Você está na página 1de 13

AULA ÚNICA

Transtorno Psicótico
Conceito: perdado juízo da realidade sem queda do nível de consciÊncias e causas
orgânicas identificáveis.
Protótipo  ESQUIZOFRENIA! Características da doença:
 Grave
 Incurável
 Incide em adultos jovens
 Sem preferência por gênero
o Incidência na mulher  até os 30 anos
o Incidência no homem  fim da adolescência

Clínica
1) Personalidade Pré-mórbida
a. Esquizóide  frio, isolado, introspectivo
i. “o amiguinho que não brinca com ninguém”. Angelo, segundo o
Damaceno.
b. Esquizoatípica  excêntrica
i. “amigo místico”. Traço, segundo o Pereirinha.
2) Outros aspectos
a. Desleixo com aparência
b. Afeto inapropriado
c. Alteração da linguagem – neologismo, ecolalia
d. Alucinação – auditivas, cenestésicas (corporais)
e. Delírio – distorção do pensamento (persecutório, normalmente)
3) Sintomas Positivos (produção de sintomas)
a. Comportamento bizarro, alucinação, neologismos
4) Sintomas Negativos (perdas)
a. Retração social, hipobulia, ausência de afeto, lentificação
Diagnóstico
 É clínico. Pelo DSM V, há de ter 2 ou mais (sendo que um tem de ser o 1, 2 ou 3):
o 1) Delírio
o 2) Alucinação
o 3) Discurso desorganizado
o 4) Comportamento desorganizado
o 5) Sintomas Negativos

Tipos (CID-10)*
*DSM V não discrimina mais
1) Paranóide  é o mais comum
1) Hebefrênico  prognóstico ruim
a. Comportamento Pueril + Sintomas negativos
2) Catatônico
a. Predominam distúrbios motores (lembrar da aula do doutor Sato, dos vídeos
em que o paciente permanecia na posição na qual o médico o deixava.
3) Indiferenciada
a. Não preenche critério para nenhuma formas acima descritas

Tratamento
 Antipsicóticos (neurolépticos) – dminuem a Dopamina Cerebral
1) Típicos (+ efeitos adversos)
a. Melhor sintomas positivos
b. Alta potência  Haloperidol, flufenazina (menos sedativos)
c. Baixa potência (mais sedativo)  clorpromazina (amplictil) – faz hipotensão
2) Atípicos (menos efeitos adversos; agem em mais canais – lembrar do Dr Sato)
a. EM teoria, melhor par asintomas negativos (lembrar que o Dr Sato refuta
isso)
b. Olanzapina (aumento de peso e Sd metabólica), Risperidona, Quetiapina
c. 3ª Geração - Clozapina (hematotóxico)
 Efeitos adversos (mais comuns nos de primeira geração)
o Galactorréia
o Acatisia, Distonia, Discinesia Tardia e Parkinsionis (Sd Extra-piramidal)
o Síndrome Neuroléptica Maligna – rabdomiólise, IRA, disautonomia (febre,
alteração da PA)

DxD
1) Transtorno delirante persistente
a. > 40 anos, delírio fixo e mais nada, responde mal ao tto (mãe do Zé?)
2) Transtorno Esquizoafetivo
a. Início com psicose, mas depois oscila o humor (“bipolar”) – esposa do
Edmar?
3) Transtorno Esquizofreniforme
a. Esquizofrenia limitada a no máximo 6 meses
4) Transtorno Psicótico Breve
a. Esquizofrenia limitada a no máximo 1 mês, normalmente precedido de stress

Delirium (Estado Confusional Agudo)


 Diminuição aguda da função cognitiva (“demência aguda”)
 Características
o Idoso acamado, doente
o Prognóstico pobre
 Fisiopatologia
o Diminuição da acetilcolina
 Fatores de risco
o Alteração da homeostase, infecção, AINE, IAM, polifarmácia, “invasão”
(cateteres)
 Clínica – quadro agudo e flutuante de:
o Diminuição da atenção (o tópico mais importante para o diagnóstico)
o Delírio/alucinação
o Diminuição do nível de consciência
 Dx – critérios da CAM-ICU (1 + 2 + 3 e/ou 4)
o 1) Agudo
o 2) diminuição da atenção
o 3) Pensamento desorganizado
o 4) Alteração do nível de consciência
 Tratamento
o Corrigir fator desencadeante
o Antipsic[otico (haldol) se agitação. Benzodiazepínicos são outra opção
o Melhorar ambiente: evitar isolamente, ambiente tranquilo, manutençãoda
percepção circadiana (horário, claro e escuro)

Transtornos de Humor
Tristeza Patológica (depressão)  Normal  Alegria Patológica (mania)

Depressão – Queda do Humor


 Epidemiologia: mulheres (2:1); 15 a 25% da população; sem preferência por classe
social.
 Clínica: tristeza, melancolia, labilidade emocional, apatial, tédio, fadiga, culpa,
lentificação do pensamento, hipoabulia, pseudodemência, dor, insônia terminal,
alteração do apetite, anedonia.
 SEMPRE PESQUISAR IDEIAS DE SUICÍDIO  FR para tanto: homens, idosos,
solitários, doença crônica.
 Classificação (CID-10):
o Leve: não impede atividades diárias (2 ou 3 sintomas)
o Moderada: impede atividades diáris (=> 4 sintomas)
o Grave: ideias suicídas marcantes
 Diagnóstico
o Clínica (fenomenológica)
 Pelo DSM V,a presena de luto não impossibilita do diagnóstico de
depressão.
 Tto
o ISRS (1ª escolha por apresentar melhor tolerabilidade)
 Fluoxetina, Paroxetina, Citalopram, Sertralina, Escitalopram (esses
dois são os que apresentam menor número de interações
medicamentosas)
 Efeitos Adversos tendem a diminuir com o tempo: tontura, alteração
de apetite, diminuição do libido, ejaculação retardada, nâuseas,
vômitos.
o Tricíclicos (Dopamina, 5-HT e noradrenalina)
 Amitriptilina, Nortriptilina, Clomipramina (+ serotoninérgico)
 EA: anticolinérgicos (boca seca, constipação, retenção urinária, visão
turva, demênia), hipotensão, sonolência, arritmia, ganho de peso
(aumenta pica por carboidrato). Não usar em glaucoma de ângulo
fechado, BAVT e BRD
o Duais (5-HT + Nora)
 Velafaxina, duloxetina.
 Potentes e efeitos rápidos!
 EA: semelhantes aos dos ISRS e aumentam a PA (ação
noradrenérgica)
o Tetracíclicos
 Bupropriona
 Não gera disfunção erétil; indicado para tabagistas que quererm
cessar hábito. Abaixa limiar convulsivo!
 Trazadona
 Causa priapismo; bem tolerado, mas bastante sedativo
 Mirtazapina
 Seda e abre apetite.
o IMAO – aumentam 3 monoaminas (nora, 5-HT e dopamina)
 Tranilcipromina
 CUIDADO!  interação com a TIRAMINA (queijo, cerveja, vinho, leite)
e paciente asmático (pelo uso de agonista adrenérgico concomitante)
 risco de crise hipertensiva!!
o Internar todo paciente com risco de suicídio!

Mania – euforia, alegria patológica


 Epidemiologia – sem rpeferência de gênero; 1 a 4% da população
 Clínica: aumento da auto-estima, logorréia, insônia, diminuição da atenção,
arrogância, delírio, fuga de ideias, aumento da sexualidade – CAUSA PREJUÍZO
SOCIAL. Hipomania é mania sem prejuízo social
 Tto: internar + antipsicótico com efeito sedativo e/ou BDZ

Bipolaridade
 Definição: CID-10  mania + mania ou mania + depressão
 DSM V:
o 1 episódio de mania  bipolar tipo I
o 1 episódio de hipomania  bipolar tipo II
 Tto: litío, valproato, CMZ, topiramato.
*CUIDADO com a virada maníaca

Distimia
 Depressão leve crônica (há mais de 2 anos)
o É o paciente mal humorado (ring any bell?)
 Tto: AD + psicoterapia

Ciclotimia
 Instabilidade persistente de humor
 Menos grave que o bipolar
 “Quase deprimido e quase hipomaníaco”
 Tto igual ao bipolar

Transtornos de Ansiedade
 Epidemioogia: mulheres e classes sociais mais baixas. São os transtornos
psquiátricos mais comuns em Pronto Atendimentos.
 Fisiopatologia
o Serotonia e noradrenalina aumentadas e GABA diminuída.

Transtorno do Pânico
 Ataques de pânicos inesperados  sem necessidade de fator desencadeante.
 Crises de medo de morte iminente
 Clínica: medo + sintomas adrenérgicos
o Duração de 20 a 30 minutos com palpitação, sudorese, taquipnéia, tremores
 Tto: ISRS + BDZ nas primeiras duas semanas + psicoterapia

Agorafobia (Ágora = praça p´blica grega)


 Medo de lugar a transporte público; medo de sair de casa
 Pode levar a crises de pânico
 Tto: mesmo

Transtorno Obsessivo Compusivo


 Pelo CID-10 faz parte do espectro de transtorno de ansiedade; o DSM V reserva um
capítulo só para o TOC
 Pensameto obsessivo que gera um ato compulsivo
 Presença de insight (sabe que não está normal) – diferente do Transtorno de
Personalidade Obsessivo
 2 a 3% da população
 30% tem depressão associada
 Tto: AD (ISRS ou clomipramina) e antipsicótico se paciente muito agitado (para
sedar). Evitar BDZ, pois esses pacientes tem elevado risco de desenvolver
dependência

Transtorno de Ansiedade Generalizado


 Transtorno ansioso mais comum
 Preocupação excessiva, crônica (mais de 6 meses( e flutuante
 Não restrita a específicas situações
 Clínica: inquietuda, fatigabilidade, dificuldade para concentrar, irritabilicação, tensão
muscular, alteração do sono
 Tto: AD + BDZ por curta duração

Transtorno do Estresse Pós-Traumático


 Ocorre após evento traumático
 Pcte vive com medo; crises de pânico/sintomas depressivos
 Pcte revive a situação traumática em sono ou vigília (como aqueles filmes
americanos em que o soldado continuamente fica sonhando/relembrando a
mortandade que vivera)
 Tto: AD + BDZ por curta duração

Fobias
 Social  Medo de se expor em público (comer e falar)
o Comum haver ataques de pânico
 Específicas  medo de situações/objetos/animasi específicos (aranha, sangue,
palhaços, avião)
 Tto
o Tudo igual

Transtorno de Ajustamento
 Resistência contra mudanças
 Reação mal adaptativa a curto prazo
 Mais comum em cças e idosos
 Clínica
o Início em até 3 meses após o evento
o Sintomas ansiosos e depressivos
o Geralmente duram até 6 meses
 Tto
o Tudo igual
 Prognóstico é bastante bom

Uso de Drogas
 Frente ao vício de alguma droga estimuladora, o SNC se adaptará para ficar
deprimido; frente ao vício de alguma droga depressora, o SNC se adaptará para
ficar estimulado  A abstinência leva ao efeito oposto ao da droga.

Drogas Depressoras
 Álcool
o Intoxicação aguda (sequencialmente)
 1) Euforia, perda de censura, alteração de raciocínio
 2) Tontura, incoordenação
 3) Comportamento emocional afetado
 4) Confusão, esturpor, coma, morte (por disautonomia)
o Abstinência alcóolica (dura 5 a 10 dias)
 Hiperatividade simpática!!  tremor (1ª manifestação), insônia,
agitação
 Delirium tremens: tremores, alucinação, ilusão (alteração darealidade),
diminuição da compreensão, confusão, hiperatividade autonômica.
 Alucinose tremens: alucinações auditivas sem rebaixamento do nível
de consciência e sem alteração autômica.
*Só há dependência alcóolica se houver Sd de Abstinência; do contrário, levando a
problemas legaise sociais, temos abuso do uso de álcool
o Transtorno Amnéstico Persistente
1) Sd de Wernicke:
a. Alteração precoce (aguda) dos níveis de tiamina (B1)
b. Alteração funcional, e não estrutural
c. Ataxia, confusão mental, alteração da motricidade ocular
d. Reversível!!
2) Sd de Korsakoff
a. Níveis cronicamente baixos de B1
b. Neurônio estruturalmente lesado
c. Pode ser evolução da SW ou apresentação direta
d. Demência com perda da memória recente e confabulação
(invenções para preencher lacunas temporais decorrentes da
amnésia).
e. Irreversível
3) Tratamento de ambas: TIAMINA
o Tratamento
 Intoxicação aguda  suporte (avaliar hipoglicemia e hiponatremia);
repor tiamina (1amp/litro); antipsicótico se alucinação (Haldol® para
não rebaixar a consciência)
 Síndrome de Bastinência: BDZ, repor B1, associar haldol se
alucinação
 Interrupção do hábito: psicoterapia, Naloxone, Acamprosato
(antagonista NMDA)
 Dissulfiram (efeito antabuse – inibe a aldeído desidrogenase (ALDH)
 Etanol (causa o porre) –ADE Acetaldeído (causa a ressaca) –
ALDH Acetato
 Opióide
o Morfina, heroína, metadona, fentanil, ópio
o Intoxicação aguda
 Euforia, relaxamento, retardo
 Efeitos parassimpáticos: constipação (constipação não é ação
parassimpática), bradicardia, anorexia, rebaixamento, hipotensão,
depressão respiratória, miose e coma
*Coma + Miose  ou opióide ou AVE de ponte
o Tto
 Naloxone (Narcan®)
o Abstinência: aumento da atividade simpática
 Midríase, aumento da PA, sudorese, tremor, dor abdominal
 Tto: antitérmico, clonidina e metadona
 Benzodiazepínico
o Agonistas GABAérgicos
o Intoxicação  depressão
o Abstinência  aumento da atividade simpática (tremor, palpitação, cefaléia,
insônia, déficit dememória, alucinação, convulsão)
o Tto: reducação gradativa da dose + doença de base
o Tto da Intoxicação aguda  suporte respiratório e flumazenil (antídoto)

 Drogas Estimuladoras
o Cocaína
 Aumenta dopa, noradrenalina e serotonina
 Intoxicação aguda: irritabilidade, mania, psicose, atividade simpática
(aumento da PA, taquicardia e vasoespasmo)
 Tto: BDZ e fentolamina (bloqueador alpha-adrenérgico) ( + Haldol)
 Nunca fazer Beta-Block  aumenta chance de vasoespasmo
 Abstinência: disforia, ansiedade, depressão, idéia suicida, sonolência,
fadiga, craving
o Crack (coca + NaHCO3)
 Por ser fumado, tem efeito mais rápido e potente.
o Anfetamina
 Aumenta dopa e nora
 Igual à cocaína, mas causa polidipsia (lembrar de Rave e afins), o que
pode levar à hiponatremia.
o Nicotina
 Agonistas nicotínicos dos receptores da Acetilcolina
 Abstinência: disforia, ansiedade, ansiedade, insônia, aumento de
peso, depressão.
 Tto
1) Nicotínicos: adesivos (patches) ou goma de mascar
2) Não nicotínicos:
a. 1ª linha
i. Bupropriona (diminui o limiar convulsivo)
ii. Vareniclina (agonista nicotínico)
b. 2ª linha
i. Nortriptilina
ii. Clonidina
3) E terapia cognitivo comportamental

Transtornos Alimentares
Anorexia
 Não quer comer
 Nega a própria magreza
 Dismorfia (distorção da imagem corporal)
 Clínica
o Mulher jovem
o Medo excessivo de ganhar peso
o Pode ter episódios de compulsção alimentar com purgação
 Sinal de Russel
o Alterações endócrinas (amenorréia e hipocalcemia)
 Aqui tá o grande catch parao Dx
 Tto
o Terapia, ISRS
 Prognóstico ruim

Bulimia
 Come, come, come e purga
 Clínica
o Mulher jovem
o Sensação de falta de controle
o Peso tende a ser normal  ou seja, não precisa de alteração de peso para
Dx de distúrbio alimentar
o Pode não ter purgação
o Não guarda segredo – conta quando aos hábitos
 Tto
o Terapia e ISRS e medicamento para doença de base (depressão, TOC,
Bipolariade)

Binge (Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica)


 Semelhante à bulimia
 Ambos sexos
 Sem preocupação exagerada com a imagem (pode haver sobre peso, obesidade)
 Paciente não purga
 Tto: ISRS, topiramato e sibutramina (ambos diminuem apetite)