Você está na página 1de 2

O racismo diminui os direitos humanos das pessoas que sofrem o preconceito,

sendo um modo de discriminar alguém pela cor da pele, baseada no conceito


de que existem diferentes raças humanas e que uma é superior às outras. No
Brasil surgiu com barreiras forjadas pelo escravismo, que perduram até hoje.
Mesmo com o reconhecimento da igualdade formal perante a lei, e após a
promulgação da Constituição de 1988, que considera o racismo como "crime
inafiançável e imprescritível" na prática os negros eram praticamente
impedidos de assumir as mesmas posições que os brancos, principalmente no
setor econômico, apenas pela cor de sua pele. Recentemente, o governo
brasileiro tomou medidas que incluíssem negros no ensino superior, a fim de
reduzir as desigualdades sociais entre brancos e negros, tendo criando um
sistema de cotas para afrodescendentes e estudantes provenientes de escolas
públicas nos vestibulares das universidades federais.
Ainda assim, a luta pela valorização do povo afro-brasileiro, ainda encontra
obstáculos dentro da universidade. Mesmo que as cotas tenham representado
um significativo avanço na inserção do negro no ensino superior, especialistas
ainda se percebe um forte racismo dentro das instituições. Com tantas
informações disponíveis a todo o momento e avanços, ainda vemos pessoas
negras sendo descriminadas e sofrendo preconceito, tendo até mesmo ataques
diretos. Os que inferiorizam os negros acreditam sem qualquer tipo de
comprovação, que a cor da pele é capaz de definir caráter, capacidade,
inteligência ou honestidade, o que pode ser considerado um grande absurdo.
Assim, partindo da Declaração Universal dos Direitos do Humanos, que foi
criada com o objetivo de proteger os direitos fundamentais dos seres humanos
condenando todo o tipo de discriminação pela raça, sexo, nacionalidade, etnia,
idioma, religião ou qualquer outra condição. Com os direitos humanos foram
estabelecidos o direito a vida, liberdade, liberdade de expressão, o direito ao
trabalho a educação, entre outro. Mas o racismo é praticado diariamente nas
escolas tornando-se uma violação aos direitos humanos.

Racismo institucional é discriminação racial disfarçada, e é revelado através


de mecanismos e estratégias presentes nas instituições públicas, claros ou
não, que impedem a presença de negros nesses espaços escolares. O acesso
é dificultado, não por normas e regras escritas e visíveis, mas por obstáculos
formais presentes nas relações sociais que se reproduzem nos espaços
institucionais e públicos.
REFERENCIAS

www.terra.com.br/noticias/educacao/mesmo-com-avanco-pelas-cotas-negros-
enfrentam-racismo-na-
universidade,527ecf9404272410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html