Você está na página 1de 18

Resistência dos Materiais II

Luanda, Angola – 06 Março, 2017


Análise bidimensional do estado de tensão, 0

Luanda, Angola
06 Março, de 2018

Resistência dos Materiais


Prof. Herman Mendes Dumby

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 1

Índice
Programa do semestre

Revisão do Teste

Capitulo 1

- Análise bidimensional do estado de tensão

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 2

Índice
Programa do semestre

Revisão do Teste

Capitulo 1

- Análise bidimensional do estado de tensão

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 3

Programa do semestre
1. Análise de Tensões e Deformações:

- Introdução
- Tensões em um Plano Oblíquo ao Eixo
- Estado Plano de Tensões
- Tensões Principais
- Círculo de Mohr para o Estado Plano de Tensões
- Estado Geral de Tensões

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 4

1. Programa do semestre
2. Momento Flector:

- Introdução
- Flexão circular recta
- Flexão circular desviada
- Flexão circular composta
- Influência de esforço transverso variável
- Peças lineares não prismáticas
- Flexão em peças mistas

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 5

1. Programa do semestre
3.Esforço Transversal:

- Introdução
- Carregamento Transversal em Barras Prismáticas
- Distribuição de Tensões Normais
- Determinação da Tensão de escorregamento em um Plano Horizontal
- Determinação da Tensão de escorregamento em Vigas de Seções
Transversais Usuais
- Determinação da Tensão de escorregamento em Vigas de Seções
Transversais não simétricas.
- Centro de Corte

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 6

1. Programa do semestre
4. Deformação em Flexão (Deflexão)

- Introdução
- Deformação de Vigas Sujeitas a Carregamento Transversal
- Equação da Linha Elástica
- Determinação da Linha Elástica Directamente a Partir do Carregamento
Distribuído
- Vigas Estaticamente Indeterminadas
- Método da Superposição

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 7

3. Programa do semestre
5. Principio Trabalhos Virtuais:

-Introdução
-Deformação de vigas

6. Analise de fenómenos de Instabilidade (Flambagem)

- Introdução
- Estabilidade das Estruturas
- Expressão de Euler para Colunas com Extremidades Articuladas
- Expressão de Euler para Colunas com Outras Condições de Extremidade
- Carga Excêntrica: Expressão da Secante
- Projecto de Colunas Submetidas a Carregamento Centrado
- Projecto de Colunas Submetidas a Carregamento Excêntrico

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 8

Índice
Programa do semestre

Revisão do Teste

Capitulo 1

- Análise bidimensional do estado de tensão

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 9

Índice
Programa do semestre

Revisão do Teste

Capitulo 1

- Análise bidimensional do estado de tensão

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 10

1. Capitulo
Análise bidimensional do estado de tensão

- Introdução
- Tensões em um Plano Oblíquo ao Eixo
- Tensões para um Caso Qualquer de Carregamento
- Estado Plano de Tensões
- Tensões Principais
- Círculo de Mohr para o Estado Plano de Tensões
- Estado Geral de Tensões

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 11

1. Capitulo
Análise bidimensional do estado de tensão
Se na superfície de um corpo não estiverem aplicadas forças com
componente tangente a superfície.

O estado de tensão numa placa muito fina sujeita a forças contidas do seu
plano médio, provocados por esforços normal transverso e momentos em
peças lineares.

Não há forças exteriores aplicadas

Diz-se nestes casos que se esta na presença de um Estado Plano de


Tensão

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 12

Análise bidimensional do estado de tensão


Poderia ser feita particularizando as expressões atrás indicadas no caso
tridimensional e desenvolvendo-as a sua forma simplificada bidimensional

Uma vez que as três direcções principais são ortogonais, as duas restantes
tensões principais actuam em facetas paralelas à direcção principal
conhecida.

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 13

Análise bidimensional do estado de tensão

sin 2𝜃 1−cos 2𝜃 1+cos 2𝜃


sin 𝜃 cos 𝜃 = (sin 𝜃)2 = (cos 𝜃)2 =
2 2 2

𝜎𝑥 +𝜎𝑦 𝜎𝑥 −𝜎𝑦
𝜎𝜃 = + cos 2𝜃 + 𝜏𝑥𝑦 sin 2𝜃
2 2

𝜎𝑥 −𝜎𝑦
𝜏𝜃 = − sin 2𝜃 +𝜏𝑥𝑦 cos 2𝜃
2

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 14

Análise bidimensional do estado de tensão

Com as expressões pode analisar-se a evolução de 𝜎𝜃 𝑒 𝜏𝜃


Com a orientação da faceta. Derivando a equação de 𝜎𝜃 em ordem 𝜃
E igualando a zero.

1 2𝜏𝑥𝑦
𝜃 = 𝑎𝑟𝑐𝑡𝑎𝑛
2 𝜎𝑥 − 𝜎𝑦

Substituindo a solução de 𝜃 na equação 𝜏𝜃 obtém-se 𝜏𝜃 = 0.


Isto significa que no estado bidimensional de tensão existem sempre duas
direcções ortogonais.
Tensão normal atinge os seus valores máximo e mínimo (Tensões
principais) e suas direcções são direcções principais.

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 15

Análise bidimensional do estado de tensão

Sabendo 𝜃1 e 𝜃2 podemos calcular 𝜎1 e 𝜎2

1 tan 2𝜃
Da trigonometria: cos 2𝜃 = sin 2𝜃 =
± 1+(tan 2𝜃)2 ± 1+(tan 2𝜃)2

𝜎1 𝜎𝑥 + 𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 − 𝜎𝑦 2
= + 𝜏𝑥𝑦 2
𝜎2 2 − 2

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 16

Porém, o valor de 𝜃 correspondente a cada uma das tensões principais


pode ser calculado a partir de uma expressão deduzida directamente a
partir de condições de equilíbrio, vertical ou horizontal das forças que
actuam no prisma.
𝜎1 −𝜎𝑥 𝜏𝑥𝑦
Em x: tan 𝜃1 = Em y: tan 𝜃1 = 𝜎
𝜏𝑥𝑦 1 −𝜎𝑦

𝜎𝑥 = 𝜎1 𝜎1 +𝜎2 𝜎1 −𝜎2
𝜎= + cos 2𝛼
𝜎𝑦 = 𝜎2 2 2
𝜎 −𝜎
𝜏𝑥𝑦 = 0 𝜏= − 1 2 sin 2𝛼
2

Em que 𝛼 é o ângulo que a normal à faceta faz com a direcção 1.

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências


Resistência dos Materiais II
Luanda, Angola – 06 Março, 2017
Análise bidimensional do estado de tensão, 17

Luanda, Angola
14 Março, de 2017

Prof. Herman Mendes Dumby

ISPTEC - Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências