Você está na página 1de 12

11/03/2015

Introdução
“Medicação pré-anestésica é todo agente que é
administrado antes da indução anestésica com a
finalidade de facilitar o manuseio do animal,
Medicação Pré-Anestésica reduzir reações indesejáveis causadas pelos
anestésicos aumentando, assim, a segurança do
ato anestésico”

Primeira etapa de uma anestesia


Pode apresentar grande repercussão nas demais etapas

Objetivos Objetivos
• Acalmar o paciente • Prevenir o vômito durante a indução e manutenção
• Reduzir a ansiedade da anestesia
• Facilitar o manuseio e preparo do animal para • Induzir o vômito antes de submeter o animal à
cirurgia indução anestésica
▫ Realização de tricotomia • Reduzir salivação e secreções nas vias aéreas
▫ Acesso venoso • Potencializar a ação e diminuir as doses dos
• Proporcionar analgesia pré, trans e pós-operatória anestésicos injetáveis e inalatórios
• Permitir a realização de técnicas de anestesia local • Promover indução e recuperação suaves

Grupos Farmacológicos Fenotiazínicos


• Fenotiazínicos
• Um dos grupos farmacológicos mais empregados
• Agonistas alfa-2 adrenérgicos
como MPA em cães e gatos
• Benzodiazepínicos
• Opioides
• No passado, denominados “tranquilizantes
• Anticolinérgicos
maiores”
Nenhum grupo isoladamente proporciona todos os
objetivos da MPA • Atualmente classificados como tranquilizantes ou
Utilização de associações sedativos

1
11/03/2015

Fenotiazínicos Fenotiazínicos: sedação em cães x gatos

Efeitos desejáveis
• Sedação leve à moderada
▫ Mais evidente em cães do que em gatos
• Reduzem em aproximadamente 30-40% a dose dos
anestésicos injetáveis e inalatórios
• Ação anti-emética
• Efeito antiarritmogênico

(Fonte: Monteiro et al., 2008)

Fenotiazínicos Fenotiazínicos
Desvantagens / efeitos adversos Desvantagens / efeitos adversos
Cardiovasculares Respiratórios
• Vasodilatação e diminuição da pressão • Redução na frequência respiratória
arterial (antagonismo α1) • Sem alteração nos gases sanguíneos
• Geralmente hipotensão não acontece em
animais hígidos conscientes Outros
• Pode potencializar o efeito de outros • Não são analgésicos
anestésicos vasodilatadores • Efeito muito acentuado em raças braquicefálicas
• Efeitos indiretos sobre a frequência cardíaca • Redução do limiar convulsivo (contestável)

Fenotiazínicos Fenotiazínicos
Uso clínico
Isoladamente Contra-indicações
Absolutas
• Tranquilização em animais hígidos sem dor
• Situações associadas à redução na pressão arterial
▫ Transporte
▫ Desidratação
▫ Exames semiológicos / diagnósticos ▫ Hemorragia moderada à intensa
▫ Choque
Associados a um opioide
• MPA em animais hígidos com dor ou que serão Relativas
submetidos a cirurgias • Braquicefálicos (dose reduzida)

2
11/03/2015

Fenotiazínicos Agonistas Alfa-2 adrenérgicos


Fármacos • Grupo farmacológico que causa sedação de grau
Acepromazina 0,2% mais acentuado em cães, gatos, equinos e
ruminantes
• Dose: 0,02-0,1 mg/kg IV, IM, SC
• Duração : 4 a 8 horas • Historicamente denominados “sedativos”

Menos usados: • Muito utilizados na América do Norte e Europa


Clorpromazina: 0,5-1,0 mg/kg IV, IM (0,5%)
Levomepromazina: 0,5-1,0 mg/kg IV, IM (0,5%) • Menos empregados no Brasil como MPA (em cães e
• Duração: até 4 horas gatos)

Agonistas alfa-2 adrenérgicos : sedação em


Agonistas Alfa-2 adrenérgicos cães x gatos
Efeitos desejáveis
• Sedação muito pronunciada (dose-dependente)
▫ Evidente em cães, gatos, equinos e
ruminantes
• Analgesia dose-dependente (modulação)
• Miorrelaxamento
• Diminuem acentuadamente as doses dos
anestésicos injetáveis e inalatórios (até 90%)
• Possuem antagonista: ioimbina e atipamezole

(Fonte: Monteiro et al., 2008)

Efeito
Agonistas Alfa-2 adrenérgicos
periférico Agonistas Alfa-2 adrenérgicos
Desvantagens / efeitos adversos Desvantagens / efeitos adversos
Cardiovasculares Respiratórios
• Hipertensão transitória Efeito central • Redução da frequência respiratória sem alteração
▫ Primeiros 5-10 minutos nos gases sanguíneos
▫ Mais comum após administração IV
• Normo ou hipotensão após fase inicial Outros
• Bradicardia sinusal • Vômito
▫ Redução acentuada do débito cardíaco
• Diurese (hiperglicemia e redução na vasopressina)
• Bloqueio atrioventricular de 1o e 2o graus

3
11/03/2015

Agonistas Alfa-2 adrenérgicos Agonistas Alfa-2 adrenérgicos


Uso clínico Contra-indicações absolutas
• Contenção química de animais agressivos • Desidratação
• Como MPA em animais hígidos submetidos a • Hemorragia
procedimentos cirúrgicos • Choque
▫ Isoladamente • Histórico ou sinais clínicos de cardiopatias
▫ Associados a um opioide • Pacientes de alto risco / debilitados
• Situações em que o vômito é contra-indicado

Agonistas Alfa-2 adrenérgicos Agonistas Alfa-2 adrenérgicos


Fármacos Fármacos

Xilazina 2% Medetomidina 1 mg/mL


• Seletividade α2/α1: 160/1 • Seletividade α2/α1: 1620/1
• Dose em cães/gatos/equinos: • Dose isoladamente:
▫ Isoladamente: 0,5-1,0 mg/kg IV, IM ▫ Cães: 10-20 µg/kg IM
▫ Associada a opioide: 0,2 a 0,5 mg/kg IV, IM ▫ Gatos: 20-40 µg/kg IM
• Duração: 30-60 minutos • Associada a opioide
▫ Cães: 5-10 µg/kg IM
▫ Gatos: 10-20 µg/kg IM
Efeito analgésico tem metade da duração do efeito • Duração: 1 a 2 horas
sedativo

Agonistas Alfa-2 adrenérgicos Agonistas Alfa-2 adrenérgicos


Fármacos Fármacos
Dexmedetomidina 0,1 ou 0,5 mg/mL Outros
• Características similares à medetomidina • Detomidina e romifidina
• Dose em cães e gatos: metade da medetomidina ▫ Uso pouco frequente em cães e gatos
• Disponível no Brasil apenas para uso médico ▫ Dose de detomidina em equinos
 10 a 20 µg/kg IV

4
11/03/2015

Antagonistas Alfa-2 adrenérgicos Antagonismo após atipamezole


Fármacos

Atipamezole 5 mg/mL
• Indicado como antagonista da medetomidina ou
dexmedetomidina
• Dose (IM):
▫ Cães: 4 a 6 vezes a dose de medetomidina
▫ Gatos: 2 a 4 vezes a dose de medetomidina

Ioimbina
• Indicada como antagonista da xilazina
• Dose (IV, IM):
▫ Cães: 1/10 da dose de xilazina
▫ Gatos: ½ da dose de xilazina
(Fonte: Arquivo pessoal)

Benzodiazepínicos Benzodiazepínicos
• Historicamente denominados “tranquilizantes Efeitos desejáveis
menores” • Tranquilizacão leve
• Relaxamento muscular
• Efeito sedativo muito discreto em cães e gatos • Potencialização de agentes anestésicos injetáveis e
inalatórios (similar a dos fenotiazínicos)
• Utilizados quando os fenotiazínicos e agonistas • Efeito anticonvulsivante
alfa-2 adrenérgicos são contra-indicados • Possuem antagonista: flumazenil
• Podem ser administrados em animais de alto risco

Benzodiazepínicos Benzodiazepínicos
Desvantagens / efeitos adversos Uso clínico
• Em animais hígidos, podem causar agitação • Tranquilização / MPA de animais debilitados
(isoladamente ou associados a um opioide) ▫ Associados a um opioide
• Não são analgésicos • Na indução anestésica, associados a anestésicos
injetáveis (principalmente dissociativos)
• Como anticonvulsivantes

Contra-Indicações
• Não devem ser administrados isoladamente em
animais hígidos

5
11/03/2015

Agitação em cão após midazolam +


Benzodiazepínicos
morfina
Fármacos
Diazepam 0,5%
• Dose: 0,1-0,5 mg/kg IV, IM
• Por via IM: irritante e absorção variável
• Duração: 1 a 2 horas

Midazolam 0,1% e 0,5%


• Dose: 0,1-0,5 mg/kg IV, IM
• Duração: 1 a 2 horas

(Fonte: Arquivo pessoal)

Antagonista dos benzodiazepínicos Analgésicos opioides


Flumazenil 0,1 mg/mL • Fármacos quimicamente relacionados aos
• Intoxicação / sobredose de benzodiazepínicos alcaloides naturais do ópio (opiáceos: morfina e
• Recuperação prolongada após anestesia com codeína)
benzodiazepínicos como parte da técnica anestésica • Efeito predominantemente analgésico
• Reversão de efeitos comportamentais indesejados • Fármacos mais eficientes no tratamentos da dor
(agitação) ▫ Trauma agudo
• Dose: ▫ Procedimentos cirúrgicos
▫ 1/26 da dose de diazepam IV
▫ 1/13 da dose de midazolam IV

Analgésicos opioides Analgésicos opioides


Receptores opioides e mecanismo de ação Classificação quanto à ação
• Receptores específicos (opioides endógenos) • Agonistas totais / puros: eficácia máxima
▫ mu (µ): principal responsável pelo efeito • Agonistas parciais: eficácia máxima não atingida
analgésico e efeitos adversos • Antagonistas: sem atividade intrínseca
▫ Kappa (κ) • Agonistas-antagonistas
▫ Delta (δ)
• Causam analgesia espinhal e supraespinhal

6
11/03/2015

Analgésicos opioides: classificação quanto à ação Analgésicos opioides: classificação quanto à ação
100 100

Agonista total Agonista total


(morfina) (morfina)
Resposta Máxima%

Resposta Máxima%
Eficácia máxima
Agonista parcial Agonista parcial
Eficácia reduzida
(buprenorfina) (buprenorfina)

Agonista total (morfina) +


antagonista (naloxona)

0 0
Dose Dose

Analgésicos opioides Analgésicos opioides


Classificação quanto à duração do efeito Classificação quanto à duração do efeito
• Ultra-curta duração: até 20-30 minutos
Ultra-curta Curta Intermediária Longa
• Curta duração: 1-2 horas
• Duração intermediária: 2-4 horas Fentanil Meperidina Morfina Tramadol

• Duração longa: > 4 horas Remifentanil Metadona Buprenorfina

Alfentanil Butorfanol

Sufentanil

Analgésicos opioides Analgésicos opioides


Efeitos desejáveis Desvantagens / efeitos adversos
• Analgesia Sistema Nervoso Central
• Sedação (cães) • Excitação em gatos e equinos
• Reduzem as doses de anestésicos injetáveis e ▫ Mais frequente quando usados isoladamente
inalatórios ▫ Menos provável
 Associados a tranquilizantes / sedativos
• Podem ser administrados em pacientes de alto risco  Presença de dor
/ debilitados  Animais debilitados

7
11/03/2015

Analgésicos opioides Analgésicos opioides


Desvantagens / efeitos adversos Desvantagens / efeitos adversos
Cardiovasculares Respiratórios
• Diminuição na FC • Depressão respiratória dose-dependente
▫ Intensidade depende da dose e fármacos ▫ Mais comum quando associados a
associados anestésicos gerais
• Liberação de histamina ▫ Improvável na presença de dor
▫ Diminuição da pressão arterial
• Cães podem apresentar taquipneia
▫ Morfina e meperidina IV
▫ Mais frequente quando administrados
isoladamente

Analgésicos opioides Analgésicos opioides


Desvantagens / efeitos adversos Desvantagens / efeitos adversos
Trato digestório Outros
• Vômito • Miose em cães
▫ Mais frequente com a morfina em cães • Midríase em gatos
▫ Menos provável na presença de dor • Oligúria (metadona, remifentanil)
• Defecação seguida de constipação

Analgésicos opioides Analgésicos opioides


Uso clínico Uso clínico
Isoladamente Escolha do fármaco deve ser baseada em:
• MPA de animais debilitados / risco aumentado • Severidade da dor
Associados a um tranquilizante / sedativo ▫ Dor intensa: agonistas totais µ
• MPA em animais hígidos que necessitam sedação ▫ Dor leve / moderada: agonistas totais ou
e analgesia parcias µ, agonistas κ
• Duração do efeito analgésico
• Intensidade do efeito sedativo

 Como regra geral, as doses de opioides em gatos e equinos


são menores do que em cães

8
11/03/2015

Analgésicos opioides Opioides agonistas totais µ


Contra-indicações relativas Morfina 1%
• Situações em que o vômito é contra-indicado • Duração intermediária
(morfina) • Analgesia pré, trans e pós-operatória
• Procedimentos oftálmicos que requerem midríase • Vômito em aproximadamente 75% dos cães
• Liberação de histamina (IV)
• Dose
▫ Cão: 0,1-0,5 mg/kg (IV); 0,3-1,0 mg/kg (IM, SC)
▫ Gato: 0,05-0,2 mg/kg (IM, SC)

Opioides agonistas totais µ Opioides agonistas totais µ


Metadona 1% Meperidina 5% (petidina)
• Duração intermediária • Duração curta
• Analgesia pré, trans e pós-operatória • Analgesia pré-operatória
• Baixo potencial para vômito e liberação de histamina • Baixo potencial para vômito
• Efeito sedativo acentuado quando associada a um • Alto potencial para liberação de histamina
tranquilizante / sedativo • Ação anti-muscarínica discreta
• Antagonista de receptores NMDA • Dose
• Dose ▫ Cão/gato: 3-5 mg/kg (IM, SC)
▫ Cão: 0,1-0,5 mg/kg (IM, SC)
▫ Gato: 0,1-0,3 mg/kg (IM, SC)

Opioides agonistas totais µ Opioides agonistas totais κ


Fentanil 0,05 mg/mL Butorfanol 1%
• Duração ultra-curta • Duração intermediária
• Único entre os opioides de ultra-curta duração com • Agonista κ / antagonista µ
alguma aplicabilidade na MPA • Menor intensidade de efeitos cardiovasculares e
• Baixo potencial para vômito e liberação de histamina respiratórios
• Duração: 15-30 minutos • Analgesia pré, trans e pós-operatória (inferior aos
• Dose: agonistas totais µ)
▫ Cão: 2-10 µg/kg (IV) • Baixo potencial para vômito e liberação de histamina
▫ Gato: 1-5 µg/kg (IV) • Efeito sedativo semelhante à morfina e meperidina
• Dose
▫ Cão/gato: 0,1-0,4 mg/kg (IV, IM, SC)

9
11/03/2015

Opioides de ação mista Neuroleptoanalgesia


Tramadol 50 mg/mL • Associação de um tranquilizante / sedativo a um
• Agonista com fraca afinidade µ analgésico opioide
• Inibe a recaptação de noradrenalina e serotonina ▫ Fenotiazínico + opioide
• Analgesia inferior aos agonistas totais µ ▫ Agonista alfa-2 + opioide
• Fraca sedação ▫ Benzodiazepínico + opioide
• Baixa incidência de efeitos adversos • Vantagens
• Longa duração: 6-8 horas (usado com maior ▫ Efeitos sedativo e analgésico intensificados
frequência para analgesia pós-operatória) ▫ Utilização de doses menores
▫ Efeitos adversos são similares aos de cada
• Dose (cão/gato):
classe isoladamente
▫ 2-5 mg/kg IV, IM, SC, Oral

Fenotiazínicos + opioides em cães Fenotiazínicos + opioides em cães


3
Acepromazina 0,1 mg/kg
Acepromazina 0,05 mg/kg + Metadona 0,5 mg/kg

Sedação Moderada
2
Sedação

Sedação Leve
1

0
Basal 5 15 30 45 60 75 90
Tempo (min)
(Fonte: Monteiro et al., 2008) (Fonte: Arquivo pessoal)

Fenotiazínicos + opioides em cães Fenotiazínicos + opioides em cães

(Fonte: Arquivo pessoal) (Fonte: Arquivo pessoal)

10
11/03/2015

Agonistas alfa-2 + opioides em gato Anticolinérgicos


• Não apresentam efeito sedativo nem analgésico
• São antagonistas de receptores muscarínicos
(parassimpatolíticos)
• Empregados no tratamento ou prevenção da
bradicardia em cães e gatos
• Historicamente administrados em associação aos
agonistas alfa-2 na MPA
• Atualmente pouco utilizados na MPA

(Fonte: Arquivo pessoal)

Anticolinérgicos Anticolinérgicos
Uso clínico Uso clínico
Pacientes com bradiarritmias pré-existentes Para prevenir a bradicardia associada a
• Bloqueio atrioventricular procedimentos cirúrgicos específicos
• Bloqueio sinoatrial • Cirurgias intraoculares
• Cirurgias torácicas
• Cirurgias em região cervical
• Cirurgias abdominais com tração visceral
acentuada

Anticolinérgicos Anticolinérgicos
Uso clínico Uso clínico
Para prevenir a bradicardia associada aos Para prevenir a bradicardia associada aos opioides
agonistas alfa-2 • Atenuam a redução no débito cardíaco
• Atenuam a redução no débito cardíaco • Não associados à hipertensão
• Fase hipertensiva é intensificada e prolongada • Recomendados em caso de bradicardia grave,
• Aumentam o trabalho cardíaco especialmente associada à hipotensão arterial
• Não mais recomendados com essa finalidade • Podem ser administrados antes ou após o opioide
• Bradicardia por agonistas alfa-2 com risco de morte
devem ser tratadas com o antagonista

11
11/03/2015

Anticolinérgicos Anticolinérgicos
Contra-indicações relativas Fármacos
• Animais portadores de cardiopatias Atropina
• Dose (cão/gato): 0,02-0,04 mg/kg IV, IM, SC
Outros efeitos • Duração: 30-60 minutos
• Reduzem salivação
• Midríase Outros
• Escopolamina: pouco usada em cães e gatos. Mais
empregada em equinos
• Glicopirrolato: não disponível no Brasil

Bibliografia Complementar
Considerações finais
Livros
• Nenhuma classe apresenta todas as características • CORTOPASSI, S. R. G.; FANTONI, D. T. Medicação Pré-anestésica. In:
FANTONI, D. T.; CORTOPASSI, S. R. G. (Eds). Anestesia em Cães e Gatos.
de um fármaco ideal para MPA 2a ed. São Paulo: Editora Roca, 2009. p. 151-158.
• A associação de fármacos pode ser indicada para • FANTONI, D. T.; MASTROCINQUE, S. Fisiopatologia e Controle da Dor.
In: FANTONI, D. T.; CORTOPASSI, S. R. G. (Eds). Anestesia em Cães e
proporcionar resultados mais satisfatórios Gatos. 2a ed. São Paulo: Editora Roca, 2009. p. 323-336.
• Não existe técnica anestésica de eficácia universal. • LEMKE, K. A. Anticholinergics and Sedatives. In: TRANQUILLI, W. J.;
THURMON, J. C.; GRIM, K. A. (Eds.). Lumb & Jone’ Veterinary
A MPA deve ser escolhida baseado na condição
Anesthesia and Analgesia. Fourth ed. Ames: Blackwell Publishing,
física do paciente e no procedimento a ser 2007. p. 203–239.
realizado. • LAMONT, L. A.; MATHEWS, K. A. Opioids, Nonsteroidal Anti-
inflamatories, and Analgesic Adjuvants. In: TRANQUILLI, W. J.;
THURMON, J. C.; GRIM, K. A. (Eds.). Lumb & Jone’ Veterinary
Anesthesia and Analgesia. Fourth ed. Ames: Blackwell Publishing,
2007. p. 241–272.

Bibliografia Complementar
Artigos
• MONTEIRO, E. R. et al. Effects of methadone, alone or in combination
with acepromazine or xylazine, on sedation and physiologic values in
dogs. Veterinary anaesthesia and analgesia, v. 35, n. 6, p. 519–27,
nov. 2008.
• MONTEIRO, E. et al. Efeitos sedativo e cardiorrespiratório da
administração da metadona, isoladamente ou em associação à
acepromazina ou xilazina, em gatos. Brazilian journal of veterinary
research and animal science, v. 45, n. 4, p. 289–297, 2008.

12