Você está na página 1de 9

Acesse: www.checklistdeauditoria.com.br

1

Amostragem: O Que É E Como Utilizá-la Em Um Trabalho De Auditoria

O Que É E Como Utilizá-la Em Um Trabalho De Auditoria O Que É Amostragem E

O Que É Amostragem E Para Que Serve?

Quando surge a intenção de realizarmos uma pesquisa em busca de informações e dados acerca de determinada população de itens, podemos esbarrar na quantidade relevante de elementos presentes nesta população. Esta quantidade pode tornar inviável a abrangência total dos elementos presentes na população.

a abrangência total dos elementos presentes na população. Seja por falta de recursos, tempo ou outro

Seja por falta de recursos, tempo ou outro motivo, faz-se justificada a utilização da técnica de Amostragem para a obtenção das informações pretendidas.

Mas o que precisamente vem a ser a Amostragem?

Podemos definir em linguagem clara e objetiva de que a Amostragem é selecionar uma parcela, subconjunto ou parte de um universo ou população para que se possa definir com base nesta parcela as características da população. Existem duas formas de selecionarmos esta parcela de elementos

Acesse: www.checklistdeauditoria.com.br

2

dentro da população total, e estas são: Amostragem Estatística e Amostragem Não-Estatística, também chamadas de Probabilística e Não Probabilística.

Amostragem Estatística

A Amostragem Estatística é realizada através de técnicas de

probabilidade matemática que garantem que o parcela selecionada

da população tenha as mesmas características desta.

Este tipo de amostragem evita que o pesquisador (no nosso caso o Auditor) possa ter qualquer tipo de escolha sobre a inclusão ou exclusão de um item, permitindo que todos possam ter a mesma possibilidade de pertencer à amostra.

possam ter a mesma possibilidade de pertencer à amostra. Esta inclusão/exclusão é feita através de técnicas

Esta inclusão/exclusão é feita através de técnicas matemáticas como tabelas com números aleatórios, sistemas próprios para este fim, números gerados por computador, etc.

Amostragem Não Estatística

A Amostragem Não Estatística é logicamente o contrário da

Estatística, ou seja, quando não se pode ter certeza de que os elementos escolhidos para fazerem parte da amostra possuem as

características da população.

A Amostragem Não Estatística não se utiliza das probabilidades

matemáticas como a Estatística e sim do feeling do pesquisador, ou

seja, a experiência e o conhecimento que o pesquisador possui para

Acesse: www.checklistdeauditoria.com.br

3

selecionar as amostras.

De modo simplificado estes são os dois tipos de Amostragem utilizados ao se escolher uma parcela de elementos para aplicação de testes e procedimentos.

Mas, como que a Auditoria pode utilizar a Amostragem para realizar seu trabalho?

Qual

Amostragem?

O

Objetivo

Do

Auditor

Ao

Usar

Técnicas

De

Na execução de seus trabalhos de auditoria, na maioria das vezes, o profissional auditor se depara com um volumoso conjunto de informações, dados e documentos e muitas vezes impossibilitado por tempo ou recursos torna-se inviável a análise da totalidade dos elementos de uma população.

a análise da totalidade dos elementos de uma população. É diante desta situação que o Auditor

É diante desta situação que o Auditor lança mão das técnicas de Amostragem para facilitar seu trabalho.

De acordo com a NBC TA 530 – Amostragem em Auditoria, o Objetivo do Auditor ao utilizar a amostragem em auditoria é o de proporcional uma base razoável para o auditor concluir quanto à população da qual a amostra é selecionada.

As técnicas de amostragem utilizadas corretamente pelo auditor possibilitarão selecionar unidades de amostragem que tenham a mesma probabilidade de serem escolhidas do que qualquer outra

Acesse: www.checklistdeauditoria.com.br

4

unidade

dentro

da

população

total,

formando

assim

uma

base

razoável

para

que

o

auditor

tire

suas

conclusões

acerca

desta

população.

Definição Da Amostra, Tamanho E Seleção Dos Itens Para Teste

De acordo com a mesma NBC TA 530 – Amostragem em Auditoria, ao definir qual amostra o auditor irá selecionar, deve levar em consideração quais os objetivos que pretende alcançar e quais os procedimentos de auditoria utilizados para atingir esses objetivos.

Então, é importante para o auditor ter bem claro os objetivos e meios que utilizará para alcançá-los quando for selecionar a amostra a ser testada nos trabalhos.

quando for selecionar a amostra a ser testada nos trabalhos. PROCEDIMENTOS → OBJETIVOS → AMOSTRA Na

PROCEDIMENTOS OBJETIVOS AMOSTRA

Na questão do tamanho da amostra a ser utilizada, este é determinado através de uma análise que o auditor deverá fazer da taxa esperada de desvio ou distorção na população.

Se a distorção for muito alta o auditor deve optar por realizar um exame completo ou uma amostra maior na execução dos testes.

Concluindo, através de seu julgamento o Auditor determinará se utiliza a amostragem estatística ou não-estatística, porém o tamanho da amostra não é válido para a escolha da amostragem estatística ou não estatística.

Acesse: www.checklistdeauditoria.com.br

5

Outro fator importante que devemos levar em consideração é o nível do risco que o auditor está disposto a aceitar em um trabalho de auditoria.

Quanto maior for essa disposição ao risco menor será a amostra por ele selecionada e quanto menor a tolerância ao risco maior será a amostra, podendo ser admitida a totalidade da população.

Os quadros a seguir demonstram exemplos de fatores que influenciam o tamanho da amostra a ser escolhida:

que influenciam o tamanho da amostra a ser escolhida: (fonte: COSIF – Portal de Contabilidade) (link:

(fonte: COSIF – Portal de Contabilidade)

(link: http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=nbcta530ind)

Acesse: www.checklistdeauditoria.com.br

6

(fonte: COSIF – Portal de Contabilidade)
(fonte: COSIF – Portal de Contabilidade)

(link: http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=nbcta530ind)

http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=nbcta530ind ) O Quadro abaixo trata acerca dos itens para teste: (fonte:

O Quadro abaixo trata acerca dos itens para teste:

) O Quadro abaixo trata acerca dos itens para teste: (fonte: COSIF – Portal de Contabilidade)

(fonte: COSIF – Portal de Contabilidade)

(link: http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=nbcta530ind)

Acesse: www.checklistdeauditoria.com.br

7

Como Utilizar Amostragem Em Trabalhos De Auditoria?

Para entendermos todos esses conceitos em termos práticos e úteis quero propor um exemplo bem simples e rotineiro de um trabalho de auditoria das contas contábeis.

Suponhamos que o Auditor irá aplicar procedimentos de auditoria para atestar os saldos, movimentações e lançamentos das contas Bancos da empresa.

Dependendo do tamanho da empresa, seu ramo de atuação, número de contas bancárias, volume do fluxo de caixa, o volume existente pode ser inviável para uma análise da população completa.

ser inviável para uma análise da população completa. Existem empresas com milhares de transações mensais e

Existem empresas com milhares de transações mensais e até diárias cabendo ao auditor optar pela utilização das técnicas de amostragem estatística e ou não estatística para seus testes.

Em nosso exemplo, por motivos de limitação de tempo e recursos o auditor opta por utilizar amostragem não-estatística para determinar a amostra que representará a população e onde serão aplicados os testes e procedimentos de auditoria.

Então ele determina um período (mensal, trimestral, semestral) e dentro deste período irá selecionar sua amostra de forma que cada item tenha a mesma probabilidade de ser escolhida.

Há diversos métodos de seleção de amostra (conforme quadro logo acima) e o escolhido pelo auditor no nosso exemplo foi o método

Acesse: www.checklistdeauditoria.com.br

8

de Seleção ao Acaso, que é o método de selecionar uma amostra sem seguir uma técnica estruturada para tal. Fazendo uso de sua experiência e percepção, ele seleciona dentro do período escolhido os lançamentos que formarão a amostra. Mesmo sem possuir uma técnica estruturada nesse método de seleção o auditor não deve ser intencionalmente tendencioso ou previsível quanto à escolha ou exclusão de determinado item da amostra (por exemplo evitar itens difíceis de localizar, de entender, etc.).

O Auditor percorre visualmente o razão contábil da conta bancos, no período escolhido, e através de sua percepção seleciona ou separa os lançamentos aparentemente fora do padrão geral onde possivelmente possa haver irregularidades, erros ou distorções.

possa haver irregularidades, erros ou distorções. De posse destes lançamentos solicita todas as provas

De posse destes lançamentos solicita todas as provas possíveis acerca da veracidade e realidade daqueles acontecimentos (notas fiscais, contratos, recibos, relatórios, circularização, etc.).

Conclusão E Formação De Opinião Por Parte Do Auditor

Feitos todos os testes e aplicados os procedimentos o Auditor deve chegar a conclusões acerca de seus trabalhos. O Auditor determina se os testes e procedimentos aplicados sobre a amostra selecionada da população são suficientes para tirar conclusões seguras ou com riscos mínimos sobre a totalidade da população.

Este assunto é de suma importância para a auditoria e não é nosso objetivo esgotar todos os conceitos e técnicas inerentes ao assunto apenas com este artigo, mas nosso intuito foi esclarecer de forma

Acesse: www.checklistdeauditoria.com.br

9

simples e prática essa técnica tão utilizada em trabalhos de auditoria.

Se você quiser se aprofundar no assunto sugiro que leia a Norma Técnica (NBC TA 530 – Amostragem em Auditoria) que faz parte das

Normas Brasileiras

Portal de Contabilidade)

de

Contabilidade. (Fonte: www.cosif.com.br –

Marlon Luiz de Freitas Silva Checklist de Auditoria ©

(Fonte: www.cosif.com.br – Marlon Luiz de Freitas Silva Checklist de Auditoria © Checklist de Auditoria 9