Você está na página 1de 48

www.agora.co.ao 300.

00 Kwanzas // Sexta-feira, 11 Julho 2014 // Ano XVII // Número 881 // Director: Ramiro Aleixo

DESTAQUE
Negócio do marfim
17 anos
coloca Angola
na lista negra
do tráfico e do abate
de espécies protegidas.
// PÁGS. 2-3

MUNDIAL DE FUTEBOL
Alemanha e Argentina

TOM CARLOS
defrontam-se pela
terceira vez numa
final, enquanto o Brasil MUZONGUÉ
tenta reagir à goleada DA TRADIÇAO
histórica que sofreu no HOMENAGEM
último jogo, disputando AOS MORTOS
o 3.º lugar contra ‘QUE NÃO
a Holanda. // PÁGS. 36-37
MORRERAM’
DR
D

// PÁG. 40
Ondjaki. “Não Alerta terrorista Uíge volta
sinto que não sou na TAAG a produzir café
reconhecido pelo Autoridades em grande
país” escala
sem informações
ENTREVISTA. Distinguido com uma sobre suspeito ECONOMIA. Com um orçamento o
série de galardões literários inter-
nacionais, numa listagem onde se
de terrorismo de 60 mil milhões de kwanzas,
a província cafeícola destinou
destaca o prestigiado Prémio José capturado cerca de 30% para a revitalização
Saramago, o escritor Ondjaki garan- do sector agrícola, com destaque e
DUARTE VILLAS

te que não escreve para obter reco- na rota Lisboa- para a reabilitação dos cafezais
nhecimento, mas apenas para con-
tar uma história. // PÁGS. 24-27
Luanda. que já estão a dar sinais de recu-
peração. // PÁGS. 18-19
DR

// PÁG. 8
EDITORIAL
// Fauna – Abate de
Não querem pôr os seus e
pensam que somos bombeiros
Americanos e europeus começam a pressionar,
para que Angola disponha também as suas
tropas na resolução de conflitos africanos. O
Executivo tem sabido contornar, privilegiando o
A
diálogo e financiamento. Apenas esta via Destaque
nários ligados aos assuntos afri-
canos.
Até ao momento, o país tem
sabido conter esta pressão,
pois, certamente, tal como nós
próprios demos exemplo,
embora a ajuda externa seja
necessária, a solução dos con-
Ramiro Aleixo
ramiro.aleixo@agora.co.ao
flitos, salvo nos casos em que
está iminente um genocídio, Venda livre de
Angola assume, sem qualquer
margem para dúvidas, lugar de
depende, em primeira instân-
cia, do diálogo, da vontade e do
engajamento das partes envol-
objectos de marfim
destaque no grande palco da
diplomacia internacional, parti-
cularmente no que toca à resolu-
vidas e não propriamente da
entrada de actores estrangei-
ros impondo condições.
evidencia que há
ção de conflitos na região Centro
e Austral do continente, onde,
infelizmente, continua a pairar a
Não nos devemos esquecer do
passivo de outras experiências
que deixaram marcas, quer no
crime a sustentar
instabilidade, fruto, afinal, da tal
tendência genuína dos africanos
em não respeitar as regras de
Congo, onde morreram solda-
dos cujos restos mortais não
foram entregues aos seus fami-
o negócio
jogo, por vezes até elementares, liares, quer no caso mais recen-
que contribuem para a sã convi- te da Guiné-Bissau, onde toda a
vência social e política. E quem nossa contribuição simplesmen-
acaba por sofrer as consequên- te foi para a sarjeta. Em pelo menos dois pontos da cidade de Luanda,
cias são sempre as populações. Nota-se que esta pressão esconde, comercializam-se as mais distintas peças de arte em
Mas, este esforço, esta contribui- no fundo, a intenção legítima de marfim, o que, para organismos internacionais de
ção para a pacificação do conti- protecção de vidas de soldados defesa da espécie, constitui um indicador de que a
nente, incontornável para os americanos e europeus, mas tam- mesma, em Angola, está seriamente ameaçada
interesses da Nação e do mun- bém o evitar despesas orçamen-
do, têm, por vezes, como se pode tais que acarreta uma intervenção GASPAR FAUSTINO blema muito sério e torna-se cada
calcular, um preço extremamen- do género. Mas, mesmo com cus- vez mais complicado evitá-la devi-
te elevado, porque, mais do que tos mais baixos e o bom nível de O comércio ilegal de marfim pode do à escassez de segurança.
boa vontade, é necessário ter, preparação das tropas angolanos, estar a contribuir para a iminente Sobre a invasão de populares às
acima de tudo, recursos e meios, também não parece justo que extinção de elefantes e outras espé- áreas junto da costa que estão reser-
uma vez que se gasta muito. Só tenhamos que aparecer na frente cies em Angola, o que leva algumas vadas para os animais, alertou para
para aclarar, a vinda da maior ou ao lado de quem quer que seja, organizações internacionais a con- o perigo que isso representa. Um
parte dos estadistas da região e servindo de carne de canhão para cluir que o país representa um pon- dos exemplos do que pode suceder A beleza das peças que escondem um
das suas delegações a Luanda resolver problemas dos outros. to-chave no tráfico intercontinen- ocorreu recentemente na Matala,
obedece à preparação de uma Por outro lado, o contexto político tal desta matéria, como confirma- província da Huíla, onde o admi- fantes, em algumas zonas, caso não
logística que vai desde a trans- hoje é diferente. Para consumar ram alguns ambientalistas, na nistrador de uma localidade aca- se estanque a comercialização ile-
portação em aviões nossos, ao uma intervenção do género, o sequência de uma denúncia da ONG bou trucidado por uma manada. gal desta matéria-prima.
pagamento de combustível, do Executivo, ao contrário do que ‘Save The Elephants’, feita recente- “É necessário mais empenho para “Quando entrei no mercado do
estacionamento e tempo de ocorreu, é obrigado a solicitar a mente. que a fauna e a flora não continuem Benfica, vi muitas esculturas em
espera das aeronaves, etc... etc... competente autorização do parla- No comunicado citado pela Lusa, a ser ameaçadas pela população, madeira, pinturas, tecidos colori-
E quando lá fora, o país tem con- mento. E, neste caso, se não qui- Angola é tida por esta organização sobretudo por aqueles que vivem dos e outros produtos artesanais,
tribuído até para a organização ser fazer parecer aos parceiros como o segundo maior mercado de próximo desta zona de conserva- mas o que mais me chocou foi a
de conferências e tudo mais. americanos e europeus que a comércio ilegal de marfim a reta- ção nacional”, disse. quantidade impressionante de mar-
Fruto do aproveitamento desta questão não se prende propria- lho em África, depois de Lagos, na O responsável pelo ambiente do fim vendido a preço de oferta, con-
nossa disponibilidade, pelo que mente com a falta de vontade do Nigéria. parque acrescenta que a fiscaliza- finado a uma secção que contém
se pode depreender de recentes Governo ou do Presidente da “Em Lagos, há mais peças de mar- ção do parque é composta apenas cerca de 30 mesas”, explicou.
declarações do ministro das República, basta utilizar os mes- fim à venda, mas o comércio é mais por 33 fiscais, um número que con- O pesquisador conta, igualmente,
Relações Exteriores, Georges mos procedimentos que eles, dissimulado, com os vendedores sidera irrisório, tendo em conta a que viu exposta peles de vários ani-
Chicoti, começa por se efectivar levando a questão para o crivo mais conscientes das regras e mais sua dimensão. mais, incluindo alguns que se con-
alguma pressão de algumas dos deputados. E pela primeira receosos, enquanto os comercian- sideram em vias de extinção, cujos
potências europeias e da Admi- vez a votação unânime será o tes em Luanda têm pouca preocu- VENDA LIVRE NO MERCADO DO BEN- vendedores penduraram em vigas,
nistração Obama, no sentido de ‘NÃO’! pação sobre a possibilidade de serem FICA. Outro ambientalista contacta- ao lado da estrada movimentada.
Angola se envolver também com A guerra, salvo se para a defe- apanhados a vender marfim ilegal”, do por este jornal defende que, devi- A mesma entidade considera que
tropas, na resolução dos conflitos sa da soberania de Angola, diz a ‘Save The Elephants’, no comu- do à falta de fiscalização, o nosso o tamanho e a forma das presas
no Congo e na República Centro não deve (e acreditamos que nicado. país é dos principais vendedores de encontradas no mercado do Benfi-
Africana. Aliás, terão sido tam- não faz) fazer parte da estraté- Contactado por este jornal, o marfim. ca alegam que a maioria das peças
bém estes os propósitos da visita gia da nossa governação. ambientalista Paulo Wesson, res- O especialista, que preferiu falar de marfim comercializadas prova-
do secretário de Estado america- Como estamos a financiar, já ponsável pelos serviços ambientais na condição de anonimato, avan- velmente tenham sido extraídas de
no, Jonh Kerry, antecedida de representa para todos um do Parque da Kissama, disse que a çou que Angola corre sérios riscos “elefantes das nossas florestas e não
outras, envolvendo altos funcio- grande contributo. caça furtiva continua a ser um pro- de perder a sua população de ele- de países circundantes”.

2 a 11 Julho 2014
elefantes

te declaração do Ministério do Ultra-


mar de Portugal, a 20 de Janeiro
de 1955.

ELEFANTES DÃO O TROCO. Novos


relatos de destruição de culturas
por manadas de elefantes, em Ango-
la, voltaram, em contrapartida, a
ocorrer no Norte, o que tem moti-
vado receios da população, face à
devastação provocada na agricul-
tura local.
O caso mais recente aconteceu no
início do mês no município de Golun-
go Alto, na província do Cuanza-
Norte, a cerca de 200 quilómetros
de Luanda.
Citados pela imprensa local, os
camponeses queixam-se de cultu-
ras destruídas por manadas cons-
tituídas por até 25 elefantes. Nem
meios artesanais para afastar os
animais, como a queima de pneus,
têm travado a devastação, naquele
município, de culturas como bana-
na, milho, feijão ou mandioca, entre
outras.
O administrador do município
do Golungo Alto, Cirilo Matias
Mateus, citado pela Angop, reco-
nheceu a situação como um pro-
blema grave e complexo, tendo em
conta que esta destruição aconte-
ce, precisamente, na época das
colheitas, aguardando-se a inter-
venção dos ministérios da Agri-
cultura e do Ambiente.
Situação semelhante foi relatada
na comuna de Canjala, província
de Benguela, com ataques por mana-

TOM CARLOS
das de elefantes às culturas a um
ritmo praticamente diário.
Cada ataque envolve pelo menos
crime que envergonha a nação, caucionado pelo silêncio cúmplice de quem dirige as instituições que devem fiscalizar três elefantes e alguns camponeses
referiram, a 2 de Julho, que, em
Ainda segundo a fonte, há alguns Por sua vez, Esmeralda Miguel, Os ambientalistas -me às medidas mais duras e fir- poucos minutos, chegaram a per-
anos, o nosso país participava do “Sis- também vendedeira de peças de mes – daqui há alguns anos, e já der mais de uma tonelada da pro-
tema de Informações sobre o Comér- marfim, afirma que o comércio não
defendem que as não faltam muitos, vamos dizer dução, devorada pelos animais, entre
cio dos Elefantes”, órgão que monito- é exclusividade dos mercados tra- instituições do “adeus aos elefantes”, e não tere- banana, cana e milho.
ra o comércio global de marfim, em dicionais, mas também existem lojas Governo devem mos o que mostrar, pelo menos cá Além dos receios pela integridade
parte, através da análise de dados sobre especializadas na matéria em vários dentro, as futuras gerações”. física, face aos ataques crescentes
a apreensões de países integrantes. pontos da cidade de Luanda e na
tomar medidas sérias dos últimos dias, os camponeses ape-
“Embora isso tenha acontecido no Ilha. “ É possível encontrarmos mar- para impedir a JÁ FOI REFERÊNCIA INTERNACIONAL. laram às autoridades nacionais para
passado, a verdade é que o nosso fim à venda também em hotéis de continuidade do O Parque Nacional da Quissama a disponibilização de apoio, tendo
país nunca foi capaz de apresentar três, quatro e cinco estrelas, muito abate de elefantes e possuiu, nos anos 70, uma popula- em conta a destruição das culturas.
um relatório”, lamentou, sugerin- frequentados por turistas estran- ção de cerca de 800 elefantes e mais Este tipo de ataques é recorrente
do que não se faz sentir neste domí- geiros”. que a venda de de 3000 pacaças (um dos símbolos) em Angola, nomeadamente quan-
nio a aplicação das leis sobre a caça Os vendedores do mercado da Vila marfim constitui uma e é considerada parte das zonas de do os animais procuram por ali-
ilegal e o tráfico. recusaram-se a prestar qualquer infor- vergonha para o país protecção integral da natureza, mentação ou água, geralmente nas
Já no município de Cacuaco, mas, mação sobre a origem da mercado- encravada entre a costa e os rios suas rotas de transumância.
concretamente, na conhecida Vila, ria, com receio de serem penalizados. Longa e Cuanza, numa extensão de Estes casos terminam, frequente-
a realidade não foge do que se obser- cerca de 120 Km. No parque, podem mente, com a morte de campone-
va no mercado do Benfica. João Mua- UMA AMEAÇA MUITO SÉRIA. Convi- ser encontrados, elefantes, girafas, ses e ataques directos da popula-
mona é vendedor há mais de 10 anos dado a comentar a denúncia, quer zebras, gnus, avestruzes e diversas ção às manadas.
e disse à nossa reportagem que hoje da ONG, quer as questões que colo- ga que o Governo deve tomar medi- espécies de antílopes. Os ambientalistas defendem que
é mais fácil obter um dente de mar- cámos, o ambientalista Mateus Tchi- das sérias e dar conta do seu posi- Possui, actualmente, melhores esta ‘invasão’ dos animais é resul-
fim do que em anos anterior. cale, que conhece a realidade da cionamento no mundo no que toca estruturas para receber turistas, tado não do aumento do número
“Era difícil quando o nosso país fauna angolana, realça que “têm ao tráfico ilegal de marfim. em comparação com os demais par- de elefantes, mas da invasão que o
foi assolado pelo conflito armado. um historial muito comum e estão, “O país enfrenta uma ameaça mui- ques existentes em Angola. homem faz ao seu habitat. Do mes-
Agora, as coisas estão mais fáceis”, neste momento, na mira da caça to séria e, se nada for feito para tra- Criado a 16 de Abril de 1938, e ele- mo modo, esse tem sido outro argu-
frisou o comerciante. furtiva”. Corrobora com o seu cole- var isso - quando digo nada, refiro- vado a nacional em 1957, median- mento para justificar a chacina.

11 Julho 2014 a 3
A Destaque // Energia e Águas

DR

Programas e tarifas. RAMIRO ALEIXO

A constatação é do Ministério da Energia e

A subvenção é perniciosa Águas que, recentemente, por via do titular


da pasta, João Baptista Borges, reconheceu
que, actualmente, a electricidade “é ainda

e não induz o consumidor um privilégio para cerca de 33% da popula-


ção, 90% da qual vive em cidades ou grandes
aglomerados populacionais, contribuindo

à prática de hábitos de apenas para 0,14% do PIB”.


De acordo com esta entidade, até ao ano de
2025, o grande desafio e as premissas lança-

poupança das no programa do Executivo apontam para


a expansão do acesso à electricidade nas zonas
rurais e periferia das cidades.
Para alcançar esta meta, foi gizado um pla-
no de investimentos que, segundo se dá con-
ta, contempla um conjunto de projectos estru-
turantes nos segmentos da produção, trans-
porte e distribuição de electricidade,
O nosso país é rico em recursos energéticos naturais. Para além do petróleo e do gás natural, possui destacando-se a criação de 9.000 MW de capa-
um enorme potencial hídrico e outros recursos naturais renováveis. Tais fontes energéticas, se mais cidade de geração, até 2025, e a interligação
bem exploradas, proporcionarão desenvolvimento económico e social ao país e à região, bem como de todos os sistemas isolados e a criação da
contribuirão, consequentemente, para a redução dos níveis de pobreza Rede Eléctrica Nacional. Do mesmo modo,

4 a 11 Julho 2014
Soluções encontradas durante o período de guerra, o custo É preciso
médio de produção de electricidade está actualmente avaliado
em 220 USD/MW. Bateria de grupos geradores na Kileva, Lobito evoluir para
a redução
está contemplada a expansão dos sistemas de
distribuição, incluindo as ligações domicilia-
‘arrombo’ na capacidade financeira do país
“constitui outro factor que compromete a
fas de operação e manutenção de plantas e
instalações eléctricas, bem como na possibi- progressiva
res e a instalação de sistemas de contagem.
A pressão sobre o sector tem aumentado
auto-sustentabilidade do sector eléctrico”.
Sendo o objectivo do Executivo transformar
lidade de opções para níveis superiores de
técnicos com recurso a bolsas de estudo. dos subsídios
consideravelmente, com particular realce a electricidade num bem disponível para a
nos últimos 10 anos, como resultado do relan- maioria dos angolanos e potenciar o desen- INTERVENÇÃO DO SECTOR PRIVADO. O Minis-
çamento, previsível da actividade industrial, volvimento económico, de acordo com o minis- tério da Energia e Água considera que a actual O Estado não terá como,
mas também da implantação de grandes pro- tro João Baptista Borges, com base na explo- legislação permite já estabelecer, nos segmen- por muito mais tempo,
jectos sociais, destacando-se a construção de ração dos recursos energéticos endógenos tos da produção e distribuição de electricida- manter a subvenção que se
novas centralidades em quase todo o país. O que o país possui, há três anos (2011) foi apro- de, concessões privadas, existindo regulamen- faz à comercialização da
levantamento estatístico do sector aponta vada a Estratégia e Política de Segurança tação que estabelece as modalidades para a electricidade
que há um aumento da procura da electrici- Energética, a partir do qual foi definido um celebração dos contratos de compra e venda
dade, com “taxas de crescimento médio anual programa de reforma do sector eléctrico, que e a sua regulamentação. Falando sobre os novos desafios do sec-
de 12,5%”. está em curso. Numa fase inicial e, enquanto subsiste a tor eléctrico em Angola, no decorrer
Mas, além de se reconhecer a necessidade Esta reforma passou pela elaboração do Pla- dificuldade de mitigação do risco económi- da 1.ª Conferência Internacional sobre
da realização de avultados investimentos na no de Investimentos que tem já uma cartei- co ligado à solução do Financiamento do Pro- Energia e Águas, que decorreu em finais
criação de novas capacidades para a produ- ra orçamental definida; do Plano de Trans- jecto, é intenção do ministério concentrar as de Setembro do ano transacto, em Luan-
ção, transporte e distribuição de electricida- formação do Sector Eléctrico, que compreen- parcerias público-privadas em pequenas con- da, Paulo Matos, consultor do Presiden-
de, o Executivo entende que aumentar a taxa de a desverticalização ou umbundling do cessões de produção de energia, com base te da República, considerou que, no
de acesso à electricidade tem intrínseca liga- sector e a criação de três novas empresas, em sistemas isolados, o que proporcionará actual contexto, a “electricidade não
ção com outros factores identificados já pelo por cisão-fusão dos activos das empresas soluções de electrificação para as zonas rurais. tem valor económico efectivo, não sen-
Ministério da Energia e Águas. São, por exem- actuais, bem como o fortalecimento do papel do possível às empresas obterem equi-
plo, os casos do “aumento da eficiência comer- da empresa reguladora; a adopção de um pro- REVERTER O QUADRO NAS ÁGUAS E REESTRU- líbrio financeiro, apenas com base na
cial das empresas concessionárias; a fixação grama de actualização ou incremento tarifá- TURAR A EPAL. O Programa de Desenvolvimen- sua comercialização”.
de uma tarifa que coincida, gradualmente, rio que permita recuperar o valor erodido to do Sector das Águas, como deu a conhecer Tendo em conta que este é um impor-
com os custos, libertando as empresas das pela inflação acumulada desde 2006, ano da recentemente João Baptista Borges, tem basi- tante factor de peso, quer na utilização
dotações do Estado; a necessidade de redu- última actualização. camente três direcções: uma é a reabilitação de receitas do Estado que poderiam ser
ção dos custos de produção e distribuição de A adopção de um plano de modernização e expansão dos programas das sedes provin- canalizadas para outras áreas do sec-
energia eléctrica, aproximando-os do que se dos sistemas de contagem e de gestão de ciais, estando já 16 das 18 províncias do país tor, quer noutros domínios da econo-
observa no resto da região”. consumidores, com resultados a curto-pra- com projectos em curso, considerando que é mia, Paulo Matos defendeu a necessi-
zo na elevação das cobranças, é outra das necessário avançar rapidamente para o Zai- dade de se transformar a electricidade
FRACA ACTIVIDADE ECONÓMICA NO INTERIOR. questões equacionadas pelo ministério, ten- re e para Cabinda, que são as províncias que ‘num bem económico’. Tem que adqui-
Sobre o primeiro factor identificado, o Minis- do por objectivo a instalação de cerca de não têm sistemas em fase de intervenção, mas rir valor, disse, de forma gradual e efec-
tério da Energia e Águas manifesta preocu- 950 000 novos sistemas de contagem até serão objecto dela a partir de 2015. tiva e sem resistência do consumidor
pação pelas elevadas taxas de perdas comer- 2017, em todo o país. Outra direcção é o programa das 132 sedes que deve perceber e aceitar que vale a
ciais que as empresas públicas registam ain- O programa de reforma do sector eléctrico municipais, das 166 que o país tem, que até pena pagar para aceder ao serviço.
da, na ordem dos 40% e a fraca implantação contempla, de igual modo, o “upgrade das 2017 beneficiarão também de novos sistemas. O pagamento tem influência na pres-
da actividade económica no interior do país. centrais térmicas mais importantes, desta- Neste momento, como deu conta o ministro, tação de um serviço de qualidade, “capaz
A leitura que se faz é que “a incapacidade de cando-se o Cazenga, em Luanda, e Malem- decorre um processo de contratação das de satisfazer a procura e superar a escas-
controlo e cobrança gera incumprimento e bo, em Cabinda, e a substituição do JET B e empresas que executarão as obras. E depois, sez. Para o efeito, é de opinião que deve
incapacidade operacional para a prestação diesel por gás natural”. há o programa ‘Água para Todos’ que, justi- ser melhorado o modelo comercial para
de um bom serviço, num ciclo vicioso ou A formação de quadros nacionais, integra- ficando, sustentou que tem um grau de exe- garantia da sua eficácia e para ser pos-
doença que debilita as empresas públicas”. da no Plano Nacional, prevê o estabelecimen- cução satisfatório. sível a transferência de receitas gera-
Em relação ao segundo factor, a realidade to de um plano de modernização e amplia- De acordo com o titular, estes três subpro- das entre as empresas do sector.
nacional indica que a tarifa “é ainda subsidia- ção dos centros, para a garantia de nível médio gramas são aqueles que permitirão, no médio Contudo, este consultor sugeriu que,
da em cerca de 88%, e está assim muito dis- de aptidão para o asseguramento das tare- prazo, reverter a difícil situação que se vive a manter-se a necessidade de um mode-
tante dos custos reais de produção, o que tor- ainda numa boa parte do país, relativamen- lo de subsidiação, deve ser aplicada
na a operação das empresas cada vez mais te ao consumo de água potável. uma solução justa que evolua para a
dependente das dotações orçamentais do Tesou- Para o caso concreto de Luanda, especifi- redução progressiva dos subsídios, até
ro Nacional e afasta cada vez mais as empre- cou que o processo de reestruturação da EPAL à eliminação, excepto para a popula-
sas da auto-sustentabilidade pretendida”. já teve início e ganhará maior dimensão no ção com baixos rendimentos.
Para o ministério, também aqui “se deve próximo ano, tão logo estejam em curso as O consultor considera, igualmente,
considerar o efeito pernicioso que uma bai- acções de reforma previstas. O que se pre- que, com a percepção que se tem dos
xa tarifa induz no comportamento dos con- De acordo com vários tende, disse, é que tenha capacidade de pres- problemas do sector e identificação
sumidores”. tar melhor serviço de abastecimento de água dos factores críticos, “não se preten-
O terceiro e último factor referenciado tem
especialistas, o modelo a Luanda, que tem um consumo que repre- de baixar as expectativas nem ser cép-
sustentação por força das soluções encontra- de subsidiação existente senta mais de 70% da água que é produzida tico”. Há é sim, como ressalta, “neces-
das durante o período de guerra que ‘forçou’ tem contribuído para a no país. Há programas importantes para sidade de maior realismo na avalia-
a compra e instalação de “centrais de produ- aumentar a expansão do abastecimento de ção e devida consciência das limitações
ção de energia asseguradas com recurso ao
degradação do sector, água a curto e médio prazos, e, desde logo, a existentes”.
diesel e mesmo JET B, operando como cen- para o consumo construção de novos dois sistemas, o Bita e Para o efeito, alerta para a necessida-
trais de base. Para a instituição, resulta “dis- irracional de energia o Kilonga, que vão duplicar a capacidade de de de se fazer uma abordagem da ques-
so que o nosso custo médio de produção de eléctrica e de água e para produção de água para Luanda. O que o Minis- tão diferente do que tem sido habitual
electricidade está, actualmente, avaliado em tério pretende é que a EPAL seja uma empre- e ajustar os objectivos imediatos para,
220 USD/MW, significativamente elevado que a ineficiência das sa com dimensão e capacidade suficiente de forma determinada, rompermos o
no resto da região”. Como é evidente, este empresas para assegurar um bom serviço. “ciclo vicioso” que existe.

11 Julho 2014 a 5
// Política
G
País

FNLA. 2015 pode ser


o ano da verdadeira
reconciliação entre
‘Irmãos’ desavindos

Numa jogada para a inversão do actual quadro de fragilidade e


legitimidade, Lucas Ngonda reconcilia-se com Laís Eduardo que se
havia bandeado para outra frente, cria uma comissão ad-hoc e
promove uma reunião de reflexão sobre o futuro da FNLA; mas
não conta ainda com a adesão de outros dissidentes de peso, nem se
avançou nada sobre a reconciliação com quem foi expulso
ANA MARGOSO “Vamos realizar o fórum no sábado, é o pri-
ana.margoso@agora.co.ao meiro passo, para que se encontrem vias de
diálogo e soluções. Vamos conversar todos
A Frente Nacional de Libertação Nacional sem tabu. Foram todos convocados, portan-
(FNLA) vai realizar o seu congresso entre os to, aqui já não podemos falar de reconcilia-
dias 25 e 28 de Janeiro de 2015, anunciou, ção, nem de negociação, uma vez que a recon-
em conferência de imprensa, Laís Eduardo, ciliação foi feita em 2004. Agora, estamos
membro da comissão ad-hoc do grupo de num processo de juntar todas as forças, a fim
reflexão. de sairmos mais fortalecidos no congresso
Laís Eduardo, que está de regresso à FNLA, de 2015 e de nos prepararmos para os próxi- Ngola Kabango mantém-se irredutível TOM CARLOS

depois de ter “emigrado” para a Nova Demo- mos desafios”, esclareceu Ndonda Nzinga.
cracia, aproveitou a ocasião para convidar a Questionado sobre a possibilidade de os últi- assuntos que serão levados a congresso e que, secretário-geral, David Alberto Mavinga, e o
imprensa a estar presente no encontro de mos acontecimentos internos do seu parti- segundo os estatutos, é ele que tem compe- vice-presidente, Jorge Vunge Kiavembua, que
reflexão sobre o futuro da FNLA que se rea- do, com a expulsão dos seis militantes da tência de decidir o futuro político destes diri- não foram reconduzidos às funções. Daí exi-
lizará amanhã, em Luanda, e que contará direcção, poderem vir a manchar este pro- gentes do partido”, acrescentou. girem a convocação do congresso estatutá-
com a envolvência de todos os militantes, cesso, o porta-voz avançou não haver perigo, O Comité Central da FNLA, liderado por rio.
amigos e companheiros do partido dos “irmãos”. até porque o processo ainda não foi concluí- Lucas Ngonda, voltou a afastar, recentemen- O Agora tentou, por duas vezes, contactar
“O fórum vai contar com a presença de mais do. te, cinco secretários nacionais e um director Ngola Kabango, aquele que Holden Roberto
de 500 militantes, provenientes das 18 pro- “Não existe este perigo, até porque aqui esta- para o Protocolo, nomeadamente, Augusto considerava o seu sucessor natural, mas este
víncias do país, para tratar de assuntos liga- mos a falar de procedimentos legais, basea- Paulo, João do Nascimento Fernandes, Miguel esquivou-se (mostrando-se várias vezes indis-
dos aos desafios que se apresentam no actual dos na lei, na própria Constituição e nos esta- Pinto, Vicente Albino, Rosa Nicodemos e José ponível).
cenário político nacional”, fez saber na oca- tutos internos do partido, e de decisões do Boaventura, acusados de desvios de fundos. Em entrevista concedida recentemente a
sião. próprio Tribunal Constitucional que repôs a Há cerca de dois meses, o Tribunal Consti- este jornal, na sua edição n.º 877, de 13 de
Em contrapartida, o porta-voz da FNLA, verdade e sancionou o presidente que tinha tucional ordenou que fossem reconduzidos Junho de 2014, Ngola Kabango afirmou que,
Ndonda Nzinga, avançou que todas as par- tomado decisões que não dependiam dele, nos seus cargos, depois de exonerados por na FNLA “não existem alas. Houve sim, uma
tes envolvidas no processo foram contacta- como, por exemplo, a expulsão destes qua- despacho de Lucas Ngonda, que, por sua vez, tentativa de subverter a ordem interna de
das, no sentido de participarem no encontro dros da formação do Bureau Político e do apesar do acórdão do tribunal, manteve a sua atingir a identidade política e histórica des-
e, posteriormente, avançarem para o con- Comité Central, órgãos máximos do partido, posição, afastando o grupo dos cargos que se partido”.
gresso de 2015. por ser uma decisão do Congresso. Mas, são ocupavam e do partido, como aconteceu com “Mas, eu falo e luto por uma FNLA coesa e

6 a 11 Julho 2014
UNITA investirá
em canal de TV
O maior partido na oposição poderá,
nos próximos anos, proceder à
abertura de um canal de televisão,
segundo fonte afecta à sua presidência.
A mesma avança que Isaías Samakuva
tomou esta decisão, depois de ter
concluído uma visita ao exterior do país.
Para o funcionamento do canal que
presumivelmente será a cabo, o partido
pretende recrutar profissionais internos
para levar a bom porto o projecto, tal
como salientou a fonte contactada.
“Também vamos precisar da ajuda
externa, mas quem levará adiante o
projecto serão quadros nacionais,
recrutados localmente”, concluiu.
Uma das principais queixas
apresentadas pelos ‘maninhos’ prende-
se com aquilo que consideram falta de
isenção por parte dos órgãos públicos,
tal como ficou patente no debate sobre
a comunicação social estatal.
Recorde-se de que a não-
regulamentação da Lei de Imprensa
impede que haja uma Lei de Televisão.
Fazendo fé à declaração apresentada
pela bancada parlamentar da UNITA
durante o debate, o argumento que
será utilizado para a obtenção da
competente autorização do Governo
deverá ser equiparado ao que justificou
a abertura da TV Zimbo, que já se
encontra no ar desde 2009.
De acordo com a comunicação lida na
Assembleia Nacional pelo deputado
Raul Danda, não se sabe, ao certo, em
que termos é que esta televisão foi
licenciada, na ausência de um
instrumento legal que oriente o
Executivo, numa clara violação ao
Lucas Ngonda vê-se cada vez mais apertado na defesa da sua legitimidade como presidente DUARTE VILLAS artigo 59.º da Lei de Imprensa.
Conforme ainda a nossa fonte afecta à
“É o primeiro passo para que é fundamental neste momento todos momento em que estamos aqui a falar, estou direcção da UNITA, este projecto tem
serem escravos dos estatutos, dos regulamen- mais preocupado com a unidade interna, com uma perspectiva mais ampla, para
que se encontrem vias de tos, dos princípios, para podermos dar outra a sua coesão, com a sua posição em todo o contrapor os órgãos públicos e
diálogo e soluções. Vamos imagem ao partido, revigorá-lo e prepará-lo espaço nacional”, atirou. privados ligados ao poder, e já numa
conversar todos sem tabu, para os próximos desafios”, declarou o polí- Respeito os estatutos internos da FNLA, é perspectiva das eleições legislativas e
tico. a principal imposição daquele que já ocupou autárquicas contornar o reduzido
foram todos convocados” Kabango argumentou, durante a entrevis- o cadeirão máximo do partido dos ‘irmãos’. espaço que tem sido atribuído ao
ta que temos vindo a citar, que o Tribunal “Para todo o diálogo aberto, frontal e sin- principal partido na oposição.
unida. Aliás, é nesse sentido, como militan- Constitucional (TC) errou quando ditou Lucas cero, só tem uma coisa: que se respeitem os Em contrapartida, o projecto também é
te histórico, que estou a envidar todos os Ngonda como presidente da FNLA. estatutos, os regulamentos internos do par- visto com algumas reticências por parte
esforços, através do diálogo, com todos aque- “Respeito o TC e os venerandos juízes, que tido. Temos de acabar com a cultura de assal- de alguns sectores da sociedade,
les que respeitam os estatutos e os regula- lá estão, mas eles decidiram erradamente o tar a direcção do partido; temos de devolver porque entendem que o ‘Galo Negro’,
mentos internos do partido para revitaliza- caso do nosso partido. Continuo a dizer que a voz aos militantes e isso passa por um con- tida no fundo como a proprietária da
lo, recolocá-lo no seu devido lugar no cená- não, vocês foram injustos. Na altura em que gresso aberto e, sobretudo, democrático”. Rádio Despertar, não tem demonstrado
rio político angolano”, disse. eles legitimaram o senhor Lucas Ngonda, ele Outra das vozes contactadas para se juntar um comportamento diferente do partido
Tal como os correligionários de Lucas Ngon- já não era o primeiro vice-presidente da FNLA, ao encontro de reflexão do futuro deste parti- no poder, no controlo editorial deste
da, Kabango também se recusa em aceitar a porque, em 2006, realizou um congresso uni- do é o sociólogo Carlinhos Zassala, que não se órgão.
derrocada da FNLA. “Há só uma FNLA. O lateral, com Holden Roberto. Mas, neste sabe, ao certo, se aderirá ou não ao apelo.

11 Julho 2014 a 7
G País // Política

Polícia Nacional aguarda Conforme a Lusa, que noticiou o facto, o indi-


víduo que tentou embarcar pelo trem de ater-
Ministro apela à
segurança no trabalho
informações de Portugal sobre ragem do avião da TAAG, armado com uma
faca com 20 cm de lâmina, foi detido pelas O ministro da Administração

tentativa terrorista de autoridades portuguesas e é procurado por


vários países, sob acusação de terrorismo.
O Departamento Central de Investigação e
Pública, Trabalho e Segurança
Social, Pitra Neto, assegurou, na
quarta-feira, que a segurança e
penetração no avião da TAAG Acção Penal (DCIAP) e a Unidade Nacional de
Contra Terrorismo (UNCT) da Polícia Judiciá-
saúde no trabalho devem cons-
tituir o eixo fundamental das polí-
ria (PJ) que investigou o suspeito, depois de ser ticas públicas.
detido, concluiu que o homem, de nacionalida- O governante, que falava na
de holandesa, mas nascido em Angola, passou abertura do atelier de seguran-
pelos campos de treinamento da Síria, sob égi- ça e saúde no trabalho, organi-
de da Jihad. O suspeito estava referenciado zado pelo Centro de Segurança
pelos serviços de segurança de outros países. e Saúde no Trabalho, considerou
Em contrapartida, a Polícia Portuguesa ain- que a diminuição sustentada e
da não sabe o que o suspeito estava a fazer constante da sinistralidade nos
em Portugal, e muito menos as intenções que centros de trabalho é um objec-
o levariam a embarcar no voo da TAAG. tivo em relação à qual todos jun-
Esta situação está a precipitar comentários tos, instituições públicas, priva-
da parte de alguns sectores que questionam das, sindicatos, empregadores e
a segurança nos aeroportos, mas também pessoas interessadas devem dar
colocam a necessidade de se redobrar a vigi- o máximo de si.
O Ministério do Interior e a Polícia Nacional estão apreensivos e lância sobre os aviões da companhia aérea Acrescentou que este esforço
aguardam que, a qualquer momento, as autoridades portuguesas angolana e não só... tem sido feito não só no domínio
façam a remessa para Angola do dossier que contém informações De acordo com especialistas, um homem da legislação, em relação à qual
armado com uma faca no interior de uma a futura Lei Geral do Trabalho
precisas sobre o alegado atentado ‘terrorista’ ao avião das Linhas aeronave pode provocar danos incalculáveis, dá uma importância assinalável
Aéreas de Angola (TAAG), na semana passada, em Lisboa incluindo a própria queda. É por esta razão aos aspectos de segurança e saú-
Segundo fontes oficiais afectas ao Ministério do ser preocupante, na medida que ainda não que se apela ao reforço da segurança não só de no trabalho em benefício dos
Interior, até agora (quarta-feira) ainda não tinha se sabe, ao certo, quais foram as verdadei- na parte externa dos aeroportos, como tam- trabalhadores, das empresas e
chegado a Luanda nenhum relatório das auto- ras intenções do indivíduo, nem também se bém no interior dos próprios aviões. da economia, como também no
ridades portuguesas sobre o incidente, ocorrido por trás disso existe alguma organização que Sabe-se já que o suspeito esteve escondido quadro da capacidade técnica e
na quinta-feira da semana passada, mas acredi- pretenda atingir interesses e cidadãos ango- pelo menos 24 horas no interior do aeropor- humana.
tam que, tão logo terminem as investigações que lanos. Mas, considera que “é hora de fazer to, após uma estada de poucos dias numa pen- “A agenda do Executivo, neste
estão a ser levadas a cabo pela ‘secreta’ daquele estudos a nível das inteligências, para se apu- são do centro da capital portuguesa, Lisboa. domínio, é de constante empenho
país, o processo poderá chegar a Angola, isto é, rar se, de facto, há algum ou alguma organi- Interrogado pela Unidade Nacional de Con- para a busca de soluções com ima-
se ficar provado que o objectivo do alegado ter- zação que deseja atentar contra o Estado traterrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária, ginação, com realismo, de acor-
rorista era o de atentar contra o avião da TAAG. Angolano. Aguardamos, a todo o momento, terá confessado que esteve em campos de trei- do com as nossas necessidades,
Comentando sobre o assunto, Paulo David, que o processo chegue às mãos das autori- no dos islamitas que combatem o regime de para que esta questão da sinistra-
superintendente da Polícia Nacional, disse dades angolanas e logo se verá”, disse. Bashar al-Assad na Síria. Ereneu Máquina lidade no trabalho seja um fenó-
meno em crescente diminuição”,
afirmou.

Reclusão de militares
em Malange
A Procuradoria Militar da Segun-
da Divisão de Infantaria da Região
Norte das Forças Armadas Angola-
nas (FAA), em Malange, realizou 22
visitas, das quais 16 de fiscalização
da legalidade e seis de inspecção,
às cadeias militares.
Segundo dados avançados no fim
da actividade, Malange não regista
casos de excesso de prisão preven-
tiva e as penitenciarias militares
não têm casos de sobrelotação.
A Angop referiu, num despacho,
que, durante o segundo trimestre
deste ano, deram entrada no Tri-
bunal Militar cerca de 30 proces-
sos-crime, entre os quais 20 já foram
julgados.
A fonte avançou, igualmente,
que a Penitenciária Militar de
Malange tem uma capacidade
para albergar 100 reclusos e que
estão sob custódia 33 detidos e 65
DR

Analistas dizem ser necessário aprimorar os mecanismos de segurança nos aviões das companhias nacionais condenados.

8 a 11 Julho 2014
Agenda
apertada para
os grupos
parlamentares

O MPLA pretende substituir quase todos


os seus quadros que integram a CNE na
Lunda-Sul e no Cunene, bem como das
comissões municipais do Cuvelai e Sauri-
mo, enquanto a UNITA propôs a substi-
tuição nas comissões eleitorais provinciais
e municipais das províncias de Luanda,
Lunda-Norte, Cuanza-Sul, Cuando-Cuban-

DR
Efectivos das extintas FALA durante um treino de preparação combativa, manuseando uma AK-47 go, Huambo, Malange, Moxico, Uíge e Ben-
guela.
As remodelações serão antecedidas de

Batalha do Cuito-Cuanavale. justificar a derrota, foi assim que começa-


ram por surgir as conferências de Genebra,
uma resolução a aprovar na sessão do dia
17 na Assembleia Nacional, orientada por

Jorge Valentim atira-se contra Egipto, Brazzaville e Nova-Iorque, com receio


de que as tropas angolanas invadissem a
Fernando da Piedade dos Santos.
Os líderes dos grupos parlamentares já

ex-colegas de trincheira África do Sul”, clarificou o político.


De igual modo, o político, agora no MPLA,
elogiou a trajectória política do Presiden-
definiram o conteúdo do documento de
base que sustentará a resolução.
Na mesma sessão, será abordado,
te da República, José Eduardo dos Santos, igualmente, o projecto de resolução
tendo-o considerado um dos nacionalistas sobre a aprovação da concessão de
mais completos do país. “A trajectória his- nacionalidade angolana ao cidadão
tórica e humanista de José Eduardo dos cubano Rafael Morásseis Lemonta,
Santos sobressaiu ao juntar-se aos nacio- solicitada por alegados bons serviços
O ex-dirigente da UNITA e general das FALA, actualmente nalistas do MPLA, que já estavam em luta prestados ao país.
activista político do MPLA, desmentiu, no município da Ganda, contra o colonialismo português, durante Deputados da bancada parlamentar da
informações dos seus antigos companheiros de trincheira, anos e em momentos muito difíceis”, refe- UNITA manifestaram já algum cepticis-
segundo as quais as FAPLA foram vencidas na Batalha do riu, argumentando que, no seu “estudo mo e deram conta que pretendem “saber
Cuito-Cuanavale sobre a história do país, faz referência à que serviços foram prestados a pátria,
defesa da independência de Angola e da para podermos olhar para este assunto
O também antigo ministro da Hotelaria e Turis- Valentim, que na altura pertencia à UNITA soberania nacional”. de forma diferente”.
mo do Governo de Reconciliação Nacional e e exercia o cargo de secretário para a infor- Valentim concluiu afirmando que era pre- A fonte a que nos sustentados conside-
ex-deputado da bancada parlamentar da UNI- mação, recordou que as tropas racistas sul- ciso movimentar e mobilizar nacionalistas e ra que “é reconhecido que existem em
TA afirmou, ao mesmo tempo, que, na Bata- africanas foram vencidas pelos gloriosos com- patriotas, para a defesa da soberania nacio- Angola cidadãos que têm dificuldades em
lha do Cuito-Cuanavale, morreram muitos batentes das extintas FAPLA, num combate nal, pois o país estava a ser invadido por todos adquirir a nacionalidade, mas devemos
combatentes das FALA e os sul-africanos foram que qualificou de ‘extremamente terrível’. os lados, principalmente pelas forças da Áfri- ter algum cuidado para estas atribuições”.
completamente desmantelados pelas FAPLA. “Como os soldados da elite sul-africana eram ca do Sul”. Enquanto isso, André Mendes de Car-
“Esses, que andam aí a dizer o contrário, são brancos e começaram a morrer, tiveram de Sobre este domínio, falou também que a “reso- valho, da CASA-CE, revelou que esta for-
aqueles que estão interessados em fazer regre- recuar até à fronteira da Namíbia. É uma vitó- lução dos problemas socioeconómicos, saben- mação política voltará a incidir as suas
dir o país e não têm projecto de Estado que ria importante, por causa das repercussões do que naquela altura as principais infra-estru- atenções sobre o ‘caso transmissões em
não seja promover acções que retrocedem a nacionais e internacionais, uma vez que o turas como escolas, estradas, hospitais, se encon- direito’ dos debates parlamentares.
marcha progressista de Angola”, disse, acres- Ocidente e os americanos estavam à espera travam destruídas, principalmente pelas acções “Apresentamos como preocupação, na
centando ter reconhecido que, do lado da do desfecho desta batalha”, fez saber. levadas a cabo pela UNITA, ao rejeitar os resul- conferência de líderes, a transmissão
FAPLA, também se perderam vidas. “Por todos Adiantou que, quando constataram que a tados das primeiras eleições multipartidárias em directo dos debates da Assembleia
os lados, tombavam combatentes que lutavam África do Sul, todo-poderosa, não conseguia realizadas em Angola em 1992, constitui outra Nacional, porque esta matéria foi dis-
contra os inimigos na defesa da integridade ganhar a guerra no Cuito-Cuanavale, em vir- referência”. cutida apenas a nível da conferência dos
territorial”, recordou, para referir que, no com- tude da resistência das FAPLA, a solução foi Sobre esta questão, segundo membros presidentes dos grupos parlamentares
bate, o exército do então regime racista sul- a realização da Conferência de Nova-Iorque e afectos à direcção da UNITA, Jorge Valen- e nunca foi debatida a nível da plená-
africano tentou tomar aquela região. de outras, para se começar por discutir a inde- tim “tornou uma boca de aluguer do regi- ria”, disse o deputado da CASA-CE, refe-
“Estou a falar alto, para que todos guardem pendência da Namíbia. me que dizia combater, rendeu-se e ven- rindo que a coligação propôs também
na memória, porque há aqueles que já não têm Jorge Valentim declarou, inclusive, ter sido deu-se, e é natural que faça agora um dis- que se levasse a debate a questão da
objectivos e programas e querem desestabili- esta grande vitória dos combatentes angola- curso de agradecimento ao chefe, mas contratação de assistentes, com o objec-
zar Angola, com falsas promessas e difamação nos que fez a opinião sul-africana questionar esqueceu-se de que os angolanos estão madu- tivo de auxiliar os deputados, bem como
sobre a liderança do Presidente da República, sobre o poderio militar dos angolanos. ros e sabem bem o que querem e que cami- de outros quadros complementares ao
José Eduardo dos Santos”, assinalou. “Visto que os sul-africanos não conseguiam nho seguir”. Ereneu Máquina exercício dos grupos parlamentares.

11 Julho 2014 a 9
G País // Política

Conselho de Ministros. Governo Xinguilamento


quer alterar lei da nacionalidade

Um dos objectivos específicos é o de adequar algumas das suas


disposições ao quadro jurídico-constitucional vigente no país. A
incidência será para normas e procedimentos inerentes à aquisição,
perda e reaquisição, que têm levantado alguma polémica
O Executivo pretende alterar a legislação ocorrer por filiação, adopção, casamento,
sobre a aquisição e perda de nacionalidade nacionalidade por naturalização, mas tam-
nacional, de acordo com uma proposta dis- bém por outros casos mediante solicitação,
cutida na passada sexta-feira em Conselho como aconteceu já em vários casos.
de Ministros, a ser agora remetida à Assem-
bleia Nacional (AN) para debate e aprova- CÓDIGO DE VALORES MOBILIÁRIOS. Na reu-
ção, que poderá ocorrer já na plenária agen- nião, o Conselho de Ministros apreciou, tam-
dada para o dia 17. bém, uma proposta de Lei sobre as Institui-
A proposta de alteração à denominada ‘Lei ções Financeiras, visando ‘regular’ o exercí-
da Nacionalidade’ foi analisada na primeira cio da actividade, supervisão e o regime
reunião extraordinária de 2014 do Conselho sancionatório, que também terá encaminha-
de Ministros, realizada em Luanda e dirigi- mento para a análise a nível do Parlamento.
da pelo Presidente da República, José Eduar- A lei, de acordo com o comunicado, “visa
do dos Santos. também dotar o sistema financeiro de ins-
Fazendo fé ao conteúdo de um comunica- trumentos de regulação tecnicamente mais Alcides Gomes Cabral,
do distribuído no final da reunião, esta pro- avançados que lhe assegurem uma maior
posta visa, entre outros “objectivos especí- estabilidade e robustez, em linha com as reco-
Vice-governador do Namibe para a Área Económica
ficos”, “adequar algumas das suas disposi- mendações das organizações internacionais,
ções ao quadro jurídico-constitucional vigente
no país”.
bem como ajustar as normas em vigor ao
novo enquadramento legal e à dinâmica do
“Temos um fio condutor que
O documento refere que as alterações terão
particular “incidência para aquelas normas
crescimento económico do país”.
Igualmente sobre matéria financeira, o Con-
nos levará até 2050, 2100 se nos
que consagram princípios e procedimentos
inerentes à aquisição, perda e reaquisição da
selho de Ministros apreciou uma outra pro-
posta legislativa sobre o novo Código de Valo- permitirem governar até lá.
nacionalidade angolana”. res Mobiliários.
Esta proposta de Lei será remetida à AN,
não tendo o Governo adiantado mais porme-
“Este diploma legal tem por finalidade
reformar o quadro legal básico do merca-
Trabalhamos para o povo, por
nores sobre as alterações agora previstas.
A actual Lei n.º1/05, de 1 de Junho, estabe-
do de valores mobiliários e instrumentos
derivados, regulando o seu regime de fun-
isso é que somos um partido do
lece que a atribuição da nacionalidade ango-
lana produz efeitos desde o nascimento e não
cionamento e de supervisão”, refere-se no
comunicado. povo. Não estamos
prejudica a validade das relações jurídicas
anteriormente estabelecidas com fundamen-
to noutra nacionalidade. Do mesmo modo,
Entre outros assuntos, os membros do
Executivo aprovaram, inclusive, nessa ses-
são, o novo Regulamento da Lei do Mece-
preocupados com aquilo que os
clarifica que “é cidadão angolano de origem
o filho de pai ou mãe de nacionalidade ango-
nato, diploma que “identifica e desenvol-
ve os procedimentos” em matéria de incen-
outros falam, mas sim com o
lana nascido em Angola” ou também “o filho
de pai ou mãe de nacionalidade angolana
tivos fiscais, projectos, actos inerentes ao
registo, candidatura, avaliação, acompa-
que temos de fazer para
nascido no estrangeiro.
A aquisição da nacionalidade pode, assim,
nhamento e controlo dos agentes culturais
beneficiários. satisfazer as necessidades da
nossa população.
Normalmente, não tenho
perdido tempo em ouvir estas
emissoras lá de fora, porque o
nosso Governo tem canais
próprios para nos fazer chegar
as informações”
REACÇÃO ÀS ACUSAÇÕES DO SECRETÁRIO DA UNITA SOBRE A QUALIDA-
DE DA ÁGUA CONSUMIDA PELA POPULAÇÃO
DR

O Conselho de Ministros numa das suas reuniões (foto de arquivo) *Xinguilamento: entrar em transe (palavra do kimbundo)

10 a 11 Julho 2014
PUBLICIDADE

11 Julho 2014 a 11
G País // Sociedade

Emprego.
Mulheres procuram
sobrevivência nas
novas centralidades

Centenas de mulheres dos 17 aos 35 anos de idade acorrem,


diariamente, nas Centralidades do Kilamba e Cacuaco, à procura
de emprego como doméstica, jardineira, cozinheira e educadora
infantil. Muitas delas são advindas de Viana, Cacuaco, Cazenga e
distritos do Kilamba Kiaxi Muitas senhoras partem para as novas centralidades, onde há mais oportunidades de

FRANCISCO BUSSULO enquanto vou ao serviço, assumiu-se de segui- diversão, deixo a TV ligada até ao período das “Os movimentos
francisco.bussulo@agora.co.ao da como a principal prioridade, porque são 17 horas, quando regresso a casa”, conclui.
as únicas pessoas com as quais me sinto feliz,
migratórios internos,
Despertar às 4 horas da manhã, arrumar a embora seja nesta fase em que me decidi a VALORES IRRISÓRIOS, DESCONHECIMENTO DA espontâneos e
casa e fazer o pequeno-almoço para as crian- correr atrás do prejuízo e procurar por um LEI E DESPEDIMENTOS. Domésticas ouvidas provocados introduzem
ças se alimentarem tão logo acordem cons- trabalho como doméstica na Centralidade do pelo Agora dizem desconhecer a Lei Geral
titui tarefa preliminar da vida laboral de Maria Kilamba”, revelou. do Trabalho, e a existência do Comité Nacio-
alterações nas taxas de
Chivangue, de 30 anos de idade, empregada A fonte revela ter passado por humilhações nal da Mulher Sindical, órgão que defende desemprego rural e
doméstica numa das residências na Centra- de familiares e responsáveis de empresas e as mulheres que efectuam serviços domés- urbano, em Luanda”
lidade do Kilamba. casas naquela centralidade, por diversas ticos em casos de despedimento arbitrário
Maria, moradora da comuna do Benfica, razões, mas não esmoreceu as forças, até que por parte de entidades empregadoras, maus- “Mulheres fecham
é órfã de pai e mãe, tem três filhos e vive conseguiu um emprego. -tratos, baixo salário e outros.
separada do seu esposo há três anos, que a “A minha família virou-me as costas, lutei Os trabalhadores de serviço doméstico, que crianças nas residências
expulsou de casa, quando ainda grávida do sozinha, criando os meus filhos, solicitei inclui empregados domiciliários, emprega- durante 11horas até
terceiro filho. Diante das dificuldades finan-
ceiras e de saúde que os petizes apresenta-
emprego a várias empresas e residências.
Algumas acabaram por me humilhar e zom-
dos de limpeza, jardineiros e outros cuja acti-
vidade incide na prestação de serviços casei-
regressarem dos seus
vam, ela teve de procurar por um empre- bar de mim, mas nem com isto me cansei, ros, têm, desde 2011, um Sindicato das Tra- locais de serviço”
go, a fim de sustentar a família, como con- fui até ao fim e hoje tenho um pouco de balhadoras Domésticas, direito a férias e com
tou ao Agora. dinheiro e comida para os meus filhos”, fez os respectivos subsídios pagos e inscritos no
“A rotina da minha vida mudou drastica- saber. Instituto Nacional de Segurança Social. Em
mente depois da separação com o meu anti- “Tenho trancado os meus únicos filhos no contrapartida, esta realidade é totalmente
go cônjuge, e a necessidade de alimentar os quintal, onde vivo sozinha e, para que não desconhecida pelas empregadas domésticas
meus filhos, que ficam fechados em casa, estejam a perambular nas ruas, e para a sua das centralidades de Luanda.

12 a 11 Julho 2014
Dados

688.900
Cidadãos empregados
em Luanda

37%
Da população está ligada ao
Maria Chivangue sector formal

48,6%
É o nível da população
feminina concentrada no
sector informal

67%
Dos cidadãos do sexo
masculino encontram-se
concentrados no sector formal
do mercado de trabalho

FOTOGRAFIAS DR

Cesaltina Madalena
emprego na área dos serviços domésticos.

As empregadas que engomam, lavam a rou- informal do mercado de trabalho corres- tipo de jogo está a ajudar muitas de nós Angola, devido aos movimentos migratórios
pa, cuidam de crianças e, noutros casos, ocu- ponde a 48,6%. a comprar terreno e a sustentar famílias”, internos, espontâneos e provocados.
pam-se pelas compras alimentares dos fami- O estudo apresentado em 2003 à Universi- fez saber. O Ministério da Administração Pública,
liares a quem prestam serviço doméstico dade de Genebra, na Suíça, analisou, tam- Quem não teve a mesma sorte em se man- Emprego e Segurança Social, MAPESS, ana-
recebem, no final do mês, 25 a 30 mil Kwan- bém, as causas dos movimentos migratórios ter no emprego como jardineira foi Júlia lisou, este mês, o Anteprojecto do Decreto
zas, valores considerados ‘irrisórios’ e não e as consequências do crescente número de Ricardo, de 35 anos, demitida e sem indem- Presidencial sobre Regime Jurídico do Tra-
conseguem justificações jurídico-legais para cidadãos desempregados. nização, em virtude de ter levado as tesou- balho Doméstico em Angola, faltando reme-
sustentar tal afirmação. Cesaltina paga cinco mil Kwanzas pelo arren- ras do relvado para a sua casa. A mesma, que tê-lo para a aprovação do Conselho de Minis-
Cesaltina Madalena, que abandonou a famí- damento da casa no Camama I, tem de sobra já se desculpou do acto, justificou aos res- tro e, posteriormente, para a do Executivo.
lia em Benguela para procurar emprego em 20 mil, que reparte para a saúde familiar, ali- ponsáveis empregadores como um acto inten- Jesus de Maiato, director do Gabinete Jurídi-
Luanda, deixa, igualmente, os seus dois filhos mentação e o resto dos valores aplica no jogo cional. co do MAPESS, declarou à imprensa que o diplo-
em casa e tem o salário de 25 mil Kwanzas da ‘Kixikila’ e no negócio doméstico. “Quando subi para devolver as tesouras, a ma poderá formalizar a actividade doméstica
mensais, pois somente trabalha quatro dias De acordo com ela, o jogo da ‘Kixikila’ con- porta de casa já estava trancada e, logo, deci- no âmbito dos princípios estabelecidos pela Lei
por semana, à excepção de sexta-feira, sába- siste na junção de valores monetários, deter- di-me a levar, porque não seria seguro dei- Geral do Trabalho e pelo próprio regulamento.
do e domingo; tem direito a transporte, ali- minados pelo grupo de mulheres que parti- xá-las no corredor”, disse. “Vamos passar a ter um trabalho doméstico
mentação e férias, regalias concedidas pelos cipam durante a semana ou mês e, semanal- Sem saber a quem se queixar, Júlia procu- formalizado e reconhecido e controlar quan-
responsáveis de família a quem presta servi- mente, é premiada uma das integrantes, ra hoje por um novo emprego, e, enquanto tos trabalhadores exercem a actividade domés-
ços na Centralidade do Kilamba. processo rotativo, até que todas chegam a não surge, dedica-se à venda de hortícolas tica e garantir-lhes os seus direitos”, disse.
Segundo estudo realizado em Luanda sobre receber. no mercado do Kifica, no Benfica, para ali- Outras tentativas que servem de impulso à
o Desemprego e a Crise Social no Mercado “Normalmente, a guarda dos valores é mentar os filhos. criação de uma lei que regule a actividade
de Trabalho, em 2001, pelo sociólogo e demó- da responsabilidade das patroas ou de A jurista Natália Felisberto considera neces- doméstica tem sido feita através das inter-
grafo angolano João Baptista Lukombo Nza- uma das integrantes que demonstre com- sária a análise de um memorando sobre a venções do Comité Nacional da Mulher Sin-
tuzola, “a população feminina no sector petência e maturidade financeira. Este regulamentação do trabalho doméstico em dical em Luanda.

11 Julho 2014 a 13
G País // Sociedade

VISÃO JURÍDICA domínio, cumprindo com seu dever cívico.


No que tange à segurança, a normalização da acti- Se eu fosse...
vidade rodoviária, a obrigatoriedade do seguro de res-
ponsabilidade civil automóvel deve, a curto prazo, ter
Seguros & responsabilidades como outra sua companheira a obrigatoriedade das
inspecções técnicas periódicas das viaturas. Cumprir
e fazer cumprir o que está disposto no Código de Estra-
da, no que se refere as condições técnicas de todos veí-
culos - verificação periódica das suas características e
O seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel é que domina condições de segurança alínea d) do nº 1 do artigo 114º.
a actualidade, merecedor de análise, de nossa parte, por uma questão Trata-se de preservação da vida humana, da protec-
profissional, até porque tivemos a iniciativa de estar na génese de uma ção da integridade física dos cidadãos utentes das vias
públicas, da defesa de bens indispensáveis a realiza- ADMINISTRADORA
entidade do ramo. Por último, por uma questão cívica DE CACUACO
ção material. A respeito, vide o Decreto Presidencial
nº 168/10 de 4 de Agosto, DR nº 146 que aprova o Regu-
lamento das Inspecções a Veículos Automóveis e seus
Inglês Pinto Reboques, bem como o Regulamento dos Centros de Escrevo esse pequeno texto com
Jurista Inspecção, aprovado pelo Decreto Presidencial nº 167/10 uma ponta de tristeza, porque
de 3 de Agosto, publicado no DR nº 145 de 3 de Agos- tenho cá comigo, que vivo num
Uma sociedade digna deste nome, é aquela em que, prémio, isto é a quantia entregue pelo tomador do to. Face aos valores em causa, de entre os quais, o mais dos mais bonitos municípios de
os seus membros, instituições e o seu Estado, este seguro (comprador) à seguradora que correspon- sagrado - a vida humana, impõem-se o rigor na apli- Angola, pelo menos do ponto de
último, com responsabilidades acrescidas, cumprem de ao preço do contrato de seguro. A contraparti- cação da lei. Argumentos de que a maioria dos cida- vista físico. Abençoado geogra-
as normas, desde as de natureza jurídica às morais da da prestação de garantia da seguradora, pelo dãos não tem recursos para pagar seguros, inspecções ficamente, Cacuaco é das vilas
e éticas. Estas normas são instituídas e em regra aca- período de duração do contrato, neste caso 12 meses, técnicas regulares não tem suporte legal, nem são legi- mais bonitas que Angola tem,
tadas como garante da harmonia e realização mate- tem um capital seguro de Kz 12,616, 000.00. Por- timamente atendíveis, já que muitos concidadãos gas- essa é minha convicção e de
rial espiritual, da estabilidade e paz social. As regras tanto, a seguradora pagará como indemnização, tam parte considerável das suas parcas economias quem a visitar pela primeira vez.
jurídicas, ao serem promulgadas, deve ser seguidas danos até este valor. Isto é o valor máximo da res- com consumos supérfluos e prejudiciais, como o exces- Por isso escrevo essas linhas à
da criação das condições objectivas e subjectivas para ponsabilidade da seguradora. so de bebidas alcoólicas e outros…transportar cida- administradora, Rosa Janota com
a sua eficácia. Acções pedagógicas e repressivas, devem Será que todos nós estaremos em condições finan- dãos em viaturas com sistemas de travagem deficien- uma ponta de tristeza, pois tenho
estar nas agendas políticas e mesmo cívicas. Assim ceiras e psicológicas para pagar valores do género, tes, pneus “carecas”, fraca iluminação, sem seguro, comigo, que não tem sido capaz
é, da Constituição à legislação ordinária, para o caso de imediato, caso causemos um acidente e provo- estamos a pôr em causa vidas humanas, criar condi- de fazer o melhor para os seus
em apreço, o Código de Estrada, provado pelo Decre- quemos danos pessoais e patrimoniais a terceiros? ções para os aparatosos acidentes, para o aumento da munícipes.
to-Lei nº 5/08 de 28 de Setembro, a Lei de Bases dos E caso não consigamos pagar, num prazo razoável? taxa de sinistralidade, para o crime, mesmo que seja Se por um dia me concedesse o
Transportes Terrestres – Lei nº 20/03 de 19 de Agos- A pressão, o “terror psicológico” do lesado/credor? a título de negligência. “A luta pela sobrevivência não prazer de ocupar o seu lugar, tenho
to e o Decreto nº 35/09 de 11 de Agosto que institui o Caso o processo siga para o tribunal? Custos com o passa pela negligência, pelo não cumprimento da lei, cá comigo que faria maravilhas,
Seguro Obrigatório de Responsabilidade e o Decreto processo, pagamento aos advogados e outros quê…? pondo em causa vidas e propriedades”. como por exemplo, arranjaria for-
Presidencial nº 82/11 de 25 de Abril Civil Automóvel. Com o seguro e o mutualismo que o caracteriza, Trata-se não de um seguro de danos próprios, que mas de tornar a nossa pequena
A protecção da vida, da integração física e da pro- as pequenas contribuições de milhares, protegem garante prejuízos, um vasto leque de riscos, prejuí- marginal mais limpa, as nossas
priedade, compete, em primeiro lugar, aos titulares alguns, face aos infortúnios da vida, passando a res- zos sofridos pelo veículo segurado e danos a tercei- belas praias mais atraentes, e lim-
destes direitos, vivendo em sociedade, aos seus pró- ponsabilidade pela indemnização a seguradora. Assim, ros – seguro facultativo. Este seguro é o obrigatório, pas, assim como prestar maior
ximos e em última instância aos Estados, fundamen- podemos levar uma vida mais tranquila, o que não visando apenas a protecção de terceiros, conforme atenção ao mercado do peixe, pois
talmente quando por razões naturais estamos físi- quer dizer que coloquemos em segundo plano o estabelecido no artigo 7º do Decreto 35/09 e com o novo, inaugurado há coisa de
ca e mentalmente incapacitados de o fazer. A soli- dever de prevenir, agir com prudência, cumprir rigo- maior precisão no Decreto Presidencial nº 85/11 de oito meses, é pequeno demais para
dariedade, fundamentalmente face ao infortúnio, é rosamente com as regras de segurança e outras… 25 de Abril, diploma que deverá ser lido com a devi- as nossas peixeiras. Pobres coita-
algo que caracteriza as sociedades civilizadas, daí o Há meses que, uma vez mais, as entidades compe- da atenção, com o fim de evitarmos situações de das, mantém-se confinadas num
seguro como instrumento social, meio de preven- tentes, da polícia às seguradoras, através da sua asso- conflito entre segurado e seguradora aquando das espaço que nem lugar para a ven-
ção da ocorrência de danos, resultantes da acção ciação – ASAN, têm vindo a apelar aos utentes de via- indemnizações. da dos micates que fazem as mara-
humana ou de situações de força maior. A preocu- turas para o cumprimentos desta obrigação – paga- Como é claro, o não cumprimento do estipula- vilhas das nossas crianças há. Se
pação com a segurança, com o imprevisível deve mento do seguro obrigatório. Não tem faltado do pela lei em sede do seguro obrigatório de res- não acredita em mim, por favor,
estar na agenda de todo o cidadão. divulgação! Tanto quanto é do nosso conhecimen- ponsabilidade civil automóvel leva a situações bas- não se faça rogada e brinde aque-
Como é sabido, o causador directo dos prejuízos to, as seguradoras estão preparadas para tal, muitas tante constrangedoras para o utente do veículo – las valentes mulheres com uma
tem obrigação de indemnizar as vítimas, quer sejam delas fizeram investimentos consideráveis, no que vide a alínea f) do nº 1 do artigo 162º do Código de visita.
pessoas físicas, quer colectivas, privadas ou públicas, toca ao capital humano, meios tecnológicos, bem Estrada – apreensão pelas autoridades policiais. Cara administradora, ainda, que
sejam danos pessoais ou patrimoniais, podendo estas como instalações físicas. Por outro lado, a lei é clara Em conclusão, não existem razões políticas, sociais, por uns minutos de loucura, pre-
serem ressarcidas por aqueles que, indirectamente, ao estabelecer a obrigatoriedade das seguradores técnicas, económicas ou de outra índole para que senteia-me com um dia de gover-
tenham dado causa ao acidente, se for o caso. terem cobertura nacional, vide nº 2 do artigo 5º do não se cumpra integralmente com o que está esta- nação. Constituiria uma comis-
Conforme está expresso no preâmbulo do Decre- aludido Decreto, sob pena de incorrerem em trans- belecido. Pelo contrário, o cumprimento da obri- são a nível da educação que teria
to nº 35/09, a frequência e a relevância que assume gressão. Hoje, mais de uma dezena operam no mer- gação inerente ao seguro de responsabilidade civil a incumbência de fiscalizar todos
a sinistralidade decorrente de acidentes de viação cado e a concorrência, como é óbvio, é salutar, des- automóvel, das inspecções técnicas, a prevenção os colégios a nível do município,
não podem deixar de merecer uma cautela especial de que seja leal. Como é evidente, ganha o consumi- rodoviária, a melhoria das vias, no sentido mais inspeccionando os seus progra-
de forma a assegurar a preservação do conforto dos dor e a sociedade em geral. amplo, o cumprimento rigoroso das regras de trân- mas curriculares e o nível acadé-
cidadãos e da sua qualidade de vida. Numa linha de Por uma questão de justiça, há que elogiar aque- sito inseridas no Código de Estrada, a condução mico dos seus professores.
tomada de consciência mais forte dos direitos e dos les cidadãos que nunca deixaram de assegurar os prudente e tecnicamente conforme as regras esta- Ah, antes que me esqueça, cara
valores da pessoa humana e da protecção das víti- seus meios, antes e depois da independência. O velho belecidas, o civismo na condução automóvel, a edu- administradora, gostava imenso
mas, urge assegurar que todos aqueles cujos inte- hábito de cumprimos com as nossas obrigações, cação de todos os utentes da via pública é condi- de lhe falar das nossas crianças.
resses foram lesados pela conduta de outrem tenham quando bastante forçados e no último minuto, em ção para a redução da taxa de sinistralidade com Falta-lhes de tudo, desde boas
garantia de efectiva reparação, sem estarem depen- nada abona o normal funcionamento das institui- as nefastas consequências presentes e futuras. Não escolas, bons hospitais, e até lugar
dentes da capacidade do causador. ções e o bom nome de um povo. Portanto, populis- nos esqueçamos dos milhares de órfãos, dos inca- para diversão. Se tivesse o tem-
Uma das razões de ser dos seguros obrigatórios mos, neste domínio não colhem e a expressão “o povo pacitados, que juntando aos do conflito armado, po que lhe peço, teria todo o pra-
é, precisamente, esta incapacidade, mesmo que não têm dinheiro para pagar seguros…” pelo contrá- preenchem o quadro desolador, que infelizmente zer de colocar iluminação na
temporária, do causador do dano indemnizar a víti- rio é em todo prejudicial para toda sociedade. Até ainda assistimos. A bem de toda a sociedade, temos estrada principal, e pontes aéreas
ma. Vejamos um exemplo simples: uma viatura porque gente humilde, sem vacilações tem cum- o dever de revertê-lo… para que Cacuaco deixa de cons-
com 1393 cc pagará um total de Kz 28,748.19 pelo prindo com as suas obrigações, neste e em outros Mais um desafio… tar das estatísticas. ANA MARGOSO

14 a 11 Julho 2014
Cafunfo. Criminosos espalham Benguela. Educação.
o terror na vila diamantífera Estrutura Inspecção
administrativa engaja-se
funcionará nos na melhoria
Navegantes do ensino
no país
A inspectora Maria de Lemos
Activistas na zona afirmam que apesar da situação ser crítica, a As direcções do Governo afirmou esta semana em Luan-
Polícia Nacional pouco tem feito para evitar que, meliantes e serão transferidas para da, que o sector por si represen-
segurança das empresas privadas fixadas na zona, voltem a causar infra-estruturas edificadas tado vai continuar a colaborar
distúrbios que provocam o pânico entre a população no autódromo, que já foi com o Ministério da Educação
também um aterro sanitário e os outros órgãos afins no sen-
ANA MARGOSO mou Nelito Felipe Saukaweni, 34 anos, natu- tido de se introduzir medidas
ana.margoso@agora.co.ao ral da zona do Cuango, funcionário da empre- No centro da cidade ficará o governa- de correcção para melhoria do
sa SOCICLA. dor, seus vices e os serviços de apoio sistema de ensino no país.
A localidade diamantífera de Cafunfo, no O nosso entrevistado acusa que, desde que ao seu Gabinete. A partir de 2017, as Esta afirmação foi avançada
município do Cuango, província da Lunda foi anunciada uma manifestação naquela cerca de 20 direcções que compõem o por Maria de Lemos, durante o
Norte, foi palco, no final de semana passado, localidade para os próximos dias, já se tor- Governo Provincial passarão a funcio- acto de abertura do primeiro
de tiroteios entre seguranças das empresas nou mais visível a presença de agentes da nar no bairro dos Navegantes, Zona “B”, ciclo de formação destinado aos
privadas de segurança, sedeadas na vila, e Polícia Nacional no que têm considerado de Casseque. inspectores das 18 províncias do
meliantes. “patrulhamento de proximidade, baseado em São cerca de 300 hectares que serão país.
O clima de terror na pequena localidade determinados pontos de maior visibilidade”. requalificados e transformados em zona “Por isso, é importante abrir
está a causar “medo entre a população”, tal “A Policia foi comunicada atempadamente administrativa, residencial e comercial. um ciclo de debates sobre a estru-
como diz, em exclusivo ao Agora, José Mateus sobre os acontecimentos, chegou mesmo a O complexo administrativo albergará tura, organização e dimensão
Zecamutchima, activista. tempo de acompanhar o tiroteio, mas não também residências para funcionários do sistema inspectivo em todos
“As informações que nos chegam é que os conseguiram parar a troca de tiros entre segu- públicos, médicos e docentes expatria- os âmbitos de sua intervenção
meliantes são oriundos de Luanda, e estão a ranças e os bandidos”. dos, bem como dois centros comerciais. tais como escolas centrais e na
vir para essa localidade, onde assaltam as A nossa fonte acusa a empresa de seguran- O projecto de implantação do com- própria instituição” disse.
casas dos populares e instituições aqui da ça onde o malogrado trabalhava de estar a plexo já está concluído, mas não foram Referiu que o nível de profis-
nossa vila”, conta. faltar com a verdade junto dos familiares. revelados os orçamentos envolvidos. sionalização dos inspectores que
Mateus Zecamutchima referiu também, “Na segunda-feira, dia 8, a empresa onde o “Temos projectos completos e vamos o sector almeja está estreita-
que devido ao clima de insegurança que se malogrado trabalhava, a SOCICLA, disse aos lançar os concursos para as empresas mente vinculado com a moder-
regista na zona, a população vive com medo, familiares que o suposto autor do crime é um de construção civil interessadas na exe- nização do próprio sistema edu-
e sente-se “desprotegida”. colega de trabalho conhecido por “Boaze Sozi- cução das obras”, declarou José Antó- cativo em comparação com os
“Várias casas têm vindo a ser arrombadas nho” com quem mantinha rixas e desaven- nio Rego, director das Obras Públicas. sistemas de inspecção de outros
de madrugada, inclusive as dependências do ças. Mas essas informações não correspon- Os termos de consignação do espaço países.
Banco de Desenvolvimento Africano (BAI) e dem a verdade, até porque, os agentes da Polí- e Concurso Público foram assinados De acordo com a responsável,
uma agência da UNITEL, nesta localidade, cia no local, não se tenham apercebido de pelo governador Isaac dos Anjos e pelos o Ministério da Educação está
já foram assaltadas, o que leva os guardas de nada, quando a 400 metros do local onde o directores do Gabinete de Estudos e a realizar vários ciclos de for-
segurança a reagir”, explica. segurança foi abatido, existe uma unidade Planeamento, Sardinha Valónia, e das mação para que os profissionais
O activista esclarece que “os populares móvel da PN, e do outro lado, uma unidade Obras Públicas, José Rego. da área adquiram novas expe-
dizem que os meliantes, se fazem transpor- das Forças Armadas Angolanas (FAA)”, ques- “Vamos entregar a área que foi esco- riências do sistema inspectivo
tar em viatura VX com vidros fumados, e pas- tiona o activista José Mateus Zecamutchima. lhida. Será requalificada e incorpora- internacional.
sam diante de efectivos da Policia Nacional, A nossa fonte assegurou entretanto, que se da no crescimento da cidade”, susten- O primeiro ciclo de formação
que nada fazem”. mantém de pé a ideia de realização de uma tou o governador Isaac dos Anjos para conta com a participação de uma
Mateus Zecamutchima disse-nos igualmen- manifestação para contestar a passividade quem o futuro complexo administrati- equipa de formadores angola-
te que no domingo, dia 6, os assaltantes assas- das autoridades locais no combate ao cres- vo tem a vantagem de estar numa área nos, assistidos por uma equipa
sinaram um segurança, que em vida se cha- cendo da criminalidade. onde surgem duas grandes superfícies de peritos da Unesco.
comerciais.
A vedação do perímetro já começou.
Um moderno autódromo será entre-
tanto construído nas imediações da
Talamajamba (EN que liga Benguela
ao Cubal) para servir os projectos da
Associação Tuku-Tuku, legítima dona
do perímetro agora desapropriado.
Entretanto, o Governo de Isaac dos
Anjos procedeu recentemente a distri-
buição de lotes e materiais de constru-
ção a cidadãos do Lobito e procederá à
venda de talhões na Baía Azul, ao pre-
ço de um milhão de Kz, por se tratar de
área balnear nobre. Ao tempo da ges-
TOM CARLOS

tão de Dumilde Rangel, a referida área


estava a ser preparada para um milio-
nário projecto imobiliário denominado
DR

Efectivos das empresas de segurança privadas em Cafunfo são atacados e mortos Ocean Blue. Lilas Orlov, em Benguela Maria de Lemos

11 Julho 2014 a 15
G País // Sociedade

CRÓNICA

Os 50 anos do Ismael Mateus

Juntar gente saudável como o ‘soba’ Reginaldo Silva, Luísa


Rogério, Síria de Castro, Gustavo Silva, Regina Marques, Ângelo
da Veiga Tavares, Arlindo Isabel, Pedro Neto, BV, Ana Margoso e
tantos outros anónimos é um exercício logístico e social digno de
um Sebastião que, apesar de peixe-cão, é humano, justiceiro,
dominador que, mesmo depois de ‘expulso’ do Sambizanga, ainda
se mantêm lá o cordão umbilical e o coração em calda
Mais do que um mero aniversário, o ‘bom
Ismael’ merece esta homenagem, pela longa

DR
caminhada de 30 anos que nos une desde os Mais quadros formados serão lançados para o mercado de trabalho
tempos de ‘A Patada’, um placard humorístico
Lilas Orlov
em Benguela
que ele fazia no DINF/RNA para zombar com
os chefes e colegas: do Bwé de Bocas e do Reca- Universidade Kimpa Vita lançará
do ao meu Chefe; das cruzadas por Lisboa em
formação e de um percurso cimentado no Sema-
primeira fornada de licenciados
nário Cruzeiro do Sul do qual foi director.
Apagar 50 velas e juntar gente saudável
como o ‘soba’ Reginaldo Silva, Luísa Rogério,
O bendito Sebastião (peixe-cão), aliás Ismael Síria de Castro, Gustavo Silva, Regina Mar-
Mateus, jornalista que é também escritor e ques, Ângelo da Veiga Tavares, Arlindo Isa-
director-geral do IFAL, apagou 50 velas no bel, Pedro Neto, BV, Ana Margoso e tantos
último domingo, 06/07. outros anónimos é um exercício logístico e
Intimou os amigos. Não convidou, sublinhe- social digno de um Sebastião que, apesar de
-se. Intimou-os a estarem presentes para tes- peixe-cão, é humano, justiceiro, dominador
temunhar o fim de uma colina repleta de que, mesmo depois de ‘expulso’ do Sambizan-
emoções, sacrifícios, alegrias e venturas, de ga, ainda se mantêm lá o cordão umbilical e
ter alcançado tão elevado grau de madureza o coração em calda. E o Sambizanga saiu em A sétima região académica, que congrega as províncias do Uíge e
e o início de uma descida existencial. peso em direcção à Camama. Cuanza-Norte, vai lançar, este ano, no mercado, os seus
E a notificação era de que o jantar começaria Foi com este coração em calda que Nga primeiros 180 licenciados, revelou, recentemente, ao Agora o
na noite de sábado para domingo. Fiz-me à estra- Madia, a mui amada mãe do intrépido Ismael, reitor da Universidade Kimpa Vita, Carlos Diacanamwa
da com a minha Osmara. Deixei a ‘República’ deu lições de sabedoria ao aconselhar os pre-
de Benguela no mesmo sábado para uma noite sentes a seguirem princípios bíblicos, de não O magnífico reitor lembrou, na ocasião, que de saúde humanitária que vai dedicar-se
num Solar algures em Camama, lindo, colori- multiplicar inimigos, mas transformá-los em a instituição que dirige tem apenas 4 anos ao estudo de doenças tropicais e regionais,
do, prazeroso, de um verdejante apelativo. amigos como segredo da razão, de sobrevi- e prevê lançar para o mercado os seus pri- combate à devastação florestal e contribuir
E lá estava o ‘bom’ Ismael e a Dr.ª Carla, sua vência social e de manter simpatias. meiros 180 licenciados e conta, actualmen- para o desenvolvimento de pesquisas no
amada esposa, vendendo o melhor calor recep- Simpatias que não faltam ao Ismael. Mes- te, com 6 mil 350 estudantes divididos em ramo das energias renováveis”, aventou.
tivo a quem, como nós, calcorreou quase 600 mo com as picadas de incitação de Pedro quatro cursos, em relação aos 1.700, com O reitor prometeu, também, que uma das
Km para este reencontro festivo. Neto, o tal de voz açucareiro, de que os 50 os quais havia arrancado em 2011. suas apostas enquanto responsável daque-
são uma ocasião apropriada para se falar mal “Começámos a funcionar em 2011 com la região académica é levar o ensino supe-
do aniversariante, a provocação multiplicou apenas mil e 700 estudantes, mas, actual- rior a todos os municípios que compõem a
ternura, afabilidade e desabrochou sentimen- mente, temos inscritos mais de 6.000, pro- Universidade. Para o êxito do programa,
tos de quem sempre viveu dos bons exem- venientes de vários pontos do país, que todos os anos são inscritos estudantes da
plos e juízos de Nga Madia. frequentam os cursos de Enfermagem, região em diversos cursos.
Com a casa cheia e colorida, nem o jogo Contabilidade e Gestão, Informática, Direi- “É nossa intenção levar o ensino superior
Holanda/Costa Rica fez esmorecer a vonta- to, Economia e Agronomia”, salientou. em todos os municípios da região acadé-
de de um caloroso abraço a este irmão, ami- O então vice-reitor da Universidade Agos- mica, por isso temos cá inscritos cerca de
go e conselheiro. tinho Neto disse contar com a parceria da 400 estudantes de diversos municípios que
Num retorno aos bons costumes do mwan- Universidade de Dresden da Alemanha, se vão ocupar destes pólos futuramente e
golé, o bom Ismael assumiu o centro da roda cujos pesquisadores descobriram que a bor- fazer que os nossos quadros não saiam das
com ‘xinguilamentos’ à moda sambila. No boleta é um indicador que permite distin- províncias”, prometeu.
domingo, o caldo não deu moleza. O trapo- guir a existência de água potável em deter- Carlos Diacanamwa defendeu a necessi-
velho teve serventia suficiente para reani- minados rios e que a nfumbua é o prato dade de se apostar em cursos técnicos, pelo
mar física e espiritualmente os noctívagos. típico mais saudável da região, porque com- factos de os mesmos serem prioritários na
No Solar, por razões que desconhecemos, bate o cancro. reconstrução e desenvolvimento do país,
só faltou mesmo os saudáveis João Melo, Luís Foram ainda descobertas larvas comes- mas não descartou a necessidade de se
Fernando, Ramiro Aleixo, Carmo Neto, Salas tíveis com maior quantidade e qualidade implementar para breve os cursos ligados
Neto, só para citar estes. Mas, fica a promes- de proteínas em relação a outros alimen- às ciências sociais e humanas.
sa de cobrarmos nos 51. Aí sim, a cobrança tos. Quanto à multiplicação das espécies, a A falta de uma rubrica para o sector de
será dupla e coerciva. Mais pelo livro ‘O Mula- Universidade está a construir um Jardim investigação é outro factor que inibe os inves-
to da Esquina’ que o aniversariante prome- Botânico e uma fazenda experimental, cujas tigadores, sobretudo nacionais, que, pouco
teu editar há anos, e que não sai pela justifi- obras decorrem a bom ritmo. a pouco vão mostrando interesse em ques-
cação que só os kazumbis dele sabem. “É uma fazenda experimental de plantas tões relativamente à investigação científi-
DR

Ismael Mateus, o aniversariante Parabéns, comandante! em construção no centro de investigação ca. Miguel Daniel

16 a 11 Julho 2014
Propinas. AADIC leva Insucesso. Crianças acusadas Educação. Cachiungo já tem
universidades à PGR de feitiçaria ensino superior
A Associação Angolana dos Direitos do Con- A psicóloga Bibiana Diamvutu afirmou, quar- O município do Cachiungo, situado a 62 qui-
sumidor (AADIC) apresentou, recentemen- ta-feira, em Luanda, que o insucesso na vida lómetros do Leste da sede provincial, conta,
te, uma queixa-crime à Procuradoria-Geral social e económica de alguns pais tem sido no presente ano académico, com o Instituto
da República (PGR) contra quatro institui- a causa de algumas acusações de feitiçaria Superior Politécnico ‘Sol Nascente’ do Huam-
ções do ensino superior, por violação da deci- aos seus filhos. bo, facto que levou a juventude a permane-

TOM CARLOS
são do Decreto Executivo n.º 420/13, de 17 Falando à Angop sobre o tema ‘A criança e o cer na municipalidade para dar continuida-
de Dezembro, do Ministro da Educação, que fenómeno feitiçaria’, a especialista referiu de à formação, após a conclusão do ensino
mescla o Calendário Curricular do ano cor- que o facto é deplorável, lembrando que mui- médio.
rente, fazendo menção às actividades extra- tos pais, por dificuldades financeiras, aban- A informação foi avançada hoje pelo admi-
curriculares que despoletaram o conflito em Zaire. Mecanização donam deliberadamente os filhos, acusando- nistrador municipal do Cachiungo, Frederi-
torno do não-pagamento da propina do mês da agricultura -os de feiticeiros. co Ucuetali, em declarações à Angop, quan-
de Maio, por altura da realização do Censo, “As acusações resultam, frequentemente, do falava da situação do sector da educação
e em defesa dos seus associados estudantes. A revitalização da actividade agrícola, com em violência, maus-tratos, estigma, aban- no município.
Trata-se do Instituto Superior Técnico de recurso a meios mecanizados, foi defendida, dono e práticas que constituem violações Cachiungo conta com 217 estudantes matri-
Angola e das Universidades Metodista de Ango- esta semana, em M’banza-Congo pelas repre- graves dos direitos humanos das crianças”, culados nos cursos de licenciatura em Direi-
la, Gregório Semedo e Lusíadas, sediados em sentantes das mulheres rurais dos seis muni- acrescentou. to, Sociologia, Psicologia e História, 61 esco-
Luanda, acusados de terem atropelado alguns cípios do Zaire, durante o encontro provin- A psicóloga reforçou que, depois de acu- las do ensino primário, duas do I ciclo e qua-
direitos fundamentais e mais sensíveis dos estu- cial de auscultação a esta franja da socieda- sadas, conforme um estudo, os menores tro do II do ensino secundário. Encontram-se
dantes e para os quais se pede à PGR que sejam de. As 300 mulheres participantes neste tendem a ser vítimas de discriminação e matriculados 48 mil e 440 alunos, em rela-
sancionados com multas nos termos do art.26.º, encontro defenderam a celeridade na reabi- estigmatização, dificultando a sua rein- ção a 39.317 de 2013, incluindo 123 académi-
em virtude de insistirem em práticas abusivas litação das vias rodoviárias secundárias e ter- tegração plena na vida comunitária e cos, que estão a frequentar o curso médico
dispostas no art.22, ambas da Lei n.º- 15/03 de ciárias da região, a fim de tornar fácil o escoa- familiar. de Saúde.
22 de Julho – Lei de Defesa do Consumidor. mento de produtos agrícolas para os gran- Esclareceu que o fenómeno de feitiçaria No domínio da alfabetização, o município
A AADIC recorda que o recurso à PGR decor- des mercados. O encontro analisou os contra as crianças provoca crise na garan- controla 6.312 alfabetizandos e 251 do méto-
re do facto de ela ser responsável pela defe- relatórios-sínteses das reuniões municipais tia dos direitos fundamentais dos menores. do ‘Sim Eu Posso’.
sa dos direitos de outras pessoas singulares de auscultação da mulher rural, realizados Apelou à sociedade e, em particular aos gru- Cachiungo tem uma extensão territorial de
ou colectivas na defesa da legalidade e fisca- no âmbito do Programa Nacional lançado a pos religiosos, a não pactuarem com isso e a dois mil e 947 quilómetros quadrados e 105.733
lização. 6 de Maio último. terem uma aproximação bíblica. mil habitantes.

PUBLICIDADE

11 Julho 2014 a 17
G País // Economia

Fórum
Económico. Plano
de Desenvolvimento
do Uíge revitaliza
produção do café

O Plano de Desenvolvimento da Província do Uíge (PDPU),


apresentado recentemente, vai contemplar 314 projectos com
financiamento em parte do Estado e contará com a participação do
investimento privado
MIGUEL DANIEL rede de logística nacional de transportes públi-
cos interprovinciais, bem como a colocação
A informação foi avançada pelo governador de um ramal ferroviário que possa ligar as
da província durante a realização do fórum minas do Mavoio, com vista a reduzir as assi-
económico local que teve por objectivo dina- metrias regionais.
mizar o sector primário da economia, iden- De acordo com o plasmado na Constituição
tificar os factores que afectam negativamen- da República de Angola, no seu artigo 21.º e
te a agricultura e a pecuária, gizar estraté- 89.º, “o Executivo prevê que uma das formas
gias da produção local e mostrar aos investidores de se acabar com as assimetrias é a constru-
as oportunidades de negócio que aquela cir- ção da rede viária, desta forma propõe-se a
cunscrição oferece. estratégia de industrialização da agricultu- Kiala Gabriel, Abrahão Gourgel e Paulo Pombolo apresentaram no Uíge as linhas orientadoras
Paulo Pombolo anunciou, igualmente, a ra, com vista ao aproveitamento dos seus
construção de 350 quilómetros de estrada que recursos endógenos”. remetê-los ao cuidado do Governo Provin- duzido em escala. A garantia é do director
vão ligar os municípios do Bembe, Ambuíla e Disse, inclusive, que a dotação financeira cabi- cial, que, por seu turno, os fará chegar ao provincial da Agricultura, Eriki Lussoqui.
Buengas, com um orçamento de 400 mil milhões mentada para a província permite desenvol- Ministério da Economia, para a avaliação e Falando ao Agora, este reconheceu a neces-
de kwanzas e que facilitarão o escoamento de ver o sector industrial, com realce para a pro- possível financiamento. sidade de se rever o preço do quilo do café
produtos e as transacções comerciais. dução de conservas de frutas e hortícolas, bebi- “O mercado de capitais, através da Bolsa de Mabuba, actualmente fixado em 50 kwanzas
Foram apresentados, ao mesmo tempo, os das não-alcoólicas e derivados lácteos. Valores de Mercado Secundário da Dívida e que tem sido um dos factores desincenti-
projectos que visam a construção de um hotel “Num horizonte de curto-prazo, vislumbrá- Pública, é outro instrumento de financiamen- vadores aos camponeses, se comparado com
residencial com 100 quartos e um centro de mos um excelente potencial para a industria- to que vai colmatar os problemas dos crédi- o de feijão ou de outro cereal.
negócios avaliado em 22 mil milhões de kwan- lização de tubérculos, raízes para a alimen- tos bancários que têm sido até agora a princi- O Uíge já foi o maior produtor do bago ver-
zas, um hipermercado da rede Shoprite, a tação humana e animal, produção e trans- pal fonte de financiamentos e que faz que mui- melho, mas a força do tempo fez desaparecer
requalificação da Praça da Independência e formação do arroz, óleo de palma, bem como tos projectos fiquem encalhados”, lembrou. as unidades de transformação daquele produ-
a criação de um centro de aquisição do café a transformação da madeira orientada para to, pelo que é fundamental a implementação
em grande escala pelo grupo Angoalissar. a construção”, sustentou. PRODUÇÃO DO CAFÉ. Um dos produtos mais de projectos exequíveis que atendam às neces-
Como desafio, o governante fez saber que representativos da província volta a ser pro- sidades da região em termos de produção de
a provincial que dirige está aberta aos inves- PÓLO INDUSTRIAL DO NEGAGE. Segundo as auto- café. Os municípios dos Buengas, Songo, Uíge
tidores locais ou estrangeiros, apesar de não ridades da província, o empreendimento per- e Quitexe lideram, apesar de os cafezais serem
existirem terrenos livres na zona periférica mitirá o fabrico de material de construção, velhos, mas o Governo da Província tudo faz
que possam beneficiar de projectos. como tijolo, telhas, prefabricados de betão, para desenvolver mais projectos.
“Para o ano em curso, o PDPU prevê um estruturas metálicas e electro soldados, ten- A província vai contar, em “O quilo de café comercial custa 150 kwan-
orçamento superior a 60 mil milhões de kwan- do o mercado da RDCongo como o principal breve, com um hotel zas, mas a sua descasca é feita em Luanda,
zas distribuídos em vários sectores”, disse. destino do futuro Pólo de Desenvolvimento. residencial, com 100 porque aqui não temos máquinas; já o do
Quanto à concretização dos projectos, o mabuba é vendido por 50 Kz e o do moído,
UMA REDE DE LOGÍSTICA NACIONAL. Por sua ministro prometeu que, através do progra-
quartos e um centro de 500”, referiu, manifestando a necessidade de
vez, o ministro da Economia, Abraão Gurgel, ma Angola Investe, os empreendedores que negócios avaliados em 22 se montarem, com urgência, duas unidades de
informou, no Uíge, sobre a criação de uma têm projectos encalhados nos bancos devem mil milhões de kwanzas descasque e transformação do mesmo produ-

18 a 11 Julho 2014
Citações

“É preciso acabar
com o hábito de
criticar e sem antes
propor, porque o
desenvolvimento só se
faz com trabalho”
Paulo Pombolo
GOVERNADOR DA PROVÍNCIA DO UÍGE

Dados

514
Mil milhões é quanto está
prevista a execução do Plano
de Desenvolvimento da
CÉSAR MAGALHÃES

Província do Uíge

para os novos investimentos


50
Kwanzas é o valor comercial
É preciso que se montem “O Uíge ainda é o líder na produção do café EXPO-UÍGE. Cerca de 300 expositores nacio- do quilo de café mabuba, um
que nós compramos aos agricultores, e o Ins- nais e estrangeiros, bem como agricultores factor inibidor aos agricultores
com urgência duas tituto do Café faz a certificação para depois dos 16 municípios e 31 comunas que com-
unidades de descasque e
transformação em cada
município potencialmente
exportarmos e transformamos em produto
final em Portugal ou noutros países onde
temos estado, mas importa salientar que não
põem a província participaram da Expo-Uíge,
uma organização entre a Feira Internacio-
nal de Luanda (FIL) e o Governo do Uíge.
100
é vocação do grupo a agricultura, mas sim Carlos Cala, representante da FIL, disse que Toneladas de café são
produtor do Café o comércio e a sua transformação ao longo a participação da feira é gratuita, quer seja para compradas pela Pro-Café,
dos últimos 53 anos”, explicou. os expositores, quer para os visitantes, com empresa pública ligada à
Defendeu, também, a necessidade do Execu- realce para Portugal e a Itália como países con- compra e comercialização do
to, em cada um dos municípios produtores. tivo em criar as condições de subvencionar a vidados, sendo que foram precisos aproxima- bago vermelho
De realçar que, anualmente, a Pro-café, empre- produção do café, se querem ver a província do damente 2000 metros quadrados para a aco-
sa pública responsável pela comercialização
do café, compra mais de 100 mil toneladas aos
agricultores, mas o mercado é aberto para os
bago vermelho a voltar aos seus tempos áureos,
em que a economia nacional era suportada pelo
café, para concorrer com outras culturas.
modação de todos na Praça Independência.
“Está cá representada a banca, o comercio, o
sector das tecnologias, o ambiente, a constru-
350
outros compradores, como é o caso da Ango- “O café, sendo um produto cotado em bol- ção e, como novidade, a presença de 10 empre- Toneladas de café são
nabeiro e um outro grupo americano. sa, deve ser visto na perspectiva de que pode sas da zona económica especial Luanda-Ben- exportadas anualmente pelo
José Carlos Beato, director do grupo Ango- servir de reserva de valor, uma vez que a sua go, a feira do livro e do disco, bem como a bol- grupo Angonabeiro, que
nabeiro, empresa de direito angolano, reve- comercialização não depende dos preços sa do café”, frisou. trabalha, igualmente, na
lou ao Agora que, anualmente, exporta cer- estabelecidos no mercado”, salientou, para O Uíge celebrou, de 1 a 7 do corrente mês, revitalização da cultura do
ca de 350 toneladas de café e que trabalha, depois concluir que o actual preço do quilo 97 anos, desde que ascendeu à categoria de mesmo produto
igualmente, na revitalização da produção do mabuba é baixo, mas, com uma produção cidade. Durante as festividades, realizou-se
bago vermelho, através da formação e incen- acentuada, pode colmatar-se o défice, sen- o terceiro fórum de oportunidades de negó-
tivo aos agricultores, sendo a província do do o café Amboim o mais cotado actualmen- cios e investimentos, a bolsa do café, a Expo-
Uíge o seu maior fornecedor. te, fixando-se em 65 a 70 kwanzas. -Uíge, entre outras as actividades.

11 Julho 2014 a 19
G País // Economia

Empresários angolanos Filda arranca


com 39
informados sobre arbitragem países
e muita
inovação

O Quénia e o
Zimbabwe são os países
estreantes na maior
bolsa de negócios do
país, onde se espera que
perto de 800 expositores
estejam presentes
Trinta e nove países, incluindo Ango-
la, estão inscritos na edição de 2014
da Feira Internacional de Luanda
(FILDA).
A informação foi avançada, nesta
terça-feira, em Luanda, pelo gestor
do certame, Francisco Coutinho.
Em declarações à Angop, destacou
a participação de países africanos,
com realce para o Quénia e Zimbabwe,
que participam pela primeira vez,
Empresários querem reduzir os litígios no seio da classe TOM CARLOS sendo que este último país contará
com o maior espaço de exposição,
A Associação Industrial de Angola (AIA) promoveu, recentemente, timento nos mais diversos sectores de acti- com 108 metros quadrados e 10 empre-
em Luanda, um encontro que reuniu diferentes associações vidade económica. sas, número igual ao do Quénia.
empresariais, para reflectir sobre a resolução de litígios, mediação, Respondendo às inquietações dos presentes, Francisco Coutinho disse ainda
conciliação e arbitragem de conflitos empresariais assegurou que “as decisões efectuadas por par- que dois novos pavilhões estão a ser
te desta instituição têm vínculo jurídico, sendo erguidos nas instalações da FILDA
MARTINS CHAMBASSUCO nário da Ordem dos Advogados de Angola, que as mesmas são expressivas perante a lei”. para responder à elevada procura
martins.chambassuco@agora.co.ao sobre o centro em si que se vai dedicar à arbi- Manuel Godinho, da Sociedade de Desen- de espaço por parte dos expositores
tragem especializada de conflitos de ordem volvimento do Pólo Agro-Industrial de Capan- que pretendem participar na maior
O objectivo do fórum, segundo o presidente nacional ou de conexão internacional, emer- da (SODEPAC), avançou, perante o serviço bolsa de negócios de Angola.
da AIA, é informar os parceiros sobre a impor- gentes de relações no domínio dos direitos de mediação, que se deve apostar na promo- O primeiro pavilhão tem uma área
tância da criação dos centros de arbitragem comercial, civil, administrativo, transportes, ção da resolução de conflitos, a maior difi- de cinco mil metros quadrados,
no país, particularmente entre os associados. seguros, financeiro, ambiente e de outros. culdade até à data, para que o mercado seja enquanto o segundo apresenta um
José Severino disse ao Agora que que o país Elucidando os presentes, o jurista disse que atractivo para o investimento estrangeiro. espaço de três mil metros quadra-
tem um centro de arbitragem criado pelo consiste nas características e aplicação, che- Rebatendo as questões, José Severino lem- dos, elevando a área disponível para
Ministério da Justiça, mas é fundamental que gando, inclusive, a exemplificar casos em que brou que “o Governo está a apostar na dina- o certame deste ano para 50 mil
se criem outros ligados ao sector empresa- se vai processar a arbitragem em caso de con- mização do sector, pretendendo a diminui- metros quadrados.
rial, a fim de mediar os conflitos que possam flitos de interesses, que se trata de um meca- ção de conflitos que envolvam questões con- A decorrer de 22 a 27 de Julho cor-
surgir no exercício da actividade. nismo importante para a atracção do inves- tratuais e de aquisição de terrenos.” rente, a 31.ª edição da Filda tem por
“Esperamos que, até final do ano, tenhamos Está a ser implementado um centro de media- lema ‘Os Desafios da Atracção de
um centro de arbitragem que resulte das ção e conciliação fora do Ministério Público, Investimento – Estratégia, Legisla-
associações empresariais e continuemos a mas, até à data, apenas um está totalmente ção, Instituições, Infra-estruturas
contar com o que já foi criado pelo Ministé- operacional, sendo que todas as decisões são e Recursos Humanos.’
rio da Justiça”, disse, tendo reconhecido que “obrigatoriamente submetidas à lei angolana”. A realização do evento, que data
a resolução de litígios, a mediação, a conci- A Lei da Arbitragem Voluntária Angolana é desde 1983, visa, entre outros objec-
liação e a arbitragem de conflitos podem ser O Governo está a apostar inspirada na portuguesa, e a obrigatória rege- tivos, captar investimentos, promo-
mais bem geridos geridos com uma política na dinamização do sector, -se pelos artigos 1525-1528 do processo civil. ver o desenvolvimento dos diferen-
forte que envolva todos os intervenientes, pretendendo a diminuição O país não é “signatária das convenções de tes sectores de actividade no país e
particularmente os empresários que, muitas Nova Iorque ou de Genebra, nem de outra contribuir para o estabelecimento
vezes, sentem as injustiças da Justiça.
de conflitos que envolvam ordem semelhante”, pois, como referido ante- de parcerias e a criação de uma
A conferência teve início com uma apresen- questões contratuais e de riormente, “a decisão arbitral ainda é depo- indústria transformadora que res-
tação por parte de Inglês Pinto, antigo basto- aquisição de terrenos sitada nos tribunais judiciais”. ponda às necessidades de consumo.

20 a 11 Julho 2014
Tributação. Novo ENSA promove seguro
pacote traz benefícios obrigatório no Cubal

DUARTE VILLAS
A Empresa Nacional bém para massificar a prática do
de Seguros de Angola seguro em si”, disse.
(ENSA) está a levar a Em trabalho no município do
cabo uma campanha Cubal, avançou estar a receber

O reajuste do Imposto Industrial, Imposto sobre o Sirius para de sensibilização que


visa alertar os
das autoridades administrati-
vas e dos automobilistas todo o
Rendimento do Trabalho, Código Geral Tributário,
Código do Processo Tributário e o Código das
os melhores condutores sobre os
riscos na estrada
apoio necessário para avançar
com esta pretensão.
Execuções Fiscais compõe o pacote aprovado, há dias,
pela Assembleia Nacional
gestores De acordo com o gerente da
Carlos Bernardo Chombossi,
que não avançou o número de
ENSA em Benguela, Carlos Ber- clientes, deu a conhecer que a
MIGUEL DANIEL Com a revisão do Imposto Indus- nardo Chombossi, a prioridade ENSA, no mercado há mais de
trial, passam a estar abrangidas pelo recai sobre a comercialização de 36 anos, prima pela qualidade
O Pacote Tributário está inserido Imposto Industrial apenas pessoas seguro automóvel de responsa- de serviços que presta.
nas medidas da Reforma Tributá- colectivas, divididas em dois gru- bilidade civil, pelo facto de esse
ria, de acordo com as Linhas Gerais pos de tributação, conforme o seu estar a vigorar desde o dia 1 de
do Executivo para a Reforma Tri- nível de organização, enquanto as A criação da categoria de melhor Rela- Julho do ano em curso, sob fis-
butária que visam corrigir as dis- pessoas singulares, que até agora tório e Contas para os sectores finan- calização policial.
torções do sistema tributário, bem eram abrangidas pelo Grupo C do ceiro e não-financeiro é a grande novi- Em declarações à Angop, refe-
como potenciar a arrecadação não imposto, passam a estar sujeitas dade que o Prémio Sirius introduz na riu que, em função da actuação
petrolífera. apenas ao Imposto de Rendimento edição de 2014, anunciou quarta-feira, da Polícia Nacional em relação
Gilberto Luther esclareceu que as de Trabalho. em Luanda, o presidente da Deloitte aos que ainda se abdicam do cum-
alterações feitas ao pacote tributá- Angola, Rui Silva. primento desta regulamentação,
rio não trazem implicações, antes IMPOSTO DO TRABALHO. Foi alte- Ao fazer a apresentação de mais da os automobilistas, com particu-
pelo contrário benefícios, porque se rado o limite de isenção do IRT de 4.ª edição do Prémio Sirius, uma ini- lar realce para os taxistas, vêm-
pretende, em primeira instância, 25.000, Kz para 34.450,00. Isto ciativa da Deloitte Angola, Rui Silva par- se dificultados em circular por
promover e incentivar a competiti- significa que os contribuintes, cujo tilhou a satisfação da organização pela não terem pago o seguro.
vidade das empresas angolanas, atra- rendimento mensal fique abaixo receptividade da iniciativa junto dos “Daí a necessidade de esta agên-
vés da redução da taxa de imposto, do limite estabelecido, não paga- agentes económicos. cia dinamizar a venda deste ser-
de 35% para 30%. rão IRT, assim o universo de con- Por sua vez, o presidente do júri, viço aos municípios da Ganda,
“Com esta redução de 35% para tribuintes isento de tributação Manuel Nunes Júnior, disse, na oca- Caimbambo, Chongoroi e Cubal,
30%, Angola torna-se significativa- aumentou. sião, que a atribuição do prémio visa não só para facilitar a vida dos
mente mais competitiva no plano Para tal, a segmentação dos con- homenagear as instituições e gestores utentes de viaturas, como tam-

DR
internacional, passando a estar mais tribuintes passa a ser feita por três angolanos pela excelência e talento pro-
alinhada com as taxas praticadas grupos (A, B e C), ficando confor- fissional, “constituindo, por isso, um
pelos outros países da região e não
só...”, aclarou.
me as alterações do Imposto Indus-
trial. Este imposto passa a incluir
reconhecimento social por mérito e
empenho dos seus vencedores.” Município do Dala
O responsável acautelou, igual-
mente, que estas alterações não têm
as pessoas singulares que desenvol-
vam actividades comerciais ou indus-
A edição de 2013 contou com as cate-
gorias de melhor gestor do ano, melhor
sem serviços bancários
implicações nas taxas efectivas de triais e que estavam, até à data, programa de responsabilidade social,
retenção na fonte, ao abrigo da Lei incluídas no Imposto Industrial. melhor programa de desenvolvimen- Os atrasos nas obras de construção da
n.º 7/97, que se mantêm em 3,5% e “Os subsídios de férias e de Natal to do capital humano, empreendedo- dependência do Banco de Poupança e
5,25% para o ano de 2014, sendo que excedam a remuneração-base rismo e o melhor programa de educa- Crédito (BPC) na região agravaram a
que a sua alteração está prevista passam, também, a ser tributados”, ção financeira no sector bancário. situação, e, em consequência, a população
para 2015. sublinhou. Manuel Nunes Júnior precisou que percorre por longas distâncias para fazer as
alguns dos requisitos para se concor- transacções financeiras
rer ao prémio são a competência, a res-
ponsabilidade, a disciplina e a atitude O administrador do município deslocar-se à sede capital da pro-
positiva da pessoa ou da empresa no da Dala, província da Lunda-Sul, víncia da Lunda-Sul (Saurimo)
serviço que prestam. Txiculo Martins, solicitou a aber- ou a Kamanongue (Moxico) e,
Por essa razão, continuou, são atri- tura de uma dependência ban- muitas vezes, deparam-se com
buídos vários prémios, como para a cária na localidade, para facili- situações como a falta de siste-
melhor empresa no sector financeiro tar o levantamento de ordena- ma que os leva a ficar mais dias
e não-financeiro, melhor empresário dos da função pública. do que os previstos, colocando-
do ano, o gestor do melhor relatório e Txiculo Martins afirmou que -os em litígio laboral com a enti-
contas da sua empresa e o troféu de a falta de serviços bancários cria dade empregadora”, justificou.
responsabilidade social. sérios constrangimentos aos O administrador disse ainda que
Explicou que, no sector financeiro, munícipes, uma vez que têm de os serviços bancários ajudam na
estão enquadrados os bancos e as com- percorrer longas distâncias até planificação da economia domés-
panhias de seguros, ao passo que, da Kamanongue (Moxico) ou Sau- tica, desde que os mesmos este-
área não-financeira, constam empre- rimo, a fim de efectuar transac- jam mais próximos dos cidadãos.
sas agrícolas, indústrias, entre outras. ções financeiras. Pediu à direcção do Banco de
A cerimónia de entrega dos prémios “Por falta de uma dependên- Poupança e Crédito (BPC) para
aos vencedores será realizada em Novem- cia bancária no município, os acelerar as obras da dependên-
Novas regras de tributação irão trazer mais benefícios ao sector DR bro deste ano. funcionários são obrigados a cia em construção desde 2013.

11 Julho 2014 a 21
G País // Economia

Negócios. Kenya Mecanagro reduz


Consumo Airways aumenta voos força de trabalho Agravadas
ESTUDO REVELA A Kenya Airways, que opera no país Cerca de 40% dos trabalhadores da
as taxas de
HÁBITOS DA POPULAÇÃO
DE LUANDA
desde 2010, aumentará, este mês, a
frequência de voos da rota Luanda/Nai-
Mecanagro estão à beira do desem-
prego, em causa estão os sucessi-
importação
A empresa Keyresearch
robi, passando de duas para três liga-
ções semanais entre as duas capitais,
vos atrasos no pagamento dos tra-
balhos de preparação de terras da
de motas
apresentou recentemente o permitindo, em média, o transporte campanha agrícola transacta por
DR

estudo que revela os de 22 mil passageiros por ano. De acor- parte de algumas instituições públi-
Banco Mundial assinala modelos dos agregados do com o director de marketing, Ricar- cas e privadas.
diversificação da familiares, habitação, do Vieira Lopes, este aumento das fre- “A Mecanagro, vai proceder à dimi-
economia angolana comportamentos, quências está ligado a um crescente nuição da sua força de trabalho na
alimentação, estilos de vida, número de passageiros. ordem dos 40%, face à situação que
O Banco Mundial informou no iní- hábitos, necessidades e vive, uma medida que deverá entrar
cio da semana a aparente retoma expectativas, costumes e em prática a partir de 2015”, disse
da economia angolana, com o Pro- consumos da população Luanda é a cidade João Joaquim, director de marke-
duto Interno Bruto (PIB) a registar residente em Luanda mais cara do mundo ting da empresa
um crescimento real de 4,4%, depois A amostra de 4.200 A medida serve para
da desaceleração sentida em 2013 consumidores inquiridos, A capital lidera a lista das cidades conter a sinistralidade
devido à quebra das receitas com a apresenta um nível de mais caras do mundo para cidadãos Indústria. Refriango rodoviária e a
venda de petróleo. confiança na ordem dos estrangeiros, indica um estudo da inaugura fábrica criminalidade
Num documento com a actualiza- 95%, e um erro de amostra consultora Mercer divulgado esta no Huambo
ção económica de Angola, segunda- associado de 1,51%, sendo semana. Uma refeição de fast-food A informação foi avançada, recen-
-feira divulgado, aquela instituição que os dados pode custar quase 20 dólares, em De acordo com o director de even- temente, pelo director do Depar-
multilateral adiantou que o cresci- representativos, média, contra os 4,95 euros de Lis- tos da Refriango, João dos Santos, o tamento de Tarifas da Direcção
mento económico que se está a regis- correspondem apenas à boa. Atrás de Luanda surgem N’Dja- projecto surgiu para desafogar a fábri- Nacional das Alfândegas. O mes-
tar é superior à média de 3,5% obser- população de Luanda com mena, no Chade, Hong Kong, Zuri- ca de Luanda. “Está previsto inaugu- mo garantiu que a taxa de impor-
vado no período 2009/2011 mas, mes- 15 anos ou mais de idade. que, Genebra, Tóquio, Berna, Mos- rar em finais de 2015 uma nova fábri- tação de motorizadas registou um
mo assim, inferior aos 5,2% de 2012. Todas as entrevistas foram covo e Xangai. O estudo levou em ca, com uma capacidade de produ- agravamento de 50% desde 2012,
A instituição disse ainda que o sec- realizadas pelo método linha de conta os preços do alojamen- zir 500 mil litros/ano, pelo facto de a uma medida fiscal destinada a con-
tor não-petrolífero do país expan- “Face to Face”, suportadas to, transporte, comida, vestuário, arti- mesma estar localizada numa zona ter a entrada maciça daquele tipo
diu-se em 2013, tendo atingido um por um questionário em gos domésticos e entretenimento, estratégica do país, do ponto de vis- de veículos.
crescimento de 6,3% no ano passa- papel devidamente Lisboa surge na 94º posição. ta geográfico possibilitando o escoa- Falando à Angop, Garcia Afonso
do em resultado da maior produção estruturado. Todos os mento do produto nos corredores sul disse, igualmente, que a medida
agrícola e de investimentos no sec- inquiridos foram e oeste do país”, disse fiscal visou procurar travar a entra-
tor da produção de electricidade. seleccionados Sector da indústria da de motorizadas, veículos que
A maior produção agrícola e pre- aleatoriamente pelo processo continua adormecido são apontados como dos principais
ços mais baixos dos produtos ali- de selecção “Random Walk Angola e Holanda causadores de acidentes e conse-
mentares importados ajudaram a Method” e cumprindo-se as A falta de uma política definida para analisaram cooperação quentemente de perdas de vidas
reduzir a taxa de inflação para ape- quotas previamente o desenvolvimento industrial e a exis- humanas.
nas um dígito, afirmou o Banco Mun- estabelecidas considerando tência de uma espécie de subordi- As delegações analisaram a possi- A medida abrange, em particular,
dial, para acrescentar que a infla- a idade, género e município nação na execução das actividades bilidade de facilitar a concessão de as motorizadas de maior cilindra-
ção continuará a baixar em resulta- de residência. industriais, foram situações aborda- vistos para empresários dos dois da que, além de causarem os refe-
do do aumento da produção agrícola A amostra global contou das, em Luanda, pelo director do países, anunciou a secretária de ridos acidentes, são, ao mesmo tem-
bem como dos preços dos produtos com uma representatividade Departamento de Apoio ao Sector Estado para a Cooperação, Ângela po, o principal meio usado pelos
agrícolas nos mercados mundiais. de 49,8% de indivíduos do Privado da Câmara de Comércio e Bragança. No final do encontro foi marginais, sobretudo na capital do
Apesar destes indicadores, o país sexo masculino e 50,2% de Indústria, José Rodrigues Alentejo. aceite pelas partes que a introdu- país, para a prática de assaltos na
ainda perde muitas divisas com a indivíduos do sexo feminino. O responsável referiu que neste domí- ção de facilidades na concessão de via pública, além de apresentarem
importação de bens de primeira Representam 24,5% com 15 nio, existem iniciativas divididas por vistos para empresários vai impul- outros constrangimentos no âmbi-
necessidade, o que encarece a vida a 19 anos, 18,0% com 20 a vários ministérios, o que, na sua opi- sionar a cooperação económica e o to social.
a muitas famílias. 24 anos; 14,5% com 25 a 29 nião, não deveria acontecer. intercâmbio comercial. O responsável, que falava em Nda-
A queda observada na receita petro- anos; 11,1% com 30 a 34 latando, capital do Cuanza-Norte,
lífera, associada a um aumento da anos; 8,8% com 35 a 39 Produção de concentrado de tomate sobre a nova Pauta Aduaneira em
despesa pública, conduziu a um défi- anos; 7,4% com 40 a 44 execução no país desde 2012, infor-
ce orçamental pela primeira vez anos e 15,8% com mais de mou que a decisão de introduzir a
desde 2009, que deverá ascender a 45 anos. referida norma resultou da neces-
4,9% do PIB caso a execução orça- Ao nível do município sidade de travar a importação de
mental atinja 100% no final de 2014. verificou-se que dos 4.200 alguns produtos e melhorar a regu-
“Embora a previsão para 2014 seja inquiridos, 14,5% residentes lação das importações a nível do
favorável atendendo ao aumento em Cacuaco; 17,6% território nacional.
esperado da produção de petróleo residentes na Cazenga; Garcia Afonso salientou que a ideia
não é de prever que o petróleo con- 4,1% residentes na subjacente à nova Pauta Aduanei-
tribua muito mais para o crescimen- Ingombotas; 15,0% ra, nomeadamente através do agra-
to económico, pelo que terá de ser residentes em Kilamba Kiaxi; vamento de algumas taxas alfande-
o sector não-petrolífero a expandir- 12,3% residentes na gárias, é dificultar a importação de
-se rapidamente para fazer com que Maianga; 3,3% residentes DR alguns produtos passíveis de serem
Angola atinja o forte desempenho no Rangel; 6,1% Residentes A não conclusão das obras da fábrica de concentrado de tomate produzidos em Angola, de modo a
registado antes da crise de 2009”, na Samba; 11,9% na Matala, província da Huíla preocupa os agricultores locais. garantir que o país passe de poten-
afirmou Elisa Gamberoni, economis- residentes no Sambizanga e cial importador para potencial pro-
ta do Banco Mundial e principal rela- 15,3% residentes em Viana. Constrangidos com a situação, exigem explicações sobre os dutor, passando a obter excedentes
tora do documento agora divulgado. atrasos na conclusão da mesma. para a exportação.

22 a 11 Julho 2014
Angola e China.
Trocas comerciais
atingem 1,64 mil milhões
As trocas comerciais entre Angola e a China atingiram, em Maio
último, 1,64 mil milhões de kwanzas, mais 8,46 por cento em
relação a idêntico período de 2013, de acordo com dados oficiais
da China, divulgados pelo Fórum de Macau
A China vendeu a Angola bens no valor de na no montante de 717 milhões de dólares,
171 mil milhões de kwanzas (mais 10,39%). uma subida de mais 22,62 por cento, enquan-
A compra de mercadorias, grosso modo to as vendas de bens se cifraram no valor
petróleo, fixou-se em 1,478 triliões de kwan- de 199 milhões de dólares mais 28,36 por
zas (mais 8,24 por cento). cento as compras correspondem a 517 milhões
Durante este período, o comércio entre a de dólares, mais 20,54%.
China e os países de Língua Portuguesa atin- Os restantes países lusófonos como Cabo
giu 5,334 triliões de kwanzas, um acrésci- Verde, Guiné-Bissau, Timor-Leste e São
mo de 9,28 por cento, relativamente ao perío- Tomé e Príncipe efectuaram trocas comer-
do homólogo de 2013. ciais com a China nos primeiros cinco
De acordo com as conclusões do Fórum de meses do ano, na ordem dos 66 milhões
Macau, os dados indicam que, nos primei- de dólares.
ros cinco meses de 2014, a maior economia
da Ásia vendeu aos oito países de Língua Por- DADOS. Angola deve diversificar os parceiros
tuguesa bens no valor de 1,699 triliões de de cooperação, além da China, que não impõe
kwanzas, perfazendo 4,56%, tendo adquiri- condições políticas nem toma medidas eco-
do mercadorias correspondentes a 3,634 tri- nómicas na cedência de empréstimos, defen-
liões de kwanzas, o equivalente a 11,%, com deu em 2008, Dilma Esteves em Lisboa, no
um défice comercial de 1,935 triliões. lançamento do seu livro sobre a dissertação
O comércio com o Brasil ocupa o primei- do seu mestrado, ‘Relações de Cooperação
ro lugar, com as trocas a atingirem 34.173 China-África: O Caso de Angola’.
milhões de dólares, o equivalente a 8,58%. A obra, da responsabilidade da Editora
Angola ocupa o segundo lugar nas transac- Almedina e que será apresentada pelo gene-
ções, enquanto Portugal aparece em terceiro, ral Loureiro dos Santos, reproduz a disser-
com números distantes. A China vendeu a Por- tação de mestrado da autora angolana que
tugal bens no valor de 1.232 milhões de dóla- estudou no Instituto Superior de Ciências
res, mais 28,76% que o período anterior e com- Sociais e Políticas (ISCSP).
prou o correspondente a 663 milhões de dóla- “O que me levou a publicar a dissertação
res, que representa um acréscimo de 20,%. é a actualidade do tema e porque tinha ple-
Moçambique aparece em quarto lugar, ten- na consciência da funcionalidade que ele
do efectuado trocas comerciais com a Chi- poderia vir a ter”, disse.

Chineses e angolanos trabalham juntos na reconstrução do país DR

11 Julho 2014 a 23
// Entrevista
O
Zoom

Ainda não completou 40 anos, em contrapartida tem já publicados treze livros, uma safra marcada por contos, romances e
poesia. Ndalu de Almeida, mais conhecido por Ondjaki, arrebatou vários prémios literários a nível nacional e internacional,
sendo que o seu percurso iniciado em 2000, tem se pautado pela regularidade. Licenciou-se em Sociologia, em Portugal e fez
um doutoramento sobre ‘Estudos Africanos’ em Itália, em 2010. Por outro lado, o escritor entende que “a maior parte dos políti-
cos se esquece de dar prioridade às pessoas a quem servem”

24 a 11 Julho 2014
Ondjaki Não tenho
preocupações com
o reconhecimento
“Há uma fraca tolerância nem em Angola,
nem em outro lugar.
para a crítica que pode ser Isso não é uma
preocupação
que me
aproveitada de maneira acompanha

construtiva”

RÚBIO PRAIA (Entrevista) e a leitura, mesmo para os jovens, não são há uma verdade absoluta entre o que está políticos, de facto, na maior parte do tem-
DUARTE VILLAS (Fotos) uma questão prioritária. Se perguntar a um escrito e as cidades. Tem Ougadougou, Zan- po se esquecem de dar prioridade às pes-
jovem se conhece mais cantores ou mais zibar e Nairobi, as outras são cidades do soas a quem servem. O político esquece que
Encontrámo-nos com o escritor angolano escritores, ele alegará que conhece mais mundo. Penso que é uma obra sobre as pes- ser ministro, ser director de uma institui-
Ondjaki, actualmente a residir no Brasil, cantores, mas a noção que tenho é que algu- soas, sobre os desencontros. Na verdade, ção é para servir este ministério ou insti-
numa das actividades culturais que decor- mas crianças e jovens me lêem. Quem o faz as cidades foram só fintas que dei. tuição. De um modo geral, os políticos, se
reu em Luanda, no início de Junho. O jovem, são os mesmos que lêem Cremilda de Lima, A sua alocução na conferência TEDx Luan- é que alguma vez o fizeram, esquecem-se
que veio à capital do país para o lançamen- da, no dia 14 de da sua prioridade. Há pessoas com menos
to do seu livro de contos ‘Ombela - A Estó- Junho, versou sobre brio profissional, e não vejo os políticos
ria das Chuvas’, anuiu a uma entrevista ao Escrevo em diversos géneros, porque, às as estigas (troça entre preocupados com os problemas que deve-
Agora num dos restaurantes luandenses. dois indivíduos) riam resolver.
A sua linguagem é clara, sem evasivas.
vezes, a história sai como um poema, sobre Angola. Em Esse é um problema geral, não é só daqui.
Prefere não deixar questões por responder, outras vezes como um livro infantil, e que vertentes? Uma postura de um homem que tenho admi-
sugere novos modelos de governação no algumas histórias mais complexas acabam Foi sobre Angola, rado e procuro acompanhar é do presiden-
país e nutre grande admiração pelo traba- não enquanto país. te do Uruguai, José Mujica. Em todas as
lho que desenvolve José Mujica, presiden-
por resultar em romances O que quis dizer é entrevistas dele a que assisto, em todas as
te do Uruguai. Este ‘papão’ de prémios lite- que, na nossa região, suas manifestações públicas, nota-se que é
rários completou 37 anos no dia 5 de Julho John Bella, Dário de Melo e outros autores as estigas, que são discursos orais infantis, uma pessoa que ausculta a população, está
do mês em curso. que escrevem para esta franja. encerram uma descrição social, que per- preocupado em entender os problemas prio-
A obra ‘Ombela - A Estória das Chuvas’ foi mite, por elas mesmas, analisar, às vezes, ritários do povo que governa. Isso é interes-
Há vozes que alegam que o Ondjaki recla- lançada em 2011, premiada em 2012. Depois, alguns dos fenómenos dos processos e pro- sante. Ele é um exemplo para todos os outros
ma reconhecimento a nível nacional. Esta publicou ‘Os Transparentes’, ‘Uma Escuri- blemáticas sociais do nosso país. Julgo isso governantes no mundo, neste momento.
informação é verdadeira? dão Bonita’ (2013) e ‘Sonhos Azuis sobre as incrível, que estas análises cheguem ao dis- Voltando ao passado, em que termos o nível
Não tenho preocupações com o reconheci- Esquinas’ (2014). Estes últimos títulos ain- curso oral feito essencialmente por crian- social nos 80 era muito menos desigual?
mento nem em Angola, nem noutro lugar. da não foram publicados em Angola. Por- ças. É uma sensação que tenho. Em todos os
Isso não é uma preocupação que me acom- quê? Pelas crianças e sobretudo pelo Zé Povi- lugares, as desigualdades sociais podem-se
panha. Não escrevo em função do reconhe- Estes livros não saíram em Angola por pro- nho... configurar de diferentes maneiras. Pode-
cimento. Particularmente, não sinto que blemas contratuais. Estive e estou a resol- Na minha opinião, a estiga ultimamente mos pensar nela meramente do ponto de
não sou reconhecido pelo país. Não estou ver problemas de contrato com a editora não atravessa muitas camadas sociais, não vista económico, quem tem mais dinheiro
preocupado. Texto, e estas obras vão aparecer em bre- estava presa às condicionantes económicas ou quem tem mais acesso ao dinheiro; pode-
Preocupa-se com o quê? ve. das pessoas, porque, durante os anos 80, o mos pensar do ponto de vista do acesso à
Quando escrevo, prioritariamente quero Qual é o fio condutor de cada uma destas nível social da população era muito menos escolaridade, quem tem mais acesso e quem
contar uma história. Escrevo em diversos histórias. – ‘Uma Escuridão Bonita’ e ‘Sonhos desigual. tem menos. Até ao fim do regime monopar-
géneros, porque, às vezes, ela sai como um Azuis pelas Esquinas’? Disse, numa entrevista, que o papel do polí- tidário, 1991, o acesso à escola e à saúde,
poema, outras vezes como um livro infan- Gosto de pensar que o livro ‘Uma Escuri- tico não é só mandar, mas é também o de hospitais, não sofria uma desigualdade tão
til e algumas mais complexas acabam por dão Bonita’ é para todas as idades e, pelo ajudar a resolver os problemas das pessoas acentuada.
resultar em romances. Sobre a questão que formato, como tem ilustrações lá dentro, e melhorar a sociedade. Em Angola, isso Na mudança política que tivemos em 1992,
me colocou, digo-lhe: estou preocupado em que se pareça a um livro juvenil, mas, real- tem acontecido? e com as mudanças económicas que esta
contar uma história. mente, é um livro para todas as idades. É Acompanho a situação política e social de viragem trouxe por arrasto, a desigualda-
Acha que tem sido lido a nível dos leitores uma conversa que se desenrola durante Angola ao longe. É neste sentido que, nal- de social acentuou-se. Vou dizer de outra
infantis, uma vez que arrebatou, em 2012, o uma falta de luz, entre um menino e uma guns momentos, sou mais cauteloso, por- maneira: no mundo, a tendência de um sis-
concurso Prémio Caxinde do Conto Infantil, menina, na Praia do Bispo, em Luanda, den- que é diferente de uma pessoa que vive aqui, tema capitalista é de acentuar a desigual-
com a obra ‘Ombela - A Estória das Chuvas’? tro de uma casa. que acompanha as coisas estando presen- dade social, é o de acentuar as diferenças
Penso que sim. A grande diferença entre ‘Os Sonhos Azuis pelas Esquinas’ é uma obra te. Pessoalmente, tenho estado atento atra-
ser lido aqui e ser lido lá fora é que o livro diferente. São 20 contos, 20 cidades. Não vés da imprensa. Considero que os nossos continua na página 26 >>

11 Julho 2014 a 25
O Zoom // Entrevista
>> continuação da página 25 Se me pergunta o que
e as oportunidades. Posso dizer que nós,
me preocupa, digo
em Angola, vivemos neste sistema. que me preocupa muito
Então, o problema reside no capitalismo? a qualidade de ensino,
O problema essencial não é a questão do
capitalismo. Há muitos tipos de capitalis-
desde o primário, o médio e
mo. Gostaria muito, mas isso é um sonho o universitário
pessoal, que Angola, ou os governantes
angolanos, tivesse optado por um sistema exótica. Uma das coisas a que chamo visão
que permitisse que algumas áreas fossem exótica é a confusão entre país e continen-
de inspiração socialista. te. Sempre dizem: África, África, África. Mas
O que quer dizer com isso? uma coisa é a Namíbia, outra coisa é Ango-
Quanto ao acesso gratuito à educação e à la; uma coisa é Madagáscar, outra é o Egip-
saúde, podemos dizer que, no país, a pes- to. África o que é isso? É um continente. Às
soa pode ir ao hospital, mas a verdade é vezes, querem saber do ponto de vista cul-
que, em certa circunstância, apesar de terem tural sobre a nossa música.
melhorado as unidades hospitalares, quem Qual é a sua definição de uma ‘coisa cha-
tiver um bocadinho de dinheiro vai procu- mada democracia’?
rar uma clínica, quem tem menos dinhei- Em Angola e em todo o mundo, aquilo a
ro é forçado a ir a um hospital. Ora, se um que hoje se chama democracia ainda neces-
hospital fosse melhor que uma clínica, quem sita de ser aperfeiçoado.
tem dinheiro, primeiro iria rapidamente ao Em que termos?
hospital, o que não acontece em Angola. A solução que foi encontrada até agora, aos
Se ficasse doente procuraria assistência timings. Há democracias que apelam ao
médica num hospital público? voto de quatro em quatro anos, ou de cin-
Nunca mais fiquei doente, nem já paludis- co em cinco anos e faz-se uma espécie de
mo apanho, mas, se tivesse um problema contrato. Você vota em mim, confia em mim,
grave e condições financeiras, penso que eu ganho, vou governar, mas, durante os
procurava primeiro por uma clínica priva- quatro/cinco anos de governação, sinto que
da, uma vez que, no meu imaginário, pode não há muito contacto frequente entre o
ser que esteja enganado, a clínica privada eleitor e o eleito.
tem mais condições que um hospital públi- É como se eu lhe desse uma carta branca,
co: depende de onde estiver, do hospital e ou um cheque, e a pessoa dentro de quatro
da província. Por uma coisa simples, a pes- anos fizesse o que bem lhe apetecer. Para
soa pode ir a uma unidade hospitalar. mim, não devia ser assim. Uma das coisas
Em lato senso, que problemas sobre Ango- que devem ser aperfeiçoadas na nossa e nas
la o apoquentam? outras democracias é a manutenção deste
Uma das preocupações que tenho, embora poder, desta responsabilidade, durante o
reconheça que o Governo tem feito um esfor- período do mandato do governante ou do
ço nos últimos anos numa série de áreas partido, o que nos remete para outro tipo
da reconstrução do país, é que o lado mate- de eleições, visto que uma coisa é eleger
rial é mais visível. É inegável dizer que fize- um presidente ou um governo, outra seria
ram estradas, pontes e hospitais. Então, o cada um poder eleger o seu administrador,
cidadão olha e questiona: “se não tínhamos uma espécie de autárquias locais. Ou pode-
uma escola, um hospital, e agora já temos, mos criar outro modelo.
qual será a nossa próxima preocupação”? Resumidamente, qual seria a melhor solução?
Obviamente, estarão preocupados com a Cada vez mais, no mundo, faz-se sentir a
qualidade desta escola, deste hospital, pois necessidade do poder local, em primeiro;
reconstruir ou fazer uma instituição de segundo, do diálogo local. A democracia
ensino depende de dinheiro, vidros e tijo- falha muitas vezes na criação de zonas de
los. Se me pergunta o que me preocupa, diálogo. Eu só faço um diálogo e digo: venha
digo que me preocupa muito a qualidade votar e diga-me em quem você vota. Depois,
de ensino, desde o primário, o médio ao digo: “voltamos a falar dentro de quatro
universitário, e isso leva-nos a reflectir sobre anos”. É esta a democracia que existe aqui
o que será a nova geração. e na América. Digamos que está interessan-
Quando lá fora algumas pessoas se aperce- te, mas tem de se melhorar. Tinha de haver
bem de que é angolano e escritor, o que per- muitos mais mecanismos de controlo ao
guntam? longo da duração do mandato e a possibi-
Normalmente, fazem perguntas políticas. lidade de questionar se a promessa que foi
Se são pessoas informadas, procuram saber feita e o programa que foi apresentado
como estamos politicamente. Sabem que durante o período eleitoral se estão a ser
aqui se vive um sistema que se chama demo- cumpridos naqueles quatro anos. Isso seria
cracia, mas também pretendem saber que um festival.
tipo de democracia é a nossa. Há dois tipos Que autores lhe dão prazer ler e o influen-
de pessoas no mundo: as que abrem a cabe- ciam de algum modo?
ça para conhecer os lugares e as que usam Vario muito. É claro que continuo a ler os
um vasto número de preconceitos que já nossos autores, como Luandino Vieira, Pepe-
têm sobre os mesmos. tela, Boaventura Cardoso, Manuel Rui. A res-
Eu, por exemplo, não sei nada sobre o Cam- posta a esta pergunta é que nem sempre o
bodja ou a Mongólia. Então, devo ter cui- que nos influencia é tão visível quanto às pes-
dado para não cair na visão exótica. É ver- soas pensam. Posso dizer quais os autores
dade que lá fora as pessoas têm uma visão que me dão prazer de ler, mas também os

26 a 11 Julho 2014
que não me dão, e, se calhar, podem influen-
ciar-me também. Estou a lembrar-me de Erri
De Luca, um italiano que publicou ‘Monte-
didio’, que estou a lê-lo, além dos angolanos,
moçambicanos, cabo-verdianos a que consi-
go ter acesso.
Fiquei emocionado com o livro de Afonso
Cruz, cujo título é ‘Para onde Vão os Guar-
da-Chuvas’, conhecia o trabalho dele mais
para crianças e não o trabalho de roman-
ces pesados. Mas, nalguns momentos, é
assim, estamos a ler uma coisa e aprende-
mos com a solução interna que os outros
arranjaram nas suas obras.
Cá por dentro, a literatura angolana está
em ascensão ou declínio?
É assim! Os que já escrevem, os que publi-
cam regularmente, escrevem muito bem,
não há dúvidas em relação a isso. Gostaria
de ver, nos próximos cinco, 10 anos, apare-
cer mais jovens, pois, quando abrimos o
jornal, aparecem a lançar novos livros o
Carlos Ferreira ‘Cassé’, José Luís Mendon-
ça, Carmo Neto, Pepetela, João Maiomona;
são sempre os mesmos. Mas onde andam
as novas escritas? Ainda há uma ascendên-
cia do ponto de vista dos conteúdos e da
criatividade. Estes autores a que me referi
não têm escrito da mesma maneira, não
tenho visto uma mesmice. Noto, pelo con-
trário, uma busca de melhoria de autoco-
nhecimento. A literatura de Manuel Rui
virou-se mais para o Sul, isso depois da paz,
mal a guerra acabou, e os livros dele come-
çam por abordar o Huambo. Os que escre-
vem continuam a fazer um trabalho de pes- vice-versa? Aqui, como diz o outro, criticar O que tem ouvido musicalmente ‘falando’? PRÉMIOS
quisa e automelhoramento. Tenho pena que é sempre ‘male’? Nunca criticar é visto como De Angola, tenho estado a ouvir o que me
não surjam muitos mais escritores jovens- o início de um debate. Sou de opinião que tem chegado: o último trabalho do Nástio, 1. “Actu Sanguíneu” (poesia)
Quando falo de novos, quero falar de ida- temos de mudar isso. da Aline Frazão. O álbum ‘O País que Nas- Menção Honrosa no prémio António
de, não de um novo escritor de 47 anos, Pensa que o Elinga é astético e irrelevante ceu meu Pai’, de Paulo Flores, gostei muito. Jacinto (Angola, 2000)
uma vez que há poucos de 17 a 25 anos a para Luanda? De resto, acompanho outras produções, como 2. “E se amanhã o medo” (contos),
aparecerem. Não é que não haja. Até há. A Do Elinga, só posso falar do ponto de vista de Yuri da Cunha. Como venho deste peque- Prémio Sagrada Esperança (Angola, 2004)
filha do Carmo Neto começou cedo, mas afectivo. Cresci aqui, a ir lá, a primeira vez no estudo que fiz sobre as estigas, interessa- 3. “E se amanhã o medo” (contos),
não estou a falar de uma pessoa. que vi teatro na minha vida foi numa das suas -me muito o rap underground, porque têm Prémio António Paulouro (Portugal, 2005)
O que nos falta como Nação? salas, em 89, 90 e 91. Portanto, as pessoas uma preocupação com a mensagem. O mes- 4. Finalista do prémio “Portugal TELECOM”
Primeira premissa: vai sempre faltar algu- que não querem que o espaço seja destruí- mo reflecte outro tipo de preocupações, das (Brasil, 2007), com “Bom dia Camaradas”.
ma coisa. Segunda coisa: noto que há aqui do amam-no. Antes de abatermos um edifí- condições de vida das pessoas. Em todo o 5. Grande Prémio APE, “Os da minha rua”
uma baixa tolerância para quando um cida- mundo há isso. O rap (contos), (Portugal, 2007)
dão qualquer, independentemente da cor mais comercial é o 6. Finalista do prémio “Portugal TELECOM”
política, critica o Executivo ou uma insti- Qual é papel dos artistas? Não é passar os que considero menos (Brasil, 2008), com “Os da minha rua”.
tuição. As pessoas dizem: “Esse só quer cri- dias a elogiar o Ministério da Cultura, mas sério. 7. Grinzane for Africa Prize - Young Writer
ticar”. Só quer criticar como? Somos cida- sim pensar, reflectir e criticar. Mas é criticar Já que domina as (Etiópia/Italia/2008)
dãos, sentimos falta de um serviço, não palavras, como defi- 8. Prémio FNLIJ 2010 “Literatura em
podemos pedir este serviço? Isso não é cri- na boa. Porém, quando uma pessoa critica ne rap? Língua Portuguesa”, com “Avó Dezanove
ticar, é acusar a ausência de um serviço. no seu próprio país, não será que, em vez O rap é uma arma, e o segredo do soviético” [Brasil]
Outra coisa: não há só críticas negativas,
existem também positivas. Posso chegar
de atacar, quer melhorar? Penso que há entre a denúncia e
a descrição social.
9. Prémio JABUTI, categoria ‘juvenil’,
com o livro “Avó Dezanove e o segredo
junto do Ministério da Cultura e dizer: “isto fraca tolerância para a crítica Não tenho a míni- do soviético” (2010)
e aquilo estão a funcionar bem, falta isto e ma dúvida de que 10. Finalista do Prémio Literário de São
aqueloutro, ou o Ministério da Cultura acha cio, se já não considerarmos as questões arqui- o trabalho que o MC K tem feito ao longo Paulo 2010, com “Avó Dezanove e o
que está perfeito”? Qual é o papel dos artis- tectonicamente históricas, temos de consi- destes anos é importantíssimo do ponto segredo do soviético” [Brasil]
tas? O papel dos artistas não é passar todos derar a relação que a população e os artistas de vista artístico. Não é só ele. Temos o 11. Finalista do prémio “Portugal TELECOM”
os dias a elogiar o Ministério da Cultura; é têm com determinados edifícios. Desconhe- revú, que é o Keita Mayanda, o Ikonoclas- (Brasil, 2010), com“Avó Dezanove...”
pensar, reflectir e criticar, mas é criticar na ço a justificação que o Governo tem para que- ta, o Phay Grande. São bons rappers em 12. Prémio Caxinde do Conto Infantil, com
boa. Mas, quando uma pessoa critica no seu rer demolir o edifício, mas penso que é mui- qualquer parte do mundo. Eles não são só “Ombela, a estória das chuvas” (Angola, 2011)
próprio país, não será que, em vez de ata- to triste que se ignore a relação de afecto que de Angola, são rappers que daqui há alguns 13. Prémio Bissaya Barreto 2012, com
car, quer melhorar? Penso que há aqui uma as pessoas têm com a infra-estrutura. É pre- anos vamos estudar na Sociologia e Antro- “A bicicleta que tinha bigodes” (Portugal,
fraca tolerância para uma crítica que pode ciso respeitar o valor patrimonial e históri- pologia, através das letras deles. Isso não 2012)
ser aproveitada de maneira construtiva. A co de alguns edifícios. Talvez, se assim fosse, é qualquer rapper que faz e não é por ser 14. Prémio FNLIJ 2013 “literatura em
maneira mais fácil é dizer: “esses que ata- não se teriam demolido o palácio Dona Ana nosso. O que eles fazem não é só de alta Língua Portuguesa”, com “A bicicleta que
cam e criticam não gostam não querem Joaquina, para depois reconstruir da mesma qualidade. É importante. Quando uma coi- tinha bigodes” [Brasil]
saber”. Um pai, quando critica um filho, maneira com cimento recente, depois do que sa é importante, ela resiste ao longo dos 15. Prémio José Saramago 2013 (pela
não quer saber dele, ou está a alertá-lo e lá estava - o original ou de raiz. tempos. obra “Os Transparentes”)

11 Julho 2014 a 27
O Zoom // Internacional

Barack Obama vai receber cerca de 50 líderes africanos em Washington FOTOGRAFIAS DR

Cimeira. Presidente Com cerca de 50 líderes convidados para a


Casa Branca – numa lista que inclui o Presi-
dente de Angola, José Eduardo dos Santos –

dos EUA celebra , o encontro é inaugurado por aquilo que os


EUA denominam de “eventos de assinatura”.
Segundo adiantou a secretária de Estado

aniversário com África assistente para os Assuntos Africanos, o


dia da abertura estará focado em “áreas
onde, no passado, os EUA foram parceiros
de África”.
Neste âmbito, antecipa-se a abordagem de Linda Thomas-Greenfield (esq) anunciou
Inicialmente agendada para 5 e 6 de Agosto, a Cimeira EUA- assuntos relacionados com a saúde, a vida o programa da reunião
-África, que será realizada em Washington, vai incluir mais um dia selvagem e a energia.
de trabalho, anunciou, na quarta-feira, a secretária de Estado A estreia do encontro inclui também uma Linda, salientando, neste domínio, a proac-
assistente para os Assuntos Africanos série de pequenos jantares com os Chefes tividade de José Eduardo dos Santos para
de Estado, que terão como co-anfitriões fun- resolver o conflito dos Grandes Lagos. Final-
PAULA CARDOSO EUA completa 53 anos a 4 de Agosto, data do cionários do Departamento de Comércio. mente, o terceiro dossiê incide sobre a demo-
paula.cardoso@agora.co.ao início da reunião. cracia e a governação.
BARACK OBAMA INTERVÉM EM TRÊS DEBATES. “O Presidente manifestou o desejo de pro-
Numa conferência de imprensa realizada via JANTAR DE ESTADO EXTENSIVO ÀS PRIMEIRAS- Para o segundo dia da reunião está marcado mover uma discussão interactiva”, continuou
internet e reservada a jornalistas radicados -DAMAS. Embora ainda não haja qualquer um fórum empresarial, que promete aproxi- a responsável, durante a conferência de
no continente negro, Linda Thomas-Green- indicação sobre o planeamento da festa pri- mar os negócios de cerca de 200 empresas imprensa, acrescentando: “Não estamos a
field revelou que o programa do apelidado vada, a coincidência de calendário deixa adi- africanas e norte-americanas. pedir discursos longos aos Chefes de Estado,
‘Verão africano de Washington’ vai prolon- vinhar uma comemoração menos intimista Mas o ponto alto da programação chega no mas sim um compromisso”.
gar-se não por dois, mas por três dias. entre homólogos africanos. dia do encerramento, com a participação de A secretária de Estado assistente sublinhou
O acerto na ordem de trabalhos, anuncia- Porém, até ver, o único jantar de Estado Barack Obama em três debates. “O primeiro ainda que a Cimeira EUA-África é uma opor-
do na quarta-feira, tem a particularidade de confirmado – no qual as primeiras-damas tem como tema ‘Investindo na próxima gera- tunidade privilegiada para os Chefes de Esta-
cruzar o aniversário de Barack Obama com também poderão marcar presença – está pre- ção, Investindo no Futuro’, enquanto o segun- do partilharem visões. “ Queremos favorecer
a agenda do evento: o Chefe de Estado dos visto para o dia 5. do centra-se na paz e segurança”, avançou o diálogo”.

28 a 11 Julho 2014
PUBLICIDADE

11 Julho 2014 a 29
O Zoom // Internacional

Excesso
de trabalho
mata 1.600
chineses
por dia
A obsessão dos chineses pelo empre-
go está a atingir proporções dramá-
ticas, indicam a China Radio Inter-
national e a China Young Daily.
De acordo com a Radio Interna-
tional, órgão controlado pela Esta-
do, 1.600 trabalhadores morrem
no país todos os dias por falta de
descanso.
O número sobe ligeiramente segun-
do a Youth Daily, que fala em 600
mil mortos anuais, valor que repre-
senta um acréscimo diário de 50
óbitos em relação ao levantamen-
to da Radio.
O fenómeno é de tal forma expres-
sivo que já tem um ‘nome de códi-
go’: guolaosi.

MORTES VISTAS COMO UM BOM


EXEMPLO. As estatísticas, conforme
assinala a revista Bloomberg Busi-
nessweek, tornam-se ainda mais
preocupantes pela forma como têm
A passagem pelo controlo nos aeroportos promete ser mais demorada DR sido recebidas pelos responsáveis.
A história do regulador financei-

Terrorismo. Telemóveis sem ro Lin Jianhua é disso um bom


exemplo: morreu, aos 48 anos,
depois de passar a noite em bran-

carga proibidos de voar co a preparar um relatório. Em vez


de o caso activar alertas para os
excessos e pressões laborais, tem
sido apontado como um exemplo
de dedicação.
Segundo a entidade patronal de
Jianhua, todos deveriam “ser como
ele”, ou seja, “sempre firme nos seus
Sinalizados como potenciais engenhos explosivos à mercê de terroristas, os aparelhos electrónicos ideais e crenças, leal à causa do par-
passaram a estar sob vigilância máxima nos aeroportos com voos directos para o espaço americano tido e das pessoas e à contínua luta,
sacrificando tudo”.
PAULA CARDOSO tário do Departamento de Segurança Inter- companhias aéreas, integram o reforçado
paula.cardoso@agora.co.ao na dos EUA. cordão de segurança.
Numa entrevista ao canal televisivo NBC, o Segundo Jeh Johnson, a Administração de
Se planeia viajar de avião para os EUA, não responsável norte-americano lembrou que Barack Obama está a “partilhar informação
se esqueça de carregar o telemóvel. Esta é “a ameaça terrorista contra os EUA perma- relevante e recente” com os aliados estran-
mais mediática das recomendações que res- nece activa”, exigindo respostas cada vez mais geiros, e a consultar a indústria de aviação
salta das novas regras da Transportation contundentes. para compor esse mapa.
Security Administration (TSA), entidade nor- Neste esforço de concertação, todas as
te-americana que regula a segurança no sec- TELEFONES LIGADOS PARA PROVAR QUE NÃO coordenadas aconselham atenção redobra-
tor dos transportes. SÃO BOMBAS. Além de obrigar os passagei- da nos aeroportos da Europa, África e Médio
Através de um comunicado divulgado no ros a demonstrar que os telemóveis (ou qual- Oriente, conforme sublinha a cadeia britâ-
último fim-de-semana, a TSA anunciou o quer outro gadget) que transportam não são nica BBC.
reforço das medidas de controlo nos aero- engenhos explosivos, a TSA promete intro- A preocupação agrava-se com o número de
portos, antecipando-se uma autêntica caça duzir procedimentos de segurança adicio- jihadistas ocidentais que se deslocaram para
aos aparelhos electrónicos. nais. os campos de batalha, de forma a combater
O cerco aos gadgets sustenta-se nas suspei- As normas “poderão passar por inspecções- pela Frente al-Nusra, na Síria, e pelo Estado
tas de que a Al-Qaeda está a desenvolver bom- -extra ao calçado e pela instalação de mais Islâmico do Iraque e do Levante, no Iraque.
bas de detecção cada vez mais difícil, nomea- detectores de bombas”, enumera a agência Portadores de passaportes ocidentais, estes
damente com recurso a telemóveis. de notícias Reuters. extremistas podem embarcar, com facilida-
“O nosso dever é tentar antecipar o próxi- Mais complicado é ter acesso à lista de cer- de, em aviões rumo à Europa ou em direc-
mo ataque, em vez de nos limitarmos a rea- ca de 12 aeroportos que, em coordenação ção aos EUA, situação que os torna cada vez
gir ao último”, assinala Jeh Johnson, secre- com as autoridades norte-americanas e as mais invisíveis.

30 a 11 Julho 2014
ONU reunida de
Mugabe abre novo capítulo da reforma emergência por causa
agrária com ameaças a ministros de Israel e Palestina
Após mais uma noite de bombar-
deamentos aéreos na Faixa de Gaza,
o Conselho de Segurança das Nações
Unidas reuniu ontem de emergên-
cia, em busca de uma solução para
o mais recente ‘barril de pólvora’
do conflito israelo-palestiniano.
Conforme explicou o secretário-
-geral da ONU, Ban ki-moon, a convo-
catória impôs-se porque “Gaza está
no fio da navalha” e há risco de a
situação “ficar fora de controlo”.
Na noite de quarta-feira, Israel fez
ataques a 322 alvos em Gaza que,
segundo fonte médica, causaram a
morte de pelo menos 20 pessoas. O
Hamas respondeu na madrugada
de ontem, com o lançamento de
rockets contra Telavive.

A deriva racial do Presidente do Zimbabué não conhece tréguas DR Banco do Vaticano


reformado em três anos
Quase 15 anos depois de ter iniciado o pro- um novo capítulo no controverso programa cionais que “andem em jantares com os
cesso de reforma agrária, assente no pressu- de reforma agrária do país. brancos”. Descredibilizado por uma série de
posto da expropriação dos agricultores bran- Apesar de o sindicato do sector garantir que O aviso de Mugabe, que aos 90 anos cum- escândalos de corrupção e lavagem
cos e redistribuição das terras pelos negros, o Zimbabué alberga no máximo 150 agricul- pre o 5.º mandato presidencial, ouve-se numa de dinheiro, o Instituto das Obras
o Presidente zimbabueano relançou a toada tores brancos – contra os cerca de 5.000 que altura em que se avolumam os rumores sobre Religiosas – mais conhecido por
nacionalista. existiam no início das expropriações – Mugabe a cedência da exploração de terras a bran- Banco do Vaticano – avança para
“Dizemos não aos brancos que insistem em parece combater uma praga. cos, por parte dos políticos negros. uma reforma profunda, que deve-
possuir a nossa terra. Aliás, vão-se embora... “Tenho uma lista de 35 ‘farmers’ (fazendei- Segundo noticia o jornal Herald, o Presi- rá estar concluída em três anos.
podem ter empresas e apartamentos, mas ros) brancos só nesta província de Mashona- dente do Zimbabué relembrou que a refor- Os pormenores do projecto foram
não o solo. Esta mensagem deve soar alto e land West”, apontou o líder de Harare, pro- ma agrária foi lançada para reparar injus- revelados na quarta-feira, numa con-
bom som no Reino Unido e nos EUA”. metendo tolerância zero para os incumpri- tiças sociais, devolvendo aos nacionais as ferência de imprensa conduzida pelo
dores. terras que nunca lhes deveriam ter sido cardeal australiano George Pell, nomea-
DE 5.000 PARA 150 AGRICULTORES BRANCOS. retiradas. do pelo Papa Francisco em Fevereiro,
Com estas palavras, recém-proferidas num MINISTROS NA MIRA DE MUGABE POR JANTA- O há 34 anos líder de Harare aproveitou para liderar a Secretaria da Economia.
discurso realizado perante agricultores da REM COM EXPROPRIADOS. Além dos ataques ainda para atacar os britânicos, afirmando De acordo com este responsável, o
cidade mineira de Mhangura – situada a cer- aos resistentes, o Presidente não poupou os que, apesar dos “truque sujos” para boico- Banco deverá desfazer-se da área de
ca de 200 quilómetros da capital, Harare –, seus correligionários, ameaçando retirar as tar os planos zimbabueanos, a justiça foi investimentos, concentrando-se na
o Chefe de Estado anunciou a abertura de terras a todos os ministros e líderes tradi- cumprida. sua missão original: gestão de con-
tas de instituições religiosas e envio
de dinheiro da Santa Sé para as mis-
Europa acusada de atentar sões e dioceses de todo o mundo.

contra a vida de milhares de imigrantes 10 milhões de dólares


Num relatório de 44 páginas, apresentado A ONG refere ainda que, ao contrário da terrâneo irregularmente em 2013, provenien- para combater o Ébola
na quarta-feira, a ONG Amnistia Internacio- ideia que se tenta veicular, a atracção pela tes da Síria, Eritreia e Somália”, aponta a AI.
nal (AI) acusa a União Europeia de “pôr em Europa não tem uma motivação marcada- O plano de acção para neutralizar
perigo a vida e violar os direitos dos refugia- mente económica. 23 MIL VÍTIMAS MORTAIS DESDE 2000. O levan- o vírus do Ébola exige um financia-
dos e imigrantes”, que, desesperadamente, “Muitos dos que morreram estavam a ten- tamento da AI, apoiado em dados extraídos mento de 10 milhões de dólares, con-
procuram uma porta de acesso ao Velho Con- tar escapar à violência e perseguição, como do projecto jornalístico ‘The Migrants Files’, cluíram os cerca de 550 especialis-
tinente. quase 60% dos que cruzaram o centro do Medi- recorda que, desde 2000, já morreram 23 mil tas em Saúde, que, no final da sema-
“Para superar os obstáculos criados, os imi- pessoas enquanto procuravam alcançar a na passada, aprovaram a estratégia
grantes tentam rotas muito mais perigosas”, Europa. de combate à febre hemorrágica.
assinala o documento, lamentando que o blo- A maioria das vítimas, segundo acrescenta Após dois dias de discussão, em
co europeu prefira gastar três vezes mais a blin- a ONG, desaparece nos mares Mediterrâneo Accra, capital do Gana, os represen-
dar as suas fronteiras, do que a criar políticas e Egeu. “Muitos imigrantes morrem afoga- tantes de 11 estados africanos – mobi-
de protecção e acolhimento para os refugiados. dos nestas viagens”, constata a AI, adiantan- lizados por serem os mais vulnerá-
do que também há relatos de pessoas asfixia- veis à proliferação da epidemia –,
POLÍTICOS PREFEREM EXCLUIR EM VEZ DE INTE- das em camiões, nomeadamente nas frontei- assumiram o compromisso de imple-
GRAR. “O foco dos decisores da Europa per- ras turcas. mentar um plano de 22 pontos.
manece na exclusão: construir cercas mais O caso mais alarmante observa-se na fron- A lista inclui, entre outras medi-
altas, instalar mais equipamentos de vigilân- teira entre a Bulgária e a Turquia: 1.700 pes- das, o lançamento de campanhas
cia e aumentar o policiamento das frontei- soas atravessaram estes limites de forma ile- de sensibilização junto da popula-
ras”, lê-se no relatório, reproduzido no site gal em 2012, número que disparou para 11.158 ção, e a melhoria das condições para
da organização. Cerco aos imigrantes em Mellila, Espanha em 2013. tratamento dos doentes.

11 Julho 2014 a 31
// Desporto
R
Mais

Girabairro. A força MATEUS XAVIER


mateusxavier.golasso@gmail.com
TOM CARLOS(Fotos)
ocupar os tempos livres da juventude, sobre-
tudo na perspectiva de retirá-los das práti-
cas menos correctas, como é o consumo de

do futebol que vem


drogas e de bebidas alcoólicas e do crime”,
Dezassete anos depois, desde que no longín- acrescentou.
quo ano de 1997 passou a fazer parte do lazer

dos musseques
dos angolanos, o Girabairro jamais voltou a ORGANIZAÇÃO. Volvidos 17 anos de disputa da
ser o mesmo. A maior competição de futebol prova, a organização sente-se extremamente
de bairro cresce a olhos vistos e hoje repre- satisfeita pelo ‘papel social’ que também desem-
senta a principal alternativa aos inúmeros penha o projecto fundado pelo Movimento
talentos que não encontram oportunidade Nacional Espontâneo (MNE), na vida de cen-
no Girabola, a principal liga de futebol do tenas de futebolistas envolvidos no torneio.
nosso país, organizada pela FAF. Os níveis de organização são manifestamen-
Jogado entre pelados e relvados dos ‘mus- te superiores aos verificados no passado.
seques’, por todo o território nacional, o Gira- “As pessoas têm a prova como o principal
bairro tem a particularidade de superar o meio de sustento para as respectivas famí-
concorrente Girabola, pela grande extensão lias. Não se pagam contratos, mas existem
territorial que ela alcança. prémios de jogos, e a coordenação atribui
O papel fundamental que exerce a maior competição de futebol de “O torneio cobre o vazio deixado pelo Gira- também prémios aos vencedores da prova,
bola naquelas províncias, onde não existe goleadores e árbitros”, sublinha Isaac dos
bairro no país está muito bem patente no actual número de representante no principal campeonato de Santos.
praticantes que arrasta a prova sob égide do Movimento Nacional futebol do país”, esclarece Isaac dos Santos, Ainda de acordo com o coordenador pro-
Espontâneo. A primeira edição foi realizada em 1997, na altura secretário para a informação e coordenador vincial da competição de futebol de bairro
com um número reduzido de equipas. Hoje, o Girabairro chega a provincial do Girabairro. mais mediática do país, “há pessoas que tive-
movimentar mais de 200 formações, nas 18 províncias “A competição surgiu com o objectivo de ram, no Girabairro, o primeiro emprego e

32 a 11 Julho 2014
O torneio de futebol de bairro organizado Época’2014
em todo o país pelo Movimento Nacional
Espontâneo é a maior montra de desco-
berta de jogadores, técnicos, árbitros e LUANDA INSCREVE
dirigentes desportivos APENAS 48 EQUIPAS

A presente edição do
Girabairro/Taça do Presidente,
fase provincial de Luanda, está
a ser disputada por 48
equipas, um número
considerado razoável pelo
dirigente do Movimento
Nacional Espontâneo, pois, na
sua óptica, esta província
devia ter mais equipas a
participarem no torneio.
Isaac dos Santos considerou
os custos que esta
mobilização desportiva
acarreta uma das razões de
recuo de muitos dirigentes de
clubes, porque, a princípio,
tudo sai dos seus bolsos,
numa prova em que eles não
sabem se vão vencer ou não.
“No meu entender, não digo
que 48 equipas, que se
inscreveram para disputar a
presente edição, sejam
poucas, mas também não são
muitas, na medida em que
Luanda podia ter muito mais.
Mas, como tudo isso tem
custos e muitos dos ‘carolas’
que são donos ou dirigentes
das equipas nem sempre
conseguem suportar as
despesas, isso leva-os a
desistirem de participar”,
justificou.
O secretário para a informação
do Girabairro corrobora com o
secretário-geral do MNE,
Sousa Azevedo, pois acredita
que, independentemente de
se tratar de um torneio
amador, tem custos ligados à
compra de equipamentos,
conseguiram formas de financiamento dos dor do Progresso do Sambizanga, Yano, des- números conseguidos pela coordenação transporte de atletas, saúde,
seus estudos. coberto também no referido torneio. “É uma provincial das ‘terras do bago vermelho’, alimentação e outros factores
“A competição não tem apenas o cunho des- prova com muitas valências e que tem ser- na primeira realização da fase nacional da tidos como essenciais para
portivo, mas também social. Há jovens que vido de rampa de lançamento para muitas competição. uma boa participação.
encontraram aqui o primeiro emprego e paga- carreiras”. Os clubes inscrevem 30 jogadores por épo- A 17.ª edição do Girabairro,
ram os estudos. Os próprios donos dos clu- ca, nas mais diversas fases da competição, fase provincial de Luanda, teve
bes ajudam na concretização do sonho dos REPRESENTATIVIDADE. A província do Uíge nomeadamente a municipal, provincial e nacio- início com a disputa da partida
miúdos, na perspectiva académica e profis- conserva, igualmente, o maior recorde de nal. Fruto desta grande adesão que domina de abertura entre as equipas
sional, ao invés de pagarem contratos”. inscrição de equipas na prova. Mais de 150 o torneio de futebol de bairro, setenta por cen- da Sonils FC e o Arounds FC,
Em contrapartida, a experiência não tem equipas inscritas numa só edição foram os to das equipas que disputam o torneio de apu- jogo que terminou empatado a
beneficiado apenas os atletas. Segundo Isaac ramento ao Girabola, vulgarmente conheci- zero bola.
dos Santos, há exemplos de dirigentes des- “O campeonato tem uma do por ‘Liguilha’, são oriundas do Girabairro. A realização do campeonato
portivos que ganharam projecção na carrei- tem sido pautado por uma
ra por esta competição, casos de Domingos
excelente movimentação de ABERTURA. A cerimónia de lançamento da excelente movimentação de
António e António Caleia. massas, para a descoberta 17.ª edição do Girabairro ficou marcada com massas, para a descoberta de
de novos valores, a nível de o pagamento dos prémios concernentes ao novos valores, quer a nível de
CONTRIBUTO. A figura de ‘montra’ do futebol vencedor, ao finalista vencido, ao melhor mar- atletas, quer de árbitros em
angolano, que desempenha o Girabairro em
atletas e árbitros” cador e ao guarda-redes menos batido da edi- todo o país.
todo o país, tem beneficiado grandemente o ção anterior (2013). Coube ao MNE, repre- Inácio Cândido, que esteve no
Girabola. A prova é também o principal for- “O Inácio Cândido, que sentado pelo secretário-geral, Sousa Azeve- Mundial de 2010, na África do
necedor de árbitros e talentos para o princi- esteve no Mundial de do, encabeçar o evento que antecede a disputa Sul, é um dos juízes que
pal campeonato de Angola. O árbitro inter- da presente temporada, cuja fase nacional emergiram do maior torneio de
nacional Inácio Cândido, cotado como um
Futebol de 2010, na África está agendada para a próxima semana. futebol de bairro.
dos melhores, é um ‘produto’ das ‘escolas’ do do Sul, emergiu deste O campeão em título, Sonils FC, recebeu de
Girabairro, bem como o avançado e golea- torneio, o Girabairro” prémio um milhão e duzentos mil kwanzas.

11 Julho 2014 a 33
R Mais // Desporto
RESULTADOS 17.ª JORNADA CLASSIFICAÇÃO DO GIRABOLA 2014
CARTÃO
AMARELO
Benfica da Lda 2 - 0 União do Uíge TOTAL CASA FORA
B. do Maquis 2-2 Kabuscorp
P J V E D G J V E D G J V E D G
Petro de Lda 2 - 0 Sport. de Cabinda
Interclube 0 - 2 ASA 1. Recreativo do Libolo 45 17 14 3 0 24-5 9 7 2 0 10-1 8 7 1 0 14-4 MATEUS
R. da Caála 0 - 0 1º de Agosto 2. Benfica de Luanda 36 17 10 6 1 18-7 8 6 1 1 10-3 9 4 5 0 8-4 XAVIER
Benfica do Lgo 1 - 3 R. do Libolo 3. Kabuscorp do Palanca 34 17 10 4 3 28-18 9 7 1 1 17-10 8 3 3 2 11-8
Progresso 0 - 0 Sagrada Esperança 4. 1º de Agosto 29 17 9 2 6 27-16 9 6 1 2 14-6 8 3 1 4 13-10
1º de Maio 1 - 1 Desportivo da Huíla 5.
6.
Bravos do Maquis
Sagrada Esperança
28 17
28 17
7
7
7
7
3
3
19-13
16-10
9
9
5
4
3
3
1
2
14-8
9-5
8
8
2
3
4
4
2
1
5-5
7-5 ‘Quo vadis’
18.ª JORNADA
Benfica de Lda - 1º de Maio 11/07, 17h00
7
8.
9.
Petro de Luanda
ASA
Progresso
27 17
22 17
21 17
7
7
5
6
1
6
4
9
6
26-17
19-18
17-19
8
9
8
4
6
3
4
0
3
0
3
2
15-5
14-7
9-7
9
8
9
3
1
2
2
1
3
4
6
4
11-12
5-11
8-12
Interclube
R. do Libolo - Petro de Lda 13/07, 15h00 10. Sporting de Cabinda 21 17 5 6 6 17-19 9 3 4 2 9-5 8 2 2 4 8-14
U. do Uíge - Interclube 12/07, 15h00 11. Recreativo da Caála 18 17 4 6 7 15-15 8 3 3 2 12-5 9 1 3 5 3-10
S. Esperança - R. da Caála 13/07, 15h00 12. Desportivo da Huíla 18 17 5 3 9 16-24 9 4 0 5 9-14 8 1 3 4 7-10
Sporting - Progresso 12/07, 15h00 13. Interclube 16 17 5 1 11 13-26 8 2 0 6 6-12 9 3 1 5 7-14
ASA - Benfica do Lgo 13/07, 15h00 14. 1º de Maio de Benguela 13 17 2 7 8 11-20 8 1 5 2 7-9 9 1 2 6 4-11
Kabuscorp - D. da Huíla 12/07, 16h00 15. Benfica do Lubango 9 17 2 3 12 10-32 8 1 3 4 8-15 9 1 0 8 2-17
1º de Agosto - B. do Maquis 13/07, 17h00 16. União Sport do Uíge 7 17 1 4 12 9-26 8 1 3 4 4-6 9 0 1 8 5-20

O Interclube protagoniza a pior épo-


MELHORES MARCADORES ca dos últimos quatro anos de pre-
Ary Papel (1º de Agosto) 10 Petro coloca à prova o Libolo sença na maior competição de fute-
Patrick II (Sagrada) 10 bol do país, o ‘nosso’ Girabola. A
Meyong (Kabuscorp) 9 equipa da Polícia Nacional revela
Bissio (ASA) 6 a impotência para poder reagir em
Dário (Recreativo do Libolo) 6 conformidade.
Rasca (Benfica de Lda) 5 A viver hoje, o ‘espectro negro’
Mano (Progresso) 5 da despromoção - que a aconte-
Luís (Sporting de Cabinda) 5 cer seria o descalabro total para
um clube que já ergueu o título
em duas ocasiões - a direcção
encabeçada por Fernando Alves
Campeão espera Simões pode estar a pagar o pre-
ço da teimosia. Avisado sobre os
provar favoritismo perigos de deixar sair do 22 de
Junho jogadores influentes na
KABUSCORP DO PALANCA ‘manobra da equipa’, o presiden-
DESPORTIVO DA HUÍLA te do Interclube terá feito ‘ouvi-
dos de mercador’ e a posição des-

AMPE ROGÉRIO
Estádio: Coqueiros
prestigiante que ocupa no Gira-
O Kabuscorp é obrigado a justificar bola é a consequência natural das
amanhã o favoritismo que lhe é atri- inúmeras fragilidades que espe-
buído no jogo frente ao Desportivo lham a longo do campeonato.
da Huíla. Os dois conjuntos empa- O Libolo protagoniza amanhã, em Calulo, diante do Petro de Luanda, o jogo mais aguardado Como resultado disso, a equipa
taram na jornada anterior e vivem da 18ª jornada do Girabola. É o primeiro grande teste de ‘fogo’ à capacidade competitiva e for- está de rastos, perdeu o ‘norte’,
a pressão dos adeptos que esperam como soe dizer-se, e nem a troca
melhor atitude. Muito mais pres- ça colectiva dos actuais líderes do campeonato, nesta segunda volta. A turma orientada por sucessiva de treinadores pode aju-
sionado, está o campeão em título, Miller Gomes está muito motivada com a série ininterrupta de vitórias, ao passo que os petro- dar a salvar o ‘barco’ de um imi-
que corre o risco de perder a con- nente ‘naufrágio’.
líferos esperam confirmar o bom momento, quebrando a invencibilidade ao adversário.
corrência. Um jogo em grande pers- O facto é que os sócios, que na
pectiva. Aguarda-se por um jogo emotivo e bastante disputado, no estádio de Calulo. sua maioria são polícias, já estão
fartos de ver o seu dinheiro cair
Militares querem para os cofres de um clube que,

manter regularidade Jogo entre aflitos desde 2010, não tem brindado os
seus adeptos de grandes emoções.
Se, por um lado, a entrada de Ilian
1º DE AGOSTO Iliev ao comando técnico nada
BRAVOS DO MAQUIS UNIÃO DO UÍGE trouxe de novo à equipa, por outro,
Estádio: 11 de Novembro INTERCLUBE a posição tremida na classifica-
Estádio: 4 de Janeiro ção pressiona a direcção a tomar
O embate entre o 1º de Agosto e o uma decisão, antes que seja dema-
Bravos do Maquis acontece domin- No jogo entre duas equipas ‘aflitas’, siado tarde.
go, no Estádio 11 de Novembro. O apenas sairá vencedora aquela que Como nota de rodapé, não podia
conjunto militar vai procurar apro- menos erros cometer. Nesta deslo- deixar de lamentar a crise que se
veitar ao máximo o ‘factor casa’ para cação ao terreno do União Sport do instalou no Benfica do Lubango.
conquistar os três pontos e distan- Uíje, o Interclube não deverá encon- Como acreditar que uma equipa
ciar-se do adversário. Aguardado trar facilidades, dado o período de que tenha ‘discutido’ tanto para
AMPE ROGÉRIO

com enorme expectativa, o jogo pressão que também vive o conjun- estar no Girabola, hoje ameaçar
envolve duas equipas do topo da to uigense, na última posição da desistir da competição, por incapa-
tabela de classificação do ‘Gira’. tabela de classificação. cidade financeira?!

34 a 11 Julho 2014
Basquetebol. Girabola.
Benfica do
Aníbal rectifica Lubango à beira
da desistência
convocatória para A equipa huilana, depois de aver-

o Mundial da Turquia bar uma derrota por falta de com-


parência na partida a contar para
16.ª jornada do Campeonato Nacio-
nal de Futebol, ante o Sporting de
Cabinda, vive momento de ‘agonia’
e, actualmente, a dívida para com
funcionários, jogadores e outras está
Nacissela Maurício e Catarina Camufal foram avaliada na ordem dos 33 milhões
de Kwanzas e que há apenas con-
‘repescadas’ pelo seleccionador nacional que anunciou dições para se fazerem os jogos em
a convocatória durante a conferência de imprensa casa até ao dia 15 de Julho. Termi-

TOM CARLOS
realizada ontem nas instalações da Federação nando este prazo, anunciar-se-á a
desistência, caso não haja altera-
Angolana de Basquetebol (FAB). O Campeonato do ções do quadro.
Mundo da Turquia decorre de 27 de Setembro a 5 de Paulo Alexandre, secretário-geral da As águias do Lubango podem falhar
Outubro deste ano federação a deslocação à província de Luan-
da, para defrontar o Atlético Sport
MÁRIO SILVA
mario.silva@agora.co.ao
“Ártemis e Mafalda são duas basquetebo-
listas que, na verdade, temos conhecimentos
Fequangola. Aviação (ASA).

O seleccionador de basquetebol feminino aca-


da evolução das mesmas, realizaram uma
boa época nos campeonatos que actuam, sen-
Angola ‘espreita’
ba de rectificar a lista de convocados inicial- do assim merecem a nossa confiança”, justi- admissão na
mente anunciada, visando o Mundial deste
ano, na Turquia. As veteranas Nacissela Mau-
ficou Aníbal Moreira.
“É preciso termos os pés bem acentos no
Federação Equestre
rício, do 1.º de Agosto, e Catarina Camufal,
do Interclube, que antes não faziam parte
chão. Sabendo quais são as nossas capacida-
des, é evidente que teremos, no Campeonato
Internacional
dos planos de Aníbal Moreira, foram convo- do Mundo, adversários com níveis competi-
cadas e devem integrar o grupo de potenciais tivos bastante elevados. Nessa nossa estreia,

DR
candidatas a ajudar a selecção a conseguir vamos, acima de tudo, representar bem alto
uma boa campanha.
Aníbal Moreira convocou as seguintes atle-
o nome do basquetebol angolano e africano”,
disse. A equipa de todos os angolanos vai, este
Andebol.
tas: Nacissela Maurício, Fineza Eusébio, Ana
Gonçalves, Helena Zuma, Sónia Guadalupe,
ano, marcar presença pela primeira vez numa
fase final de um Campeonato do Mundo. Os
Selecção vai
Roda Gala, Luísa Tomás e Letícia André (1.º trabalhos de preparação devem começar a 4 A Federação Angolana de Desporto Eques- ao torneio
de Agosto); Rosimara Daniel, Clarisse Mpaka,
Mereciana Fernandes, Nadir Manuel, Cata-
de Agosto próximo, em Luanda, e, no dia 27,
a Selecção parte para Lisboa, onde vai ser rea-
tre (Fequangola) fica a saber, em Dezem-
bro, a aprovação ou não da sua candidatu-
da Hungria
rina Camufal, Ngiendula Filipe e Helena Vei- lizada a segunda etapa do estágio. De acordo ra para membro da Federação Equestre
gas ( Grupo Desportivo Interclube); Ártemis com o plano de preparação, o cinco nacional Internacional (FEI), durante a Assembleia- A Selecção Feminina de Andebol
Afonso e Mafalda Barcelos, ambas militam têm também agendado um estágio pré-com- Geral do órgão-reitor mundial, a realizar disputa, de 7 a 11 de Agosto, na Hun-
no basquetebol português, e Whitney Miguel petitivo em Espanha, antes de rumar para o em Baku, Azerbaijão. A responsável do gru- gria, o Torneio das Quatro Nações,
que joga em França. palco do campeonato. po IX da FEI, Mary Binks disse, em conferên- no quadro da preparação para o tor-
cia de imprensa, realizada no passado fim- neio pré-olímpico. Esta prova pode
de-semana, que os centros hípicos do país marcar a estreia do seleccionador
detêm terrenos e cavalos apropriados para nacional, João Florêncio, que, actual-
um crescimento rápido deste desporto, per- mente, comanda os destinos da Selec-
mitindo competir com outras similares. ção Portuguesa no Campeonato do
A dirigente acrescentou que se trata de uma Mundo júnior feminino da Croácia.
disciplina que, independentemente de não O torneio pré-olímpico é qualifi-
estar inserida nos Jogos Olímpicos, já tem o cativo para os Jogos Olímpicos do
seu campeonato do mundial e campeonatos Rio de Janeiro, em 2016.
típicos a envolver jovens. Fazem parte da pré-convocatória
Durante a visita ao país, os representantes do conselho técnico da federação
do órgão-reitor mundial visitaram os centros as atletas: Albertina Kassoma, Caro-
hípicos da Funda, Lubango e Namibe. Os lina Morais, Isabel Guialo, Joelma
membros da Federação Equestre Internacio- Viegas, Juliana Machado, Lurdes
nal saíram satisfeitos com as condições encon- Monteiro e Sílvia Mulabo (1º de Agos-
tradas. Segundo Paulo Alexandre, secretário- to), Azenaide Carlos, Iracelma Sil-
-geral da Fequangola, o órgão-reitor aposta va, Luísa Kiala, Magda Cazanga,
na formação de treinadores, juízes, ferrado- Marta dos Santos, Natália Bernar-
AMPE ROGÉRIO

res e na captação de talentos. O secretário- do, Ríssia Oliveira, Teresa Almeida


geral da federação fez saber que o seu elen- e Patrícia Barros (Petro de Luanda),
co vai apostar na preparação de atletas por- Lisandra Salvador (Marinha de Guer-
Nacissela Maurício, capitã da Selecção, faz parte da ‘operação’ Turquia tadores de deficiência. ra) e Ivete Simão (Progresso).

11 Julho 2014 a 35
R Mais // Mundial do Brasil 2014
FIFA SUSPENDE informou, em comunicado, que

‘Escrete’ tenta chegar FEDERAÇÃO DA


NIGÉRIA
a decisão é posterior aos
contactos realizados junto da

ao pódio na discussão O Comité de Emergência da


FIFA decidiu na última quarta-
federação argentina e do Real
Madrid.
“Será cumprido o momento de

pelo terceiro lugar feira suspender a Federação


Nigeriana de Futebol (NFF), com
efeitos imediatos, devido a
silêncio e uma fotografia sua
será mostrada nos ecrãs
gigantes do estádio”, refere a
interferência governamental, nota, onde explicita que a
informou o organismo selecção argentina usará
Digerida que está a pesada e estrondosa derrota consentida no jogo frente à internacional, em comunicado. fumos negros no equipamento.
Alemanha, nas meias-finais, o Brasil procura amanhã, diante da Holanda, A 4 de julho de 2014, a FIFA Presidente honorário do Real
arrebatar a medalha de bronze e despedir-se do Mundial de ‘cabeça erguida’ tinha enviado uma carta à NFF Madrid, Di Stéfano, morreu na
a expressar “grande segunda-feira passada, dia 7, em
MATEUS XAVIER gem assombrada da paupérrima da competição de ‘mãos vazias’. Madrid, com 88 anos, na
preocupação” com a decisão de
mateusxavier.golasso@gmail.com exibição, que resultou na justa eli- Uma medalha de bronze já servi- sequência de uma paragem
um tribunal local que impediu o
minação da final deste domingo, ria de consolação para os milhares
presidente do organismo, o cardiorrespiratória.
Antes o terceiro lugar, do que abso- dia 13. de adeptos ‘levarem para casa’ como
comité executivo e a Nascido na Argentina a 4 de
lutamente nada. Este pode ser o Espera-se, no entanto, por uma recordação de um Mundial, em que
assembleia-geral de gerirem o Julho de 1926, Di Stéfano jogou
sentimento que carrega a selecção selecção brasileira que consiga ser o Brasil fracassou nos objectivos.
futebol nigeriano. no River Plate e no Huracán, no
do Brasil para o jogo de amanhã, capaz de recuperar a sua identida-
Essa mesma decisão do tribunal Millonarios, da Colômbia, e
com a Holanda, na discussão pelo de futebolística. As exibições ‘apa- HISTÓRICO. Ainda que muito custe,
terceiro lugar do Mundial. Recupe- gadas’ têm sido motivo para mui- os jogadores do Brasil muito difi- pedia ao ministro nigeriano dos esteve 11 anos ao serviço do Real
rados da inesperada humilhação tas críticas da imprensa local, e mui- cilmente conseguirão tirar da memó- desportos para indicar uma Madrid, entre 1953 e 1964, antes
sofrida nas meias-finais, diante da tas das quais já vaticinavam o ria a forma humilhante como foram pessoa para gerir a NFF de terminar a carreira de
forte Alemanha, os pupilos de Feli- afastamento da selecção do jogo da afastados da final do Mundial que enquanto o caso não fosse jogador no Espanyol de
pe Scolari tentam jogar pela ‘hon- final. Amanhã tudo pode ser dife- organizaram. Podem-se escolher julgado, sem indicar contudo Barcelona, em 1966.
ra’ e ‘dignidade’ na prova que orga- rente para o técnico Felipe Scolari diferentes títulos para narrar a eli- uma data para a audição.
nizam. O ‘Escrete’ está disposto a e jogadores. Pior do que a ausência minação da selecção brasileira: ‘a A pessoa indicada pelo JORNALISTA
provar que a pesada derrota fren- na final é o ‘regresso a casa’ ou adeus derrota mais avassaladora que já governante decidiu convocar ARGENTINO MORTO
te aos alemãs foi um ‘acidente de sofreu’; a ‘meia-final da Copa mais uma AG extraordinária para 5 EM SÃO PAULO
percurso’ e que alguém terá de pagar desigual de todos os tempos’; o ‘fim de Julho, o que, de acordo com
por isso. do caminho para ser campeão pela Um jornalista argentino, Jorge
Novamente sem a sua principal
Pior do que a sexta vez’.
a FIFA, viola os estatutos da
Luis López, de 38 anos, que
NFF, sendo que havia eleições
estrela em campo, Neymar, que des- ausência na final de Foi tudo isso e mais alguma coi- inicialmente marcadas para 26 estava no Brasil a fazer a
pediu-se mais cedo da prova, em domingo é o adeus sa. E quase tudo, essencialmente, de Agosto próximo. cobertura do Mundial, morreu
virtude de uma lesão na coluna, o nascido dos primeiros seis minu-
Brasil pode contar com o regresso
na competição de tos do jogo com a Alemanha. Os
“Esta suspensão será levantada na madrugada de quarta-feira,
mal as decisões do tribunal 9, em São Paulo, na sequência
do capitão Thiago Silva, facto que ‘mãos vazias’. O minutos eleitos com sendo os mais
sejam retiradas e que a de um acidente de viação.
ajuda a renascer a esperança numa bronze já serviria trágicos da história do Brasil. “Quan-
comissão executiva, a A sua esposa apenas teve
prestação melhor, que ajude a apa- do levamos aqueles golos em sequên-
gar da memória dos adeptos, ain-
para a consolação dos cia, eu soube que não tinha mais
assembleia-geral e a direcção, conhecimento da morte do
da que por alguns instantes, a ima- adeptos e da selecção jeito”, disse Scolari. legalmente eleitas, possam marido através do Twitter do
trabalhar sem quaisquer treinador do Atlético de Madrid,
interferências”, lê-se no Diego Simeone.
comunicado da FIFA. “Não se foi apenas um grande
Esta decisão impede as jornalista. Foi-se também um
selecções e os clubes nigerianos amigo. Muita dor. Minhas
de participarem em qualquer condolências a Verónica Brunati
prova internacional, ficando a e família. Descanse em paz,
equipa sub-20 impedida de Jorge “Topo” López”, escreveu
estar no Mundial sub-20 Diego Simeone na sua conta na
feminino, se a suspensão não rede social.
for levantada até 15 de Julho Cerca de uma hora depois,
(terça-feira). Verónica, a esposa do jornalista,
respondeu: “Diego, não me
UM MINUTO DE digas isso”. “Por favor, sou a
SILÊNCIO POR mulher de Topo. Alguém me
DI STÉFANO ligue, estou no hotel Quality
Jardim, em São Paulo”,
A FIFA anunciou o escreveu depois Verónica
cumprimento de um minuto de Brunati, também jornalista, na
silêncio no jogo da segunda sua conta no Twitter,
meia-final, entre Argentina- acrescentando o seu número de
Holanda, em homenagem ao telefone e do quarto do hotel.
antigo futebolista Alfredo Di O argentino, que trabalhava para
Stéfano, imediatamente antes da a rádio “La Red”, estava a
segunda partida das meias-finais regressar para o hotel quando o
do Mundial’2014. táxi em que seguia foi atingido
Sem Neymar o Brasil volta a jogar amanhã depois do fracasso na meia-final DR A direcção do organismo por um carro roubado.

36 a 11 Julho 2014
DR
Klose é o melhor
marcador dos
mundiais
A história dos golos de Klose apontado o seu 10.º golo em
em Mundiais começou a ser Mundiais, ascendendo ao “top
escrita a 1 de Junho de 2002. 10”. Já depois de Klose, o médio
O veterano avançado alemão Toni Kroos já “bisou”, aos 25 e
isolou-se na liderança dos melho- 26 minutos, apontando o 4-0.
res marcadores da história dos Klose, que cumpre o seu 23.º
mundiais de futebol, ao apon- encontro em Mundiais, havia
tar o seu 16.º golo, deixando igualado o “Fenómeno” na segun-
para trás o brasileiro Ronaldo. da ronda da fase de grupos, par-
No Estádio Mineirão, em tindo do banco: entrou aos 69
Belo Horizonte, e no seu quin- minutos, para o lugar de Mario
to jogo na prova, segundo Götze, e faturou aos 71, selan-
como titular, o avançado da do o 2-2 final face ao Gana.
Lázio de Roma marcou o his- Antes do Mundial’2014, o
tórico golo aos 23 minutos, jogador alemão estava no segun-
colocando a “Mannschaft” a do posto dos marcadores, com
vencer os anfitriões por 2-0, 14 golos, em igualdade com o
em embate das meias-finais. compatriota Gerd Müller, autor

DR
Antes, Thomas Müller tinha de 10 tentos em 1970. A Final de 1990 foi disputada 8 de julho de 1990 no Estádio Olímpico, em Roma, neste jogo Alemanha
Ocidental venceu por 1-0, com uma cobrança de uma grande penalidade pelo falecido Andreas Brehme

Argentina e Alemanha
repetem final de 86 e 90
DR

Scolari recusa falar Depois das finais dos mundiais do México’86 e da Itália’90, alemães e argentinos
voltam a cruzar o mesmo caminho na decisão do título da maior competição do
sobre demissão futebol do calendário da FIFA, organizado no Brasil
MATEUS XAVIER no Brasil campanhas tão eficientes, tará a assistir um duelo entre ale-
O seleccionador do Brasil, Luiz O seleccionador brasileiro mateusxavier.golasso@gmail.com à semelhança do Mundial de 1990, mães e argentinos, com desfecho
Felipe Scolari, continua a defen- assumiu novamente que a der- disputado na Itália, que não pode- absolutamente imprevisível. O encon-
der-se como pode das muitas rota frente à Alemanha foi a pior Depois das finais de 1986 (que Jor- ria haver outro desfecho senão a tro de domingo, às 16 horas, no Mara-
críticas que está a receber. O de sempre, utilizou palavras ge Burruchaga resolveu, para a reedição da decisão da final reali- canã (20 horas de Angola), realiza-
técnico recusou abordar a pos- como ‘histórica’ e ‘vergonhosa’, Argentina, aos 83’, após a Alema- zada no México, em 1986. se depois do desafio entre o Brasil e
sibilidade de abandonar o car- mas também salientou: “Não nha ter recuperado de dois golos Curioso é o facto de cada uma das a Holanda, válido para a definição
go de seleccionador, após o jogo podemos esquecer que esta foi de desvantagem) e 1990 (um penal- selecções ter uma oportunidade de do terceiro classificado do Campeo-
de amanhã, frente a Holanda, a primeira vez que a selecção ti de Andreas Brehme, aos 85’, deu erguer a máxima conquista do fute- nato do mundo. Recorde-se que a
para definir os terceiro e quar- chegou às meias-finais do Mun- o terceiro título à Alemanha), o der- bol mundial. Quase duas décadas e Argentina conseguiu a presença na
to lugares do Mundial’2014. dial depois de 2002. Agora é radeiro desafio do Mundial voltará meia depois, o mundo do futebol vol- final de forma sofrida, mas sem
“Depois do Mundial vamos importante pensar no que nos a ter a marca ‘AA’, após aquela que nenhuma falta de mérito. Foi nos
apresentar um relatório à resta, que é terminar em tercei- foi a primeira meia-final da histó- pénaltis, diante de uma fortíssima
direcção da Confederação ro. O trabalho não foi mau, mas ria que terminou sem qualquer golo, Holanda, na Arena Corinthians, em
Brasileira de Futebol, com o tivemos uma derrota ruim”. Sco- mesmo após prolongamento. Des- Alemãs e argentinos São Paulo, que o conjunto liderado
bom e o mau que fizemos. lari ainda não conseguiu dige- ta final espera-se tudo, desde o espec- discutem no Estádio em campo por Messi tirou a melhor
Depois dependerá da direc- rir e muito menos perceber o táculo do futebol decisivo de Mes- sorte. Já a Alemanha alcançou de
ção», afirmou Scolari, salien- que aconteceu naqueles seis si, aos rasgos individuais e capaci-
Maracanã, domingo, forma brilhante e inequívoca a final
tando que nesta altura não minutos fatídicos, em que a Ale- dade concretizadora de Klose. Mas, o título da Copa do após ‘esmagar’ o Brasil, por contun-
está a pensar no seu futuro. manha marcou quatro golos. alemães e argentinos protagonizam Mundo de 2014 dentes 7-1.

11 Julho 2014 a 37
R Mais // Cultura

Cazenga. Festival
de Teatro estimula
desenvolvimento
dos munícipes

Arranca hoje a 9.ª edição Festival Internacional de Teatro do


Cazenga (FESTECA) no Centro de Animação Artística ‘Anim’Art’.
Uma série de conferências, exibições de teatro de rua no Marco
Histórico do mesmo município, formação de actores e partilha de
conhecimentos estão entre as actividades programadas. Orlando
Domingos, responsável da associação Globo Dikulu, que organiza o
certame, aponta como ganhos a criação de fazedores e o contributo
para a redução da delinquência juvenil
RÚBIO PRAIA gueiro do IFA e, eventualmente no mercado
rubio.praia@agora.co.ao do Asa Branca, sempre às 16 horas, perfor- Grupos de Angola, Moçambique e Portugal vão apresentar-se no Cazenga
mances do grupo ‘Marado Teatro de Rua’,
Uma mão-cheia de actividades culturais mar- mas o alinhamento prevê também espectá- ro, para que possamos ter mais qualidade. O do mês em curso, ministrada por Carlos Chei-
ca a realização deste acto no município do culos de humor com a dupla Capuete & Kun- nível de exigência aumentou, fizemos inves- rinda, director da Companhia de Teatro Hopan-
Cazenga, um dos mais populosos de Luanda. da e o não menos conhecido Cabechipas. timentos no palco, entre outros”. galatana, Moçambique, que vai discorrer sobre
À semelhança dos anos anteriores, o FESTE- Os ganhos, no entender daquela figura, radi- ‘O Papel do Teatro Comunitário na Mobiliza-
CA, que arranca hoje no Centro de Anima- INOVAÇÕES, GANHOS E EXPECTATIVAS. Os cam “na formação de actores, no reconheci- ção dos Jovens para o Desenvolvimento’.
ção Artística do Cazenga – ‘Anim’art’, e ter- espectáculos infantis vão acontecer às 16 mento da comunidade e ainda contribuímos De Portugal, também na linha de transmissão
mina no dia 27 deste mês, distingue-se pela horas. “O primeiro a entrar em cena será o indirectamente para a redução da delinquên- de conhecimentos, vem João Garcia Miguel,
pluralidade de abordagens. ‘Arco-Íris’, grupo do Cazenga, com a peça ‘O cia juvenil”. artista plástico e director da companhia ‘JGM’,
O programa esboçado pela Associação Ovo’, no dia 14. O colectivo de teatro ‘Flores paralelamente responsável máximo do Teatro
Globo Dikulu, que está ‘à testa’ deste acto, a Brincar’ encena, no dia 15, a obra ‘Peque- JOÃO GARCIA MIGUEL CONVIDADO DE PESO. Municipal de Torres Vedras, Portugal, que vai
prevê 28 espectáculos, três conferências, nas Fábulas’ e a 17 do presente mês, o ‘For- O lema da 9.ª edição do FESTECA é ‘Pelo debruçar-se sobre ‘O Teatro e as Artes Perfor-
duas oficinas, cinco homenagens, quatro migas da ADPP’ apresenta ‘Sua Majestade’. Desenvolvimento da Comunidade Faze- mativas’.
intercâmbios, duas reuniões especializa- Ao contrário das edições anteriores, em que mos um Teatro para a Infância e a Juven-
das, quatro performances de teatro de rua havia duas sessões de teatro por dia, a orga- tude – Saudamos o 2.º FENACULT – Fes- OS CINCO HOMENAGEADOS. O primeiro gru-
e uma gala de premiação dos melhores nização do FESTECA optou, este ano, pela tival Nacional da Cultura’, atente que os po de teatro do Cazenga – Delírio Azul, fun-
actores. exibição de um espectáculo diariamente, que responsáveis da Globo Dikulu se congra- dado em 1989, por Gaspar Pitra Simão, é a
Esta informação foi prestada ao Agora por começa sempre às 19 horas, salvo nos dias tularam com o anúncio da realização entre instituição cultural homenageada na 9.ª edi-
Orlando Domingos, director do festival, que em que vão passar peças infantis. Agosto e Setembro em todo o país, sendo ção do FESTECA, com outros quatros nomes
congrega este ano mais de 200 actores ao Assim sendo, para esta noite, o grupo ‘Nji- que o lema é “A Cultura como Factor de que marcaram a cultura angolana pelo seu
contrário dos 173 em 2013. De salientar que la’, com a peça ‘Sonhos de Rua’, abre o FES- Paz e Desenvolvimento”. bem-fazer.
a previsão da assistência ronda as quatro mil TECA. Diversamente, Orlando Domingos falou do Neste sentido, o nome de Roldão Ferreira,
pessoas, um número superior às três mil Com os ingressos ao preço de 500 Kz, o res- leque de actividades programadas. “Temos promotor cultural e ex-secretário da APRO-
almas do ano findo. ponsável máximo da Globo Dikulu, Orlando duas oficinas de actuação. A primeira come- CAL – Associação Provincial do Carnaval de
“Haverá espectáculos paralelos no Marco Domingos, augura, “teremos espectáculos de ça no dia 14, a partir das 10 às 13 horas, aber- Luanda, surge na lista dos cinco homenagea-
Histórico do Cazenga, no término de candon- maior qualidade”, aliás, “reduziu-se o núme- ta a todos interessados, e prolonga-se até 17 dos, uma vez que foi membro do grupo de

38 a 11 Julho 2014
PALCO – A BELA E OS MONSTROS –
Huíla
Dia 15 de Julho de 2014
– Terça-feira
16h – Exibição Teatral: Grupo Infantil
FLORES A BRINCAR – PEQUENAS
FÁBULAS
– Cazenga
20h – Exibição Teatral: Grupo TIC – TAC –
A FORÇA DO LUKANO – Cazenga
Dia 16 de Julho de 2014 – Quarta-feira
16h – Exibição Teatral: Grupo 14 de
ABRIL – O CAIXÃO
– Cuanza Sul
20h – Exibição Teatral: Grupo WALPIPA –
A DESCONHECIDA – Kilamba Kiaxi
Dia 17 de Julho de 2014
– Quinta-feira
17h – Exibição Teatral: Grupo
FORMIGAS DA ADPP – SUA
MAJESTADE – Cazenga
20h – Exibição Teatral: Grupo FELOMA
MUSANZALA – KIESE – Cazenga

Dia 18 de Julho de 2014


– Sexta-feira
17h30 – Exibição Teatral: Grupo UNIDOS
EM CRISTO – A VOZ DO FETO – Uíge
16h – Teatro de Rua: Grupo MARADO
TEATRO DE RUA – PERFORMANCES
TEATRAIS – Ingombota
19h – Exibição Teatral: Projecto PALCO
ABERTO – TARDE DEMAIS – Cazenga
Dia 20 de Julho de 2014
– Domingo
15h – Teatro de Rua: Grupo MARADO
TEATRO DE RUA – PERFORMANCES
TEATRAIS – Ingombota
FOTOGRAFIAS DR

19h – Exibição Teatral: Companhia


GIRASSOL – OS APARECIDOS
– Moçambique
Dia 21 de Julho de 2014 – Segunda-feira
19h - Exibição Teatral: Grupo KUSASA -
MAVU – CONFLITOS DE GERAÇÕES –
De Portugal, também na teatro resistência - ‘Ngongo’ - ainda se vivia 9.ª Edição do FESTECA Cazenga
o período colonial em Angola. Dia 22 de Julho de 2014 – Terça-feira
linha de transmissão de Daniel Sebastião, por ter massificado o 19h30 - Exibição Teatral: Grupo KULONGA
conhecimentos, vem João teatro na Igreja Metodista Unida, um pro- Dia 11 de Julho de 2014 – FILHOS DA PÁTRIA 2 – Rangel
Garcia Miguel, artista jecto que até aos dias de hoje prevalece, – Sexta-feira Dia 23 de Julho de 2014 – Quarta-feira
também mereceu a homenagem, tal-qual- 17h – Exibição Teatral: Grupo NJILA – 17h – Espectáculo de Humor: OS
plástico e director da mente Aureliano Quaresma, o actor conhe- SONHOS DE RUA CABECHIPAS
companhia ‘JGM’, que vai cido como ‘Velho Pena’ na tele-história de – Luanda 19h30 – Exibição Teatral: Grupo ENIGMA
debruçar-se sobre ‘O Teatro produção nacional – ‘Caminhos da Vida’. Dia 12 de Julho de 2014 TEATRO – SUJEITO E AZARADA –
e as Artes Performativas’ Ana Paula Correia Vítor, antiga directora
do Museu de História Natural, que fez o
– Sábado
19h – Exibição Teatral: Grupo ETU-LENE –
Maianga
Dia 24 de Julho de 2014 – Quinta-feira
primeiro curso de instrutores de teatro e KU – KIAZE 17h – Espectáculo de Humor: KAPUETE &
O primeiro grupo de teatro participou no primeiro espectáculo de – Luanda KUNDA
Angola independente, engrossa o leque Dia 13 de Julho de 2014 19h – Exibição Teatral: Grupo JULU –
do Cazenga - Delírio Azul, de pessoas que o FESTECA elegeu para – Domingo MPAMBU YA NJILA – Luanda
fundado em 1989, é a homenagear. 19h – Exibição Teatral: Companhia Dia 25 de Julho de 2014 – Sexta Feira
instituição cultural Nesta 9.ª edição do Festival Internacional de HOPANGALATANA – 19h – Exibição Teatral: Grupo OMBAKA –
Teatro do Cazenga, participam grupos inter- O ROUBO E OS GÉNIOS A LEI – Benguela
homenageada na 9.ª edição nacionais como o Girassol e Hopangalatana, – Moçambique Dia 26 de Julho de 2014 – Sábado
do FESTECA, com Roldão de Moçambique e JGM, de Portugal. Além dos Dia 14 de Julho de 2014 19h – Exibição Teatral: Companhia JGM –
Ferreira, Aureliano luandenses, vieram de outros pontos do país – Segunda-feira YERMA – Portugal
Quaresma, Daniel Sebastião associações teatrais como ‘Luzes ao Palco’, ‘14
de Abril’, ‘Unidos em Cristo’ e ‘Ombaka Teatro’
16h – Exibição Teatral: Grupo infantil
ARCO ÍRIS –
Dia 27 de Julho de 2014 – Domingo
16h - Exibição Teatral: Grupo OASIS DA
e Ana Paula Correia Vítor das províncias da Huíla, Cuanza-Sul, Uíge e ‘O OVO’ – Cazenga BASE ÁEREA – Njinga Mbande
Benguela, respectivamente. 20h – Exibição Teatral: Grupo LUZES AO – Maianga

11 Julho 2014 a 39
R Mais // Cultura

Muzongué. Kombaritokué O sim foi a corrente que vingou quando da


aprovação da Lei da Nacionalidade em finais
de 1975, em obediência à nossa geografia huma-

do ‘Trio da Saudade’ precisa-se! na. Mas, isso é outra estória da história. Houri
Boumediene, na Argélia, foi radical, resolveu-
a em sentido contrário, considerando os des-
cendentes franceses uma agressão cultural.
Voltando aos três músicos homenageados
Os ‘falecidos’ músicos Urbano de Castro, David Zé, Artur Nunes, o espiritual angolano, e Teta Landu no Kilamba, importa destacar que foram
foram homenageados no passado domingo (6) pelo Centro Recreativo Kilamba, no âmbito do seu assassinados por integrantes da tenebrosa
programa “Muzongué (caldo) da tradição” DISA, polícia secreta do então regime lidera-
do por Agostinho Neto, na ressaca do golpe
NORBERTO COSTA de 1974, na sua longa epopeia pela conquista idade de ouro da saga libertária… e o “coup de Estado que abalou a nação, desencadea-
definitiva do poder, neutralizando estrondo- d’État” estava para vir, com fracturantes desin- do por Nito Alves e José Van-Dúnem na madru-
A iniciativa não deixa de ser feliz e oportuna, samente adversários internos e externos, açu- teligências à mistura, na questão da naciona- gada do dia 27 de Maio; rebelião afogada em
até para mantermos sempre acesa a música lados até aos nervos pela derrota fatal. lidade na organização do futuro Estado: a ‘maka banho de sangue pela pronta e miraculosa
que marcou uma fase decisiva da nossa histó- Foi a vitória do poeta premonitório “por quem que se estava com ela’ entre os seus correli- intervenção das tropas cubanas.
ria. E como reza o adágio “antes tarde do que esperava” a multidão no aeroporto de Belas, gionários (aparentes e reais): é se o branco que Curiosa e desgraçadamente, quanto a David
nunca”. Contudo, há a assinalar que, se em estava na ponta da Kalashinikov! Tempos da nasceu em Angola seria o angolano? Zé, consta que foi atirado de helicóptero no
relação a Teta Landu consta a data e as cau- mar, servindo de plâncton para os peixes, o que
sas da sua morte, por doença em Paris (Fran- traduz o grau de barbarismo vertical de que
ça) em 2008, já em relação ao famoso “Trio se apossou dos ‘vencedores’ e o ‘terrorismo’ de
da saudade”, conforme passaram a ser conhe- Estado que ermou por este país afora e pela
cidos David Zé, Artur Nunes e Urbano de Cas- nossa sociedade adentro, ferindo-a profunda-
tro, a referência que se fez a propósito do espec- mente com o ferrete do holocausto. É doutri-
táculo é que terão falecido em “finais de 1970”. nário no Direito Constitucional Internacional:
Na verdade, e por ironia da história, depois os crimes de lesa-humanidade não prescre-
de poupados pela PIDE/DGS, devido ao seu vem, sendo susceptíveis de julgamento a todo
engajamento nacionalista a favor da causa liber- o tempo, tanto por instâncias internas, como
tária defendida pelo MPLA e pela qual se bate- por tribunal internacional. Mas, não se preten-
ram, Urbano de Castro, David Zé e Artur Nunes de - queremos crer - incendiar a pradaria, que
foram mortos, sem que houvesse lugar qual- já vai exangue depois de tantos e tantos anos
quer culpa formada, nem julgamento - tal como infelizes de conflito interno...
previra o outro no seu poema “O direito à defe- Alguns destes músicos, tal como outros tan-

TOM CARLOS
sa”- pelos seus antigos camaradas e ‘compa- tos dos seus milhares e milhares de correli-
nheiros de armas’, apanhados de chofre na gionários assassinados, os pais minguaram
mais grave querela político-ideológica que sacu- de trombose até à morte, enquanto outros
diu profundamente a direcção do movimento, Dom Caetano e Augusto Chacaia em palco na hora da homenagem atingiram mesmo a loucura pelo trágico desen-
marcado por várias dissidências ao longo da lace dos seus parentes desaparecidos, conhe-
sua história. Casos da primeira crise aberta por cendo o mesmo fim na rua das amarguras
Viriato da Cruz, seguida anos depois pela Revol- da ansiedade pelo reencontro do filho desa-
ta do Leste e Revolta Activa, ambas na primei- parecido. Esperança, aliás dessacralizada, já
ra metade da década de 70, atingindo o pico que nunca se confirmou o abraço amigo, de
no Congresso de Lusaka, em Agosto de 1974. tanta... tanta... saudade!
Político habilidoso, por excelência, Neto rom- Já as viúvas e os filhos dos três músicos, há
peu com o conclave e organizou a célebre 37 anos continuam à espera pelas certidões
Conferência Inter-Regional de Militantes no de óbito dos defuntos, para serem dados como
Interior, legitimando a sua liderança no cír- judicialmente extintos.
culo restrito dos seus seguidores, por um lado, Portanto, seria de bom que os organiza-
e, por outro, vibrando uma vigorosa macha- dores da homenagem, em particular, e o
dada no dorso dos contestatários, dada a ausên- Estado, em geral, não pecassem por siste-
cia dos oponentes das duas revoltas, mandan- mática omissão e rematada negligência na
do, assim, a democraticidade interna da orga- assumpção da verdade histórica que dizi-
nização para as calendas gregas e dando largas mou o ‘Trio da Saudade’ e os seus compa-
ao “Presidencialismo” de que vinha acusado nheiros de infortúnio, organizando uma
no manifesto da RA, numa conjuntura que verdadeira festa de kombaritokué, em memó-
soprou a seu favor, precipitando-se os ventos ria dos cerca de 60 mil assassinados e desa-
independentistas com a eclosão do 25 de Abril parecidos (ao que se diz) e em respeito à
nossa tradição bantu, para que se exorci-
zem os fantasmas.
Tal procedimento costumeiro constituiria
uma verdadeira catarse, dado que as suas almas
não descansarão em paz, enquanto tal ritual
não se efectivar. Mais: sem prejuízo do facto
de tal démarche emocional constituir um bem
Até à data, familiares e fãs para a reconciliação entre os camaradas desen-
do ‘trio da saudade’ não contrados nas querelas do passado e, quiçá, do
têm conhecimento oficial presente, bem como será um verdadeiro aci-
cate para a tão reclamada harmonia e concór-
do destino dado aos restos dia nacional. Numa palavra: Reconciliação
mortais, se é indesmentível Nacional, entre todos os filhos desta nossa rica
que foram mortos e querida mãe pátria-Angola.
DR

40 a 11 Julho 2014
FRENTE & VERSO
Imagética surreal da capital nos
últimos dias
senta-se na cama, tem as duas mãos no rosto
como se fosse impedi-lo de cair, dados os vin-
RÚBIO cos pela insatisfação, devido à desfeita da filha.
PRAIA
O discurso do pai da rapariga é coerente,
calmo, moderado, educado, mas as falas acu-
satórias não faltam. Como é da praxe, culpou Evento ‘Kanukus Fest’ é já
a mãe, como se ela fosse o cupido da relação no dia 20 de Julho, na Baía de Luanda
entre adolescentes.
Olharam-se novamente, deixou-se cair de Sob o lema ‘Pensar Verde’, a empre- Aulas de dança para todas as ida-
Calemba II. Catinton. Ossos. Kinaxixi. Mutam- costas na cama e entrou em introspecção. sa TiketZone, em parceria com a des, acrobacias, actuações de músi-
ba. Sapu. Alvalade. Ilha do Cabo. Mussulo. Farol Pensou nos arranjos supervenientes, no alam- Baía de Luanda e a Associação Nacio- cos infantis tornam o programa
das Lagostas. Em cada zona há olhar que se bamento, casamento, todavia estava algo tran- nal do Ensino Privado (ANEP), rea- muito rico.
esboça, uma imagem que fica na retina, um quilo; era ele que devia receber o fato, mas, liza, no dia 20 de Julho, a partir das Paralelamente, haverá a partici-
cheiro peculiar, pessoas trajadas de forma dife- no final de contas, estava tudo combinado 10 horas, o ‘Kanukus Fest’. pação de cantores consagrados como
rente, hábitos e costumes distintos. para que o menino viesse da Sapu com os A iniciativa, que versa sobre educa- os rappers Kalibrados, o escultor
Vários assuntos dominam a ordem do dia, seus parentes para a apresentação e poste- ção e entretenimento, tem por objec- Jone Ferreira, a nível internacio-
mas três tópicos não saem da baila, como se rior pedido de noivado. tivo consciencializar os mais peque- nal, os artistas circenses da Com-
a Kianda (sereia) fosse uma espécie de reali- Depois de alguns mesitos, a menina, com nos para a importância da preserva- panhia Chapitô (Portugal) e o che-
zadora de TV das múltiplas vidas que peram- dores de parto, é levada à maternidade, num ção do ambiente, com enfoque para fe Carlos Graça (Moçambique) com-
bulam pelas ruas da capital do país. misto de alegria e mistério, porque a sua rela- exposições de diversos temas, como pletam o leque de artistas para
ção afectiva era algo conturbada. Quando vão seja, sobre a Palanca Negra Gigante, abrilhantar o evento cujo término
CACUACO. O assunto número 1 ocorreu nes- receber o bebé dos braços da mãe, é com espan- a reciclagem ou ainda a segurança está aprazado para o mesmo dia,
ta localidade de Luanda. Para quem esteve to que verificam que os traços: olhos rasga- das crianças nas estradas. às 17 horas.
a bordo do candongueiro vulgo táxi azul e dos, excessivamente claro e feições de um indi-
branco, no sentido Mutamba-Aeroporto, aper- víduo asiático. Contas feitas, a rapariga namo-
cebeu-se pela rádio do rapto de um bebé, por rou com o empreiteiro chinês que trabalhava Antologia ‘Oxalá
uma rapariga de 16 anos, que não soube expli- lá em casa. Há alguma lei que regula isso? Cresçam Pitangas’ será
car à Polícia Nacional o móbil da sua acção, lançado na Alemanha
quando até foi acolhida à noite pela dona de ILHA DO CABO. Depois de ter carregado as imbu-
casa para uma dormida e seguir o seu per- las (trouxas) no mercado de São Paulo, ali jun- Textos de Agostinho Neto, Arnaldo
curso no dia seguinte. to à padaria Pameli, no Sambizanga, uma cida- Santos, João Melo, Zetho Cunha Gon-

DR
Este tema tem adoçado a boca de muito boa dã ruma para a Ilha de Luanda onde vai des- çalves, Tazuary Nkeita, Carmo Neto,
gente. Num discurso entrecortado de conver- carregar os seus haveres e preparar os quitutes Roderick Nehone, Isabel Ferreira,
sa fiada e pedidos desculpas, a jovem alega não da terra: batata-doce, feijão de azeite de palma Sónia Gomes, Amélia Dalomba, Antó-
saber por que razão cometeu o referido crime. e outras iguarias são depositadas no chão. nio Gonçalves, José Luís Mendonça
É uma situação que compete ao Estado Ango- Acto contínuo, o cobrador da viatura de e Décio Mateus foram compilados
lano, este, o da redução da maioridade penal uma marca nipónica atira: - “500 Kwanzas numa edição bilingue português-ale-
em Angola, convém, todavia, aguardar pelo pela corrida e pela quantidade de saco que mão, numa iniciativa encetada pela
novo Código Penal, que é de 1886. A mãe da tens”! Não estando de acordo, a senhora ati- União dos Escritores Angolanos (UEA)
criança deve estar arrependida pelo gesto de rou-se contra o jovem, em manifestação do e o Goethe- Institut Angola, que será
humanismo na véspera, acolher alguém que, seu descontentamento. lançada em Setembro, na Feira do Música. Didi Murras
às ocultas, nos rouba o filho é algo deplorável. Contam os passageiros que chegaram antes Livro de Berlim. nas bancas
Deve ser por estas e outras razões que se da mamã gorda, que ela estava a ingerir algu- A antologia, segundo noticiou o Jor- no final deste ano
verifica um esfriamento na urbe luandense, mas fresquinhas antes da hora de partida, nal de Angola, que chega às bancas
dizem os peritos na matéria, dadas as crises um hábito que tem feito lei, será do ‘calor’ numa edição de Ineke Phaf-Rheinber- Kuduro, house music e kizomba são
sociais, enfim. Ambas se fitaram, entenda-se em Julho?, não se sabe ao certo. ger, professora da Universidade de os estilos musicais que Didi Mur-
a jornalista e a criminosa, esta última menos Seguramente que muitos transeuntes não Berlim, visa prover uma panorâmi- ras, irmão mais novo de Dog Mur-
à vontade, não fosse ela a criminosa, no entan- esperavam ver as pernas da senhora com as ca referente à literatura angolana. A ras, vai interpretar no seu maxi sin-
to, esta situação tem outras questões que devem devidas sardas, mas o menos importante não pesquisadora sublinha, igualmente, gle, que chega às bancas antes do
ser analisadas como a educação, a acultura- era a pele sardenta, era a exposição das par- que cresceu o interesse dos alemães fim deste ano, revelou o artista à
ção, a globalização, ou seja, muito mais que tes íntimas. O mais recomendável seria, pos- sobre a Literatura Angolana. Angop.
aumentar ou diminuir mais ou menos idade sivelmente, uma conversa, em que esta ten- Entretanto, regista-se um défice O referido trabalho musical, com
às pessoas para criminalizá-las ou o inverso. taria regatear o preço, porque o cobrador não de títulos angolanos, excepto os cinco faixas, tem por tema promo-
lhe respondeu na mesma moeda, senão seria livros dos escritores Agostinho Neto, cional ‘Dá mo Ndengue’. Didi Mur-
KINAXIXI. Uma menina de 16 anos está em uma situação mais complicada. Pepetela, Manuel Rui Monteiro e ras afiançou que as suas músicas,
casa. O pai trabalhador e responsável não fal- Numa fotografia a cores e noutra a preto e Luandino Vieira, editados no perío- além de abordar questões relativas
ta com as suas obrigações. Colégio, mesada, branco, vêem-se uma inversão de valores, do pós-Independência. ao amor ao próximo, consistem em
amor, carinho, diálogo, a lista de cumprimen- mulheres mal trajadas, homens que se lutam Segundo a pesquisadora alemã, recrear a juventude angolana, com
tos é longa, e o progenitor pauta-se por enri- por motivos menos dignos, incompreensão “encontram-se disponíveis naquele ritmos musicais ‘quentes’.
quecê-la regularmente. no trânsito, pouco apoio às iniciativas com mercado europeu obras de José Eduar- Para a concretização deste projec-
À noite, a mulher informou o marido de que substância. Enfim, a imagética está algo esbor- do Agualusa, Ondjaki, Pepetela e Ana to musical, o artista conta com o
a filha, menor de idade, está concebida. Este, ratada, mas nunca é tarde para inverter o Maria Tavares, mas é possível con- apoio da produtora B.Max, de Dji
com os olhos semicerrados, mira a parceira, jogo a favor de Luanda. tar estes títulos pelos dedos das mãos”. Tafinha, e dos DJ Romano e Devitor.

11 Julho 2014 a 41
R Mais // Cultura

Poesia. Obra
de Neto
Colóquio internacional
abordada por recorda Kimpa Vita
estudantes
da periferia
O poeta e historiador António Pan-
guila proferiu, terça-feira última,
uma palestra sobre ‘A Dimensão
Pedagógica da Poesia de Agostinho
Neto’, no Complexo Escolar do Cazen-
ga, no âmbito do programa cultural
‘Sábado nos Musseques’, promovi-
do pela fundação com o nome do
então presidente.
Durante a palestra, o orador, que Académicos, investigadores e historiadores reflectiram, recentemente, no Uige, sobre o contributo de
deu um tom didáctico à sua expo- Kimpa Vita na defesa da integridade cultural, social, política e religiosa, nos reinos do Congo,
sição, interagindo com os alunos a Matamba e Ndongo
quem coube a leitura dos poemas
que procurou interpretar, invocan- Vita, que tinha a intensão de introduzir os
do o aprendizado sociológico, antro- ideais no seio da população para o resgate
pológico, económico e histórico dos do reinado, utilizando o seu poder de mobi-
temas analisados, nomeadamente lização religiosa”, precisou.
‘Sábado nos Musseques’, que dá Durante o colóquio, os participantes discu-
nome à iniciativa, ‘Adeus à hora da tiram temas como ‘A cooperação político-cul-
largada’, ‘Caminho do mato’, ‘Noi- tural entre Portugal, Vaticano, São Tomé e
te na quitanda’, além do poema Príncipe e o Reino do Congo’, ‘A batalha de
magistral ‘Havemos de voltar’. Ambuíla e suas implicações sociopolíticas e
O palestrante destacou, igualmente, económicas no Congo, nos estados do Ndon-
o alcance filosófico, religioso e político go e da Matamba’, bem como ‘A dimensão
de Neto, bem como do carácter actual político-religiosa de Kimpa Vita’.
da sua produção literária, que, nalguns O encontro debateu ainda ‘A dimensão his-
casos, ainda se adaptam ao contexto tórico-patrimonial de Kimpa Vita’, ‘Os movi-
actualmente vivido e sentido. mentos messiânicos e seus efeitos para as inde-
No final da palestra, António Pan- pendências dos países africanos’ e ‘Kimpa Vita
guila apelou aos adolescentes e jovens fenómeno histórico e autêntica voz africana
estudantes a aplicarem-se nos estu- de espiritualidade messiânico-cristã’.
dos e na leitura de autores angola- O nosso interlocutor congratulou-se com o
nos, para interiorizarem as referên- apoio dos Governos do Uíge e do Cuanza-Nor-
cias da cultura angolana, tanto na lite- te na materialização do colóquio e prometeu
ratura como na música angolanas. Estátua de homenagem a Kimpa Vita DR a realização de mais encontros, com vista a tor-
O palestrante, António Francisco nar a figura de Kimpa Vita mais conhecida.
Panguila, nasceu em Luanda, em MIGUEL DANIEL Cultura faça um esforço em recolher todos
1963, é membro fundador da Bri- os dados e documentos, a fim de que possam ORIGENS. Nasceu por volta de 1684, numa épo-
gada Jovem de Literatura de Ango- O vice-reitor e coordenador do simpósio, Hei- ser traduzidos e estudados nas instituições ca conturbada da vida política do Reino do Con-
la desde os anos 80. Publicou, entre tor Manuel Timóteo, informou que o evento de ensino, sendo esta uma figura controver- go, 19 anos depois do fim da batalha de Ambuí-
outros títulos poéticos, ‘Vento do teve por objectivo saudar mais um aniversá- sa pelo facto de o reino do Congo ser exten- la, no Uíge, entre 1663 a 1665, tendo culmina-
Parto’ e ‘Amor mendigo’. É licen- rio da figura que dá nome à Universidade so. do com a morte de ‘Ntotela Vita a Nkanga’ ou
ciado em História pelo Instituto Kimpa Vita, que compreende a sétima região “É na guerra de Ambuíla onde o rei do Con- Dom António I (Mwana Nlaza). A situação decli-
Superior de Ciências da Educação académica, congregando as províncias do go é decapitado e a consequente destruição nou o Reino do Congo, chegando a atingir uma
e já foi secretário para as activida- Cuanza-Norte e Uíge. daquele reino, daí o surgimento de Kimpa crise política sem precedentes.
des culturais da União dos Escrito- Tratou-se do primeiro colóquio Internacio- Reza a historia que os conflitos caracteriza-
res Angolanos. nal sobre os 300 anos da morte de Kimpa Vita, ram a sucessão ao trono dos Ntotela, depois
permitindo a reflexão profunda e científica da morte de Vita Nkanga (Dom. António I),
dos seus feitos na defesa da integridade cul- que terá reinado de 1666 a 1680, tendo disper-
tural, social, religiosa e política de Angola. É na guerra de Ambuíla sado a corte para várias aldeias, como o reino
O académico disse, ao mesmo tempo, que onde o rei do Congo é de Mbula, que se instalou na aldeia com o mes-
o processo histórico de Kimpa Vita tem iní- mo nome, onde reinaram dois Ntotelas.
cio na guerra de Ambuíla, terminando com
decapitado e a consequente A corte de Kibangu é outro local que serviu de
a sua morte, em Julho de 1706, quando tinha destruição daquele reino, daí refúgio e que, segundo a história, seis reis da famí-
apenas 22 anos de idade. o surgimento de Kimpa Vita lia Ntotela que governaram a localidade, enquan-
“Como patrona da universidade, é óbvio que que tinha a intensão to em Mbanza Congo (São Salvador), a cidade
devemos elevar e aprofundar melhor a sua per- capital do reino, teve quatro Ntotelas no trono.
sonalidade como objecto de estudo e investiga- introduzir os ideais no seio A rebelião era tão forte que obrigou o rei Nsaku
ção, para se determinar se era uma revolucioná- da população para o resgate Mvemba (D. Pedro IV) a refugiar-se em Kiban-
ria ou rainha, por isso é que fomos buscar pes-
soas que se ocupam de estudá-la, cujos documentos
do reinado, utilizando o seu gu em 1694, até à restruturação do poder em
Mbanza Congo, por volta de 1704, altura em que
se encontram em Roma”, sublinhou. poder de mobilização surgiu Kimpa Vita, que foi queimada viva, aos
Heitor Manuel espera que o Ministério da religiosa 22 anos de idade.
DR

42 a 11 Julho 2014
O homenageado cedo se mudou
com os pais para o então distrito do
Namibe, onde viveu até aos 12 anos,
altura em que veio para Luanda,
onde prosseguiu os estudos liceais.
Foi director Nacional do Patrimó-
nio Cultural do Ministério da Cultu-
ra nos anos 80 e esteve vinculado à
administração, ao ensino e à inves-
tigação sócio-cultural.
A propósito do seu ofício de mes-
tre dos futuros antropólogos volta-
dos para o desenvolvimento, Samuel
Aço dizia: “A Faculdade de Ciências
Sociais da UAN, vocacionada para
oferecer à sociedade quadros qua-
lificados para a intervenção direc-
ta nas diferentes áreas do processo
social, prepara, no Curso de Antro- Religião.
pologia, os actores para uma inter-
venção em zonas de sociedade mui-
Contributo
to sensíveis, pois vão ao cerne da
identidade das comunidades, enquan-
de Simão
Samuel Aço morreu, mas deixou viva obra e ‘riqueza’ de valor incalculável DR to desvendam a génese, o momen-
to e o devir das suas culturas”. Ele
Kimbango
Homenagem. Da UAN objectivava ainda que “a prática
antropológica que se pretende trans-
mitir e fazer conhecer neste curso

ao antropólogo do deserto é, pois, aquela que devolve às comu-


nidades o protagonismo do seu des-
envolvimento sustentável, após a “Kimbaguismo - Processo de desco-

e cercanias inóspitas análise feita pelo estudioso, das dife-


rentes faces do polígono, nas quais
assentam os conhecimentos, usos
lonização de África” é o título do livro
de Bitombokele Lei Gomes Lungua-
ni, lançado terça-feira última (8) no

do Sudoeste de Angola e costumes que as suas tradições


transportam do passado, submeti-
das à dinâmica que está impressa
Kilamba Kiaxi, em Luanda.
A obra traça ‘Reflexão sobre a pers-
pectiva do desenvolvimento espiri-
na sua matriz cultural”. tual sócio-científico e tecnológico
Consta ainda no curriculum do em África’, com um enfoque parti-
antropólogo Samuel Aço, além do cular na acção missionária de Simão
título de professor associado da FCS Kimbangu, considerado o pai espi-
O antropólogo Samuel Aço foi homenageado, no início da semana, a título, com da UAN, o exercício do cargo de che- ritual da Igreja Kimbamguista.
diploma de mérito atribuído pela Faculdade de Ciências Sociais (FCS) da fe do Departamento de Antropolo- O autor é teólogo, licenciado pela
Universidade Agostinho Neto (UAN), instituição de que era professor, em gia (DA), onde leccionou as cadei- Universidade Simon Kimbangu, em
virtude dos relevantes serviços prestados à cátedra e à pesquisa antropológica. O ras de Etnologia de Angola, Cultu- Kinshasa (RDC), e especializou-se em
seu nome será outorgado a um laboratório ra Material e Tecnologias Alternativas hermenêutica africana ou teoria de
e Desenvolvimento. Tinha um bacha- interpretação de textos em línguas
NORBERTO COSTA Antropologia, destacando-se pela além do Centro de Estudos do Deser- relato em Administração pelo Ins- africanas, transcritas na escrita Man-
sua activa qualidade na transmis- to, também a criação de um Obser- tituto Superior das Ciências Sociais dombe. É, igualmente, detentor de
Durante o acto, o decano da refe- são dos conhecimentos e redobra- vatório que deveria ocupar-se do (ISCSP), obteve, depois, o grau de um título de invenção relacionado
rida faculdade, Víctor Kajibanga, pro- do interesse académico. estudo e pesquisa da prática sócio- licenciado em Antropologia. Pos- com a nova tecnologia de construção
meteu que será criado um laborató- Por sua vez, os estudantes, que inter- -cultural da transumância, bem suiu um mestrado em Desenvolvi- na lógica Mandombe (ntungulu).
rio de antropologia com o seu nome, vieram em nome dos demais dos seus como das cíclicas crises de seca e mento Económico e Social em Áfri- O professor Sebastião António
que se encarregará de fazer pesqui- formandos, afirmaram pelo mesmo cheias no Sudoeste de Angola, com- ca pelo Instituto Superior das Ciên- Makadilu escreve numa nota inser-
sas, recolha e tratamento de dados, diapasão, enfatizando as suas qualida- preendendo as províncias do Nami- cias do Trabalho e da Empresa ta na contracapa que, “historica-
sem prejuízo da promoção e reali- des pedagógicas e didácticas de docen- be, Huíla e Cunene, bem como do (ISCTE), de Lisboa, Portugal, e uma mente, o Mandombe é uma revela-
zação de visitas anuais de estudo de te universitário e de investigador social. seu impacto, em ordem à fixação pós-graduação em recursos huma- ção divina de Papá Simon Kimban-
campo às populações das áreas deser- Na ocasião, os presentes assisti- das populações locais que, muitas nos de chefe do Departamento. gu ao Prof. Doutor David Wabeladio
tas do Namibe, como forma de dar ram a projecção de um documen- vezes, têm de percorrer por longas Importa destacar que, até à altu- Payi, em 1978, enquanto não era ain-
continuidade ao seu projecto Cen- tário filmado por Nguxi dos Santos distâncias para conseguir água e as ra da sua morte, a 4 de Junho últi- da fiel kimbanguista e não tivera
tro de Estudos do Deserto. que traduziu as pesquisas desenca- pastagens para o gado. mo, por doença, Samuel Aço foi pre- ensino médio feito, com apenas 21
Ao longo da homenagem, o deca- deadas por Samuel Aço nas regiões sidente do Prémio Nacional de Cul- anos”, invocando que “o curioso des-
no da FCS fez a entrega de um diplo- do Curoca e no Tômbua, na provín- tura e Artes, edição 2014, cuja ta história é que o título de Doutor
ma de mérito do finado à viúva. cia do Namibe, onde desenvolvia, atribuição dos galardões deverá Honorário lhe foi atribuído pela Uni-
O antropólogo Virgílio Coelho, seu preferencialmente, a observação Para o também acontecer em Outubro/Novembro versidade de Kinshasa, sustentado
colega de longa data, tanto no Minis- participante da sua investigação próximos, de quem a coordenação por mais de sete universidades”.
tério da Cultura como na pesquisa antropológica.
antropólogo Virgílio do jurado foi indigitado no princí- Makadilu destaca que “é nesta
e docência, foi um dos poucos que O falecido antropólogo nasceu em Coelho, Samuel Aço pio do ano. O MINCULT - espera- peregrinação investigativa que o
deveriam ser homenageados ainda 1945, em Caluquembe, província é “dos poucos que se ansiosamente - deverá reunir- autor descobre o objectivo funda-
em vida”. da Huíla, por sinal uma das suas se, brevemente, para indicar outro mental do Ministério de Simon Kim-
Outro seu colega de cátedra, João zonas de interesse na pesquisa que
deveria ser substituto no cargo, à altura da bangu, que consiste em erguer uma
Fernandes, referiu que Samuel Aço o trazia ocupado ao longo dos anos. homenageado ainda expectativa dos concorrentes e do nova civilização moderna africana
foi mestre do Departamento de Prova disso é que tinha projectado, em vida” público, em geral. dita Civilização Kimbangu”. NC

11 Julho 2014 a 43
A
Lazer

Produzida no Gana, a série ‘An African City’ (’Uma Cidade Africana’) é um sucesso além-fronteiras

A afirmação PAULA CARDOSO


paula.cardoso@agora.co.ao
Firme em complementar a narrativa femi-
nina do continente negro, que é também a
sua própria narrativa, Nicole, natural do Gana,

televisiva
Equilibram um objecto pesado sobre a cabe- encontrou no mundo televisivo um aliado.
ça, estão meio despidas, e exibem um visual
invariavelmente pontuado de missangas e COMBATER ESTEREÓTIPOS ATRAVÉS DA INTER-

das africanas
cordas. Na apresentação de uma académica NET. Autora da série ‘An African City’ (‘Uma Cida-
norte-americana, da Universidade de Geor- de Africana’), exibida online através do site You-
getown, nos EUA, a imagem feminina de Áfri- Tube, esta licenciada em Arte e Estudos Africa-
ca – colada a um trabalho sobre comunica- nos e mestre em Comunicação Corporativa e
ção e desenvolvimento – caracteriza-se por Relações Públicas, entrelaça a história de cinco
múltiplas carências. mulheres para desatar velhos estereótipos.
“Isso afectou-me. Todas as mulheres estavam “Porque é que a mulher africana tem sem-
retratadas da mesma forma”, recorda Nicole pre de ser sinónimo de pobreza, de Sida, e de
Amarteifio, recuando a um episódio de 2010, deficiente saúde materna? Porque razão não
Através de uma produção centrada na história de cinco vivido em temporada de mestrado na diáspo- pode ser sinónimo de riqueza, de indepen-
profissionais bem-sucedidas, que regressaram à África de origem ra norte-americana. “Senti necessidade de dizer dência e de glamour?”, questiona a ganesa,
após concluírem a formação no estrangeiro, a ganesa Nicole ao meu professor: esta não é a história da mulher em declarações ao jornal El País, assumindo
Amarteifio pretende quebrar a imagem de submissão globalmente de África. É apenas uma parte dela”, recorda o combate a uma série de imagens negativas
associada às mulheres da região Nicole ao jornal The Guardian. e ideias feitas.

44 a 11 Julho 2014
O líder
angolano
do bem-estar

Festa. Noivado de Leila


Lopes em Luanda
Luís Filipe Baião, O Club dos Caçadores de Luanda
especialista em Medicina vestiu-se de gala no passado sába-
Tradicional Chinesa, foi do para celebrar o noivado da nos-
eleito a personalidade sa Miss Universo, Leila Lopes, com
médica do ano, num o nigeriano Osi Umenyiora, joga-
encontro internacional dor de futebol americano. De casa-
realizado em Itália mento marcado para o próximo
ano, o casal dividiu os holofotes
Programas clínicos pioneiros, hos- da fama com uma constelação de
pitais de excelência, SPA’s com tra- convidados ilustres. A começar
tamentos inovadores e profissionais pela primeira-dama, Ana Paula
de renome...a lista de distinções da dos Santos. A lista de presenças
Cimeira de Líderes da Área da Saú- estendeu-se também a estrelas da
de e Bem-estar juntou mais de 30 música, como C4 Pedro e Big Nelo,
nacionalidades na cidade transal- bem como à designer Nadir Tati,
pina de Stresa. que vestiu Leila Lopes, coroada
Foi aqui, no Norte de Itália, que o Miss Universo em 2011.
angolano Luís Filipe ganhou o títu-
lo de personalidade médica do ano,
integrando o chamado grupo de Estudo. Café revela
‘Estrelas da Saúde, Bem-estar e Turis- personalidades
mo’.
Os eleitos, segundo destaca a orga- Os que preferem café com leite
nização – que se define como uma são mais caseiros, e quem não dis-
plataforma interactiva para facili- pensa a bebida com espuma tem
tar colaborações internacionais – perfil de intelectual. Já os aman-
, dão cartas pela forma como des- tes de café duplo são hiperactivos,
bravaram e continuam a desbra- enquanto os adeptos de café com
var novos caminhos. nata revelam maior criatividade.
Estas são algumas conclusões do
MELHOR MESTRE DA TAILÂNDIA. No ‘Estudo de Hábitos de Consumo
caso de Luís Filipe, natural da Lun- de Bebidas’, realizado pela consul-
FOTOGRAFIAS DR

da-Norte, o percurso profissional tora sul-americana Synapsis, e


cruza experiências na China, no segundo o qual a forma como cada
Japão, Brasil, Portugal, Estados Uni- um bebe o café reflecte os seus tra-
dos da América e Tailândia, onde ços de personalidade.
abriu uma clínica em 2009 e tor-
nou-se um dos especialistas mais
“Essa foi a minha inspiração, pela facilida- populares. De tal forma que, além
de com que as protagonistas sempre conver- de integrar a lista de convidados
saram tão abertamente sobre o amor e a vida, das festividades do Rei da Tailân-
e de uma forma nunca antes vista. Creio que dia, o angolano foi distinguido como
as mulheres do nosso continente devem falar o melhor mestre em Medicina Tra-
mais honestamente”, defende a criadora de dicional Chinesa de 2013.
‘Uma Cidade Africana’.
Com a primeira temporada da série já encer- Condenação. Filho
rada – após a transmissão de 10 capítulos de Pelé na cadeia
com a duração de 14 minutos, cada –, o argu-
Nicole Amarteifio assina a produção mento de Nicole tornou-se tão popular que Fracassado o recurso judicial, Edson
ganhou espectadores além do Gana, territó- Cholbi do Nascimento, filho do cra-
“A minha produção desafia, sem dúvida, os rio de acção e de gravação. que brasileiro Pelé, foi detido na
limites, apresentando cinco mulheres bem- “Tenho recebido emails de todo o mundo: des- terça-feira, no litoral de São Pau-
-sucedidas que falam autenticamente sobre de Joanesburgo a Nairobi, passando por Los Ange- lo, para cumprir 33 anos de prisão.
o amor e a vida, incluindo a sensualidade”, les e Toronto”, orgulha-se a autora, por enquan- A sentença, proferida há pouco
abrevia a autora, reconhecendo que qualquer to resistente à associação a um canal televisivo. mais de um mês, condena ‘Edinho’,
semelhança com a popular série norte-ame- “Quero que todas as africanas, estejam onde ex-guarda-redes do Santos, por lava-
ricana ‘Sex and the City’ (‘O Sexo e a Cidade) estiverem, tenham acesso à série e que o mun- gem de dinheiro, proveniente do
é pura realidade. do reveja a sua imagem sobre nós”. O vencedor foi anunciado em Itália tráfico de drogas.

11 Julho 2014 a 45
A Lazer

CARTOON DO DALAS PARA RIR

PRIORIDADE
Duas senhoras chegam ao mesmo
tempo no caixa do banco, com mui-
ta pressa.
Uma dizia: primeiro eu, ainda tenho
que levar as crianças para a escola!
A outra retrucava: não,?primeiro
eu, que moro mais longe!
O caixa, atento ao que se estava a
passar, resolveu acabar com a bri-
ga:?primeiro atenderei a mais velha!
As duas se olharam e disseram: é a
sua vez! Pode ir!
Não! Primeiro você!

OVO GIGANTE
Uma galinha põe um ovo de meio
quilo e jornalistas de jornais, tele-
visão, revistas e rádios andam atrás
da galinha!
- Como conseguiu esta façanha, sra.
galinha?
- Segredo de família...
- E os planos para o futuro?
- Botar um ovo de um quilo!
As atenções se voltam para o galo...
- Como conseguiram tal façanha,
sr. galo?
- Segredo de família...
- E os planos para o futuro?
- Partir a cara do avestruz!!!!...

CLIC DO TOM CONTACTOS


Golf I HOSPITAIS
HOSPITAL
JOSINA MACHEL
222 336 346 / 222 336 349
S.O. PEDIATRIA
222 339 888
HOSPITAL
PEDIÁTRICO
222 391 442
HOSPITAL
AMÉRICO BOAVIDA
222 380 118 / 222 380 119
HOSPITAL
MILITAR
222 322 315 / 222 322 316
HOSPITAL
DO PRENDA
222 351 300 / 222 351 400
MATERNIDADE
CENTRAL
222 323 052

BOMBEIROS
POSTO
DE COMANDO
115
UNIDADE OPERATIVA CENTRAL
222 323 333
UNIDADE ESPECIAL DO PORTO
222 310 656
UNIDADE MUNICIPAL DE VIANA
222 290 540

POLÍCIA
POSTO DE COMANDO
113
222 332 301
222 330 895
TOM CARLOS

AMBULÂNCIAS
SERVIÇO NACIONAL
116

46 a 11 Julho 2014
GASTRONOMIA COLABORAÇÃO DE YOLA PINTO PORTUGUÊS CORRECTO FARMÁCIAS

Macarrão carbonara FARMÁCIA ALAMEDA


254 Al.M. Van-Dúnem
222 430 293/222 446 240/222 447 554
FARMÁCIA ALEX
R. Comdt Gika
222 327 960
FARMÁCIA MACULUSSO
72/b Av. Comdt Che Guevara
222 322 442
FARMÁCIA CENTRAL 1 24/24
16 Largo Amílcar Cabral
914 52 69 17
FARMÁCIA CENTRAL 2 24/24
Rua 21 de Janeiro Rotunda do Gamek
914 52 69 28
FARMÁCIA CENTRAL 3 24/24
586 R. Directa da Samba - Samba
914 52 69 28
FARMÁCIA GIRASSOL
165 R. Rei Caravela

DR
222 449 895
FARMÁCIA
DESTA VEZ, LDA.
R. Oliveira nº Nelito Soares
INGREDIENTES co de azeite e o bacon cortado em André Mateus 222 266 388
FARMÁCIA EDITAL
200 gr de creme de leite; 200 gr de tiras. Quando estiverem douradas
Av. Comdt Valónia – Viana
bacon; 1 dente(s) de alho; 2 unida- tire o bacon e deixe escorrer num 222 291 074
de(s) de gema de ovo; 3 colher(es) pedaço de papel de cozinha absor- FARMÁCIA HIGIENE
206 R Comdt Cuinha
(sopa) de parmesão ralado(s); quan- vente. Na gordura resultante, acres-
222 332 827
to baste de sal; quanto baste de cente o alho picadinho. Dois jovens bonitinhos vinham da escola conversando um FARMÁCIA IDÁLIA
pimenta-do-reino branca; quanto 3. Com o fogo baixo, acrescente o pouco sobre as suas notas na disciplina de Língua Portu- Av. Ho Chi Min.
222 326 762
baste de azeite de oliva; 250 gr de creme de leite já misturado com as guesa. Achei a conversa deles interessante e louvável, uma FARMÁCIA
lingüini gemas, misture bem e acrescente vez que muitos não querem, hoje, saber de Português. INGOMBOTAS
queijo ralado. Coloque o talharim Apesar de eles terem tido um tema coincidente, divergi- 38 R. Guilherme Inglês
222 333 278
MODO DE PREPARO já cozido neste creme e misture. ram-se numa pequena opinião que consistia no enqua- FARMÁCIA JANEIRO
1. Coloque bastante água em uma 4. Se achar que ficou muito seco, dramento de um par homófono – cem e sem - na seguin- 131 Av. 4 Fevereiro
222 332 260
panela funda e leve ao fogo. Quan- que é a forma certa da receita, te frase: Os portugueses saíram de Angola ‘cem’ os recur-
FARMÁCIA JANICA
do estiver quase a ferver comece a pode agregar 1/2 chávena da água sos minerais nem matérias-primas. 11, R. Guerra Junqueiro
preparar o molho para que coinci- do cozedura do macarrão que vai Ora bem, jovens, ‘cem’ é, morfologicamente, um nume- 222 446 567
FARMÁCIA KIANDA
da com o final do cozimento do dar uma óptima cremosidade ao ral cardinal, escrito por extensão, cuja forma em com- 71 Av. Murtala Mohamed
macarrão. molho. Acrescente sal e pimenta preensão é 100. Este elemento serve para indicar quanti- 222 309 455
2. Numa frigideira, coloque um pou- do reino a gosto. dade junto de um complemento. Ex.: Tenho ‘cem’ carros FARMÁCIA KINAXIXI
25 r/c Av. Comdt Valódia
novos. 222 449 443
Já ‘sem’ é uma preposição simples que indica ausência FARMÁCIA LANESA
343 r/c Av. Ho Chi Min
de alguma coisa. Ex.: A Ana está ‘sem’ o Luís. A forma mais
222 445 926
fácil de ver como a usar é substituí-la pela preposição ‘com’. FARMÁCIA LUANDA
Ex.: A Ana está ‘com’ o Luís. 35/37 R. Aníbal de Melo
222 445 490
FARMÁCIA LUVEFOR
Av. Hoji Ya Henda
222 430 087
FARMÁCIA MEDIANG
55/AR. Liga Nac Africana
222 440 517
FARMÁCIA MODELO
Al. Manuel Van-Dúnem
222 449 449
FARMÁCIA NOVASSOL
69A Av. Portugal
DR

222 391 502


FARMÁCIA PAGUE MENOS

Bolo de banana Mirantes Talatona


222 460 502 / 222 460 416
FARMÁCIA PROVIFARMA
INGREDIENTES teiga e torne a bater. Adicione a fari- Aviário B.º Cazenga
912 412 959
4 unidades de ovo; 2 chávenas (chá) nha de trigo, o amido de milho e o
FARMÁCIA
de açúcar; 3 colheres (sopa) de man- fermento, bata sempre e regue a RAINHA GINGA
teiga; 2 chávenas (chá) de farinha massa com o leite e o conhaque. 179 R.R.ª Ginga
222 337 997
de trigo; 1 chávena (chá) de amido 2. À parte, bata as claras em neve FARMÁCIA ROMED
de milho; 1 colher (sopa) de fermen- junto com o sal. Acrescente-as à mas- 27 R. Rei Katyavala
to químico em pó; 180 ml de leite; sa, mexa delicadamente, sem bater. 222 447 175
FARMÁCIA SADIA
1 cálice de conhaque; quanto baste 3. Despeje a massa numa assadeira 31 Av. Comandante Valódia
de sal; 5 bananas untada. Descasque as bananas e cor- 222430 284
FARMÁCIA
te-as ao meio, no sentido do compri-
SAGRADA SOS
COBERTURA mento. Arrume-as sobre a massa. 61 R. Joaquim Kapango - 222 395 468
6 colheres (sopa) de açúcar; 8 colhe- FARMÁCIA SERRA
62/64 R. Amílcar Cabral - 222 395 047
res (sopa) de farinha de trigo; 3 COBERTURA FARMÁCIA TROPICAL
colheres (sopa) de manteiga; quan- Misture bem todos os ingredientes 16 R. Pedro Félix Machado
to baste de canela-da-china em pó da cobertura e espalhe sobre a bana- ‘Cem’ é, morfologicamente, 222 334 862

na. Leve a assadeira ao forno e asse um numeral cardinal, escrito FARMÁCIA UNIVERSAL
97 R. Cón. Manuel Neves - 222 442 052
MODO DE PREPARO
1. Pré-aqueça o forno em tempera-
por cerca de 30 minutos, ou até que
a massa esteja seca.
por extensão, cuja forma FARMÁCIA VALÓDIA
42 Av. Hoji Ya Henda - 923 324 291

tura média (180 º C). Bata bem as Obs: Em vez de banana, também pode em compreensão é 100. FARMÁCIA YOHAN
1 Tv. 21 Janeiro B.ºMorro Bento
gemas com o açúcar. Junte a man- usar maçã, abacaxi, pêra ou pêssego 222 405 655

11 Julho 2014 a 47
a
FICHA TÉCNICA: Chefe de Redacção: Paula Cardoso Sub-chefe de Redacção: Júlio Gomes Redacção: Ereneu Máquina,
Martins Chambassuco, Mário Paiva, Mário Silva, Rúbio Praia, Graça Paulo, Ana Margoso, Miguel Daniel, Francisco Bussulo,
Norberto Costa Colaboradores permanentes: Elias Kahango (Huíla), Fernando Heitor, Inglês Pinto, Lutchíla Fuco Carlos,
Lilas Orlov (Benguela) Fotografia: Tom Carlos, Duarte Villas Revisor: André Mateus Design Gráfico: Nuno Janela Secretária
de Redacção: Rosa Ngola Publicidade: Luís Almeida (Director Comercial) Tel. (+244) 222 322381/222 322654/64 Email:
comercial@agora.co.ao Impressão: Damer Gráficas, S.A. Propriedade: Nova Vaga Registo N.º 148/B/96 N.º Contribuinte:
0.105.915/00-9 Tiragem: 5.000 exemplares Endereço: Rua Damião de Góis nº 81 (Alvalade) Email: semanario.agora@agora.co.ao
Telefones: +244 222 323831/222 322665 - Fax +244 222 323838

A FECHAR
EXCITAÇÕES
Reunião. Potencial
RADAR SANTA 11/07/2014 geológico-mineiro
JÚLIO GOMES IGNORÂNCIA nacional analisado
com embaixadores
“Njinga, Rainha SOBE E DESCE A secretária de Estado para a
de Angola - Cooperação, Ângela Bragança,

O peso do café Lesliana Pereira


interpreta papel de
reúne-se hoje, em Luanda, com
os embaixadores africanos acre-

na nossa economia mulher que


liderou a luta pela
ditados em Angola, para fazer o
ponto de situação sobre a imple-
mentação do Plano Nacional de
independência de Geologia (PLANAGEO).
Este programa, aprovado no ano
Angola” Pitra Neto passado, inclui vários subprogra-
À nova geração não deve escapar não avançar, projectando não só Legenda da RTP mas que visam o conhecimento
o feito do café no tecido econó- a produção do ‘bago vermelho’, FILME PRODUZIDO PELA SEMBA Para o Executivo, a segurança efectivo do potencial geológico-
mico do país. Aliás, foi, no ‘tem- como também de cereais como COMUNICAÇÃO e saúde no trabalho são mineiro do nosso território.
po dE outra senhora’, o principal o milho, o trigo, o arroz, ou ain- binómios prioritários. Logo, a Além da presença de represen-
produto de exportação. da, de legumes, tubérculos, fru- HUÍLA diminuição da sinistralidade tantes da República do Congo,
Nesta nossa era, em que se fala tos e hortaliças. nos locais de trabalho é um República Democrática do Con-
da diversificação das fontes de Não devemos perder de vista “Há 20 anos, os objectivo em que instituições go, Zâmbia e Namíbia, o encon-
receitas, para contornar a cróni- que as receitas do café contribuí- cidadãos do públicas, privadas, sindicatos, tro contará com a participação
ca e ‘perigosa’ dependência dos ram para o surgimento de mui- Lubango empregadores e pessoas de um elemento do Ministério
recursos petrolíferos, ouvir dizer tas das nossas cidades. Se assim interessadas devem dar o da Geologia e Minas.
que haverá uma espécie de revo- é, então todo o movimento feito
dificilmente máximo de si. Isto foi reiterado,
lução verde a Norte deixa-nos no sentido de impulsionar esta encontrariam pão nesta quarta-feira, em Luanda,
com a sensação de que as auto- cultura deve ser encorajado. fresco. Agora, a pelo ministro da Administração Religião. Bispos
ridades estão preocupadas com Assim, tal como disse Pedro Can-
terceira maior Pública Trabalho e Segurança católicos da lusofonia
o problema. ga, “os produtores de café pode- Social. O mesmo disse, reunirão em Luanda
A boa nova veio do ministro da rão beneficiar de sementes, plan- cidade de Angola igualmente, que a produção, a
Agricultura e do Desenvolvimen- tas e máquinas, além da criação está a atrair produtividade e a A Universidade Católica de Ango-
to Rural que, recentemente, este- de condições que lhes facilitem competitividade requerem la acolherá, no dia 23 de Julho, no
ve na província do Uíge. Afonso o acesso ao crédito”. E, para come-
investidores que saúde, predisposição, atitude, seu Salão Nobre, uma conferência
Pedro Canga garantiu apoio aos çar, a primeira acção vai consis- estão a apostar vontade, crescimento e dos bispos lusófonos, durante a
cafeicultores da região, incluin- tir na distribuição de plantas que em produção de capacidade de toda a gente, qual será debatido o tema ‘O Papel
do a facilitação do crédito bancá- estão a ser multiplicadas nas esta- desde o investidor, gestor ao Transformador do Evangelho na
rio, tudo isso numa perspectiva ções do Instituto Nacional do Café
energia, em minas trabalhador. Tem razão! Sociedade - à luz da Exortação Apos-
de ver, num horizonte próximo, que, no entanto, não especificou. e até em... queijo tólica Evangelii Gaudium’.
a produção de café voltar nos Os incentivos não ficam por aí. suíço” A organização é da CEAST - Con-
eixos e contribuir para o cresci- Segue-se, como referiu o titular ferência Episcopal de Angola e São
mento do Produto Interno Bru- da Agricultura, a facilitação do Sobre investimento Tomé, e a conferência acontece
SEMANÁRIO EXPANSÃO
to de Angola. Este nosso rico e credito à comercialização para no âmbito do Encontro dos Bis-
belo país tem a sorte de contar permitir que os cafeicultores pos da Lusofonia, que decorrerá
com solos aráveis, ou seja, 35 suportem os custos da produção, DEMOLIÇÕES em Luanda de 21 a 25 deste mês.
milhões de hectares propícios paguem aos trabalhadores e adqui-
para a actividade agrícola. ram materiais para a lavoura.
“Podemos Ensino Superior
Com as facilidades que a natu- De resto, por causa dos preços concluir que o Georges Chikoti no
reza nos oferece, não temos como baixos, Pedro Canga lembrou que Governo Pelo menos, cinco Congo pela
se desenvolvem esforços e se coo-
Angolano tem universidades privadas que reconciliação na RCA
pera com o mercado internacio- terão insistido no pagamento
nal para se encontrarem soluções desalojado da propina de Maio foram O ministro das Relações Exterio-
que permitam retomar um pre- famílias, sem criar instadas esta semana a res, Georges Chikoti, desloca-se
“Os produtores de ço adequado que satisfaça quem
produz e quem se ocupa da comer-
nalguns casos o responder na PGR pelo seu
procedimento, quando o
hoje a Brazzaville, Congo, para
participar em consultas de pre-
café poderão cialização, pensando-se que o qui- sistema de próprio Ministério do Ensino paração da agenda sobre o Fórum
beneficiar de lograma de café deve ultrapassar assentamentos Superior havia emitido um de Reconciliação Nacional entre
sementes, plantas e a fasquia actual de 50 Kz. condigno, e a comunicado a contrariar o os centro-africanos, agendado
Contudo, a estas boas iniciati- desembolso pelos estudantes para os dias 21 a 23 deste mês.
máquinas, além da vas, deve-se associar a questão justiça tarda a da propina referente ao mês A reunião surge como resultado
criação de dos acessos às zonas de produ- chegar para os em que decorria o Censo da 5.ª Reunião do Grupo Interna-
condições que lhes ção que facilitem o escoamento cidadãos mais Geral da População e cional de Contacto sobre a Repú-
dos produtos. É preciso reparar Habitação e que, por isso, não blica Centro Africana (RCA), rea-
facilitem o acesso as vias secundárias e terciárias,
desfavorecidos”. beneficiaram de aulas nem de lizada na Etiópia, no início da sema-
ao crédito” bem como pontes e pontecos. Activista da SOS actividades extracurriculares. A na. O fórum decorrerá sob a égide
Habitat queixa foi levada à PGR pela do mediador da Comunidade Eco-
Associação Angolana de nómica dos Estados da África Cen-
NOVO JORNAL Defesa do Consumidor tral (CEEAC) para a crise da RCA,
(AADIC). Ver-se-á se a mesma o presidente da República do Con-
terá ‘pernas’ para andar. go, Denis Sassou Nguesso.

48 a 11 Julho 2014