Você está na página 1de 45

Comentários Bíblicos

Exposição de John Gill de toda a Bíblia


1 Pedro 1

1 Peter Intro 1 Pedro 1 Pedro 2

Caixa de ferramentas de recursos


 Visão geral do livro
 Visão geral do capítulo
 Artigo impresso
 Informação de direitos autorais
 Informação bibliográfica

Outros autores
Verso específico
 Comentário Clarke
 Comentários de Coffman
 Notas de Barne
 Notas Bíblicas de Companheiro de Bullinger
 Comentário de Calvino
 Cambridge Greek Testament
 Notas Expositivas de Constable
 Comentário de Ellicott
 O testamento grego do expositor
 Comentário de Alford
 Comentário Católico de Haydock
 Comentário de Meyer
 O Novo Testamento do Estudo Bíblico
 Gnomon de Bengel
 Comentário Crítico e Explicativo
 Comentário Crítico e Explanatory - Unabridged
 Comentário de Trapp
 Anotações de Poole
 Fotos de Robertson's Word
 Comentário do Novo Testamento de Schaff
 Comentário da Coke
 Tesouro do Conhecimento
 Estudos de Vincent
 Notas de Wesley
 Comentário de Whedon
 Comentário do NT de Zerr
Específico docapítulo específico dointervalo

Introdução

INTRODUÇÃO A 1 PEDRO 1Neste capítulo, após a inscrição e saudação, o apóstolo dá


graças a Deus pelas várias bênçãos da graça concedidas ou a ser concedido às pessoas a
quem ele escreve; e então, com o melhor dos argumentos e motivos, insta-os ao desempenho
de vários deveres da religião. Na inscrição, a pessoa que é o escritor da epístola é descrita,
tanto por seu nome como por seu cargo; e também as pessoas a quem é enviado, por sua
condição exterior, estranhos dispersos por vários países particularmente mencionados, e pelo
seu espólio espiritual, homens eleitos; a fonte e a primavera das quais a eleição é a presciência
de Deus Pai; os meios, a santificação do Espírito; e o fim, obediência e aspersão do sangue de
Cristo; e para estes o apóstolo deseja uma multiplicação de graça e paz,1 Pedro 1: 1 e então
ele dá graças a Deus pela regeneração deles; a causa eficiente da qual é Deus Pai; a causa
em movimento, sua abundante misericórdia; os meios, a ressurreição de Cristo dentre os
mortos; o fim, uma esperança viva de uma herança gloriosa, 1 Pedro 1: 3 e a seguir segue uma
descrição dos regenerados; são tais que são guardados pelo poder de Deus pela fé, para a
salvação; que se regozijam na esperança dessa salvação, embora agora, por pouco tempo,
estejam tristes, por causa das aflições, que são para o julgamento de sua fé; eles são crentes
em Cristo, amantes dele, e se regozijam nele, e finalmente receberão o fim de sua fé, a
salvação de suas almas, 1 Pedro 1: 5 a excelência da qual a salvação é estabelecida a partir
da preocupação que os profetas tinham nela, o escrutínio que eles fizeram nela, e a revelação
disso feita a eles; da preocupação que os apóstolos tinham nele, e seu relato disso, e do
desejo dos anjos de olhar para ele, 1 Pedro 1:10 sobre o qual o apóstolo exorta ao exercício de
várias graças e deveres, à atenção da mente, para a sobriedade, para uma constante
esperança de glória eterna, e para a santidade da vida e da conversação, 1 Pedro 1:13 os
argumentos que envolvem a que são tirados da natureza de Deus, que os havia chamado por
sua graça, 1 Pedro 1:15 de sua preocupação com ele, como um pai e um juiz; de seu estado e
condição, como estrangeiros neste mundo, e de sua redenção pelo sangue de Cristo de uma
conversa vã, 1 Pedro 1:17 e de Cristo, o Redentor deles, muitas coisas são ditas, como que ele
foi ordenado antes da fundação do mundo para ser o Redentor; foi manifestado na natureza
humana nestes últimos dias, por causa de tais que acreditam; foi ressuscitado dentre os mortos
e glorificado, para que houvesse um fundamento suficiente para o exercício da fé e da
esperança em Deus, 1 Pedro 1:20 e depois o apóstolo exorta ao amor fraterno, com pureza e
fervor; da consideração da purificação interna deles pelo Espírito, através da obediência à
verdade; e de sua regeneração, cuja causa não era corruptível, mas semente incorruptível; e
os meios, a palavra viva e duradoura de Deus, 1 Pedro 1:22 que é ilustrada por uma passagem
de Isaías 40: 6 expondo a fragilidade e mortalidade dos homens, e a transitoriedade de todos
os prazeres exteriores; ao qual se opõe a duração do Evangelho eterno, os meios de
regeneração, 1 Pedro 1:24 .

Verso 1

Pedro, um apóstolo de Jesus Cristo , ... O escritor desta epístola descreve a si mesmo
primeiro pelo seu nome, Pedro, o mesmo com Cefas, que significa pedra ou pedra; um nome
dado a ele por Cristo em sua primeira conversão, e que respeitava sua firmeza, solidez,
resolução e constância; porque seu nome anterior era Simeão, ou Simão, como às vezes é
chamado; veja Mateus 4:18 e ele descreve-se ainda por seu ofício, um apóstolo de Jesus
Cristo; sendo um dos doze apóstolos e o primeiro desse número; que viu Cristo em carne, foi
familiarizado com ele, teve seu chamado e comissão imediatamente dele, e foi qualificado por
ele para pregar o Evangelho; e foi enviado primeiro para a Judéia e depois para todo o mundo
para publicá-lo, com o poder de operar milagres para confirmá-lo; e este seu caráter ele faz
menção, a fim de dar o maior peso e autoridade à sua epístola; e deve-se observar que ele não
se autodenomina, como faz o seu pretenso sucessor, a cabeça da igreja e o vigário de Cristo
na terra; tampouco ele se chama o príncipe dos apóstolos, mas apenas um apóstolo, pois
estava em pé de igualdade com os demais. As pessoas que ele escreve são
os estranhos espalhados por Pontus, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia : esses judeus
aqui designados são chamados de estranhos; não em sentido metafórico, seja porque eram,
como os ímpios, alienados do ventre e alienados da vida de Deus, como todos os homens não
convertidos, e como eram antes da conversão; por enquanto, eles não eram mais estranhos
nesse sentido: ou por causa de seu estado e condição instáveis nessa vida; não tendo cidade
contínua, e procurando alguém para vir, um país celestial; e vivendo como peregrinos e
estrangeiros, em que respeito eles são realmente tão estilo, 1 Pedro 2:11 1 Pedro 2:11 mas em
um sentido civil, e não como os gentios eram, estrangeiros da comunidade de Israel, e
estranhos aos convênios da promessa, pois estes eram judeus; mas por não estarem em sua
própria terra e em um país estrangeiro e, portanto, dizem ser "dispersos" ou "os estranhos da
dispersão"; seja por conta da perseguição com a morte de Estêvão, quando multidões de
judeus convertidos foram espalhados, não apenas pelas regiões da Judéia e Samaria, mas até
a Fenícia, e Chipre, e Antioquia; veja Atos 8: 1 Atos 8: 1 e assim pode ser depois em todos os
lugares aqui mencionados; ou então estes eram alguns restos das dez tribos carregadas em
cativeiro por Salmanaser, e das duas tribos por Nabucodonosor; ou melhor, a dispersão dos
gregos,João 7:35 sob os macedônios, por Ptolomeu Lagus: no entanto, havia judeus de
Pontus, que habitavam esse lugar, e de tal, lemos em Atos 2: 9Atos 2: 9 que vieram para
adorar na festa de Pentecostes, alguns dos quais foram convertidos para a fé cristã , e sendo
mencionado primeiro, ocasionou esta epístola a ser chamada, tanto por Tertuliano F1e
CiprianoF2"a epístola aos pontianos". Talvez esses judeus tenham se convertido no dia de
Pentecostes, quando voltaram para cá, estabeleceram o primeiro fundamento de um estado de
igreja evangélica neste país: é uma tradição dos antigos, mencionada por Eusébio. F3que o
próprio Pedro pregou aqui, e assim, muito provavelmente, formou os cristãos que ele
encontrou, e aqueles que foram convertidos por ele, nas igrejas do Evangelho; e aparece por
uma carta de Dionísio, bispo de CorintoF4que havia igrejas em Poutus no "segundo" século,
particularmente em Amastris, cujo bispo era uma Palma, a quem ele recomenda, e Focas é dito
ser bispo de Syncope, na mesma idade; e no "terceiro" século, Gregório e Atenodoro,
discípulos de Orígenes, eram bispos neste paísF5; o primeiro era um homem muito famoso,
chamado Gregory Thaumaturgus, o trabalhador maravilhoso, e bispo de Neocesaréia: no
"quarto" século havia uma igreja no mesmo lugar, da qual Longino era bispo, como aparece no
Concílio de Nicéia, em que ele e outros bispos em Pontus estavam presentes; e nesta época,
nos tempos de Diocles, muitos neste país sofreram os mais chocantes sofrimentos, relatados
por EusébioF6; e no mesmo século diz-se que Helládio governa as igrejas de Pontus; e no
"quinto" século nós lemos sobre igrejas em Pontus, reformadas por Crisóstomo; Nesta época,
Theodorus era bispo de Heraclea, e Themistius de Amastris, ambos nesta província, e ambos
os bispos estavam no conselho de Calcedônia; e no "sexto" século havia igrejas em Pontus,
cujos bispos estavam no quinto sínodo realizado em Roma e Constantinopla; e assim houve
nos séculos "sétimo" e "oitavo"F7.

Galatia , a seguir mencionada, é aquela parte da Ásia menor, chamada Gallo Graecia, na qual
várias igrejas, para as quais o apóstolo Paulo escreveu sua epístola, chamaram a epístola aos
Gálatas; Veja Gill em Atos 16: 6 Atos 16: 6 , Gálatas 1: 2Gálatas 1: 2 .

Capadócia , segundo a PtolomiaF8foi delimitada a oeste pela Galácia, a sul pela Cilícia, a leste
pela Arménia a grande, a norte por parte do Ponto Euxino; tinha muitas cidades famosas, como
SolinusF9diz; como Archelais, Neocaesarea, Melita e Mazaca. Os judeus muitas vezes
falamF11de ir da Capadócia para Lud, ou Lydda; de modo que, segundo eles, parece estar perto
daquele lugar, ou, pelo menos, que havia um lugar perto de Lydda assim chamado; disso, veja
Gill em Atos 2: 9Atos 2: 9 . Deste país também havia judeus em Jerusalém no dia de
Pentecostes, alguns dos quais foram convertidos; e também aqui diz-se que o apóstolo Pedro
prega, como antes observou Pontus, e que provavelmente fundou uma igreja ou igrejas aqui no
"primeiro" século; e no "segundo" século, de acordo com TertulianoF12havia crentes em Cristo
morando neste país; e no "terceiro" século, EusébioF13faz menção de Neon, bispo de Larandis,
e Celso, bispo de Icônio, ambos na Capadócia; houve também Phedimus de Amasea, no
mesmo país, nesta época, e em Cesaréia, na Capadócia, vários mártires sofreram com
Décio; e neste século, Stephen, bispo de Roma, ameaçou excomungar alguns bispos na
Capadócia, porque eles haviam rebatizado alguns que haviam sido hereges: no "quarto" século
havia igrejas na Capadócia, de uma das quais, a saber, em Sasimi. , o famoso Gregory
Nazianzen foi primeiro bispo, e depois de Nazianzum, como também foi o famoso Basílio de
Cesaréia, no mesmo país; a perseguição sob Dioclesian alcançou, e muitos tiveram suas coxas
quebradas, como Eusebius relataF14; Dali foram enviados vários bispos, que ajudaram no
Concílio de Nice, sob Constantino, e em outro realizado em Jerusalém: no "quinto" século havia
igrejas na Capadócia, em vários lugares, cujos nomes de bispos estão registrados; como
Firmus, Thalassius, Theodosins, Daniel, Aristomachus, Patricius e outros: no século "sexto"
havia muitas igrejas famosas neste país, cujos bispos estavam no quinto sínodo realizado em
Roma e Constantinopla; e no sétimo século havia vários deles no sexto sínodo de
Constantinopla; e no século "oitavo" é feita menção de bispos de várias igrejas na Capadócia,
no segundo sínodo de Nicéia; e mesmo no "nono" século havia cristãos nessas partes F15,

A Ásia aqui não pretende nem a Ásia menor nem a maior, mas a Ásia, propriamente dita; e
que, de acordo com SolinusF16A Lícia e a Frígia limitavam-se a leste, as margens do Mar Egeu
a oeste, o mar do Egito ao sul e Paphlagonia ao norte; a cidade principal era Efeso, e assim se
distingue da Frígia, Galácia, Mísia e Bitínia, em Atos 16: 6 Atos 16: 6 como aqui de Ponto,
Galácia, Capadócia e Bitínia, e de Ponto e Capadócia, em Atos 2: 9Atos 2: 9 embora todos
estivessem na menor Ásia. Aqui também foram judeus convertidos no dia de Pentecostes; e
aqui também se diz que Pedro é quem prega; e por ele, e pelo apóstolo João, que também
viveu e morreu neste país, igrejas foram plantadas; e as igrejas existiam aqui, mesmo no
século "sétimo", distintas da outra Ásia, maior ou menor; pois fora dele bispos foram enviados e
estiveram presentes no sexto conselho em Constantinopla, cujos nomes são registrados; sim,
no século "oitavo" havia igrejas e bispos, um dos quais persuadiu Leo a remover imagens de
locais de culto; e outro estava no sínodo de NicéiaF17. O último lugar mencionado é

Bithynia , dos quais Veja Gill em Atos 16: 7 Atos 16: 7 . E embora o apóstolo Paulo e suas
misericórdias não tenham sido aceitos em certo tempo para entrar na Bitínia e pregar o
Evangelho ali, ainda assim é certo que depois foi levado para lá; e como Pedro é dito para
pregar em Ponto, Ásia e Capadocia, da mesma forma na Bitínia; aqui, de acordo com o
martirológio romano, Lucas, o evangelista, morreu; e, segundo a tradição, Procoreu, um dos
sete diáconos em Atos 6: 5 Atos 6: 5 era bispo de Nicomédia, neste país; e Tíquico, de quem o
apóstolo Paulo faz freqüente menção, era bispo de Calcedônia, outra cidade; e quem ambos
dizem ser dos setenta discípulos; veja Gill em Lucas 10: 1Lucas 10: 1 , e é certo, do
testemunho de PlínioF18, um escritor pagão, em uma carta dele para o Imperador de Trajano,
escrito sobre o ano 104, que havia então um grande número de cristãos na Bitínia; não apenas
as cidades, mas as cidades e aldeias estavam cheias delas; e no "terceiro" século, a
perseguição sob Dioclesian se enfureceu, particularmente em Nicomedia, onde Anthimus, o
pastor da igreja naquele lugar, teve sua cabeça cortada como EusébioF19relata: no início do
"quarto" século, Nice, na Bitínia, tornou-se famoso pelo conselho realizado lá sob Constantino,
contra Ário; e neste século, bispos da Bitínia assistiram a um sínodo realizado em Tiro, na
Fenícia; e no "quinto" século foi realizado um sínodo em Calcedônia, uma cidade neste país,
contra a heresia Nestorinn; e os nomes de vários bispos de Calcedônia, Nicomédia e Nice, que
viveram nessa época, estão registrados; e no "sexto" século havia bispos desses vários
lugares, e outros, que estavam presentes no quinto sínodo em Constantinopla; como havia
também no século "sétimo", no sexto sínodo realizado no mesmo lugar, cujos nomes são
particularmente mencionados; e no "oitavo" século, os bispos daqui estavam no sínodo de
Nicéia;F20. Nesses lugares, no entanto, parece que muitos judeus, que foram convertidos a
Cristo, a quem o apóstolo inscreve esta epístola, e a quem ele descreve no verso seguinte,

Verso 2

Eleitos segundo a presciência de Deus Pai , ... Não para qualquer ofício, como o de bispos
ou presbíteros; pois, embora o apóstolo escreva a alguns deles sob esse caráter, 1 Pedro 5:
1 1 Pedro 5: 1ainda não todos; nem eram assim chamados, como nação, porque eram pessoas
espalhadas em vários países; nem como igreja, porque não são escritas como tais; nem esse
personagem apenas projeta seu chamado eficaz; embora, como isso é um fruto e evidência de
eleição, às vezes é tão estilizado, e os santos chamados pela graça são considerados
escolhidos; João 15:19 João 15:19 mas pretende a eterna eleição dessas pessoas tanto para a
graça como para a glória; que o apóstolo sabia, não por revelação divina, ou qualquer
descoberta particular feita a ele; mas ele concluiu isto em um julgamento de caridade, eles
estando todos sob uma profissão de fé em Cristo, e ele tendo razão para crer que a maior parte
deles eram verdadeiramente participantes daquela fé que os demonstrou serem os eleitos de
Deus: o A causa, fonte e fonte de sua eleição foi "a presciência de Deus Pai": a quem a eleição
é comumente atribuída, de acordo com a ordem das Pessoas divinas na Trindade, e suas
partes distintas na economia da salvação, embora não para a exclusão do Filho e do Espírito: e
por esta sua "presciência" não é seu conhecimento eterno, universal e infalível, e que é
infinito, e alcança todas as coisas e pessoas, presentes, futuras ou possíveis, pois isso tem
para os seus objetos pessoas a quem Deus nunca predestinou e escolheu: apesar de certo é
que ele conhece e conhece previamente tudo o que predestina e escolhe; nem pretende o
mero decreto de eleição, ou o eterno propósito e resolução de Deus de escolher, mas a fonte e
fonte desse ato dele: e muito menos significa uma simples presciência dos homens, e escolha
deles, em uma previsão de fé, santidade, boas obras e perseverança nisso; porque estes são
todos, quando genuínos, os frutos e efeitos da eleição, que são incluídos nela e assegurados e
trazidos por ela; mas a soberana graça, boa vontade e prazer de Deus, ou o eterno amor de
Deus Pai, que é a causa e deu à luz o ato de eleição, é pretendido pela presciência, juntou-se
com carinho, prazer e aprovação; conhecimento e presciência, como atribuídos ao Ser divino,
freqüentemente significam tais coisas; VejoSalmo 1: 6 Salmo 1: 6 Romanos 11: 1Romanos 11:
1 e tal conhecimento Deus o Pai tinha das pessoas dos eleitos desde toda a eternidade; e qual
é a base e base de sua escolha para graça e glória, e não qualquer coisa neles, ou feito por
eles, ou qualquer coisa fora de si mesmo; nenhuma outra razão pode ser dada a ele do que a
sua própria graça, seu amor puro e soberana boa vontade e prazer: os meios seguem, através
dos quais eles foram escolhidos,

através da santificação do Espírito ; como em 2 Tessalonicenses 2:13 2 Tessalonicenses


2:13 . Veja Gill em 2 Tessalonicenses 2:132 Tessalonicenses 2:13 . Os fins para os quais os
santos são escolhidos são,

para obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo ; por "obediência" entende-se a


obediência dos homens eleitos a Cristo, que está em obedecer à verdade do Evangelho,
chamada obediência da fé; e assim é o mesmo com a “crença da verdade”, que acompanha a
eleição com a santificação do Espírito, em 2 Tessalonicenses 2:13 2 Tessalonicenses 2:13 e
em submissão às ordenanças do evangelho, e fazendo todas as boas obras em nome, fé, e
força de Cristo; e que também são frutos e efeitos, e portanto não causas da predestinação
divina; veja Efésios 2:10 Efésios 2:10 e também siga a santificação do Espírito; ou então a
obediência de Cristo é pretendida; e assim a versão em árabe a traduz "para a obediência de
Jesus Cristo"; que estava em sua execução os preceitos da lei, e tendo a pena dela, a morte; e
pelo qual a semente escolhida é justificada, ou feita justa aos olhos de Deus, e tem um título
para a vida eterna e glória, e está a salvo da ira vindoura; e para o gozo desta graça, eles são
escolhidos de Deus Pai; e entre estes dois, predestinação e justificação, existe uma conexão
íntima e inseparável; de modo que aqueles que estão interessados em um estão no
outro; veja Romanos 8:30 Romanos 8:30a aspersão do sangue de Jesus Cristo; não denota
uma pequena quantidade dele, pois foi derramado e derramado em grande abundância; mas é
dito em alusão à aspersão do sangue do cordeiro pascoal. Êxodo 12:22 Êxodo 12:22 ou para
aspersão do sangue no livro da aliança, e sobre as pessoas no monte Sinai, Êxodo 24: 8Êxodo
24: 8ou para outras aspersões de sangue em seus sacrifícios legais: a aplicação do sangue de
Cristo ao coração, pelo Espírito de Deus, para purificação, perdão e justificação, é
significado; que proporciona paz e alegria verdadeiras e sólidas agora, e dá direito à felicidade
e glória eternas; todos os que são garantidos pela graça elegível. A saudação dessas pessoas
segue:

graça a ti e paz se multiplique ; que é muito o mesmo que é usado pelo apóstolo Paulo em
todas as suas epístolas; veja Gill em Romanos 1: 7Romanos 1: 7 , somente Pedro acrescenta
a palavra "multiplicado"; o que o torna mais expresso, e o sentido mais claro: ele quer dizer
uma visão ampliada do interesse no amor de Deus, um aumento da graça da plenitude dele em
Cristo, e da luz do Evangelho, e dos vários dons do mundo. Espírito; e também de toda a
prosperidade exterior e interior, de uma paz de consciência através do sangue de Cristo, que
ultrapassa todo o entendimento, e uma esperança mais estabelecida e fundamentada de
desfrutar da paz eterna no futuro. A frase é judaica, e é usada em suas saudações nesta
forma, ‫שלמכון יסגי‬, "que a tua paz seja multiplicada"F20,
Verso 3

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.... A epístola começa aqui com
ação de graças a Deus, ou uma atribuição de bênção, louvor e glória a ele; pois isso não
significa invocar ou conferir uma bênção a ele; nenhum dos quais pode ser, pois não há um
maior do que ele para ser invocado, nem nada pode ser adicionado à sua bem-aventurança:
mas Deus pode ser abençoado por suas criaturas quando falam bem dele, e suas
maravilhosas obras da criação, providência e graça; quando eles atribuem todas as suas
misericórdias, espirituais e temporais, a ele; dê-lhe a glória deles e expresse seus
agradecimentos por eles de coração, lábios e vida; e tal bênção de Deus para um favor
especial e espiritual, a graça da regeneração, é pretendida aqui: por "Deus" entende-se, não
essencialmente Deus, mas pessoalmente considerado, mesmo Deus o Pai, como é claramente
expresso: as palavras são traduzidas nas versões árabe e etíope sem o copulativo "e", assim
"bendito seja Deus Pai"; e se isso for retido, eles podem ser interpretados assim: "Bendito seja
Deus, o Pai"; como em2 Coríntios 1: 3 2 Coríntios 1: 3 e, assim, este último é exegético do
primeiro; embora ambos sejam verdadeiros em Cristo, em diferentes sentidos; Deus é o Deus
de Cristo, como Cristo é homem; e ele é o Pai de Cristo, como Cristo é Deus; pois, como
homem, ele não tinha pai, nem é filho por ofício, mas por natureza; veja Gill em Efésios 1:
3Efésios 1: 3 .

que, segundo a sua abundante misericórdia, nos gerou de novo: regeneração é a bênção
que os agradecimentos são dados; e se devemos ser gratos a Deus e abençoar seu nome,
porque ele nos criou criaturas e nos deu um ser natural; muito mais devemos louvá-lo por nos
fazer novas criaturas e nos dar um ser espiritual. Ser "gerado de novo", e assim nascer de
novo, se opõe e distingue-se do nosso primeiro nascimento, quando fomos concebidos e
moldados no pecado; e projeta um nascimento espiritual, santo e celestial; é significado por um
ser vivificado ou vivificado; assim como em um sentido espiritual, ver, ouvir e respirar pelas
coisas divinas, e viver uma vida de fé e santidade; por Cristo sendo formado no
coração; participando da natureza divina, e sendo feitos novos homens, ou novas criaturas:
Deus, e não o homem, é a causa eficiente disso, que às vezes é atribuído ao Espírito, e às
vezes ao Filho, e aqui ao Pai; e não são as obras dos homens, mas a sua própria boa vontade
e prazer, o seu grande amor e livre favor, a sua rica graça e abundante misericórdia, são a
causa impulsiva ou motriz dela; e abundância de graça e misericórdia, de fato, é exibida na
regeneração e conversão dos pecadores: o que eles são regenerados é,

para uma esperança viva; significa quer a graça da esperança, que é implantada na
regeneração, e não antes; pois então, e somente então, é uma boa esperança através da
graça dada; e pode-se dizer que é "vivo", ou "vivo", na medida em que é fixado, não em obras
mortas, mas em um Cristo vivo, em sua pessoa, sangue e justiça; e não é a esperança de um
pecador morto, de um hipócrita sem vida, e de um professor formal, que tem um nome para
viver e está morto, mas de um crente vivo, alguém verdadeiramente vivo pelo espírito da vida,
de Cristo; e é o que às vezes é, pelo menos, um exercício vigoroso, e torna o coração de um
crente alegre, estimulante e animado; e é o que é duradouro e duradouro, e nunca se perderá,
mas será retido até o fim; do contrário, a intenção desejada é a esperança depositada no
céu; a bendita esperança que os regenerados nascem e buscam a vida eterna e a felicidade; e
a versão siríaca traduz: "para esperança de vida": isto é, ou vida eterna; e assim lê uma das
cópias de Stephens. Os santos são ambos gerados novamente para a graça da esperança, e
para a glória que esta graça está esperando: o meio é,

pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos; o que pode estar relacionado tanto ao
ato de gerar novamente; porque a ressurreição de Cristo é a causa virtual da regeneração, ou
a regeneração é em virtude da ressurreição de Cristo; se ele não tivesse ressuscitado dos
mortos, ninguém teria sido estimulado ou levado a viver, ou teria sido elevado à novidade da
vida: sua ressurreição é o exemplo da regeneração; há uma semelhança entre eles; como sua
ressurreição era uma declaração de sua filiação, a regeneração é uma manifestação de
adoção; e como a ressurreição de Cristo foi seu primeiro passo para a glória, assim é a
regeneração para a vida eterna; e ambos são forjados pelo mesmo poder onipotente: ou a
cláusula pode ser conectada com o precedente, "para uma viva esperança"; para a
ressurreição de Cristo é o que é o meio de, e estabelece uma base sólida de esperança, tanto
dos santos

Verso 4

Para uma herança incorruptível , ... Esta é uma explicação adicional da "viva esperança", ou
esperança depositada no céu, para a qual os regenerados são gerados: é uma "herança"; uma
grande propriedade e posses ricas, nascem herdeiros aparentes; o que não deve ser obtido
pela indústria ou obtido pelas obras da lei; porque os que são da lei não são herdeiros; mas o
que é o puro legado e dom gratuito de Deus, como um Pai para seus filhos; porque uma
herança é própria e peculiar às crianças, e não pertence a nenhuma delas, a não ser elas; e
vem a eles através da morte do testador, Cristo, e disto o Espírito Santo é o penhor e penhor: e
aqui diz-se ser

incorruptível ; está livre de corrupção em si mesmo; nem pode ser corrompida por outros, pela
traça, ferrugem ou outras coisas, como ouro, prata e vestes, que são parte das heranças
terrenas; nem pode ser desfrutada por pessoas corruptas, corrompidas pelo pecado ou
revestidas de fragilidade e mortalidade; portanto, para herdá-la, a corrupção deve revestir-se
da incorrupção em todos os sentidos; outros epítetos e elogios disto seguem:

e imaculado ; é em sua própria natureza pura e santa e livre de qualquer contaminação do


pecado; tampouco há nenhuma daquelas impurezas com que judeus e maometanos sonham
em seu paraíso terrestre em vão; nem será possuído por pessoas que não sejam
contaminadas, como as que são feitas através do sangue e da justiça de Cristo:

e isso não desaparece ; como o mundo, e a glória dele, e todas as heranças e posses
nele; aqui não há cidade contínua, mas há uma que está por vir; nesta herança estão riquezas
duráveis, habitações eternas, uma casa eterna nos céus, glórias nela que nunca murcharão e
morrerão, e prazeres que nunca terminarão, e que serão desfrutados sem diminuição ou
aversão:

reservado no céu para você; a cópia alexandrina diz: "para nós"; e a versão etíope traduz
"para nós e para você"; para todos os santos; porque todos os que são os eleitos são segundo
a presciência de Deus e são gerados de novo para uma viva esperança; para estes, esta
herança é preparada, guardada e assegurada nas mãos ou em Cristo, seu feoffee, que a tem
em confiança para eles e com quem eles são co-herdeiros; e é seguro para eles "no céu"; fora
do alcance de homens e demônios: isso serve tanto para recomendar a herança, para
apresentar a excelência dela, jazendo em um lugar como o céu; pois a situação de uma
herança acrescenta muitas vezes à valorização dela; e também a segurança e segurança do
mesmo; é seguro estar no céu e mais ainda nas mãos de Cristo.F21.

"isso se chama ‫נחלה‬," uma herança "; e acrescentar, mas neste mundo o homem não tem
herança nem continuidade;

então eles interpretam essa frase, "pelo Deus de teu pai", em Gênesis 49:25Gênesis
49:25, assimF23.

"este é ‫אחסנא‬, 'a herança' do lugar superior, que é chamado de 'céu';

e às vezes eles o estilo ‫אחסנתא עלאה‬, "a herança superior", ou "a herança acima"F24; tudo o
que concorda com a linguagem de Pedro,

Verso 5
Quem é mantido pelo poder de Deus.... Esta é uma descrição das pessoas para quem a
herança está reservada no céu; eles não somente são escolhidos para a salvação, como
também gerados de novo para uma herança, mas estão preservados para ela; a felicidade
deles é muito grande; sua herança está segura no céu para eles, e eles são mantidos abaixo,
em meio a mil armadilhas e dificuldades, até que eles cheguem com segurança à posse
daquilo: eles são mantidos, não em e por si mesmos, o caminho do homem não é em si
mesmo ; nem nas mãos de anjos, pois nenhuma confiança assim coloca Deus neles; mas nas
mãos de Jesus Cristo, onde eles estão seguros, e dos quais ninguém pode arrancá-los; sobre
ele, como uma fundação, e nele, como uma fortaleza; eles são mantidos no amor de Deus e
em seu coração, de onde nunca podem ser separados, e no pacto da graça, do qual nunca
serão colocados; e em um estado de justificação, e nunca entrará em condenação; e na família
de Deus, porque, sendo filhos, não são mais servos; e em estado de graça e santidade, no
temor de Deus e fé em Cristo, e amor a ambos; e no caminho da verdade, de onde eles nunca
poderão, final e totalmente, cair; pois, embora não sejam afastados do ser do pecado e do seu
funcionamento, escorregam e caem nele, ainda assim sendo destruídos por ele; e embora não
de Satanás, e suas tentações, ainda de serem superadas por eles; e embora não inteiramente
da incredulidade, dúvidas e medos, mas da incredulidade final; porque Cristo ora por eles, para
que sua fé não falhe; e de uma queda final e total da graça para o pecado: e eles são mantidos
assim, não pelo seu próprio poder e poder, ou de qualquer mera criatura, mas "pelo poder de
Deus" ; ou seja, não o Evangelho, nem o Espírito de Deus, mas a perfeição de seu poder; por
que eles são mantidos, como com um guarda, ou em uma guarnição, como a palavra aqui
usada significa; não apenas os anjos acampam sobre eles, e a salvação é para muros e
baluartes, ao redor deles; mas o próprio Deus, na perfeição de seu poder, é uma muralha de
fogo para eles; ele está ao redor deles desde agora e para sempre; seu lugar de defesa é a
munição de pedras; seu nome é uma torre forte, onde eles correm e são seguros: é
adicionado, ele está ao redor deles desde agora e para sempre; seu lugar de defesa é a
munição de pedras; seu nome é uma torre forte, onde eles correm e são seguros: é
adicionado, ele está ao redor deles desde agora e para sempre; seu lugar de defesa é a
munição de pedras; seu nome é uma torre forte, onde eles correm e são seguros: é adicionado,

através da fé; algumas versões o lêem "e pela fé", como o siríaco e o etíope; por aquela fé que
é da operação de Deus, da qual Cristo é o autor e consumador, e nunca falhará, sendo
apoiado pelo mesmo poder que os santos são mantidos; através da fé no poder e fidelidade de
Deus; através da fé olhando para Cristo, apoiando-se nele e vivendo sobre ele; pela fé obtendo
a vitória sobre o mundo, e todos os outros inimigos, e sendo mais do que vencedores, através
de Cristo. Aquilo para o qual os santos são mantidos é "para salvação"; a salvação já é obtida
para eles, pela obediência e sofrimento de Cristo, e é aplicada a eles na conversão, pelo
Espírito de Cristo; mas o pleno gozo disso, que aqui é pretendido, está reservado para eles no
céu; e para isso eles são mantidos, sendo herdeiros dele,

está pronto para ser revelado na última vez ; está "pronto", sendo um reino preparado desde
a fundação do mundo, e uma salvação obtida pelo sangue de Cristo, e uma mansão de glória
tornada adequada para eles, através da presença e intercessão de seu Redentor: e está pronto
"ser revelado"; em pouco tempo será manifesto; no momento, está muito fora de vista; o olho
não viu, nem o ouvido ouviu toda a glória dele; os próprios santos ainda não sabem o que
serão e terão; mas "na última vez", quando Cristo vier pela segunda vez para julgar o mundo,
ressuscitará os cadáveres de seus santos; e então esta salvação será totalmente manifestada
a eles; e eles gozarão em alma e corpo por toda a eternidade.

Verso 6

Onde muito vos alegram.... A versão em latim da Vulgata diz: "no qual vocês se regozijarão":
e assim a versão siríaca, acrescentando "para sempre"; e encaminhe estas palavras para a
"última vez"; ou, tempos falados no verso precedente; quando os santos se regozijarem
grandemente, estando em plena posse da salvação eterna; em distinção do tempo presente,
em que eles estão com peso; mas é melhor ler as palavras no tempo presente, e como
expressão dos santos nesta vida, que são abençoados com aquele fruto do Espírito, alegria e
sempre têm motivo para se alegrar e se alegrar muito. A conexão é com o todo que vai antes; e
o sentido é que as pessoas regeneradas regozijam-se, porque são eleitas de Deus, de acordo
com seu eterno amor para com elas, e livre graça e boa vontade; em sua regeneração, que é
uma evidência de sua eleição de Deus; na abundante misericórdia de Deus exibida em sua
regeneração; e nessa viva esperança da vida eterna que é o efeito dela; e na ressurreição de
Cristo dentre os mortos, que assegura a justificação da vida e a ressurreição dos mortos; e na
herdade eles nascem herdeiros; e na preservação deles pelo poder de Deus através da fé; e
nessa salvação completa que está pronta para eles, e em pouco tempo será revelada, para a
qual eles são mantidos: e na herdade eles nascem herdeiros; e na preservação deles pelo
poder de Deus através da fé; e nessa salvação completa que está pronta para eles, e em
pouco tempo será revelada, para a qual eles são mantidos: e na herdade eles nascem
herdeiros; e na preservação deles pelo poder de Deus através da fé; e nessa salvação
completa que está pronta para eles, e em pouco tempo será revelada, para a qual eles são
mantidos:

embora agora, por algum tempo, se necessário, vocês estão com peso, através de
múltiplas tentações . Isso parece ser um contraste, mas não é uma contradição real; pois o
caráter dos santos neste mundo é que eles estão tão tristes, mas sempre se regozijando, 2
Coríntios 6:10 2 Coríntios 6:10.regozijando-se mesmo em suas tribulações e tentações; sim,
para eles e por causa deles, em alguns aspectos, que em outros os tornam tristes, pesados, ou
"pesados" de tristeza: a causa deste peso não é apenas a corrupção interior, os esconderijos
da face de Deus, e as tentações de Satanás, mas aflições e perseguições, que são aqui
entendidas por "múltiplas tentações"; porque não são as tentações ou o pecado, são aqui
intencionadas, mas as tentações com que Deus tenta e provoca o seu povo: assim ele às
vezes faz, chamando-os para o serviço árduo, para fazer coisas difíceis e desagradáveis a
carne e sangue, ele tentou Abraão; e colocando aflições, ou sofrendo aflições para vir sobre
eles, pelo qual ele tentou Jó; e permitindo que os ímpios os censurassem e perseguissem, e
feri-los em seus personagens, pessoas e propriedades; e que foi o caso dos cristãos primitivos,
e tem sido mais ou menos o caso dos santos desde então: agora esses exercícios são
chamados, pela sua qualidade, tentações ou provações; porque eles tentam os corações,
princípios e graças daqueles que crêem, e particularmente sua fé mencionada a seguir; e da
quantidade deles, dizem que são vários; eles são de diferentes tipos; como censura,
aprisionamento, perda de bens e a própria morte em diversas formas; e são mais ou menos em
diferentes épocas e idades; e são exercidos em várias pessoas: e às vezes são muito pesadas
e difíceis de suportar, e causam grande tristeza e tristeza de coração; e ainda existem coisas, e
circunstâncias, e que aqui são insinuadas, que mitigam grandemente o peso ocasionado por
eles; assim como estas aflições e o peso que vem por elas são pouco e leves em comparação
com o peso eterno da glória; embora sejam grandes tribulações em si mesmas, por meio e de
onde o povo de Deus vem para o reino; e assim a versão siríaca processa, "embora neste
momento"Lamentações 3:33‫"קליל‬fostes um pouco tristes"; e então é apenas "agora", pelo
tempo presente, mas por um curto período de tempo; por um pouco de tempo, mesmo por um
momento, comparativamente falando; e também, "se necessário", que a versão siríaca omite,
embora por todos os meios seja mantida: dispensações aflitivas, de qualquer forma, são
necessárias, pela vontade de Deus, que as designou e, portanto, deve ser, e deve ser,
silenciosamente submetido a, e pacientemente suportado, nessa consideração; e também são
necessárias, por conta de Cristo, a cabeça, a quem deve haver conformidade de seus
membros; e também por conta própria; para a humilhação de suas almas; para o desmame
deles das coisas deste mundo; para restringir, subjugar e manter sob as corrupções de sua
natureza; e para o julgamento da graça: e é apenas "se", e quando há uma necessidade para
eles, que eles são pesados por eles; caso contrário, Deus não se deleita em afligir e entristecer
os filhos dos homens, e muito menos os seus; VejoLamentações 3:33 então os judeus
dizemF25, que ‫הוצרך‬, "havia uma necessidade" de Deus tentador Abraão como ele fez, para
humilhá-lo e purificá-lo,

Verso 7

Que o julgamento de sua fé , .... Este é o fim principal que Deus tem em providências aflitivas,
para tentar a fé do seu povo; Assim, a fé de Abraão, Jó, Habacuque e outros foram tentados:
sendo muito mais precioso do que o ouro que perecea graça da fé é muito mais preciosa
que o ouro; desde que perece usando, mas fé não; e desde que é tão valioso como para não
ser obtido por isto; e uma vez que os que a possuem, embora pobres neste mundo, são ricos e
herdeiros de um reino; mas a prova disso é mais preciosa do que o ouro; pois não apenas o
ouro sendo provado no fogo é expurgado de suas impurezas, como se provou ser genuíno e
resplandece o mais brilhante, então a fé, sendo experimentada no fogo das aflições, é purgada
da incredulidade; e o crente é purgado de suas impurezas e estanho, e sua iniquidade é
purgada, e o fruto de todos é para tirar o pecado; e ele é provado e provado ser um verdadeiro
crente, e sua fé brilha mais ilustre, como nos exemplos acima; sim, a própria provação disso
tem influência sobre outras graças, para grande utilidade;

ainda que seja provado com fogo : ou seja, embora o ouro seja provado com fogo, e assim é
grandemente refinado, ainda assim é mais precioso do que isso; ou, ainda que a fé seja
provada com o fogo das aflições, ela é preciosa e mais preciosa que o ouro; e é provada para
esse fim,

para que seja achado em louvor e honra e glória no aparecimento de Jesus Cristo; que
está agora no mais alto dos céus e fora da vista, mas aparecerá uma segunda vez sem pecado
para a salvação, e todo olho o verá; e quando o crente for encontrado nele, e sua fé for achada
para louvor por ele, ele terá louvor a si mesmo; ser-lhe-á dito: "Muito bem, servo bom e
fiel"; sua fé será louvada por sua constância e constância, apesar de todas as perseguições e
tribulações; e suas boas obras, os frutos da fé, serão notados por ele com louvor; ele será
honrado, sendo colocado à destra de Cristo, e sendo colocado com ele no seu trono, e tendo
uma coroa de justiça dada a ele; e ele será glorificado tanto na alma como no corpo; seu corpo
será feito semelhante ao corpo glorioso de Cristo, e sua alma terá uma glória revelada nele;

Verso 8

Quem não viu, você ama.... Isto é, Jesus Cristo, a quem eles nunca tinham visto com seus
olhos corpóreos, sendo judeus, que não habitavam na Judéia, quando Cristo estava na terra,
mas estavam espalhados em várias partes do mundo gentio; e, ainda assim, Cristo lhes sendo
revelado, através da pregação do Evangelho, eles o receberam e o abraçaram, e suas afeições
foram fortemente colocadas sobre ele: eles o amavam por causa de suas excelências e
perfeições, por causa da amabilidade de sua pessoa, e porque ele os amou primeiro; eles o
amavam por causa da plenitude da graça que havia nele, por causa do que ele havia feito por
eles, e era para eles, e por causa dos ofícios que ele sustentava por causa deles e das
relações que mantinha com eles; amou-o acima de todas as criaturas e coisas, e de todo ele, e
que pertencem a ele, seu povo, verdades, preceitos, caminhos e adoração; eles o amavam de
todo o coração e na sinceridade de suas almas, embora nunca tivessem visto seu rosto na
carne; enquanto a visão frequentemente gera e aumenta o amor: o amor deles não era carnal,
mas espiritual; foi um fruto do Espírito de Deus em suas almas; foi acompanhado com fé em
Cristo, e procedeu ao relatório que o Evangelho fez dele:

em quem, embora agora não o vedes, ainda crendo ; a versão em árabe acrescenta "nele":
isto é, em Cristo, que foi então recebido no céu, e deve ser mantido lá até o tempo da
restituição de todas as coisas; e, portanto, não agora para ser contemplado com a visão
corpórea: e, no entanto, esses regenerados e amantes de Cristo acreditavam nele; veja João
20:29João 20:29 não com uma fé teórica, histórica e temporária, acreditando não apenas no
que ele disse, ou fez, ou faz, ou fará; mas olhando para ele e para ele, para vida e
salvação; saindo de si para ele, abraçando-o, inclinando-se sobre ele como seu Salvador e
Redentor; aventurando suas almas sobre ele, comprometendo tudo a ele, esperando tudo dele,
tanto graça como glória: e assim

regozijar-se com a alegria indescritível e cheia de glória; com uma alegria em acreditar
nele, que é melhor experimentado do que expresso; uma alegria que não apenas os estranhos
não entendem, que não conhecem nada, que ultrapassa inteiramente seu entendimento, mas é
tal que os próprios santos não podem falar ou dar uma explicação completa e distinta; eles
querem que as palavras expressem e transmitam idéias apropriadas aos outros: e é uma
alegria que é gloriosa; há uma alegria que é má e escandalosa; mas isto é honroso e do qual
ninguém precisa se envergonhar; é sólido e substancial, e a questão permanece sempre,
quando a alegria do hipócrita é apenas por um momento; é uma alegria por causa da glória de
Deus, que o crente vive na esperança e fé; e é um começo, um presságio e uma promessa
disso; é uma glória começada aqui; são as primícias e também parte dela;

Versículo 9

Recebendo o fim de sua fé, até mesmo a salvação de suas almas. Que é um fundamento
justo e suficiente de alegria e regozijo. "Salvação" pretende salvação espiritual e eterna; aquele
para o qual Deus designou seu povo desde toda a eternidade, o qual é obtido por Cristo,
aplicado pelo Espírito, e será desfrutado plenamente no céu: esta é a salvação "das almas":
que são mais valiosas que um mundo; e a redenção da qual é preciosa, e requer um grande
preço, e pelo qual um grande preço é pago, como em 1 Pedro 1:181 Pedro 1:18. É justamente
fornecido em nossa versão por "seu", como nas versões siríaca, árabe e etíope; embora a
versão em latim da Vulgata apenas leia "a salvação das almas"; e que deve ser entendido, não
à exclusão de corpos, porque Deus planejou a salvação deles; e Cristo providenciou a
redenção deles; e estes serão preservados até a vinda de Cristo, estando unidos a ele; e será
ressuscitado por ele e com suas almas desfrutará de felicidade eterna com ele; embora, no
estado atual das coisas, a salvação tenha lugar na alma do que no corpo, que está exposto a
vários trabalhos, aflições e doenças; mas o desenho principal da frase é, para distinguir esta
salvação de uma corpórea e temporal: e assim os judeus usam a frase ‫"תשועת הנשפ‬a salvação
da alma"F26, em oposição e distinção de um mero corpo; e pretende uma salvação do pecado,
Satanás, a lei e suas maldições; do inferno, a segunda morte e a ira vindoura, e todo inimigo
espiritual: que é o fim da fé; ou, como a versão siríaca traduz, the ‫ורענא‬, "a recompensa da
fé"; não que a fé seja a causa da salvação ou meritória dela; pois isso em si é o dom de Deus,
e é antes uma parte da salvação e, no máximo, o meio de perceber um interesse nela e de
desfrutar do conforto dela; e é o que vai emitir, e no pleno gozo dele; quando a fé terá seu fim e
alcance, e terminará, sendo trocada por fruição; assim como uma recompensa é dada no final
do trabalho de um homem: por isso é chamado f2cf2 tyrxa f2cf2 axryt, "o fim",Provérbios
23:18Provérbios 23:18 e mesmo agora a salvação é o fim da fé, no sentido em que Cristo é o
fim da lei: assim como a lei tem seu pleno cumprimento, e todos os seus objetivos são
respondidos em Cristo, assim a fé tem seu fim e tudo o que procura, desejos e desejos, na
salvação por Cristo: e que agora está "recebendo"; pois os santos não somente receberão, e
gozarão da possessão completa no futuro, mas eles o terão agora; não é somente designada
para eles, e operada para eles, mas é trazida para perto, colocada diante deles, e aplicada a
eles, e colocada nas mãos da fé pelo Espírito de Deus; eles o têm em fé e esperança, pelo
qual já são salvos; e em Cristo o seu chefe e representante, em quem eles são colocados em
lugares celestiais; e, além disso, eles têm o começo, primícias, sincero e penhor dele em seus
próprios corações, bem como um direito para, e um encontro para a possessão perfeita daqui
em diante; tudo o que é motivo de alegria indescritível e cheio de glória,

Verso 10

Do qual a salvação os profetas inquiriram , ... Eles desejaram grandemente a vinda do


Salvador, e vê-lo; desejavam que a salvação fosse realizada por ele e expressaram seus
desejos por ele e aquilo; e inquiriu sobre a natureza dela, e deu conta disso, de acordo com a
medida de luz e conhecimento que lhes foi comunicado; eles apontaram Cristo como um
Redentor de seu povo e sua salvação como espiritual e eterna:

e procurou diligentemente ; no uso de meios; pela oração e súplica; lendo as profecias que
foram antes; observando os tipos, sombras e sacrifícios da lei; e esperando no Senhor pela
inspiração do seu Espírito. Esta última cláusula é omitida na versão siríaca, mas corretamente
retida em todos os outros:
que profetizou a graça; que deveria vir até você; Judeus e também os gentios. Eles
profetizaram ambos de Cristo, que é o dom indescritível da livre graça de Deus, que é cheio de
graça e por quem vem; e também das várias bênçãos da graça através de Cristo, como da
graça redentora do pecado, de Satanás, da morte e da sepultura; da graça justificadora, pela
sua justiça, sendo ele o Senhor a nossa justiça, em quem toda a semente de Israel será
justificada e glória; porque, embora a sua justiça seja revelada sem a lei, ela é testemunhada
pela lei e pelos profetas; da graça perdoadora, como com Deus, e como uma bênção da nova
aliança, e como recebida pela fé em Cristo, à qual todos os profetas dão testemunho; de adotar
a graça, tanto a judeus como a gentios, significando que, onde não fossem chamados de povo
de Deus, deveriam ser chamados filhos de Deus; de regenerar e santificar a graça, em dar um
novo coração e Espírito, em aspersão com água limpa, em escrever as leis de Deus nas partes
interiores, e derramar o Espírito de maneira abundante em todos os tipos de homens; da
perseverante graça, insinuando que os que temem ao Senhor não se apartarão dele, e que a
sua benignidade nunca se apartará deles; e da vida eterna e glória, como dom gratuito de
Deus, que é a salvação eterna, eles dizem: Israel será salvo no Senhor com.

Verso 11

Pesquisando o que, ou que tipo de tempo , ... Os profetas fizeram uma investigação muito
diligente sobre o tempo exato em que Cristo deveria vir para operar a salvação de seu povo; a
quem foi dado a conhecer que sua vinda deveria estar diante do cetro, ou tribo de Judá, e todo
o governo civil, cessou; e antes que o segundo templo fosse destruído, no qual o Messias, o
mensageiro da aliança, deveria vir, como o Senhor e proprietário dele; e que deveria ser
setenta semanas, ou 490 anos, a partir de uma data dada em Daniel 9:24 Daniel
9:24, conforme revelado ao profeta Daniel; que particularmente perguntou, e diligentemente
pesquisou sobre este assunto, e era eminentemente um homem de desejos deste modo, como
ele é denominado, Daniel 9:23Daniel 9:23 e eles não apenas pesquisaram o tempo exato, mas
também a maneira e a qualidade do tempo em que o Salvador deveria vir; e predisse que seria,
com respeito às nações do mundo, um tempo de profunda paz; com respeito aos judeus, que
seria um tempo de grande cegueira, ignorância, incredulidade e dureza de coração; que tal
seria aquela geração, ou idade, para maldade e barbaridade, como não poderia ser declarado
e expresso; e que poucos acreditariam no relatório do Evangelho; e que o Messias seria
rejeitado pelos homens e seria ferido, ferido e morto; e com respeito aos gentios, que o
Evangelho seria pregado a eles, e que eles deveriam procurar a Cristo, ser reunidos a ele, e
esperar e confiar nele; e que os seguidores do Messias devem ser perseguidos e grandemente
angustiados, e ainda consolado e sustentado; e esta deve ser a face dos tempos, e o estado
das coisas, quando a salvação deve ser revelada: e tudo isso, e muito mais,

o Espírito de Cristo neles significava ; ou "tornar manifesto": de onde parece, que Cristo
existiu, como ele fez antes, havia quaisquer profetas, e até mesmo de eterna, sendo o Deus
eterno; e que o Espírito é dele, assim como do Pai; e como aqui, então ele é muitas vezes
pelos judeusF1chamado ‫רוחא משיחא‬, "o Espírito do Messias", ou "Cristo"; e que o Espírito é
verdadeiramente Deus, visto que ele poderia declarar de antemão o tempo exato da vinda de
Cristo e a finalidade da era em que ele veio, bem como dar testemunho prévio de seus
sofrimentos e glória; como também, que ele estava nos profetas, e eles foram inspirados por
ele, e falou enquanto os movia e dirigia:

quando testificou de antemão os sofrimentos de Cristo e a glória que deve seguir . Os


"sofrimentos de Cristo" são o que os judeus chamam F2 ‫בלי משיח‬, "as tristezas do
Messias". Estes são particularmente testemunhados no Salmo 22: 1 Salmo 22: 1 . A glória, ou
"glórias", como pode ser traduzida, projeta sua ressurreição dentre os mortos, sua ascensão ao
céu, sua sessão à destra de Deus, e tendo todo poder, autoridade e julgamento confiado a
ele; e quais são eminentemente e distintamente profetizados no Salmo 16:10Salmo 16:10 .

Versículo 12
Para quem foi revelado , .... A salvação que eles procuraram e investigaram, e a graça
disto; a época de seu funcionamento, e que tipo de vezes seriam quando Cristo viesse, tanto
para a igreja como para o mundo, entre judeus e gentios; como também que sofrimentos cruéis
o Messias deve sofrer, e que grande glória deve ser colocada sobre ele depois:

que não para si mesmos, mas para nós eles ministraram . A Vulgata versões latina, árabe e
etíope, leia "até você"; e também algumas cópias. Não que eles fossem ignorantes das coisas
que eles procuraram, e foram revelados a eles, e eles profetizaram; como os judeus às vezes
dizemF3 deles,

"que eles profetizaram, e não sabiam o que eles profetizaram;

embora não se deva supor que eles tivessem idéias tão claras e distintas de coisas como os
santos têm agora sob a dispensação do Evangelho; mas sabiam muito da graça do Evangelho,
e tinham o conforto disso, e uma visão de interesse na grande salvação, e viram o dia de Cristo
de longe com prazer: nem que eles não ministrassem, e não fossem úteis aos santos da época
em que viviam; por suas profecias concernentes a Cristo e salvação por ele, foram
particularmente calculadas para sua renovação espiritual e conforto, e o apoio de sua fé e
esperança sob circunstâncias aflitivas; mas então eles não deveriam ter sua realização em
seus tempos; pois, embora às vezes falem deles, por causa da certeza deles, como se já
tivessem sido feitos, eles sabiam que não seriam trazidos até os últimos dias; e, portanto, o
que foi escrito por eles foi escrito principalmente para nosso aprendizado e instrução, e sobre
quem são chegados os fins do mundo; e embora ambos fossem proveitosos para si mesmos, e
outros que viviam com eles, ainda assim são mais para os santos sob as dispensações do
Evangelho, que são capazes de comparar profecias e fatos juntos: mesmo

as coisas que agora são relatadas para você ; como fatos realizados; tais como relacionar-
se com a pessoa e ofícios de Cristo, e a salvação operada por ele; a sua encarnação,
obediência, sofrimentos, morte, ressurreição, ascensão ao céu e sessão à direita de Deus; de
tudo o que há um relato verdadeiro e fiel feito no Evangelho:

por aqueles que pregaram o evangelho a você ; significando ele mesmo, e o resto dos
apóstolos, que tinham sido chamados, e qualificados, e enviados por Cristo para pregar as
boas novas, e publicar a paz, que eles tinham feito nas várias partes do mundo, tanto para
judeus como para gentios:

com o Espírito Santo enviado do céu ; por Cristo do Pai, particularmente no dia de
Pentecostes, quando os apóstolos tiveram uma extraordinária e abundante efusão do Espírito,
qualificando-os a pregar o Evangelho ao qual foram chamados e enviados: e assim, como a
grande salvação é recomendada, da preocupação que os profetas de antigamente tinham nele,
da pregação dos mesmos pelos apóstolos, que foram influenciados e guiados pelo mesmo
Espírito de Cristo como eram, e de uma maneira muito maior; e esta salvação é ainda mais
elogiada pelo grande respeito que os anjos abençoados têm por ela:

quais coisas os anjos desejam ver . A versão em latim da Vulgata diz: "em quem"; ou no
Espírito Santo, e nas coisas do Espírito, as quais ele testificou nos profetas e publicou pelos
apóstolos; ou melhor, em Cristo, sua pessoa, ofícios e graça, sendo a alusão aos querubins no
propiciatório, um tipo de Cristo, que se olhava um para o outro, e para o propiciatório, Êxodo
25:20 Êxodo 25:20 e era verdade deles nos dias da carne de Cristo, quando eles ascenderam
e desceram sobre o filho do homem, João 1:51 João 1:51 e quando ele ressuscitou dos mortos
e foi para o céu; pois então ele foi visto e contemplado por anjos, como ele é agora, 1 Timóteo
3:161 Timóteo 3:16 ou "em que coisas": assim lêem as versões siríaca, árabe e etíope; ou seja,
os sofrimentos de Cristo e as glórias que se seguem; o grande mistério da redenção e salvação
por Cristo; as várias doutrinas do Evangelho, nas quais a glória da graça, sabedoria, justiça,
verdade e poder de Deus é exibida; coisas com as quais se deleitam muitíssimo, têm prazer na
contemplação e no desejo de ter maior conhecimento e conhecimento: eles cantam glória a
Deus no mais alto na encarnação de Cristo; regozijam-se com a conversão de um pecador; e
desdém não ser espíritos ministradores para os herdeiros da salvação; e aprende da igreja a
multiforme sabedoria de Deus; que pode servir muito para elogiar a excelência das verdades
do Evangelho, e nos envolver no estudo deles,

Versículo 13

Por isso cingi os lombos da tua mente , .... Com o cinto da verdade; veja Efésios
6:14 Efésios 6:14 já que os anjos desejam examinar os mistérios da graça, vocês aplicam suas
mentes e diligentemente cuidam deles, em oposição a todos os pensamentos vagos e
vagabundos da mente, sobre outras coisas: entreguem-se totalmente a eles, meditem sobre
eles, empreguem-se neles e sobre eles; visto que eles são o estudo e a pesquisa de anjos, e o
que os profetas profetizaram, pesquisaram e ministraram, e os apóstolos de Cristo
pregaram; e, além disso, são coisas que se relacionam com a pessoa, o ofício, os sofrimentos
e a glória de Cristo, e a salvação das almas imortais. Embora a frase seja às vezes usada para
denotar preparação e prontidão, e para estar em uma posição adequada para fazer qualquer
coisa, como os israelitas estavam comendo a primeira Páscoa, marchar à mínima atenção do
Egito; e assim fazer uma viagem, correr uma corrida, servir a outro, esperar nele e por ele e
também estar preparado para a batalha; e é uma metáfora tirada do costume das nações
orientais, que costumavam usar vestimentas longas, que reuniam perto delas, e cingiam ao
redor delas, quando eram sobre qualquer uma das coisas acima, para que não fossem
impedimento para eles, e que eles poderiam executá-los com mais expedição e expedição; e
assim pode ser expressivo o preparo dos crentes, como peregrinos e viajantes, para sua
jornada em direção ao país celestial, e correr a corrida diante deles, e também fazer todo bom
trabalho, de acordo com a estação em que são colocados, servir a seu Senhor e dominar
Jesus Cristo em tudo o que ele os chama, e esperar por sua vinda; Vejo e é uma metáfora
tirada do costume das nações orientais, que costumavam usar vestimentas longas, que
reuniam perto delas, e cingiam ao redor delas, quando eram sobre qualquer uma das coisas
acima, para que não fossem impedimento para eles, e que eles poderiam executá-los com
mais expedição e expedição; e assim pode ser expressivo o preparo dos crentes, como
peregrinos e viajantes, para sua jornada em direção ao país celestial, e correr a corrida diante
deles, e também fazer todo bom trabalho, de acordo com a estação em que são colocados,
servir a seu Senhor e dominar Jesus Cristo em tudo o que ele os chama, e esperar por sua
vinda; Vejo e é uma metáfora tirada do costume das nações orientais, que costumavam usar
vestimentas longas, que reuniam perto delas, e cingiam ao redor delas, quando eram sobre
qualquer uma das coisas acima, para que não fossem impedimento para eles, e que eles
poderiam executá-los com mais expedição e expedição; e assim pode ser expressivo o preparo
dos crentes, como peregrinos e viajantes, para sua jornada em direção ao país celestial, e
correr a corrida diante deles, e também fazer todo bom trabalho, de acordo com a estação em
que são colocados, servir a seu Senhor e dominar Jesus Cristo em tudo o que ele os chama, e
esperar por sua vinda; Vejo para que não sejam um obstáculo para eles, e para que possam
realizá-los com mais expedições e expedições; e assim pode ser expressivo o preparo dos
crentes, como peregrinos e viajantes, para sua jornada em direção ao país celestial, e correr a
corrida diante deles, e também fazer todo bom trabalho, de acordo com a estação em que são
colocados, servir a seu Senhor e dominar Jesus Cristo em tudo o que ele os chama, e esperar
por sua vinda; Vejo para que não sejam um obstáculo para eles, e para que possam realizá-los
com mais expedições e expedições; e assim pode ser expressivo o preparo dos crentes, como
peregrinos e viajantes, para sua jornada em direção ao país celestial, e correr a corrida diante
deles, e também fazer todo bom trabalho, de acordo com a estação em que são colocados,
servir a seu Senhor e dominar Jesus Cristo em tudo o que ele os chama, e esperar por sua
vinda; Vejo servir a seu Senhor e dominar Jesus Cristo em tudo o que ele os chama, e esperar
por sua vinda; Vejo servir ao seu Senhor e mestre em Jesus Cristo em tudo o que ele os
chama, e esperar por sua vinda; VejoLucas 12:35Lucas 12:35 e também para lutar suas
batalhas, para se deixar como homens e ser forte em defesa de seu Evangelho, e contra todos
os seus inimigos e os seus,

Seja sóbrio ; que não se opõe apenas à intemperança no comer e beber, o que desqualifica
para a prontidão e atenção acima, mas também para um ser inebriado com os cuidados desta
vida, que sufocam a palavra e a tornam infrutífera, e levam os homens à tentação e muitos
desejos tolos e prejudiciais, e da fé de Cristo; e igualmente a um ser intoxicado com erros, e
falsa doutrina, que adormece os homens, tornando-os incapazes de servir a Cristo e à sua
igreja; e vire suas cabeças da fé para as fábulas, e são contrárias às palavras da verdade e da
sobriedade; de modo que ficar sóbrio não é apenas ser moderado em comer e beber; mas para
se desvincular dos cuidados ansiosos do mundo, e para ser desvinculado, recuperado ou
despertado do erro dos ímpios:

e espero até o fim ; ou "perfeitamente", como a palavra grega pode ser traduzida, e como é na
versão siríaca, que a une à outra frase, e a traduz: "esteja perfeitamente desperto". A versão
em árabe traduz: "confiando em uma confiança perfeita"; de modo que desenha ou a natureza
daquela viva esperança, à qual foram gerados novamente, e é aqui exortada a exercitar, sendo
perfeita, sincera e sem hipocrisia; não como a esperança do hipócrita, que perecerá, e não o
firmará em lugar algum, mas não imortal; porque assim como há fé não fingida e amor sem
dissimulação, assim também a esperança sem hipocrisia; e também a plena certeza disso,
porque há um flerte de fé e amor, e de compreensão, de esperança; veja Hebreus 6:11Hebreus
6:11 ou pretende a duração desta graça, e o exercício dela: é uma graça que faz, e
permanecerá, e deve ser continuamente exercida, e o regozijo dela deve ser mantido firme até
o fim; até o fim da vida, e até que os santos cheguem ao prazer daquilo que estão
esperando; até

para a graça que deve ser trazida até você como a revelação de Jesus Cristo; e que pode
ser traduzida para a graça que é trazida até você, na revelação de Jesus Cristo: e pode ser o
sentido de que há graça que agora é trazida à luz pelo Evangelho, e que é trazida para o lar
almas do povo de Deus através dele; como eleger graça, graça redentora, graça justificadora,
graça perdoadora, graça adoptiva; e, em resumo, a salvação, como toda a graça; qual
evangelho é a revelação de Jesus Cristo: é uma revelação que é feita por ele; e é uma
revelação que é feita dele; é uma revelação da glória de sua pessoa e ofícios; aqui é a sua
justiça revelada de fé em fé; e aqui as riquezas de sua graça são manifestadas e postas à vista
aberta; a vida e a imortalidade são trazidas à luz por Cristo; e o caminho para a vida eterna,
glória e salvação, como sendo por Cristo, é apontado por ele; e toda esta graça que é trazida e
colocada diante dos santos no Evangelho, eles devem esperar e confortavelmente acreditar em
seu interesse; e continuar assim esperando, acreditando e confiando até o fim de seus dias: ou
se nossa versão, e qual é a dos outros também, ser retida, o significado é, aquela glória eterna
e felicidade, que é chamada de "graça", porque é o dom gratuito de Deus através de Cristo,
para seus filhos e rebanho, e é o acabamento da graça que é conferida a eles, e operada
neles, e é futura, "deve ser trazida"; é uma glória que será revelada neles, e uma salvação
pronta para ser revelada a eles; e o que será feito quando Cristo for revelado do céu, quando
ele aparecer uma segunda vez e em glória; e é, e deve ser, o objeto de sua esperança, porque
está assentado e reservado para eles; e eles têm o que é sincero neles, assim como a
promessa deles a eles. As versões siríaca e etíope, em vez de "graça", diziam "alegria"; e é o
mesmo com a eterna glória, a alegria do Senhor preparada para eles e na qual eles entrarão.

Verso 14

Como filhos obedientes , .... ou "filhos da obediência". Isto pode estar relacionado tanto com
o que acontece antes, que vendo que eles eram filhos de Deus, adotando a graça, e na
regeneração trazida à obediência da fé, a quem a herança pertencia, portanto eles deveriam
continuar esperando por isto; ou com o que segue, que desde que eles foram manifestamente
filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus, sendo gerados novamente para uma viva esperança,
eles devem ser seguidores dele, e imitá-lo em santidade e justiça, e mostrar-se obedientes ao
seu Evangelho e ordenanças, como filhos devem honrar, obedecer e imitar seus pais:

não se moldando às antigas luxúrias em sua ignorância . A frase é bem parecida com a
de Romanos 12: 2Romanos 12: 2 "não se conformar com este mundo"; porque ser conformado
ou moldado ao mundo é moldar-se aos desejos dele; e moldar-se à luxúria é ofertá-los, provê-
los, obedecê-los, viver e andar neles; que não deve ser feito pelos filhos de Deus, e que
professam ser obedientes ao Evangelho, que ensina o contrário; e isso porque são lascivos,
tolos, nocivos e enganadores, ímpios; as concupiscências do diabo, assim como do mundo e
da carne, e que guerreiam contra a alma; e porque eles são "antigos", os quais eles serviram
numa época de não regeneração, e agora estavam convencidos e envergonhados, e portanto
não deveriam mais viver para eles; o tempo passado da vida sendo suficiente para ter andado
nelas: e porque elas eram cobiças na ignorância, que eles tinham entregado em um estado de
ignorância; não de gentilismo, embora este possa ser o caso de alguns, mas do
judaísmo; quando eles não conheciam a Deus, especialmente em Cristo, e eram ignorantes de
sua justiça, e da excessiva pecaminosidade do pecado, como cometidos contra uma lei que era
santa e espiritual; nem conheciam a Cristo e o caminho da salvação por ele, mas pensaram
que deveriam fazer muitas coisas contrárias ao seu nome; nem a obra do Espírito na
regeneração, dizendo com Nicodemos, como podem estas coisas ser? nem o verdadeiro
sentido das Escrituras, os oráculos sagrados, que foram cometidos a eles; muito menos o
Evangelho, que estava escondido deles, e eles eram inimigos para: mas agora era diferente
com eles; eles foram feitos luz no Senhor e tinham conhecimento de todas estas coisas; e,
portanto, como a sua luz aumentou, e a graça de Deus,

Versículo 15

Mas como aquele que vos chamou é santo , ... O qual é uma perífrase de Deus Pai, que os
chamara, não apenas externamente, pelo ministério exterior da palavra; mas internamente,
poderosa e eficazmente, pelo seu Espírito e graça; e quem os chamara à santidade da vida e
da conversação, bem como ao chamado, implantou princípios de santidade neles e, portanto,
diz-se que os chama com um santo chamado; e quem é santo, naturalmente, perfeitamente e
originalmente, e no sentido em que nenhuma criatura é, anjos ou homens; e é glorioso em
santidade, e é a fonte e fonte de santidade nos outros: portanto

assim seja santo em todo tipo de conversação; que não respeita a santidade interna, mas a
supõe; porque essa é a obra de Deus e não o ato da criatura; é a santificação do Espírito, da
qual ele é o autor; Estes foram escolhidos desde o princípio, e participaram da
regeneração; mas santidade externa, santidade de vida e conversação, em todas as partes e
ramos dela, tanto com respeito a Deus como a homens, em assuntos tanto de religião como de
vida civil: e para ser santo neste sentido é uma imitação de Deus, um copiando depois dele,
embora ele esteja longe de ser igualado por uma criatura pecaminosa, ou mesmo por um anjo
no céu; no entanto, os argumentos a ela, tirados da natureza de Deus e de seu eficaz chamado
à graça e à santidade, são muito fortes e poderosos; porque é andar digno dele, que nos
chamou para o seu reino e glória; e andando digno desse chamado em que somos
chamados; e um seguimento de Deus, como filhos queridos e obedientes; e o que está de
acordo com a vontade dele, e o que ele dirige e requer, como aparece a partir do que se
segue.

Versículo 16

Porque está escrito .... Em Levítico 11:44Levítico 11:44 .

Sede santos, porque eu sou santo : um argumento que o apóstolo sabia deve ter peso com
essas pessoas, que eram principalmente judeus, dispersas entre os gentios, e tinham um valor
para as Escrituras da verdade; e, portanto, como o argumento para a santidade da vida, a partir
da natureza e perfeições de Deus, é forte, deve receber força adicional por ser a vontade
declarada de Deus, até mesmo a santificação por causa disso; e embora a santidade, igual a
Deus, nunca deva ser alcançada por uma criatura, ainda que seja capaz dela, é desejável,
porque agradável tanto à natureza e vontade de Deus, por todos aqueles que são
verdadeiramente seus. as crianças, que amam o seu nome, adoram as suas perfeições,
agradecem a recordação da sua santidade, temem a sua bondade e obedecem à sua vontade.

Versículo 17

E se você invocar o Pai.... De Cristo e de todos os santos; ou "vendo" você faz. Este é um
novo argumento, envolvendo a santidade da vida e da conversação. A invocação de Deus
inclui toda a adoração a ele, o desempenho de todo dever exterior e o exercício de toda graça
interior, particularmente, projeta a oração; e quem quer que esteja preocupado em um ou outro
Deus será santificado por todos os que se aproximarem dele; ou a frase pode pretender aqui
afirmar que Deus é seu Pai, sob a influência do espírito de adoção; e todos aqueles que
afirmam que uma relação tão próxima a Deus deve honrá-lo e obedecê-lo, e ser seus
seguidores: quem quer que chame Deus de Pai, e ele próprio seus filhos, deve ter cuidado
para não blasfemar ou causar seja blasfemado, aquele nome digno pelo qual são chamados:

que sem respeito de pessoas julga de acordo com o trabalho de cada homem. Esta é
outra razão pela qual os homens devem ser santos, tirados do julgamento geral; porque este
Deus que é Pai é também juiz. Há um julgamento após a morte, que é certo e certo, e alcança
todas as pessoas e coisas; e embora o Pai não julgue ninguém, mas tenha cometido todo o
julgamento ao Filho, ainda assim julgará a todos por aquele homem Cristo, a quem ordenou ser
juiz de apressado e morto: diante de seu tribunal todos devem permanecer, onde será
imparcial e, sem o respeito de pessoas, julgado; não se tem conta de que nação e lugar eles
são, sejam judeus ou gentios, ou deste, ou do outro país, a menos que agravem ou diminuam
sua condenação; pois será mais tolerável para Tiro e Sídon, para Sodoma e Gomorra, do que
para aqueles que foram favorecidos com uma revelação do Evangelho, e não creiam; nem de
que pais descendem, porque a alma que pecar, essa morrerá; nem de que idade e sexo eles
são, pequenos e grandes devem estar diante dele; nem de que estado e condição, ricos ou
pobres, altos ou baixos, escravos ou livres; ou de que seita religiosa e denominação, ou se eles
se conformaram a algumas coisas externas ou não; não haverá consideração por qualquer
aparência ou profissão externa. O Juiz não julgará de acordo com a visão dos olhos e visão
externa das coisas; pois ele olha no coração e conhece as fontes secretas de todas as
ações; e de acordo com isso ele julgará e passará a sentença; e, portanto, que tipo de pessoas
devem os homens ser em todo santo diálogo e piedade? Daí segue-se pequeno e grande
estará diante dele; nem de que estado e condição, ricos ou pobres, altos ou baixos, escravos
ou livres; ou de que seita religiosa e denominação, ou se eles se conformaram a algumas
coisas externas ou não; não haverá consideração por qualquer aparência ou profissão
externa. O Juiz não julgará de acordo com a visão dos olhos e visão externa das coisas; pois
ele olha no coração e conhece as fontes secretas de todas as ações; e de acordo com isso ele
julgará e passará a sentença; e, portanto, que tipo de pessoas devem os homens ser em todo
santo diálogo e piedade? Daí segue-se pequeno e grande estará diante dele; nem de que
estado e condição, ricos ou pobres, altos ou baixos, escravos ou livres; ou de que seita
religiosa e denominação, ou se eles se conformaram a algumas coisas externas ou não; não
haverá consideração por qualquer aparência ou profissão externa. O Juiz não julgará de
acordo com a visão dos olhos e visão externa das coisas; pois ele olha no coração e conhece
as fontes secretas de todas as ações; e de acordo com isso ele julgará e passará a
sentença; e, portanto, que tipo de pessoas devem os homens ser em todo santo diálogo e
piedade? Daí segue-se não haverá consideração por qualquer aparência ou profissão
externa. O Juiz não julgará de acordo com a visão dos olhos e visão externa das coisas; pois
ele olha no coração e conhece as fontes secretas de todas as ações; e de acordo com isso ele
julgará e passará a sentença; e, portanto, que tipo de pessoas devem os homens ser em todo
santo diálogo e piedade? Daí segue-se não haverá consideração por qualquer aparência ou
profissão externa. O Juiz não julgará de acordo com a visão dos olhos e visão externa das
coisas; pois ele olha no coração e conhece as fontes secretas de todas as ações; e de acordo
com isso ele julgará e passará a sentença; e, portanto, que tipo de pessoas devem os homens
ser em todo santo diálogo e piedade? Daí segue-se

passar o tempo de sua permanência aqui com medo; o povo de Deus neste mundo é
"peregrino", como todos os seus pais eram; eles não são nativos do lugar em que eles
são; embora eles estejam no mundo, eles não são dele; eles eram nativos dele pelo primeiro
nascimento deles / delas, mas pelo segundo eles são nascidos novamente de cima, e assim,
pertence a outro lugar; eles são de outro país, até um celestial; são cidadãos de outra cidade,
uma cidade que tem fundamentos, cujo construtor e criador é Deus, sua cidadania está no
céu; e há a casa de seu Pai, que não é feita por mãos, e é eterna; e aí está sua propriedade,
sua herança; e embora eles morem aqui embaixo, nem o seu assentamento nem a sua
satisfação estão aqui; não se consideram em casa enquanto estão na terra e são estranhos
para os homens do mundo, e eles para eles; com quem eles não têm, ou pelo menos não
deveriam ter, nenhuma comunhão. É de fato apenas por um "tempo", que eles são
estrangeiros, não uma eternidade; que tempo é fixo, e é muito curto, e desaparecerá
rapidamente; faz pouco tempo, e Cristo virá e os levará para a casa de seu Pai, onde eles
estarão para sempre com ele; pois é somente aqui na terra que eles são peregrinos e
estrangeiros: e enquanto estão, devem passar o tempo "com medo"; não de homens nem de
demônios, nem de morte e julgamento, inferno e condenação eterna; pois tal medo não é
consistente com o amor de Deus derramado no coração, e é o efeito da lei, e não encorajado
pelo Evangelho; está nos homens naturais, sim, nos próprios demônios; mas no temor de
Deus, e que brota da graça de Deus, e é aumentado por ela; é consistente com os mais fortes
atos de fé e com as maiores expressões de alegria espiritual; é oposto ao orgulho e à
autoconfiança, e inclui toda a adoração a Deus, externa e interna, e uma conversação religiosa,
em humildade e humildade mental.

Versículo 18

Visto que sabeis ... Das Escrituras da verdade, pelo testemunho do Espírito, pela sua obra
sobre a alma e pela aplicação dos benefícios da redenção, tais como justificação, perdão,
adoção e santificação; veja Jó 19:25Jó 19:25 ,

que não foste redimido com coisas corruptíveis, como prata e ouro . A redenção de uma
alma, que vale mais do que um mundo, requer um preço maior do que o ouro e a prata; e
aqueles que têm a maior parte disso, não podem resgatar suas próprias almas com isso, nem
as almas dos outros. A alma é imortal e incorruptível, mas estas são coisas corruptíveis, que
podem ser cobertas ou desgastadas, e perecem usando; e, portanto, ver a redenção não é
obtida por qualquer coisa corruptível, nada corrupto em princípio, ou prática deve ser
favorecida. A alusão é para a redenção do povo de Israel, e do primogênito, por siclos, Êxodo
30:12Êxodo 30:12. Ouro e prata não significam peças de ouro e prata, mas moedas de ouro e
prata; pois apenas por tal poderia resgate de qualquer coisa ser obtidaF4mas estes são
insuficientes para a redenção da alma; que é uma libertação da escravidão do pecado, a
servidão, a maldição e a condenação da lei, o cativeiro de Satanás e de um estado de pobreza,
tendo sido endividado e vendido sob o pecado. Aqui segue,

da sua conversa vã recebida pela tradição de seus pais; significando não a corrupção da
natureza, que é propagada de pai para filho pela geração natural, e reside na vaidade da
mente, e é a fonte e fonte de uma conversa má; embora os santos, como são redimidos de
todo pecado, assim também, que não seja sua condenação; não o gentilismo, que recaía na
filosofia vã, na idolatria e na superstição, e na conversa malvada e iníqua, encorajados pelo
exemplo de seus ancestrais; mas o judaísmo, e ou se refere à lei cerimonial, que foi entregue
por Moisés aos pais judeus, e por eles transmitida à sua posteridade; e que foi inútil, como
usado e abusado por eles, e não foi proveitoso para obter justiça, vida e salvação e, portanto,
foi anulado por Cristo, que redimiu e libertou seu povo deste jugo de escravidão;Mateus 15:
3 Mateus 15: 3e c. e o apóstolo Paulo foi criado e zeloso antes da conversão, Gálatas
1:14Gálatas 1:14 como eram os fariseus. Estas foram as invenções e decretos deles que eles
chamaram de ‫אבות‬, "pais", para cujos dogmas e decisões eles pagaram o maior
respeito. Estes compunham sua lei oral, que os judeus dizem F5Moisés recebeu do Sinai e
entregou a Josué; e Josué aos anciãos; e os anciãos dos profetas; e os profetas aos homens
da grande sinagoga, a última dos quais era Simeão, o justo; e dele foi entregue a outro; e
assim de um para outro para os tempos de Cristo e seus apóstolos e depois; e que consistia
em muitas coisas vãs, inúteis e inúteis; andar de acordo com o qual deve ser uma conversação
vã; e os santos sendo agora redimidos por um preço maior do que o de prata e ouro, e que é
mencionado depois, eles não devem, portanto, ser servos dos homens, não, não desses pais,
mas de Deus e de Cristo,

Verso 19

Mas com o precioso sangue de Cristo , .... Cristo foi profetizado como um Redentor sob o
Antigo Testamento, Isaías 59:20Isaías 59:20 e os judeus freqüentemente atribuem redenção à
palavra do Senhor Deus.F6; e que o apóstolo aqui atribui ao sangue de Cristo; cujo sangue é o
mesmo com o nosso, só que não contaminado com pecado; o sangue de uma pessoa
inocente, e de alguém que é Deus, assim como o homem, e foi derramado livremente na sala e
no lugar de seu povo, e assim um preço suficiente para sua redenção: e pode-se realmente
dizer que é " precioso ": como é para Deus, a quem é um sacrifício de cheiro doce, e com o
qual ele está bem satisfeito; não que ele se deleite na mera efusão de seu sangue, mas como
este é o preço do resgate, e a expiação de seus escolhidos; e assim é para todos os que
crêem, porque por isso são justificados; através dele eles têm o perdão dos seus pecados; sua
paz e reconciliação com Deus é feita por ele; e por eles são santificados e têm ousadia para
entrar no mais santo de todos:

é de um cordeiro sem mancha e defeito; Cristo é comparável a qualquer cordeiro, pela


inocência de sua natureza, pela mansidão de sua disposição e comportamento e por sua
paciência sob os sofrimentos e na morte; e aos cordeiros do sacrifício diário, que eram típicos
da contínua e constante virtude e eficácia do seu sacrifício para tirar o pecado; e
particularmente ao cordeiro pascal, sendo ele a verdadeira Páscoa sacrificada por nós; e que,
como também os cordeiros do sacrifício diário, e todos os outros, deviam ser sem mancha e
defeito: e no qual eles prefiguraram Cristo, que está sem a mancha do original, e a mancha e
defeito do pecado atual; e assim era uma pessoa muito adequada para ser um sacrifício pelo
pecado e um Redentor de seu povo. Os judeus têm uma noção de que a redenção dos
israelitas do Egito, quando um cordeiro sem defeito foi levado, e sacrificado e comido, tinha
respeito pela futura redenção pelo Messias; e qual, eles dizemF7, deveria ser na mesma época
do ano; que como eles foram redimidos em Nisan, o mês em que a páscoa foi celebrada, assim
eles deveriam ser redimidos no mesmo mês: e realmente naquele tempo, e naquele mês,
houve a redenção obtida pelo sangue de Cristo. Do primeiro, o targumista em Oséias 3:
2Oséias 3: 2 diz:

"Eu os resgatei com minha palavra, no décimo quinto dia do mês de nisã, e dei siclos de prata,
a expiação de suas almas.

É observável que a palavra hebraica ‫דם‬significa tanto "sangue" quanto "dinheiro" ou preço; se
alguma referência não pode ser feita para isso aqui, uma vez que ambos estão incluídos aqui,
pode ser considerado,

Verso 20

Quem, na verdade, foi preordenado.... ou "conhecido de antemão"; isto é, por Deus; e que
pretende, não apenas a sua presciência de Cristo, do que ele deveria ser, fazer e sofrer; mas
tal conhecimento prévio dele, que é unido com amor e afeição a ele; não apenas como seu
próprio Filho, e a imagem expressa de sua pessoa, mas como Mediador; e a quem ele amava
antes do mundo, e com amor de complacência e deleite, e que durará para sempre. Inclui a
escolha dele como chefe da eleição e a pré-ordenação de sua natureza humana, a graça da
união à sua Pessoa divina e a pré-nomeação dele para várias coisas. A versão siríaca
acrescenta "a isto"; isto é, ser o cordeiro para um sacrifício, para ser uma propiciação pelos
pecados do seu povo, para ser o Salvador e Redentor deles pelo seu precioso sangue. A
alusão é a tomada do cordeiro pascoal das ovelhas, ou dos cabritos, e mantê-lo separado, do
décimo ao décimo quarto dia do mês, antes de ser morto; assim Cristo, como homem, foi
escolhido dentre o povo; e como antítipo de José foi separado de seus irmãos, e que

antes da fundação do mundo ; porque todos os decretos e designações de Deus, relativos a


Cristo ou a seu povo, são eternos; não há novos pensamentos, conselhos e resoluções, são
tomadas por ele no tempo. O assunto da redenção por Cristo não é novidade; o esquema dele
foi desenhado na eternidade; as pessoas a serem resgatadas foram fixadas; o Redentor foi
designado no conselho e pacto de paz; e até mesmo o próprio Evangelho que o proclama foi
ordenado perante o mundo, para a nossa glória. Um Salvador foi providenciado antes que o
pecado fosse cometido, e o método de recuperação do homem foi resolvido antes de sua ruína
acontecer; e que foi feito sem qualquer consideração às obras e méritos dos homens, mas é
totalmente devido à graça livre e soberana de Deus, e ao seu amor eterno, tanto para o
Redentor quanto para os redimidos. Os judeusF8calcule o nome do Messias entre as sete
coisas que foram criadas antes do mundo; na prova de que eles mencionam, Salmo
72:17Salmo 72:17, mas foi manifestado nestes últimos tempos para você; ele era antes, ele
existiu desde a eternidade; ele permaneceu no seio de seu Pai desde toda a eternidade: e
esteve velado e escondido sob as sombras da lei cerimonial, durante a dispensação legal; mas
na plenitude dos tempos manifestou-se na carne e se revelou mais claramente no Evangelho e
nas almas dos homens; sua manifestação na natureza humana é principalmente pretendida, e
que foi nos últimos tempos da dispensação legal, no fim do mundo ou estado judeu, quando
um novo mundo, ou o mundo por vir, aconteceria. É uma regra com os judeusF9que sempre
que os últimos dias ou tempos são mencionados, os tempos do Messias são designados: e
esta manifestação de Cristo foi por causa de algumas pessoas particulares, mesmo para todos
os eleitos de Deus, seja entre judeus ou gentios, e que são descritos em o seguinte verso. A
cópia alexandrina diz: "para nós"; e a versão etíope, "para ele",

Versículo 21

Quem por ele crê em Deus , .... Cristo, como Deus, é o objeto da fé; como Mediador, ele é o
caminho para o Pai, pelo qual os homens vêm a ele, acreditam nele e se apegam a ele, como
sua aliança com Deus e Pai; e é também o autor daquela fé pela qual eles acreditam nele; e
todo o seu encorajamento para crer é tirado dele; e aqueles que vêm a Deus por Cristo, e
permanecem sobre ele, confiando nele, podem saber e concluir confortavelmente que Cristo,
que foi preordenado desde toda a eternidade para ser o Redentor de seu povo, manifestou-se
na carne por e para obter a redenção eterna para eles, que ele foi enviado para fazer, por ele

Verso 22

Vendo que você purificou suas almas.... O apóstolo passa a outra exortação, a saber, ao
amor fraterno; o chão do qual ele faz para ser, a purificação de suas almas; e que supõe que
eles foram impuros; e, de fato, todas as pessoas, almas e corpos deles, eram assim por
natureza; até mesmo todos os membros de seus corpos, e todos os poderes e faculdades de
suas almas: é a pureza interna, a pureza do coração, que é aqui especialmente
respeitada; embora não à exclusão da pureza externa, pois onde houver a primeira, haverá a
segunda; mas pode haver uma pureza externa, onde não há o interior: isso o apóstolo atribui
aos próprios santos, mas não sem a graça de Deus, o sangue de Cristo e as operações de seu
Espírito; como aparece por uma cláusula seguinte; mas dizem que se purificam,

em obedecer a verdade ; do Evangelho, recebendo, acreditando e abraçando-o no amor


dele; que ensina a pureza exterior, e é um meio nas mãos do espírito de pureza interior, e de
direcionar para o sangue purificador de Jesus, que santifica e purifica pela palavra:

através do Espírito ; esta cláusula é deixada de fora na cópia alexandrina, e em algumas


outras, e nas versões Vulgata latina, siríaca e etíope, mas está na versão árabe, e deve ser
retida; pois, como Cristo morreu para purificar para si um povo peculiar, o Espírito de Cristo
purifica o coração pela fé em seu sangue; aspergindo isso na consciência, e conduzindo a fé
do povo de Deus à sua fonte, lavando-a para o pecado e para a impureza; até mesmo suas
consciências e suas conversas, vestes; pelo qual eles obtêm pureza interna e externa:

até o amor não fingido dos irmãos ; que é o fim da santificação e uma evidência
disso; quando os santos são amados como irmãos e como tais; e com amor sem dissimulação,
não somente em palavra e em língua, mas em ação e em verdade: sendo este o caso, a
exortação segue:

Vejam que vocês se amam com um coração puro fervorosamente : este é o novo
mandamento de Cristo e a evidência da regeneração; um distintivo distintivo do cristianismo, e
sem o qual toda profissão de religião é uma coisa vã e vazia: isto deve ser mútuo e
cordial; deve proceder do coração, e de um coração polvilhado de uma consciência do mal; e
deveria estar com calor e fervor, e não com frieza e indiferença; embora a palavra aqui
usada, εκτενως, pode não apenas projetar a intensidade dela, mas a extensão dela
também; como isso deveria alcançar a todos os santos, tanto os pobres como os ricos, e os
menores e os maiores e mais conhecedores crentes; e da mesma forma pode denotar a
continuação disso; deve ser exercido continuamente e durar sempre; e assim a versão em
árabe a traduz "com um amor perpétuo".

Verso 23

Nascer de novo , .... Como eram de Deus, segundo a sua abundante misericórdia, pela
ressurreição de Cristo, para uma viva esperança de uma herança gloriosa; como em 1 Pedro 1:
31 Pedro 1: 3 e, portanto, vendo que eles eram irmãos em uma relação espiritual, eles devem
amar como irmãos; ser filhos do mesmo Pai, pertencentes à mesma família e família, tendo o
mesmo espírito, a mesma natureza e disposição, e sendo membros um do outro, e herdeiros
da mesma graça e glória; e não somente isso, mas foram ensinados por Deus seu Pai, na
regeneração, a amar uns aos outros: tornou-se, portanto, altamente para exercer essa graça, e
particularmente desde que nasceram,

não de semente corruptível, mas de incorruptível ; referindo-se não a semente lançada na


terra, que primeiro corrompe e morre, e então é vivificada, e se ergue e produz frutos; mas para
a semente humana, e que os judeus chamam de ‫סה סרוחה‬, "a gota imunda"F11; que é em si
corrupto e está corrompido, e por meio do qual a corrupção da natureza humana é
propagada; porque tudo o que nasce da carne é carnal e corrupto; e assim o apóstolo tem
referência ao primeiro nascimento, ou geração natural de homens, em que eles são poluídos e
depravados, e confirma o que o evangelista diz, João 1:13João 1:13. que as pessoas
regeneradas não são "nascidas do sangue"; ou tornar-se novas criaturas, e homens santos, por
sua descendência natural, ou primeiro nascimento, seja de quem for; porque todos os homens
são originalmente de um só sangue, e isso é contaminado pelo pecado; nem pela vontade de
criaturas caídas, de homens corruptíveis, eles mesmos ou outros; mas da água, e do Espírito,
da graça do Espírito de Deus, que é semente pura e incorruptível, não tendo nenhuma mistura
ou mancha de pecado, nem qualquer grau de poluição, e que permanece assim; nem pode ser
corrompido por toda a maldade que há no coração do homem; nem por todas as poluições do
mundo, ou tentações de Satanás; e esta semente é levada ao coração pelo Espírito de Deus,
em regeneração, e contém toda a graça nela,

pela palavra de Deus, que vive e permanece para sempre ; porque a semente incorruptível
e a palavra sempre viva e permanente são duas coisas distintas; embora os intérpretes
geralmente os confundam: e pela "palavra de Deus" significa a Palavra essencial, o Senhor
Jesus Cristo; que está preocupado com a regeneração, assim como com o Pai e o Espírito; por
cuja ressurreição, e em conseqüência disto, os eleitos de Deus são gerados novamente; e que,
como a Palavra, é capaz de edificar todos os santificados, e dar-lhes a herança de que herdam
o herdeiro: ou o Evangelho, a palavra da verdade, que é usada como meio de gerar almas
novamente; e o melhor, visto que parece ser assim interpretado, 1 Pedro 1:25 1 Pedro 1:25as
frases "que vive e permanece para sempre", podem ser lidas em conexão apenas com "Deus",
e como descritivo dele, que é o Deus vivo, é de eternidade a eternidade, em distinção de
ídolos; e aqui acrescentou, para mostrar que ele pode dar poder e eficácia à sua palavra, para
regenerar e acelerar, e continuará a preservar e torná-la útil para todos os seus propósitos
salvadores; por isso, Jarchi explica a passagem em Isaías 40: 8Isaías 40: 8 depois referido, "a
palavra do nosso Deus permanecerá para sempre",

"porque ele vive e habita, e está em seu poder confirmar isto, portanto segue-se:" Ó Sião, que
traz boas novas, sobe para o alto monte ", pois porque ele vive para sempre, esta promessa é
publicada.

Ou então com a palavra de Deus, e é verdade tanto de Cristo como do Evangelho. Cristo é a
Palavra que vive; nele, como tal, é a vida; ele tem vida em si mesmo como Deus, como homem
e como mediador; e é o autor da vida, natural, espiritual e eterno; e permanece para sempre
em sua pessoa, sem qualquer mudança; e em seus ofícios e graça e justiça; ele habita um
sacerdote continuamente, tem um sacerdócio imutável, e sempre vive para interceder, e do seu
reino não há fim: o mesmo é dito do "Memra", ou Palavra de Deus, na paráfrase do Caldee
em Oséias 11: 9 Oséias 11: 9 "Eu sou Deus", ‫מימרי‬, "minha palavra permanece para sempre":
compare João 12:34João 12:34. O Evangelho também pode ser dito para viver, em oposição à
lei, que é a carta de matar; e porque aponta o caminho da vida e salvação para os
pecadores; e é um meio de vivificar os pecadores mortos e de gerar a fé pela qual os homens
vivem em Cristo; e de revelar a eles a justiça que é a justificação da vida; e de apoiar e manter
a vida espiritual neles; e de ressuscitar santos caídos; a versão siríaca traduz, "a Palavra viva
de Deus": e permanece, e permanecerá; todas as suas promessas, bênçãos, doutrinas e
ordenanças são duradouras; continuará no mundo até que todos os eleitos de Deus estejam
reunidos, até a segunda vinda de Cristo e até o fim do mundo; apesar de todas as
perseguições dos homens, e astúcia, ofício de falsos mestres,

Verso 24

Todos os homens, nascidos de sementes corruptíveis, são frágeis, mortais e perecem; brotam
como a erva e ficam bonitas por um tempo, mas são muito fracas e tenras, e em pouco tempo
são cortadas pela morte e murcham; e enquanto eles vivem, são, em boa medida, nada além
de grama em outra forma; a substância de sua vida é grandemente por ela; qual é a carne que
comem, mas a grama se transformou nela? e esta mortalidade não é apenas o caso de
homens maus, como os judeusF12interprete a palavra, mas de bons homens; até mesmo dos
profetas e pregadores do Evangelho; e ainda assim a palavra de Deus falada por eles continua
para sempre: a passagem mencionada está em Isaías 40: 6Isaías 40: 6 .

e toda a glória do homem como a flor da grama; todas as coisas externas que são
estimadas pelos homens, e as tornam gloriosas umas às outras, como riquezas, honra,
sabedoria, força, retidão externa, santidade e bondade; tudo que está desaparecendo e
transitório, como a flor do campo; mas o Evangelho continua, e revela riquezas duráveis e
honra com Cristo; e verdadeira sabedoria e força com ele, e conhecimento espiritual, em
comparação com o qual todas as coisas são impurezas e esterco; e uma justiça eterna; e
verdadeira santidade nele: alguns pensaram que se pode ter respeito à dispensação legal, e a
toda a glória, grandeza e prosperidade da adoração e ordenanças dela, que deveriam perdurar,
mas por um tempo, e agora são removidas; e a dispensação do Evangelho aconteceu deles,
que continuará até o fim do mundo:

a erva seca e a flor murcha ; e assim desaparecendo são todas as coisas acima,

Versículo 25

Mas a palavra do Senhor permanece para todo o sempre . ... Embora os homens morram, e
também os ministros da palavra, e tudo no mundo é incerto, instável, passageiro e passageiro,
e qualquer que tenha sido a mudança nas ordenanças serviço divino; todavia, a palavra do
Senhor, o Evangelho de Cristo, está decidida para sempre e nunca passará:

e esta é a palavra que pelo evangelho é pregada a você ; esta é a aplicação do apóstolo da
passagem em Isaías, mostrando que a palavra do Senhor é a mesma com o Evangelho
pregado por ele, e os outros apóstolos, naquele tempo presente; e não é outra coisa senão as
boas novas que Sião diz trazer; veja Isaías 40: 9 Isaías 40: 9 o mesmo evangelho que o profeta
Isaías pregou que os apóstolos fizeram, embora com maior clareza e mais
sucesso; veja Romanos 10: 8Romanos 10: 8 .

1 Peter Intro 1 Pedro 1 Pedro 2


Declaração de direitos autorais
A exposição de toda a Bíblia de John Gill Modernizada e adaptada para o computador por Larry Pierce da Bíblia on-line. Todos
os direitos reservados, Larry Pierce, Winterbourne, Ontario.
Uma cópia impressa deste trabalho pode ser solicitada em: The Baptist Standard Bearer, 1 Iron Oaks Dr, Paris, AR, 72855

Informação Bibliográfica
Gill, John. "Comentário sobre 1 Pedro 1: 4". "A nova exposição de John Gill da Bíblia
inteira". https://www.studylight.org/commentaries/geb/1-peter-1.html. 1999.

Comentários Bíblicos
Exposição de John Gill de toda a Bíblia
1 Pedro 2

1 Pedro 1 1 Pedro 1 Pedro 3

Caixa de ferramentas de recursos

 Visão geral do livro


 Visão geral do capítulo
 Artigo impresso
 Informação de direitos autorais
 Informação bibliográfica

Outros autores
Verso específico
 Comentário Clarke
 Novo Testamento de Abbott
 Comentários de Coffman
 Notas de Barne
 Notas Bíblicas de Companheiro de Bullinger
 Comentário de Calvino
 Cambridge Greek Testament
 Comentário de Dunagan
 Bíblia da Família Novo Testamento
 Comentário de Gary Hampton
 Bíblia de estudo de Genebra
 Comentário Católico de Haydock
 O Novo Testamento do Estudo Bíblico
 Gnomon de Bengel
 Comentário Crítico e Explicativo
 Comentário Crítico e Explanatory - Unabridged
 Comentário de Trapp
 Anotações de Poole
 Comentário bíblico de Pett
 Comentário de Benson
 Fotos de Robertson's Word
 Bíblia Sermão
 Comentário do Novo Testamento de Schaff
 Tesouro do Conhecimento
 Estudos de Vincent
 Notas de Burkitt
 Notas de Wesley
 Comentário de Whedon
 Comentário do NT de Zerr
Específico docapítulo específico dointervalo

Introdução

INTRODUÇÃO A 1 PETER 2

Este capítulo consiste em exortações, em geral, a uma vida santa; e, em particular, a


obediência aos superiores. Começa com uma exortação a pôr de lado vários vícios, que eram
pessoas regeneradas impróprias, 1 Pedro 2: 1 e, de acordo com seu caráter, como recém-
nascidos, expressar um desejo segundo o Evangelho, que é recomendado por sua natureza,
comparável ao leite; e de sua qualidade, sendo razoável, sincero e não misturado; e do fim e
utilidade disto, um crescimento espiritual; e o argumento que envolve esse desejo é a
experiência que tiveram da graça de Cristo nele, 1 Pedro 2: 2 cuja excelência é declarada, sob
a metáfora de uma pedra, dita viva, para ser escolhida por Deus e preciosa para ele, embora
rejeitada pelos homens; para quem os santos são encorajados a vir, como pedras vivas
construídas, uma casa espiritual, para o exercício do santo ofício do sacerdócio, oferecendo
sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus por meio de Cristo, 1 Pedro 2: 4 e que Cristo é tal
pedra preciosa, é provada em Isaías 28:16 e não só para Deus, mas para todos os que
crêem; embora para aqueles que não crêem, ele é a pedra da rejeição, do tropeço e da
ofensa; tropeçar em qual, e a doutrina disto, por desobediência, eles eram de antigamente
designados por Deus, 1 Pedro 2: 6 mas o caráter das pessoas para as quais o apóstolo
escreve era muito diferente, muito pelo contrário, sendo escolhido e chamado, e
manifestamente o povo de Deus, e compartilhando em sua graça e misericórdia, 1 Pedro 2: 9 e
estes ele exorta, adequado para seu estado e condição, abster-se do pecado, como um inimigo
de suas almas, e viver uma vida honesta e conversa entre os gentios, para que, em vez de
falar mal deles, pudessem, por contemplar suas boas obras, glorificar a Deus, 1 Pedro 2:11. E
particularmente ele os exorta à obediência aos magistrados civis, tanto superiores quanto
inferiores; em parte do autor deles, sendo eles do Senhor; e em parte da utilidade deles para
punir os maus e encorajar os homens bons; e também por ser a vontade de Deus, por tal
obediência, em silenciar as loucuras de homens tolos, 1 Pedro 2:13 . E considerando que pode
ser objetado, que eles foram libertados por Cristo e, portanto, não devem ser os servos dos
homens; é concedido que eles estavam livres; mas então é negado que eles devem usar sua
liberdade como um manto de malícia: e além disso, deve ser observado que eles eram os
servos de Deus e, portanto, deveriam fazer o que ele lhes ordenava; e, entre outras coisas,
obediência aos magistrados civis, 1 Pedro 2:16. E para este propósito são várias exortações
em 1 Pedro 2:17 , e outro em particular é adicionado, que é para os servos, para estar sujeito
aos seus mestres, e temê-los, sejam eles bons ou maus, 1 Pedro 2:18 e então ele conforta tais
que possuíam maus mestres, e os encoraja a suportar os ferimentos que receberam deles
pacientemente; porque assim fazer era grato a Deus e aceitável à sua vista; e porque foram
chamados por ele; e por causa do exemplo que Cristo lhes havia deixado em sofrimento por
eles, 1 Pedro 2:19 . E isto é ainda mais urgente do caráter de Cristo, que estava sem pecado, e
ainda sofreu, e de sua conduta, que, quando insultado, não retornou, mas deixou sua causa
com Deus, 1 Pedro 2:22 que leva o apóstolo a tomar conhecimento da natureza dos
sofrimentos de Cristo em seu corpo na cruz, e os seus fins, que eram a expiação do pecado,
cura de doenças e santidade de vida, como conseqüência disso, 1 Pedro 2:24 anterior a qual
conversão, o que é ilustrado pelo estado anterior e condição homens estão em, sendo como
ovelhas se desviando; e por seu presente, sendo retornado a Cristo, o pastor e bispo das
almas, 1 Pedro 2:25 .

Verso 1

Portanto, deixando de lado toda a malícia , .... Desde que as pessoas para as quais o
apóstolo escreve nasceram de novo, e portanto devem amar um ao outro, ele as exorta ao
desuso de tais vícios que eram desagradáveis ao seu caráter como homens regenerados, e
amor fraternal contrário; ele dissuadi-los deles e aconselha a "colocá-los de lado", seja como
pesos e fardos, o que não era adequado para bebês recém-nascidos carregarem; veja Hebreus
12: 1 Hebreus 12: 1Efésios 4:22 ou antes, como roupas usadas e velhas, como trapos
imundos, que deveriam ser adiadas, postas e nunca mais usadas, sendo inadequadas para
seu caráter e profissão: a metáfora é a mesma que em Efésios 4:22 e o primeiro que ele
menciona é malícia; viver em que é uma marca de um homem não regenerado, e muito
impróprio para aqueles que são nascidos de novo; e não é consistente com a relação de
irmãos, e o caráter de crianças, ou bebês recém-nascidos, que são sem malícia, e não a
possuem e mantêm: "tudo" disto deve ser deixado de lado, para todas as pessoas, e em todas
as formas e em todos os casos:

e todo o truque ; fraude ou engano, em palavras ou ações; e que não deve ser encontrado, e
aparecer em qualquer forma, em Israel, de fato, em irmãos, nos filhos de Deus; que não devem
mentir uns aos outros, ou defraudar um ao outro, nem expressar isso com seus lábios, o que
eles não têm em seus corações; de que bebês são livres, assim como bebês em Cristo:

e hipocrisias ; tanto a Deus como aos homens: a hipocrisia para com Deus é, quando as
pessoas professam aquilo que não têm, como amor a Deus, fé em Cristo, zelo pela religião,
fervorosa devoção e sinceridade na adoração a Deus; e fazem tudo o que eles fazem para
serem vistos pelos homens, e parecem exteriormente justos, e todavia são cheios de toda a
iniqüidade: hipocrisia para os homens é, fingimento de amizade, amor somente em palavra e
língua, falando pacificamente com a boca, mas em coração que espera; um pecado para ser
abominado e detestado por alguém que nasceu de cima; e é contrário a essa integridade,
simplicidade e sinceridade de coração, que se tornam pessoas regeneradas, filhos de Deus e
irmãos um do outro:

e inveja ; na felicidade e prosperidade de cada um, riquezas, honras, dons temporais ou


espirituais; pois tais são obras da carne, mostram que os homens são carnais, são pessoas
regeneradas impróprias, e contrárias ao exercício da caridade cristã, ou amor, que não inveja o
bem-estar dos outros, seja respeitando o corpo, a alma ou a propriedade:

e todas as falas do mal ; backbitings, sussurros, detrações, ferir os personagens uns dos
outros por insinuações, falsas acusações e más suposições; que não está agindo como
homens que são feitos novas criaturas, e são participantes da natureza divina, nem como
irmãos, ou como os pequeninos de Cristo, e que são de Deus, gerado novamente para ser um
tipo de primícias de suas criaturas.

Verso 2

Como bebês recém-nascidos.... A versão siríaca traduz: "Sede simples como crianças"; e
como se fosse uma exortação distinta de si mesma e daquilo que se segue; embora pareça um
pouco descritivo das pessoas faladas e um caráter delas, sob as quais o apóstolo se dirige a
elas; que carrega nela uma razão que fortalece a exortação depois de dada: ele toma como
certo que eles foram novamente gerados, de acordo com a abundante misericórdia de Deus, e
nascidos da semente incorruptível, pela palavra de Deus, e que eles eram justos, ou nascido
recentemente; e que deve ser entendido de todos eles em geral, e não de jovens convertidos
entre eles, que poderiam ser chamados de criancinhas em relação a outros que eram jovens
ou pais; mas, comparativamente falando, aqueles que tinham sido os mais antigos eram, por
assim dizer, recém-nascidos, sendo no máximo alguns anos desde que foram chamados pela
graça: e eles eram como "bebês", não por causa de sua falta de conhecimento, ou falta de
habilidade na palavra de justiça; ou de não-proficiência no aprendizado das verdades divinas, e
sua grande fraqueza, atraso e imperfeição; ou por causa de sua incapacidade em absorver e
digerir a carne forte e as doutrinas subliminares do Evangelho; ou por sua instabilidade e
simplicidade, sendo facilmente enganados e iludidos; nem por sua fraqueza na fé, por não
poder andar sozinhos e por sua insuficiência em defender-se ou sustentar-se; mas por causa
de sua inocência e inocência, mansidão e humildade; e pela sinceridade de sua fé e amor,
obediência e profissão. Os prosélitos à religião dos judeus são freqüentemente ditos ou de não-
proficiência no aprendizado das verdades divinas, e sua grande fraqueza, atraso e
imperfeição; ou por causa de sua incapacidade em absorver e digerir a carne forte e as
doutrinas subliminares do Evangelho; ou por sua instabilidade e simplicidade, sendo facilmente
enganados e iludidos; nem por sua fraqueza na fé, por não poder andar sozinhos e por sua
insuficiência em defender-se ou sustentar-se; mas por causa de sua inocência e inocência,
mansidão e humildade; e pela sinceridade de sua fé e amor, obediência e profissão. Os
prosélitos à religião dos judeus são freqüentemente ditos ou de não-proficiência no
aprendizado das verdades divinas, e sua grande fraqueza, atraso e imperfeição; ou por causa
de sua incapacidade em absorver e digerir a carne forte e as doutrinas subliminares do
Evangelho; ou por sua instabilidade e simplicidade, sendo facilmente enganados e
iludidos; nem por sua fraqueza na fé, por não poder andar sozinhos e por sua insuficiência em
defender-se ou sustentar-se; mas por causa de sua inocência e inocência, mansidão e
humildade; e pela sinceridade de sua fé e amor, obediência e profissão. Os prosélitos à religião
dos judeus são freqüentemente ditos sendo facilmente enganado e iludido; nem por sua
fraqueza na fé, por não poder andar sozinhos e por sua insuficiência em defender-se ou
sustentar-se; mas por causa de sua inocência e inocência, mansidão e humildade; e pela
sinceridade de sua fé e amor, obediência e profissão. Os prosélitos à religião dos judeus são
freqüentemente ditos sendo facilmente enganado e iludido; nem por sua fraqueza na fé, por
não poder andar sozinhos e por sua insuficiência em defender-se ou sustentar-se; mas por
causa de sua inocência e inocência, mansidão e humildade; e pela sinceridade de sua fé e
amor, obediência e profissão. Os prosélitos à religião dos judeus são freqüentemente
ditosF13ser ‫כקטון שנולד דמי‬, "como uma criança recém nascida", ou um bebê recém-
nascido; para o qual a alusão pode ser feita aqui:

desejo o leite sincero da palavra; isto não é uma declaração de que essas almas recém-
nascidas o fizeram, embora isso possa ser verdade, mas uma exortação para que façam, como
aconteceu com elas: "o leite sincero da palavra" significa o Evangelho, até mesmo o tudo isso e
não, como em outros lugares, as verdades mais claras e fáceis; que é comparado ao leite por
sua pureza em si mesmo, pois toda palavra de Deus é pura e por sua natureza purificadora,
como usada pelo Espírito de Deus; e por sua doçura e sabor agradável a um homem
regenerado; e porque é fácil de digerir para um espiritual; e porque é nutritivo para ele, por ele
é nutrido para a vida eterna; e porque, como o leite é de natureza refrescante, assim o
Evangelho é um meio, nas mãos do Espírito de Deus, de aliviar essas inflamações e de
acalmar aquela ira e ardente indignação, criado na consciência de um pecador pela lei; e
porque, como o leite, usado medicinalmente, é um remédio restaurador nos transtornos
consuntivos, o Evangelho não é apenas o meio de ajudar uma pessoa em declínio, e quem é
desperdiçado e consumido pelo pecado, mas até de vivificar os que estão mortos em pecado; é
o sabor da vida para a vida. Os escritores judeus falam de ‫חלב שלתורה‬, "o leite da lei"F14, dos
quais eles geralmente interpretam F15a passagem em Isaías 55: 1Isaías 55: 1mas é muito
melhor aplicado ao Evangelho, que é o leite da palavra, ou "leite racional": não que o
Evangelho seja um esquema de acordo com a razão carnal dos homens; é contrário a isso e
acima da razão sadia, embora não repugnante; mas é o que é calculado para a fé, a razão
espiritual dos homens e para os que exercem seus sentidos espirituais, para discernir entre o
bem e o mal; é uma bebida espiritual e é feita de coisas espirituais e adequada ao homem
espiritual; é leite, não em um sentido natural, mas em um sentido místico e espiritual: a versão
siríaca traduz: "a palavra que é como leite, puro e espiritual": e é "sincera"; sem mistura, não
adulterado com as invenções e doutrinas de homens, judeus ou hereges: ou "sem
engano"; não sendo enganosamente manipulado pelos ministros fiéis, nem enganando, ou
enganando aqueles que o recebem cordialmente. Agora, isso se torna pessoa regenerada,
"desejo"; e veementemente muito depois, como um bebê recém-nascido faz depois do leite de
sua mãe; porque o Evangelho é aquele que é nascido de novo, como o peito é para um bebê: o
desejo depois dele supõe o conhecimento dele; e onde há um conhecimento experimental,
haverá um valor e estima por ele, mesmo acima da comida necessária, e, às vezes, uma fome
e sede depois dela, um desejo impaciente e desejo dela; quando tais almas trabalharem depois
dela, e diligentemente observarem e comparecerem a todas as oportunidades de desfrutá-la, e
pensarem muito antes que as estações de reunião com ela voltem; porque é alimento
adequado para eles, comida saborosa, como as suas almas amorosas,

que você pode crescer assim: as pessoas regeneradas não estão em pleno crescimento ao
mesmo tempo; eles são os primeiros filhos, depois os jovens e depois os pais em Cristo; o
Evangelho é apontado como um meio de seu crescimento espiritual, e pela bênção de Deus
torna-se assim, e que eles acham que é assim por boa experiência; e, portanto, esse leite da
palavra é desejável por causa disso, para o aumento da fé e o favorecimento da alegria
dela; por seu crescimento na graça e no conhecimento de Jesus Cristo, e em uma experiência
de força espiritual dele e para ele, como sua cabeça em todas as coisas; não apenas nas
folhas de uma profissão, mas nos frutos da graça, justiça e santidade. A cópia alexandrina, e
várias outras, e também as versões latinas, siríacas e etíopes da Vulgata, acrescentam "à
salvação": isto é,

Verso 3

Se é que provastes que o Senhor é gracioso. É feita referência ao Salmo 34: 8Salmo 34:
8"Prova e vê que o Senhor é bom"; e a versão siríaca aqui acrescenta: "se viste": pelo Senhor
se entende, o Senhor Jesus Cristo, como mostram as seguintes palavras, que é gracioso e
amável e amável em sua pessoa; que tem uma plenitude de graça nele para o seu
povo; demonstrou sua graça para com eles, comprometendo-se com eles como garantia,
assumindo sua natureza, obedecendo, sofrendo e morrendo em seu lugar; ele é gracioso em
sua palavra e promessas, verdades e ordenanças, e em todos os seus ofícios e relações; e as
pessoas regeneradas provaram que ele é assim: um homem não regenerado não tem gosto
espiritual; seu gosto é viciado pelo pecado, e não sendo mudado, o pecado é um pedaço doce
em sua boca, e ele anula tudo o que é espiritual; mas aquele que é nascido de novo saboreia
as coisas do Espírito de Deus; o pecado é excessivamente pecaminoso para ele e Cristo é
extremamente precioso; ele e seus frutos, suas promessas e bênçãos da graça, suas palavras
e preceitos, são doces ao seu gosto: e o gosto que ele tem não é mero superficial, como os
hipócritas podem ter da boa palavra de Deus, e os poderes do mundo por vir; mas tal gosto de
Cristo e de sua graça, como por uma fé verdadeira, comer a sua carne e beber o seu sangue, e
assim ter vida eterna; tais têm um conhecimento salvador e experimental de Cristo, uma
aplicação dele e seus benefícios salvadores para eles, uma revelação dele neles, para que
eles encontrem e sintam que ele habita neles, e eles nele; tais receber da plenitude de Cristo, e
graça por graça, e viver pela fé sobre ele, e receber alimento dele; e disto o apóstolo não fez
dúvidas sobre essas pessoas, mas assumiram que tinham tido tais gostos de Cristo e,
portanto, não podiam senão desejar o Evangelho, que é uma revelação de Cristo, e expõe a
glória de sua pessoa e as riquezas de sua graça; O que verdadeiramente provou de sua graça
não pode senão desejar ter mais e novos gostos; onde deveriam tê-los, mas em suas palavras
e ordenanças? e, portanto, cresceriam na graça, e conheceriam mais a Cristo, e provariam
mais da sua bondade, é do interesse deles, como é da sua natureza espiritual, desejar o
Evangelho, na pureza e sinceridade do mesmo. os que verdadeiramente provaram da sua
graça não podem deixar de desejar mais e novos sabores; onde deveriam tê-los, mas em suas
palavras e ordenanças? e, portanto, cresceriam na graça, e conheceriam mais a Cristo, e
provariam mais da sua bondade, é do interesse deles, como é da sua natureza espiritual,
desejar o Evangelho, na pureza e sinceridade do mesmo. os que verdadeiramente provaram
da sua graça não podem deixar de desejar mais e novos sabores; onde deveriam tê-los, mas
em suas palavras e ordenanças? e, portanto, cresceriam na graça, e conheceriam mais a
Cristo, e provariam mais da sua bondade, é do interesse deles, como é da sua natureza
espiritual, desejar o Evangelho, na pureza e sinceridade do mesmo.
Verso 4

A quem vem, como a uma pedra viva.... Cristo aqui, como muitas vezes em outros lugares, é
comparado a uma "pedra"; e Pedro, pelo uso dessa metáfora, mostra que ele não é a rocha,
mas Cristo é a rocha sobre a qual a igreja é construída, e ele é a pedra fundamental sobre a
qual todo crente é colocado; e é principalmente no que diz respeito à utilidade de uma pedra na
construção, que Cristo é comparado a um, que é a base e a pedra angular, assim como a força
e a duração; e ele é chamado de "vivo", porque tem vida em si mesmo, como Deus, como
Mediador e como homem; e comunica a vida aos outros, como vida natural a todas as
criaturas, e vida espiritual e eterna ao seu povo, cujo grande privilégio é vir a ele: e vir a ele
significa crer nele; e não projeta o primeiro ato de fé em Cristo, ou a primeira vinda de uma
alma a Cristo, mas um exercício contínuo e continuado de fé sobre ele; e supõe que Cristo seja
chegado, apesar de estar no céu e santos na terra, pois sua fé e esperança podem entrar e
alcançá-lo dentro do véu e, apesar de suas muitas transgressões e desvios; supõe vida neles,
ou eles não poderiam vir; e um senso de sua necessidade dele, de sua justiça para justificá-los,
de seu sangue para perdoar e purificar, de sua plenitude para suprir sua falta de alimento,
descanso, paz, conforto e salvação nele; e uma persuasão de sua capacidade e vontade de
aliviá-los: e eles são encorajados a vir a ele sob as considerações acima, como uma pedra,
uma pedra fundamental; acreditando que ele é colocado como um fundamento, e que ele é o
único fundamento, e portanto eles colocam toda a tensão da sua salvação, e construa todas as
suas esperanças de felicidade sobre ele; e como uma pedra viva, derivando graça, vida e força
dele; exercendo fé sobre ele por todas as misericórdias, bênçãos e confortos de uma vida
espiritual, e olhando para sua misericórdia para a vida eterna,

Não permitido de fato dos homens ; pelos construtores judeus, sumos sacerdotes, escribas e
fariseus, e o corpo e a maior parte daquela nação; quem o rejeitou como o Messias, e pedra de
Israel, recusou-o como pedra fundamental, e o deixou fora do edifício; e puseram outro
fundamento, até mesmo as suas próprias obras de justiça, em que fundamento arenoso se
edificaram, e orientaram outros a fazerem o mesmo; e não o deixaria, em nada, como uma
pedra viva, não viria a ele para a vida, mas procurara-o na lei, na carta de extermínio e em
meio às suas obras mortas; mas embora Cristo fosse assim desaprovado e desestimado pelos
homens, ainda assim ele era altamente valorizado e estimado por Deus:

mas escolhido de Deus e precioso ; sua natureza humana foi "escolhida" dentre todos os
outros indivíduos da humanidade; estar unido ao Filho de Deus; como Deus-homem e
Mediador, ele foi escolhido para o alto cargo, para ser a cabeça da igreja e o Salvador do
corpo; ser o alicerce no edifício espiritual e ser o autor e doador da vida espiritual e eterna para
todos quantos lhe foram dados. Além disso, essa frase denota a excelência superior de Cristo
aos anjos e homens no relato de Deus; sendo o esplendor de sua glória, a imagem expressa
de sua pessoa, o Filho de seu amor, em quem ele sempre foi bem satisfeito, e em quem ele
teve prazer infinito, considerado tanto como seu Filho, como a garantia de seu povo; e para
quem ele era

precioso , e por ele altamente honrado, feito mais alto que os reis da terra, do que os anjos no
céu, do que os próprios céus, estando assentado à destra de Deus, e um nome dado a ele
acima de todo nome neste mundo, ou que vir; e quem é precioso também para os santos, mais
do que para os rubis, pedras preciosas, qualquer coisa ou criatura; sua pessoa é preciosa,
assim como seu nome, seu sangue, sua retidão, suas verdades, suas ordenanças e seu povo.

Verso 5

Vós também, como pedras vivas... Os santos são comparados com pedras; eles estão na
mesma pedreira, e são da mesma natureza que o resto da humanidade, até serem escavados
e separados de lá pela poderosa e eficaz graça de Deus, quando eles são lavrados e
preparados para a construção espiritual; onde tanto pelo seu ornamento, beleza e força, que
eles recebem de Cristo, eles são comparados a pedras, e são duradouros e duráveis, e nunca
perecerão, nem serão removidos do edifício: e por causa daquela vida que eles derivam dele, e
tem nele, eles são chamados de "vivos", ou "pedras vivas"; o espírito de vida tendo entrado
neles, um princípio de vida sendo implantado neles, e vindo a Cristo, a pedra viva, eles vivem
sobre ele, e ele vive neles; e sua graça neles é um poço de água viva, surgindo na vida
eterna. Era comum os poetas e filósofos chamarem pedras, enquanto elas estão na pedreira
antes de serem tiradas delas, "vivas", então VirgílioF16, descrevendo os assentos das ninfas,
diz: "intus aquae dulces vivoque sedília saxo, nympharum domus", & c. mas aqui o apóstolo
chama tais pedras vivas, que foram tiradas dentre os demais: as pedras que Deucalião e Pirara
lançaram sobre suas cabeças após o dilúvio são chamadas F17 ζωοθεντες λιθοι, "pedras
aceleradas", elas se tornam homens, como diz a fábula. "São construídas uma casa
espiritual"; essas pedras vivas sendo lançadas, e cimentadas juntas, em um estado de igreja
do Evangelho, tornam-se a casa de Deus em um sentido espiritual, em distinção da casa
material do tabernáculo e templo antigo, para o qual a alusão é; e que é construída uma
habitação para Deus, pelo Espírito, e é composta de homens espirituais; tais como ter o
Espírito de Deus, e saborear as coisas do Espírito, e adorar a Deus em Espírito e em
verdade; entre os quais se realizam serviços espirituais, como oração, louvor, pregação e ouvir
a palavra, e administrar ordenanças. Alguns lêem estas palavras no imperativo, como uma
exortação: "Sede edificados como pedras vivas, e sêis templos espirituais e santos
sacerdotes", como a versão siríaca. ‫בית רוחגי‬, "uma casa espiritual"F18; e assim é o terceiro
templo que os judeus esperam nos tempos do Messias; dos quais um de seus
escritoresF19 assim diz:

"é sabido pelos antigos sábios que a futura redenção, com a qual será o terceiro santuário "
espiritual ", é a obra de Deus, e não será como as primeiras redenções:" Eu encherei esta casa
com glória "; isto é ‫רוחני‬," um "espiritual, pois mesmo os muros serão bursonos ," espirituais
"- pois mesmo toda esta" casa "será" espiritual ", para aquilo que foi então construído, que é o
segundo será transformado em outro "espiritual":

e que já foi feito, e é o que o apóstolo quer dizer aqui, a igreja, sob a dispensação do
Evangelho, ou o estado da igreja do Evangelho, em oposição ao santuário mundano e
adoração carnal dos judeus,

Um sacerdócio santo ; em alusão aos sacerdotes sob a lei, que foram separados, e
santificados para esse ofício; mas agora, sob o Evangelho, todos os santos são sacerdotes
para Deus, e todos são designados e dirigidos

oferecer sacrifícios espirituais ; todo o seu ser, almas e corpos, como um sacrifício sagrado,
vivo e aceitável; suas orações e louvores, e todas as boas obras feitas na fé, e do amor, e para
a glória de Deus; particularmente atos de bondade e beneficência para os santos pobres; estes
são chamados espirituais, em distinção de sacrifícios legais, e porque oferecidos de maneira
espiritual, sob a influência, e pela assistência do Espírito de Deus e com seus espíritos. Assim,
os judeus falam de sacrifícios espirituais, distintos dos materiais:

"o sacrifício intelectual (eles dizem F20) é antes dos sacrifícios materiais, tanto no tempo como
na excelência Caim trouxe uma oferta ao Senhor do fruto da terra, e eis que a atenção
intelectual não concordou com isto, que é the ‫ רבן הרוחני‬, "o sacrifício espiritual" .

Agora esses são

aceitável a Deus por Jesus Cristo ; através de quem eles são oferecidos; porque é através
dele que os santos têm acesso a Deus, apresentam-se a ele e aos seus serviços; e tanto as
pessoas como os serviços só são aceitos em Cristo, e por causa dele, e em virtude de seu
sacrifício, que é sempre de um aroma suave a Deus,

Verso 6

Por isso também está contido nas Escrituras , ... Isaías 28:16Isaías 28:16 . Isto é produzido
como uma prova da excelência de Cristo, em comparação com uma pedra; e de sua utilidade
no edifício espiritual; e de ele ser escolhido por Deus e precioso, embora rejeitado pelos
homens; e da felicidade, conforto e segurança daqueles que acreditam nele. Que esta profecia
pertence ao Messias, é o sentido de alguns dos escritores judeus: o Targum aplica-o a um
poderoso rei; não menciona o rei Messias, como GalatinusF21cita isso; mas Jarchi o nomeia
expressamente e interpreta isso dele:

eis que eu coloco em Sião uma pedra angular principal, eleita e preciosa ; Cristo é aqui
chamado de pedra angular, como em Efésios 2:20Efésios 2:20 porque ele não apenas adorna
e fortalece o edifício, mas une as partes, e as mantém unidas, mesmo todos os santos, judeus
ou gentios, em todas as épocas e lugares, seja no céu ou na terra; e ele, como tal, é escolhido
por Deus para esse propósito, e é precioso para Deus e para o homem, por causa disso; e é
uma pedra, não da postura dos homens, mas da posição de Deus em seu conselho, pacto,
promessas e profecias, na missão dele neste mundo e no ministério do Evangelho; o lugar
onde ele está colocado está em Sion, a igreja do Evangelho, da qual ele é tanto o alicerce
como a pedra angular: e esse relato é introduzido com um "eis", sendo algo muito maravilhoso
e digno de atenção: ao qual é adicionado,

aquele que nele crer não será confundido : ou "envergonhado"; da fundação e pedra angular
de Cristo, nem da sua fé nele; e ele não será confundido por homens ou demônios, nem neste
mundo, nem naquele que virá; ele terá confiança diante de Cristo e não se envergonhará de
sua vinda; ele estará seguro agora, sendo colocado sobre esta pedra; nem será removido dele,
nem intimidado por nenhum inimigo, para fugir dele; nem se apressará, como em Isaías
28:16Isaías 28:16, de estabelecer outro fundamento; e ele será achado sobre isto daqui em
diante; de modo que sua pessoa e estado estarão seguros, embora muitas de suas obras
possam ser queimadas,

Verso 7

Para você, portanto, que acredita.... E esses não são todos aqueles que podem dizer seu
credo ou dar seu consentimento aos artigos dele; nem todos que acreditam em uma revelação
divina, e que as Escrituras são a palavra de Deus, e dão crédito a tudo o que está contido nos
oráculos sagrados; ou que acreditam em todo o Evangelho e em todas as verdades dele; assim
há um só Deus; que existem três pessoas na Divindade, Pai, Filho e Espírito; que Cristo é o
Filho de Deus e verdadeiramente Deus; que ele é o mediador entre Deus e o homem; que ele é
o Messias, se encarnou, obedeceu, sofreu e morreu pelos homens, e é o Salvador deles: que
ele ressuscitou, subiu ao céu, está assentado à direita de Deus, intercede por seu povo. e virá
uma segunda vez para julgar o mundo em justiça; juntamente com todas as outras verdades
que surgem, dependem, e estão conectados com estes; nem todos que dizem acreditar ou
professam fazê-lo; mas aqueles que se viram perdidos e desfeitos pelo pecado, sua
necessidade de um Salvador e Cristo como o único; que viu o Filho, a beleza de sua pessoa, a
plenitude de sua graça e a necessidade e adequação da salvação por ele; quem o viu como
capaz de salvá-los, como todo meio adequado a eles e desejável por eles, pois a fé é uma
visão de Cristo; que também vem a ele sob os desenhos da graça eficaz, como perecer os
pecadores, encorajado por seus convites e declarações, e se aventurar nele; que da mesma
forma se apodera dele, como seu Salvador, e não terá outro; entreguem-se a ele e entreguem
tudo nas suas mãos; que confiam e se mantêm sobre ele, confiam nele com tudo o que têm, e
por tudo que eles querem, esperando graça e glória dele; que vivem nele, e andam nele,
continuam crendo nele, até que recebam o fim de sua fé, a salvação de suas almas. Agora,
para estes, na prova do que é afirmado na passagem acima de Isaías, Cristo é

precioso ; ele é assim em todos os seus nomes e títulos, como Emanuel, Deus conosco, e
aquele grupo deles em Isaías 9: 6 Isaías 9: 6 e particularmente seu nome Jesus, um Salvador,
que é como ungüento derramado, e atrai o amor dos crentes para ele; e assim ele está em
ambas as naturezas, divina e humana; as perfeições da divindade nele, seu ser na forma de
Deus, e igual a ele, o brilho da glória de seu Pai, e a imagem expressa de sua pessoa, tornam-
no muito amável na visão dos crentes; que justamente concluir daí, que tudo o que ele fez e faz
deve responder aos propósitos para os quais foram projetados; e ele tendo uma perfeita
natureza humana, semelhante à deles, exceto o pecado, no qual ele operou a salvação para
eles na terra, e agora é glorificado no céu, faz dele um objeto encantador para eles: ele
também é precioso para eles em todos os seus ofícios ; em seu ofício sacerdotal, seu sangue é
precioso, como deve ser, porque por ele são comprados e redimidos; eles são justificados e
santificados por ela; através dela eles têm o perdão do pecado, e ousadia para entrar no mais
santo de todos: a sua justiça é preciosa para eles, sendo o melhor manto, o manto de bodas,
linho fino, limpo e branco, todos os caminhos adequados a eles, e responde às exigências da
lei; é puro, perfeito e eterno; aquilo pelo qual eles são justificados de todas as coisas, e que
responderão por eles num tempo futuro, e os habilitará para a vida eterna. Seu sacrifício é
precioso, de sabor doce para eles, assim como para Deus; pelo qual seus pecados são
totalmente expiados, colocados e tirados; satisfação plena sendo feita para eles, e eles
mesmos aperfeiçoados para sempre. E assim ele está em seu ofício profético. Sua palavra é
preciosa, e todas as verdades do evangelho, que são comparáveis a ouro, prata, e pedras
preciosas; as promessas dela são maiores e preciosas, sendo adequadas aos casos de todos
os crentes; e ele também é precioso em seu ofício real; seus comandos não são graves; o seu
jugo é suave e carrega a luz; os crentes amam os seus mandamentos acima do ouro,
sim; acima do ouro fino, e estima os seus preceitos concernentes a todas as coisas, e deleite-
se nos seus caminhos e ordenanças; além disso, ele é precioso para eles em todas as suas
relações, como ele é a cabeça de eminência e influência, seu marido amável e amoroso. seu
pai eterno, seu irmão afetuoso e amigo fiel; toda a sua pessoa, em todo ponto de vista, é
preciosa para os que crêem; a igreja de Cristo, os membros do seu corpo, os filhos de Sião,
comparáveis ao ouro fino, nestes é todo o deleite dos santos; tudo que está em Cristo, que é
dele, ou pertence a ele, é precioso para tais almas: alguns lêem as palavras, "para você,
portanto, que acreditam, ele é honra"; como a Vulgata versões latinas, árabes e etíopes; e
então a palavra é traduzida emRomanos 13: 7 Romanos 13: 7 , ele é tanto uma honra para
eles, que eles estão relacionados a ele; e ele é honrado por eles, crendo nele e obedecendo-
o; e ele é a causa de toda a sua verdadeira honra, tanto neste como no outro mundo. A versão
siríaca traduz, "portanto esta honra é dada"; a saber, que tal pedra é colocada, e que eles
foram construídos sobre ela, e não devem ser confundidos ou envergonhados, seja aqui ou no
futuro; conectando as palavras com o precedente. A Septuaginta usa a palavra que o apóstolo
aqui faz, em Isaías 11:10Isaías 11:10, onde é profetizado sobre o Messias, que seu descanso
será glorioso; eles o tornam τιμη , "honra" ou "precioso". Os escritores judeus adotaram a
palavra ‫טימי‬em sua língua,F23; em que sentido é aplicável a Cristo, que é ganho para os
crentes, tanto na vida como na morte; eles são abençoados com todas as bênçãos espirituais
nele, e ele é tudo em tudo para eles: e também eles o usam, como denotando o preço
intrínseco e valor de qualquer coisaF24e qual é o sentido correto da palavra; e para os crentes o
preço da sabedoria, ou Cristo, está muito acima dos rubis e de todas as coisas que podem ser
desejadas; para eles, ele é precioso como uma pedra, como um alicerce e uma pedra angular,
e mais precioso do que as pedras ou coisas mais preciosas da natureza; isto é para aqueles
que crêem: o próximo segue, neste e no outro verso, o relato do que ele é para aqueles que
não crêem:

mas aos desobedientes ; que não são persuasivos, incrédulos e são filhos da
desobediência; que não obedecem a Deus e a sua lei justa, nem a Cristo e seu Evangelho:

a pedra que os construtores desaprovaram, o mesmo é feito a cabeça da


esquina ; referência é manifestamente tinha a Salmos 118: 22 Salmo 118: 22, que é uma
passagem que claramente pertence ao Messias, e que é sugerido pelo próprio Cristo; veja Gill
em Mateus 21:42 Mateus 21:42 ; e é pelo nosso apóstolo, em Atos 4:11Atos 4:11 aplicado a
ele: pelos construtores se entende os governantes dos judeus, tanto civis como eclesiásticos, e
especialmente os últimos, os escribas, fariseus e principais sacerdotes; que montaram para os
construtores da igreja de Deus, mas eram miseráveis; construíam-se e ensinavam outros a
construírem, observando a lei cerimonial e as tradições dos anciãos; em seus privilégios
carnais e justiça moral; e estes desaprovaram de Cristo no edifício, rejeitaram-no como o
Messias, recusaram-no como Salvador e Redentor, e desprezaram-no, tiveram-no em extrema
desdém e consideraram-no como verme e não como homem; mas, para sua grande
mortificação, ele não somente é estabelecido e retido como o alicerce e a pedra angular, mas
fez a cabeça do edifício e é exaltado à direita de Deus, acima de anjos e homens; ele é a
cabeça do corpo a Igreja; ele é mais alto que os reis da terra, e os anjos estão sujeitos a ele,
Verso 8

E uma pedra de tropeço e uma rocha de ofensa , ... O apóstolo alude a Isaías 8:14 Isaías
8:14 e que é uma profecia do Messias; Veja Gill em Romanos 9:33Romanos 9:33 e teve sua
realização nos judeus descrentes e desobedientes; que tropeçou em seu nascimento e
parentesco; à maneira de seu nascimento, nascendo de uma virgem; com a mesquinhez de
seus pais, seu suposto pai sendo carpinteiro e sua mãe, Maria, uma pobre mulher, quando
esperavam que o Messias tivesse surgido de alguma família rica e nobre; e no lugar de seu
nascimento, que eles imaginavam ser a Galiléia, de sua educação e conversação ali; eles
tropeçaram também em sua educação, e não podiam conceber como ele deveria saber cartas,
e de onde ele deveria ter sua sabedoria, nunca tendo sido treinado em nenhuma de suas
escolas e academias, ou aos pés de qualquer um de seus médicos e rabinos. ; mas, por outro
lado, foi criado e empregado no ofício de carpinteiro; eles tropeçaram em sua maldade e
pobreza externas, quando esperavam que o Messias fosse um monarca rico, poderoso e
glorioso; e assim, na obscuridade de seu reino, que não era deste mundo, e não veio com
observação, quando eles sonharam com um terreno e temporal, que deveria ser estabelecido
em grande esplendor e glória; e eles tropeçaram igualmente na companhia que ele mantinha, e
na audiência que o atendia, sendo o tipo mais pobre do povo, e o mais analfabeto, e também
aqueles que tinham sido muito profanos e perversos, como publicanos e prostitutas; além
disso, eles tropeçaram em seu ministério, na doutrina que ele pregava, particularmente na
doutrina de sua divindade e de comunhão espiritual com ele, comendo sua carne e bebendo
seu sangue, e nas doutrinas da graça distintiva; e assim em seus milagres, pelos quais ele
confirmou sua missão e ministério, algumas delas sendo trabalhadas no dia de sábado, e
outras imputadas à influência e assistência diabólicas, em uma palavra, tropeçaram em sua
morte, tendo embebido a noção de que Cristo permanece para sempre, e especialmente à
maneira dela, a morte. da cruz; portanto, a pregação de Cristo crucificado sempre foi, e ainda
é, uma pedra de tropeço para eles:

até para aqueles que tropeçam na palavra; ou a Palavra essencial, Cristo Jesus, como
antes; ou melhor, na doutrina do Evangelho, na parte que respeita uma trindade de pessoas na
Divindade; porque sua razão carnal não poderia compreendê-lo, e eles se recusaram a se
submeter à revelação e a receber o testemunho de Deus, que é maior que o dos homens; e
naquela parte dele que considera a divindade de Cristo, e que por esta razão, porque ele era
um homem, e a fim de enervar a eficácia de seu sangue, justiça e sacrifício, e temendo que
muita honra seja dada a ele; e também naquela parte da palavra que diz respeito à graça
distintiva de Deus, como eleição pessoal eterna, redenção particular e graça eficaz na
conversão; contra a qual a mente carnal do homem está continuamente cavando e
respondendo, e, ao fazê-lo, contra o próprio Deus, acusando-o de crueldade, injustiça e
insinceridade; e particularmente naquela parte da palavra que sustenta a doutrina da
justificação livre, pela justiça de Cristo; este foi o grande obstáculo dos judeus, que procuravam
a justiça, não pela fé, mas, por assim dizer, pelas obras da lei, sendo ignorantes da justiça de
Deus, e da espiritualidade da lei, e de eles mesmos, e sua própria justiça, da qual eles tinham
uma opinião arrogante:

ser desobediente ; à revelação do Evangelho, e não querendo submeter sua razão carnal a
isto; esta é a fonte e causa de seu tropeço em Cristo e em seu Evangelho: vale a pena
comparar isto com a paráfrase de Isaías 8:14Isaías 8:14, à qual a passagem é aqui referida; e
a paráfrase dela é assim,

"" se não obedecerdes ", a sua palavra estará entre vós para vingança, e para uma ferida de
pedra, e para uma rocha de ofensa a ambas as casas dos príncipes de Israel, e para
destruição e ofensa àqueles que estão divididos sobre o casa de Judá, etc.

onde também eles foram nomeados; tanto para tropeçar na palavra do Evangelho, quanto
em Cristo, a soma e substância disso, ele sendo colocado no conselho e propósito de Deus,
como para o levante de alguns, assim para o tropeço e queda de outros; e também àquela
desobediência e infidelidade que foi a causa de seus tropeços; porque há alguns a quem Deus
designou e preordenou para crer em Cristo, a quem ele determinou conceder-lhe a verdadeira
fé e tê-la como um presente puro, em conseqüência de tal nomeação; assim há outros, a quem
ele determinou deixar naquela desobediência e infidelidade em que a queda os trouxe e
concluiu, através dos quais tropeçam em Cristo, e sua palavra e, em conseqüência disso,
justamente perecem; mas este não é o caso de todos; há alguns que são objetos de graça e
favor distintivo,

Versículo 9

Mas vós sois uma geração escolhida .... ou "parentesco"; a frase deve ser vista na
Septuaginta, em Isaías 43:20Isaías 43:20, a qual, e o seguinte versículo, o apóstolo se refere
aqui, e em outra parte deste texto. A alusão é para o povo de Israel em geral, que, de uma
maneira externa, era tudo o que é dito aqui; mas só era verdade em um sentido espiritual dos
que foram escolhidos e chamados entre os judeus: e que eram uma "geração ou
parentesco"; sendo regenerado, ou através da abundante misericórdia gerada, e de uma
semente incorruptível nascida de novo; e eram semelhantes a Deus, ele sendo seu pai, e eles
seus filhos adotando graça, e que foi manifestada por seu novo nascimento; e também
semelhante a Cristo, sendo ele cabeça, marido, pai e irmão, e eles seus membros, esposo,
filhos e irmãos; e aos santos, sendo da mesma família e família no céu e na terra; tendo o
mesmo Pai, Senhor, Espírito, fé, batismo, e todos eles irmãos: e eles eram uma geração ou
povo "escolhido"; sendo famoso, e em alta estima com Deus, e considerado por ele por uma
geração; ele os escolheu acima de todas as tribos, línguas, pessoas e nações, e isto desde
toda a eternidade; e de sua soberana boa vontade e prazer; e não por causa de sua fé,
santidade e boas obras; e para benefícios especiais, para a relação e parentesco em que
estão, para adornar aqui e gloriar-se a seguir; para regeneração e santificação, e para salvação
e vida eterna; assim como Israel, como nação, foi escolhido acima de todos os outros, por
causa do amor de Deus a eles, e por nenhuma outra razão, a muitos privilégios e favores
externos, que outros não desfrutaram: agora o apóstolo menciona esse caráter primeiro,
porque deus

um sacerdócio real ; referindo-se a Êxodo 19: 6 Êxodo 19: 6 , onde os israelitas são
chamados de "reino dos sacerdotes"; que a paráfrase do Caldee presta, reis e
sacerdotes; veja Apocalipse 1: 6Apocalipse 1: 6um personagem que um dos comentaristas
judeus dizF25voltará aos judeus ‫"לעתיד לבא‬no tempo para vir"; e bem concorda com todas as
pessoas de Cristo, sejam judeus ou gentios, que são todos eles reis, através de sua relação
com Cristo; e no tempo presente tem um reino que não pode ser movido, ou tirado
deles; sendo não só trazido para a dispensação do Evangelho, o reino do Messias, e tendo
direito a todos os privilégios e imunidades do mesmo, mas também tem o reino da graça
estabelecido dentro deles, ou graça, como um princípio reinante, implantado em eles; que não
está em nada externo, mas em retidão e verdadeira santidade, em paz interior e alegria
espiritual; e eles têm o poder dos reis sobre o pecado, Satanás e o mundo; e as riquezas dos
reis, possuindo agora as riquezas da graça, e tendo direito às riquezas da glória em outro
mundo; eles vivem como reis, eles usam roupas reais, o manto da justiça de Cristo; eles se
sentam à mesa do rei e se alimentam de iguarias reais; e são atendidos como reis, sendo os
anjos seus guardas de vida e espíritos ministradores para eles; e daqui em diante eles reinarão
com Cristo na terra, e que pelo espaço de mil anos, e, depois disso, para sempre: sendo
elevados de um estado baixo, para herdar a coroa da glória, para usar a coroa da vida e
justiça, e possua o reino preparado para eles desde a fundação do mundo, do qual eles são
agora herdeiros: e eles são "sacerdotes", assim como reis; sendo feito assim por Cristo, e
através de seu ofício sacerdotal; são ungidos com o Espírito Santo, e santificados por sua
graça, e autorizados a se aproximarem de Deus, e oferecer por Cristo seus sacrifícios
espirituais de oração e louvor; e são capacitados e auxiliados a oferecer o sacrifício de um
coração quebrantado, e de seus corpos também, e até mesmo de suas vidas quando
chamados a ele; a alusão é para o reino e o sacerdócio sendo anteriormente juntos, e que se
encontraram em Cristo,Zacarias 6:13Zacarias 6:13 e no seu povo. Os judeus estavam
acostumados a chamar a dignidade sacerdotal e escritório ‫כתר כהנה‬, "a coroa do
sacerdócio"F26:
uma nação santa ; referindo-se ao mesmo lugar em Êxodo 19: 6Êxodo 19: 6, onde os
israelitas são assim chamados, sendo separados por Deus de outras nações e legal e
externamente santificados por ele; como todo o verdadeiro Israel de Deus é santificado, ou
separado por Deus Pai, em eleição eterna, para real e perfeita santidade; e são santificados ou
purificados do pecado, pelo sangue e sacrifício de Cristo; e são internamente santificados pelo
Espírito de Deus; tem princípios de santidade neles, de onde eles vivem vidas santas e
conversas:

um povo peculiar ; como os israelitas são chamados de um "tesouro peculiar", Êxodo 19:
5 Êxodo 19: 5,ao qual a referência é: os eleitos de Deus são um povo peculiar, a quem ele tem
um amor peculiar; eles são escolhidos por ele para ser um povo especial acima de todos os
outros, e têm bênçãos peculiares concedidas a eles, e um cuidado peculiar é tomado
deles; eles são do Senhor, ‫סגלה‬, seu tesouro, suas jóias, sua porção e herança e, portanto, ele
vai preservar e salvá-los; eles são um povo para aquisição, compra e posse, como as palavras
podem ser traduzidas; a quem Deus obteve, adquiriu e comprou para si, com o precioso
sangue de seu Filho; daí a versão siríaca os renderiza, ‫כנשא פריקא‬Atos 20:28 Efésios 1:14 Tito
2:14 , "uma companhia redimida": o mesmo com a igreja que Deus comprou com seu
sangue, Atos 20:28 e a possessão adquirida, Efésios 1:14 e que são remidos e purificados
para serem, e parecem ser um povo peculiar, zelosos de boas obras, Tito 2:14 o fim de tudo
que a graça lhes sendo concedida na eleição, redenção e regeneração é,

para que mostreis os louvores dele ; isto é, Deus, que os escolheu em parentesco e relação
espiritual, fez deles reis e sacerdotes, santificou-os pelo seu Espírito e os redimiu pelo seu
Filho, como povo peculiar; todos os que os obrigavam a mostrar com os lábios, e em suas
vidas e conversas, suas "virtudes": lemos "louvores"; e assim a versão siríaca; isto é, o poder, a
sabedoria, a bondade, o amor, a graça e a misericórdia de Deus, e as recomendações deles,
exibidas nos exemplos acima: o apóstolo parece estar de olho em Isaías 43:21Isaías 43:21 ,
onde a Septuaginta usa o mesmo palavra para "louvor", como aqui: a seguir segue uma
perífrase de Deus, e nela um argumento, ou razão para falar de suas virtudes, e mostrar seu
louvor:

que te chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; que deve ser entendido, não de um
chamado externo somente pelo ministério da palavra; porque muitos são chamados nesse
sentido, que não são escolhidos, redimidos e santificados; mas de um chamado interno,
especial, poderoso, santo e celestial, pelo Espírito e graça de Deus: e isto é, "das trevas"; das
trevas da lei, sob a antiga dispensação, que era como a noite, em comparação com o dia do
Evangelho; e daquela escuridão em que os judeus estavam particularmente, na e acerca da
vinda de Cristo, sendo ignorantes da justiça de Deus e da espiritualidade da lei; tendo perdido
todas as noções corretas do Messias, e o verdadeiro sentido das Escrituras, e foram levadas
com as tradições dos anciãos, e guiadas por guias cegos, os escribas e fariseus; fora desta
escuridão, bem como o que é comum aos homens,

em sua maravilhosa luz: pelo qual eles viram a excessiva pecaminosidade do pecado, a
insuficiência de sua justiça, sua necessidade de Cristo e salvação por ele; e foi surpreendente
para eles que os que nasceram cegos e fossem criados nas trevas, e fossem trevas, fossem
iluminados no Senhor; e os objetos que eles viram eram incríveis para eles; tudo de uma
maneira espiritual era maravilhoso aos olhos deles; especialmente o sol da justiça, a luz do
mundo, e também as coisas maravilhosas da lei, ou doutrina de Cristo, o Evangelho, e o
surpreendente amor e graça de Deus, no todo, e nas várias partes de suas salvação: foi com
eles, como se uma criança, desde o momento de seu nascimento, fosse calada em uma
masmorra, onde não houvesse a menor fresta para deixar entrar o menor grau de luz, e
deveria continuar aqui até anos de maturidade, e depois ser trazido imediatamente, ao meio-
dia, o sol brilhando em toda a sua força e glória, quando isso particularmente, e todos os
objetos ao seu redor, devem atingi-lo com admiração e surpresa. A versão siríaca traduz, "sua
mais excelente luz"; o apóstolo parece se referir à forma de louvor e ação de graças usada
pelos judeus, no tempo da Páscoa; quem disseF1,

"somos obrigados a confessar, a louvar, a glorificar, & c. aquele que fez por nossos pais e por
nós todas estas maravilhas; ele nos tirou do cativeiro para a liberdade; da tristeza à alegria e
do luto à um bom dia, ‫ומאפילה לאור גדול‬, "e das trevas para a grande luz", e da sujeição para a
redenção.

Isso também fazia parte da oração da manhãF2,

"Confesso diante de ti, ó meu Deus, e do Deus de meus pais que me tiraste das trevas para a
luz.

E deve-se observar que a terceira Sephira, ou número, na árvore cabalística judaica, que
responde à terceira pessoa na Trindade, entre outros nomes, é chamada de "luz
maravilhosa".F3,

Verso 10

Que com o tempo não eram um povo , .... Um "Loammi" sendo colocado sobre
eles; veja Oséias 1: 9Oséias 1: 9 a qual o apóstolo se refere aqui: os eleitos de Deus, seja
entre judeus ou gentios, foram, desde a eternidade, seu povo escolhido e seu povo da
aliança; e, como tal, foram dados a Cristo, e eles se tornaram seu povo, e seu cuidado e
encargo; e ele os salvou pela sua obediência, sofrimentos e morte, e redimiu-os para si
mesmo, um povo peculiar: antes, porém, antes da conversão, eles não são um povo formado
por Deus para si e para seu louvor; nem o povo voluntário de Cristo, seja para ser salvo por ele
ou para servi-lo; nem são, nem podem ser verdadeiramente conhecidos por si mesmos, ou por
outros, como o povo de Deus: a versão siríaca dá o verdadeiro sentido da frase, tornando-a
"aqueles que antes não eram""contado ou considerado um povo"; isto é, por outros:

mas agora são o povo de Deus ; sendo regenerado, chamado e santificado, eles são
avocados por Deus para ser seu povo; eles têm o testemunho do Espírito para seus espíritos,
que eles são o povo de Deus; eles podem então reivindicar sua relação com Deus, e são
conhecidos, reconhecidos e chamados pelo povo de Deus, por outros:

que não obteve misericórdia, mas agora obteve misericórdia ; sendo chamado
anteriormente, Loruhamah, Oséias 1: 6Oséias 1: 6, que passagens do apóstolo tem em vista:
antes da conversão, há misericórdia no coração de Deus para com seus eleitos, e assim há no
pacto da graça, e que foi mostrado na provisão de seu Filho como Salvador, na missão dele, e
redenção por ele; mas isto não lhes é manifesto, até que sejam novamente gerados, segundo a
abundante misericórdia, e então obtenham misericórdia; tendo em sua regeneração uma
demonstração evidente da misericórdia de Deus para com eles, e uma aplicação de sua graça
e misericórdia perdoadoras, através do sangue de seu Filho, para eles.

Verso 11

Querido amado, rogo-lhe , ... O apóstolo, de caráter dos santos, e que expresse suas
bênçãos e privilégios, com grande beleza, propriedade e pertinência, passa a exortações a
deveres; ele se dirige aos santos sob esta apelação afetuosa, "amados", para expressar seu
grande amor a eles, e para mostrar que o que ele estava prestes a exortá-los a ter um sincero
e caloroso afeto por eles, e estava com a intenção de muito bom; nem ele de maneira
autoritária comanda, como poderia ter feito, como um apóstolo, mas, como amigo, ele implora
e suplica:

como estranhos e peregrinos; não em um sentido literal, embora estivessem em um país


estrangeiro, em uma terra estranha, e ali residentes, mas em um sentido espiritual e
místico; eles eram "estrangeiros", não para Deus e para Cristo, e para o Espírito, para si
mesmos, para os santos e para tudo que é bom, como antigamente eram, mas para o mundo,
os homens dele e as coisas nisso; e, portanto, eles se separaram dele e não se conformaram a
ele; abstendo-se de toda a aparência do mal, não tendo companheirismo com as obras
infrutíferas das trevas, mas negando a impiedade e as concupiscências mundanas; e eles eram
"peregrinos"; cujo hábito é Cristo e sua justiça; cuja comida é Cristo e sua plenitude; cuja
equipe é Cristo e as promessas; cujo guia é o Espírito abençoado; o lugar para o qual eles
estão ligados é o céu, o melhor país, onde está o seu pai. s casa, seus amigos e sua
herança; este mundo não sendo seu país, nem seu lugar de descanso, tornou-os a ter a sua
conversa no céu, e

abstenha-se das concupiscências carnais ; que brotam da carne e se preocupam com as


coisas carnais, e são exercidas nos e pelos membros da carne, ou corpo; portanto, na versão
siríaca, eles são chamados de "as luxúrias do corpo": estas devem ser abster-se; não que o
apóstolo pensasse que eles poderiam estar sem eles; porque enquanto os santos estiverem no
corpo, a carne ou a natureza corrupta estarão neles e as suas concupiscências; mas então
estes não devem ser favorecidos, ou provisão a ser feita para eles, para satisfazê-los; eles não
devem ser obedecidos e servidos, ou vividos, mas devem ser negados e crucificados, sendo
inadequados ao caráter de estranhos e peregrinos, e também por causa de sua natureza
nociva e perniciosa:

qual guerra contra a alma ; veja Romanos 7:23Romanos 7:23 , esses são inimigos da paz
espiritual, conforto e bem-estar da alma; e sendo da casa de um homem, e em seu coração,
são os piores inimigos que ele tem; e deve ser tratado como tal, ser evitado e evitado, vigiado e
protegido contra; pois, embora não consigam destruir as almas dos verdadeiros crentes, eles
podem trazer muita magreza sobre eles, e grandemente afligi-los, e roubar-lhes a alegria
interior e o prazer espiritual.

Versículo 12

Tendo a sua conversa honesta entre os gentios , .... Para ter a conversa honesta, é
proporcionar coisas honestas aos olhos dos homens; viver e andar honestamente diante de
todos; para fazer as coisas certas e honestas aos olhos de Deus e entre os homens; ordenar a
conversa corretamente, de acordo com a lei de Deus, que é uma regra de andar e conversar, e
como se torna o Evangelho de Cristo; e qual era o mais, e um pouco para ser atendido, porque
estes judeus convertidos estavam "entre os gentios", que não conheciam a Deus; idólatras e
incrédulos, pecadores profanos, que esperavam a sua hesitação, e que eles poderiam tirar
vantagem contra eles, e do Evangelho, e da religião que professavam, de suas conversas:

que enquanto eles falam contra você como malfeitores : acusando-os de imoralidades
grosseiras, como os pagãos fizeram os cristãos nas primeiras eras; que aparece
evidentemente das desculpas de Tertuliano, Jnstin Mártir e outros; embora pareça que os
convertidos judeus são aqui intencionados, que foram acusados pelos gentios de princípios e
práticas sediciosos, e de agir contra as leis do governo civil, recusando submeter sujeição a
magistrados gentios, e obediência aos mestres pagãos; e, portanto, o apóstolo, em alguns
versículos seguintes, amplia esses deveres e a quem ele os exorta a atender, a fim de que eles
possam silenciar a ignorância de tais acusadores tolos;

para que possam, por suas boas obras, contemplarem, glorificar a Deus no dia da
visitação ; ou "julgamento", ou "exame", como a versão siríaca o processa; que pode ser
entendido de visitação humana ou divina; se do primeiro, então o sentido é, que os santos
atendam a todos os deveres da vida civil, que quando os magistrados pagãos vêm visitar seus
vários distritos, e inquirem e examinam a conduta dos homens, e vendo e descobrindo que os
cristãos Comportem-se bem e em ordem, em vez de persegui-los, eles abençoarão a Deus por
serem tão bons súditos; se da visitação divina, que parece mais provável, isto deve ou projetar
uma visitação por meio de julgamento, ou de misericórdia; pois como os judeus
dizemF4há ‫פקידה‬, "uma visitação", para o bem, e uma visitação para o mal: Deus às vezes visita
em um modo de punição pelo pecado, e às vezes em longe da graça, para o bem e bem-estar
dos homens; e então o sentido é que, quando homens perversos notarem e observarem as
boas obras dos santos, sua conversa civil, honesta e ordeira, eles glorificarão a Deus por
causa disso, que lhes permitiu realizá-las; e reconhecer a bondade deles, e o julgamento
errado que eles passaram sobre eles, e a má medida que eles mediram para eles; e isto será,
quando Deus os visitar de um modo de ira, como no dia do julgamento, ou no tempo de alguma
calamidade temporal antes, ou quando ele os visitar de maneira misericordiosa, os chama por
sua graça, e efetivamente trabalha sobre eles pelo seu Espírito:Mateus 5:16Mateus 5:16 .

Versículo 13

Submeta-se a toda ordenação do homem , .... Ou "a toda criação humana" ou "criatura"; não
para "todos os filhos dos homens", como a versão siríaca a traduz; ou para todos os indivíduos
da humanidade; pois há alguns que estão em tais estações e circunstâncias, que não devem
ser submetidos, mas para serem governados e governados: assim os reis não devem se
submeter aos seus súditos, nem os pais devem estar sujeitos aos seus filhos, nem maridos
para suas esposas, nem mestres para seus servos, o que seria absurdo; mas a submissão é
limitada e restringida a pessoas em tal lugar e situação: "a criatura humana", ou "criação", aqui
projeta os gentios, que em outro lugar são chamados a criatura, toda a criação, toda criatura e
toda criatura debaixo do céu. ,Romanos 8:19 e particularmente os magistrados pagãos,
criações de estilo ou criatura: não como homens, pois todos os homens, como tais, são
criaturas; mas como magistrados, sendo criados, constituídos e apontados como tais, e
instalados e investidos com tal cargo: e "humanos"; não somente porque eram homens, e
foram tirados dentre os homens que possuíam o ofício de magistrados, e governavam sobre os
homens, e eram para o bem e a vantagem da humanidade, mas porque foram criados e
colocados em tal posição pelos homens; embora o próprio governo seja de Deus, é uma
instituição divina, ainda assim, essa e aquela forma particular de governo é do homem; e
especialmente as formas de governo entre os gentios eram humanas; e são aqui chamados,
em distinção da forma de governo entre os judeus, que era uma teocracia e era divina; portanto
os judeus e assim estes convertidos, escrupulosos obedecendo aos magistrados pagãos; em
que conta eles foram falados contra, como malfeitores; daí o apóstolo, em primeiro lugar, e
como parte principal de sua conversa honesta entre os gentios, exorta-os a submissão aos
magistrados civis, embora fossem criaturas de homens; e para todos eles, embora um gentio,
um incrédulo e um homem perverso: e isto ele insta,

pelo amor do Senhor; por amor de Cristo Jesus, o Senhor, por causa do seu mandamento,
que ordenou dar a César o que é de César; e em imitação dele, que pagou tributo a quem o
tributo era devido; e por causa de sua honra e glória, que era mal pensado e falado pelos
gentios, por causa da desconsideração dos judeus convertidos aos seus magistrados; e que
serviu para prejudicá-los contra Cristo e seu Evangelho: as versões latina, siríaca e etíope da
Vulgata, lidas "pelo amor de Deus"; porque o governo civil é de Deus; a magistratura é de
nomeação divina; os poderes que ele é ordenado por Deus, embora esta ou a outra forma seja
da prescrição do homem: é a ordem de Deus que os magistrados devem ser obedecidos; e faz
para a sua glória, bem como para o bem dos homens, quando eles são submetidos a coisas
que não contradizem a vontade revelada de Deus; de outra forma, não o homem, mas Deus,
deve ser obedecido:

seja para o rei ; para César, o imperador romano; e o então reinante parece ser Nero, que,
embora fosse um homem perverso, deveria ser submetido a coisas civis e lícitas; e vale para
qualquer outro rei que tenha o supremo governo de uma nação: a versão siríaca a lê no plural,
"para reis"; e embora o nome do rei fosse odioso para os romanos, desde os tempos de
Tarquin, nem eles chamavam seu principal governador, ou governadores, por esse nome,
outras nações o faziam; veja João 19:15 João 19:15 e sujeição era para ser entregue a ele,
"como supremo"; por causa disso, e em consideração de ele estar em uma posição tão alta e
exaltada, tendo o supremo poder e governo do povo em suas mãos. A versão siríaca traduz
"por causa de seu poder"; e a versão árabe, "por causa de seu poder"; e a versão etíope,
"porque todas as coisas são dele"; os imperadores romanos eram monarcas
absolutos; veja Romanos 13: 1Romanos 13: 1 .

Verso 14
Ou aos governadores , ... Magistrados inferiores, como estavam sob o imperador
romano; como procônsules, procuradores, etc. como Pôncio Pilatos, Félix e Festo, que tinham
sob o imperador o governo de nações, províncias e cidades particulares:

como para os que são enviados por ele ; ou pelo rei, o imperador romano, por quem eles
foram enviados, de quem eles receberam a comissão deles / delas, e derivaram a autoridade
deles / delas, debaixo de quem eles agiram, e para quem eles eram responsáveis; ou por
Deus, por quem são ordenados, e cujos ministros eles são, e para os fins citados a seguir; de
modo que isso contenha um argumento ou motivo pelo qual eles devem ser submetidos a:

pela punição dos malfeitores ; os infratores das leis de Deus e dos homens, a quem a
punição deve ser infligida, pelos magistrados civis, pela violação deles, por linhas, penas,
prisão e morte em si, de acordo como os crimes são:

e para o louvor daqueles que fazem bem ; que se comportem de acordo com as leis de Deus
e nações, e sejam obedientes aos magistrados, e sujeitos a todas as ordenanças; estes têm
louvor dos homens, dos magistrados e são recompensados por eles; protegendo suas
pessoas, defendendo suas propriedades e preservando-as no gozo pacífico de suas
propriedades e posses; veja Romanos 13: 3Romanos 13: 3 .

Versículo 15

Pois assim é a vontade de Deus , ... que não se refere tanto ao que acontece antes; embora
seja uma verdade, que é a vontade de Deus que os homens sejam sujeitos aos magistrados, e
que os magistrados encorajem a virtude, desencorajem os vícios, recompensem os obedientes
e punam os delinqüentes; mas ao que segue:

isso com fazer bem ; fazendo boas obras e aquelas bem; vivendo sobriamente, justamente e
piedosamente; tendo a conversa honesta entre os gentios, de acordo com a lei de Deus, e
como se torna o Evangelho de Cristo; particularmente, vivendo de acordo com as leis da
sociedade civil, na medida em que seja consistente e não contrário aos mandamentos de
Deus; e estando sujeito a todo magistrado civil e ordenança do homem:

ye pode colocar para silenciar a ignorância de homens tolosou, como a versão siríaca a
traduz, "para que detestes a boca dos insensatos que não conhecem a Deus"; ou, como a
versão etíope diz, "quem não conhece essas coisas"; que são ignorantes de Deus, de sua
justiça, de sua lei, seu evangelho e ordenanças. Os gentios eram muito ignorantes dessas
coisas e muito tolos em suas imaginações sobre assuntos religiosos; e disto, sua ignorância e
loucura surgiram calúnias, reflexões e censuras sobre o povo de Deus; eles nem conheciam a
Deus, nem a eles, nem à religião verdadeira, e censuravam o que não entendiam, e por falta
de conhecimento: agora o apóstolo significava que era a vontade declarada de Deus que seu
povo se comportasse assim na vida civil, seus inimigos devem ser totalmente confundidos e
silenciados, e não têm nada a dizer contra eles; a palavra significa ser amordaçada, calar a
boca, como se fosse um freio ou um freio; é usado emMateus 22:12Mateus 22:12 .

Versículo 16

Como livres , .... Esses judeus convertidos poderiam se valorizar em sua liberdade, em parte
como descendentes de Abraão, e tão livres, e não serem escravizados a outras pessoas; e
principalmente por causa de sua liberdade que tinham em e por judeus de Cristo. O apóstolo
permite que eles fossem homens livres, que eles eram livres de Cristo, estavam livres do
pecado, seu poder condenatório e dominador, e das maldições e condenação da lei, e tinham
liberdade de acesso a Deus, e um direito a todos os privilégios. e imunidades da casa de
Deus; mas então não estavam livres para pecar e viver no desprezo das leis de Deus e dos
homens, de desprezar o governo, de falar mal das dignidades e de infringir as regras da
sociedade civil:
e não usar sua liberdade como um manto de malícia ; sob o pretexto da liberdade cristã,
ferir as pessoas, propriedades e propriedades dos homens, sem se verem responsáveis por
sua conduta com seus superiores: alguns acham que o apóstolo alude ao antigo costume dos
servos que, quando foram libertados , andou com um boné ou cobrindo as cabeças, em sinal
disso: segue-se:

mas como servos de Deus ; porque os que são livres são servos de Deus e de Cristo, e
mostram-se assim, submetendo-se e obedecendo àqueles que estão debaixo deles e são
ordenados por eles; e que não é uma maneira inconsistente e contrária à sua liberdade cristã,
que nunca foi projetada para impedir e subverter os princípios da religião natural, leis de
natureza moral ou as regras do governo civil; alguns exemplos dos quais são mencionados em
seguida.

Versículo 17

Honre todos os homens , ... a quem a honra é devida, de acordo com o lugar, estação e
circunstâncias em que eles se encontram, os dons da providência e da graça concedidos a
eles, e a utilidade da qual eles são, sejam eles judeus ou Gentios, ricos ou pobres, crentes ou
incrédulos: é um ditado de Ben ZomaF5,

"quem deve ser honrado, ou é digno de honra ‫מכבד את הבריות‬, 'aquele que honra criaturas';

significando homens em geral, ou particularmente os gentios, que às vezes eram chamados


pelos judeus; Veja Gill em Marcos 16:15Marcos 16:15 e pode ser entendido por "todos os
homens" aqui:

ame a irmandade; ou "seus irmãos", como a versão siríaca o apresenta: toda a companhia dos
irmãos em Cristo, que são nascidos de Deus, são membros de Cristo e do mesmo corpo e têm
o mesmo espírito, pertencem à mesma família. e são da casa da fé, sejam eles de qualquer
nação, ou em quaisquer circunstâncias da vida. Os judeus não tinham essa boa opinião, nem
aquela afeição pelos gentios, mas estavam prontos para tratá-los com indiferença, negligência
e desprezo; e não somente aqueles que não conheciam a Deus, mas até mesmo crendo nos
próprios gentios; e qual é a razão destas exortações, para que não desprezem a ninguém, mas
honrem a todos; e, especialmente, deve expressar seu amor, tanto por palavras e ações, para
aqueles que estavam na mesma relação espiritual com eles, e que, sem qualquer diferença,

teme a Deus ; não com um servil, mas com um medo filial, a nova graça da aliança do
medo; que brota da bondade de Deus, tem isso por seu objetivo, e é aumentado pelas novas
instâncias e descobertas dela; e que se mostra em uma afeição reverencial por Deus, uma
estrita consideração à sua adoração e ordenanças, e um cuidado de ofendê-lo. Isso é colocado
entre o que acontece antes e depois, para mostrar a influência que tem em cada um deles; pois
onde está o temor de Deus, haverá respeito devido a todos os homens, mais ou menos, e um
amor sincero e afetuoso a todos os santos, como irmãos, e uma devida consideração àqueles
que estão colocados em lugares elevados de dignidade. e poder:

honre o rei ; César, o imperador romano, apesar de ser um ímpio, perseguindo Nero e,
portanto, qualquer outro rei ou governador; que, na medida em que ele age como parte de um
magistrado civil, preserva a paz, a propriedade e a liberdade de seus súditos, é um terror para
as obras más, e um encorajador das boas, e governa de acordo com as leis de Deus, e a
sociedade civil, é merecedora de grande honra e estima dos homens; e que deve ser mostrado
falando bem dele; por uma alegre sujeição a ele; por uma observância das leis, e pelo
pagamento de tributo, e fazendo tudo para torná-lo fácil, e honroso em seu governo: conselho
muito parecido com isto é dado por IsócratesF6,

"temer a Deus, honrar os pais, reverenciar amigos e obedecer às leis.


Versículo 18

Servos, estejam sujeitos a seus mestres , .... Esta foi outra noção dos judeus, que porque
eles eram a semente de Abraão, eles não deveriam ser servos de nenhum; e, particularmente,
os crentes em Cristo achavam que não deviam servir aos mestres incrédulos, nem aos que
acreditavam, porque eram igualmente irmãos em Cristo com eles; daí o apóstolo Pedro, aqui,
como o apóstolo Paulo frequentemente em outros lugares, inculca este dever dos servos aos
seus senhores; veja 1 Coríntios 7:20 1 Coríntios 7:20 2 Timóteo 2: 92 Timóteo 2: 9 a maneira
pela qual eles estão sujeitos a eles é,

com todo medo ; com reverência a suas pessoas, estrito respeito a seus comandos, fidelidade
em qualquer confiança depositada neles, diligência no cumprimento de seu dever e cuidado de
ofendê-los: e tudo isso,

não só para o bem e gentil ; aqueles que são de boa índole, gentis, beneficentes e
misericordiosos; que não os usam com rigor e severidade; são moderados em suas demandas
de serviço; não precisa mais ser feito do que o razoável; permita-lhes uma dieta suficiente, dê-
lhes bons salários e pague-lhes devidamente:

mas também para os perversos ; os mal-humorados, rabugentos e rigorosos; que exige mais
trabalho do que o necessário; dê palavras duras e golpes mais duros; retenha a suficiência de
comida deles, e retenha o aluguel do trabalho deles / delas.

Verso 19

Para isto é agradecível , .... Ou "graça"; este é um fruto e efeito da graça, um exemplo disso,
em que se mostra: a versão siríaca acrescenta "com Deus"; e assim é lida em uma das cópias
de Beza, na cópia alexandrina e em algumas outras; isto é, isso é grato a Deus e aceitável com
ele; como em 1 Pedro 2:201 Pedro 2:20 ,

se um homem por consciência para com Deus ; ou, "por uma boa consciência", como a
versão siríaca o lê; por agir de acordo com sua consciência, em questões de religião, nas
coisas de Deus; "para o conhecimento de Deus", como a versão em árabe a representa; para o
conhecimento de Deus em Cristo; para o Evangelho de Cristo, e uma profissão dele: ou ", para
Deus", como a versão etíope; pela causa de Deus e da verdade, e por causa das coisas
concernentes a Deus, e que contribuem para a sua glória:

suportar tristeza ; o que ocasiona tristeza, como palavras severas, acusações amargas,
censuras duras e golpes pesados; e com paciência e sem murmúrios, e com resignação à
vontade de Deus:

sofrendo injustamente ; não havendo justa causa para uma má aparência, palavra ou golpe.

Verso 20

Pois qual é a glória, se, quando fores fustigado por vossas faltas , ... as quais comestes e
cometerdes, e são verdadeiramente tais:

vós tomareis isto pacientemente ? ficar em silêncio, e não murmurar quando espancado,
dentro da medida, por faltas reais, não é uma grande honra, nem merece qualquer elogio; é o
mínimo que pode ser feito:

mas se, quando fizerdes bem ; ou no serviço de seu mestre, ou melhor, no negócio da
religião e nas coisas de Deus; como quando o que eles fazem é segundo a vontade de Deus, e
por amor a ele e em fé, e em nome e força de Cristo, e para glória de Deus; sem tudo o que
não há bem fazendo:

e sofrer por isso ; reprovação e perseguição, por palavras ou golpes, em pessoa ou


propriedade:

vós tomais isto pacientemente ; sem lamentar e repicar, ou responder novamente, e fazer
qualquer retorno:

isso é aceitável com Deus ; é agradavelmente à vontade dele, e grato a sua vista, com o que
ele está bem satisfeito, é considerado graça com ele; e embora seja sua própria graça e de sua
própria outorga, ele a recompensará com glória.

Versículo 21

Pois até mesmo foram chamados , .... Tanto para fazer bem, dos quais ninguém, mas
aqueles que são chamados com um chamado santo e eficaz são capazes; e para as quais eles
estão preparados e estão obrigados a realizar, e a sofrer por isso, o que eles devem sempre
esperar, e a paciência em sofrer por isso, que altamente os torna. Sendo este um fim do
chamado eficaz dos santos, é usado como um argumento para envolvê-los no exercício da
graça da paciência no sofrimento pelo bem-estar; e o outro segue:

porque Cristo também sofreu por nós ; em nosso lugar e lugar, para cumprir a lei, satisfazer
a justiça de Deus e fazer a reconciliação pelo pecado; e não apenas para o nosso bem, ou
apenas como um mártir, para confirmar a verdade de sua doutrina, ou apenas como um
exemplo para nós, embora isso também seja verdade: a cópia de Alexandria, e alguns outros,
leram "para você"; para os seus servos, assim como outros, e, portanto, devem sofrer com
alegria e paciência por causa de Cristo e do seu Evangelho; e o melhor, porque ele sofreu

nos deixando , ou "você", como as mesmas cópias, e a versão em latim da Vulgata dizia:

Um exemplo que você deve seguir seus passos : Cristo é um exemplo para seu povo no
exercício da graça, como de fé, amor, zelo, mansidão e humildade; e no cumprimento do
dever, em relação aos mandamentos da lei moral e às instituições positivas da religião; em sua
constância na oração; em frequente freqüência no culto público; em sua submissão à
ordenança do batismo e sua celebração da ceia; e igualmente em seus sofrimentos; e em sua
mansidão, paciência, coragem e resignação à vontade de Deus, que é o que é aqui pretendido,
e na qual seu povo é para com o companheiro e imita-o.

Verso 22

Quem não fez pecado , ... Ele estava à semelhança da carne pecaminosa; Parecia um homem
pecaminoso, nascido de uma mulher pecaminosa e fazendo companhia a homens pecadores,
sendo ele próprio um homem de dores, aflito e finalmente morto. Ele foi traído como pecador
por seus inimigos, e teve todos os pecados de seu povo sobre ele, que ele levou, e fez
satisfação, e foi a razão de seus sofrimentos; mas ele não tinha pecado em sua natureza, nem
cometeu nenhum em sua vida:

nem foi encontrado engano em sua boca ; embora diligentemente procurado pelos escribas
e fariseus; não havia fraude em seus lábios, nem falsidade em sua doutrina, mais do que
imoralidade em sua conversa; ele era um israelita de fato em todas as contas, e no sentido
mais completo dessa frase; É feita referência a Isaías 53: 9Isaías 53: 9 e isso é observado, em
parte para mostrar que Cristo sofreu não por si mesmo, ou por quaisquer pecados seus, mas
pelos pecados de outros, pelos quais ele estava em boa forma, já que não tinha nenhum de
seus próprios; e em parte como um argumento para a paciência no sofrimento; porque desde
que sofreu Cristo, que não tinha pecado, nem o havia, nem se achou nele, que lhe foi imposto
e provado contra ele; e que sofrimentos seus suportou com paciência; então, quanto deve
tornar-se um homem pecador suportar pacientemente seus sofrimentos, embora eles não
sejam criminosos com respeito às coisas pelas quais eles sofrem, mas ainda assim são em
outras coisas, enquanto que Cristo não era criminoso, nem culpado em nada?

Verso 23

Quem, quando foi injuriado, não denunciou novamente , quando foi reprovado como um
comilão, um bebedor de vinho, um amigo de publicanos e pecadores, toda a resposta que ele
fez foi que a Sabedoria é justificada por seus filhos; e quando foi acusado de expulsar
demônios por Belzebu, o príncipe dos demônios, ele se defendeu, não com linguagem ruim,
mas com fortes raciocínios; e quando se dizia que ele era um samaritano e tinha demônio, sua
única resposta era que ele não tinha, que ele honrou seu pai e o desonraram; e quando ele foi
insultado na cruz, pelos que passaram, pelos principais sacerdotes, e pelos escribas, e os
ladrões que foram crucificados com ele, ele não retornou, não abriu a boca, e muito menos de
maneira recriminadora. ,

Quando ele sofreu, ele ameaçou não; quando ele suportou bofetadas e açoites em seu
corpo, quando os oficiais no palácio dos sumo sacerdotes cuspiram em seu rosto, o
esbofetearam, feriram-no com as palmas das suas mãos, e pediram-lhe profetiza que o feriu,
todos os quais muito provocador; no entanto, ele não disse uma palavra a eles, muito menos
os ameaçou com o que faria a eles por tal uso em outro dia, quando os informaria, com
vingança, quem foi que o feriu; não, ele levou tudo pacientemente deles, e de Pilatos e os
soldados romanos, quando açoitados por eles; Deu as costas aos feridos e suas bochechas
para os que arrancavam os cabelos; e quando ele sofreu a crucificação, e foi colocado em tais
angustiantes dores e agonias, ele não ameaçou seus crucificadores com um julgamento futuro,
quando ele iria se vingar e executar sua ira sobre eles,

mas se entregou àquele que julga justamente ; ele recomendou seu Espírito, ou alma, a
Deus, seu Pai, e entregou sua causa a ele, para reivindicá-lo de que maneira ele deveria
pensar adequado, quem ele sabia que era o Juiz de toda a terra, que faria o certo; e assim a
versão siríaca abastece-lo com ‫"דיניה‬seu julgamento": que ele deixou com Deus, o justo Juiz, a
quem pertence a vingança; e que é um exemplo, e uma instrução para os santos fazerem da
mesma forma; não se render ao corrimão, ou buscar vingança, mas deixar sua causa junto ao
seu Deus, que, em seu próprio tempo, vingará os erros e ferimentos cometidos por eles. A
versão latina da Vulgata lê, ao contrário de todas as cópias gregas, e outras versões, "mas
entregou-se a ele que julga injustamente"; o sentido do que é, que Cristo entregou-se nas
mãos de Pilatos, que injustamente condenou-o à morte; mas não é a leitura nem o sentido do
texto.

Verso 24

Quem mesmo desnudou nossos pecadosComo foi tipificado pelo sumo sacerdote levando
os pecados das coisas sagradas do povo de Israel, quando ele foi para o lugar santíssimo, e
pelo bode expiatório levando as iniqüidades de todo o povo a uma terra não habitado, e como
foi predito pelo Profeta Isaías. O apóstolo explica aqui a natureza e o fim dos sofrimentos de
Cristo, que deveriam fazer expiação pelos pecados, e que foi feito por suportá-los. O que Cristo
carregou foram "pecados", até todo tipo de pecado, original e real, e todo ato de pecado de seu
povo; e tudo o que está em pecado, tudo o que pertence a ele, surge dele e é o demérito dele,
tanto como sujeira, culpa e punição; e uma multidão de pecados ele levou, todas as
iniqüidades de todos os eleitos; e uma carga prodigiosa e peso era; e do que nada poderia ser
mais enjoativo e desagradável para ele, que ama a justiça e odeia a iniquidade; e estes
pecados que ele levou não foram seus, nem os de anjos, mas de homens; e não de todos os
homens, mas de muitos, tantos quantos foram ordenados para a vida eterna, por quem Cristo
deu a vida em resgate, a quem ele justifica e traz à glória; nossos pecados, não somente os
dos judeus, porque Pedro era judeu, e também aqueles a quem ele escreve, mas também dos
gentios, mesmo dos de todo o seu povo, pois ele salva de seus pecados, sendo ferido para
eles. Seu "porte" era assim: tornando-se o fiador e substituto de seu povo, seus pecados eram
postos sobre ele por seu Pai, isto é, eles eram imputados a ele, eles eram contados como seus
e colocados em sua conta. ; e Cristo voluntariamente os tomou sobre si mesmo; ele os levou
para si mesmo, como alguém pode aceitar a dívida de outro, e faça-se responsável por
isso; ou, como homem, pega um fardo e o coloca sobre os ombros; então, Cristo tomou nossos
pecados e os "carregou", como a palavra aqui usada significa, aludindo aos sacerdotes que
levavam o sacrifício ao altar, e referindo-se ao levantar de Cristo na cruz; para onde levou os
pecados do seu povo, e os tomou, e não se afundou sob o peso deles, sendo o Deus forte, e o
homem da destra de Deus, fortalecido para si mesmo; e assim fizeram toda satisfação para
eles, suportando a ira de Deus, a maldição da lei e todo aquele castigo que lhes era devido; e
assim os tirou, tanto de seu povo, e fora da vista de Deus, como de sua justiça vingativa; e os
removeu até o oriente do ocidente, e acabou com eles; e isso ele mesmo fez, e não outro, nem
por outro, ou com a ajuda de outro; não por meio de um bode, como o sumo sacerdote, mas
por si mesmo; embora ele tenha sido ajudado a carregar sua cruz, ainda assim não teve ajuda
em suportar nossos pecados; os anjos não podiam ajudá-lo; seu pai estava a uma distância
dele; não havia ninguém para ajudar; seu próprio braço trouxe a salvação para ele; mas

ele próprio , que não conhecia pecado, nem fez nenhum, ele por si mesmo expurgou os
nossos pecados, e fez a reconciliação por eles, suportando-os: e o que ele fez

em seu próprio corpo e não em outro; naquele corpo que seu pai preparou para ele, e que ele
tomou da virgem, e estava livre do pecado; embora não para a exclusão de sua alma, que
também foi feita uma oferta pelo pecado, e na qual ele suportou grandes dores e tristezas pelo
pecado: e tudo isso

na árvore ; a árvore amaldiçoada, a cruz; que é expressivo tanto da vergonha quanto da dor
de seus sofrimentos e morte. O final do qual foi,

que estamos mortos para pecar; "aos nossos pecados", como a cópia alexandrina e a versão
etíope leram; como todos os eleitos são, suportando os seus pecados e sofrendo a morte por
eles, assim como esse pecado não lhes será imputado; é como se nunca tivesse existido; está
morto para eles, e eles a isso, quanto a seu poder e influência condenadores; de modo que
eles são totalmente dispensados, e nunca podem entrar em condenação por causa disso, e
nunca podem ser feridos, de modo a serem destruídos por ela; nem pela morte, seja corpórea
ou eterna, pois o aguilhão da morte, que é pecado, é tirado, e a força do pecado, que é a lei,
está morta para eles, e eles para isso: em resumo, pela morte de Cristo, eles estão mortos para
o pecado, para que não apenas seja terminado, feito um fim e posto de lado, mas o corpo dele
seja destruído, para que não seja servido;

deve viver para a justiça ; viva, e não morra a segunda morte, e viva pela fé na justiça de
Cristo, para justificação da vida, e sobriamente, justa e piedosamente neste presente mundo
mau; que a graça de Deus ensina, eo amor de Cristo em suportar o pecado restringe, e a
redenção pelo seu precioso sangue tem a obrigação de fazer; para aqueles cujos pecados
Cristo carregou não são seus, mas sendo comprados com o preço de seu sangue, eles estão
destinados a viver para aquele que tem uma propriedade neles, e um direito de reivindicar toda
a obediência deles:

pelas suas feridas fostes sarados ; a passagem referida está em Isaías 53: 5Isaías 53:
5, que é uma profecia do Messias, como é reconhecido pelos judeus F7, quem disseF8,

"Este é o Rei Messias, que estava na geração dos ímpios, como é dito, Isaías 53: 5Isaías 53:
5 " e com suas feridas somos curados ", e por isso Deus o salvou, para que ele pudesse salvar
Israel, e regozije-se com eles na ressurreição dos mortos.

O pecado é uma doença, natural e hereditária, uma doença epidêmica que atinge todos os
homens e todos os poderes e faculdades de suas almas e membros de seus corpos; e que é
enjoativo e repugnante, e em si mesmo mortal e incurável; nem pode ser curado por qualquer
criatura, ou qualquer coisa que uma criatura possa fazer. Cristo é o único médico, e seu
sangue é o bálsamo e a medicina soberana; isso purifica de todo pecado; através dela é a
remissão do pecado, que se entende por cura; para curar doenças e perdoar iniqüidades é
uma e a mesma coisa; veja Salmo 103: 3Salmos 103: 3 em que último texto um judeu
eruditoF9 tem esta nota,

"estes intérpretes explicam ‫לשון סליחה‬," como expressivo de perdão ";

e os judeus dizem que não há cura de doenças, mas significa perdãoF11: é uma maneira
incomum de curar pelas listras de outro. Alguns acham que o apóstolo alude às características
que os servos recebem de seus senhores, a quem ele estava falando agora; e, a fim de
encorajá-los a suportá-los pacientemente, observa que o próprio Cristo sofreu listras e que eles
tinham cura para suas doenças e feridas, por meio de suas feridas, ou por ele ter sido ferido e
ferido por eles,

Versículo 25

Pois vós, como ovelhas, se desviaram , ... Esta é uma prova de que eles foram curados, isto
é, sua conversão; em que uma aplicação do sangue de Cristo, e perdão, e assim por cura, foi
feita para as suas almas. O apóstolo ainda tem em vista a profecia de Isaías 53: 6Isaías 53:
6. Os eleitos de Deus são ovelhas antes da conversão; não que eles tenham as propriedades
agradáveis das ovelhas, sejam mansos, inofensivos, inocentes, limpos e lucrativos, pois são o
reverso de tudo isso; nem podem ser ditas algumas coisas deles antes da conversão, como
pode ser depois, como se ouvisse a voz de Cristo e segui-lo; nem são assim chamados,
porque sem preconceitos e predispostos ao Evangelho, porque o contrário é verdadeiro para
eles; mas eles são assim para eleger a graça, e foram assim considerados no dom do Pai
deles para Cristo, e quando os seus cuidados e encargos, e, portanto, eles são chamados as
ovelhas da sua mão; e quando Cristo entregou sua vida e ressuscitou, o que ele fez pelas
ovelhas e como o grande Pastor delas; e quando chamados pela graça, por serem ovelhas e
ovelhas de Cristo pelo dom do Pai, e o seu próprio propósito, é a razão pela qual ele os
procura, os chama pelo nome e os devolve; mas eles ainda não são do seu rebanho; são
ovelhas perdidas, perdidas em Adão e por sua queda e por suas próprias transgressões
reais; eles são como ovelhas que se desviam do pastor e do rebanho, saindo do caminho certo
e dos seus próprios caminhos; e são, como ovelhas, estúpidas e insensíveis ao perigo delas; e
como eles nunca retornam de si mesmos, até que sejam procurados e trazidos de volta; como
ovelhas, estúpidas e insensíveis ao perigo delas; e como eles nunca retornam de si mesmos,
até que sejam procurados e trazidos de volta; como ovelhas, estúpidas e insensíveis ao perigo
delas; e como eles nunca retornam de si mesmos, até que sejam procurados e trazidos de
volta;

mas agora são devolvidos ; não retornaram, mas foram devolvidos pela graça poderosa e
eficaz: os santos são passivos, e não ativos na primeira conversão; eles são transformados,
não pelo poder de sua livre vontade, mas pelo poder da livre graça de Deus; eles são
devolvidos sob as iluminações e vivificações do bendito Espírito, e através dos desenhos
eficazes do amor do Pai, a Cristo:

ao pastor e bispo de suas almas; por quem Cristo é designado, que sustenta o ofício de
pastor, e o realiza completamente alimentando suas ovelhas, proporcionando um bom rebanho
e pasto para elas; reunindo os cordeiros em seus braços e conduzindo suavemente aqueles
que estão com jovens; curando suas doenças e preservando-as das feras de rapina; por isso
ele é chamado de bom, grande e chefe de pastor: e ele é o "Bispo" ou "Supervisor" das almas
de seu povo, embora não com a exclusão de seus corpos: ele assumiu a supervisão deles
voluntariamente, e olha bem para seu rebanho, inspeciona seus casos, e freqüentemente os
visita, e nunca os abandona; nem os deixará até que recebam o fim de sua fé, a salvação de
suas almas; que ele empreendeu e efetuou por sua obediência, sofrimentos e morte. Philo, o
judeuF12 observa que "ser um pastor é uma obra tão boa, que não é apenas um título dado a
reis e sábios, e almas perfeitamente purificadas, mas a Deus o governador de todos - que,
como pastor e rei , conduz de acordo com a justiça e a lei, colocando sobre eles seu direito
Logos, "o primeiro Filho gerado", que cuidou deste rebanho santo, assim como o vice de um
grande rei.
1 Pedro 1 1 Pedro 1 Pedro 3

Declaração de direitos autorais


A exposição de toda a Bíblia de John Gill Modernizada e adaptada para o computador por Larry Pierce da Bíblia on-line. Todos
os direitos reservados, Larry Pierce, Winterbourne, Ontario.
Uma cópia impressa deste trabalho pode ser solicitada em: The Baptist Standard Bearer, 1 Iron Oaks Dr, Paris, AR, 72855

Informação Bibliográfica
Gill, John. "Comentário sobre 1 Pedro 2: 4". "A nova exposição de John Gill da Bíblia
inteira". https://www.studylight.org/commentaries/geb/1-peter-2.html. 1999.

Interesses relacionados