Você está na página 1de 3

Lei Ordinária N.º 7181,19 DE OUTUBRO DE 1981 Dispõe sobre o processo de Tombamento e dá outras providências.

A CÂMARA MUNICIPAL DE BELÉM, estatui e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º. Compete ao Prefeito, ouvido previamente o Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural de Belém do Pará, decidir sobre os atos de Tombamento conforme o disposto nesta Lei. (modificado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

Art. 1º. Compete ao Prefeito, ouvido previamente a Câmara Municipal de Belém, decidir sobre os atos de tombamento, conforme o disposto nesta Lei.

Art. 2º. O Tombamento poderá ser solicitado por qualquer pessoa bastando para tanto encaminhar expediente ao Conselho de Proteção do Patrimônio Cultural, contendo justificativa do pedido e foto(s) dos bem (ns) a ser (em) tombado (os). O Conselho examinará e dotará o pedido, no prazo máximo de 15 (quinze) dias, que será o parecer prévio. Será considerado aprovado desde que haja pelo menos maioria simples. (revogado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

Art. 3º. O Tombamento de bem pertencente a pessoa natural ou a pessoa jurídica de Direito Privado

se fará compulsória ou voluntariamente.

§ 1º. O Tombamento Compulsório será iniciado pelo Presidente ou qualquer dos membros do

Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural de Belém do Pará. (modificado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

2º. O Tombamento voluntário será iniciado pelo proprietário do bem ou seu representante legal, por solicitação ao Presidente do Conselho. (modificado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

§ 1º. O Tombamento Compulsório será iniciado, através de Projeto de Lei, pela Câmara Municipal de Belém.

§ 2º. O Tombamento voluntário será iniciado pelo proprietário do bem ou por seu representante

legal por solicitação ao Prefeito Municipal de Belém.

3º. Em qualquer das hipóteses dos parágrafos anteriores, o Presidente submeterá ao Conselho o processo de Tombamento para proceder de acordo com o Art. 2º desta Lei e após. o mesmo, será encaminhado ao Prefeito. (revogado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990) § 4º. A partir da data de pronunciamento do Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural, compete ao Prefeito no prazo máximo de 7 (sete) dias, determinar o seguimento do processo ou seu arquivamento. (revogado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

§

§

Art. 4º. Determinado o seguimento do processo de Tombamento Compulsório na forma do § 4º do artigo anterior, o Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural de Belém do Pará

notificará o proprietário ou o possuidor do bem para manifestar-se no prazo máximo de 15 ( quinze ) dias, contados da data que o Prefeito tenha determinado o seguimento do processo. Parágrafo Único. Decorrido o prazo de que trata o caput deste artigo, o Conselho emitirá parecer final no prazo máximo de 15 (quinze) dias, submetendo-o a decisão do Prefeito. (revogado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

Art. 5º. Determinando o seguimento do processo de Tombamento voluntário na forma do § 4º e art. 3º desta Lei, o Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural emitirá parecer final, submetendo-o a decisão do Prefeito. (revogado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

Art. 6º. Em caso de urgência ou de interesse Público relevante o Prefeito poderá decretar o Tombamento, em caráter provisório, o qual se equiparará, para todos os efeitos, ao Tombamento definitivo. Parágrafo Único. Decretado o Tombamento provisório o Prefeito comunicará o fato ao Conselho, obedecendo, a seguir, ao mesmo processo de Tombamento Compulsório, dispensado o parecer prévio de que trata o § 3º do Art. 3º desta Lei. Parágrafo Único. Decretado o Tombamento provisório o Prefeito enviará a Câmara Municipal de Belém Mensagem, contendo Projeto de Lei dispondo sobre o Tombamento Definitivo.

Art. 7º. O Tombamento será feito sempre por decreto. (revogado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

Art. 8º. Após a decretação do Tombamento, o Secretário executivo do Conselho inscreverá o bem no livro do Tombo, promovendo a sua averbação no registro de imóveis. (revogado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

Art. 9º. Decretado o Tombamento, compete ao Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural pronunciar se quanto:

A)

remoção do bem tombado pelo Município;

B)

cartazes ou letreiros. ou para instalação de atividades comercial ou industrial no imóvel tombado

pelo Município

C)

segurança ou a visibilidade do bem tombado pelo Município; (revogado pela Lei Ordinária N.º 7498/1990)

À demolição, no caso de ruína iminente, modificação, transformação, restauração, pintura ou

A expedição ou renovação, pelo órgão competente, de licença para obra, afixação de anúncios,

À prática de qualquer ato que de alguma forma altere a aparência, a integridade estética, a

Art. 10º. Os responsáveis por bens tombados ( proprietários, cessão e posse ) que não cumprirem esta lei, sofrerão a aplicação das sanções previstas na Legislação Federal.

Art. 11º. Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

GABINETE DO PREFEITO MUNICIPAL DE BELÉM, em 19 de outubro de 1981.

Engº LORIWAL REI DE MAGALHAES Prefeito Municipal de Belém