Você está na página 1de 13

Romanos

ESBOÇO DA SEÇÃO UM (Romanos 1)


Paulo abre sua carta à igreja romana, falando sobre a ira de Deus com o pecado. O capítulo de abertura
pode ser pensado como um julgamento, onde Deus é o juiz e os seres humanos pecaminosos são o
acusado.

I. O SECRETARIADO TRIBUNAL (1: 1-17): Aqui Paul, autor de Romanos, fornece seus leitores
com algum material introdutório pré-julgamento.
A. Suas credenciais (1: 1, 5): Paulo relata quatro fatos sobre si mesmo.
1. Ele é um servo de Jesus (1: 1a).
2. Ele é um apóstolo (1: 1b).
3. Ele foi separado para pregar o evangelho (1: 1c).
4. Ele é um missionário para os gentios (1: 5).
B. Seu Cristo (1: 2-4)
1. O Messias foi profetizado no Antigo Testamento (1: 2).
2. O Messias é agora proclamado no Novo Testamento (1: 3-4).
a. No que diz respeito à sua natureza humana (1: 3): Ele é um descendente de David.
b. No que diz respeito à sua natureza divina (1: 4): Sua ressurreição prova sua divindade.
C. Sua congregação (1: 6-15): Paulo escreve esta epístola a uma assembléia da igreja local.
1. A identidade desta igreja (1: 6-7): É a congregação em Roma.
2. A intercessão para esta igreja (1: 8-10)
a. Seu louvor deles (1: 8): Paulo elogia-los por sua fé universalmente conhecido.
b. Suas orações para eles (1: 9-10): Ele ora para a igreja e pede a Deus que ele seja
autorizado a visitá-los.
3. O interesse por esta igreja (1: 11-13)
a. Paulo deseja vê-los (1: 11-12).
b. Paulo deseja para servi-los (1:13): Ele deseja semear entre eles.
4. O endividamento para a igreja (1: 14-15): Paulo sente a obrigação de ministrar a eles.
D. Sua confiança (1: 16-17): Paulo expressa sua plena certeza no poder do evangelho
para realizar duas coisas.
1. Para trazer a fé salvadora para os pecadores (1:16): Através da fé um pecador pode ser salvo.
2. Para trazer fé santificadora para santos (1:17): Através da fé uma pessoa justa pode ter
vida.

II. Os registros do tribunal (1: 18-32): Paulo registra as provas apresentadas neste julgamento.
A. A carga geral (1: 18-19): "Deus mostra a sua ira do céu contra todos, pessoas más
pecaminosas que empurram a verdade longe de si Para a verdade sobre Deus é
conhecido por eles instintivamente.".
B. As acusações específicas (1: 20-32)
1. Primeira acusação ignorância indesculpável (1:20): Deus sempre revelou sua existência
e poder para a humanidade.
2. Segundo indiciamento-ingratidão (1:21): As pessoas são ingrata, se recusar a adorar o seu
Criador.
3. Terceiro indiciamento-insolência (1.22): Reivindicando-se sábios sem Deus, eles se tornam
tolos vez.
4. Quarta acusação-idolatria (1:23): Eles trocam a glória de Deus para os ídolos que se
assemelham a meros pessoas, pássaros, animais e cobras.
5. Quinta acusação-imoralidade (1: 24-27): Eles são culpados de lesbianismo e homossexualidade.
6. Sexta acusação-incorrigibility (1: 28-32)
a. Eles se abraçam seus atos perversos (1: 28-31).
b. Eles endossar seus atos perversos (1:32).

1
ESBOÇO DA SEÇÃO DOIS (Romanos 2)
Paulo descreve relações de Deus com três tipos de pessoas. Cada um é acusado de alta traição
contra Deus.

I. A PESSOA MORAL E DEUS (2: 1-11)


A. O apelo prestados (2: 1a): A pessoa moral diz: "Eu deveria ser absolvido por razões que eu não
sou tão ruim quanto alguns pagãos são."
B. O fundamento refutada (2: 1-B-11)
1. A razão para isto (2: 1b-4): Deus diz: "Você faz as mesmas coisas básicas, somente em
uma forma mais refinada!"
2. Os resultados deste (2: 5-11)
a. Para ser o objeto da ira terrível de Deus (2: 5-8)
b. Para experimentar tristeza e sofrimento (2: 9-11)

II. A PESSOA PAGAN E DEUS (2: 12-16)


A. O apelo prestados (2: 12-13): A pessoa pagã diz: "Eu deveria ser absolvido em razão da
ignorância!"
B. O apelo refutada (2: 14-16): Deus diz: "Você tem as testemunhas gêmeas de consciência e
de natureza (ver também 1: 19-20) Portanto, você será julgado por estes e não pela lei
escrita.".

Ill. A pessoa religiosa E DEUS (2: 17-29)


A. O apelo prestados (2: 17-20): O homem religioso diz: "Eu deveria ser absolvido com base em
que eu sei que a lei de Deus e ministrar cursos na religião!"
B. O apelo refutada (2: 21-29): Deus diz: "Você não pratica o que prega!"
1. As marcas de judeus religiosos (2: 21-24): Por causa de sua hipocrisia, desonram o santo
nome de Deus entre os gentios.
2. As marcas de judeus resgatados (2: 25-29): Seus corações estão bem com Deus.

SECÇÃO delinear três (Romanos 3)


Paulo apresenta seis perguntas e respostas-los para seus leitores.

I. Primeira questão e RESPOSTA (3: 1-2)


A. Pergunta (3: 1): Quais são as vantagens de ser um judeu ou de ser circuncidado?
B. Resposta (3: 2): A vantagem mais importante é que Israel foi confiada com a Palavra de
Deus.

II. SEGUNDA Pergunta e resposta (3: 3-4)


A. Pergunta (3: 3): Será que a infidelidade de Israel anular as promessas de Deus?
B. Resposta (3: 4)
1. O testemunho de Paulo (3: 4a): "Claro que não Apesar de todo o resto do mundo é um
mentiroso, Deus é verdadeiro."
2. O testemunho de Davi (3: 4b): Paulo cita o Salmo 51: 4 para provar seu ponto.

Ill. TERCEIRA PERGUNTA E RESPOSTA (3: 5-8)


A. Pergunta (3: 5): Se nossa injustiça traz a justiça de Deus, não é injusto para nos punir?
B. Resposta (3: 6-8)
1. A reprovação (3: 8b): Paulo foi falsamente acusado de ensinar essa coisa-que muito é,
fazer o mal que o bem pode resultar.
2. A resposta (3: 6-8a): Paulo responde: "Se você seguir esse tipo de pensamento ... assim
como você pode dizer que quanto mais pecarmos o que é melhor Aqueles que dizem tais
coisas merecem ser condenado!".

IV. PERGUNTA quarta e RESPOSTA (3: 9-20)


A. Pergunta (3: 9a): são os judeus melhor do que todas as outras pessoas?
B. Resposta (3: 9-B-20)
1. A corrupção (3: 10-18): Paulo descreve o câncer do pecado que infectou a raça humana.

2
a. consciência humana é depravada (3: 10-11): Ninguém sequer deseja conhecer e seguir a
Deus.
b. caráter humano é depravado (3:12): Todos deixaram o caminho do bem e tornaram-
se inúteis.
c. conversação humana é depravada (3: 13-14): Discussão das pessoas é sujo e imundo,
assemelhando-se:
(1) O mau cheiro a partir de uma sepultura aberta (3: 13a)
(2) O veneno de uma cobra venenosa (3: 13b-14)
d. A conduta humana é depravado (3: 15-18).
(1) "Eles são rápidos para cometer assassinato" (3: 15-17).
(2) "Eles não têm medo de Deus" (3:18).
2. A conclusão (3: 9, 19-20): Depois de apresentar todos os fatos terríveis, Paulo chega a
esta dupla conclusão:
a. Ambos judeus e gentios pecaram contra Deus (3: 9).
b. Ambos judeus e gentios são acusados diante de Deus (3: 19-20).

V. PERGUNTA QUINTA e resposta (3: 21-30)


A. Pergunta (3: 21a): Como é então que Deus salvar as pessoas?
B. Resposta (3: 21b-30)
1. A necessidade de salvação (3:23): é desesperadamente necessário É, pois todos pecaram
e aquém da glória de Deus.
2. O testemunho do Antigo Testamento para a salvação (3: 21b): As Escrituras prometem a
salvação sem a lei.
3. O método de salvação (03:22, 24-25, 27-28)
a. Negativo (3: 27-28): Não é realizado pelas boas obras.
b. Positivo (03:22, 24-25): Ele vem sobre pela graça mediante a fé no sacrifício de Cristo.
4. A realização legal da salvação (3.26): Ele permite que um Deus justo e santo para
declarar arrependidos pecadores justos.
5. O escopo da salvação (3: 29-30): Ele está disponível para ambos os judeus e gentios.

VI. PERGUNTA SEXTA E RESPOSTA (03:31)


A. Pergunta (3: 31a): A fé anular a lei?
B. Resposta (3: 31b): Ao contrário, a fé cumpre a lei!

SECÇÃO ESBOÇO QUATRO (Romanos 4)


Paulo emprega dois dos homens do Antigo Testamento mais famosos para ilustrar a doutrina da
justificação pela fé.

I. A ilustração da vida de Abraão, PAI RACIAL de Israel (4: 1-5, 9-25)


A. Abraão e sua salvação (4: 1-5, 9-15)
1. o que Abraão recebeu (4: 1-5): o próprio Deus cancelou os pecados de Abraão e o
declarou justo.
2. Como Abraham recebeu (4: 1-5)
a. Ele não se deu por suas obras (4: 1-2, 4).
b. Ele tinha surgido por sua fé (4: 3, 5).
3. Quando Abraham recebeu (4: 9-15)
a. Ele recebeu-o antes de ter sido circuncidado (4: 9-12).
b. Ele recebeu antes da promulgação da lei (4: 13-15).
B. Abraão e sua descendência (4: 16-25): Paulo mostra os resultados da fé de Abraão
seguintes a sua salvação.
1. semente de Abraham física (4: 18-22)
a. A promessa (4.18): Deus disse a Abraão que ele teria um filho através de Sara.
b. O problema (4:19): Abraão e sua esposa estéril eram muito velhos para isso.
c. A perseverança (4: 20-22): Abraham continuou a crer em Deus para o impossível, e
Isaac nasceu!
2. descendência de Abraão espiritual (4: 16-17, 23-25): Todos os judeus e gentios que se
exercitam o tipo de fé Abraão teve são, espiritualmente falando, relacionada com Abraão, que
é chamado de "pai de todos os que crêem."

3
II. A ILUSTRAÇÃO DA VIDA DO DAVID, DE ISRAEL ROYAL PAI (4: 6-8)
A. As transgressões de David (4: 6): Ele era culpado de adultério e assassinato (ver 2 Sam. 11: 1-24).
B. O testemunho de Davi (4: 7-8): O rei arrependido foi perdoado, purificado e justificado pela fé.

ESBOÇO DA SEÇÃO CINCO (Romanos 5)


Paulo fala sobre a alegria que vem da fé. Ele contrasta o Adam pecaminosa com o Cristo sem pecado.

I. UM RESUMO DE JUSTIFICAÇÃO (5: 1-11): Paulo lista cinco resultados da justificação divina.
A. O crente tem paz com Deus (5: 1): Isto é conseguido através do trabalho feito por Jesus
Cristo.
B. O crente tem acesso a Deus (5: 2): Este grande privilégio traz grande confiança e alegria em
relação ao futuro.
C. O crente tem a garantia de Deus (5: 3-4).
1. O fato de essa garantia (5: 3): Ele nos ajuda em tempos de sofrimento.
2. O fruto da garantia (5: 4): O sofrimento produz perseverança, que produz caráter, que
produz a esperança.
D. O crente é habitado por Deus (5: 5): O Espírito Santo vive nos corações dos crentes.
E. O crente é preservado em Deus (5: 6-11): A salvação do crente é segura, garantida por:
1. trabalho passado de Cristo na cruz do Calvário (5: 6-8)
a. o que ele fez (5: 6): Ele morreu na cruz por nós.
b. Por quê ele fez isso (5: 7-8a): Ele morreu porque nos ama.
c. Quando ele fez isso (5: 8b): Ele fez isso quando éramos ainda pecadores indefesos e hostis.
2. presente trabalho de Cristo à direita de Deus (5: 9-11): Paulo diz que Cristo morreu para
nos salvar e agora vive para nos manter salvos.

II. UM RESUMO DE CONDENAÇÃO (5: 12-21): Paulo contrasta o trabalho de Adam (o pai
pecaminosa de todas as pessoas) com a obra de Cristo (o Salvador sem pecado de todas as
pessoas).
A. O trabalho de Adam (5: 12-15, 16a, 17a, 18a, 19a, 20a, 21a)
1. A realidade de seu ato (5: 12a): "Quando Adão pecou, o pecado entrou toda a raça humana."
2. O escopo de seu ato (5: 12b-13): "Então, a morte passou a todos, para que todos pecaram."
3. A natureza de seu ato (5: 19a): "Porque uma pessoa desobedeceu a Deus, muitas
pessoas se tornaram pecadores".
4. Os resultados do seu ato (5: 14-15a, 16a, 17a, 18a, 21a)
a. julgamento imputada na posteridade de Adão (5:14): "Todos eles morreram de qualquer
maneira, mesmo que eles não desobedecer a uma ordem explícita de Deus, como Adão
fez."
b. juízo eterno em todos os não salvos (5: 15a, 16a, 17a, 18a, 21a): o pecado de Adão
trouxe a morte e condenação a todas as pessoas.
5. A relação da lei para seu ato (5: 20a): "A lei de Deus foi dada para que todas as pessoas
pudessem ver como pecaminosa que eram."
B. A obra de Cristo (5: 15b, 16b, 17b, 18b, 19b, 20b, 21b): Por causa da morte de Cristo, as
pessoas podem ser salvas, apesar de seu pecado.
1. O escopo de seu ato (5: 15b, 18b)
a. "Jesus Cristo ... trouxe o perdão a muitos através de dom generoso de Deus" (5: 15b).
b. "Um ato de justiça de Cristo faz todas as pessoas certo aos olhos de Deus e lhes dá vida"
(5: 18b).
2. A natureza de seu ato (5: 19b): "Porque uma outra pessoa obedeceu a Deus, muitas
pessoas vão ser feitas direito aos olhos de Deus."
3. Os resultados de seu ato (5: 16b, 17b, 21b)
a. Justificação (5: 16b): Todas as pessoas agora podem ser aceitos por Deus.
b. Santificação (5: 17b): Todas as pessoas podem agora ser feitos justos aos olhos de Deus.
c. Glorificação (5: 21b): Todas as pessoas podem agora ter a vida eterna.
4. A relação do pecado para seu ato (5: 20b): "Como as pessoas pecaram mais e mais,
maravilhosa bondade de Deus se tornou mais abundante."

SECÇÃO ESBOÇO DE SEIS (Romanos 6)


Paulo introduz método tríplice de Deus que conduz à santificação.

4
I. PASSO 1-KNOW (6: 1-10): Os crentes devem estar cientes de três fatos.
A. Eles foram crucificados com Cristo (6: 1-3).
B. Eles foram ressuscitados com Cristo (6: 4-5).
C. Eles estão agora mortos e vivos (6: 6-10).
1. Mortos para o pecado (6: 6-7): Nós não deve mais ser escravos do pecado, pois fomos
crucificados com Cristo.
2. Alive in Salvador (6: 8-10): Estamos agora a viver no poder da ressurreição daquele que
ressuscitou dos mortos e está sempre vivo.

II. PASSO 2-conto (6.11): Estamos a contar a nossa crucificação e ressurreição como eventos
realizados.

III. PASSO 3-RENDIMENTO (6: 12-23): Paul descreve dois tipos de rendimento.
A. O tipo errado (6: 12-13a): Nós não estamos a produzir os membros do nosso corpo como
instrumentos de iniqüidade.
B. O tipo certo (6: 13b-23)
1. A confusão (6: 15a): "Uma vez que a graça de Deus nos libertou da lei, isso significa que
podemos continuar pecando?"
2. A correção (6: 15b-18): "Claro que não Você não percebe que o que você escolher obedecer
se torna seu mestre Você pode escolher o pecado, que leva à morte, ou você pode escolher
obedecer a Deus e receber a sua? aprovação."
3. O desafio (6: 13b-14, 19-22): Estamos a produzir os membros do nosso corpo como
instrumentos de justiça.
4. A conclusão (06:23)
a. "O salário do pecado é a morte" (6: 23a).
b. "O dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor" (6: 23b).

SECÇÃO ESBOÇO SETE (Romanos 7)


Paul discute como a lei de Deus se aplica a e afeta três tipos de pessoas.

I. As pessoas espirituais e da lei (7: 1-6)


A. A sua relação com a lei (7: 1-3, 5)
1. Eles são como viúvas libertados de seus maridos (7: 1-3).
2. Eles são como mortos libertados de suas concupiscências (7: 5).
B. A sua relação com o Salvador (7: 4, 6)
1. Eles têm sido levantadas por Cristo (7: 4a, 6): Eles são liberados da lei.
2. Eles estão agora a produzir frutos através de Cristo (7: 4b): as pessoas Assim espirituais
estão livres da lei.

II. PESSOAS NATURAIS E a lei (7: 7-13): A lei é usada de duas maneiras.
A. O uso ilustração (7: 7, 10): Deus usou a lei para revelar a pecaminosidade da carne.
B. O uso condenação (7: 8-9, 11-13): Sin usou a lei para reacender a pecaminosidade da carne.
Assim, as pessoas naturais estão condenados pela lei.

Ill. PESSOAS carnal e da lei (7: 14-26)


A. Paul aprendeu que qualquer tentativa de manter a lei leva a carnalidade (7: 14-23).
1. A confusão (7: 14-16): a frustração de Paulo é duplo.
a. Ele não faz as coisas que ele quer fazer (7: 14-15a, 16a).
b. Ele as coisas que ele não quer fazer (7: 15b, 16b).
2. A corrupção (7: 17-20): Ele percebe a corrupção total de sua velha natureza pecaminosa.
3. A conclusão (7: 21-23): Ele entende a luta diária dentro dele.
a. A velha natureza, sempre tentando fazer o mal (7: 21a, 23)
b. A nova natureza, sempre tentando fazer direito (7: 21b-22)
B. Paul aprendeu que nenhuma tentativa de manter a lei pode levar a espiritualidade (7: 24-25).
1. A agonia do problema de Paulo (7:24): "O que um miserável pessoa que eu sou Quem vai
me libertar dessa vida que é dominado pelo pecado"
2. A resposta para o problema de Paulo (7.25): "Graças a Deus a resposta está em Jesus Cristo,
nosso Senhor!".

5
SECÇÃO ESBOÇO DE OITO (Romanos 8)
Paul descreve sete novas garantias que acompanham a salvação.

I. O crente tem uma nova posição (8: 1-8).


A. A nossa posição em relação ao Filho de Deus (8: 1-3): O crente está em Cristo.
1. O milagre envolvido (8: 1, 3-A): Os crentes recebem nenhuma condenação e são libertados
do pecado e da morte.
2. Os meios envolvidos (8: 2, 3b): Isto foi conseguido não através da Lei de Moisés, mas
pela morte de Cristo.
B. A nossa posição em relação à lei de Deus (8: 4-8): Agora somos capazes de
satisfazer as justas exigências da lei em e através de Cristo.

II. O crente tem um novo hóspede (8: 9-14).


A. Quem ele é (8: 9): Ele é o próprio abençoado Espírito Santo.
B. O que ele faz (8: 10-14)
1. Certa vez, ele reforçou Cristo e ressuscitou dentre os mortos (8.11).
2. Ele agora vive dentro de nós e nós (8: 9) controla.
3. Ele agora nos fortalece e um dia vai levantar-nos dos mortos (08:10, 12-14).

III. O crente tem UMA NOVA ADOÇÃO (8: 15-17): Estamos agora membros da família de Deus.
A. Dando-nos uma intimidade com o Pai (8: 15-16)
B. Dando-nos uma herança do Pai (8:17)

IV. O crente tem Uma Nova Esperança (8: 18-25): A natureza dessa esperança é a
redenção completa e final de todas as coisas, incluindo:
A. Cristãos (8:18, 23-25)
1. A presente dor (8: 18a, 23): crentes gemo a ser libertado a partir de dor e sofrimento.
2. A glória futura (8: 18b, 24-25)
a. A comparação (8: 18b): dor de hoje não é nada quando comparado com a glória de amanhã.
b. O comando (8: 24-25): Até então, no entanto, estamos a esperar pacientemente e com
confiança.
B. Criação (8: 19-22)
1. Natureza, a vítima (08:20, 21b-22): O mundo natural de plantas e animais geme de dor
por causa da queda.
2. Natureza, o vencedor (8:19, 21a): A natureza também será libertada da decadência e
morte à liberdade e à fecundidade.

V. O crente tem UMA NOVA AJUDANTE DE ORAÇÃO (8: 26-27).


A. A identidade deste helper (8: 26a): Ele é o Espírito Santo.
B. A indispensabilidade deste helper (8: 26b): Suas orações são vitais, porque não sei mesmo
o que havemos de pedir.
C. A intensidade deste auxiliar (8: 26-C-27)
1. Como ele reza (8: 26c): Ele ora por nós com gemidos que não podem ser expressos em
palavras.
2. o que ele reza (8:27): Ele implora por nós em harmonia com a vontade de Deus.

VI. O crente tem uma nova confiança (8:28).


A. O que envolve (8: 28a): Deus faz tudo para trabalhar juntos para o bem.
B. Quem se envolve (8: 28b): Aqueles que amam a Deus e são chamados segundo o seu propósito
para eles.

VII. O crente tem um novo destino (8: 29-39).


A. O resumo (8.29): O próprio Pai decretou que todos os crentes devem se tornar como seu
Filho amado!
B. Os passos (8:30)
1. Nós foram pré conhecidos pelo Pai (8: 30a).
2. Nós foram predestinado pelo Pai (8: 30b).
3. Nós foram chamados pelo Pai (8: 30c).

6
4. Nós foram justificada pelo Pai (8: 30d).

7
5. Nós foram glorificado pelo Pai (8: 30e).
C. A segurança (8: 31-39)
1. Não existe nenhuma acusação possível contra os crentes (8: 31-34).
a. O Pai não permitirá que esta (8: 31-33).
(1) Certa vez, ele nos deu o seu Filho (8: 31-32a).
(2) Ele agora nos dá todas as coisas (8: 32b-33).
b. O Filho não vai permitir isso (8:34).
(1) Ele morreu por nós (8: 34a).
(2) Ele ressuscitou por nós (8: 34b).
(3) Ele agora reza por nós (8: 34c).
2. Não existe nenhuma separação possível do Salvador (8: 35-39): Este inclui:
a. A vida ea morte (8: 35-38a)
b. Ambos os anjos e demônios (8: 38b)
c. Ambos presente e futura (8: 38c)
d. Ambos altura e profundidade (08:39)

SECÇÃO ESBOÇO DE NOVE (Romanos 9)


Nos próximos três capítulos, Paulo súmulas relações tríplices de Deus com Israel. Aqui, ele súmulas a
soberania da seleção de Deus e Israel no passado.

I. OS NOVE Vantagens espirituais desta seleção SOBERANO (9: 1-5)


A. A dor de Paul sobre Israel (9: 1-3): O apóstolo está tão sobrecarregado sobre a incredulidade
de Israel de que ele está disposto a sofrer a condenação eterna se isso iria ajudá-los a vir a
Cristo.
B. presentes de Deus para Israel (9: 4-5)
1. Eles são uma nação especial (9: 4a).
2. Eles foram adotados por Deus (9: 4b, 5).
3. Eles tiveram a glória de Deus revelado a eles (9: 4c).
4. Eles foram dados os convênios (9: 4d).
5. Eles foram dadas a lei (9: 4e).
6. Eles têm o privilégio de adorá-lo (9: 4-F).
7. Eles têm as promessas messiânicas (9: 4g).
8. Eles têm uma ascendência divina (9: 5a).
9. Eles são as pessoas de que Cristo veio (9: 5b).

II. OS CINCO exemplos pessoais desta seleção SOBERANO (9: 6-29)


A. O exemplo de Ismael e Isaac (9: 6-10): Deus escolheu Isaque (filho de Abraão através de
Sara) sobre Ismael (filho de Abraão através de Hagar).
B. O exemplo de Esaú e Jacob (9: 11-13)
1. o que Deus fez (9: 12b-13): Ele escolheu Jacob (o segundo filho gémeo de Isaac) sobre
Esaú (o gêmeo primogênito).
2. Quando Deus fez isso (9: 11a, 12a): Ele fez essa escolha muito antes de eles terem nascido.
3. Por quê Deus fez isso (9: 11b): Ele fez isso para mostrar que seus decretos soberanos
não são baseadas no que os seres humanos ainda não nascidos, pode ou não pode
fazer.
C. O exemplo de Faraó (9: 14-24)
1. Os fatos envolvidos (9: 15-18)
a. Deus determinou para perdoar pecaminoso Israel com graça imerecida (9: 15-16).
b. Deus determinou para punir Faraó pecaminosa com o julgamento merecido (9: 17-18).
2. A imparcialidade envolvido (09:14, 19-24)
a. À luz disto, é Deus justo? Sim! (09:14, 21-24).
(1) Como um oleiro cria vasos, Deus cria nações (9:14, 21-22).
(2) Como um oleiro controla esses navios, Deus controla as nações (9: 23-24).
b. À luz disto, é o homem responsável? Sim! (9: 19-20): Como os vasos não têm o direito
de criticar o oleiro, as nações têm o direito de criticar o Senhor.
D. O exemplo de Oséias (9: 25-26): Este profeta do Antigo Testamento predisse que Deus não
limitaria sua graça para Israel, mas pouparia arrependendo povos gentios; Oséias chamou
esses gentios "filhos do Deus vivo" (Os 2:23;. 1:10).

8
E. O exemplo de Isaías (9: 27-29): Paulo cita Isaías para demonstrar a soberania de Deus sobre
Israel.
1. Fora dos milhões de israelitas, apenas um pequeno remanescente será salvo (Is. 10: 22-23) (9:
27-28).
2. Mesmo o remanescente pereceria além da graça de Deus (Is. 1: 9) (9:29).

III. Duas conclusões GRAND RELATIVAS esta seleção SOBERANO (9: 30-33)
A. Através da fé os gentios ter encontrado a justiça, mesmo sem procurá-lo (9:30).
B. Através da lei Israel não encontrou justiça, mesmo depois de procurá-lo (9: 31-33).
1. A busca (9: 31-32): Eles tentaram ser salvos pelas obras.
2. O tropeço (09:33): e tropeçaram Cristo a rocha, como previsto por Isaías (08:14; 28:16.).

ESBOÇO DA SEÇÃO DEZ (ROMANOS 10)


Paul súmulas justiça de Deus e apresentar rejeição de Israel.

I. A ORAÇÃO sobre a justiça de Deus (10: 1-3)


A. A oração (10: 1): Paulo ora pela salvação de Israel.
B. O problema (10: 2-3): Israel possui:
1. Zelo sem conhecimento (10: 2-3a)
2. Funciona sem fé (10: 3b)

II. A FONTE da justiça de Deus (10: 4-5)


A. Pode ser encontrada em Cristo (10: 4).
B. Foi predito por Moses (Lev. 18: 5) (10: 5).

III. A DISPONIBILIDADE da justiça de Deus (10: 6-8)


A. Negativo (10: 6-7): Não é preciso procurar os céus ou descerá ao abismo para encontrá-lo.
B. Positivo (10: 8): Trata-se, por meio de Cristo, tão perto quanto a boca e coração! Moisés
predisse isso em Deuteronômio 30: 12-14.

IV. A RECEPÇÃO da justiça de Deus (10: 9-10): o coração ea boca Ambos de um estão
envolvidos.
A. Concebe-se no centro (10: 9-B-10-A).
B. Confirma-se com a boca (10: 9a, 10b).

V. ÂMBITO da justiça de Deus (10: 11-13)


A. É imparcial (10: 11-12): Ele não faz distinção entre judeus e gentios.
B. É universal (10:13): Qualquer um de invocar o nome do Senhor será salvo.

VI. APRESENTAÇÃO DE justiça de Deus (10: 14-15): Paulo apresenta um caso convincente para o
testemunho fiel.
Um pecador deve invocar o Senhor para ser salvo (10: 14a).
B. Um pecador deve crer para ligar para (10: 14b).
C. Um pecador precisa ouvir para crer (10: 14c-15): Isaías descreveu os resultados: "Como é belo
... são os pés dos que anunciam coisas boas" (Is. 52: 7).

VII. A rejeição da justiça de Deus (10: 16-21)


A. Israel ouviu a Boa Nova (10:18): Paul prova isso citando o Salmo 19: 4.
B. Israel recusou-se a atender a Boa Nova (10: 16-17, 19-21).
1. Is previu esta (10: 16-17, 20-21): Ver Is 53: 1; 65: 1-2.
2. Moisés previu esta (10:19): Ver Deuteronômio 32:21.

ESBOÇO DA SEÇÃO ONZE (Romanos 11)


Paul súmulas a sabedoria da futura restauração de Deus e Israel.

9
I. Esta restauração futuro está assegurado PORQUE REJEIÇÃO PRESENTE de Israel não é
TOTAL (11: 1-10, 11b-24).
A. As facções de Israel (11: 1-10): Paul divide Israel em dois grupos.
1. O grupo minoritário (11: 1-6)
a. Como representado por Paulo no Novo Testamento (11: 1): Sua própria conversão
mostra que Deus não rejeitou todos os israelitas.
b. Como representado por Elias no Antigo Testamento (11: 2-6): Este profeta poderoso,
juntamente com 7.000 outros israelitas, não curvar a Baal (ver também 1 Reis 19:18).
2. O grupo majoritário (11: 7-10): Três homens do Antigo Testamento predisse que Deus
endurecer os corações de Israel descrente.
uma. Moisés (Deut. 29: 4) (11: 7-8a)
b. David (Sl. 69: 22-23) (11: 9-10)
c. Isaías (. Isa 29:10) (11: 8b)
B. A plenitude das nações (11: 11-B-25): Esta expressão refere-se a um período específico de tempo.
1. A definição deste período (11:25): É o intervalo de tempo envolvido na conclusão do corpo
de Cristo, formado por judeus e gentios, começando no dia de Pentecostes e terminando
no Arrebatamento.
2. Os detalhes relativos a este período (11: 11b-24)
a. O propósito (11: 11b-12): Um dos objetivos é fazer com que Israel ciumento ser a
favor de Deus novamente.
b. O pregador (11: 13-15): Paulo foi nomeado pelo próprio Deus para ajudar a tornar
isso uma realidade.
c. A parábola (11: 16-24): Paulo emprega uma oliveira para ilustrar tudo isso.
(1) As raízes da árvore são feitos de Abraão e outros homens do Antigo Testamento
piedosos (11:16).
(2) Alguns dos ramos originais foram quebrados, referindo-se a judeus incrédulos (11: 1
7a).
(3) Agora alguns ramos de uma oliveira selvagem foram enxertados, referindo-se aos
gentios crentes (11: 17b-23).
(4) Os ramos originais uma vez removidos, um dia, ser enxertados de volta, referindo-
se ao futuro Israel arrependido (11,24).

II. Esta restauração futuro está assegurado PORQUE REJEIÇÃO PRESENTE de Israel não é
FINAL (11: 11a, 26-36).
A. O Israel de Deus (11: 11a, 26-32)
1. A predição (11: 11a, 26-27)
a. Israel restaurada através do Cristo prometido (11.26): Isaías previu que o Libertador
iria fazer isso (Isa 59:20.).
b. Israel restaurada através da aliança prometida (11.27): Isaías predisse que Deus
guardam a sua aliança com Israel (Is 59:21.).
2. A fidelidade (11: 28-32): Todos os acima acontecerá, por dons ea vocação de Deus são
irrevogáveis.
B. O Deus de Israel (11: 33-36): Paulo louva a Deus pelo que expressa um dos maiores doxologias da
Escritura.

ESBOÇO DA SEÇÃO DOZE (Romanos 12)


Paulo exorta seus leitores a fazer seus corpos sacrifícios vivos para a glória de Deus.

I. O crente e AUTO (12: 1-2)


A. O que estamos a oferecer (12: 1): dedicação corporal.
1. A razão para isto (12: 1b): É para ser feito porque temos experimentado a misericórdia de Deus.
2. Os resultados deste (12: 1 a): Deus está contente se oferecer um sacrifício vivo e santo.
B. O que nós queremos evitar (12: 2a): contaminação mundana.
C. o que estamos a atingir (12: 2b): transformação divina.

II. O crente e SERVIÇO (12: 3-21)


A. A graça (12: 3): Ser honesto em sua estimativa de si mesmos.

10
B. Os presentes (12: 4-8)
1. A ilustração a respeito destes presentes (12: 4-5): Paulo compara os dons espirituais
para os membros do corpo humano.
2. A identificação desses presentes (12: 6-8): Sete dons espirituais são listados.
a. Profetizar (12: 6)
b. Servindo (12: 7a)
c. Ensino (12: 7b)
d. Encorajando (12: 8a)
e. Dar (12: 8b)
f. Conduzindo (12: 8-C)
g. Mostrando amabilidade (12: 8-D)
C. As directrizes (12: 9-21)
1. Como lidar com os amigos (12: 9-13, 15-16)
a. Amar e honrá-los (12: 9-10).
b. Mostre-lhes seu zelo e alegria (12: 11-12).
c. Partilhar com eles (12:13).
d. Lamentar e chorar com eles (12:15).
e. Viver em harmonia com eles (00:16).
2. Como lidar com os próprios inimigos (00:14, 17-21)
a. Abençoe-os, quando vos perseguirem (12:14).
b. Deixe Deus recompensá-los para o mal feito a você (12: 17-19).
c. Dar-lhes comida quando estão com fome e água quando estão com sede (12: 20-21).

SECÇÃO ESBOÇO treze (Romanos 13)


Paulo discute responsabilidades do crente para com a sociedade.

I. Deveres para com os governantes do ESTADO (13: 1-7)


A. O que devemos fazer (13: 1, 6-7)
1. Nós estão nos submeter às autoridades que regem (13: 1).
2. Nós são para pagar os nossos impostos (13: 6).
3. Nós são para dar honra e respeito a todos aqueles a quem é devido (13: 7).
B. Por quê estamos a fazê-lo (13: 2-5)
1. Por causa do poder por trás do trono (13: 2): Deus estabeleceu os governos humanos, de
modo a desobedecer as leis humanas é desobedecer a Deus.
2. Por causa da punição do trono (13: 3-5): Deus também decretou que os infratores devem
ser punidos por aqueles que representam o governo humano.

II. DEVERES em direção ao resto do estado (13: 8-14)


A. Continuar a amar (13: 8-10): o amor de Deus busca e satisfaz.
1. Amor busca o melhor para o próximo (13: 9-10).
2. Amor satisfaz a lei de Deus (13: 8).
B. Continuar a olhar (13: 11-14).
1. A realização (13: 11-12a): Precisamos saber a vinda do Senhor está próxima.
a. O tempo está funcionando para fora (13: 11a, 12a).
b. O tempo de salvação está perto (13: 11b).
2. A resposta (13: 12-B-14)
a. o que estamos a adiar (13: 12b, 13b): Obras de escuridão.
b. o que estamos a colocar em (13: 13a, 14): Ações de luz.

SECÇÃO ESBOÇO catorze (Romanos 14)


Paulo discute responsabilidades do crente para com os cristãos que são fracos na fé.

I. Nenhum crente deve ser julgado por outro crente aqui em baixo (14: 1-8, 13-23).
A. Nós não são para criticar o legalismo dos outros (14: 1-8).
1. As regras (14: 1-6)
a. Não julgar em matéria de dieta (14: 1-4, 6b): Alguns acham que é errado comer carne ou
qualquer alimento

11
que foi sacrificado a um ídolo.
b. Não julgar em matéria de dias (14: 5-6a): Alguns acham certos dias são mais
sagrado do que outros.
2. A razão (14: 7-8): Tanto o crente mais fraco e mais forte pertencem ao Senhor e devemos
amar uns aos outros.
B. Nós não são para corromper nossa liberdade (14: 13-23).
1. O cristão maduro não é se tornar uma pedra de tropeço (14: 13-18).
a. Ele não é permitir coisas boas e lícitas para ser visto como mal e sem lei (14: 13-16).
b. Ele é não esquecer que o amor é mais importante do que as liberdades pessoais (14: 17-18).
2. O cristão maduro é tornar-se um degrau (14: 19-23).

II. Cada crente serão julgados pelo Salvador ACIMA LÁ (14: 9-12).
A. O fundamento deste julgamento (14: 9): É baseado na morte, ressurreição e ascensão de
Cristo.
B. A tolerância à luz do presente acórdão (14:10): Não agravar os seus problemas lá em cima
por julgando o seu irmão aqui em baixo.
C. As características deste julgamento (14: 11-12)
1. Todo joelho se dobrará (14: 11a).
2. Toda língua confessará (14: 11b).
3. Todo mundo vai dar uma conta para o Senhor (14:12).

ESBOÇO DA SEÇÃO QUINZE (Romanos 15)


Paulo fala sobre como os cristãos devem viver em relação aos outros. Ele escreve sobre seus
planos de viagem e orações para sua audiência romana.

I. O impulso do PAUL (15: 1-4, 8-12)


A. Sua exortação (15: 1-2): Paulo insta o crente maduro não para agradar a si mesmo, mas para
edificar a fé dos cristãos mais fracos.
B. Seu exemplo (15: 3-4, 8-12)
1. Ele aponta para as Escrituras (15: 4): Suas páginas estão cheias de exemplos onde
muitos resistiram e encorajou outros.
2. Ele aponta para o Salvador (15: 3, 8-12).
a. Jesus não veio para satisfazer a si mesmo, mas para dar a si mesmo (15: 3).
b. Jesus veio para garantir a salvação de Deus para os judeus e gentios (15: 8-12).
(1) Para os judeus (15: 8): Ele veio para mostrar que Deus cumpre as suas promessas aos
judeus.
(2) Para os gentios (15: 9-12): Ver também Deuteronômio 32:43; Salmo 18:49; e
Isaías 11:10.

II. A oração da PAUL (15: 5-7, 13)


A. Ele ora para que Deus iria favorecer a igreja romana com perseverança, encorajamento e
unidade (15: 5-7).
B. Ele ora para que Deus encherá a igreja romana de alegria, paz e esperança (15:13).

Ill. Os planos da PAUL (15: 14-29)


A. O apóstolo Comentários suas atividades passadas (15: 14-22).
1. Ele escreve sobre o seu ministério principal (15: 14-18): Paulo relembra seus leitores da
sua vocação especial para os gentios.
2. Ele escreve sobre seus milagres (15: 19a): Deus lhe deu o poder para realizar sinais e
maravilhas.
3. Ele escreve a respeito de seu campo de missão (15: 19b): Cristo Paul tem pregado de
Jerusalém a Ilíria.
4. Ele escreve a respeito de sua metodologia (15: 20-22).
a. Como praticado por Paul (15:20): Ele pregou o evangelho onde Cristo não era conhecido,
a fim de evitar a construção sobre fundamento alheio.
b. Como previsto por Isaías (15: 21-22): Este profeta do Antigo Testamento, escreveu
sobre essa sete séculos antes (Is 52:15.).

12
B. Os previews apóstolo suas atividades futuras (15: 23-29).
1. planos de eventuais futuros (15: 23-24)
a. Para visitar a Espanha (15: 23-24a)
b. Para visitar Roma (15: 24b)
2. planos imediatos futuras (15: 25-29)
a. O lugar (15: 25a): Jerusalém
b. O propósito (15: 25b-29): Apresentar uma doação financeira para os crentes
necessitados lá, o que Paul tem coletados durante suas viagens missionárias

IV. Quanto à excepção de PAUL (15: 30-33): os pedidos apóstolo orações da Igreja sobre
duas questões.
A. Que ele ser protegidas em Jerusalém dos infiéis (15: 30-31a)
B. Que ele ser aceito em Jerusalém pelos crentes (15: 31b-33)

SECÇÃO ESBOÇO dezasseis (Rm 16)


No fechamento, Paul cumprimenta alguns amigos específicos e dá algumas instruções finais.

I. PAUL EO POVO DO EVANGELHO (16: 1-16, 21-24)


A. Ele está enviando uma mulher especial para a igreja em Roma (16: 1-2).
1. Quem ela é (16: 1a): Ela é Phoebe, um servo divino de Cristo.
2. Onde ela é proveniente de (16: 1b): Ela é da igreja em Cencréia.
3. Por quê ela está vindo (16: 2): Ela vai ministrar à igreja romana como ela tem feito por
muitos outros.
B. Ele envia uma recepção especial para a igreja em Roma (16: 3-16, 21-24).
1. Paulo envia saudações a 26 indivíduos (16: 3-16).
a. Seus amigos Áquila e Priscila (16: 3-5a)
b. Seu amigo Epêneto, que foi o primeiro cristão na Ásia (16: 5b)
c. Maria, que muito trabalhou para a igreja romana (16: 6)
d. Seus parentes Andronicus, Junias, e Herodion (16: 7, 11-A)
e. Outros amigos e colegas de trabalho: Amplíato, Urbanus, Stachys, Apeles, casa de
Aristóbulo, os cristãos da família de Narciso, Trifena, Trifosa, Pérside, Rufus, sua
mãe, Asíncrito, Flegonte, Hermes, Pátrobas, Hermas, Filólogo, Julia , Nereu e sua
irmã, ea Olimpas (16: 8-10, 11b-16)
2. Paulo envia saudações a partir de oito indivíduos (16: 21-24).
a. Timothy (16: 21a)
b. parentes de Paulo Lúcio, Jasão e Sosípatro (16: 21b)
c. Tércio, o escriba que está escrevendo romanos como Paul dita ele (16.22)
d. Caio e Quartus (16: 23-24)

II. PAUL E a perversão do Evangelho (16: 17-19): Paulo alerta de alguns desordeiros na igreja
romana.
A. O que eles estão fazendo (16:17)
1. causar divisões (16: 17a)
2. Ensinar falsa doutrina (16: 17b)
3. a fé das pessoas perturbadoras (16: 17c)
B. Por quê eles estão fazendo isso (16: 18-19): Para ganhar dinheiro e poder para si próprios.

III. PAUL E A promessa do evangelho (16:20): Deus um dia vai esmagar Satanás debaixo dos
nossos pés.

IV. PAUL EO PODER DO EVANGELHO (16: 25-27)


A. Ele tem o poder para fortalecer santos (16: 25a).
B. Ele tem o poder de salvar pecadores (16: 25b-27).

13