Você está na página 1de 34

262

Wallace Vieira Masuko *


ARS
ano 15
Marcel Duchamp – Notas da Caixa de 1914 . 1
n. 29

Marcel Duchamp – Notes of The 1914 Box.

Esta versão apresenta imagens em negativo das notas da “Boîte de 1914” de palavras-chave:
Marcel Duchamp;
Marcel Duchamp e um envelope anexo contendo as notas da Caixa de 1914 por
notas; caixas;
Wallace Masuko. A “Boîte de 1914”, uma edição de 3 exemplares, contém as manuscritos;
fotografia
reproduções em fotografias preto e branco de 2 desenhos e 16 notas manuscritas
entre os anos de 1912 e 1914, todas coladas sobre um suporte de papel cartão de
tamanho padrão (18 x 24 cm) acondicionadas em 3 caixas de placas fotográficas
das marcas Jougla, Kodak e Lumière. Duchamp reuniu reproduções de notas
manuscritas por ele em 3 caixas distintas, publicadas ao longo de sua vida:
a “Boîte de 1914” em 1914, a “Boîte verte” (“La Mariée mise à nu par ses
célibataires, même.”) em 1934 e a “Boîte blanche” (“A l’infinitif”) em 1966.
Estas notas aparecem como uma espécie de intertítulo na obra do artista.

This version presents images in negative of Marcel Duchamp’s “Boîte de keywords:


Marcel Duchamp;
1914” notes and an attached envelope containing “Caixa de 1914” notes by
notes; boxes;
Wallace Masuko. The “Boîte de 1914”, an edition of 3 copies, contains the manuscripts;
photography
reproductions in black and white photographs of 2 drawings and 16 handwritten
notes between the years of 1912 and 1914, all glued on a standard size (18 x
24 cm) packaged in 3 boxes of Jougla, Kodak and Lumière photographic plates. 1. As notas da caixa de 1914
foram preparadas enquanto
Duchamp collected reproductions of notes handwritten by him in 3 separate se produzia a Caixa Verde
boxes, published throughout his life: the "Boîte de 1914" in 1914, the "Boîte (A noiva posta a nu por seus
solteiros, mesmo.) apresentada
verte" ("La Mariée mise à nu par ses célibataires, même.") in 1934 and the na dissertação HRMD:Rr [Cf.
"Boîte blanche" ("A l'infinitif") in 1966. These notes appear as a kind of sub-title MASUKO, Wallace Vieira.
HRMD: Rr. 2012. Dissertação
in the artist's work. (Mestrado em Artes Visuais).

* Professor substituto no
Departamento de Desenho da
EBA-UFMG

DOI: 10.11606/issn.2178-0447.
ars.2017.131650.
Viv a ! as ve st im e nt as e a
pre ns a de raque t e .
a re lo .
um mundo de am

A ponte dos v ol umes


e emb ai xo
em cima dos vol umes.
para ver passar o b a t ea u
mouche
Faze r um arm ário com espe lho.
Faze r esse arm ário com espe lho para esta nhar.
Fa zer um quadro

defrequência :
[ver]
pode-se olhar ver;
não se pode escutar escutar.
Fazer u m qu ad ro: d e acaso feliz
o u i n feli z ( ven tu r a ou d es ve n tur a )
– ter o aprendiz ao sol. –
linear
A perspectiva é um bom
m e i o . p a r a r e p r e s e n t a rdiv
er
sa
as igualdades; i.e. m
en
te
o equivalente, o semelhan_
te (homotético) e o igual
se confundem, na em
simetria perspectiva.
O jogo do tone l . é uma belís sima
“esc ultu ra,, de dest reza :
s
é prec iso regi stra r (foto graf icam .) 3 perf orm ance
“t o da s
suce ssiva s; e não pref erir as peça s dent ro
( n em)
da rã” a “tod as as peça s fora ,, ou
a
sobr etud o uma boa méd ia.
Af as tam en to .
Co n tr a o s er viço m ilita r obrig a tório:
um “afas tam en to,, de ca da membro;
do co r ação e das o utra s u nida des a na tômica s;
cada s o ldado ten do já nã o
p o de m ais h o n r ar um u nifor me, seu
co r ação alim en tan do telefonica mente
um b r aço af as tado etc.
D aí, s em m ais a limenta çã o, ca da
“afas tado ” s e is o lando.
En fim um Regimento pa ra
o s lam en to s de afas ta do a a fa sta do .
a Idéia da Fabricação

ntal
horizo
S e u m f i o redt e u m m e t r o d e c o m p r i m e n t o c a i
o
de um metro de altura sobre um plano horizontal
deformando-se à sua vontade e apresenta

uma nova figura da unidade de

comprimento.

3 exemplares obtidos em condições


mais ou menos
semelhantes (

: em sua consideração de uns aos outros


são uma reconstituição aproximada da
unidade de comprimento .

as 3 reparadas padrão são


o metro diminuído
– só te m o s : pa r a f ê mea o mictório
e vive m os d isso .–
arra es t á para arte como
merd ra está para merda.
arra merdra
=
arte merda
gramaticam.:
a arra d a pi ntura é do
f em gênero femi ni no
Sendo da do que . . . . ; se eu su ponh o
que eu esteja sofrendo mu ito
....
A eletricidade em larg ura .
Única utilização possível
da eletricidade “nas artes”.
3 d eci re p a ra d a s padr ão (ve.: a ideia da Fabri cação) .
Wallace Vieira Masuko artista plástico. Bacharel em Artes Plásticas e mestre em
Artes Visuais pelo Departamento de Artes Plásticas da ECA-USP. Professor substituto
no Departamento de Desenho da EBA-UFMG. Tem trabalhado em versões gráficas,
Artigo recebido em 28 de linguísticas e plásticas de obras textuais de Marcel Duchamp (1887-1968), Gordon
abril de 2017.  Matta-Clark (1943-1978) e Adolfo Bernal (1954-2008).