Você está na página 1de 2

LER PARA REVISAR1

Podem se constituir em boas situações de aprendizagem aquelas em que o aluno tenha que ler para
encontrar inadequações, erros, problemas relacionados aos diferentes aspectos do texto – coerência,
coesão, adequação da linguagem, adequação ao gênero, gramática e pontuação – e problemas de
correção ortográfica. Isso pode ser feito em situações em que o texto com problemas é posto na lousa,
ou numa folha em que os alunos trabalham sobre o texto reproduzido, ou então trabalham sobre o
texto original.

Do ponto de vista textual, nas situações de revisão é interessante propor a análise, de cada vez, de
um aspecto diferente: a maneira de encadear as informações, formando períodos longos ou curtos; o
uso da pontuação; a ordem dos verbos nas frases; o uso de expressões que provocam emoções
(engraçadas, comoventes); o emprego de expressões com sentido figurado; a forma de descrever
personagens ou cenários, no caso de textos narrativos.

Como a leitura para revisão é uma leitura complexa e difícil, é preciso que seja feita, a princípio,
várias vezes, coletivamente (para os alunos se familiarizem com a atividade e aprenderem os
procedimentos de análise dos diferentes problemas), depois em grupos/pares bem formados, também
várias vezes e com a ajuda da professora, para somente depois de muito tempo poder se esperar que
eles consigam revisar sozinhos seus próprios textos com alguma habilidade. A esse procedimento se
tem chamado ‘delegação progressiva de responsabilidade’: à medida que os alunos vão se
familiarizando com qualquer tarefa que não lhes é ainda conhecida, o professor vai passando da
posição central para a de monitor – quando eles assumem a gradualmente responsabilidade de
execução da tarefa.

O que se convencionou chamar de ‘revisão de textos bem escritos’ tem como propósito contribuir para
que os alunos se tornem progressivamente capazes de:
 refletir sobre diferentes possibilidades de uso da língua para obter um texto de qualidade: claro,
diferente, agradável, interessante, instigante, que mexe com as emoções, que cria impacto, que
prende a atenção do leitor...
 apreciar e valorizar um texto bem escrito
 desenvolver um olhar atento, que permita a identificação de boas alternativas utilizadas por
outros escritores e que possam ser úteis nas próprias produções
 analisar um texto do ponto de vista estético - a qualidade da linguagem, das escolhas feitas pelos
autores, das soluções encontradas...

Nesse caso, eles são desafiados a:


̘ conhecer como os autores habilidosos utilizam (ou não) em seus textos recursos de
substituição, concordância, pontuação e outros
̘ identificar a qualidade estética de textos bem escritos e utilizar progressivamente em suas
próprias produções alguns dos recursos estilísticos de que lançam mão outros autores
̘ ler textos com outra finalidade, diferente da que orienta a leitura em busca de significado:
com um olhar mais atento, de análise e reflexão sobre as escolhas feitas pelos escritores, do
ponto de vista da linguagem, dos recursos estilísticos, das formas de tratar o conteúdo etc.
̘
ALGUMAS OBSERVAÇÕES:
̘ todas as pessoas são capazes de olhar para um texto como um objeto sobre o qual se pode
pensar – alfabetizadas ou não
̘ a forma do aluno olhar o texto depende da forma de quem conduz essa situação de reflexão e
vai determinar o que o aluno vai enxergar no texto – os recursos utilizados pelo autor
̘ cada pessoa que analisa um texto vê coisas diferentes ou vê as mesmas coisas de outra forma –
as descobertas são pessoais e portanto diferentes.
̘ fazer a revisão de textos bem escritos não é para se ter um preocupação com as regras porque
um texto é feito de coisas interessantes que ressaltam, que dão ritmo, que fazem com que seja
emocionante, comovente – esteticamente, não pelo conteúdo mas pela forma.
̘ não é necessário e nem sempre possível explorar tudo com os alunos quando se analisa um bom
texto – ele não se esgota num primeiro olhar.
̘ numa atividade de revisão de textos bem escritos, é importante ler todo o texto para os
alunos e depois (pode ser em outro momento) escolher alguns parágrafos para fazer a
análise. Não é preciso fazer esse tipo de revisão com o texto inteiro.

ALGUMAS POSSIBILIDADES DE ANÁLISE DE TEXTOS BEM ESCRITOS :

̘ a forma como o autor descreve o personagem ou o local;


̘ o emprego da pontuação;
̘ a maneira de encadear as orações, formando períodos longos ou curtos;
̘ o uso de expressões que transmitem emoções (engraçadas, comoventes);
̘ o emprego de metáforas;
̘ a inversão da ordem dos verbos nas frases;
̘ as elipses; o ritmo etc.

RECOMENDAÇÃO
Para realizar a atividade de revisão de textos bem escritos, é importante que o professor leia todo o
texto para o aluno e depois (pode ser em outro momento) escolher alguns parágrafos para fazer a
análise. Não é preciso fazer esse tipo de revisão com o texto inteiro.

IMPORTANTE
Se queremos que os alunos produzam bons textos é necessário o contato sistemático com uma grande
variedade de textos bem escritos. Para isso, o professor precisa garantir na sua rotina de trabalho,
atividades permanentes de análise e reflexão sobre procedimentos e recursos utilizados pelos bons
escritores.

CUIDADOS
A Revisão de textos bem escritos NÃO é:
 para ser tratada como um conhecimento técnico – não é para nomear, definir...
 uma atividade gramatical e nem de interpretação de texto
 para ser utilizada com o objetivo de:
 usar as palavras diferentes e/ou difíceis do texto como pretexto para fazer uso do dicionário.
 tirar “lição de moral” do texto
 fazer uma sequência de atividades do tipo: estudo do vocabulário, gramática, ortografia
(modelo dos livros didáticos)
 - copiar o texto.

Material organizado por Rosana Dutoit a partir das produções de Rosa Barros, Rosaura Soligo,
Rosalinda Vasconcelos, Rosângela Veliago e Valéria Dutoit

Interesses relacionados