Você está na página 1de 10

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VÁRZEA GRANDE

TEMA DO TCC

NOME

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VÁRZEA GRANDE - UNIVAG


ENGENHARIA CIVIL
2016

NOME
PROJETO EM ENGENHARIA IV

Trabalho apresentado para obtenção


de nota na disciplina Projeta de
Engenharia IV componente curricular
do 8º Semestre do curso de Engenharia
Civil no Centro Universitário de Várzea
Grande, sob a orientação do Professor
Flaviano Smaniotto

NOME DA FACULDADE
NOME DO CURSO
ANO
DEDICATORIA
AGRADECIMENTOS
Resumo

O concreto é um material que apresenta vantagens na sua utilização, como por exemplo,
versatilidade e menor custo, se comparado a outros materiais de construção sendo por
isso largamente utilizado em todo mundo. A busca constante pela obtenção de
concretos mais resistentes resultou no desenvolvimento do Concreto de Alto-
Desempenho (CAD), e posteriormente do Concreto de Ultra-Alto-Desempenho
(CUAD). Para termos uma ideia do que representa esta revolução tecnológica, basta
dizer que o concreto convencional atinge até 60 MPa (600 kgf/cm²); o CAD atinge
resistências entre 60 e 120 MPa (600 a 1.200 kgf/cm²), e o CPR está numa faixa de
resistência à compressão entre 200 MPa e 800 MPa (entre 2.000 kgf/cm² e 8.000
kgf/cm²). O Concreto de Pós Reativos, segundo seus idealizadores, é baseado no
princípio da formação de produto com mínimo defeito, como microfissuras e poros
capilares, obtidos pelo aumento da compacidade e resistência dos materiais constituintes
da matriz do concreto.

Palavras chave: CAD


Abstract

Keywords
LISTA DE TABELAS
LISTA DE FIGURAS
Sumário
Tópicos a serem trabalhados

Detalhar o que é CC e suas aplicações


Detalhar o que é CAD e suas aplicações
Detalhar o que é CPR e suas aplicações
Detalhar o uso do metal como superestrutura
Diferenças na execução e no projeto

Execução da concretagem

O conceito básico para a produção do CPR é a homogeneidade e a compacidade


granular. A homogeneidade é obtida eliminando o agregado graúdo, restando o
agregado miúdo, fíler, cimento, adição mineral, aditivo químico e água. E, através da
compacidade entre todos os sólidos do material, obtém-se a compacidade granular.
Nesse caso, é aconselhável que se realize o empacotamento entre todos os componentes,
inclusive o cimento.

Todos os materiais cimentíceos requerem cuidados para que as potencialidades da


mistura sejam exploradas. Porém, com o CPR, a importância de uma execução
cuidadosa se torna essencial, devido a maior sensibilidade e importância desse material
para a estrutura, pois não há armaduras de aço para reforço ou outros componentes de
complementação.

A mistura das matérias-primas é fundamental para a garantia das propriedades finais do


compósito. O tempo de mistura para o CPR é maior do que para CC, pela ausência de
agregado graúdo, que auxilia na mescla e dispersão dos componentes menores, quando
presentes. Até por isso, a produção de CPR em caminhões betoneira, ou betoneiras
comuns de construção, torna-se difícil, já que a forma de homogeneização desse tipo de
misturador é por gravidade, com o agregado graúdo desempenhando um papel chave no
processo.

Devido às dificuldades geradas pela baixa porcentagem de água utilizada nos concretos
pós-reativos, o procedimento de mistura dos seus materiais constituintes tem grande
influência na homogeneização, na trabalhabilidade e consequentemente nas suas
propriedades físicas e mecânicas.