Você está na página 1de 76

CURSO BÍBLICO INTERNACIONAL

ENCONTRO COM A PALAVRA


Livro 2

ESTUDO PANORÂMICO
DO VELHO TESTAMENTO
(I Reis a Cântico dos Cânticos)

PR. DICK WOODWARD


Toda glória e honra ao Senhor nosso Deus! Este material foi escrito e impresso
pelo Ministério Cooperativo Internacional (ICM - International Cooperating
Ministries) para ser uma bênção em sua vida.
É permitida a reprodução total e parcial deste livro sem a autorização por
escrito do ICM, para uso pessoal e na sua igreja.
“Portanto, fortifique-se na graça que há em Cristo Jesus. E as coisas que me
ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confia a homens fiéis, que
sejam também capazes de ensinar a outros” (II Timóteo 2.1,2).

Woodward, Dick

Estudo Panorâmico
do Velho Testamento
(I Reis a Cantares de Salomão)

Curso Bíblico Internacional


ENCONTRO COM A PALAVRA

Tradução em Português: Ruth Gialluca


Correção Ortográfica: Lídia Damasceno Gialluca
Marlene Frade
Capa e Editoração Eletrônica: Jersio Dreissig
Colaboração: Paulo Sergio
Impresso no Brasil por: Obra Impressa Gráfica e Editora Ltda.
Supervisão Geral: Pr. Leandro Ferreira
E-mail: pastorleandroferreira@gmail.com

1ª Edição: Março/2005 = 1.000 exemplares


2ª Edição: Maio/2008 = 2.000 exemplares
3ª Edição: Março/2012 = 3.000 exemplares
4ª Edição: Julho/2015 = 3.500 exemplares
Nota Importante
O material que você tem em mãos é um complemento dos estudos
que vêm sendo ministrados por uma rede variada de emissoras de
rádio e pela internet (www.desfrutedeus.com) e é enviado, gratuita-
mente, apenas aos ouvintes que estão acompanhando, regularmente,
os estudos por uma dessas emissoras. Para recebê-lo, basta solicitar,
escrevendo para o endereço divulgado no final de cada aula.
Por se tratar de um curso, é necessário responder o questionário de
cada livro; com isto você garante o recebimento do próximo, bem como
de um lindo Certificado de Conclusão ao término do curso.
ÍNDICE
Introdução ........................................................................................................ 05
Capítulo 1
I e II Livros de Reis - Reis e Profetas.............................................................. 07
Capítulo 2
A Ascenção e Queda do Reino....................................................................... 12
Capítulo 3
Os Livros de Crônicas - As Omissões............................................................ 17
Capítulo 4
Os Evangelhos Sinópticos do Velho Testamento............................................ 21
Capítulo 5
Forças Opositoras à Obra de Deus................................................................. 25
Capítulo 6
O Perfil de Um Líder......................................................................................... 28
Capítulo 7
Adivinhe Quem Vem Para o Jantar?............................................................... 33
Capítulo 8
Os Livros Poéticos - Panorama Geral............................................................. 38
Capítulo 9
O Livro de Jó.................................................................................................... 39
Capítulo 10
Trinta Razões Bíblicas Porque o Povo de Deus Sofre..................................... 44
Capítulo 11
O Livro de Salmos............................................................................................ 49
Capítulo 12
O Livro de Provérbios........................................................................................ 64
Capítulo 13
O Livro de Eclesiastes....................................................................................... 67
Capítulo 14
O Cântico dos Cânticos de Salomão............................................................... 70
Introdução (ao aluno iniciante)
Quando você se aprofunda na Palavra de Deus e deixa que a Pala-
vra transforme sua vida, coisas maravilhosas e tremendas acontecem.
Bem-vindo ao ENCONTRO COM A PALAVRA. Juntos faremos um es-
tudo de toda a Bíblia, dividido em 13 livros. Essa jornada nos levará do
Livro de Gênesis ao Apocalipse e nos dará uma visão panorâmica de cada
livro da Bíblia. Observaremos a estrutura do livro, o seu contexto histórico
e, o que é mais importante, buscaremos uma aplicação para nossas vidas,
a partir do ensino de cada livro.
Algumas pessoas acham a Bíblia um livro confuso. Realmente, não é
fácil relacionar os acontecimentos com a sua época e o seu significado.
Mas, cada versículo da Bíblia é um pedacinho desse quebra-cabeça, cujo
conteúdo é muito glorioso. Minha oração é que, no final dessa jornada,
você tenha adquirido uma compreensão maior de cada livro da Bíblia, do
modo como eles se completam, e possa situá-los dentro da história de Deus
com o homem. No final, você terá uma compreensão de como Deus tra-
balhou nos tempos do Velho Testamento; terá também compreendido o que
mudou com a vinda de Jesus Cristo e a razão da mudança; aquilo em que
você antes cria no coração, será confirmado em sua mente, e você poderá
testemunhar sua fé com mais confiança e conhecimento.
Espero que você faça todo o curso e convide outras pessoas para que
nos acompanhem nesse estudo da Bíblia, o livro mais importante do mundo.
Faça suas malas e prepare-se para embarcar. Estamos prestes a partir!
Ferramentas que serão utilizadas
Segundo o apóstolo Paulo, a única maneira de não passarmos ver-
gonha, quando se trata de Bíblia, é tornarmo-nos obreiros que manejem
bem a Palavra. A única maneira de entender a Bíblia é saber usá-la. Por
isso, o meu desafio é que você assuma o compromisso de estudá-la com
dedicação e sinceridade. Nenhum livro merece mais dedicação e empe-
nho da nossa parte que a Bíblia. Se você quiser se aprofundar ainda mais
neste estudo, além de dedicação e empenho há outras ferramentas que
o ajudarão a ir mais fundo no conhecimento das Escrituras.
Antes de qualquer coisa você precisa de uma Bíblia e, se possível,
adquira mais de uma tradução. Você também vai precisar de um cader-
no para anotações.
Como qualquer outro trabalho, esse será cumprido com mais facili-
dade e atingirá melhores resultados, se você possuir as ferramentas cer-
tas. O estudo da Bíblia fica mais produtivo, quando se utilizam os re-
cursos disponíveis. Procure equipar-se com as ferramentas que mencio-
namos e você se surpreenderá com os resultados.
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cãnticos)

Capítulo 1
I e II Livros de Reis - Reis e Profetas

Depois de termos estudado os reinos de Israel e de Judá. Podería-


livros de Samuel, estudaremos, ago- mos chamá-los de “A Ascensão e a
ra, os livros de Reis, onde enfocare- Queda da Nação Hebraica”. O ca-
mos dois temas: de que forma Deus pítulo 17 do Livro de II Reis descre-
tratou o povo de Israel durante o ve o cativeiro das dez tribos que
período de apostasia e como Deus foi compunham o Reino do Norte, que
paciente com os reis corruptos. Es- foi conquistado pelo Império As-
tes dois temas são a base deste es- sírio. O povo caminhou para a
tudo, à medida que descobrirmos os Assíria acorrentado e, depois disso,
altos e baixos da História dos He- as Escrituras não fazem mais ne-
breus, relatada nos livros do Reino. nhuma menção dessas dez tribos;
elas foram chamadas de “As Dez
Visão panorâmica dos reis e seus Tribos Perdidas de Israel”.
reinos O capítulo 25 de II Reis relata
Os livros de I e II Samuel falam a conquista do Reino do Sul, o Rei-
de um homem que se tornou monar- no de Judá, pelos babilônios, cujo
ca, porque o povo de Israel rejeitou imperador era Nabucodonozor. Na
Deus como seu Rei. No Livro de I queda da cidade de Jerusalém, os
Reis, lemos sobre a divisão desse que não foram aniquilados, foram
reino governado por homens e, no levados cativos para Babilônia.
Livro de II Reis, temos os detalhes Depois de setenta anos, a Pérsia
dos lamentáveis cativeiros a que o conquistou a Babilônia e Ciro, o
povo foi submetido. Grande, imperador da Pérsia, toca-
O relato dos péssimos reis que do pelo Deus Todo-Poderoso, emi-
Israel teve serve de advertência para tiu um decreto permitindo aos ca-
nós. As consequências para o povo tivos hebreus, que viviam na Pérsia,
foram terríveis, mas devemos ter em voltarem para Jerusalém, a fim de
mente que Deus não foi o respon- reconstruírem o Templo, a cidade,
sável por essas consequências, mas o país e suas vidas despedaçadas.
sim o povo, por sua escolha, e os Os Livros Históricos da Era
reis, por sua perversidade. Pós-Cativeiro, Esdras, Neemias e
Os dois livros de Reis destacam Ester dão continuidade ao relato da
a divisão, a queda e o cativeiro dos história do povo de Deus, depois da

7
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

volta do cativeiro babilônico. O Li- e, por isso, era necessário que fos-
vro de Ester descreve alguns fatos se repreendido por Deus, através
que aconteceram na Pérsia e na dos Seus fiéis emissários.
Média com os hebreus que preferi- Elias, é o profeta destacado no
ram não voltar. O Livro de Ester Livro de I Reis, enquanto que, em
conclui o estudo dos Livros Histó- II Reis, o destaque é para seu su-
ricos do Velho Testamento. cessor, o profeta Eliseu. Apesar de
estes dois profetas receberem des-
Os profetas taque em nosso estudo, não deixa-
Cada escritor dos Livros Profé- remos de fazer menção aos menos
ticos do Velho Testamento se encai- conhecidos, como Micaías, um dos
xa no contexto relatado nos Livros meus preferidos, que é mencionado
Históricos. Vamos ficar conhecendo no capítulo 22 de I Reis.
mais sobre esses valorosos servos de Mesmo depois de o Reino ter
Deus, depois de estudarmos os Livros sido dividido em dois, Reino do Nor-
Poéticos do Velho Testamento. te e Reino do Sul, houve ocasiões em
que seus reis mantinham um bom
O que é um profeta? relacionamento, embora, na maioria
A palavra “profeta” é formada das vezes, eles tenham sido inimigos
por duas palavras: “pro”, que sig- declarados. É importante ressaltar
nifica “que está diante de” e pela que todos os reis do Reino do Norte
palavra derivada de “phano”, que foram pervertidos e apóstatas, en-
significa “que faz brilhar”. Literal- quanto que no Reino do Sul, o Rei-
mente, “profeta” significa “aquele no de Judá, alguns reis foram bons;
que fala por Deus”. Era exatamen- nenhum, entretanto, foi tão bom rei
te isto que o profeta fazia: pregava quanto Davi. Alguns deles foram te-
a Palavra de Deus, escrita nos livros mentes a Deus como, por exemplo,
de Moisés, além de anunciar as Ezequias, Josafá e Josias.
revelações de Deus para o povo. A O capítulo 22 de I Reis registra
questão de profetizar sobre o futu- a aliança entre Acabe, rei de Israel,
ro é fascinante, mas o profeta, pri- e Josafá, rei de Judá. Acabe era
mordialmente, pregava a Palavra de perverso e Josafá era temente a
Deus. Eles ficavam entre a Palavra Deus. Qual o motivo, então, dessa
e o povo, e faziam com que a Pala- aliança? Eles tinham netos em co-
vra de Deus brilhasse para o Seu mum, pois seus filhos tinham-se
povo. O ministério deles também unido em casamento. Mas, a razão
incluía confrontar o povo que, cons- principal dessa união foi o fato de
tantemente, se desviava do Senhor Acabe necessitar do auxílio de Josafá,
8
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

numa batalha contra a Síria. lhas que não tem pastor; e disse o
Antes de concordar com essa Senhor: ‘Estes não têm dono; torne
aliança, Josafá, seguindo a tradi- cada um em paz para a sua casa’”
ção da época, quis consultar os (I Reis 22:17).
profetas. Acabe perguntou: “você Mesmo assim, Acabe e Josafá
quer consultar os profetas? Então resolveram lutar contra a Síria.
eu vou arrumar uns profetas para Micaías advertiu: “Vi o Senhor as-
você; tenho quase 400 profetas ao sentado no seu trono, e todo o exér-
meu dispor ”. Estes encorajaram cito do céu estava junto a ele, à sua
Acabe a entrar na batalha e prome- direita e à sua esquerda. Pergun-
teram vitória, mas Josafá quis ou- tou o Senhor: Quem enganará Aca-
vir um profeta do Deus Verdadeiro. be, para que suba e caia em
Relutante, Acabe respondeu: “Há Ramote-Gileade. Um dizia desta
um ainda, pelo qual se pode con- maneira, e outro, de outra. Então,
sultar o Senhor, porém eu o abor- saiu um espírito, e se apresentou
reço, porque nunca profetiza de diante do Senhor, e disse: Eu o
mim o que é bom, mas somente o enganarei. Perguntou-lhe o Senhor:
que é mau. Este é Micaías, filho de Com quê? Respondeu ele: Sairei e
Inlá” (I Reis 22.8). serei espírito mentiroso na boca de
Quando o mensageiro estava todos os seus profetas. Disse o
levando Micaías para o palácio, Senhor: Tu o enganarás e ainda pre-
disse a ele para ser razoável e con- valecerás; saí e faze-o assim. Eis
cordar com o que os outros profe- que o Senhor pôs o espírito menti-
tas já tinham falado, mas Micaías roso na boca de todos estes teus
disse: “Tão certo como vive o Se- profetas e o Senhor falou o que é
nhor, o que o Senhor me disser, isso mau contra ti” (19-23).
falarei” (14). Quando Acabe ordenou que
Micaías foi levado diante dos Micaías fosse preso e posto apenas
dois reis, no palácio de Acabe, que a pão e água, até que ele voltasse,
lhe perguntou: “Micaías, devemos este profeta disse: “Se voltares em
lutar contra os sírios?”. Micaías paz, não falou o Senhor, na verda-
respondeu: “claro, vá em frente! Vai de, por mim” (28). Acabe e Josafá
ser uma vitória e tanto!”. Acabe fi- levaram seus exércitos para a ba-
cou chocado com a resposta e per- talha com os sírios. Acabe não vol-
guntou: “você está falando o que tou com vida dessa batalha e não
Deus mandou você dizer, Micaías?”. sabemos se Micaías chegou a sair
Micaías respondeu: “Vi todo o Israel daquela prisão.
disperso pelos montes, como ove- Em meio à batalha, a profecia
9
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

de Micaías foi cumprida à risca. Os profetas de Baal, que serviam a


exércitos de Acabe e de Josafá eram rainha Jezabel, mulher de Acabe (I
como ovelhas espalhadas pelos Reis 18.21,22). Eles construíram
campos. Um soldado sírio atirou um altar e Elias outro; em seguida,
uma flecha a esmo, que atingiu invocaram que o fogo consumisse o
Acabe sob sua armadura. Ele san- sacrifício que ambos ofereceram. O
grou até morrer e os exércitos vol- altar que fosse consumido pelo fogo
taram derrotados. provaria ser o do Deus verdadeiro.
Os livros de Reis citam vários Todos os profetas se reuniram
profetas que não foram mencionados no Monte Carmelo e os profetas de
pelo nome. No capítulo 13 de I Reis, Baal clamaram ao seu deus, corta-
por exemplo, lemos sobre um profe- ram-se e mutilaram-se, tentando con-
ta que confrontou o perverso rei seguir a atenção do seu deus. “Ao
Jeroboão. Este, ao estender o bra- meio dia, Elias zombava deles, di-
ço, apontou para o profeta e orde- zendo: Clamai em altas vozes, por-
nou: “Prendam este homem”. Quan- que ele é deus, pode ser que esteja
do ele disse isto, seu braço ficou meditando, ou atendendo a necessi-
paralisado na posição em que esta- dades, ou de viagem, ou a dormir e
va. Então, o rei implorou ao profe- despertará” (27). Aqueles profetas
ta: “Clame ao Senhor, teu Deus, ora ficaram clamando até o final do dia
por mim, para que eu possa recolher e, finalmente, acabaram desistindo.
a mão”. O profeta interveio em fa- Então, Elias cavou uma vala ao
vor do rei, diante de Deus e o rei foi redor do seu altar e encharcou o
curado miraculosamente (4-6). sacrifício com água, inclusive a
Uma das coisas que observa- madeira para o fogo. Depois, orou a
mos a respeito dos profetas é que Deus: “Ó Senhor, Deus de Abraão,
Deus lhes deu poder sobrenatural e, de Isaque e de Israel, fique, hoje,
dessa forma, eles podiam confron- sabido que tu és Deus em Israel, e
tar os reis perversos. que eu sou teu servo e que, segundo
Elias é o profeta mais mencio- a tua palavra, fiz todas estas coi-
nado no Livro de I Reis e, no capí- sas. Responde-me, Senhor, respon-
tulo 18, está registrado aquele que de-me, para que este povo saiba
foi o seu momento de glória. Na- que tu, Senhor, és Deus e que a ti
quele tempo, quase todo o povo de fizeste retroceder o coração deles”
Deus tinha-se voltado para deuses (I Reis 18.36,37).
pagãos, representados pelos seus Imediatamente, veio fogo do
respectivos falsos profetas. Elias céu e consumiu o sacrifício e toda
desafiou para uma disputa os 450 a água ao seu redor. “O que vendo
10
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

todo o povo caiu de joelhos, com o dormisse um pouco e ordenou que


rosto em terra e clamou: O Senhor um anjo lhe desse alguma coisa que
é Deus! O Senhor é Deus!” (39). o fortalecesse.
Em seguida, foram mortos os 450 “Voltou segunda vez o anjo do
profetas de Baal. Que avivamento Senhor, tocou-o e lhe disse: Levan-
impressionante! ta-te e come, porque o caminho te
Quase não podemos reconhecer será longo”. O texto continua com
Elias, no capítulo seguinte. Jezabel, Elias caminhando quarenta dias e
a mulher de Acabe, que introduziu a quarenta noites até Horebe, onde
adoração a Baal entre o povo de entrou numa caverna para passar a
Deus, ficou furiosa com o que Elias noite. Então, Deus lhe perguntou:
tinha feito aos seus profetas e o “Que fazes aqui, Elias?” (19.7-9).
ameaçou de morte (I Reis 19.2. O Alguma vez Deus já fez esta per-
até então corajoso profeta Elias fu- gunta para você? Espiritualmente fa-
giu para o deserto e, exausto, sen- lando, eu não sei onde você se encon-
tou-se sob uma árvore, pedindo ao tra; talvez Deus esteja lhe perguntan-
Senhor que o recolhesse, porque se do, através da história de Elias: “O
sentia deprimido e derrotado. que você está fazendo no lugar onde
Um dos problemas de Elias é se encontra?” Você está realmente
que ele estava exausto. Aliás, pode- onde Deus quer que você esteja?
ríamos dar outro nome para o Livro Lembre-se: nos livros de Reis,
de I Reis: “Como Ficar Física, Emo- você encontrará mensagens de aler-
cional e Espiritualmente Exausto”. ta, através da vida dos monarcas,
De maneira gentil e paciente, Deus além de exemplos impressionantes
deu ao Seu profeta instruções bem na vida dos profetas fiéis a Deus,
práticas. Ele mandou que Elias como Elias, Eliseu e Micaías.

11
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 2
A Ascensão e Queda do Reino

Os livros de I e II Reis ensinam babilônios durante dez anos, mas


sobre a ascensão e queda do Reino acabou também se rebelando e a
dos filhos de Israel. O Reino atingiu cidade foi conquistada pela terceira
o auge da sua glória durante o rei- vez. Esta foi a última invasão de
nado de Salomão; entretanto, essa Jerusalém, quando toda a cidade foi
glória não durou muito, pois destruída e queimada.
Salomão não fez a vontade diretiva Mas, estamos indo rápido de-
de Deus, mas a vontade permissiva. mais. Voltemos para o apogeu do
O Livro de I Reis relata a divi- Reino, quando ele ainda não tinha
são do Reino, enquanto que II Reis sido dividido e estava sob o reina-
descreve a queda dos Reinos do Nor- do de Salomão.
te e do Sul. O Reino do Norte, Isra-
el, foi devastado pela Assíria e o O legado duplo de Salomão
Reino do Sul, Judá, foi conquistado Num aspecto, Salomão e Saul
e levado para o exílio na Babilônia. são parecidos: os dois começaram
Estudando a história do Reino bem seus reinados e terminaram
do Sul, aprendemos que sua conquis- mal. Por algum tempo, depois de
ta e exílio não aconteceram de uma Davi passar o poder para Salomão,
só vez. Durante um período de vin- parecia que o terceiro rei de Israel se-
te anos, houve três diferentes inva- guiria os passos de seu pai. O capí-
sões e tomadas da cidade. Na pri- tulo 3 de I Reis relata como ele foi
meira invasão, o rei Jeoaquim ren- humilde ao pedir sabedoria a Deus
deu-se ao poder do inimigo e passou para guiar o povo. Deus se agradou
a servir o rei da Babilônia durante do pedido de Salomão e lhe conce-
três anos. Mais tarde, ele se rebelou deu sabedoria, riqueza e honra como
contra o poder babilônico, quando nenhum outro rei jamais teve.
aconteceu a segunda invasão da ci- A atitude de Salomão é um
dade e grande parte do povo foi sim- exemplo para nós, pois ele pediu sa-
plesmente massacrada; quem esta- bedoria ao invés de riquezas; ape-
va no poder, nessa ocasião, era Jo- sar disto, ele sofreu uma terrível de-
aquim, filho de Jeoaquim. Nomea- cadência espiritual, quando come-
do rei pelos babilônios, Zedequias çou a desobedecer ao Senhor e a
serviu como “ fantoche” dos andar no sentido oposto ao que lhe
12
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

ensinara seu pai, Davi. Lembre-se O Livro de Eclesiastes foi um


que a divisão e a queda do Reino, sermão que Salomão pregou para os
seguida pelo cativeiro do povo, não jovens do seu Reino; nele e no Sal-
foram conseqüências do pecado de mo 127 há duas boas razões para
Davi, pois ele o havia confessado e crermos que, no final de sua vida,
sido perdoado por Deus. Toda ca- ele tenha se voltado para o Senhor.
lamidade que sobreveio ao Reino, Uma terceira razão para crer-
foi resultante do pecado e da deca- mos na reconciliação de Salomão
dência espiritual de Salomão. com Deus é que o relato de II Crôni-
Quando o Reino de Israel atin- cas omite, completamente, tanto o
giu o seu apogeu, Salomão se afas- pecado de Davi, como o de Salomão,
tou de Deus. Ele teve setecentas o que indica que este, assim como
mulheres e trezentas concubinas, fez seu pai, tenha se arrependido e
que adoravam outros deuses e, tra- confessado o seu pecado.
gicamente, ele se deixou levar pela Conforme você poderá conferir,
idolatria dessas mulheres. no Livro de I Reis, a vida de Salomão
Acredito, entretanto, que é ao mesmo tempo um importante
Salomão tenha se voltado para o exemplo e um alerta para todos nós.
Senhor. Ele escreveu o Salmo 127,
e o iniciou dizendo: “Se o Senhor Ezequias: um bom rei
não edificar a casa, em vão traba- Ezequias foi um dos maiores
lham os que a edificam” (1). Salo- reis de Judá (II Reis 18-20). Ele
mão foi um grande construtor; ele acabou com a idolatria, que tinha
não construiu apenas o Templo, se enraizado no meio do povo, con-
mas, também, cidades, parques e fiou no Senhor e Lhe obedeceu. Na
navios. Neste salmo, ele dá uma verdade, nenhum rei anterior a ele,
lição sobre prioridades, quando diz com exceção de Davi, viveu tão
que podemos acabar trabalhando perto de Deus. No entanto, além do
demais e construindo muitas coisas grande exemplo, ele deixou um aler-
em vão; que a coisa mais importan- ta para todos nós.
te que podemos construir é a vida Quando Ezequias ficou doente,
de nossos filhos. Deus usou o profeta Isaías para lhe
Ele tinha muitas razões para dizer que pusesse sua casa em or-
escrever este salmo, onde parece dem, porque ele iria morrer (II Reis
demonstrar arrependimento por ter 20.1-11). Ezequias virou-se para a
gasto tanto tempo construindo tan- parede e orou a Deus, pedindo que
tas coisas e não ter investido na o livrasse da morte. Deus, então,
vida de seus filhos. mandou Isaías transmitir-lhe esta
13
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

bela mensagem: “Ouvi a tua oração isso não aconteceria com ele: “Boa
e vi as tuas lágrimas; eis que eu te é a palavra do Senhor que disses-
curarei; ao terceiro dia, subirás à te. Pois pensava: Haverá paz e
Casa do Senhor” (II Reis 20.5). segurança em meus dias” (19). Ele
Deus vê nossas lágrimas; é impor- aceitou bem a Palavra do Senhor,
tante que compreendamos isso. porque achou que seus últimos
Deus acrescentou quinze anos à vida quinze anos de vida seriam bons,
de Ezequias. Que exemplo para nós! não parecendo se importar com o
Aquele homem apelou para Deus, que aconteceria aos seus filhos e
mesmo depois de ouvir sua senten- netos. Ezequias demonstrou possuir
ça de morte pelo profeta do Senhor. um caráter egoísta, o que não dei-
Ezequias, porém, se tornou um xa de ser um alerta para nós.
alerta para nós, por ocasião de um
estranho incidente. Um dia, os O excelente exemplo de Eliseu
babilônios o visitaram e Ezequias O profeta Eliseu é um ótimo
lhes mostrou tudo de valor que ha- exemplo para nós. O capítulo 5 de II
via no Reino: o exército, seu arse- Reis conta que o general do exército
nal e todos os tesouros. Depois dis- sírio procurou este profeta em busca
so, o profeta Isaías lhe perguntou: de cura. Naquele momento, o exérci-
“Que viram em tua casa? Ezequias to sírio estava preparado para atacar
respondeu: Viram tudo quanto há e conquistar o Reino de Israel, sen-
em minha casa”. Então, Isaías lhe do que já haviam se iniciado alguns
advertiu que aquilo tinha sido um confrontos ao longo da fronteira.
grande erro de sua parte, e disse Enquanto isso, na Síria, o
mais: “Eis que virão dias em que grande general do exército, Naamã,
tudo quanto houver em tua casa, estava acometido de lepra. Uma
com o que entesouraram teus pais menina escrava, de origem judaica,
até o dia de hoje, será levado para que servia à mulher de Naamã,
a Babilônia; não ficará coisa algu- contou que havia um profeta em
ma, disse o Senhor” (II Reis 20.15- Israel que tinha o poder de curar
17). Isaías estava profetizando a aquela lepra.
conquista de Jerusalém pelos Naamã, junto com alguns dos
babilônios. De acordo com a profe- seus soldados, em sua carruagem,
cia de Isaías, os filhos de Ezequias foi até a pequena cabana de Eliseu,
seriam transformados em eunucos esperando ser recebido de forma
e mandados como escravos para a espetacular, mas Eliseu sequer che-
Babilônia (18). Qual foi a resposta gou a sair para cumprimentar o fa-
do rei? Ele ficou feliz porque tudo moso general. Ele, simplesmente,
14
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

mandou um recado através do seu aconteça. Eliseu não se adaptou às


servo: “Vai, lava-te sete vezes no expectativas de Naamã, mesmo
Jordão, e a tua carne será restau- sabendo que poderia ser gratifica-
rada, e ficarás limpo” (10). Naamã, do pelo general com aquela cura.
indignado com aquele tratamento, Antes de encerrarmos o estudo
subiu em sua carruagem, dizendo a dos livros históricos, ainda quero
um dos seus assistentes: “Não são, abordar com você a vida de alguns
porventura, Abana e Farfar, rios de profetas e fazer algumas observa-
Damasco, melhores que todas as ções finais sobre eles. Os profetas
águas de Israel? Não poderia eu la- não foram apenas homens, através
var-me neles e ficar limpo?” (12). dos quais Deus falou, e através de
Afinal, por que ele precisaria das quem a Palavra de Deus brilhou;
águas do Rio Jordão, se no seu país eles também foram homens que
havia rios muito melhores que Deus levantou, sempre que havia
aquele? um problema no meio do povo. Por
Os servos de Naamã, porém, isso, podemos dizer que “quando
encorajaram-no a seguir as instru- não havia problema, não havia pro-
ções de Eliseu até que, no sétimo feta”. Mas, sempre que surgia um
mergulho, estava curado da lepra. problema, um profeta aparecia.
O milagre não aconteceu como ele Um dos papeis do profeta de
esperava, mas o resultado foi me- Deus era tratar do problema que
lhor que ele imaginava! estava obstruindo a Sua obra.
A cura de Naamã é uma alego- Os livros de I e II Reis mos-
ria da salvação. Muita gente vem até tram a ascensão e a queda do Rei-
Cristo, buscando salvação com no e, à medida que aprendemos
ideias pré-concebidas, sobre como mais sobre este Reino, podemos
sua salvação vai acontecer; acham discernir o que Deus quer de Sua
que será uma “panaceia espiritual”, Igreja hoje. Por isso, procure apren-
porque, se for algo simples, prova- der com a vida dos reis, seus aler-
velmente, não terá valor algum. Ge- tas e exemplos.
ralmente, os mais intelectualizados
têm essa opinião e, quando vêem a Últimas observações sobre I e II Reis
simplicidade do Evangelho, acabam A primeira coisa que devemos
não tendo fé. Mas, o Evangelho é observar é como Deus tratou a
simples mesmo, tão simples como questão de o povo ter preferido ser
mergulhar sete vezes no Rio Jordão governado como o eram os povos
e não é necessária nenhuma quali- de outras nações. Outra coisa que
ficação espiritual para que isso observamos é como Deus foi paci-
15
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

ente com os reis pervertidos, prin- deste conceito nas Escrituras. Deus
cipalmente os do Reino do Norte; ouviu a oração do publicano (Lucas
observe como Deus os advertiu, 18.10-14), e Jesus ouviu a oração
pacientemente, antes de permitir do ladrão na cruz (Lucas 23.
que a calamitosa escravatura so- 42,43). Você acha que Deus não
breviesse a eles. Note, ainda, que responderia a oração de um pai,
Deus respondeu a oração de alguns para poupar a vida do seu filho, que
reis ímpios, o que levanta algumas está à beira da morte, por causa de
dúvidas teológicas (cf. II Reis um acidente que sofreu? Creio que
13.4,5). Algumas pessoas acham Deus ouve a oração de qualquer
que Deus só ouve as orações de pessoa e a qualquer momento. É
quem está em comunhão com Ele, isso que vemos ilustrado nos livros
mas eu não encontro confirmação de Reis.

16
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 3
Os Livros de Crônicas - As Omissões

Visão geral de I e II Crônicas Novo Testamento; o período da His-


Os livros de I e II Samuel, I e II tória dos Hebreus, que estudamos
Reis e I e II Crônicas cobrem o mes- nos livros de Reis, também é abor-
mo período da História dos dado nos livros de Crônicas.
Hebreus, de 1000 a.C. até 500 Mas, qual é a ênfase nos livros
a.C. Os estudiosos mais antigos da de Crônicas? A resposta para esta
Bíblia classificavam os livros de pergunta é: o Reino de Deus. Jesus
Crônicas junto com os livros de ensinou que o Reino de Deus e o
Esdras e Neemias; o conteúdo da- novo nascimento devem ter priori-
queles livros é tão semelhante ao do dade em nossa vida (Mateus 6.33;
livro de Neemias, que alguns estu- João 3.3,5). O conceito de Reino de
diosos costumavam agrupá-los na Deus foi enfatizado na literatura his-
mesma classificação; pelo mesmo tórica do Velho Testamento, porque
motivo, outros acreditam que Deus quer que compreendamos que
Esdras tenha sido seu autor. Só Ele é o Rei e que estejamos subor-
depois de algum tempo, os livros de dinados ao Seu reinado.
Samuel, Reis e Crônicas foram agru- A terceira razão para essa repe-
pados na mesma classificação, por tição é que Deus quer que entenda-
possuírem a mesma estrutura. mos que o Seu povo O rejeitou como
Rei, e que agora estamos vivendo as
Por que a Bíblia é repetitiva? consequências dessa rejeição. Deus
Por que a Bíblia fala duas ou quer que entendamos essa rejeição,
mais vezes do mesmo assunto? Por porque ela mostra que hoje nós,
várias razões. Primeiro, porque é também, podemos rejeitá-Lo como
repetindo que se aprende, como os Rei em nossas vidas.
educadores dizem; segundo, porque
a Bíblia quer enfatizar certos concei- Tempos e estações
tos. Por exemplo, o relato da criação Quando o Reino do Sul foi le-
aparece duas vezes no Livro de vado cativo para a Babilônia, ini-
Gênesis; a Lei de Moisés é apresen- ciou-se a “Era dos Gentios”. Deus
tada em Êxodo e repetida em queria que Seu povo tivesse um
Deuteronômio; a biografia de Jesus governo teocrático; mas, quando os
Cristo é registrada quatro vezes no filhos de Israel rejeitaram esse go-

17
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

verno, Deus disse: “muito bem, mesmo período histórico é porque


agora vocês serão dispersos entre a narração estava incompleta, isto
os gentios e serão governados por é, os autores dos livros de Samuel
eles”; ou seja, eles estariam subor- e de Reis tinham contado a histó-
dinados a povos incrédulos, não- ria sob o ponto de vista dos ho-
judeus. A partir do cativeiro mens, enquanto que nos livros de
babilônico, Deus deixou de tratar Crônicas a história é narrada sob o
com o povo através de reis como ponto de vista de Deus.
Davi e outros reis tementes a Ele,
e passou a usar reis pagãos, como Omissões
Nabucodonozor e Ciro, o Grande. Apesar dos livros de Samuel,
Os Livros Históricos da Bíblia mos- Reis e Crônicas tratarem do mesmo
tram que os planos de Deus para assunto, estes últimos se distin-
Seu povo não são impedidos por guem dos primeiros. Uma dessas
causa dos governos pagãos, pois distinções pode ser explicada com
Deus continuou a trabalhar através a palavra “Omissão”. Alguns dados
desses governos. Os planos de Deus foram relatados nos livros de
continuam a ser cumpridos, mesmo Samuel e Reis e omitidos nos livros
que O rejeitemos como Rei. de Crônicas; por exemplo, os peca-
A partir da “Era dos Gentios”, dos de Davi e Salomão.
o Reino de Deus passou a ser no A omissão do pecado de Davi
interior de cada indivíduo que crê em e de Salomão nos livros de Crôni-
Deus e faz dEle o seu Rei, mesmo cas é um bom sinal para nós. A a-
que viva no meio de povos incrédu- plicação que tiramos é que nossos
los e sob o regime de governos pa- pecados serão omitidos, quando
gãos. Os filhos de Deus foram es- nos apresentarmos diante de Deus,
palhados pela terra para, como o porque confiamos em Jesus Cristo
sal, darem sabor a ela. Nenhuma para sermos salvos.
nação, hoje, pode ser considerada Hoje, quando um evento é tele-
cristã. Desde que os judeus rejeita- visionado, várias câmeras captam
ram o governo teocrático que Deus diferentes ângulos da mesma cena.
tinha para eles, nenhuma outra Os livros de Samuel e de Reis
nação foi governada por Deus. Não correspondem às câmeras que cap-
existe uma “nação cristã”. O Reino taram a perspectiva humana de um
de Deus agora é vivido no coração período da História dos Hebreus e
dos indivíduos. os livros de Crônicas correspondem
A quarta razão porque os Li- à câmera que captou a perspectiva
vros de Crônicas falam outra vez do de Deus do mesmo momento histó-
18
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

rico. Podemos refletir como algu- mendação, nos livros de Reis, para
mas dessas “omissões” são impres- consultar as Crônicas, porque o
sionantes. Por exemplo, o Reino do Autor daqueles livros, o Espírito
Norte, Reino de Israel, que foi ab- Santo, quer que tenhamos a pers-
solutamente pervertido e desviado pectiva divina de um determinado
dos propósitos de Deus, não é se- rei ou acontecimento.
quer mencionado nos livros de Crô- Tomemos por exemplo Davi. As
nicas, depois da divisão do Reino. Crônicas explicam que o sucesso
Isto se deve ao fato de os livros de político e todas as bênçãos que
Crônicas enfatizarem a linhagem de estiveram presentes na vida de Davi
Davi e as tribos de Judá, pois de- foram para que o povo de Deus se
les descenderia o Messias. alegrasse. Nestes livros podemos
Além disso, os livros de Crôni- constatar a grande contribuição de
cas dão ênfase aos reis que foram Davi na adoração que o povo pres-
instrumentos de Deus para levar tava a Deus. Os capítulos 15 e 23
avivamento e restauração ao povo de I Crônicas contam como Davi
como, por exemplo, Josafá, Joás, organizou os corais e os músicos.
Ezequias e Josias, reis do Reino do Ele tinha uma imensa orquestra e
Sul, Reino de Judá. Quanto aos reis um coral formado por quatro mil
ímpios, que não trouxeram nenhum levitas. Tudo isso é destacado nos
benefício espiritual para o povo, livros de Crônicas e omitido nos li-
não são mencionados. vros de Samuel, porque, nos livros
Josias foi responsável pela re- de Crônicas, Deus revela a impor-
forma do Templo, ocasião em que tância da adoração para Ele.
foram encontrados alguns rolos das Além disso, os livros de Crôni-
Escrituras. O povo tinha se torna- cas explicam porque Deus não per-
do tão apóstata que havia se esque- mitiu que Davi construísse a Sua
cido completamente da Lei de Deus. Casa. Ele tinha sido um guerreiro e
O rei Josias, depois que leu os ro- muito sangue foi derramado (I Crô-
los e percebeu que os mandamen- nicas 22.8,9). Através destes li-
tos de Deus não estavam sendo vros, ficamos sabendo que o rei
obedecidos, levou a nação inteira a Josafá, aliou-se ao perverso rei
viver de acordo com a Palavra de Acabe, devido a laços de parentes-
Deus (II Crônicas 34). co (cf. II Crônicas 18.1).
Os livros de Crônicas são, de
certa forma, uma interpretação ou Uma oração de reavivamento
comentário dos livros de Reis. Por O versículo que transcrevemos,
esta razão, encontramos a reco- a seguir, é um dos versículos mais
19
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

marcantes dos livros de Crônicas: livros de Crônicas, é: os caminhos


“Se o meu povo, que se chama de Deus não são os nossos cami-
pelo meu nome, se humilhar, e orar, nhos; os pensamentos dEle não
e me buscar, e se converter dos são os nossos. Assim como os céus
seus maus caminhos, então, eu são mais altos que a terra, também
ouvirei dos céus, perdoarei os seus é diferente a forma de pensar e de
pecados e sararei a sua terra” (II agir de Deus, da maneira como nós
Crônicas 7.14). pensamos e agimos (Isaías 55.8-
Esta é uma palavra do Templo 9). Se você quer enxergar a Histó-
para o palácio, da vida religiosa para ria dos Hebreus, sob a perspectiva
a vida política da nação; uma alian- de Deus, leia os livros de Crônicas.
ça que Deus fez com o povo. Deus Você descobrirá como sua mensa-
disse que está pronto para perdoar e gem e perspectiva são preciosas.
curar, mas, para isso, Seu povo pre- Minha oração é que, depois de
cisa andar em caminhos de justiça. comparar os livros de Crônicas com
Devemos todos aplicar este versículo, os livros de Samuel e Reis, você
primeiro em nossas vidas e, depois, possa também comparar a perspec-
de maneira coletiva, como nação. tiva de Deus com a perspectiva
A chave para compreendermos humana, não apenas sob o ponto
o porquê da diferença e da repeti- de vista histórico, mas também sob
ção da História dos Hebreus, nos a perspectiva da sua própria vida.

20
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 4
Os Evangelhos Sinópticos do Velho Testamento

Neste capítulo, faremos um do começaram o trabalho de recons-


estudo superficial dos livros de trução, levantaram-se os opositores
Esdras e Neemias, os quais, juntos que usaram os mais diversos mei-
com o Livro de Ester, são conheci- os para tentar impedir o progresso
dos como os Livros Históricos do da obra, o que fez com que o tra-
pós-cativeiro. O cativeiro babilônico balho fosse interrompido, até que,
é uma linha divisória na História incentivado pelos profetas Ageu e
dos Hebreus. Os profetas, inclusi- Zacarias, o povo terminou o que
ve, são classificados como profetas havia começado. A obra de restau-
pré-cativeiro, do cativeiro e pós- ração do Templo foi concluída em
cativeiro. Os livros de Esdras, 516 a.C., vinte e um anos depois,
Neemias e Ester registram o perío- em grande parte por causa do mi-
do da história do pós-cativeiro. nistério daqueles profetas.
Durante este período, profetas es- Em 458 a.C., Esdras, o sumo
creveram, pregaram, viveram e sacerdote e também escriba, versa-
morreram. do na Lei de Moisés, lidera o segun-
do retorno, que aconteceu setenta
O retorno do cativeiro babilônico e nove anos após o primeiro e cin-
Uma das coisas que você deve qüenta e oito anos depois que a re-
ter em mente, quando lê os livros construção do Templo havia sido
de Esdras, Neemias e Ester, é que concluída.
o retorno do cativeiro babilônico Passados treze anos, Neemias
aconteceu em três etapas. O primei- liderou o terceiro retorno, cujo pro-
ro retorno aconteceu logo depois pósito era a reconstrução dos mu-
que o imperador Ciro, o Grande, ros da cidade de Jerusalém. Para
emitiu um decreto, permitindo aos tanto, Neemias contou com a aju-
judeus voltarem para sua terra. O da do profeta Malaquias.
governador Zorobabel e o sumo
sacerdote Jesua lideraram este re- Livros de Esdras e Neemias
torno, que ocorreu por volta de 537 contém o mesmo conteúdo
a.C. e visava, especificamente, a re- Os livros de Esdras e Neemias
construção do Templo. foram denominados “Os Evange-
Quando os que tinham retorna- lhos Sinópticos do Velho Testamen-

21
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

to”, porque os dois possuem con- comportamento do povo;


teúdos muito semelhantes. Estas 8 - Os dois livros mencionam impe-
são algumas semelhanças: radores pagãos que deram permissão
1 - Os dois livros possuem o mes- e ajuda, a fim de que a obra de Deus
mo estilo de linguagem hebraica e fosse realizada através do Seu povo;
podem ter sido escritos pelo mesmo 9 - Por fim, os dois livros terminam
autor, possivelmente Esdras; com um texto otimista e encorajador.
2 - O tema central dos dois livros se
refere ao mesmo episódio histórico: Lições específicas de Esdras
o retorno do cativeiro babilônico; Apesar das muitas semelhanças,
3 - Os dois livros abordam a mes- os livros de Esdras e de Neemias
ma obra: a reconstrução do Templo possuem características muito distin-
em Jerusalém; tas. Agora, vamos estudar e entender
4 - Os dois livros enfatizam os pa- melhor o Livro de Esdras. Para isso,
drões e princípios que devem ser vamos nos concentrar em sua pes-
seguidos na execução da obra de soa, que pode ser comparada a gran-
Deus; des homens de Deus, como Moisés,
5 - Neemias e Esdras foram dois lí- Samuel e Davi, já que ele exerceu um
deres muito diferentes, mas, apesar papel muito significativo no aviva-
da diferença, os dois são excelentes mento espiritual que reacendeu o in-
exemplos de liderança. Esdras era teresse do povo pela Palavra de Deus.
sacerdote e escriba, e ensinava a Em Esdras 7.10 lemos o seguin-
Palavra de Deus; sua atividade era, te: “Porque Esdras tinha disposto o
primariamente, pastoral. Neemias, coração para buscar a Lei do Senhor,
um leigo, era mais pragmático, um e para a cumprir, e para ensinar em
construtor muito prático; Israel os seus estatutos e os seus
6 - Os dois levaram o povo a bus- juízos”. Este versículo divide a vida
car e a receber um reavivamento da de Esdras em três períodos, sendo
parte de Deus; que o primeiro foi uma preparação
7 - Os dois livros possuem carac- para os outros dois; ele dedicou seu
terísticas semelhantes. Os primeiros coração a aprender, a conhecer e a
capítulos registram a obra a ser fei- estudar, diligentemente, a Palavra
ta e, depois da obra concluída, eles de Deus. Em seguida, ele se dedi-
narram como o povo se desviou de cou a viver e a aplicar a Palavra de
Deus. Os capítulos de número 9, Deus. Por fim, Esdras se dedicou,
nos dois livros, mostram as orações totalmente, a ensinar a Palavra de
de confissão, tristeza e arrependi- Deus ao povo, conduzindo-o nos
mento dos dois líderes, em razão do caminhos do Senhor.
22
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Os professores mais eficientes escribas, que se dedicaram ao ensi-


que conhecemos são aqueles que no da Palavra de Deus, no Templo.
vivem o que ensinam. Lamentavel-
mente, o que mais vemos hoje em Princípios e padrões
dia são pessoas que ensinam uma para a execução da obra de Deus
coisa e vivem outra. No segundo O Livro de Esdras traz ensinos
período da sua vida, Esdras praticou referentes à obra de Deus, que se
o que tinha aprendido no primeiro, tornaram padrões a serem seguidos:
o que tornou muito mais produtivo 1º Princípio: Deus é a força motriz
o terceiro período, o do ensino. da Sua obra (cf. Romanos 11.36).
A contribuição de Esdras para Deus é a Fonte e o Poder para exe-
a obra de Deus o inclui na mesma cução da Sua obra; a glória de Deus
classificação de homens como é o objetivo da Sua obra. Baseado
Davi, Samuel e Moisés. A ele é atri- nos primeiros versículos do Livro de
buída, por alguns teólogos, a auto- Esdras, pode-se afirmar que foi as-
ria dos livros de Crônicas, Esdras sim que Esdras priorizou a obra de
e Neemias, bem como a do maior Deus em sua vida.
capítulo da Bíblia, o Salmo 119, 2º Princípio: Deus quer executar
que, com 176 versículos, é mais Sua obra através de pessoas, por
extenso que alguns livros da Bíblia. isso Ele dá orientações precisas aos
Com exceção de apenas dois seus servos para cumpri-la.
versículos deste Salmo, todos os 3º Princípio: Deus, que é a força
outros falam da Palavra de Deus, o motriz da Sua obra, e que dá ori-
que comprova a sua dedicação entações precisas para que ela seja
irrestrita às Escrituras Sagradas. executada, provê tudo que é neces-
Os teólogos acreditam que sário para que tal aconteça. Este é
Esdras esteve no cativeiro e, por um princípio muito importante e
isso, não exerceu o seu sacerdócio confirmado várias vezes nas Escri-
no Templo. Acredita-se que Esdras turas. Em Mateus 6.33, Jesus dis-
tenha exercido um papel muito im- se aos Seus discípulos: “Buscai,
portante na organização do Velho pois, em primeiro lugar, o seu rei-
Testamento, na forma que o conhe- no e a sua justiça, e todas estas
cemos hoje. Ele também liderou o coisas vos serão acrescentadas”.
segundo retorno do cativeiro 4º Princípio: Para cumprir Sua obra
babilônico e implantou o ministério através de nós, Ele nos dá muito
de ensino no Templo, após a sua além daquilo que pedimos ou pen-
restauração; trouxe consigo da samos (cf. Efésios 3.20). Ao voltar
Babilônia um grupo de sacerdotes e do cativeiro, a fim de reconstruir o
23
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Templo, o povo tinha mais que pre- parece apenas “bom”. Ele tenta nos
cisava para executar aquela obra. distrair com a ideia de que, se exe-
5º Princípio: Quando nos dispomos cutarmos o que é apenas “bom”, será
a fazer a obra de Deus, o poder do satisfatório e, assim, tenta evitar que
mal neste mundo se levanta contra dediquemos nosso melhor para
nós. Satanás combate contra o “me- Deus. Falaremos mais sobre este
lhor” de Deus, em prol daquilo que princípio, no próximo capítulo.

24
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 5
Forças Opositoras à Obra de Deus

Precisamos estudar as estraté- não estarmos esperando nenhuma


gias do nosso adversário com cui- oposição, facilmente passamos a
dado, para entender o que Esdras duvidar da direção de Deus e do que
e os judeus que voltaram do cati- Ele realmente quer para nós, o que
veiro tiveram de enfrentar, como o é um erro. Deus trabalha através
apóstolo Paulo nos orienta em II dos homens, mas Satanás também;
Coríntios 2.11; 10.3-5; 11.13-15. como ele se opõe a tudo o que Je-
Nosso adversário é enganador e sus está fazendo, devemos estar
sabe que o pior inimigo do “melhor” preparados para enfrentar obstácu-
é o “bom”; por isso, ele não quer los, quando estivermos sendo usa-
que experimentemos o melhor de dos por Jesus Cristo. As pessoas,
Deus. Como é muito astuto, sabe muitas vezes, não percebem que
que não vai nos distrair e nos im- estão sendo embaixadoras do ad-
pedir de fazer o que é o “melhor” de versário (cf. Marcos 8.27-33).
Deus, sugerindo que roubemos um O Livro de Esdras ensina que
banco. A estratégia de Satanás é a oposição vem de todos os lados.
apresentar algo que seja “bom” e Existe a oposição externa, das pes-
que desvie nossa atenção do “me- soas do mundo, que não querem
lhor” de Deus. Se você vive numa que executemos a obra de Deus.
bela casa e o melhor de Deus para Quando os exilados voltaram para
você é ser médico missionário en- Jerusalém para reconstruir o Tem-
tre povos que não têm assistência plo, os que lá viviam tentaram de-
médica, Satanás vai sugerir que sencorajá-los e assustá-los. Eles
você seja um bom médico cristão aí mandaram mensagens para o rei
mesmo onde você está, no seu can- Artaxerxes, contando várias menti-
tinho confortável. Isso não é ruim, ras, e, por causa disso, o povo teve
é bom, mas não é o melhor de Deus de interromper a obra de reconstru-
para sua vida. ção (Esdras 4). O Livro de Neemias
O 6º Princípio está relacionado também conta que, quando eles
com o anterior: sempre encontrare- estavam construindo o muro, com
mos oposição ao tentar fazer a obra uma mão trabalhavam e com a
de Deus. Quando nos dispomos a outra seguravam armas, para se
fazê-la e surgem obstáculos, por protegerem dos opositores (Neemias
25
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

4.17). De certa forma, é mais fácil dulo, cuja atividade exija que ele
lidar com a oposição externa, por- conheça muitas pessoas; por exem-
que ela é mais perceptível. plo, um dentista que trabalhe com
A oposição interna está em crianças. Esta pessoa pode ter in-
nosso meio. Quando os exilados teresse em se tornar um professor
voltaram para reformar o Templo, os de Escola Dominical, para ter a
povos pagãos, que estavam viven- chance de conhecer outras crianças
do em Jerusalém e na Judéia, pro- e seus respectivos pais. A igreja
curaram Zorobabel e Jesua, dizen- deve tomar cuidado com isso e se-
do: “Deixai-nos edificar convosco, guir os princípios que aprendemos
porque, como vós, buscaremos ao no Livro de Esdras.
vosso Deus, como também já lhe 7º Princípio: Deus, que é a força
sacrificamos desde os dias de Esar- motriz da Sua obra, que a conduz
Hadom, rei da Assíria, que nos fez e provê tudo o que é necessário para
subir para aqui” (Esdras 4.2). A a sua realização, vai superar e ven-
isso Zorobabel e Jesua responde- cer qualquer obstáculo que se opo-
ram: “Nada tendes conosco na nha a ela. Isto deve ser vir de
edificação da casa ao nosso Deus; encorajamento e esperança para os
nós mesmos a edificaremos” servos do Senhor em todo mundo,
(Esdras 4.3). Zorobabel e Jesua que dia-a-dia lutam contra os obs-
estabeleceram um princípio referen- táculos que se levantam.
te à obra de Deus: ela tem que ser O mesmo Deus de Esdras e
feita pelo povo de Deus; os incré- Neemias, que venceu os obstáculos
dulos não devem tomar parte nela. daquele tempo, continua derruban-
“O plano de Deus é usar o poder do as barreiras que se levantam
de Deus no povo de Deus, para contra Sua obra até os dias de hoje.
cumprir os propósitos de Deus, O rei Artaxerxes recebeu a notícia
de acordo com o plano de Deus”. de que os judeus, que historicamen-
Creio que uma das fraquezas te já tinham sido rebeldes com ou-
da igreja de hoje resulta da mistura tros reis, estavam se rebelando e,
que há entre incrédulos e cristãos. por isso, não era prudente que lhes
Muitos líderes de igrejas costumam fosse permitido reconstruir o Tem-
engajar pessoas de prestígio na co- plo (Esdras 4.11-16). Mas, quan-
munidade, usar o seu dinheiro ou o do outro rei, chamado Dario, tomou
seu nome, para obter benefício para conhecimento dos rolos que infor-
seus projetos, sem se importarem se mavam que Ciro emitira um decre-
são ou não cristãs. to e fornecera material para que o
Imagine um profissional incré- povo reconstruísse o Templo, ele
26
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

escreveu: “Não interrompais a obra que, mais uma vez, Esdras se des-
desta Casa de Deus, para que o taca como exemplo. Ele determinou
governador dos judeus e os seus em seu coração estudar e obedecer
anciãos reedifiquem a Casa de a Palavra de Deus, ensinando-a,
Deus no seu lugar. Também por depois que ela lhe foi revelada. A obra
mim se decreta o que haveis de que Deus tinha para Esdras era im-
fazer a estes anciãos dos judeus, plantar um ministério de ensino, por
para que reedifiquem esta Casa de ocasião da reconstrução do Templo.
Deus, a saber, que da tesouraria 10º Princípio: Depois que a obra
real, isto é, dos tributos de além do de Deus é realizada, Ele pode per-
rio se pague, pontualmente, a des- mitir que alguns líderes caiam, para
pesa a estes homens, para que não que fique manifesto que toda reali-
se interrompa a obra” (Esdras 6.7- zação foi dEle, o que, lamentavel-
8). Deus venceu mais um obstácu- mente, tem acontecido com certa
lo e a Sua obra foi concluída. frequência em nosso meio.
8º Princípio: Os expectadores O 11º Princípio expressa que ou-
pagãos serão salvos ao observarem tra razão para a queda de um líder
a obra de Deus sendo executada está na ação de Satanás. Depois
através do Seu povo. Eles vêem que alguém realiza uma obra, Sa-
Deus trabalhando através de nós, tanás procura colocar em descrédi-
simples vasos de barro, e passam to essa pessoa que foi usada como
a compreender e a aceitar que Deus instrumento de Deus.
é o mentor da obra. Estes são alguns dos princípi-
Em Esdras 6.21,22, lemos que os sobre a obra de Deus encontra-
alguns dos grupos pagãos que esta- dos no Livro de Esdras. Finalizan-
vam em Judá, ao participarem da do, eu gostaria de enfatizar a lição
comemoração da Páscoa dos Judeus, que aprendemos com este livro:
desistiram dos seus costumes imorais “O plano de Deus é usar o poder
e passaram a adorar o Senhor, o que de Deus no povo de Deus, para
é diferente de incrédulos envolvendo- cumprir os propósitos de Deus,
se na obra de Deus. Quando alguém de acordo com o plano de Deus”.
é salvo, passa a pertencer ao povo de Você faz parte do povo de
Deus e se torna Seu instrumento, no Deus? Você tem consciência de que
cumprimento da Sua obra. é um instrumento do poder de Deus?
9º Princípio: Todos os que são Você sabe que o propósito do poder
chamados para liderar descobrirão a de Deus em você é que a obra dEle
obra que lhes está destinada pela seja realizada, através de você, de
revelação da própria Palavra, no acordo com os planos dEle?
27
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 6
O Perfil de Um Líder

Enquanto o Livro de Esdras Esdras planejou a obra de


apresenta princípios para execução Deus e Neemias colocou seus pla-
da obra de Deus, o Livro de Neemias nos em prática. Neemias era perse-
enfoca o tipo de líder, através de verante e não se conteve enquanto
quem Deus quer trabalhar. não viu a obra de Deus concluída.
Na época em que Neemias era Embora dotados de temperamentos
governador de Jerusalém o povo teve diferentes, estes dois homens são
necessidade de um reavivamento. Os exemplos de liderança, cujos prin-
judeus estavam se casando com os cípios devemos adotar. O Livro de
pagãos, o que era uma violação à Neemias, que passamos a estudar,
Lei de Deus. No capítulo 13, mostra qual é o “Perfil de um Líder
versículos 23-25, Neemias repreen- na Obra de Deus”.
deu o povo: “Vi também, naqueles 1ª Característica: O líder é dota-
dias, que judeus haviam casado com do de senso de responsabilidade
mulheres asdoditas, amonitas e pela obra de Deus. Se você se sen-
moabitas. Seus filhos falavam meio te assim, comece a orar; talvez
asdodita e não sabiam falar judai- Deus queira que você seja parte da
co, mas a língua de seu respectivo resposta à sua oração.
povo. Contendi com eles e os amal- 2ª Característica: O líder deve ter
diçoei, espanquei alguns deles e uma palavra de Deus a respeito da
lhes arranquei os cabelos e os con- obra. No capítulo 1, versículo 9,
jurei por Deus, dizendo: Não dareis Neemias lembrou as palavras de
mais vossas filhas a seus filhos e Moisés: “...mas se vos converterdes
não tomareis mais suas filhas, nem a mim, e guardardes os meus man-
para vossos filhos nem para vós damentos, e os cumprirdes, então,
mesmos”. ainda que os vossos rejeitados este-
Neemias tinha um estilo de li- jam pelas extremidades do céu, de
derança bem diferente! Acho que lá os ajuntarei e os trarei para o lu-
não conheço nenhum pastor que gar que tenho escolhido para ali fa-
tenha repreendido sua igreja deste zer habitar o meu nome”. O que Deus
jeito; mas, se Neemias foi tão enér- quer dizer com estas palavras é que
gico, é porque era disso que o povo o “lugar escolhido” é Jerusalém, por
de Deus estava precisando. isso a necessidade de Neemias re-
28
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

construir os muros ao seu redor. 4ª característica: O líder tem a


3ª característica: O líder possui visão da obra de Deus. “Não haven-
um compromisso com o término da do profecia, o povo se corrompe”
obra de Deus. A pessoa que é es- (Provérbios 29.18). O líder deve ter
colhida para liderar Sua obra deve uma profecia, uma visão, para con-
ter não apenas senso de responsa- tar. Quando Neemias voltou para
bilidade e conhecimento da Palavra, Jerusalém, ele inspecionou a cidade
mas, também, um compromisso até que tivesse as informações de
com Deus e com a Sua obra. Certa que precisava. Depois se reuniu com
ocasião, quando Neemias servia os sacerdotes, nobres e autoridades,
como copeiro do rei, colocou em e disse: “...vinde, pois, reedifique-
risco sua própria vida. A lei da mos os muros de Jerusalém e dei-
Pérsia e da Média determinava que xemos de ser opróbrio” (Neemias
fosse morta a pessoa que se apre- 2.17). Quando ele soube exatamen-
sentasse com uma expressão triste te o que fazer, contou aos outros.
diante do rei. No capítulo 2, lemos 5ª característica: O líder conta
que o rei fez a seguinte pergunta a com o envolvimento de outros na
Neemias: “Por que está triste o teu obra. Quando um líder de Deus
rosto, se não estás doente? Tem de compartilha sua visão com o povo,
ser tristeza do coração” (2). este o segue. Devemos ter em men-
Neemias conta que ficou com te que a falta de seguidores é um
medo e respondeu ao rei: “Viva o rei mau sinal para uma liderança, por-
para sempre! Como não estaria que um dos atributos do líder de
triste o meu rosto se a cidade onde Deus é sua capacidade de motivar
estão os sepulcros de meus pais pessoas para o seguirem na reali-
está assolada e tem as por tas zação da obra.
consumidas pelo fogo?” (3). Como 6ª característica: O líder ungido de
o Senhor estava com Neemias, veja Deus sofre críticas. Você vai sem-
a resposta do rei: “Que me pedes pre enfrentar críticas, quando esti-
agora?” (4). Orando, Neemias res- ver desenvolvendo um projeto de
ponde ao rei, dizendo que gostaria Deus, as quais podem, não raras
de voltar para Jerusalém e recons- vezes, vir de pessoas cristãs, te-
truir seus muros (5). O rei não só mentes a Deus (Neemias 4:1-3).
concordou como lhe forneceu tudo 7ª característica: O líder tem a
o que ele precisava para a realiza- oração enfocada na obra de Deus.
ção da obra. Deus abençoou Observe quantas vezes Neemias
Neemias pelo seu compromisso contou que orou: ele orou quando
com a Sua obra. o povo duvidou e até escarneceu do
29
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

seu projeto (Neemias 4.4-5), antes cado em tudo o que faz para o Se-
de falar com o rei (Neemias 2.4) e nhor. Considere esta passagem de
em muitas outras circunstâncias Neemias: “Assim trabalhávamos na
que poderíamos mencionar, pois obra; e metade empunhava as lan-
Neemias foi o exemplo do que Pau- ças desde o raiar do dia até ao sair
lo recomenda em I Tessalonicenses das estrelas. Também nesse mes-
5.17: “Orar sem cessar”. mo tempo disse eu ao povo: Cada
8ª característica: O líder está sem- um com o seu moço fique em Jeru-
pre com o povo durante a execução salém, para que de noite nos sir-
da obra. Neemias ficou todo o tem- vam de guarda e de dia trabalhem”
po ao lado do povo, trabalhando na (Neemias 4.21,22).
construção do muro. 11ª característica: O líder possui
9ª característica: O líder possui uma visão objetiva, a qual pode ser
indignação diante da oposição e direcionada positiva ou negativa-
dos obstáculos que se levantam mente. Ela é negativa, quando a
contra a obra de Deus. Qual é a teimosia impede que ouçamos a
diferença entre indignar-se e ficar razão; mas, pode ser positiva,
com raiva? Se você está com raiva quando ela nos direciona aos obje-
de alguma coisa ou de alguém que tivos de Deus, mesmo que tudo
está no seu caminho e está deter- concorra para nos desestimular.
minado a resolver as coisas do seu Ninguém conseguia convencer
jeito, este tipo de raiva é pecado. Neemias a desistir da obra de re-
Porém, se você está fazendo a obra construção do muro; muitos tenta-
do Senhor e está com raiva dos ram, de todas as maneiras, distraí-
poderes do inferno, que estão impe- lo. No entanto, sua visão objetiva
dindo a realização da obra de Deus, do que Deus esperava dele, impe-
então a sua raiva é uma indignação diu que tal acontecesse.
justa. Quando Jesus viu que os lí- 12ª característica: O líder possui
deres religiosos tinham transforma- fortes convicções. O capítulo 5 re-
do a casa de Deus em mercado e gistra que, ao perceber que alguns
covil de ladrões, Ele pôs para fora dos judeus exploravam seus irmãos
sua justa indignação (cf. João com a cobrança de juros, Neemias
2.12-16). Um líder da obra de Deus chamou essas pessoas e as fez as-
pode, portanto, ficar com raiva ou sumir o compromisso de não defrau-
indignado contra os obstáculos que dar mais seus companheiros judeus
se opõe à obra do Senhor. Neemias (Neemias 5.1-13).
era este tipo de líder. 13ª característica: O líder é dota-
10ª característica: O líder é dedi- do de uma confiança inabalável.
30
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Neemias tinha convicção de que exemplo de verdadeira organização.


estava fazendo uma grande obra, 17ª característica: O líder estabe-
para a qual Deus o havia chamado lece prioridades. Observe os princí-
e capacitado. pios estabelecidos por Neemias, no
14ª característica: O líder de Deus capítulo 10. Ele fez o povo se com-
é uma pessoa corajosa. Com toda prometer que não entregaria seus
certeza, a coragem é uma das ca- filhos para se casarem com pesso-
racterísticas mais importantes num as de outros povos; que guardaria
líder usado por Deus. o sábado e que, a cada sete anos,
15ª característica: O líder é per- não plantaria na terra. Também fez
severante. Em Romanos 5.3-5, o o povo se comprometer que paga-
apóstolo Paulo falou sobre a perse- ria uma taxa para conservação do
verança: “E não somente isto, mas Templo, dedicaria ao Senhor os fi-
também nos gloriamos nas própri- lhos primogênitos, bem como os de
as tribulações, sabendo que a tri- seus rebanhos, e daria a Deus dez
bulação produz perseverança; e a por cento de tudo que recebesse.
perseverança experiência; e a ex- Neemias tinha suas prioridades bem
periência, esperança. Ora, a espe- definidas e queria que o povo tam-
rança não confunde, porque o amor bém as tivesse.
de Deus é derramado em nosso 18ª característica: O líder não
coração pelo Espírito Santo, que nos negligencia o seu cajado de pastor.
foi outorgado”. Perseverar significa Todo bom pastor conduz e discipli-
não desistir, mesmo que nos encon- na o povo de Deus com o seu caja-
tremos em situações difíceis. do. Um bom líder deve amar seu
16ª característica: O líder possui povo o suficiente para discipliná-lo.
o dom de administração. A Bíblia 19ª característica: O líder tem
apresenta uma estrutura bem defini- consciência de suas limitações hu-
da, para a execução da obra de manas. Ele tem noção não só das
Deus. O texto de I Coríntios 12.28 suas, mas das limitações do povo
fala sobre o dom do governo, entre que está sob a sua liderança.
outros, na tradução Revista e Atua- 20ª característica: O líder tem um
lizada, enquanto na Nova Versão compromisso com o término da
Internacional encontramos a palavra obra, para a glória de Deus. Nee-
“administração”. No capítulo 7, le- mias concluiu a obra de restauração
mos que Neemias nomeou levitas, dos muros de Jerusalém, para a gló-
comandantes e guardas; também fez ria de Deus. Ao executarmos a obra
uma relação de todas as famílias que que o Senhor nos destina, jamais
retornaram à Jerusalém. Este é um podemos nos desviar do objetivo de
31
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Deus, que será alcançado através de terra, consumando a obra que me


nós, a fim de que possamos decla- confiaste para fazer ...Está consu-
rar como Jesus: “Eu te glorifiquei na mado!” (João 17.4; 19.30).

32
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 7
Adivinhe Quem Vem Para Jantar?

O Velho Testamento registra nome Vasti, que é destituída da sua


grandes livramentos do povo de posição. Seu marido é o rei Xerxes,
Deus. O primeiro aconteceu através ou Assuero, conforme a tradução
de José, que salvou o povo hebreu bíblica. Nesta festa, cuja duração
da fome; o segundo foi o Êxodo, que foi de seis meses e uma semana, a
os libertou da tirania e da escrava- bebida alcoólica era servida à von-
tura egípcia; o terceiro ocorreu com tade (Ester 1.8).
a volta do povo de Israel do cativei- A rainha Vasti ficou com as
ro babilônico, e o quarto está regis- outras mulheres, num lugar separa-
trado no Livro de Ester. do dos homens. O problema todo
Os livros de Rute e de Ester começou quando ela foi chamada
registram a história de duas mulhe- pelo rei, seu marido, para se apre-
res de excelente caráter, que contri- sentar na festa e desfilar sua bele-
buíram para a obra de Deus. Rute za para aqueles homens, que já
foi uma mulher do povo gentio, que estavam bebendo há um bom tem-
se casou com um judeu, e entrou po. Dessa forma, é compreensível a
para a linhagem messiânica. Ester sua recusa, mas o rei Xerxes pare-
foi uma judia, que se casou com um ce não ter compreendido e, menos
homem gentio, e salvou o povo ju- ainda, aceitado.
deu de um genocídio, preservando Cena 2: O fim da rainha Vasti
a linhagem messiânica. O Livro de Os nobres da corte explicaram
Ester assemelha-se a um drama e, ao contrariado rei Xerxes que a ati-
por isso, nosso estudo será dividi- tude da rainha Vasti não ofendia
do como o roteiro de uma peça. apenas o rei, mas a todos os ho-
mens do reino. Ela havia desobede-
Primeiro Ato: Os Planos Humanos cido a uma ordem do rei e, agora,
Cena 1: Uma festa persa todas as mulheres também seriam
O ano é 482 a.C. e o cenário insubmissas; por isso, eles instruí-
da festa é o Império Persa. Os con- ram o rei para que banisse Vasti do
vidados são cento e vinte e sete seu cargo de rainha, e que encon-
representantes das províncias do trasse outra mais dócil e submissa
reino da Pérsia e da Média. A per- para ocupar o seu lugar. Desta for-
sonagem principal é uma rainha de ma, as outras mulheres veriam o que
33
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

tinha acontecido a Vasti e respeita- lhida para participar do evento re-


riam seus maridos (Ester 1.16-20). alizado no palácio, sem que nin-
O rei Xerxes e todos os seus guém soubesse a origem de ambos,
subordinados acharam que isso era conforme a providência de Deus.
sensato, acataram o conselho dos Quando Ester foi escolhida
nobres e mandaram cartas para as para assumir o lugar deixado por
cento e vinte e sete províncias, em Vasti, ninguém poderia imaginar que
suas respectivas línguas, declaran- uma judia ocupava o trono do im-
do que todo homem deveria fazer pério mais poderoso do mundo.
valer sua autoridade na sua casa Tempos depois, outro rei chamado
(Ester 1.21,22). Artaxerxes, afilhado de Ester, daria
Cena 3: Um concurso de bele- permissão a Neemias para que vol-
za persa tasse à Jerusalém e reconstruísse
Foi organizado um concurso os muros da cidade.
de beleza em todo o império, a fim Um dia em que Mordecai esta-
de escolher a nova rainha. Aquele va sentado junto aos portões do
não era um concurso de beleza palácio, escutou dois homens pla-
qualquer. As mulheres mais bonitas nejando assassinar o rei. Mordecai
de todo o reino seriam levadas para contou à rainha Ester e esta levou
o harém do rei, que, depois de dor- ao conhecimento do rei o que inten-
mir com cada uma delas, escolhe- tavam contra ele. A vida do rei foi
ria a sua preferida para ser a nova salva, os dois conspiradores foram
rainha (Ester 2.2-4). enforcados e a inter venção de
Na verdade, esse concurso era Mordecai apenas foi registrada nas
uma maneira cruel de levar mulhe- crônicas do rei, sem que recebesse
res para o harém do rei. Assim que qualquer recompensa pelo seu ato.
chegavam, as mulheres recebiam Como sabemos, este incidente tam-
um tratamento de beleza durante bém foi uma providência de Deus
um ano; depois disso eram levadas nesta intrigante história.
para um lugar onde passavam o Cena 4: Uma expurgação persa
resto de suas vidas, só vendo o rei Nesta cena, deparamo-nos
quando este assim o quisesse. com o vilão da trama, um homem
Os personagens seguintes são ímpio chamado Hamã, um dos ofi-
Mordecai, um exilado judeu, e sua ciais mais importantes do rei, que
encantadora prima Ester, que ele exigia que todos se inclinassem di-
tinha criado desde a morte de seus ante dele, o que todos faziam, me-
pais, a qual era dotada de grande nos Mordecai.
beleza, por isso também foi esco- Esta atitude de Mordecai fez
34
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

com que Hamã se enchesse de fu- conjuntura como esta é que foste ele-
ror e começasse a intentar contra vada a rainha?” (Ester 4. 13,14).
ele e seu povo, persuadindo o rei a “Então, disse Ester que respon-
emitir um decreto em que ordena- dessem a Mordecai: Vai, ajunta a
va que todos os judeus do Império todos os judeus que se acharem em
Persa fossem mortos (Ester 3.5- Susã e jejuai por mim; não comais,
11). Ele e o rei jogaram dados para nem bebais por três dias, nem de
determinar a data. Na língua persa noite nem de dia; eu e as minhas
a palavra “jogar dados” é Pur. A servas também jejuaremos. De-
festa judaica chamada “Festa do pois, irei ter com o rei, ainda que
Purim”, que até hoje é comemora- é contra a lei; se perecer, pereci”
da, relembra este episódio. (Ester 4.15,16).
Quando Mordecai soube do ter- Quando a rainha Ester se apre-
rível decreto, rasgou suas roupas, sentou ao rei Xerxes, ele logo lhe es-
vestiu-se com pano de saco e saiu tendeu o cetro e prometeu que lhe
pela cidade chorando em voz alta daria até metade do seu reino (Ester
(Ester 4.1). Todos os judeus, em 5.1-3). Ester o convidou, junto com
todas as cento e vinte e sete provín- Hamã, para um banquete, durante o
cias do Império Medo Persa, levan- qual o rei lhe perguntou novamente
taram um lamento desesperado. qual era a sua petição. Ester formu-
Quando Ester soube que la ao rei e a Hamã novo convite para
Mordecai estava clamando a Deus, o banquete que ela iria preparar no
vestido de pano de saco, enviou-lhe dia seguinte (Ester 5.6-8).
uma mensagem para saber o que es- Embora se sentisse imensa-
tava acontecendo. Em resposta, mente lisonjeado com o convite,
Mordecai pede a ela que interceda Hamã continuava furioso com a
junto ao rei, em favor de todos os ju- ousadia de Mordecai. Quando ele
deus do império; mas, Ester replica, chegou em casa, depois do primei-
dizendo que se ela se apresentasse ao ro banquete, incentivado pela mu-
rei, sem ser chamada, poderia ser lher e por seus amigos, mandou
morta. Mordecai enviou outro recado levantar uma forca para Mordecai
em que dizia: “Não imagines que, por e preparou-se para, no dia seguin-
estares na casa do rei, só tu escapa- te, pedir permissão ao rei para
rás entre todos os judeus. Porque, se enforcá-lo (14).
de todo te calares agora, de outra parte
se levantará para os judeus socorro e Segundo Ato: A Providência de Deus
livramento, mas tu e a casa de teu pai Cena 1: Uma noite em claro
perecereis; e quem sabe se para Por providência divina, naquela
35
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

noite, depois do primeiro jantar às pressas para sua casa, agora com
com Ester e Hamã, o rei não con- muito medo. Quando chega em
seguiu dormir e, por isso, pediu que casa, é chamado para o segundo
fossem lidas para ele as crônicas banquete com Ester.
do reino. Entre muitas leituras, foi Neste banquete, o rei perguntou
lido o episódio em que Mordecai novamente a Ester qual era o seu
descobriu a conspiração para o seu pedido. Ester respondeu que gostaria
assassinato, quando sua vida foi que a sua vida e a de seu povo fosse
salva. Ao saber que Mordecai ain- poupada (Ester 7.3,4). Quando o
da não tinha sido recompensado por rei lhe pergunta quem estava inten-
aquele feito, perguntou se alguém já tando tirar a vida dela e a do seu
havia chegado para trabalhar, povo, Ester responde: “Hamã, que
quando seus servos o informaram manipulou o rei para decretar que
que Hamã tinha vindo para o tra- eu e todo o meu povo sejamos ex-
balho mais cedo. terminados no dia 28 de fevereiro”.
Cena 2: A virada Furioso, o rei se levantou e
O rei quis honrar Mordecai e, saiu, enquanto Hamã permaneceu
por isso, chamou Hamã, que já se suplicando a Ester por sua vida.
preparava para pedir licença ao rei Quando o rei retorna, vê Hamã no
para enforcar Mordecai. Quando o sofá de Ester e diz: “Será que ago-
rei o viu, perguntou-lhe o que se ra ele quer violentar a rainha? O que
deveria fazer ao homem que mere- devo fazer com este homem?”. Um
cesse as honras do rei. Hamã, pen- dos soldados do rei informa-o a
sando ser ele este homem, deu a respeito da forca que Hamã tinha
seguinte sugestão ao rei: “coloque construído para Mordecai. Então, o
este homem sobre um cavalo bran- rei ordena que Hamã seja enforca-
co, e peça que o mais importante do nela (Ester 7.9,10).
dos seus oficiais ande pela cidade Cena 3: O decreto do livramento
puxando este cavalo, gritando ‘este Mas, os judeus da Pérsia ain-
é um homem a quem o rei deseja da têm um grande problema para
honrar’” (Ester 6.6-9). O rei replicou: enfrentar: o decreto do rei, ordenan-
“Apressa-te, toma as vestes e o do a matança. Como as leis dos
cavalo, como disseste, e faze assim medos e persas não podem ser
para com o judeu Mordecai, que está mudadas, Xerxes, Ester e Mordecai
assentado à porta do rei; e não escrevem um segundo decreto, per-
omitas coisa nenhuma de tudo quan- mitindo aos judeus se defenderem
to disseste” (10). Sem alternativa, e aniquilarem seus inimigos, o que
Hamã obedece às ordens do rei e vai salva a vida de todos os judeus.
36
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Aplicação pessoal vidência e o cuidado de Deus estão


Qual a aplicação pessoal do sobre aqueles que O amam e Lhe
Livro de Ester? Primeira: precisa- obedecem. O apóstolo Paulo escre-
mos espalhar as boas novas de veu o seguinte: “Sabemos que todas
Jesus Cristo para um mundo que as coisas cooperam para o bem da-
está sob um decreto de morte. Se- queles que amam a Deus, daque-
gunda: podemos descansar nas pro- les que são chamados segundo o seu
messas de Deus como Ester, que propósito” (Romanos 8.28). O Se-
confiou no cumprimento da aliança nhor só cumpriu os Seus propósitos
entre Deus e Abraão, na qual Deus na vida de Ester, porque ela sempre
prometeu abençoar os que abenço- se manteve sob Seu controle.
assem Abraão e amaldiçoar os que A providência de Deus em nos-
o amaldiçoassem (Gênesis 12.3). sa vida é a mensagem mais impor-
A terceira aplicação para nós tante do Livro de Ester. Você acre-
está inserida na lei de ouro “como dita que Deus é soberano sobre to-
quereis que os homens vos façam, das as circunstâncias de sua vida?
assim fazei-o vós também a eles” Existe uma condição para receber
(Lucas 6.31). Exatamente o contrá- esta promessa: se você ama a Deus,
rio ocorreu com Hamã, que foi víti- e Lhe obedece, Ele fará com que
ma de sua própria armadilha. todas as coisas cooperem para o
Por fim, aprendemos que a pro- seu bem.

37
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 8
Introdução aos Livros Poéticos

Estudaremos agora os cinco lia, criação de filhos e trabalho,


Livros Poéticos: Jó, Salmos, Provér- através dos Provérbios; para os
bios, Eclesiastes e o Cântico dos corações dos que passam por dú-
Cânticos de Salomão. Os Livros Po- vidas, através de Eclesiastes, e para
éticos também são conhecidos no os corações que querem aprender
Velho Testamento como “Os Livros mais sobre o relacionamento físico,
de Sabedoria” ou “Os Escritos”, e se entre marido e esposa, através do
distinguem dos Livros da Lei, His- Cântico dos Cânticos de Salomão.
tóricos e Proféticos. Ao lermos os cinco Livros Po-
Nos Livros Poéticos, Deus fala éticos, devemos estar sensíveis ao
para o coração daqueles que estão toque de Deus em nossos corações,
sofrendo, através do Livro de Jó; para que nossa fé seja verdadeira e
dos que adoram, através dos Sal- sejamos transformados, de dentro
mos; dos que enfrentam problemas para fora, pela nossa experiência
do dia-a-dia com casamento, famí- com Deus.

38
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 9
O Livro de Jó

Através do primeiro Livro Poé- escritos e pode ser apresentado como


tico da Bíblia, vemos que viver não o roteiro de uma peça de teatro com
é fácil e que pode, muitas vezes, três atos. Quando as cortinas se le-
implicar em sofrimentos e perplexi- vantam, no primeiro ato, o cenário
dades. O povo de Deus sempre pas- que surge pode estar retratando a
sou por muito sofrimento. Acredita- história mais antiga da Bíblia.
se que o número de pessoas que
morreram por professarem sua fé, Primeiro ato: o cenário
depois da 2ª Guerra Mundial, é su- Na primeira cena do primeiro
perior ao número de vítimas em toda ato, Satanás aparece diante de
a História da Igreja. O que o livro Deus. Esta cena é importante para
mais antigo da Bíblia pode estar nós, no que se refere à batalha do
falando é que “o sofrimento é inevi- bem e do mal, este último personi-
tável, mas o desespero, opcional”. ficado em Satanás, que levanta
O Livro de Jó é a Palavra de Deus dúvidas sobre os reais motivos por-
para os corações feridos. que Jó é um homem bom. Alguns
Muitos estudiosos concordam teólogos definem esta questão
em afirmar que o Livro de Jó foi como a “vontade permissiva de
escrito durante o período dos patri- Deus”, que estabelece um limite
arcas. Consta que Jó viveu 140 para que o mal atue e Satanás tire
anos, depois do seu sofrimento, e tudo o que Jó possui, inclusive seus
que morreu “velho e farto de dias” filhos. Como resultado da vontade
(42.17). O número de anos que Jó permissiva de Deus e dos intentos
viveu coincide com o número de sinistros de Satanás, Jó perde sete
anos que as pessoas citadas no filhos e três filhas, sete mil ovelhas,
Livro de Gênesis viveram. três mil camelos, mil bois, quinhen-
tos jumentos e vários servos.
O estilo literário do Livro de Jó Apesar de estas perdas assola-
Para saber qual é o estilo literá- rem Jó, ele não amaldiçoou, nem se
rio do Livro de Jó, basta verificar rebelou contra Deus, mas declarou:
entre quais livros ele foi compilado “Nu saí do ventre de minha mãe e
nas Escrituras Sagradas. Este livro é nu voltarei; o Senhor o deu e o Se-
um dos poemas mais importantes já nhor o tomou; bendito seja o nome
39
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

do Senhor” (1.21). O filósofo chinês, ele amaldiçoe Deus e morra, Jó res-


Confúcio, afirmou: “Viemos ao mun- ponde: “Falas como qualquer doida;
do com as mãos fechadas, desejan- temos recebido o bem de Deus e
do tudo, e deixamos este mundo com não receberíamos também o mal?”
nossas mãos abertas, levando (2.10). Jó estava perguntando: o
nada”. O que Jó queria expressar era que um homem justo pode esperar
que tudo o que ele possuía era de que Deus coloque nas suas mãos
Deus, por isso Ele podia tomar para por ser justo?”.
si na hora que quisesse. Um pouco antes das cortinas
Jó perdeu seus dez filhos em se fecharem, encerrando o Primei-
conseqüência de um vento do deser- ro Ato, Jó recebe a visita de três
to chamado “siroco”, que derrubou amigos (2.11-13), que viajaram de
a casa do filho mais velho sobre suas terras com o propósito de
todos eles; perdeu suas ovelhas e confortá-lo. Durante sete dias e sete
seus pastores num “fogo do céu”, noites, chocados com o sofrimento
que pode ter sido um raio. As se- de Jó, seus amigos ficam ao seu
guradoras costumam chamar estes lado sem dizer qualquer palavra. As
acontecimentos de “casos fortuitos cortinas baixam, encerrando o Pri-
ou força da natureza”. Sabemos meiro Ato, com Jó sentado em si-
que, no caso de Jó, não foram “for- lêncio e seus amigos ao seu redor.
ças da natureza”, mas “forças de
Satanás”, permitidas por Deus. Segundo Ato: compartilhar
Em seguida, Satanás questio- Quando levantam as cortinas
na com Deus as razões que levavam para o Segundo Ato, os três ami-
Jó a ser um homem justo, sugerin- gos de Jó, Elifaz, Bildade e Zofar,
do que Jó amaldiçoaria Deus, caso estão reunidos. Neste momento,
fosse tocado em sua própria carne, eles dão um exemplo de como con-
o que Deus permite, com a condi- fortar alguém em sofrimento: estão
ção de não lhe tirar a vida. Jó foi, junto de Jó calados. Quando esta-
então, afligido com uma terrível mos sofrendo, a simples presença
doença. Os estudiosos acreditam de um amigo é mais importante
que ele tenha contraído uma doen- que qualquer palavra.
ça semelhante à “elefantíase”, uma Jó inicia o Segundo Ato, que
enfermidade que deixa a pele da cor chamei de “compartilhar”, amaldiço-
de um elefante, cheia de feridas. Jó ando o dia em que nasceu e a noite
sofreu o máximo que uma pessoa em que foi concebido, mas não
pode suportar. Deus, como Satanás disse que Jó
Quando sua mulher sugere que faria. Esta parte do Livro de Jó é
40
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

marcada por uma fala dele, seguida homens espirituais e muito instruí-
da resposta de um dos seus amigos dos, mais tarde Deus lhes disse:
e, novamente, as suas considera- “...não disseste de mim o que era
ções, o que se repete três vezes. reto, como o meu servo Jó” (42.7).
Elifaz alegou ter recebido uma Depois de conversar com Deus, Jó,
palavra diretamente de Deus, atra- que sempre afirmou aos seus ami-
vés de uma experiência espiritual, gos que era justo, diz que é indig-
a respeito da misericordiosa justi- no (40.4). Ao ler os discursos dos
ça de Deus. Por causa dessa reve- amigos de Jó, lembre-se de que, no
lação divina, Elifaz se sentiu auto- final do livro, Deus lhes diz que
rizado a dizer a Jó que o seu sofri- tudo o que eles haviam dito sobre
mento era decorrente de algum pe- Jó e sobre Ele estava errado. Ao ler
cado na sua vida ( 4.12-21). Em- o discurso de Jó, que aparece en-
bora também considerasse Jó peca- tre suas alegações de que é justo,
dor, Bildade chegou à conclusão de lembre-se de que, no final do livro,
que tudo o que sobreveio à vida de Jó amaldiçoa a si mesmo, arrepen-
Jó foi em consequência dos peca- dido. Faça a você mesmo a seguin-
dos dos seus filhos (8.1-7). te pergunta: “Por que Jó se amal-
Quanto a Zofar, uni-se ao coro diçoa e do que ele se arrepende?”.
dos seus amigos, conclamando Jó a
se arrepender, enquanto exaltam a Terceiro ato: a solução
justiça e a grandeza de Deus. Todos Quando levantam as cortinas
eles concordam que Deus coloca uma para o Terceiro Ato, Jó e seus ami-
coisa boa na mão do homem bom e gos ainda estão sentados em um
uma coisa ruim na mão do homem círculo, mas existe outro homem
mau. O dilema era que Jó parecia com eles, cujo nome é Eliú, que
ser um homem bom, mas Deus tinha alega ter sido impedido de falar, por
colocado algo ruim em suas mãos, ser mais jovem. Encontrando oca-
o que torna a discussão acirrada em sião, ele argumenta que necessita
alguns momentos. falar por duas razões: a primeira,
Jó insistia que era justo e che- porque entendeu que a sabedoria
gou a questionar a justiça de Deus, vem do Espírito Santo, independente
por causa de todo aquele sofrimen- da idade da pessoa; em segundo
to. O diálogo se encerra, quando os lugar, ele percebeu que aqueles ho-
amigos de Jó concluem que jamais mens não chegariam a lugar ne-
conseguirão convencê-lo de que ele nhum, porque estavam fazendo a
é um pecador. pergunta errada.
Apesar de esses amigos serem A solução para o dilema do sofri-
41
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

mento de Jó se encontra no diálogo xam as cortinas, no final do Tercei-


que ele travou com Eliú, o qual acon- ro Ato, Deus já duplicou a riqueza
selha Jó a olhar para cima e procu- de Jó, e lhe concedeu sete outros
rar enxergar o seu sofrimento sob a filhos e três outras filhas.
perspectiva de Deus. De acordo com
este jovem, Jó não deveria pergun- Aplicação pessoal
tar “o que um homem pode esperar O Livro de Jó fala aos corações
que Deus coloque em suas mãos, por feridos. Esta saga de sofrimento é
ele ser justo?” Eliú desafiou Jó com uma ilustração de uma das Bem-
a seguinte pergunta: “Você acha que Aventuranças, ensinadas no Sermão
é certo dizer ‘minha justiça é melhor da Montanha: “Bem-aventurados os
que a justiça de Deus?’ Porque o que que choram, porque serão consola-
você está perguntando é: ‘que van- dos” (Mateus 5.4). Geralmente, um
tagem eu tenho em ser justo, ou o ensino do Novo Testamento é uma
que eu ganho em não ter pecado?’. versão ampliada de um ensino ilus-
Eu tenho uma palavra para você e trado no Velho Testamento. Em
seus amigos: ‘Atenta para os céus e apenas uma frase, Jesus deu um
vê; contempla as altas nuvens aci- grande ensino; mas, o Livro de Jó
ma de ti. Se pecas, que mal lhe aplica este ensino para uma situa-
causas tu? Se as tuas transgressões ção específica e apresenta três pas-
se multiplicam, que lhe fazes? Se é sos para obtermos o consolo e as
justo, que lhe dás ou que recebe ele bênçãos que Cristo prometeu aos
da tua mão?” (35.1-7). que choram.
Em nossa relação com Deus, Primeiro passo: deixe que o
não podemos indagar “o que Deus vai seu choro o leve a fazer as pergun-
colocar em minhas mãos?”. Deve- tas certas. Jó estabeleceu um exem-
mos, sim, visualizá-Lo com as mãos plo para nós: “Deus está vendo o
abertas, no centro do nosso relaci- que está acontecendo comigo? Se a
onamento, do nosso sofrimento, das minha única esperança é a sepultu-
nossas vidas, e perguntar: “o que eu ra, então onde está a minha espe-
vou colocar nas mãos de Deus?”. rança? Quem o homem acha que é,
Depois de Jó exclamar: “Eu te quando o Senhor o coloca sob tes-
conhecia só de ouvir, mas agora os te? Por que Deus me trouxe do ven-
meus olhos te vêem. Por isso, me tre da minha mãe? Será que eu pos-
abomino e me arrependo no pó e na so fazer alguma coisa por mim
cinza” (42.5-6), Deus repreende os mesmo? Quando um homem morre,
seus amigos e, quando isto acon- para onde ele vai? Será que depois
tece, Jó ora por eles. Quando bai- que morre o homem torna a viver?”.
42
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Estas são as perguntas sobre as perspectiva da eternidade, Jó tem


quais Deus quer que reflitamos, quatorze filhos e seis filhas.
enquanto estamos em sofrimento. Encontramos a mesma respos-
Segundo passo: deixe que o ta que Deus deu a Jó várias vezes na
seu choro o leve a ouvir as respos- Bíblia, como no Salmo 23, e quan-
tas de Deus às suas perguntas cor- do Jesus afirmou ser a ressurreição
retas. Jó perguntou: “Morrendo o e a vida; que todo o que nEle crê ja-
homem porventura tornará a viver?” mais morrerá (João 11.25). Quando
(14.14). Deus respondeu a Jó, du- lemos as Escrituras, encontramos
plicando o seu rebanho, mas não o muitas mensagens com este teor. Em
número de filhos. A explicação para oração, procure estas passagens e
isso é que, quando os animais ouça atentamente a voz de Deus.
morreram, estava tudo acabado Terceiro passo: deixe que o seu
para eles; porém, quando os filhos choro o leve a crer nas respostas de
morreram, continuaram a existir no Deus. Quando você fizer as pergun-
estado espiritual. Para que Jó tives- tas certas a Deus, ouça as suas
se o dobro do número de filhos, respostas e creia nelas. Você des-
Deus só precisou dar mais sete fi- cobrirá as bênçãos e o consolo que
lhos e três filhas. Portanto, sob a Jesus prometeu aos que choram.

43
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 10
Trinta Razões Bíblicas Para o Sofrimento do Povo de Deus

Há séculos que as pessoas ram e descobriram o conforto de


perguntam: “Por que o povo de Deus Deus podem dizer onde ele está.
sofre tanto? Por que uma pessoa 3. O sofrimento nos leva a bus-
justa sofre?” Embora de Gênesis ao car a sabedoria de Deus. De acor-
Apocalipse esta questão seja abor- do com Tiago, quando não souber-
dada, o Livro de Jó é a melhor res- mos mais como agir em meio ao
posta da Bíblia para esta pergunta. sofrimento, devemos pedir sabedo-
1. Podemos aprender com o sofri- ria a Deus. “Se, porém, algum de
mento que Deus é a fonte de todo vós necessita de sabedoria, peça-
conforto. Em meio a terríveis prova- a a Deus, que a todos dá liberal-
ções, Paulo foi confortado com o mente e nada lhes impropera; e
seguinte pensamento: “Bendito seja ser-lhe-á concedida” (1.5). Tiago
o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus assegura que Deus nos dará a sa-
Cristo, o Pai de misericórdias e Deus bedoria de que precisamos.
de toda consolação!” (II Coríntios 4. O sofrimento nos leva à matu-
1.3). O sofrimento levou Paulo a ridade espiritual. Tiago afirmou que
descobrir que a presença de Deus a perseverança na provação nos
podia confortá-lo. Ele nos desafia a torna “perfeitos e íntegros, em
fazermos esta mesma descoberta. nada deficientes” (1.4). Diz, ainda:
2. O sofrimento nos treina, equi- “porque, depois de ter sido aprova-
pa e prepara para confortarmos do, receberá a coroa da vida, a qual
outras pessoas. Paulo continuou o o Senhor prometeu aos que o
seu pensamento escrevendo: “É ele amam” (Tiago 1.12).
que nos conforta em toda a nossa 5. O sofrimento dá acesso à gra-
tribulação, para podermos consolar ça de Deus. Para aplicarmos a sa-
os que estiverem em qualquer an- bedoria necessitamos da graça de
gústia, com a consolação com que Deus. Paulo escreveu, também,
nós mesmos somos contemplados sobre isto: “Deus pode fazer-vos
por Deus” (II Coríntios 1.4). Certa abundar em toda graça, a fim de
vez, ouvi que um evangelista é que, tendo sempre, em tudo, am-
como se fosse um ex-mendigo, con- pla suficiência, superabundeis em
tando a um mendigo onde está o toda boa obra” (II Coríntios 9.8).
pão. Apenas aqueles que já sofre- Toda graça, ampla suficiência, boa
44
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

obra superabundante! Por meio do ministros do Evangelho.


sofrimento, descobrimos o tesouro 9. O sofrimento produz “marcos
da sabedoria e da graça. de milagre” em nossa jornada de fé.
6. O sofrimento produz um cará- Quando Davi orou, pedindo livra-
ter espiritual. O sofrimento produz mento durante um período de crise
um tipo de caráter, que não muda (Salmos 3.1-4), ele o fez com fé e
quando as coisas ficam difíceis: confiança, porque já tinha provado
“...nos gloriamos nas próprias tribu- a fidelidade de Deus antes. Toda vez
lações, sabendo que a tribulação que provamos que Deus nos socor-
produz perseverança” (Romanos re em tempos de crise, conseguimos
5.3). As palavras “perseverança” e um tipo de “marco de milagre”, que
“estabilidade” têm que fazer parte do fortalece e inspira nossa fé para
caráter do crente, independente do crises do presente e do futuro.
grau de dificuldade que ele enfrenta. 10. O sofrimento abre o caminho
7. O sofrimento faz do jovem um para a salvação de Deus. Isaías
adulto forte. Lemos em Lamentações anunciou que o Messias seria um
3.27: “Bom é para o homem supor- caminho, através do qual Deus tra-
tar o jugo na sua mocidade”. Quan- ria salvação para este mundo:
do os jovens passam por provações, “Todo vale será aterrado, e nivela-
acabam desenvolvendo força e esta- do, todos os montes e outeiros; o
bilidade necessárias, para enfrenta- que é tortuoso será retificado, e os
rem as dificuldades da vida adulta. lugares escabrosos, aplanados”
8. O sofrimento treina os ministros (Isaías 40.4). A vida de Jesus foi
para o Evangelho. Paulo escreveu um caminho, pelo qual a salvação
que o sofrimento é um teste para os veio ao mundo. Ser como Cristo
ministros de Deus: “...em tudo re- significa ser este caminho, através
comendando-nos a nós mesmos do qual Deus traz a salvação para
como ministros de Deus: na muita o mundo. Somos usados por Deus
paciência, nas aflições, nas priva- para oferecer salvação, quando
ções, nas angústias” (II Coríntios Deus nivela nosso orgulho, aplaina
6.4). O desejo de Deus é que respon- nossas depressões e endireita nos-
damos em “pureza, no saber, na sos caminhos tortos.
longanimidade, na bondade, no Es- 11. O sofrimento manifesta o
pírito Santo, no amor não fingido, na poder de Deus. Quando Paulo orou
palavra da verdade, no poder de a Deus, pedindo que tirasse seu
Deus” (II Coríntios 6.6,7a). O sofri- espinho na carne, Deus lhe disse:
mento é usado por Deus como um “A minha graça te basta, porque o
“seminário”, para preparação de poder se aperfeiçoa na fraqueza” (II
45
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Coríntios 12.9a). A nossa fraqueza 15. O sofrimento funciona como


pode ser o meio, através do qual uma “poda/podadura”, mas que
Deus manifesta Sua força e Seu parece um “corte/talho”. Jesus en-
poder. Isto pode ser uma das expli- sinou que somos os ramos e Ele é
cações da fadiga crônica que acom- a Videira. Para que produzamos fru-
panha muitos males. A nossa inca- tos, devemos estar em constante
pacidade e deficiência podem ser um comunhão com Ele, da mesma for-
meio da manifestação da capacida- ma que os ramos estão ligados à
de e da eficiência de Deus. videira. Para que tenhamos uma
12. Nossa insuficiência manifes- colheita constante, temos que su-
ta a suficiência de Deus. O sofri- portar o doloroso processo da poda
mento nos enfraquece. Paulo ficou (João 15.1,2,11).
fraco por causa do seu espinho na 16. O sofrimento revela Cristo ao
carne (II Coríntios 12.7-9); mas, mundo. De acordo com Paulo, so-
quando somos fracos, Deus nos faz mos como vasos de barro e revela-
fortes; quando somos incapazes, mos o Tesouro de Cristo, quando
Ele nos capacita. Deus pode usar suportamos o sofrimento e deixa-
nosso sofrimento para nos ensinar mos que a Sua luz brilhe através de
onde nossa força termina e onde a nós (II Coríntios 4.7-10).
força dEle começa. 17. O sofrimento pode estimular
13. O sofrimento pode ser uma o crescimento do homem interior. O
oportunidade para aprendermos a homem exterior é temporal, mas o
ser humildes. Segundo Paulo, o seu interior é eterno. Enquanto o ho-
espinho na carne o impediu de se mem exterior se corrompe, o ho-
ensoberbecer (II Coríntios 12.7). mem interior é renovado e prepara-
Somos tentados a ouvir elogios e a do para a vida eterna (II Coríntios
não dar a glória devida a Deus; por 4.16). Nosso sofrimento é tempo-
isso, Deus usa o sofrimento para rário, mas as consequências do
nos manter humildes. nosso sofrimento podem ser eter-
14. O sofrimento, freqüentemen- nas. Este é um conceito maravilho-
te, nos leva a experiência de alegria. so que devemos compartilhar com
O versículo 5, do Salmo 126, diz: os que sofrem. Leia Romanos 8.18.
“Os que com lágrimas semeiam, 18. O sofrimento nos ensina va-
com júbilo ceifarão”. As lágrimas lores eternos. Nos últimos dias, a
que derramamos nos momentos de terra e o céu serão abalados e só o
dificuldades, geralmente, são como que é eterno permanecerá (Hebreus
“sementes” que um dia frutificarão 12.25-29). Às vezes, Deus usa o
em alegria. sofrimento para tirar nossos olhos
46
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

das coisas terrenas e fixá-los em volta do filho pródigo. Assim como


valores eternos. o filho pródigo “caiu em si”, quan-
19. O sofrimento nos refina. “O do foi parar num chiqueiro (Lucas
nosso Deus é fogo consumidor” 15.15-17), nós também podemos
(Hebreus 12.29). O sofrimento, por reavaliar nossos valores, quando
vezes, queima o que em nossa vida passarmos pelo sofrimento dos
não está em conformidade com os “chiqueiros da vida”; isto pode nos
ensinamentos de Deus. Tal refina- levar ao arrependimento e a reatar-
mento, mesmo que doloroso, nos mos nossa comunhão com o Pai.
prepara para o que iremos desfru- 24. O sofrimento nos torna par-
tar na eternidade. ticipantes da santidade de Deus
20. Às vezes, o sofrimento é re- (Hebreus 12.10). Não existe meio
sultado de escolhas erradas que fi- mais eficaz para sermos aperfeiço-
zemos. Colhemos o que plantamos. ados que o sofrimento, quando o
Algumas vezes, o sofrimento é ape- aceitamos como um remédio de
nas um “banquete de consequên- Deus contra os nossos pecados, que
cias”, resultante do plantio errado nos afastam da Sua santidade.
que fizemos, no jardim das nossas 25. Sofremos porque o mundo
vidas (Gálatas 6.7,8). odeia Cristo e Seus seguidores. O
21. O sofrimento confirma que apóstolo Paulo escreveu: “Ora, to-
somos filhos de Deus. Se somos dos quantos querem viver piedosa-
realmente filhos de Deus, seremos mente em Cristo Jesus serão per-
disciplinados por Ele (João seguidos” (II Timóteo 3.12).
1.12,13; Hebreus 12.5-11). 26. O sofrimento purifica nossa
22. Às vezes, o sofrimento é um fé. “Nisto exultais, embora, no pre-
indício de que Cristo quer ter comu- sente, por breve tempo, se neces-
nhão conosco. Jesus está batendo à sário, sejais contristados por vári-
porta dos corações que não são as provações, para que o valor da
quentes nem frios, para que firmem vossa fé, uma vez confirmado,
um compromisso com Ele; isto pode muito mais precioso que o ouro pe-
representar uma repreensão ou um recível, mesmo apurado por fogo,
castigo, porque O chamamos de redunde em louvor, glória e honra
Salvador, mas não de Senhor da na revelação de Jesus Cristo” (I
nossa vida (Apocalipse 3.20). Jesus Pedro 1.6,7).
quer participar de todas as áreas da 27. Ao sofrermos, seguimos o
nossa vida e este “bater” de Cristo exemplo do nosso Salvador. Pedro
pode vir na forma de sofrimento. escreveu que fomos chamados para
23. Os sofrimentos preparam a seguir os passos de Cristo (I Pedro
47
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

2.21). Jesus nos ensinou que deve- ca solução para eles. Deus não
mos tomar nossa cruz e seguir o Seu acaba com a doença e a morte, pois
exemplo (Lucas 9.23-26; 14.25-27). é por meio delas que deixamos este
28. O sofrimento abre a porta mundo. Esta é mais uma razão bí-
para o Reino de Deus. Quando Pau- blica porque, às vezes, sofremos.
lo e Barnabé foram perseguidos, 30. A filosofia bíblica da morte.
durante suas viagens missionárias, Para que as ovelhas se deitem, o
encorajaram outros crentes, dizendo pastor costuma impor sua autorida-
que “através de muitas tribulações, de, batendo com o cajado na cabe-
nos importa entrar no reino de Deus” ça delas. O mesmo acontece conos-
(Atos 14.22). Mesmo não sendo co: depois de estabelecida a relação
uma exigência específica para entrar de Pastor e ovelha, como Davi des-
no Reino de Deus, muitas pessoas creve no Salmo 23, Deus nos leva
são convencidas a crer e a aceitar às águas de descanso e aos pastos
Jesus, por causa da tribulação. verdejantes, até que o cálice trans-
29. Todos devemos entrar na eter- borde. Para atingirmos estes valo-
nidade, através da morte e da res- res eternos, experimentamos dois
surreição. Durante um velório, Je- problemas, aparentemente, insolú-
sus falou que os dois problemas veis: a doença e a morte.
mais difíceis de serem solucionados, A Palavra de Deus tem muito a
a doença e a morte, servem de aces- nos dizer sobre o sofrimento, mas,
so à vida eterna (João 11.25,26). mesmo assim, não compreendemos
Podemos transformar estes dois muita coisa que acontece em nossa
problemas em bilhetes para o céu, vida, pois os mistérios de Deus são
quando cremos que Jesus é a úni- insondáveis (Deuteronômio 29.29).

48
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 11
O Livro de Salmos

O Livro de Salmos é uma cole- se à execução do hino, como, por


tânea de 150 hinos de louvor do exemplo, se deveria ter o acompa-
povo de Deus, dirigido aos corações nhamento de instrumentos de sopro
adoradores. Deus deu os salmos ao ou de cordas. A palavra “Selá” in-
Seu povo para ajudá-los a expres- dicava que o salmo deveria ser can-
sar o seu amor, louvor e oração, tado “pausada e reverentemente”.
durante a adoração. Estes hinos Algumas pessoas acham que esta
levavam o povo de Deus, do Velho palavra seria a indicação da entra-
Testamento, à Sua presença; hoje, da de um interlúdio dos instrumen-
da mesma forma, nos ajudam a ex- tos musicais.
pressar o nosso amor, louvor e ora-
ção a Ele. Para quem e sobre quem
Quando o compositor de um
Visão panorâmica do Livro de Salmos hino, tanto de um antigo salmo,
Antes de o Velho Testamento como de um cântico moderno, fala
ser traduzido para o grego, o Livro com Deus, a respeito de Deus, o
de Salmos era dividido em 5 livros seu cântico é um louvor; quando a
diferentes: do salmo 1 ao 41, do 42 música é dirigida a Deus e fala a
ao 72, do 73 ao 90, do 91 ao 107 respeito do homem, ou é uma con-
e do 108 ao 150. A autoria de 73 versa com Deus, o cântico é uma
salmos é atribuída a Davi, 12 a oração; quando a letra é dirigida ao
Asafe e 11 aos filhos de Coré. Es- homem e fala sobre Deus, é uma
tudiosos acreditam que Moisés, pregação. Ao ler os salmos, faça a
Esdras e Salomão tenham escrito você mesmo a seguinte pergunta:
um salmo cada um e Ezequias, dez. para quem e sobre quem o salmista
Muitos salmos são anônimos e é está falando? Desta forma, você
possível que os levitas, os ministros compreenderá melhor a mensagem
de louvor estabelecidos por Davi, e a aplicação do Salmo.
sejam seus autores.
Temas dos salmos
Instruções O Livro dos Salmos possui
As instruções que aparecem na quatro temas e o mais destacado
epígrafe de alguns salmos, referem- deles é sobre o “Homem Abençoa-
49
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

do”, tema que está presente em a vida do Messias. Davi falou, pro-
todo o livro. Através de um salmo feticamente, sobre o primeiro ad-
do “Homem Abençoado”, aprende- vento de Jesus Cristo e Sua ressur-
mos que as bênçãos dadas a este reição, no salmo 16, que foi cita-
homem não existem por acaso, por do por Pedro no dia do Pentecostes.
uma coincidência; elas são o resul- Outros exemplos são os salmos 2,
tado da sua fé e das suas priorida- 8, 46, 22 e 110.
des. Os salmos 1, 23, 32, 128 e
muitos outros são exemplos deste O contexto histórico dos salmos
tipo de salmo. Podemos ter uma idéia do ce-
Os “Salmos Emocionais” perten- nário em que a maioria dos salmos
cem à outra classificação; eles pos- foram escritos, através dos livros de
suem uma resposta para os senti- Samuel e Crônicas. Davi escreveu
mentos do homem. Não importa qual metade dos salmos e naqueles Li-
seja o seu estado emocional, você vros Históricos podemos encontrar
encontra um salmo com o qual se sua biografia. O conteúdo dos sal-
identifica. Se você está passando por mos de Davi e as inscrições que os
uma crise depressiva, sobrecarrega- precedem servem de indicação do
do, com sentimentos de culpa ou contexto histórico em que foram
magoado, com certeza encontrará escritos, o que muito nos ajudará
consolo neste livro; se o seu coração a interpretá-los e aplicá-los em nos-
está transbordando de alegria e grati- sas vidas.
dão, e você quer expressar sua ado- Não é raro encontrarmos em
ração a Deus, encontrará salmos alguns salmos orações dos salmis-
que irão expressar as emoções do tas, onde eles pedem a Deus que os
seu coração. Procure sempre obser- livre das garras dos seus inimigos
var como o salmista lidou com os com suas espadas, o que contradiz
seus sentimentos, e siga o seu o ensino de Cristo, de “amar os ini-
exemplo. Alguns dos “Salmos Emo- migos e orar pelos que nos perse-
cionais” são: 3, 4, 32, 51 e 55. guem” (Mateus 5.44). Esta é outra
Nos “Salmos de Adoração”, o razão porque devemos ter conheci-
salmista, além de falar com Deus e mento sobre o contexto histórico
sobre Deus, exorta-nos a adorá-Lo e dos salmos. Nos tempos da Lei, era
nos ensina a fazê-lo. Alguns deles são ensinado que podia se odiar os ini-
os salmos 8, 63, 100, 103 e 107. migos que tinham ofendido ao Se-
Os salmistas, também, profe- nhor (Deuteronômio 23.3-6). De
tizaram e compuseram os “Salmos acordo com o contexto histórico,
Messiânicos”, os quais falam sobre não havia problema algum nesta
50
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

oração de Davi: “Não aborreço eu, Senhor para todo o sempre”.


Senhor, os que te aborrecem? E não Além de ser um “Salmo de Pre-
abomino os que contra ti se levan- gação”, o Salmo 23 também é um
tam? Aborreço-os com ódio consu- “Salmo do Homem Abençoado”. Em
mado; para mim são inimigos de todo “Salmo do Homem Abençoa-
fato” (139.21,22). do” existe uma condição que deve
ser cumprida. Neste, Davi fala de
O Salmo 23 - “conversa de cordeiro” algumas das bênçãos que são: pas-
O Salmo 23, de Davi, é o pre- tos verdejantes, águas tranquilas e
ferido de milhões de judeus, católi- cálice que transborda. A condição
cos e protestantes. É um salmo de básica para estas bênçãos é “O
pregação, porque Davi se dirige aos Senhor é o meu Pastor”.
homens e fala sobre Deus. Este Os pastos verdejantes repre-
salmo é como se fosse uma ovelha sentam as bênçãos. Quando Davi
falando a outras acerca da grande- fala, no versículo 5, sobre o “cáli-
za do seu Pastor: ce que transborda”, ele está usan-
“O Senhor é o meu pastor, nada do uma metáfora para a alegria. Ele
me faltará. é um homem feliz, e qual é a chave
Ele me faz repousar em pastos da sua felicidade? Enquanto o Se-
verdejantes. nhor for o Pastor de Davi, ele terá
Leva-me para junto das águas de tudo o que precisa: pastos verdejan-
descanso; tes, águas tranquilas, cálice que
Refrigera-me a alma. transborda, provisão, etc. Existe,
Guia-me pelas veredas da justiça porém, uma condição para todas
por amor do seu nome. estas bênçãos: o relacionamento
Ainda que eu ande pelo vale da com o Pastor. Na verdade, este sal-
sombra da morte, mo fala sobre o relacionamento
Não temerei mal nenhum, porque mais importante do mundo: nosso
tu estás comigo; relacionamento com Deus.
O teu bordão e o teu cajado me
consolam. O cenário para este relacionamento
Preparas-me uma mesa na presen- Quando percebemos a impor-
ça dos meus adversários, unges- tância deste relacionamento, deve-
me a cabeça com óleo; o meu mos nos perguntar o que devemos
cálice transborda. fazer para estabelecê-lo em nossa
Bondade e misericórdia certamen- vida. A resposta para nossa pergun-
te me seguirão todos os dias da ta encontra-se no segundo versículo
minha vida; e habitarei na Casa do deste salmo: “Ele me faz repousar
51
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

em pastos verdejantes...”. O pas- brar de quando fez do Senhor o seu


tor estabelece sua autoridade sobre Pastor, que o conduziu aos pastos
a ovelha, batendo em sua cabeça verdejantes, junto às águas tran-
com o cajado, fazendo-a repousar”. quilas; de quando o seu cálice trans-
É assim que o Senhor se torna nos- bordou com as bênçãos do Senhor.
so Pastor: batendo em nossa cabeça Entenda que você precisa de
com um problema, que não pode- restauração e deixe que Deus leve o
mos evitar, nem resolver. seu relacionamento com Ele para
onde Ele quer, consciente de que o
O relacionamento na prática Seu Pastor está com você e vai à sua
O Senhor só encontra liberdade frente, com sua bondade e misericór-
para nos conduzir, quando permiti- dia, colocando diante de você uma
mos que Ele seja o nosso Pastor. mesa com provisão, fazendo o seu
Então, Ele nos conduzirá às águas cálice transbordar de alegria. Viva
tranquilas, que representam as situ- com a confiança de que Ele pode
ações e os lugares que são apropri- fazer isto todos os dias da sua vida.
ados para nós. Quando nos levan-
tamos e começamos a agir como Salmo 1 - O Homem Abençoado
ovelhas sem pastor, nosso relaciona- O Salmo 1, sem dúvida algu-
mento com Deus é desestruturado. ma, é um “Salmo do Homem Aben-
çoado”. Todos os outros salmos
A perspectiva do relacionamento assim classificados seguem o mes-
Ao colocar este relacionamen- mo padrão, mostrando que as bên-
to em perspectiva, Davi apresenta çãos não são fruto do acaso, uma
uma das mais belas descrições do coincidência, mas o resultado das
relacionamento entre Deus e o ho- convicções e escolhas que fazemos
mem encontradas na Bíblia. Segun- ao longo de nossa vida.
do ele, não importa para onde o “Bem-aventurado o homem que
Pastor nos leve, Ele estará sempre não anda no conselho dos ímpios,
conosco, à nossa frente, nos guian- não se detém no caminho dos
do com o Seu amor incondicional, pecadores, nem se assenta na
Sua bondade e provisão, fazendo roda dos escarnecedores.
nosso cálice transbordar. Também Antes, o seu prazer está na lei do
nos promete que este relacionamen- Senhor, e na sua lei medita de dia
to fará parte da nossa vida, agora e de noite.
e eternamente! Ele é como árvore plantada junto
Aplique a mensagem do salmo à corrente de águas, que, no
23 à sua própria vida. Você vai se lem- devido tempo, dá o seu fruto, e
52
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

cuja folhagem não murcha; e tudo sés, o rei deveria copiar toda a Lei e
quanto ele faz será bem sucedido. fazer dela sua constante companhei-
Os ímpios não são assim; são ra: “...quando se assentar no trono do
porém, como a palha que o vento seu reino, escreverá para si um tras-
dispersa. lado desta lei num livro, do que está
Por isso, os perversos não preva- diante dos levitas sacerdotes. E o terá
lecerão no juízo, nem os pecado- consigo, e nele lerá todos os dias
res na congregação dos justos. da sua vida, para que aprenda a
Pois o Senhor conhece o caminho temer o Senhor, seu Deus, a fim
dos justos, mas o caminho dos de guardar todas as palavras des-
ímpios perecerá”. ta lei e estes estatutos, para cum-
pri-los” (Deuteronômio 17.18,19).
Quem é o homem abençoado? A seguir, descrevemos as bên-
O Salmo 1 apresenta dois ho- çãos decorrentes das convicções e
mens: o abençoado e o ímpio. Este escolhas do “Homem Abençoado”:
salmo usa uma forma poética Estabilidade
hebraica, que estabelece uma verda- O “Homem Abençoado” é como “a
de, através de uma afirmação nega- árvore plantada junto a corrente de
tiva. Davi apresenta o perfil do “Ho- águas”, onde o solo é úmido, as
mem Abençoado”, falando sobre o raízes podem se expandir e crescer.
que ele não é. Por exemplo, ele “não Quando um caminhão vai de encon-
anda no conselho dos ímpios”, o que tro a um grande carvalho, somente
quer dizer que ele anda no conselho ele é atingido, pois a árvore não se
de Deus, contido na Sua Palavra, na abala. Este é o tipo de estabilida-
qual “medita de dia e de noite”. de do “Homem Abençoado”. Jesus
O “Homem Abençoado” “não falou a este respeito quando se re-
se assenta na roda dos escarnece- feriu ao homem que ouve e pratica
dores”, o que significa que ele se o Seu ensino (Mateus 7.24,25).
assenta junto aos que crêem em Fertilidade
Deus e O temem, cujo prazer está O “Homem Abençoado” é frutífero
na Lei do Senhor. Ele sabe que a e “dá frutos no devido tempo”. Como
chave para que a Palavra de Deus ele crê na Palavra de Deus e a ama,
seja poderosa em sua vida é a obe- o seu conhecimento sobre Deus vai
diência, é seguir os conselhos con- além das páginas escritas e esten-
tidos na Palavra de Deus. de-se a um relacionamento com a
Este salmo foi escrito por Davi, Palavra Viva, o qual é a chave para
o segundo e melhor rei que Israel já seus frutos. Jesus ensinou que de-
teve. De acordo com a Lei de Moi- vemos estar ligados a Ele, como o
53
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

ramo está ligado à videira, se qui- “Homem Abençoado”, no Salmo 1,


sermos ser frutíferos (João 15.4). são para toda a eternidade.
Longevidade
O “Homem Abençoado” não fica Dois homens sentados no banco
amargo com o passar dos anos; sua da igreja: qual deles você é?
“folhagem não murcha”. Cada dia Davi se referiu ao homem ímpio
que vivemos nos prepara para o dia dizendo: “Os ímpios não são assim”
seguinte. Se estivermos em Cristo, a (4a). O ímpio, por não ter prazer na
qualidade da nossa vida deve aumen- Palavra de Deus, não tem estabilida-
tar, à medida que os anos passam. de, fertilidade, longevidade, prospe-
Prosperidade ridade, nem segurança; consequen-
O Salmo também diz que “...tudo temente, não poderá desfrutar a vida
quanto ele (o “Homem Abençoado”) eterna com Cristo, como está desti-
faz, será bem sucedido”. Davi não nado ao homem que teme a Deus e
estava se referindo à prosperidade anda de acordo com a Sua Palavra.
material, mas à espiritual. Os Livros O desafio que o Salmo 1 lan-
Poéticos se referem ao homem inte- ça para nós é: “dois homens sen-
rior e não ao homem exterior, por isso tados no banco da igreja, qual de-
a prosperidade do “Homem Abenço- les você é?” Você é um homem
ado” tem resultados na qualidade da abençoado?
sua vida eterna. Não vale a pena vi-
ver em função de tudo que deixamos Salmo 128 - Quem é abençoado?
para trás, quando morremos. “Bem-aventurado aquele que teme ao
Segurança Senhor e anda nos seus caminhos!
Quando Davi escreveu: “os perver- Do trabalho de tuas mãos come-
sos não prevalecerão no juízo, nem rás, feliz serás, e tudo te irá bem.
os pecadores na congregação dos jus- Tua esposa, no interior de tua
tos” (5), ele estava querendo afirmar casa, será como a videira frutífera;
que, ao contrário do ímpio, o “Ho- teus filhos, como rebentos da
mem Abençoado” usufrui segurança oliveira, à roda da tua mesa.
nesta vida e na próxima, porque anda Eis como será abençoado o
segundo o conselho de Deus, encon- homem que teme ao Senhor!
trado na Sua Palavra. Ele vai se O Senhor te abençoe desde Sião,
apresentar diante de Cristo, no Dia do para que vejas a prosperidade de
Julgamento, e se juntará à congrega- Jerusalém durante os dias de tua
ção dos justos, por toda a eternida- vida, vejas os filhos de teus
de. Semelhantemente às bênçãos filhos. Paz sobre Israel!”.
apresentadas no Salmo 23, as do
54
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Será que todo mundo é abençoado? da sua mesa (3b).


A Bíblia ensina que as bênçãos As bênçãos de Deus passam,
são derramadas, mediante algumas através da unidade familiar, para
condições: “Bem-aventurado aquele Sião, que representa a comunidade
que teme ao Senhor e anda nos espiritual, no Velho Testamento. A
seus caminhos!” (1). Contudo, partir daí, estas bênçãos impactam
aprendemos, no Livro de Jó, que a cidade, Jerusalém, a nação, Isra-
não é sempre que Deus abençoa o el, e, por fim, o mundo. Basicamen-
Seu povo, quando os seus amigos te, este salmo ensina que Deus usa
disseram que Deus pune os pecado- a família para Se revelar ao mundo.
res e abençoa os que O temem, Quando Ele quer impactar a cida-
mas, no final, Deus lhes diz que eles de, o país e o mundo, Ele começa
estavam errados. Como aprende- com o “Homem Abençoado” e com
mos com os salmos do “Homem a sua família.
Abençoado” que ele colhe o que
planta, temos que considerar a ex- Salmo 127 - Prioridades
periência de Jó como uma exceção providenciais
e não como uma regra. “Se o Senhor não edificar a casa,
em vão trabalham os que a
A estratégia de Deus edificam; se o Senhor não guardar
O Salmo 128 ensina que o “Ho- a cidade, em vão vigia a sentinela.
mem Abençoado” e suas bênçãos se Inútil vos será levantar de madru-
encaixam na estratégia de Deus, gada, repousar tarde, comer o pão
para impactar o mundo. Conforme que penosamente granjeastes; aos
aprendemos com o Livro de Jó, a seus amados ele o dá enquanto
resposta certa para as nossas bên- dormem.
çãos não é ter a atitude: “Senhor, o Herança do Senhor são os filhos;
que o Senhor vai me dar?”. Antes, o fruto do ventre, seu galardão.
devemos perguntar-Lhe: “Senhor, Como flechas na mão do guerreiro,
como posso te servir com as minhas assim são os filhos da mocidade.
bênçãos?”. A estratégia de Deus se- Feliz o homem que enche deles a
gue um padrão: Ele encontra um sua aljava; não será envergonha-
homem, que crê nEle e O obedece; do, quando pleitear com os
então, o abençoa (1). Estas bênçãos inimigos à porta.”
alcançam sua esposa, “que será
como a videira frutífera” (3a), em sua Não é de se estranhar que
casa; depois, seus filhos se tornam Salomão, que foi um grande cons-
“como rebentos de oliveira”, à roda trutor, usasse a metáfora de uma
55
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

construção ao escrever este salmo. da fé. De certa forma, Ele só pode


Ele construiu o Templo, que levou começar a fazer isto, se você per-
o seu nome, cidades, parques, es- mitir. Este conceito está embutido
tábulos e uma frota de navios. Con- nesta bela metáfora. Salomão afir-
tudo, ele mesmo diz que é possível ma: “Ele o dá enquanto dormem”,
que uma pessoa construa tanta o que quer dizer que, enquanto você
coisa, em vão: “Se o Senhor não estiver acordado, Deus não poderá
edificar a casa, em vão trabalham trabalhar em seu corpo; mas, quan-
os que a edificam” (1). do nos tornamos passivos e descan-
Este Salmo assemelha-se às samos, Deus se torna ativo e nos
últimas palavras de sabedoria de dá nova vida. Aplique esta metáfo-
Salomão, no Livro de Eclesiastes, ra às responsabilidades e aos desa-
onde ele pregou que tudo o que fez fios de ser pai ou mãe.
na vida foi em vão. Ao passar da
metáfora da construção para a dos O que isto significa?
filhos, ele diz aos pais que a “em- É possível que você esteja se
preitada” mais importante da nossa preocupando, trabalhando e cons-
vida refere-se à construção da vida truindo em vão, porque está
dos nossos filhos, como se ele esti- priorizando coisas erradas em sua
vesse confessando que gostaria de vida. Este salmo é um desafio para
ter ocupado mais tempo construin- investirmos em nossos filhos. É
do a vida dos seus filhos, ao invés através da família que Deus impacta
de construir tantas outras coisas. o mundo e, por isso, devemos nos
Salomão afirma que “como fle- dedicar a ela com afinco. O diabo
chas na mão do guerreiro, assim os sabe desta verdade e está determi-
filhos da mocidade” (4). As flechas, nado a sabotar esta obra vital de
nesta metáfora, são os filhos e o Deus, cortando o cordão deste
arco, os pais. A força e a direção arco. O que podemos chamar de
com as quais os filhos são lança- “epidemia de famílias desfeitas” é
dos no mundo são determinadas um testemunho claro disso.
pelo arco. Será que todo mundo é aben-
A mensagem básica deste Sal- çoado? Não é isso que aprendemos
mo está em sua primeira frase: “Se com os salmos do “Homem Aben-
o Senhor não edificar a casa, em çoado”. Somente através da fé e da
vão trabalham os que a edificam”. obediência o homem é abençoado.
Existem muitas coisas que só Deus
pode fazer, como dar vida nova aos Salmo 4 - Solução para o stress
Seus filhos e lhes conceder o dom Depois de estudar vários sal-
56
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

mos do “Homem Abençoado”, mostra que devemos enfrentar os


estamos prontos para enfocar os desafios diários, confiando no Se-
“Salmos Emocionais”, que são, em nhor e entregando a Ele as nossas
sua maioria, orações em que o ansiedades.
salmista fala com Deus a respeito
dele mesmo ou de alguém. Um des- Oração
ses salmos é o 4: No Salmo 4, Davi reage à pres-
“Responde-me quando clamo, são emocional com uma oração:
ó Deus da minha justiça; na “Responde-me quando clamo, ó
minha angústia, tens-me aliviado; Deus da minha justiça” (1). Orar é
tem misericórdia de mim e ouve a conversar com Deus e, para conver-
minha oração. sarmos, é necessário que haja outra
Ó homens, até quando tornareis a pessoa para ouvir. Deus quer que
minha glória em vexame, e você converse com Ele, mas Ele tam-
amareis a vaidade e buscareis a bém quer falar com você. Na maio-
mentira? ria dos salmos de oração, ouvimos
Sabei, porém, que o Senhor primeiro o salmista falar com Deus
separou para si o piedoso; o e, depois, Deus responder a ele.
Senhor me ouve quando eu clamo Davi começou sua oração,
por ele. contando a Deus a razão da sua
Irai-vos e não pequeis; consultai angústia (2). Deus respondeu, dan-
no travesseiro o coração e do uma revelação a Davi: “Sabei,
sossegai. porém, que o Senhor separou para
Oferecei sacrifícios de justiça e si o piedoso; o Senhor me ouve
confiai no Senhor. quando eu clamo por ele. Irai-vos e
Há muitos que dizem: Quem nos não pequeis” (3,4a).
dará conhecer o bem? Pense que uma oração respondi-
Senhor, levanta sobre nós a luz do da significa que o Deus do Universo,
teu rosto. o Todo-Poderoso, está tão interessa-
Mais alegria me puseste no cora- do em nós, que nos ouve e nos res-
ção que a alegria deles, quando ponde, quando conversamos com Ele,
lhes há fartura de cereal e de o que é motivo mais que suficiente
vinho. para não sermos mais os mesmos.
Em paz me deito e logo pego no
sono, porque, Senhor, só tu me Examine seu coração
fazes repousar seguro”. Quando Deus falou com Davi:
Como devemos reagir ao “consultai no travesseiro o coração
stress? O autor deste salmo nos e sossegai” (4b), Ele queria que
57
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Davi examinasse os seus questiona- fazes repousar seguro” (7,8).


mentos e, depois de ponderá-los, Se você se identificar com o
sossegasse. estado emocional de Davi, medite
no seu coração e converse com
Faça o que é certo Deus. Caso você esteja em confli-
Quando Davi examinou o seu to, sem saber se faz o que é mais
coração, Deus lhe mostrou o que fácil ou o que é certo, ofereça sa-
fazer com a sua angústia: “oferecei crifícios de justiça e coloque sua
sacrifícios de justiça e confiai no confiança em Deus. Você vai ver que
Senhor” (5). Por que Davi precisa- a solução que Davi encontrou tam-
va fazer isto? Porque muitas pesso- bém funciona para você; a tensão
as estavam perguntando “quem nos e o medo serão substituídos pelo
dará conhecer o bem?” (6a). Davi descanso e pela confiança, pela paz
estava sendo observado e as pes- e por uma boa noite de sono.
soas estavam aprendendo quem era
Deus, através dele. Salmo 139 - O Conselheiro
Podemos presumir que Davi Todo-Poderoso
estava diante de um dilema: ele “Sonda-me, ó Deus, e conhece o
podia fazer o que era mais fácil e meu coração; prova-me e conhece
sobreviver, ou fazer o que era certo os meus pensamentos; vê se há em
e justo. Como ele era um homem mim algum caminho mau e guia-me
íntegro, não poderia conviver com pelo caminho eterno” (23,24).
a culpa de fazer o que era mais fá- O Salmo 139 é mais um exem-
cil. Quando ele teve este diálogo plo de Salmo de Oração, no qual o
com Deus, resolveu colocar toda escritor, inspirado pelo Espírito San-
sua energia para fazer o que era to, fala com Deus a respeito de si
certo. Ele sabia que o povo queria mesmo. Vemos neste salmo que Deus
ver nele alguém que fazia o que era era o Grande Conselheiro de Davi.
certo, mesmo que isto envolvesse Quando Deus falou para Saul, atra-
sacrifícios. vés de Samuel, que tinha encontra-
Ao oferecer sacrifícios de jus- do um substituto para o trono de Is-
tiça, Davi experimentou tamanha rael, Deus se referiu a Davi como um
transformação interior, a ponto de homem “segundo o coração de Deus”,
dizer: “Mais alegria me puseste no isto é, que procurava agradar a Deus
coração que a alegria deles, quan- e fazer a Sua vontade. A parte prin-
do lhes há fartura de cereal e de cipal desta oração são seus dois úl-
vinho. Em paz me deito e logo pego timos versículos. Se dividirmos
no sono, porque, Senhor, só tu me todo o salmo em parágrafos, vere-
58
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

mos que cada um deles mostra dos somos um projeto de Deus.


quem é o Deus a quem Davi ora. O quarto parágrafo (17,18)
No primeiro parágrafo (1-5), mostra Davi orando a um Deus,
Davi está orando a um Deus que o cujos pensamentos são preciosos e
conhece ilimitadamente: “Senhor, tu infinitos (17). Uma das maneiras
me sondas e me conheces” (1). de expressar sua consideração pela
Talvez você conheça alguém famo- pessoa que você ama é confessan-
so, pessoalmente, o prefeito da sua do-lhe que você pensa nela o tem-
cidade ou o governador; mas, você po todo. O que Deus pensa a res-
não acha que seria muito mais im- peito de nós é mais importante que
pressionante se alguém famoso o o que pensamos de nós mesmos.
reconhecesse publicamente? Davi No quinto parágrafo (19-22),
está impressionado por ser conhe- Davi pede a Deus que o defenda dos
cido pelo Deus do Universo! seus inimigos, confiando inteira-
Qualquer pessoa que dê um mente na Sua proteção.
conselho a você não possui pleno Depois de descrever o perfil do
conhecimento a seu respeito ou da Deus a quem ele ora, Davi pede:
situação que você está vivendo. “Sonda-me, ó Deus, e conhece o
Não importa se a pessoa é ou não meu coração, prova-me e conhece
um excelente conselheiro, o conhe- os meus pensamentos, vê se há em
cimento dele a seu respeito é limi- mim algum caminho mau e guia-
tado. Porém, com Deus é diferente, me pelo caminho eterno” (23,24).
pois Ele o conhece plenamente. Quando não sabemos quais
No segundo parágrafo (6-12), são as reais intenções do nosso
vemos que Davi está orando ao coração, mas queremos andar nos
Deus Onipotente e Onipresente, de caminhos eternos, pela vontade de
quem ele não pode escapar: “Para Deus, devemos nos aproximar do
onde me ausentarei do Teu Espíri- trono do Grande Conselheiro a
to?”. Será que você consegue fugir quem Davi orou.
da presença de Deus? Se conseguis- Peça a Deus que abra o seu
se, para onde você iria? coração e lhe mostre as motivações
O terceiro parágrafo mostra que não deveriam estar nele. Peça-
que Davi está orando ao Deus Cri- Lhe que abra a sua mente e a
ador (13-16): “Pois tu formaste o direcione, a fim de que tudo o que
meu interior, tu me teceste no seio você fizer contribua para o seu bem
de minha mãe”. Este salmo também e para a glória de Deus.
nos faz entender que nenhum de nós
foi gerado acidentalmente, pois to-
59
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Salmo 100 fim (I Crônicas 23.5).


“Celebrai com júbilo ao Senhor, Existem momentos em nossa
todas as terras. vida em que temos a necessidade
Servi ao Senhor com alegria, apre- de expressar o inexprimível; por
sentai-vos diante dele com cântico. exemplo, quando estamos com a
Sabei que o Senhor é Deus; foi pessoa que amamos. Esta necessi-
ele quem nos fez, e dele somos; dade é ainda maior, quando
somos o seu povo e rebanho do estamos na presença de Deus. Por
seu pastoreio. esta razão existe o louvor: para
Entrai por suas portas com ações expressarmos nossa adoração, que
de graças e nos seus átrios com se tornaria inexpressível com sim-
hinos de louvor; rendei-lhe graças ples palavras.
e bendizei-lhe o nome. Porque o Quando entramos na presença
Senhor é bom, a sua misericórdia de Deus, passamos a viver o que
dura para sempre, e, de geração antes só conhecíamos intelectual-
em geração, a sua fidelidade”. mente. Talvez tenha sido isto o que
O Salmo 100 é, sem dúvida al- o apóstolo Paulo quis dizer, quan-
guma, um Salmo de Adoração. O do afirmou que “ninguém pode di-
salmista define o termo adoração zer: Senhor Jesus! senão pelo Es-
como o ato de apresentar-se diante pírito Santo” (I Coríntios 12.3).
de Deus com ações de graças e hinos Temos experimentado que o
de louvor. O coração grato é a “por- “Senhor é bom”. Geralmente hesita-
ta” que nos leva à presença de Deus. mos muito, antes de nos compro-
Quando adoramos a Deus com metermos totalmente com Deus,
ações de graça pelas bênçãos que porque, ao invés de confessarmos
Ele nos tem concedido, passamos “o Senhor é bom”, afirmamos, atra-
a louvá-Lo pelo que Ele é, como vés do nosso comportamento, exa-
recomenda o salmista: “Sabei que tamente o contrário. Este salmo
o Senhor é Deus... Entrai por suas afirma que, além de compreender-
portas com ações de graça” (3,4). mos que “o Senhor é Deus” (3),
Davi foi chamado de “o homem também reconhecemos que “o Se-
segundo o coração de Deus”, por nhor é bom” (5). A vontade de Deus
sua fé inabalável, seu despojamento para nós é boa, porque Ele é bom.
e adoração ao Deus que ele conhe- O primeiro versículo deste sal-
cia intimamente. Foi ele quem es- mo diz: “Celebrai com júbilo ao
colheu os quatro mil levitas que Senhor, todas as terras”; o último
adoravam o Senhor com os instru- versículo diz: “o Senhor é bom, sua
mentos que ele mesmo fez para tal misericórdia dura para sempre, e,
60
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

de geração em geração, a sua fide- sociedade, endividados e amargura-


lidade” (5). Aqueles que adoram o dos de espírito. Nas culturas anti-
Senhor sabem que Ele quer que to- gas, estar em débito poderia signifi-
dos O conheçam. A Bíblia e a His- car prisão, conforme Jesus ilustrou
tória da Igreja estão repletas de em Mateus 18.23-34. É interessan-
narrativas de pessoas, que tiveram te observar que foi nesta ocasião
uma experiência marcante ao se que Davi conheceu os homens que
aproximarem de Deus. mais tarde seriam denominados
O segundo versículo deste sal- como os “valentes de Davi”.
mo fala do serviço que prestamos
a Deus: “Servi ao Senhor com ale- O Homem que tem esperança
gria, apresentai-vos diante dele O homem que tem esperança
com cânticos”. Quando adoramos a acredita que existe algo de bom na
Deus com sinceridade, nós O servi- vida e vai ao seu encontro. Deus
mos com alegria, não apenas por- coloca a esperança no coração do
que este é nosso dever, mas porque homem, porque a esperança leva à
somos gratos pela nossa salvação fé, por isso o autor da Carta aos
e por seus incontáveis benefícios. Hebreus, no capítulo 11, inicia di-
Neste salmo de Adoração, aprende- zendo que a fé dá substância para
mos o que acontece em nossas vi- as coisas que esperamos. É a fé que
das, quando adoramos a Deus ver- nos leva a Deus.
dadeiramente, ao colhermos os re- No Brasil, acontecem dezenas
sultados desta experiência genuína. de milhares de suicídios todo ano.
Uma das explicações que psiquia-
Salmo 34 - Solução para os tras e psicólogos dão para esta es-
fracassados e falidos tatística é que as pessoas cometem
O salmo 34 é um dos Salmos suicídio, quando perdem a esperan-
Emocionais e, também, de Adora- ça de que algo bom possa aconte-
ção. Sua epígrafe oferece informa- cer para elas. A esperança que Deus
ções acerca do seu contexto histó- planta em nossos corações deve
rico. Este salmo foi escrito durante nos levar à fé; quanto ao plano de
um período difícil da vida de Davi, Deus é que esta fé nos leve a ter um
quando ele fugia de Saul, cujo re- relacionamento com Ele.
lato se encontra em I Samuel, ca- O apóstolo Paulo escreveu que:
pítulos 21 e 22. “permanecem a fé, a esperança e
Em sua fuga, juntaram-se a Davi o amor, estes três, porém, o maior
homens que estavam em condições destes é o amor” (I Coríntios 13.13).
semelhantes à dele, renegados pela O amor não é simplesmente algo que
61
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

nos leva a Deus; ele é o próprio Deus. cia pessoal de conversão, descubra
que o Senhor é a única esperança
O homem sem esperança que você pode ter nesta vida.
(Salmo 34.16,21)
O homem que tenta viver sem A aliança entre Davi
Deus não tem esperança. Quando o e seus homens valentes
homem começa a trilhar o caminho “Engrandecei o Senhor comigo,
contrário ao que o conduz a Deus, e todos a uma lhe exaltemos o
ele passa a ser movido pela deses- nome” (3). Davi conclamou seus va-
perança. Davi escreveu neste sal- lentes a adorarem a Deus com estas
mo: “O rosto do Senhor está contra palavras de estímulo à fé genuína
os que praticam o mal... O infortú- no Deus que ele tão bem conhecia.
nio matará o ímpio” (16,21). Vemos, na vida dos “valentes
de Davi”, a verdade ilustrada na fi-
O homem feliz, o homem bem-aven- gura de Moisés, dos juízes e do
turado (Salmo 34.15,17-20,22) próprio Davi, através dos quais
A vida do homem que teme a Deus realizou coisas extraordinári-
Deus será evidenciada por conseqü- as. O Salmo 34 e tudo o que acon-
ências positivas, mesmo que mui- teceu com os homens de Davi são
tas vezes entremeadas por tribula- um retrato do que chamei de “Os
ções, como ocorreu com Jó. Leia Quatro Segredos Espirituais”:
“30 Razões Bíblicas Porque o Povo Eu não sou, mas Deus é e está
de Deus Sofre”, neste livro. comigo. Eu não posso, mas Deus
pode e está comigo. Eu não
O testemunho de Davi quero, mas Deus quer e Ele está
Davi expressou sua esperança, comigo. Eu não fiz, mas Deus fez
quando disse: “Busquei ao Senhor porque Ele estava comigo.
...clamou este aflito e o Senhor o
ouviu e o livrou de todas as suas Salmo 46
tribulações” (4,6). Ele estava falan- “Deus é nosso refúgio e fortaleza,
do da sua experiência de fé em meio socorro bem presente nas tribula-
às provações, às quais muitas ve- ções. Portanto, não temeremos,
zes era submetido. ainda que a terra se transtorne e
os montes se abalem no seio dos
A prescrição de Davi para mares; ainda que as águas tumul-
os que se sentiam fracassados tuem e espumejem e, na sua fúria,
“Provai e vede que o Senhor é os montes se estremeçam. Há um
bom” (8). Através da sua experiên- rio, cujas correntes alegram a
62
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

cidade de Deus, o santuário das para o mundo.


moradas do Altíssimo. Deus está Este salmo apresenta uma pers-
no meio dela; jamais será abalada; pectiva espiritual para nós, quando
Deus a ajudará desde nossa vida está à beira da destrui-
antemanhã... Aquietai-vos e sabei ção. O versículo “Aquietai-vos e
que eu sou Deus; sou exaltado sabei que eu sou Deus” aparece em
entre as nações, sou exaltado na outras traduções como “Parem de
terra. O Senhor dos Exércitos está lutar! Saibam que eu sou Deus!”
conosco; o Deus de Jacó é o Seria como dizer: “Saibam que Deus
nosso refúgio”(1-5,10,11). é tudo o que a Sua Palavra diz que
Para os autores deste salmo, os Ele é! Saibam que Deus está presen-
filhos de Coré, o conceito de uma te em tempos de calamidade e envi-
montanha submergindo no mar era ará o socorro no tempo oportuno”.
uma metáfora inimaginável. A essên- Deus pode usar calamidades
cia da mensagem destes levitas é como terremotos, enchentes, incên-
que, quando nosso mundo estiver dio ou guerra para ensinar ao Seu
desabando, precisamos nos aquietar povo a diferença entre tesouros no céu
e saber que o Senhor é um Deus que e tesouros na terra. Jesus nos ensi-
pode submergir todos os obstáculos nou a acumular tesouros no céu,
que se interpõem em nosso caminho. porque os tesouros na terra estragam
As águas de um rio represen- e são roubados (cf. Mateus 6.19-21).
tam os valores eternos que fluem, Os autores deste salmo apre-
através deste mundo corrompido sentam o Dia do Senhor como se ele
pelo pecado. O que este salmo ex- já tivesse acontecido e nos levam a
prime é que, em meio ao esfacela- uma visão de devastação. Neste
mento deste mundo, precisamos contexto, o primeiro e o último
nos aquietar o suficiente, para en- versículo nos desafiam a confiarmos
tendermos que tudo o que se rela- em Sua proteção e em Seu socorro.
ciona a Deus é imutável e eterno. Quando as duas torres do World
Aprendemos, também, no Trade Center foram atacadas, nos
Novo Testamento, que “é necessá- Estados Unidos, além de todas as
rio que aquele que se aproxima de vidas que foram perdidas, também foi
Deus creia que ele existe e que se destruído um marco que representava
torna galardoador dos que o bus- os valores materiais daquele povo.
cam” (Hebreus 11.6). O salmo 46 Embora Deus não aprove o terrorismo,
nos fala que, em tempos de calami- Ele permite que ocorram tragédias
dade, precisamos conhecer a von- como esta para que o povo de Deus
tade de Deus para a nossa vida e seja alertado para os valores eternos.
63
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 12
O Livro de Provérbios

Em uma transação de negóci- pítulo 22.16; os Provérbios do Sá-


os ganhamos duas coisas: dinhei- bio, nos capítulos 22.17 até o ca-
ro e experiência. Geralmente, quan- pítulo 24.34; os Provérbios de
do pessoas tementes a Deus entram Salomão, compilados pelos sábios
em um negócio, ficam com a expe- de Ezequias, encontram-se nos ca-
riência, enquanto as pessoas do pítulos 25 a 29; no capítulo 30,
mundo, que partilharam do negócio, encontramos os Provérbios de Agur
ficam com o dinheiro. No Livro de e, no capítulo 31, os provérbios
Provérbios aprendemos a discernir registrados pelo rei Lemuel, que ele
o que é melhor para a nossa vida, recebeu de sua mãe. Os capítulos
a fim de que não tenhamos que 1 a 10 foram escritos para os jo-
sofrer as conseqüências de decisões vens; 11 a 20, para todos os ho-
impensadas. mens e 21-31, para os governantes.
O Livro de Provérbios é o livro Apesar de Salomão ter sido
mais prático da Bíblia. Salomão considerado o homem mais sábio
escreveu três mil provérbios (I Reis do mundo (I Reis 4.31), cometeu
4.32) e boa parte deles foram muitos erros. Como já observamos,
registrados na Bíblia Sagrada. Ele quando estudamos os Livros Histó-
foi considerado um dos homens ricos, a divisão do Reino e os dois
mais sábios do mundo e, neste li- cativeiros do povo de Deus são
vro, ele e outros homens sábios consequência do pecado de
mostram como aplicar a sabedoria Salomão. A pergunta é: como um
em áreas práticas da nossa vida. homem que cometeu tantos erros
Além dos provérbios, Salomão pôde ensinar com tanta sabedoria?
é autor de mais de mil cânticos; Existem várias respostas para
porém, apenas um deles chegou ao esta pergunta. A sabedoria dos pro-
nosso conhecimento, que é o vérbios não implica que seu autor
“Cântico dos Cânticos”. a tenha aplicado em sua própria
Os primeiros seis versículos vida, porque eles apresentam a sa-
deixam claro qual é o propósito do bedoria inspirada de Deus.
livro, ou seja, ensinar a sabedoria. Além de Provérbios, Salomão
Os Provérbios de Salomão se encon- escreveu o Salmo 127 e o Livro de
tram nos capítulos 10.1 até o ca- Eclesiastes, nos quais ele ensina
64
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

que não devemos cometer os erros de à imoralidade é: “...com as cor-


que ele cometeu. das do seu pecado será detido. Ele
Salomão explicou o propósito morrerá pela falta de disciplina, e,
destes provérbios: “Portanto, come- pela sua muita loucura, perdido,
rão do fruto do seu procedimento e cambaleia” (5.22,23).
dos seus próprios conselhos se far-
tarão... No caminho da sabedoria te Autodisciplina
ensinei e pelas veredas da retidão Para ensinar a importância da
te fiz andar... O temor do Senhor é auto-disciplina, Salomão disse: “Vai
o princípio da sabedoria e o conhe- ter com a formiga, ó preguiçoso, con-
cimento do Santo é prudência” sidera os seus caminhos e sê sábio.
(1.31;4.11;9.10). Estes versículos Não tendo ela chefe, nem oficial,
resumem o que foi a vida de nem comandante, no estio, prepara
Salomão. Ele sabia que havia erra- o seu pão, na sega, ajunta o seu
do, mas queria que soubéssemos mantimento” (6.6-8). Quando so-
que aprendemos através dos erros mos jovens, nossos pais e professo-
e com as suas consequências. res nos guiam para fazer o que é
Quando experimentamos os frutos certo, sempre falando que teremos
amargos das nossas escolhas erra- que responder pelas nossas atitudes
das, pagamos um alto preço para e, quando amadurecemos, temos
adquirir sabedoria; então, descobri- que aprender a ter autodisciplina. De
mos que “a melhor coisa da vida é acordo com Salomão, a formiga é
fazer o que é certo”. um exemplo de autodisciplina que,
sem supervisão, prepara provisão no
Alertas contra a mulher sedutora verão e, na época da colheita, para
O texto de Provérbios 5.1-10 é todo o ano.
um alerta aos jovens contra as ten-
tações da mulher sedutora. Estes Dar e receber
versos mostram que a melhor defesa O ensino de Provérbios 11.24,25
contra a imoralidade é uma boa ofen- assemelha-se aos ensinos de Jesus:
siva, ou seja, um bom casamento. “A quem dá liberalmente, ainda se
Os jovens devem estar constantemen- lhe acrescenta mais e mais; ao que
te seduzidos pelo amor de suas res- retém mais do que é justo, ser-lhe-
pectivas esposas. Salomão escreveu á em pura perda. A alma generosa
aos jovens: “Seja bendito o teu ma- prosperará, e quem dá a beber será
nancial, alegra-te com a mulher da dessedentado”. Este provérbio en-
tua mocidade” (18). A advertência de sina que nossas almas são alimen-
Salomão para o homem que se ren- tadas quando somos generosos;
65
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

mas, quando somos egoístas, nos- autodisciplina, mulher, educação de


sas almas secam. Se ficarmos pre- filhos etc. À medida que você ler o
sos ao que temos, podemos perder Livro de Provérbios, escreva a refe-
tudo. Se, porém, dermos generosa- rência de cada provérbio na sua
mente, enriquecemos. Jesus apre- respectiva coluna. Quando você
sentou este mesmo princípio, quan- acabar, terá um índice com os prin-
do ensinou que devemos perder cipais temas ensinados neste livro
nossa vida a fim de ganhá-la para de sabedoria.
sempre (Mateus 16.25; Atos As palavras espírito e alma
20.35). De acordo com Jesus, se (coração) são mencionadas 70 ve-
você quiser encontrar sua vida, zes neste livro, o que mostra que
deve perdê-la ou sacrificá-la para Deus se dirige ao nosso espírito e
Deus e em favor de outros. à nossa alma para nos ensinar
As pessoas deveriam usar este como viver. Um dos meus provérbios
livro e os seus 31 capítulos como preferidos é: “Confia no Senhor de
um calendário, e ler um capítulo de todo o seu coração e não te estri-
Provérbios em cada dia do mês. A bes no teu próprio entendimento.
minha sugestão é que você faça Reconhece-o em todos os teus ca-
uma tabela com doze colunas; para minhos, e ele endireitará as tuas
cada coluna, escreva uma palavra: veredas” (Provérbios 3.5,6).

66
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 13
O Livro de Eclesiastes

O Livro de Eclesiastes é dirigi- versão ampliada do Salmo 127, que


do aos corações que buscam respos- ele pregou para os jovens, mostran-
tas para os dilemas da vida. A pa- do que eles não precisavam apren-
lavra “Eclesiastes” significa “Prega- der passando o que ele havia pas-
dor” e, na verdade, este livro é uma sado, mas que podiam aprender
pregação de Salomão, no final de com a experiência dele.
sua vida, a qual nos faz perceber
que, apesar da experiência ser um A busca pelo significado da vida
ótimo método de aprendizado, não No Livro de Eclesiastes, Salo-
é o único. Não precisamos experi- mão contou aos jovens porque ha-
mentar tudo na vida para aprender via tentado encontrar o propósito e
o que é bom e o que não é. O pre- o significado da vida de três manei-
gador nos exorta a aprendermos com ras diferentes e, no final, viu que
a sua própria experiência. Este ser- tudo era vaidade. Salomão confes-
mão ensina como um homem que sou seus erros ao dizer, no Salmo
tinha a reputação de ser o mais sá- 127, que é possível alguém se preo-
bio do mundo buscou, diligentemen- cupar, trabalhar e construir em vão:
te, o significado e propósito da vida. “Se o Senhor não edificar a casa, em
Deus usou “As Últimas Palavras de vão trabalham os que a edificam; se
Sabedoria” deste sermão para falar o Senhor não guardar a cidade, em
aos corações daqueles que estive- vão vigia a sentinela. Inútil vos será
rem buscando o significado da vida. levantar de madrugada, repousar
tarde, comer o pão que penosamen-
Visão panorâmica deste sermão te granjeastes” (Salmo 127.1,2).
O Livro de Eclesiastes é o se- Salomão fala mais amplamente
gundo Livro Poético escrito por desta questão e, também, sobre o
Salomão. Conforme aprendemos no propósito e o significado da vida.
Salmo 127, quando Salomão ficou Riquezas
velho e reviu sua vida com os olhos Quando buscou o significado e o
da sabedoria que a idade lhe havia propósito da vida nas riquezas, tor-
dado, confessou que tinha traba- nando-se o homem mais rico do
lhado muito, mas que tudo havia mundo, ao constatar a sua mortali-
sido em vão. Este sermão é uma dade, Salomão escreveu: “Aborreci
67
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

todo o meu trabalho, com que me Porque Deus há de trazer a juízo


afadiguei debaixo do sol, visto que todas as obras, até as que estão
o seu ganho eu havia de deixar a escondidas, quer sejam boas, quer
quem viesse depois de mim” (2.18). sejam más” (12.13,14). A versão
Sabedoria original destes versículos, no
Percebendo que as riquezas não hebraico, dá a ideia de que o temor
davam significado à vida, Salomão a Deus e a obediência aos Seus
passou a buscar a sabedoria e se mandamentos torna o homem ple-
tornou o homem mais sábio do namente realizado. O temor de Deus
mundo; porém, também não encon- é o princípio da sabedoria, porque
trou sentido nesta busca “Porque na cumpre no homem o propósito,
muita sabedoria há muito enfado; para o qual ele foi criado. A sabe-
e quem aumenta ciência, aumen- doria de Salomão o levou a concluir
ta tristeza” (1.18). A intensa bus- que a vida é cheia de injustiça; que
ca do conhecimento não aumenta a os homens herdam riquezas que
felicidade; por isso, Salomão disse não conquistaram; que o oprimido
que isto também é “vaidade”. não tem conforto e os que o têm
Prazer vivem descontentes; que tudo, no
Salomão também buscou o sentido final, não passa de mera vaidade.
da vida na alegria, no prazer “Tudo
quanto desejaram os meus olhos não Sabedorias preciosas do
lhes neguei, nem privei o coração de Livro de Eclesiastes
alegria alguma, pois eu me alegrava Descobrimos certo dualismo
com todas as minhas fadigas, e isso no Livro de Eclesiastes. Em deter-
era a recompensa de todas elas” minadas passagens, Salomão pare-
(2.10). Depois de desfrutar tudo ce fazer o papel de uma pessoa
quanto desejava, Salomão foi inqui- cética e questionadora, sem revela-
etado com três dúvidas: O que isto ção da parte de Deus, com um ra-
me trouxe de bom? Qual o propósi- ciocínio totalmente secular; em
to de todas estas coisas que tenho outras, ele se expressa como um
adquirido e usufruído? Onde tudo homem espiritual. Apesar de todas
isto me levará? as suas dúvidas, Salomão fala de
O veredicto maneira profunda e apresenta uma
A conclusão que Salomão nos visão significativa a respeito da
apresenta é: “De tudo o que se tem vida: “Tudo tem o seu tempo deter-
ouvido, a suma é: Teme a Deus e minado, e há tempo para todo pro-
guarda os seus mandamentos, por- pósito debaixo do céu: há tempo de
que isto é o dever de todo homem. nascer e tempo de morrer; tempo
68
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

de plantar e tempo de arrancar o pelo conselho de um homem:


que se plantou” (Eclesiastes 3.1,2). “Houve uma pequena cidade em
Esta passagem nos lembra o Salmo que havia poucos homens; veio
1, o qual diz que o “Homem Aben- contra ela um grande rei, sitiou-a
çoado”, no devido tempo, dá o seu e levantou contra ela grandes ba-
fruto (Salmo 1.3). luartes. Encontrou-se nela um ho-
Salomão também falou sobre o mem pobre, porém, sábio, que a
casamento: “Melhor é serem dois livrou pela sua sabedoria; contudo,
que um, porque têm melhor paga do ninguém se lembrou mais daque-
seu trabalho. Porque se caírem, um le pobre” (9.14,15). Salomão con-
levanta o companheiro; ai, porém, siderou o fato de a cidade ter se es-
do que estiver só; pois, caindo, não quecido deste homem como uma
haverá quem o levante. Também, se injustiça. Apesar do homem sábio
dois dormirem juntos, eles se não ter sido recompensado, a con-
aquentarão; mas um só como se clusão de Salomão foi que: “As
aquentará? Se alguém quiser preva- palavras do sábio, ouvidas em si-
lecer contra um, os dois lhe resisti- lêncio, valem mais que os gritos de
rão; o cordão de três dobras não se quem governa entre tolos” (17).
rebenta com facilidade” (4.9-12). Para ele, executar uma obra era
Ao criar o casamento, Deus mais importante que ganhar a fama
projetou o homem e a mulher para pelo trabalho feito.
serem uma só carne. O Seu plano Ao encerrar este sermão, ele
era e é que a união do espírito e da aconselhou os jovens: “Lembra-te do
mente fosse expressa através da teu Criador nos dias da tua mocida-
relação sexual. Salomão sabia dis- de, antes que venham os maus dias,
to e, por esta razão, afirmou que “o e cheguem os anos dos quais dirás:
cordão de três dobras não se reben- Não tenho neles prazer” (12.1). Os
ta com facilidade”. Dentro do casa- jovens devem se lembrar de Deus e
mento, o sexo é uma forma de co- viver de maneira digna, porque, no
municação muito importante. Se o fim, se apresentarão diante dEle.
relacionamento sexual não expres- A conclusão de Salomão a res-
sar a união da mente e do espírito, peito do significado da vida foi: “De
o sexo será uma relação meramen- tudo o que se tem ouvido, a suma
te física na vida de um casal. é: Teme a Deus e guarda os seus
No capítulo 9, Salomão des- mandamentos; porque isto é o de-
creveu uma cidade que foi salva ver de todo homem” (12.13).

69
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

Capítulo 14
O Cântico dos Cânticos de Salomão

O Cântico dos Cânticos de o prazer dentro do seu casamento.


Salomão é o último Livro Poético. Ao ler o Cântico de Salomão,
Embora tenha escrito mais de mil você verá quais são as intenções de
cânticos, este foi o único preserva- Deus para o relacionamento sexual
do nas Escrituras. entre os cônjuges. Ele traça um pa-
Os jovens hebreus não tinham ralelo muito profundo entre o relaci-
permissão para ler este livro antes onamento de um homem e uma mu-
de completarem 30 anos. Você deve lher, no casamento, e o nosso relaci-
se perguntar como este livro passou onamento com Ele. Ao ler o Novo
pelo Cânon e há várias respostas Testamento, descobrimos que a me-
para esta pergunta. táfora do casamento aplica-se a Cris-
No Livro de Gênesis, Deus dis- to, o Noivo, e à Sua Igreja, a Noiva
se que não era bom que o homem (Mateus 25.1-13; Apocalipse 21.2).
fosse só; por isso, criou a mulher
para complementá-lo. De acordo Aplicação do Cântico de Salomão
com o relato da criação, depois que Uma última alegoria neste
Deus os criou, declarou que tudo o cântico refere-se ao nosso relaciona-
que tinha feito era bom. mento individual com o Cristo Vivo.
Este livro contém mais que uma No Velho Testamento, Israel recebeu
mensagem; porém, se ele se restrin- o mandamento de amar a Deus de
gisse à santidade do sexo, já justifi- todo o coração. Jesus confirmou este
caria ele estar entre os livros da Bí- ensino, quando foi questionado a
blia. É importante que os pais ensi- respeito do mandamento mais im-
nem aos seus filhos que sexo é algo portante na Lei (Mateus 22.35-40).
bom. É um desafio ensiná-los a res- Nosso relacionamento com
peito do sexo seguro no casamento, Cristo é representado, alegoricamen-
sem dar a eles a impressão de que é te, pelo casal apaixonado descrito
pecado. Se passarmos para nossos neste cântico. A interpretação e a
filhos a impressão de que sexo é er- aplicação do Cântico de Salomão
rado, podemos prejudicar a vida se- fazem deste livro um dos mais sig-
xual que eles terão no casamento. nificativos da Bíblia, no que se re-
Eles poderão se casar com um con- fere à intimidade do nosso relacio-
ceito puritano de sexo, que limitará namento com Jesus Cristo.
70
ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I Reis a Cântico dos Cânticos)

O paralelo do Cântico de Amor nunca será dEle.


O noivo do Cântico de Salomão Quanto à noiva do Cântico de
primeiro levou sua noiva ao seu quar- Salomão, ela entende a obra do
to (1.4) e, depois, à sala do banque- noivo, como depreendemos deste
te (2.4). Isto sugere que nosso rela- texto: “Levantemo-nos cedo, de
cionamento com Cristo deve ser ín- manhã, para ir às vinhas; vejamos
timo, antes de se tornar público. Foi se florescem as vides, se a flor se
isto que Jesus fez no Sermão da abre, se já brotam as romeiras;
Montanha. Ele criticou aqueles que dar-te-ei ali o meu amor” (7.12).
oravam e davam oferta em público, Qual é a principal aplicação
porque faziam isto buscando bene- deste belo poema? Ele usa a lingua-
fício próprio e não para agradar a gem do coração para falar acerca do
Deus (Mateus 6.5-7). sentimento mais importante que
A ênfase de Jesus foi que nos- existe, que é o amor.
sas orações deveriam ser feitas para O Novo Testamento descreve o
Deus, em particular, e nossas ofer- amor de Deus de forma magistral no
tas deveriam ser anônimas. Será capítulo 13, de I Coríntios, e em I
que você dá prioridade para a sua João. Nestes textos, temos a oportu-
intimidade com Jesus? Será que nidade de conhecer os qualificativos
você separa um espaço em sua que caracterizam este amor como:
casa para ter o seu encontro com indescritível, insubstituível, inspirador,
Cristo? Martinho Lutero escreveu: espiritual, eterno e sobrenatural.
“Santo Jesus, inocente infante, faça Quando temos em nosso cora-
do meu coração um lugar para o ção este tipo de amor, adquirimos
Senhor se aquietar e descansar”. a capacidade de amar nosso côn-
Será que você abre o seu coração juge, nossos filhos, nossos pais e,
assim para Jesus? principalmente, aqueles que são
Sempre que a comunhão entre mais difíceis de serem amados. O
os dois amantes do Cântico de Cântico de Salomão ensina que o
Salomão era quebrada contrariava amor que compartilhamos com
a vontade do noivo, ilustrando per- Cristo é pessoal, íntimo, exclusivo,
feitamente nossa comunhão com intenso, altruísta, mútuo,
Cristo. Quando nossa comunhão edificante, frutífero, insaciável e faz
com Ele é interrompida, a culpa muito bem à nossa vida!

71
72
PICOTE

C.B.I. ENCONTRO COM A PALAVRA – QUESTIONÁRIO DO LIVRO 2


ESTUDO PANORÂMICO DO VELHO TESTAMENTO (I REIS A CÂNTICO DOS CÂNTICOS)

Leia com atenção o livro e responda o questionário. Em cada questão ape-


nas uma das três alternativas está correta e deverá ser assinalada. Ao rece-
bermos este questionário respondido, enviaremos GRÁTIS o próximo núme-
ro, na medida em que o estudo pelo rádio for avançando.

QUESTIONÁRIO
01. O profeta mais mencionado no Livro de I Reis é:
A ( ) Eliseu
B ( ) Isaías
C ( ) Elias

02. Quando o Reino de Israel atingiu seu apogeu, Salomão:


A ( ) Construiu o Tempo
B ( ) Orou a Deus
C ( ) Afastou-se de Deus

03. Os Livros de Esdras e Neemias foram denominados:


A ( ) “Os Evangelhos Sinópticos do Velho Testamento”
B ( ) “Os Evangelhos apócrifos do Velho Testamento”
C ( ) “As Epístolas do Velho Testamento”

04. O judeu Mordecai (ou Mardoqueu) era:


A ( ) Pai de Ester
B ( ) Avô de Ester
C ( ) Primo de Ester

05. Muitos estudiosos acreditam que o Livro de Jó foi escrito no período:


A ( ) Dos Juízes
B ( ) Dos Reis
C ( ) Dos Patriarcas
06. O primeiro livro poético da Bíblia (Jó) fala:
A ( ) Aos corações feridos
B ( ) Aos corações arrependidos
C ( ) Aos corações deprimidos

07. O Salmo 100 é, sem dúvida alguma, um salmo:


A ( ) Do “Homem Abençoado”
B ( ) De “Adoração”
C ( ) Emocional

08. O Livro de Provérbios é o livro:


A ( ) Mais profético da Bíblia
B ( ) Mais Poético da Bíblia
C ( ) Mais prático da Bíblia

09. O Livro de Eclesiastes é dirigido aos corações que buscam respos-


tas para:
A ( ) Os dilemas da vida
B ( ) Os dilemas da morte
C ( ) Os dilemas do povo

10. Os jovens hebreus não podiam ler o Livro dos Cânticos dos Cânticos
de Salomão antes de:
A ( ) 20 anos
B ( ) 25 anos
C ( ) 30 anos

Enviar para:
ENCONTRO COM A PALAVRA
Caixa Postal: 2011
Cep: 89201-970 - Joinville - SC
Obs.: Você também pode digitalizar e enviar pelo e-mail:
encontrocomapalavra@desfrutedeus.com
PICOTE

MEU TESTEMUNHO