Você está na página 1de 14

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL


Curso de Graduação em Química

Disciplina: Química Analítica Quantitativa (GQI084)

Determinação Gravimétrica
de Níquel por precipitação
com Dimetilglioxima
Data de realização do experimento 23/04/2018

Matrícula Membros do grupo


21611QMI230 Igor Melo
21711QMI018 Lucas Silva
21511QMI021 Thaís Souza

Ituiutaba / MG
2018
1 Objetivo
Determinar pelo método gravimétrico a concentração de níquel em uma amostra de
concentração desconhecida e controlar as condições experimentais para que a precipitação
seja quantitativa.

2 Procedimento experimental
Pipetaram-se, com o auxílio de uma pipeta volumétrica de (10,0 ± 0,1) mL, 10 mL de
uma solução de nitrato de níquel (II) de concentração desconhecida em um béquer de 250 mL
(previamente limpo) e adicionou-se água até aproximadamente 100 mL. Em seguida foi
adicionada solução de HCl 1:1 (v/v) até que o pH da solução estivesse na faixa de 2 a 3.
Aqueceu-se a mistura em banho termostatizado a 80ºC e adicionaram-se cerca de 10 mL de
solução dimetilglioxima (H2DMG) a 1% (m/v) em etanol. Adicionou-se gota a gota de uma
solução aquosa de NH4OH 1:2 (v/v), mantendo em agitação constante até que ocorresse a
precipitação. Adicionou-se um ligeiro excesso da soluçãode NH4OH. Logo em seguida, o
béquer foi coberto com um vidro de relógio e submetido a aquecimento por 60 minutos, em
banho-maria, a 80ºC
Nesse período de 60 minutos, lavou-se o funil de vidro com placa sinterizada com
água corrente, água destilada e etanol. Após isto, o funil foi secado em uma estufa a 120ºC
por 20 minutos e em seguida resfriado em um dessecador e pesado. Feito isto, o funil foi
levado à estufa novamente por mais 10 minutos, resfriando-o no dessecador e pesando-o em
seguida. Repetiu-se este procedimento até a obtenção de massa constante.
Após 30 min. e ao final do processo de digestão, verificou-se, com o auxílio de um
bastão de vidro,se o pH da mistura encontrava-se acima de 7, caso estivesse abaixo ou igual a
7 seria realizada a adição de algumas gotas de NaOH 2,0 mol L-1. Retirou-se a solução do
banho-maria e foi verificado se a precipitação foi quantitativa. Logo após, a solução foi
resfriada a temperatura ambiente e mantida em repouso por 40 minutos.
Finalmente, filtrou-se a mistura, a vácuo, no funil de vidro com placa sinterizada,
previamente pesado. Em seguida, lavou-se o béquer utilizado e o precipitado do filtro com
água destilada fria. Após a lavagem, foi realizado um teste para o filtrado adicionando
algumas gotas de H2DMG para verificar se a precipitação foi completa. O precipitado foi seco
a vácuo e levado para a estufa a 80ºC por 24 horas. Após isto, o funil contendo o precipitado
foi levado para um dessecador e após atingir a temperatura ambiente foi pesado e anotou-se
sua massa. Todo o procedimento foi realizado em duplicata.

1
Calculou-se a concentração de níquel na amostra desconhecida e utilizando os
resultados obtidos pelos demais grupos, a concentração média e o desvio padrão. Utilizou-se o
teste Q para verificar se um ou mais valores devem ser rejeitados e comparou-se o resultado
com o valor fornecido pelo docente.

3 Resultados e discussões
Inicialmente pesaram-se os filtros até a obtenção de massa constante, os valores obtidos
estão representados na Tabela 1.

Tabela 1. Massa do filtro com placa de vidro sinterizada


Filtro com placa de vidro sinterizada Massa (g)
1 43,9168
2 43,9830

Em seguida, realizado o procedimento de precipitação de níquel com dimetilglioxima


(DMG), o sólido precipitado formado foi devidamente filtrado e seco. Para determinar a
massa apenas do precipitado, subtraiu-se a massa obtida após a secagem, da massa do filtro
vazio. As massas obtidas deste processo estão representadas na Tabela 2.

Tabela 2. Massa do filtro contendo o precipitado de Ni(DMG)2 após a secagem e massa


obtida do precipitado.
Filtro com placa de Massa do precipitado com o Massa do precipitado (g)
vidro sinterizada filtro (g)
1 43,9595 0,0427
2 44,0265 0,0435

Feito isso, calculou-se a concentração de níquel para ambas amostras:

Amostra do filtro 1 Amostra do filtro 2


Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG- Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG-
1 mol 1mol 1mol 1mol
288,915g 58,69g 288,915g 58,69g
0,0427g X 0,0435g X
X=0,0086g de Ni2+ X=0,0088 g de Ni2+

2
Levando em conta a calibração realizada no experimento 1 da pipeta volumétrica de
10,0 mL, temos como valor calibrado 10,0 ± 0,1 mL (transformando este valor para litros
temos 0,0100L).
Amostra no filtro1 Amostra no filtro 2

Após os cálculos do grupo, analisou-se alguns aspectos das medidas do grupo e da


turma. Na tabela 3, estão representados os dados obtidos pelo grupo e pelada turma.

Tabela 3. Massas de Ni(DMG)2 e concentrações de Ni2+ obtidas.


Grupo Massa 1 de Concentração 1 Massa 2 de Concentração 2
2+ -1
Ni(DMG)2 (g) Ni (mol L ) Ni(DMG)2 (g) Ni2+ (mol L-1)
1 0,0449 0,0157 0,0456 0,0159
2 0,0445 0,0149 0,0472 0,0158
3 0,0427 0,0146 0,0435 0,0115
4 0,0446 0,0156 0,0401 0,0140

Calcularam-se as concentrações de acordo com os valores das pipetas volumétricas de


cada grupo, onde está foi realizada de acordo com a calibração no primeiro experimento.
Como as medidas utilizadas são da mesma grandeza, um ou mais resultados podem se
diferenciar consideravelmente dos demais. Neste caso, aplicasse o teste Q para verificar se
algum valor deve ser rejeitado.

Teste Q para o menor valor:

1°) 0,0115 < 0,0140 < 0,0146 < 0,0149 < 0,0156 < 0,0157<0,0158<0,0159
2°) Faixa = (0,0159– 0,0115) = 0,0044
3°) |Xq - Xp| = |0,0115 – 0,0140| = 0,0025

Q(calculado) =
3
Para verificação se o valor está ou não incluso nos dados, encontrou-se o Q(tabelado) a
95% de confiança.
Q(tabelado) 0,526 < 0,568 Q(calculado)

Como o Q(tabelado) é menor que o Q(calculado) a 95%, o menor valor do conjunto de


dados não faz parte.

Teste Q para o maior valor:

0,0115 < 0,0140 < 0,0146 < 0,0149 < 0,0156 < 0,0157<0,0158<0,0159
Faixa = (0,0159– 0,0115) = 0,0044
|Xq - Xp| = |0,0159 – 0,0158| = 0,0001

Q(calculado) =

Q(calculado) 0,022 < 0,526 Q(tabelado)


Como o Q(tabelado) é maior que o Q(calculado) a 95%, o maiorvalor faz partodo conjunto de
dados.
Os cálculos da média, desvio padrão e intervalo de confiança a 95%, estão
representados a seguir.

mol L-1

S = 0,000724 mol L-1

IC = ±

IC = (0,0152 ±0,0007) mol L-1

De acordo com o intervalo de confiança, os valores encontram-se entre 0,0145 mol


L-1 a 0,0159 mol L-1, uma vez que, o valor fornecido pelo docente encontra-se dentro do
intervalo de confiança a 95%.
4
5 Conclusão
A partir das concentrações de níquel encontradas nas amostras de todos os grupos,
observaram-se pequenas variações em relação ao valor verdadeiro informado pelo docente.
Tais variações podem se relacionar com os erros sistemáticos, como os operacionais
(manuseio incorreto de vidrarias e perda de massa do precipitado no momento da
transferência entre as duas vidrarias). Posto isto, conclui-se que o procedimento realizado para
a determinação gravimétrica de níquel por precipitação com dimetilglioxima foi eficiente,
visto que, o objetivo pressuposto foi alcançado.

6 Questões
(a) Apresentar todas as reações envolvidas neste experimento e a estrutura do
complexo formado;

H2DMG ↔ HDMG- + H+ (1)


NH3 + H2O ↔ NH4+ + OH-(2)
Ni2+ + 2C4H8O2N2 ↔ [Ni(C4H7O2N2)2] + 2H+ (3)

A equação 1 representa a dissociação da dimetilglioxima; a equação 2 o equilíbrio de


formação do íon amônio e dissociação e a equação 3 representa a formação do precipitado
[Ni(C4H7O2N2)2] através da reação entre os íons de Ni2+ e a dimetilglioxima.

A estrutura do complexo formado está representada abaixo:

Fonte: Estrutura confeccionada no software Chem Sketch

5
(b) Explicar no procedimento experimental como seriam preparadas as soluções de
HCl 1:1, NH4OH 1:2 e H2DMG 1% em etanol, e quais as concentrações destas soluções
em mol L-1 ;

Preparo de 100 mL de solução de HCl 1:1


Primeiramente é diluído, em mesma quantidade de volume, o HCl concentrado em
água destilada (com cuidado) e então agita-se até que haja homogeneização. Dessa forma, a
concentração do HCldiluído será igual à metade daquela encontrada no frasco (HClconcentrado),
pois, pela relação (1),

Vconcentrado x C concentrado = V diluído x C diluído (1)

e sabendo que o HCl (puro/concentrado) apresenta Gravidade Específica (ρ) de 1,18x103 g L-1
eque 37% (m/m)é a concentração em %(m/m)* em HCl (MM=36,458 g mol-1), pode-se
calcular a concentração molar do reagente concentrado (CHCl) em mol L-1, logo:

CHCl = ρx %(m/m)
MM

CHCl = (1,18 x 103g L-1)x 37g x 1mol= 11,96 mol L-1 = 12,0 mol L-1
100g x 36,458g

Calculada a concentração do ácido concentrado, que é 12,0 mol L-1, e sabendo que seu
volume é 0,05 L (pois a quantidade de volume adicionada é metade do volume total da
solução, que é 0,1L)) e que o Vdiluído é 0,1L (volume total da solução) podemos substituir na
relação 1:

Vconcentrado x C concentrado = V diluído x C diluído

0,05 L x 12,0 mol L-1 = 0,1 L x C diluído

C diluído = 0,05 L x 12,0 mol L-1 = 6,0 mol L-1

6
0,1 L

Logo, a concentração final do HCl em uma solução 1:1, de volume total 0,1L,
é 6,0 mol L-1.

Preparo de 100 mL de solução de NH4OH 1:2


O preparo dessa solução é realizado da mesma forma descrita no procedimento
anterior:
33,33 mL de NH4OH concentrado são diluídos em 66,66 mL de água destilada. Em
seguida, agita-se a solução até total homogenização. A concentração do NH4OH concentrado
e diluído é calculada a partir da relação (1), descrita anteriormente.

Sabendo-se que a Gravidade Específica é de 0,90x103 g L-1 e que 29% (m/m) é a


concentração em %(m/m) em NH4OH (MM=35,026 g mol-1), pode-se calcular a concentração
molar do reagente concentrado (CNH4OH) em mol L-1, logo:

CNH4OH = ρ x %(m/m)
MM

CNH4OH = 0,90x103 g L-1 x 29 g x 1 mol = 7,45 mol L-1


100 g x 35,026 g

Calculada a concentração de NH4OH, que é 7,45 mol L-1, e sabendo que seu volume é
0,03333L (pela relação 1:2) e que o Vdiluído é 0,1L, podemos substituir na relação 1:

Vconcentrado x C concentrado = V diluído x C diluído

0,03333 L x 7,45 mol L-1 = 0,1 L x C diluído

C diluído= 2,48 mol L-1

Preparo de 100 mL de solução de H2DMG 1% em etanol

Para a solução de H2DMG a 1% em etanol, deve-se pesar o soluto para preparar a


concentração desejada e adicionar o volume correspondente de etanol puro. O cálculo da
concentração está representado a seguir.

Sendo ρ= 0,80x103g L-1, %(m/v) = 1% e MM= 116,120 g mol-1

7
CH2DMG = 0,80x103g L-1 x 1 g x 1 mol = 0,07 mol L-1
100g x 116,120 g

Portanto, a concentração de H2DMG a 1% em etanol é 0,07 mol L-1.

c) Apresentar todos os cálculos e a concentração média de Ni2+ (em mg/100mL)


com a estimativa do desvio padrão dos resultados obtidos pelos grupos.

Grupo 1:

 Precipitado 1

Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG-


1 mol 1 mol
288,915g 58,693g
0,0449g Y

Y = 0,0449g x 58,693g = 0,00912g x 1000 mg = 9,12mg


288,915g 1g

De acordo com a calibração realizada no primeiro experimento, sabe-se que o volume


de 10mL da pipeta volumétrica corresponde a 9,9 mL, logo:

CNi = 9,12 mg = 0,92mg x 100 = 92 mg


9,9 mL mL 100mL

 Precipitado 2

Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG-


1 mol 1 mol
288,915g 58,693g
0,0456g Y

Y = 0,0456g x 58,693g = 0,00926g x 1000 mg = 9,26mg


288,915g 1g

De acordo com a calibração realizada no primeiro experimento, sabe-se que o volume


de 10mL da pipeta volumétrica corresponde a 9,9 mL, logo:

CNi = 9,26 mg = 0,935mg x 100 = 93,5 mg


9,9 mL mL 100mL

Grupo 2:

8
 Precipitado 1

Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG-


1 mol 1 mol
288,915g 58,693g
0,0445g Y

Y = 0,0445g x 58,693g = 0,00904g x 1000 mg = 9,04mg


288,915g 1g

De acordo com a calibração realizada no primeiro experimento, sabe-se que o volume


de 10mL da pipeta volumétrica corresponde a 10,3 mL, logo:

CNi = 9,12 mg = 0,878mg x 100 = 87,8 mg


10,3 mL mL 100mL

 Precipitado 2

Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG-


1 mol 1 mol
288,915g 58,693g
0,0472g Y

Y = 0,0472g x 58,693g = 0,00959g x 1000 mg = 9,59mg


288,915g 1g

De acordo com a calibração realizada no primeiro experimento, sabe-se que o volume


de 10mL da pipeta volumétrica corresponde a 10,3 mL, logo:

CNi = 9,59 mg = 0,931mg x 100 = 93,1 mg


10,3 mL mL 100mL

Grupo 3:

 Precipitado 1

Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG-


1 mol 1 mol
288,915g 58,693g
0,0427g Y

9
Y = 0,0427g x 58,693g = 0,00867g x 1000 mg = 8,67mg
288,915g 1g

De acordo com a calibração realizada no primeiro experimento, sabe-se que o volume


de 10mL da pipeta volumétrica corresponde a 10,0 mL, logo:

CNi = 8,67 mg = 0,867mg x 100 = 86,7 mg


10,0 mL mL 100mL

 Precipitado 2

Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG-


1 mol 1 mol
288,915g 58,693g
0,0435g Y

Y = 0,0435g x 58,693g = 0,00884g x 1000 mg = 8,84 mg


288,915g 1g

De acordo com a calibração realizada no primeiro experimento, sabe-se que o volume


de 10mL da pipeta volumétrica corresponde a 10,0 mL, logo:

CNi = 8,84 mg = 0,884mg x 100 = 88,4 mg


10,0 mL mL 100mL

Grupo 4:

 Precipitado 1

Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG-


1 mol 1 mol
288,915g 58,693g
0,0446g Y

Y = 0,0446g x 58,693g = 0,00906g x 1000 mg = 9,06mg


288,915g 1g

10
De acordo com a calibração realizada no primeiro experimento, sabe-se que o volume
de 10mL da pipeta volumétrica corresponde a 9,9 mL, logo:

CNi = 9,06 mg = 0,915mg x 100 = 91,5 mg


9,9 mL mL 100mL

 Precipitado 2

Ni(DMG)2 → Ni2+ + 2DMG-


1 mol 1 mol
288,915g 58,693g
0,0401g Y

Y = 0,0401g x 58,693g = 0,00815g x 1000 mg = 8,15mg


288,915g 1g

De acordo com a calibração realizada no primeiro experimento, sabe-se que o volume


de 10mL da pipeta volumétrica corresponde a 9,9 mL, logo:

CNi = 8,15 mg = 0,82mg x 100 = 82 mg


9,9 mL mL 100mL

Utilizando todas as concentrações encontradas podem-se calcular a média e a


estimativa do desvio padrão:

11
(d) Citar as principais fontes de erro nesta determinação, associando as suas
respostas com os resultados alcançados no experimento;

O grupo obteve as seguintes concentrações 0,0146 mol L-1 para o primeiro funil e
0,0115 mol L-1, estes valores quando comparados com o valor teórico de 0,0155 mol L-1 são
relativamente baixos, o que leva a concluir que houve alguns erros, que podem ser atribuídos
a perda de massa que ficou retida no bastão de vidro durante o experimento quando utilizado
para agitar a solução ou até durante a transferência do béquer para o funil. Erros nos
equipamentos e no manuseio das vidrarias também podem ter contribuído para essa perda ou
aumento de massa dos demais grupos.

e) Por que os íons cloreto devem estar ausentes na solução de lavagem?

Os íons cloreto podem sentir uma atração eletrostática pelos íons do precipitado
(complexo) e dessa forma podem contaminar a amostra, dificultando a determinação da
concentração de Ni2+. Por isso, a eliminação desses íons através da lavagem, nesse caso
utilizando água, eleva a pureza do precipitado.

(f) Por que se deve acidificar a solução antes da adição de agente precipitante?

A acidificação do meio (pH entre 2-3) retarda a precipitação do complexo ao se


adicionar o agente precipitante (H2DMG), pois a faixa de pH na qual ocorre a precipitação do
Ni2+ encontra-se entre 5 e 9. Dessa forma, pode-se controlar a reação a partir da adição de
pequenas quantidades de uma base fraca, NH4OH por exemplo, esta irá aumentar o pH aos
poucos e a reação entre o Ni2+ e a H2DMG ocorrerá de forma controlada, obtendo-se
partículas grandes com elevada pureza, que são facilmente filtráveis.

12
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SKOOG, D. A.; et al. Fundamentos de Química Analítica. 8ª Ed.; São Paulo: Pioneira
Thomson Learning, 2006, p66 – 75.

BACCAN, N.; GODINHO, O. E. S.; ANDRADE, J. C.; BARONE, J. S, E. Química


Analítica Quantitativa Elementar. 3ª ed. São Paulo, Instituto Mauá de tecnologia, 2001. p
33 - 61.

13

Você também pode gostar