Você está na página 1de 98

CURSO BÍBLICO INTERNACIONAL

ENCONTRO COM A PALAVRA


Livro 7

OS VALORES DE CRISTO
(Um Incentivo à Busca da Maturidade Cristã)

PR. DICK WOODWARD


Toda glória e honra ao Senhor nosso Deus! Este material foi escrito e
impresso pelo Ministério Cooperativo Internacional (ICM - International
Cooperating Ministries) para ser uma bênção em sua vida.

É permitida a reprodução total e parcial deste livro, sem a autorização


por escrito do ICM, para uso pessoal e na sua igreja.

“Portanto, fortifique-se na graça que há em Cristo Jesus. E as coisas que


me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confia a homens
fiéis, que sejam também capazes de ensinar a outros” (II Timóteo 2.1,2).

Woodward, Dick

Os Valores de Cristo

(Um Incentivo à Busca da Maturidade Cristã)

Curso Bíblico Internacional


ENCONTRO COM A PALAVRA

Tradução em Português: Ruth Gialluca


Correção Ortográfica: Lídia Damasceno Gialluca e Marlene Frade
Editoração Eletrônica: Elen Canto
Capa: Paulo Sergio Baeta e Jersio Dreissing
Impresso no Brasil por: FINE GRAF GRÁFICA E EDITORA EIRELI ME
Supervisão Geral: Pr. Leandro Ferreira
E-mail: pastorleandroferreira@gmail.com

1ª Edição: Julho/2006 = 1.000 exemplares


2ª Edição: Maio/2010 = 2.500 exemplares
3ª Edição: Setembro/2013 = 3.000 exemplares
4ª Edição: Julho/ 2016 = 3.500 exemplares
Nota Importante
O material que você tem em mãos é um complemento dos estudos
que vêm sendo ministrados por uma rede variada de emissoras de rádio e
pela internet (www.desfrutedeus.com) e é enviado, gratuitamente, ape-
nas aos ouvintes que estão acompanhando, regularmente, os estudos por
uma dessas emissoras. Para recebê-lo, basta solicitar, escrevendo para o
endereço divulgado no final de cada aula.
Por se tratar de um curso, é necessário responder o questionário de
cada livro; com isto você garante o recebimento do próximo, bem como de
um lindo Certificado de Conclusão ao término do curso.
ÍNDICE

INTRODUÇÃO.................................................................................................................06
CAPÍTULO 1
Ele Próprio .................................................................................................................... 07
CAPÍTULO 2
Amor ......................................................................................... ..................................... 10
CAPÍTULO 3
O Seu Ensino ................................................................................................................. 13
CAPÍTULO 4
Julgamento ................................................................................................................... 15
CAPÍTULO 5
Liberdade ...................................................................................................................... 18
CAPÍTULO 6
Perdão .......................................................................................................................... 20
CAPÍTULO 7
Salvação ........................................................................................................................22
CAPÍTULO 8
A Última Autoridade ....................................................................................................25
CAPÍTULO 9
Obediência ................................................................................................................... 28
CAPÍTULO 10
Os Feridos ..................................................................................................................... 30
CAPÍTULO 11
“Eu Sou” ........................................................................................................................32
CAPÍTULO 12
Comunhão Com o Pai.....................................................................................................35
CAPÍTULO 13
O Homem Junto ao Tanque ...........................................................................................38
CAPÍTULO 14
Como Compreender as Escrituras .................................................................................41
CAPÍTULO 15
Jesus Me Ama ................................................................................................................43
CAPÍTULO 16
Ovelha Perdida ............................ .................................................................................46
CAPÍTULO 17
Moedas Perdidas ...........................................................................................................48
CAPÍTULO 18
Filhos Perdidos ..............................................................................................................51
CAPÍTULO 19
Amor Pelos Inimigos .....................................................................................................53
CAPÍTULO 20
O Perdido ......................................................................................................................56
CAPÍTULO 21
Como Abordar o Ensino de Jesus ...................................................................................58
CAPÍTULO 22
A Palavra Escrita de Deus ...............................................................................................60
CAPÍTULO 23
Sua Obra ........................................................................................................................62
CAPÍTULO 24
Como Ouvir a Palavra de Deus .......................................................................................64
CAPÍTULO 25
Amor Pelos Pecadores ...................................................................................................66
CAPÍTULO 26
O Conhecimento de Deus ..............................................................................................68
CAPÍTULO 27
Um Homem Chamado Pedro .........................................................................................70
CAPÍTULO 28
O Espírito da Lei .............................................................................................................74
CAPÍTULO 29
A Oração de Um Pecador...............................................................................................76
CAPÍTULO 30
Feridos e Perdidos .........................................................................................................78
CAPÍTULO 31
O Ensino de Deus ...........................................................................................................81
CAPÍTULO 32
Pessoas Prioritárias .......................................................................................................83
CAPÍTULO 33
Palavras de Vida ............................................................................................................86
CAPÍTULO 34
O Pobre .........................................................................................................................88
CAPÍTULO 35
O Seu Próximo ..............................................................................................................90
CAPÍTULO 36
Amor de Uns Pelos Outros ............................................................................................92
Introdução (ao aluno iniciante)
Quando você se aprofunda na Palavra de Deus e deixa que a Palavra
transforme sua vida, coisas maravilhosas e tremendas acontecem.
Bem-vindo ao ENCONTRO COM A PALAVRA. Juntos faremos um
estudo de toda a Bíblia, dividido em 13 livros. Essa jornada nos levará
do Livro de Gênesis ao Apocalipse e nos dará uma visão panorâmica de
cada livro da Bíblia. Observaremos a estrutura do livro, o seu contexto
histórico e, o que é mais importante, buscaremos uma aplicação para
nossas vidas, a partir do ensino de cada livro.
Algumas pessoas acham a Bíblia um livro confuso. Realmente, não
é fácil relacionar os acontecimentos com a sua época e o seu significado.
Mas, cada versículo da Bíblia é um pedacinho desse quebra-cabeça, cujo
conteúdo é muito glorioso. Minha oração é que, no final dessa jornada,
você tenha adquirido uma compreensão maior de cada livro da Bíblia, do
modo como eles se completam, e possa situá-los dentro da história de
Deus com o homem. No final, você terá uma compreensão de como Deus
trabalhou nos tempos do Velho Testamento; terá também compreendido
o que mudou com a vinda de Jesus Cristo e a razão da mudança; aquilo
em que você antes cria no coração, será confirmado em sua mente, e
você poderá testemunhar sua fé com mais confiança e conhecimento.
Espero que você faça todo o curso e convide outras pessoas para que
nos acompanhem nesse estudo da Bíblia, o livro mais importante do mun-
do. Faça suas malas e prepare-se para embarcar. Estamos prestes a partir!

Ferramentas que serão utilizadas


Segundo o apóstolo Paulo, a única maneira de não passarmos ver-
gonha, quando se trata de Bíblia, é tornarmo-nos obreiros que manejem
bem a Palavra. A única maneira de entender a Bíblia é saber usá-la. Por
isso, o meu desafio é que você assuma o compromisso de estudá-la com
dedicação e sinceridade. Nenhum livro merece mais dedicação e em-
penho da nossa parte que a Bíblia. Se você quiser se aprofundar ainda
mais neste estudo, além de dedicação e empenho há outras ferramentas
que o ajudarão a ir mais fundo no conhecimento das Escrituras.
Antes de qualquer coisa você precisa de uma Bíblia e, se possível,
adquira mais de uma tradução. Você também vai precisar de um cader-
no para anotações.
Como qualquer outro trabalho, esse será cumprido com mais fa-
cilidade e atingirá melhores resultados, se você possuir as ferramentas
certas. O estudo da Bíblia fica mais produtivo, quando se utilizam os
recursos disponíveis. Procure equipar-se com as ferramentas que men-
cionamos e você se surpreenderá com os resultados.
OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 1
Ele Próprio
Em todo o mundo hoje vemos também para nos ensinar Seus
as evidências da falta de valores. valores absolutos, através de Seu
O homem não tem uma bússola próprio exemplo de vida. Ao acom-
interior que o guie a uma vida que panharmos nos Evangelhos a vida
valha a pena viver. Com os índices da Pessoa mais importante que já
de divórcio alcançando proporções viveu sobre a terra, Jesus, nós O
epidêmicas e milhões de crianças vemos identificando, exemplifican-
sem segurança e orientação en- do e declarando Seus valores ab-
contradas num casamento instá- solutos. Uma vez que aprendemos
vel, deparamo-nos com o colapso quais são esses valores, devemos
dos valores familiares. confessá-los como nossos.
De acordo com o dicionário No Novo Testamento, apren-
Aurélio, valor é “qualidade, pela demos que devemos confessar
qual determinada pessoa ou coi- os nossos pecados; aprendemos,
sa é estimável em maior ou me- também, que devemos confessar
nor grau; mérito ou merecimento Jesus Cristo (Mateus 10.32; Ro-
intrínseco; valia”. Aqueles que manos 10.9). A palavra “confes-
crêem em Deus têm nEle um sar” é composta do significado
padrão absoluto do que é moral- de duas palavras gregas: “homo”,
mente certo e errado. Será que que quer dizer “a mesma coisa”,
eles têm também nEle o sistema e “legeo”, que se traduz por “fa-
de valores que os leva à quali- lar”. Quando confessamos nossos
dade de vida que Deus planejou pecados, dizemos a mesma coi-
para o homem? sa que Jesus diz a respeito deles.
Jesus responde esta pergun- Quando confessamos Cristo, dize-
ta no texto de João 10.10: “... eu mos a mesma coisa que Ele diz ou
vim para que tenham vida, e a te- concordamos com todos os valores
nham em abundância”. Jesus não que Ele exemplificou, ensinou e
veio ao mundo apenas para mor- declarou. Devemos viver de acor-
rer pelos nossos pecados. Ele veio do com os valores que Ele viveu.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 7


OS VALORES DE CRISTO

Uma boa maneira de começar Jesus fez outras declarações mar-


é vendo o que Jesus achava dEle cantes a respeito de Si mesmo.
mesmo. Quem Jesus Cristo disse Uma delas está relatada no di-
que Ele era? Como confessamos álogo com o rabino Nicodemos,
os valores de Cristo? Encontramos no qual Jesus afirma que deveria
resposta para estas perguntas no ser “levantado”, o que significa
Evangelho de João: “Ora, ninguém que Ele deveria ser crucificado. “E
subiu ao céu, senão aquele que como Moisés levantou a serpente
de lá desceu, a saber, o Filho do no deserto, importa que o Filho
homem... Porque Deus amou o do homem seja levantado” (João
mundo de tal maneira que deu o 3.14). Jesus disse a Nicodemos
seu Filho unigênito, para que todo que Ele deveria ser levantado por-
o que nele crê não pereça, mas que era o Filho Único de Deus, a
tenha a vida eterna” (3.13,16). Única Solução de Deus para o pe-
Jesus se identificou como o cado do mundo e o Único Salvador
Filho de Deus e hoje nós somos de Deus.
filhos de Deus. Não somos filhos Quando Jesus Cristo declarou
de Deus como Jesus O é. Recebe- ser o Salvador do mundo, Ele tam-
mos a autoridade de sermos cha- bém afirmou que aquele que cres-
mados filhos de Deus, porque co- se nEle seria salvo. Isto se aplicou
locamos nossa fé em Jesus Cristo não apenas àqueles que, literal-
(João 1.12), mas Jesus é o “Filho mente, O viram ser “levantado”,
Unigênito” de Deus. Antes de Sua mas a todo o mundo: “Porquanto
morte, Jesus orou: “Agora, glori- Deus enviou o Seu Filho ao mun-
fica-me, ó Pai, contigo mesmo, do, não para que julgasse o mun-
com a glória que eu tive junto a do, mas para que o mundo fosse
ti, antes que houvesse mundo” salvo por Ele” (João 3.17).
(João 17.5). Jesus é muito mais No Livro de Números, capítulo
que aquele menino que nasceu na 21, versículos 6-9, lemos a respei-
manjedoura e que, aos 33 anos de to de um episódio em que o povo
idade, morreu numa cruz. Ele es- de Israel estava morrendo picado
tava com Deus antes que o mundo por serpentes, por causa de sua
existisse. constante reclamação. Deus, po-
Mas, além de se identificar rém, deu instruções a Moisés para
como o Filho Unigênito de Deus, que levantasse uma serpente de

8 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

bronze no meio do acampamen- nascimento. A sua parte é crer:


to, no deserto, e todos que, com “Porque Deus amou ao mundo de
fé, olhassem para aquela serpente tal maneira que deu o Filho uni-
receberiam a cura. Jesus declarou gênito, para que todo o que nele
que do mesmo modo era neces- crê não pereça, mas tenha a vida
sário que Ele fosse “levantado”, a eterna” (João 3.16). A experiência
fim de que todo aquele que nEle de nascer de novo acontece através
cresse tivesse a vida eterna (João da fé (nossa parte) e do poder de
3.14, 15). criação de Deus (a parte dEle).
Quando Jesus disse a Nicode-
mos que todas as pessoas deve- Aplicação pessoal
riam nascer de novo, ele pergun- Jesus Cristo é o Salvador do
tou-Lhe: como alguém pode nascer mundo. Ele veio para redimir o
de novo? Para esta pergunta Jesus mundo do pecado e para gerar
deu duas respostas. Primeiramen- vida naqueles que crêem em Suas
te, Jesus compara a incompreensí- declarações dogmáticas a respei-
vel regeneração de uma alma com to de Si mesmo, sobre quem Ele
a ação do vento: “O vento sopra é, e por que veio ao mundo. Você
onde quer, ouves a sua voz, mas acredita no que Jesus declarou a
não sabes donde vêm, nem para respeito de Si mesmo? Você con-
onde vai; assim é todo aquele que fessa o valor e a importância que
é nascido do Espírito” (João 3.8). Jesus declarou de Si mesmo? Je-
O que Jesus estava dizendo é sus está esperando pelas respos-
que nunca compreenderemos com- tas que você dará às declarações
pletamente o trabalho de Deus no dEle e está ansioso para perdoar
novo nascimento. Jesus também os seus pecados e iniciar o milagre
afirmou que o homem tem sua par- do novo nascimento em sua vida,
te importante no processo do novo se isto ainda não aconteceu.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 9


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 2
Amor

Quando Jesus viu que já era quem Jesus amava”. Sessenta


hora de ser julgado pelas autori- anos mais tarde ele dedicou o úl-
dades romanas e judaico-religio- timo livro do Novo Testamento a
sas e ser crucificado, reuniu os Jesus com estas palavras: “Àquele
apóstolos que Ele tinha comissio- que nos ama” (Apocalipse 1.5b).
nado, para passar a última noite Todos os que tiveram o privi-
com eles. João relatou o que Je- légio de olhar nos olhos de Jesus
sus compartilhou com aqueles conheciam o Seu amor. Por que,
homens naquela noite, dizendo: então, aqueles últimos momentos
“Ora, antes da Festa da Páscoa, da Última Ceia diferem de todos
sabendo Jesus que era chegada a os outros que aqueles homens ti-
sua hora de passar deste mundo veram com Jesus? Por ocasião da
para o Pai, tendo amado os seus Última Ceia, Jesus fez o que um
que estavam no mundo, amou-os servo ou escravo deveria fazer.
até ao fim” (João 13.1). Jesus ti- Ele pegou uma bacia com água e
nha plena consciência de que Seu uma toalha, lavou e enxugou os
tempo neste mundo já havia aca- pés dos discípulos! Esta atitude de
bado, por isso reuniu aqueles ho- humildade deixou aqueles homens
mens para lhes mostrar todo o Seu perplexos. O Evangelho de Lucas
amor por eles. conta que durante a Última Ceia
Os discípulos já tinham co- os discípulos disputavam qual
nhecimento do amor de Jesus dentre eles seria o maior no Rei-
muito antes daquele momento. no, do qual Jesus estava sempre
Durante três anos eles viram a ma- falando. Eles foram impactados
nifestação do amor de Jesus. João pela atitude de Jesus naquelas
parecia estar sempre maravilhado últimas horas (Lucas 22.24-27;
com o amor de Jesus por ele. No João 13.1-17).
seu Evangelho, vemos algumas Depois de Jesus lavar-lhes
passagens em que ele se refere os pés, perguntou-lhes: “Com-
a si próprio como “o discípulo a preendeis o que vos fiz?” (João

10 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

13.12b). A resposta parecia ser Quando Jesus deu este manda-


óbvia; Ele tinha acabado de lhes mento, Ele identificou o tipo de amor
lavar os pés! Mas, a resposta que com o qual eles deveriam amar uns
Jesus queria deles encontra-se nas aos outros. Eles deveriam se amar
palavras de João: “... tendo amado com o mesmo amor com que Jesus
os seus que estavam no mundo, os tinha amado; deveriam lavar os
amou-os até o fim” (João 13.1b). pés uns dos outros, como Jesus ti-
Ao lavar os pés dos discípulos, Je- nha lavado os seus pés.
sus mostrou que os amava. Eu sempre imaginei um após-
Jesus os amou e eles, da sua tolo olhando para o outro, pen-
maneira imperfeita, retribuíram sando qual o significado de obe-
Seu amor. Jesus tinha estabeleci- decer àquele novo mandamento.
do uma aliança com eles: “Vinde Um dos apóstolos era coletor de
após mim, e eu vos farei pesca- impostos para os romanos; outro
dores de homens” (Mateus 4.19). era um zelote, um tipo de guerri-
Por três anos eles viveram essa lheiro da resistência à conquista
aliança com Jesus e durante esse da Palestina pelos romanos. Ima-
tempo descobriram que o amor gine os dois se olhando, naquela
era a força motriz dessa aliança. mesa, pensando: “Eu amá-lo?”. A
Jesus os amou de uma maneira resposta era: “Sim! Você mesmo!
como eles nunca antes tinham Você deve lavar os pés dele, por-
sido amados; fez deles o que eles que quando o mundo souber que
jamais sonharam que seriam. Tal- um zelote está lavando os pés de
vez nunca lhes tivesse ocorrido um publicano, saberá que vocês
que entre eles também deveria ser são Meus discípulos”.
estabelecida uma aliança de amor. A maneira mais eficiente de
No meio da última reunião ensinar nossos filhos a amarem é
que teve com aqueles homens, Je- amando-nos e fazendo-os ver que
sus lhes deu novo mandamento e seus pais os amam. Jesus estava
os desafiou a estabelecerem uma dizendo aos discípulos que os tinha
nova aliança: “Novo mandamento treinado e comissionado durante
vos dou: que vos ameis uns aos três anos para que eles proclamas-
outros; assim como eu vos amei, sem o Evangelho do amor para o
que também vos ameis uns aos mundo. Quando Jesus deu este
outros” (João 13.34). novo mandamento, estava dizendo

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 11


OS VALORES DE CRISTO

que a melhor maneira de ensinar o Aplicação pessoal


amor é olhar para a pessoa que está Você confessa os valores de
do outro lado, comprometendo-se a Cristo? O amor é a força motriz
amá-la como Jesus nos ama. que impulsiona o seu relaciona-
O novo mandamento deu ori- mento com outros crentes? Você
gem a uma nova comunidade que confessa os valores de Cristo todos
mais tarde foi chamada de Igreja. os dias, amando as pessoas com
Jesus deixou claro que, se eles quem convive? Quando as pesso-
amassem uns aos outros como Ele as olham para você, elas sabem
os amou, estariam sendo destaca- que você as ama com o amor de
dos neste mundo: “Nisto conhe- Cristo? Jesus nos ensinou a amar,
cerão todos que sois meus discí- quando olhamos para cima, para
pulos; se tiverdes amor uns aos dentro de nós mesmos e ao nosso
outros” (João 13.35). Foi exata- redor (Mateus 22.36-40). Ele en-
mente isto que aconteceu. Depois sinou que devemos amar a Deus
que Cristo subiu ao céu, o Espí- plenamente, amar a nós mesmos
rito Santo veio sobre os crentes e corretamente e amar o próximo
aconteceu o nascimento da Igreja. incondicionalmente.

12 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 3
O Seu Ensino

Podemos observar o valor que significa “ao lado de”, e “ballo”,


Jesus deu à Palavra de Deus, à que significa “jogar”. Uma parábo-
medida que acompanhamos os la de Jesus, portanto, é uma ilus-
Seus passos, através dos Evange- tração colocada ao lado de uma
lhos. Você já observou o que Ele verdade que pretendia ensinar.
disse a respeito do Seu próprio Nesta passagem, encontra-
ensino? Jesus sempre valorizou as mos duas parábolas com signifi-
Escrituras. Sua pergunta preferida cados semelhantes. A primeira é
aos líderes religiosos, escribas e uma ilustração referente a roupas
fariseus, era esta: “Nunca lestes remendadas. Dizem que uma cos-
nas Escrituras?” (Mateus 21.42). tureira nunca coloca um pedaço
Quando Jesus ensinava, di- de pano novo sobre um pano ve-
zia qual era o Seu ensino, o seu lho porque podem acontecer dois
efeito na vida das pessoas e como desastres: o pano novo repuxar o
deveria ser abordado. Exemplo: pano velho e fazer um buraco ain-
“Ninguém põe remendo de pano da maior e também porque o pe-
novo em veste velha; porque o re- daço de pano novo vai contrastar
mendo tira parte da veste e fica muito com o pano velho.
maior a rotura. Nem se põe vinho Nesta parábola, Jesus ensi-
novo em odres velhos; do contrá- nou que Suas palavras não deve-
rio rompem-se os odres, derrama- riam ser como um remendo novo
se o vinho e os odres se perdem. no ensino velho das autoridades
Mas põe-se vinho novo em odres religiosas. O Seu ensino era novo
novos, e ambos se conservam” e a evidência disto está no Sermão
(Mateus 9.16,17). do Monte, no qual Jesus diz seis
Jesus usou esta parábola para vezes: “Ouviste que foi dito... Eu,
ajudar seus ouvintes a compreen- porém, vos digo...”. O ensino de
derem o valor do Seu ensino. A Jesus era diferente e não podia ser
palavra “parábola” é formada de usado como um remendo novo so-
outras duas gregas: “para”, que bre o ensino que o povo recebia

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 13


OS VALORES DE CRISTO

dos escribas e fariseus. A diferen- ensino novo de Jesus explodiria a


ça entre os dois ensinos era muito tradição religiosa. Esta foi outra
grande para se tentar mesclar um forma que Ele encontrou para di-
com o outro. zer que o Seu ensino era incompa-
Com esta parábola Jesus dei- tível com o dos líderes religiosos.
xou clara a incompatibilidade que Jesus também valorizou o que
havia entre o Seu ensino e o ensino o Seu ensino faria naqueles que
dos líderes religiosos. Jesus estava o abordassem corretamente. Ele
dando um alerta contra o ensino alertou Seus discípulos sobre a
das autoridades religiosas e pre- pressão que Seu ensino lhes cau-
parando Seus discípulos para uma saria. Se eles fossem como bolsas
nova visão da Palavra de Deus. de couro velho, não permitiriam
Jesus continua Seu ensino com as mudanças que Seu ensino faria
outra parábola, desta vez do vinho em suas vidas. O ensino de Jesus
e dos odres (bolsas de couro onde o poderia fazer com que suas men-
vinho era fermentado durante vários tes “explodissem”, como as bolsas
meses). Quando há fermentação, o de couro velho.
vinho se expande e aumenta a pres-
são na bolsa. Por causa deste pro- Aplicação pessoal
cesso, nunca se deve colocar vinho O ensino de Jesus era revolu-
novo (suco de uva) em uma bolsa cionário; por isso, Ele alertou que
de couro velha, porque a pressão devemos estar dispostos a aceitar
causada pela fermentação do vinho as mudanças causadas por Seu
pode causar o rompimento da bol- ensino em nossas vidas. A metá-
sa de couro. O vinho novo deve ser fora do vinho novo em odres ve-
colocado em uma bolsa feita com lhos refere-se ao milagre do novo
couro novo, de forma que o vinho e nascimento. Quando nascemos de
o couro se dilatem juntos. novo, somos como odres novos
Mais uma vez Jesus estava que suportam o vinho novo, isto é,
mostrando a diferença entre os o ensino de Jesus.
dois ensinos. O Seu, sendo com- Você diz a mesma coisa sobre
parado ao vinho novo (não fer- o ensino de Jesus? Você confessa
mentado) e o dos líderes religiosos tudo o que Ele disse a respeito do
à bolsa velha de couro. Se Jesus Seu ensino? Você está disposto a
ensinasse dentro do contexto da ser um odre novo para receber o
religião estabelecida, a pressão do ensino de Jesus?
14 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra
OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 4
Julgamento

Qual o seu conceito de julga- forasteiro e me hospedastes; es-


mento? Normalmente, ouvimos tava nu e me vestistes; enfermo, e
muitas piadas sobre julgamento. me visitastes; preso, e fostes ver-
Muita gente não leva o julgamen- me. Então, perguntarão os justos:
to a sério. De acordo com as Es- Senhor, quando foi que te vimos
crituras, julgamento é coisa séria. com fome e te demos de comer?
Alguns crentes parecem pensar, Ou com sede e te demos de be-
quando se trata de julgamento, que ber?Quando te vimos forasteiro e
é como um exame final de teologia. te hospedamos? Ou nu e te vesti-
Vamos observar o valor que mos? E quando te vimos enfermo
Jesus deu ao julgamento e qual ou preso e te fomos visitar? O Rei,
o Seu conceito a respeito deste respondendo, lhes dirá: Em ver-
assunto: “Quando vier o Filho do dade vos afirmo que, sempre que
Homem na sua majestade e to- o fizestes a um destes meus pe-
dos os anjos com ele, então se queninos irmãos, a mim o fizes-
assentará no trono da sua glória, tes” (Mateus 25.31-40).
e todas as nações serão reunidas Nesta descrição de julgamen-
em sua presença, e ele separa- to, não vemos nenhuma menção
rá uns dos outros, como o pastor à teologia, mas à compaixão por
separa dos cabritos as ovelhas; pessoas feridas. Vemos, neste
e porá as ovelhas à sua direita, texto, um desafio a respeito dos
mas os cabritos, à esquerda; en- valores de Jesus: os doentes, os
tão, dirá o Rei aos que estiverem solitários, famintos, sedentos, o
à sua direita: Vinde, benditos de que não tem com que se vestir e
meu Pai! Entrai na posse do reino os aprisionados. Estes são os feri-
que vos está preparado, desde a dos deste mundo com quem Jesus
fundação do mundo. Porque tive passou a maioria do Seu tempo,
fome e me destes de comer; tive enquanto esteve na terra.
sede e me destes de beber; era Jesus se referiu a essas

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 15


OS VALORES DE CRISTO

pessoas como Seus irmãos. Quem fé e ouvirão do Senhor: “Apartai-


são esses pobres? Certa vez, Je- vos de mim, malditos, para o fogo
sus referiu-se àqueles que fazem eterno, preparado para o diabo e
a vontade de Deus como sendo seus anjos... sempre que o dei-
seus irmãos e sua mãe (Mateus xastes de fazer a um destes mais
12.50). Nos primeiros três séculos pequeninos, a mim o deixastes de
da História da Igreja, ser cristão fazer” (Mateus 25.41,45).
era considerado um ato crimino- Qual o valor que damos aos
so. Os cristãos eram perseguidos feridos deste mundo? Nós os ali-
porque faziam a vontade de Deus. mentamos, vestimos e saciamos
Mas, de acordo com Jesus, todos sua sede? Nós os visitamos, ofe-
se encontrarão no julgamento. recemo-lhes nossa hospitalidade,
Entenda bem. Sabemos que procuramos fazê-los sentirem-se
a salvação não depende de obras melhor? Será que nosso coração
sociais nem de qualquer tipo de se enche de compaixão pelos ne-
boas obras. Em todas as suas car- cessitados do amor de Deus? O
tas, Paulo enfatizou a verdade do povo ferido deste mundo faz par-
Evangelho – que nossa fé no que te do sistema de valores de Cris-
Cristo fez por nós na cruz é a base to. Afinal, Ele veio “evangelizar os
da nossa salvação, e toda a Bíblia pobres, proclamar libertação aos
ensina que nossas boas obras dão cativos e restauração da vista aos
validade à fé que nos salva. cegos, para pôr em liberdade os
A passagem citada do capítu- oprimidos e apregoar o ano acei-
lo 25 de Mateus refere-se ao jul- tável do Senhor” (Lucas 4.18,19).
gamento como uma avaliação da
vida dos crentes. As três parábolas “Quem é Ele?”
ensinadas neste capítulo ensinam O Novo Testamento começa
que a Segunda Vinda de Jesus com um sábio perguntando: “Onde
Cristo será um julgamento para está o recém-nascido Rei dos ju-
aqueles que se apresentarem com deus?”. Se você quiser descobrir
mãos e corações vazios. Todos que quem Ele é e onde Ele está hoje,
um dia professaram sua fé em Cris- olhe para onde o amor do Cristo
to e se apresentarem com mãos e ressuscitado está sendo canaliza-
corações vazios invalidaram sua do: para os feridos deste mundo.

16 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Aplicação pessoal Você está disposto a ser um canal


Você confessa os valores que de tudo o que Jesus quer ser para
Jesus Cristo deu aos feridos deste aqueles que sofrem neste mundo?
mundo? Você está disposto a pedir Se você fizer esta oração que estou
a Cristo que o posicione estrategica- propondo, descobrirá onde o Cris-
mente entre o Seu amor, o que Ele to vivo está hoje e onde você quer
é, e toda a dor deste mundo ferido? passar a sua vida daqui para frente.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 17


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 5
Liberdade

Quando esteve neste mundo, capítulos 5 a 8 do Evangelho de


algumas vezes Jesus se irritou João, onde Jesus faz várias decla-
com os líderes religiosos, porque rações sobre quem Ele é e porque
Seus valores batiam de frente com veio a este mundo. A maioria dos
os deles, já que seus ensinos eram judeus que ouviu Suas declara-
opostos. Por esta razão, sempre ções desprezou-O e desejou que
que Jesus respondia às suas per- Ele fosse preso ou apedrejado até
guntas, eles ficavam confusos e ir- à morte, mas, no final da discus-
ritados. Além disso, consideravam são, alguns creram em Jesus. Aos
que Jesus andava acompanhado que creram Jesus disse: “Se vós
de pessoas que pertenciam à bai- permanecerdes na minha palavra,
xa escala da sociedade. Tudo o que sois verdadeiramente meus discí-
Jesus fazia parecia ir contra a Lei, pulos; e conhecereis a verdade,
na qual eles se sustentavam e, por e a verdade vos libertará” (João
isso, estavam sempre procurando 8.31,32). Com isso, Jesus tam-
uma maneira de confrontá-Lo. bém mostrou o valor do Seu ensi-
Certa ocasião, Jesus curou um no – aqueles que permanecem na
homem no dia de sábado e man- Sua Palavra encontrarão liberdade
dou que ele pegasse a cama sobre espiritual.
a qual ficava e a levasse pela rua As pessoas acham que crer é
em frente ao Templo (João 5.2- só uma questão de fé e que, depois
17). A Lei proibia que qualquer de crer, podem continuar a vida
carga fosse carregada no dia de como se nada tivesse acontecido.
sábado, por isso o que Jesus fez No entanto, não foi assim que Je-
foi uma desobediência à Lei (Êxo- sus ensinou aos que creram. Àque-
do 20.9-11; Jeremias 17. 21,22). les que criam Jesus enfatizava a
É evidente que esta cura foi importância do Seu ensino. Ele
uma estratégia de Jesus para ini- dizia que, se eles criam, deveriam
ciar uma longa discussão com os permanecer na Sua Palavra, serem
escribas e fariseus, registrada nos discípulos verdadeiros e, então, a

18 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

verdade que lhes fora revelada em discípulo envolvem um proces-


Seu ensino os faria livres. so de três etapas. Primeiro, cre-
Um discípulo é um aprendiz, mos que Jesus é o único Filho de
que passa duas semanas tendo Deus, a única Solução de Deus
aulas teóricas e duas semanas para o pecado e o único Salva-
tendo aulas práticas. Ele só recebe dor de Deus. Depois O seguimos,
mais lições teóricas depois de pra- permanecendo na Sua Palavra. À
ticar tudo o que aprendeu anterior- medida que O seguimos, como
mente. O verdadeiro discípulo é discípulos autênticos, passamos
aquele que pratica o que aprende a conhecer o próprio Cristo vivo;
e os doze apóstolos são um gran- quando isto acontece, Ele nos li-
de exemplo do que significa ser berta e, então, somos verdadeira-
um discípulo de Jesus. Eles foram mente livres!
discipulados (treinados) por Jesus
durante três anos. Jesus treinou Aplicação pessoal
-os, colocando em prática tudo o Você conhece o Cristo vivo e
que lhes ensinou. ressuscitado desta maneira? Você
Ao dizer “conhecereis a verda- tem experiências pessoais com Je-
de, e a verdade vos libertará” (32), sus? Você tem um relacionamento
Jesus se referiu ao conhecimen- com Ele? Este relacionamento já o
to através de um relacionamento. libertou da prisão do pecado? Se
Se você permanece na Palavra de você quer confessar os valores de
Deus e a coloca em prática, pas- Jesus, creia nEle, permaneça na
sará a ter um relacionamento com Sua Palavra, torne-se um discípu-
aquEle que é a Verdade e este re- lo autêntico, vá além das páginas
lacionamento com Ele o libertará. sagradas, passe a ter um relacio-
De acordo com o ensino de namento com a Palavra viva e seja
Jesus, crer nEle e tornar-se Seu verdadeiramente livre!

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 19


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 6
Perdão

Quando Jesus foi convidado pecadora” (Lucas 7.39). Conhe-


para jantar na casa de um fari- cendo os pensamentos de Simão,
seu chamado Simão, identificou Jesus proferiu a seguinte parábo-
o perdão como mais um dos Seus la: “Certo credor tinha dois deve-
valores (Lucas 7.36-50). Naquele dores: um lhe devia quinhentos
tempo, quando se recebia alguém, denários, e o outro, cinquenta.
o dono da casa dava um beijo de Não tendo nenhum dos dois com
boas vindas no hóspede, oferecia que pagar, perdoou ambos. Qual
bacia com água para lavar-lhe os deles, portanto, o amará mais?”.
pés e óleo para ungir-lhe a testa. Simão respondeu: “Suponho que
Jesus não recebeu de Simão o tra- aquele a quem mais perdoou”.
tamento costumeiro; porém, che- Jesus respondeu: “Julgaste bem”
gou ali uma mulher conhecida na (Lucas 7.41-43).
cidade como pecadora que, pro- Nesta parábola, que foi apli-
vavelmente, já tivesse recebido de cada ao que aconteceu na casa
Jesus salvação e perdão dos seus de Simão, envolvendo a mulher,
pecados. Ao tomar conhecimen- Jesus deixou bem claro o valor
to de que Jesus estava jantando do perdão dos nossos pecados.
com Simão ela foi à casa deste. Acompanhe a continuação do tex-
Quando viu que Simão não tinha to: “E, voltando-se para a mulher,
demonstrado hospitalidade para disse a Simão: ‘Vês esta mulher?
com Jesus, começou a molhar-lhe Entrei em tua casa, e não me des-
os pés com suas lágrimas e a secá te água para os pés; esta, porém,
-los com seus cabelos. Em segui- regou os meus pés com lágrimas e
da, ungiu os pés de Jesus com um os enxugou com os seus cabelos.
bálsamo. Não me deste ósculo (beijo); ela,
Ao ver tudo isso, Simão jul- entretanto, desde que entrei não
gou consigo mesmo: “Se este fora cessa de me beijar os pés. Não
profeta, bem saberia quem é a me ungiste a cabeça com óleo,
mulher que lhe tocou, porque é mas esta, com bálsamo, ungiu os

20 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

meus pés. Por isso, te digo: per- aprovou a atitude da mulher ao


doados lhe são os seus muitos aceitar a sua adoração, perdoando
pecados, porque ela muito amou; os seus pecados, porque ela valo-
mas aquele a quem pouco se per- rizou o Seu perdão.
doa, pouco ama” (44-47).
Simão não achava que os Aplicação pessoal
seus pecados tivessem sido um Se você confessa o valor que
grande débito a ser perdoado. Era Jesus deu ao perdão e identifica-
como se o perdão alcançado tives- se com aquela mulher é porque
se sido por uma dívida de apenas se reconhece pecador; se sua cul-
cinquenta denários, mas aquela pa faz o seu pecado parecer um
mulher aos pés de Jesus achava grande débito que você gostaria de
que a sua dívida perdoada tinha ver cancelado, entenda que Jesus
sido muito grande e, por isso, caiu veio e morreu numa cruz para que
aos pés dEle em adoração. a sua dívida fosse cancelada. Se
Isso não quer dizer que o os seus pecados foram perdoados,
nosso perdão dependa do quan- valorize, pela fé, o seu perdão, de
to amamos. Jesus disse à mulher forma que você não sinta nada
que ela tinha sido salva por cau- mais, além de compaixão, por
sa da sua fé: “A tua fé te salvou; aqueles que, como aquela mulher,
vai-te em paz” (7.50). O amor amaram muito porque seus peca-
daquela mulher por Jesus foi uma dos foram perdoados. Nunca se
confirmação da sua fé no perdão e esqueça de que Jesus nos ensinou
na salvação que recebeu, enquan- a orar diariamente: “... perdoa-nos
to que a atitude de Simão em re- as nossas dívidas, assim como
lação à mulher pecadora foi uma nós temos perdoado os nossos de-
evidência da sua falta de fé. Jesus vedores” (Mateus 6.12).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 21


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 7
Salvação
O ministério público de Jesus todos os dias. Os fariseus faziam
começou numa sinagoga na Ga- parte de uma ordem religiosa de
lileia, na cidade de Nazaré, onde judeus devotos, que se dedicava à
Jesus, na presença do povo, leu preservação das doutrinas ortodo-
esta passagem do livro de Isaías: xas do judaísmo. De certa forma,
“O Espírito do Senhor está sobre eles eram muito dedicados; eram
mim, pelo que me ungiu para os fundamentalistas da religião
evangelizar os pobres; enviou-me judaica.
para proclamar libertação aos ca- Os fariseus não se viam es-
tivos e restauração da vista aos piritualmente cegos nem necessi-
cegos, para pôr em liberdade os tados e pareciam estar sempre à
oprimidos, e apregoar o ano acei- margem do ministério de Jesus,
tável do Senhor” (Isaías 61.1,2 e apontando-Lhe o dedo e acusan-
Lucas 4.18,19). do-O de transgressor da Lei de
Depois do sermão que iniciou Moisés. Jesus ficava irritado com
o Seu ministério público, Jesus os fariseus por causa da dureza
começou a pregar Sua mensagem de seus corações e do sentimen-
simples, intitulada pelos teólogos to de superioridade deles. Apesar
como “O Manifesto do Nazareno”. disso, Jesus passava tempo com
Este manifesto era a visão que eles, pois queria que conhecessem
Jesus tinha da Sua missão neste o valor espiritual da Lei que eles
mundo. Nele, Jesus declarou que tanto valorizavam.
veio ao mundo trazer salvação aos Jesus dedicou o Seu ministé-
cegos espirituais e físicos, aos cati- rio aos perdidos deste mundo, a
vos e aos feridos que O buscassem, quem Ele muito valorizou, e tam-
expressando compaixão por eles e bém aos fariseus, a quem Ele ensi-
manifestando todos os aspectos da nou “A Parábola das Coisas Perdi-
salvação para suas vidas. das” (Lucas 15.1-10). Depois de
Mas, outro grupo de pesso- uma pregação em que Jesus falou
as, os fariseus, interceptava Jesus sobre o preço de ser um de Seus

22 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

discípulos, pecadores O cercaram, do Filho Pródigo, lemos como o filho


desejando estar mais perto dEle mais velho reagiu à volta do seu ir-
para ouvirem os Seus ensinamen- mão: “Ora, o filho mais velho esti-
tos. Os fariseus e os escribas se vera no campo; e, quando voltava,
afastaram de Jesus, formando um ao aproximar-se da casa, ouviu a
círculo externo, e passaram a criti- música e as danças. Chamou um
cá-Lo por se reunir com pecadores. dos criados e perguntou-lhe que
Os fariseus não se conside- era aquilo. Ele informou: Veio teu
ravam perdidos e também não ti- irmão e teu pai mandou matar o
nham compaixão daqueles que o novilho cevado, porque o recuperou
eram. No meio dos dois círculos, com saúde. Ele se indignou e não
Jesus ensinou a Parábola das Coi- queria entrar; saindo, porém, o pai
sas Perdidas. Na verdade, Ele a di- procurava conciliá-lo. Mas ele res-
rigiu às pessoas do círculo externo, pondeu a seu pai: Há tantos anos
aos fariseus, a fim de explicar o que te sirvo sem jamais transgredir
que estava acontecendo no círculo uma ordem tua, e nunca me deste
interno, o dos publicanos e peca- um cabrito sequer para alegrar-me
dores que estavam sendo salvos. com os meus amigos; vindo, porém,
Com este sermão, Jesus estava esse teu filho, que desperdiçou os
convidando os fariseus a entrarem teus bens com meretrizes, tu man-
no círculo interno e participarem daste matar para ele o novilho ce-
com Ele da Sua missão de buscar vado. Então, lhe respondeu o pai:
e salvar o perdido. O desafio que Meu filho, tu sempre estás comigo;
Jesus fez ao círculo externo foi: tudo o que é meu é teu. Entretanto,
“Há alegria no céu, quando um era preciso que nos regozijássemos
perdido é achado. Por que vocês e nos alegrássemos, porque esse
também não se alegram? Quando teu irmão estava morto e reviveu,
vocês olham para estas pessoas, estava perdido e foi achado” (Lucas
enxergam apenas publicanos e pe- 15.25-32).
cadores; Deus, porém, os vê como De certa forma, o filho mais
filhas e filhos perdidos”. Esta é a velho estava mais perdido que o fi-
mensagem central da Parábola lho pródigo; seus valores eram di-
das Coisas Perdidas e da estória ferentes dos valores de seu pai. O
do Filho Pródigo. filho mais velho é uma figura dos
Na segunda metade da Parábola fariseus que ficavam à margem do

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 23


OS VALORES DE CRISTO

milagre de salvação dos perdidos, Aplicação pessoal


sem querer participar da alegria Você confessa o valor que Je-
pelo arrependimento dos pecado- sus deu aos perdidos deste mun-
res e sua salvação. Como o filho do? Como você se sente, quando
mais velho, os fariseus estavam se depara com os pecadores? Será
contrariados e não queriam parti- que sua convivência na igreja não
cipar da festa do milagre de vida o alienou da dura realidade em
daqueles que eram perdidos e fo- que vive uma pessoa que está em
ram achados. pecado? Você compartilha o mes-
O pai se alegrou com o retorno mo amor e a mesma compaixão
do filho perdido, enquanto o filho pelos perdidos do Cristo que vive
mais velho ficou contrariado com em você? Cuidado para não se tor-
as boas vindas dadas ao seu irmão nar como um daqueles fariseus,
rebelde. Assim como o pai, que que não compreendiam o amor de
saiu da festa e convidou o irmão Cristo pelo pecador.
mais velho para participar daquela Somos apenas veículos do
celebração, Jesus convidou os fa- Cristo vivo para a recuperação
riseus para participarem da alegria do homem perdido. No contexto
pelo arrependimento dos pecado- da Parábola das Coisas Perdidas,
res. Jesus estava fazendo um con- confesse o valor que Jesus deu
vite aos fariseus para que partici- aos perdidos. Entre para o círcu-
passem do Seu ministério, que era lo interno e participe com Ele da
alcançar os espiritualmente pobres missão de dar visão aos espiritual-
(mencionados no Seu Manifesto), mente cegos, liberdade aos cativos
que foram valorizados, durante e cura aos feridos e quebrantados
todo o tempo do Seu ministério. deste mundo.

24 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 8
A Última Autoridade

O credo da igreja pergunta: Apesar de serem conhecedo-


“qual é a autoridade máxima da res das Escrituras, não era na au-
nossa fé e prática?”. Em que au- toridade da Palavra de Deus que
toridade firmamos nossa fé? Em os fariseus firmavam sua fé e prá-
que cremos e como tudo isso in- tica. Por isso, Jesus sempre lhes
terfere em nossa vida? A respos- perguntava: “... nunca lestes nas
ta para estas perguntas tem duas Escrituras?”. Se a Palavra de Deus
opções: Deus ou o homem. Pode- fosse a autoridade para a fé deles,
mos fundamentar nossas vidas na não teriam questionado Jesus da
revelação de Deus ou no raciocínio maneira que o fizeram. Muitas de
humano. suas práticas eram uma evidência
Jesus sempre deu muito va- de que eles não tinham o verda-
lor às Escrituras. Respondendo deiro espírito da Lei de Deus.
algumas vezes aos fariseus, dizia: Certa vez, num sábado, Jesus
“nunca lestes nas Escrituras?”. Os estava andando com Seus discí-
fariseus costumavam memorizar pulos por um campo onde havia
os cinco primeiros livros das Es- grãos. Eles estavam com fome e, à
crituras. Eram doutores, especia- medida que caminhavam, alimen-
listas na Palavra de Deus, o que o tavam-se daqueles grãos. Os fari-
próprio Jesus reconheceu, quando seus perguntaram a Jesus por que
disse: “Examinais as Escrituras...” Seus discípulos tinham desobede-
(João 5.39). Mas Ele continuou cido à Lei. Jesus respondeu: “Nun-
dizendo que essa atitude deveria ca lestes o que fez Davi, quan-
levá-los ao Messias vivo que esta- do se viu em necessidade e teve
va diante deles: “Examinais as Es- fome, ele e os seus companheiros?
crituras, porque julgais ter nelas Como entrou na casa de Deus, no
a vida eterna, e são elas mesmas tempo do sumo sacerdote Abiatar,
que testificam de mim. Contudo, e comeu os pães da proposição,
não quereis vir a mim para teres os quais não é lícito comer, senão
vida” (João 5.39-40). aos sacerdotes, e deu também aos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 25


OS VALORES DE CRISTO

que estavam com ele?” (I Samuel entretanto, não foi assim desde o
21.6; Marcos 2.25,26). princípio” (Mateus 19.4,5,8).
Jesus citou o exemplo de Jesus usou as Escrituras para
Davi, que buscou o pão da casa de mostrar que Moisés permitiu o di-
Deus, quando estava com fome, vórcio por causa da dureza de co-
o que, de acordo com a Lei, era ração dos homens em relação às
permitido apenas para aos sacer- suas mulheres. A carta de divórcio
dotes. Aquele pão representava a permitia certas garantias e direitos
promessa de Deus de satisfazer to- às mulheres e sua função era evi-
das as nossas necessidades, como tar que o homem abandonasse a
é citado na oração que Jesus fez: mulher sem qualquer provisão. Foi
“o pão nosso de cada dia dá-nos a isso que Jesus se referiu quan-
hoje” (Mateus 6.11). do falou da “dureza de coração”
Em outra ocasião os fariseus do homem. Com este ensino Je-
estavam discutindo a questão do sus mostrou que não mudaria em
casamento com Jesus, com a in- nada a Lei; antes, a Lei de Deus
tenção de levá-Lo a se posicio- dada a Moisés seria cumprida
nar contra a Lei de Moisés. Eles integralmente.
sabiam que Jesus falaria sobre a A Palavra de Deus era a base
indissolubilidade do casamento, para tudo o que Jesus ensinava.
enquanto Moisés tinha permitido Ele mostrou que as Escrituras
ao homem dar carta de divórcio à eram Sua autoridade, base de fé e
sua mulher. Se Jesus contrarias- prática. A pergunta que Jesus fa-
se Moisés, os fariseus teriam de zia aos fariseus: “Não tendes lido
que o acusar. Jesus, porém, res- que...?” pretendia mostrar que eles
pondeu: “Não tendes lido que o não tinham as Escrituras como au-
Criador, desde o princípio, os fez toridade máxima, nem como base
homem e mulher e que disse: Por de fé e prática. Suas práticas, seus
esta causa deixará o homem pai valores e seus ensinos revelavam
e mãe e se unirá à sua mulher, que as tradições eram a autorida-
tornando-se os dois uma só car- de máxima de sua fé e prática. Se
ne? ... Por causa da dureza do eles cressem e compreendessem
vosso coração é que Moisés vos as Escrituras, não se oporiam tan-
permitiu repudiar vossa mulher; to a Jesus.

26 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Aplicação pessoal morais e éticas. Hoje, pessoas


Você afirma a mesma coisa sem padrão absoluto de ética ou
que Jesus afirmava a respeito das moral têm tomado decisões que
Escrituras? Você mostra, através acarretam sérias consequências.
dos seus valores, das suas pala- Nunca foi tão importante confes-
vras e da sua vida que a Palavra sarmos o valor que Jesus deu à
de Deus é a autoridade máxima Palavra de Deus. Hoje é preciso
para sua fé e prática? Vivemos que aqueles que tomam decisões
numa sociedade, onde não há di- sejam confrontados com a pergun-
reção nem padrão absoluto de mo- ta de Jesus: “Vocês nunca leram
ral para se enfrentar as questões isto nas Escrituras?”.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 27


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 9
Obediência

As adversidades porque passa- dois homens: um que construiu


mos são inevitáveis e fazem parte sua casa sobre a rocha e outro que
do nosso dia-a-dia, que vivemos a construiu sobre a areia. Os dois
num mundo decaído. Apesar de enfrentaram a mesma tempesta-
não termos controle sobre as adver- de, mas apenas a casa construída
sidades que enfrentamos, podemos sobre a rocha resistiu. Já dissemos
controlar a maneira como respon- que todo mundo passa por adver-
demos a elas. A nossa resposta é sidades ou tempestades na vida,
determinada pelo nosso sistema de independente da casa que cons-
fé, conforme Jesus nos ensinou, no truiu. A questão é saber se a casa
final do Sermão do Monte: “Todo que você construiu resistirá à tem-
aquele, pois, que ouve estas mi- pestade. A diferença básica en-
nhas palavras e as pratica será tre os dois homens citados neste
comparado a um homem pruden- episódio é como eles construíram
te que edificou a sua casa sobre a suas casas.
rocha; e caiu a chuva, transborda- O próprio Jesus interpretou
ram os rios, sopraram os ventos e essa metáfora, dizendo que o ho-
deram com ímpeto contra aquela mem sábio foi aquele que ouviu
casa, que não caiu, porque fora Seus ensinos e os praticou (24);
edificada sobre a rocha. E todo o insensato é o que os ouviu e
aquele que ouve estas minhas pa- escolheu não aplicá-los à sua
lavras e não as pratica será com- vida (26). Apenas ouvir os ensi-
parado a um homem insensato que nos de Jesus não fortaleceu sua
edificou a sua casa sobre a areia; casa; afinal, os dois os ouviram.
e caiu a chuva, transbordaram os A aplicação das palavras de Jesus
rios, sopraram os ventos e deram fez a diferença. A rocha sobre a
com ímpeto contra aquela casa, e qual o sábio construiu sua casa,
ela desabou, sendo grande a sua isto é, sua vida, não tinha a ver
ruína” (Mateus 7.24-27). com ouvir, entender, memorizar,
Nesta passagem, Jesus des- citar, nem ensinar as palavras de
creve um episódio que envolve Jesus para os outros. A sabedoria
28 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra
OS VALORES DE CRISTO

está em colocar o conhecimento como aquele homem insensato


em prática. O homem sábio tem que construiu sua casa sobre a
o conhecimento extraído das pala- areia e, quando veio a tempesta-
vras de Jesus aplicado à sua vida. de, ela caiu. Quando a tempesta-
Quando vem a tempestade - e ela de veio sobre o barco, a fé deles
vem para todos - o sistema de fé, desmoronou. Eles foram insensa-
que é a aplicação do ensino de Je- tos porque ouviram as palavras
sus, faz com que resistamos a ela. de Jesus, mas não as colocaram
Logo depois de pregar o Ser- em prática; não acreditaram que
mão do Monte, Jesus atravessou o Jesus jamais permitiria que aquele
mar da Galileia com Seus discípu- barco afundasse. Ao serem con-
los. Durante a travessia, ao serem frontados pela adversidade, eles
surpreendidos por uma grande entraram em pânico. O sistema de
tempestade, os discípulos entram fé deles não estava fundamentado
em pânico, enquanto Jesus dor- na rocha, mas na areia.
mia. “Mas os discípulos vieram
acordá-lo, clamando: Senhor, sal- Aplicação pessoal
va-nos! Perecemos! Perguntou- Jesus nunca prometeu que
lhes, então, Jesus: Por que sois estaríamos isentos de dificuldades
tímidos, homens de pequena fé? se O seguíssemos. Na verdade, Ele
E, levantando-se, repreendeu os advertiu que segui-Lo poderia nos
ventos e o mar; e fez-se grande trazer adversidade: “No mundo,
bonança. E maravilharam-se os passais por aflições; mas tende
homens, dizendo: Quem é este bom ânimo; eu venci o mundo”
que até os ventos e o mar lhe obe- (João 16.33). Jesus prometeu que
decem?” (Mateus 8.25-27). aqueles que ouvissem Suas pala-
Este episódio também regis- vras e as praticassem veriam as
tra uma grande tempestade e uma grandes tempestades da vida se
grande calmaria; entre os dois transformarem em grandes calma-
acontecimentos extremos, uma rias, se deixassem Suas palavras
pergunta de Jesus: “Por que sois penetrarem em suas vidas, trans-
tímidos, homens de pequena fé?”. formando-as. Devemos ir além do
No Evangelho de Marcos, lemos simples ouvir e compreender as
um pouco diferente: “Como é que palavras de Jesus. Temos que fa-
não tendes fé?” (Marcos 4.40). zer do Seu ensino parte vital das
Nesta história, os apóstolos eram nossas vidas.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 29


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 10
Os Feridos
Jesus sempre valorizou as evangelho do reino e curando toda
pessoas, principalmente os feridos sorte de enfermidades. Vendo ele
e necessitados de cura espiritual e as multidões, compadeceu-se
física. Em várias ocasiões Jesus foi delas, porque estavam aflitas e
movido por compaixão para curar exaustas como ovelhas que não
pessoas que tinham sido excluídas têm pastor. E, então, se dirigiu a
da sociedade. Numa delas, Jesus seus discípulos: A seara, na ver-
tocou os olhos de dois homens dade, é grande, mas os trabalha-
cegos que gritavam pedindo cura, dores são poucos. Rogai, pois, ao
enquanto a multidão os repreendia Senhor da seara que mande tra-
(Mateus 20.29-34); Jesus esten- balhadores para a sua seara” (Ma-
deu a mão e purificou um lepro- teus 9.35-38).
so que se aproximou dEle, apesar O texto original grego diz que
de os leprosos serem rejeitados Jesus soluçou de tanto chorar ao
pela sociedade (Marcos 1.40-42). ver as multidões, tão grande era
Também restaurou a mão res- Sua compaixão por elas. Mas,
sequida de um homem num dia além de ter compaixão pelos feri-
de sábado, mesmo que por esse dos, Jesus também tinha uma es-
motivo os fariseus conspirassem tratégia específica para ajudá-los
contra Ele (Marcos 3.1-6). Estes em suas necessidades, a qual en-
exemplos mostram como Jesus volvia Seus discípulos.
era movido por compaixão pelos Todas as vezes que Jesus via
feridos e se entristecia com a du- as multidões sofrendo, Ele intensifi-
reza de coração dos homens. cava o treinamento dos discípulos.
Jesus tinha compaixão por No texto citado acima, Jesus disse:
aqueles que passavam pelo Seu “A seara, na verdade, é grande,
caminho e pelas multidões que O mas os trabalhadores são poucos.
seguiam: “E percorria Jesus to- Rogai, pois, ao Senhor da seara
das as cidades e povoados, ensi- que mande trabalhadores para a
nando nas sinagogas, pregando o sua seara”. No final do capítulo 4

30 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

de Mateus, lemos que uma mul- dos feridos deste mundo – Ele
tidão de pessoas de vários países quer passar Ele próprio, o Pão da
se aglomerou ao redor de Jesus. Vida, para os feridos deste mundo,
Ele, então, chamou seus discípu- através da Sua Igreja.
los para o alto de uma montanha,
onde realizou um retiro, quando re- Aplicação pessoal
crutou os doze apóstolos. Você é como um desses feri-
Nos capítulos 14 e 15 do dos, no meio da multidão, dese-
Evangelho de Mateus, lemos que jando se aproximar de Jesus, para
Jesus alimentou nove mil pessoas. que Ele lhe passe o “Pão”? Então,
“... viu Jesus uma grande multi- deixe que Ele toque o seu coração
dão, compadeceu-se dela e curou para que você conheça o propó-
os seus enfermos” (Mateus 14.14). sito da Sua vinda a este mundo,
Depois, disse: “Tenho compaixão pelo qual Ele vive dentro da Igre-
desta gente, porque há três dias ja, e através dela, hoje. Ele quer
que permanece comigo e não tem tocar o coração de pessoas como
o que comer; não quero despedi-la você. Para que isso aconteça, você
em jejum, para que não desfale- se dispõe a confessar o valor que
ça pelo caminho” (Mateus 15.32). Jesus deu aos feridos deste mun-
Nas duas ocasiões, Jesus instruiu do? Diferente das autoridades re-
os discípulos para que alimentas- ligiosas, que não manifestavam
sem o povo com alguns peixes e compaixão pelos necessitados, Je-
pedaços de pão, que Ele multipli- sus estava sempre pronto a aten-
cou, até que a multidão se sentisse der aquele que necessitava dEle.
satisfeita (Mateus 14.20). Jesus desafiou a todos nós, Seus
Estas passagens bíblicas rela- discípulos, a dizer a mesma coisa
tam dois grandes milagres de Je- que Ele disse sobre o valor de ali-
sus e a Sua visão missionária. Je- mentar o faminto e ferido com o
sus posicionou Seus discípulos de Pão da Vida. Quando você passar
maneira estratégica entre Ele e a por alguém com fome ou ferido,
multidão e, através das mãos de- lembre-se do valor que Jesus deu
les, passou Sua provisão para to- a essas pessoas e peça que o Cris-
dos. É exatamente assim que Cris- to vivo passe Seu amor e vida para
to quer satisfazer as necessidades elas, através de você.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 31


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 11
“Eu Sou”

O Evangelho de João é a bio- lhe pedirias, e ele te daria água


grafia de Cristo que enfatiza as viva” (João 4.10).
declarações de Jesus a respeito A mulher, então, perguntou a
da Sua identidade e missão neste Jesus se Ele era maior que o pai
mundo. Neste Evangelho, encontra- Jacó, que lhes havia dado aque-
mos a declaração da missão de Je- le poço, ao que Jesus respondeu:
sus e, depois, a resposta à pergunta “Quem beber desta água, torna-
que Ele fez aos apóstolos: “Quem rá a ter sede; aquele, porém, que
vocês dizem que eu sou?”. Quando beber da água que eu lhe der
confirmamos que Jesus é o que Ele nunca mais terá sede; pelo con-
declarou ser, estamos confessando trário, a água que eu lhe der será
verdadeiramente Jesus Cristo. nele uma fonte a jorrar para a vida
No capítulo 3 de João, vimos eterna” (João 4.13,14). Ao perce-
que Jesus se autodeclarou como ber que Jesus tinha poder para lhe
único Filho de Deus, única So- dar dessa água e para afirmar que
lução de Deus para o pecado do ela já tinha tido cinco maridos, e
mundo e único Salvador de Deus que o homem com quem estava
para todos nós. Se quisermos que vivendo não era seu marido, ela o
Ele seja o nosso Salvador, deve- chamou de profeta (4.19).
mos confessar os valores que Ele Jesus continuou a intrigar a
deu a si mesmo. mulher com Suas respostas até
No Evangelho de João, lemos que ela, finalmente, fez referência
o relato da conversa que Jesus teve ao Messias: “Eu sei, respondeu a
com uma mulher, junto ao poço de mulher, que há de vir o Messias,
Sicar, na região de Samaria. Quan- chamado Cristo; quando ele vier,
do ela quis saber porque Ele, um nos anunciará todas as coisas”
judeu, estava conversando com (4.25). Jesus lhe respondeu: “Eu
ela, Jesus respondeu: “Se conhe- o sou, eu que falo contigo” (4.26).
ceras o dom de Deus e quem é o Mais tarde, não só a mulher
que te pede: dá-me de beber, tu como alguns samaritanos que ela

32 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

conhecia professaram que Jesus nós todas as vezes que oramos,


era o Cristo: “Já agora não é pelo pois, se cremos que em oração fa-
que disseste que nós cremos; mas lamos com o Deus Todo-Poderoso,
porque nós mesmos temos ouvido devemos saber o que Lhe pedir.
e sabemos que este é verdadei- Em todo o Evangelho de João,
ramente o Salvador do mundo” Jesus continuou falando quem Ele
(4.42). Eles confessaram o valor é e porque veio ao mundo. Ele ale-
que Jesus deu a Si próprio, ou gou ser igual a Deus ao declarar
seja, confirmaram que Jesus era o que pode fazer tudo o que Deus faz:
Messias, o Cristo, o único Salvador “Em verdade, em verdade vos digo
do mundo. que o Filho nada pode fazer de si
O que significou para aquela mesmo, senão somente aquilo que
mulher perceber que estava falando vir fazer o Pai; porque tudo o que
com o Messias? Nossa pergunta é este fizer, o Filho também, seme-
respondida quando lemos no texto lhantemente, o faz” (João 5.19).
que ela largou o seu pote de água, Isto inclui ressuscitar mortos, algo
que era a razão porque tinha ido que só Deus pode fazer.
ao poço, e foi contar aos homens É admissível que, ao ouvirmos
da cidade a respeito de Jesus. Na- alguém dizer que é igual a Deus,
quela cultura, uma mulher anun- perguntemos: “Você consegue fa-
ciar qualquer coisa aos homens era zer tudo o que Deus faz?”. A esta
uma coisa inusitada. Ela mesma se pergunta Jesus respondeu que
espantou com o fato de Jesus con- “Sim” e provou o que disse. Jesus
versar com ela, uma samaritana, ressuscitou dos mortos e com isso
mas Jesus não veio a este mundo provou que é igual a Deus e que
por causa dos santos e, sim, dos pode fazer tudo o que Deus faz.
pecadores (Mateus 9.13). Por esse motivo, os líderes religio-
A resposta da mulher à con- sos perseguiam Jesus (João 5.18).
versa que teve com Jesus é um A hostilidade entre Jesus e os
desafio para que reflitamos sobre líderes religiosos começou a ser re-
nossas respostas às declarações gistrada no capítulo 5 do Evange-
de Jesus no Evangelho de João. lho de João e continuou até o final
Ele disse à mulher que se ela ti- do capítulo 8, quando atingiu o
vesse ideia de quem estava lhe pe- seu clímax. Eles chegaram a pegar
dindo água, pediria e Ele lhe daria pedras para atirarem em Jesus,
Água Viva. Isto é um desafio para quando Ele declarou que havia
CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 33
OS VALORES DE CRISTO

conhecido Abraão. Nessa hora, os que atestam sua divindade e, por-


líderes religiosos perguntaram a tanto, igualdade com o Pai.
Jesus: “Ainda não tens cinquenta Este homem viveu apenas 33
anos e viste Abraão?” (João 8.57). anos, mas causou um impacto tão
Os líderes religiosos daque- grande no mundo, que há dois
le tempo não tinham dúvidas de milênios a história da humanida-
quem Jesus estava afirmando de está dividida em dois períodos:
ser. Hoje, alguns líderes religiosos antes e depois de Cristo.
questionam as declarações de Je-
sus; outros dizem: “Eu creio que Aplicação pessoal
Ele ainda é, enquanto muitos não O autor inglês, C. S. Lewis,
sabem quem Ele foi. Mas, enquan- escritor temente a Deus, que mi-
to eles não têm certeza do que Ele nistrava muito bem para os céti-
fez, eu sei que Ele ainda faz”. cos, e era um grande defensor da
Preste atenção em algumas fé, afirmou que, depois de obser-
declarações de Jesus, no Evan- varmos todas as declarações de
gelho de João, e decida em quem Jesus, nos deparamos com duas
você crê. João 10.30 registra es- opções: ou concordamos com Je-
tas palavras de Jesus: “Eu e o Pai sus e declaramos que Ele é quem
somos um”; no capítulo 14, res- alegou ser, ou o declaramos men-
pondendo a Felipe sobre o pedido tiroso e lunático.
que lhe fizera para ver o Pai, Jesus Jesus afirmou ser o Filho de
disse: “... há tanto tempo estou Deus, igual ao Pai e o Único atra-
convosco e não me tens conheci- vés de quem podemos receber sal-
do? Quem me vê a mim vê o Pai; vação e vida eterna. Se você não
como dizes tu: Mostra-nos o Pai? confessar os valores que Jesus deu
...Crede-me que estou no Pai e o a Ele mesmo, terá que decidir se
Pai em mim” (9,11). Quando Je- para você Ele foi uma fraude e o
sus fez a oração que João registrou pior impostor que o mundo já co-
no capítulo 17, Ele disse: “... e, nheceu, ou você pode não ser tão
agora, glorifica-me, ó Pai, contigo drástico e dizer que Ele foi um lu-
mesmo, com a glória que eu tive nático. Quem você diz que Ele é?
junto de ti, antes que houvesse Você concorda que Ele foi quem
mundo” (5). Em todos os Evange- afirmou ser? Você confessa o va-
lhos, especialmente no de João, lor que Jesus deu a Si mesmo e O
encontramos declarações de Jesus declara Senhor da sua vida hoje?
34 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra
OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 12
Comunhão Com o Pai

Jesus estava sempre em co- começaram a escusar-se. Disse


munhão com o Deus Pai. Ele se o primeiro: Comprei um campo e
levantava cedo e gastava tempo preciso ir vê-lo; rogo-te que me
sozinho orando ao Pai, fazendo tenhas por escusado. Outro disse:
somente o que o Pai lhe manda- Comprei cinco juntas de bois e
va, numa comunhão constante e vou experimentá-las, rogo-te que
íntima. O momento mais intenso me tenhas por escusado. E outro
do sofrimento de Jesus na cruz foi disse: Casei-me e, por isso, não
quando a comunhão com o Pai foi posso ir. Voltando o servo, tudo
quebrada, por estar com nossos contou ao seu senhor. Então, ira-
pecados sobre Si (Isaías 53.5,6; do, o dono da casa disse ao seu
Marcos 15.34; II Coríntios 5.21). servo: Sai depressa para as ruas e
Em Sua oração, lemos que o becos da cidade e traze para aqui
propósito de Sua vinda ao mundo os pobres, os aleijados, os cegos
e da Sua morte sacrificial era para e os coxos. Depois, disse o servo:
que nós também pudéssemos ter Senhor, feito está como mandas-
comunhão com o Pai: “E a vida te, e ainda há lugar. Respondeu-
eterna é esta: que te conheçam lhe o senhor: Sai pelos caminhos
a ti, o único Deus verdadeiro, e e atalhos e obriga todos a entra-
a Jesus Cristo, a quem enviaste” rem, para que fique cheia a mi-
(João 17.3). nha casa. Porque vos declaro que
Para identificar o tipo de co- nenhum daqueles homens que fo-
munhão que tinha com o Pai, ram convidados provará a minha
numa ocasião, Jesus ensinou esta ceia” (Lucas 14.16-24).
parábola: “Certo homem deu uma Naquele tempo, na cultura
grande ceia e convidou a mui- daquele povo, sentar-se à mesa
tos. À hora da ceia, enviou o seu para comer com alguém simboli-
servo para avisar aos convida- zava comunhão. Não havia maior
dos: Vinde, porque tudo já está expressão de comunhão que aque-
preparado. Não obstante, todos la experimentada no partir do pão

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 35


OS VALORES DE CRISTO

na casa de um amigo, parente ou muito bravo e mandou que seus


alguém que o convidasse para se servos fossem pela cidade e convi-
sentar à sua mesa. No último livro dassem todos os doentes e aleija-
da Bíblia está registrada uma lin- dos para participarem da sua festa
da metáfora em que Jesus diz que – pessoas que nunca poderiam re-
Ele está à porta das nossas vidas, tribuir o convite e também nunca
batendo pacientemente, porque teriam imaginado que poderiam
Ele quer que abramos a porta e ser convidadas para tal evento.
O convidemos para cear conosco Para que Deus possa fazer um
(Apocalipse 3.20). convite desses para o Seu banque-
Na Parábola da Grande Ceia, te Ele precisou enviar o Seu único
Jesus mostra o valor que Ele deu Filho ao mundo, a fim de morrer
à comunhão com Deus. Nela, Ele pelos nossos pecados. Na liturgia
conta a estória de um homem – judaica, a Tenda da Adoração e o
figuradamente este homem era Templo de Salomão representavam
Deus – que desejava abrir as por- as instruções que Deus deu a Moi-
tas da sua casa para um banquete. sés, mostrando como pecadores
Seu convite foi rejeitado por todos. poderiam se aproximar do Deus
Um dos convidados tinha com- Santo. A presença de Deus estava
prado uma propriedade e queria no Santo dos Santos e a liturgia
ir vê-la. A desculpa mostrou como da adoração era uma preparação
as coisas deste mundo podem se para se aproximar da presença de
tornar mais importantes que a co- Deus. Havia um espesso véu que
munhão com Deus. bloqueava a entrada do Santo dos
Outro se desculpou porque ti- Santos, onde Deus habitava, do
nha comprado cinco pares de bois qual os pecadores não podiam se
e precisava experimentá-los. Cinco aproximar. Uma vez por ano todos
pares de bois representavam uma se ajuntavam ao redor da tenda
grande fazenda e muito trabalho. da adoração e o sumo sacerdote
A desculpa, então, foi o trabalho. entrava na presença de Deus, re-
A terceira desculpa apresenta- presentando o povo.
da foi casamento. A pessoa tinha O Templo de Salomão foi cons-
acabado de se casar e não podia ir. truído seguindo o mesmo modelo
Como todos os convites foram da Tenda da Adoração. No Templo,
rejeitados, o senhor da casa ficou também havia um véu semelhante

36 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

à cortina de um palco de teatro. Aplicação pessoal


Quando Jesus morreu na cruz, essa Você dá valor à comunhão
cortina rasgou-se de cima abaixo, com Deus? Você valoriza o cami-
simbolizando que, a partir de en- nho que Deus abriu para ter comu-
tão, o povo de Deus não se aproxi- nhão com o homem? Você reco-
mava mais dEle da maneira como nhece o sacrifício de Jesus Cristo
fora ensinado no Velho Testamento. para poder dizer ao mundo: “Eu
Você pode achar que houve uma sou o caminho... ninguém vem ao
multidão de pessoas diante da pre- Pai senão por mim”? (João 14.6)
sença de Deus, quando essas boas Você confessa (diz a mesma coisa)
novas foram anunciadas, mas a pa- como Jesus o valor da sua comu-
rábola de Jesus mostra que não foi nhão com Deus?
isso o que aconteceu. Nós praticamos somente aqui-
Todas as desculpas mostraram lo em que cremos; quanto ao res-
como os valores do povo de Deus to, não passa de discurso religio-
estavam distorcidos, já que as suas so. Baseado em como você usa o
prioridades estavam nas coisas des- seu tempo, o seu dinheiro e a sua
te mundo, no trabalho e nos relacio- atenção, você está confessando o
namentos, deixando para segundo valor que Jesus identificou quando
plano a comunhão com Deus. ensinou esta parábola?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 37


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 13
O Homem Junto ao Tanque

Já mencionamos o valor que enfermo havia trinta e oito anos.


Jesus deu aos feridos e doentes Jesus, vendo-o deitado e sabendo
deste mundo; também que Ele que estava assim há muito tem-
veio para curar o enfermo e lhe po, perguntou-lhe: Queres ser
trazer restauração espiritual. Co- curado? Respondeu-lhe o enfer-
mentamos, ainda, no capítulo 5 mo: Senhor, não tenho ninguém
do Evangelho de João, como Jesus que me ponha no tanque, quando
usou a cura de um homem como a água é agitada; pois, enquan-
estratégia para iniciar um diálogo to eu vou, desce outro antes de
com os líderes religiosos. mim. Então, lhe disse Jesus: Le-
Se atentarmos para a cura que vanta-te, toma o teu leito e anda.
veremos a seguir, identificaremos Imediatamente, o homem se viu
outro valor inerente a Cristo, que curado e, tomando o leito, pôs-se
é o Seu amor restaurando a saúde a andar. E aquele dia era sábado”
de um dos quebrantados e feridos (João 5.1-9).
que Ele tanto valorizou: “Passadas No original grego, o texto se
estas coisas, havia uma festa dos refere a esta multidão junto ao tan-
judeus, e Jesus subiu a Jerusa- que, como “uma multidão sem for-
lém. Ora existe ali, junto à Porta ças”; outra tradução diz “de pesso-
das Ovelhas, um tanque chama- as fracas”. Eles passavam dia após
do em hebraico Betesda, o qual dia ali, porque acreditavam naquilo
tem cinco pavilhões. Nestes, jazia que talvez fosse uma superstição.
uma multidão de enfermos, cegos, Quando a água daquele tanque se
coxos, paralíticos esperando que movia, o que às vezes acontecia,
se movesse a água. Porquanto um eles achavam que era um anjo que
anjo descia em certo tempo, agi- a tinha agitado e acreditavam que
tando-a; e o primeiro que entra- a primeira pessoa que entrasse no
va no tanque, uma vez agitada a tanque seria curada.
água, sarava de qualquer doença Havia 38 anos que um ho-
que tivesse. Estava ali um homem mem esperava ser curado naquele

38 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

tanque. Em meio a todos os en- que alguém o fizesse; portanto,


fermos que ali se achavam, Jesus aquele tanque jamais poderia curá
o viu e perguntou-lhe: “Queres ser -lo. Talvez ele estivesse orando
curado?”. a Deus, pedindo que o curasse,
Este episódio sugere algumas sem que precisasse daquele tan-
perguntas. Por que, entre toda que. Talvez estivesse buscando
aquela multidão, Jesus escolheu outra alternativa para sua cura.
curar somente aquele homem? Por Ele poderia estar orando a Deus
que Jesus não curou todos os que para curá-lo, sem o uso daquela
estavam ali? Por que Jesus per- superstição. Foi assim que Jesus o
guntou ao homem que estava jun- encontrou: esperando por um mi-
to daquele tanque havia 38 anos, lagre, o qual Jesus realizou.
se ele queria ser curado? Muita gente busca cura em
Médicos e profissionais da tantas fontes, e não no poder de
saúde dizem que essa pergunta Deus. São pessoas que têm seus
não é tão descabida como parece. “Tanques de Betesda”, que jamais
Existem pessoas hipocondríacas, trazem a cura completa de que
que não querem ficar bem. Preste necessitam. Voltam-se para o ma-
atenção: a pergunta não foi “você terialismo e buscam soluções nas
quer ficar bem?”. Jesus pergun- suas mais variadas formas, inclusi-
tou: “você quer ser curado?”. É ve no curandeirismo, mas não em
preciso mais para curar que para Deus. Assim como aconteceu com
ficar bem. Devemos entender que aquele homem, somente quando
certas coisas só mesmo o poder de olhamos para além do Tanque de
Cristo pode fazer por nós. Betesda, e colocamos nossa espe-
O homem respondeu que ti- rança apenas no poder de Deus,
nha perdido toda esperança de fi- podemos começar a ser curados de
car bem: “Senhor, não tenho nin- dentro para fora, de uma maneira
guém que me ponha no tanque, que só Cristo pode fazer.
quando a água é agitada; pois, Há duas aplicações para esta
enquanto eu vou, desce outro an- história. Em primeiro lugar, deve-
tes de mim” (5.7). mos perguntar se queremos ser
Aquele homem havia percebi- curados, crendo que só Cristo é
do que jamais conseguiria, por si capaz de nos curar completamen-
mesmo, alcançar o tanque antes te. Segundo, valorizando os feridos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 39


OS VALORES DE CRISTO

e fracos deste mundo, como Jesus ceifa” (João 4.35). Pessoas em


valorizou. todo o mundo estão prontas para
receber a cura da salvação – são
Aplicação pessoal como os campos prontos para a
Alguns versículos anteriores colheita. Jesus nos desafia a tra-
relatam o desafio que Jesus lan- balhar nesses campos, levando
çou para que seus discípulos co- Sua salvação e cura espiritual a
locassem em prática o amor pelos pessoas como a mulher sama-
feridos, como aquela mulher sa- ritana, junto ao poço, ou aquele
maritana, que estava pronta para homem, junto ao Tanque de Be-
receber a Água Viva: “Não dizeis tesda. Você confessa o valor que
vós que ainda há quatro meses Jesus deu aos feridos, que estão
até a ceifa? Eu, porém, vos digo: olhando para além dos tanques
erguei os olhos e vede os cam- da sua vida, buscando a cura que
pos, pois já branqueiam para a só Cristo pode lhes dar?

40 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 14
Como Compreender as Escrituras

Já vimos como Jesus valorizou Escrituras não devem ser enten-


as Escrituras. Quando Ele se referia didas como um livro que fala a
a elas, estava falando do Velho Tes- respeito do estudo das origens ou
tamento, porque, como sabemos, o da história da civilização. As Es-
Novo Testamento ainda não havia crituras falam sobre a salvação e
sido escrito. No início do ministério apresentam o contexto histórico,
de Jesus, Suas primeiras palavras no qual o Salvador veio ao mundo.
foram “Está escrito...” e Sua per- Jesus deixou claro, na dis-
gunta preferida era: “Vocês nunca cussão que teve com os líderes
leram isto nas Escrituras?”. religiosos, que eles jamais compre-
No Sermão do Monte, Ele va- enderiam as Escrituras, a não ser
lorizou o Velho Testamento, quan- que reconhecessem que elas con-
do afirmou que “até que o céu e vergiam para Ele, do começo ao
a terra passem, nem um i ou til fim. A afirmação de Jesus é que as
jamais passará da Lei, até que Escrituras são um relato de Deus
tudo se cumpra”. No Seu coração, acerca da história da redenção e do
Jesus queria que aqueles que es- Redentor, através de quem veio a
tavam com Ele no topo da monta- salvação. O Velho Testamento com-
nha compreendessem as Escritu- prova a respeito de Cristo e da Sua
ras (Mateus 5.17-20). vinda ao mundo, para salvar o ho-
No relato de João 5.39,40, mem do pecado e reconciliá-lo com
quando Jesus estava discutindo Deus.
com os líderes religiosos, uma das Osvaldo Chamber, outro au-
questões levantadas foi o entendi- tor inglês, considera o versículo
mento das Escrituras. Jesus elogiou 39 de João 5 o texto chave da Bí-
os fariseus pelo conhecimento que blia, porque ele abre nosso enten-
eles tinham das Escrituras, dizendo dimento a respeito dela, ao tratar
que eles as pesquisavam e exami- de uma discussão entre Jesus e os
navam, mas não as entendiam. líderes religiosos, ocasião em que
Jesus estava dizendo aos Jesus mostrou a mesma preocupa-
fariseus, a você e a mim que as ção que Ele manifestou no Sermão
CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 41
OS VALORES DE CRISTO

do Monte: que as pessoas compre- entendimento das Escrituras. Jesus


endessem as Escrituras. iniciou Seu ministério terreno pro-
As últimas palavras de Jesus clamando: “Está escrito” e pergun-
também destacaram o valor que tando ao povo “Vocês nunca leram
Ele dava às Escrituras. Depois da isto nas Escrituras?”, concluindo
Sua ressurreição, antes de ascen- com o desafio aos discípulos a te-
der aos céus, Jesus disse aos Seus rem a compreensão da chave que
discípulos: “Ó néscios e tardios de abre o entendimento para as Escri-
coração para crer em tudo o que os turas: que tudo o que foi escrito na
profetas disseram! ...E começando Lei de Deus por Moisés, nos Salmos
por Moisés, discorrendo por todos e nos Profetas diz respeito a Ele.
os profetas, expunha-lhes o que Durante o Seu ministério, do
a seu respeito constava em todas começo ao fim, através de Sua
as Escrituras. ...São estas as pa- própria vida, Jesus enfatizou a im-
lavras que vos falei, estando ainda portância da compreensão e apli-
convosco: importava se cumprisse cação das Escrituras na vida do
tudo o que de mim está escrito na homem, o que mostra o valor que
Lei de Moisés, nos Profetas e nos Ele lhes dava.
Salmos. Então lhes abriu o enten-
dimento para compreenderem as Aplicação pessoal
Escrituras; e lhes disse: Assim está A pergunta que fica para nós
escrito que o Cristo havia de pade- é: será que confessamos o mesmo
cer e ressuscitar dentre os mortos valor que Jesus deu às Escrituras?
no terceiro dia e que em seu nome Você acredita que tanto o Velho
se pregasse arrependimento para como o Novo Testamento dão tes-
remissão de pecados a todas as temunho da redenção de todos os
nações, começando de Jerusalém” homens, através de Jesus Cristo,
(Lucas 24.25,27, 44-47). o Filho de Deus? Você acha que
Jesus iniciou Seu ministério o Novo e o Velho Testamento res-
demonstrando cuidado para que as pondem às nossas perguntas refe-
Escrituras fossem compreendidas rentes a viver, e viver bem? Será
e terminou com a mesma preocu- que estamos preparados para
pação. O Seu ensino e os diálogos, enfrentar todas as tempestades e
tanto com os Seus opositores como circunstâncias das nossas vidas,
com os que O seguiam, refletiam o inspirados nas primeiras palavras
desejo ardente de levar o povo ao de Cristo: “Está escrito”?

42 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 15
Jesus Me Ama

Você já imaginou como seria foi até o seu túmulo. O versículo


conversar com Jesus, olhando nos 35 conta que lá “Jesus chorou”, e
olhos dEle? Esta seria uma experi- aqueles que O viram chorar disse-
ência única na vida, por várias ra- ram: “Vede quanto o amava” (36).
zões; uma delas, a principal, seria Não ficou evidente só para Marta
porque veríamos nos olhos dEle a e Maria que Jesus amava Lázaro,
força do Seu amor. Aqueles que mas também aos judeus que lá
andaram e conversaram com Je- estavam.
sus tinham convicção do Seu amor No capítulo 10 do Evangelho
por eles. Esta certeza está revela- de Marcos, lemos sobre a histó-
da nos quatro Evangelhos. ria do “jovem rico”. Esse homem
No capítulo 11 do Evangelho se aproximou de Jesus querendo
de João, lemos sobre o encontro descobrir o que ele precisava fazer
de Jesus com duas irmãs chama- para ter a vida eterna. O versículo
das Marta e Maria, no qual Jesus 21 deste capítulo conta que “Je-
evidenciou o amor que tinha pelo sus, fitando-o, o amou”. O olhar
seu irmão Lázaro. Este se encon- de Jesus foi intenso, conforme o
trava doente e suas duas irmãs, texto original sugere; um olhar que
desesperadas, mandaram um re- transmitiu amor ao jovem rico. O
cado para Jesus: “Senhor, está jovem, porém, não seguiu a orien-
enfermo aquele a quem amas” tação que Jesus lhe deu para que
(11.3). O sentido da palavra origi- tivesse vida eterna. Entretanto, al-
nal traduzida por “enfermo” é que guns estudiosos afirmam que ele
o irmão delas estava morrendo. foi o autor do Evangelho de Mar-
Embora Lázaro seja mencio- cos, porque este é o único que re-
nado como uma das pessoas que gistra o detalhe intrigante do olhar
Jesus amava, depois de receber o de Jesus para aquele jovem, que
chamado, Jesus permaneceu onde se afastou, desprezando a oportu-
estava por alguns dias. Mais tarde, nidade de ter vida eterna. De qual-
depois da morte de Lázaro, Jesus quer forma, podemos dizer com

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 43


OS VALORES DE CRISTO

certeza que, quando Jesus o fitou, nos libertou dos nossos pecados,
ele teve convicção do Seu amor. e nos constituiu reino, sacerdotes
Jesus amou todos aqueles para o seu Deus e Pai, a ele a gló-
que encontrou pelo caminho, até ria e o domínio pelos séculos dos
mesmo os publicanos e pecado- séculos” (1.5,6). Jesus tinha dito
res. Afinal, Ele escolheu passar o aos companheiros de João que se
Seu tempo com eles em jantares e eles O seguissem, Ele faria deles
andando com eles pelas cidades. pescadores de homens. Sessenta
Jesus quis passar tempo com eles anos mais tarde, João disse: “nos
e transmitir-lhes a vida eterna, que constituiu reino e sacerdotes”.
não é acessível apenas aos espiri- Antes de tudo, porém, João lem-
tualmente privilegiados, mas tam- brou que “Ele nos ama”.
bém aos pecadores. Aqueles que Jesus amou todos os que
receberam Seu amor responderam cruzaram Sua caminhada de três
com gratidão e reverência, como anos de ministério – os publicanos
aquela mulher que caiu aos pés de e pecadores, o rico e o pobre, Seus
Jesus e o ungiu com óleo precioso e amigos, Seus apóstolos e discípu-
com suas próprias lágrimas (Lucas los – e todos eles sabiam que eram
7.36-38). amados. Você tem consciência da
Os discípulos de Jesus tam- verdade maravilhosa de que Ele
bém foram alvos do Seu amor. O tem este mesmo tipo de amor por
Evangelho de João é um grande você? Anos atrás, perguntaram a
testemunho do amor de Cristo. Al- um famoso teólogo qual tinha sido
gumas vezes João referiu-se a si a verdade mais profunda que ele
próprio, no seu Evangelho, como tinha ouvido. Depois de pensar
“o discípulo a quem Jesus amava” um pouco, ele respondeu: “Jesus
(13.23; 19.26; 20.2; 21.7,20). me ama, Jesus me ama, Jesus me
João tinha plena consciência do ama, a Bíblia assim me diz”.
fato de que Jesus o amava. Ses-
senta anos depois de andar com Aplicação pessoal
Jesus como um de Seus apóstolos, Minha vida mudou para sem-
João lhe dedicou o último livro da pre quando comecei a pedir ao
Bíblia, o Livro do Apocalipse, com Cristo vivo e ressuscitado que me
as seguintes palavras: “Àquele posicionasse estrategicamente en-
que nos ama, e, pelo seu sangue, tre o Seu amor e todas as pessoas

44 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

feridas e quebrantadas que cruzas- o resto da sua vida. Você confessa


sem o meu caminho. O meu con- este mesmo valor que Jesus deu
selho é que você peça que Cristo ao amor? Será que as pessoas que
faça o mesmo com você. Quando passam pela sua vida sabem que
fizer isso, você descobrirá onde são amadas com um amor que
Ele está e onde você quer passar vem de Deus, através de você?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 45


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 16
Ovelha Perdida

Nos quatro Evangelhos, en- porque Ele passava tempo com os


contramos Jesus fazendo uma ci- pecadores, e se sentiam ofendidos,
tação do profeta Isaías, quando quando Jesus os convidava a com-
afirmou que somos como ovelhas partilhar com Ele a compaixão pe-
perdidas e que Deus é o nosso Pas- los perdidos e feridos.
tor amoroso, que busca e encontra Os líderes religiosos pareciam
Suas ovelhas: “Qual dentre vós é o incapazes de enxergar os cegos,
homem que, possuindo cem ove- cativos e quebrantados, citados na
lhas e perdendo uma delas, não profecia de Isaías (61.1,2), que
deixa no deserto as noventa e nove Jesus adotou como Seu Manifesto.
e vai à busca da que se perdeu até Os pecadores que viviam ao redor
encontrá-la? Achando-a, põe-na de Jesus eram apenas pessoas im-
sobre os ombros, cheio de júbilo. puras para aqueles líderes. Jesus
E, indo para casa, reúne os amigos desafiou os fariseus e escribas a
e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai- verem aquelas pessoas do mesmo
vos comigo, porque já achei a mi- modo que Deus as via.
nha ovelha perdida. Digo-vos que Uma das maneiras que Jesus
assim haverá maior júbilo no céu usou para compartilhar esta visão
por um pecador que se arrepende com os líderes religiosos foi di-
que por noventa e nove justos que zendo que Deus via os pecadores
não necessitam de arrependimen- como ovelhas perdidas. Isaías, o
to” (Lucas 15.4-7). príncipe dos profetas, pregou que
Jesus veio ao mundo para sal- cada um de nós é uma ovelha per-
var o perdido (Lucas 19.10) e trazer dida até que sejamos encontrados
cura espiritual aos doentes, feridos pelo grande Pastor (Isaías 53.6).
e necessitados de médico. Mas,
como vimos em várias ocasiões, Aplicação pessoal
os líderes religiosos não se sentiam Se você se sente como uma
à vontade com os pecadores que ovelha perdida, saiba que para
Jesus amava. Eles o criticavam, Deus você é muito precioso e que

46 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Jesus Cristo veio ao mundo por Quando você se tornar uma


causa de pessoas como você. Ele das ovelhas encontradas pelo
veio para morrer por você. Se hoje “Bom Pastor” vai confessar o va-
Jesus passasse pela sua cidade, lor que Cristo deu aos perdidos,
provavelmente ia querer passar os quais Ele veio buscar e salvar.
um dia todo com você, como fez Ao revelar quem Deus é, e o Seu
com um pecador chamado Zaqueu sistema de valores, Jesus ensinou
(Lucas 19.1-10). Hoje Ele está à que Deus dá muito valor aos per-
porta, batendo pacientemente, didos. O Cristo ressuscitado quer
porque Ele quer que você abra a que confessemos os Seus valores
porta da sua vida em resposta ao e nos unamos a Ele em Sua mis-
Seu amor e perdão. Jesus quer são de levar salvação a todos os
que você O reconheça como o seu perdidos e quebrantados deste
Pastor (Apocalipse 3.20). mundo.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 47


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 17
Moedas Perdidas

“Porque o Filho do Homem convidando as pessoas do círcu-


veio buscar e salvar o perdido” lo externo para participarem com
(Lucas 19.10). Este é o versícu- Ele do milagre que estava aconte-
lo chave do Evangelho de Lucas e cendo no círculo interno. Visando
a declaração da missão de Jesus cumprir o objetivo da Sua missão,
Cristo na terra. Vimos no capítulo Jesus contou algumas parábolas
15 do Evangelho de Lucas o valor de coisas perdidas. Através dessas
que Ele deu às “coisas perdidas”. parábolas, os pecadores poderiam
As Parábolas das Coisas Perdidas perceber como eram valiosos aos
são uma alegoria da redenção que olhos de Deus, assim como os fari-
Cristo trouxe aos perdidos deste seus poderiam entender o coração
mundo. Você deve lembrar que o de Deus transbordando de amor
cenário dessas parábolas eram os por todos os homens, e como Ele
dois círculos que se formaram ao se alegrava, quando uma vida per-
redor de Jesus. Os perdidos e de- dida era encontrada, através do
sejosos de encontrar perdão para arrependimento e da salvação.
seus pecados formavam o círculo Uma das parábolas de Lucas
mais próximo de Jesus; os fari- 15 refere-se a uma moeda valio-
seus, que se consideravam justos sa que se perdeu, que uma mu-
e queriam manter-se longe dos lher procurou diligentemente até
transgressores da Lei, formavam encontrar: “Ou qual é a mulher
o círculo externo, ao redor do cír- que, tendo dez dracmas, se per-
culo formado pelos pecadores, que der uma, não acende a candeia,
buscavam a salvação. varre a casa e a procura diligente-
As Parábolas das Coisas Per- mente até encontrá-la? E, tendo-a
didas foram dirigidas às pessoas achado, reúne as amigas e vizi-
do círculo exterior, os fariseus. nhas, dizendo: Alegrai-vos comi-
Através dela, Jesus tentou ex- go, porque achei a dracma que eu
plicar o que estava acontecendo tinha perdido. Eu vos afirmo que,
no círculo interno. Jesus estava de igual modo, há júbilo diante

48 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

dos anjos de Deus por um só pe- de um pagamento. Neste sentido,


cador que se arrepende” (Lucas a coisa reclamada foi comprada
15.8-10). duas vezes. Primeiro, alguém to-
Alguns estudiosos acreditam mou posse dela; depois, ela foi
que aquela moeda perdida era reivindicada com um preço esta-
uma das dez moedas que, naquele belecido. Da mesma forma, antes
tempo, a mulher ganhava do ma- pertencíamos a Deus, porque Ele
rido e usava sobre a testa, simbo- nos criou. Mas, como o pecado
lizando sua fidelidade a ele. Se ela nos separou dEle, ficamos perdi-
lhe fosse infiel, uma das moedas dos. A fim de nos redimir, Deus
seria removida. Podemos enten- fez um plano para nos comprar de
der porque ela procurou com tan- volta, através do sacrifício expia-
to empenho a moeda e se alegrou tório do Seu Filho Jesus.
tanto ao encontrá-la! Conta-se que um menino
Se este era o contexto cultural construiu com seu pai um modelo
desta parábola, bem como a in- de barco à vela. Os dois levaram o
terpretação que devemos lhe dar, barco para a praia, perto de onde
podemos compreender que Jesus moravam. Numa ocasião, estavam
estava dizendo às pessoas do cír- brincando com o barco na praia,
culo externo que alguns do círculo quando uma correnteza levou o
interno estavam perdidos, porque barquinho para longe. Semanas
não conseguiam encontrar a força depois, eles o encontraram na vi-
espiritual para experimentar a san- trine de uma loja e ficaram mui-
tificação. Embora perdidos, não to desapontados ao descobrirem
mereciam o desprezo ou a rejeição que o proprietário só entregaria o
do povo de Deus. Eles precisavam barquinho se eles o comprassem.
de ajuda, a fim de manter as dez Depois de comprar o barquinho de
moedas no lugar para ter um rela- volta, o menino disse ao seu brin-
cionamento completo com Deus. quedo: “Agora você é meu duas
Esta estória também é uma vezes! Você é meu, porque fui eu
figura da redenção. Quando fala- que te fiz, e porque eu te com-
mos em redenção, estamos nos prei de volta”. Esta é uma ótima
referindo a alguma coisa que per- ilustração para “redenção”. Assim
tenceu a alguém, foi perdida e como ele fez o barco e, depois, o
reivindicada, geralmente através comprou, Deus também nos criou

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 49


OS VALORES DE CRISTO

e, depois nos comprou de volta. O ser procuradas e valorizadas com


preço que Ele pagou foi a vida do o valor que Jesus lhes atribui.
Seu Único Filho.
Jesus estava falando para os Aplicação pessoal
fariseus que aqueles que estavam Você é uma moeda perdida?
ao Seu redor eram muito mais que Se você é uma das moedas perdi-
simples pecadores. Eles tinham das neste mundo, entenda que Je-
sido criados por Deus, foram per- sus Cristo o valoriza. Ele está pro-
didos e estavam sendo reivindica- curando por você diligentemente,
dos. Da mesma forma que a mu- e todos os anjos do céu vão gritar
lher se alegrou ao encontrar sua de alegria, quando você for encon-
moeda perdida, os anjos no céu se trado. Se você já foi encontrado e
alegram, quando um pecador é en- redimido, como o barco daquele
contrado e reintegrado à família de menino, eu gostaria de saber se
Deus. Jesus desafiou os fariseus a você tem compaixão pelas “moe-
mudarem o conceito que tinham a das perdidas” deste mundo. Você
respeito dos pecadores do círculo confessa o valor que Jesus deu às
interior, porque estes eram como vidas perdidas que precisam ser
moedas perdidas, que precisam redimidas para Deus?

50 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 18
Filhos Perdidos

Depois de ensinar ao círculo como um dos teus trabalhadores.


externo o valor da moeda perdida, E, levantando-se, foi para seu pai.
Jesus continuou com a Parábola Vinha ele ainda longe, quando
do Filho Pródigo: “Certo homem seu pai o avistou, e, compadecido
tinha dois filhos; o mais moço de- dele, correndo, o abraçou, e bei-
les disse ao pai: Pai, dá-me parte jou. E o filho lhe disse: Pai, pe-
dos bens que me cabe. E ele lhe quei contra o céu e diante de ti; já
repartiu os haveres. Passados não não sou digno de ser chamado teu
muitos dias, o filho mais moço, filho. O pai, porém, disse aos seus
ajuntando tudo o que era seu, servos: Trazei depressa a melhor
partiu para uma terra distante e roupa, vesti-o, ponde-lhe um anel
lá dissipou todos os seus bens, no dedo e sandálias nos pés; tra-
vivendo dissolutamente. Depois zei também e matai o novilho
de ter consumido tudo, sobreveio cevado. Comamos e regozijemo-
àquele país uma grande fome, e nos, porque este meu filho estava
ele começou a passar necessida- morto e reviveu, estava perdido e
de. Então, ele foi e se agregou a foi achado. E começaram a rego-
um dos cidadãos daquela terra, e zijar-se” (Lucas 15.11-24).
este o mandou para os seus cam- Já vimos que esta parábola foi
pos a guardar porcos. Ali, deseja- contada no meio de uma conversa
va ele fartar-se das alfarrobas que que Jesus teve com os pecadores
os porcos comiam; mas ninguém e os fariseus ao mesmo tempo. Je-
lhe dava nada. Então, caindo em sus deu uma resposta à indigna-
si, disse: Quantos trabalhadores ção dos fariseus que o criticavam
de meu pai têm pão com fartura e por Ele estar dando atenção aos
eu aqui morro de fome! Levantar- pecadores e lançou um desafio.
me-ei, e irei ter com o meu pai, e Foi como se lhes dissesse: “Vocês
lhe direi: Pai, pequei contra o céu só enxergam essas pessoas como
e diante de ti; já não sou digno de pecadores, mas Deus os vê como
ser chamado teu filho; trata-me filhos perdidos”. Alguns desses

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 51


OS VALORES DE CRISTO

pecadores eram filhos de Deus, Aplicação pessoal


que exerceram seu livre arbítrio, Você confessa o valor de Je-
e se voltaram para o mundo, mas sus pelos filhos pródigos? Se você
Deus usou as consequências de não é um filho pródigo e nunca
suas tolices para trazê-los nova- foi, será que você tem o amor de
mente para Si. Quando isso acon- Cristo em seu coração por aqueles
tece, os anjos, no céu, se alegram. que o são? Você se alegra quando
Por que vocês também não se um deles retorna à casa do Pai?
alegram?”. As autoridades religiosas não con-
Nesta estória, o pai foi per- fessaram o amor de Cristo pelos
missivo o suficiente para deixar filhos pródigos de Deus. Além de
que seu filho exercesse o seu direi- não participarem da festa pelo re-
to de escolha, e é desta maneira torno dos filhos pródigos, ficaram
que Deus nos trata. Ele permite contrariados com a celebração
que façamos escolhas estúpidas, promovida pelo Pai.
mesmo que sejam contrárias à Se estivermos em contato com
Sua vontade, assim como suas o amor de Cristo, que hoje vive em
consequências, que nos fazem vol- nossos corações, descobriremos
tar para Ele. que Ele está nos desafiando a dar
Se você é como o filho pródigo, as boas vindas aos filhos perdidos
que tem vivido num país distante, que voltam para casa. Como os
desperdiçando sua vida em peca- anjos no céu, vamos nos alegrar,
dos, a ponto de agora estar comen- quando os filhos pródigos de Deus
do do amargo “banquete de conse- se arrependerem e voltarem para
quências”, entenda que o Pai ama casa. Como o próprio Pai, vamos
você. Mesmo tendo permitido que abraçá-los e reafirmar que eles per-
você fizesse escolhas erradas, Ele tencem à família de Deus. Vamos
sofre com você e o ajuda a encon- colocar um anel e uma capa nova
trar o caminho de volta. As boas neles, e fazer uma grande festa.
novas são que Ele está pronto para Afinal, eles são filhos de Deus que
correr para você e lhe dar um calo- estavam perdidos e foram encon-
roso abraço, depois que você cair trados. Eles estavam mortos, mas
em si e voltar para casa. agora estão vivos!

52 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 19
Amor Pelos Inimigos

O dia 11 de Setembro de Quando Jesus estava na cruz,


2001 estará marcado para sempre orou: “Pai, perdoa-lhes, pois não
na memória dos americanos e do sabem o que estão fazendo”. (Lu-
mundo. Os episódios daquele dia cas 23.34). Aquele momento era
chocaram não apenas por causa tão difícil! Jesus estava morrendo
da perda trágica de tantas vidas, pelos pecadores de todo o mundo,
mas, também, porque abalou os por aqueles que o estavam matan-
valores de milhares de pessoas. do e, mesmo assim, orou por eles.
Temos muito que aprender com O apóstolo Paulo ensinou que,
Jesus, a respeito de valores. Ele quando Jesus amou Seus inimi-
disse que nossos valores indicam gos, amou todos nós: “De fato,
onde está o nosso coração. Jesus no devido tempo, quando ainda
ensinou que nosso coração não éramos fracos, Cristo morreu pe-
deve estar nos “tesouros terre- los ímpios... Mas Deus demonstra
nos”, mas nos “tesouros do céu” e seu amor para nós: Cristo morreu
apresentou duas boas razões para em nosso favor, quando ainda éra-
isso: os tesouros terrenos se dete- mos pecadores... Porque se nós,
rioram e podem ser roubados de quando éramos inimigos de Deus,
nós, mas os tesouros do céu são fomos reconciliados com ele,
eternos (Mateus 6.19-34). Como mediante a morte de seu Filho,
já aprendemos neste estudo, Jesus quanto mais agora, tendo sido re-
tem um sistema de valores que conciliados, seremos salvos pela
nós devemos confessar. sua vida” (Romanos 5.6,8,10).
Vamos identificar os grupos Nesta passagem, Paulo fala
de pessoas para os quais Jesus que o amor de Cristo é único, por-
manifestou o Seu amor. Neste ca- que é incondicional. Jesus nos
pítulo, enfocaremos o amor pelos ama quando somos bonzinhos e,
inimigos. Jesus é um personagem também, quando pecamos e O en-
único na história da humanidade, tristecemos. Ele mostrou este amor
porque Ele amou os Seus inimigos. ao morrer por nós, quando éramos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 53


OS VALORES DE CRISTO

ímpios e Seus inimigos. Não have- ensinou com estas palavras foi que
ria salvação para nenhum de nós, devemos confessar o valor que Ele
se Jesus não tivesse amado Seus deu ao amor, amando uns aos ou-
inimigos. tros, inclusive os nossos inimigos.
O amor que Jesus demonstrou Ele finalizou este ensino com uma
é o mesmo que foi descrito por pergunta: “Se vocês amarem aque-
Paulo, no “Capítulo do Amor”, em les que os amam, que recompensa
I Coríntios: um amor indestrutível vocês receberão?”. No original gre-
e incondicional, que não depende go, esta pergunta aparece assim:
das nossas atitudes, porque vem “Se vocês amarem apenas aqueles
de Deus (13.4-7). que amam vocês, onde está a gra-
Jesus ensinou que devemos ça? Não é necessário ter a graça
amar nossos inimigos, dando Ele para amar aqueles que amam vo-
mesmo o exemplo. No Sermão do cês”. Uma das estratégias de Jesus
Monte, Jesus ensinou a maior éti- para impactar o mundo foi mostrar
ca que o mundo já ouviu: “Vocês algo que não vemos todos os dias:
ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu pessoas amando seus inimigos.
próximo e odeie o seu inimigo’. Durante as batalhas das Cru-
Mas eu lhes digo: Amem os seus zadas, enquanto Francisco de As-
inimigos e orem por aqueles que sis tratava de um soldado inimigo
os perseguem, para que vocês ve- ferido, um oficial gritou do seu
nham a ser filhos de seu Pai que cavalo: “Se este infiel sarar, vai
está nos céus. Porque ele faz raiar acabar matando-o”. Francisco de
o seu sol sobre maus e bons e der- Assis respondeu: “Então, antes de
rama chuva sobre justos e injus- ele fazer isso, vai saber o que é o
tos. Se vocês amarem aqueles que amor divino”.
os amam, que recompensa vocês Jesus lançou o seguinte desa-
receberão? Até os publicanos fa- fio aos apóstolos: “Vocês causarão
zem isso! E se saudarem apenas impacto no mundo, se confessa-
os seus irmãos, o que estarão fa- rem o valor que dei ao amor pelos
zendo de mais? Até os pagãos fa- inimigos”. Se você amar somente
zem isso! Portanto, sejam perfei- aqueles que o amam, não se dife-
tos como perfeito é o Pai celestial rencia em nada do resto do mun-
de vocês” (Mateus 5.43-48). do. É fácil amar aqueles que nos
Basicamente, o que Jesus querem bem. Este tipo de amor

54 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

condicional é o que o mundo tem. texto sem ela: “Portanto, sejam


O desafio que Jesus lançou como é o Pai celestial de vocês”.
é que amemos com amor incon- O apóstolo Paulo ordenou aos
dicional aquelas pessoas difíceis maridos que amem suas mulhe-
de serem amadas. Ele fez isso. Ele res como Cristo amou a Igreja, e
nos deu o exemplo! se entreguem por elas, como Cris-
Jesus ensinou que não pre- to se entregou pela Igreja (Efésios
cisamos da graça para amar os 5.25). Os maridos devem amar e
que nos amam, e sim para amar, se entregar como Cristo amou e
incondicionalmente, como Ele se entregou. Isso é possível? Claro
amou, os nossos inimigos. O ensi- que é! Se Cristo vive em nós, além
no mais forte do Novo Testamento de ser possível é natural!
é que o Cristo vivo e ressuscitado
vive em você e em mim. Isto quer Aplicação pessoal
dizer que podemos amar nossos Devemos ser o amor de Cristo
inimigos com o amor de Cristo que neste mundo; amar incondicional-
habita em nós (Colossenses 1.27; mente, porque Cristo vive em nós
I João 4.7-21). e através de nós. Todo discípulo de
No versículo 48 de Mateus 5, Jesus Cristo deve agir como Fran-
lemos: “Portanto, sejam perfeitos, cisco de Assis, mesmo com aque-
como perfeito é o Pai celestial de les que são inimigos de Deus. Que
vocês”. A palavra “perfeito” quer di- desafio! Você confessa o valor que
zer “completo” ou “maduro”. Se esta Jesus Cristo deu ao amor pelos
palavra o incomoda, leia o mesmo inimigos?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 55


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 20
O Perdido

Estamos estudando os valores hospedou na casa de um ‘peca-


de Jesus identificados através de dor’’. Mas, Zaqueu levantou-se e
tudo o que Ele fez e disse, durante disse ao Senhor: ‘Olha, Senhor!
o tempo que viveu entre nós. Je- Estou dando a metade dos meus
sus estabeleceu um sistema de va- bens aos pobres; e se de alguém
lores que retrata os valores absolu- extorqui alguma coisa, devol-
tos de Deus. Veremos, no estudo a verei quatro vezes mais’. Jesus
seguir, o valor que Jesus deu aos lhe disse: ‘Hoje houve salvação
piores pecadores da cidade. nesta casa! Porque este homem
Vejamos o texto de Lucas também é filho de Abraão. Pois
19.1-10, onde encontramos um o Filho do homem veio buscar e
belo exemplo do valor que Jesus salvar o que estava perdido’”.
deu aos que Ele chamou de “per- Como outras histórias de Je-
didos”: “Jesus entrou em Jericó, sus, esta passagem também pode-
e atravessava a cidade. Havia ria ser apresentada como se fosse
ali um homem rico chamado Za- o roteiro de uma peça dividida em
queu, chefe dos publicanos. Ele três atos. O primeiro ato seria o
queria ver quem era Jesus, mas, encontro de Jesus com Zaqueu, o
sendo de pequena estatura, não chefe dos publicanos, conhecido
o conseguia, por causa da multi- também como coletor de impos-
dão. Assim, correu adiante e su- tos. Só o fato de um publicano
biu numa figueira brava para vê coletar imposto dos seus irmãos
-lo, pois Jesus ia passar por ali. judeus para Roma já era motivo
Quando Jesus chegou àquele lu- para ele ser considerado um inimi-
gar, olhou para cima e lhe disse: go. Os coletores de impostos eram
‘Zaqueu, desça depressa. Quero odiados pelos judeus. Geralmente,
ficar em sua casa hoje’. Então ele eles também retinham parte do
desceu rapidamente e o recebeu que coletavam para si próprios, e
com alegria. Todo o povo viu isso a população judaica nada podia
e começou a se queixar: ‘Ele se fazer contra isso.

56 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

No primeiro ato, aparece Za- veio buscar e salvar o perdido”. Em


queu tão ansioso para ver o Se- outras palavras, Jesus estava di-
nhor que sobe numa árvore. Jesus zendo: “Eu vim para pessoas como
o chama pelo nome e diz: “Za- Zaqueu, o chefe dos publicanos.
queu, desça depressa. Quero ficar Vocês que estão surpresos, porque
em sua casa hoje”. O povo fica es- resolvi passar o dia com ele, enten-
pantado, principalmente os líderes dam o seguinte: pessoas como ele
religiosos. Talvez todos esperas- têm um grande valor para Mim. Na
sem que Jesus fosse se hospedar verdade, vim só para buscar e sal-
na casa da autoridade religiosa da var pessoas como ele”.
cidade, mas Jesus decide passar o
dia com um publicano, considera- Aplicação pessoal
do o pior pecador da cidade. Você é um desses pecadores
O segundo ato acontece dentro perdidos? Então preste atenção!
da casa de Zaqueu. Embora não Jesus Cristo veio para pessoas
tenha sido registrada a conversa como você. Ele valorizou muito
que Jesus teve com ele, podemos pessoas como você.
ter uma ideia, pela maneira como Agora, se você faz parte da li-
o terceiro ato se inicia, com Za- derança da igreja, qual é o valor
queu dizendo: “Senhor, resolvo dar que você dá para pessoas como
aos pobres a metade dos meus Zaqueu? Será que temos amor no
bens; e, se nalguma coisa tenho coração pelos “Zaqueus” que exis-
defraudado alguém, restituo qua- tem hoje? O amor que Jesus tinha
tro vezes mais”. Jesus responde: pelos pecadores deve estar em
“Hoje, houve salvação nesta casa, nossos corações. Este amor deve
pois que também este é filho de confessar o valor que Jesus deu a
Abraão. Porque o Filho do Homem pessoas como Zaqueu.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 57


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 21
Como Abordar o Ensino de Jesus

À medida que estudamos o Naquele tempo nunca se coloca-


sistema de valores de Jesus, lan- va o vinho ainda não fermentado
çamos o desafio de confessar es- em uma vasilha de couro velha. Se
ses valores, ou seja, dizer a mesma assim o fizessem, o vinho em fer-
coisa que Jesus disse a respeito mentação se expandiria e racha-
deles. Será que já fizemos dos va- ria o couro da bolsa. Jesus estava
lores de Jesus os nossos valores? dizendo que o Seu ensino poderia
Neste capítulo, veremos como Je- “rachar suas cabeças, ou melhor,
sus valorizou o Seu próprio ensino. suas mentes” (Lucas 5.37,38).
Jesus deixou bem claro que Se o ensino de Jesus for co-
o Seu ensino é para ser obedeci- locado em prática, tornar-se-á um
do. Quando Ele declarou que Seu sistema de fé que servirá como
ensino era de Deus, também ensi- base e fundamento para as nossas
nou como o podemos provar: “Se vidas, e nas dificuldades não va-
alguém decidir fazer a vontade de mos desmoronar. Se nosso sistema
Deus, descobrirá se o meu ensino de fé estiver baseado no ensino de
vem de Deus ou se falo por mim Jesus, não seremos vencidos pelas
mesmo” (João 7.17). A abordagem tempestades da vida.
intelectual é sempre o oposto: “só “Portanto, quem ouve estas
pratico, quando eu souber que é minhas palavras e as pratica é
verdadeiro”. Jesus falou que não é como um homem prudente que
assim que devemos abordar o Seu construiu a sua casa sobre a ro-
ensino. Costumamos dizer que o co- cha. Caiu a chuva, transbordaram
nhecimento leva à prática, à ação. os rios, sopraram os ventos e de-
Jesus, porém, ensinou que, quan- ram contra aquela casa, e ela não
do praticamos o Seu ensino, somos caiu, porque tinha seus alicerces
conduzidos ao conhecimento dEle. na rocha. Mas, quem ouve estas
Jesus usou outra ilustração minhas palavras e não as pratica
para falar a mesma coisa. Ele dis- é como um insensato que cons-
se que o Seu ensino é como vinho truiu a sua casa sobre a areia.
não fermentado, ou vinho novo. Caiu a chuva, transbordaram os
58 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra
OS VALORES DE CRISTO

rios, sopraram os ventos e deram 13.52). Parafraseando esta me-


contra aquela casa, e ela caiu. E táfora: “Se vocês entenderem o
foi grande a sua queda” (Mateus Meu ensino, se vocês realmente
7.24-27). entenderem o Velho Testamento e
Jesus também ensinou que o puderem ensiná-lo, farão isso de
propósito do Seu ensino é revolu- uma maneira nova. Vocês poderão
cionar a cultura. Os líderes religio- entender o espírito da Lei – a es-
sos disseram a Jesus que se Ele sência da verdade, que é ensinada
fosse mesmo o Messias seria mais em todos os livros do Velho Testa-
disciplinado e legalista. Jesus lhes mento”. Jesus também podia estar
respondeu com uma metáfora até falando, como mestre do Reino de
um pouco irônica: “Vocês estão su- Deus, que podemos dar uma visão
gerindo que Eu mude o Meu estilo nova à verdade velha adotada há
de vida? Isto faz vocês parecerem muito tempo.
criancinhas. No mercado, as crian- Não existe bênção maior que
ças brincam de “faz-de-conta” com ouvir alguém ensinar um texto co-
coisas que vêem acontecer na pra- nhecido da Bíblia com uma nova
ça, no velório e no casamento, e di- perspectiva. Lembro-me de uma
zem para os homens do mercado: vez que achei aborrecida uma pre-
‘Parem e brinquem de funeral com gação sobre o Salmo 23. Afinal,
a gente – fiquem tristes. Agora, va- pensei, o que aquele homem po-
mos brincar de casamento – fiquem deria trazer de novidade sobre um
felizes’; mas, aqueles mercadores texto tão conhecido? Mas, depois
não tinham tempo para brincar” de um tempo, percebi que o que
(cf. Lucas 7.31-35). Jesus estava ele estava falando sobre o Salmo
dizendo aos líderes religiosos: “Eu 23 era totalmente novo para mim.
não vim para brincar de ‘faz-de-
conta’ com vocês”. Aplicação pessoal
Em outra passagem, Jesus Acredito que foi isso que Je-
confirma mais uma vez o valor sus quis dizer exatamente, quando
que dava ao Seu ensino: “Ele lhes mostrou o valor que dava ao Seu
disse: Por isso, todo mestre da ensino. Ele disse que, quando real-
lei instruído quanto ao Reino dos mente o entendemos, passamos a
céus é como o dono de uma casa ensinar coisas velhas e novas, e po-
que tira do seu tesouro coisas demos ensinar velhas verdades de
novas e coisas velhas” (Mateus uma forma totalmente renovada.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 59


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 22
A Palavra Escrita de Deus
Estamos estudando os valores Vejam o que Jesus ensinou:
de Cristo. Durante os três anos do “... todo aquele que praticar e
Seu ministério, Jesus valorizou a ensinar estes mandamentos será
Palavra escrita de Deus. No Ser- chamado grande no Reino dos
mão do Monte, Ele mostrou o va- céus”. Não somente aquele que
lor que dava às Escrituras do Velho entender, mas o que praticar e,
Testamento, embora os líderes re- depois, ensinar os mandamentos,
ligiosos estivessem sempre O de- este será grande no Reino. Jesus
safiando e acusando-O de ensinar terminou este ensino, dizendo:
coisas novas e diferentes: “Pois eu lhes digo que se a jus-
“Não pensem que vim abolir tiça de vocês não for superior a
a Lei ou os Profetas; não vim abo- dos fariseus e mestres da lei, de
lir, mas cumprir. Digo-lhes a ver- modo nenhum entrarão no Reino
dade: Enquanto existirem céus e dos céus”.
terra, de forma alguma desapare- O propósito do Velho Testa-
cerá da Lei a menor letra ou o me- mento é mostrar ao homem como
nor traço, até que tudo se cum- viver (Deuteronômio 8.1-3). De-
pra. Todo aquele que desobedecer pois de mais de cinco décadas
a um desses mandamentos, ainda estudando e ensinando a Bíblia,
que dos menores, e ensinar os descobri que quanto mais a co-
outros a fazerem o mesmo, será nhecemos, mais entendemos a
chamado menor no Reino dos vida; quanto mais vivemos, mais
céus; mas, todo aquele que prati- compreendemos e damos valor à
car e ensinar estes mandamentos Palavra de Deus.
será chamado grande no Reino Considere esta oração de Je-
dos céus. Pois eu lhes digo que se sus e veja a importância da Pa-
a justiça de vocês não for superior lavra de Deus, na vida dos após-
a dos fariseus e mestres da lei, de tolos: “Dei-lhes a tua palavra e o
modo nenhum entrarão no Reino mundo os odiou, pois eles não são
dos céus” (Mateus 5.17-20). do mundo, como eu também não

60 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

sou” (João 17.14). Parece que a que usassem a Palavra de Deus,


prova de que os apóstolos real- a Verdade, como o próprio Jesus
mente tinham entendido e viviam declarou ao Pai: “... a tua palavra
a Palavra, era o fato de eles serem é a verdade” (João 17.17).
odiados pelo mundo. Isto faz com
que cada discípulo de Jesus faça Aplicação pessoal
a si mesmo a seguinte pergunta: Venha para as Escrituras e
“Sou odiado por viver a Palavra do descubra a verdade que pode san-
Pai que me foi dada pelo Senhor tificá-lo e dar a você um relaciona-
Jesus Cristo?”. mento com Deus, enquanto você
Jesus pediu em favor dos estiver vivendo neste mundo pe-
apóstolos: “Santifica-os na ver- caminoso, que odeia tudo que se
dade; a tua palavra é a verdade” relaciona a Deus e ao Seu sistema
(João 17.17). A palavra “santi- de valores, revelado na Sua Pala-
ficar” significa “separar”. Jesus vra. Busque sempre as Escrituras,
estava pedindo ao Pai que os se- procurando por esta verdade, que
parasse e os guardasse do mun- você só conhecerá, quando a pra-
do, para onde foram enviados ticar (João 7.17). Você conhecerá
como cordeiros no meio de lobos a verdade que o libertará e o sepa-
(Mateus 10.16; Lucas 10.3). Pe- rará para Deus, à medida que pra-
diu que Deus não os tirasse do ticar os Seus valores neste mun-
mundo, para que eles fizessem do hostil (João 8.31,32; 17.14).
o que tinham de fazer; mas, en- Você confessa o mesmo valor que
quanto isso, que Deus os livrasse Jesus deu à Palavra escrita de
do mundo e os separasse para Si; Deus?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 61


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 23
Sua Obra

Acompanhando o ensino de um exemplo, referindo-se à obra


Jesus nos Evangelhos, observamos que o Pai Lhe confiara como Seu
como Ele identificou Seus valores. alimento.
Nesta parte do nosso estudo, que- Jesus tinha a preocupação de
ro enfocar o valor que Jesus deu fazer a vontade do Pai, enquanto
à obra que Deus O incumbiu de ainda era dia, sabendo que a noite
realizar. Você já parou para pensar já estava se aproximando, quando
como Jesus era obstinado em con- ninguém mais poderia trabalhar
cluir a obra do Pai? (João 9.4). Diante da proximidade
Numa ocasião muito especial, da cruz, sabendo que Sua vida e
quando completou doze anos, dis- missão na terra estavam se encer-
se Jesus aos seus pais: “Por que rando, Jesus fez esta oração: “Eu
vocês estavam me procurando? te glorifiquei na terra, completan-
Não sabiam que eu deveria es- do a obra que me deste para fa-
tar na casa de meu Pai?” (Lucas zer” (João 17.4).
2.49). Com estas palavras, Jesus O credo da Igreja afirma que
mostrou que estava decidido a re- o propósito da vida do homem é
alizar a obra do Pai: “Enquanto é glorificar a Deus. Mas, como glo-
dia, precisamos realizar a obra rificamos a Deus? Esta é uma boa
daquele que me enviou. A noite pergunta e Jesus mostrou com
se aproxima, quando ninguém Sua vida qual é a resposta: “Eu
pode trabalhar” (João 9.4). te glorifiquei na terra”. De que
Noutra ocasião em que os forma? “completando a obra que
apóstolos chegaram com alimen- me deste para fazer”. É assim que
to e ofereceram a Jesus, Ele o glorificamos a Deus.
recusou, dizendo: “A minha co- Lemos, nos Evangelhos, que
mida é fazer a vontade daquele as últimas palavras de Jesus na
que me enviou e concluir a sua cruz foram: “Está consumado!
obra” (João 4.34). Ele nos deu Pai, nas tuas mãos entrego o

62 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

meu espírito” (Lucas 23.46; João o meu espírito”. Não faltava mais
19.30). nada para Jesus fazer.
No diário de um missionário,
que foi brutalmente assassinado Aplicação pessoal
por causa de sua fé, foram en- Jesus sabia muito bem qual
contradas as seguintes palavras: era a Sua missão. Você sabe qual
“Quando chegar a hora que Deus é a sua? Você conhece o sentimen-
planejou para você morrer, certifi- to de realização que vem de fazer
que-se de que a única coisa que uma obra que o Pai lhe mandou
lhe falta fazer seja apenas mor- fazer? Será que no final da sua
rer”. Como Jesus viveu plenamen- vida você poderá dizer como Je-
te, quando chegou a hora da Sua sus disse: “Está consumado! Eu te
morte Ele pôde dizer: “Está consu- glorifiquei na terra, completando
mado! Pai, nas tuas mãos entrego a obra que me deste para fazer”?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 63


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 24
Como Ouvir a Palavra de Deus

Um dos grandes ensinos de Deus possa se aprofundar, o diabo


Jesus é a Parábola do Semeador vem e arrebata o que foi semeado
(Mateus 13.1-23; Marcos 4.1- no coração.
20; Lucas 8.4-15). Poderíamos O segundo tipo de solo a rece-
chamá-la de Parábola das Semen- ber a semente é o solo rochoso. As
tes, porque ela ensina como ouvir rochas impedem que as sementes
a Palavra de Deus. Nesta parábo- criem raízes profundas e, quando
la, quatro tipos de solo recebem o sol aquece a terra, as semen-
a semente, o que corresponde tes são destruídas, sem produzir
a quatro tipos de respostas que qualquer fruto. Ao interpretar esta
podemos dar, quando ouvimos a parábola, Jesus explicou que este
Palavra de Deus. Também poderí- tipo de solo são as pessoas que
amos dizer que esta é a Parábola ouvem a Palavra, mas, sobrevindo
dos Tipos de Solo; mas, depois de as lutas e os sofrimentos, não re-
refletir um pouco mais sobre o tex- sistem e abandonam a fé.
to, chegamos à conclusão de que No terceiro tipo, as sementes
esta parábola poderia ser intitula- foram semeadas em meio aos espi-
da: “Quatro Homens Num Banco nhos, os quais cresceram e sufoca-
de Igreja; Qual Deles Você É?”. ram as plantas. Jesus comparou-as
Esta parábola fala de um fa- a pessoas que ouvem a Palavra,
zendeiro que estava semeando o mas as preocupações e ilusões des-
solo. Algumas das sementes caí- te mundo sufocam a mensagem, e
ram sobre um solo duro; vieram os elas não produzem frutos.
pássaros e comeram as sementes, Entretanto, Jesus disse que al-
que, por não penetrarem no solo, gumas sementes caíram em um solo
não produziram frutos. Jesus expli- bom. Não havia nada que impedis-
cou que estes são os que ouvem a se a produção de frutos e a colheita
Palavra de Deus, mas não deixam foi de trinta, sessenta e cem por se-
que ela penetre em seu entendi- mente plantada. Jesus explicou que
mento. Antes que a Palavra de este quarto tipo de solo representa

64 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

as pessoas que ouvem, guardam a igreja, mas deixando que ela pe-
Palavra de Deus e produzem uma netre em nosso entendimento e
grande colheita: umas, cem; ou- vontade. Quando a ouvimos, não
tras, sessenta, e ainda outras, trinta podemos deixar que outras coisas
vezes mais que foi semeado. Neste nos impeçam de aplicá-la e vivê-la
tipo de pessoa, a Palavra penetra o como autoridade máxima da nos-
entendimento e nada a distrai nem sa fé e prática.
impede de se tornar um discípulo
frutífero de Jesus. Aplicação pessoal
Com esta parábola Jesus mos- Nesta parábola, Jesus enfatizou
trou o valor que Ele dava à Palavra mais uma vez a importância que
de Deus. Ela nos faz frutíferos, existe em aplicar a Palavra de Deus,
quando lhe respondemos de ma- quando a ouvimos. É como se Jesus
neira apropriada. Mostramos o va- dissesse: “você deve praticar o que
lor que damos à Palavra de Deus, a Palavra ensina; quanto ao resto,
não apenas recitando o credo da não passa de conversa religiosa”.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 65


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 25
Amor Pelos Pecadores

Estamos estudando o siste- com Jesus podiam ver em Seus


ma de valores de Jesus e, neste olhos e em Suas atitudes o amor
capítulo, enfocaremos o valor que do Senhor por eles, o que marcava
Jesus deu ao amor pelos pecado- a vida de todos.
res. Acompanhe comigo a leitura Na época em que eu cursava o
desta linda passagem do Novo seminário, prestava serviço como
Testamento: zelador na escola. Um dia fui lim-
“Depois disso, Jesus saiu e par uma sala onde tinha termina-
viu um publicano chamado Levi, do uma palestra com um pregador
sentado na coletoria, e disse-lhe: muito conhecido. Eu estava com
‘Siga-me’. Levi levantou-se, deixou todo o material de limpeza: rodo,
tudo e o seguiu. Então, Levi ofere- panos de chão, vassoura e balde,
ceu um grande banquete a Jesus ansioso para começar a limpeza e
em sua casa. Havia muita gente acabar logo o meu serviço. Aquele
comendo com eles: publicanos e pregador pegou em minha mão e
outras pessoas. Mas os fariseus e perguntou: “Jovem, qual é o seu
os mestres da lei queixaram-se aos nome?” A maneira como ele fa-
discípulos de Jesus: ‘Por que vocês lou comigo e me olhou nos olhos,
comem e bebem com publicanos e apesar de eu ser um simples aluno
pecadores? Jesus lhes respondeu: que limpava as salas, fez-me sen-
‘Não são os que têm saúde que tir como a pessoa mais importante
precisam de médico, mas sim os do mundo.
doentes. Eu não vim chamar jus- Imaginem como seria en-
tos, mas pecadores ao arrependi- contrar-se com Jesus e Ele olhar
mento’” (Lucas 5.27-32). para você com toda atenção, com
Como temos visto neste es- o Seu olhar cheio de amor! Ima-
tudo, Jesus sempre demonstrava ginem como Jesus marcava as
um amor dinâmico pelas pessoas pessoas com quem Se encontrava!
que passavam pelo Seu caminho. Por que os publicanos e pecadores
Aqueles que tinham um encontro se sentiam tão atraídos para Ele?

66 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Creio que era por causa do amor todos. Se Jesus os amava, quando
incondicional que Suas palavras, estava com eles, será que hoje Ele
expressões e atitudes irradiavam. quer expressar este amor através
Lucas contou que Jesus co- de mim, nesta reunião?”.
mia e bebia com publicanos e pe-
cadores. Já fui a jantares sociais, Aplicação pessoal
nos quais os participantes conta- Você tem algum amigo peca-
vam piadas tão inconvenientes, dor? Você tem alguma interação
que causavam constrangimento com pecadores declarados? Reflita
em todos os presentes, porque um pouco e pense se Jesus tem li-
eles sabiam que havia um pastor berdade de ser, através de você, o
ali. No meio daquele constrangi- que Ele quer ser para os pecadores
mento, eu ficava me indagando: que cruzam o seu caminho.
“Como Jesus faria ao frequentar Você confessa o valor que Je-
reuniões desse tipo e não ser in- sus deu ao amor pelos pecadores,
desejado? Ele amava os pecadores interessando-se e sendo um canal
e isso era patente aos olhos de do amor de Jesus Cristo por eles?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 67


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 26
O Conhecimento de Deus

Continuando nosso estudo, respeito do Espírito Santo. A pa-


quero que você reflita comigo so- lavra grega traduzida para Espírito
bre o valor que Jesus deu ao co- Santo é “Paracleto”, que significa
nhecimento a respeito de Deus. “Conselheiro”, “aquele que está ao
Jesus ensinou que, quando res- nosso lado com o propósito de nos
pondemos ao Seu ensino, uma ex- ajudar”.
periência espiritual ocorre dentro Naquele momento íntimo que
de nós. Jesus teve com Seus apóstolos,
Jesus passou os três anos do ministrou-lhes este ensino: “Se
Seu ministério nesta terra com vocês me amam, obedecerão aos
doze homens que estavam sem- meus mandamentos. E eu pedi-
pre com Ele, a quem Ele ensinou, rei ao Pai, e ele lhes dará outro
treinou e enviou. Quando Jesus Conselheiro para estar com vocês
viu que suas últimas horas ha- para sempre, o Espírito da verda-
viam chegado, que Ele seria pre- de” (João 14.15-17a).
so e morto na cruz pelos pecados O apóstolo Judas (não o Is-
do mundo, escolheu passá-las cariotes) perguntou a Jesus: “Se-
com aqueles doze homens (João nhor, mas por que te revelarás
13-17). a nós e não ao mundo?”. Jesus
Nesse período de tempo, Je- respondeu: “Se alguém me ama,
sus fez mais um de Seus lindos obedecerá a minha palavra. Meu
sermões. Ele surpreendeu a todos, Pai o amará, nós viremos a ele e
dizendo: “Agora eu vou deixar vo- faremos morada nele. Aquele que
cês; porém, depois que Eu partir, não me ama não obedece às mi-
vai acontecer um milagre. Como nhas palavras” (João 14.22-24a).
resultado deste milagre, vocês po- Jesus ensinou que a obediên-
derão ter um relacionamento mais cia ao Seu ensino nos leva a ter
próximo Comigo que o que tiveram um relacionamento com Ele, com
durante os três últimos anos”. Je- o Pai e com o Espírito Santo, o
sus explicou que estava falando a Conselheiro. Este relacionamento,

68 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

que se torna possível por causa do para operar em nossas vidas, o


Espírito Santo e da nossa obediên- que foi comprovado por Pedro,
cia ao Seu ensino, é mais íntimo quando disse que Deus “dá o Seu
que o relacionamento que os após- Espírito aos que lhe obedecem”.
tolos tiveram com Jesus, durante o Ele explicou que Jesus foi o res-
Seu ministério de três anos sobre a ponsável por todos os milagres e
terra. Com este ensino, Jesus mos- maravilhas do Dia de Pentecostes
trou o valor que Ele dava ao nosso (Atos 2.33; 5.32).
relacionamento vertical com Deus,
através do Espírito Santo e da obe- Aplicação pessoal
diência ao Seu ensino. Se desejamos, sinceramente,
Jesus deu um passo além um relacionamento real com Je-
e afirmou: “Aquele que crê em sus Cristo, devemos confessar o
mim fará também as obras que valor que Ele deu à obediência ao
tenho realizado. Fará coisas ain- Seu ensino e ao conhecimento de
da maiores que estas, porque eu Deus. Você quer viver esta reali-
vou para o Pai” (João 14.12). Que dade? Então, busque o ensino de
grande desafio! Eu sempre achei Jesus e peça que o Espírito Santo
que quando Jesus falou que farí- lhe mostre o que isso pode signi-
amos “coisas ainda maiores que ficar para sua vida, quando você
estas” estava falando de quantida- começar a praticá-lo.
de e não de qualidade, por causa Confesse o valor que Jesus deu
do grande número de pessoas es- à obediência ao Seu ensino. Não
palhadas por todo o mundo. Mas, estou me referindo a entender nem
com o Espírito Santo habitando memorizar o ensino de Jesus, nem
em cada crente, Deus pode operar mesmo a ensiná-lo. Estou falando
obras sobrenaturais maravilhosas. de aplicar, praticar e obedecer; fa-
zer dos valores de Jesus os seus
Resumo valores. De acordo com Jesus, isto
A obediência ao ensino de fará com que você tenha um rela-
Cristo é a chave para que tenha- cionamento com o Espírito Santo,
mos um relacionamento com o Es- com o Cristo vivo e com o Deus Pai.
pírito Santo, o Cristo ressuscitado Então, o Pai, o Filho e o Espírito
e o Deus Pai. Nossa obediência Santo viverão em você e farão uma
também libera o Espírito Santo obra divina, através de você.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 69


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 27
Um Homem Chamado Pedro

Em mais um capítulo do es- que Pedro seria mais tarde. Tente


tudo dos valores de Jesus Cristo, agir da mesma forma com os seus
vamos ver como Ele valorizou um filhos e com o seu cônjuge, com
homem chamado “Pedro”. seus colegas de trabalho ou qual-
Até Pedro encontrar-se com quer pessoa com quem você se
Jesus, pela primeira vez, seu relaciona. Experimente deixá-los
nome era “Simão”. Se existe uma saber que você acredita no poten-
palavra que defina este homem, cial deles, para serem o que Deus
naquele momento, esta palavra é quer que Eles sejam. Quando você
“instabilidade”. Veja como a Bíblia reforça os pontos positivos de uma
relata este primeiro encontro: “An- pessoa, está demonstrando amor
dré, irmão de Simão Pedro, era por ela. Este tipo de amor é inspi-
um dos dois que tinham ouvido rador e irresistível, e se encaixa na
o que João dissera e que haviam descrição que Paulo fez do amor
seguido Jesus. O primeiro que ele que: “Tudo sofre, tudo crê, tudo
encontrou foi Simão, seu irmão, espera, tudo suporta. O amor nun-
e lhe disse: ‘Achamos o Messias’ ca perece” (I Coríntios 13.7,8a).
(isto é, o Cristo). E o levou a Je- Em outro episódio com Pedro,
sus. Jesus olhou para ele e disse: houve o seguinte diálogo iniciado
‘Você é Simão, filho de João. Será por Jesus: “‘Quem dizem vocês
chamado Cefas’ (que traduzido é que eu sou?’ Simão Pedro res-
‘Pedro’)” (João 1.40-42). pondeu: ‘Tu és o Cristo, o Filho do
Quando Jesus olhou para Pe- Deus vivo’” (Mateus 16. 15,16).
dro com firmeza e o chamou de Parafraseando, Jesus teria respon-
“pedra”, estabeleceu um exemplo dido isto: “Pedro, você não é tão
muito importante para nós. Será esperto assim. Meu Pai, que está
que Pedro era estável como uma no céu, foi quem revelou isso para
“pedra”? Não, naquele dia! Porém, você” (16.17).
Jesus não viu apenas o que Pedro Naquele momento, Jesus es-
era naquele momento. Ele viu o tava afirmando para Pedro que

70 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Sua Igreja seria edificada sobre ‘Eu lhe digo, Pedro, que antes que
esta revelação. Ou seja, Jesus o galo cante hoje, três vezes você
construiria Sua igreja sobre a de- negará que me conhece’” (Lucas
claração de um milagre revelado a 22.33,34). Estas palavras proféti-
um homem como Pedro, e Deus cas de Jesus cumpriram-se literal-
iria operar maravilhas, através de mente. Quando Pedro negou Jesus
pessoas absolutamente comuns, pela terceira vez, imediatamente o
que se colocassem em Suas mãos. galo cantou. Lucas conta que, nes-
Nos quatro Evangelhos, vemos Je- se momento, os olhos de Jesus e os
sus sempre reafirmando para Pe- de Pedro se encontraram. Não cau-
dro: “Vamos lá, Pedro, com a mi- sa estranheza que, nesse momen-
nha ajuda, você consegue!”. to, Pedro tenha saído correndo, no
Quando já o tempo da perma- meio da escuridão, chorando amar-
nência de Jesus com Seus discí- gamente (Lucas 22.61,62).
pulos estava próximo do fim, Ele
sabia que todos O abandonariam A transformação de ninguém em
e fugiriam. Ele sabia também que alguém
Pedro estava a um passo de ne- João, no capítulo 21, narra
gá-Lo. Nesse momento, Jesus di- outro episódio ocorrido entre Jesus
rige a Pedro essas palavras: “Si- e Pedro. Jesus já tinha sido cruci-
mão, Simão, Satanás pediu vocês ficado, enterrado e ressuscitado. A
para peneirá-los como trigo. Mas impressão que temos é que Pedro
eu orei por você, para que sua fé tinha voltado à sua antiga atividade
não desfaleça. E quando você se pesqueira. Dá para imaginar o de-
converter, fortaleça seus irmãos” sânimo e a desilusão dos apóstolos,
(Lucas 22.31,32). Tenho certeza naquele momento, além do terrível
de que até nessa hora Pedro viu sentimento de culpa de Pedro, por
amor nos olhos do Senhor. ter negado Jesus três vezes.
Acompanhando a narrativa do Foi nesse contexto que Jesus
Evangelho, podemos ver que, em apareceu para Pedro e aos que es-
seguida, Pedro disse para Jesus: tavam pescando com ele, entre os
“‘Estou pronto para ir contigo para quais sete dos doze que estiveram
a prisão e para a morte’. Respon- presentes na Última Ceia, quando
deu Jesus (creio que Jesus disse Pedro garantiu que jamais deixaria
isso com muito amor nos olhos): Jesus. Nesse momento, o Senhor

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 71


OS VALORES DE CRISTO

Jesus fez três perguntas muito difí- Então, aconteceu algo impressio-
ceis para Pedro. Vamos parafrase- nante. Quando Pedro disse que
ar este interessante diálogo: amava Jesus com amor de amigo,
Depois de tomarem o café da o Senhor lhe respondeu: “Pedro,
manhã, Jesus disse a Pedro: “Pe- alimente os meus cordeiros”. Jesus
dro, você realmente me ama mais estava dizendo a Pedro: “Eu que-
que estes?”. Jesus fez esta pergun- ro alguém como você, que sabe o
ta, usando a palavra “ágape” que que é errar. Eu quero alguém que-
significa o tipo de amor perfeito, brantado, que seja humilde, tenha
descrito por Paulo em I Coríntios compaixão e saiba como lidar com
13. Pedro respondeu usando a pessoas que erraram. Pedro, Eu
palavra “phileo”, que é o amor de quero alguém como você alimen-
amigo. Pedro estava respondendo tando meus cordeiros”.
a Jesus: “O Senhor sabe a respos- Jesus perguntou pela segun-
ta; sabe que eu sou apenas Seu da vez: “Pedro, você me ama?” e
amigo e conhece o meu coração”. Pedro respondeu da mesma forma
“Phileo” não é o tipo de amor que que havia respondido. Desta vez, o
faz parte da natureza de Deus e Senhor disse: “Então, Pedro, pas-
que tenha o significado de total toreie as minhas ovelhas. Tome
comprometimento. conta delas. Eu quero alguém
Pedro foi honesto. Ele não como você cuidando das minhas
estava mais dizendo que amava ovelhas”.
o Senhor mais que os outros. Foi Na terceira vez, o Senhor per-
como se Jesus tivesse perguntado: guntou a Pedro, usando a palavra
“Pedro, você me ama com todo o “phileo”: “Pedro, você me ama
seu coração, sua alma e com todas pelo menos como amigo?”. Pe-
as suas forças?”, e Pedro tivesse dro se entristeceu com a maneira
respondido: “O Senhor conhece a como Jesus lhe perguntou e devia
resposta melhor que eu. O Senhor estar muito emocionado, quando
sabe que meu amor não passa de respondeu: “O Senhor conhece o
um amor de amigo”. meu coração e sabe todas as coi-
Desta vez Pedro não estava sas. O Senhor sabe que pelo me-
mais se vangloriando nem sendo nos este amor eu lhe tenho”. Pela
orgulhoso. Ele tinha sido quebrado terceira vez, quando Pedro confes-
e agora era “humilde de espírito”. sou o tipo de amor frágil que tinha

72 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

por Jesus, o Senhor respondeu já dissemos antes, a pedra a que


àquele homem quebrantado: “Ali- Jesus se referiu, quando fez a de-
mente as minhas ovelhas, Pedro” claração a respeito de Pedro, era
(João 21.15-17). o milagre de poder transformar
pessoas comuns em instrumentos
Resumo para realização de milagres sobre-
Esta é uma das passagens naturais e extraordinários.
mais bonitas do Novo Testamen- O Senhor não quer perfeccio-
to. O Senhor estava dizendo àque- nistas, pessoas que não conse-
le líder humilde e quebrantado guem conviver com o erro, para
da Igreja do Novo Testamento: conduzir Suas ovelhas. Ele quer
“Pedro, quero alguém como você pessoas humildes e cheias de
alimentando minhas ovelhas”. compaixão, que não exijam o im-
Alguma vez você já se perguntou possível de Suas ovelhas. Por isso,
por que o Espírito Santo agiu de tudo que nos acontece, quando
maneira tão tremenda, através seguimos Jesus, mesmo nossos
de Pedro, no Dia de Pentecostes? erros, faz parte de um “seminário
Por que não foi através de João, de preparação”, a fim de que pos-
o apóstolo do amor? Por que não samos amar e alimentar as ove-
Natanael, a quem o Senhor havia lhas de Jesus.
se referido como um homem sem
dolo? Por que não Tiago, chamado Aplicação pessoal
por Jesus de “o filho do trovão”? Você já errou alguma vez?
Creio que Deus tenha usado Como você foi tratado durante
Pedro para pregar e trazer milha- uma possível queda? Você sabe o
res à salvação, no início da Igreja, que é ser amado e valorizado por
porque, então, Pedro era um ho- alguém, que acredita e espera o
mem quebrantado. melhor de você, ainda que você
Acho interessante que o Gran- mesmo não se valorize? Por fim,
de Pastor da Igreja tenha usado você confessa o valor do amor en-
um fracasso e um erro para fazer corajador que Jesus tem pelos que
cumprir a profecia a respeito da erram e pelos que, por causa da
pedra, sobre a qual Jesus ergueria sua imaturidade, ainda não deram
Sua Igreja (Mateus 16.18). Como certo?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 73


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 28
O Espírito da Lei

Os Evangelhos relatam o se- o ensino dos escribas e fariseus,


guinte diálogo, que se iniciou com
e essa diferença ficou notória num
uma pergunta feita a Jesus: incidente relatado no Evangelho
“Um deles, perito na lei, o pôs
de Marcos:
à prova com esta pergunta: ‘Mes- “Certo sábado, Jesus estava
tre, qual é o maior mandamento passando pelas lavouras de cere-
da Lei?’ Respondeu Jesus: ‘Ame al. Enquanto caminhavam, seus
o Senhor, o seu Deus, de todo o discípulos começaram a colher
seu coração, de toda a sua alma espigas. Os fariseus lhe pergunta-
e de todo o seu entendimento’. ram: ‘Por que eles estão fazendo
Este é o primeiro e maior manda- o que não é permitido no sábado?’
mento. O segundo é semelhante Jesus respondeu: ‘Vocês nunca
a ele: ‘Ame o seu próximo como leram o que fez Davi, quando ele
a si mesmo’. Destes dois manda- e seus companheiros estavam ne-
mentos dependem toda a Lei e os cessitados e com fome? Nos dias
Profetas’” (Mateus 22.35-40). do sumo sacerdote Abiatar, Davi
Jesus sintetizou todo o Velho
entrou na casa de Deus e comeu
Testamento com estes dois man- os pães da Presença, que apenas
damentos: amar a Deus e também aos sacerdotes era permitido co-
ao próximo como a si mesmo. Os mer, e os deu também aos seus
dois têm como base o amor, por- companheiros’. Jesus lhes disse:
que todo mandamento está cen- ‘O sábado foi feito por causa do
trado no amor. Foi o amor no co- homem, e não o homem por cau-
ração de Deus que deu origem a sa do sábado. Assim, pois, o Filho
toda Lei. do homem é Senhor até mesmo
do sábado’” (Marcos 2.23-28).
A diferença fundamental entre Jesus sempre destacou que a
Jesus e a religião Lei refletia a intenção do coração
Havia uma diferença funda- amoroso de Deus, o qual criou a
mental entre o ensino de Jesus e Lei por causa do amor que Ele tem

74 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

pelo homem. Deus sabia que se- Lei e a aplicavam de maneira le-
ria melhor para o homem se ele galista e impiedosa. No Novo Tes-
tivesse o compromisso de obe- tamento, vamos encontrar o após-
decer à Lei. A perfeita satisfação tolo Paulo referindo-se aos feitos
do homem está no propósito e no de Jesus como “o espírito da Lei”
espírito de todas as leis do Velho e aos feitos dos fariseus como “a
Testamento. Porém, os escribas letra da Lei” (II Coríntios 3.6).
e fariseus tinham perdido essa Jesus valorizou o amor, mos-
visão. Eles eram capazes de ter trando que ele é a essência, o prin-
deixado Davi morrer de fome com cípio, a chave e o espírito da Lei.
seus homens, porque a Lei dizia Ele afirmou que a justiça daqueles
que apenas os sacerdotes podiam que O seguirem nessa perspectiva
comer do pão, que ficava sobre da Lei, excederão em muito a jus-
a mesa do tabernáculo. Seguiam tiça dos escribas e fariseus (Ma-
a Lei ao pé da letra, porém não teus 5.20).
havia amor. Eles haviam perdido
a percepção de que as leis haviam Aplicação pessoal
sido criadas por causa do amor de É hora de repetir a pergun-
Deus pelo homem. Jesus, porém, ta que temos feito durante todo
estava dizendo: “o amor é o cum- este estudo: Você confessa o va-
primento da lei; ame a Deus com lor que Jesus deu ao espírito da
todo o seu ser e ao seu próximo Lei? Como você aplica a Lei de
como a você mesmo, assim a Lei Deus na vida das pessoas: com
estará sendo cumprida”. amor ou com legalismo? Será que
você não está sendo como um fa-
O prisma do amor riseu, usando a Lei para manter
Podemos fazer a seguinte dis- as pessoas com fome, quando ela
tinção entre Jesus e a liderança deveria servir para matar a fome?
religiosa: antes de Jesus aplicar a Ou você aplica a Lei, passando-a
Lei na vida do povo, Ele a passa- pelo “prisma” do amor de Deus?
va através do “prisma” do amor de É desta forma que confessamos o
Deus. Os escribas e fariseus, no valor que Jesus Cristo deu ao es-
entanto, passavam por cima da pírito da Lei.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 75


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 29
A Oração de Um Pecador

Conheceremos, neste capítu- mim, que sou pecador’. ‘Eu lhes


lo, o valor que Jesus deu à oração digo que este homem, e não o ou-
de um pecador, através de uma tro, foi para casa justificado diante
parábola. A palavra “parábola” é de Deus. Pois, quem se exalta será
formada de dois outros vocábulos: humilhado, e quem se humilha
“para”, que significa “ao lado de”, será exaltado’” (Lucas 18.9-14).
e “ballo”, que significa “jogar”. Esta parábola ilustra clara-
Uma parábola, portanto, é uma mente os valores de Jesus. Nela,
estória que um professor joga ao Ele descreveu dois homens, cada
lado de uma verdade que ele quer um com uma postura diferente. A
ensinar. Jesus foi o Mestre abso- postura de um dos homens foi mui-
luto das parábolas. Com a estória to valorizada por Jesus, enquanto
que veremos a seguir, Jesus ensi- que a do outro não teve nenhum
nou que a oração de um pecador valor. Jesus contou a estória dos
tem muito valor para Deus. dois homens para mostrar o valor
“A alguns que confiavam em que Ele dá à oração de um pecador.
sua própria justiça e desprezavam Um daqueles homens era fa-
os outros, Jesus contou esta pa- riseu, membro da ordem religiosa
rábola: ‘Dois homens subiram ao que preservava o judaísmo, sendo,
templo para orar; um era fariseu portando, muito zeloso quanto à
e o outro publicano. O fariseu, em Lei: jejuava duas vezes por sema-
pé, orava no íntimo: ‘Deus, eu te na e dava o dízimo. Porém, a justi-
agradeço porque não sou como os ça dos fariseus era meramente for-
outros homens: ladrões, corruptos, mal. Na verdade, eles acreditavam
adúlteros; nem mesmo como este que por si mesmos podiam ser o
publicano. Jejuo duas vezes por que Deus queria que eles fossem.
semana e dou o dízimo de tudo O outro homem era um publi-
quanto ganho’. ‘Mas, o publicano cano, um coletor de impostos dos
ficou à distância. Ele nem ousava judeus para os romanos, portanto,
olhar para o céu; batendo no peito, odiado pelo seu povo. Por isso, os
dizia: ‘Deus, tem misericórdia de escritores dos Evangelhos, quando

76 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

faziam referência aos publicanos, vez que você pecar. A postura do


esta era sempre associada a peca- publicano mostrou como ele estava
dores: “publicanos e pecadores”. contrito, ou seja, “profundamente ar-
Eles consideravam os publicanos rependido” pelo que tinha feito, pe-
pecadores tão destacados, que me- dindo a misericórdia de Deus. Não
reciam uma classificação especial. foi isso o que aconteceu com o fari-
A oração do fariseu era voltada seu. Este não demonstrou nenhuma
para ele mesmo. Em apenas duas contrição e não pediu nada a Deus.
frases, o pronome “eu” está presen- Quando Davi confessou o seu peca-
te quatro vezes. Uma oração tem do, declarou o que Deus quer de nós,
várias partes, mas essencialmente quando pecamos: “um coração con-
significa “pedir”. Este fariseu não trito e quebrantado” (Salmo 51.17).
pediu nada a Deus. Ele limitou-se Esta parábola mostra com
a mostrar para Deus, e até aos que clareza o valor que Jesus deu à
pudessem estar ouvindo, as carac- oração de um pecador arrependi-
terísticas de um homem bom. Ele do. Ele valoriza aqueles que estão
começou a oração falando dele dispostos a confessar seus peca-
mesmo e não foi além disso. dos e a pedir misericórdia em Seu
O publicano por sua vez, nem nome. Depois de orarmos com
levantou os olhos para o céu, tão profundo arrependimento, além de
contrito e arrependido dos seus descobrirmos o valor que os peca-
pecados ele estava. Deus tem pra- dores e perdidos têm para Jesus,
zer na oração que sai de um cora- também encontramos a salvação
ção contrito. Jesus falou que o pu- que Ele trouxe para todos nós.
blicano foi para casa “justificado”, Você sabe que é pecador? Qual-
quer dizer, “como se nunca tivesse quer pessoa disposta a confessar
pecado”. Quando ele foi para casa, o seu pecado pode ser perdoada.
não estava apenas perdoado, mas, Você, que confessou o seu pecado
como se nunca tivesse pecado. há muito tempo, valoriza os peca-
dores que ainda necessitam fazê-lo?
Resumo e aplicação pessoal Qual é a sua atitude diante de um
Se você ainda não fez a oração pecador? Se Cristo vive em você,
do publicano, então precisa fazê-la, não se surpreenda com o amor dEle
pois ela foi valorizada por Jesus. Se transbordando seu coração pelos
você já a fez há muitos anos, saiba pecadores que, arrependidos, que-
que Deus gostaria de ouvi-la cada rem confessar os seus pecados.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 77


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 30
Feridos e Perdidos

Já vimos alguns valores de que nós temos: ficava triste, can-


Cristo: o valor que Ele deu a Si pró- sado, com sede e fome. Seus dis-
prio, à Palavra de Deus e às pes- cípulos tinham ido à cidade em
soas como você e eu. Continuando busca de alimento e quando o
o nosso estudo, veremos agora o trouxeram a Jesus, Ele recusou.
valor que Jesus deu aos feridos e Você tem alguma experiência
perdidos. Leia o texto do Evange- em aconselhamento? Há momen-
lho de João, capítulo 4, versículos tos em que é importante que uma
1 a 42, para depois acompanhar o conversa seja em caráter particu-
comentário da conversa que Jesus lar; às vezes, não conversamos
teve com uma mulher samaritana, muito à vontade, quando existe
junto ao poço de Jacó, em Sicar. uma terceira pessoa nos ouvindo,
Jesus estava subindo para a e Jesus sabia muito bem disso.
Galileia e passou por Samaria. A Observe como Jesus foi aten-
Judeia, região onde Jesus estava, cioso com a mulher que se aproxi-
localiza-se ao sul de Israel e a Ga- mou do poço para tirar água, todo
lileia, ao norte. No meio do cami- o tempo que passou com ela. Ele
nho, entre esses dois pontos, está ignorou o preconceito dos judeus
localizada a região de Samaria. em relação aos samaritanos, prin-
Os judeus tinham preconceito cipalmente tratando-se de uma
contra os samaritanos e, por este mulher com uma reputação ques-
motivo, procuravam desviar-se da- tionável. Jesus mostrou, através
quela cidade. Jesus, porém, não desse episódio, como uma conver-
procedeu dessa forma. Chegando sa pode valorizar alguém que está
a uma cidade de Samaria, cha- necessitando ser ouvida.
mada Sicar, sentindo-se cansado, Fico imaginando como se-
sentou-se junto a um poço. ria conversar com Jesus “frente
Quando estudamos a vida de a frente”. Imagine a emoção de
Jesus, observamos que Ele tinha ter Jesus olhando bem em nos-
todas as características humanas sos olhos, como foi com aquele

78 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

jovem rico que O procurou: “Jesus Vemos no Evangelho de João, que


olhou para ele e o amou” (Marcos algumas vezes Jesus enfocou esta
10.21a). Que emoção é se sentir necessidade básica do ser humano.
amado por Jesus! Todos os que Aquela mulher estava com
tiveram um encontro com Ele sou- sede e foi ao poço tirar água. Je-
beram o que isso significa. Jesus sus tirou proveito da sua neces-
transmitia o Seu amor incondicio- sidade e lhe falou: “Quem beber
nal a todos com quem conversava, desta água terá sede outra vez,
e tenho certeza de que foi isso o mas, quem beber da água que eu
que aconteceu na conversa com lhe der, nunca mais terá sede. Ao
aquela mulher samaritana. contrário, a água que eu lhe der
se tornará nele uma fonte de água
As técnicas de Jesus para um a jorrar para a vida eterna” (João
diálogo 4.13,14). Jesus mostrou que nEle
Jesus iniciou a conversa, pe- o sedento encontra solução para
dindo água para a mulher, atitude sua sede.
esta que demonstra humildade, e A mulher admirou-se que Ele
não deixa de ser uma boa forma não tivesse uma vasilha para tirar
de abordagem. O que Jesus fez era água do poço, porque era fundo.
incomum naquela cultura: dirigir a A vasilha representava a sua sede.
palavra a um samaritano e, princi- O fato de ela já ter tido cinco ma-
palmente, a uma mulher. ridos e aquele com quem ela vivia
Depois que Jesus pediu água, não ser seu marido mostrava que
passou a falar da sede da mulher. sua necessidade ia além de sim-
Nesse diálogo, Ele fez afirmações ples sede de água.
importantes a respeito do Messias Preste atenção nos versículos
que Ele era, o que já foi comenta- 28 e 29: “Então, deixando o seu
do, no início deste estudo, quando cântaro, a mulher voltou à cidade
falamos a respeito do valor que Je- e disse ao povo: ‘Venham ver um
sus deu a Ele próprio. Agora, po- homem que me disse tudo o que
rém, o enfoque é o valor que Jesus tenho feito. Será que ele não é o
deu àquela mulher. Cristo?’”. Aquela mulher conhe-
Para iniciar a conversa, Jesus ceu Jesus e bebeu da Água Viva, e
abordou o assunto “sede”. Todos sua sede foi saciada. Que história
nós sabemos o que é ter “sede”. maravilhosa!

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 79


OS VALORES DE CRISTO

Rios e fontes arrependimento, que significa “re-


Jesus falou para a mulher que pensar” o sistema de valores. As
depois que ela tomasse a “Água pessoas não podem experimentar
Viva”, esta se tornaria nela uma a Água Viva e continuar com o
fonte de água, da qual outras pes- mesmo estilo de vida. A mulher
soas poderiam beber, o que acon- samaritana mostrou arrependi-
teceu, literalmente, quando ela, mento. Isso foi lindo! Mas, o que
deixando sua vasilha, foi contar queremos destacar nesta história
aos homens de Samaria a respei- é o valor que Jesus deu àque-
to de Jesus e conduzi-los à Água la mulher sedenta, uma simples
Viva. pecadora samaritana. Com este
No capítulo 7 de João, vemos exemplo, Jesus mostrou o valor
que Jesus mais uma vez enfocou que Ele dá a pessoas como ela
este conceito de sede: “Se alguém e a todos os perdidos e feridos.
tem sede, venha a mim e beba. Quando Jesus passou por Sama-
Quem crer em mim, como diz a ria, mostrou que se importava
Escritura, do seu interior fluirão com aquela mulher. Deu-lhe va-
rios de água viva” (João 7.37,38). lor, gastou tempo com ela e pro-
Isso significa que, quando uma vou que veio a este mundo para
pessoa vai ao encontro de Jesus, expressar o amor do Pai.
além de ter sua sede saciada para
sempre, do seu interior fluem rios Aplicação pessoal
de “Água Viva”, que vão saciar a Quando se depara com al-
sede daqueles que encontramos guém como aquela mulher sama-
em nossa caminhada. ritana, você tem a mesma atitude
Jesus sempre desafiava que Jesus teve? Você confessa o
as pessoas com o conceito de valor que Jesus deu aos perdidos?

80 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 31
O Ensino de Deus

Em nossos dias, a sociedade Hoje, o conceito de que as Escri-


tem dado muito valor às pessoas turas são a Palavra de Deus e não
que não confessam ter a Palavra daqueles que as escreveram está
de Deus como autoridade máxima sob severo ataque. Existem pes-
de fé e prática. Jesus afirmou que soas que até se dizem seguidores
o ser humano pode escolher entre de Cristo e não crêem que a Bíblia
duas autoridades máximas para fé seja a Palavra de Deus. No capí-
e prática: Deus ou o homem, enfa- tulo 7 de João, Jesus lança um
tizando que essa autoridade deve importante desafio e afirma que o
ser preferencialmente Deus. Seu ensino é a Palavra de Deus.
Continuando o estudo dos va- Como podemos confessar este
lores de Cristo, vamos ver como valor de Cristo? Como podemos
Jesus afirmou que o Seu ensino é provar que o ensino de Jesus é o
o ensino de Deus. ensino de Deus? Jesus nos desa-
“Os judeus ficaram admira- fiou a fazer esta prova, praticando
dos e perguntaram: ‘Como foi que tudo o que o Seu ensino manda;
este homem adquiriu tanta ins- aplicando Seus ensinos em nossa
trução, sem ter estudado?’ Jesus própria vida. Quando fazemos isto,
respondeu: ‘O meu ensino não é descobrimos que o Seu ensino é o
de mim mesmo. Vem daquele que ensino de Deus. Essa abordagem
me enviou. Se alguém decidir fa- é exatamente contrária à intelectu-
zer a vontade de Deus, descobrirá al, que “necessita de certeza para
se o meu ensino vem de Deus ou praticar”. Jesus ensinou que deve-
se falo por mim mesmo’” (João mos primeiro submeter nossa von-
7.15-17). tade, para depois termos certeza.
Jesus deixou claro que Ele não Como exemplo, vejamos um
era apenas mais um rabino; o que dos ensinos de Jesus: “Há maior
Ele ensinava vinha de Deus. Como felicidade em dar que em rece-
podemos saber que o ensino de ber” (Atos 20.35). Aplique esta
Jesus Cristo é a Palavra de Deus? verdade em seu casamento, com

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 81


OS VALORES DE CRISTO

seu cônjuge e seus filhos, e passe vida; você se convencerá de que


a enfocar não o que você consegue o ensino de Jesus não é apenas o
obter dele, mas como pode con- ensino de mais um rabino, mas o
tribuir para ele. Depois de aplicar ensino de Deus.
a “nona bem-aventurança”, verá
a revolução que este ensino pode Aplicação pessoal
causar em sua família e em todos Você está disposto a confes-
os seus relacionamentos. O que sar o valor que Jesus deu ao Seu
Jesus está dizendo é que, se você ensino, aplicando-o em sua vida e
quer provar que o ensino dEle vem em seus relacionamentos? Se você
de Deus, pratique-o e verá o im- fizer isso, verá que o ensino de Je-
pacto que isso vai causar em sua sus é o ensino de Deus.

82 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 32
Pessoas Prioritárias

Estamos seguindo os passos que de mim saiu poder’. Então, a


de Jesus Cristo pelos Evangelhos mulher, vendo que não conseguiria
e identificando Seus valores. Uma passar despercebida, veio tremen-
das maneiras de fazer isso é ob- do e prostrou-se aos seus pés. Na
servar as prioridades que Jesus presença de todo o povo, contou
estabeleceu. O Evangelho de Lu- por que tinha tocado nele e como
cas relata uma história que mostra fora instantaneamente curada.
quem são as pessoas prioritárias Então, ele lhe disse: ‘Filha, a sua
para Jesus. Vamos ao texto: fé a curou! Vá em paz’. Enquanto
“Então, um homem chamado Jesus ainda estava falando, che-
Jairo, dirigente da sinagoga, veio e gou alguém da casa de Jairo, o di-
prostrou-se aos pés de Jesus, im- rigente da sinagoga, e disse: ‘Sua
plorando-lhe que fosse à sua casa, filha morreu. Não incomode mais
porque sua única filha, de cerca o Mestre’. Ouvindo isso, Jesus dis-
de doze anos, estava à morte. Es- se a Jairo: ‘Não tenha medo; tão-
tando Jesus a caminho, a multi- somente creia, e ela será curada’.
dão o comprimia. Estava ali certa Quando chegou à casa de Jairo,
mulher que havia doze anos vinha não deixou ninguém entrar com
sofrendo de hemorragia e gastara ele, exceto Pedro, João, Tiago,
tudo o que tinha com os médicos, e o pai e a mãe da menina. En-
mas ninguém pudera curá-la. Ela quanto isso, todo o povo estava se
chegou por trás dele, tocou na bor- lamentando e chorando por ela.
da de seu manto, e imediatamen- ‘Não chorem’, disse Jesus. ‘Ela
te cessou sua hemorragia. ‘Quem não está morta, mas dorme’. Todos
tocou em mim?’, perguntou Jesus. começaram a rir dele, pois sabiam
Como todos negassem, Pedro dis- que ela estava morta. Mas, ele a
se: ‘Mestre, a multidão se aglome- tomou pela mão e disse: ‘Menina,
ra e te comprime’. Mas, Jesus dis- levante-se’ O espírito dela voltou,
se: ‘Alguém tocou em mim; eu sei e ela se levantou imediatamente.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 83


OS VALORES DE CRISTO

Então, Jesus lhes ordenou que lhe mulher, a filha daquele líder religio-
dessem de comer. Os pais dela fi- so estaria morta? Poderíamos justi-
caram maravilhados, mas ele lhes ficar, dizendo que foi porque o pai
ordenou que não contassem a nin- já tinha vivido doze anos de alegria
guém o que tinha acontecido” (Lu- com sua filhinha, enquanto aque-
cas 8.41-56). la mulher estava sofrendo há doze
Esta história mostra mais uma anos, isolada do convívio social, por
vez o valor que Jesus deu aos feri- causa daquela enfermidade.
dos. Existe, porém, um fato interes- Ela era uma mulher de fé por-
sante nesta história. Jesus se depa- que, mesmo sendo proibida de es-
rou com dois feridos: um pai, cuja tar no meio de uma multidão, de-
filha estava morrendo, e uma mu- cidiu ao menos tocar na borda das
lher com um sangramento que já vestes de Jesus, porque sabia que
durava doze anos. Enquanto num seria curada. Jesus, porém, exigiu
corpo, Jesus não poderia estar em muito mais que fé da parte dela. Ele
dois lugares ao mesmo tempo. Pas- a expôs publicamente, quando per-
tores e médicos sabem muito bem guntou “Quem tocou em mim?”. A
o quanto é difícil estabelecer priori- Bíblia mostra, em várias passagens,
dades, quando se trata de pessoas que não dá para um crente ser um
feridas e necessitando de ajuda. “agente secreto”. Jesus sabia que
No entanto, Jesus sabia qual alguém cheio de fé O havia tocado.
era Sua prioridade. Primeiro, Ele
ministrou a cura à mulher e, depois, Aplicação pessoal
à filha de Jairo. Se fosse qualquer Uma aplicação que tiramos
um de nós, talvez tivesse atendido deste ensino para nossas vidas
em primeiro lugar o pai daquela é que Jesus dá valor àqueles que
menina e, depois, a mulher. Afinal, procuram tocá-Lo com fé. Se você
aquele homem era presidente da está ferido ou excluído do convívio
sinagoga, enquanto a mulher vivia social, saiba que para Jesus você
isolada da comunidade, proibida de tem mais valor que as pessoas que
tocar e ser tocada por quem quer contam com o apoio da sociedade.
que fosse (Levítico 15.19-28). Afinal, Jesus veio ao mundo para
Por que Jesus agiu dessa forma, os feridos e para os que crêem que
sabendo que, depois de atender à Ele pode curar. Você tem fé para

84 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

confessar este valor? Você tem fé Você, que já crê em Jesus,


para tocar em Jesus e receber a confessa o valor que Ele deu aos
cura? Confesse o valor que Jesus excluídos e feridos? Se Ele já o
deu àquela mulher, e ainda dá a curou, você quer ser um canal,
todos que, como ela, procuram através do qual Ele ministre aos
tocá-Lo. feridos e excluídos deste mundo?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 85


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 33
Palavras de Vida

Temos sido desafiados em minhas. Ao contrário, o Pai, que


cada capítulo deste estudo com vive em mim, está realizando
a seguinte pergunta: “Você tem sua obra (enquanto falo)” (João
os valores de Cristo e os aplica à 14.10). Jesus afirma que, quando
sua vida?”. Neste capítulo, vere- ouvimos Sua Palavra e responde-
mos alguns versículos, nos quais mos a ela apropriadamente, algo
Jesus ressalta o valor do Seu en- espiritual acontece, produzindo
sino. Um deles é este: “O Espírito em nós uma vida espiritual cres-
dá vida; a carne não produz nada cente. O apóstolo Paulo referiu-se
que se aproveite. As palavras que a Jesus, quando disse que “a fé
eu lhes disse são espírito e vida” vem por se ouvir, e o ouvir pela
(João 6.63). Quando a Bíblia se palavra” (Romanos 10.l7). Esta
refere à “carne” está falando da declaração dá ao ensino de Jesus
“natureza humana sem o trata- um valor muito especial.
mento de Deus” ou ao que cha- Ainda há mais: “Se vocês per-
mamos de nosso “lado humano”. manecerem em mim, e as minhas
Qual é o ensino que Jesus quis palavras permanecerem em vocês,
dar, quando disse “a carne não pedirão o que quiserem, e lhes
produz nada que se aproveite”? será concedido” (João 15.7). Esta
Ele fez uma afirmação semelhante declaração pode parecer uma porta
aos apóstolos, quando disse: “sem aberta para tudo o que quisermos,
mim vocês não podem fazer coisa mas, na verdade, Jesus está valori-
alguma” (João 15.5). Sem a atu- zando o Seu ensino. O que Ele está
ação do Espírito, o nosso lado hu- dizendo é que o Seu ensino esta-
mano para nada vale. As palavras belece um alinhamento da nossa
de Jesus são Espírito e Vida, que vontade e dos nossos pensamentos
superam a nossa carne. com a vontade e pensamentos de
No capítulo 14, Jesus fez Deus; quando isto acontece, mila-
mais uma declaração: “As palavras gres maravilhosos se manifestam
que eu lhes digo não são apenas em nossas vidas.

86 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

O profeta Isaías compartilha de Deus, os seus caminhos. En-


sua filosofia de pregação conosco, tão, quando você orar, pedirá o
dizendo que pregava a Palavra de que quiser e lhe será feito, porque
Deus, porque os caminhos e os você estará pedindo de acordo
pensamentos de Deus não são os com a vontade de Deus”.
caminhos e os pensamentos do
homem. Como o céu está distante Aplicação pessoal
da terra, assim existe uma grande Você confessa o valor que Je-
diferença na forma de agir entre sus deu ao Seu ensino e às Suas
Deus e o homem (Isaías 55.8,9). palavras, deixando que elas en-
Jesus ensinou a mesma coi- trem em você e sintonizem os seus
sa: “Se minhas palavras estive- pensamentos com os pensamen-
rem em seus corações, então ha- tos de Deus, assim como a sua
verá alinhamento entre a vontade vontade com a vontade de Deus?
de Deus e a de vocês; os pen- Se você confessar este valor de
samentos de Deus se tornam os Cristo, descobrirá que as palavras
seus pensamentos e os caminhos dEle são Espírito e Vida.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 87


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 34
O Pobre

Neste capítulo, veremos o va-Ele, também, se referiu aos cegos,


lor que Jesus deu aos pobres, às que são como ovelhas sem pastor.
pessoas como você e eu: “O Es- Você já se sentiu confuso, como
pírito do Senhor está sobre mim, se não soubesse diferenciar a mão
porque ele me ungiu para pregar direita da esquerda, sem saber di-
boas novas aos pobres. Ele me reito em que realmente você crê?
enviou para proclamar liberdade Se já se sentiu assim, console-se,
aos presos e recuperação da vista porque Jesus deu grande valor a
pessoas como você, por quem,
aos cegos, para libertar os oprimi-
dos e proclamar o ano da graça do justamente, Ele veio a este mun-
Senhor” (Lucas 4.18,19). do. Todas as vezes que Jesus mi-
Este texto é uma citação que nistrou um ensino Ele estava dan-
Jesus fez do profeta Isaías e se tor-
do visão aos cegos.
nou o Manifesto do Seu ministério. Jesus anunciou que veio pre-
Ele estava numa sinagoga da cida- gar as boas novas ao pobre, ao
de de Nazaré, quando pediu o rolo quebrantado e ao ferido. Viver é
de Isaías e leu os primeiros versí-
difícil e Jesus sabia muito bem
culos do capítulo 61, anunciando, disso. As tempestades da vida
com esta leitura, quem Ele era, e deixam as pessoas quebranta-
por que veio ao mundo. das e feridas; algumas tropeçam
Jesus deu valor a Si mesmo, diante das pressões da vida, en-
mas também valorizou aqueles quanto outras chegam a sucum-
por quem Ele veio ao mundo, pes- bir. Jesus mostrou o valor que Ele
soas como você e eu, a quem Ele dava aos feridos e quebrantados
chamou de “pobres”. de coração. Ele veio para dar vi-
são aos cegos e cura aos feridos e
O cego, o cativo e o oprimido quebrantados.
Quando Jesus lê essa passa- Se você consegue fazer o que
gem, explica o sentido da expres- precisa livremente; se não é con-
são “pobre”, no Livro de Isaías. trolado por compulsões, e não se

88 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

sente oprimido, você é uma pes- dificuldades da vida, saiba que


soa liberta. Jesus deu um valor enorme a
você, pois Ele veio ao mundo exa-
Aplicação pessoal tamente por sua causa. Você está
Este ensino mostra o valor disposto a confessar o valor que
que Jesus deu aos pobres e ca- Jesus deu a pessoas como você,
tivos, a quem Ele veio pregar as a aproximar-se dEle e receber a
boas novas. Se você está espiri- visão para sua cegueira, a liberta-
tualmente cego ou cativo, ferido ção das suas cadeias e a cura das
ou quebrantado, por causa das suas feridas?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 89


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 35
O Seu Próximo

Agora veremos o valor que Je- um levita; quando chegou ao lu-


sus deu ao próximo. Vamos come- gar e o viu, passou pelo outro lado.
çar lendo a resposta que Ele deu a Mas um samaritano, estando de
um mestre da Lei: viagem, chegou onde se encontra-
“Certa ocasião, um perito na va o homem e, quando o viu, teve
lei levantou-se para pôr Jesus à piedade dele. Aproximou-se, en-
prova e lhe perguntou: ‘Mestre, o faixou-lhe as feridas, derramando
que preciso fazer para herdar a nelas vinho e óleo. Depois, colo-
vida eterna?’. Perguntou-lhe Je- cou-o sobre o seu próprio animal,
sus: ‘O que está escrito na Lei? levou-o para uma hospedaria e
Como você a lê?’. Ele respondeu: cuidou dele. No dia seguinte, deu
‘Ame o Senhor, o seu Deus, de dois denários ao hospedeiro e lhe
todo o seu coração, de toda a sua disse: ‘Cuide dele. Quando eu vol-
alma, de todas as suas forças e de tar lhe pagarei todas as despesas
todo o seu entendimento e ‘Ame que você tiver’. ‘Qual destes três
o seu próximo como a si mesmo’. você acha que foi o próximo do ho-
Disse Jesus: ‘Você respondeu cor- mem que caiu nas mãos dos as-
retamente. Faça isso, e viverá’. saltantes?’. ‘Aquele que teve mise-
Mas ele, querendo justificar-se, ricórdia dele’, respondeu o perito
perguntou a Jesus: ‘E quem é o na lei. Jesus lhe disse: ‘Vá e faça o
meu próximo?’. Em resposta, disse mesmo”’ (Lucas 10.25-37).
Jesus: “Um homem descia de Je- Existem três tipos de relação
rusalém para Jericó, quando caiu com o próximo descritos nesta es-
nas mãos de assaltantes. Estes lhe tória. O primeiro tipo está repre-
tiraram as roupas, espancaram- sentado pelos ladrões e pode ser
no e se foram, deixando-o quase assim resumido: “O que é meu é
morto. Aconteceu estar descendo meu e o que é seu também vai ser
pela mesma estrada um sacerdo- meu, tão logo eu consiga tirar de
te. Quando viu o homem, passou você”. Tem muita gente que se re-
pelo outro lado. E assim também laciona assim com o próximo.

90 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

O segundo tipo é retratado Nesta estória, o mestre da Lei


pelo sacerdote e pelo levita, repre- quis justificar-se, fazendo a Jesus
sentantes da liderança religiosa, a intrigante pergunta: “E quem é
que passaram pelo homem ferido o meu próximo?”. Para o judeu,
sem o ajudar, com a seguinte filo- o seu próximo só podia ser outro
sofia: “O que é meu é meu e o que judeu; os demais eram seus inimi-
é seu é seu. Eu tenho os meus pro- gos. O princípio que guiava o ju-
blemas e você tem os seus. Você deu era: “ame seu próximo e odeie
está precisando de ajuda, mas eu o seu inimigo”, o que não fazia
estou atrasado para ir à igreja e parte da Lei de Moisés, mas de
não quero me envolver”. centenas de princípios que foram
O terceiro tipo de relação com acrescentados à Lei. Jesus desa-
o próximo que Jesus ensinou foi fiou este princípio, quando decla-
ilustrada pelo Samaritano: “O que rou que o seu próximo é qualquer
é seu é seu e o que é meu também pessoa ferida com quem você se
é seu a qualquer hora que você deparar no curso da sua vida.
precisar”.
O amor para com o próximo Aplicação pessoal
demonstrado nesta parábola pelo Seguindo os passos de Jesus
samaritano pode não nos levar à nos Evangelhos, podemos obser-
riqueza ou nos fazer ganhadores var que Ele nunca deixou de ajudar
de prêmios, mas foi o que Jesus alguém que O procurasse. Através
ensinou. Ele quer que Seus dis- da Parábola do Bom Samaritano,
cípulos confessem o mesmo va- Jesus nos desafia a confessar o
lor que Ele deu aos feridos deste valor que Ele deu aos feridos e a
mundo. tratá-los como nosso próximo.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 91


OS VALORES DE CRISTO

Capítulo 36
Amor de Uns Pelos Outros

Neste estudo, temos visto revolucionário: “Um novo man-


como Jesus valorizou o amor. Ele damento lhes dou: Amem-se uns
exortou Seus discípulos, principal- aos outros. Como eu os amei, vo-
mente os apóstolos, a confessarem cês devem amar-se uns aos ou-
o valor que Ele deu ao amor. Jesus tros. Com isso todos saberão que
passou a sós com Seus discípulos vocês são meus discípulos, se
as últimas horas que antecederam vocês se amarem uns aos outros”
Sua morte, durante a Última Ceia, (João 13.34,35). Veremos, neste
quando deu a eles um novo man- capítulo, o valor que Jesus deu ao
damento, o qual deu origem a uma amor de uns pelos outros.
nova comunidade, que se tornou a
Sua Igreja. Olhada por este pris- "Amados, amemos uns aos outros"
ma, toda igreja deveria ser uma "Amados, amemos uns aos ou-
comunidade de amor. tros, pois o amor procede de Deus.
Cada um dos apóstolos que Aquele que ama é nascido de
estava com Jesus na Última Ceia Deus e conhece Deus. Quem não
estava pronto para responder ao ama não conhece Deus, porque
amor que Jesus lhes demonstrou. Deus é amor" (I João 4.7,8). Estes
O primeiro versículo do capítulo versículos foram escritos por João,
13 de João, que descreve as úl- o apóstolo do amor, um dos que
timas horas de Jesus com Seus ouviram Jesus dar o Novo Manda-
apóstolos, diz o seguinte: “Um mento. Ele confessou o valor que
pouco antes da festa da Páscoa, Jesus deu ao amor de uns pelos
sabendo Jesus que havia chegado outros. João ficou conhecido como
o tempo que deixaria este mun- “o apóstolo do amor”, porque usou
do e iria para o Pai, tendo amado em seus escritos a palavra “amor”
os seus que estavam no mundo, mais que todos os outros apóstolos
amou-os até ao fim”. juntos. Parece que João ficou ma-
O momento do anúncio deste ravilhado com o amor que Jesus
novo mandamento deve ter sido lhe demonstrou, pois referia-se a si

92 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


OS VALORES DE CRISTO

próprio, em seu Evangelho, como confessar o valor que Jesus colo-


“aquele a quem Jesus amava”. Na ca no amor que devemos ter uns
introdução do Livro do Apocalipse, pelos outros: “Foi assim que Deus
ele se referiu a Jesus como “Aquele manifestou o seu amor entre nós:
que nos ama” (1.5). enviou o seu Filho Unigênito ao
mundo, para que pudéssemos vi-
Razões porque devemos amar uns ver por meio dele. Nisto consiste
aos outros o amor: não em que nós tenha-
Embora o apóstolo Paulo te- mos amado Deus, mas em que
nha escrito o que foi denominado ele nos amou e enviou seu Filho
“Capítulo do Amor” da Bíblia (I Co- como propiciação pelos nossos
ríntios 13), o assunto principal, na pecados”. João continuou com o
verdade, são os dons espirituais. O seguinte comentário: “Amados,
verdadeiro “Capítulo do Amor” se visto que Deus assim nos amou,
encontra na Primeira Epístola de nós também devemos amar uns
João, onde o autor apresenta pelo aos outros” (11). Ele ressaltou
menos dez razões, pelas quais de- que devemos confessar o valor de
vemos amar uns aos outros (I João Jesus em relação ao amor, devido
4.7-21). Vamos ver, a seguir, algu- ao grande exemplo que o Senhor
mas dessas razões: nos deu ao morrer na cruz pelos
No versículo 7, ele afirma: nossos pecados. Se continuarmos
“Amados, amemos uns aos ou- a estudar estes versículos, encon-
tros, pois o amor procede de traremos outras razões por que de-
Deus”. João quer dizer que deve- vemos amar uns aos outros.
mos amar uns aos outros, porque No versículo 16, João afirma:
somente aqueles que permane- “Assim conhecemos o amor que
cem em Deus são capazes de ter Deus tem por nós e confiamos nes-
este amor. se amor. Deus é amor. Todo aquele
No versículo 8, ele apresenta que permanece no amor permane-
uma segunda razão: o amor, a cre- ce em Deus, e Deus nele”.
dencial do discípulo de Jesus Cris- Se confessarmos o valor que
to: “Quem não ama não conhece Jesus deu ao amor, chegaremos
Deus, porque Deus é amor”. à essência e natureza de Deus.
Nos versículos 9 e 10, vemos Quando nos tornamos canais do
outras razões por que devemos amor de Deus, habitamos no Seu

CBI - Encontro com a Palavra Livro 7 93


OS VALORES DE CRISTO

amor e o Seu amor habita em nós. nós: enviou o seu Filho Unigênito
A evidência de que vivemos um ao mundo, para que pudéssemos
relacionamento com Deus está viver por meio dele. Nisto con-
no Seu amor sendo aperfeiçoado siste o amor: não em que nós te-
em nós. Dessa forma, as pessoas nhamos amado a Deus, mas em
vêem em nós o amor de Deus. que ele nos amou e enviou seu
Filho como propiciação pelos nos-
Aplicação pessoal sos pecados. Amados, visto que
Ao concluir nosso estudo, dei- Deus assim nos amou, nós tam-
xamos o desafio para que você bém devemos amar uns aos ou-
leia este capítulo do apóstolo do tros. Ninguém jamais viu Deus;
amor. Medite nas palavras de João se amarmos uns aos outros, Deus
e confesse o valor que Jesus deu permanece em nós, e o seu amor
ao amor de uns pelos outros. Pro- está aperfeiçoado em nós. Sabe-
cure identificar as dez razões por mos que permanecemos nele, e
que devemos amar uns aos outros. ele em nós, porque ele nos deu
Faça uma lista dessas razões e co- do seu Espírito. E vimos e tes-
le-a em um lugar onde você possa temunhamos que o Pai enviou
ver todos os dias, e confesse o va- seu Filho para ser o Salvador do
lor que Jesus colocou no amor de mundo. Se alguém confessa pu-
uns pelos outros. blicamente que Jesus é o Filho
de Deus, Deus permanece nele, e
Trecho do Capítulo do Amor da ele em Deus. Assim conhecemos
Primeira Carta de João o amor que Deus tem por nós e
“Amados, amemos uns aos confiamos nesse amor. Deus é
outros, pois o amor procede de amor. Todo aquele que permane-
Deus. Aquele que ama é nascido ce no amor permanece em Deus,
de Deus e conhece Deus. Quem e Deus nele. Ele nos deu este
não ama não conhece Deus, por- mandamento: Quem ama Deus,
que Deus é amor. Foi assim que ame também seu irmão” (I João
Deus manifestou o seu amor entre 4.7-16,21).

94 Livro 7 CBI - Encontro com a Palavra


C.B.I. ENCONTRO COM A PALAVRA – QUESTIONÁRIO DO LIVRO 7
OS VALORES DE CRISTO

ALUNO(A):______________________________________________________
RUA:__________________________________________________________
BAIRRO:_____________________________FONE:______________________
CEP:_______________CIDADE:______________________________________
EST:________E-MAIL:______________________________________________
NASC:_____/_____/_____ SEXO: ( )M ( )F EST. CIVIL:__________________
ESCOLARIDADE:________________IGREJA:____________________________
ESPOSO(A):_____________________________ NASC:____/____/____
Aulas através de: ( )Rádio ( )Internet ( )CDs

Leia com atenção o livro e responda o questionário. Em cada questão, apenas


uma das três alternativas está correta e deverá ser assinalada. Ao recebermos
este questionário respondido, enviaremos GRÁTIS o próximo número, na medi-
da que o estudo pelo rádio for avançando.

QUESTIONÁRIO

01. No Novo Testamento, aprendemos que devemos confessar os nossos peca-


dos; aprendemos também que devemos:
A( ) Professar uma religião
B( ) Ser batizado em uma igreja
C( ) Confessar Jesus Cristo

02. Se Jesus ensinasse dentro do contexto da religião estabelecida, a pressão


do ensino novo de Jesus:
A( ) Deixaria os judeus furiosos
B( ) Explodiria a tradição religiosa
C( ) Converteria um número ainda maior de judeus

03. Logo depois de pregar o Sermão do Monte, Jesus:


A( ) Subiu ao monte para orar
B( ) Atravessou o Mar da Galileia
C( ) Voltou para Jerusalém

04. Jesus iniciou Seu ministério demonstrando cuidado para que as Escrituras
fossem compreendidas e terminou:
A( ) Com a mesma preocupação
B( ) Com sua morte na cruz
C( ) Com seu retorno ao céu
05. Quando falamos em redenção, estamos nos referindo a alguma coisa que
foi perdida e:
A( ) Foi recuperada com muito esforço
B( ) Foi reivindicada, geralmente através de pagamento
C( ) Foi rejeitada para sempre

06. O ensino mais forte do Novo Testamento é:


A( ) Que Jesus morreu e ressuscitou para a nossa salvação
B( ) Que Jesus voltará para nos levar para o céu
C( ) Que o Cristo vivo e ressuscitado vive em você e em mim

07. Diante da proximidade da cruz, sabendo que sua vida e missão na terra
estavam se encerrando, Jesus fez esta oração:
A( ) “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”
B( ) “Pai, se possível, passa de mim este cálice”
C( ) “Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para
fazer”

08. A palavra grega traduzida para Espírito Santo é “Paracleto”, que significa:
A( ) “Conselheiro”
B( ) “Deus forte”
C( ) “Príncipe da paz”

09. Jesus afirma que quando ouvimos Sua Palavra e respondemos a ela
apropriadamente:
A( ) Algo espiritual acontece
B( ) Somos mais úteis para o mundo
C( ) Alcançamos nossa independência

10. Se confessarmos o valor que Jesus deu ao amor, chegaremos:


A( ) À unidade da fé
B( ) À estatura de varão perfeito
C( ) À essência de Deus

Enviar para:

ENCONTRO COM A PALAVRA


Caixa Postal 2011
89201-970 - Joinville-SC
Obs.: Você também pode digitalizar e enviar pelo
e-mail: encontrocomapalavra@desfrutedeus.com
MEU TESTEMUNHO

Obrigatório marcar á Autorizo a divulgação de meu testemunho


uma das duas opções á Não autorizo a divulgação de meu testemunho.
Município: _________________________________________________________ UF: ______
Nome: ____________________________________________________ Data: ___/___/_____

_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________