determinado produto, do ponto em que será comercializado até o ponto em que será consumido.
(E) movimentação de determinado produto, desde o ponto em que foi consumido até o ponto em que foi produzido.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG/MPROC) 393/4. É correto afirmar que ocorre o encontro da empresa


com seu consumidor final no(a)
(A) logística reversa. (B) logística integrada. (C) canal de distribuição.
(D) canal de marketing. (E) just in time.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 80


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG/MPROC) 394/6. A logística de distribuição pode ser tratada como o


sistema de relações existentes entre
(A) colaboradores que participam dos processos de compra, venda e distribuição de produtos e serviços.
(B) empresas que participam dos processos de venda de produtos e compra de serviços.
(C) empresas que participam dos processos de compra de produtos e venda de serviços.
(D) empresas que participam dos processos de compra, venda e distribuição de produtos e serviços.
(E) empresas que participam dos processos de aquisição e fusão de outras empresas.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/LOG/MPROC) 395/8. Enquanto a logística integrada representa uma


integração interna de atividades, o Supply Chain Management (SCM) representa a
(A) racionalização de transporte. (B) integração externa. (C) integralização interna.
(D) integralização de capital logístico. (E) integralização de estoque.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/LOG/MPROC) 396/29- A gestão da cadeia de suprimentos possibilita


uma interconexão de empresas que se relacionam entre si. Uma organização pode buscar integração vertical de
modo a ficar mais competitiva. Ela pode montar ou adquirir uma empresa que produza matéria-prima necessária em
seu processo de fabricação ou que distribua/venda produtos aos consumidores. O tipo de integração vertical que
garante um suprimento estável e que assegura a qualidade do produto é a do tipo
(A) a jusante (B) a montante (C) suprimento pleno
(D) ressuprimento (E) push e pull

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CSOC.RP46/APO/LOG/MPROC) 397/65- A cadeia de valor simplificada do setor de


petróleo e gás é apresentada na ordem a seguir:
1) Extração do óleo bruto 2) Transporte do óleo bruto
3) Refinamento do óleo bruto 4) Transporte de refinados
5) Venda de refinados aos consumidores finais

Se uma empresa atua no refinamento de óleo bruto e passa a realizar também as atividades de transporte de
refinados e venda desses produtos aos consumidores finais, sua estratégia corporativa é denominada integração
(A) híbrida (B) vertical para trás (C) vertical para frente
(D) horizontal para trás (E) horizontal para frente

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/LOG/FOR) 398/56- Segundo Forrester (1961), na cadeia de suprimentos, o “efeito


chicote” é o
(A) impacto negativo do aumento de preço no varejo que afeta toda a cadeia.
(B) crescimento do número de centros de distribuição no sentido à jusante.
(C) aumento da variabilidade da demanda no sentido à montante.
(D) crescimento do nível de integração entre elos adjacentes ao longo do tempo.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/APO/LOG/FOR) 399/64- A comunicação entre as partes de uma cadeia de


suprimentos é de grande relevância; no entanto, certos tipos de informação podem gerar impactos em toda uma
cadeia, gerando o conhecido “Efeito Chicote”. NÃO constitui uma causa desse efeito o(a)
(A) alto custo de colocação do pedido
(B) agrupamento de pedidos
(C) racionamento de produtos
(D) estabilidade de preços
(E) previsão da demanda de longo prazo

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/LOG/REDE) 400/35. O planejamento de uma rede de transporte, que reduza o custo


e melhore a responsividade da cadeia de suprimento, exige um expressivo investimento em infraestrutura de
informações para facilitar a sua coordenação. A complexidade de gerenciar esta rede de transporte é grande, uma

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 81


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

vez que existem diversos procedimentos de entrega aplicados em cada produto e varejista. O quadro a seguir
demonstra as vantagens inerentes de cada tipo de rede:

Estrutura da Rede de Transporte Vantagens


1 Entrega Direta I Reduz os níveis de estoque e dos custos de transporte para
pequenos lotes
2 Entrega direta com milk runs II Facilidade de coordenar por não possuir depósito
intermediário
3 Entregas via CD centralizado com III Redução do custo de entrada do transporte por meio da
armazenagem de estoque consolidação
4 Entregas via CD centralizado com IV Redução do custo de saída do transporte para pequenos lotes
crossdocking
5 Entrega via CD utilizando milk runs V Pouca necessidade de estoque e redução do custo de
transporte devido à consolidação

As correlações corretas entre Estrutura de Rede de Transporte e respectivas Vantagens ocorre em:
(A) 1-IV - 2-III - 3-V - 4-I - 5-II. (B) 1-III - 2-I - 3-II - 4-IV - 5-V. (C) 1-I - 2-III - 3-II - 4-V - 5-IV.
(D) 1-II - 2-I - 3-III - 4-V - 5-IV. (E) 1-V - 2-IV - 3-I - 4-III - 5-II.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/LOG/REDE) 401/36- Um centro de distribuição de mercadorias, localizado


no nó O, necessita suprir todas as lojas e supermercados localizados nos demais nós. As rotas possíveis, com as
respectivas distâncias em quilômetros, são representadas na malha abaixo.

Sabendo-se que apenas um caminhão irá realizar todas as entregas, o menor percurso da viagem de ida, em km, é de
(A) 140 (B) 150 (C) 170 (D) 180 (E) 190

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/LOG/REDE) 402/25- Na cadeia de suprimento de um determinado produto,


foram observadas as movimentações dos produtos A, B, C e D apresentadas no Quadro a seguir.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 82


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Em relação à divisão modal em t.km, o percentual do(s) modo(s)


(A) rodoviário é maior do que 70%.
(B) hidroviário é menor do que 5%.
(C) ferroviário é menor do que 25%.
(D) hidroviário e ferroviário juntos é maior do que 40%.
(E) rodoviário e ferroviário juntos é maior do que 90%.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/LOG/MOD) 403/35- Os meios de transporte atendem à cadeia de


fornecimento bem como à de distribuição da maior parte dos produtos. Quando se planeja a entrega de matéria-
prima e de produtos acabados, é preciso avaliar as características da carga em relação à modalidade escolhida.
Considerando-se um projeto logístico que tenha optado por utilizar uma cegonheira e depois uma embarcação do
tipo roll-on/roll-off, conclui-se que o projeto considerou, respectivamente, os modais
(A) ferroviário e fluvial (B) rodoviário e marítimo (C) rodoviário e aéreo
(D) aéreo e marítimo (E) aéreo e ferroviário

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/LOG/MOD) 404/37- O transporte ferroviário é utilizado para o


transporte de mercadorias de baixo valor agregado e de mercadorias em grandes quantidades e peso, tais como
produtos agrícolas, fertilizantes, derivados de petróleo, minérios e produtos siderúrgicos, entre outros. É vantagem
desse modal de transporte, a(o)
(A) flexibilidade de destinos em curtos trajetos
(B) flexibilidade quanto ao uso da rede com outros modais
(C) necessidade maior de transbordo em curtos trajetos
(D) adequação a grandes volumes de cargas em longas distâncias
(E) tempo de viagem irregular, mas constante

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 405/37- A navegação mercante realizada entre portos


do território brasileiro denomina-se
(A) cabotagem (B) sea-bea (C) dutoviária
(D) navegação interior (E) navegação de longo curso

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 406/38- As várias classificações de navios correspondem


às suas funções ou aos tipos de carga que transportam. O tipo de navio destinado ao transporte de granéis líquidos
éo
(A) graneleiro (B) tanque (C) lash (D) fuel container ship (E) roll-on/roll-off

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 407/39- Os serviços de transporte aéreo público


internacional podem ser realizados por empresas nacionais ou estrangeiras. O principal órgão regulador do
transporte aéreo internacional é a
(A) ANAC (B) ANAT (C) IARA (D) IATA (E) FAB

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 408/51- De acordo com a função do sistema viário nas


vias terrestres urbanas, o tráfego de cada área apresenta características específicas em relação a itens como, por
exemplo, a velocidade máxima permitida. Para que se tenha um funcionamento harmônico, contínuo e balanceado
do sistema viário urbano como um todo é necessário que
(A) o condutor seja um profissional conhecedor da sinalização local.
(B) o veículo seja adequado às dimensões das vias trafegadas.
(C) os pedestres sejam parte integrante da educação para o trânsito.
(D) a transição entre as funções das diversas vias seja gradativa.
(E) a sinalização seja, prioritariamente, horizontal, às margens das vias.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 409/52- Um experiente condutor foi encarregado de


realizar a entrega de um carregamento de óleo diesel em um posto situado numa rua de acesso restrito. Antes de

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 83


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

realizar o serviço, informaram-lhe que, no trecho do trajeto que antecedia à chegada ao posto, ele iria trafegar por
uma via com intersecções em nível, controlada por semáforos e dotada de acesso às vias secundárias e locais. Além
disso, ele recebeu a recomendação de, nessa parte do percurso, não ultrapassar a velocidade de 60 km/h, sob pena
de cometer infração de trânsito. Diante das informações recebidas, o condutor concluiu acertadamente que
(A) a entrega não seria viabilizada no prazo combinado devido à velocidade permitida no local.
(B) a parte especificada do trajeto seria percorrida em uma via arterial.
(C) o trajeto não fora bem elaborado pelo técnico em logística da empresa.
(D) o trecho informado não oferecia acesso aos lotes lindeiros.
(E) o veículo que ele conduzia não seria o mais indicado para aquela entrega.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 410/53- Trafegando com uma carga de gasolina a ser


entregue num posto de serviços do outro lado da cidade, em determinado momento de tráfego intenso, o condutor
resolveu estacionar seu veículo em local seguro e adequado para tal. Após algum tempo, constatando a dissipação
das filas de veículos acumuladas por um período de sobredemanda do sistema viário, esse condutor resolveu
reiniciar sua viagem, apesar de, naquele momento, ainda haver alguma movimentação naquele trecho da via. As
decisões tomadas pelo condutor demonstram
(A) capacidade limitada de decidir quando exposto a situações de estresse.
(B) falta de preparo para o transporte de carga de gasolina.
(C) acerto nas medidas tomadas durante um congestionamento e após o seu final.
(D) erro de avaliação quanto ao momento de reiniciar sua viagem.
(E) erro de avaliação quanto ao local para estacionar o veículo.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 411/54- Embora seja um recurso que promove, entre


outros benefícios, a segurança do trânsito, a semaforização de sistemas expressos acaba provocando, ao final do
percurso, problemas como, por exemplo,
(A) atrasos na operação de transporte (B) redução de ônus no transporte
(C) estabilização do fluxo de veículos na via (D) aumento da velocidade média
(E) aumento na rotatividade de veículos

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 412/55- Existem fatores resultantes do


congestionamento que interferem na qualidade da operação de vias expressas e que têm influência direta sobre
seus usuários. Entre esses fatores encontram-se
(A) redução da velocidade e aumento do consumo de combustível
(B) redução do consumo de combustível e da segurança no trânsito
(C) aumento do estresse dos condutores e do ônus operacional de via
(D) maior ônus com operação da via e consumo de combustível
(E) maior custo da segurança no trânsito e redução da velocidade

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 413/56- A Figura abaixo mostra um trecho de acesso à


via expressa de um sistema viário, assinalado com uma sequência de “x”.

Tal trecho utilizado pelos veículos que pretendem convergir para a via expressa a partir de uma via secundária
denomina-se
(A) área de escape (B) faixa de aceleração (C) zona de acesso
(D) distância de inserção (E) trecho de incursão

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 84


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 414/57- As rotatórias, soluções para conflitos de tráfego


em interseções viárias, acomodam o fluxo de veículos ao redor de uma ilha central, operam com controle de
retenção no ponto de entrada e estabelecem prioridade para os veículos que estão no seu interior. Os indicadores
utilizados para avaliação do desempenho desse recurso são
(A) velocidade e tempo (B) fluxo e capacidade (C) custo e velocidade
(D) atraso e capacidade (E) tempo e fluxo

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 415/58- Durante um intervalo de tempo T, são contados


os veículos que cruzam uma seção transversal ao sentido do movimento dos veículos em uma determinada via. Essa
quantidade de veículos é registrada como n(x). De acordo com a analogia hidrodinâmica, a razão entre n(x) e T
define a(o)
(A) velocidade média (B) concentração de tráfego (C) velocidade instantânea
(D) tráfego retido (E) fluxo de tráfego

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 416/59- O condutor de um veículo de transporte de


combustíveis é um profissional que deve exercer sua atividade com foco na direção defensiva. Sendo assim, ele deve
dar atenção especial ao desenvolvimento de algumas capacidades. Entre essas capacidades, encontra-se a de que
ele deve
(A) agir em tempo real, não assumindo atitude passiva diante de uma situação de perigo gerada por outro veículo.
(B) adaptar sua resistência metabólica ao álcool, de modo que, mesmo tomando alguns copos de cerveja, mantenha a
lucidez.
(C) resistir ao sono, em viagem de longo percurso, mesmo que não tenha dormido nas últimas quarenta e oito horas
antes da viagem.
(D) efetuar troca de pneus, sempre que for preciso, sem necessitar recorrer à ajuda de terceiros, evitando atraso na
entrega da carga.
(E) prever as condições meteorológicas do percurso, de forma a planejar a viagem sem risco de contratempo devido às
chuvas.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/LOG/MOD) 417/60- O tanque de transporte de combustíveis do


caminhão, conduzido por um experiente e qualificado motorista, estava abastecido com metade de sua capacidade.
Para mudar de direção na pista, esse profissional deverá
(A) ajustar o tacógrafo do veículo, de forma que o momento daquela manobra seja devidamente registrado, para
relato posterior.
(B) manobrar lateralmente, em velocidade compatível com o peso do veículo/equipamento, evitando dançar na pista.
(C) provocar o aumento da velocidade de seu veículo, de forma que seja reduzido o tempo de duração da manobra.
(D) levar em conta a velocidade do vento transversal ao sentido de seu movimento, que poderá ser fator auxiliar na
estabilização.
(E) reduzir ao mínimo a velocidade de seu veículo, sem se importar com a velocidade média do fluxo de veículos ao seu
redor.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/LOG/MOD) 418/34- Uma empresa do setor agroindustrial precisa


comercializar, internacionalmente, sua safra de grãos e, para isso, precisa escolher o melhor meio de transporte,
considerando algumas variáveis importantes, pois pretende tornar-se mais competitiva, ajustando o seu preço
àquele praticado pelo mercado. Para esse caso, a empresa deve escolher o modal
(A) aéreo, porque possibilita transportar a safra mais rapidamente e com menor preço.
(B) ferroviário, porque é adequado para longas distâncias e possibilita maior flexibilidade no trajeto.
(C) marítimo, porque possibilita maior capacidade de transporte de carga, apresentando menor custo.
(D) rodoviário, porque é ideal para viagens de longa distância e de fácil substituição em caso de acidentes.
(E) dutoviário, porque exige baixa manutenção e o investimento inicial é baixo, tendo longa vida útil.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/LOG/MOD) 419/35- Uma empresa de logística está oferecendo um


novo serviço aos seus clientes. Esse serviço consiste em indicar qual o meio de transporte mais adequado para cada

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 85


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

um dos contratos, considerando as especificidades de cada caso. Assim, para que o modal seja selecionado
corretamente, deve ser considerado, além de outros elementos, a(o)
(A) distância que, embora seja o item de menor custo, possibilita que seja avaliado o tempo de entrega,
principalmente nos casos de produtos de baixa perecibilidade.
(B) densidade do produto, que é a combinação de peso e volume, sendo importante porque o custo do transporte,
para qualquer movimentação, é cotado em valor por unidade de peso.
(C) acondicionamento do produto, que se refere aos equipamentos utilizados para manusear a carga durante o
processo de carregamento e de descarga, sendo item importante na precificação.
(D) manuseio do produto, que se refere a como as embalagens dos produtos podem ser acomodadas nos
equipamentos de transporte, que é o item que mais pesa na composição do preço do transporte.
(E) volume de carga, porque o custo do transporte aumenta à medida que o volume de carga aumenta, em função do
aumento dos custos fixos e da baixa economia de escala.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TLOG.CONT11/APO/LOG/MOD) 420/34- Devido às suas características, o transporte


aquaviário marítimo pode apresentar vantagens e desvantagens. Considera-se como uma vantagem desse meio de
transporte
(A) a economia de escala para grandes lotes a longa distância
(B) a construção de portos através de obras de engenharia e infraestrutura
(C) a necessidade de grandes frotas modernas
(D) o investimento inicial e custo operacional elevados
(E) o tempo decorrido na manutenção

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TLOG.CONT11/APO/LOG/MOD) 421/36- Existe um tipo de navio com uma rampa na


popa (parte traseira do navio) ou na proa (parte da frente do navio), por onde os veículos transportados (com carga
ou vazios) tanto entram vindo diretamente do cais do porto, quanto saem diretamente para o cais do porto. Esse
navio tem o nome, em inglês, de
(A) Bulk Carrier (B) Full Container Ship (C) General Cargo Ship
(D) Roll-On Roff-Of (Ro-Ro) (E) Tanker

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ACOLOG32/APO/LOG/MOD) 422/41- A dotação de sistema de resfriamento ou de


pressurização dos tanques de carga, ou ainda uma combinação desses dois sistemas, e mais a construção do casco
de forma independente dos tanques que acondicionam a carga são características específicas dos navios
(A) graneleiros (B) gaseiros (C) petroleiros
(D) de carga geral (E) porta-contêineres

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ACOLOG32/APO/LOG/MOD) 423/42- Os navios roll on/roll off, mais conhecidos como ro-
ro, são aqueles cuja carga entra e sai pelos seus próprios meios, através de rodas ou sobre outros veículos. Uma das
características desses navios reside no fato de que eles
(A) têm as suas capacidades de carga medidas em TEU (Twenty Equivalent Unit).
(B) possuem vários conveses para o transporte da carga, e o acesso entre esses conveses é realizado através de rampas
ou de elevadores internos.
(C) são empregados no transporte de mercadorias na fase líquida, em condições ambientais de temperatura e pressão.
(D) são projetados para transportar grande variedade de cargas soltas em unidades paletizadas.
(E) estão equipados com seus próprios guindastes, de modo a possibilitar o carregamento e o descarregamento
através de equipamentos de bordo.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/LOG/INC) 424/21- Segundo os Termos Internacionais do Comércio


(incoterms - sigla em inglês), quando o vendedor, além de entregar a mercadoria desembaraçada no local de origem
do comprador, contrata o frete, paga-o e paga também os demais custos inerentes à operação até o local de destino
nomeado, o serviço é identificado pelo termo
(A) free carrier (B) free alongside ship (C) carriage paid to
(D) carriage and insurance paid to (E) cost, insurance and freight

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 86


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/LOG/INC) 425/22- No âmbito da comercialização de bens no mercado


externo, aplicam-se alguns termos usualmente admitidos nas relações empresariais e identificados como incoterms.
No caso do termo ex works (exw), a sua definição se aplica ao caso em que o vendedor

(A) encerra sua responsabilidade quando entrega a mercadoria ao transportador.


(B) coloca a mercadoria no domicílio do comprador, no prazo estabelecido.
(C) encerra suas obrigações quando a mercadoria é posta no navio, no porto de embarque.
(D) conclui suas obrigações quando deposita a mercadoria no porto de destino.
(E) conclui suas obrigações quando a mercadoria é colocada em aeronave, no aeroporto de embarque.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/LOG/INC) 426/26- O gerente responsável pela área de importações e


exportações da empresa W tem de resolver pendências em relação ao Siscomex (Sistema Integrado de Comércio
Exterior). Consoante as regras de distribuição de atribuições, o gerente deve dirigir seus pleitos à(ao)
(A) Secretaria da Receita Federal do Brasil (B) Câmara de Comércio Exterior
(C) Departamento de Comércio Exterior (D) Ministério responsável pelo Comércio Exterior
(E) Gabinete Civil da Presidência da República

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/LOG2) 427/28- No regime de drawback, ocorre a suspensão da


exigibilidade de diversos tributos, entre os quais NÃO se inclui a(o)
(A) Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins)
(B) Contribuição para o PIS/Pasep
(C) Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM)
(D) Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)
(E) Imposto sobre a Propriedade de Veículo Automotor (IPVA)

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/LOG2) 428/29- Nos termos das regras aplicáveis às relações comerciais,


para que o transportador possa desembaraçar a mercadoria na Alfândega, deve ser apresentado como documento
próprio a(o)
(A) fatura do negócio (B) nota fiscal da operação (C) duplicata mercantil
(D) proforma comercial (E) conhecimento de embarque

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/LOG2) 429/30- No regime especial de Depósito Afiançado (DEA), é


permitida a estocagem, com suspensão de pagamento de impostos, pelo prazo máximo de quantos anos?
(A) um (B) dois (C) três (D) quatro (E) cinco

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ACOLOG32/APO/LOG/CUSTO) 430/69- Um produtor deseja transportar 50.000 toneladas


de uma carga a granel do porto X para o porto Y. O armador de um navio habilitado a esse tipo de transporte,
posicionado em X, tem os seguintes valores de custos para a realização do serviço:
• Custos fixos para toda a viagem: R$ 300.000,00
• Custos variáveis para toda a viagem: R$ 500.000,00

Considerando-se que existem condições econômicas favoráveis para a obtenção de um lucro desejável de R$
50.000,00, o valor, em reais, do frete, por tonelada de carga, é igual a
(A) 7,5 (B) 10 (C) 12,5 (D) 15 (E) 17

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/APO/MAT) 431/27- Em administração de materiais NÃO configura como


responsabilidade ou atribuição:
A Supervisionar os almoxarifados da empresa.
B Captar recursos financeiros para a aquisição de materiais.
C Avaliar outras empresas como possíveis fornecedores. D Coordenar os inventários rotativos.
E Controlar os estoques.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 87


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/APO/MAT) 432/38- Considerando a administração de materiais, pode-se dizer que, o


sistema de máximos e mínimos:
A É utilizado quando não ocorre variação no tempo de reposição.
B Consiste apenas em estimar os estoques máximos.
C Consiste apenas em estimar os estoques mínimos.
D Estima os estoques máximos e mínimos para cada item.
E Não é utilizado para motivar o cálculo do ponto de pedido.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/MAT) 433/14. Para as organizações terem resultados promissores, faz-se


necessário ter um estoque bem gerenciado. Assinale a alternativa que apresenta o(s) princípio(s) da gestão de
estoques.
(A) Previsão de demanda e monitoramento do sistema.
(B) Previsão de temperatura ambiental e rota de distribuição.
(C) Qualidade do produto e matéria-prima.
(D) Qualidade das linhas de produção.
(E) Qualidade do fornecedor.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/MAT) 434/15. Atender às demandas em diversas épocas do ano é um


trabalho que exige bom planejamento e gestão eficaz do estoque. Para que ocorra o abastecimento no mercado
consumidor de forma adequada, é preciso assumir algumas ações especificadas abaixo, exceto uma. Assinale a
alternativa que a apresenta.
(A) Roteirização aleatória. (B) Planejamento de demanda. (C) Gerenciamento de estoques.
(D) Continuidade das operações. (E) Economia nas operações.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/MAT) 435/37- Uma empresa que consegue implantar boas práticas


da gestão de estoques consegue, de maneira geral, melhorar seus lucros e satisfazer seus clientes. Constitui boa
prática da gestão de estoques
(A) ampliar a área de estoques para que a empresa possa ter mais produtos acabados e, assim, alavancar sua
lucratividade.
(B) fazer inventários dos estoques somente quando identificar desvios de materiais, pois o inventário ocupa o tempo
do pessoal que poderia estar executando outras atividades.
(C) utilizar sistemas informatizados para controlar os estoques, com registro da movimentação dos itens, possibilitando
a consulta atualizada dos produtos remanescentes.
(D) utilizar, primeiramente, os itens que estão mais acessíveis no estoque, porque reduz o tempo de operação,
ignorando a validade dos itens.
(E) ter muitos itens em estoque e em grandes volumes, para facilitar a área de produção que dimensiona o estoque da
empresa.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/MAT/ESTQ) 436/38- A criação de estoques de um produto ocorre pelo


desequilíbrio entre oferta e a demanda em diferentes pontos de qualquer operação. Esses estoques podem ser
classificados como de segurança, de ciclo, de antecipação ou de canal de distribuição. Dentre esses tipos, qual é
gerado para compensar as incertezas de fornecimento e de demanda, e qual é gerado para compensar diferenças de
ritmo de oferta e de demanda, respectivamente?
(A) De ciclo e de canal (B) De ciclo e de antecipação (C) De canal e de segurança
(D) De segurança e de antecipação (E) De antecipação e de ciclo

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/MAT/ESTQ) 437/36- O bom funcionamento dos vários setores da


organização e um bom padrão de atendimento às necessidades da empresa e ao mercado consumidor, também
dependem da boa gestão de estoques. A boa gestão de estoques é dependente da classificação dos materiais para
que estes sejam agrupados, segundo suas características, utilidade e outras propriedades. Sobre o critério de
classificação de materiais e suas características, verifica-se que:

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 88


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) Materiais estocáveis – são os materiais que não são críticos para a operação da organização.
(B) Materiais de consumo – são os materiais que, na empresa, são utilizados pelo setor específico de manutenção.
(C) Materiais de estocagem permanente – são os materiais mantidos em nível normal de estoque, garantindo o
abastecimento ininterrupto das operações da empresa.
(D) Materiais de estocagem temporária – são os materiais com características perecíveis, ou seja, com prazo
determinado para ficar em estoque.
(E) Materiais não estocáveis – são os materiais críticos para a operação da empresa e que são consumidos
imediatamente, não ficando no estoque.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TLOG.CONT03/APO/MAT/ESTQ) 438/36- Nas cadeias de suprimentos, há estoques de


matérias-primas e de produtos acabados; no entanto, existem motivos determinantes que levam uma organização a
operar com a menor quantidade possível de estoque, ou a não tê-lo. Um dos motivos que levam uma empresa a
NÃO ter estoque é o(a)
(A) aumento de custos de aquisição e de manutenção do produto estocado.
(B) abastecimento contínuo dos canais de distribuição, visando a atingir os pontos de venda.
(C) oferecimento de um bom atendimento ao cliente, mantendo produtos de reposição sempre à sua disposição.
(D) redução dos custos de aquisição e de transporte do produto, quando se adquirem grandes volumes para estoque.
(E) possibilidade de equacionar a demanda com a capacidade de entrega de um determinado produto.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/MAT/CUSTO) 439/43. O custo de coordenação das operações é normalmente


complexo de ser quantificado. Os gestores das organizações devem avaliar as diferentes opções de transporte,
considerando seus custos bem como suas receitas, para então classificá-las de acordo com a sua complexidade. Ao
tomar a decisão sobre transporte, o gestor deve ponderar os trade-offs entre
(A) custos de transporte e responsividade ao cliente; custos de estoque e armazenagem.
(B) custos de transporte e estoque; custo de transporte e responsividade ao cliente.
(C) custos de transporte e estoque; custos de transporte e manuseio de mercadorias.
(D) custos de transporte e responsividade ao cliente; custos de transporte e manuseio de mercadorias.
(E) custos de transporte e manuseio de mercadorias; custos de estoque e armazenagem.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/MAT/CUSTO) 440/30- Em função do alto custo que representa, para


a empresa, a manutenção de grandes volumes de estoques, buscaram-se algumas formas de minimizar o tempo em
que os itens ficam em estoque, possibilitando, assim, maior produtividade e competitividade da empresa. Um dos
métodos que possibilita a minimização do tempo que o produto fica em estoque é o
(A) Just in Time (B) Kaizen (C) Kanban (D) 5S (E) 5W2H

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TLOG.CONT11/APO/MAT/CUSTO) 441/32- Os custos de manutenção de estoques


resultam da estocagem dos bens por um período de tempo e são, aproximadamente, proporcionais à quantidade
média dos bens mantidos. Esses custos podem ser agrupados em quatro classes. A seguinte classe de custos NÃO é
um exemplo de custo de manutenção de estoque:
(A) de capital (B) de espaço (C) de mudança de tecnologia
(D) do risco de estoque (E) dos serviços de estoque

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/MAT/PREV) 442/33- Para realizar a previsão da demanda, pode-se utilizar dados de


vendas passados para elaborar modelos de projeção ou modelos temporais em que se admite que o futuro será uma
continuação do passado recente. Os modelos temporais iniciam-se pela identificação do comportamento das
vendas, que pode ser basicamente de quatro formas, como ilustrado nas figuras 1, 2, 3 e 4, a seguir, em que dt (eixo
y) corresponde à demanda e t (eixo x) corresponde ao tempo.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 89


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

De acordo com as figuras, o comportamento apresentado pelas séries temporais 1, 2, 3 e 4 são, respectivamente:
(A) trajetória; sazonalidade com permanência; permanência; sazonalidade com trajetória.
(B) permanência; sazonalidade com trajetória; trajetória; sazonalidade com permanência.
(C) permanência; sazonalidade com permanência; trajetória; sazonalidade com trajetória.
(D) trajetória; sazonalidade com trajetória; permanência; sazonalidade com permanência.

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/MAT/PREV) 443/43- No modelo de suavizamento exponencial de previsão da


demanda, a constante de suavizamento deve ser determinada pelo responsável por realizar a previsão. Se o
comportamento da demanda de um determinado produto é estável, como deve ser estipulado o valor da constante
de suavização?
(A) Deve ser um valor alto, para que a previsão acompanhe as variações aleatórias da demanda.
(B) Deve ser um valor mediano, pois esse tipo de valor é indiferente para os resultados das previsões,
independentemente do comportamento da demanda.
(C) Deve ser um valor qualquer, pois as variações aleatórias serão suprimidas na previsão, independentemente do
valor da constante de suavização.
(D) Deve ser um valor baixo, para evitar que variações aleatórias afetem em excesso as previsões.

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/MAT/PREV) 444/48. Um determinado produto em estoque, comprado de um


fornecedor externo, tem a sua demanda prevista para os próximos 8 dias conforme a tabela abaixo. A quantidade
estocada no início do período é de 35 peças e o fornecedor da peça pede, após ter recebido o pedido de compra, 2
dias para entregar um lote padrão de 40 peças. O comprador mantém um estoque de segurança de 6 peças.
Dia 1 2 3 4 5 6 7 8
Demanda 10 15 5 20 15 10 15 25

Para atender à demanda, o comprador deve fazer o pedido de compra de um lote padrão, sem utilizar o estoque de
segurança, respectivamente, nos dias
(A) 2 e 4. (B) 2 e 5. (C) 1, 4 e 6. (D) 1, 5 e 6. (E) 2, 4 e 6.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/MAT/PREV) 445/45. Uma empresa prestadora de serviços públicos tem a demanda


de determinado serviço demonstrada, em unidades, no quadro abaixo:

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 90


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Ano 1oTrimestre 2oTrimestre 3oTrimestre 4oTrimestre


2011 855 1.229 985 730
2012 820 1.320 1.050 680
2013 845 1.350 1.100 690

Pode-se observar uma sazonalidade no 2o e 3o trimestre dos últimos três anos. Com base nestes dados, os Índices
Sazonais do 1o, 2o, 3o e 4o trimestres dos últimos três anos são, respectivamente:
(A) 0,71 - 1,20 - 0,98 - 0,61. (B) 0,68 - 1;43 - 1,21 - 0,55. (C) 1,55 - 2,75 - 2;55 - 1,35.
(D) 1,83 - 3,15 - 2,90 - 1,68. (E) 0,86 - 1,34 - 1,08 - 0,72.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/MAT/PREV) 446/55- Uma empresa fabricante de bombonas plásticas


controla a demanda mensal de bombonas de 100 litros conforme indicado na Tabela a seguir:

Os cálculos de previsão de demanda são feitos por meio do modelo da média móvel ponderada, utilizando um peso de
0,30 para o mês de maio, de 0,25 para o mês de abril, de 0,20 para o mês de março, de 0,15 para o mês de fevereiro e
de 0,10 para o mês de janeiro. A previsão de demanda para o mês de Junho deste mesmo ano, em quantidade de
bombonas, está entre
(A) 180 e 200 (B) 210 e 230 (C) 240 e 260
(D) 270 e 290 (E) 300 e 350

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/MAT/PREV) 447/24X- Uma empresa realiza pedidos para reposição do


estoque em lotes de 2.000 unidades. Considere que o tamanho do lote econômico deve atender a equação abaixo, e
que o tempo de espera entre a emissão do pedido e a entrega do material seja L = 4 dias.

Se a demanda possui uma média diária de 100 unidades e um desvio padrão de 10 unidades, o nível de estoque em
que deverá ser feito o pedido de 2.000 unidades, de modo que a probabilidade de faltar estoque esteja abaixo de α =
0,05, é

(A) 0 (B) 100 (C) 150 (D) 460 (E) 499

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/MAT/PREV) Com base nas informações abaixo, responda às DUAS


questões:

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 91


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Um determinado produto apresenta tendência de crescimento e sazonalidade em sua demanda trimestral. O


Gráfico e as Tabelas a seguir representam a demanda trimestral (Y) desse produto em função do trimestre (X) e
descrevem a modelagem da tendência da série e os fatores trimestrais de sazonalidade.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/MAT/PREV) 448/36- Qual é a previsão aproximada da demanda do


produto para o 4º trimestre do último ano?
(A) 268,7 (B) 274,0 (C) 275,1 (D) 276,1 (E) 281,5

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/MAT/PREV) 449/37- Qual é a variação aproximada da previsão, devido


ao efeito da sazonalidade?
(A) 6,4 (B) 1 (C) 0 (D) – 1 (E) – 6,4

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/APO/MAT/PREV) 450/45- Uma empresa está preparando seu orçamento para o


próximo ano. Para tal, precisa realizar o desdobramento de sua receita anual prevista de 20 milhões de reais, em
receitas mensais. A receita mensal sofre o efeito sazonal. As receitas mensais do último ano são as seguintes:

Considerando-se essas receitas, qual deve ser o valor- previsto (aproximado), em milhões de reais, para o mês de abril
do próximo ano?
(A) 1,50 (B) 1,56 (C) 1,63 (D) 1,69 (E) 1,75

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 92


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/MAT/EMÉDIO) 451/24- Uma empresa fabricante de bombonas plásticas


mantém um estoque de segurança anual de 500 unidades de tampas plásticas. Se a empresa faz um pedido de
compra anual de 1.800 unidades dessas tampas, seu estoque médio anual, em unidades, está entre
(A) 3.200 e 3.000 (B) 2.400 e 2.200 (C) 1.900 e 1.700 (D) 1.500 e 1.300 (E) 1.200 e 1.000

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/MAT/GIRO) 452/40. A empresa TRANSP XYZ S.A. está preocupada com a demanda
de um item de estoque que é muito utilizado na manutenção preventiva dos seus vagões mais antigos. Sendo assim,
um dos indicadores que o departamento de suprimentos pretende adotar é a rotatividade dos estoques. O item de
estoque mencionado acima tem um consumo mensal de 300 unidades e um estoque médio, no período de 12 meses,
de 200 unidades. Sendo assim, seu giro de estoque anual corresponde a:
(A) 16 (B) 20 (C) 15 (D) 18 (E) 24

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/MAT/AGIRO) 453/26- Um distribuidor de bicicletas tem previsão de


vender 9.600 bicicletas aro 20, no próximo ano. Ele adquire, em cada pedido, um lote de compra de 300 unidades
desse produto. Sabendo-se que o distribuidor opera 288 dias por ano, o tempo de duração, em dias de trabalho, de
um ciclo de pedido está entre
(A) 37 e 32 (B) 31 e 26 (C) 25 e 20 (D) 19 e 14 (E) 13 e 7

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/MAT/AGIRO) 454/44- Um fornecedor envia componentes para uma


indústria de produtos eletrônicos. A remessa fica 5 dias em trânsito. Como a demanda anual dessa indústria é de 520
unidades, tomando-se por base o ano com 365 dias, a média do estoque anual em trânsito, em unidades, está
compreendida entre
(A) 1,1 e 1,6 (B) 1,8 e 2,4 (C) 3,5 e 4,2 (D) 4,4 e 5,1 (E) 6,9 e 7,8

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/MAT/SEG) 455/41. A demanda média por semana de um determinado item de


almoxarifado da empresa TRANSPA LTDA. é de 2.000 unidades. O lead time médio para ressuprimento desse item é
de três semanas e o seu Ponto de Reposição ocorre quando o nível de estoque atinge 8.000 unidades. Logo, o
Estoque de Segurança representa, em unidades:
(A) 2.000. (B) 5.000. (C) 10.000. (D) 2.500. (E) 3.500.

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/MAT/PP) 456/51. Uma determinada peça em estoque tem sua demanda média
constante de 5 peças por dia. O Custo de Pedido desta peça é R$ 2,45 e o Custo de Armazenamento é de R$ 0,50 por
dia de armazenamento. O fornecedor pede 1 mês para entregar o pedido calculado conforme o Lote Econômico de
Compra. Considerando que o fornecedor trabalha 20 dias por mês e o comprador trabalha 24 dias por mês, o Ponto
de Pedido, dado que o comprador não trabalha com estoque de segurança, deve ser, em peças, igual a
(A) 49. (B) 100. (C) 110. (D) 7. (E) 120.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/MAT/PP) 457/36. O tempo de reposição precisa ser determinado com a maior


acurácia possível, pois as variações ocorridas durante esse tempo podem alterar toda a estrutura do sistema de
estoque e, por conseguinte, comprometer o nível de serviço ao cliente. Considere a seguinte situação: um
determinado componente eletrônico é consumido na razão de 250 unidades por mês. O seu tempo de reposição, por
ser um produto importado, é de 60 dias. O seu estoque mínimo, de acordo com a política de estoques da empresa, é
de um mês do seu consumo. Desse modo, o ponto de pedido, em unidades, corresponde a:
(A) 500 (B) 375 (C) 750 (D) 700 (E) 560

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/MAT/LEC) 458/38- Um gerente de suprimentos de uma empresa


recebe a tarefa de balancear os custos dos estoques de certa mercadoria. Para isso, consegue a coleta de dados
referentes à quantidade demandada em um período, ao custo do pedido e ao custo de posse no estoque. Com os
dados, ele consegue calcular a quantidade ideal de cada compra, minimizando os custos totais que atingem os
estoques. A técnica possível de ser utilizada com os dados é chamada de
(A) cálculo de estoques de lote (B) lote econômico de compra (C) lote econômico kanban
(D) Kanban (E) compras just in time

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 93


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/APO/MAT/LEC) 459/28- O resultado de um procedimento matemático pelo qual a


empresa adquire o material NECESSÁRIO para suas atividades, pelo o custo mais baixo, é conhecido como:
A Lote financeiro. B Lote lógico estruturado. C Lote econômico.
D Parâmetro de produção final. E Estoque mínimo.

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/APO/MAT/LEC) 460/40- Com relação às possíveis restrições a um lote econômico,


pode-se dizer que:
A Preços variáveis frequentes do material não demandam recálculo para aquisições.
B A capacidade de armazenamento é sempre suficiente qualquer que seja o lote.
C O material pode tornar-se obsoleto ou deteriorar-se.
D A aplicação do lote econômico de compra é sempre regular e constante.
E É preferível sempre lidar com materiais de consumo de ordem aleatória.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/MAT/LEC) 461/39- O modelo de lote econômico assume diversos


aspectos para facilitar o cálculo para a quantidade a ser pedida por lote. Dentre essas hipóteses NÃO se encontra a
(A) variabilidade de demanda
(B) saída de estoque de forma linear
(C) existência de um custo de pedido fixo
(D) existência de um custo de manutenção de estoque unitário fixo
(E) proporcionalidade entre o custo de manutenção e a quantidade de estoque

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/MAT/LEC) 462/32- Uma empresa do setor da construção civil está


envolvida em vários projetos, simultaneamente. Conversando com um administrador da área de compras, o diretor
de operações avaliou a possibilidade de comprar os materiais necessários aos projetos em que a empresa estava
envolvida minimizando os seus custos de estocagem e de aquisição, ou seja, comprar na quantidade certa e no
momento adequado. Qual o instrumento da gestão de compras que pode ser utilizado para que os objetivos do
diretor sejam atingidos?
(A) Lote Econômico de Compras (B) Licitação (C) Classificação XYZ
(D) Estoque de Segurança (E) Ponto de Pedido de Compra

(CESG/PETROBRAS/2014.2/ADM31/APO/MAT/LEC) 463/66- A empresa ALFA está tentando reduzir custos na


aquisição de determinados insumos de produção. Ela decidiu utilizar o modelo de Lote Econômico de Compra – LEC –
para estimar o volume a ser comprado da peça B17. Sabe-se que a sua demanda anual é de 200 peças, o custo para
manter uma unidade dessa peça em estoque durante um ano é de R$ 1,00, e o custo médio para emitir um pedido de
compra é de R$ 4,00. Qual o LEC de peças B17?
(A) 10 (B) 20 (C) 30(D) 40 (E) 50

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/MAT/LEC) 464/39. O modelo do Lote Econômico de Compra − LEC tem por premissa
equilibrar o custo de manutenção de estoque com o custo de emissão de pedidos de reabastecimento. Um
determinado item mantido em estoque, da categoria de peças eletrônicas, tem um uso anual de 3.600 unidades,
com custo unitário de R$ 120,00. O custo do pedido é de R$ 200,00 e o custo de ocupação de estoque compreende a
20%. Logo, o LEC para este item corresponde a:
(A) 350 (B) 245 (C) 300
(D) 345 (E) 250

(CESG/PETROBRAS/2014.2/CONT33/APO/MAT/AVAL) 465/65- A avaliação do valor do estoque de matéria-prima de


uma indústria é o método que ela adota para valorizar o custo dos materiais estocados, que serão utilizados no seu
processo produtivo. Sendo assim, a indústria apura o menor custo para a matéria-prima consumida na produção de
seus produtos, adotando o método
(A) PEPS (B) UEPS (C) Custo de reposição
(D) Média Ponderada Fixa (E) Média Ponderada Móvel

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 94


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/MAT2) 466/50. De acordo com o Artigo 293 do RIR/99, na avaliação de estoques, as


mercadorias adquiridas como bens de almoxarifado deverão ser avaliadas pelo custo de
(A) Aquisição. (B) Manutenção. (C) Transformação.
(D) Operação. (E) Manuseio.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/AQUIS) 467/31- A gestão de compras é uma atividade importante


para contribuir com o aumento de competitividade da empresa, já que tem funções específicas relacionadas a seus
resultados financeiros e operacionais. Cabe ao administrador de compras, dentre outras funções, planejar
(A) o esforço de vendas da empresa para que a quantidade comprada por sua área seja totalmente utilizada, sem
desperdícios.
(B) a quantidade de produtos que serão produzidos e comercializados pela empresa, em função das compras
realizadas pelo seu setor.
(C) os modais que serão utilizados na entrega das mercadorias adquiridas, que serão os mesmos utilizados para a
distribuição de seus produtos.
(D) as aquisições, de forma a realizá-las no tempo correto e na quantidade certa, e verificar se recebeu, efetivamente,
o que foi adquirido.
(E) as características do produto a ser adquirido e a estrutura de preços que a empresa deverá praticar no mercado,
em função de seu contato direto com os fornecedores.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TSUP.ADM27/APO/AQUIS) 468/40- As relações das empresas com seus clientes,


fornecedores, colaboradores e demais atores do ambiente organizacional mudaram bastante nos últimos anos. A
crescente competitividade gera várias modificações que resultam em reestruturações desses relacionamentos,
buscando o estabelecimento de parcerias. Na busca dessas parcerias, há uma redução no número de fornecedores,
medida essa cujo objetivo é
(A) negociar com os fornecedores com base somente em cotações e preços, sendo decidida a compra apenas no
critério preço.
(B) diminuir o nível de informações para que as estratégias da empresa não sejam conhecidas pelo mercado, através
do seu conjunto de fornecedores.
(C) diminuir a possibilidade de o fornecedor utilizar a estratégia da economia de escala, forçando os preços para cima.
(D) estabelecer melhor comunicação com os fornecedores e conseguir maior cooperação no desenvolvimento de
novos produtos e serviços.
(E) tornar o fornecedor mais dependente da empresa, possibilitando, assim, maior poder de barganha da empresa nos
contratos de suprimentos a serem firmados.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/AQUIS) 469/32- A aquisição de matérias-primas, suprimentos e


componentes representa um fator decisivo na atividade de uma organização. Essa aquisição depende de
procedimentos e decisões que se estabelecem através de contratos de compra e venda. Na compra organizacional, a
empresa realiza três modalidades: a nova compra, a recompra simples e a recompra modificada. É tarefa da
recompra simples, a(o)
(A) busca de novos fornecedores especializados (B) análise de novos fornecedores
(C) análise dos produtos/marcas fornecidos (D) identificação da necessidade e especificações
(E) envio de especificações a novos fornecedores

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/AQUIS) 470/34- As situações de compra organizacional assumem


formas diversas, de acordo com o tipo de compra e as organizações envolvidas. Os formatos associativistas têm-se
apresentado como uma interessante alternativa, pois promovem compras em escala, por meio da negociação de mix
de produtos de interesse comum dos associados, adquirindo volume, variedade e valor que um pequeno varejista,
individualmente, não conseguiria atingir. Com essa estratégia, obtêm-se condições de barganha, com melhores
preços e melhores prazos de pagamento e de entrega. A atuação exemplificada acima retrata as atividades de
um(a)
(A) canal de vendas (B) canal de distribuição (C) sistema misto de compras individuais
(D) central de compras (E) rede de dados interorganizacional

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 95


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/AQUIS) 471/42. Uma importante decisão que o departamento de compras enfrenta é


quanto a abastecer cada produto ou serviço individual por meio de um único fornecedor ou mais de um deles. NÃO
representa vantagem do single-sourcing:
(A) Ganhos em economias de escala. (B) Maior confidencialidade.
(C) Mais comprometimento e esforço. (D) Flexibilidade quanto à escolha por menores preços.
(E) Colaboração no desenvolvimento de novos produtos.

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/APO/AQUIS) 472/26- Os materiais recusados pelo subsistema específico de


administração de materiais, conhecido como Inspeção de Suprimentos, SÃO:
A Devolvidos ao estoque. B Devolvidos ao fornecedor pelo subsistema de Aquisição.
C Descartados por falha detectada no controle de qualidade.
D Destruídos por inservibilidade. E Revendidos no mercado paralelo.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/AQUIS) 473/36- A contratação de empresas para a prestação de um


serviço ou para o fornecimento de produtos é sempre um processo que merece atenção por parte do contratante,
para que se evitem problemas e até mesmo eventuais rescisões contratuais. Uma empresa, sabedora desses
cuidados, está elaborando um documento para que todos os seus funcionários possam utilizar os mesmos princípios
e as mesmas diretrizes gerais na contratação de fornecedores. Desse documento constam, entre outros, os seguintes
itens: relacionamento com os fornecedores para o estabelecimento de parcerias e a obrigatoriedade do
atendimento, por parte dos fornecedores, às especificações de cada produto ou serviço a ser contratado. Para
atender aos objetivos da empresa na contratação de fornecedores, deve estar definido, nesse documento, que o
fornecedor
(A) participará do processo de seleção somente quando for enviado um documento formal, contendo a sua visão, sua
missão e seu planejamento estratégico.
(B) será selecionado com base nos seguintes critérios: cotação pelo preço mínimo, maior número de fornecedores
possível e rotatividade das empresas fornecedoras.
(C) será contratado sempre que sua proposta contiver o menor preço dentre os concorrentes, ainda que o escopo das
especificações do produto ou serviço a ser contratado não seja atendido plenamente.
(D) deverá assinar o contrato que especificará o seu objeto, os deveres e as responsabilidades das partes envolvidas,
além dos indicadores de desempenho e canais de comunicação entre as partes.
(E) deverá obedecer aos critérios estabelecidos pela unidade compradora, priorizando a parcialidade, a individualidade
e burocracia do processo através da formalização e do registro de todas as reuniões de negociação.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/CLAS/ABC) 474/23. A Curva ABC é uma das mais usadas na logística,


sobretudo em processos administrativos. Ela é muito utilizada para o controle de estoque para separar os itens em
critérios como
(A) giro do produto. (B) planejamento de branding. (C) treinamento e desenvolvimento.
(D) performance de pessoal. (E) competências gerenciais.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/CLAS/NCM) 475/23- A instituição do Mercosul teve por intuito criar um


mercado comum para fortalecer os laços comerciais de alguns países da América Latina. Para uniformizar as
relações comerciais, foi instituída a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), que institui códigos de classificação
para as mercadorias comercializadas entre os países, baseados no(a)
(A) sistema harmonizado (B) valor aduaneiro
(C) preço agregado
(D) vínculo estatal (E) origem controlada

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TLOG.CONT11/APO/ARM) 476/28- Produtos perigosos podem provocar combustão,


desprendimento de gases inflamáveis, formação de substâncias corrosivas ou formação de substâncias instáveis, se
colocados de forma inadequada. Segundo a Resolução no 420/2004, quando são colocados com outros produtos
perigosos ou com outras mercadorias, como eles devem ser embalados para não provocar essas reações perigosas?

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 96


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(A) Na mesma embalagem externa (B) Em grandes embalagens


(C) Em embalagens médias com interligação entre elas
(D) Em duas grandes embalagens com interligação entre elas
(E) Em embalagens pequenas ou em embalagens separadas

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/ARM) 477/40- As técnicas de armazenamento devem observar os


requisitos e os equipamentos de guarda dos materiais, que podem exigir certa temperatura ambiente e podem
apresentar restrição de empilhamento máximo. Sendo assim, a empresa deve avaliar as características dos
materiais e as suas condições de acondicionamento e embalagem para que seus estoques e almoxarifados possam
ser geridos de forma adequada. É um equipamento de armazenamento de materiais a(o)
(A) estanteira (B) monovia (C) empilhadeira
(D) paleteira elétrica (E) equipamento de elevação e transferência

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/ARM) 478/32. Cargas unitizadas facilitam a movimentação de mercadorias ao longo


da cadeia de transportes. Para Moura e Banzato, as principais formas de unitização correspondem à paletização, à
pré-lingagem e à auto-unitização, que podem ser representadas, respectivamente, por:
(A) Paletes; Cintamento; Enfardamento. (B) Enfardamento; Cintamento; Blocagem.
(C) Superfícies moldadas; slip-sheets; Cintamento. (D) Slip-sheets; Cintas com alças; Blocagem.
(E) Cintas com alças, Blocagem; Superfícies moldadas.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/ARM) 479/33. As figuras abaixo representam alguns símbolos utilizados


internacionalmente para identificar mercadorias embaladas com características especiais, e tem por finalidade
tornar as operações de carga e descarga mais fáceis, bem como a organização dos volumes.

Estes símbolos significam, respectivamente:


(A) frágil; sensível ao calor; sensível a umidade; não pode ser tombada; não admite uso de guincho.
(B) não agitar; proteger contra luz; sensível a umidade; içamento; produto não cortante.
(C) não agitar; radioativa; sensível a umidade; içamento; não admite uso de guincho.
(D) frágil; proteger contra luz; sensível a umidade; içamento; produto não cortante.
(E) frágil; sensível ao calor; sensível a umidade; não pode ser tombada; produto não cortante.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/ARM) 480/34. Pode-se dizer que grande parte do trabalho realizado em um


armazém está relacionado a movimentação de materiais. O modo como são localizados, estocados e movimentados
exercem impacto direto de como o espaço do armazém é efetivamente utilizado. Sobre a centralização dos estoques,
existem vantagens, a saber:
I. Melhora no controle dos níveis dos estoques e facilidade na verificação dos itens obsoletos e repetidos.
II. Redução dos custos administrativos do armazém.
III. Menor tempo para o suprimento dos requisitantes.
IV. Reduz o número de equipamentos de movimentação e armazenagem.
V. Facilita a auditoria de inventários ao comparar o estoque físico com os saldos dos registros.

É correto o que se afirma APENAS em


(A) II e III. (B) I, II e V. (C) II, III e IV. (D) I, III e IV. (E) I e V.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 97


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/ARM) 481/16. A embalagem é vista como a reunião de 4 competências


fundamentais:
(A) estética, qualidade, preço e estrutura. (B) previsibilidade, qualidade, estrutura e design.
(C) qualidade, eficiência, logística e preço. (D) marketing, estrutura, armazenagem e ciclo de vida
(E) marketing, design, logística e meio ambiente.

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/ARM) 482/17. A logística trata a questão das embalagens da forma que


ela merece, sendo um recipiente de proteção, agrupamento e facilitador no transporte e na armazenagem. Em
logística, as mais conhecidas e aplicadas são as embalagens para o consumidor, conhecidas como de marketing ou
primária; embalagens industriais, conhecidas como de logística ou secundária; embalagens de convenção, usadas
para acomodar os produtos; embalagens facilitadoras; e embalagens de quinto nível. É correto afirmar que as
embalagens de quinto nível
(A) são facilitadoras na movimentação, pois concentram um número maior de unidades em seu interior.
(B) são caixas de papelão, madeira e plástico, também muito utilizadas na movimentação manual e de transporte, pois
compacta, em seu interior, um maior número de produtos.
(C) são contêinerizadas ou especiais para serem usadas em longas distâncias. Muito utilizadas para transporte
internacional de cargas via mares e oceanos.
(D) são embalagens maiores que compactam poucos produtos. São utilizadas para transporte e manipulação manual,
como, por exemplo, caixa de chocolate “Bis”.
(E) envolvem diretamente o produto. São aquelas que os clientes tocam e extraem as informações contidas acerca do
produto.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TADM02/APO/ARM/PLT) 483/50- O palete realiza uma função importante nos sistemas


de armazenagem e na movimentação de materiais ao longo de toda a cadeia de suprimentos. Como os materiais
que são acomodados em cima de um palete nem sempre são padronizados em tamanho, peso ou dimensões, surge a
necessidade de um arranjo físico para a melhor alocação das cargas. Entre os tipos de arranjo NÃO consta o
seguinte:
(A) colmeia (B) bloco vazado (C) duplo vazado
(D) fileira interrompida (E) quatro entradas

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TCOLOG03/APO/ARM/PLT) 484/40- Os paletes são estrados utilizados na armazenagem


de diversos produtos. Esse sistema apresenta diversas vantagens e desvantagens. NÃO é uma vantagem da
paletização o fato de esse sistema
(A) permitir uma densidade maior de carga de armazenamento.
(B) padronizar os sistemas de recebimento e fornecimento de produtos.
(C) reduzir custos de manuseio e movimentação de carga e descarga de produtos.
(D) melhorar a utilização dos espaços verticais dos armazéns.
(E) apresentar eficiência no armazenamento de produtos de baixo giro.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/TSUP.ADM09/APO/ARM/PLT) 485/39- Um armazém de alta rotatividade deve possuir


equipamentos adequados, assim como também deve realizar estudos completos para a unitização das cargas de
recebimento e de expedição. Sob a premissa da padronização, a sistemática de cargas fechadas significa que o
fornecimento de materiais deve ser efetuado em unidades
(A) fracionadas, com base na máxima utilização dos equipamentos
(B) fracionadas, com o uso exclusivo de pontes rolantes
(C) fracionadas, até o limite do espaço cúbico
(D) padrão, através do block stacking
(E) padrão, com a utilização do palete como medida

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 98


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

$$Gerência de Projetos (GPROJ): 16 QUESTÕES

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/GPROJ) 486/57. NÃO é requisito de um projeto:


(A) ser um processo único. (B) ser um grupo de atividades coordenadas e controladas.
(C) ter datas para início e término. (D) ter limitações de custos e recursos.
(E) ter objetivos e requisitos variáveis.

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/GPROJ/PMBOK) 487/51. NÃO corresponde a uma das fases de Gerenciamento de


Projetos, de acordo com o PMBoK:
(A) Planejamento. (B) Iniciação. (C) Financiamento.
(D) Execução. (E) Encerramento.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/GPROJ) 488/37- O diretor de uma empresa de produtos químicos deseja


identificar demandas que devem ser implementadas através de projetos. Ao receber a lista, ele verifica que NÃO
poderá tratar como projeto a
(A) ampliação do depósito de drogas (B) substituição do software de controle de processos
(C) criação de um sistema de informação gerencial (D) descontaminação semanal do reator de fermentação
(E) automação do setor de embalagem de produtos

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/GPROJ) 489/35- Diversas ferramentas podem ser usadas como apoio à


gestão de projetos. Relacione essas ferramentas com suas respectivas descrições, apresentadas a seguir.
I – Estrutura analítica de projeto (EAP)
II – Curva S
III – Rede PERT/CPM

P – Ilustra o avanço das diferentes etapas de um projeto, apresentando o que já foi executado, o que está em
execução e o que está previsto.
Q – Permite fazer a ligação entre o objetivo do projeto e as atividades necessárias para que o mesmo seja realizado
(representado em forma de esquema).
R – Apresenta a relação entre as etapas de um determinado projeto e permite identificar o(s) gargalo(s) crítico(s).
S – Apresenta a relação entre duas variáveis permitindo verificar as diferenças de cada uma delas, em relação ao que
foi planejado e executado.

As associações corretas são:


(A) I – P , II – Q , III – R (B) I – P , II – R , III – S (C) I – Q , II – S , III – R
(D) I – R , II – S , III – P (E) I – S , II – P , III – R

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/GPROJ) 490/40- O ciclo de vida de um dado projeto, já completado, é


representado pelo gráfico abaixo.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 99


RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Com base nesse gráfico, conclui-se que o(a)


(A) esforço máximo foi executado no início do projeto (até o tempo t1), quando ainda se desenvolvia o seu conceito, e
os processos a serem aplicados estavam em seleção.
(B) maior volume de recursos foi aplicado a partir do momento em que 50% do projeto já tinha sido executado.
(C) faixa entre 15% e 85% de execução representa as fases nas quais existem um mínimo de planejamento e
predominam as tarefas de desenvolvimento.
(D) faixa a partir de 85% indica uma aceleração da velocidade de execução do projeto.
(E) faixa entre 15% e 85% indica uma diminuição da velocidade de execução do projeto.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TINF09/APO/GPROJ/PBETA) 491/47- O gerente do projeto X tem bastante experiência e


já foi gerente, inclusive, de outro projeto muito semelhante. Esse gerente precisa estimar para o projeto X,
rapidamente, a duração de determinadas tarefas e aperfeiçoar suas estimativas sobre o custo de outras. Sobre a
duração, ele resolveu fazer valer e utilizar sua experiência e conhecimento sobre atividades semelhantes realizadas
no projeto anterior. Sobre o custo, ele resolveu considerar a média ponderada dos valores que considerem o risco e
as incertezas das estimativas. Nessa situação, quais foram, respectivamente, as duas técnicas escolhidas?
(A) Estimativa análoga e estimativa de três pontos (B) Estimativa análoga e estimativa paramétrica
(C) Estimativa de três pontos e análise bottom-up (D) Estimativa paramétrica e análise bottom-up
(E) Análise bottom-up e estimativa paramétrica

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TINF09/APO/GPROJ/PBETA) 492/50- O gerente de um projeto recebeu uma solicitação


de aperfeiçoamento de uma estimativa, em dias, do prazo para a entrega de determinada obra. A informação atual
é de um prazo pessimista de 330 dias, um prazo mais provável de 300 dias e um prazo otimista de 270 dias. Dado
que o gerente utilizou a técnica de aproximação dos três pontos para fazer as suas estimativas, qual é o novo prazo
a ser informado, em dias, de entrega da obra?
(A) 270 (B) 285 (C) 300 (D) 315 (E) 330

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/GPROJ/PCPM) 493/30- Em um determinado projeto, o lançamento de um


novo produto foi programado, de acordo com o tempo necessário para sua execução. A Figura abaixo representa a
rede PERT desse projeto, com as atividades e as respectivas durações (em dias). A fase 1 representa a etapa inicial, e
a fase 6 diz respeito ao lançamento do produto.
Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 100
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Com base no conceito do caminho crítico, a sequência de atividades a que o gestor do projeto deve dispensar maior
atenção, a fim de lançar o produto no prazo previsto é
(A) A – G – I (B) B – D – G – I (C) B – E – H – I (D) C – H – I (E) B – F – I

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/GPROJ/PCPM) 494/38- O diagrama de rede abaixo apresenta o


encadeamento das tarefas de um dado projeto, juntamente com os tempos necessários para a sua execução.

Considerando que o prazo total para a conclusão do projeto, uma vez iniciado, é de dezesseis dias e que,
contratualmente, não se admite atraso, verifica-se que o(a)
(A) conjunto de tarefas 3 e 4 apresenta folga de até quatro dias.
(B) tarefa 2 não apresenta folga.
(C) folga total do projeto é nula.
(D) tarefa 4 pode iniciar até quatro dias depois do término da tarefa 3, caso a tarefa 3 comece no mesmo dia em que a
tarefa 1.
(E) folga da tarefa 4 será de quatro dias, caso a tarefa 3 comece um dia depois da tarefa 1.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/GPROJ/PCPM) 495/37- Uma equipe está atuando em um projeto de


mitigação dos riscos ambientais. A duração e a precedência de cada atividade a ser realizada estão descritas na
Tabela abaixo.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 101
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Elaborando-se o diagrama de precedência com base na Tabela, a previsão de duração, em dias, do projeto é
(A) 15 (B) 16 (C) 17 (D) 18 (E) 19

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/GPROJ/PCPM) 496/51- A tabela 2 a seguir lista sete atividades para a realização de


um projeto e apresenta as respectivas predecessoras e os tempos necessários para cada atividade.
Tabela 2
Atividade Predecessora(s) Tempo (semanas)
imediata(s)
A - 2
B A 3
C A 7
D B, C 1
E C 4
F D, E 9
G F 5

Qual sequência de atividades apresenta o caminho crítico desse projeto?


(A) A-B-D-F-G. (B) A-C-E-F-G. (C) A-C-D-F-G. (D) A-B-C-D-G.

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/GPROJ/PCPM) 497/55. Considere as informações abaixo e os detalhes de um


projeto.
Atividade Duração Custo Atividade
(dias) (R$/dia) predecessora
A 3 10 ------
B 4 23 A
C 4 23 B
D 5 34 C
E 5 56 A
F 6 78 E
G 4 56 F
H 2 11 E
I 4 21 H
J 3 32 D, G, I

O menor prazo para o projeto estar concluído é, em dias, igual a,


(A) 19. (B) 17. (C) 21. (D) 16. (E) 24.

(CESG/LIQUIGÁS/2014/ADM/APO/GPROJ/PCPM) 498/48- Um gerente de sistemas identificou que o seu projeto


possui aderência direta a um objetivo do planejamento estratégico da organização. Portanto, dada a sua relevância,

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 102
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

precisa garantir o prazo de entrega do sistema, assim como mantê-lo dentro da previsão de custos. Esse projeto
possui sete atividades para as quais são indicados o tempo de duração e também a relação de antecedência entre
elas, conforme se vê abaixo:

Quais as atividades que deveriam ter uma proteção (ou margem de segurança) para assegurar a conclusão do projeto
no prazo?
(A) A, C, E e G (B) A, D e F (C) F e G (D) B, E e G (E) A e B

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TEXPPET.INF08/APO/GPROJ/PCPM) 499/37- Um gerente de projetos está realizando o


sequenciamento das atividades de um projeto e construiu a Tabela apresentada abaixo, na qual estão listadas as
tarefas a serem postas em prática em um projeto, sua duração e suas predecessoras.

As durações apresentadas nessa Tabela consideram, por exemplo, que a tarefa M começa no início do dia 1 e termina
no fim do dia 5. O projeto começa no início do dia 1 e termina no final do dia 22. Todos os dias são considerados dias
trabalhados. As atividades podem iniciar imediatamente após o final das atividades que as precedem. Qual é a
atividade que pode sofrer o maior atraso sem prejudicar o final do projeto?
(A) R(B) Q (C) P (D) N (E) M

(CESG/PETROBRAS/2014.2/TEXPPET.INF08/APO/GPROJ/FOLGA) 500/33- Considere-se que uma tarefa de um


diagrama de rede tem as seguintes datas

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 103
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Qual a folga total dessa atividade?


(A) 0 dia – não há folga total. (B) 2 dias. (C) 5 dias.
(D) 7 dias. (E) 9 dias.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/GPROJ/IND) 501/33- O projeto de ampliação das instalações de uma


planta industrial apresenta um Valor Agregado de R$ 40.000,00, um Custo Real de R$ 32.000,00 e um Valor
Planejado de R$ 45.000,00. Então, o Índice de Desempenho de Custos é
(A) 1,25 (B) 1,12 (C) 0,89 (D) 0,80 (E) 0,71

$$Planejamento das Instalações (PI&LI): 15 QUESTÕES

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/PI&LI/PI) 502/57- Uma empresa que planeja aumentar a capacidade


produtiva de sua fábrica, avalia se deve investir em um aumento de capacidade fixa de 350.000 unidades/mês. Isso
faria com que seu custo total aumentasse mais que proporcionalmente, apesar de seus custos variáveis unitários
não sofrerem alterações. Caso essa empresa opte por mais capacidade, sua alavancagem operacional será
(A) aumentada, aumentando o risco da operação. (B) aumentada, reduzindo o risco da operação.
(C) mantida, mantendo o risco da operação. (D) reduzida, aumentando o risco da operação.
(E) reduzida, reduzindo o risco da operação.

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/PI&LI/PI) 503/53- Sobre o planejamento das instalações, verifica-se que


(A) existe um trade off entre o número de instalações e o custo logístico, o que significa que quanto maior o número
de instalações, maior o custo total.
(B) com o aumento do número de instalações, o custo total de transporte aumenta, pois elas estarão mais dispersas,
sendo necessário mais viagens para atendê-las.
(C) com o aumento do número de instalações há uma redução no custo de estocagem, havendo uma maior dispersão
dos itens, que deixarão de estar concentrados em uma única instalação.
(D) quanto maior o número de instalações, melhor o nível de serviço oferecido ao cliente, pois há uma redução no
tempo de resposta ao atendimento dos pedidos.
(E) o número de instalações é determinado maximizando-se o custo de transporte de transferência.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/PI&LI/LI) 504/49- Geralmente, espera-se que o planejamento de uma


instalação parta do nível geral para o particular, como, por exemplo, da localização global para o posto de trabalho.
Porém, a forma inversa de planejamento, do particular para o geral, também é possível, EXCETO no caso em que
(A) a empresa faz uma transição da manufatura funcional para a celular e as células-piloto necessitam ser
desenvolvidas para comprovar o trabalho.
(B) um projeto de instalação de um grande escritório é realizado e definem-se, primeiramente, os detalhes de layout
das estações de trabalho.
(C) a necessidade de relocalização dos armários de ferramentas numa estrutura de manufatura celular é imperativa.
(D) a gerência crê que o planejamento do espaço existente não é mais ideal, devido ao aumento da produção e à
necessidade de atualização das tecnologias empregadas.
(E) a necessidade de adequação dos sanitários, em virtude do aumento do número de operários com deficiência de
locomoção (cadeirantes), é fundamental.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 104
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(CESG/PETROBRAS/2014.1/EPROD/APO/PI&LI/LI) 505/31- Em relação aos métodos utilizados para auxiliar na


decisão referente à localização das instalações, considere as afirmações a seguir.
I – O método do centro de gravidade envolve a identificação de critérios relevantes para a avaliação de instalações, a
definição da importância relativa de cada critério e a atribuição de fatores de ponderação (“pesos”) para cada um
deles por meio de uma escala de pontuação arbitrária.
II – No método da pontuação ponderada são comparadas diferentes localidades em função dos custos totais da
operação (custos fixos + custos variáveis).
III – Os métodos de pontuação ponderada e de ponto de equilíbrio podem servir como complementares ao método do
centro de gravidade.

É correto APENAS o que se afirma em


(A) I (B) II (C) III (D) I e II (E) II e III

(FCC/METRÔ/2014/ALOG/APO/PI&LI/LI) 506/49. Um processo pode ser considerado um método de fazer algo,


normalmente envolvendo várias operações e investimentos em recursos, podendo ser um fator determinante para o
atendimento das metas. O processo “A” possui um Custo Fixo de R$ 10.000,00, com os bens de capital envolvidos, e
um custo variável de R$ 10,00 por unidade. Já o processo “B” é composto por um custo variável de R$ 6,00 e um
Custo Fixo de R$ 18.000,00. O Ponto de Equalização de Custos entre os dois projetos corresponde a
(A) R$ 8.000,00. (B) R$ 30.000,00. (C) R$ 10.000,00.
(D) R$ 20.000,00. (E) R$ 15.000,00.

(IDERH/EFCJ/2014/ADM.LOG/PI&LI/LAY) 507/39- Com relação ao planejamento do arranjo físico de uma instalação,


deve-se considerar que:
A Não afeta a produtividade das operações.
B Uma mudança adequada pode aumentar a produção.
C Altas taxas de acidentes não são motivantes para uma mudança.
D Mudanças no volume produzido não são motivantes para uma alteração.
E Mudanças no fluxo de clientes não justificam uma alteração.

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/PI&LI/LAY) 508/58. Considere as definições abaixo.


. ALFA é um arranjo físico onde os fluxos produtivos que passam pelos diversos setores de uma fábrica são muito
variados e ocorrem de forma intermitente.
. BETA é um arranjo físico onde o item que está sendo processado fica estacionário e os recursos produtivos se
deslocam até ele no momento em que são necessários.
. GAMA é um arranjo físico onde a posição relativa dos recursos produtivos segue a sequência de etapas do processo
de agregação de valor. Assim, ALFA, BETA e GAMA são, respectivamente, arranjo físico

(A) funcional, posicional e por produto. (B) por produto, celular e funcional.
(C) celular, funcional e posicional. (D) funcional, por produto e posicional.
(E) por produto, posicional e celular.

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/PI&LI/LAY) 509/55- O tipo de arranjo físico de uma empresa está intimamente


relacionado às características de volume e variedade de produtos/serviços, conforme a figura 5 a seguir.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 105
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Considerando a figura 5, qual é o arranjo físico apropriado para as regiões indicadas pelos números 1, 2, 3 e 4,
respectivamente?
(A) Por produto; posicional; celular; por processo.
(B) Por processo; celular; por produto; posicional.
(C) Celular; por processo; por produto; posicional.
(D) Posicional; por processo; celular; por produto.

(CESG/PETROBRAS/2014.2/EPROD42/APO/PI&LI/LAY) 510/66- Uma planta industrial, destinada à produção de um


produto único, tem três departamentos (A, B e C) acomodados de acordo com o layout abaixo, no qual estão
indicados os tempos totais de deslocamentos entre os mesmos.

Há necessidade de deslocamento do produto entre os departamentos para execução das fases de fabricação. O
Quadro a seguir apresenta os números de deslocamentos entre cada departamento, por produto.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 106
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

Cada vez que o produto, ainda inacabado, chega a um departamento, nele permanece durante 2 minutos, para as
operações de fabricação correspondentes. Assim, qual o tempo de fabricação, em minutos, de uma unidade do
mesmo?
(A) 65 (B) 83 (C) 115 (D) 147 (E) 188

(CETRO/SENAI.DF/2014/I.ADM.LOG/APO/PI&LI/STP) 511/13. Na produção enxuta, as organizações optam por criar


nomenclaturas próprias, como é o caso da Bosch (BPS – Bosch Production System), Volvo (VPS – Volvo Production
System) e HP (Produção com Inventário Zero). Diante do exposto, assinale a alternativa que apresenta a melhor
definição de produção enxuta.
(A) Reduz as ineficiências inerentes ao sistema com absorção de estoques de terceiros.
(B) Reduz as ineficiências inerentes ao sistema com absorção de matéria-prima dos fornecedores.
(C) Reduz o nível de estoques e aumenta a capacidade de compra do fornecedor.
(D) Usa a capacidade mínima de sua planta e começa a produzir em concordância com a demanda do mercado.
(E) Deixa de usar a capacidade máxima de sua planta e começa a produzir em concordância com a demanda do
mercado.

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/PI&LI/STP) 512/47. Heijunka é uma ferramenta utilizada na implantação do


conceito de Produção Enxuta em processos produtivos, que refere-se
(A) à manutenção realizada pelo próprio operador da máquina.
(B) à produção nivelada para evitar sobrecarga ou ociosidade no processo produtivo.
(C) ao cartão ou qualquer sinal visível que indica a prioridade de produção de terminado item.
(D) aos procedimentos padronizados e documentados que devem ser seguidos pelos operadores.
(E) ao quadro de gestão visual que indica problemas no processo produtivo como a quebra de máquina ou falta de
material em determinado posto de trabalho.

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/PI&LI/PCC/STP) 513/45- O Sistema Toyota de Produção (STP) tem como uma das
principais características a busca pela eliminação de desperdícios. Segundo a ótica do STP, há sete desperdícios, e
um deles, o desperdício de movimento, está relacionado à movimentação
(A) material no chão da fábrica. (B) das informações entre os departamentos.
(C) física dos operadores. (D) de produtos defeituosos no almoxarifado.

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/PI&LI/PCC) 514/50. O Plano Mestre de Produção emitido pelo setor de


Programação e Controle da Produção − PCP de uma empresa prevê a fabricação de 300 peças do produto A e 200
peças do produto C, em um determinado dia. A peça A utiliza 10 cm2 de uma chapa de aço, enquanto que a peça C
utiliza 30 cm2 do mesmo material. Sabendo-se que a perda no processo de corte é de 10%, a necessidade de chapa
de aço, em m2, para a fabricação das peças programadas naquele dia é, em m2, igual a
(A) 1,1. (B) 1. (C) 9,9. (D) 0,11. (E) 0,099.

(FCC/CET.AM/2014/EPROD/APO/PI&LI/PCC) 515/49. Um determinado equipamento de produção trabalha 8 horas


por dia. O setor de Programação e Controle da Produção deixou o equipamento ocioso, por falta de pedidos de peças
fabricadas por aquele equipamento, durante 1 hora e 20 minutos. A capacidade de produção do equipamento é de 5
peças por minuto e ele ficou parado para manutenção corretiva durante 50 minutos naquele dia. Durante o tempo
de produção, o equipamento fabricou 1000 peças, mas 10% das peças foram rejeitadas pelo Controle de Qualidade.
O Overall Equipment Effectiveness − OEE deste equipamento, naquele dia, foi, em %, igual a
(A) 19. (B) 37,5. (C) 45. (D) 104,2. (E) 25.
Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 107
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

(UFG/UEAP/2014/EPROD/APO/PI&LI/PCC/TOC) 516/32- Na teoria das restrições, proposta por Eliyahu M. Goldratt


por volta de 1980, o objetivo básico de uma empresa é ganhar dinheiro. A manufatura deve contribuir com esse
objetivo por meio da atuação sobre três elementos: 1) fluxo de materiais ou throughput; 2) estoque ou inventory; e
3) despesas operacionais ou operating expenses. As despesas operacionais, segundo essa teoria, são
(A) o dinheiro usado pela empresa para desenvolver seus produtos e serviços.
(B) o dinheiro gasto pelo sistema para transformar o estoque em fluxo.
(C) os valores gastos pelo sistema para aumentar a capacidade dos recursos-gargalo.
(D) os salários dos operários, o preço das matérias-primas e o gasto com propaganda.

Boa Sorte!!!
Profa. Mônica Roberta, M.Sc.

ACREDITE EM VOCÊ
“Ao longo da sua vida, muitos lhe dirão que aquilo que você pretende fazer é impossível. Porém, basta ter
imaginação para sonhar, planejar e alcançar. (...) Haverá obstáculos. Haverá céticos. Haverá enganos. Mas com
trabalho duro, fé e segurança em você mesmo e nas pessoas a sua volta, não há limites. Perseverança, determinação,
compromisso e coragem são realidades. O desejo de redenção guia você na jornada. E a vontade de ser bem-sucedido é
tudo. Por isso, houve momentos em Pequim, no verão de 2008, em que não havia palavras, apenas gritos. (...) Porque,
acredite nisso, os sonhos podem se tornar realidade.” - Michael Phelps.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 108
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

PETROBRAS-BR/2014/ADM: GABARITO TOP500 VOLUME 2 – 1 A 270


001- (A) (B) (C) (D) (E) 046- (A) (B) (C) (D) (E) 091- (A) (B) (C) (D) (E) 136- (A) (B) (C) (D) (E) 181- (A) (B) (C) (D) (E) 226- (A) (B) (C) (D) (E)
002- (A) (B) (C) (D) (E) 047- (A) (B) (C) (D) (E) 092- (A) (B) (C) (D) (E) 137- (A) (B) (C) (D) (E) 182- (A) (B) (C) (D) (E) 227- (A) (B) (C) (D) (E)
003- (A) (B) (C) (D) (E) 048- (A) (B) (C) (D) (E) 093- (A) (B) (C) (D) (E) 138- (A) (B) (C) (D) (E) 183- (A) (B) (C) (D) (E) 228- (A) (B) (C) (D) (E)
004- (A) (B) (C) (D) (E) 049- (A) (B) (C) (D) (E) 094- (A) (B) (C) (D) (E) 139- (A) (B) (C) (D) (E) 184- (A) (B) (C) (D) (E) 229- (A) (B) (C) (D) (E)
005- (A) (B) (C) (D) (E) 050- (A) (B) (C) (D) (E) 095- (A) (B) (C) (D) (E) 140- (A) (B) (C) (D) (E) 185- (A) (B) (C) (D) (E) 230- (A) (B) (C) (D) (E)
006- (A) (B) (C) (D) (E) 051- (A) (B) (C) (D) (E) 096- (A) (B) (C) (D) (E) 141- (A) (B) (C) (D) (E) 186- (A) (B) (C) (D) (E) 231- (A) (B) (C) (D) (E)
007- (A) (B) (C) (D) (E) 052- (A) (B) (C) (D) (E) 097- (A) (B) (C) (D) (E) 142- (A) (B) (C) (D) (E) 187- (A) (B) (C) (D) (E) 232- (A) (B) (C) (D) (E)
008- (A) (B) (C) (D) (E) 053- (A) (B) (C) (D) (E) 098- (A) (B) (C) (D) (E) 143- (A) (B) (C) (D) (E) 188- (A) (B) (C) (D) (E) 233- (A) (B) (C) (D) (E)
009- (A) (B) (C) (D) (E) 054- (A) (B) (C) (D) (E) 099- (A) (B) (C) (D) (E) 144- (A) (B) (C) (D) (E) 189- (A) (B) (C) (D) (E) 234- (A) (B) (C) (D) (E)
010- (A) (B) (C) (D) (E) 055- (A) (B) (C) (D) (E) 100- (A) (B) (C) (D) (E) 145- (A) (B) (C) (D) (E) 190- (A) (B) (C) (D) (E) 235- (A) (B) (C) (D) (E)
011- (A) (B) (C) (D) (E) 056- (A) (B) (C) (D) (E) 101- (A) (B) (C) (D) (E) 146- (A) (B) (C) (D) (E) 191- (A) (B) (C) (D) (E) 236- (A) (B) (C) (D) (E)
012- (A) (B) (C) (D) (E) 057- (A) (B) (C) (D) (E) 102- (A) (B) (C) (D) (E) 147- (A) (B) (C) (D) (E) 192- (A) (B) (C) (D) (E) 237- (A) (B) (C) (D) (E)
013- (A) (B) (C) (D) (E) 058- (A) (B) (C) (D) (E) 103- (A) (B) (C) (D) (E) 148- (A) (B) (C) (D) (E) 193- (A) (B) (C) (D) (E) 238- (A) (B) (C) (D) (E)
014- (A) (B) (C) (D) (E) 059- (A) (B) (C) (D) (E) 104- (A) (B) (C) (D) (E) 149- (A) (B) (C) (D) (E) 194- (A) (B) (C) (D) (E) 239- (A) (B) (C) (D) (E)
015- (A) (B) (C) (D) (E) 060- (A) (B) (C) (D) (E) 105- (A) (B) (C) (D) (E) 150- (A) (B) (C) (D) (E) 195- (A) (B) (C) (D) (E) 240- (A) (B) (C) (D) (E)
016- (A) (B) (C) (D) (E) 061- (A) (B) (C) (D) (E) 106- (A) (B) (C) (D) (E) 151- (A) (B) (C) (D) (E) 196- (A) (B) (C) (D) (E) 241- (A) (B) (C) (D) (E)
017- (A) (B) (C) (D) (E) 062- (A) (B) (C) (D) (E) 107- (A) (B) (C) (D) (E) 152- (A) (B) (C) (D) (E) 197- (A) (B) (C) (D) (E) 242- (A) (B) (C) (D) (E)
018- (A) (B) (C) (D) (E) 063- (A) (B) (C) (D) (E) 108- (A) (B) (C) (D) (E) 153- (A) (B) (C) (D) (E) 198- (A) (B) (C) (D) (E) 243- (A) (B) (C) (D) (E)
019- (A) (B) (C) (D) (E) 064- (A) (B) (C) (D) (E) 109- (A) (B) (C) (D) (E) 154- (A) (B) (C) (D) (E) 199- (A) (B) (C) (D) (E) 244- (A) (B) (C) (D) (E)
020- (A) (B) (C) (D) (E) 065- (A) (B) (C) (D) (E) 110- (A) (B) (C) (D) (E) 155- (A) (B) (C) (D) (E) 200- (A) (B) (C) (D) (E) 245- (A) (B) (C) (D) (E)
021- (A) (B) (C) (D) (E) 066- (A) (B) (C) (D) (E) 111- (A) (B) (C) (D) (E) 156- (A) (B) (C) (D) (E) 201- (A) (B) (C) (D) (E) 246- (A) (B) (C) (D) (E)
022- (A) (B) (C) (D) (E) 067- (A) (B) (C) (D) (E) 112- (A) (B) (C) (D) (E) 157- (A) (B) (C) (D) (E) 202- (A) (B) (C) (D) (E) 247- (A) (B) (C) (D) (E)
023- (A) (B) (C) (D) (E) 068- (A) (B) (C) (D) (E) 113- (A) (B) (C) (D) (E) 158- (A) (B) (C) (D) (E) 203- (A) (B) (C) (D) (E) 248- (A) (B) (C) (D) (E)
024- (A) (B) (C) (D) (E) 069- (A) (B) (C) (D) (E) 114- (A) (B) (C) (D) (E) 159- (A) (B) (C) (D) (E) 204- (A) (B) (C) (D) (E) 249- (A) (B) (C) (D) (E)
025- (A) (B) (C) (D) (E) 070- (A) (B) (C) (D) (E) 115- (A) (B) (C) (D) (E) 160- (A) (B) (C) (D) (E) 205- (A) (B) (C) (D) (E) 250- (A) (B) (C) (D) (E)
026- (A) (B) (C) (D) (E) 071- (A) (B) (C) (D) (E) 116- (A) (B) (C) (D) (E) 161- (A) (B) (C) (D) (E) 206- (A) (B) (C) (D) (E) 251- (A) (B) (C) (D) (E)
027- (A) (B) (C) (D) (E) 072- (A) (B) (C) (D) (E) 117- (A) (B) (C) (D) (E) 162- (A) (B) (C) (D) (E) 207- (A) (B) (C) (D) (E) 252- (A) (B) (C) (D) (E)
028- (A) (B) (C) (D) (E) 073- (A) (B) (C) (D) (E) 118- (A) (B) (C) (D) (E) 163- (A) (B) (C) (D) (E) 208- (A) (B) (C) (D) (E) 253- (A) (B) (C) (D) (E)
029- (A) (B) (C) (D) (E) 074- (A) (B) (C) (D) (E) 119- (A) (B) (C) (D) (E) 164- (A) (B) (C) (D) (E) 209- (A) (B) (C) (D) (E) 254- (A) (B) (C) (D) (E)
030- (A) (B) (C) (D) (E) 075- (A) (B) (C) (D) (E) 120- (A) (B) (C) (D) (E) 165- (A) (B) (C) (D) (E) 210- (A) (B) (C) (D) (E) 255- (A) (B) (C) (D) (E)
031- (A) (B) (C) (D) (E) 076- (A) (B) (C) (D) (E) 121- (A) (B) (C) (D) (E) 166- (A) (B) (C) (D) (E) 211- (A) (B) (C) (D) (E) 256- (A) (B) (C) (D) (E)
032- (A) (B) (C) (D) (E) 077- (A) (B) (C) (D) (E) 122- (A) (B) (C) (D) (E) 167- (A) (B) (C) (D) (E) 212- (A) (B) (C) (D) (E) 257- (A) (B) (C) (D) (E)
033- (A) (B) (C) (D) (E) 078- (A) (B) (C) (D) (E) 123- (A) (B) (C) (D) (E) 168- (A) (B) (C) (D) (E) 213- (A) (B) (C) (D) (E) 258- (A) (B) (C) (D) (E)
034- (A) (B) (C) (D) (E) 079- (A) (B) (C) (D) (E) 124- (A) (B) (C) (D) (E) 169- (A) (B) (C) (D) (E) 214- (A) (B) (C) (D) (E) 259- (A) (B) (C) (D) (E)
035- (A) (B) (C) (D) (E) 080- (A) (B) (C) (D) (E) 125- (A) (B) (C) (D) (E) 170- (A) (B) (C) (D) (E) 215- (A) (B) (C) (D) (E) 260- (A) (B) (C) (D) (E)
036- (A) (B) (C) (D) (E) 081- (A) (B) (C) (D) (E) 126- (A) (B) (C) (D) (E) 171- (A) (B) (C) (D) (E) 216- (A) (B) (C) (D) (E) 261- (A) (B) (C) (D) (E)
037- (A) (B) (C) (D) (E) 082- (A) (B) (C) (D) (E) 127- (A) (B) (C) (D) (E) 172- (A) (B) (C) (D) (E) 217- (A) (B) (C) (D) (E) 262- (A) (B) (C) (D) (E)
038- (A) (B) (C) (D) (E) 083- (A) (B) (C) (D) (E) 128- (A) (B) (C) (D) (E) 173- (A) (B) (C) (D) (E) 218- (A) (B) (C) (D) (E) 263- (A) (B) (C) (D) (E)
039- (A) (B) (C) (D) (E) 084- (A) (B) (C) (D) (E) 129- (A) (B) (C) (D) (E) 174- (A) (B) (C) (D) (E) 219- (A) (B) (C) (D) (E) 264- (A) (B) (C) (D) (E)
040- (A) (B) (C) (D) (E) 085- (A) (B) (C) (D) (E) 130- (A) (B) (C) (D) (E) 175- (A) (B) (C) (D) (E) 220- (A) (B) (C) (D) (E) 265- (A) (B) (C) (D) (E)
041- (A) (B) (C) (D) (E) 086- (A) (B) (C) (D) (E) 131- (A) (B) (C) (D) (E) 176- (A) (B) (C) (D) (E) 221- (A) (B) (C) (D) (E) 266- (A) (B) (C) (D) (E)
042- (A) (B) (C) (D) (E) 087- (A) (B) (C) (D) (E) 132- (A) (B) (C) (D) (E) 177- (A) (B) (C) (D) (E) 222- (A) (B) (C) (D) (E) 267- (A) (B) (C) (D) (E)
043- (A) (B) (C) (D) (E) 088- (A) (B) (C) (D) (E) 133- (A) (B) (C) (D) (E) 178- (A) (B) (C) (D) (E) 223- (A) (B) (C) (D) (E) 268- (A) (B) (C) (D) (E)
044- (A) (B) (C) (D) (E) 089- (A) (B) (C) (D) (E) 134- (A) (B) (C) (D) (E) 179- (A) (B) (C) (D) (E) 224- (A) (B) (C) (D) (E) 269- (A) (B) (C) (D) (E)
045- (A) (B) (C) (D) (E) 090- (A) (B) (C) (D) (E) 135- (A) (B) (C) (D) (E) 180- (A) (B) (C) (D) (E) 225- (A) (B) (C) (D) (E) 270- (A) (B) (C) (D) (E)

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 109
RETA DE CHEGADA
“Mais que a partida, é a chegada” – Mônica Roberta
Site: www.retadechegada.com.br. Twitter: twitter.com/retadechegada
Tel/Fax.: (21) 98254-3685 (Tim), 99157-5825 (Claro), 3902-1462 e 3272-5601
Caixa Postal: 063.643/RJ, Cep: 20765-971. E-Mail: monicarobs@hotmail.com

PETROBRAS-BR/2014/ADM: GABARITO TOP500 VOUME 2 – 271 A 507


271- (A) (B) (C) (D) (E) 316- (A) (B) (C) (D) (E) 361- (A) (B) (C) (D) (E) 406- (A) (B) (C) (D) (E) 451- (A) (B) (C) (D) (E) 496- (A) (B) (C) (D) (E)
272- (A) (B) (C) (D) (E) 317- (A) (B) (C) (D) (E) 362- (A) (B) (C) (D) (E) 407- (A) (B) (C) (D) (E) 452- (A) (B) (C) (D) (E) 497- (A) (B) (C) (D) (E)
273- (A) (B) (C) (D) (E) 318- (A) (B) (C) (D) (E) 363- (A) (B) (C) (D) (E) 408- (A) (B) (C) (D) (E) 453- (A) (B) (C) (D) (E) 498- (A) (B) (C) (D) (E)
274- (A) (B) (C) (D) (E) 319- (A) (B) (C) (D) (E) 364- (A) (B) (C) (D) (E) 409- (A) (B) (C) (D) (E) 454- (A) (B) (C) (D) (E) 499- (A) (B) (C) (D) (E)
275- (A) (B) (C) (D) (E) 320- (A) (B) (C) (D) (E) 365- (A) (B) (C) (D) (E) 410- (A) (B) (C) (D) (E) 455- (A) (B) (C) (D) (E) 500- (A) (B) (C) (D) (E)
276- (A) (B) (C) (D) (E) 321- (A) (B) (C) (D) (E) 366- (A) (B) (C) (D) (E) 411- (A) (B) (C) (D) (E) 456- (A) (B) (C) (D) (E) 501- (A) (B) (C) (D) (E)
277- (A) (B) (C) (D) (E) 322- (A) (B) (C) (D) (E) 367- (A) (B) (C) (D) (E) 412- (A) (B) (C) (D) (E) 457- (A) (B) (C) (D) (E) 502- (A) (B) (C) (D) (E)
278- (A) (B) (C) (D) (E) 323- (A) (B) (C) (D) (E) 368- (A) (B) (C) (D) (E) 413- (A) (B) (C) (D) (E) 458- (A) (B) (C) (D) (E) 503- (A) (B) (C) (D) (E)
279- (A) (B) (C) (D) (E) 324- (A) (B) (C) (D) (E) 369- (A) (B) (C) (D) (E) 414- (A) (B) (C) (D) (E) 459- (A) (B) (C) (D) (E) 504- (A) (B) (C) (D) (E)
280- (A) (B) (C) (D) (E) 325- (A) (B) (C) (D) (E) 370- (A) (B) (C) (D) (E) 415- (A) (B) (C) (D) (E) 460- (A) (B) (C) (D) (E) 505- (A) (B) (C) (D) (E)
281- (A) (B) (C) (D) (E) 326- (A) (B) (C) (D) (E) 371- (A) (B) (C) (D) (E) 416- (A) (B) (C) (D) (E) 461- (A) (B) (C) (D) (E) 506- (A) (B) (C) (D) (E)
282- (A) (B) (C) (D) (E) 327- (A) (B) (C) (D) (E) 372- (A) (B) (C) (D) (E) 417- (A) (B) (C) (D) (E) 462- (A) (B) (C) (D) (E) 507- (A) (B) (C) (D) (E)
283- (A) (B) (C) (D) (E) 328- (A) (B) (C) (D) (E) 373- (A) (B) (C) (D) (E) 418- (A) (B) (C) (D) (E) 463- (A) (B) (C) (D) (E) 508- (A) (B) (C) (D) (E)
284- (A) (B) (C) (D) (E) 329- (A) (B) (C) (D) (E) 374- (A) (B) (C) (D) (E) 419- (A) (B) (C) (D) (E) 464- (A) (B) (C) (D) (E) 509- (A) (B) (C) (D) (E)
285- (A) (B) (C) (D) (E) 330- (A) (B) (C) (D) (E) 375- (A) (B) (C) (D) (E) 420- (A) (B) (C) (D) (E) 465- (A) (B) (C) (D) (E) 510- (A) (B) (C) (D) (E)
286- (A) (B) (C) (D) (E) 331- (A) (B) (C) (D) (E) 376- (A) (B) (C) (D) (E) 421- (A) (B) (C) (D) (E) 466- (A) (B) (C) (D) (E) 511- (A) (B) (C) (D) (E)
287- (A) (B) (C) (D) (E) 332- (A) (B) (C) (D) (E) 377- (A) (B) (C) (D) (E) 422- (A) (B) (C) (D) (E) 467- (A) (B) (C) (D) (E) 512- (A) (B) (C) (D) (E)
288- (A) (B) (C) (D) (E) 333- (A) (B) (C) (D) (E) 378- (A) (B) (C) (D) (E) 423- (A) (B) (C) (D) (E) 468- (A) (B) (C) (D) (E) 513- (A) (B) (C) (D) (E)
289- (A) (B) (C) (D) (E) 334- (A) (B) (C) (D) (E) 379- (A) (B) (C) (D) (E) 424- (A) (B) (C) (D) (E) 469- (A) (B) (C) (D) (E) 514- (A) (B) (C) (D) (E)
290- (A) (B) (C) (D) (E) 335- (A) (B) (C) (D) (E) 380- (A) (B) (C) (D) (E) 425- (A) (B) (C) (D) (E) 470- (A) (B) (C) (D) (E) 515- (A) (B) (C) (D) (E)
291- (A) (B) (C) (D) (E) 336- (A) (B) (C) (D) (E) 381- (A) (B) (C) (D) (E) 426- (A) (B) (C) (D) (E) 471- (A) (B) (C) (D) (E) 516- (A) (B) (C) (D) (E)
292- (A) (B) (C) (D) (E) 337- (A) (B) (C) (D) (E) 382- (A) (B) (C) (D) (E) 427- (A) (B) (C) (D) (E) 472- (A) (B) (C) (D) (E)
293- (A) (B) (C) (D) (E) 338- (A) (B) (C) (D) (E) 383- (A) (B) (C) (D) (E) 428- (A) (B) (C) (D) (E) 473- (A) (B) (C) (D) (E)
294- (A) (B) (C) (D) (E) 339- (A) (B) (C) (D) (E) 384- (A) (B) (C) (D) (E) 429- (A) (B) (C) (D) (E) 474- (A) (B) (C) (D) (E)
295- (A) (B) (C) (D) (E) 340- (A) (B) (C) (D) (E) 385- (A) (B) (C) (D) (E) 430- (A) (B) (C) (D) (E) 475- (A) (B) (C) (D) (E)
296- (A) (B) (C) (D) (E) 341- (A) (B) (C) (D) (E) 386- (A) (B) (C) (D) (E) 431- (A) (B) (C) (D) (E) 476- (A) (B) (C) (D) (E)
297- (A) (B) (C) (D) (E) 342- (A) (B) (C) (D) (E) 387- (A) (B) (C) (D) (E) 432- (A) (B) (C) (D) (E) 477- (A) (B) (C) (D) (E)
298- (A) (B) (C) (D) (E) 343- (A) (B) (C) (D) (E) 388- (A) (B) (C) (D) (E) 433- (A) (B) (C) (D) (E) 478- (A) (B) (C) (D) (E)
299- (A) (B) (C) (D) (E) 344- (A) (B) (C) (D) (E) 389- (A) (B) (C) (D) (E) 434- (A) (B) (C) (D) (E) 479- (A) (B) (C) (D) (E)
300- (A) (B) (C) (D) (E) 345- (A) (B) (C) (D) (E) 390- (A) (B) (C) (D) (E) 435- (A) (B) (C) (D) (E) 480- (A) (B) (C) (D) (E)
301- (A) (B) (C) (D) (E) 346- (A) (B) (C) (D) (E) 391- (A) (B) (C) (D) (E) 436- (A) (B) (C) (D) (E) 481- (A) (B) (C) (D) (E)
302- (A) (B) (C) (D) (E) 347- (A) (B) (C) (D) (E) 392- (A) (B) (C) (D) (E) 437- (A) (B) (C) (D) (E) 482- (A) (B) (C) (D) (E)
303- (A) (B) (C) (D) (E) 348- (A) (B) (C) (D) (E) 393- (A) (B) (C) (D) (E) 438- (A) (B) (C) (D) (E) 483- (A) (B) (C) (D) (E)
304- (A) (B) (C) (D) (E) 349- (A) (B) (C) (D) (E) 394- (A) (B) (C) (D) (E) 439- (A) (B) (C) (D) (E) 484- (A) (B) (C) (D) (E)
305- (A) (B) (C) (D) (E) 350- (A) (B) (C) (D) (E) 395- (A) (B) (C) (D) (E) 440- (A) (B) (C) (D) (E) 485- (A) (B) (C) (D) (E)
306- (A) (B) (C) (D) (E) 351- (A) (B) (C) (D) (E) 396- (A) (B) (C) (D) (E) 441- (A) (B) (C) (D) (E) 486- (A) (B) (C) (D) (E)
307- (A) (B) (C) (D) (E) 352- (A) (B) (C) (D) (E) 397- (A) (B) (C) (D) (E) 442- (A) (B) (C) (D) (E) 487- (A) (B) (C) (D) (E)
308- (A) (B) (C) (D) (E) 353- (A) (B) (C) (D) (E) 398- (A) (B) (C) (D) (E) 443- (A) (B) (C) (D) (E) 488- (A) (B) (C) (D) (E)
309- (A) (B) (C) (D) (E) 354- (A) (B) (C) (D) (E) 399- (A) (B) (C) (D) (E) 444- (A) (B) (C) (D) (E) 489- (A) (B) (C) (D) (E)
310- (A) (B) (C) (D) (E) 355- (A) (B) (C) (D) (E) 400- (A) (B) (C) (D) (E) 445- (A) (B) (C) (D) (E) 490- (A) (B) (C) (D) (E)
311- (A) (B) (C) (D) (E) 356- (A) (B) (C) (D) (E) 401- (A) (B) (C) (D) (E) 446- (A) (B) (C) (D) (E) 491- (A) (B) (C) (D) (E)
312- (A) (B) (C) (D) (E) 357- (A) (B) (C) (D) (E) 402- (A) (B) (C) (D) (E) 447- (A) (B) (C) (D) (E) 492- (A) (B) (C) (D) (E)
313- (A) (B) (C) (D) (E) 358- (A) (B) (C) (D) (E) 403- (A) (B) (C) (D) (E) 448- (A) (B) (C) (D) (E) 493- (A) (B) (C) (D) (E)
314- (A) (B) (C) (D) (E) 359- (A) (B) (C) (D) (E) 404- (A) (B) (C) (D) (E) 449- (A) (B) (C) (D) (E) 494- (A) (B) (C) (D) (E)
315- (A) (B) (C) (D) (E) 360- (A) (B) (C) (D) (E) 405- (A) (B) (C) (D) (E) 450- (A) (B) (C) (D) (E) 495- (A) (B) (C) (D) (E)

Boa Sorte!!!
Profa. Mônica Roberta, M.Sc.

Material protegido. É proibida a reprodução, parcial ou integral, do mesmo. Registro na FBN/MinC 110

Você também pode gostar