Você está na página 1de 26

Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

PROCESSOS E MÉTODOS DE LIMPEZA DE


UFCD
QUARTOS, CASAS DE BANHO, ANDARES E
3380
ÁREAS COMUNS

Índice

1.Principais regras de organização do serviço de higienização e arrumação de quartos e espaços


comuns………………………………………………………………………………………………………………………………2
1.1− Horários………………………………………………………………………..…………………………………2
1.2− Prioridades…………………………………………………………………………………………………….…3
1.3− Limpeza e arrumação dos aposentos ocupados……………………………………………………4
1.4− Complementos dos aposentos de saída…………………………………………………………….…7
1.5− Abertura de camas……………………………………………………………………………………….…..8
1.6− Limpezas gerais.................................................................................................10
1.7− Arrumação e limpeza do ofício………………………………………………………………………….10

0
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

2.Processos e métodos de higienização……………………………………………………………………………….12


2.1− Revestimentos, móveis, tecidos, tapetes e outros……………………………………………...12
2.2− Espaços específicos -salas de convívio, restaurantes, espaços de animação infantil e
outros…………………………………………………………………………………………………………………….2
1

3.Boas práticas de higiene e segurança no manuseamento de aparelhos e produtos de


limpeza…………………………………………………………………………………………………………………………….24

Bibliografia……………………………………………………………………………………………………………….……….30

1.Principais regras de organização do serviço de higienização e


arrumação de quartos e espaços comuns

1.1− Horários

É recomendado que o Serviço de Andares esteja operacional 24horas/dia.

Existem unidades hoteleiras que contam com este serviço num horário reduzido, sendo o serviço
organizado em vários turnos, com trabalhos específicos.

Por exemplo:
- 6h-8h – Limpeza da Recepção e áreas comuns
- 6h-10h – Apoio ao serviço de Pequeno - Almoço
- 12h-15h – Apoio ao restaurante
- 9h-17h – Arrumação de aposentos

Um esquema de trabalho fornece um plano de horários das tarefas a serem executadas por um
membro do pessoal dentro do seu horário de trabalho. Também incluirá pausas para almoço e
lanche, etc. Este esquema deverá abranger tarefas diárias, semanais e periódicas.

1
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Alguns estabelecimentos fornecem esquemas de trabalho em cada semana ou até no início de


cada turno. Desta maneira as tarefas consideradas monótonas ou aborrecidas podem ser rodadas
entre os diversos membros do pessoal.

1.2− Prioridades

A frequência de limpeza, tanto rotineiramente como periodicamente, depende da inter-relação


entre vários factores:

A quantidade de sujidade que se forma


Isto dependerá do uso dado e da frequência do uso. Também dependerá da idade, design e
condição das várias áreas e na localização do edifício.

O nível exigido de limpeza


Áreas especiais como casas de banho, cozinhas, áreas de lazer irão requerer um alto nível de
limpeza. Hotéis de cinco estrelas pretendem níveis de limpeza mais elevados do que hotéis de
classe inferior.

Custos de limpeza
Os estabelecimentos hoteleiros trabalham dentro de um certo orçamento, e como tal o pessoal,
equipamento e material destinado à limpeza será limitado.

Alguns items e superfícies têm de ser limpas diversas vezes por dia, sempre que são usados,
outros apenas uma vez por dia ou por semana. Isto faz parte das rotinas de limpeza. Os
exemplos incluem:

Várias vezes ao dia/ com uso


Esvaziar os cinzeiros, limpar as mesas de preparação de refeições, limpar as mesas de
restaurante com superfícies difíceis, limpar as casas de banho públicas.

Diariamente
Limpeza de superfícies e chão de casas de banho privativas, cozinhas, aspirar os corredores,
salas, áreas públicas, quartos que foram ocupados durante a noite.

Semanalmente
Limpeza do pó nas prateleiras altas e soleiras da porta, limpeza de espelhos.

2
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Outras tarefas de limpeza, por exemplo, lavar carpetes e oleados, encerar o chão, limpar a seco
ou lavar as cortinas e cobertores, lavar janelas, paredes, vidros dos quadros e candelabros, são
feitas periodicamente. Isto pode ser feito mensalmente, anualmente ou até com menor
frequência.

1.3− Limpeza e arrumação dos aposentos ocupados

A governanta é responsável por manter actualizada a situação das unidades habitacionais no


sistema do hotel.

As unidades habitacionais podem estar nos seguintes status:


 Vago limpo - Unidade habitacional que está pronta para ser alugada.
 Vago Sujo - Unidade habitacional em que o hóspede deu saída e ainda não foi arrumada.
 Bloqueado em manutenção - Unidade habitacional interdita para reparos, podendo ser
para manutenção preventiva ou correctiva
 Reservado para hóspede - Unidade habitacional reservada para a chegada de hóspede.
 Ocupado - Quando se encontra em utilização por um ou vários hóspedes.

Os aposentos deverão ser arrumados pela seguinte ordem:


1.º - Os aposentos nos quais os hospedes colocaram o aviso “Arrumar, por favor”
2.º - Os aposentos que deram saída (Dependendo da necessidade da recepção, estes
poderão receber prioridade.)
3.º - Os apartamentos ocupados.

Se o hóspede colocar na porta o aviso “Não incomodar”, este aposento só deve ser arrumado
quando tal indicação for dada.

Salvo indicação contrária, o aposento deve ser arrumado na ausência do hóspede. Caso este
regresse ao aposento durante a arrumação, a empregada deverá deixar para concluir o trabalho
mais tarde.

Ao iniciar o trabalho, a empregada deve ser informada pela governanta do estado de ocupação
do seu andar.

Antes de iniciar outros trabalhos deve fazer uma vistoria aos quartos sob sua responsabilidade,
verificando:
 Se foram utilizados abusivamente ou sem registo;

3
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

 Se os mini-bares estão completos ou com embalagens adulteradas;


 Se todos os items necessários ao funcionamento estão operacionais;
 Se faltam peças de roupa ou outros items no quarto de banho;
 Se todos os impressos estão intactos;
 Se a ocupação dos quartos corresponde à lista recebida.

Se alguma anomalia ou falta for verificada, a governanta deve ser imediatamente avisada e esta
vistoria já será válida para elaboração do relatório de ocupação.

È importante conhecer logo cedo a posição dos quartos vagos e saídas, para aproveitar o tempo
de trabalho e para não entrar num quarto que se pensava estar vago e que está ocupado.

Os passos básicos da limpeza de um quarto varia de estabelecimento para estabelecimento e


mesmo as grandes cadeias hoteleiras deixam os seus empregados seguirem os seus métodos de
trabalho.

O que é importante:
 A mínima quantidade de tempo e esforço desperdiçada. Pensar em avançar também
poupa tempo.
 O risco de propagação das bactérias e pó deve ser minimizado.

Ex. Colocar a roupa suja imediatamente no saco e limpando as superfícies mais altas antes das
mais baixas.

 Seguir uma ordem lógica para que nada seja esquecido e o trabalho termine.

Ex. Limpar o pó no sentido do ponteiro do relógio, aspirar a sala em direcção à porta.

Etapas na limpeza de um quarto


1. Bater á porta duas vezes antes de entrar;
2. Ao entrar dizer “Serviço de Andares”, e deixar a porta entreaberta durante a limpeza;
3. Coloque o carrinho com os produtos de limpeza, roupa lavada, renovação de produtos
higiénicos e artigos de papelaria à porta;
4. Puxe as cortinas e abra as janelas para arejar o quarto;
5. Verifique se existe algum estrago;
6. Desligue aparelhos eléctricos;
7. Retire qualquer alimento ou tabuleiro com refeição e devolva-os à área de serviço;
8. Esvazie os cinzeiros e caixotes de lixo;
9. Puxe o autoclismo, aplique um detergente e desinfectante;
10. Desfaça as camas;
11. Retire toda a roupa suja (incluindo as toalhas da casa de banho coloque no saco
apropriado;

4
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

12. Refaça as camas;


13. Limpe a casa de banho;
14. Limpe o pó da mobília seguindo uma lógica viável;
15. Verifique e substitua os mantimentos dos clientes;
16. Feche as janelas;
17. Verifique se todos os aparelhos estão a funcionar (comunicação à manutenção);
18. Recoloque os cinzeiros e caixotes do lixo;
19. Aspire o chão;
20. Registe os consumos de mini-bar;
21. Verifique a aparência geral do quarto – estandardização
22. Deixe o quarto trancado e comunique às secções interessadas

Pode haver uma ligeira diferença nos aposentos ocupados como por exemplo:
 Arrumar a cama em vez de desfazer e fazer;
 Arrumar a roupa e demais pertences do cliente.

1.4− Complementos dos aposentos de saída

A empregada de andares toma conhecimento da entrada ou saída de hóspedes através do


relatório de estado dos quartos, fornecidos no início do trabalho, pela governanta.

Quando da saída do hóspede, a empregada de andares deverá fazer uma vistoria ao aposento,
verificando se existem estragos nos equipamentos e utensílios, ou se foram levados alguns
pertences, propriedade do hotel. Nesta situação, deverá informar a Governanta, para que se
proceda em conformidade com a situação.

A escolha dos materiais e amenites oferecidos aos hóspedes, dependera do tipo, categoria e
Principalmente dos serviços oferecidos pelo hotel.

Segue abaixo alguns produtos normalmente oferecidos:


 Gel de banho.
 Champô
 Polidor de Calçado.
 Condicionador.
 Sabonete
 Cotonetes.
 Touca de banho
 Saco higiénico
 Creme de barbear
 Kit dental
 Kit de costura

5
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

 Fósforos
 Caneta
 Bloco de notas
 Saco de lavandaria
 Material de Propaganda do Hotel.

É muito importante que haja um controle rigoroso desses produtos, pois são de uso exclusivo dos
hóspedes.

Existem hotéis que, em vez de distribuírem o material semanalmente para as empregadas de


andares, passam a quantidade de amenites necessárias para a reposição das unidades
habitacionais daquele dia.

1.5− Abertura de camas

As camas devem ser abertas, de modo a dar um ar mais confortável e convidativo ao descanso
do cliente.

Conforme a política do hotel, as camas podem ser abertas na altura em que são feitas, ou em
horários específicos, mais perto da noite.

A abertura de cama é um tipo de serviço realizado pela equipa da tarde e segue os seguintes
passos:
1 – Entrar no quarto do hóspede
2 – Retirar objectos do hóspede em cima da cama
3 – Dobrar a colcha e o que estiver por baixo uns 30 cm na sua direcção
4 – Puxar de forma a formar um triângulo
5 – Se forem duas pessoas a utilizar a cama, fazer o mesmo dos dois lados
6 – Sacudir as fronhas para que pareçam frescas e firmes
7-Nalguns locais, deixa-se um chocolate ou um cartão do director-geral.

Deve-se manter a privacidade do hóspede em todos os momentos, principalmente quando na


porta estiver o aviso “Não perturbar”. Se houver algum pedido para um apartamento que
apresente este aviso na porta:
 Retornar com o pedido
 Avisar o supervisor, para que forneça instruções.

Aspectos importantes na abertura de camas:


 Quando desfizer a cama evite bater na roupa da cama, pois isto pode espalhar pó e
bactérias no quarto. Cada objecto deve ser dobrado para o centro da cama;

6
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

 Nunca coloque cobertores ou roupa limpa no chão. Ponha a roupa suja directamente no
contentor destinado a ela – saco da roupa;
 Assegure-se que o ocupante da cama dorme entre os lados direitos dos lençóis;
 A dobra do lençol superior deve ter um tamanho de 20 cm e estar a 10 cm da cabeceira;
 A abertura lateral da fronha não deve ser visível – para baixo e para o centro da cama;
 Faça as dobras correctamente;

Arrumação de Camas
Uma atenção muito importante na arrumação dos aposentos, é a forma como a cama é feita.

O essencial a ser referido é que a roupa da cama deve estar perfeitamente esticada, sem
qualquer dobra ou ruga. As roupas devem ainda ser presas realizando um “bico de envelope”,
nos bicos inferiores do colchão. Na cabeceira, o bico é apenas feito com o lençol de baixo.

Dependente do design da cama, a roupa pode ou não ser presa ao longo do colchão. Contudo,
actualmente, nos hotéis mais modernos, opta-se por camas que permitam que a roupa fique
solta. Deste modo quando o hóspede a utiliza tem maior facilidade, e não corre o risco de
desfazer toda a cama, tendo que “puxar” por uma ponta da roupa para poder entrar.

1.6− Limpezas gerais

Os procedimentos e frequência da limpeza dependem:


◦ Tipo de estabelecimento;
◦ Frequência com que alteram os ocupantes do quarto;
◦ Politica do estabelecimento em relação á limpeza;
◦ Exposição do quarto em relação a sujidades e poeiras (por exemplo, um quarto
com ar condicionado exige menor atenção do que um cujas janelas estão abertas);
◦ Vezes que a área é usada.

A desinfestação geral dos quartos deve ser realizada, no mínimo, quatro vezes por ano, nos
períodos de baixa ocupação, de acordo com a sazonalidade do hotel.

A limpeza geral das unidades deve ser impecável e agressiva, procurando-se que seja notada
pelos clientes.

A limpeza das áreas de clientes deve ser bem cuidada e merecer a atenção da governanta, para
que os estofos, carpetes, tapetes, cortinados, candeeiro ou espelhos não passem muito tempo
sem tratamento, provocando o mau aspecto e o ar de abando dos locais.

7
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Ao fazer a lavagem de áreas interiores ou exteriores, o pessoal de limpeza deve tomar alguns
cuidados com as águas de lavagem:
1.Evitar que essas águas atinjam os circuitos eléctricos
2.Evitar que elas enferrujem as bases das portas corta-fogo
3. Evitar que elas se infiltrem por baixo das portas dos elevadores.

1.7− Arrumação e limpeza do ofício

As zonas de serviço são as últimas zonas a serem limpas, após a higienização e arrumação das
outras áreas estar concluída.

A sua higienização é importante para manter as condições de higiene e segurança gerais, para
além de transmitem conforto aos colaboradores.

A limpeza dos vários sectores deve obedecer a uma escala pré-determinada, para que não
coincida com os horários de grande movimento de hóspedes ou de serviço.

Uma recepção e entrada bem tratada e limpa dão uma boa impressão sobre o edifício. Quando as
escadas, corredores e elevadores estão limpos, o trabalho feito nos aposentos e nos restantes
serviços prestados, irão ser melhor apreciados.

Estes locais são usados por um maior número de pessoas, e por isso o mobiliário e a superfície
sujam-se com grande facilidade, e têm um desgaste superior ao das outras áreas.

Devem manter sempre uma aparência atractiva e convidativa à presença de pessoas.

Tapete da entrada
Existem para prevenir a entrada de pó, areia e lama no edifício, através dos sapatos das pessoas.
Estes tapetes devem ser limpos diariamente.

Corredores e escadas
Devem ser limpos de maneira a que as pessoas que por aí passem enquanto decorre a limpeza
não corram perigo, nem sejam incomodadas, e ao mesmo tempo, não estraguem o trabalho já
realizado. Uma das técnicas poderá ser a divisão do corredor ou da escada em duas partes, e
limpar primeiro uma das metades.

Elevadores

8
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

O painel de comando e as portas do elevador devem ser limpas com frequência, não ficando
marcas de dedos nas superfícies. O trilho da porta deve ser aspirado para limpar a sujidade e as
eventuais pontas de tabaco.

2.Processos e métodos de higienização

2.1− Revestimentos, móveis, tecidos, tapetes e outros

Existem algumas superfícies, materiais ou móveis, que pelas suas características têm de ser
limpas ou lavadas com especial atenção e cuidado, nomeadamente no que se refere aos produtos
e utensílios de limpeza a utilizar.

Tipos de coberturas de chão


Os pavimentos difíceis podem ser de três tipos:
1. Porosos, que absorvem rapidamente toda a sujidade e derramamentos. Este é o caso, por
exemplo, da madeira, cortiça e cimento.
2. Semi-porosos, que absorvem alguma sujidade e humidade, especialmente quando
começam a desgastarem. Este é o caso, por exemplo, do vinil e do linóleo.
3. Não porosos, que não absorvem a sujidade ou a humidade. Este é o caso do mármore e
da tijoleira de cerâmica.

Os pavimentos porosos e semi-porosos são geralmente tratados com substâncias vedantes que
preenchem os poros, para que a superfície não absorva a sujidade ou os derramamentos. Assim,
a limpeza torna-se mais fácil, e a vida útil do pavimento é aumentada.

Estas substâncias são geralmente ceras que utilizadas nestes pavimentos aparentam uma tinta
sem cor.

Para pavimentos semi-porosos recomenda-se o uso de ceras baseadas em água, que são
relativamente fáceis de aplicar e podem ser usadas na generalidade das superfícies (excepto nas
porosas).

Os pavimentos não porosos também podem ser vedados para sua melhor aparência.

Vernizes para o chão


Os pavimentos difíceis são por vezes envernizados. O verniz ajuda a manter a cera e dá mais
brilho ao chão.

9
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Existem dois tipos principais de vernizes para o chão.


1. Baseados em solventes – consistem em ceras sustidas em solventes e estão disponíveis
em pastas ou formas líquidas.
2. Baseados em água – consistem na dispersão de partículas em água.

Os vernizes baseados em solventes são apropriados para madeiras não tratadas e pavimentos em
cortiça. Não podem ser usados em vinis ou borrachas.

Limpeza e polimento do chão


Os pavimentos difíceis podem ser limpos a seco (varrer ou aspirar), com líquidos (esfregar, polir,
pulverizar, etc.), com métodos manuais ou químicos.

Os métodos a seco irão remover a poeira seca ou lixo, como por exemplo as cinzas de cigarro,
enquanto que os métodos que recorrem a líquidos são utilizados para remover sujidade pegajosa,
gordurosa, molhada ou decomposta.

Limpeza de carpetes
As carpetes necessitam de ser limpas regularmente, pois a sua composição é propícia para a
fixação de sujidade e bactérias.

Existem aparelhos próprios para limpar carpetes, contudo, os aparelhos mais usuais são os
aspiradores, que sugam areia e outro tipo de sujidade solta.

Métodos de limpeza

Limpeza a seco
É realizada com uma máquina específica para limpar a seco. O tanque desta máquina é cheio
com uma espuma a seco e a máquina passa sobre a carpete, fazendo a espuma penetrar na
carpete. Este champô penetra no pêlo e liberta a sujidade nele impregnada. Seguidamente, com
a ajuda de um aspirador, retira-se os resíduos restantes.

Lavagem com líquidos


Este método é mais eficiente do que o a seco. Utiliza uma máquina de limpeza preparada com
um champô especial, escovas e um secador. A solução de champô é libertada à medida que a
maquina passa sobre a carpete, sendo trabalhada com as escovas.

10
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Após a passagem do champô passa-se o secador na área, de modo a que o liquido e a sujidade
libertada sejam sugadas.

No final de cada limpeza, o champô restante deve ser retirado, o tanque deve ser lavado e cheio
de novo com água limpa. Passa-se então a máquina pela segunda vez, com água limpa, e volta-
se a secar. Depois desta passagem, a carpete deve ser toda aspirada.

Limpeza com água quente


Esta técnica combina a lavagem com a secagem. Remove a sujidade entranhado com mais
eficácia do que os métodos anteriores, pois deixam poucos resíduos e a carpete seca
rapidamente.

Este tipo de limpeza exige equipamento especializado designado por máquina de extracção por
água quente. Esta máquina é cheia com uma solução de champô e de água quente ou morna. Ao
passar na carpete a solução é pulverizada com muita pressão na superfície, penetrando nas fibras
da carpete, sendo em seguida sugada de novo, com a sujidade já solta.

Remoção de nódoas
Para serem mais eficazmente removidas, as nódoas devem ser tratadas assim que forem
detectadas.
Os sólidos deverão ser levantados cuidadosamente.
Os líquidos devem ser tratados com papel absorvente ou com um pano de limpeza.
Os derramamentos de líquidos devem ser limpos com água morna e em seguida
absorvidos com papel absorvente. Para limpar derramamentos de vinho deve-se usar
água gaseificada.

Se a nódoa persistir deve ser tratada com agentes de limpeza. No caso de dúvidas quanto ao
efeito do detergente, deve-se experimentar num local da superfície a tratar, que não seja visível.

Sempre que se retirar a nódoa com água ou detergente, a aplicação deve ser feita do exterior
para o centro. Se possível, após a limpeza da nódoa, deve-se cobrir a zona afectada, pondo uma
cadeira ou uma mesa, até que o local seque.

Paredes e tectos
A frequência com que se limpam as paredes e os tectos depende de quantas vezes o quarto é
utilizado, e para quê. Alguns tectos, por exemplo, poderão nunca precisar de limpeza. Por outro
lado, as paredes da cozinha necessitam de limpeza semanal.

11
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

À semelhança do que acontece com os pavimentos, os tectos e paredes podem ser limpos
através de métodos secos ou métodos com líquidos.

De modo a facilitar o tipo de limpeza a aplicar, identificamos os seguintes tipos de revestimentos


de paredes:

12
1. Pintura
2. Papel
3. Tecido
4. Plásticos
5. Madeira
6. Cortiça
7. Metal
8. Azulejo
9. Vidro
10. Pedra
Assim, de um modo rápido, podemos escolher a técnica a aplicar consultando a seguinte
tabela:

Guia rápido para escolha de técnica de limpeza

Tipo de Superfície Varrer Limpeza Aspirar Lavar


c/
humidade
Tinta suave …………………………… + + + +
Tinta com textura …………………… - - + +
Papel lavável ………………………… + + + +
Loiça …………………………………... + + - +
Vidro ………………………………… - + - +
Mármore ou outra pedra decorativa + + - +
Plástico ……………………………… + + + +
Madeira ……………………………… + + + -
Cortiça (se envernizada ) ...………… + + + +
Metal ………………………………… + + + +
Tijolo e pedra ……………………… - - + +
Couro ………………………………… + - + -

Procedimentos Gerais de Limpeza


1. Utilizar o sinal de segurança que indica que se está a executar tarefa de limpeza.
2. Mudar de local, ou cobrir a mobília com panos que impeçam a acumulação de pó.
3. Proteger o chão sempre que necessário.
4. Se houver necessidade de limpar o tecto, este deve ser limpo antes das paredes.
5. Limpar secção a secção, movendo-se segundo uma lógica.
6. Usar luvas protectoras.
7. Usar as medidas de segurança necessárias.
8. Antes de lavar as paredes, elas devem ser limpas, para retirar poeiras da superfície.
9. Varrer ou aspirar de cima para baixo.
10. As tomadas ou interruptores podem ser tapadas com fita adesiva.
11. Retirar manchas de poeira que estejam no chão, acessórios ou mobiliário para que não
embeba por baixo dos panos protectores.
12. Trabalhar de cima para baixo das paredes.

Portas, janelas e outras superfícies de vidro


A maioria das portas e acessórios podem ser limpas como parte da rotina de limpeza.
Periodicamente ou se se apresentam muito sujas, podem ser limpas com um produto neutro ou
alcalino, mas nunca com detergentes abrasivos.
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Depois de limpas, as superfícies de madeiras em bruto podem ser ocasionalmente polidas com
cera ou oleadas. As ceras nunca podem ser usadas em portas de plástico ou pintadas.

As barras protectoras devem ser limpas com um detergente alcalino em creme ou líquido.

Limpeza de vidros
Os vidros são geralmente limpos de forma manual, embora existam máquinas específicas para
este serviço. Para estas limpezas são utilizados os seguintes agentes:

Solução de detergente neutro apropriado para limpezas gerais. Para obter melhores
resultados, deve-se enxaguar os vidros.
Solução de detergente alcalino, que é muito eficiente nas gorduras. Devem ser
usadas luvas e enxaguados os vidros.
Uma solução de vinagre e água é aconselhada para zonas menos gordurosas,
produzindo brilho.

Prestar especial atenção a:


1. Áreas junto aos puxadores, caixilhos e barras protectoras.
2. Parte de cima das portas e cantos superiores que concentram muita poeira.
3. Equipamento que esteja solto ou danificado (Comunicar à secção de manutenção).
4. Rolamentos e dobradiças que seguram as portas e que são muito propícios à
acumulação e formação de sujidade.

Instalações Sanitárias
A limpeza das instalações sanitárias é uma das etapas que requer maior atenção por parte da
empregada de andares, e é uma das tarefas de maior importância na execução do serviço de
limpeza pelos seguintes motivos:

As instalações sanitárias recebem desperdícios como a sujidade das mãos e do corpo,


pele morta, cabelos, excrementos ou sujidade das limpezas. Todas estas sujidades
têm bactérias perigosas que se multiplicam em condições de falta de limpeza.
Estas áreas são utilizadas por muitas pessoas, e basta uma pessoa infectada para
contaminar todas as outras que usaram a mesma banheira, lavatório ou sanita.
Se estas áreas não forem limpas devidamente e com a frequência necessária,
começam a largar maus cheiros.

Quando se limpam sanitas:


1. Usar sempre luvas e uma bata para proteger a roupa e a pele de bactérias.
2. Usar somente panos destinados à limpeza de sanitas (distinguir, por exemplo, por cores)

15
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

3. Prestar especial atenção às extremidades e abertura do autoclismo onde as bactérias se


podem alojar.
4. Nunca transferir uma piaçaba de uma casa de banho para a outra. Isso pode espalhar
as bactérias.
5. Semanalmente usar um detergente alcalino, e de vez em quando um detergente ácido
forte. Deixar actuar.
6. Depois de limpar a sanita, verificar o rebordo.

Quando se limpa banheiras, lavatórios e bidés:


1. Limpar os derrames porque estes atraem sujidade e bactérias.
2. Ver se os ralos têm cabelos ou outras sujidades.
3. Para remover gordura das banheiras, molhar a área com um detergente alcalino e
deixá-lo actuar alguns minutos antes de esfregar.
4. Remover as marcas de água da banheira com um detergente ácido, seguindo as regras
de utilização.
5. Secar toda a área com uma toalha seca.

Procedimentos para limpar uma casa de banho

1. Limpar todos os acessórios sanitários antes da sanita.


a. Por o sabonete e os artigos pessoais de parte.
b. Limpar os acessórios, parede circundante e objectos como o tapete de banho e
cortinas.
c. Enxaguar com água limpa.
d. Limpar os espelhos, torneiras e superfícies sanitárias com papel próprio.
e. Secar todas as superfícies.
f. Voltar a por os objectos pessoais no seu lugar.
2. Limpar a sanita.
3. Remover as toalhas e as ofertas e fornecimentos para o hóspede.
4. Inspeccionar o quarto, anotando qualquer falha ou avaria.
5. Limpar o chão.
6. Lavar, enxaguar e pôr a secar os panos, escovas e luvas utilizados na limpeza.

Produtos a manter na casa de banho


Existem alguns produtos que são essenciais na casa de banho. Alguns destes destinam-se a ser
utilizados pelos clientes, não sendo de oferta. Outros, contudo, são feitos com o intuito de
serem oferecidos ao cliente, funcionando normalmente como um produto de merchandising do
estabelecimento.

Toalhas e tapetes de banho

16
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Geralmente cada ocupante do quarto tem á sua disposição uma toalha de banho, uma toalha
média, uma toalha de rosto, e uma de bidé. Dependente da política do hotel, o tapete de banho
pode ser permanente e lavado com regularidade, ou descartável.

Papéis higiénicos
Para assegurar que o papel não falhe, normalmente são colocados dois rolos extra em cada
casa de banho.

Sabonete
Geralmente é fornecido pelo menos um por hóspede. Novos sabonetes são distribuídos quando
os hóspedes deixam o hotel mas, em hotéis de luxo, são substituídos diariamente, passando os
sabonetes usados para as casas de banho públicas ou de serviço.

Actualmente é também muito usual o uso de sabonetes em líquido. Estes são distribuídos
através de mecanismos específicos, presos na parede ou colocados sobre a superfície do
lavatório. Assim, reduzem-se os desperdícios e a sujidade causada nas saboneteiras, propicia à
multiplicação de baterias.

Outros produtos
Alguns hotéis colocam à disposição dos seus hóspedes saquetas, pacotes ou frascos de
champô, lenços de papel, toucas de banho descartáveis, etc… com o logótipo do hotel. Em
hotéis de luxo é anda usual o fornecimento de robes.

Alguns produtos ou objectos podem ser proporcionados se requeridos, e podem ser cobrados
ao hóspede, ou serem oferta. Entre estes objectos podem incluir lâminas de barbear, escovas
de dentes, toalhetes, secadores, rolos de cabelo, etc…

Cuidados a ter quando se limpa


A limpeza melhora o aspecto de superfícies e áreas pois remove a sujidade visível. As bactérias,
que são organismos microscópicos, sobrevivem em quase todas as condições, e são removidas
ao mesmo tempo que limpamos, impedindo a sua multiplicação.

Assim, as técnicas de limpeza têm que se aplicadas eficazmente e de forma responsável, não só
por uma questão de beleza estética e de atractividade, mas também por uma questão de
saúde, tanto de pessoal, como de clientes.

Algumas das situações a ter em atenção são:

17
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

1. Uma casa de banho bem limpa torna-se um ambiente perigoso se for seca com uma
toalha já usada pelo cliente.
2. Se a roupa da cama lavada for colocada em contacto com a suja, poderá transportar
bactérias.
3. O lavatório pode parecer limpa depois de esfregado com um pano, mas se antes esse
pano foi usado para limpar algum acessório da casa de banho, é provável que contenha
bactérias e as deixe no lavatório.
4. Se as mãos não forem lavadas com frequência, as bactérias serão transportadas para
tudo o que tocarmos.
5. Os panos, esfregões e outros equipamentos de limpeza devem ser lavados e secos,
depois de usado, para que as bactérias não se multipliquem durante o tempo em que
estão guardados.

2.2− Espaços específicos -salas de convívio, restaurantes, espaços de animação


infantil e outros

Nos estabelecimentos hoteleiros existem salas preparadas para conferências, jantares,


reuniões, exposições, e outras ocasiões do género que envolvam a reunião de um certo número
de pessoas.

O esquema para a limpeza destes espaços deve ser delineado de acordo com o uso dado e a
natureza das superfícies, aplicando as técnicas específicas para cada material, apresentadas em
secções anteriores.
Salas de conferências/ convívio

Em alguns estabelecimentos é possível fechar um salão para limpeza, principalmente se houver


salas alternativas.

Os procedimentos para levar a cabo a limpeza periódica de uma sala mobilada são:
1. Se necessário, informar a recepção de que a sala foi fechada para limpeza e
dê um prazo para o final desse trabalho
2. Retire todo o lixo
3. Esvazie o local tanto quanto possível de mobiliário e acessórios. Envie as
cortinas para a lavandaria ou limpeza a seco.
4. Cubra todo o mobiliário que não possa ser removido com lençóis de
protecção

18
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

5. Varra e aspire as paredes e tectos. Em seguida lave. Não esquecer os


rodapés e os radiadores
6. Lave as portas e janelas, incluindo as soleiras
7. Limpe o pó das luzes fixas e dos focos. Esses acessórios devem ser lavados
com detergente neutro e depois postos a secar antes de serem de novo
postos nos seus lugares.
8. Aspire e ensaboe o mobiliário estofado. Limpe a parte não estofada do
mobiliário e outros acessórios do mesmo.
9. Aspire e ensaboe as carpetes, e encere. Limpe com um pano de camurça os
pavimentos que o necessitarem.
10. Lave os acessórios, como quadros, espelhos, ornamentos, cinzeiros, etc.
11. Ponha todos os acessórios e mobiliário de novo no lugar, na sua posição
original.
12. Verifique se tudo funciona correctamente e registe qualquer falha ou dano.

Instalações para Lazer

As áreas de lazer de um estabelecimento hoteleiro podem incluir piscina, sauna, solário,


ginásio, bar, restaurante, salas de convívio, etc.

A maioria dos pavimentos, paredes e acessórios são desenhadas de maneira a suportar


condições húmidas e o frequente uso a que são sujeitas.

Estas áreas requerem uma especial atenção aos critérios de segurança, existindo por vezes
locais de acesso restrito a funcionários ou a pessoal especializada. O pessoal que está afecto a
este serviço recebe indicações específicas sobre os procedimentos de limpeza a adoptar, as
regras de segurança a respeitar e os produtos a utilizar.

Os métodos de limpeza destes espaços incluem:


1.Limpar o pó aos acessórios e mobiliário
2.Limpar o chão circundante da piscina, vestiários, casas de banho, saunas, etc., áreas
onde a humidade está presente (alternativamente pode usar-se mangueiras ou uma
unidade de limpeza com pressão)
3. Limpar as superfícies difíceis
4.Esfregar algum pavimento que se apresente muito sujo
5.Aspirar as áreas com carpetes, por exemplo nos bares e ginásios
6.Limpar os acessórios sanitários.

19
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Passeios ou calçadas

A limpeza dos passeios ou calçadas em frente ao hotel deve ser realizada pelo menos uma vez
por semana, bem como a lavagem dos acessos a garagens, etc.

3.Boas práticas de higiene e segurança no manuseamento de


aparelhos e produtos de limpeza

Normas de higiene
Uma boa higiene é fundamental em locais onde se movimentam pessoas, ou onde elas
satisfazem as suas necessidades físicas, razão por que uma boa limpeza é importante nos locais
públicos e nos sanitários.

Mas higiene não é apenas limpeza impecável. É também arejamento, desbaratização e um bom
tratamento sanitário, evitando contaminações nos locais e doenças.

Manter as condições sanitárias deve ser uma preocupação constante do pessoal da secção de
andares, adoptando as seguintes medidas gerais:
 Manter as roupas limpas, longe das que foram usadas
 Não utilizar toalhas usadas para limpar os lavabos
 Lavar as mãos após fumar, espirrar, comer ou ir à casa de banho
 Não trabalhar em áreas contaminadas ou se estiver doente
 Usar utensílios, e não as mãos, para manipular alimentos
 Manter os alimentos nas embalagens próprias, sem destruir os rótulos
 Verificar a temperatura da água e manter os lavatórios bem limpos
 Limpar e desinfectar bem todas as áreas da casa de banho
 Manter as áreas de lixo limpas
 Depositar o lixo em recipientes com tampa
 Arejar bem os locais sanitários e evitar insectos.

Normas de segurança

20
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Para que os trabalhadores possam realizar as suas funções num ambiente saudável e isento de
perigo foram desenvolvidos vários meios e regras de seguranças. Estes instrumentos, uma vez
assimilados e utilizados traduzem aumentos significativos para o bem-estar no trabalho.

Vestuário de protecção
O tipo de roupa que usamos no local de trabalho depende da tarefa que desempenhamos.
Assim, existem trabalhos que requerem a utilização de equipamentos específicos de protecção,
os chamados equipamentos de protecção individual.

Na área de hotelaria a necessidade de vestuário de protecção não é muito relevante, sendo que
o usual é o básico vestuário que garante higiene na realização das tarefas.

Exemplo de vestuários de protecção

Touca
Avental de Couro Avental plastificado

Protecção para sapatos

Colete de alta visibilidade


Cinta em couro

Protecção de máquinas

Muitos processos produtivos dependem da utilização de máquinas, pelo que é importante a


existência e o cumprimento dos requisitos de segurança em máquinas industriais ou a sua
implementação no terreno de modo a garantir a maior segurança aos operadores.

21
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Assim, existe regulamentação para a protecção de máquinas, que assegura que as máquinas
colocadas à disposição dos trabalhadores para realizar as suas tarefas, desde que
“convenientemente instaladas, mantidas e utilizadas de acordo com o fim a que se destinam
não pode comprometer a segurança e a saúde de pessoas e bens”
(Decreto-Lei n.º 374/98 de 24 de Novembro)

Entre os requisitos de segurança destacam-se as seguintes obrigações:


 Comando de Accionamento
o Devem estar visíveis e acessíveis a partir do posto de trabalho normal
o Devem estar identificados em português ou então por símbolos
 Comando de arranque:
o A máquina só entra em funcionamento quando se acciona este comando, não
devendo arrancar sozinho quando volta a corrente
 Comando de Paragem
o Deve sempre sobrepor-se ao comando de arranque
 Stop de emergência
o Esta função corta a energia, pode ter um aspecto de barra botão ou cabo

Cuidados gerais com equipamentos eléctricos

Devem ser observados cuidados particulares de limpeza e arrumação das máquinas, de forma a
maximizar a sua durabilidade e eficiência e facilitar o seu uso pelo turno seguinte.

 Desligar sempre o aparelho e tirar a ficha da tomada antes de limpar, tocar ou retirar
acessórios do equipamento.
 Nunca utilizar uma extensão enquanto estiver a ensaboar ou esfregar, a menos que as
ligações eléctricas estejam protegidas de ficarem molhadas.
 Manter as soluções de detergentes bem afastadas das ligações eléctricas.
 Enrolar cuidadosamente os fios eléctricos par que estes não formem nós.
 Se a máquina revelar sinais de mau funcionamento, informar imediatamente e colocar
um rótulo no aparelho a dizer “fora de serviço”.

Manutenção do aspirador
 Retirar o saco do aspirador de acordo com as instruções
 Esvaziar o saco do aspirador dentro da data de lixo
 Verificar o filtro do aspirador
 Verificar a voltagem da tomada antes de utilizá-lo
 Limpar a parte externa do aspirador com um pano húmido
 Desenrolar o fio do aspirador e ligar adequadamente ao aparelho

22
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

 Guardar da forma correcta, dentro do armário, com o fio enrolado em 8.


 Verificar os objectos que são aspirados.

Cuidados com os produtos de limpeza

A governanta deve sempre observar junto dos fornecedores: confiança, qualidade dos
produtos, reputação e imagem:
 Os produtos de limpeza nunca devem ser retirados da embalagem original
 Não se devem misturar diferentes produtos de limpeza
 Usar EPI (equipamento de protecção individual) correcto
 Os produtos concentrados apenas devem ser usados sob recomendação

A durabilidade e a eficiência desses equipamentos dependem de um acompanhamento


constante sobre o seu funcionamento ou troca, assim que for detectado algum problema. A
comunicação entre as empregadas de andares e a governanta deve ser rápida, clara e
objectiva.

Todos os equipamentos em uso no processo de limpeza devem estar com a melhor


apresentação e em perfeito estado de funcionamento.

O material de limpeza deve ser seleccionado, de boa qualidade e distribuído ou controlado pela
governanta, para evitar uso inadequado ou desperdício.

A escolha criteriosa dos produtos deve ser feita de acordo com a quantidade e a economia,
agregando produtividade aos serviços realizados pelos colaboradores do sector, resultando
numa maior satisfação dos hóspedes.

Existe uma diversidade muito grande de produtos de limpeza no mercado, que deverão ser
escolhidos de forma criteriosa. Antes da escolha deverão ser realizado testes em cada produto.

A governanta deverá estar sempre actualizada no sentido de conhecer todos os novos produtos
e novas tecnologias do mercado, sempre com as portas abertas para receber novos
fornecedores, novas propostas e às vezes renegociando propostas mais antigas, no sentido de
diminuir preços e garantir a qualidade.

È importante seguir as instruções das embalagens, prestando especial atenção à diluição e às


informações das fichas técnicas e das fichas de segurança.

23
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

A diluição errada poderá danificar as superfícies, tornar necessária uma segunda enxaguadela –
repetir a limpeza com água -, ou tornar o agente ineficaz.

Deve-se seguir sempre as instruções do fabricante em relação a:


- Como guardar os produtos de limpeza,
- Como os deitar fora,
- Necessidade do uso de roupa protectora.

Regras de utilização de desinfectantes:


 A água deve ser acrescentada de acordo com as indicações do produto.
 Os desinfectantes não devem ser misturados. A mistura provocará reacção química ou
libertação de gazes tóxicos e os produtos perderão a sua eficácia.
 Nenhum desinfectante é eficaz para todo o tipo de bactérias, pelo que este deve ser
escolhido mediante o tipo de bactéria a matar.
 As soluções desinfectantes só devem ser preparadas quando necessárias, pois perdem a
eficácia se forem guardadas algum tempo.
 Primeiro, as superfícies devem ser limpas.
 Alguns desinfectantes podem perder eficácia em certos tipos de plásticos, cortiça ou
outro tipo de material. Siga as instruções.

Bibliografia

24
Processos e métodos de limpeza de quartos, casas de banho, andares e áreas comuns

Paul, Valerie; Jones, Christine, Manual de operações de alojamento em hotelaria , Edições


Cetop, 1989

Marques, J. Albano, Manual de Hotelaria – Políticas e procedimentos , Livraria Civilização


Editora, 2003

Marques, J. Albano, Introdução à hotelaria, Livraria Civilização Editora, 2006

Torre, Francisco, Administração hoteleira, Editora Roca, 2001

Webgrafia
Guia da Camareira, Edições SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Médias
Empresas
http://www.biblioteca.sebrae.com.br/

Guia da Governanta, Edições SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Médias


Empresas
http://www.biblioteca.sebrae.com.br/

25

Você também pode gostar