Você está na página 1de 4

AO ILMO(A). SR(A).

GERENTE EXECUTIVO DA AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA


SOCIAL DE CIDADE - UF

XXXXXXXXXXXXX, brasileira, maior, casada, professora,


inscrita no CPF sob o nº XXX.XXX.XXX-XX, residente e domiciliada
nesta cidade, vem, por meio dos seus procuradores, requerer a concessão
de APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO,
pelos seguintes fundamentos fáticos e juridicos que passa a expor:

I – DOS FATOS

A Requerente, nascida em XX de janeiro de XXXX, no município de XXXXXXX -


UF, contando atualmente com 49 anos de idade, trabalhou na atividade rural desde criança,
em regime de economia familiar, até junho de 1986 (tempo de serviço já reconhecido pelo
INSS).

O quadro a seguir demonstra, de forma objetiva, os diversos anos de atividades


laborativas, de modo que os requisitos ensejadores do benefício tornam-se incontroversos,
senão vejamos:

Data Inicial Data Final Local de trabalho Tempo de Contribuição


06 anos, 05 meses e 01 dia.
Regime de Economia Tempo de serviço já
01/01/1980 01/06/1986
Familiar reconhecido pelo INSS - NB:
171.689.378-7.
Prefeitura Municipal de 29 anos, 04 meses e 01 dia
02/06/1986 01/08/2015
XXXXXXXXXXX
Tempo de Contribuição 35 anos, 07 meses e 01 dia
Carência 351 contribuições
Página 1 de 4
É importante referir que a segurada efetuou requerimento administrativo anterior, o
qual foi deferido. Todavia, a Requerente não aceitou o benefício, em face da baixa renda
mensal inicial.

Destaca-se, inclusive, que a Requerente não recebeu nenhum pagamento do referido


benefício, o que torna possível a renúncia, com fulcro no parágrafo único do art. 181-B do
Decreto 3.048/99.

II – DO DIREITO

A nova aposentadoria por tempo de contribuição, ainda não disciplinada em


legislação infraconstitucional, encontra-se estabelecida no art. 201, § 7o, I, da Constituição
Federal e nos arts. 52 a 56 da Lei 8.213/91, exceto naquilo em que forem incompatíveis com
o novo regramento constitucional.

O fato gerador da aposentadoria em apreço é o tempo de contribuição, o qual, na


regra permanente da nova legislação é de 30 anos para as mulheres. Este período
corresponde ao tempo de vínculo previdenciário, sendo também consideradas aquelas
situações previstas no art. 55 da lei 8.213/91. Dessa forma, este requisito se mostra
preenchido, uma vez que possui, conforme a tabela supra, 35 anos, 07 meses e 01 dia.

Quanto à carência, cabe dizer que já efetuou 351 recolhimentos, número superior
aos 180 meses exigidos, conforme o art. 25, II, da lei 8.213/91.

Destarte, cumprindo os requisitos exigidos em lei, tempo de serviço e carência, a


Requerente adquiriu o direito à aposentadoria por tempo de contribuição.

Da DER e a greve do INSS

Informa a Requerente que tentou agendar o novo benefício no dia 13 de julho de


2015, por meio do sítio eletrônico do INSS. Todavia, tal procedimento não foi aceito pelo
sistema em razão do deferimento do benefício anterior – comprovante anexo. Ainda assim,
houve tentativa de agendar o benefício por meio do telefone 135, mas a atendente
informou que seria necessário aguardar o encerramento da greve do INSS para
Página 2 de 4
efetuar o agendamento na Agência, sob a justificativa que o sistema não permitia o
procedimento (protocolo 17028426910).

Dessa forma, considerando que o benefício não pôde ser agendado no dia
13/07/2015 unicamente em razão da greve do INSS, conforme comprovantes anexos,
torna-se imperioso que seja reconhecido o agendamento realizado em 13/07/2015.

Por fim, considerando que houve alteração do método de cálculo de pontos no


momento da conversão da MP 676 na Lei 13.183/2015, requer a reafirmação da DER para
01/08/2015.

III – DO PEDIDO

ISSO POSTO, requer:

a) O computo do tempo de serviço rural já reconhecido pelo INSS no processo


administrativo NB: 171.689.378-7 - período de 01/01/1980 a 01/06/1986;

b) A renúncia do benefício nº 171.689.378-7, com fulcro no parágrafo único do art. 181-B


do Decreto 3.048/99;

c) O reconhecimeto de que a Requerente solicitou o benefício no dia 13/07/2015;

d) A reafirmação da DER para 01/08/2015, com fulcro no art. 690 da INSTRUÇÃO


NORMATIVA INSS/PRES Nº 77;

e) A concessão do benefício de APOSENTADORIA POR TEMPO DE


CONTRIBUIÇÃO, a partir de 01/08/2015;

f) A Requerente opta, desde já, pela não incidência do fator previdenciário, eis que
conta com mais de oitenta e cinco pontos, conforme previsão do art. 29-C, inciso II, da
Lei 8.213/91, incluído pela Lei 13.183/2015;

Página 3 de 4
g) Subsidiariamente, caso não sejam apurados oitenta e cinco pontos até a data do
agendamento, requer a reafirmação da DER para a data em que o requisito foi
preenchido.
Santa Maria, 15 de dezembro de 2015.

Átila Moura Abella Rodrigo Baril dos Santos


OAB/RS 66.173 OAB/RS 83.669

Página 4 de 4

Você também pode gostar