Você está na página 1de 4

A palavra Páscoa vem do hebraico Pessach, significa literalmente “passagem”; “passar além”,

pois o Senhor “passou” sobre as casa dos filhos de Israel, poupando-os. Êxodo 12.27

“...Este é o sacrifício da páscoa do Senhor, que passou as casas dos filhos de Israel no
Egito, quando feriu os egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se e
adorou.”

É uma festa judaica instituída por Deus (Ex 12 1-2) como um memorial para que os filhos de
Israel jamais esquecessem de que foram escravos no Egito e que o próprio Deus os libertou
com mão poderosa, trazendo juízo sobre os deuses do Egito e sobre Faraó. Êxodo 12

“E este dia vos será por memorial, e celebrá-lo-eis por festa ao Senhor; através das
vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.” Ex 12.14
A verdadeira origem e significado da Páscoa
E falou o Senhor a Moises:
“Porque naquela noite passarei pela terra do Egito, e ferirei todos os primogênitos na terra do
Egito, tanto dos homens como dos animais; e sobre todos os deuses do Egito executarei
juízos; eu sou o Senhor.” Ex 12.12

Visto que os israelitas também habitavam no Egito, como poderiam escapar do que estava
para acontecer?

O Senhor emitiu uma ordem específica ao seu povo; a obediência a essa ordem traria
proteção divina (garantia de vida e proteção) a cada família dos hebreus, com seus respectivos
primogênitos. Cada família deveria tomar um cordeiro (4 dias antes Ex. 12 3;6) macho de um
ano de idade, sem defeito e sacrificá-lo; famílias menores poderiam repartir um único cordeiro
entre si (4).

“e o guardareis até o décimo quarto dia deste mês; e toda a assembleia da congregação de
Israel o matará à tardinha:” Ex 12.6

O mais importante viria a seguir: Parte do sangue do cordeiro sacrificado deveria ser aspergido
nas duas ombreiras e na verga da porta de cada casa. (7). Em seguida, recebem a ordem, o
cordeiro tinha de ser todo assado e não podia comê-lo cru (8-9), nenhum osso podia ser
quebrado (46), quando fosse comer deveria fazê-lo no primeiro dia da festa (6-8)

“Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso
cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor.” Ex 12.11
Quando o Senhor passasse pela terra, Ele apenas “passaria por cima” das casas marcadas
com o sangue, sem tocar mortalmente nos primogênitos.

“E aconteceu que à meia-noite o Senhor feriu todos os primogênitos na terra do Egito, desde o
primogênito de Faraó, que se assentava em seu trono, até o primogênito do cativo que estava
no cárcere, e todos os primogênitos dos animais.” Ex 12.29
Daí o termo Páscoa, do hebraico “pessach”, que significa “passar ou saltar por cima”,
“pular além da marca” ou “poupar”.

E o que dizer para os nossos filhos?


- Este é o sacrifício da páscoa do Senhor, que passou as casas dos filhos de Israel no
Egito, quando feriu os egípcios, e livrou as nossas casas. Ex 12.27

Naquela noite específica, além de marcar as casas com o sangue, os israelitas deveriam
também comer ervas amargas e pães asmos (sem fermento). As ervas amargas
representariam os anos de sofrimento que o povo havia passado no Egito, enquanto que o pão
asmo representava o próprio Jesus, o pão vivo que haveria de descer do céu (Jo. 6.48,51,58)
sem o fermento do pecado. Além disso, os israelitas deveriam estar vestidos e preparados para
partir apressadamente (12.11), pois esta seria a noite de sua libertação da escravidão do Egito.
Tudo aconteceu conforme o Senhor dissera (12.29-36) e a partir daí, o povo de Israel passou a
celebrar a Páscoa como uma festa perpétua, um memorial, todos os anos na primavera.

Curiosidade: O grupo dos Salmos 113-118, Hallel (louvor). passou a ser conhecido como o
Hallel Egípcio, devido à sua associação com o livramento de Israel da servidão egípcia. Esses
Salmos eram usados por ocasião das três principais festividades (Páscoa, Pentecostes e
Tabernáculos), e por ocasião da dedicação do Templo. Por ocasião da Páscoa, eram entoados
os Salmos 113 e 114, antes da refeição pascal, e os Salmos 115 a 118, após a mesma,
conforme foi observado por Jesus e Seus discípulos, na última Ceia (Mat 26.30).

Jesus a nossa Páscoa

Assim, pelo sangue do cordeiro morto, os israelitas foram protegidos da condenação da morte.
Deus ordenou o sinal do sangue para mostrar profeticamente ao seu povo o que aconteceria
centenas de anos mais tarde, quando Jesus derramaria o seu sangue na cruz do calvário para
libertar o mundo do poder do pecado.

O fato de Jesus, muitos anos mais tarde, ter morrido exatamente durante a celebração da festa
da Páscoa não aconteceu apenas por coincidência, mas para cumprir um propósito profético de
Deus. Jesus foi o nosso “Cordeiro Pascal”, enviado por Deus para tirar o pecado do mundo.

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira
o pecado do mundo.” João 1.29

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus
ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da
Paz.” Isaías 6.9

“sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da
vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com precioso
sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo,” I Pedro 1 18-19
Isaías profetizou (700 anos antes) que Cristo seria crucificado e como ovelha ao matadouro,
não abriu sua boca (Is 53:7);
“Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a boca; como um cordeiro que é levado ao
matadouro, e como a ovelha que é muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a
boca.”

Nenhum de seus ossos foi quebrado; “Porque isto aconteceu para que se cumprisse a
escritura: Nenhum dos seus ossos será quebrado.” João 19.36

Seu Sangue foi totalmente derramado (Hb 9.14) para purificar todo pecado (I João 1 7-9)

“mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o
sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado.
Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não
está em nós.
Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos
purificar de toda injustiça.”

Toda simbologia da Páscoa aponta para Jesus!


Não podemos, portanto, denegrir a importância de tão grande sacrifício, cujo sangue precioso
foi aspergido, não nas portas de algumas casas, mas nos nossos corações, possibilitando-nos
desfrutar de uma vida abundante, longe da escravidão do Egito (mundo) e da tirania de faraó
(Satanás).

Jesus Cristo deu a aquela comemoração um profundo significado


para nos hoje.
Jesus, através de Seu sangue, nos libertou da escravidão do pecado.

O sacrifício vicário de Jesus nos deu acesso ao Pai.

Jesus ofereceu seu sangue para que possamos ser livres do pecado e das cruéis armadilhas
de faraó (satanás). Seu sangue nos dá Vida. Ele nos liberta da condenação!

A Páscoa Cristã comemora o sacrifico e a Ressurreição de Jesus Cristo. Jesus é o


nosso Cordeiro pascal (1 Co 5.7)
“Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem
fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado.”

Ele nos proporcionou liberdade através de Seu sangue e da Sua vitória na cruz. Que
possamos SEMPRE lembrar e comemorar esta Graça que nos é concedida (de graça)!

Aqui eu Aprendi!
Páscoa uma Festa instituída para que Israel jamais esquecesse que a mão poderosa de Deus
os livrou da morte e da escravidão. Semelhantemente, nós, que somos discípulos de Cristo, co-
herdeiros das promessas e fazendo parte da Nova Aliança com Deus, pois através do
Evangelho de Jesus estamos enxertados na videira e somos membros de um mesmo corpo.
Somos família de Deus (Efésios 3.6). Assim conforme nos relata o Apostolo Paulo em sua carta
aos Corintios,celebremos em memoria do sacrifício vicário de Cristo (1Co 5.8) Jesus o
Cordeiro que tira o pecado do mundo (João 1.29) e cujo sangue nos liberta, nos resgata
da escravidão do pecado e nos sela como filhos de Deus.
Em Cristo somos novas criaturas, sem fermento!
Páscoa uma Festa genuinamente Bíblica expondo o amor de Deus para com toda a
humanidade através do sacrifício vicário do Filho de Deus, nosso Senhor e Salvador Jesus
Cristo. Endosso com as palavras de João: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que
deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a
vida"

Reitero! Toda simbologia da Páscoa aponta para Jesus!


Não espere chegar a "data" pra aproveitar (na carne) o feriado;
Regozije-se no Espírito!
Celebre o sacrifício de Jesus e não deseje ovos e/ou presentes!
Jesus o perfeito e completo presente para nós!

Celebremos a Ceia com gozo em nossos corações!