Você está na página 1de 401

PALESTRAS DE

KYOSHU-SAMA
1998 - 2013

Organizado por:

Min. Alexandre dos Santos Guedes


Profa. Maria Inês Aubert
(Palestras de 1998 a 2007)

Rodrigo Mesquita Burguete Santos


(Palestras de 2008 a 2010)

César De Felipo Aubert


(Palestras de 2010 a 2013)
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

ÍNDICE

01 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (ABRIL DE 1998)...............................................................4


02 - CERIMÔNIA COMEMORATIVA PELA SUCESSÃO DO TRONO DE KYOSHU (ABRIL DE
1998)...................................................................................................................................................... 6
03 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (ABRIL DE 2000).............................................................7
04 - A CHEGADA DE UM NOVO SÉCULO (JANEIRO DE 2001)...................................................13
05 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO DE 2002)............................18
06 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO DE 2003)............................22
07 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO DE 2004)............................27
08 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2004).................................................34
09 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2004).................................................42
10 - CULTO DE INAUGURAÇÃO DO CENTRO DE APRIMORAMENTO (FEVEREIRO 2004)....51
11 - RELATÓRIO DA COMISSÃO DE PROJETO CONJUNTO (JUNHO DE 2004).......................54
12 - CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE (JUNHO DE 2004)..........................................................59
13 - CULTO DE NATALÍCIO DE MEISHU-SAMA (DEZEMBRO DE 2004).....................................64
14 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO DE 2005)............................77
15 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO DE 2005)............................84
16 - CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE (JUNHO DE 2005)..........................................................88
17 - CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE (JUNHO DE 2005)........................................................102
18 - CULTO DE OUTONO (OUTUBRO DE 2005)...........................................................................113
19 - CULTO DE OUTONO (OUTUBRO DE 2005)..........................................................................126
20 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO DE 2006)..........................135
21 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2006)...............................................141
22 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2006)...............................................147
23 - CULTO AOS ANTEPASSADOS (JULHO DE 2006)................................................................152
24 - CULTO AOS ANTEPASSADOS (JULHO DE 2006)................................................................164
25 - ENCONTRO COM CARAVANISTAS (OUTUBRO DE 2006)..................................................174
26 - CULTO DE NATALÍCIO DE MEISHU-SAMA (DEZEMBRO DE 2006)...................................177
27 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO DE 2007)..........................189
28 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2007)...............................................197
29 - CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE (JUNHO DE 2007)........................................................208
30 - CULTO DE OUTONO (OUTUBRO DE 2007)..........................................................................218
31 - PURIFICAÇÃO – DÁDIVA DE DEUS (JANEIRO DE 2008)...................................................231
32 - O NOVO PARAÍSO JÁ ESTÁ CONCLUÍDO (ABRIL DE 2008).............................................241
33 - VAMOS PARTILHAR AS BÊNÇÃOS DE DEUS (SETEMBRO DE 2008).............................253
34 - CULTO DO NATALÍCIO DE MEISHU-SAMA (DEZEMBRO DE 2008)..................................263
35 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (MARÇO DE 2009)......................................................275
36 - A TRANSIÇÃO PARA A ERA DO DIA ESTÁ CONCLUÍDA EM VOCÊ? (JULHO 2009).....288

2
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

37 - MEISHU-SAMA, O MODELO BÁSICO DO SER HUMANO PARADISÍACO (NOVEMBRO DE


2009).................................................................................................................................................. 294
38 - UM NOVO SOLO SAGRADO INVISÍVEL ESTÁ BRILHANDO DENTRO DE CADA UM DE
NÓS (NOVEMBRO DE 2009)........................................................................................................... 302
39 - A LUZ ESTÁ BRILHANDO DENTRO DA NOSSA CONSCIÊNCIA (JANEIRO DE 2010)....306
40 - AS PESSOAS QUE DESEJAM CONDUZIR OUTRAS PESSOAS AO PARAÍSO,
NATURALMENTE O ALCANÇAM (FEVEREIRO DE 2010)..........................................................310
41 - SALVAR É CONSCIENTIZAR AS PESSOAS SOBRE A ETERNIDADE DA VIDA (JULHO
DE 2010)............................................................................................................................................ 316
42 - O SUPREMO DEUS GOVERNA CADA INSTANTE DA NOSSA VIDA (DEZEMBRO DE
2010).................................................................................................................................................. 324
43 - NÃO PODEMOS NOS ESQUECER DO NOSSO SENTIMENTO INICIAL (JANEIRO DE
2011).................................................................................................................................................. 334
44 - O PARAÍSO É A ORIGEM DE TODA A CRIAÇÃO (ABRIL DE 2011)...................................338
45 - CONDOLÊNCIAS AOS FAMILIARES DAS VÍTIMAS DO TERREMOTO E DO TSUNAMI
QUE ATINGIRAM A REGIÃO NORDESTE DO JAPÃO EM 11 DE MARÇO DE 2011.................347
46 - JUÍZO FINAL: O FIM DO NOSSO SENTIMENTO EGOÍSTA (JULHO DE 2011)..................350
47 - UMA CIVILIZAÇÃO ONDE O SUPREMO DEUS SE MANIFESTA (DEZEMBRO 2011)......358
48 - OS SERES HUMANOS SÃO A CASA DE DEUS (JANEIRO DE 2012)................................365
49 - O SUPREMO DEUS É A ESSÊNCIA QUE SE ENCONTRA NO CERNE DE TODOS OS
SERES (MARÇO DE 2012).............................................................................................................. 368
50 - O SOL ESPIRITUAL QUE BRILHA EM CADA UM DE NÓS (JANEIRO DE 2013)..............375
51 - DEUS ESTÁ ABSOLUTAMENTE VIVO DENTRO DE NÓS (AGOSTO DE 2012)................378
52 - AS BÊNÇÃOS DE DEUS SE ESTENDEM A TODOS (FEVEREIRO DE 2013)....................386
53 - NOSSO JOHREI É O MESMO MINISTRADO POR MEISHU-SAMA (MARÇO DE 2013)....393

3
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

01 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (ABRIL DE 1998)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
Sucessão do Trono de Kyoshu
Templo Messiânico de Atami
4 de abril de 1998

Parabéns a todos pelo Culto do Início da Primavera.

Juntamente com os senhores membros, gostaria de agradecer


sinceramente a Meishu-Sama a permissão de termos realizado a
“Grande Reconciliação” em dezembro do ano passado e de
celebrarmos o significativo Culto do Início da Primavera no dia de
hoje.

Sob o espírito benevolente da 3ª Líder Espiritual, em prol da


“Grande Reconciliação” e baseado no consenso dos três grupos,
respeitosamente, passei a ocupar o trono de 4o Líder Espiritual.

A 3ª Líder Espiritual ocupou o Trono de Kyoshu durante cerca


de 30 anos - período longo e agitado da Igreja - e impulsionou a Obra
Divina de corpo e alma, cumprindo a grandiosa missão que lhe cabia,
em meio a sofrimentos indescritíveis. Gostaria de, novamente,
expressar a nossa gratidão e respeito à 3a Líder Espiritual.
(Aplausos)

Desde a época em que fui indicado como sucessor do Trono


de Kyoshu, em 1975, sob a orientação da 3a Líder Espiritual, comecei
a trilhar o caminho do aperfeiçoamento e pude somar aprendizados
muito valiosos.

Com o novo sistema direcionado para a “Grande


Reconciliação”, foi definido que o Trono de Kyoshu “dará
prosseguimento à sagrada Obra de Meishu-Sama”.

4
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

A 2ª Líder Espiritual (Nidai-Sama) e a 3ª Líder Espiritual


(Sandai-Sama), baseadas no Plano de Meishu-Sama, vieram dando
continuidade à Obra Divina de Salvação que Ele iniciou. A partir de
agora, assumirei a grandiosa missão de 4o Líder Espiritual (Yondai-
Sama).

Doravante, mantendo o espírito da 3 a Líder Espiritual, gostaria


de ouvir suas sugestões, aconselhar-me junto aos órgãos de auxílio
e, também, contar com o apoio de todos os senhores membros.

Além disso, respeitando o acordo feito entre os três grupos, em


que se visou à “Ultra-Religião Messiânica Mundial” através do
reconhecimento da divindade de Meishu-Sama e da unificação da
Obra Divina, desejo cumprir o dever de Líder Espiritual, orando
sinceramente a Meishu-Sama pela Sua proteção.

Contando com o apoio de todos os senhores, encerro minha


saudação nesta nova etapa da Obra Divina.

Muito obrigado.

5
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

02 - CERIMÔNIA COMEMORATIVA PELA SUCESSÃO DO TRONO


DE KYOSHU (ABRIL DE 1998)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Sucessão do Trono de Kyoshu
Palácio de Cristal - Atami
4 de abril de 1998

Agradeço, sinceramente, a oportunidade de encontrar-me com


todos os senhores diretores aqui, no Palácio de Cristal, após o Culto
do Início da Primavera.

Agora há pouco, ouvimos as palavras emocionadas do


presidente Matsumoto. Muito obrigado. A 3a Líder Espiritual também
nos falou sobre o seu desejo e esperança quanto ao futuro da Igreja.
Eu também captei seu sentimento ao máximo. (Risos)

Em 15 de dezembro do ano passado, graças ao nobre


sentimento da 3a Líder Espiritual pela “Grande Reconciliação”, o
acordo foi firmado. Ontem, recebi o trono de 4o Líder Espiritual e,
hoje, acumulado ao significativo Culto do Início da Primavera,
participei da Cerimônia de Sucessão do Trono de Kyoshu.
Realmente, foi muito emocionante. Conforme disse durante a
cerimônia de sucessão, de agora em diante, gostaria de caminhar
passo a passo, com firmeza, atendendo ao desejo e considerando as
opiniões da 3a Líder Espiritual, ouvindo os conselhos dos órgãos de
auxílio e contando com o apoio de todos os senhores.

Esforçar-me-ei ao máximo no cumprimento da missão de Líder


Espiritual. Estou orando sinceramente a Meishu-Sama pela Sua
orientação para que, conforme o desejo dos três grupos, nos
tornemos a Ultra-Religião, centralizada em Meishu-Sama e voltada
para a verdadeira unificação da Igreja do futuro.

Conto com o apoio de todos. Muito obrigado

6
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

03 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (ABRIL DE 2000)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Templo Messiânico de Atami
1º de abril de 2000

Parabéns a todos pelo Culto da Primavera.

É a primeira vez que me encontro com os senhores, desde o


Culto do Início da Primavera do ano retrasado, quando foi oficializada
a minha posição como Quarto Líder Espiritual. Estou muito feliz por
poder reencontrar todos os senhores num dia tão maravilhoso como
este.

Como os senhores já devem estar sabendo, há alguns dias, o


Ministério da Educação deferiu o nosso pedido de mudança dos
estatutos da Igreja, concretizando-se assim, o novo sistema baseado
no acordo de reconciliação proposto no final de 1997.

O ano 2000 é um ano histórico, e o Culto da Primavera deste


ano traz o encerramento de um longo período de distúrbio. Quero
dividir com todos os senhores, a grande alegria de, a partir de agora,
podermos colocar em prática o novo sistema de Igreja, centralizado
em Meishu-Sama, trazendo de volta a paz para a nossa Igreja.

Acredito que a implantação deste novo sistema seja uma prova


de que Meishu-Sama esteja correspondendo à fé sincera que todos
os senhores dedicaram à Obra Divina, buscando Meishu-Sama
unidos num só sentimento, sempre confortados com as preciosas
orações da Terceira Líder Espiritual que, mesmo diante de grandes
dificuldades, nunca deixou de desejar ardentemente a concretização
da Grande Reconciliação.

Gostaria de expressar aqui minha profunda gratidão a Meishu-


Sama e demonstrar minha profunda consideração e respeito à nobre
prática de fé de todos os senhores. Quero expressar minha profunda

7
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

e sincera gratidão às pessoas que abriram o caminho para o


nascimento do novo sistema e, em especial, ao reverendíssimo.
Matsumoto com sua fervorosa fé, e ao reverendo Watanabe, que se
empenhou de forma decisiva, do início até o fim dos trâmites junto à
Secretaria da Cultura.

Hoje, neste momento histórico, quero dirigir algumas palavras


por ocasião da comemoração deste novo início. Como os senhores
sabem, em dezembro de 1997, baseado no acordo de reconciliação e
por indicação dos três grupos, assumi a posição de Líder Espiritual,
na época em que a Igreja atravessava um momento de muita
turbulência, sucedendo a Terceira Líder Espiritual, que cumpriu sua
sagrada missão de desenvolver a Obra Divina por mais de 30 anos.
Fui então, nomeado Quarto Líder Espiritual da Igreja.

Por isso, vim incessantemente até os dias de hoje procurando


descobrir a verdadeira natureza e o papel representado pelo conflito
que vivíamos dentro da história da Igreja, bem como compreender o
sentido da reconciliação. Pretendo continuar mantendo essa postura
daqui para frente. Sendo assim, posso afirmar, sem sombra de
dúvidas, que este é o meu ponto de origem como Líder Espiritual.

Os senhores receberam o “Comunicado sobre a instituição do


Novo Sistema da nossa Igreja”, texto redigido pela Comissão de
Comunicação, formada pelos três grupos.

Nesse comunicado, segundo consta no acordo de


reconciliação firmado em dezembro de 1997, há uma explicação
sobre os conflitos internos da Igreja, citando que nós os aceitamos
como uma purificação ocasionada pelo Plano Divino para mostrar o
caráter divino de Meishu-Sama de forma ampla, isto é, uma
purificação que nos faz retornar ao Plano de Salvação Mundial, que
Meishu-Sama está desenvolvendo.

Como cada um de nós vem praticando a fé em condições,


posições e ambientes diferentes, o que podemos dizer sobre esta

8
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

purificação, é que após termos a convicção de haver compreendido o


que se passou, e ao analisarmos estes treze anos da história da
Igreja de forma ampla, não chegaremos a nenhuma outra conclusão
que não seja a anteriormente citada, ou seja, o que aconteceu foi
uma purificação ocasionada pelo Plano Divino para mostrar o caráter
divino de Meishu-Sama de forma abrangente, isto é, uma purificação
que nos faz retornar ao Plano de Salvação Mundial que Meishu-Sama
está desenvolvendo. Esta forma de interpretação mostra o acordo
alcançado pelos três grupos.

Em relação à purificação pela qual passamos, tenho a mesma


noção e certeza comprovadas pelos três grupos no que diz respeito à
forma de encarar o que ocorreu.

Sendo assim, se observarmos apenas o resultado final, este


conflito tão grande foi uma purificação de profundo significado no
Plano Divino, já previsto por Meishu-Sama desde o início da Sua
Obra, com base na concretização do protótipo do Paraíso Terrestre.

Desta forma, o significado da reconciliação também vai se


esclarecendo. Ela ocorreu para que pudéssemos corresponder de
corpo e alma à Vontade Divina, manifestada através da purificação
que Meishu-Sama nos concedeu.

Ou seja, baseando-se no “Comunicado sobre a Instituição do


Novo Sistema da Igreja”, veremos que precisamos confirmar a
natureza divina de Meishu-Sama, esforçando-nos para nos voltarmos
inteiramente para o Plano Divino desenvolvido por nosso Mestre em
âmbito mundial, pois só assim, através da prática dos Ensinamentos,
conseguiremos concretizar a verdadeira unificação da Igreja, que
nada mais é do que a criação da Ultra-Religião tão desejada por
Meishu-Sama.

Além disso, o que foi dito acima, não é divulgar Meishu-Sama


como salvador de forma apenas doutrinária, como vinha sendo feito
até agora, nem tão pouco unificar o Plano Divino através de palavras

9
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

e textos, apenas numa dimensão conceitual; significa buscar o


caráter divino de Meishu-Sama e, além disso, ter este pensamento
vivo dentro de si, empenhando-nos na prática diária, confirmando a
realidade surgida a partir disso como sendo milagres. E ainda,
corresponder ao sentimento de Meishu-Sama, que nos concede tais
milagres.

Ao olharmos o caminho percorrido desde que a reconciliação


se concretizou até o dia de hoje, e o fato de estarmos no ano 2000,
exatamente 50 anos depois de Meishu-Sama haver estabelecido a
Igreja como “Igreja Messiânica Mundial”, confirmamos que a
concretização do Novo Sistema baseado na reconciliação, é
realmente uma grande permissão que recebemos e, conforme disse
anteriormente, Meishu-Sama nos concedeu tal purificação para
podermos nos corresponder com Seu sentimento. Não podemos
deixar de sentir que “agora é a hora de passarmos à prática de forma
concreta”.

O novo sistema é formado pela Igreja Messiânica Mundial,


como Igreja-Mãe, e as três entidades, que são as Igrejas-Filiais. Os
senhores são membros da “Igreja Messiânica Mundial, Igreja
Izunome”.

Porém, ao analisarmos como será a relação da Igreja-Mãe com


as Igrejas-Filiais, observamos que este sistema transitório é que dará
origem a uma só Igreja, a Igreja Messiânica Mundial como Ultra
Religião. O novo sistema não tem nenhuma relação de superior e
subalterno nem nenhuma relação restrita, muito pelo contrário, é uma
relação de caráter cooperativo, de apoio e respeito.

Desta forma, a partir de agora, cada entidade se empenhará na


pratica dos Ensinamentos de acordo com seus próprios critérios para
corresponder à Vontade Divina prevista no grande Plano,
representada pela purificação por que atravessamos nos últimos
anos. As três entidades, ao mesmo tempo que desenvolverão suas
respectivas atividades dentro do respeito mútuo, terão a postura de

10
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

respeitar o caráter religioso da Igreja-Mãe, que tem como missão


orientar os três grupos rumo a uma só Igreja.

A Igreja-Mãe deverá apoiar os três grupos, resguardando seus


critérios individuais e responsabilidades, guiando-os rumo à Igreja
Messiânica Mundial como Ultra-Religião. Posso sentir, assim, a
importância do papel que recebi dentro do novo sistema, que uniu a
Igreja-Mãe e as Igrejas-Filiais de forma religiosa.

Nem é preciso dizer que não conseguirei desempenhar minha


missão sem estar sob a orientação da Terceira Líder Espiritual e sem
contar com a sincera e devotada dedicação dos diretores da Igreja,
dos ministros e dos senhores membros.

Tenho também plena noção da grande responsabilidade e


importância do papel da Igreja-Mãe, que tem a missão de guiar as
três Igrejas-Filiais rumo a uma só Igreja. Sendo assim, desejo
desempenhar a minha missão centralizando-me na Igreja-Mãe.

Gostaria de, nesta ocasião, pedir a compreensão de todos os


senhores para este ponto. E também que todos os membros possam
sentir uma sincera gratidão pela reconciliação. Tanto espiritual quanto
materialmente, devemos, através do novo sistema, nos tornar
verdadeiramente unos com o sentimento de Meishu-Sama e
desempenhar todas as atividades paulatinamente. Desejo, do fundo
do coração, que todos os senhores compreendam e me apóiem neste
novo momento.

Gostaria, agora, de dizer algumas palavras a respeito do


reverendíssimo Matsumoto, que, nesta data tão auspiciosa, chega ao
término de suas atividades como presidente da Igreja, fazendo jus à
sua aposentadoria.

O reverendíssimo Matsumoto já estava conosco em 1972,


quando a Igreja passou por grande atribulação com o processo da
Unificação, e continuou ocupando posições importantes dentro da

11
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Igreja. Além disso, ele veio se empenhando devotadamente e atuou


como orientador neste período de mais de dez anos em que
atravessamos uma fase tão conturbada, cumprindo sua missão com
distinção.

Como citei no início, queria frisar que o reverendíssimo,


baseado no acordo de reconciliação firmado em dezembro de 1977,
veio se empenhando de corpo e alma para dar origem ao Novo
Sistema que uniu os laços entre a Igreja-Mãe e as Igrejas-Filiais,
numa postura de fé. Não podemos nos esquecer também que o
pedido de reconhecimento que demos entrada no Ministério da
Cultura também foi feito em seu nome.

Quero deixar aqui um pedido ao Revmo. Matsumoto que


continue nos orientando no que diz respeito ao empenho rumo à
verdadeira unificação, em que a Igreja-Mãe, que agora tem o
reverendo Tetsuo Watanabe como presidente, e as três entidades, se
tornem uma só Igreja, ou seja, a Ultra-Religião Igreja Messiânica
Mundial.

Antes de encerrar minhas palavras, gostaria de, nesta ocasião,


dizer aos senhores que o fato de termos a permissão de instituir o
novo Sistema no dia do Culto da Primavera, é uma prova de que
estamos correspondendo ao sentimento de Meishu-Sama, e também
de que a prática de fé dos senhores está em sintonia com a Vontade
Divina – este é o objetivo da reconciliação. Se começarmos a
desempenhar nossas dedicações a partir de hoje, confirmando mais
uma vez essa sintonia com o sentimento de Meishu-Sama e tendo
esta confirmação como apoio, tendo gratidão e com sentimento
renovado, conseguiremos superar qualquer purificação graças à
proteção de Meishu-Sama.

Encerro aqui minhas palavras, orando a Meishu-Sama que


derrame sua Luz e bênção sobre todos os senhores, que iniciam um
novo caminho a partir de hoje.

12
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Muito obrigado a todos os senhores.

13
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

04 - A CHEGADA DE UM NOVO SÉCULO (JANEIRO DE 2001)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Ano Novo e de Fundação da Igreja
Templo Messiânico de Atami
1º de janeiro de 2001

Feliz ano novo!

É com muita alegria no coração que faço minha saudação de


ano novo a todos os membros messiânicos, que vêm diariamente se
empenhando incansavelmente na prática dos Ensinamentos, com
fervorosa fé em Meishu-Sama, tanto no Japão como em outros
países.

Acredito que todos os senhores, que acabaram de deixar para


trás um século 20 tão conturbado, tanto no cenário nacional como
internacional, receberam a chegada deste novo século, que promete
ser muito iluminado, depositando muita fé e esperança na nova era
que se inicia.

Meishu-Sama deixou registrado em seus Ensinamentos que o


século 21 seria a época em que as doenças seriam curadas pelo
Johrei. E sobre o Johrei, Meishu-Sama disse que ele seria a forma
pela qual as pessoas reconheceriam a existência de Deus e do
Mundo Espiritual, através dos milagres que acontecerão com sua
prática.

Assim, podemos afirmar que a chegada do século 21 marca a


chegada de uma cultura de alto nível, que mostrará a todos a
comprovação da existência de Deus e do Mundo Espiritual através da
atuação do Johrei que curará as doenças do corpo e do sentimento
das pessoas e, em escala maior, as enfermidades que assolam o
mundo.

14
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Seguindo essa mesma linha de pensamento, Meishu-Sama


falou sobre a importante missão dos membros messiânicos dentro
deste contexto: “Os membros serão os líderes da nova cultura (Nova
Era).”

Ouvir essas palavras de Meishu-Sama exatamente quando o


século 21 acaba de nascer, significa que todos nós, que temos uma
forte afinidade espiritual nos ligando ao nosso Mestre, precisamos
reconhecer que nossa missão é a de nos tornarmos verdadeiros
instrumentos como líderes da nova cultura (Nova Era), tendo sempre
o Johrei como o centro da Obra de Salvação.

Se desenvolvermos a Obra Divina tendo constantemente esta


missão dentro de nossos corações, certamente, conseguiremos
compreender o sentimento expresso por Meishu-Sama na poesia que
escreveu em 1935, logo depois de ter fundado nossa Igreja: “Com a
chegada da Luz Divina, a longa noite começará a se clarear, e o
manto escuro que a cobria, desaparecerá por completo.” Ele queria
dizer que, através da Divina Luz do Johrei, a Era da Noite iria se
transformar na radiante Era do Dia.

Reverenciando o sentimento de Meishu-Sama por ocasião da


fundação da Igreja e compreendendo a expectativa que ele tem em
relação a nós – membros messiânicos – podemos sentir
profundamente seu forte desejo de levar adiante a nova fase do
Plano Divino neste novo século. Isso fica bem claro, quando
analisamos todo o processo por que passamos, que começou com a
mais rigorosa purificação interna ocorrida na história da Igreja,
passou pela assinatura da Grande Reconciliação, que colocou um
ponto final na purificação bem às vésperas da chegada do século 21,
e chegou à implantação do Novo Sistema da Igreja, cuja meta
principal é manifestar toda nossa força como ultra-religião.

Se pensarmos bem, será que, desde a Ascensão de Meishu-


Sama até os dias de hoje, nós definimos alguma meta clara e direta,
em relação à obra de salvação com características ultra-religiosas?

15
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Ou seja: uma meta que fosse colocada realmente em prática e não


ficasse somente na teoria ou no idealismo?

Graças a Deus, hoje, os diretores da Igreja-Mãe, juntamente


com os diretores das Igrejas-Filiais, estão buscando o sentimento que
Meishu-Sama acalentava em relação à obra de salvação
desenvolvida por uma ultra-religião, e ao desenvolvimento da obra de
construção, empenhando todos seus esforços na criação de uma
Igreja Unificada. Atualmente, existem as subcomissões, criadas de
acordo com as diversas áreas de atuação, para serem discutidos os
problemas e agilizada a execução de várias tarefas importantes que
surgirem.

A partir do próximo Culto do Início da Primavera (4 de


fevereiro), cada subcomissão será transferida para um dos grupos
que fazem parte da Sede Geral do Desenvolvimento de Projetos
Cooperativos, presidida pelo presidente mundial da Igreja Messiânica,
reverendo Tetsuo Watanabe, em que todos os projetos serão
discutidos de forma construtiva e desenvolvidos num trabalho
centralizado.

Durante o processo da Grande Reconciliação, assumi o Trono


de Kyoshu com o aval da oração da Terceira Líder Espiritual. É por
isso que acredito que minha atuação como Líder Espiritual se
baseará na concretização da vontade de Meishu-Sama, que nos
permitiu sair da longa purificação, levando-nos em direção à
formação de uma ultra-religião, evitando que tudo acabasse numa
simples reconciliação.

Levando-se em conta esse significado, desejo que os projetos


que forem desenvolvidos, possam se expandir até a esfera dos
membros e, para isso, oro do fundo do coração, para merecermos a
orientação e a proteção de Meishu-Sama. Para merecermos sua
proteção, precisamos ter a postura de sempre estar buscando
seriamente o sentimento, a vontade de Meishu-Sama.

16
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Em relação ao sistema de desenvolvimento de projetos, a


proposta principal é: “Queremos desenvolver projetos buscando
sempre a vontade de Meishu-Sama, unindo forças para criarmos um
sistema que corresponda a uma ultra-religião, que permita emanar
toda a força de salvação de Meishu-Sama, ao mesmo tempo em que
estaremos buscando a fé centralizada em Meishu-Sama, trocando
idéias sérias e construtivas, sempre pensando no futuro da nossa
Igreja.” Achei bastante digna tamanha determinação de espírito.

Se, neste ano, conseguirmos colocar em prática todas essas


propostas, certamente, estaremos também dando um grande passo
para a concretização da unificação da Igreja, além de estarmos
dando início à criação de uma maravilhosa cultura baseada na prática
do Johrei, que será o ponto chave na nossa ultra-religião. Aí sim,
estaremos abrindo as portas do século 21 que Meishu-Sama
visualizou.

Quando estamos dando os primeiros passos em direção a um


novo sistema, gostaria de aqui, juntamente com todos os senhores,
retornar àquele espírito inicial, estudando novamente o Ensinamento
“Construção do Mundo da Grande Luz”, proferido por Meishu-Sama
por ocasião da fundação da Igreja e, então, firmar o compromisso de
corresponder aos seus ideais, participando ativamente da obra de
salvação com características ultra-religiosas pregada por ele.

Creio que, somado a este compromisso, se considerarmos


Meishu-Sama como o nosso Salvador, centralizando nele nossas
atividades, desenvolvendo a Obra Divina com todo nosso mais puro
sentimento, estaremos trilhando o caminho correto que deixará todos
os pioneiros que construíram a base da nossa Igreja, muito felizes.

Acredito também que, com o avanço da nova Obra Divina, os


senhores possam passar por purificações mais severas. Mas se
todos conseguirem desenvolver suas dedicações com uma fé
inabalável em Meishu-Sama, qualquer que seja o problema que

17
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

venha a aparecer, infalivelmente, Meishu-Sama haverá de protegê-los


e, certamente, as dificuldades serão ultrapassadas.

Hoje, no primeiro dia deste magnífico ano, oro do fundo do


meu coração, para que a infinita Luz Divina e a Força de Meishu-
Sama sempre estejam presentes no coração de todos os senhores.
Assim, encerro minha saudação de ano novo.

18
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

05 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO


DE 2002)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Ano Novo e de Fundação da Igreja
Templo Messiânico de Atami
1º de janeiro de 2002

Feliz Ano Novo!

Já se passou o primeiro ano do século 21, vivido por todos com


muita esperança e expectativa.

Esse foi também, o primeiro ano sob o novo sistema instaurado


através da Reconciliação, conduzida pelo profundo e rigoroso amor
de Meishu-Sama.

Nesse período, orei por todos aqueles que estão se


empenhando diariamente na prática dos Ensinamentos e também,
dediquei-me em buscar e compreender a Vontade Divina contida no
novo sistema, nas atividades de cada projeto proposto pela “Sede
Central de Promoção de Projetos Conjuntos” que visa à unificação da
nossa igreja. Mensalmente, vim prestando relatório dessas atividades
a Meishu-Sama.

Juntamente com os senhores, alegro-me e agradeço a Meishu-


Sama, pois, para nós que buscamos aprofundar o significado da
Reconciliação e aumentar cada vez mais nossos esforços, o ano
passado foi repleto de graças e proteção.

É com muita gratidão e alegria que aproveito o início deste


novo ano para relatar-lhes que, fundamentado nos ensinamentos e
realizações de Meishu-Sama, foi instituído um caminho para a prática
do Johrei como ciência espiritual, ou seja, como salvação ultra-
religiosa.

19
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Este caminho viabiliza a outorga do Ohikari a todos que


desejem se conectar com Meishu-Sama e praticar o Johrei, método
de salvação preconizado por Ele, independentemente da religião,
credo ou etnia a que pertençam.

Quanto à forma concreta desse caminho, num primeiro


momento, deixei para que cada igreja-filial se encarregasse de
desenvolver a sua, baseando-se nas suas peculiaridades. Tendo em
mãos os resultados obtidos e adicionando a eles as devidas
considerações, então, partiremos para a instituição de um caminho
maior.

No início do ano passado, eu disse: “o século 21 é a era na


qual todas as enfermidades, tanto as do corpo e da alma quanto as
da sociedade, serão curadas através do Johrei. Em outras palavras, é
a era de uma cultura de alto nível, que reconhece a existência de
Deus e do Mundo Espiritual”. Fundamentando-me nos Ensinamentos,
confirmo que ser os responsáveis por essa nova cultura de alto nível
é nossa principal missão como fiéis.

Os muitos milagres que ocorrem, dentro e fora do país, a partir


das purificações, bem como o tema principal tratado pela “Sede
Central de Promoção de Projetos Conjuntos”, presidida pelo
reverendo Tetsuo Watanabe, presidente mundial da IMM, estão se
concentrando no Johrei como forma de salvação ultra-religiosa.

Assim, tomei a presente decisão após ficar a par do consenso


da direção e de cada um dos projetos ligados à doutrina e liturgia da
Igreja.

No que diz respeito à expansão da Obra Divina, recebemos de


Meishu-Sama, que almeja a “era de cultura de alto nível” a missão de
“responsáveis” pela sua criação através da prática do Johrei,.
Portanto, gostaria que cada um de nós, com espírito renovado,
tivesse essa consciência e se dedique à prática do Johrei.

20
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Simultaneamente, buscar aquele sentimento que Meishu-Sama


depositou no Johrei através de suas experiências e nos
Ensinamentos da Salvação que Ele escreveu, para assim, receber
d’Ele Luz e Força infinitas, reconfirmando a nossa missão e
revigorando nossa motivação, participando ativamente na Obra
Divina de Salvação com características Ultra-religiosas é o caminho
para correspondermos ao desejo de Meishu-Sama, aquele a quem
louvamos como Salvador.

Imbuídos do sentimento de gratidão por sermos humanos,


seres que trazem consigo o brilho da alma que é a própria centelha
divina, deveríamos nos esforçar para nos aproximarmos, um pouco
que seja, do sentimento de Meishu-Sama. Será que o desejo do
nosso Mestre não seria ver nosso empenho em nos aprimorarmos e
progredirmos?

Neste ano, comemoraremos o 120º aniversário de Meishu-


Sama e, concomitantemente, o 50º aniversário do Museu de Belas
Artes de Hakone e o 20º aniversário do Museu de Belas Artes MOA
de Atami.
Este ano marca o início de um novo caminho para a prática do
Johrei, bem como, um momento de grande importância para as
atividades dos museus de arte. Acredito que através da coincidência
desses momentos podemos perceber a vontade de Meishu-Sama:
assim como no caso do Johrei, abrir e unificar o caminho de salvação
ultra-religiosa também para as atividades artístico-culturais, para a
Agricultura Natural e para o movimento pela alimentação natural.

Quanto às atividades artístico-culturais, na época da


reconciliação da Igreja, felizmente, foram compilados, no material
intitulado “Sobre os fundamentos em comum que acompanham as
atividades do Museu de Belas Artes”, ensinamentos e realizações de
Meishu-Sama a respeito desse tema.

Alicerçados nesses fundamentos, as atividades dos museus de


belas artes da Fundação MOA de Arte e Cultura, que tem como

21
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

presidenta a Terceira Líder Espiritual, bem como os planos de


trabalho para este ano já foram estabelecidos através da colaboração
entre a Fundação e os projetos artístico-culturais.

É uma grande alegria constatar que, também nesse aspecto, o


trabalho em prol da unificação da nossa igreja está avançando
progressivamente.

Gostaria que, neste significativo e memorável ano, todos os


senhores pudessem vivenciar no seu cotidiano as palavras de
Meishu-Sama “salvação através do Belo” e que, através do cultivo da
beleza de sentimento, no interior de cada um, se envolvessem em
atividades que visam a transformação do mundo em paraíso.

No ano passado, eventos como os ataques terroristas aos


Estados Unidos, trouxeram à tona uma série de problemas que nos
fazem perceber a chegada do momento da grande transição.

Esses problemas constituem um alerta às ações de toda a


humanidade, mas também devem ser encarados como um problema
particular nosso, do nosso estilo de vida e do nosso sentimento. Por
isso, precisamos aprender humildemente com eles e seguir nosso
caminho.
Este caminho consiste na prática conjunta do Johrei, das artes
e cultura, da agricultura e da alimentação natural, que nos foram
legados e que se fundamentam na energia primordial de todas as
atividades do universo. Agindo assim, certamente seremos
agraciados com a permissão de avançarmos ainda mais em direção à
concretização da “unificação da nossa igreja” como ultra-religião.

Gostaria de aproveitar o início desse ano promissor para, sob a


proteção da ilimitada Luz e Força Divina, reafirmar o compromisso de
me dedicar, em sentimento uno com os senhores, em prol do Plano
Divino de Meishu-Sama que se renova a cada instante. Muito
obrigado!

22
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

06 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO


DE 2003)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Ano Novo e de Fundação da Igreja
Templo Messiânico de Atami
1º de janeiro de 2003

Feliz Ano Novo a todos!

Neste magnífico início do novo ano, oro do fundo do coração


para que todos os senhores, que estão ligados a Meishu-Sama
através do elo espiritual e envolvidos pela sua Luz de intenso amor,
possam se empenhar na nova Obra Divina, com alegria e esperança.

Neste ano, estamos comemorando o quinquagésimo ano da


conclusão do Solo Sagrado de Hakone, o primeiro protótipo
construído por Meishu-Sama, baseado no Plano Divino de
estabelecer o Paraíso Terrestre.

Estamos igualmente comemorando os cinquenta anos da


publicação do livro “Vou Salvar os Estados Unidos”, de autoria de
Meishu-Sama, e do início da ampliação da Salvação, em âmbito
mundial, que teve início no Havaí.

Voltando a nossa atenção para a atividade de salvação,


podemos notar que Meishu-Sama criou a Agricultura Natural
fundamentado na Grande Natureza. Para sua divulgação e
ampliação, ele criou a Associação de Divulgação da Agricultura
Natural, que está completando também o seu quinquagésimo ano.

Após o estabelecimento do Novo Sistema que fora implantado


na primavera do ano 2000, com base no Acordo de Reconciliação, os
senhores, até hoje, vieram, se empenhando nas atividades,
centralizados na Igreja-filial, vivificando suas peculiaridades e

23
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

centralizando firmemente o pensamento em Meishu-Sama e nas


atividades do Johrei.

Por outro lado, graças às sinceras dedicações dos senhores,


foi possível planejar de forma ainda mais perfeita as obras de
construção dos Solos Sagrados de Hakone e de Kyoto. Além disso, o
ideal de se estabelecer a Zuisen-Kyo (N.T.: Terra da Fartura,
expressão utilizada pela primeira vez pelo Quarto Líder Espiritual, em
1999), proposta por Meishu-Sama, está se ampliando no Japão e no
exterior, através da fazenda Izu Ohito.

No ano passado, comemoramos o quinquagésimo ano de


inauguração do Museu de Belas-Artes de Hakone, o vigésimo ano de
inauguração do Museu de Belas-Artes MOA e o trigésimo ano de
instituição da Academia Sanguetsu. Os senhores, com base nos
ideais das Igrejas-filiais (N.T.: Igrejas Izunomê, Luz do Oriente e Luz
Divina), vieram se empenhando, centralizados na Associação de
Amigos do Museu de Belas-Artes e no Voluntariado da Arte. Assim, o
encaminhamento de pessoas ao Museu de Belas-Artes foi realizado
ativamente.

Ao observar o empenho sincero dos senhores no dia-a-dia,


sinto-me realmente agradecido e prevejo um futuro cada vez mais
promissor.

No decorrer das atividades da Sede do Desenvolvimento do


Projeto Conjunto, estabelecida como órgão de desenvolvimento do
Acordo de Reconciliação, viemos buscando o desejo de Meishu-
Sama contido no Novo Sistema e o rumo que devemos seguir. Assim,
os projetos que fazem parte da Sede de Desenvolvimento, estão
avançando firmemente. Gostaria de salientar que, no ano passado,
foi dado um novo passo rumo à concretização do Acordo de
Reconciliação.

Isso aconteceu graças a todos os ministros que, mais uma vez,


baseados no acordo e não se limitando ao estudo do objetivo da

24
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

reconciliação e do significado do Novo Sistema, decidiram elaborar


um plano detalhado para a execução desses estudos. Para isso, cada
Igreja-filial veio realizando aprimoramentos conforme suas
expectativas.

Afinal, a existência do Acordo de Reconciliação está em tornar


evidente o caráter divino de Meishu-Sama. Esse acordo, centralizado
no Plano de Salvação do Mundo, desenvolvido por Meishu-Sama,
objetiva instituir uma Igreja ultra-religiosa.

Por conseguinte, a Sede de Desenvolvimento do Projeto


Conjunto, centralizada nos Projetos de Consolidação da Doutrina e
de Liturgia, iniciou um trabalho exaustivo na coleta dos feitos e
Ensinamentos de Meishu-Sama.

Como resultado, foi apresentado ao Conselho Diretor um


documento intitulado “A Vida de Meishu-Sama — Salvação e
Construção” no qual se aborda o caráter divino de Meishu-Sama
como salvador, e de que forma ele vem desenvolvendo sua obra de
salvação do mundo e a construção do Paraíso Terrestre.

Nem é preciso dizer que Meishu-Sama, baseado nas


revelações do Supremo Deus, ensinou-nos a Verdade e, para
transmiti-la a toda humanidade, devotou-se de corpo e alma à
publicação de uma enorme quantidade de Ensinamentos e salmos.

Além disso, por meio de Johrei, da agricultura natural, dos


alimentos naturais, das belas-artes e da cultura que fazem parte das
três colunas da salvação, Meishu-Sama desejou salvar e tornar
paradisíaca a família e o indivíduo, que é o protótipo do mundo.
Assim, construindo e ampliando o modelo do Paraíso Terrestre e
ensinando, paralelamente, a Verdade, ele desenvolveu e ainda hoje
continua desenvolvendo a Obra Divina de “Salvação e Construção”.

25
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

No documento a que nos referimos, elaborado recentemente,


está registrada, juntamente com o caráter divino de Meishu-Sama, a
questão básica, ou seja, o mecanismo da “salvação e construção”.

Tive a oportunidade de participar da reunião da Sede de


Desenvolvimento do Projeto Conjunto, em dezembro passado, na
qual foram discutidos assuntos relacionados ao documento já citado.
Foram, então, determinados os seguintes pontos:

Cada uma das três Igrejas-filiais, como instituição deve


estabelecer Meishu-Sama como salvador, com base em seus
Ensinamentos e feitos;

Conforme já fora determinado, ficou decidida a elaboração do


plano para concretização do Acordo de Reconciliação, por cada uma
das três Igrejas-filiais. O acordo será baseado na autonomia de cada
Igreja-filial no mecanismo de salvação e construção de Meishu-Sama.

No dia 18 de dezembro, tomei conhecimento dessa decisão, e


os diretores das três Igrejas-filiais, os integrantes da Sede do
Desenvolvimento de Projeto Conjunto e eu dirigimo-nos ao Santuário
Komyo de Hakone onde oramos e nos comprometemos a estabelecer
uma Igreja ultra-religiosa.

No ano passado, cada uma das três Igrejas-filiais consolidou o


caráter divino de Meishu-Sama e já está trabalhando com o objetivo
de elaborar o plano que será executado a partir do início da
primavera deste ano.

Como tenho dito repetidas vezes, fui nomeado Líder Espiritual


no curso dos trabalhos que visam à reconciliação e, por isso, sinto
que minha missão é levar a cabo a concretização do Acordo de
Reconciliação, o que também é a Vontade Divina.

Por isso mesmo é que no ano passado, como primeiro passo


para a concretização desse acordo, pudemos tornar claro o caráter

26
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

divino de Meishu-Sama como salvador. Considero significante o fato


de ser possível iniciar, na primavera, de forma substancial, a marcha
que permitirá a centralização no Plano Mundial de Meishu-Sama de
conformidade com o mecanismo de salvação e construção.

Nessas circunstâncias, alcançamos o ponto marcante do novo


Plano Divino e sabemos que existe uma grande expectativa, tanto
dentro quanto fora da Igreja, em relação ao Acordo de Reconciliação.
Assim, ao mesmo tempo em que almejo corresponder à Vontade de
Deus referente à purificação da nossa Igreja à luz do Plano Divino,
gostaria que, humildemente, buscassem e acreditassem nos
Ensinamentos e feitos de Meishu-Sama e, unidos, avançassem
destemidamente.

Atualmente, ao observarmos o nosso redor, verificamos que a


purificação está cada vez mais rigorosa. Isso mostra que a luz e a
força de Meishu-Sama estão atuando de forma mais intensa e mais
ampla. A alma de cada um de nós, que estamos ligados a Meishu-
Sama através do elo espiritual, também está se tornando mais
brilhante.

Aceitando esse fato com convicção, quero orar com fervor para
que durante o ano em curso, empenhemo-nos juntos em prol da Obra
Divina, sob a orientação de Meishu-Sama.

Gostaria de encerrar minhas palavras, orando pela felicidade e


sucesso na atividade de todos os senhores.

Muito obrigado!

27
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

07 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO


DE 2004)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Ano Novo e de Fundação da Igreja
Templo Messiânico de Atami
1º de janeiro de 2004

Gostaria de agradecer do fundo do meu coração a permissão


de iniciar o novo ano juntamente com Meishu-Sama, Salvador da
humanidade, que possui a natureza Divina do Supremo Deus.

Relembrando os membros do Japão e do exterior que iniciam


este magnífico ano, cheios de sonhos e esperanças, envolvidos pela
Luz e grande amor de Meishu-Sama, gostaria de iniciar a nova
partida.

No ano passado, comemoramos o qüinquagésimo ano de


conclusão do Solo Sagrado da Terra Divina de Hakone, o primeiro
protótipo do Paraíso Terrestre e Solo Sagrado da nossa Igreja,
inaugurado por Meishu-Sama, de acordo com o Plano Divino, no dia
15 de junho de 1953. Também, comemoramos os 50 anos do início
da difusão no exterior e do estabelecimento da Comissão de
Divulgação da Agricultura Natural.

Em meio a esses acontecimentos importantes e baseados no


Acordo de Reconciliação — “Tornando claro a natureza divina de
Meishu-Sama, centralizados no Plano Divino realizado por ele em
âmbito mundial” — várias atividades foram desenvolvidas com o
objetivo de estabelecer uma Igreja ultra-religiosa.

Um dos trabalhos foi a elaboração do Plano de Execução pela


Sede de Desenvolvimento do Projeto em Conjunto baseado na “A
vida de Meishu-Sama ― salvação e construção”. Cada entidade
coligada elaborou seu Plano de Execução e colocou-o em prática
visando ao cumprimento do o Acordo de Reconciliação.

28
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Visando consolidar atividades ultra-religiosas, viemos


desenvolvendo, em nosso país e no exterior, a prática do “Johrei sem
conversão religiosa” transpondo as diferenças raciais e religiosas.
Como resultado disso, com o surgimento de sucessivos milagres, o
círculo de salvação foi ampliado.

Nessas condições, teve início a reunião informal entre mim e


os diretores de cada entidade coligada. Assim passei a receber os
relatórios sobre atividades e situações de cada entidades. Comecei
igualmente a participar dos cultos de cada entidade coligada. Assim,
sinto-me feliz, pois através disso estou tendo oportunidade de
encontrar-me pessoalmente com os senhores.

Além disso, os integrantes das três entidades coligadas, unidos


num só corpo, vêm desenvolvendo as atividades do Museu de Arte
MOA.

No ano passado, realizaram-se estudo de ensinamentos de


Meishu-Sama relacionados à Arte que foram postos em prática
através da atividade “Voluntariado da Arte”. Foi realizada também a
exposição das obras magníficas do Museu de Arte MOA, no museu
da cidade de Itinomiya, na Província de Aiti. O objetivo era expandir o
ensinamento de Meishu-Sama intitulado “A salvação através do Belo”.
Graças ao empenho dos membros da área de difusão de Tyubu,
houve participação de grande número de pessoas. Assim, tivemos
uma avaliação positiva por parte da sociedade local, em relação a
Meishu-Sama (Mokiti Okada) e ao Museu de Arte MOA.

Nas conversações sobre o Projeto de Divulgação da Sede de


Desenvolvimento, objetivamos a ampliação da consciência voltada
para o estabelecimento de uma Igreja única e a compreensão em
relação a cada entidade coligada ao trabalho do Projeto em Conjunto.
Assim, no outono do ano passado, pudemos lançar um informativo.
Na edição inaugural expus o meu sentimento relacionado ao
desenvolvimento da reconciliação.

29
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O referido Informativo foi intitulado “Dai Keirin” (NT.: O Grande


Plano Divina). Estou convicto de que o melhor caminho para a
verdadeira unificação é a postura de nos centralizarmos no plano
desenvolvido no dia-a-dia por Meishu-Sama. Desejo que o
Informativo “Dai Keirin” seja lido por um grande número de pessoas.

Este ano, estamos completando cinquenta anos da Cerimônia


de Comemoração Provisória da Vinda do Messias, de grande
importância quanto à natureza divina de Meishu-Sama e que ocorrera
no ano anterior à sua ascensão. No dia 15 de junho de 1954, Meishu-
Sama realizou solenemente essa cerimônia no Templo Messiânico,
que estava noventa por cento concluído.

No dia 5 de junho, Meishu-Sama reuniu os principais ministros


da Igreja no Solar da Nuvem Esmeralda (Hekiun-So) e falou sobre a
referida cerimônia: “Trata-se da vinda do Messias e isso quer dizer
que o Messias nasceu e não é um renascimento, mas sim, um novo
nascimento.” E acrescentou: “Esse Messias tem a posição mais
elevada do mundo: A minha vinda se reveste da maior importância,
pois graças a ela, a humanidade será salva.”

Dez dias depois, durante a Cerimônia de Comemoração


Provisória da Vinda do Messias, o presidente da Igreja comunicou
aos presentes a deliberação de chamar Meishu-Sama, dali em diante,
de Meshia-Sama (Messias). Durante dois meses subseqüentes,
Meishu-Sama manifestou as evidências da “Vinda do Messias”
chamando a si mesmo de “Messias.”

Meishu-Sama, após meio ano, exatamente no dia 11 de


dezembro, concluiu a construção do Palácio de Cristal, erigido como
modelo do Paraíso Terrestre na parte mais bonita do Solo Sagrado da
Terra Celestial de Atami. Na ocasião, Meishu-Sama disse:
“Finalmente, a Obra Divina entrou no seu verdadeiro eixo” e
prosseguiu: “Daqui para frente, baseado nos seguintes três pontos
desejo escolher elementos e conceder a qualificação sacerdotal: a
pessoas que têm excelente poder no Johrei; que têm conseguido

30
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

conduzir e salvar grande número de pessoas e que vêm se


empenhando em servir a Deus.”

“Pessoas que têm excelente poder no Johrei” são aquelas que


praticam o Johrei e, transmitindo a Luz de Meishu-Sama,
transformam as pessoas em indivíduos verdadeiramente felizes.

“Pessoas que têm conseguido conduzir e salvar grande


número de pessoas” são aquelas que, por iniciativa própria, exercem
a função de unir a Meishu-Sama grande número de pessoas através
da prática de “Três colunas da salvação”, ou seja, através da prática
do Johrei, da Agricultura Natural e Alimentação Natural e da Cultura
Artística.

“Pessoas que vêm se empenhando em servir a Deus” são


aquelas que através da dedicação monetária, da dedicação na
construção ou ainda dentro das condições que lhes são permitidas
conseguem oferecer o máximo de si, contribuindo para o
aperfeiçoamento e ampliação dos Solos Sagrados, os protótipos do
Paraíso Terrestre.

Estou convicto de que essas três condições foram


apresentadas por Meishu-Sama para que ele possa utilizar como seu
representante os indivíduos que se empenham na Obra Divina,
conduzindo pessoas para o mundo isento de doença, pobreza e
conflito, visando ampliar esse círculo do indivíduo para a família e da
família para a sociedade.

Acredito que esta seja a diretriz para os membros que


doravante, deverão se empenhar, assumindo o eixo da Obra Divina,
principalmente na época da grande purificação de âmbito mundial.

Por isso, quando através dos milagres, procuramos aprender


humildemente com as experiências de fé sobre a prática das três
colunas da salvação é que a nossa convicção se intensifica em
relação a natureza Divina de Meishu-Sama. Assim proce

31
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Concomitantemente, ao nos basearmos na Lei do Espírito


Precede a Matéria e na Lei de Concordância Espírito-Matéria será
permitida a elevação do nosso espírito e do nosso Yukon. Acredito
que assim será possível crescermos e aproximarmos, por pouco que
seja, do estado de espírito de Meishu-Sama.

Exatamente há um ano, cada entidade coligada tornou oficial a


divindade de Meishu-Sama como salvador do mundo.

Assim, entramos no ano em que comemoraremos os cinqüenta


anos da Cerimônia de Comemoração Provisória da Vinda do Messias
e do estabelecimento das três condições básicas para qualificação
sacerdotal. Portanto, não devemos encarar tal Cerimônia como um
simples fato histórico, mas posicionando-a no centro da nossa fé em
Meishu-Sama, o nosso Salvador e busca exaustivamente indagando
“O que ela significa para nós”, que temos afinidade com Meishu-
Sama.

É importante que cada qual, tendo como diretriz a prática das


três condições básicas para qualificação sacerdotal, se empenhe
para que possa comprovar de fato a natureza Divina de Meishu-
Sama.

Este fato terá grande significado neste ano e a prática das três
condições básicas para qualificação sacerdotal é que estará ligada à
reconciliação.

Já mencionei várias vezes que fui nomeado Líder Espiritual


(Kyoshu) durante o desenvolvimento do trabalho que objetiva a
reconciliação, por isso, sinto que a minha missão e a vontade Divina
é a concretização do Acordo de Reconciliação.

Por que será que Meishu-Sama permitiu a nós, a realização da


reconciliação? Creio que devemos analisar a vontade existente por
trás disso.

32
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Por que será que Meishu-Sama nos concedeu a purificação da


Igreja?

Acredito que Meishu-Sama, que vem desenvolvendo o Plano


Divino no dia a dia juntamente com o Supremo Deus, sentiu que, para
poder desenvolver de forma perfeita o Plano Divino, havia a
necessidade de despertarmos e corrigirmos os pontos que se
encontravam em desacordo com a sua vontade. Assim, ele fez eclodir
o conflito e a cisão na nossa Igreja.

Por isso, para tornar esta numa organização adequada para o


desenvolvimento do Plano Divino de forma perfeita, Meishu-Sama
mostrou-nos o procedimento de toda a organização e de cada um de
nós, no que se refere ao pensamento e à postura que devem ser
mudados. Portanto, creio que para nós, o fato de colocarmos isso em
prática com coragem é que está de acordo com a Vontade Divina,
que nos indicou o caminho da reconciliação.

Para isso, tendo como lema “as três condições básicas para
qualificação sacerdotal” devemos estudar ainda mais profundamente
os ensinamentos e os feitos de Meishu-Sama e, gravando-os em
nosso coração, praticá-los com empenho baseado no documento a
que me referi anteriormente: “A vida de Meishu-Sama ―salvação e
construção” a fim de cumprirmos dignamente a missão que nos foi
concedida.

O trabalho centralizado no Plano de Meishu-Sama já foi


iniciado, conforme a decisão que os representantes de cada entidade
coligada expressaram no informativo “Dai Keirin”.

No ano em curso gostaria de intensificar esse trabalho, ainda


mais exaustivamente.

Ao observarmos o nosso redor, a purificação está se tornando


cada vez mais rigorosa. E isso significa que Meishu-Sama está

33
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

concedendo-nos sua graça mais amplamente e indicando que o brilho


da nossa alma está se intensificando.

Quando conseguirmos compreender do fundo do coração o


significado da frase de Meishu-Sama: “Quando o meu estado de
espírito encontrar ressonância e expansão no coração de todos os
homens” e tivermos experiência própria disso, poderemos apreciar o
seu sabor e na busca constante da vontade de Meishu-Sama será
possível seguirmos em frente com alegria e esperança. E estou
convicto de que assim, a perspectiva para o futuro será ampla.

Nesta data em que se inicia um novo ano encerro as minhas


palavras, orando pelo sucesso no trabalho e pela felicidade de todos
os senhores.

Muito obrigado!

34
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

08 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2004)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
Templo Messiânico de Atami
4 de fevereiro de 2004

Parabéns à todos pelo Culto de Início da Primavera.

É com muita alegria que nós, que estamos ligados a Meishu-


Sama - o qual recebeu de Deus Supremo a missão de Salvar o
Mundo, celebramos este Culto de Início da Primavera.

Desde a última vez que nos encontramos foi no Culto da


Primavera de 2000. Já se passaram 4 anos.

Neste ano fazem exatamente 50 anos da “Vinda do Messias” e


que foi concluído o “Palácio de Cristal”, um dos protótipos do Paraíso
Terrestre, sendo um ano muito importante para a Obra Divina.

Fico realmente muito feliz em poder participar do Culto de


Início da Primavera com todos os senhores em um ano tão
importante como este.

O slogan da diretriz deste ano é “Estabelecer a Fé voltada em


Meishu-Sama - expandindo a Salvação e a Construção”. Ouvi dizer
que os senhores estão buscando o crescimento espiritual através da
prática do Johrei e viver um estilo de vida que esteja de acordo com a
vontade de Meishu-Sama, objetivando assim a renovar sua própria fé.
Tenho certeza que estas práticas estão de acordo com o sentimento
de Meishu-Sama e espero podermos alcançar uma grande expansão
através delas.

Também objetivando um movimento ultra-religioso, a


organização Izunomê está fazendo inúmeras pesquisas cientificas
comprovando a eficácia do Johrei. Espero que praticando e

35
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

aprendendo o Johrei de Meishu-Sama consigamos ser realmente


úteis a Meishu-Sama.

Além disso, estou muito feliz, pois graças a dedicação de todos


os senhores e a orientação da Terceira Líder Espiritual, a construção
do Solo Sagrado de Kyoto está progredindo a olhos vistos. No dia 15
deste mês irei participar, juntamente com a Terceira Líder, da
inauguração do tão esperado Centro de Aprimoramento.

A respeito do significado da construção do Solo Sagrado,


Meishu-Sama diz que, para se construir o Paraíso Terrestre primeiro
precisa-se construir um modelo, ou seja, a semente que será o centro
de tudo. É como se jogasse um pedra num lago e a partir dai
surgissem ondas que fossem se espalhando e o mundo inteiro se
tornara um Paraíso. Ele também nos ensina que, com a construção
do Solo Sagrado de Kyoto, a expansão da Igreja Messiânica
aconteceria a olhos vistos. Ouço falar que os membros da Izunomê
baseando-se nestes Ensinamentos estão se esforçando na Difusão
Mundial e, tenho certeza que com esta prática irá receber cada vez
mais a orientação e a proteção de Meishu-Sama.

Mudando de assunto, gostaria de falar um pouco a respeito


das atividades objetivando a unificação da Igreja que ano passado
começou ter pequenos, mas concretos avanços. Talvez para os
senhores possa parecer que está acontecendo de forma muito lenta,
mas com a ajuda dos diretores do Projeto de Unificação gostaria de
dar cada vez mais passos concretos rumo a unificação.

Objetivando uma maior compreensão em relação a esse


projeto e procurando expandir a consciência de unificação entre os
membros, lançamos no Outono passado o panfleto
“Daikeirin”(Grande Obra Divina).

Neste panfleto eu relatei o meu sentimento com relação as


atividades de unificação, e também foi publicado a decisão dos

36
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

líderes de cada organização. Gostaria que através da leitura deste


panfleto, possa contar com a compreensão de todos os senhores.

Eu nem preciso dizer que realizar a unificação de nossa


organização foi uma missão atribuída à mim quando me tornei Líder
Espiritual.

Eu fico profundamente agradecido, pois graças ao indescritível


esforço da Terceira Líder Espiritual, que através das orações e
orientações solicitando a paz, nos encaminhou para esta
reconciliação. E hoje, juntos, nós podemos voltar a ficar centralizados
na Obra Divina de Meishu-Sama.

Precisamos entender que esta reconciliação não foi realizada


apenas pelo sentimento humano. Além do esforço humano, foi uma
reconciliação realizada pela vontade de Meishu-Sama que recebeu a
missão de Deus Supremo.

Nesses últimos anos, eu vim refletindo a respeito do significado


de Meishu-Sama ter me dado a missão de concretizar esta
reconciliação.

Sinto que Meishu-Sama, o qual esta promovendo a Obra


Divina em estado de união com o Deus Supremo, acredita na
importância da trajetória da Igreja para realizar a Obra Divina. Em
outras palavras, para que nos tornemos uma organização capaz de
corresponder aos desejos de Meishu-Sama precisávamos passar por
tudo isso. E que a purificação de conflito e divisão de nossa
organização foi o resultado de não estarmos de acordo com a
vontade de Meishu-Sama.

Portanto, cada um de nós, individualmente, e a organização


como um todo precisa rever novamente seus pensamentos,
procurando descobrir o que precisamos mudar para sermos
verdadeiros instrumentos de Meishu-Sama, capazes de concretizar a
Sua vontade. Acredito que, quando nos conscientizarmos disso e

37
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

colocarmos em pratica, gravando isso no fundo do coração, pela


primeira vez seremos capazes de entender porque Meishu-Sama nos
guiou à reconciliação.

Assim, como esta reconciliação está sendo guiada por Meishu-


Sama, ela não deve, nem pode ser conduzida apenas através do
sentimento humano. Para que se torne uma organização que jamais
se divida novamente e seja uma organização ativa, precisamos
voltar-nos verdadeiramente para a Obra de Meishu-Sama, baseando-
se nos Seus Ensinamentos e Suas obras, e praticá-las.

Não é nada fácil nos voltarmos à Obra de Meishu-Sama. Como


está nos Ensinamentos de Meishu-Sama, nossa alma é uma partícula
de Deus, e é o nosso centro, o nosso eu primordial. Porém, nós
achamos que esta alma nos pertence. Mas Meishu-Sama nos ensina
que a alma é a própria representação do Bem, ou da partícula Divina.

Porém, como nós nascemos com um corpo material e


precisamos viver neste Mundo Material, nós acabamos ficando
presos às nossas emoções esquecendo do mais importante. Quando
impomos nossos gostos e opiniões, acabamos semeando lamúria e
reclamação, o que resulta na nossa própria infelicidade. Também
quando a situação fica difícil e sofrida acabamos fazendo pedidos
baseados no nosso egoísmo.

Não apenas isso. O verdadeiro Deus está assentado em cada


um de nós. Ele nos oferece a vida, conhecimentos e nos cria como se
fosse seu próprio filho, com o sentimento do pai que gera a vida. E
nós, sem percebermos, acabamos nos afastando de Deus, o Pai da
vida.

Com isso, acredito que o sentimento de não entregar-se a


Deus, que na verdade é a maneira de pensar, foi perdoado através
dessa reconciliação.

38
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Por isso, não seria necessário que nos tornássemos


obedientes para perceber que Deus é que está nos atribuindo uma
forma para nos conscientizarmos do sentimento egoísta que
possuímos no fundo do nosso coração e da nossa postura “a matéria
precede o espírito”?

Acredito que devemos estar nos vigiando constantemente,


criando uma terceira pessoa que nos julgue. Devemos nos centralizar
em Meishu-Sama sendo iluminados pelos Seu sentimento. Mesmo
que não seja algo ao nosso alcance, temos que evoluir com o
coração aberto. Por isso, precisamos ter gratidão à Meishu-Sama por,
mesmo assim, estarmos sendo utilizados como Seu instrumento.

Possuindo esse sentimento, lendo os Ensinamentos e


praticando-os, conseguiremos receber graças. Através destas graças,
não podemos nos tornar presunçoso ou ficar embevecido para,
humildemente, nos aproximarmos do sentimento de Meishu-Sama
para podermos servir na Obra Divina. Isso não seria corresponder ao
sentimento de Meishu-Sama que nos permitiu a reconciliação?

Como mencionei no início de minhas palavras, a nossa igreja


está comemorando 50 anos da “Vinda do Messias”.

Meishu-Sama no dia 15 de junho de 1954, um ano antes de


ascender ao Mundo Espiritual realizou, no Templo Messiânico em
Atami, o Culto em Comemoração da Vinda do Messias. Pouco antes
dessa Cerimônia, no dia 5 de junho, Meishu-Sama reuniu os
principais dedicantes em sua residência, o Hekiun-so, e proclamou à
todos que, com as mudanças misteriosas que haviam ocorrido em
seu corpo, o Messias tinha nascido. Não era um renascimento, mas
sim nascer na terra para salvar a humanidade.

Como mencionei há pouco, nossas almas estão ligadas a


Meishu-Sama. Isso significa que, com a “Vinda do Messias”, cada um
de nós está recebendo uma grande missão.

39
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Através dessa ligação com Meishu-Sama conseguiremos


realizar a Obra Divina, atualmente desenvolvida através das “3
Colunas da Salvação”. Creio que não devemos considerar a “Vinda
do Messias” um fato do passado. Devemos ter consciência que
estamos ligados a Meishu-Sama, o Salvador do Mundo, e Ele nos
utiliza como seus instrumentos. Isso é o mais importante.

Meishu-Sama, que proclamou a Vinda de Messias, após seis


meses, em 11 de dezembro, finalizou a construção do Palácio de
Cristal como o protótipo do Paraíso Terrestre.

Nesta ocasião, Meishu-Sama disse “Finalmente entramos na


fase principal da Obra Divina. E a partir de agora, a organização
escolherá e qualificará as pessoas, centralizada nos seguintes
pontos:

“Pessoas com força no Johrei; Pessoas que salvam e


encaminham outras pessoas; Pessoas que dedicam em prol da
Obra Divina.”

Nesta fase de grande purificação mundial, os representantes e


responsáveis pela fase principal da Obra Divina serão escolhidos
independente de sexo, idade e posição social. Meishu-Sama, como é
o Salvador, nos observará um a um e utilizará aqueles que forem
indicados como Seus representantes.

Assim, precisamos entender que tanto as nossas práticas na


Obra Divina como o nosso dia a dia são grandes aprimoramentos e
aprendizados preparados por Meishu-Sama. Precisamos nos esforçar
em estar sempre nos questionando e buscando Meishu-Sama como
base, e se estamos agindo com esse verdadeiro sentimento de
“Espírito precede a Matéria”.

Acredito que este esforço se tornará uma força para a


reconciliação e se liga a “elevação espiritual” a qual os senhores
estão se esforçando.

40
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Além disso, a construção do Solo Sagrado de Kyoto, a qual os


senhores estão dedicando do fundo do coração, é o Solo Sagrado
que Meishu-Sama determinou como modelo para projetar na terra o
Paraíso Terrestre que existe no Mundo Espiritual.

Como mencionei anteriormente, a nossa alma está ligada


diretamente ao Mundo Espiritual. Por isso, naturalmente, dentro de
nós deve existir um Paraíso.

Assim, com a dedicação fervorosa para a construção do Solo


Sagrado de Kyoto, só o fato de estar nele, despertaremos para esse
paraíso que existe em nós. Em outras palavras, despertarmos para a
pequena semente que está presente em nosso centro. Meishu-Sama
não estaria desejando que nós cultivássemos essa semente e com o
seu crescimento nos tornarmos pessoas de verdadeira convicção?

Se cada um de nós passarmos a possuir esta verdadeira


convicção, assim como consta no Ensinamento “Construção do
Mundo da Grande Luz”, o Paraíso Terrestre começará em cada um
de nós. Passará para a família, da família para a sociedade a se
expandirá para o mundo. E acredito que isto está relacionado com a
missão de concretizar da Difusão Mundial, a qual os senhores estão
se esforçando incansavelmente.

Na reconciliação, nós estamos objetivando uma organização


religiosa que se torne a Ultra-Religião, religando-nos a Obra Divina
que Meishu-Sama vem realizando. Creio, porém que as dedicações
centralizadas na prática do Johrei, realizada pelos membros do grupo
Izunomê, foram um dos pivôs que possibilitaram essa reconciliação.
Serão a partir de agora o caminho para o avanço dessa reconciliação
e o caminho para nos tornarmos essa Ultra-Religião?

Na ocasião deste Culto do Início da Primavera, acredito que a


Luz de Meishu-Sama chegará até nós com mais intensidade e com
isso, a nossa alma brilhará cada vez mais.

41
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Portanto se conseguirmos descobrir a nossa fraqueza e onde


estamos errando, somos obrigados a aceitar que Meishu-Sama que
está iluminando nossa alma e nosso corpo, pois, nós estamos
sempre ligados a Ele.

Assim, conforme Meishu-Sama vai nos formando, passamos a


entender que nós somos seus instrumentos para estender a mão da
salvação para o maior número de pessoas. Passando a ter alegria e
gratidão por isso, incentivamos uns aos outros, começamos a querer
dedicar dentro do nosso dia a dia. Mas, o mais importante é aceitar
que o nosso dia a dia faz parte da Obra Divina.

Encerro assim minhas palavras, orando para que todos


recebam a infinita Luz e proteção de Meishu-Sama.

Muito Obrigado!

42
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

09 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2004)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
Templo Messiânico de Atami
4º de fevereiro de 2004
Publicado no Jornal Messiânico

Parabéns a todos pelo Culto do Início da Primavera!

É com muita alegria que, como discípulos de Meishu-Sama,


aquele a quem o Deus Supremo concedeu a qualificação divina de
Salvador, comemoramos o dia de hoje. Desde o Culto da Primavera
de abril de 2000 eu não me encontrava com os senhores. Por isso,
hoje estou especialmente feliz. Afinal, 2004 é um ano muito
importante para a Obra Divina, pois estamos comemorando o
quinquagésimo ano da realização da “Cerimônia da Vinda do
Messias”, bem como o cinquentenário da inauguração do Palácio de
Cristal, como Protótipo do Paraíso Terrestre. Ambos os eventos são
marcos muito importantes, profundamente relacionados com a
qualificação divina de Meishu-Sama.

Os senhores vêm se empenhando de corpo e alma, com base


no slogan “Expandir a salvação e desenvolver a Obra de construção
é o caminho para consolidar a fé que nos une a Meishu-Sama”. Tendo
como prática central o Johrei, estão buscando polir a fé através de
um estilo de vida concorde com o ideal de nosso Mestre. Tenho
certeza de que tais iniciativas traduzem aquilo que Ele deseja que
façamos, neste momento. Por isso, gostaria de reforçar meu pedido
para que dêem continuidade ao que já estão fazendo.

Quero aproveitar para dizer que estou bastante confiante na


contribuição que as atividades científicas, desenvolvidas pela Igreja
Izunomê, vem dando para comprovar a atuação do Johrei. Elas serão
muito úteis para o aprendizado e prática desse ato sagrado,
preconizado por Meishu-Sama, principalmente porque a abrangência

43
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

das atividades de salvação está se ampliando cada vez mais, através


do empenho, dentro e fora do país, em apresentar o Johrei como uma
prática ultra-religiosa, que não exige a conversão das pessoas à
nossa fé nem impõe restrições religiosas ou étnicas.

A propósito, gostaria de manifestar minha mais sincera gratidão


pelo empenho e carinho com que os senhores vêm se dedicando à
construção do Solo Sagrado de Quioto, cumprindo a missão valiosa
que nos foi legada com muito amor pela Terceira Líder Espiritual. No
próximo dia quinze, a Terceira Líder e eu participaremos da cerimônia
de inauguração do Centro de Aprimoramento do Solo Sagrado de
Quioto. Estou aguardando esse dia com grande expectativa.

A respeito do significado da construção dos Solos Sagrados,


Meishu-Sama nos ensinou que, para transformar o mundo em
paraíso, primeiramente é preciso construir um modelo desse mundo
paradisíaco, que funciona como uma pequenina semente. Assim
como os círculos concêntricos formados por uma pedra atirada em
um lago, a atuação desse protótipo se expandirá, até que o mundo
inteiro se transforme em paraíso. Ele nos ensinou, ainda, que,
conforme a construção do Solo Sagrado de Quioto for avançando, o
desenvolvimento da nossa Igreja se tornará cada vez mais evidente.
Eu sei que, baseados nesse Ensinamento, os senhores, do Japão e
do exterior, estão se empenhando de corpo e alma na difusão
mundial. Estou orando para que, sob a proteção e orientação de
Meishu-Sama, todos possam alcançar cada vez mais sucesso, nessa
jornada.

Quanto à concretização, no ano passado, do acordo de


reconciliação que visa a unificação da Igreja, acredito que demos um
pequeno, porém significativo passo em sua direção. Este movimento
pode estar parecendo extremamente lento. Porém, com a
colaboração dos membros da Diretoria e da equipe da Sede de
Desenvolvimento de Projetos Conjuntos, espero que ele se torne
mais efetivo este ano.

44
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Com o intuito de aprofundar a compreensão sobre os trabalhos


da equipe de “Projetos Conjuntos” e de cada uma das Igrejas
coligadas, bem como de estimular a propagação de uma consciência
voltada para a “unificação da Igreja”, foi publicado, no outono do ano
passado, o primeiro informativo da Igreja-Mãe, chamado “Dai Keirin”.
Ali, expus tudo o que penso e sinto a respeito da reconciliação. Essa
publicação traz, ainda, o depoimento dos representantes de cada
uma das Igrejas coligadas. Portanto, gostaria muito que lessem esse
informativo, e se inteirassem do meu propósito e do de todas essas
Igrejas, e que pudéssemos contar com o valoroso apoio dos
senhores.

É desnecessário dizer que, uma vez investido na missão de


Líder Espiritual, é meu dever concluir este acordo. Gostaria de
manifestar minha mais profunda gratidão à Terceira Líder Espiritual
pois, sem o seu formidável empenho, traduzido em suas constantes
orações pela paz e preciosas orientações, ao longo de toda a
purificação da Igreja, não teríamos chegado à reconciliação, nem
retomado o caminho que nos reconduz à Obra de Meishu-Sama.
Acredito que devemos partir da premissa de que esta reconciliação
não dependeu da vontade humana. Naturalmente, nosso esforço foi
muito importante. Porém, quem a realizou foi Meishu-Sama, sob a
determinação do Supremo Deus.

Nos últimos anos, refleti muito sobre por que Meishu-Sama


permitiu que nós, tão inexperientes, nos reconciliássemos. Concluí
que eu precisava entender melhor a Vontade Divina existente por trás
disso.

Meishu-Sama desenvolve o Plano Divino em perfeita união


com o Supremo Deus. Compreendi que os conflitos e rupturas,
ocorridos em nossa Igreja, ou seja, a purificação, foi a forma que Ele
encontrou para chamar nossa atenção para os pontos em que
estávamos em desacordo com a Vontade Divina, e que deveriam ser
corrigidos, para que nossa Igreja se tornasse capaz de corresponder
verdadeiramente ao Seu desejo. Ou seja, Meishu-Sama nos

45
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

concedeu essa purificação como um grande marco no


desenvolvimento da Igreja, para que o Plano Divino pudesse ser
executado.

Justamente por isso, tanto no campo pessoal, enquanto


indivíduo, quanto no campo coletivo, enquanto instituição, precisamos
identificar e mudar a forma de pensamento e as atitudes que devem
ser modificadas para que possamos nos adequar à execução do
Plano Divino, tornando-nos verdadeiros instrumentos de Meishu-
Sama; servindo como se fôssemos seus braços e pernas, isto é, seu
próprio corpo material. Este é o caminho para correspondermos à
Vontade Divina que, através da purificação, nos conduziu, até à
reconciliação. Portanto, estou convicto de que, tendo esta sido
concedida por Meishu-Sama, é impossível avançar as negociações
para a concretização do Acordo de Reconciliação centralizando-nos
na vontade humana.

Para que surja uma Igreja dinâmica, que nunca mais se divida,
é vital que estejamos verdadeiramente religados ao Plano Divino de
Meishu-Sama e que acumulemos experiências baseando-nos em
seus Ensinamentos e realizações.

Religar-se ao Plano Divino de Meishu-Sama, pois, não é uma


tarefa fácil. Em seus Ensinamentos, Meishu-Sama afirma que a
nossa alma é uma “partícula do Supremo Deus”, parte fundamental
do nosso ser, o “ator principal”. Porém, nós nos portamos como se ela
fosse uma propriedade nossa.

Mas, na verdade, será que, desde os primórdios, nossa alma


não estaria diretamente ligada a Meishu-Sama? Sobre a verdadeira
natureza da alma, ele nos ensina que ela é a “própria consciência”,
ou seja, “a natureza divina”.

Existe o seguinte salmo de Meishu-Sama: “É preciso que cada


homem retorne à sua verdadeira natureza e exponha sua alma à Luz
de Deus.”

46
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

A meu ver, religar-nos a Meishu-Sama, em última instância,


significa retornar aos braços do pai da nossa alma, da nossa vida.
Por conseguinte, significa o retorno do nosso sentimento, ou seja, da
nossa autoconsciência, à fonte original.

Acontece que, ao recebermos um corpo material, ao


nascermos aqui na Terra e ao ganharmos um nome, acabamos nos
esquecendo deste ponto fundamental e tornamo-nos propensos a ser
conduzidos pelos sentimentos de alegria, ira, tristeza, entre outros.
Impor nossos próprios critérios e pontos de vista aos outros implica
semear a semente da lamúria e da insatisfação, inclusive em nosso
próprio coração. A tendência é dirigir-nos a Meishu-Sama somente
para fazer pedidos egoístas nos momentos de tristeza e dificuldades,
ou quando estamos querendo realizar alguma coisa.

E não é só. Embora o Supremo Deus nos conceda a alma, a


vida, e nos brinde com a consciência, criando-nos como seus filhos,
imperceptivelmente, acabamos nos distanciando, gradativamente, do
Seu incomensurável amor.

Acredito que, através da Reconciliação, fomos perdoados por


termos tido esse tipo de pensamento e comportamento irremediáveis.

Por isso, precisamos ser muito sinceros com nós mesmos,


detectar e reconhecer os sentimentos egoístas presentes em nosso
íntimo, bem como a nossa postura materialista que privilegia a
precedência da matéria sobre o espírito.

Em seguida, devemos abrir nossos corações, libertar-nos e ser


gratos a Meishu-Sama por ele nos estar utilizando, dando-nos vida,
apesar de nossos defeitos. Devemos, ainda, estar sempre
centralizados em Meishu-Sama, deixando-nos iluminar por seu amor
e, criando um segundo “eu”, observar e criticar objetivamente nosso
próprio sentimento.

47
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Acredito que, se adotarmos essa postura, quando surgirem as


bênçãos e milagres provenientes das práticas baseadas nos
Ensinamentos e feitos de Meishu-Sama, não nos tornaremos
arrogantes nem deslumbrados. Ao contrário, receberemos estes fatos
com humildade, conscientes de que eles são a matéria-prima do
nosso crescimento para nos aproximar um pouco mais do sentimento
de Meishu-Sama. Acredito que, se servirmos à Obra Divina buscando
revisar e corrigir constantemente nosso caminho, estaremos
correspondendo ao sentimento com que Meishu-Sama nos concedeu
a reconciliação.

Como eu já disse no início, este ano, comemoramos o


quinquagésimo ano da “Cerimônia Provisória da Vinda do Messias”.
Em 15 de junho 1954, ano que antecedeu a ascensão de Meishu-
Sama, essa Cerimônia foi realizada no Templo Messiânico, que na
época ainda estava inacabado.

No dia cinco daquele mês, Meishu-Sama reuniu no Hekiun-So,


sua residência em Atami, os ministros mais importantes e, deixando-
os ver as misteriosas alterações surgidas em seu corpo, disse-lhes
que o Messias havia nascido. Explicou-lhes que era um nascimento e
não um renascimento e que, com a sua chegada, desta vez, a
humanidade seria salva.

Se, como disse há pouco, a nossa essência é a alma, e esta


encontra-se ligada a Meishu-Sama desde os primórdios, devemos
pensar que, certamente, o “Nascimento do Messias” exerceu uma
grande influência sobre nós e recebemos alguma missão. Acredito
que o “Nascimento do Messias” seja um “modelo”.

É por existir a conexão com Meishu-Sama e por estar de


acordo com o Plano Divino que conseguimos nos dedicar à Obra
Divina, que se baseia nas “Três Colunas da Salvação”.

Não devemos pensar o “Nascimento do Messias” como um fato


do passado. O mais importante é termos a consciência de que somos

48
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

pessoas conectadas a Meishu-Sama, o Salvador e, portanto, não


devemos nos preocupar em aparecer, mas sim, em como proceder
para que a qualificação divina de Meishu-Sama possa se manifestar
no Mundo Material através de nós.

Após anunciar o “Nascimento do Messias”, Meishu-Sama


inaugurou, em dezembro de 1954, o Palácio de Cristal para servir
como Protótipo do Paraíso Terrestre.

Naquela ocasião, ele afirmou: “A Obra Divina, finalmente,


entrou no seu verdadeiro curso” e prosseguiu: “Daqui por diante, a
Igreja deverá adotar os seguintes critérios para selecionar e qualificar
seus elementos: ter grande força de Johrei; ter salvado e
encaminhado muitas pessoas e ter realizado amplamente a
dedicação monetária a Deus”.

As “Três Condições Básicas da Qualificação Sacerdotal” não


fazem distinção de sexo, idade, posição social nem profissão. Como
Salvador, Meishu-Sama não utiliza critérios humanos. Sua
preocupação é saber se, no momento da grande purificação pela qual
o mundo passará, a pessoa estará realmente apta a desenvolver a
“Verdadeira Obra Divina”, ou não; saber se poderá confiar nela, ou
não. Por isso, como Salvador, Meishu-Sama deixou claro que utiliza
as pessoas como “Seu Representante” depois de observá-las, uma a
uma. As “Três Condições” deixadas por Ele devem tornar-se a
bússola das nossas práticas.

Dessa forma, devemos considerar os locais onde nos


dedicamos à Obra Divina e onde vivemos, como lugares que Meishu-
Sama preparou para o nosso importante aprendizado e treinamento.
Precisamos, também, nos questionar, constantemente, se estamos
buscando Meishu-Sama como modelo e se conseguimos mudar
verdadeiramente nossa postura e sentimento, obedecendo à
precedência do espírito sobre a matéria.

49
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Tenho certeza de que isso contribuirá efetivamente para o


avanço da Reconciliação bem como para a “elevação da
espiritualidade” na qual os senhores vêem se empenhando.

O Solo Sagrado de Kyoto, a cuja construção os senhores estão


se dedicando com todo amor, foi escolhido por Meishu-Sama para ser
o modelo que reproduzirá na Terra o Paraíso existente no Céu.

Como disse anteriormente, nossa alma está diretamente


conectada ao Céu. Portanto, é certo que em nosso íntimo exista
também o Paraíso.

Sendo assim, acredito que, dedicando, ajudando a construir o


Solo Sagrado de Kyoto, ou desfrutando do prazer por ele
proporcionado, as pessoas descobrirão o Paraíso que existe dentro
delas. Ou seja, despertarão para a existência daquela “pequenina
semente” depositada no âmago do seu ser e passarão a cultivá-la,
fazendo com que cresça até se tornar uma convicção inabalável. Não
seria este o desejo de Meishu-Sama?

Como está no Ensinamento de Meishu-Sama, conforme cada


pessoa for adquirindo a convicção à qual acabo de me referir, isto se
estenderá do indivíduo para o lar, do lar para a sociedade e,
finalmente, o Mundo Paradisíaco se concretizará sobre toda a Terra.
Isto significa o cumprimento da missão chamada “Difusão Mundial”, à
qual os senhores vêm se dedicando.

No documento do Acordo de Reconciliação, está escrito o


seguinte: “Esclarecendo de modo nítido e definitivo a qualificação
Divina de Meishu-Sama e religando-nos ao seu Plano Divino,
objetivamos a criação de uma Igreja que seja realmente uma Ultra-
Religião.”

Acredito que, se os esforços envidados pelos membros da


Igreja Izunomê, centralizados na prática do Johrei, forem levados
adiante com objetivo unânime e espírito de concretizar o Acordo

50
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Reconciliatório, certamente, esses esforços, serão o caminho para


fazer avançar a Reconciliação e se chegar à Ultra-Religião. O
trabalho dos membros da Izunomê se tornará pleno e ainda mais
amplo, manifestando claramente seu real valor.

Por ocasião do Culto do Início da Primavera, a Luz de Meishu-


Sama passa a nos iluminar com mais intensidade ainda, fazendo com
que o brilho da nossa alma se torne maior.

Portanto, se conseguirmos descobrir os nossos próprios


defeitos e temores é porque, como entes ligados a Meishu-Sama,
estamos tendo nossa mente e corpo, lugar onde se encontra a nossa
alma, iluminados por ele.

Dessa forma, cuidando da formação de cada um de nós,


Meishu-Sama vai nos utilizando com o intuito de estender a mão da
Salvação ao maior número possível de pessoas. Vamos incentivar
uns aos outros no sentido de nos tornarmos pessoas gratas e felizes
por estarmos nessa condição e por podermos servir com toda
dedicação à Obra Divina, não nos esquecendo que todo lugar,
inclusive onde vivemos nosso cotidiano, é local para desenvolver a
Obra Divina.

Encerro minhas palavras rogando a Meishu-Sama que


abençoe a todos com sua infinita Luz e força.

Muito obrigado!

51
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

10 - CULTO DE INAUGURAÇÃO DO CENTRO DE


APRIMORAMENTO (FEVEREIRO DE 2004)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Inauguração do Centro de Aprimoramento
Centro de Aprimoramento no Heian-kyo - Kyoto
15 de fevereiro de 2004

Gostaria de parabenizar a todos pelo Culto de Inauguração do


Centro de Aprimoramentos Heian-kyo.

Estou profundamente emocionado por estar presente com a


Terceira Líder Espiritual nesta ocasião tão importante. E isso só foi
possível graças a permissão de podermos reconciliar da nossa
organização.

A Terceira Líder Espiritual explicou que, para nós, como


membros, a construção do Solo Sagrado de Kyoto é uma importante
prática para aprofundar nossa fé. Juntamente com a abertura do
caminho para essa importante construção, aproveitando as ocasiões
que pode vir observar as obras, Ela deu a vida para nos orientar. Com
a resposta dos membros a este sentimento que esta construção pode
avançar com muita força.

Graças a essa colaboração podemos hoje realizar o termino da


construção desse maravilhoso Centro de Aprimoramento. Gostaria de
expressar minha gratidão do fundo do coração.

Não preciso nem dizer que este Solo Sagrado de Kyoto é o


modelo determinado por Meishu-Sama para projetar na terra o
Paraíso Terrestre existente no Céu.

Por outro lado, pelo que escutamos e vemos habitualmente, o


mundo de hoje esta cada vez mais longe do Paraíso. Geralmente os
nossos sentimentos são de intranquilidade e impaciência.

52
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Porem o nosso verdadeiro eu esta em nossa alma. Nessa alma


onde se encontra alojado Deus Supremo, alem de estar diretamente
ligada ao Céu, indica que temos um Paraíso Terrestre em nos.

Por isso, que através da participação na construção da Terra


da Tranquilidade e só do faro de estarmos nela, confirmamos a
existência desse Paraíso. Juntamente com essa confirmação
inabalável, nos nós tornamos pecas fundamentais para projetar esse
Paraíso Terrestre no mundo atual. Conseguiremos isso através das
dedicações baseadas nas “Três Colunas da Salvação”, nos encontros
com outras pessoas em nossos lares e em nossos ambientes de
trabalho. Não seria essa a tarefa que temos por estarmos ligados
diretamente a Meishu-Sama?

Por que será que conseguimos dedicar sinceramente para a


construção do Paraíso Terrestre se não possuímos esse sentimento
de que temos um Paraíso dentro de nos?

Acredito que o fato de a Terceira Líder Espiritual ter tomado a


iniciativa de dar continuidade a construção da Terra da Tranqüilidade
foi para nos mostrar isso.

Eu, juntamente com o fato de herdar esse sentimento, quero


buscar a essência dos ensinamentos de Meishu-Sama. E acredito
que preciso dedicar para conseguir me aproximar desse sentimento.

Gostaria dizer, que eu aprendi através da purificação da nossa


igreja que nos construímos uma cerca ao nosso redor. Que a
reconciliação só pode ser realizada graças ao grande amor de
Meishu-Sama e, mais do que isso, acredito que não temos que nos
esforçar para tirar essa cerca que fica entre nós? A cerca da
distância?

Além disso, dentro do grande amor de Meishu-Sama nos


perdoarmos, nos aceitarmos e nos ajudarmos e para que possamos

53
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

crescer juntos, será importante que aprofundássemos nossos


relacionamentos.

A Terra Divina em Hakone, a Terra Celestial em Atami e a Terra


da Tranquilidade em Kyoto foram Protótipos do Paraíso determinados
por Meishu-Sama. Esses três Solos são para que os membros dos 3
grupos visitem mutuamente. Ou seja, participarem juntos dessa
construção. Meishu-Sama não estaria desejando que ambos
retirassem de seus corações essa cerca que nos separa?

Ele também não estaria objetivando que nos expandíssemos


esta obra para vários locais, regiões e famílias?

Acredito que para podermos corresponde ao sentimento de


Meishu-Sama, que perdoou essa reconciliação que e uma “forma”,
precisamos aprofundar nossas relações, tirar a cerca em nossos
corações e nos tornamos a “marca” desta reconciliação. Conforme
essa marca se tornar “evidencia”, pela primeira vez estaremos nos
encaminhando para verdadeiramente consumar essa reconciliação.

Quanto mais rápido conseguirmos isso Meishu-Sama ficara


feliz. E estaremos correspondendo ao sentimento da Terceira Líder
Espiritual que veio por muito tempo desejando a paz.

E ao mesmo tempo, acredito que se abrirmos nossos


corações, mesmo que muitas pessoas nos causem infortúnios, nos
tornaremos muito felizes.

E assim, encerro minhas palavras desejando que todos


possam receber a Luz de Meishu-Sama.

Muito obrigado a todos!

54
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

11 - RELATÓRIO DA COMISSÃO DE PROJETO CONJUNTO


(JUNHO DE 2004)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Templo Koomyoo - Hakone
11 de junho de 2004
Publicado no Jornal Messiânico

Bom dia a todos os senhores.

É com imensa gratidão que, alguns dias antes do Culto do


Paraíso Terrestre, celebramos com sucesso a Cerimônia de
Apresentação de Relatório da Comissão de Projeto Conjunto, no
Templo Komyo.

Nessa ocasião, juntos, expressamos nossa gratidão a Meishu-


Sama por sua constante orientação, além de termos renovado nosso
compromisso de nos aprimorar cada vez mais.

Estou profundamente agradecido a todos os senhores que,


visando à concretização da reconciliação e à união em torno de uma
organização baseada em Meishu-Sama, vêm se esforçando
continuamente na quebra das barreiras do coração, que os afastam
uns dos outros.

Estamos empenhados na construção de uma organização que


não mais se divida em facções e, a este respeito, sinto que meu
pensamento não estava sintonizado com a Vontade de Meishu-Sama.

Como é que nós, que temos uma partícula Divina e somos


ligados a Meishu-Sama pelo desejo de participar da Obra Divina,
projetando nosso paraíso interior no mundo em que vivemos, vemos
todas as existências do planeta?

55
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Tudo que existe sobre a face da Terra foi criado por Deus.
Contudo, vínhamos usando a moradia, a vestimenta, o alimento, o
dinheiro, etc. como se fossem de nossa propriedade.

Sinto que considerávamos a alma, que habita em cada um de


nós, o corpo e o livre-arbítrio como nossos pertences.

Enquanto sofríamos tentando discernir o bem e o mal com


nossas próprias medidas, continuávamos alimentando sentimentos
nada consistentes.

Da maneira como vínhamos agindo, dificilmente derrubaríamos


as nossas barreiras e jamais criaríamos uma Igreja única ou seríamos
utilizados para projetar o paraíso neste mundo.

Concluí, portanto, que deveríamos colocar à disposição de


Meishu-Sama tudo aquilo que recebemos de Deus e que viemos
usando como propriedade nossa.

Senti que não haveria outra alternativa a não ser o pensamento


sincero de devolver tudo a Meishu-Sama, que tem conhecimento de
tudo e de todos.

Pensei, então, que, uma vez despojados de tudo, isto é,


cientes de que nosso corpo e nossa alma já não mais nos pertencem,
deveríamos renovar nosso desejo de servir a Meishu-Sama e, como
seus representantes, projetar o paraíso na Terra.

Acredito que é por este motivo que Meishu-Sama nos ligou a


ele.

Quanto mais desejávamos melhorar o mundo, não


percebíamos as coisas mais importantes e, por este motivo, nós as
desprezávamos. Estou convencido de que, na mesma proporção,
envolvíamos todas as coisas, inclusive nosso corpo e nossa alma,
com nosso sōnen e ficávamos de pés e mãos atados.

56
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama nos ensina: “O indivíduo é salvo e se torna


perfeito e essa perfeição se expande salvando o mundo, que assim
fica perfeito. Contudo, primeiramente, o indivíduo precisa ser salvo e
se tornar perfeito.”

A “salvação” significa a nossa ligação com Meishu-Sama e com


o Caminho da Salvação ao qual ele já nos conduziu.

Portanto, Meishu-Sama utiliza nosso corpo e alma para,


juntamente conosco, conduzir ao Caminho da Salvação nossos
antepassados e muitas outras pessoas.

A perfeição à qual Meishu-Sama se refere em seu


ensinamento, eu vejo como algo imprescindível a cada um de nós. E
mais: penso que Meishu-Sama não esteja apenas educando cada um
de nós, mas sim, toda a humanidade.

Portanto, tanto na prática das “Três Colunas da Salvação”


como nas atividades ultra-religiosas; no trabalho, na vida diária e
mesmo que estejamos acamados, nunca devemos nos esquecer que,
objetivando nossa perfeição, Meishu-Sama está nos utilizando e
fazendo com que nosso pensamento se renove constantemente.

É preciso desenvolver a humildade e o respeito para não


considerar os Ensinamentos e as realizações de Meishu-Sama
apenas de forma acadêmica, mas sim, considera-los como algo que
transcende a sabedoria e o conhecimento humanos, e os
preconceitos que limitam e classificam as coisas. Mesmo que
atualmente compreendamos apenas uma pequena parcela, devemos
ter o forte desejo de incorporar em nosso pensamento a vontade e o
sōnen de Meishu-Sama, ou seja, a Vontade Divina. Afinal, já que
viemos a este mundo como seres humanos, precisamos
compreender o significado dos Ensinamentos e das relizações de
Meishu-Sama.

57
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O Culto do Paraíso Terrestre deste ano será realizado


exatamente cinquenta anos após a Cerimônia Provisória da Vinda do
Messias.

A respeito disso, Meishu-Sama nos revelou que não se tratava


da reencarnação, mas do nascimento do Messias na mesma
encarnação.

Nós, que estamos ligados a Meishu-Sama, como entendemos


o fato de ele, um ano antes da sua ascensão, com um corpo físico
como o nosso, ter nos mostrado o modelo da “Vinda do Messias”?
Qual a nossa compreensão sobre o significado da “Vinda do Messias”
e da divindade do Messias ou Salvador?

Juntamente com os senhores, gostaria de me aprimorar no


seguinte ponto: “Como nós – que, mesmo após a morte, buscamos o
crescimento de nossa consciência individual no mundo eterno –
poderemos transformar a nós mesmos e nos aperfeiçoar?”

Em geral, pensamos em como transmitir os Ensinamentos e o


caminho da Fé às pessoas ao nosso redor, tendo por base a nossa
função, posição, etc. Certamente, isto é importante. Mas, acredito
que, como elas nos foram dadas por Meishu-Sama, ele conhece
nosso trabalho melhor do que nós mesmos.

Portanto, primeiramente, devemos nos colocar diante de


Meishu-Sama e expor o nosso “eu” sem falsidades e tentar nos
aproximar da perfeição como seres humanos.

Acho que, desta maneira, Meishu-Sama irá utilizar nosso corpo


e alma da forma mais adequada à nossa função e posição.

Desejo que nossa organização dê importância a esse tipo de


aprimoramento a que me referi – a maneira de pensar e a busca pela
própria perfeição. Apenas através desse tipo de aprimoramento será

58
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

possível caminhar com firmeza rumo à reconciliação e ser


abençoados com o crescimento da organização.

Para encerrar, oro do fundo do meu coração para que, a partir


do Culto do Paraíso Terrestre deste ano, todos os senhores
intensifiquem o brilho de suas almas e ampliem cada vez mais o
paraíso que habita o interior de cada um.

Muito obrigado.

59
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

12 - CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE (JUNHO DE 2004)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Paraíso Terrestre
Templo Messiânico de Atami
15 e 16 de junho de 2004

“É com imensa gratidão e respeito que realizamos o Culto do


Paraíso Terrestre em conjunto com Meishu-Sama – aquele que
recebeu do Deus Supremo a condição divina de “senhor da
salvação”. Congratulações a todos os senhores.

Meishu-Sama, no Ensinamento “Doutrina da IMM”, de 1950,


afirmou que Deus, Criador do Universo, desde o início da Criação,
objetivou estabelecer o Céu na Terra e que tem atuado
continuamente para a concretização desse objetivo. Creio que é
acreditando nisso que todos os senhores vêm se empenhando na
prática da fé em suas vidas.

Por outro lado, acredito que, embora os senhores sonhem com


a transformação do mundo atual em paraíso, possivelmente sintam-
se receosos e lamentem tamanha distância entre o sonho e a
realidade.

Então, onde estará este paraíso que deve ser concretizado, ou


seja, que deve surgir sobre a Terra?

A alma existente dentro de cada um de nós é uma partícula de


Deus, Criador do Universo. Uma vez que esta alma, ou seja, a nossa
essência, está diretamente ligada ao Mundo Divino, o Paraíso existe
no interior de cada um de nós. E este paraíso invisível relaciona-se
intimamente ao nosso sōnen.

Meishu-Sama diz que “O Mundo Espiritual é o mundo do sōnen” e


“em tudo, o espírito precede a matéria”. Ele nos ensinou o quanto a
maneira de pensarmos é importante. A propósito, que sōnen temos nós,

60
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

que somos ligados a Meishu-Sama e desejamos ser utilizados na


Obra de Deus para projetar, no plano terrestre, o paraíso que há
dentro de nós?

Meishu-Sama também nos ensinou: “O ser humano foi criado


por Deus como Seu instrumento e todas as coisas foram criadas para
o bem do ser humano”.

Mas será que somos capazes de assegurar que temos sempre


em mente que todas as coisas foram criadas por Deus e a Ele
pertencem? Não estaremos pensando que o mundo criado por Deus,
ou seja, o tempo e o espaço, pertencem a nós mesmos? Será que
não estamos vendo como nossos a Terra, a casa, o dinheiro, a
alimentação e as vestimentas que utilizamos?

Por outro lado, será que estamos vendo a nós e aos outros
como partículas de Deus, isto é, como partes integrantes do próprio
Deus Supremo?

Será que não estamos considerando propriedade nossa, a


alma e o corpo e, principalmente, o livre-arbítrio, atribuído a nós?

Será que continuamos presos ao nosso sentimento volúvel,


vivendo em meio às preocupações com base em padrões de bem e
mal por nós definidos?

Se estivermos com este estado de espírito, creio que devamos


devolver a Deus Supremo e a Meishu-Sama tudo aquilo que até hoje
viemos utilizando tão levianamente, inclusive o corpo físico e a
consciência recebida.

Como Meishu-Sama é onisciente, não há outra alternativa a


não ser devolver-lhe tudo sem objeções. Se conseguirmos, visto que
nosso corpo e alma não mais nos pertencerão, certamente,
passaremos a desejar intensamente que Deus nos utilize como seus
instrumentos na concretização do Paraíso Terrestre.

61
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Acredito que foi para isso que Meishu-Sama nos ligou a ele.

Sinto que, quanto mais queríamos melhorar o plano, para se


projetar o Paraíso, mais desprezávamos e deixávamos passar
despercebidas as coisas mais importantes, atendo-nos à forma
humana de pensar no que diz respeito ao nosso espírito, corpo,
enfim, a todas as coisas.

Meishu-Sama diz que o indivíduo é salvo e se torna perfeito e


essa perfeição se expande salvando o mundo, que assim fica
perfeito. Contudo, primeiramente, segundo ele, o indivíduo precisa
ser salvo e se tornar perfeito.

Podemos dizer que Meishu-Sama nos ligou a ele e já nos


conduziu ao caminho da salvação. Portanto, ele utilizará nosso corpo
e alma para conduzir nossos antepassados e muitas outras pessoas
a este mesmo caminho da salvação.

Meishu-Sama enfatiza a perfeição pessoal. A este respeito, ele


diz: “A formação de homens perfeitos é um dos propósitos da Fé.
Evidentemente, não se pode exigir a perfeição do mundo, mas o
esforço para alcançar a perfeição passo a passo deve ser a
verdadeira atitude religiosa”.

Como ainda não experimentamos a perfeição, tendemos a


deixar essa questão apenas no âmbito da idealização. Contudo, de
forma alguma, podemos negligenciar o nosso esforço individual.
Acredito que esta é a razão pela qual Meishu-Sama está nos
aprimorando.

Neste Culto do Paraíso Terrestre, faz exatamente 50 anos que


foi realizada a Cerimônia de Comemoração Provisória da Vinda do
Messias. A este respeito, Meishu-Sama explicou que a cerimônia não
era para celebrar a reencarnação mas sim, o nascer de novo na
mesma encarnação.

62
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Nós, que estamos ligados a Meishu-Sama, como entendemos


o fato dele, um ano antes da sua ascensão, com um corpo físico
como o nosso, ter nos mostrado o modelo da “Vinda do Messias”?
Qual a nossa compreensão sobre o significado da “Vinda do Messias”
e da divindade do Messias ou Salvador? Creio que para nós, que nos
esforçamos passo a passo rumo à perfeição, o nascer de novo na
mesma encarnação a que Meishu-Sama se referiu, encerra um
profundo significado.

Juntamente com os senhores, gostaria de me esforçar no


seguinte ponto: “Como nós – que mesmo após a morte buscamos o
crescimento de nossa consciência individual no mundo eterno –
poderemos transformar a nós mesmos e nos aperfeiçoar?”

Assim sendo, tanto na prática das 3 colunas de salvação 


Johrei, Agricultura e Alimentação Natural e atividades artísticas  ou
na realização de atividades que transcendem o campo religioso,
quanto no trabalho e no nosso cotidiano, ou mesmo se estivermos no
leito, imobilizados, jamais nos esqueçamos de que Meishu-Sama
constantemente renova nosso pensamento e nos atribui missões para
alcançarmos nossa perfeição individual.

Quando estivermos estudando os Ensinamentos ou as


realizações de Meishu-Sama, não devemos fazê-lo de forma
acadêmica, pois devemos reconhecer com respeito e humildade que
seu conteúdo ultrapassa qualquer conhecimento humano e supera
qualquer teoria já criada pelo homem. Mesmo que só
compreendamos uma pequena parte do todo, devemos nos
centralizar no pensamento de Meishu-Sama, isto é, na Vontade
Divina. Já que, felizmente, viemos a este mundo como seres
humanos, é preciso que tenhamos um forte desejo de compreender
todas as coisas.

Estamos sempre pensando em como vamos explicar esse


conteúdo às pessoas que nos rodeiam: se são membros ou não; em
que posição estão no servir da Obra Divina; se é um casal ou se são

63
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

pais e filhos, etc. Certamente, isto é muito importante. Mas, como as


posições e as circunstâncias atuais foram providenciadas por Meishu-
Sama, ele as conhece melhor que ninguém. Portanto, primeiramente,
devemos nos colocar diante de Meishu-Sama e expor o nosso “eu”
sem falsidades e nos esforçarmos para nos aproximarmos da
perfeição como seres humanos. Acho que somente através deste
esforço Meishu-Sama irá utilizar nosso corpo e alma da forma mais
adequada ao nosso meio e posição.

Desejo que a nossa organização dê importância a esse tipo de


aprimoramento a que me referi – a maneira de pensar e a busca pela
própria perfeição. Apenas através desse tipo de aprimoramento será
possível caminharmos com firmeza rumo à reconciliação e sermos
abençoados com o crescimento da organização.

Para encerrar, oro do fundo do meu coração para que, a partir


deste Culto do Paraíso Terrestre, todos os senhores intensifiquem o
brilho de suas almas e ampliem cada vez mais o paraíso que habita o
interior de cada um.

Muito obrigado.

64
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

13 - CULTO DE NATALÍCIO DE MEISHU-SAMA (DEZEMBRO DE


2004)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Natalício de Meishu-Sama
Templo Messiânico de Atami
23 de dezembro de 2004

Minhas felicitações a todos pelo Culto de Natalício de Meishu-


Sama!

Como é do conhecimento de todos, Deus Supremo está


purificando todas as existências espirituais, e também todo este
mundo material. Meishu-Sama veio a Terra e com o assentamento
desse próprio Deus Supremo em si, tornou-se o Salvador do Mundo e
mesmo hoje em dia vem nos guiando na Obra Divina. Como uma das
pessoas ligadas a Meishu-Sama eu gostaria de comemorar o dia de
hoje junto com todos os senhores.

Pois bem senhoras e senhores. Afinal de contas de onde nós


viemos? Como será que nos tornamos essa consciência de hoje?

Nós, através da relação sanguínea entre nossos pais, ao


mesmo tempo em que absorvemos todos os tipos de coisas,
herdamos esse corpo dos nossos antepassados e viemos evoluindo.

Ao mesmo tempo, o nosso sentimento, que é uma consciência


própria, não é apenas dessa geração. A começar pelos nossos pais, é
o acumulo dos sentimentos do incontável número dos nossos
antepassados.

Todos são existências criadas. São como um recipiente que


recebe as coisas dadas por Deus Supremo que se encontra na
posição de Criador.

65
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Não apenas isso. Naturalmente, nós seres humanos somos a


moradia de uma partícula do próprio Deus Supremo. Meishu-Sama
falava sobre o “próprio Deus” com relação a essa partícula. Além
disso, nascemos recebendo energia e a força vital.

Por isso, podemos dizer que nós viemos desse verdadeiro


mundo da criação, o mundo da causa, para esse mundo de
fenômenos que é chamado o mundo material, o mundo do efeito.

Se não fosse isso, essa existência consciente que somos


agora não existiria. É e por isso que dentro de cada um de nós existe
uma alma, um mundo paradisíaco, um paraíso. Isso é a nossa
essência. A nossa verdade está nessa essência.

Assim, o corpo e o sentimento que possuímos agora


receberam essa essência e tomou a forma que a representa.

Podemos dizer que a nossa forma visível veio do mundo da


criação que é o Mundo Divino para este mundo criado que é o Mundo
Material. Um mundo visível graças à existência de um mundo
invisível. Um corpo que começa a existir graças ao espírito.

Acredito que exatamente por sermos esse tipo de existência,


como representantes de Deus, instrumentos, sucessores de Meishu-
Sama, através do nosso corpo e sentimento, somos utilizados nessa
Obra de projeção do Paraíso que existe no Mundo Divino. Mais do
que isso, temos a possibilidade de representá-lo no nosso trabalho e
no nosso dia a dia.

Isso então, não teria o significado de TORNAR-SE PARAÍSO


ou da palavra SALVAÇÃO?

Estou sendo informado através dos relatórios dos conselheiros,


e de artigos publicados sobre as praticas diárias de Fé de todos os
senhores.

66
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Acredito que todos estão com suas cabeças voltadas para uma
postura de aprender e incentivar as atividades diárias através do
Johrei, da Agricultura Natural e das Artes que, em outras palavras,
são as 3 Colunas da Salvação.

Para que estas não se tornem atividades separadas ou


individuais elas estão unidas formando uma única coluna grossa. O
mais importante é que se isso for o pedido para que todos se liguem
à expansão da salvação de Meishu-Sama, isso também está ligado à
prática de elevação espiritual que os senhores estão praticando. Ou
seja, um trabalho que encaminhará a finalização de cada um.

Fui informado que nesse Culto de Natalício, além de membros


da Grécia, vieram participar do Culto representantes de vários países.

Com relação à Difusão Mundial, ouvi sobre os vários pedidos


para se dedicar ainda mais através do sentimento de cooperação,
harmonia e tolerância, respeitado as diferenças de povos, cultura,
religiões, história e tradição. Mas mesmo dentro dessas diferenças e
diversidades, desejo que todos desenvolvam suas atividades criando
dentro de seus corações um eixo firme que os mantenham ligados a
Meishu-Sama. Estarei orando para que a Luz Divina os abençoe
nesse caminho.

Sobre o Solo Sagrado de Kyoto, Heian-kyo. Graças às


orientações que venho recebendo da Terceira Líder, o caminho para
essa construção vem se expandindo cada vez mais. A grandiosa
evolução nas construções que vejo hoje me deixa realmente muito
feliz.

Graças ao culto de inauguração do Centro de Aprimoramento


em fevereiro desse ano, eu tive a oportunidade de juntamente com a
Terceira Líder Espiritual, passar a acompanhar de perto a o
andamento das obras e sentir o sentimento que todos os senhores
estão colocando em suas dedicações.

67
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Nós estamos dando uma importância especial para não


macular esse protótipo que é o Solo Sagrado do Heian-kyo. Assim,
estamos projetando na Terra o Paraíso existente no Mundo Divino.
Dessa mesma maneira existe dentro de cada um de nós um local
puro e santo que é a nossa essência.

Por isso que cada um de nós deve voltar o sentimento, não


apenas para o Heian-kyo em Kyoto, mas também para o Zuiunkyo,
em Atami, e o Shinsen-kyo, em Hakone. Assim estaremos
confirmando, não só pessoalmente como também mutuamente a
existência desse local santo dentro de cada um de nós. Também não
teríamos que dar importância e tomando cuidado para não maculá-
lo?

Além disso, através do nosso esforço em captar o sentimento


de Meishu-Sama contido no Solo Sagrado, esse sentimento estará se
transmitindo para esse mundo dos fenômenos e assim acabará se
expandindo pelo mundo todo.

Mais do que isso, a prática diária do Johrei repleto de


altruísmo, que os senhores estão fazendo, é o núcleo da Obra Divina
de Meishu-Sama, e dentro dela está o conteúdo básico que se liga a
toda a Obra de Salvação.

O Johrei é a purificação das máculas do espírito. Em outras


palavras, o receptor da alma, ou seja, purificador do próprio
sentimento e do corpo, que são vasilhames representativos da alma.
Não é a purificação da própria alma.

Isso porque, assim como disse a pouco, a alma, ou seja, a


partícula divina é “o próprio Deus”, a própria força da vida.

Por isso que nós temos que eliminar essas máculas através da
prática do Johrei, e purificarmos assim nosso corpo e sentimento pelo
brilho eterno da alma.

68
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Assim sendo, expressões como “alma adormecida” ou


“existência de máculas na alma”, representam que a própria alma
está assumindo essa responsabilidade. Falando de outra forma,
Meishu-Sama se expressa assumindo essa responsabilidade.

Todos os senhores estão buscando os ensinamentos e


procurando dedicar na Obra divina, mas para mim os ensinamentos
de Meishu-Sama são o próprio desejo de Deus Supremo que, se
projetou do Mundo Divino para este mundo e tomou forma de
palavras e letras.

Através do estudo e da pratica desses ensinamentos, nós que


procuramos corresponder ao Sentimento de Meishu-Sama,
estaremos projetando e expandindo esse sentimento e assim nos
tornando frutos maduros.

Gostaria de juntamente com minhas palavras de gratidão a


Meishu-Sama por termos essa benção, dizer que estarei guardando
em meu coração o desejo de todos os senhores e dedicando juntos
podermos realizar nossos desejos.

Precisamos nos preparar para corresponder, para estarmos


aptos para com o sentimento de Meishu-Sama. Assim estaremos
fazendo com que nosso sentimento e pensamento realmente
cheguem até Ele, recebendo Luz e Força.

Creio que esse nosso pensamento tem que ser algo


semelhante a: “Como estou me esforçando para praticar os
Ensinamentos de Meishu-Sama, Ele vai me proteger” ou “Estou
procurando ter pensamentos e ações mais corretos que o dos outros,
por isso recebi o milagre”.

Mais do que isso, precisamos nos tornar instrumentos que


pensem do fundo do coração, sem mentiras: “Como existem várias
coisas que ainda sou falho, acabo não tendo total confiança em
Meishu-Sama. Porém, mesmo assim Meishu-Sama está me

69
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

utilizando, está confiando em mim. Por isso preciso dedicar”, “Não


sou eu que realizo, na verdade se Meishu-Sama não estiver presente
comigo eu não consigo realizar nada. Utilize-me, por favor!”

Também refletir sobre nós mesmos, nossa maneira de pensar.


Se não estamos, inconscientemente, dando excessiva razão à nossa
própria inteligência e assim entendendo apenas aquilo que nos é de
bom agrado nos ensinamentos? Se não estamos procurando
entender as coisas apenas através da nossa própria opinião e assim
fazendo com que as pessoas também pensem dessa mesma forma?

Meishu-Sama certa vez escreveu um poema que eu tomo


como uma advertência: “A palavra principio é limitada. Conforme
caminhamos nela ela vai se estreitando”.

Sinto que quanto mais nos motivamos, temos a tendência de


não nos conscientizarmos que pelo nosso ego estamos dando
prioridade à matéria em vez do espírito. Temos que tomar muito
cuidado para que isso não aconteça.

Precisamos nos conscientizar da nossa essência, não


esquecer dela nunca e procurar sempre estar voltado para o Paraíso
que existe dentro de cada um de nós, ou seja, preocuparmos apenas
em nos religarmos a Meishu-Sama, fazer com que sejamos capazes
de ser úteis na projeção de um Paraíso repleto de Luz.

Estar sempre consciente da existência de um Paraíso dentro


de si é uma coisa muito difícil e que necessita de muita coragem.

Precisamos constantemente perguntar para nós mesmos:


“Dentro de mim existe uma alma? Nela existe a essência do amor e
da verdade, inteligência e força, um paraíso iluminado, repleto da vida
eterna. Meishu-Sama também se encontra nela e nos liga a Ele;
através dela procurando nos dar graças ilimitadas. Por isso que
precisamos voltar nosso sentimento a ela”.

70
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Mesmo que desejemos receber Força e Luz, se acabarmos


não dando importância a esse Paraíso que existe dentro de nós não
estaríamos desejando algo impossível de adquirir?

Acredito que mesmo na construção do Paraíso na Terra como


no nosso dia a dia temos que procurar expressar esse sentimento,
esse pensamento que existe dentro da nossa própria consciência.

E mesmo que estejamos sofrendo por causa de vários


problemas o caminho para solucioná-los não e apenas resolver o que
está sendo visto a olhos nus, mas sim, procurando voltar o nosso
sentimento para o Paraíso que existe dentro de nos, assim sendo
esse caminho se abrira naturalmente.

A propósito, nós que vínhamos usando o nosso sentimento de


forma errada, como acabamos fazendo do próprio ego uma coisa
pessoal, ficamos vagando dentro do nosso sentimento e acabamos
tornando rarefeita a maravilhosa existência da nossa essência.

Isso por que, assim como eu disse no início, Meishu-Sama


está nos ensinando, “Nós somos o resultado da soma dos nossos
milhares de antepassados”. Ou seja, porque o nosso espírito e
formado através do grandioso número de antepassados que vem se
evoluindo desde o início da humanidade.

Esses antepassados, como podem confirmar em nosso DNA,


são existências que formam um só corpo que somos nós. E uma
existência que mesmo que queiramos separá-la ela é inseparável.
Uma existência composta de tudo que existe na Terra e no Céu.

Logicamente, nós herdamos desses antepassados não só as


coisas boas, mas também as máculas que eles acumularam. Por
estarem agindo contra a vontade de Deus acabaram acumulando-as
sem perceber.

71
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Não seriam essas máculas que estariam atrapalhando o nosso


sentimento, impedindo assim que possamos enxergar a nossa própria
essência?

Creio que quando essas máculas se acumulam ao ponto de


invadirem o nosso sentimento, isso significa o “Mundo da Noite” e “A
grande fase crítica deste mundo” que Meishu-Sama nos falou, e que
esta se manifestando hoje em dia.

Confio profundamente que esse mundo repleto de


prosperidade em que vivemos precisa dar uma volta de 180 graus, e
que para isso, Meishu-Sama está nos dando uma oportunidade única.

E o que nos possibilita realizar essa grande reviravolta é


justamente o com fato de sermos a união de vários antepassados que
vieram construindo esse mundo.

Vendo pelo Plano Divino, podemos dizer que primeiro Ele


utilizou o Homem para construir o Mundo da Noite, e agora esta o
utilizando para poder realizar a grande transição para o Mundo do
Dia, repleto de Luz.

Porém, vendo pelo lado humano, e principalmente pelo lado de


pessoas como nós que somos ligados a Meishu-Sama, precisamos
pensar sobre qual é o significado de Meishu-Sama ter nos ensinado
sobre a Transição da Era da Noite para a Era do Dia.

Acredito que isso se deve pelo fato de que cada um de nos


precisa se conscientizar, se responsabilizar por vir agindo contra os
princípios de Deus Supremo, o Criador da Humanidade.

Sendo assim, somos obrigados a pensar que tanto as coisas


boas como as ruins existentes no mundo atual não são resultados do
que alguém fez, mas sim algo feito por nos mesmos.

72
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Enfim, a soma dos vários antepassados que somos nós, nosso


corpo e sentimento que vem do mundo da consciência, do mundo do
pensamento, são purificados, salvos e ressuscitados graças à força
de purificação contida no Johrei criado por Meishu-Sama.

Por isso que cada um de nós deve deixar neste mundo seu
corpo e seu sentimento objetivando uma formação que seja capaz de
nos tornar seres perfeitos. Ter o sentimento perfeito e ter coragem
para decidir se desfazer do sentimento que tinha até agora.

Gostaria de expressar aqui, algumas palavras sobre a


purificação da nossa organização.

Não preciso nem dizer que essa reconciliação não é uma coisa
humana, mas sim determinada por Deus Supremo e por Meishu-
Sama.
Porém, muitas vezes eu pensei: “Precisamos fazer algo para
que se concretize a reconciliação”, e em algumas vezes eu cheguei
até a pensar “Será que ela se concretizará?”. Esse sentimento estava
se tornando um problema em meu coração. Eu estava pensando que
a assinatura dessa reconciliação e a sua concretização eram coisas
distintas.

Isso demonstra o quanto meu sentimento estava tomado pelo


mundo material, que não era a forma ideal de usar o sentimento. Isso
estava se tornando um empecilho para a atuação de Meishu-Sama.

Percebi que quem estava construindo uma parede, não era


outra pessoa a não ser eu. Basicamente eu estava pensando errado.

E assim eu pude perceber que com a realização da


reconciliação no Mundo Divino é que ela pode se projetar nesse
nosso mundo dos fenômenos.

Meishu-Sama estava colocando um ponto final no assunto,


mais do que isso Ele estava permitindo a reconciliação neste mundo

73
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

material para que possamos evoluir ainda mais. Sem perceber isso, o
fato de eu ter determinado dentro de mim que essa reconciliação não
aconteceria significava que o meu sentimento para com os planos de
Meishu-Sama ainda eram rarefeitos e que dentro de mim eu ainda
não tinha colocado um ponto final no assunto.

Como as coisas acontecem primeiro no Mundo Espiritual,


acreditar que elas acontecerão também no Mundo Material e uma
coisa muito importante.

Se for assim, creio que estará brotando em nosso coração um


sentimento que é a projeção do Mundo Divino.

Acredito que essa reconciliação serviu para nos mostrar que


devemos começar a andar por um caminho novo.

Mesmo que o começo da escalada para a reconciliação tenha


sido diferente para cada um dos grupos. O ponto de chegada que é
nos esforçar para despertar a nossa alma e voltar nosso sentimento
para Meishu-Sama é o mesmo para todos.

Se fizermos isso, com o nosso esforço mutuo, não haverá a


necessidade de julgar uns aos outros.

Eu, juntamente com os líderes de cada grupo, estamos


empenhados atualmente em sentir que essa reconciliação é um
presente dado por Meishu-Sama.

Se cada um desses líderes tiver confiança nisso e,


desenvolverem suas atividades com um objetivo firme, serão
abençoados com a escansão de cada um, e assim poderemos nos
tornar uma maravilhosa organização.

Os senhores membros da Organização Izunomê receberam


uma importante missão de Meishu-Sama e, sendo formados em uma

74
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

fé que objetiva se religar a Meishu-Sama, estão procurando dar


continuidade a Obra Divina.

Assim como disse agora pouco, a reconciliação é a projeção


da reconciliação no Mundo Divino e, baseados no sentimento de
Meishu-Sama, os senhores estão tomando a postura de quem está
voltado para um objetivo novo.

Por isso, nós precisamos agradecer do fundo do coração a


Meishu-Sama por nos ter dado a permissão de poder realizar essa
reconciliação, por advertir-nos e podermos agora estar andando por
um novo caminho.

Além disso, precisamos verdadeiramente corresponder ao


sentimento de Meishu-Sama por nos fazer andar por esse caminho e
sempre que possível ter o sentimento de materializar isso.

Materializar as coisas perfeitas que recebemos do Mundo


Divino e fazer isso se concretizar é realmente uma coisa muito difícil.

Assim, precisamos ter como objetivo progredir com paciência e


perseverança, ajudando uns aos outros em coisas que não
conseguimos fazer sozinhos, sem perder as esperanças e
procurando religar-se a Meishu-Sama. Esse é meu maior desejo.

Nós temos a tendência de agir valorizando as atitudes das


outras pessoas. Essa valorização também pode ser importante.
Porém, como todos nós nascemos seres humanos, gostaria que isso
passasse a ser valorizado por Deus.

Meishu-Sama certa vez disse: “As pessoas que se dedicação


em apenas concretizar a Vontade Divina são consideradas pessoas
verdadeiras”, “As pessoas que querem ser lembradas por outras
pessoas acabam esquecendo Deus”. Através destes poemas Ele nos
ensina os pontos importantes para nos tornarmos pessoas perfeitas.

75
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

A tarefa dada a cada um de nós é aperfeiçoar sua verdadeira


figura através dos ensinamentos. Meishu-Sama explica sobre o
sentimento livre que foi dado a cada um de nos.

Pessoas que são obrigadas a dividir e determinar coisas, ao


receber um determinado assunto, ele o representa através de um
resumo ou uma opinião feita pelas suas próprias normas. Isso tem a
tendência de passar de pessoa a pessoa e se expandir, mas na
verdade fazer ela se expandir não é nada fácil, não é verdade!

Além disso, cada um precisa se esforçar para entender o


grandioso amor de Deus Supremo que além de ser ilimitado é como o
amor de um pai.

Ou seja, até mesmo o que eu estou dizendo sobre o


sentimento de Meishu-Sama, são coisas que eu estou sentindo em
meu coração, e não apenas a minha opinião.

Ficaria muito feliz se elas se tornarem dicas para que os


senhores cheguem mais perto de concretizar os seus sonhos.

Como a chave para a felicidade de cada um se encontra junto


com Meishu-Sama, que está vivo dentro de cada um de nós, gostaria
que os senhores se empenhassem em se voltarem para Ele. Eu
também estarei me dedicando para isso juntamente com todos os
senhores.

O Culto de Natalício de hoje também comemora 50 anos da


Vinda do Messias.

Meishu-Sama, há 122 anos atrás, em 23 de dezembro de


1882, estava nascendo neste mundo. Ele foi uma pessoa que assim
como todos nós, levou sua vida com o nome de Mokichi Okada.

Um ano antes de ascender aos céus, em 5 de julho de 1954,


Ele pronunciou que Deus Supremo tinha assentado em seu ventre, e

76
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

em 15 de junho do mesmo ano, realizou o Culto Comemorativo à


Vinda do Messias.

Isso significa que além de nascer por intermédio de seus pais


Meishu-Sama veio a nascer de novo. Eu acredito que indiferente a
diferenças físicas, Ele tinha confirmado que tinha renascido como
filho de Deus Supremo, e essa foi a forma que Ele encontrou de
comunicar isso tanto a Deus Supremo como aos membros de uma só
vez.

Nós também precisamos nos ligar a isso.

Por isso, eu acredito que assim como Meishu-Sama, nós


precisamos confirmar que não só nascemos nesse mundo apenas
por intermédio de nossos pais, mas que precisamos renascer de novo
como filhos de Deus Supremo que é o pai da verdadeira vida.

Alem disso, precisamos continuar religados a Meishu-Sama


que renasceu de novo. Para assim podermos nos tornar perfeitos e
concretizar a salvação da humanidade e a construção do Paraíso
Terrestre, metas da Obra Divina.

Por fim, gostaria de encerrar minhas palavras orando para a


felicidade de todos. Estarei orando para que todos os senhores
possam continuar ligados a Meishu-Sama e que através dessa
ligação possam receber Luz ilimitada.

Muito obrigado e um bom dia a todos.

77
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

14 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO


DE 2005)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Ano Novo e Fundação da Igreja
Templo Messiânico de Atami
1º de janeiro de 2005

Expresso, com todo respeito, que o Único e Supremo Deus


outorgou sua divindade a Meishu-Sama e Meishu-Sama fez a sua
vinda entre nós como o Salvador. E, como um dos elementos que
estamos ligados a Meishu-Sama, desejo manifestar minha gratidão e
congratular-me com todos por mais este ano que acabamos de
entrar.

Feliz ano novo.

Posso imaginar o semblante de todos os senhores que, no


Japão e nos vários países do mundo, receberam o início deste
maravilhoso ano, cheios de sonhos e esperança, envoltos na luz do
grande amor de Meishu-Sama.

No ano passado sofremos, por diversas vezes, tanto no Japão


como no exterior, tufões e terremotos e outras catástrofes. Vendo a
realidade desses fatos posso sentir que, apesar de estar dentro de
um plano divino estabelecido pelo Supremo Deus desde o início dos
tempos, a época atual faz antever a chegada da era da grande
purificação proferida por Meishu-Sama.

Através do poema de Meishu-Sama que diz: “Saibam que


mesmo as piores catástrofes naturais são todas ocorrências
provocadas pelos homens”, sinto que eu também sou um elemento
que origina as causas das catástrofes naturais, sofra ou não
diretamente suas consequências. E como tal, reflito minha própria
postura e ao mesmo tempo que suplico por perdão, creio que preciso
ser um indivíduo que aceita através da gratidão o fato dessas

78
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

purificações fazerem parte do Plano Divino e de eu estar sendo


utilizado nesse Plano Divino.

E o ano que acaba de iniciar nesta conjuntura, corresponde ao


septuagésimo ano da instituição da Igreja e ao quinquagésimo ano da
ascensão de Meishu-Sama.

Gostaria de, junto como os senhores, renovarmos o nosso


compromisso na dedicação à Obra Divina, buscando o espírito que
norteou Meishu-Sama em direção à obra da construção do Paraíso
Terrestre e na salvação da humanidade, frente a essa fase da grande
transição.

No ano passado comemoramos o quinquagésimo ano da


“Comemoração Provisória da Vinda do Messias” em que Meishu-
Sama nos apresentou em forma a “Vinda do Salvador” e também o
quinquagésimo ano da definição das três condições para a
qualificação sacerdotal anunciadas meio ano após a Vinda do
Messias, por ocasião da inauguração do Palácio de Cristal e que
norteiam todos os membros e quais sejam: “Pessoas que têm
excelente poder no Johrei”, “Pessoas que têm conseguido conduzir e
salvar grande número de pessoas” e “Pessoas que vêm se
empenhando no servir a Deus”.

E em virtude dessa data, na saudação de ano novo do ano


passado toquei sobre como entender o relacionamento dessas três
qualificações e as três colunas da salvação.

Recebi relatórios dos diretores das três Igrejas-Filiais de que os


senhores membros se empenharam na prática das três colunas da
salvação que têm como ponto forte o Johrei, alcançaram muitas
graças e expansão.

A expansão obtida no exterior sem sido surpreendente e o


Johrei sem conversão religiosa tem mostrado uma expansão muito
concreta e avançado com todas as suas características

79
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Outro fato que nos deixou felizes diz respeito ao Museu MOA
de Belas Artes, cujas atividades denominadas “Arte Voluntária”,
desenvolvidas pelos membros das três Igrejas-Filiais, alcançou forte
repercussão social e, ao mesmo tempo, a divulgação do estudos das
técnicas aplicadas no Biombo das Ameixeiras, um acervo do Museu e
qualificado como Tesouro Nacional, atraiu a atenção de especialistas
e trouxe inúmeros visitantes ao Museu.

Em relação à Reconciliação da Igreja, no ano passado, como


elemento que considera sua missão a concretização da
Reconciliação e, desejando ainda maiores avanços nessa direção,
pude participar dos cultos das Igrejas-Filiais, explanando o meu
pensamento a respeito.

Tenho, também, notícias que quanto aos projetos da Sede de


Desenvolvimento dos Projetos Conjuntos, em direção à concretização
da Reconciliação, além dos aprimoramentos levados nos três Solos
Sagrados, existe um grande empenho para que a missão atribuída a
cada um desses projetos seja cumprida. Em meio a essas
circunstâncias é realmente significativo que esteja sendo levado
avante o estudo do material de aprimoramento comum às três
Igrejas-Filiais e que foi publicada por ocasião do Culto do Paraíso
Terrestre, denominado “A Vida de Meishu-Sama – Salvação e
Construção”

Ainda gostaria de afirmar que considero um grande resultado o


fato de termos tido êxito na reconciliação às vésperas do Culto do
Paraíso Terrestre do ano passado, no Havaí, onde existiu por longo
tempo um foco de resistência muito forte.

Como anunciei no início de minha saudação, este ano coincide


com o septuagésimo ano de instituição da Igreja. Gostaria, nesta
ocasião, perscrutar, através de seus feitos, o fervoroso sentimento de
Meishu-Sama que instituiu a nossa Igreja, imbuído da grande missão
outorgada pelo Supremo Deus.

80
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama estabeleceu Ojindo, no centro de Tóquio, no dia


o
1 de janeiro de 1931, como local para difundir a salvação pelo Johrei
como forma revolucionária da concretização do mundo sem doenças.

E, tendo essa data como marco inicial, em apenas 8 meses,


realizou, como vertiginosa rapidez, todos os preparativos para a
instituição da Igreja, como por exemplo, a confecção da Imagem de
Kannon de Mil Braços, para a Imagem do Altar, elaboração dos
estatutos da Associação Dai Nippon Kannon Kai, a elaboração da
oração Zenguen-Sandji, o estabelecimento de diversas filiais para
servir de local de atividades da salvação.

As circunstâncias dessa época eram óbvias em fazer prever


grandes provações e mesmo assim Meishu-Sama estava decidido a
enfrentá-las. Essa convicção de Meishu-Sama e e determinação dos
membros pioneiros que O seguiram são realmente muito valorosas.
Gostaria de também avançar na nossa caminhada aprendendo e
alimentando nossa alma com os exemplos dessa fé.

Meishu-Sama desenvolver o Plano Divino da Salvação de


Construção segundo a vontade do Alto, estabeleceu as suas bases e
pouco depois de realizar a sua vinda como Salvador, ascendeu ao
Mundo Divino, seguindo o caminho traçado por Deus.

Este ano marca o cinquentenário de retorno de Meishu-Sama


ao Mundo Divino, momento em que Ele iniciou a sua Obra Divina,
desvencilhando-se do seu limitante corpo material.

Antes de sua ascensão, Meishu-Sama afirmou em diversas


ocasiões que Ele iria “emitir sua luz”, “manifestar sua força” e
“trabalhar” do Mundo Divino e que manifestaria a “Força Absoluta”
para desenvolver o Plano Divino. Nesse sentido, o que é mais
importante para nós é acreditarmos firmemente que nessa atual
período de advento de grandes purificações, Meishu-Sama está
manifestando do Mundo Divino sua força absoluta, visando a
construção do mundo isento de doença, pobreza e conflito, ou seja o

81
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

estabelecimento da verdadeira civilização, através de cada um de


nós, neste mundo material, por meio de elo espiritual.

E precisamos nos aprimorar para podermos manter sempre o


sentimento de que sem dúvida Meishu-Sama está vivo dentro de
cada um de nós.

Meishu-Sama nos ensinou: “Eu sou o único orientador”, “Não


afastem os olhos de mim. Apenas trabalhem empenhando a vida,
espelhando-se em mim”, “Quem consegue realizar o que eu digo e
como eu penso, é um herói”. Por isso mesmo o que se espera nesse
ano que representa um importante marco é nos voltarmos a Meishu-
Sama por ocasião da instituição da Igreja. E esse sagrado espírito
está contido na sua declaração de “Construção do Mundo de Miroku”.
Nessa declaração Meishu-Sama expressa claramente os
componentes que formarão o novo mundo civilizado e a ordem em
que este mundo ideal será construído e, sobretudo, as palavras
convictas de que este mundo será concretizado através da Força
Absoluta que Ele manifestará.

Gostaria de nos empenhar em estudar essas palavras e


praticar as três colunas da salvação, visando basicamente a salvação
e formação do indivíduo e objetivar a transformação do lar em
Paraíso e estende-la à sociedade e ao mundo todo.

Não podemos nos esquecer, ainda, que a maneira de ser de


cada um de nós como elementos que recebe e transmite essa força
absoluta recebendo-a neste mundo, na atualidade, após a ascensão
de Meishu-Sama é muito importante e nisso reside o significado da
nossa existência.

Meishu-Sama desenvolve, nos conturbados tempos atuais, a


sua Obra Divina de Salvação e Construção, estabelecido segundo o
mais remoto Plano Divino, através de sua força absoluta, ou seja,
inteligência e força divinas.

82
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O que mais se espera, atualmente, de todos nós que cremos


nisso é o retorno à Obra Divina de Meishu-Sama. E, ao mesmo
tempo, gostaríamos de expressar a nossa mais profunda gratidão por
termos nascidos nessa época e, como ministros e membros da Igreja,
estarmos ligados a Meishu-Sama.

Dentro em breve chegará às mãos dos senhores as “Diretrizes


da Igreja Messiânica Mundial”, publicadas no nosso órgão oficial
“Daikeirin”, que foram condensadas a partir de minhas palavras
pronunciadas em diversas ocasiões.

Desejo através do sentimento contido nessas diretrizes unir-me


ao sentimento de todos os senhores membros da Igreja e poder
compartilhar da alegria de podermos dar os passos iniciais, com
vigor, no caminho que nos leva ao encontro de Meishu-Sama,
colocando as três Igrejas-Filiais alinhadas numa só frente. E para
isso, sinto que, muito além do que se espera dos senhores, serão
necessários o meu próprio aprendizado e evolução.

Se compreendermos e recebermos os objetivos dessas


“Diretrizes” como tarefas a cumprir como indivíduos e como
instituição (as três Igrejas-Filiais) e mantivermos a consciência de
sermos verdadeiramente ligadas a Meishu-Sama e nos empenhar
com absoluta coragem, certamente todos os caminhos, novos e
magnificamente iluminados, se abrirão à nossa frente.
E, ao mesmo tempo, através desse nosso esforço teremos a
permissão da manifestação dos Céus e, alcançaremos a melhor das
expressões da Reconciliação. E isso, certamente, se ligará a um
grande avanço que a Obra Divina dará.

Creio que a medida que cresce a força de salvação, situações


que espelham uma grande purificação se manifestarão em todo o
mundo. E, por isso mesmo devemos buscar a nossa fé em Meishu-
Sama que manifestará sua Força Absoluta e obter forças nos seus
Ensinamentos e nas suas Obras, tornando-os parâmetros da nossa

83
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

fé. Com isso podermos experimentar o verdadeiro sabor de vivermos


a nossa época e corresponder ao espírito de Meishu-Sama.

Finalmente, orando do fundo meu coração para que Meishu-


Sama envie a todos sua infinita Luz e Força, encerro minhas
palavras.

84
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

15 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO


DE 2005)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Ano Novo e Fundação da Igreja
Templo Messiânico de Atami
1º de janeiro de 2005
Publicado no Jornal Messiânico

Posso imaginar o semblante de todos os senhores que, no


Japão e nos vários países do mundo, receberam o início deste
maravilhoso ano cheio de sonhos e esperança, envoltos na luz do
grande amor de Meishu-Sama. No ano passado enfrentamos, por
diversas vezes, tanto no Japão como no exterior, tufões, terremotos e
outras catástrofes. Observando esses fatos posso sentir que, apesar
de tudo isso ser parte de um plano divino estabelecido pelo Supremo
Deus, desde o início dos tempos, a época atual faz antever a
chegada da era da grande purificação, a que Meishu-Sama se referiu.
Ao lembrar o poema em que Ele afirma: “Saibam que mesmo as
piores catástrofes naturais são todas ocorrências provocadas pelos
homens”, sinto que eu também sou um elemento que origina as
causas das catástrofes naturais, sofra ou não diretamente suas
consequências. Como tal, reflito sobre minha própria postura e, ao
mesmo tempo, suplico por perdão. Creio que preciso ser um indivíduo
que aceita, através da gratidão, o fato dessas purificações fazerem
parte do Plano Divino, e de eu estar sendo utilizado nele.

O ano que acaba de iniciar corresponde ao septuagésimo ano


da instituição da Igreja e ao quinquagésimo ano da ascensão de
Meishu-Sama. Gostaria de, junto com os senhores, renovar o
compromisso de, nessa fase de grande transição, dedicar na Obra
Divina, buscando o espírito que norteou Meishu-Sama em direção à
obra da construção do Paraíso Terrestre e à salvação da
humanidade.

85
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Em 2004 comemoramos 50 anos desde que foram definidas as


três condições para a qualificação sacerdotal. Elas foram anunciadas
por ocasião da inauguração do Palácio de Cristal e, até hoje,
norteiam todos os membros. Essas três condições são: “Ter excelente
poder no Johrei”; “Conseguir conduzir e salvar grande número de
pessoas”, e “Empenhar-se no servir a Deus”.

Na saudação que dirigi aos senhores, no início de 2004, falei


sobre como entender a relação que existe entre essas três
qualificações e as três colunas da salvação. Recebi relatórios que
confirmam que todos se empenharam na prática das três colunas da
salvação, que têm como ponto forte o Johrei e, assim, alcançaram
muitas graças, propiciando grande expansão para a nossa Igreja. O
desenvolvimento alcançado no exterior tem sido surpreendente. O
Johrei sem conversão religiosa tem propiciado uma expansão muito
concreta, e avançado com todas as suas características.

Outro fato que me deixou feliz diz respeito ao Museu M.O.A. de


Belas Artes, cujas atividades denominadas “Arte Voluntária”,
alcançaram grande repercussão social.

Como 2005 marca os 70 anos de instituição da Igreja, gostaria


de aproveitar esta ocasião para procurar apreender, através de Seus
feitos, o fervoroso sentimento com que Meishu-Sama fundou a nossa
Igreja, imbuído da grande missão outorgada pelo Supremo Deus. No
dia 1° de maio de 1934 Ele abriu, no centro de Tóquio, um local para
difundir a salvação pelo Johrei, como forma revolucionária da
concretização do mundo sem doenças. Em apenas oito meses Ele
concretizou, com vertiginosa rapidez, todos os preparativos para a
instituição da Igreja e abriu diversas filiais, que serviriam de local para
o desenvolvimento das atividades da salvação.

As circunstâncias daquela época deixavam claro que grandes


provações iriam surgir, mas mesmo assim, Meishu-Sama estava
decidido a enfrentá-las. Essa convicção de Meishu-Sama e a
determinação dos membros pioneiros que O seguiram são realmente

86
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

muito valorosas. Gostaria de também avançar na nossa caminhada,


aprendendo e alimentando nossa alma com esses exemplos de fé.

Meishu-Sama desenvolveu o Plano Divino da Salvação e


Construção, segundo a vontade do Alto. Estabeleceu as suas bases
e, pouco depois de realizar a sua vinda como Salvador, ascendeu ao
Mundo Divino, seguindo o caminho traçado por Deus. Este novo ano
marca o cinquentenário de Seu retorno ao Mundo Divino, momento
em que Ele iniciou a sua Obra, desvencilhando-se do seu limitante
corpo material. Antes de Sua ascensão Meishu-Sama afirmou, em
diversas ocasiões, que iria emanar Sua luz, manifestar Sua força e
trabalhar, do Mundo Divino, e que de lá manifestaria a força absoluta
para concretizar o Plano de Deus. Nesse sentido, o que é mais
importante para nós é acreditar firmemente que, nessa fase atual de
grandes purificações, Meishu-Sama está manifestando, do Mundo
Divino, Sua força absoluta, visando à construção de um mundo isento
de doença, pobreza e conflito, ou seja, o estabelecimento da
verdadeira civilização, através de cada um de nós.

Precisamos nos aprimorar para podermos manter sempre o


sentimento de que, sem dúvida, Meishu-Sama está vivo dentro de
cada um de nós. Ele nos ensinou: “Não afastem os olhos de mim.
Apenas trabalhem empenhando a vida, espelhando-se em mim.
Quem consegue realizar o que eu digo e como eu penso, é um herói”.
Por isso mesmo, o que se espera nesse ano que representa um
importante marco é nos voltarmos para o espírito com que Meishu-
Sama instituiu a nossa Igreja. E esse sagrado espírito está contido na
Sua proposição “Construção do Mundo da Grandiosa Luz”. Nela, Ele
expressa claramente os componentes que formarão o novo mundo
civilizado e a ordem em que este mundo ideal será construído, e
sobre tudo, mostra Sua convicção de que este mundo será
concretizado através da força absoluta que Ele manifestará.

Gostaria de, junto com os senhores, me empenhar em estudar


essas palavras e praticar as três colunas da Salvação, visando
basicamente a salvação e formação do indivíduo, objetivando a

87
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

transformação do lar em Paraíso, e estender essa salvação à


sociedade e ao mundo todo. Não podemos nos esquecer, ainda, que
a maneira de ser de cada um de nós, como elementos que recebem e
transmitem essa força absoluta, é muito importante, e que nisso
reside o significado da nossa existência.

Meishu-Sama desenvolve, nos conturbados tempos atuais, a


sua Obra Divina de Salvação e Construção através de Sua força
absoluta, ou seja, através de Sua inteligência divina. O que mais se
espera, atualmente, de todos nós que cremos nisso é o retorno à
Obra Divina de Meishu-Sama. E, ao mesmo tempo, gostaria de
expressar, junto com os senhores, minha mais profunda gratidão por
termos nascido nessa época e, como ministros e membros da Igreja,
estarmos ligados a Ele.

Desejo unir-me ao sentimento de todos os senhores, membros


da Igreja, e poder compar¬tilhar da alegria de podermos dar os
passos iniciais, com vigor, no caminho que nos leva ao encontro de
Meishu-Sama. Se mantivermos a consciência de sermos
verdadeiramente ligados a Ele e nos empenharmos com absoluta
coragem, certamente todos os caminhos, novos e magnifi¬camente
iluminados, se abrirão à nossa frente.

Creio que, na medida em que cresce a força de salvação,


situações que espelham uma grande purificação se manifestarão em
todo o mundo. Por isso mesmo devemos centralizar a nossa fé em
Meishu-Sama e buscar forças nos Seus Ensinamentos e nas Suas
Obras, tornando-os parâmetros da nossa fé. Com isso poderemos
experimentar o verdadeiro sabor de viver a nossa época e
corresponder ao espírito de Meishu-Sama.

Encerro minhas palavras orando, do fundo meu coração, para


que Meishu-Sama envie a todos Sua infinita Luz e Força.

Feliz Ano Novo!

88
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

16 - CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE (JUNHO DE 2005)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Paraíso Terrestre
Templo Messiânico de Atami
15 de junho de 2005

Senhoras e senhores, felicitações a todos pelo Culto do


Paraíso Terrestre.

E com profundo respeito que hoje, com sentimento de gratidão


a Meishu-Sama, rezamos a Deus por podermos comemorar o dia de
hoje, em que Deus Supremo outorgou sua Personalidade Divina a
Meishu-Sama. Um ano antes de ascender aos céus, Meishu-Sama
nos falou sobre a vinda do Messias e proclamou que ele próprio tinha
se tornado o Messias, tornando-se um só corpo com Deus Supremo,
tendo assim a visão do passado, presente e futuro em todas as
dimensões da Obra Divina.

Todos os senhores do grupo Izunome estão se empenhando


para fazer parte desta grandiosa Obra Divina, e ao mesmo tempo se
dedicando de corpo e alma em suas práticas diárias. Fico muito feliz
com isso.

Também fiquei profundamente emocionado com o empenho de


todos os senhores, que entenderam perfeitamente o sentimento da 3ª
Líder Espiritual, fazendo aprimoramentos e dedicando de todo o
coração para a construção do Solo Sagrado do Heian-kyo.

Participei juntamente com a 3ª Líder Espiritual do Culto


Comemorativo pelo término da primeira etapa de construção dos
jardins do Solo Sagrado do Heian-kyo, no dia 8 de abril. Neste dia de
magnífico céu azul, onde as cerejeiras estavam completamente
floridas, os sorrisos na face de todos os participantes fez com que o
culto também fosse maravilhoso.

89
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Com muita gratidão a Meishu-Sama, e desejando que um


número cada vez maior de pessoas possa ter contato com esse
mundo de tranquilidade impregnado no Heian-kyo, e que neste santo
local de tranquilidade possamos nos conscientizar mutuamente do
paraíso existente dentro de cada um de nós. Gostaria que
passássemos a viver com a certeza dessa essência em nosso dia a
dia.

Pois bem, neste ano comemoramos 70 anos da fundação da


Igreja Messiânica Mundial e 50 anos da ascensão de Meishu-Sama.
Realmente é um ano de profundo significado.

Meishu-Sama, desde a fundação da igreja até sua ascensão


desenvolveu a Obra Divina de salvação da humanidade e da
construção do Paraíso na terra através da Força Absoluta.
Procurando colocar tudo dentro das determinações estabelecidas por
Deus Supremo.

Além disso, assim como falou antes de ascender aos céus,


Meishu-Sama está emanando essa força espiritual com uma
intensidade cada vez maior.

Este momento atual que vivemos, depois de sua ascensão,


gostaria juntamente com todos os senhores de nos tornarmos
verdadeiros instrumentos de Meishu-Sama que possam transmitir de
forma adequada essa Força Absoluta.

Para isso temos que aceitar de corpo e alma o sentimento de


Meishu-Sama impregnado no poema:

“Saibam que a origem da força ilimitada está dentro da alma


que nos liga a Deus Supremo”

Não podemos nos esquecer em qualquer momento que o


nosso corpo foi confiado por Deus, e que dentro dele existe uma
Partícula Divina. Se não fosse por isso, a Obra Divina de construção

90
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

do Paraíso Terrestre e da Salvação da Humanidade seria como a


circunferência da palavra “SU”, mas sem o ponto no meio, ou seja,
algo sem espírito, sem alma.

O Johrei, a Agricultura Natural e Atividades Culturais Artísticas


que são o centro de todas as atividades na Obra Divina, não são
obras humanas, mas sim obras realizadas por Deus, manifestações
da Força Divina, por isso desejo do fundo do coração que sua
expansão seja grandiosa.

Com relação ao estabelecimento de uma única organização.


Como a reconciliação foi concretizada no Mundo Divino, através da
Força Absoluta, eu acredito que ela será projetada no mundo
material, confirmando a nossa unificação.

Por isso, devemos objetivar que esta reconciliação seja


concretizada. Mas, seria uma falta de respeito para com Meishu-
Sama apenas falar a palavra “concretização” por todos os cantos.

Se estivermos apenas pensando que devemos fazer algo para


realizar esta “concretização”, o sentimento humano acabará ficando
em primeiro plano. E seria uma ignorância distinguir isto como ser
humano.

Melhor que “concretizar”, o ideal é não esquecermos a


humildade, ter confiança que esta reconciliação foi realizada pela
“Força Absoluta”, e que mesmo sendo imperfeitos, devemos nos
preocupar no que devemos fazer para aceitar, com obediência, essa
força. Devemos nos empenhar de corpo e alma para “concretizá-la”
de uma forma visivelmente melhor que no mundo Divino. Gostaria de,
juntamente com todos os senhores, me dedicar com todo o coração
para podermos aproveitar os benefícios desta reconciliação.

Então, de que maneira Meishu-Sama compreendia e sentia


que dentro da sua própria vida existia a presença de Deus Supremo,
criador de todas as coisas.

91
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama escreveu os seguintes poemas:

“Deus está vivo e nos outorgou a vida para sermos


felizes”;

“Saibam que não somos nós quem coloca vida na alma.


Isso e feito pelas mãos de Deus”;

“Deus é o doador da vida, não tem como voltarmos as


costas para ele”.

Como está escrito nestes poemas, primeiramente, Deus


Supremo nos deu a vida e nos ensina que a importância desta vida
está presente em todas as coisas.

Durante muito tempo eu vivi sem compreender a importância


destas palavras, rezando, ministrando Johrei e sendo utilizado
diariamente na Obra Divina.

O conceito que temos de tomar como ponto de partida é que


nós temos uma postura completamente afastada de Meishu-Sama.

Sinto que vinha vivendo por conta própria, e que todas as


coisas ao meu redor estavam acontecendo graças a minha força.

Deus Supremo é a nossa própria vida. A respiração e a


expiração que nos faz sentir vivos foi dada por Deus. Sem esta
sensibilidade como nós podemos ser verdadeiramente utilizados por
Meishu-Sama que manifesta a Força Divina?

Além do mais, a vida não tem apenas o significado da vida


racional e corporal limitada entre a vida e morte como nós pensamos.
Meishu-Sama nos ensina que é uma vida espiritual, a vida eterna que
ultrapassa os limites da matéria.

Meishu-Sama também escreveu o seguinte poema:

92
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“Quando passamos a entender que possuímos a vida


eterna, passaremos a ser verdadeiros seres humanos”;

“Salvar várias pessoas é passar a andar pelo caminho da


vida eterna”.

E além disso, em 1952 Meishu-Sama disse: “Como eu sempre


digo, existe uma bola de luz em meu ventre. Ela é a alma de um Deus
de nível muito elevado que comanda meus movimentos livremente.
Ou seja, por não existir diferença entre Deus e homem, isto sim é o
verdadeiro Estado de União com Deus”.

Ele também escreveu isso no poema: “Sou homem mas não


sou homem, sou Deus mas não Sou Deus quando penso sobre mim
mesmo”.

E é assim que Meishu-Sama tinha entendido claramente que


Deus não era apenas uma existência ideológica, mas que Deus
existia dentro de sua própria vida.

Não seria exatamente por causa desse sentimento que


Meishu-Sama sentiu a necessidade de levantar a mão para
concretizar o desejo de Deus Supremo e realizar a obra de salvação
da humanidade, humanidade que vem menosprezando a existência
de Deus e por isso vai se extinguindo?

O que eu sinto através da postura de Meishu-Sama, dos Seus


textos, palavras, poemas e caligrafias, enfim, todas as práticas dentro
da vida de Sua vida, Meishu-Sama queria nos mostrar que Deus
Supremo está ciente de tudo, ciente do passado, presente e futuro, e
que Ele sempre esteve e sempre estará vivo dentro de cada um de
nós. E que Meishu-Sama está nos guiando para podermos saborear
a alegria de ser utilizados por Deus Supremo.

Um ano antes de ascender aos céus, em 5 de junho de 1954,


Meishu-Sama reuniu os ministros e reverendos da época no Solar na

93
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Nuvem Celestial. Contou à todos a misteriosa mudança que estava


acontecendo em seu corpo e também contou sobre a vinda do
Messias. Que isso não significava renascer de novo, mas sim
renascer nessa vida.

Poucos dias depois, realizou o Culto Provisório da Vinda do


Messias.

Para mim, Meishu-Sama reconheceu que tinha renascido


nessa vida como o Messias, em outras palavras, como o verdadeiro
filho que herdou a Obra de Deus Supremo. Não existem palavras
para expressar a importância deste fato. Sinto que Meishu-Sama,
sem sombra de dúvidas, percebeu claramente que Deus estava
eternamente vivo dentro dele.

Eu também, por ser um ser humano, me unindo com este


sentimento de Meishu-Sama e ultrapassando as barreiras físicas das
palavras vida e morte, preciso me educar para adquirir a consciência
da existência desta vida eterna em mim.

Para adquirir esta formação nós passamos por vários tipos de


purificação, e ao mesmo tempo, precisamos purificamos nosso corpo
e nosso espírito através da prática do Johrei.

Falando dessa maneira, eu também estava limitando a


existência de Deus como uma coisa abstrata. Eu não compreendia
sua existência por não vê-lo e não ouvi-lo. Para mim, Deus era uma
existência vazia e sem emoções.

Eu também nem sequer procurava entender que maneira eu


estava aceitando o fato de Deus existir dentro de mim, ou o sentido
desta vida quando eu sentia a força do Johrei ou quando acontecia
algo diferente. Algo que fizesse eu sentir a força de Deus.

Eu só conseguia compreender a existência de Deus como um


Deus que nos ajuda em momentos de dificuldade, ou um Deus que

94
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

realiza coisa do meu agrado ou que atua conforme a minha vontade


ou para me satisfazer.

Realmente não era o espírito precedendo a matéria mas o


contrário disso, a matéria precedendo o espírito.

Se eu não conseguir aceitar que Deus é o Pai que me deu a


coisa mais importante que é a vida, será muito difícil me relacionar
com ele.

Precisamos despertar desse longo período de egoísmo.


Renovar o próprio sentimento e falar, de forma obediente, que Deus
não é apenas como nós determinamos em nosso pensamento. Sem
criar barreiras, devemos nos voltar para Deus aceitando que Ele esta
vivo dentro de nós. Vivo dentro do ar que nos respiramos e dentro do
pensamento que preenche nossa cabeça.

Se não pensarmos desta maneira, como nós conseguiremos


saborear a verdadeira felicidade?
Nós nos sentimos felizes quando melhoramos fisicamente,
quando acontece algo de bom no nosso dia a dia, ou quando vemos
resultados positivos em nossas dedicações na Obra Divina.

Certamente isso é uma alegria muito grande.

Porém, a verdadeira alegria de ter recebido a vida é um


sentimento de alegria completamente diferente.

Mas a alegria que sentimos geralmente sempre tem um preço.


Com o passar do tempo e conforme a mudança da situação esta
alegria se reduz e vai diminuindo pouco a pouco.

Entretanto, nós estamos aqui hoje por possuirmos uma


Partícula Divina outorgada por Deus Supremo. Devemos ter
consciência que ela é o próprio Deus Supremo e que através dela
nós recebemos a força da vida.

95
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O simples fato de nós existirmos agora neste exato momento,


significa que Deus também esta vivo. Deus esta jorrando para dentro
de nós, juntamente com um profundo e incalculável amor, a essência
da vida.

Deus, que nos ama profundamente, não estaria deixando de


mostrar isto para nós.

Por isso, já que conseguimos nos alegrar com as coisas que


acontecem nesse mundo visível aos nossos olhos, não teria como
deixar de sentir felicidade, alegria, tranquilidade e gratidão por
estarmos vivos, por estarmos repletos do mais puro e eterno amor.

Não teria como deixar de sentir a felicidade por poder


compartilhar este pensamento de amor com as várias pessoas e
coisas que existem ao nosso redor.

Antes dar preferência a própria felicidade e satisfação, eu


acredito que sentiremos a própria felicidade procurando alegrar a
Meishu-Sama, ou seja, fazer com que Deus Supremo se alegre. Esta
não seria a nossa verdadeira postura original?

Não apenas isso, não estaríamos desistindo dessa postura


materialista de, por não conseguir enxergar a verdadeira felicidade,
objetivarmos apenas a felicidade deste mundo visível aos nossos
olhos através de formas?

Porque será que a verdadeira felicidade não brota em nosso


coração? Eu tenho sentido algo com relação a isto.

Nós vivemos até hoje com uma consciência egoísta,


acreditando o sentimento é uma coisa nossa. E acreditamos que
fomos nós que o cultivamos desde que nascemos ate hoje.

Porém, Meishu-Sama nos ensina: “Nós somos a união de um


número infinito de antepassados. E o elo espiritual desse incrível

96
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

número de antepassados está ligado ao nosso espírito”. E assim


como e explicado na transmissão do código genético, nós não somos
gerados por apenas inúmeras gerações. Na verdade, nós somos a
união de um incontável número de antepassados que começaram a
existir desde a criação dos céus e da terra. Não podemos esquecer
que a existência egoísta que somos hoje está ligada por um elo
espiritual que ultrapassa a barreira do tempo e do espaço, ligando-se
a todas as criaturas que viveram pelos vários processos de evolução
existentes até hoje.

Dentre estes antepassados, existem muitos que não


conseguiram sentir gratidão e alegria de ter contato com a vida dada
por Deus Supremo.

Por isso, como eles não sentiram a alegria de ter esse contato
com a vida de Deus Supremo, acabaram partindo deste mundo sem
terem adquirido a verdadeira tranquilidade de espírito.

O incalculável número de antepassados de consciência egoísta


que existiu até hoje estão ligados à consciência egoísta que existe
em nossas células, gerando nuvens em nosso pensamento, que
fazem com que nós não consigamos fazer brotar este sentimento de
gratidão e felicidade.

Por isso que para nós, estar vivo hoje nesta situação, significa
que somos responsáveis de carregar nas costas o egoísmo destes
milhares de antepassados.

Entretanto, se conseguirmos aceitar e entender que cada um


de nós esta parado no ponto de retorno para Deus, significa que nós
podemos virar para Deus, ao qual estamos ligados através de um elo
espiritual de luz, e entregar tudo isso em Suas mãos.

É por isso que devemos, juntamente com os antepassados


ligados a nós, e as milhares de pessoas que Meishu-Sama criou
afinidade conosco, nos religarmos a Meishu-Sama, e assumir a

97
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

responsabilidade de retornar a verdadeira origem da vida que é o lar


da nossa alma.

É este o ponto principal para encontrarmos a formação


individual, em outras palavras, o crescimento contínuo para nos
tornarmos seres perfeitos.

É exatamente por isso que, mesmo que o sentimento de


gratidão e felicidade floresça dentro do nosso coração, não podemos
esquecer o numeroso número de antepassados que estão ligados ao
nosso sentimento egoísta, e que este sentimento esta dominados por
emoções. Como existem pessoas que vem caminhando por uma vida
cheia de realizações, Meishu-Sama fará que todas elas olhem para o
seu passado, para que possam ser purificadas e receber a verdadeira
salvação. Precisamos ter sempre em nossos pensamentos que
Meishu-Sama esta fazendo isto.

Por exemplo, quando nós ou até mesmo as pessoas a nossa


volta percebem que estão com algum problema físico, um sentimento
egoísta, sombrio e obstinado, que as palavras e o comportamento
das pessoas, ou até mesmo a postura ou hábitos dos outros
estiverem atormentando, devemos nos lembra que o pensamento de
todos nós, estão mutuamente ligado por Meishu-Sama. E que este
sentimento imperfeito que veio se formando inconscientemente, está
ensinado isto a todos nós.

Por isto, antes de olhar para o próximo com ironia, antes de


julgar tanto a si mesmo como o próximo, ou até mesmo antes de ficar
inquieto com várias coisas, como somos imperfeitos e precisamos ser
salvos, devemos desejar nos religar a Deus. Para que Meishu-Sama
se manifeste, precisamos nos conscientizar que somos imperfeitos e
que temos a responsabilidade de salvar outras pessoas. E aceitar
que estes sentimentos que passam pelo nosso coração são frutos da
iluminação causada pela luz da purificação. E que, além disso,
juntamente com os nossos antepassados, os antepassados de todas

98
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

as outras pessoas também estão sendo purificados e salvos por


Meishu-Sama.

Até chegar neste pensamento, eu vim até hoje, sem nenhuma


sombra de dúvidas, julgando as coisas que eu via, ouvia e sentia por
medidas próprias. E também procurava entender os ensinamentos
com o mesmo sentimento.

Eu também vim usando os sentidos da visão e da audição, que


não são meus, como meus.

Porém, estes milhares de antepassados não entenderam a


verdade eterna e o ilimitado amor de Deus. Por eles estarem ligados
a mim, a minha própria sensibilidade não são nada mais nada menos
que simples defeitos perante Deus Supremo.

Eu falo para Meishu-Sama que gostaria de ser utilizado por


completo. Por falar isso, eu preciso me conscientizar que os olhos e
os ouvidos que eu vinha utilizando por conta própria, e o sentimento
egoísta que se formou através desta forma errada de utilizá-los e
passar a utilizá-los como olhos e ouvidos de Meishu-Sama.

Acredito que fazendo isto, estaremos criando olhos e ouvidos


capazes de captar a existência do mundo invisível, criando dentro do
nosso coração uma forma adequada de entendemos os
ensinamentos, arrumando a forma desequilibrada que utilizávamos
nossos sentimentos e a forma estreita de pensar e encarar as coisas
a nossa volta.

Precisamos carregar sempre em nossos corações o poema de


Meishu-Sama: “Mesmo quando as coisas que parecem boas aos
olhos do homem, nem sempre elas correspondem a Vontade
Divina”.

Hoje, comemoramos o Culto do Paraíso Terrestre. Em 15 de


junho de 1931, Meishu-Sama escalou o Monte Nokogiri na província

99
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

de Chiba, onde Ele recebeu a revelação da Transição da Era da Noite


para a Era do Dia no Mundo Espiritual, e 4 anos depois fundou a
Igreja Messiânica Mundial. Meishu-Sama escreveu o poema:
“Mesmo não sendo vista pelos olhos do homem, a Obra Divina
se faz presente em nós e no Mundo Espiritual”, e explicou através
dele que estava chegando o momento de no Mundo Espiritual, em
outras palavras, no Mundo Divino, a Transição da Era da Noite para a
Era do Dia estava concretizando, e ultrapassando as barreiras do
tempo e do espaço iria se projetar, se refletir neste mundo de
dimensões, onde o Mundo de Escuridão irá se tornar um Mundo de
Luz, a civilização provisória irá dar lugar para a verdadeira civilização
e a cultura matéria precede o espírito irá ser substituída pela cultura
espírito precede a matéria.

Nós também somos existências projetadas do Mundo Divino,


na qual foi outorgada uma Partícula Divina antes de encarnarmos
neste mundo. Como também recebemos este corpo e a nossa
consciência egoísta, podemos dizer que existe dentro de cada um de
nós todas as dimensões existentes entre o Mundo Divino e o Mundo
Material.

E é assim que nós, portadores destas várias dimensões, por


estamos ligados a Meishu-Sama, conseguiremos ser capazes de
voltar nossos corações para um mundo de luz, um mundo espírito
precede a matéria. Saindo deste mundo de trevas dominado apenas
por coisas visíveis. Por isso, devemos nos conscientizar que estamos
concretizando uma Transição da Era da Noite para a Era do Dia
dentro de cada um de nós nesse dia tão especial que é o Culto do
Paraíso Terrestre. Devemos comunicar isso a Meishu-Sama com o
coração repleto de gratidão.

E purificando nosso antigo eu, sem voltar a usar nosso


sentimento como usávamos no mundo da noite, nos voltando para
Meishu-Sama, esquecendo nossa falsa postura, devemos assumir a
nossa verdadeira postura de determinação para sermos utilizados

100
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

nessa nova fase espírito precede a matéria. Assim, estaremos nos


tornando fontes de energia para a construção do Paraíso Terrestre.

O tempo que vivemos neste mundo é muito curto.

Durante toda a nossa vida, existiram coisas boas e ruins para


nós, e ate mesmo coisas que pareciam ser apenas obra humana.
Todas estas coisas estão dentro dos objetivos de Deus Supremo e
Meishu-Sama está ensinando a nós que estamos sendo utilizados por
Ele.

Da mesma maneira que se um de nossos antepassados não


tivesse existido, não teria como estarmos aqui hoje, acredito que se
uma de nossas vidas passadas também não tivesse existido, não
teria como estarmos vivos hoje.

O passado não é apenas um passado. Todo o passado está


ligado a nós.

Todo o futuro também se faz presente dentro de nós.

Tanto em um futuro próximo como em um futuro distante,


teremos esperanças em algo ou desejaremos alguma coisa.

Por isso, temos que dar muita importância ao sōnen do “eu” do


agora.

Meishu-Sama nos fala em seus ensinamentos: “O nosso


sōnen que é invisível pode chegar, não somente aos limites do
mundo, como se expandir ilimitadamente em apenas um piscar
de olhos”, e em seus poemas: “As coisas visíveis possuem uma
força limitada, mas as coisas invisíveis possuem uma força
ilimitada”.

O pensamento, por ser invisível, consegue atravessar o


incalculável número de elos espirituais, ultrapassar as barreiras do

101
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

tempo e do espaço, chegando tanto em outros seres humanos, como


também aos antepassados e a todas as coisas vivas.

Certamente esta força não é fraca. E uma força muito forte.

Transmitimos e recebemos constantemente este pensamento,


mas a alma que está alojada dentro de cada um de nós nos liga à
Deus Supremo permitindo um intercambio continuo, onde recebemos
constantemente Luz através do elo espiritual.

Deus Supremo, possuidor de uma maravilhosa força e


inteligência, está vivo dentro de cada um de nós, respirando com
vivacidade por toda a eternidade. Se nos conscientizarmos
plenamente disso, seja qual for a situação que tivermos de enfrentar,
nunca perderemos a sensibilidade de estarmos sendo utilizados, e
com certeza estará se abrindo um futuro repleto de esperanças.

Por fim, gostaria de encerrar minhas palavras orando para que


Deus Supremo, criador de todas as coisas, permita que todos
possam saborear a verdadeira felicidade caminhando pela estrada da
vida eterna. E que todos possam ser utilizados por possuírem um
profundo laço de ligação com Meishu-Sama recebendo muita Luz e
força.

Muito obrigado a todos.

102
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

17 - CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE (JUNHO DE 2005)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Paraíso Terrestre
Templo Messiânico de Atami
15 de junho de 2005
Publicado no Jornal Messiânico

É com profundo respeito que, com sentimento de gratidão a


Meishu-Sama, podemos comemorar o dia de hoje, em que Deus
Supremo outorgou sua personalidade divina a nosso Mestre. Um ano
antes de ascender ao mundo divino, Meishu-Sama nos falou sobre a
vinda do Messias e proclamou que Ele próprio tinha se tornado o
Messias, tornando-se um só corpo com Deus Supremo, tendo, assim,
a visão do passado, do presente e do futuro em todas as dimensões
da Obra Divina. Todos os senhores estão se empenhando para fazer
parte desta grandiosa Obra Divina e, ao mesmo tempo, se dedicando
de corpo e alma às suas práticas diárias. Fico muito feliz com isso.
Também fiquei profundamente emocionado com o empenho de todos
os senhores, que entenderam perfeitamente o sentimento da Terceira
Líder Espiritual, participando de aprimoramentos e dedicando de todo
o coração para a construção do Solo Sagrado do Heian-kyo.

Participei, juntamente com a Terceira Líder Espiritual, do Culto


comemorativo do término da primeira etapa de construção dos jardins
do Solo Sagrado de Kyoto, no dia 8 de abril. Com muita gratidão a
Meishu-Sama, expressei o meu desejo de que um número cada vez
maior de pessoas possa ter contato com esse mundo de tranquilidade
impregnado no Heian-kyo, e que possamos nos conscientizar de que
este sagrado local de tranqüilidade é o paraíso existente dentro de
cada um de nós. Desejo também que passemos a viver com a
certeza dessa essência em nosso dia-a-dia.

Neste ano, comemoramos 70 anos da fundação da Igreja


Messiânica Mundial e 50 anos da ascensão de Meishu-Sama.
Realmente, é um ano de profundo significado. Desde a fundação da

103
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Igreja até sua ascensão, Meishu-Sama desenvolveu a Obra Divina de


salvação da humanidade e da construção do Paraíso na Terra através
da sua Força Absoluta, procurando colocar tudo dentro das
determinações estabelecidas pelo Deus Supremo. Além disso, assim
como afirmou antes de sua ascensão, Ele está emanando essa força
espiritual com uma intensidade cada vez maior. Nesse momento que
vivemos, depois de Sua ascensão, gostaria de, juntamente com todos
os senhores, nos tornarmos verdadeiros instrumentos de nosso
Mestre, pessoas habilitadas a transmitir, de forma adequada, essa
Força Absoluta. Para isso temos de aceitar, de corpo e alma, Seu
sentimento impregnado no seguinte poema: “Saibam que a origem da
força ilimitada está dentro da alma, que nos liga ao Deus Supremo”

Não podemos nos esquecer, em nenhum momento, que o


nosso corpo nos foi confiado por Deus e que, dentro dele, existe uma
partícula divina. Se não fosse por isso, a Obra Divina de construção
do Paraíso Terrestre e da salvação da humanidade seria como a
circunferência da palavra “SU”, mas sem o ponto no meio, ou seja,
algo sem espírito, sem alma.

O Johrei, a Agricultura Natural e as atividades culturais e


artísticas, que são o centro de todo o trabalho na Obra Divina, não
são obras humanas, mas sim, algo realizado por Deus,
manifestações da força divina. Por isso, desejo do fundo do coração
que sua expansão seja cada vez mais fortalecida. Vejamos então de
que maneira Meishu-Sama compreendia e sentia que, dentro da sua
própria vida, existia a presença de Deus Supremo, criador de todas
as coisas e fonte da Força Ilimitada. Ele escreveu os seguintes
poemas: “Deus está vivo e nos outorgou a vida para sermos felizes”;
“Saibam que não somos nós que colocamos vida na alma. Isso é feito
pelas mãos de Deus”; “Deus é o doador da vida, não há como crescer
voltando as costas para ele”.

Como podemos ver nesses poemas, primeiramente Deus


Supremo nos deu a vida e nos ensina que a importância desta vida
está presente em todas as coisas. Durante muito tempo eu vivi sem

104
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

compreender a importância dessas palavras, rezando, ministrando


Johrei e achando que estava sendo utilizado diariamente na Obra
Divina. Acredito que a minha postura estava completamente afastada
de Meishu-Sama, já no ponto de partida do meu pensamento. Sinto
que achava que vivia por minha própria conta, e que todas as coisas
ao meu redor estavam acontecendo graças à minha força. Não posso
deixar de pensar que Deus Supremo é a minha própria vida. A
respiração e a expiração que fazem com que eu me sinta vivo foram
concebidas por Deus. Sem essa consciência, como eu poderia ser
verdadeiramente utilizado por Meishu-Sama, que manifesta a Força
Divina? Ele nos ensinou que essa vida é uma vida espiritual e eterna,
que transcende o sentido apenas material de vida e morte, como nós
pensamos. A respeito disso, escreveu os seguintes poemas: “Quando
entendermos que possuímos a vida eterna, passaremos a ser
verdadeiros seres humanos”; “Salvar pessoas é ensinar o caminho da
vida eterna”.

E, além disso, em 1952, Meishu-Sama afirmou: “Como eu


sempre digo, existe uma bola de luz em meu ventre. Ela é a alma do
Supremo Deus e todas as minhas ações são comandadas por Ele.
Ou seja, não existe diferença entre a atuação de Deus e do homem, e
este é o verdadeiro estado de união com Deus”. Ele também
escreveu isso no poema: “Pensando a meu próprio respeito: Sou
homem e não sou homem, sou Deus e não sou Deus”.

É assim que Meishu-Sama tinha entendido claramente que


Deus não era apenas uma existência ideológica, mas que existia
dentro de sua própria vida. Não seria exatamente por isso que Ele
captou o desejo de Deus Supremo de estender a mão da salvação
para a humanidade, que, pela própria ignorância, vem
menosprezando a existência de Deus e, por isso, vem se
extinguindo?

O que eu sinto através da postura de nosso Mestre, dos Seus


textos, palavras, poemas e caligrafias, enfim, todas as práticas dentro
da Sua vida, é que Ele queria nos mostrar que Deus Supremo está

105
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

ciente de tudo, que sempre esteve vivo no passado, no presente e


continuará eternamente vivo no futuro. Não posso deixar de pensar
que Meishu-Sama está nos guiando para podermos entender isso e
saborear a alegria de sermos instrumentos de Deus Supremo.

Um ano antes de ascender ao mundo divino, em 5 de junho de


1954, Meishu-Sama reuniu os ministros e reverendos da época no
Solar na Nuvem Esmeralda. Contou a todos a misteriosa mudança
que estava acontecendo em seu corpo e também falou sobre a vinda
do Messias - que isso não significava nascer de novo, mas sim,
renascer nessa vida. Poucos dias depois, Ele oficiou o Culto
Provisório da Vinda do Messias.

Reconheço que Meishu-Sama tenha atingido o estado de


poder renascer nessa vida como o Messias, ou seja, como o
verdadeiro filho que herdou a Obra do Deus Supremo. Não existem
palavras para expressar a importância deste fato. Sinto que Meishu-
Sama teve a indubitável percepção de que, de fato, Deus permanece
eternamente vivo. Eu também, em consonância com esse sentimento
de Meishu-Sama, e ultrapassando as barreiras físicas da vida e da
morte, preciso me aprimorar para adquirir a consciência da existência
desta vida eterna. Creio que é para adquirir esta formação que
preciso passar pelos vários tipos de purificação e, ao mesmo tempo,
preciso me purificar de corpo e alma, através da prática do Johrei.

O motivo que me leva a falar dessa maneira é que, até hoje, eu


vinha apreendendo a existência do que chamamos Deus apenas em
palavras. Eu o compreendia como uma existência que eu não podia
ver nem ouvir. Para mim, Deus era uma existência vazia e sem
emoções. Apenas quando via a manifestação da força do Johrei ou
quando acontecia algo extraordinário, eu sentia que era atuação de
Deus. Sequer procurava entender de que maneira eu estava
aceitando o fato de Deus existir dentro de mim, ou o que poderia
fazer para ter contato com essa consciência de vida. Eu só conseguia
compreender a existência de Deus como um ser a quem devo pedir
ajuda em momentos de dificuldade, ou como um Deus que realiza

106
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

coisas do meu agrado, ou que atua conforme a minha vontade ou


para me satisfazer. Realmente não era o espírito precedendo a
matéria, mas pelo contrário, a matéria precedendo o espírito. Se eu
não conseguir aceitar que Deus é o Pai que me deu a coisa mais
importante, que é a vida, será muito difícil me relacionar com ele.
Penso que preciso despertar desse longo período de egoísmo,
renovar meu sentimento e admitir, de forma obediente, que Deus não
é apenas como nós determinamos em nosso pensamento. Devo me
voltar para Deus aceitando que Ele está vivo dentro de mim, no ar
que nós respiramos e dentro do pensamento que preenche minha
cabeça. Se não pensarmos desta maneira, como nós conseguiremos
saborear a verdadeira felicidade? Se eu não proceder dessa maneira,
como conseguirei saborear a verdadeira felicidade?

Nós nos sentimos felizes quando melhoramos de saúde,


quando acontece algo de bom no nosso cotidiano, ou quando vemos
resultados positivos em nossas dedicações na Obra Divina.
Certamente isso é uma alegria muito grande. Porém, a verdadeira
alegria de ter recebido a vida é um sentimento completamente
diferente. A alegria que sentimos geralmente é relacionada a algo
mensurável. Com o passar do tempo, e conforme a mudança da
situação, essa alegria se reduz e vai se apagando. Entretanto, nós
estamos aqui hoje por possuirmos uma partícula divina outorgada por
Deus Supremo. Devemos ter consciência de que ela é o próprio Deus
Supremo e que, através dela, nós recebemos a força da vida.

O simples fato de nós existirmos agora, neste exato momento,


significa que Deus também está vivo e está vertendo em nós,
juntamente com Seu profundo e incalculável amor, a essência da
vida. Deus, que nos ama profundamente, com certeza não deixaria
de mostrar isto para nós. Por isso, já que conseguimos nos alegrar
com as coisas que acontecem nesse mundo visível aos nossos olhos,
não teríamos como deixar de sentir felicidade, alegria, tranquilidade e
gratidão por estarmos vivos, por estarmos repletos de algo que é o
mais puro e eterno amor. Não teríamos como deixar de sentir
felicidade por poder compartilhar este pensamento de amor com as

107
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

várias pessoas e coisas que existem ao nosso redor. Antes de dar


preferência à própria felicidade e satisfação, eu acredito que
sentiremos a própria felicidade procurando alegrar a Meishu-Sama,
ou seja, fazer com que o Deus Supremo se alegre. Não seria essa a
nossa verdadeira postura? Não obstante, será que não estaríamos
nos resignando, achando que a nossa postura deva ser a de buscar a
felicidade apenas no mundo visível, uma vez que não conseguimos
enxergar a felicidade verdadeira?

Por que será que a verdadeira felicidade não brota em nosso


coração? Eu tenho sentido algo com relação a isto. Nós vivemos até
hoje com uma consciência egoísta, acreditando que o sentimento é
uma coisa nossa, acreditando que fomos nós que o cultivamos,
desde que nascemos até o dia de hoje. Porém, Meishu-Sama nos
ensina: “Nós somos a união de um número infinito de antepassados.
E o elo espiritual desse incrível número de antepassados está ligado
ao nosso espírito”. E, assim como é explicado na transmissão do
código genético, não somos fruto de algumas poucas gerações. Na
verdade, somos a união de um incontável número de antepassados
que começaram a existir desde a criação do Céu e da Terra. Não
podemos esquecer que a consciência egoísta que eles - e todas as
criaturas que passaram pelos vários processos de evolução - criaram
está ligada, no presente, à consciência egoísta de cada um de nós
por um elo espiritual que ultrapassa a barreira do tempo e do espaço.
Dentre esses antepassados, existem muitos que devem ter
conseguido sentir alegria e gratidão por terem tido contato com Deus
Supremo. Entretanto, muitos não sentiram essa alegria e partiram
deste mundo sem terem alcançado a verdadeira tranqüilidade de
espírito. A consciência egoísta desses antepassados se sedimentou,
como que em camadas, e hoje se liga às nossas células e à nossa
consciência egoísta, fazendo com que se criem nuvens em nosso
pensamento. Este fato, por sua vez, não permite que o sentimento de
gratidão e a verdadeira felicidade brotem em nossos corações.

Essa situação nos faz ver que a nossa vida atual é a


extremidade final, em que somos responsáveis por carregar, em nós

108
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

mesmos, o egoísmo destes milhares de antepassados. Entretanto,


analisando pelo aspecto de podermos voltar ao seio de Deus, ao qual
estamos ligados através do elo espiritual, podemos dizer que cada
um de nós está no caminho de retorno, e que essa é a
conscientização que hoje nos é solicitada. É por isso que devemos,
juntamente com os antepassados ligados a nós, e às milhares de
pessoas com quem Meishu-Sama permitiu que tenhamos afinidade,
nos religar a Ele, e assumir a responsabilidade de retornar à
verdadeira origem da vida, que é a terra natal de nossa alma.

É neste o ponto que encontraremos o contínuo


desenvolvimento rumo à formação individual, ou seja, o
aprimoramento para nos tornarmos seres perfeitos. É por isso que,
mesmo que o sentimento de gratidão e felicidade floresça em nosso
coração, não podemos esquecer o grande número de antepassados
que estão ligados à nossa consciência egoísta, e que viveram de
forma triste, dominados pelas emoções. Devemos, portanto, nunca
esquecer que somos os intermediários para pedir a Meishu-Sama
que eles sejam recebidos, purificados e verdadeiramente salvos pela
Luz de nosso Mestre. Quando nós percebemos alguém com algum
problema de ordem física ou que carrega um sentimento egoísta,
sombrio e obstinado, ou quando nos defrontamos com pessoas cujo
comportamento, postura ou hábitos chegam a nos atormentar,
devemos nos lembrar que os nossos pensamentos estão sendo
interligados por Meishu-Sama. E devemos, ainda, ver que Ele está
nos mostrando esse sentimento imperfeito que a humanidade veio
formando, inconscientemente.

Muitas vezes olhamos para quem nos atormenta com


desprezo, julgamos tanto o próximo como a nós mesmos. Acredito
que esse nosso pensamento e atitude acabam influenciando tanto as
coisas da Natureza como o nosso físico e o nosso emocional. Para
que Meishu-Sama se manifeste, precisamos nos conscientizar de que
somos imperfeitos e aceitar que essas situações que nos incomodam
foram criadas para sermos purificados. E pedir que, juntamente com
os nossos antepassados e os das pessoas com quem estamos

109
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

envolvidos, possamos ser purificados e salvos por Meishu-Sama,


para assim retornarmos ao espírito do Deus Supremo.

Sem sobra de dúvida, até hoje vim julgando as coisas que via,
ouvia e sentia por minhas próprias medidas. Também procurava
entender os Ensinamentos de Meishu-Sama com esse mesmo
sentimento. Vim usando os sentidos da audição e da visão, que não
são meus, como se me pertencessem. Porém, uma vez que milhares
de antepassados meus, que não entenderam a Verdade eterna e o
ilimitado amor de Deus, estão ligados a mim, a minha sensibilidade e
as medidas em que ela se baseia só podem ser defeituosas, vistas
pelos olhos do Supremo Deus.

Eu digo a Meishu-Sama que gostaria de ser utilizado por


inteiro. Na verdade, primeiro deveria “devolver” a minha consciência
egoísta, formada através da visão e da audição que eu vinha
utilizando por conta própria e, então, pedir para que eles fossem
utilizados como os olhos e ouvidos de Meishu-Sama. Acredito que,
assim, Ele fará com que meus olhos e ouvidos se tornem capazes de
captar a essência do mundo invisível, adequará a minha forma
estreita de ver as coisas, a minha maneira desequilibrada de utilizar o
sentimento e o meu entendimento sobre os Ensinamentos, formando-
os de maneira que possa corresponder ao seu espírito. Precisamos
ter sempre em nosso coração o poema de Meishu-Sama: “Mesmo
quando as coisas que parecem boas aos olhos do homem, nem
sempre elas correspondem à Vontade Divina”.

Hoje, comemoramos o Culto do Paraíso Terrestre. Em 15 de


junho de 1931 Meishu-Sama escalou o Monte Nokoguiri, na província
de Chiba, onde recebeu a revelação divina da Transição da Era da
Noite para a Era do Dia, no mundo espiritual. Quatro anos depois,
fundou a nossa Igreja. Meishu-Sama escreveu o poema: “Mesmo não
sendo vista pelos olhos do homem, a Obra Divina já se faz presente
em nós e no mundo espiritual” e explicou, através dele, que estava
chegando o momento de, no mundo espiritual, ou, em outras
palavras, no mundo divino, se concretizar essa transição que,

110
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

ultrapassando as barreiras do tempo e do espaço, iria se projetar, se


refletir neste mundo material, transformando o mundo de escuridão
num mundo de Luz. A civilização provisória daria lugar à verdadeira
civilização, e a cultura “a matéria precede o espírito” iria ser
substituída pela cultura “o espírito precede a matéria”.

Nós também somos existências projetadas do mundo divino,


no qual nos foi outorgada uma partícula divina antes de encarnarmos
neste mundo. Também recebemos o corpo que a contém e o nosso
sentimento, na forma da nossa consciência egoísta. Podemos dizer
então que temos, dentro de cada um de nós, todas as dimensões
existentes entre o mundo divino e o mundo material. E é assim que
nós, portadores destas várias dimensões, por estamos ligados a
Meishu-Sama, conseguiremos ser capazes de voltar nossos corações
para um mundo de Luz, um mundo onde o espírito precede a matéria,
saindo deste mundo de trevas dominado apenas por coisas visíveis.
Por isso, neste dia tão especial que é o Culto do Paraíso, devemos
nos conscientizar de que estamos concretizando uma transição da
Era da Noite para a Era do Dia dentro de cada um de nós. Devemos
comunicar isso a Meishu-Sama, com o coração repleto de gratidão.
E, purificando nosso antigo “eu”, sem voltar a usar nosso sentimento
como usávamos no mundo da noite, nos voltando para Meishu-Sama,
esquecendo nosso falso comportamento, devemos assumir a nossa
verdadeira postura e, com essa determinação, firmar nosso
compromisso de sermos utilizados nessa nova fase, nos moldes
“espírito precede a matéria”. Assim, estaremos nos tornando a força
motriz para a construção do Paraíso Terrestre.

O tempo que vivemos neste mundo é muito curto. Durante toda


a nossa vida, certamente acontecem coisas boas e ruins, e até coisas
que parecem ser obra humana. Tudo isso está dentro dos objetivos
de Deus Supremo, e eu acredito que Meishu-Sama está nos
ensinando que estamos sendo utilizados por Ele. Da mesma maneira
que, se um de nossos antepas¬sados não tivesse existido, não
haveria como estarmos aqui hoje, acredito que se uma parte do
nosso passado não tivesse existido, não seríamos o que somos hoje.

111
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Todo o meu passado está ligado ao “eu” do momento presente. Todo


o futuro também se encontra dentro de nós. E esse futuro pode estar
próximo como pode estar distante, mas quem tem esperanças ou
está desejando alguma coisa é o nosso “eu” do presente. Por isso,
temos de cuidar muito do “sōnen” do “eu” do presente.

Meishu-Sama nos fala, em Seus Ensinamentos: “O nosso


sōnen, que é invisível, pode chegar não somente aos limites do
mundo, como se expandir ilimitadamente em apenas um piscar de
olhos”. Em um de Seus poemas, ele declara: “As forças visíveis são
limitadas, mas as invisíveis são ilimitadas”.

O pensamento, por ser invisível, consegue ultrapassar as


barreiras do tempo e do espaço e, através do incalculável número de
elos espirituais, alcança os seres humanos, vivos, como também aos
antepassados e todas as outras coisas. Essa força, longe de ser
fraca, é muito potente.

Transmitimos e recebemos constantemente isso a que


chamamos pensamento, mas a alma alojada dentro de cada um está
ligada a Deus Supremo, permitindo uma comunicação contínua, que
nos traz constantemente Luz através do elo espiritual. Se nos
conscientizarmos plenamente que Deus Supremo, possuidor de uma
maravilhosa força e inteligência, está vivo dentro do “eu” do presente,
com toda a vivacidade por toda a eternidade, seja qual for a situação
que tivermos de enfrentar, nunca perderemos a noção de estarmos
sendo utilizados para deixar Meishu-Sama se fazer presente. Assim,
com toda a certeza estará se abrindo um brilhante futuro, repleto de
esperanças.

Gostaria de encerrar minhas palavras orando para que Deus


Supremo, criador de todas as coisas, permita que todos possam
receber a grandiosa Luz e a infinita força de Meishu-Sama, e possam
saborear a verdadeira felicidade de trilhar a estrada da vida eterna. E
que, juntos, possamos ser utilizados por nosso Mestre como

112
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

elementos ligados a Ele por uma forte e duradoura afinidade


espiritual.

Muito obrigado a todos.

113
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

18 - CULTO DE OUTONO (OUTUBRO DE 2005)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Outono
Templo Messiânico de Atami
1º e 2 de outubro de 2005

Minhas felicitações pelo Culto de Outono.

Com profundo respeito e gratidão, orei, juntamente com os


senhores, em louvor ao Único e Supremo Deus, que se alojou em
Meishu-Sama, e também a Meishu-Sama que, trazendo consigo o
caráter Divino do Supremo Deus, no ano anterior a sua ascensão,
anunciou pessoalmente a “Vinda do Messias” e, seguindo a Vontade
d’Ele, declarou ter nascido, ele próprio, como “Salvador” (Messias) e,
no presente momento, em estado de união com Deus, continua
desenvolvendo vigorosamente a Obra Divina, transpondo as
dimensões do presente, do passado e do futuro, sem um mínimo de
falha. E como uma pessoa criada e educada por Eles, agradeci e
pedi-Lhes para que eu possa estar ligado a essa nova forma em que
nasceu Meishu-Sama.

Estou imensamente agradecido pela dedicação dos membros


da Igreja Izunomê que, objetivando retornar a esse grandioso Plano
Divino, estão se empenhando diariamente na Obra Divina de Meishu-
Sama e, ao mesmo tempo, com o início da segunda etapa da
construção do jardim do Solo Sagrado da Terra da Tranqüilidade
(Heian-kyo) de Kyoto, vêm se dedicando com todo empenho, amor e
sinceridade.

Neste Culto de Outono, está sendo realizada uma exposição


de pinturas, da autoria da Terceira Líder Espiritual. Ao observar as
suas inúmeras obras magníficas, impregnadas de seu conhecimento
sobre a arte e do seu caráter, pude sentir uma aconchegante
sensação no meu coração.

114
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

A Terceira Líder Espiritual possui um grande interesse em


relação a várias áreas artísticas. Ela tem se empenhado
pessoalmente na prática artística e como os senhores puderam
observar, atualmente, vem se dedicando também na pintura
Norizome, (feita à base de cola).

Convivendo com a Terceira Líder Espiritual, sinto que ela vem


se empenhando em mostrar a nós, através da sua postura, a
importância da arte.

Meishu-Sama referiu-se: “O Paraíso é o mundo da arte”, e


“Para se poder falar em Paraíso, é preciso que todas as artes estejam
reunidas, ou melhor, que tudo seja artístico”.

E disse também que o “Johrei é a ‘Arte da vida’, que a


Agricultura Natural é a ‘Arte da Agricultura’ e que o ‘Protótipo do
Paraíso Terrestre’, ou seja, a construção do Solo Sagrado é a ‘Arte do
Belo’”. Orientou-nos que, com a fusão destas três artes o Paraíso
Terrestre seria concretizado.

Em relação à importância que Meishu-Sama dava ao mundo


da arte, era para nos ensinar que, assim como a manifestação da
criatividade nas atividades artísticas, a Obra Divina centralizada no
Johrei, os trabalhos do dia a dia e a própria vida diária, são meios de
manifestação da alma que nos foi concedida pelo Supremo Deus e
para nos orientar sobre a importância da maneira de ser e a forma de
conduzirmos essa alma.

Sem dúvida, é importante saber o que vamos fazer, mas, ainda


mais importante é saber com que sentimento devemos realizar, e, da
mesma forma que na criação de uma obra de arte, esse sentimento,
sem dúvida, se refletirá no mundo da matéria e da forma, através das
nossas ações e palavras.

Por isso, não devemos nos preocupar apenas em preparar o


mundo da forma, pensando: “temos que fazer isto ou aquilo” ou

115
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“temos que falar isto ou aquilo”. Em tudo que formos fazer, temos que
nos colocar diante do nosso sentimento no seu estado de pureza e
sem falsidades e, examiná-lo; devemos procurar sempre nos corrigir
para que possa surgir Meishu-Sama em vez da nossa figura e sermos
utilizados pela vontade de Meishu-Sama em vez de pela nossa
própria vontade.

Sendo criados e educados dessa forma, assim como há no


salmo de Meishu-Sama: “O Reino dos Céus é o mundo do Belo. Os
sentimentos de seus habitantes são igualmente belos”. Será que
cada qual de nós, não deveríamos desejar uma aproximação cada
vez maior de uma existência bela, seguindo o exemplo da bela e
harmoniosa natureza e condizente com a arte criada por Supremo
Deus?

Pois bem, se Deus perguntar a um de nós: “Quem é você?”


Como será que devemos responder? Acredito que podemos
responder: “Eu sou fulano de tal” dizendo o nome que estamos
usando neste mundo. Seria bom que, nesse momento, Deus
dissesse: “Eu te conheço”, mas, pode ser que Ele diga: “Eu não te
conheço!” e não nos receba.

A propósito, nós que temos a consciência de nós mesmo,


imaginando: “Eu sou fulano de tal”, ou seja, a natureza humana que é
constituída pela própria consciência, não se trata da essência da sua
própria existência, essa pessoa nada mais é do que um simples
recipiente ou um “pires” para manifestar a sua essência, isto é, trata-
se da camada externa da sua existência, um mundo criado e limitado.
Afinal, o que é a nossa essência?

Trata-se do nosso “centro”, uma existência denominada por


Meishu-Sama como “personagem principal”, ou seja, a fração do
Espírito de Deus chamada Partícula Divina, que é a própria natureza
divina, a consciência originária e também a invisível força da vida.
Esta é a essência que cada pessoa recebeu de Deus. Essa é a nossa
terra natal, o nosso endereço oficial. Esse não é um mundo limitado

116
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

da pessoa que foi criada, mas sim um mundo eterno e ilimitado


denominado Paraíso pelo Criador.

Por ser a nossa essência uma existência assim, é que, neste


momento, podemos viver usando as vestes denominadas espírito e
corpo e como recipiente para manifestar a essência é que, creio eu,
conseguimos crescer e aperfeiçoar-nos como “representante de
Deus”.

Por isso, em relação à pergunta do Supremo Deus: “Quem é


você?” Uma vez que fomos guiados por Meishu-Sama e pela
permissão do Supremo Deus, fomos chamados ao Caminho da
Salvação e pudemos conhecer a nossa própria essência, devemos
responder: “Eu sou uma pessoa ligada a Meishu-Sama que nasceu
de novo na mesma vida como o Salvador (Messias)”,

Assim, precisamos aprofundar a nossa compreensão e o nosso


conhecimento sobre a nossa própria essência. E, assimilando-os,
sinto que, devemos cultivar um recipiente condizente ao verdadeiro
“representante de Deus”, ou seja, uma natureza humana verdadeira.

Se procedermos assim, ao ver-nos, o Supremo Deus se


lembrará de cada um de nós e, acredito que teremos a possibilidade
de sermos recebidos no Paraíso, por Ele preparado.

Então, como será que se encontra atualmente a situação da


nossa natureza humana?

Falando sobre a minha pessoa, dividindo o meu sentimento de


forma ampla, existem duas partes antagônicas.

Se por um lado sinto a alegria, o prazer e a felicidade, por


outro, a raiva, o sofrimento, a desolação e a tristeza. Há momentos
de alegria e de tristeza. Sinto o amor e também o ódio. Tenho o
sentimento de gostar e também de detestar. Possuo espírito de
crença e também de dúvida e descrença. Ao sentir esperança e

117
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

expectativa, também ocorre a conformação. Havendo a obediência,


manifesta-se a teimosia. Se gozo de tranquilidade e paz, a
insegurança e a preocupação se fazem presentes. Acredito que sou
um tanto modesto, mas digo com toda certeza que sou orgulhoso.

Não sei até que ponto estou sendo manipulado pelas duas
partes, devido ao meu antagonismo interior.

Acredito que foi a ação destes sentimentos contrários que


serviram de alimentos para moldar esta minha natureza humana, mas
em hipótese alguma posso afirmar que foi uma ação ativadora e
harmoniosa.

Além do mais, tendo como critério o meu próprio sentimento,


que facilmente muda e que não se pode confiar, tentei distinguir e
disciplinar essas duas partes, mas não tive sucesso. Assim, sinto que
elas vieram lutando continuamente, de forma acirrada, no interior do
meu sentimento.

Ao pensar na razão de estar envolvido nesse emaranhado de


sentimentos antagônicos, fica difícil receber de forma leviana o
seguinte ensinamento de Meishu-Sama: “O meu corpo é constituído
pela soma de milhares de antepassados. Os elos espirituais de
milhares de antepassados estão ligados ao meu único espírito.” Isto,
creio eu, é por acreditar que a autoconsciência de um grande número
de antepassados desde a época inicial da humanidade, estão ligados
à minha autoconsciência atual.

Na sua longa marcha até a atualidade, a humanidade veio


ignorando Deus, por isso, não é exagero afirmar que entre os
homens, os conflitos cheio de rivalidade e desordem era constante.
Assim, acabo sentindo que o estado espiritual desarmonioso e
confuso de grande número de antepassados daquela época, sem
qualquer mudança, continua presente em meu interior como se fosse
o meu próprio estado espiritual e, manipulados e envolvidos por essa

118
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

sensação, não consigo gozar de alegria inabalável e nem de


tranquilidade eterna.

Então, como devemos proceder?

Quando surgir em nossos corações, sentimentos negativos,


como a raiva e o ódio, ou então, a intranquilidade e a indecisão,
acredito que não há, em hipótese alguma, a necessidade de negar ou
impedi-los que eles surjam. Pelo contrário, creio que, assim como
Meishu-Sama nos ensinou que devemos criar uma segunda pessoa,
devemos observar a atuação do nosso sentimento, colocando-nos na
posição de terceiros. Porém, isto não é uma tarefa simples para
ninguém.

Isto porque, quando fazemos reflexão com a intenção de


melhorar e esforçar no sentido de melhorar nossos sentimentos, às
vezes, acabamos escondendo, ainda mais, no fundo do nosso
coração, os verdadeiros sentimentos.

Além disso, a atuação do nosso próprio sentimento e das


nossas emoções está ocorrendo na verdade no nosso interior, mas
por sentirmos que a causa disso está fora de nós, isto é, nos terceiros
e nas situações à nossa volta, dificilmente conseguimos encarar
como nosso problema.

Entretanto, observar a si mesmo na posição de uma segunda


pessoa, creio eu, é um dos treinamentos que devemos nos
empenhar, no mínimo, pelo menos uma vez por dia.

Isto porque, como nós somos a síntese dos nossos


antepassados, passamos a sentir os pensamentos (Sônen) dos
antepassados como sendo os nossos próprios pensamentos. Assim,
torna-se possível os nossos antepassados serem perdoados e
purificados e alcançarem a sua salvação.

119
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Em relação a nós que estamos ligados a Meishu-Sama, o


Supremo Deus tornou-nos “seus representantes” com o desejo de
utilizar-nos como seus colaboradores na construção do Paraíso
Terrestre e permitiu que nascêssemos neste mundo. Por isso, cada
um de nós, como representante dos antepassados, temos a
responsabilidade de conduzir todos eles para junto de Meishu-Sama.

Para inúmeros antepassados, nós somos o guia e a corda da


salvação que os conduzem ao Paraíso. Por isso, sem condenar os
pensamentos e as emoções que surgem no interior dos nossos
corações, os quais nem sempre são agradáveis mas difíceis de
serem aceitos, devemos observá-los da posição de uma segunda
pessoa. E, sem cortar relações com o grande número de
antepassados que se distanciaram da Luz e que não conseguem
receber os inúmeros benefícios da vida, devemos relembrar que
temos a grande responsabilidade de informar a eles que, através de
Meishu-Sama, eles estão tendo a permissão de serem salvos e
perdoados por Deus.

Entretanto, apesar de perder o corpo carnal, os antepassados


estão presentes dentro de nós, como consciência e pensamento, por
isso, há necessidade de informar-lhes, como que convencendo a nós
mesmos.

Dessa maneira, para que nós e os antepassados possamos


juntos voltar purificados ao Supremo Deus, que é o Pai de toda a
vida, devemos unir-nos em Meishu-Sama, ou seja, creio que temos a
necessidade de confiar e entregar-nos a ele.

Quando eu disse “juntos”, quis dizer que não devemos


esquecer que nós existimos graças aos nossos antepassados e aos
antepassados de todas as pessoas do mundo que estão ligados
“juntos”: Existimos graças aos antepassados das pessoas da nossa
própria família, dos amigos, dos conhecidos, e das que temos
afinidades e das inúmeras pessoas que habitam o nosso planeta.

120
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Através de todas as coisas criadas pelo Supremo Deus, desde


a criação do Céu e da Terra, a humanidade veio se empenhando na
formação e na manutenção do seu corpo físico e apesar de receber
benefícios divinos incalculáveis, veio se apossando e utilizando todas
as coisas conforme seu próprio pensamento. E, pelo seu egoísmo
acabou se aprisionando num “nó cego”, o que é, creio eu, uma
realidade inegável.

Nesse “nó cego” evidentemente está o dinheiro, pois, o homem


utilizando o dinheiro como padrão de medida, foi avaliando o valor
das coisas de acordo com a sua própria conveniência e assim,
atualmente o dinheiro está sendo usado em troca das coisas.

Assim, gostaria de cultivar doravante, o espírito de gratidão por


todas as coisas que, aliás, nos são inseparáveis, e também o desejo
de juntos retornarmos à origem da vida. Acredito que alcançando a
consciência de que somos representantes de todas as coisas e de
toda a humanidade, que se encontram inseparáveis, aí sim, podemos
realmente servir a Deus como “seus representantes”.

Para nos tornarmos verdadeiramente condizentes a


“representantes de Deus”, devemos libertar-nos dos conflitos opostos
que existem na natureza humana, isto é, a idas e a vindas dos dois
sentimentos antagônicos do Bem o do Mal.

Agir com melhores sentimentos, creio eu, é algo importante,


mas por mais que desejamos tornar perfeita a natureza humana
apenas neste mundo, isto não é possível.

Mesmo que desejamos manter sempre bons sentimentos como


espírito de fé, makoto, gratidão e amor altruísta, somos infalivelmente
perseguidos pelos sentimentos contrários.

Isto porque, a nossa autoconsciência e a sua manifestação que


é a natureza humana, são produtos do mundo criado. E o Mundo
Material, que é criado, é um local finito onde as forças do Bem e do

121
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Mal estão sempre em conflito; é um mundo limitado onde as coisas


são separadas e determinadas.

Para obtermos a permissão de viver no Paraíso, onde


podemos seguir o caminho da vida eterna, apesar de ser uma atitude
realmente egoística, não há outra alternativa a não ser pedir para o
Supremo Deus, a origem de toda a vida, que aceite esta nossa
natureza humana, criando e educando-nos.

Acredito que a determinação de seguir voltado a esse objetivo,


é a fé que devo ter e, perdendo essa fé, não conseguirei alcançar o
resultado final que objetivei como ser humano.

Então, como devemos proceder para que o Supremo Deus


aceite essa nossa natureza humana imperfeita?

É nesse ponto que existe o grande significado de Meishu-


Sama que nasceu de novo na mesma vida, como Salvador (Messias).

Nós afirmamos que os ensinamentos são de Meishu-Sama,


mas na verdade são do Supremo Deus. Precisamos estar
conscientes de que, os ensinamentos que recebemos foram
concedidos pelo Supremo Deus.

Creio que Meishu-Sama concedeu-nos os ensinamentos do


Supremo Deus, de acordo com a capacidade e condição das pessoas
de cada época.

Meishu-Sama ditou pessoalmente os ensinamentos e depois


os revisou diversas vezes. Da mesma forma que nós tratamos as
suas caligrafias com todo respeito e cuidado, Meishu-Sama tratava
aqueles ensinamentos com cuidado especial, guardando-os numa
caixa exclusiva.

Ele não se limitou apenas a esse procedimento, mas


denominando aqueles textos de “Goshinsho“ (ensinamentos

122
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

sagrados) ou “Kami-no-fumi” (escrituras de Deus) e ensinou aos


membros a importância de ler os mesmos, exaustivamente.

Isso revela que Meishu-Sama tinha consciência de que os


referidos textos não eram uma obra humana e nem uma simples
doutrina, mas sim, a Vontade de Deus, ou seja, tinha a plena certeza
de que se tratavam da sagrada escritura da Vontade de Deus. E,
mais do que qualquer coisa, Meishu-Sama procurou praticar
pessoalmente os ensinamentos concedidos pelo Supremo Deus.

O Johrei, a Agricultura Natural, as atividades artísticas e


culturais e a construção do protótipo do Paraíso Terrestre que
estamos desenvolvendo atualmente, são heranças que tomaram
forma a partir das práticas de Meishu-Sama.

Meishu-Sama anunciou, no ano anterior à sua ascensão, o seu


nascimento de novo e na mesma vida, como o Salvador (Messias).

A respeito disso, acredito que Meishu-Sama queria mostrar que


Ele nasceu neste Mundo Material através de seus pais, mas que não
se limitando a isso, nascera como verdadeiro filho do Supremo Deus,
que é o verdadeiro pai da vida, isto é, que nascera de novo no
Paraíso do Mundo Espiritual, na condição de herdar a consciência
eterna.

Ao mesmo tempo, esse fato significa que a natureza humana


de Meishu-Sama fora formada e cultivada neste Mundo Material da
mesma forma que a nossa natureza humana e que, estando de
acordo com a Vontade do Supremo Deus fora aceito por Ele. Em
suma, creio que, Meishu-Sama cumpriu o objetivo do Supremo Deus
de gerar o próprio filho, seguindo e praticando os Seus ensinamentos.

Por isso, acredito que, para que a nossa natureza humana seja
purificada, evoluída e aperfeiçoada e aceita pelo Supremo Deus. E
para que sejamos ligados à forma denominada Meishu-Sama, que
nasceu de novo neste mundo cumprindo a Vontade de Deus,

123
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

precisamos entregar a Meishu-Sama, a nossa natureza humana que


ganha formato a partir da nossa própria consciência.

Acatando a forma com que Meishu-Sama realizou a Vontade


Divina, precisamos, uma vez mais, objetivar o nosso novo nascimento
no Paraíso.

Nós ansiamos servir à Obra Divina de Meishu-Sama de


salvação da humanidade e de construção do Paraíso Terrestre, que
na realidade é a Obra Divina que projeta e retrata neste mundo o
Paraíso que existe no Mundo Espiritual.

Nós fomos colocados neste mundo como “representante de


Deus” para servirmos como meios e instrumentos de sua realização.

A propósito, onde será que fica esse tão importante Paraíso?


Será que ele se localiza em algum lugar do Universo muito distante
de nós?

Como nós viemos do Mundo Celestial, eterno e ilimitado, o


Paraíso se faz presente dentro de nós. Porém, esse mundo não pode
ser visto. Acreditar na existência de algo invisível é realmente difícil.
Não é fácil encontrarmos esse Paraíso invisível dentro de nós, mas
precisamos entender e reconhecer que ele realmente existe.

Para isso, é necessário refletirmos sobre isso, repetidas vezes.


Isto porque a emissão do pensamento de reflexão, creio eu,
relaciona-se profundamente com o ato de criação.

Desejo tornar-me uma pessoa que cultiva constantemente os


pensamentos que se seguem.

“Na vida em que estou vivendo agora, existe não apenas a vida
carnal, mas também a espiritual, e nela encontra-se o Paraíso eterno
e ilimitado que tanto almejo. Creio que, em algum lugar da minha
cabeça, existe infalivelmente, um ponto para me contatar com o

124
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

mundo de alta densidade, denominado Paraíso. Isto porque, já


nascemos nesta Terra possuindo esse ponto de encontro. Portanto, o
meu pensamento, neste momento, está ligado a algum lugar do
Paraíso Terrestre”.

“Meishu-Sama está tentando utilizar-me como seu instrumento,


portanto, devo devolver a ele a minha mente que usava livremente
até agora como se fosse minha. Receberei Meishu-Sama como
sendo minha mente, e, por isso, quero que me oriente e encaminhe”.

“E também, obtendo a Vossa permissão de voltar ao Paraíso,


que é o início da minha existência, e como pessoa ligada a Meishu-
Sama que, concluindo a Transição da Noite para o Dia, está
projetando na Terra o Paraíso, o qual entrou na etapa de trabalho de
criação completamente nova, desejo poder ser útil nesse trabalho
totalmente novo, juntamente com as inúmeras pessoas que também
serão recebidos por Vós”.

Gostaria que os senhores também, cada qual com a sua


sensibilidade, fizessem uma reflexão e procurassem retornar ao
Paraíso que existe no seu interior.

Os pensamentos vindos do Paraíso, ultrapassam a


compreensão alcançada por meio de palavras humanas, e podem se
fazer presentes a partir desses pensamentos que citei. Por isso, não
precisamos fazer esforços demasiados para entendê-los. Estou
convicto de que se conseguirmos confiar em Meishu-Sama, que
nascera de novo no mundo celestial e conseguiu realizar tudo, e
entregar a ele esses nossos pensamentos, certamente ele nos
recompensará organizando nossas ideias e concedendo-nos força.

Para finalizar, estarei orando para que os senhores e todas as


pessoas e todas as criaturas do mundo sejam envolvidos pela Luz da
Salvação e pela infinita graça de Deus. E também que sejamos úteis
na realização da Obra Divina de Meishu-Sama, baseado no
Grandioso Plano Divino.

125
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Ao mesmo tempo, reverenciando profundamente Meishu-


Sama, o Salvador, e louvando o Supremo Deus, encerro minhas
palavras.

Muito obrigado.

126
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

19 - CULTO DE OUTONO (OUTUBRO DE 2005)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Outono
Templo Messiânico de Atami
1º e 2 de outubro de 2005
Publicado no Jornal Messiânico

Minhas felicitações pelo Culto de Outono. Hoje está sendo


realizada uma exposição de pinturas feitas pela Terceira Líder
Espiritual. Ao apreciar aquelas magníficas obras, que irradiam todo o
conhecimento artístico adquirido por ela e toda a sua personalidade,
confesso que experimentei uma sensação muito agradável e
acolhedora.

Além de ter grande interesse por várias formas de


manifestação artística, a Terceira Líder Espiritual também as pratica.
Como os senhores poderão ver, atualmente ela vem se dedicando ao
estilo de pintura Norizome. Como uma das pessoas que sempre a
está acompanhando, eu sinto que a Terceira Líder Espiritual vem
procurando mostrar, através de seus atos, a importância do mundo da
arte.

Meishu-Sama ensinou que “O Paraíso é o mundo da arte”, e


que “para se poder falar em Paraíso, é preciso que tudo seja
artístico”. Além disso, Ele explicou que o Johrei é a “Arte da vida”, que
a Agricultura Natural é a “Arte da Agricultura”, e que o Protótipo do
Paraíso Terrestre, ou seja, a construção do Solo Sagrado é a “Arte do
Belo”. E concluiu que a união destas três artes possibilitará a
concretização do Paraíso Terrestre.

Assim, sinto que Meishu-Sama dava muita ênfase ao mundo


da arte pelo seguinte motivo: Ele queria nos ensinar a importância do
sentimento com que devemos fazer a alma, recebida do Deus
Supremo, se manifestar, seja na Obra Divina centralizada no Johrei,
seja no nosso trabalho e nas atividades do nosso cotidiano, da

127
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

mesma forma como se expressa a criatividade em qualquer


manifestação artística. Ou seja, é claro que é importante saber o que
vamos fazer, porém mais importante do que isso é saber com que
sentimento vamos fazê-lo. É a mesma coisa que acontece com a
criatividade na arte: ela é transmitida ou refletida através das ações e
palavras do artista para o mundo dos fenômenos, o mundo das
formas.

Por isso, não devemos nos preocupar apenas em arrumar a


forma das coisas, dizendo “temos de fazer deste ou daquele jeito”, ou
“temos de falar deste ou daquele jeito”. Independente do que formos
fazer, temos sempre que nos colocar de frente com nosso sentimento
mais sincero e natural, confirmar se é esse sentimento mesmo, e
depois nos empenharmos em “acertar os ponteiros”: “EU não devo
aparecer: Meishu-Sama é que tem de aparecer; não devo fazer do
meu jeito, mas sim, procurar ser utilizado conforme a vontade de
Meishu-Sama.”

Ao mesmo tempo, conforme o Fundador afirma no poema “O


Reino dos Céus é o mundo do Belo. Os sentimentos de seus
habitantes são igualmente belos”, acho que cada um de nós deveria
aprender com a beleza da harmoniosa Grande Natureza, nos
tornando, um pouco que seja, uma existência bela e que esteja de
acordo com a arte criada pelo Deus Supremo.

Bem, agora gostaria de saber: se Deus fizesse a seguinte


pergunta: “Quem é você?”, qual seria a resposta? Poderia ser algo
bem simples: “Eu sou o fulano de tal”, dizendo o nome que
habitualmente você usa, neste mundo. Nessa hora, se Deus
responder: “Eu te conheço”, então está tudo bem. Mas pode ser que
Ele também diga: “Eu não te conheço!”. A propósito, a natureza
humana, formada pela autoconsciência, ou seja, o EU, que
respondeu de forma consciente “Eu sou o fulano de tal”, não é a
essência da existência chamada EU, mas sim, digamos, um simples
“recipiente” para a essência se expressar. Em outras palavras, ela é a
existência mais externa do EU. É o mundo limitado que foi criado.

128
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Então, vem a pergunta: qual é a nossa essência? A resposta é


o nosso “centro”, o “personagem principal” que Meishu-Sama define
como sendo a partícula divina que recebemos de Deus Supremo, a
consciência vinda da fonte da nossa natureza divina, a invisível força
da vida. Essa é a essência que cada um de nós ganhou de Deus, a
nossa verdadeira “terra natal”. Esse não é o mundo limitado que foi
criado. É Paraíso, mundo eterno e ilimitado, que tudo cria.

A nossa essência é esse tipo de existência. Por isso, agora,


conseguimos viver usando nossos sentimentos e o corpo físico como
nossas “vestes”, evoluindo até chegar a “representantes de Deus”,
como um “recipiente” para essa essência se manifestar. Por isso, se
todos nós somos guiados por Meishu-Sama, recebemos permissões
do Deus Supremo, fomos levados ao caminho da salvação e
conseguimos descobrir qual a nossa verdadeira essência, acho que
deveríamos responder àquela pergunta de Deus: “Quem é você?”, da
seguinte maneira: “Eu sou uma pessoa compromissada com Meishu-
Sama!”. Além disso, precisamos aprofundar a nossa compreensão e
consciência sobre a nossa essência, assimilando-a cada vez mais,
cultivando uma natureza humana digna de um verdadeiro
“representante de Deus”. Se assim o fizermos, quando Deus olhar
para cada um de nós, teremos mais chance d’Ele se lembrar de quem
somos, e nos receber no Paraíso preparado por Ele.

Então, como será que está a situação da nossa atual natureza


humana?

Falando sobre mim mesmo, meu coração está dividido em


duas grandes partes antagônicas: se por um lado existe felicidade,
alegria e descontração, por outro lado também existe raiva,
sofrimento, lamentação e tristeza; se há momentos alegres, há
também momentos de melancolia; se há amor, há também ódio; se
eu gosto de algo, eu também detesto outras coisas; se tenho fé,
tenho também dúvida e descrença; se existe esperança e
expectativa, por outro lado existe também a resignação; se tenho
espírito de obediência, tenho também teimosia; se há tranqüilidade e

129
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

paz, também há intranquilidade e preocupação. Acho que tenho um


pouco de humildade, mas certamente sou presunçoso.

Já não sei mais quantas vezes fiquei dando voltas no mesmo


lugar, por causa destes sentimentos antagônicos que existem dentro
de mim. Certamente, estes sentimentos foram o alimento que deu
forma a esta natureza humana chamada EU, mas não posso afirmar
que eles se apresentaram de forma harmoniosa. Além disso, mesmo
querendo separar, organizar ou disciplinar essas minhas faces
antagônicas, usando meu sentimento tão frágil e instável como
parâmetro, nunca consegui o resultado esperado; e o pior é que
parece que eles vieram sempre brigando entre si, dentro do meu
sentimento. Porém, quando eu pensei no motivo pelo qual eu vivia
preso atrás das grades desses sentimentos antagônicos, descobri
que eu não podia mais ficar aceitando de forma leviana o
Ensinamento de Meishu-Sama: “Nós somos a soma de milhares de
antepassados. Os elos espirituais desses milhares de antepassados
estão ligados ao nosso espírito”. Isto porque a autoconsciência desse
incalculável número de antepassados que começaram a existir, desde
o início da humanidade, está ligada à autoconsciência do meu EU,
que vive agora.

A humanidade veio, até hoje, menosprezando a existência de


Deus, guerreando entre si e gerando confusão e caos. Eu sinto que o
sentimento de desordem e desarmonia destes milhares de
antepassados é o mesmo sentimento que possuímos hoje. E, como
nos deixamos envolver por este sentimento, deixamos também de
adquirir a verdadeira tranquilidade e alegria eterna. Então, qual será o
sentimento que nós precisamos ter?

Eu acredito que, se nascerem sentimentos negativos como


raiva e ódio, ou intranquilidade e indecisão dentro do nosso coração,
não há necessidade alguma de negarmos esses sentimentos ou
tentarmos sufocá-los de alguma forma. Temos de fazer como Meishu-
Sama nos ensinou: criar um “segundo eu”, para observar os nossos
sentimentos como se fosse uma outra pessoa. Isso não é tarefa fácil

130
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

para ninguém, pois quando a pessoa se esforça excessivamente para


refletir ou ser prudente, acaba sempre escondendo seus sentimentos
nas profundezas do coração. E mais: apesar dos nossos sentimentos
e emoções ocorrerem dentro de nós, sempre achamos que eles são
gerados fora, ou seja, o motivo está em quem está ao lado, ou na
situação à nossa volta e, assim, não conseguimos enxergá-los como
um problema que está dentro de nós mesmos.

Um dos treinamentos básicos que devemos realizar, pelo


menos uma vez ao dia, é olhar para nós mesmos como nosso
“segundo eu”, pois como somos a soma de nossos antepassados,
sentimos os vários tipos de sōnen de cada um deles como se fossem
os nossos próprios. E isso torna possível que eles sejam perdoados,
purificados e salvos.

Deus Supremo nos enviou a esta Terra para formar cada um


de nós, discípulos de Meishu-Sama, como Seu representante e, ao
mesmo tempo, nos utilizar como ponto de apoio para realizar a
construção do Paraíso Terrestre. Além disso, podemos dizer que cada
um de nós é também um representante dos antepassados, pois
atuamos como um guia que conduz todos eles a Meishu-Sama. Para
muitos deles, nós representamos a referência para que encontrem a
“corda da salvação” tão esperada, que os levará ao Paraíso. Por isso
devemos sempre observar, na posição desse nosso “segundo eu”,
todos os pensamentos e emoções que surgem no interior dos nossos
corações, mesmo aqueles que não sejam tão agradáveis, mesmo
aqueles que sejam difíceis de serem aceitos, sem simplesmente
querer eliminá-los. Além disso, não podemos “cortar relações” com
aqueles antepassados que se distanciaram da Luz, ou que não
conseguem receber as maravilhosas bençãos da vida. Temos a
responsabilidade de informá-los de que precisam fazer uma reflexão,
pois estão sendo salvos e perdoados por Deus, através de Meishu-
Sama.

Para informar isso aos antepassados, precisamos falar


voltados para nós mesmos, pois, apesar deles terem perdido seu

131
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

corpo carnal, estão presentes dentro de nós, como consciência e


sōnen. Assim, para “juntos” sermos purificados, precisamos retornar
ao trono do Deus Supremo, que é o pai de toda a vida, nos
centralizando em Meishu-Sama, ou seja, nos entregando de corpo e
alma a Ele.

Em relação a este “juntos”, não podemos nos esquecer que os


nossos antepassados estão ligados a todos os antepassados das
pessoas que vivem na face da Terra, ou seja, o indivíduo EU existe
“junto” não só com nossos familiares, nossos amigos e conhecidos,
enfim, pessoas com quem possuímos afinidade: existe “junto”,
também, com todas as outras pessoas que vivem na face da Terra, e
todos os seus antepassados.

Desde a criação do Céu e da Terra a humanidade veio


mantendo seu corpo físico, utilizando todas as coisas criadas por
Deus, se beneficiando de incontáveis bênçãos divinas. Mesmo assim,
não há como negar que ela também se apossou e utilizou tudo
conforme sua conveniência e bel-prazer. E, dentre as coisas que
foram manipuladas inescrupulosamente pelo ser humano, está o
dinheiro. O motivo é simples: as pessoas têm como parâmetro de
avaliação da matéria o valor do dinheiro, ou seja, hoje em dia ele
substituiu as coisas criadas por Deus. Por isso, precisamos cultivar
duas coisas: o sentimento de gratidão em relação a todas as coisas
com que temos afinidade, e o desejo de retornarmos “juntos” à
origem da vida. Assim, quando cada indivíduo conseguir alcançar a
consciência de que é representante de todas as coisas e de toda a
humanidade, e que tem relação inseparável com essas coisas, ele
estará apto a conseguir servir verdadeiramente como “representante
de Deus”.

Para que possamos nos tornar alguém verdadeiramente


qualificado como “representante de Deus”, devemos nos libertar do
conflito que existe dentro da nossa natureza humana devido à sua
dualidade, ou seja, a nossa tendência à alternância entre os
sentimentos antagônicos - o bem e o mal. É importante estarmos

132
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

sempre atentos com relação a isso mas, mesmo que queiramos


atingir a perfeição da nossa natureza humana, neste mundo, isto é
impossível. Mesmo procurando sempre ter bons sentimentos como a
fé, a sinceridade, a gratidão, o amor altruísta, sentimentos
antagônicos a estes estarão sempre nos perseguindo. Isso porque a
autoconsciência e a sua manifestação, que é a natureza humana, são
produtos do mundo “criado”, que é o mundo material, local onde as
forças do bem e do mal vivem em conflito, onde as coisas são
divididas e limitadas, e nada é eterno.

Para que possamos viver no Paraíso, onde é possível trilhar


pelo caminho da vida eterna, não há outra alternativa a não ser rogar
ao Deus Supremo, que é a consciência da origem de toda vida, para
que nos faça crescer, aceitando essa nossa natureza humana,
mesmo que isso seja um pedido muito egoísta a se fazer. Tomar essa
firme decisão é a fé que preciso ter. Se eu perder essa fé, para mim
significa que nunca conseguirei alcançar os resultados tão esperados
como ser humano. Então, o que precisamos fazer para que Deus
aceite essa nossa natureza humana, que ainda não é perfeita? É ai
que reside o grande significado da existência de Meishu-Sama.

Nós falamos que os Ensinamentos são de Meishu-Sama, mas


na verdade eles são Ensinamentos do Deus Supremo. Nós
precisamos entender e acreditar nisso. Meishu-Sama transmitiu os
Ensinamentos do Criador na forma mais adequada àquela época, e
de acordo com as condições daquelas pessoas. Ele ditava os textos,
revisava-os várias vezes e, depois, assim como hoje damos cuidado
todo especial aos Seus desenhos e caligrafias, os guardava bem
protegidos, em uma caixa especial. Além disso, chamou seus textos
de “GOSHINSHO” e “KAMI-NO-FUMI”, duas expressões que
significam “Palavras de Deus”, e explicou aos membros sobre a
importância de lê-los avidamente.

Meishu-Sama tinha plena consciência de que os textos que


escrevia não eram simples ensinamentos ou doutrina escritos pelo
homem, mas sim, tudo o que era de mais sagrado, redigido a partir

133
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

da Vontade de Deus. Por isso, mais que tudo, Ele próprio colocou em
prática todos esses Ensinamentos.

A prática do Johrei, da Agricultura Natural, das atividades


artísticas e culturais e da construção dos protótipos do Paraíso
Terrestre, que estamos desenvolvendo atualmente, foram herdadas
de Meishu-Sama, que também as praticou. Por isso, para purificar,
evoluir e desenvolver a nossa natureza humana, para que ela depois
possa ser aceita por Deus, temos de nos conscientizar de todos os
Seus desejos e nos unir a Ele, entregando esta natureza humana que
nasceu da autoconsciência em Suas mãos. Nós também precisamos
aprender com a postura de Meishu-Sama, que buscou a Vontade
Divina, e objetivar nascer novamente no Paraíso.

Nós, neste mundo material, desejamos ser úteis à Obra Divina


de Meishu-Sama, que é a construção do Paraíso Terrestre e a
salvação da humanidade mas, na realidade, esta é a Obra Divina que
projeta sobre a face da Terra, ou seja, neste mundo material, o
Paraíso do mundo espiritual. Nós estamos aqui, neste mundo
material, para sermos “representantes de Deus” para servir como
instrumentos e base de apoio da Obra. A propósito, onde será que
fica esse Paraíso? Será que ele fica em um lugar distante do
Universo? Como nós também viemos do mundo divino, que é eterno
e ilimitado, o Paraíso está presente dentro de cada um de nós. Mas
ele é invisível, e aceitar o que é invisível é muito difícil. Nós não
conseguimos ver esse Paraíso invisível dentro de nós, mas
precisamos compreender e aceitar que ele realmente existe. Assim,
há a necessidade de cada um, dentro de si, pensar repetidas vezes
sobre isso, pois o sōnen constante possui uma profunda relação com
uma grande criatividade.

Quero estar sempre pensando da seguinte maneira:

- O Paraíso eterno e ilimitado que venho buscando está


presente como “vida espiritual”, nesta vida que eu estou vivendo
agora, que não é apenas “vida carnal”. Como eu nasci sobre a face

134
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

da Terra com um ponto existente em algum lugar da minha cabeça,


que certamente está ligado ao Paraíso, que é um mundo bem
substancial, meu pensamento agora, em algum lugar, está ligado ao
Paraíso;

- Como Meishu-Sama está tentando me utilizar como Seu


instrumento, entreguei a Ele aquela cabeça que vim usando até hoje
de forma egoísta, e aceito Meishu-Sama como minha própria cabeça.
Por isso, gostaria que me ensinasse e me guiasse;

- Quero retornar ao mundo divino, que foi o início da minha


existência, me unir a Meishu-Sama, que está se empenhando em
projetar nesta Terra o Paraíso, que agora entrou numa era totalmente
nova de Criação, após o término da Transição da Era da Noite para a
Era do Dia. Quero, juntamente com outras pessoas, ser recebido por
Ele e servir no cumprimento desta nova etapa.

Gostaria que os senhores também, dentro da sensibilidade de


cada um, pensassem em como voltar novamente sua atenção para o
Paraíso existente dentro de cada um. Os pensamentos que vêm do
Paraíso ultrapassam a compreensão vinda das palavras ditas por
nós, simples seres humanos, e estão bem acima do que estamos
pensando agora. Por isso, não devemos fazer esforços inúteis para
entendê-los. Se conseguirmos confiar e entregar tudo nas mãos de
Meishu-Sama, que retornou ao mundo divino, acredito que, de lá, Ele
estará organizando os nossos pensamentos e nos enviará Sua
poderosa força.

Estarei orando para que todos aqui presentes, todas as


pessoas e todas as criaturas sejam banhadas pela Luz da salvação e
recebam as infinitas bênçãos de Deus, e também, para que
possamos ser utilizados na Obra Divina de Meishu-Sama, que é
baseada no Grande Plano de Deus.

Encerro minhas palavras louvando de coração o nome do Deus


Supremo e de Meishu-Sama, nosso Salvador.

135
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Muito obrigado.

136
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

20 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO


DE 2006)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto Ano Novo e Fundação da Igreja
Templo Messiânico de Atami
1º de janeiro de 2006

É com profundo respeito que Meishu-Sama, que recebeu de


Deus sua personalidade divina e seu espírito, vem neste mesmo
momento desenvolvendo vigorosamente a Obra Divina que transpõe
as dimensões do passado, presente e futuro, em um só corpo com
Deus.

Gostaria de passar a minha salvação de ano novo com muita


gratidão por poder estar dando inicio há mais um ano juntamente com
todos os senhores que buscam ser pessoas ligadas a Meishu-Sama,
que nasceu novamente nesta vida como o Messias (Salvador).

Um feliz ano novo a todos!

No ano passado, a começar por desastres de grande escala


como tufões e terremotos, aconteceram inúmeros acidentes e
acontecimentos dentro e fora do Japão.

Este momento em que toda a humanidade passa por severas


provações, equivale a “Era de grandes purificações” a que Meishu-
Sama se referiu, nós temos que tomar conhecimento que cada um de
nós, moradores neste planeta, é um membro da humanidade e por
isso, precisamos refletir sobre a postura que viemos tomando dentro
dessa situação.

E nesta época a nossa organização viveu um ano onde foram


comemorados 70 anos de fundação da Igreja Messiânica, criada por
Meishu-Sama com o objetivo de construir o Paraíso Terrestre e salvar
a humanidade, sendo um ano muito significativo.

137
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Gostaria então de relembrar algumas das realizações do ano


passado.

Como é do conhecimento de todos foi anunciado no panfleto


“DAIKEIRIN” no inicio da primavera a diretriz: “Objetivar uma
organização única”.

Todos os senhores aceitaram esta diretriz com sinceridade e


tomando ela como base estão refletindo sobre a forma que viveram
até hoje, e com reflexão e gratidão vieram desenvolvendo praticas de
fé para se religarem a Meishu-Sama, o salvador.

Eu fico muito agradecido por ter recebido a missão de


corresponder ao sentimento que permitiu a unificação da Igreja.

E em cada um dos grupos eu venho fazendo reuniões e


estudos para que possamos receber provas de que estamos
praticando esta diretriz, na qual esta impregnada este sentimento,
buscando assim corresponder a Obra Divina de Meishu-Sama.

Eu também estou acumulando exemplos emocionantes disto


conforme, busco exclusivamente me aproximar de Meishu-Sama.

Além disso, esta prática que vem sendo desenvolvids no Japão


está sendo desenvolvida também em varias partes do mundo,
expandindo cada vez mais a obra de salvação de Meishu-Sama.

Com relação ao “projeto conjunto de propulsão” que surgiu


dentro das atividades para a reunificação da Igreja, e dos vários
projetos particulares de cada grupo que já existiam antes da
implantação do projeto conjunto, estão sendo realizadas varias
reuniões sobre esta diretriz em vários setores e assuntos, para que
possamos cumprir nossas missões e o nosso papel.

138
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

E ainda com relação a novos temas que surgem dentro destas


reuniões, estamos cultivando a postura de praticá-las de forma
dinâmica e modesta.

E ao mesmo tempo, cada uma dos grupos vem


compreendendo mutuamente suas praticas e a situação de cada
grupo através destes projetos particulares. Compreendendo também,
mesmo que lentamente, seus equívocos e mal entendidos nos
voltando assim para uma única organização.

Passados 5 anos que demos inicio ao culto de relatório,


realizados no Templo Komyo no Solo Sagrado da Terra Divina em
Hakone, a partir de abril de 1999, conseguimos expandir esta obra
para nos religarmos a Meishu-Sama.

Correspondendo mutuamente a esta pratica, nós podemos ver


enriquecido nos três Solos Sagrados praticas que ultrapassam as
barreiras criadas por cada grupo.

Falando de uma maneira concreta, estão sendo realizados


vários aprimoramentos no Solo Sagrado da Terra Divina (Shinsenkyo)
em Hakone para que todos objetivem aproximar-se de Meishu-Sama.

Por outro lado, no Solo Sagrado da Terra Celestial (Zuiunkyo)


em Atami, varias pessoas, incluindo pessoas da sociedade, estão
tendo contato com a “Salvação através do Belo” no Museu de Artes
MOA.

E por traz disso à vontade de participar do grupo de guias


voluntários do museu vem crescendo cada vez mais.

No Palácio de Cristal estão sendo realizados aprimoramentos


emocionantes, onde seus participantes estão se aproximando do
sentimento de Meishu-Sama.

139
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

No Solo Sagrado da Terra da Tranquilidade (Heian-kyo) em


Kyoto, com a dedicação de vários membros, foi concluída a primeira
etapa de construção com a edificação de um centro de
aprimoramentos e da reformulação dos jardins. E atualmente esta
sendo dado início a segunda etapa de construção.

E dessa maneira, passando pelo Solo Sagrado, o protótipo do


Paraíso, além de cada um de nós banhar o corpo e o sentimento,
significa que estamos nos esforçando para recebermos a grandiosa
Luz e Força de Meishu-Sama. Conscientizando-nos do Paraíso, ou
seja, da verdadeira essência que existe dentro de nós, passando
assim a ter convicção disso.

Neste ano esta fazendo dois anos que esta diretriz foi
anunciada.

Não preciso novamente repetir isto, mas o verdadeiro desejo


contido nesta diretriz é objetivar uma única organização e nos
religarmos a Meishu-Sama.

Ao estarmos em uma posição onde temos responsabilidade e


solidariedade mutua, seja dentro de cada um de nós ou dentro de
uma organização onde há um grupo de indivíduos, ao perdoarmos
uns aos outros, estamos realizando uma “revolução da fé” que esta
de acordo com a Obra Divina de Meishu-Sama.

E para começarmos a fazer isto, temos que nos conscientizar e


reconhecer a postura que tivemos até agora.

E com este significado, nós não devemos nos limitar apenas as


palavras que estão escritas nesta diretriz, mas sim com a essência
que esta contida por trás destas palavras, pois precisamos organizar
nosso espírito, sentimento e o nosso coração através dos princípios
que estão contidos nesta essência.

140
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

A forte decisão de nos voltarmos para o verdadeiro sentido da


origem da nossa divindade, e este cultivo da nossa fé fará com que
sejamos dignos que o sentimento de Meishu-Sama se torne o nosso
sentimento e ao mesmo tempo estaremos realizando uma “revolução
do nosso interior”.

E fazendo isso, nós estaremos centralizados em Meishu-Sama


ao dedicar na Obra Divina.

Neste ano precisamos nos centralizar neste sentimento,


aprendendo e praticando ele na diretriz que viemos colocando em
pratica no decorrer do ano. Expandindo esta Obra para um número
cada vez maior de pessoas.

O acumulo deste esforço fará com que possamos representar


cada vez melhor a unificação da Igreja concretizada no Mundo Divino,
e juntamente com a evolução de cada um, será permitida a expansão
de cada um dos grupos.

Baseando se no ano passado, onde comemoramos 70 anos da


fundação da Igreja, neste ano damos inicio a uma nova etapa de
expansão a ser praticada durante os próximos 10 anos.

E no momento atual, o importante é nos voltarmos para o


sentimento que Meishu-Sama tinha na ocasião da fundação da Igreja,
e sentir e praticar o desejo de Meishu-Sama que está impregnado no
ensinamento “A Construção do Mundo da Grande Luz”.

Através da diretriz que eu vim falando ate agora, unificando as


praticas e o caminho, nós estaremos nos religando a Meishu-Sama.

Buscando aceitar como presente de Deus a expansão da


difusão, a evolução das construções ou as purificações mais severas
que são estimuladas por pequenas purificações, nós estaremos
centralizando o sentimento de Meishu-Sama em nosso sōnen,
passando a serem verdadeiros instrumentos úteis para a Obra Divina.

141
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Gostaria que todos dedicassem na Obra Divina acreditando


que a força absoluta manifestada por Meishu-Sama, o salvador da
humanidade. E alem disso acreditar que seja lá onde estivermos, nós
estamos sob esta força, e que devemos desejar isto do fundo do
coração buscando resultados e orientações com colaboração mutua.

Por fim, estarei rezando para que todos os senhores, toda a


humanidade e para que todos os seres vivos sejam abençoados pela
ilimitada Luz Divina da salvação. E para que todos possam
compartilhar a alegria de dedicar nesta nova fase da Obra Divina.
Encerrando minhas palavras louvando a Deus do fundo do coração
através de Meishu-Sama, o salvador da humanidade.

Muito obrigado.

142
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

21 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2006)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
Templo Messiânico de Atami
4 de fevereiro de 2006

Minhas felicitações a todos pelo Culto de Início da Primavera


que realizamos hoje.

É com imenso e profundo respeito que louvamos o Único e


Supremo Deus que outorgou a Meishu-Sama Seu próprio espírito e
através dele nos revelou o Seu objetivo. Segundo este objetivo,
Meishu-Sama renasceu como Messias, e possuindo a personalidade
divina de Deus, vem até hoje desenvolvendo vigorosamente, sem a
mínima imprecisão, a Obra Divina da construção, transpondo as
dimensões do presente, do passado e do futuro em um só corpo com
Deus.

Como pessoa que vem sendo formada para se ligar a Meishu-


Sama que nasceu novamente como o Messias, gostaria de agradecer
juntamente com todos os senhores a permissão de poder estar
participando deste Culto de Início da Primavera para louvar a Obra de
Deus.

Os senhores estão diariamente se empenhando em suas


práticas de fé dentro da grandiosa Obra Divina, e ao mesmo tempo,
se dedicando na construção do Solo Sagrado da Terra da
Tranquilidade – Heian-kyo, alem da expansão da difusão por vários
países. Eu fico muito feliz por isso.

Eu também fico muito feliz em saber que os senhores estão


adquirindo atualmente através da “prática do sōnen” muitas
experiências, e estão com muita gratidão por elas, pois estas são
aprendizados muito importantes. E que através desta prática esta
nascendo a verdadeira alegria.

143
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Pois bem, creio que os senhores estão se empenhando


diariamente para corresponder ao desejo de Meishu-Sama sendo
utilizados na Obra Divina de construção do Paraíso Terrestre e
salvação da humanidade, mas hoje gostaria de falar sobre o que eu
venho sentindo e o que é o mais importante no que Meishu-Sama
deseja que todos entendam.

Eu venho sentindo que cada um dos senhores é,


verdadeiramente, uma existência única.

E certamente Deus, que é o pai da vida, olha para nós e fala:

“Eu, primeiro preparei todos vocês no Mundo Divino e, depois,


escolhi você dentre todos, e o estou enviando ao mundo por achar
que você é um elemento necessário. E quero que entenda isso”.

E, “Eu possuo um grande amor para com todos os homens e


seres vivos, e estou querendo agraciar a todos. Por isso quero que
você entenda que vou utilizá-lo para difundir este Meu sentimento a
todos os seres vivos”.

E alem disso: “O fato de cada um de vocês serem diferentes


uns dos outros é porque que cada um de vocês é uma existência
importante para mim e, por isso, os enviei ao mundo. E, em cada um
de vocês eu coloquei uma partícula do Meu espírito, a Minha
consciência, juntamente com a respiração e a minha força da vida,
por que eu quero fazer de vocês meus filhos”.

Será que nós estamos sentindo que somos uma existência


única? E será que nós estamos vivendo com orgulho disso?

Estamos sentindo que nos mantemos vivos aqui neste mundo


porque isto é importante para Deus?

Estamos entendendo que somos importantes para compartilhar


as dádivas divinas com todos os seres vivos?

144
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Nós estamos sentindo que fomos enviados a este mundo para


colocar ordem e harmonia no que está desarmonizado, colocando
vida em todas as coisas e situações que estão completamente
apagadas e sem vida?

Como nós esquecemos e deixamos de lado estes


pensamentos básicos, pensando apenas nas nossas condições social
e de saúde, nossa capacidade e idade, não estaríamos pouco a
pouco desistindo por achar que nós não estaríamos sendo úteis em
nada?

E, mesmo dizendo que acreditamos em Deus, não estaríamos


procuramos criar um Deus que seja coerente a nós. E orando e
pedindo graças a este Deus frio e sem vida, nós não estaríamos
apenas pedindo coisas que não temos para nos satisfazer?

Apesar de Deus ter nos escolhido e nos colocado neste mundo


por achar que somos importantes, se não pensarmos em
corresponder a este grandioso sentimento de amor e benevolência
Deus não se alegrara, e não teríamos alternativa se Ele falasse que
nós não possuímos amor fraternal.

Tenho a sensação de que vim levando uma vida sem nenhum


sentido por ter sido levado pelo pensamento de que nasci com uma
casca e fardo que não podia mudar.

Acredito que isto se tornou um grande obstáculo que me fez


perder de vista a minha verdadeira existência.

Nós procuramos nos esforçar em melhorar nossa conduta, ler


e praticar os ensinamentos, nos esforçamos para elevar a nossa fé,
nos purificarmos cada vez mais e para participar da Obra Divina com
todo o afinco, ou seja, dar impulso ao movimento que objetiva o
estabelecimento de uma única Igreja. Entretanto, o mais importante é
termos sempre conosco como base para este esforço, como ponto de

145
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

início para este pensamento, que fomos escolhidos por Deus para vir
a este mundo porque somos importantes para Ele.

Acredito que este é o pensamento básico, mesmo dentro da


“prática do sōnen” que os senhores vêm desenvolvendo.

Deus possui a inabalável verdade e um grandioso e profundo


amor.

Primeiramente, não deveríamos ter gratidão por nascer neste


mundo, e termos a possibilidade de sermos filhos do Deus supremo e
infinito, recebendo Dele esta preciosa vida?

Por isso, nós que precisamos nos ligar a Meishu-Sama, que


nasceu novamente como o Messias, devemos desejar de todo o
coração sermos utilizados para poder renascer novamente como
filhos de Deus, o verdadeiro pai da vida. Isso sim não poderia se
considerado o verdadeiro amor fraternal?

Sendo assim, por possuir uma afinidade tão profunda com


Deus, ou seja, desejar de alguma maneira manter esta relação entre
pai e filho com Ele não seria nenhuma falta de respeito.

Melhor do que isso, Deus não estaria desejando que: “Já que
você se conscientizou que veio me menosprezando até hoje, já não
esta na hora de você voltar seus pensamentos para mim?”.

Nós respiramos, sem ter consciência disso, a todo o momento,


mas acredito que Deus se relaciona conosco até mesmo através do
ar que nós inspiramos e expiramos normalmente.

Este ar que nós respiramos é a própria vida de Deus.

E nisto esta toda a consciência da inteligência Divina que é a


força da vida, capaz de reviver todas as coisas.

146
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

No momento em que nós estamos respirando, inspiramos o


sopro de alta densidade que foi expirado por Deus através de
Meishu-Sama que é o Messias, e quando expiramos o ar de baixa
densidade, um ar humano, ele é recebido por Deus através do
Messias Meishu-Sama.

Logo, nós não estamos respirando sozinhos. Meishu-Sama nos


ensina: “Todas as coisas, sem nenhuma exceção, respiram”. Sendo
assim, não estaríamos correspondendo a este sentimento de Deus,
ao respirarmos como representante de toda a humanidade, dos
nossos pais e antepassados ligados a nós pelas nossas células e
pelo nosso “ego”?

Por isso, quando expiramos, devemos nos voltar ao ponto


inicial da vida, que é a terra natal de nossas almas, entregando nós
mesmos a Deus. E quando inspiramos, devemos inspirar com a
consciência de estarmos perpetuando o ar da Vida Divina. E que
através desta respiração, nós estaríamos colocando ordem nesta
grandiosa harmonia, renascendo por intermédio da força de
expiração de Deus. Creio que Deus ficaria muito feliz se o
servíssemos com este pensamento.

E ao mesmo tempo Deus estaria nos criando como Seus


próprios filhos através do ciclo de inspiração e expiração do ar no ato
da respiração.

Creio que os senhores estariam correspondendo a este


sentimento de Deus se pensarem sobre isso, mesmo que por alguns
segundos, quando os senhores estão ministrando Johrei ou, mesmo
antes de dormir?

Fazendo isso, assim como um filho que corresponde ao amor


que é dado pelos pais, gostaria de podermos aprofundar cada vez
mais nossa relação com Deus, o verdadeiro pai da vida.

147
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Por fim, estarei orando para todos os senhores, que estão


prestes a dar início a uma nova caminhada neste início de primavera,
e para que todas as pessoas e seres vivos possam ser banhados
pela Luz da salvação e pelas ilimitadas graças divinas. Podendo
assim, compartilhar a alegria de sermos utilizados nesta nova etapa
da Obra Divina.

Gostaria de encerrar minhas palavras louvando a Deus em


nome do Salvador, Meishu-Sama.

Muito obrigado.

148
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

22 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2006)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
Templo Messiânico de Atami
4 de fevereiro de 2006
Publicado no Jornal Messiânico

Minhas felicitações a todos pelo Culto do Início da Primavera,


que realizamos hoje.

É com imenso e profundo respeito que louvamos o único e


Supremo Deus, que outorgou a Meishu-Sama Seu próprio espírito e,
através dele, nos revelou o Seu objetivo. Segundo este objetivo,
possuindo a personalidade divina de Deus, Meishu-Sama vem até
hoje desenvolvendo vigorosamente, sem a mínima imprecisão, a
Obra Divina da construção, transpondo as dimensões do presente, do
passado e do futuro em um só corpo com Deus. Como pessoa que
vem sendo formada para se ligar a Meishu-Sama, gostaria de
agradecer, juntamente com todos os senhores, pela permissão de
poder estar participando deste Culto do Início da Primavera, para
louvar a Obra de Deus.

Os senhores estão diariamente se empenhando em suas


práticas de fé, dentro da grandiosa Obra Divina, e, ao mesmo tempo,
se dedicando na construção do Solo Sagrado da Terra da
Tranquilidade – Heiyan-Kyo (Kyoto), além de estarem se esforçando
na expansão da difusão por vários países. Eu fico muito feliz por isso.
Também fico muito feliz em saber que os senhores estão
acumulando, atualmente, através da “prática do pensamento”, muitas
experiências, que estão sentindo muita gratidão por elas, pois são
aprendizados muito importantes, e que, através desta prática, está
nascendo a verdadeira alegria.

Pois bem, creio que os senhores estão se empenhando


diariamente para corresponder ao desejo de Meishu-Sama, sendo

149
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

utilizados na Obra Divina de construção do Paraíso Terrestre e


salvação da humanidade, mas hoje gostaria de falar sobre o que eu
venho sentindo, e o que é o mais importante no que Meishu-Sama
deseja que todos entendam.

Eu venho sentindo que cada um dos senhores é,


verdadeiramente, uma existência única. Certamente Deus, que é o
pai da vida, olha para cada um de nós e fala: “Primeiro, eu preparei
todos vocês no mundo divino. Depois escolhi cada um de vocês, por
considerá-los necessários ao mundo material. Quero que entendam
isso”. E, “Eu possuo um grande amor para com todos os homens e
seres vivos, e estou querendo agraciar a todos. Por isso quero que
você entenda que vou utilizá-lo para difundir este meu sentimento a
todos os seres vivos”. Além disso: “O fato de vocês serem diferentes
uns dos outros é porque eu preciso de cada um de vocês. Por isso eu
os enviei ao mundo material. Se eu coloquei minha partícula divina
em cada um e outorguei a todos minha consciência e minha força da
vida, juntamente com o primeiro ar que inspiraram, é porque quero
fazer de vocês meus filhos”.

Será que nós estamos sentindo que somos uma existência


única? E será que nós estamos vivendo com orgulho disso? Estamos
sentindo que somos mantidos vivos aqui neste mundo porque isto é
importante para Deus? Estamos entendendo que somos importantes
para compartilhar as dádivas divinas com todos os seres vivos? Nós
estamos sentindo que fomos enviados a este mundo para colocar
ordem e harmonia no que está desarmonizado, colocando vida em
todas as coisas e situações que estão completamente apagadas e
sem vida?

Como nós esquecemos e deixamos de lado estes


pensamentos básicos, pensando apenas na nossa condição social e
de saúde, nossa capacidade e idade, não estaríamos pouco a pouco
desistindo, por achar que não estamos sendo úteis em nada? E,
mesmo dizendo que acreditamos em Deus, não estaríamos
procurando criar um deus que seja coerente conosco e, orando e

150
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

pedindo graças a este deus frio e sem vida, não estaríamos apenas
pedindo coisas que não temos, para nossa própria satisfação?
Apesar de Deus nos ter escolhido e colocado neste mundo por achar
que somos importantes, se não pensarmos em corresponder a este
grandioso sentimento de amor e benevolência Deus não se alegrará,
e não teríamos alternativa se Ele falasse que nós não possuímos
amor fraternal.

Tenho a sensação de que vim levando uma vida sem nenhum


sentido, por ter sido levado pelo pensamento de que nasci com uma
casca e fardo que não podia mudar. Acredito que isto se tornou um
grande obstáculo, que me fez perder de vista a minha verdadeira
existência. Nós procuramos nos esforçar em melhorar nossa conduta,
ler e praticar os Ensinamentos, nos esforçamos para elevar a nossa
fé, nos purificarmos cada vez mais, para participar da Obra Divina
com todo o afinco. Entretanto, o mais importante é termos sempre
conosco, como base para este esforço, co¬mo ponto de início para
este pensamento, que fomos escolhidos por Deus para vir a este
mundo porque somos importantes para Ele. Acredito que este é o
pensamento básico, mesmo dentro da “prática do pensamento” que
os senhores vêm desenvolvendo.

Deus possui a inabalável Verdade e um grandioso e profundo


amor. Primeiramente, não deveríamos ter gratidão por nascer neste
mundo, e termos a possibilidade de sermos filhos do Deus supremo e
infinito, recebendo Dele esta preciosa vida? Por isso nós, que
precisamos nos ligar a Meishu-Sama, devemos desejar de todo o
coração sermos utilizados para poder renascer novamente como
filhos de Deus, o verdadeiro pai da vida. Isso sim não poderia ser
considerado o verdadeiro amor fraternal? Sendo assim, por
possuirmos uma afinidade tão profunda com Deus, desejar de alguma
maneira manter esta relação entre pai e filho com Ele não seria
nenhuma falta de respeito. Melhor do que isso, Deus não estaria
querendo dizer para nós: “Já que você se conscientizou de que veio
me menosprezando até hoje, já não está na hora de você voltar seus
pensamentos para mim?”.

151
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Nós respiramos, sem ter consciência disso, a todo o momento,


mas acredito que Deus se relaciona conosco até mesmo através do
ar que nós inspiramos e expiramos normalmente. Esse ar que nós
respiramos é a própria vida de Deus. E nisso está toda a consciência
da inteligência divina, que é a força da vida, capaz de fazer reviver
todas as coisas. No momento em que nós estamos respirando,
inspiramos o sopro de alta densidade que foi expirado por Deus
através de Meishu-Sama, que é o Messias, e quando expiramos o ar
de baixa densidade, um ar humano, ele é recebido por Deus através
do Messias, Meishu-Sama. Logo, nós não estamos respirando
sozinhos.

Meishu-Sama nos ensina: “Todas as coisas, sem nenhuma


exceção, respiram”. Sendo assim, não estaríamos correspondendo a
este sentimento de Deus, ao respirarmos como representantes de
toda a humanidade, dos nossos pais e antepassados ligados a nós
pelas nossas células e pelo nosso “ego”? Por isso, quando
expiramos, devemos fazê-lo como se estivéssemos nos entregando a
Deus, retornando ao ponto inicial da vida, a terra natal de nossas
almas. E, quando inspiramos, devemos fazê-lo com a consciência de
estarmos perpetuando o sopro da vida, que nos foi outorgado por
Deus. Através desse tipo de respiração estaremos colocando ordem
nas coisas, baseados na Grande Harmonia e, ao mesmo tempo,
ganhando nova vida, através da força do sopro revigorante de Deus.
Creio que Ele ficará muito feliz se O servirmos com este pensamento.
E, ao mesmo tempo, Deus estaria nos criando como Seus próprios
filhos, através do ciclo de inspiração e expiração do ar no ato da
respiração.

Creio que os senhores estarão correspondendo a este


sentimento de Deus se pensarem sobre isso, mesmo que por alguns
segundos, quando estiverem ministrando Johrei, ou mesmo antes de
dormir. Fazendo isso, assim como um filho que corresponde ao amor
que é dado pelos pais, gostaria de podermos aprofundar cada vez
mais nossa relação com Deus, o verdadeiro pai da vida.

152
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Estarei orando por todos os senhores, e para que todas as


pessoas e seres vivos possam ser banhados pela Luz da salvação e
pelas ilimitadas graças divinas, podendo assim compartilhar da
alegria de sermos utilizados nesta nova etapa da Obra Divina.
Gostaria de encerrar minhas palavras louvando o nome de Deus e de
Meishu-Sama, o nosso Salvador.

Muito obrigado.

153
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

23 - CULTO AOS ANTEPASSADOS (JULHO DE 2006)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto aos Antepassados
Templo Messiânico de Atami
1º de julho de 2006

Minhas sinceras felicitações pelo Culto aos Antepassados.

É com profundo respeito que, em minha pequena percepção,


lhes digo que o único e Supremo Deus está vivo.

Este Deus Supremo outorgou a Meishu-Sama o Seu próprio


espírito e através dele nos revelou a Sua Vontade. Meishu-Sama,
obedecendo a esta vontade, renasceu como Messias, ao qual foi
atribuída a personalidade divina de Deus Supremo, e vem, em um só
corpo com Deus, até hoje, desenvolvendo vigorosamente, sem a
mínima interrupção, a Obra Divina da criação, transpondo as
dimensões do presente, do passado e do futuro.

Como um de nós que originariamente estava unido a Meishu-


Sama por um profundo elo e que está sendo formado para se unir
novamente a Ele renascido, agradeci, juntamente com todos os
senhores, a Meishu-Sama, que continua vivo, a permissão de estar
participando deste Culto aos Antepassados e orei, louvando e
venerando a Obra de Deus.

Estou profundamente agradecido a todos os senhores que,


com um grande sonho, oferecem sua sincera dedicação na
construção do Solo Sagrado de Heian-kyo, cuja conformação está
ficando cada vez mais bonita e reconfortante.

Ao mesmo tempo, não consigo deixar de desejar nos


tornarmos pessoas capazes de corresponder à bênção de termos um
local que nos faça recordar o sagrado lugar de paz e tranqüilidade
que existe dentro de cada um de nós.

154
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Hoje, também estou muito feliz, pois temos a presença de


muitos membros vindos do exterior para participar do Culto aos
Antepassados, o que mostra que em vários lugares do mundo as
pessoas estão desenvolvendo suas atividades com grande fervor.

A Igreja Izunome começou um novo sistema a partir do mês de


abril e acredito que todos estão se esforçando em servir a essa
completamente nova etapa da Obra Divina, cheios de esperança.

Acredito que principalmente os senhores, ministros e membros,


unidos sob a liderança do presidente Watanabe estão se
empenhando em cultivar uma fé que não menospreza a existência de
Deus, através da Prática do Sōnen, atividade essa perfeitamente
consubstanciada na Lei da Precedência do Espírito sobre a Matéria.

Os senhores estão reconhecendo o poder da consciência


humana e quão grande é o poder de influência do sōnen. E, ao invés
de ficarem discutindo isso como um mero conhecimento, estão se
esforçando em procurar conduzir o sōnen de acordo com a vontade
divina e de gerar o sōnen concretamente como forma de praticar os
Ensinamentos. Este fervor me deixa realmente emocionado e a forma
com que cada um dos senhores lida com seus sentimentos está se
tornando um grande aprendizado e motivação para mim.

Através dessa prática muitas pessoas estão recebendo


inúmeras comprovações, ou seja, graças, e emoção delas se
transmitem até mim quando leio os relatos recebidos.

Ao mesmo tempo, sou forçado a pensar qual o significado da


ocorrência de tantas graças.

Eu sinto que, nós, seres humanos, temos a tendência de


agradecer principalmente por aquilo que nos é conveniente ou que é
melhor para nós, interpretando-o como graça e milagre.
No entanto, originalmente, essas comprovações acontecem
para a conveniência de Deus e não para a conveniência do homem.

155
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Eu acredito que os milagres acontecem para que Deus possa


revelar a si próprio neste plano terrestre.

Eu penso que Deus está nos guiando através dos milagres


para que nós possamos acreditar mais nele e consigamos nos
aproximar mais um pouco que seja da Sua Vontade.

Sem nos esquecermos disso, devemos nos perguntar se


conseguiríamos acreditar em Deus mesmo sem receber graças. Se,
ainda assim, conseguirmos agradecer humildemente à Vontade de
Deus, creio que teremos os nossos próprios sentimentos revigorados.

Gostaria muito que ficassem atentos diante de uma graça


recebida, para não serem tomados de vaidade pela sua fé, e isso,
mais tarde, trazer arrependimentos.

Eu sinto que a Prática do Sōnen que os senhores estão se


empenhando atualmente esta sendo possível graças ao grande amor
e atuação do Messias, Meishu-Sama.

Na condição de ser humano não é nada fácil conseguir pensar


que nos foi entregue uma partícula do espírito de Deus e que
existimos para sermos representantes de Deus.

Mesmo assim, a vontade de Deus é que estejamos sempre


refletindo com toda nossa sinceridade sobre o que é ser
representante de Deus.

Ao mesmo tempo, quando analisamos o fato de nos ter sido


atribuído um corpo material, veremos que estamos unidos a todos os
elementos da natureza e somos a somatória dos nossos
antepassados. Por isso, mesmo achando que somos nós que
estamos pensando, temos, dentro do nosso pensamento, a influência
de todas as coisas da natureza, bem como a influência do
pensamento de inúmeras pessoas, a começar pelo dos nossos
antepassados.

156
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Porém, é muito difícil para nós reconhecermos que tudo isto


são mensagens importantes confiadas por Meishu-Sama e que
somente nós podemos assumi-las.

Principalmente em relação às falhas a que fomos impostos, é


muito difícil descobri-las por nós mesmos.

Isto não seria porque a nossa autoconsciência está


“programada” para nos diferenciarmos das outras pessoas e nos
justificarmos e, com isso, querer descartar qualquer pensamento
incômodo ou desfavorável, como se ele não tivesse relação nenhuma
conosco?

Eu, particularmente, ficava utilizando a reflexão como uma


forma de dissimular e, mesmo acabando cheio de remorso, deixava
de lado, esperando que o tempo resolvesse tudo e me fizesse
esquecer e, assim deixava uma mensagem importante se perder.

E, quando estamos presunçosos na fé, fica mais difícil admitir


que estávamos menosprezando a existência de Deus ou que
estávamos dando mais valor ao reconhecimento das pessoas à
nossa volta, do que estarmos procurando ser do agrado de Deus.
Ainda mais quando se diz respeito a entregar esse sentimento a
Deus, creio que não é uma tarefa fácil.

Mas, na verdade, o que nós somos agora não seria o resultado


dessa vida alternando o bem e o mal que nossos antepassados
levaram?

Assim, se não conseguirmos aceitar dentro do nosso


sentimento todo este bem e mal, e não conseguirmos entregar isso a
Deus, como iremos encaminhar nossos antepassados ao caminho da
salvação?

E, quando dizemos que entregamos a Meishu-Sama,


precisamos interrogar a nós mesmos se não estamos entregando,

157
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

esperando um resultado conveniente para nós? Será que não


estamos entregando, ocultando as nossas falhas? Perguntar a nós
mesmos se estamos acreditando que Meishu-Sama continua vivo e
se estamos entregando com a certeza de estarmos na posição de
pessoas unidas a Meishu-Sama. Também devemos perguntar, mais
do que tudo, se não estamos nos esquecendo de que estamos na
posição de entregarmos a Meishu-Sama tendo no nosso coração o
Paraíso como o mundo da salvação e do renascimento.

Em sua generosidade, Meishu-Sama perdoa este sōnen falho


e egoísta que possuímos, apoiando-nos mais do que o suficiente,
permitindo-nos lapidar através da Prática do Sōnen. Portanto,
devemos cultivar um sentimento que consiga agradecer pelo seu
grandioso amor e atuação.

Por isso, precisamos nos policiar muito para que, quando


virmos a melhora da situação à nossa volta ou a melhora de nosso
estado físico não acharmos que isso se deu graças ao nosso
pensamento ou porque compreendemos algo.

Além do mais, achar que Meishu-Sama reconheceu você, só


porque compreendeu algo, é subestimar a Deus.

Precisa estar claro para nós que, se Meishu-Sama, que é o


Messias, objetivando nos formar e unir a Ele, não se manifestar em
nós, querendo nos ensinar, jamais conseguiremos ter esses
pensamentos.

Gostaria que todos tomassem bastante cuidado para não


cairmos na armadilha de pensar que compreendemos por conta
própria ou querer servir apenas com o nosso próprio pensamento,
pois quanto mais nos empenharmos, mais esse risco correremos.

Assim, quando somos tomados de alegria por ter recebido uma


graça, achando que a conseguimos por termos compreendido o
sentimento de Meishu-Sama, devemos nos esforçar, não esquecendo

158
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

a humildade de reconhecer que quem nos leva a sentir é Meishu-


Sama, pois, assim, estaremos fortalecendo cada vez mais o nosso
elo com Meishu-Sama.

Como Meishu-Sama está objetivando nos unir em um só corpo


com ele, assim como na respiração, devemos desejar
verdadeiramente recebê-lo dentro de nós e, a cada instante, a cada
momento, nos tornarmos uma folha de papel em branco. Se
conseguirmos acreditar de todo o coração que Meishu-Sama está
querendo nos mostrar alguma coisa ao se manifestar dentro de nós, e
ao buscarmos isso, iremos despertar para o sentimento de Meishu-
Sama e para a essência de seus Ensinamentos, tornando-se possível
compreendê-los gradualmente.

Acredito que, de uma forma ou de outra, Meishu-Sama está


permitindo-nos que, através das inúmeras experiências que
acontecem, possamos treinar o nosso coração.

A nossa visão sobre as coisas e o nosso campo de raciocínio


são estreitos e limitados.

Melhor do que entregar para Meishu-Sama, na qualidade de


individuo, o nosso coração repleto de desejos e sofrimentos para que
Ele faça algo por nós, devemos reconhecer que os vários
sentimentos que ocorrem dentro do nosso coração, são para
relacionar à salvação de toda a humanidade, nos voltarmos para
Meishu-Sama, e, na posição de quem tem a qualidade de pessoas
unidas a Ele, nós o deixaríamos contente se, com toda a coragem,
disséssemos: “gostaria de ser utilizado juntamente com meu pai,
minha mãe e meus antepassados e as muitas outras pessoas que
existem dentro de mim, em prol da concretização do sentimento de
Meishu-Sama”.

Eu mesmo sinto que preciso, no meu cotidiano, cultivar um


sentimento capaz de me fazer pensar desta forma com naturalidade.

159
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Não podemos esquecer que esta posição “formalmente


reconhecida” de pessoas unidas a Meishu-Sama, a que me referi
agora, é a nossa verdadeira essência, ou seja, o nosso verdadeiro
eu.

A Prática do Sōnen, ou seja, a forma como devemos utilizar a


força do sōnen que cada um recebeu, é o grande tema da tarefa
atribuída a toda humanidade.

O caminho que devemos tomar através desta prática, não é a


de nos tornarmos pessoas bem vistas pelos outros, muito menos para
aumentarmos nosso valor pessoal ou, ainda, para vangloriarmos da
correção da forma como agimos com Deus.

O nosso caminho a percorrer é praticamente o oposto a este.


Ele não é outro, senão o de buscar saber o quanto somos imperfeitos
perante Deus e, embora difícil, devemos procurar saber o que Deus
deseja, e como nos tornar filhos que alegram a Deus.

Não seria para isso que nós estamos sendo unidos novamente
a Meishu-Sama, que renasceu como Messias, e nos esforçando,
buscando nos tornar representantes de Deus no verdadeiro sentido?

Não estaríamos, ao mesmo tempo em que nascemos como


“filhos do homem” através de nossos pais, que fazem parte da obra
de criação do Supremo Deus, independentemente do corpo material,
buscando morar no Paraíso como filhos de Deus Supremo que
conquistaram a vida eterna?

Como vimos no salmo de hoje: “Enquanto estivermos neste


mundo, precisamos saber quem é o pai da nossa vida eterna”,
gostaria que todos sentissem o espírito de Meishu-Sama impregnado
neste salmo, e aprendessem com ele.
Realizamos, hoje, o Culto aos Antepassados, e, aproveitando o
ensejo, gostaria de analisar como estamos compreendendo sobre
nossos pais e demais antepassados que já faleceram.

160
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Será que possuímos o firme pensamento de que nossos


antepassados continuam vivos?

Como nossos antepassados já não estão mais nesta


dimensão, onde possuíam um corpo físico, será que não estaríamos
considerando que eles estão mortos?

No entanto, a consciência deles não estaria evoluindo


continuamente, como elemento altamente concentrado, sem se
extinguir e, bem junto a nós?

A consciência e o código genético dos antepassados então


unidos dentro de nós e, embora estejam permitindo a nossa
existência, por não conseguirmos ver a sua figura em forma de corpo
físico, não pensamos neles como vivos, e o nosso coração tende a
tê-los como mortos.

Será que diante de uma pessoa prestes a encerrar sua vida


física, não estaríamos vendo esse fato como o fim de sua vida?

No pensamento das pessoas em geral, o funeral, a celebração


de finados, cultos de aniversário de falecimento, além de outras
formas de sufrágio, são realizados para os mortos.

Será que deveríamos deixar o nosso sōnen sofrer a influência


desta maneira de raciocinar?

Meishu-Sama nos ensinou que a vida do ser humano é eterna.

Ele escreveu os seguintes poemas:

“O homem que tem consciência da eternidade da vida é


um verdadeiro homem” e “Salvar todos os seres vivos é ensinar
o caminho da vida eterna”.

161
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Através destes poemas, não estaria Meishu-Sama querendo


nos mostrar como é importante saber que a vida do ser humano é
eterna e que somos salvos quando temos ciência que a vida evolui
eternamente?

Mesmo assim, vim persistindo na minha costumeira maneira de


pensar, mantendo fixamente a imagem sobre a morte que possuía até
hoje.

Vivi até hoje sem ter noção de que deixei os meus


antepassados presos no estado de morte, uma vez que eu também
fui levado pelo redemoinho do mundo do sōnen de toda humanidade
cujos antepassados morreram sem ter tido conhecimento da vida
eterna.

O Supremo Deus é a própria vida. E, se Ele permite que todas


as criaturas a que deu vida em todas as dimensões mantenham a
vida, se eu fui contra este principio da criação, e considerei os
falecidos como existências que não estão mais vivas, é certo que
cometi uma grande insolência contra Supremo Deus.

Mesmo com relação aos meus antepassados, pelo fato de eu


ter conduzido o meu sentimento desta maneira, acabei por fechar o
caminho da salvação deles. O que é algo que não tenho como me
desculpar.

Encarando meus antepassados como mortos, não terei o que


argumentar quando Supremo Deus olhar para mim, que sou a soma
de milhares de antepassados, e me disser: “Você parece um morto
vivo”.
O que precisamos fazer, então?

Para que nós e nossos antepassados nos tornemos


existências vivas, precisamos acreditar no Deus Supremo, que vive
eternamente, e criar um sōnen para nos relacionarmos com esses
assuntos.

162
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Com a geração desse tipo de sōnen, a nossa autoconsciência,


que herdamos de nossos antepassados, se interligará com a
consciência original do Supremo Deus, e, fundindo-se com esta
última, provocará uma mudança estrutural molecular até mesmo na
dimensão denominada Mundo Espiritual, nos tornando capazes de
crescer dentro do eterno plano de evolução.

Para corresponder a esta bênção, precisamos dedicar para


que o maior número de antepassados possa ser envolvido pelo
sentimento de Meishu-Sama que vive intensamente até hoje,
aprofundando nosso relacionamento com Ele.

Precisamos corrigir constantemente o nosso sentimento e ter o


firme sōnen de que “os meus antepassados não estão mortos, eles
estão vivos dentro de mim com toda intensidade”, ou ainda que,
“muitos dos meus antepassados se encontram em estado de
consciência adormecida neste momento. Por isso quero que eles
despertem pela Grande Luz do Deus Supremo, para poderem crescer
e se tornarem uma existência ativa junto comigo”.

É necessário descobrir Meishu-Sama dentro de nós e, criarmos


o hábito de entregar as manifestações de nossos antepassados para
Meishu-Sama e pedir-lhe que una nossos antepassados a nós como
existências vivas.

Ou seja, nós, que vivemos juntos com nossos antepassados,


precisamos evoluir ao ponto de preencher o nosso interior com o
alimento da vida.

Então, por que é possível para nós sermos utilizados nesta


Obra?
Não seria porque, antes de nós nascermos e os nossos
antepassados terem nascido com um corpo físico neste mundo, já
não teríamos sido preparados no Mundo Divino, onde Meishu-Sama
se encontra, para fazermos parte desta obra de salvação e
ressurreição?

163
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Não seria, também, porque nós teríamos recebido juntamente


com Meishu-Sama o sopro da vida do Supremo Deus?

Enquanto estamos neste mundo, nós acabamos nos


esquecendo da preciosa respiração da vida que nos mantêm vivos.

Meishu-Sama ainda permanece vivo.

Vamos, nós também, tornarmos pessoas com vida ativa.

Vamos relembrar, agora, que um dia já vivemos juntos com


Meishu-Sama, vamos voltar a esse mundo, ou seja, ao ponto inicial
da Criação e praticar uma respiração viva que seja capaz de nos
ressuscitar.

Chegou uma nova manhã. Vamos despertar, através do brilho


da grande Luz Divina, deste longo período em que estivemos
adormecidos.

Há 75 anos, em 15 de junho de 1931, Meishu-Sama recebeu,


no Monte Nokoguiri, a revelação da transição da Era da Noite para a
Era do Dia. Vamos, neste momento, com o forte desejo de
relembrarmos dessa revelação divina, respirar o ar renovado desta
nova manhã.

Vamos nos aperfeiçoar para que, em colaboração mútua,


antepassados e nós, possamos manifestar a Obra que permite a
ressurreição e a revitalização do mundo.

Por fim, estarei orando para que todos possam desenvolver


suas dedicações nesta nova fase, com alegria e ajuda mútua, a partir
do Culto aos Antepassados de hoje, e para que, através dos
senhores, as bênçãos e a ilimitada Luz da salvação do Supremo
Deus possam chegar a toda a humanidade e todas as criaturas.
Encerro minhas palavras louvando a Deus em nome de Meishu-
Sama.

164
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Muito obrigado. Expresso, juntamente com todos os senhores,


minha gratidão ao Supremo Deus.

165
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

24 - CULTO AOS ANTEPASSADOS (JULHO DE 2006)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto aos Antepassados
Templo Messiânico de Atami
1º de julho de 2006
Publicado no Jornal Messiânico

Minhas sinceras felicitações pelo Culto aos Antepassados.

É com profundo respeito que lhes digo que o único e Supremo


Deus está vivo. Este Deus Supremo outorgou a Meishu-Sama o Seu
próprio espírito e, através dele, nos revelou a Sua Vontade. Meishu-
Sama, obedecendo a esta vontade, renasceu como nosso salvador,
ao qual foi atribuída a personalidade divina, e vem, em união com
Deus, até hoje, desenvolvendo vigorosamente, sem a mínima
interrupção, a Obra Divina, transpondo as dimensões do presente, do
passado e do futuro.

Como um de nós que, originariamente, estava unido a Meishu-


Sama por um profundo elo, e que está sendo formado para se unir
novamente a Ele, agradeci, juntamente com todos os senhores, a
permissão de estar participando deste Culto aos Antepassados e orei,
louvando e venerando a Obra de Deus.

Estou profundamente agradecido a todos os senhores que,


com um grande sonho, oferecem sua sincera dedicação na
construção do Solo Sagrado de Heian-kyo (Kyoto), cuja conformação
está ficando cada vez mais bonita e reconfortante. Ao mesmo tempo,
não consigo deixar de desejar que nos tornemos pessoas capazes de
corresponder à bênção de termos um local que nos faça recordar o
sagrado lugar de paz e tranquilidade que existe dentro de cada um de
nós. Hoje, também estou feliz pois temos a presença de muitos
membros vindos do exterior, o que mostra que, em vários lugares do
mundo, as pessoas estão desenvolvendo suas atividades com grande

166
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

fervor. Acredito que todos estão se esforçando no servir, nessa nova


etapa da Obra Divina, cheios de esperança.

Estou certo de que principalmente os senhores, ministros e


membros, unidos sob a liderança do presidente Watanabe, estão se
empenhando em cultivar uma fé que não menospreza a existência de
Deus, através da Prática do Sōnen, atividade perfeitamente
consubstanciada na Lei da Precedência do Espírito sobre a Matéria.

Os senhores estão reconhecendo o poder da consciência


humana, e quão grande é o poder de influência do Sōnen. E, ao invés
de ficarem discutindo isso como um mero conhecimento, estão se
esforçando em procurar conduzir o sōnen de acordo com a Vontade
Divina, e de gerar o sōnen concretamente como forma de praticar os
Ensinamentos. Este fervor me deixa realmente emocionado. A forma
com que cada um dos senhores lida com seus sentimentos está se
tornando um grande aprendizado e motivação, para mim.

Através dessa prática muitas pessoas estão tendo inúmeras


comprovações, ou seja, recebendo muitas graças, e a emoção delas
chega até mim, quando leio seus relatos. Ao mesmo tempo, sou
forçado a pensar sobre qual é o significado da ocorrência de tantas
graças. Eu sinto que nós, seres humanos, temos a tendência de
agradecer principalmente por aquilo que nos é conveniente, ou que é
melhor para nós, interpretando essas coisas como graças ou
milagres. No entanto, originalmente, essas comprovações acontecem
para a conveniência de Deus, e não para a conveniência do homem.
Eu acredito que os milagres acontecem para que Deus possa revelar
a si próprio, neste plano terrestre.

Eu penso que Deus está nos guiando através dos milagres


para que nós possamos acreditar mais nele e consigamos nos
aproximar mais um pouco que seja da Sua Vontade.

Sem nos esquecermos disso, devemos nos perguntar se


conseguiríamos acreditar em Deus mesmo sem receber graças. Se,

167
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

ainda assim, conseguirmos agradecer humildemente à Vontade de


Deus, creio que teremos os nossos próprios sentimentos revigorados.
Gostaria muito que ficassem atentos diante de uma graça recebida,
para não serem tomados de vaidade pela sua fé, e isso, mais tarde,
trazer arrependimentos.

Eu sinto que a Prática do Sōnen, na qual os senhores estão se


empenhando atualmente, está sendo possível graças ao grande amor
e atuação de Meishu-Sama. Na condição de ser humano, não é nada
fácil conseguir pensar que nos foi entregue uma partícula do espírito
de Deus, e que existimos para sermos representantes d’Ele. Mesmo
assim, a vontade de Deus é que estejamos sempre refletindo, com
toda a nossa sinceridade, sobre o que é ser Seu representante. Ao
mesmo tempo, quando analisamos o fato de nos ter sido atribuído um
corpo material, veremos que estamos unidos a todos os elementos da
Natureza, e que somos a somatória dos nossos antepassados. Por
isso, mesmo achando que somos nós que estamos pensando, temos,
dentro do nosso pensamento, a influência de todas as coisas da
Natureza, bem como a influência do pensamento de inúmeras
pessoas, a começar pelo dos nossos antepassados. Porém, é muito
difícil para nós reconhecer que tudo isto são mensagens importantes,
confiadas por Meishu-Sama, e que somente nós podemos assumi-
las.

Principalmente em relação às falhas a que fomos impostos, é


muito difícil descobri-las por nós mesmos. Isto não seria porque a
nossa autoconsciência está “programada” para nos diferenciarmos
das outras pessoas e nos justificarmos e, com isso, querer descartar
qualquer pensamento incômodo ou desfavorável, como se ele não
tivesse relação nenhuma conosco?

Eu, particularmente, ficava utilizando a reflexão como uma


forma de dissimular e, mesmo sentindo remorso, deixava de lado,
esperando que o tempo resolvesse tudo e me fizesse esquecer.
Assim, eu deixava uma mensagem importante se perder. Quando
estamos presunçosos na fé, fica mais difícil admitir que estávamos

168
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

menosprezando a existência de Deus, ou que estávamos dando mais


valor ao reconhecimento das pessoas à nossa volta, em vez de
estarmos procurando ser do agrado de Deus. Ainda mais quando se
trata de entregar esse sentimento a Deus, creio que não é uma tarefa
fácil. Mas, na verdade, o que nós somos agora não seria o resultado
dessa vida de alternância entre o bem e o mal, que nossos
antepassados levaram? Assim, se não conseguirmos aceitar dentro
do nosso sentimento todo este bem e mal, e não conseguirmos
entregar isso a Deus, como iremos encaminhar nossos antepassados
ao caminho da salvação?

Quando dizemos que entregamos algo nas mãos de Meishu-


Sama, precisamos interrogar a nós mesmos se não estamos fazendo
isso esperando um resultado conveniente para nós. Será que, agindo
assim, não estamos tentando ocultar as nossas falhas? Precisamos
perguntar a nós mesmos se estamos acreditando que Meishu-Sama
continua vivo, e se Lhe estamos entregando algo com a certeza de
estarmos na posição de pessoas unidas com Ele. Também devemos
questionar, mais do que tudo, se não estamos nos esquecendo de
que estamos na posição de fazer essa entrega a Meishu-Sama tendo
no nosso coração o Paraíso, como o mundo da salvação e do
renascimento.

Em sua generosidade, nosso Mestre perdoa este Sōnen falho


e egoísta que possuímos, apoiando-nos mais do que o suficiente,
permitindo que nos lapidemos através da Prática do Sōnen. Portanto,
devemos cultivar um sentimento que consiga agradecer pelo Seu
grandioso amor e atuação. Por isso, precisamos nos policiar muito
para que, quando virmos a melhora da situação à nossa volta, ou a
melhora de nosso estado físico, não achemos que isso se deu graças
ao nosso pensamento, ou porque compreendemos algo. Além disso,
acreditar que Meishu-Sama esteja aprovando você, que acha que
conseguiu ter esse pensamento por si mesmo, é fazer pouco caso de
Deus.

169
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Precisa estar claro para nós que, se Meishu-Sama, objetivando


nos formar e unir a Ele, não se manifestar em nós, querendo nos
ensinar, jamais conseguiremos ter esses pensamentos. Quanto mais
nos empenhamos, mais corremos o risco de servir com as nossas
próprias forças e, também, de ficarmos presunçosos, achando que
tivemos um determinado pensamento por conta própria. Gostaria de
alertar para não cairmos nessa armadilha.

Assim, quando somos tomados de alegria por termos recebido


uma graça, achando que a conseguimos por termos compreendido o
sentimento de Meishu-Sama, devemos nos esforçar, não esquecendo
a humildade de reconhecer que quem nos leva a sentir é Meishu-
Sama, pois, assim, estaremos fortalecendo cada vez mais o nosso
elo com Ele. Como nosso Mestre está objetivando nos unir em um só
corpo com Ele, assim como na respiração, devemos desejar
verdadeiramente recebê-lo dentro de nós e, a cada instante, a cada
momento, nos tornarmos uma folha de papel em branco. Se
conseguirmos acreditar, de todo coração, que Meishu-Sama está
querendo nos mostrar alguma coisa, ao se manifestar dentro de nós,
e ao buscarmos o que Ele quer nos transmitir, iremos despertar para
o sentimento de Meishu-Sama e para a essência de seus
Ensinamentos, tornando-se possível compreendê-los gradualmente.

Acredito que, de uma forma ou de outra, Meishu-Sama está


permitindo que, através das inúmeras experiências que acontecem,
possamos treinar o nosso coração. A nossa visão sobre as coisas e o
nosso campo de raciocínio são estreitos e limitados. Melhor do que
entregar para Meishu-Sama, na qualidade de indivíduo, o nosso
coração repleto de desejos e sofrimentos, para que Ele faça algo por
nós, devemos reconhecer que os vários sentimentos que ocorrem
dentro do nosso coração devem ser direcionados às atividades de
salvação de toda a humanidade, nos voltarmos para Meishu-Sama, e,
na posição de quem tem a qualidade de pessoas unidas a Ele, nós o
deixaríamos contente se, com toda a coragem, disséssemos:
“Gostaria de ser utilizado juntamente com meu pai, minha mãe e
meus antepassados, e as muitas outras pessoas que existem dentro

170
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

de mim, em prol da concretização do vosso sentimento”. Eu mesmo


sinto que preciso, no meu cotidiano, cultivar um sentimento capaz de
me fazer pensar desta forma, com naturalidade. Não podemos
esquecer que esta posição “formalmente reconhecida” de pessoas
unidas a Meishu-Sama, a que me referi agora, é a nossa verdadeira
essência, ou seja, o nosso verdadeiro eu.

A Prática do Sōnen, ou seja, a forma como devemos utilizar a


força do Sōnen que cada um recebeu é o grande tema da tarefa
atribuída a toda humanidade. O caminho que devemos tomar,
através desta prática, não é o de nos tornarmos pessoas bem vistas
pelos outros, muito menos para aumentarmos nosso valor pessoal
ou, ainda, para nos vangloriarmos da correção da forma como agimos
com Deus. O caminho que temos de percorrer é praticamente o
oposto a este. Ele não é outro senão o de buscar saber o quanto
somos imperfeitos, perante Deus e, embora seja difícil, devemos
procurar saber o que Ele deseja, e como nos tornarmos filhos que
Lhe dêem alegria. Não seria para isso que nós estamos sendo unidos
novamente a Meishu-Sama, e nos esforçando, buscando nos
tornarmos representantes de Deus, no verdadeiro sentido? Não
estaríamos, ao mesmo tempo em que nascemos como “filhos do
homem”, através de nossos pais, que fazem parte da Obra de criação
do Supre¬mo Deus, independentemente do corpo material, buscando
morar no Paraíso como filhos de Deus Supremo, que conquistaram a
vida eterna?

Como está expresso no salmo “Enquanto estivermos neste


mundo, precisamos saber quem é o pai da nossa vida eterna”,
gostaria que todos sentissem o espírito de Meishu-Sama impregnado
neste salmo, e aprendessem com ele.

Realizamos hoje o Culto aos Antepassados. Aproveitando o


ensejo, gostaria de analisar como estamos compreendendo sobre
nossos pais e demais antepassados, que já faleceram. Será que
possuímos o firme pensamento de que nossos antepassados
continuam vivos? Como eles já não estão mais nesta dimensão, onde

171
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

possuíam um corpo físico, será que não estaríamos considerando


que eles estão mortos? No entanto, a consciência deles não estaria
evoluindo continuamente, como elemento altamente concentrado,
sem se extinguir, e bem junto a nós?

A consciência e o código genético dos antepassados estão


unidos dentro de nós e, embora estejam permitindo a nossa
existência, por não conseguirmos ver a sua figura em forma de corpo
físico, não pensamos neles como vivos, e o nosso coração tende a
tê-los como mortos. Será que, diante de uma pessoa prestes a
encerrar sua missão neste mundo material, não estaríamos vendo
esse fato como o fim de sua vida?

No pensamento das pessoas em geral, o funeral, a celebração


de finados, cultos de aniversário de falecimento, além de outras
formas de sufrágio, são realizados para os mortos. Será que
deveríamos deixar o nosso Sōnen sofrer a influência desta maneira
de raciocinar? Meishu-Sama nos ensinou que a vida do ser humano é
eterna. Ele escreveu os seguintes poemas:

“O homem que tem consciência da eternidade da vida é um


verdadeiro homem” e “Salvar todos os seres vivos é ensinar o
caminho da vida eterna”.

Através destes poemas, não estaria Ele querendo nos mostrar


como é importante saber que a vida do ser humano é eterna, e que
somos salvos quando temos a consciência de que a vida evolui
eternamente? Mesmo assim, vim persistindo na minha costumeira
maneira de pensar, mantendo fixamente a imagem sobre a morte que
possuía até hoje. Vivi até o presente sem ter noção de que deixei os
meus antepassados presos no estado de morte, uma vez que eu
também fui levado pelo redemoinho do mundo do sōnen de toda a
humanidade, cujos antepassados morreram sem ter tido
conhecimento da vida eterna.

172
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O Supremo Deus é a própria vida. E, se Ele permite que todas


as criaturas a que deu vida, em todas as dimensões, mantenham a
vida, se eu fui contra este principio da criação, e considerei os
falecidos como existências que não estão mais vivas, é certo que
cometi uma grande insolência contra o Supremo Deus. Mesmo com
relação aos meus antepassados, pelo fato de eu ter conduzido o meu
sentimento desta maneira, acabei por fechar o caminho da salvação
deles, o que é algo do que não tenho como me desculpar. Encarando
meus antepassados como mortos, não terei o que argumentar
quando o Supremo Deus olhar para mim, que sou a soma de
milhares deles, e me disser: “Você parece um morto vivo”. O que
precisamos fazer, então?

Para que nós e nossos antepassados nos tornemos


existências vivas, precisamos acreditar no Deus Supremo, que vive
eternamente, e criar um Sōnen para nos relacionarmos com esses
assuntos. Com a geração desse tipo de Sōnen, a nossa
autoconsciência, que herdamos de nossos antepassados, se
interligará com a consciência original do Supremo Deus, e, fundindo-
se com esta última, provocará uma mudança estrutural molecular até
mesmo na dimensão denominada “mundo espiritual”, nos tornando
capazes de crescer dentro do eterno plano de evolução. Para
corresponder a esta bênção, precisamos dedicar para que o maior
número de antepassados possa ser envolvido pelo sentimento de
Meishu-Sama, que vive intensamente até hoje, aprofundando nosso
relacionamento com Ele.

Precisamos corrigir constantemente o nosso sentimento, e ter


o firme Sōnen de que “os meus antepassados não estão mortos, eles
estão vivos dentro de mim com toda intensidade”, ou, ainda, que,
“muitos dos meus antepassados se encontram em estado de
consciência adormecida, neste momento. Por isso, quero que eles
sejam despertados pela Grande Luz do Deus Supremo, para
poderem crescer e se tornarem uma existência ativa, junto comigo”.

173
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

É necessário descobrir Meishu-Sama dentro de nós, e, criar o


hábito de entregar as manifestações de nossos antepassados para
Ele, pedindo que una nossos antepassados a nós como existências
vivas. Ou seja, nós, que vivemos juntos com nossos antepassados,
precisamos evoluir ao ponto de preencher o nosso interior com o
alimento da vida.

Então, por que é possível, para nós, sermos utilizados nesta


Obra? Não seria porque, antes de nós nascermos e os nossos
antepassados terem nascido com um corpo físico neste mundo, já
não teríamos sido preparados no mundo divino, onde Meishu-Sama
se encontra, para fazermos parte desta Obra de salvação e
ressurreição? Não seria, também, porque nós teríamos recebido,
juntamente com Meishu-Sama, o sopro da vida do Supremo Deus?
Enquanto estamos neste mundo, nós acabamos nos esquecendo da
preciosa respiração da vida, que nos mantêm vivos.

Meishu-Sama ainda permanece vivo. Vamos, nós também, nos


tornar pessoas com vida ativa. Vamos relembrar, agora, que um dia já
vivemos junto com Meishu-Sama, vamos voltar a esse mundo, ou
seja, ao ponto inicial da Criação, e praticar uma respiração viva que
seja capaz de nos ressuscitar.

Chegou uma nova manhã. Vamos despertar, através do brilho


da grande Luz Divina, deste longo período em que estivemos
adormecidos. Há 75 anos, em 15 de junho de 1931, Meishu-Sama
recebeu, no monte Nokoguiri, a revelação da Transição da Era da
Noite para a Era do Dia. Vamos, neste momento, com o forte desejo
de relembrar essa revelação divina, respirar o ar renovado desta nova
manhã. Vamos nos aperfeiçoar para que, em colaboração mútua,
antepassados e nós, possamos manifestar a Obra que permite a
ressurreição e a revitalização do mundo.

Por fim, estarei orando para que todos possam desenvolver


suas dedicações nesta nova fase, com alegria e ajuda mútua, a partir
do Culto aos Antepassados de hoje, e para que, através dos

174
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

senhores, as bênçãos e a ilimitada Luz da salvação do Supremo


Deus possam chegar a toda a humanidade e a todas as criaturas.

Encerro minhas palavras louvando a Deus, em nome de


Meishu-Sama, e expressando a Eles a minha gratidão.

175
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

25 - ENCONTRO COM CARAVANISTAS (OUTUBRO DE 2006)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Encontro com Caravanistas
Palácio de Cristal - Atami
1º de outubro de 2006

Senhores caravanistas, felicitações pelo Culto de Outono.


Sejam bem-vindos ao Japão e ao Solo Sagrado.

Estou muito feliz por ter a oportunidade de me encontrar com


os senhores aqui, hoje. Gostaria de agradecer, do fundo do coração,
pela dedicação de todos em prol da Obra Divina, principalmente
através da “Prática do Sōnen”, onde quer que estejam. Sinto-me
fortalecido e confiante, por todos os senhores estarem dirigindo este
grandioso sentimento de gratidão a Meishu-Sama junto comigo,
ultrapassando as barreiras de tempo e espaço.

Eu acredito que a “Prática do Sōnen” é uma prática


extremamente grata para o nosso crescimento, como filhos do
Supremo Deus. Quando percebemos um ponto falho em nosso
sentimento, angústia ou sofrimento em nossos corações, ou então,
quando nos deparamos com uma situação difícil, devemos
compreender que Deus está buscando concretizar Seu amor, nos
ensinando que estes sofrimentos são aprendizados necessários na
nossa vida. Sendo assim, nós entregamos estes sofrimentos
buscando sua solução, mas eu percebi outro ponto muito importante.

Todos nós, seres humanos, possuímos infalivelmente um lado


positivo e um lado negativo. Assim, acabamos sofrendo por causa
disso, mas por outro lado, no fundo dos nossos corações, não
estaríamos pensando como seria enorme a felicidade, se
conseguíssemos resolver esse problema? Será que Deus não estará
ansioso, à espera deste sentimento de alegria?

176
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Estamos crescendo como filhos do Supremo Deus. Por isso,


nosso maior dever, como filhos, não seria concretizar o Seu desejo e
sermos utilizados para alegrá-Lo? Nós fomos criados para poder
sentir a alegria do Supremo Deus dentro de nossos corações, através
dos sentimentos de alegria, felicidade, gratidão e demais emoções
que brotam dentro de nós. Por isso, mesmo não conseguindo sentir
completamente todas estas emo¬ções, se pudermos apenas
perceber a alegria e gratidão que brotam escondidas no fundo dos
nossos corações, devemos ter coragem e entregar estes sentimentos
para o Supremo Deus, que se encontra junto a Meishu-Sama.

Não devemos considerar a alegria e a gratidão que brotam


dentro de nós como nossos sentimentos. Como eles são, na verdade,
sentimentos do Supremo Deus, que está vivo dentro de cada um de
nós, devemos alegrá-Lo, em primeiro lugar. Por isso, precisamos
oferecer as alegrias e a gratidão que sentimos para o nosso Messias,
Meishu-Sama, que se encontra junto ao Supremo Deus, e pedir para
sermos cada vez mais utilizados por Ele, como se isto fosse um
presente que nosso Mestre está nos entregando.

Os senhores estão agora no Protótipo do Paraíso Terrestre,


que, segundo Meishu-Sama, reflete na Terra o Paraíso existente no
mundo divino. A origem deste protótipo é o paraíso que existe dentro
de cada um de nós.

Todos nós nascemos neste mundo material para sermos


utilizados na Obra de construção do Paraíso, que é o mundo da
origem da criação. Como os senhores estão no Solo Sagrado, que é
o protótipo deste Paraíso, gostaria que todos aproveitassem ao
máximo para poder relembrar que o Paraíso existente dentro dos
senhores é o local da nossa própria origem.

Experimentem a alegria de respirar o ar que é expirado pelo


Supremo Deus, dirigindo seus sentimentos para o Paraíso que existe
dentro de vocês e para Meishu-Sama, que vive dentro desse Paraíso.
Também gostaria que os senhores continuassem com essa

177
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

sensação, mesmo depois de voltarem para os seus países, e que


passassem a respirar vivamente. Vamos dividir essa respiração com
os inúmeros antepassados que vivem dentro de cada um de nós, com
toda a humanidade e com todos os seres vivos.

Encerro minhas palavras orando, do fundo do coração, para


que todos os senhores consigam dividir esta respiração com toda a
humanidade.

Muito obrigado a todos.

178
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

26 - CULTO DE NATALÍCIO DE MEISHU-SAMA (DEZEMBRO DE


2006)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Natalício de Meishu-Sama
Templo Messiânico de Atami
22 de dezembro de 2006

Felicitações a todos pelo Culto do Natalício de Meishu-Sama.

O Supremo e Único Deus, que vive por toda a eternidade,


outorgou uma partícula de seu espírito a Meishu-Sama, e o fez
nascer sobre esta Terra para se apresentar na forma viva, como seu
próprio filho, o que merece o nosso mais profundo respeito.

Obedecendo ao propósito de criação do Supremo Deus,


Meishu-Sama renasceu como o nosso Salvador, e a ele foi atribuída a
personalidade Divina de Deus Supremo, para desenvolver
harmonicamente, junto com Ele, o Plano Divino – a Obra de Criação
que ultrapassa as barreiras do tempo e do espaço, trazendo-o do
mundo invisível para o mundo visível, ou seja, do mundo de alta
densidade para o mundo baixa densidade.

Nós, que desde os primórdios, fomos preparados juntos com


Meishu-Sama no Paraíso, o mundo do início da criação, devemos ter
Meishu-Sama como modelo para que possamos renascer como
verdadeiros filhos que alegram ao Supremo Deus, nos empenhando
em evoluir e crescer constantemente.

Como uma destas pessoas, eu gostaria de, juntamente com


todos os senhores, agradecer a Meishu-Sama, que continua vivo, a
permissão que recebemos de poder estar neste Culto do Natalício
orando e louvando a Obra do Supremo Deus.

Estou profundamente agradecido pela dedicação sincera de


todos os senhores na construção do Solo Sagrado de Kyoto, e pelo

179
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

esforço em expandir as Três Colunas da Salvação não só dentro do


país, como também no exterior, buscando diariamente dedicar na
Obra Divina desenvolvida por Meishu-Sama.

Também estou muito feliz pelo fato de todos os senhores,


ministros e membros, sob a liderança do Presidente Watanabe,
estarem se empenhando em fazer a Prática do Sōnen, de uma forma
perfeitamente consubstanciada na lei O Espírito Precede A Matéria, e
de uma maneira dinâmica, não só no Japão como também em outros
países.

Eu também fico muito emocionado ao ler os inúmeros relatos


sobre a mudança de sentimento que os senhores estão tendo através
da Prática do Sōnen, e que através disso, estão cultivando uma “fé
verdadeiramente centralizada em Deus”, que é muito importante para
todos os seres humanos.

E é por isso que hoje podemos perceber no mundo dos


fenômenos visíveis, que é o mundo dos fenômenos do nosso corpo
físico, dos fenômenos da Natureza e dos fenômenos sociais, muitas
mudanças concretas, que são fatos chamados por nós, simples
humanos, como graças e milagres.

Porém, quando formos falar sobre esses acontecimentos, ao


invés de nos orgulhar de sua própria fé, vamos procurar descobrir
quão grandiosa é a força do Supremo Deus, a qual Meishu-Sama se
referiu como a “Força Absoluta”, e pouco a pouco, aprofundar ainda
mais a nossa compreensão e reconhecimento de que é daí que parte
todo o trabalho desenvolvido por Meishu-Sama, como o Salvador.

Uma outra coisa são as “palavras” que usamos


corriqueiramente, mas que, pensando bem, surgem do nosso sōnen
do momento.
Nós escutamos “palavras”, falamos “palavras”, e, lemos e
escrevemos “letras”, mas manifestamos nossos pensamentos através
das palavras que usamos coloquialmente.

180
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama escreveu em seus ensinamentos que tanto o


“KOTODAMA” (NT.: espírito das palavras) como as letras foram
criados por Deus. E também nos deixou uma caligrafia com os
dizeres: “O Espírito das palavras é Deus”.

Eu sinto que o ser humano tem utilizado as palavras, que


foram criadas por Deus, de forma leviana, como se elas fossem
propriedade dele, utilizando-as de acordo com sua própria
conveniência.

Assim, nós acabamos por macular algo criado por Deus e, por
conseguinte, maculando a nós mesmos.

Por isso acredito que devemos pedir perdão a Meishu-Sama, e


nos esforçar para usar as palavras criadas por Deus, não de uma
maneira banal, mas sim, utilizá-las como palavras que possuem a
força viva contida nelas.

Mesmo durante a Prática do Sōnen, não devemos dar


prioridade para o nosso pensamento. Devemos praticar, orando a
Meishu-Sama para que consigamos organizar nosso pensamento e
utilizarmos palavras que sejam coerentes à Sua Vontade.

Estamos comemorando hoje, no Culto do Natalício, o dia do


nascimento de Meishu-Sama nesta Terra.

A propósito, nós também nascemos aqui na Terra. Então, de


que forma será que Deus está nos vendo?

Geralmente, nós vivemos ocupados com o trabalho e os


afazeres do dia-a-dia, e por isso achamos que não temos nenhuma
ligação especial com a Obra da Criação de Deus. Porém, na verdade
será que cada um de nós, sem nenhuma exceção, não está vivendo
porque tem que servir em algum lugar, já preparado por Ele, dentro
da Obra Divina?

181
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Por isso, nós não devemos achar que estamos apenas vivendo
e se desenvolvendo como um simples ser humano. Devemos pensar
que nascemos neste mundo porque somos necessários a Deus.

Humanamente falando, podemos até achar que não somos tão


importantes assim, mas tomando como base a Obra da Criação, eu
acredito que Deus esta fazendo com que cada um de nós renasça
como seu verdadeiro filho.

E é por isso que se Deus não tivesse o propósito de nos dar a


chance de nascer novamente, ou seja, de nos consolidar como seus
filhos, não haveria a necessidade dele nos outorgar a vida neste
mundo.

O Supremo Deus, Criador de todas as coisas, preparou


primeiro o Mundo Divino, onde preparou os elementos básicos de
todas as existências. Durante os vários processos de evolução, Ele
criou o sangue e a carne e por fim, nos colocou nesse mundo como
seres humanos.

Dessa forma, nos tornamos seres humanos formados por


todos os elementos criados por Deus, e possuidores de uma
consciência herdada de várias gerações de antepassados.

O fato de termos recebido do Deus Supremo uma alma, uma


vida e a consciência sobre nossa origem, além da capacidade de
ganhar nossa própria consciência, me faz pensar que Ele quer que
reconheçamos que não somos Deus, mas sim, existências que
tiveram a permissão de nascer como Seus filhos, e é nesse sentido
que precisamos nos esforçar.

Entretanto, apesar do Deus Supremo ter nos outorgado tudo


que é dele, como se dissesse: “tudo isso é para você!”, lembramos
apenas dos nossos pais materiais, mas dificilmente pensamos em
Deus Supremo da Criação como nosso pai.

182
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Será que não fazemos isso porque nossa compreensão sobre


a Obra de Criação é obscura, ou ainda, porque estamos presos
apenas nos problemas que existem à nossa frente?

Se abraçarmos essa Obra da Criação e trabalharmos em prol


dela, mesmo que agora sejamos filhos de homens, conseguiremos
nos tornar filhos de Deus, existindo eternamente sem perder nossa
consciência. Eu acredito que essa é a vontade do Supremo Deus.

E, se por acaso, conseguirmos conquistar essa vida eterna,


será que Deus não nos chamaria como pessoas dignas de ser seus
filhos?

Porém, mesmo sabendo da existência do Mundo Espiritual, se


ficarmos presos aos costumes de achar que a vida acaba junto com a
morte do corpo carnal e assim, ficarmos nos preocupando se vamos
ou não vamos ser alguém importante na vida terrena, significa que
nosso objetivo não passa de querermos apenas crescer como um
simples ser humano, ou seja, como filhos de homem.

Mas na verdade, o Paraíso que existe dentro de nós é um


mundo eterno, ilimitado e de alta densidade. Por isso, nós que
devemos nos unir a este mundo de alta densidade e nascer
novamente, temos que nos voltar para o Paraíso que é a nossa
verdadeira essência, receber o reflexo desse mundo e nos evoluir ao
ponto de nos tornarmos seres de maior densidade.

Será que fé não significa nos unir a Meishu-Sama - que foi o


modelo de ter renascido como o Messias e crescermos
continuamente como recipientes para distribuir a todos os
maravilhosos frutos do Paraíso, nos esforçando para obter uma
consciência maior densidade? E acho que Meishu-Sama nos legou a
Obra do Johrei com este objetivo.

A consciência de maior densidade é a representação da


consciência que é refletida do Paraíso de onde a Luz é emana. Por

183
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

isso, para Deus ela se apresenta como alegria. A consciência de


baixa densidade é a representação da consciência centralizada na
natureza humana. Por isso, para Deus ela se apresenta como
tristeza.

Por isso precisamos tomar cuidado para não nos


esquecermos, em momento algum, de sempre voltar nosso
pensamento para o Paraíso que é a nossa verdadeira essência e o
local onde Meishu-Sama se encontra.

Além disso, Meishu-Sama nos ensinou o quanto nós, seres


humanos, somos ignorantes, o quanto viemos menosprezando a
existência de Deus e até O traindo. Ao mesmo tempo, Meishu-Sama
nos ensinou que Deus, acima de tudo, é a nossa própria vida, que Ele
escuta silenciosamente nossos murmúrios que nascem dentro do
coração, nos faz crescer, reconhecer e compreender, por pouco que
seja, que Ele tem uma relação muito íntima conosco.

Nesse sentido, é necessário que busquemos possuir sempre


uma fé autêntica baseada na humildade.

Gostaria que todos conseguissem adquirir a fé que Meishu-


Sama explicou no ensinamento: “É preciso que procedamos sempre
de acordo com o senso comum, a ponto de tornar a Fé imperceptível
aos outros.”.

Estamos sempre falando: “Eu quero ser útil a Deus”, “Eu quero
ser utilizado como instrumento de Deus” ou ainda “Eu quero servir na
Obra Divina”. Mas como devemos estar para sermos facilmente
utilizados por Deus? Que tipo de Sōnen precisamos ter para nos
tornarmos um instrumento, um objeto ou um recipiente adequado
para Meishu-Sama poder atuar?

O ponto de partida é que cada um de nós foi preparado no


Paraíso juntamente com Meishu-Sama, como uma “parte de Deus”, e

184
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

depois colocado nesta Terra, já com o Paraíso dentro de si, no tempo


e no espaço, pronto para servir a Deus.

Por isso, em primeiro lugar, nós precisamos aceitar essa


Vontade do Criador, e desejar servir com um Sōnen totalmente
sintonizado nessa vontade.

Não seria para isso que estamos nos esforçando em voltarmos


para Meishu-Sama e centralizarmos nele?

Porém, acho muito difícil de sermos úteis se, ao invés de


Meishu-Sama, assentarmos o nosso ego no centro de nossas
cabeças.

Eu sinto que a nossa consciência limitada, pouco a pouco está


nos aprisionando, nos amarrando a um emaranhado de sentimentos
mundanos sem percebermos.

Se for assim, dentro de tudo aquilo que Deus criou, na verdade


não há nada que nos pertença e, portanto precisamos encaminhar a
Meishu-Sama e devolver a Deus a alma que utilizamos como se
fosse nossa, junto com a consciência, e construir tudo, novamente.

Se fizermos assim, nosso sentimento será libertado e estará


mais livre e mais obediente, tornando-se assim mais fácil de sermos
utilizados por Deus.

A propósito, a palavra “fé” que utilizamos muito, é uma questão


do nosso próprio Sōnen, e este Sōnen é a manifestação de nossa
consciência.

E como eu falei há pouco, a nossa consciência foi criada após


passar pela evolução do corpo carnal que é formado por todos os
elementos da natureza, e por isso, dentro de nós estão contidas
todas as informações genéticas de nossos pais e antepassados.

185
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Dentro destas informações genéticas está contida toda a


história da humanidade, portanto não podemos evitar que à nossa
volta, surjam inúmeras situações difíceis. O que eu acho importante é
saber com que sentimento devemos enfrentar essas situações
difíceis.

Enquanto nós, seres humanos, continuarmos rezando


desesperadamente, buscando a nossa própria salvação ou aquilo que
é somente da nossa própria conveniência, que na verdade é fruto de
um sentimento pequeno e restrito, fica difícil sermos utilizados por
Deus, que possui um sentimento grandioso e amplo.

Para receber as pessoas no Paraíso, Deus precisa de cada um


de nós, e por isso nos uniu a Meishu-Sama. Portanto é necessário
que tenhamos vontade de servir em prol do sentimento dele.

Quando nos deparamos com situações difíceis, quando


sentimos sofrimentos e angustias, ou quando percebemos nossas
falhas, é porque Deus está direcionando Sua Luz para aqueles
problemas que nós, a humanidade, carregamos em nossas costas. E
Deus, envolto por grande harmonia, está desejando concretizar a Sua
vontade através de uma forma completamente nova.

Assim, acho que o que precisamos fazer é falar para si mesmo,


como se estivéssemos falando para nossos antepassados que
constituem nosso código genético, dessa forma: “Muito obrigado pelo
seu longo período de espera. Eu vou encaminhá-los para que,
juntamente comigo, todos nós possamos ser perdoados, purificados,
salvos e ressuscitados”. E voltando-se ao Supremo Deus que está
junto a Meishu-Sama, vamos juntamente com a respiração, nos
entregar como se estivéssemos nos entregando de corpo e alma
dizendo: “Neste momento, junto aos antepassados que estão unidos
a mim, e a maioria da humanidade, estamos de volta aqui perante o
Senhor. Por favor, nos receba no Paraíso, nos utilize para concretizar
a Sua Vontade”.

186
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Além disso, fui levado a perceber mais um ponto muito


importante.

Nós seres humanos, sem exceção, temos duas facetas: o Bem


e o Mal.

No mundo acontecem coisas boas e também coisas ruins. Da


mesma forma, dentro do meu sentimento também existem coisas
boas e coisas ruins.

No salmo de Meishu-Sama: “Este mundo material, onde se


digladiam duas grandes forças, também faz parte da Obra de Deus”,
acredito que ele estava querendo falar a este respeito.

Entretanto, Meishu-Sama está nos ensinando que Deus


Supremo, através da Força Absoluta está dando seqüência à
transição onde libertará a humanidade do confronto das forças do
Bem e do Mal que acontece nesse mundo, e unirá essas forças de
forma harmônica, transformando este mundo em um mundo
completamente novo, e o sentimento das pessoas em um sentimento
completamente novo.

E para a concretização desta Obra, acredito que Deus


Supremo nos uniu a Meishu-Sama e está nos utilizando.

E como Meishu-Sama escreveu em seu salmo: “Mesmo não


sendo perceptível aos olhos humanos o Plano de Deus já se
concretiza no mundo espiritual”, o Plano Divino já está sendo
concretizado no Mundo Espiritual, ou seja, no Paraíso, mesmo que os
seres humanos não o vejam.

Como todos nós temos esse Paraíso dentro de cada um,


mesmo que agora estejamos enfrentando dificuldades, será que não
conseguiríamos raciocinar da seguinte forma: “Quando este problema
se resolver, sentirei muito mais alegria”?

187
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Além disso, como esse raciocínio fica escondido por detrás do


sofrimento que nos aflige no momento, certamente fica muito difícil de
achá-lo. Mas será que não é possível reconhecer que ele realmente
existe dentro de nossos corações?

E tenho certeza que Deus esteja desejando nos ver alegres.

No entanto, como todos nós estamos sendo formados para ser


filhos de Deus, eu acredito que nossa maior missão é servir com o
intuito de alegrar a Deus e concretizar a Sua Vontade.

Como Deus quer que sintamos a Sua alegria, Ele faz brotar em
nossos corações, a alegria, a felicidade, a gratidão e a emoção.
Perceber isso é a nossa verdadeira alegria.

Portanto, mesmo que ainda não tenha sentido brotar a


emoção, pode ter certeza de que a alegria e a gratidão estão bem ali,
por detrás daquilo que sentimos. Por isso, é importante acreditarmos
nisso, e tomarmos a coragem de encaminhar estes sentimentos de
alegria e gratidão ao Supremo Deus que está junto de Meishu-Sama,
como se os já tivéssemos sentido.

Por outro lado, quando sentimos alegria e gratidão,


costumamos tomar isso como nossa, e somente nossa alegria, e
mesmo se falando em gratidão, limitamos a tratá-la simplesmente
como nossa gratidão, caindo no falso orgulho e na superestima de si
mesmo.

Para não cairmos nesta armadilha, quando realmente


sentirmos esses sentimentos brotarem em nossos corações,
devemos primeiro deixar Deus sentir alegria por isso, e de forma
respeitosa e humilde, reconhecer que esses sentimentos não são
nossos, mas sim são sentimentos que Deus, que vive dentro de cada
um de nós, nos permitiu experimentá-los e, portanto, devemos louvá-
los como a concretização da Glória de Deus, agradecendo do fundo
do coração pelas bênçãos recebidas.

188
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Por isso, acredito que encaminhar a alegria e a gratidão que


estamos tendo a permissão de sentir, ao Supremo Deus que está
junto a Meishu-Sama, o nosso Salvador, e pedir para que sejamos
utilizados cada vez mais e continue nos agraciando com Suas
bênçãos, seja a mais importante forma de respeito a Deus.

O Solo Sagrado de Atami, onde os senhores estão reunidos


agora, participando do Culto do Natalício de Meishu-Sama, é o
Protótipo do Paraíso Terrestre onde Meishu-Sama disse que iria
projetar neste mundo material o Paraíso do Mundo Divino. Mas a
origem desse protótipo está dentro de cada um dos senhores, está na
origem do Sōnen de cada um dos senhores.

Todos os senhores nasceram neste mundo para servir a Obra


de projeção do Paraíso, que é mundo do início da criação, neste
plano terrestre, que é o mundo do final da criação.

Uma vez que hoje, os senhores vieram até este Solo Sagrado,
que é o protótipo visível do Paraíso invisível, gostaria que cada um
sentisse através do seu corpo, este Solo Sagrado e relembrasse o
Paraíso que é o início do seu EU.

Voltando seus sentimentos para o Paraíso que há dentro de


cada um, e juntamente com Meishu-Sama que continua vivo nesse
Paraíso, gostaria que experimentassem a alegria de herdar o sopro
da vida vinda do Supremo Deus, que é tão importante para os
senhores. Gostaria também que todos tivessem a esperança de
poder sentir, por pouco que seja, a essência do sentido da criação.
E mesmo quando não estiverem no Solo Sagrado, desejo que
mantenham a vontade de sentir esta sensação, e que mantenham
uma respiração viva.

Também gostaria que os senhores dividissem esta respiração


viva com seus inúmeros antepassados que estão vivos dentro de
cada um, com toda a humanidade e com todas as coisas do mundo.

189
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Eu também desejo respirar juntamente com todos os senhores,


aprofundar nossos conhecimentos e servir nesta nova Obra Divina.

Por fim, estarei orando para que todos possam entrar em um


novo ano repleto de graças, alegrias e esperanças sob a orientação
divina. Gostaria também de, junto com os senhores, louvar a Deus e
ao nome de Meishu-Sama, o nosso Salvador, ofertando nossa
gratidão do fundo do coração.

Muita prosperidade! Muito obrigado!

190
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

27 - CULTO DE ANO NOVO E FUNDAÇÃO DA IGREJA (JANEIRO


DE 2007)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto Ano Novo e Fundação da Igreja
Templo Messiânico de Atami
1º de janeiro de 2007

É com profundo respeito que, em minha pequena percepção,


lhes digo que o Supremo Deus, que vive por toda a eternidade,
outorgou Sua divindade juntamente com Seu espírito a Meishu-Sama
que vem em um só corpo com Deus, transcendendo as barreiras do
tempo e do espaço, desenvolvendo harmoniosamente a Obra Divina
de criação, do mundo invisível para o visível.

E, como um integrante desta obra de crescimento e evolução


infinita que tem Meishu-Sama, que renasceu como o Messias – o
nosso salvador - como um modelo que existe dentro de nós,
agradeço do fundo do meu coração por poder estar começando mais
um ano maravilhoso juntamente com todos os senhores.

Feliz Ano Novo a todos.

Gostaria de transmitir a todos os senhores de forma geral os


pontos de vistas da Comitiva do Projeto Conjunto de Unificação da
Igreja Mãe, baseado em um material de estudos elaborado no
começo deste ano.

Relembrando o ano que se passou, realmente foi um passo de


cada vez, mas foi um ano onde podemos dizer que a unificação da
igreja caminhou a passos firmes.

A Comitiva do Projeto Conjunto de Unificação da Igreja Mãe,


um pouco antes da escolha da nova diretoria em abril do ano
passado, começou suas atividades renovando o seu sentimento de
realizar a verdadeira unificação da Igreja, ou seja, determinou de

191
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

forma clara a sua intenção de realizar uma unificação baseada na lei


do espírito precede a matéria.

Como parte deste empenho, os representantes de cada uma


das três organizações fizeram um encontro onde conversaram
alegremente, cheios de esperança sobre suas idéias e decisões
futuras, baseados na diretriz.

A respeito de cada um dos projetos, vem sendo feito um


empenho sério para cumprirem sua missão e foi elaborado um
material de estudo único para todos os grupos baseado nos
ensinamentos e nas realizações de Meishu-Sama sobre cada área.

E para ampliar e desenvolver a confiança adquirida através


destas atividades em conjunto, estão sendo realizadas
confraternizações entre os diretores de cada grupo, e também entre
os representantes dos integrantes de cada região.

Através destas confraternizações, conversando e refletindo a


respeito do caminho que cada um tomou até hoje, estamos
adquirindo uma maior compreensão sobre a situação atual de cada
uma das partes, apesar das diferenças criadas por esta separação de
mais de 20 anos. Cada um conseguiu falar abertamente sobre suas
intenções daqui para frente e sobre como unir as forças para realizar
a verdadeira unificação.

Por outro lado, os diretores de cada uma das organizações,


vem discutindo seriamente a respeito de como aceitar a vontade
divina da purificação dentro da Obra Divina e como terão a permissão
de realizar atividades que estejam de acordo com o sentimento de
Meishu-Sama.

Como resultado destes esforços, conseguimos relatar por


escrito o nosso compromisso a Meishu-Sama que desenvolve
plenamente a Obra Divina os pontos que devemos perceber e
melhorar.

192
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Quero agradecer do fundo do coração a Meishu-Sama por


estarmos caminhando rumo ao “retorno a Obra Divina” de Meishu-
Sama.

Ao mesmo tempo, estou orando para que Meishu-Sama nos


permita realizar o compromisso feito por cada uma das organizações
com relação aos pontos a perceber e melhorar.

A propósito, olhando a sociedade, o ano passado foi um ano de


muitas tragédias e tristes incidentes onde tivemos, dentro e fora do
país, grandes desastres naturais, a deterioração da família, a ruína da
educação, podemos até dizer, a ruína do próprio sistema social.

Realmente, parece até mesmo ser a chegada da época de


grande purificação anunciada por Meishu-Sama.

E neste grande período de transição do mundo, o Supremo


Deus atribuiu a Meishu-Sama inteligência e força divina para grande
responsabilidade de realizar a salvação, ou seja, a grande missão de
salvação da humanidade e construção do Paraíso Terrestre.

Assim, Meishu-Sama, que carrega com sigo esta grande


responsabilidade, atraiu pra si pessoas possuem afinidade, criou a
Igreja Messiânica e através de dela vem desenvolvendo a Obra
Divina ainda hoje do Mundo Divino.

Atualmente, quanto mais adentramos na época de grande


purificação, e quanto mais é permitida a reconciliação da nossa
organização, que passou por uma purificação sem precedentes, mais
o ser humano e principalmente os membros precisam estar sempre
buscando qual deve ser a sua verdadeira postura.

Quando pensamos sobre o que seria a verdadeira unificação,


podemos dizer em poucas palavras que isso é o “retorno a Meishu-
Sama”.

193
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

De agora em diante, quanto mais adentrarmos uma época


difícil, isto se tornara cada vez mais importante.

Em uma situação com esta, o auxilio que buscamos no


Messias Meishu-Sama, são seus ensinamentos e suas realizações.

Ou seja, os ensinamentos e realizações de Meishu-Sama são


a própria obra do Supremo Deus, a mensagem para toda
humanidade nesta grande fase de transição e a orientação para uma
nova fase.

Meishu-Sama nos orienta a respeito significado de buscar os


ensinamentos da seguinte forma: “Quanto mais a fé se aprofunda
mais vontade temos de devorar os ensinamentos”, “Quanto mais
lemos, compreendemos a Vontade Divina mais claramente”, por tanto
gostaria que todos buscassem os ensinamentos, lendo e relendo,
para que através deste aprendizado, colocando Meishu-Sama no
nosso centro.

Atualmente, cada Comissão Conjunta esta discutindo uma


maneira de resumir os ensinamentos em vários temas, e a ordem dos
ensinamentos esta ficando cada vez mais clara. Não existe algo mais
gratificante do que isso.

Gostaria que todos aprofundassem seus estudos e


praticassem os ensinamentos para poderem trocar experiências uns
com os outros.

Sendo assim, os ensinamentos de Meishu-Sama ficaram mais


claros e com o estudo e a prática dos ensinamentos a Luz começara
a se expandir para o mundo fazendo com que muitas pessoas sejam
salvas.

E ao mesmo tempo, eu acredito que através disso estaremos


concretizando a unificação concedida por Meishu-Sama, ou seja, as
práticas que objetivam a verdadeira unificação ficarão mais rápidas.

194
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Este ano completamos três anos que foi proclamada nossa


diretriz, e que prometemos a Meishu-Sama, aos membros e a
sociedade que iríamos realizar a unificação da Igreja, sendo assim
um ano muito importante onde procuraremos desenvolver seriamente
nossas práticas.

Viemos repetindo isto até hoje, mas este ano devemos nos
religar a Meishu-Sama, e com o esforço para descobrirmos a nossa
própria origem evoluir mutuamente para que através nossa união,
possamos caminhar durante este ano rumo a grande transição e
recebermos a permissão de realizar uma “verdadeira unificação” que
seja inabalável.

O caminho que iremos seguir daqui para frente será rigoroso,


mas devemos enfrentá-lo com coragem.

Acreditando que o mundo radiante de grande luz esta a nossa


espera.

Estes são os pontos de vista da Comitiva do Projeto Conjunto


de Unificação da Igreja Mãe. Estou grato de todo coração pelo
esforço dos representantes de cada comissão, de cada uma das três
organizações, dos integrantes e membros em prol da criação de uma
organização única.

E, orei a Deus relatando estes pontos de vista a Meishu-Sama,


para que Ele continue nos guiando através de suas graças e para que
sejamos utilizados por Ele para concretizar a Sua vontade por
intermédio de Meishu-Sama.

Eu acredito que a base para objetivarmos uma organização


única é o nosso sōnen.

Nós pensamos em vários métodos de criar uma organização


única no futuro.

195
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Achamos que eles são bons métodos, mas dependendo da


situação nos machucamos e perdemos a paciência, ou, ficamos
duvidosos e impacientes. Temos que gravar em nossos corações que
este sōnen confuso pode se estender-se a nossa volta, atingindo as
pessoas a nossa volta e podendo até influenciar assim toda a Igreja.

Na prática, hoje nós estamos divididos em três organizações,


porém, eu acredito que, não seria melhor tentar ver isto com uma
atividade única, e buscando este sentimento, cultivar esta
sensibilidade?
Eu acredito que cada uma das três organizações que existem
hoje são representações de Meishu-Sama.

Eu próprio oro a Meishu-Sama como elas estando sob Seus


cuidados, e não como organizações distintas.

Se analisarmos o ser humano, ele recebe influência dos seus


sentimentos, pensamentos e razões. Se exemplificarmos isso pela
ação da “Razão, Sentimento e Vontade”, a razão, ou seja, o intelecto
é representado pela ação psíquica, o sentimento, ou seja, a emoção
é representada pela ação dos sentimentos que ocorrem em nosso
coração, e a vontade, ou seja, o sōnen de querer algo é representado
pelo nosso pensamento. Estes não são distintos entre si e atuam em
nós unidos uns aos outros.

Eles nos influenciam suprindo um ao outro sem desequilíbrio,


para que cada um de nós possa se aperfeiçoar. Por isso devemos
nos esforçar em crescer e evoluir juntos em equilíbrio.

A Igreja Messiânica não purificou ao ponto de se dividir em três


organizações porque dentre o nosso sentimento, pensamento e
razão, ou seja, dentre a nossa “razão, sentimento e vontade”, não
teria surgido uma deformação gerado pelo desequilíbrio de nossas
práticas e porque o nosso sentimento não estava de acordo com o
sentimento de Meishu-Sama?

196
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Eu acho que nós ainda não percebemos o nosso desequilíbrio,


ou mesmo que tenhamos percebido, o deixamos do jeito que esta.

Venho sentindo como o meu próprio sentimento e restrito,


como dependo da minha inteligência e como careço de afeição.

Além do mais, este desequilíbrio faz com que eu sinta orgulho


de mim mesmo, ou que eu me sinta superior a tudo, refletindo em
mim como eu venho menosprezando Deus.

Por isso, em vez de julgarmos o próximo, precisamos em


primeiro lugar, nos esforçar para que os defeitos que existem dentro
de nós e as práticas nas quais sentimos orgulho, sejam perdoadas e
sejamos salvos pelo Messias - Meishu-Sama, desejando também que
elas sejam revitalizadas harmoniosamente para que possamos
crescer cada vez mais.

Meishu-Sama ficara muito feliz se nos entregarmos desta


maneira, desejando ser utilizados por Ele.

Como toda a Igreja Messiânica é o reflexo do nosso coração, e


por objetivarmos uma “organização única”, devemos antes de mais
nada, harmonizar e revitalizar as atividades de cada uma das três
organizações.

E, será Meishu-Sama não permitiria um grande passo rumo a


“organização única” ao olhar dentro do coração dos membros de
cada organização e reconhecer que nele existe harmonia e
revitalização?

Dando continuidade aos outros anos, gostaria de falar o


sentimento que eu tenho em determinadas ocasiões durante as
cerimônias que estarei presente em cada organização.

Para concluir, estarei orando para que todos os senhores,


todos os seres humanos e seus antepassados, e também para que

197
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

todos os seres vivos possam ser banhados pela luz da salvação e ser
agraciados com os milagres do Supremo Deus, para que cada um
possa se voltar ao paraíso existente dentro de cada um, onde
Meishu-Sama se encontra, e para que todos possam sentir, por
pouco que seja, a essência da vontade da criação do Supremo Deus.
Louvando a isso do fundo do coração ao Supremo Deus, por
intermédio de Meishu-Sama, encerro minha saudação de Ano Novo.

198
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

28 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (FEVEREIRO DE 2007)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
Templo Messiânico de Atami
4 de fevereiro de 2007

Minhas sinceras congratulações pelo Culto de Início da


Primavera.

É com imenso e profundo respeito que, em minha pequena


percepção, lhes digo que o Supremo Deus, que vive por toda a
eternidade, outorgou uma partícula de seu espírito a Meishu-Sama,
para conceder-lhe Sua personalidade.

Obedecendo à vontade da criação do Supremo Deus, Meishu-


Sama renasceu como salvador (Messias), o verdadeiro filho que
herdou a Obra do Supremo Deus, e vem até hoje desenvolvendo
junto a Ele a Obra Divina da criação, transcendendo o passado,
presente e futuro, em plena harmonia. Ou seja, Meishu-Sama vem
desenvolvendo dentro de cada um de nós a Obra de transição do
Paraíso, que é o mundo de alta vibração, o mundo da essência, para
a Terra, que é o mundo de baixa vibração, o mundo dos fenômenos.

Nós, que fomos preparados originariamente junto com Meishu-


Sama no Paraíso, que é o local do início da criação, fomos colocados
neste mundo dos fenômenos, que é o local de conclusão da criação,
nesta época atual, para que possamos nos voltar para o Paraíso
existente dentro de nós, tendo Meishu-Sama como modelo. E, além
disso, somos utilizados ininterruptamente na Obra de crescimento e
evolução, para podermos renascer no mundo da consciência.

Como uma destas pessoas, gostaria de agradecer, juntamente


com todos os senhores, a Meishu-Sama, que continua vivo, por estar
participando deste culto, orando e louvando a expansão da Obra do
Supremo Deus.

199
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Fico muito grato em saber que os membros da Igreja Izunomê,


no Japão e em todo o mundo, liderados pelo Presidente Watanabe,
estão se empenhando na prática do sōnen, dentre as várias outras
atividades de salvação desenvolvidas por Meishu-Sama.

Juntamente com todos os senhores, eu também estou me


empenhando para compreender ainda mais a lei Espírito Precede a
Matéria, através da prática do sōnen, buscando cultivar um coração
que acredita plenamente na existência de Deus em todas as coisas.

Para isso precisamos nos tornar pessoas capazes de afirmar


que Meishu-Sama é o salvador em qualquer momento e
circunstância.

Atualmente, através da “prática do sōnen de gratidão” os


senhores estão, falando “Obrigado” não só para os seres humanos,
mas, também, para todos os seres que possuem vida, entregando,
assim, sua gratidão ao Supremo Deus da criação, que é o pai da
vida. E esta é uma postura muito importante.

Fazer, com a maior naturalidade, coisas que parecem naturais


é, na verdade, algo extremamente difícil de praticar.

Por isso, a demonstração de gratidão para todas as coisas é,


em outras palavras, o início e o ponto culminante, ou seja, a iniciação
e o estado de iluminação da nossa vida de fé.

Nós sentimos gratidão quando sentimos alegria por alguma


coisa.

Eu também me vejo sentindo alegria apenas quando algum


problema foi resolvido, quando aconteceu algo agradável ou favorável
para mim. E, com isso vejo que sinto alegria apenas em relação às
coisas que possuem um determinado valor humano.

200
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Entretanto, como coloquei no Culto do Natalício de Meishu-


Sama do ano passado, a nossa verdadeira alegria existe porque
Deus reflete em nós a Sua própria alegria, e porque ao sentir esta
alegria, brota em nós o sentimento de gratidão.

Então, o que seria a alegria de Deus?

Deus não se alegraria quando, através da Sua obra de criação,


gera filhos seus?

Não teria Deus preparado e criado todo o Universo, o fogo, a


água, a terra, o ar e todas as coisas da Natureza para fazer de nós
seus filhos?

O próprio corpo humano é constituído por todos esses


elementos e, sendo o homem considerado a expressão máxima de
toda a criação, a nossa autoconsciência não seria o extremo final de
toda a fase de evolução da criação?

Ao mesmo tempo, a nossa autoconsciência está ligada à


consciência original, que é o ponto de início da criação. E, como a
nossa autoconsciência está orientada para que cresçamos e
renasçamos como filhos de Deus, podemos dizer que estamos, neste
justo momento, no “ponto de retorno” da obra da criação.

E é exatamente por isso que nós, existências que carregam


consigo o extremo da criação deste mundo, devemos utilizar todas as
coisas e expressar gratidão a todas elas e retornarmos do extremo
final para o ponto de início de toda a criação. Deus não se sentiria
verdadeiramente alegre se entregássemos esta gratidão a Ele?

Contudo, é muito difícil, para nós, entregar a Deus um


sentimento de gratidão tão puro assim.

201
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Creio que a única pessoa que conseguiu entregar sua gratidão


a Deus de modo que Ele a aceitasse, e, também, pôde ter uma
estreita ligação com Ele, foi Meishu-Sama.

Como nós somos existências ligadas a Meishu-Sama,


podemos dizer que ele é a nossa cabeça e nós somos seus braços e
pernas.

Quando sentimos gratidão, podemos dizer que não somos nós


que oferecemos a gratidão a Deus, mas sim Meishu-Sama, que está
vivo dentro de cada um de nós, é quem oferece a gratidão a Deus.

Por isso, é necessário que cada um de nós reconheça


espontaneamente Meishu-Sama como sua própria cabeça.

Como o nome Meishu-Sama, ou seja, o espírito da palavra


contido neste nome possui força, creio que seja importante
entregarmos nossa gratidão a Deus dizendo: “Entrego minha gratidão
ao Supremo Deus em nome de Meishu-Sama, como Seu
instrumento, junto com meus antepassados e muitas pessoas”, em
vez de a entregarmos por nós mesmos.

Meishu-Sama descreveu, em um de seus poemas, a gratidão


que ele sentia, a gratidão incondicional transbordante, por saber que
recebemos a vida do Supremo Deus.

“Só de pensar sobre o milagre de ter recebido a vida, fico


refletindo sobre como farei para retribuir esta graça”.

Apenas por ler este poema, sinto profundamente o quanto sou


arrogante por ainda não ter reconhecido a minha devida posição
como ser humano.

E não consigo deixar de pensar que preciso me aproximar, por


mínimo que seja, desse estado de espírito de Meishu-Sama.

202
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Pois bem, senhoras e senhores, nós nos esforçamos para


estudar os ensinamentos e praticar a fé, mas o que é que estamos
buscando? E qual será a nossa verdadeira razão de viver?

Possuímos vários desejos e esperanças. Buscamos fazer algo


e queremos nos tornar alguém.

Sabemos, também, que, quando um dos nossos desejos se


concretiza, a tendência é criar um objetivo um pouco maior, em vez
de nos satisfazermos com o que já alcançou.

Com isso, é evidente que estamos sempre buscando e que


estamos sempre querendo nos aproximar de algo ou algum objetivo.

E, não é verdade que confiamos mais em nós mesmos que


carregamos estes objetivos, que nos esforçamos para concretizar
estes objetivos?

E isto não se dá porque temos algo muito importante e


inextinguível dentro do nosso pensamento?

Esse algo não seria o paraíso que existe dentro de nós?

Esse algo que estamos objetivando, tentando nos aproximar,


não seria esse paraíso?

Isto porque o paraíso é a terra natal, o ponto de partida da


nossa alma, o mundo onde nós recebemos a vida e o local de origem
da consciência eterna.

Eu acredito que nós tentamos nos aproximar do paraíso, um


local repleto de inteligência verdadeira, luz do amor e força ilimitada,
para sermos utilizados na Obra das inúmeras e maravilhosas
pessoas que estão neste paraíso.

203
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Sinto que Meishu-Sama está ansioso para nos ajudar e, por


isso utiliza as pessoas que estão no paraíso.

Por isso, Meishu-Sama e o Supremo Deus que se encontra


junto com Ele são, para nós, as existências mais importantes. E as
maravilhosas pessoas do paraíso também se encontram junto a nós,
dentro de nós.

Não estamos sozinhos. Não somos solitários.

Nós não nascemos, também, por nosso livre arbítrio.

Nenhum de nós teria nascido sem a vontade do Supremo Deus


da criação.

O Supremo Deus, que elaborou o plano da criação, está


querendo passar para nós a Sua razão de viver.

E é por isso que nós precisamos compreender e sentir, por


pouco que seja, o desejo do Supremo Deus da criação.

Somente após conseguirmos fazer a razão de viver do


Supremo Deus a nossa própria razão de viver, da maneira como
Meishu-Sama o fez, é que poderemos pensar em atuação conjunta
Deus-homem, como sendo representantes de Deus.

A propósito, como o paraíso existe no mundo do nosso


sentimento e do nosso sōnen, primeiro nós precisamos pensar (ter o
pensamento) nele.

É melhor evitar a confusão do nosso pensamento que quer


saber se o paraíso existe ou não dentro nós.

Podemos afirmar que o paraíso existe para as pessoas que


acreditam nele, e não existe para quem não acredita.

204
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O paraíso não existe para as pessoas que agem tão somente


segundo sua inteligência e capacidade e não procuram refletir sobre
o paraíso dentro de nós.

Precisamos voltar nossos corações para o paraíso, acreditando


que ele existe e orar, confiando: “Por favor, perdoe meus defeitos, me
permita crescer e ser utilizado na construção do paraíso”.

E o mais importante é falarmos: “Estou me voltando para o


paraíso junto com meus pais e meus antepassados que vivem dentro
de mim e junto com todos os homens sobre a face da Terra. E
entregamos nosso sōnen ao Supremo Deus que está junto a Meishu-
Sama, para que sejamos perdoados e aceitos por Vós, como seres
que possuímos vida. Por favor, nos utilize para que a Sua vontade se
concretize, trazendo a todos nós Suas graças”.

Nesse momento, devemos expressar em nossos corações que


o sentimento do Supremo Deus, que se encontra junto a Meishu-
Sama, se concretize primeiramente no paraíso.

Seria, também, ideal acreditarmos que, ao se concretizar essa


vontade divina, a nossa autoconsciência será educada e se ampliará
no mundo em que vivemos e se concretizará no plano terrestre.

Acredito que pensar dessa maneira não incomoda ninguém à


nossa volta.

Gostaria, então, de falar um pouco sobre o que eu venho


sentindo com relação a causar incômodo a terceiros.

Qualquer um de nós possui defeitos e fraqueza de


sentimentos.

Não podemos evitar isso porque somos a soma de nossos


antepassados.

205
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Mesmo que estejamos orando, lendo e praticando os


Ensinamentos todos os dias, acreditando que estamos
correspondendo ao sentimento de Meishu-Sama, devemos pensar
que estamos, até mesmo involuntariamente, causando incômodos e
aborrecimentos às pessoas à nossa volta, pensando e agindo de
maneira desagradável.

Nenhum de nós consegue evitar isso, embora não tenha a


intenção de falar ou agir de determinada maneira.

Deus nos perdoa, apesar de todos estes defeitos, nos


educando, nos encaminhando e nos observando calorosamente com
seu grande amor.

Ao julgar e corrigir os defeitos e erros de uma pessoa, como se


nós não tivéssemos defeitos, e tentando encaminhá-la, achando que
somos melhores que ela, estaremos dificultando o seu
desenvolvimento e, ao mesmo tempo, atrapalhando o nosso próprio
crescimento.

Assim, não devemos cercear as pessoas, nem limitar a nós


mesmos, fazendo uso de nossos próprios pesos e medidas. Devemos
ser prudentes para sermos perdoados e nos desenvolver
mutuamente, nos ligarmos a Meishu-Sama e ser utilizados por ele,
assim, além de não oprimirmos ninguém, teremos tranqüilidade em
nossos corações.

Hoje comemoramos o Culto de Início da Primavera. Como os


poemas que entoamos há pouco, Meishu-Sama escreveu muitos
poemas dedicados ao início da primavera.

“Tendo como limite o dia do início da primavera, a Obra


Divina se ilumina como os raios do sol nascente”.

“A alegria pela expansão da Obra Divina, fica mais forte a


cada início da primavera”.

206
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Através destes poemas sentimos a alegria de Meishu-Sama


com a chegada do início da primavera, um dia importante no qual a
Obra Divina se amplia, e sentimos uma vibração muito forte se
estender no ar.

À medida que avançamos na idade, nossos sentimentos se


voltam para o processo biológico de envelhecimento e dificilmente
mantemos a mesma sensibilidade de Meishu-Sama de sentirmos a
cada ano, o aumento da força.

De onde será que vem esta diferença?

A idéia que temos sobre a vida, é a da vida material, ou seja,


uma vida que possui limite de tempo.

Porém, Meishu-Sama nos ensinou que a essência da vida do


homem se encontra no Mundo Espiritual, que o seu espírito tem vida
ilimitada, e que o corpo material é uma existência secundária e
limitada.

Creio que Meishu-Sama sentia, perfeitamente, que o sopro da


vida eterna do Supremo Deus, sua Luz e sua Força estão sempre
preenchendo o nosso interior, mantendo-nos sempre renovados.

Nós estamos vivos e sendo criados agora, graças a uma nova


força de grande harmonia.

Esta força nova é a força absoluta que transcende o bem e o


mal. A força que perdoa, purifica, salva e ressuscita tudo, e que
coloca ordem através da harmonia. É uma força que tem o poder de
vivificação.

Acreditando verdadeiramente nesta força e desejando de todo


o coração querer ser utilizado nesta nova etapa da Obra Divina, não
seríamos ressuscitados, assim como as flores ganham vida nova na
primavera?

207
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“Novo” é o estado que dependerá de cada um conseguir mudar


ou não.

Para sermos um “novo eu” precisamos converter nosso velho


pensamento que atua com base em costumes e tradições, que vai e
vem, oscilando entre os limites do bem e do mal, para um novo
pensamento.

Creio que a nossa boa ou má condição física ou emocional, a


boa ou má situação em todas as questões e as fases de destruição e
construção como nós as determinamos, não devem ser encaradas
como fatos sem nenhuma relação umas com as outras.

Quando passamos por momentos difíceis, desejamos apenas


que a situação fique boa, que ela melhore. Precisamos repensar se
isso é realmente a maneira correta de pensar.

Quando achamos alguma coisa ruim, não é porque existe algo


bom, que é o seu oposto?

A força que nos faz sentir que algo é ruim, não tem a mesma
origem da força que nos faz sentir que algo é bom? Na verdade,
estes sentimentos não se originam graças à mesma força?

As coisas ruins e as situações de destruição, não seriam a


silhueta das coisas em desarmonia que foram clareadas pela Luz
Divina?

Sendo assim, em vez de tentarmos eliminar aquilo que


achamos mal de dentro de nossos pensamentos, não deveríamos
procurar o bem que está atuando em meio à situação que
consideramos ruim?

Em vez de usarmos nossa inteligência para conjecturas, não


seria ideal reconhecer as coisas boas e ruins e entregá-las para
Meishu-Sama? Não seria melhor colocar essas duas atuações sob a

208
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

grande harmonia do Supremo Deus para que Ele as coloque em


ordem e, com a sua revitalização, deixar nascer algo completamente
novo? Esta não seria a melhor forma de servir conforme o sentimento
de Meishu-Sama?

Meishu-Sama escreveu o poema: “Se abrirmos nossos


olhos, poderemos ver, por trás da destruição, o martelo de
construção da Obra Divina”.

Creio que Meishu-Sama está tentando nos utilizar, abrindo os


olhos que possuíamos originariamente no paraíso, os olhos que
conseguem ver o mundo invisível, para que possamos, pouco a
pouco, compreender a manifestação da Obra de construção por trás
da destruição.

Para que possamos saborear verdadeiramente o sentimento


de Meishu-Sama de nos ensinar que a purificação é uma grande
graça de Deus, temos que prestar atenção para não deixar passar em
branco as provações que nos são dadas diariamente por Meishu-
Sama.

E, finalmente, estarei orando para que, a partir deste Culto de


Início da Primavera, uma nova vida penetre no pensamento de todos,
junto com o ar que os senhores inspiram e expiram, e que dele
brotem frutos maravilhosos. Agradecendo e louvando de todo o
coração ao Supremo Deus junto com todos os senhores, em nome de
Meishu-Sama.

Muita prosperidade a todos!

Muito obrigado.

209
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

29 - CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE (JUNHO DE 2007)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Paraíso Terrestre
Templo Messiânico de Atami
15 e 16 de junho de 2007
Publicado no Jornal Messiânico

Minhas felicitações a todos pelo Culto do Paraíso Terrestre.

É com imenso e profundo respeito que lhes digo que o


Supremo Deus, que vive por toda a eternidade, com o desejo de dar
a vida ao filho que herdasse Sua Obra, vem buscando concretizar,
dentro de cada um de nós, a Obra de Criação com o intuito de
outorgar Sua personalidade divina ao ser humano.

Meishu-Sama, obedecendo à vontade de criação do Supremo


Deus, nasceu neste mundo como Seu verdadeiro filho, ou seja,
nasceu como o Salvador (Messias). E, junto com o Supremo Deus,
vem atualmente colocando ordem e, revitalizando todas as coisas do
passado, presente e futuro, baseando-se na Grande Harmonia, vem
desenvolvendo a Obra Divina de transição do Paraíso, que é o
mundo da essência, o mundo de alta vibração, para a Terra, que é o
mundo dos fenômenos, o mundo de baixa vibração.

Nós, que fomos preparados originariamente junto com Meishu-


Sama no Paraíso, que é o local do início da Criação, fomos colocados
nesta época atual no mundo dos fenômenos, que é o local de
conclusão da Criação, não apenas como filhos do homem, mas para
ter Meishu-Sama como modelo, voltarmos à origem da alma, da vida
e da consciência que existe no centro da nossa própria
autoconsciência. E, herdando a Sua respiração, estamos sendo
criados para nos religarmos à Obra Divina que nos fará nascer
novamente como filhos do Supremo Deus.

210
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Como uma destas pessoas, ao participar do Culto de hoje,


agradeci, juntamente com todos os senhores, por essa imensa graça,
louvando o Supremo Deus em nome de Meishu-Sama, que é o
Salvador (Messias), e orei para que possamos ser utilizados por Ele e
para que o Seu sentimento se concretize em nós.

Fui informado de que os membros da Igreja Izunomê, no Japão


e em todo o mundo, estão se empenhando este ano em cultivar uma
fé ligada ao Messias – Meishu-Sama, se aplicando ao máximo na
Obra Divina de construção do Paraíso Terrestre e de salvação da
humanidade.

Também fui informado de que os senhores estão dedicando,


com todo “makoto”, na evolução da construção do Solo Sagrado de
Kyoto, o Heian-kyo, e que muitas pessoas ingressaram no “Grupo de
Amigos da Arte do Museu MOA”, uma atividade muito importante
dentro da Obra Divina.

A Terceira Líder Espiritual, que é a presidente executiva da


Fundação Cultural e Artística – MOA, vem se empenhando ao
máximo para ampliar a “Salvação através do Belo” propagada por
Meishu-Sama. É maravilhoso saber que os senhores participam
efetivamente desta importante atividade da Obra Divina, acatando o
nobre sentimento da Terceira Líder Espiritual.

Cada vez mais consciente de que as valiosas obras de arte


colecionadas por Meishu-Sama são um tesouro muito importante
para toda a humanidade, aprecio-as sempre que possível. Sinto que
necessito manter ainda mais firme, em meu coração, o sentimento de
querer guardá-las, preservá-las e apresentá-las para o maior número
de pessoas possível.

Estou muito feliz em saber que todos os senhores estão se


aplicando em colocar em ação a “Prática do Sōnen”, e a “Prática do
Sōnen de Gratidão”, dentre outras atividades de salvação realizadas
no lar, no trabalho, na escola e em todos os campos de atuação dos

211
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

senhores, como uma prática diária dos Ensinamentos básicos de


Meishu-Sama.

O que me deixa ainda mais contente é saber que, através do


desenvolvimento constante desta prática, sob a liderança do
presidente Watanabe, a maneira como os senhores conduzem o seu
sōnen está se tornando mais ampla e profunda.

Ao ler as experiências de fé que chegam ao Solo Sagrado,


vindas de todo o mundo, vejo que os senhores não estão apenas se
alegrando com a cura de doença, solução de problemas e mudanças
positivas em suas vidas, através da Prática do Sōnen. Na verdade,
creio que os senhores estão considerando, como a maior graça
recebida, o fato de terem conseguido perceber a pequenez de seu
sentimento, a presunção e agradecendo a Meishu-Sama, por Ele
estar educando estes sentimentos.

Fiquei muito emocionado com isso, e sinto que Meishu-Sama


deve estar muito feliz com a obediência de todos os senhores.

A propósito, me parece que a maioria das preocupações e


sofrimentos por que somos atormentados diariamente são a doença e
problemas financeiros, que envolvem nossa família e pessoas à
nossa volta, ou desentendimentos e conflitos com familiares, pessoas
no trabalho ou na escola. E creio que procuramos resolvê-las
considerando estes problemas como sofrimentos ou assuntos
pessoais.

Porém, analisando estes problemas pela sua essência, e


considerando que todas as ações do homem, transcendendo o tempo
e o espaço, interagem e influenciam-se mutuamente, será que não
podemos considerá-los uma cópia reduzida da trilogia “doença,
pobreza e conflito” que a humanidade enfrenta, e de que Meishu-
Sama já nos falou?

212
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Será que os sentimentos que nos ocorrem quando


enfrentamos problemas, por mais insignificantes que sejam. Não
existem por que Meishu-Sama deseja, através deles, perdoar,
purificar, salvar e dar uma nova vida a toda a humanidade, que até
hoje nunca reconheceu devidamente a existência de Deus?

Se continuarmos a guardar, em nossos corações, mágoas e


aflições como ingredientes para a intranqüilidade, ou como sementes
de preocupação, continuaremos irradiando o Sōnen de um mundo
sombrio, e, estaremos causando transtornos ao próximo e a todos os
seres vivos, e essas ações deixam de corresponder à Vontade Divina.

O fato de estar sentindo a preocupação invadir nosso coração


significa que Meishu-Sama está iluminando a obscuridade do
coração, que a humanidade veio criando até hoje, como uma prova
de que Ele trouxe muitas pessoas até as portas do Paraíso, para
recebê-las.

Resta então, a nós, como intermediários, determinar em


nossos corações: “Juntamente com todas as pessoas que estão aqui
comigo, neste momento, eu me entrego a Meishu-Sama, que é o
Messias”. Será que o Supremo Deus não estaria esperando esta
nossa determinação?

Justamente por nós termos recebido esta responsabilidade,


gostaria que todos procurassem não deixá-la para os nossos
descendentes.

Ainda devemos tomar cuidado para não impedirmos que Deus


receba a glória que Ele mesmo manifestou.

Com essa disposição, e se a “Prática do Sōnen” for realizada


tendo em nosso coração a humanidade, que vive neste mundo
sombrio, e todos os seus antepassados, acredito que poderemos ser
utilizados na Obra de salvação de Meishu-Sama com ainda maior
amplitude.

213
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O mais importante é sabermos que Meishu-Sama deve estar


desejando manifestar Sua atuação conforme a Sua vontade, através
de nós, em uma dimensão que dificilmente conseguimos perceber,
ultrapassando nosso entendimento e compreensão. E, como Ele
procura se manifestar através de nós, por mais que usemos a
imaginação, por fim acabamos vendo que é melhor pensar: “Entrego-
me a Vós, Supremo Deus, em nome de Meishu-Sama, que conseguiu
concretizar o Vosso desejo, como o Messias. Seja feita a Vossa
vontade”.

O mesmo ocorre quando servimos no sagrado ato do Johrei.

Devemos estar atentos para não nos esquecermos de emitir


esse pensamento toda vez que ministrarmos Johrei, estimulando-nos
para nos sentirmos unidos a Meishu-Sama, praticando este Sōnen. E,
se conseguirmos nos fundir com a vontade do Supremo Deus, tenho
a convicção de que veremos surgir uma maravilhosa Obra que irá
superar, em muito, a nossa imaginação. Então, o que buscamos e
para quê nos esforçamos, ao fazer a “Prática do Sōnen”?

No Culto do Início da Primavera deste ano eu disse que


objetivamos alcançar o Paraíso que existe dentro de cada um de nós.
Entretanto, o que nós estamos buscando, em termos mais
concretos? Não existe ser humano que não almeje a felicidade. E o
conteúdo desta felicidade não seria o amor? O simples fato da
palavra “amor” ser utilizada em todos os campos da sociedade atual
não está nos mostrando isso? Porém, experimentar o verdadeiro
amor e compreender o que é amar verdadeiramente são coisas
extremamente difíceis. Desejo fortemente poder sentir e provar este
amor verdadeiro, junto com todos os senhores, e poder sentir a
alegria de compartilhá-lo com todos os seres vivos.

Meishu-Sama nos ensinou que não devemos objetivar apenas


a nossa própria felicidade mas, também, desenvolver a prática do
amor altruísta para tornar o nosso próximo feliz. Creio que o

214
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

fundamento da prática de amor altruísta seria compreender, e


assimilar integralmente, que nós somos a soma de inúmeros
antepassados. Por exemplo: quando pensamentos de gratidão e
alegria surgem em nós, precisamos refletir se apenas nós estamos
alegres, ou se nossos antepassados também estão alegres.
Precisamos verificar se este sentimento surge de imediato, e de
forma natural, em nossos corações. Esse sentimento de se preocupar
com os nossos antepassados nos leva, de maneira ampla, ao amor
que faz com que passemos a desejar a felicidade de todas as
pessoas, e não apenas a nossa..

A propósito, onde fica a origem do amor? Meishu-Sama nos


ensinou que a alma do homem é uma partícula do espírito do
Supremo Deus. O Supremo Deus nos outorgou uma partícula do Seu
próprio espírito, ou seja, nos deu a vida. Isto não seria a essência do
amor? Meishu-Sama escreveu o poema: “Expresso, através deste
poema que escrevo agora, toda a alegria por ter recebido de Deus a
vida”, expressando através dele que a Sua maior alegria foi ter
recebido a vida do Supremo Deus. E é por isso que Ele conseguiu
expressar todo o Seu sentimento no poema: “Compreendo o amor de
Deus do fundo do meu coração. Tornei-me uma pessoa que
desconhece a tristeza”. O que precisamos pensar, então, é de quem
é a vida que nós recebemos.

Meishu-Sama também escreveu os poemas: “Precisamos


compreender, de todo coração, que nossa sagrada vida está nas
mãos de Deus” e, “Deus é o doador da vida, não há como
crescermos voltando as costas para Ele”. Nós recebemos a vida. A
alma não é nossa, é de Deus. Creio que é possível compreender isso
pela expressão “partícula divina”. Pela palavra “receber”, contida na
expressão “receber a vida”, nós acabamos considerando que a vida é
nossa, ou seja, que ela nos pertence. Assim, para nos tornar Seus
filhos, o Supremo Deus nos deu Sua própria vida, deixando-nos viver,
fazendo parecer que a vida nos pertence. Isso é algo muito difícil de
compreender, mas este é o profundo amor de Deus, que dificilmente
conseguimos perceber e apreciar. Se esta vida não for nossa, mas

215
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

sim de Deus, e como até hoje vivemos pensando que a vida é nossa,
nós precisamos devolver a vida e a alma para Deus. Nós achamos
que a respiração, que nos permite inspirar e expirar, é uma ação
nossa, mas, na verdade, precisamos ter a consciência de que ela nos
está sendo dada por Deus e que também precisamos devolvê-la.

Meishu-Sama escreveu o poema: “O ápice do amor acontece


quando passamos a amar verdadeiramente Deus”. É muito difícil
sentirmos afeto por Deus, ao ponto de amá-Lo da mesma maneira
que Meishu-Sama O amou. Apesar disso, com o sentimento de
“Mesmo sabendo de todo o Seu amor, e que eu não consigo retribuir
o grande e profundo amor de Deus, eu vou procurar, no mínimo, me
esforçar em oferecer todo o meu amor”, precisamos nos esforçar para
nos tornarmos capazes de devolver a Deus a vida, a alma, a
consciência, juntamente com a nossa respiração. Eu acredito que,
conseguindo fazer isso, receberei de Deus uma nova vida,
juntamente com uma nova respiração. Como não conseguimos
perceber as bênçãos de Deus, por serem grandes demais, acabamos
nos acostumando com elas, e dificilmente conseguimos sentir o amor
Dele em querer nos fazer Seus filhos. Não seria isso que faz o
sentimento de lamúria e insatisfação brotar em nossos corações?
Será que Deus não estaria nos observando, com seu ilimitado e
profundo amor, esperando que percebamos nosso próprio ego e
presunção?

Como Meishu-Sama escreveu no poema: “Sem recriminar


meus graves pecados, Deus me concede fartura e felicidade”, nós
precisamos absorver este sentimento em nossa alma.

Deus está educando cada um dos seres humanos, que, além


dos pontos positivos, infalivelmente possuem pontos negativos,
através do Seu grande sentimento de permissão. Por isso, gostaria
que todos tomassem cuidado para não dar destaque apenas a si
mesmo. Além do mais, creio que Meishu-Sama ficará mais contente
se pedirmos a Ele coragem para descobrirmos que, no fundo do
nosso coração, está escondida a nossa tendência de querermos nos

216
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

colocar acima dos outros, e julgar o próximo com base no nosso


conceito sobre o Bem e o Mal, ou nossas preferências pessoais. É
importante aceitar o Bem e o Mal que existe dentro de cada um de
nós e nos entregarmos a Meishu-Sama, desejando que possamos ser
utilizados como elementos que harmonizam essas duas forças, na
Obra completamente nova da Grande Harmonia.

É muito difícil percebermos a nossa própria postura. Mesmo


que nós não a percebamos, as pessoas à nossa volta, que a
perceberem, poderão entregá-la a Meishu-Sama no nosso lugar, e
esta ajuda mútua será, sem dúvida, uma forma de praticarmos o
amor altruísta ensinado por Meishu-Sama.

Nós ganhamos a vida e nos tornamos seres conscientes. E, a


origem da formação da nossa autoconsciência é a manifestação dos
cinco sentidos, que são a atuação das nossas faculdades mentais.
Ou seja, a autoconsciência se forma através dos sentidos que nos
deixam ver, ouvir ou sentir outras coisas. Como o ser humano veio
utilizando até hoje estas faculdades sensitivas à sua própria maneira,
como se fossem suas, será que a desarmonia que se formou entre os
cinco sentidos não teria gerado, também, a desarmonia dos nossos
sentimentos? Por isso, precisamos devolver para Deus a nossa
capacidade visual – visão, a capacidade auditiva – audição, a
capacidade de perceber sabores – paladar, a capacidade de sentir
odores – olfato, a capacidade de sentir algo pela pele – tato e a
capacidade de reconhecimento que coordena todos estes sentidos,
desejando que possamos utilizar tudo isso através de Deus. Se
conseguirmos, dentro do nosso pensamento, proceder desta maneira,
Deus fará com que a função dos cinco sentidos que tínhamos até
hoje se torne mais adequada, correspondente à Vontade Divina.
Como resultado disso, nós conseguiremos ver e ouvir o mundo da
essência, nossos sentimentos serão reeducados, e acredito que nós
seremos utilizados na Obra Divina em uma dimensão completamente
diferente.

217
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Hoje estamos celebrando o Culto do Paraíso Terrestre. Meishu-


Sama disse que construirá o Paraíso na Terra e escreveu o seguinte
poema: “Com o desejo de salvar a humanidade, conduzindo-a ao
Paraíso, primeiramente tornei-me, eu próprio, habitante do Paraíso”.

Para nós, que desejamos ser utilizados como instrumentos de


Meishu-Sama na Obra Divina de construção do Paraíso Terrestre,
este poema representa o sentimento que todos nós precisamos ter.
Como ser humano eu vivo seguindo os passos de Meishu-Sama,
para me tornar um ser habitante do Paraíso, com a esperança de
poder crescer, conforme a vontade da criação do Supremo Deus, e
desejando nascer novamente como filho de Deus. Para isso, preciso
dar uma nova educação para o meu coração, diferente da educação
que ele teve até hoje, para que ele possa herdar uma criação de vida
eterna, completamente renovada.

Meishu-Sama disse que a Vontade de Deus é o Bem (os


sentimentos bons), e explicou que, como a alma é outorgada por
Deus, ela é o próprio Bem.

Sendo assim, a verdadeira essência do Bem, dos bons


sentimentos, é completamente diferente daquele “bem” que
entendemos pela razão humana. Na verdade, ela deve ser uma parte
da alma, chamada “partícula divina”. Eu acho que não serão os bons
sentimentos cultivados por mim até hoje, e que mudam facilmente,
que me formarão, mas sim, os bons sentimentos de natureza divina,
que são a própria divindade, que irão me formar, supervisionando o
meu coração. Quem precisa ser vigiado não é o meu próximo, e sim,
a minha própria pessoa.

A esse respeito, Meishu-Sama nos orientou: “Crie uma


segunda pessoa, que o veja e critique constantemente”. Para que
tenhamos sempre consciência de que esta “segunda pessoa” é a
nossa verdadeira essência, o “Ohikari”, que nos foi outorgado como
uma prova de que somos membros, é um veículo para ministrar a
infinita Luz do Supremo Deus, com o qual Meishu-Sama se tornou

218
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

uno, e, ao mesmo tempo, um “sinal de advertência” para não nos


esquecermos de que, originariamente, fomos preparados no Paraíso,
o mundo do início da criação, junto com Meishu-Sama, como
partícula divina e verdadeiros filhos de Luz. E, o Ohikari também é um
“sinal de advertência” para não nos esquecermos da bênção divina
de podermos nascer novamente, ao sermos utilizados na obra de
Meishu-Sama. Com essa consciência, gostaria de, juntos, nos
empenharmos na Obra Divina.

Encerro minhas palavras orando para que o sopro da vida,


renovado a todo instante pelo Supremo Deus, possa, em nome do
Messias – Meishu-Sama, ser compartilhado com toda a humanidade,
juntamente com a respiração de todos os senhores, todas as coisas e
todos os seres vivos.

Que Deus conceda prosperidade a todos. Muito obrigado.

219
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

30 - CULTO DE OUTONO (OUTUBRO DE 2007)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Outono
Templo Messiânico de Atami
1º e 2 de outubro de 2007

Minhas sinceras felicitações a todos pelo Culto de Outono.

Com imenso e profundo respeito, eu acredito que o Supremo


Deus vive por toda a eternidade e o Seu propósito é através do ato da
criação, dar a vida a filhos que herdem a Sua obra.

Eu acredito que, seguindo a este propósito, o Supremo Deus


se antecipou ao ato da criação e preparou o Messias, a substância
capaz de manifestar todo o Seu desejo da criação, no Paraíso, que é
um mundo eterno e ilimitado. E ao mesmo tempo, preparou inúmeras
partículas do Seu espírito. Estas partículas da Alma Divina estão
unidas e interligadas ao nome Messias. Eu acredito que todos nós
fomos, originariamente, preparados no Paraíso como “Filhos da
Verdadeira Luz”.

Com a chegada do devido tempo, o Supremo Deus outorgou a


Meishu-Sama um corpo físico e uma natureza humana, fundindo esta
natureza humana com a consciência original do Supremo Deus. Com
isso, o Supremo Deus concretizou o desejo principal da criação que é
o nascimento da substância chamada Messias.

Nós, seres humanos, fomos originalmente unidos a Meishu-


Sama no Paraíso. Estamos vivos nesta época atual, para
corresponder ao compromisso de sermos utilizados na Obra Divina
como seguidores de Meishu-Sama.

Eu acredito que não recebemos a vida apenas como filhos do


ser humano. De acordo com o Plano Divino, nós estamos sendo
criados e educados a nascer novamente como filhos de Deus. Eu

220
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

acredito que, para conseguirmos cumprir com este dever, nós fomos
unidos a Meishu-Sama e herdamos o divino sopro da vida para
retornar ao centro da nossa consciência egoísta (EGO –
autoconsciência), onde se encontra a origem da nossa alma, da
nossa vida e da nossa própria consciência.

Como um dos membros servidores no Plano Divino, ofereci


minha sincera gratidão juntamente com todos os senhores no culto de
hoje, louvando ao Supremo Deus em nome de Meishu-Sama, como o
Messias. Orei também para que a Sua vontade se concretize, e para
que eu possa ser utilizado na expansão da Obra Divina por toda a
Terra.

Nós, seres humanos, somos o produto final da evolução dos


seres vivos dentro da Obra de criação do Supremo Deus, porque nos
tornamos criaturas que possuem consciência. Meishu-Sama nos
ensinou que a força das ondas emitidas pela nossa consciência e
pelo nosso sōnen são extremamente potentes e rápidas. E explicou
também como a influencia gerada pela força destas ondas é
importante para o ser humano, e para todos os seres vivos e os
antepassados ligados a cada um de nós.

Atualmente, os messiânicos no Japão e em todo o mundo,


estão se empenhando na Prática do Sōnen, uma prática alicerçada
na Lei do Espírito Precede a Matéria, para poder cultivar a fé como
pessoas ligadas ao Messias – Meishu-Sama. Eu acredito que esta
prática está em plena concordância com o sentimento de Meishu-
Sama.

Guiados pela postura convicta do Presidente Watanabe em


querer aprofundar seus aprendizados, muitos membros estão tendo
aprendizados importantes através da Prática do Sōnen de Gratidão.
Isto está fazendo brotar a alegria dentro de suas dedicações na Obra
Divina, o que me deixa muito feliz.

221
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Também fiquei muito feliz em saber que, além de oferecer todo


o seu sentimento de makoto (sinceridade) na expansão da
construção do Solo Sagrado da Terra da Tranquilidade - Heian-kyo,
os senhores também estão se esforçando para fazer parte do Grupo
de Amigos do Museu MOA. Isto demonstra o interesse de todos
senhores em querer promover a expansão da “Salvação através do
Belo”, propagada por Meishu-Sama.

Agora pouco, apreciei no Museu de Artes MOA, uma exposição


de obras de arte feitas pela Terceira Líder Espiritual, atual gerente
executiva do Museu, em comemoração ao seu aniversário de 80
anos.

Suas pinturas são feitas em estilo Norizome (pintura em tecido


feita com tinta a base de arroz), um estilo que exige muito tempo e
técnica. Fiquei muito emocionado com a graciosidade e elegância de
suas obras.

Gostaria de todo o coração desejar meus votos de felicidade a


Terceira Líder Espiritual, e dizer que me sinto honrado em poder
apreciar sua postura e sentimento para com o belo e a arte de
Meishu-Sama.

A arte é considerada, de uma maneira geral, como uma


manifestação da criatividade humana.

Porém, a capacidade de criação do ser humano, existe graças


ao poder de criação do Supremo Deus.

Meishu-Sama ensinou que nós, seres humanos, somos


utilizados pelo Supremo Deus como seus representantes na
construção do Paraíso Terrestre, ou seja, somos utilizados para levar
adiante o Plano Divido de criação da nova civilização.

222
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Isso não estaria mostrando para nós que, independente de


termos consciência disso ou não, estamos constantemente
envolvidos com a Obra de Criação do Supremo Deus?

Meishu-Sama enfatizou por várias vezes que o lema da Igreja


Messiânica Mundial é “construir” o Paraíso Terrestre.

Com relação à ação “construir”, Meishu-Sama nos ensinou


que, “A base para a construção do Paraíso, é o individuo. O individuo
precisa ser paradisíaco. Nós não conseguiremos fazer o ambiente a
nossa volta, nem mesmo o nosso próprio lar se tornarem
paradisíacos de uma hora para outra. Ou seja, é fundamental que o
sentimento de cada um se torne paradisíaco. Dessa maneira, o lar se
tornará paradisíaco, depois a nação se tornará paradisíaca e por fim
o mundo se tornará paradisíaco. Por isso, o mais importante é, em
primeiro lugar, tornar paradisíaco o sentimento.” (ensinamento inédito
- Mioshie-Shu N°7, 25 de fevereiro de 1952)

Em outras palavras, Meishu-Sama nos ensinou que primeiro


precisamos transformar o nosso sentimento em um sentimento
paradisíaco para poder “construir” o Paraíso Terrestre.

Para conseguirmos mudar o nosso sentimento, precisamos


desenvolver práticas alicerçadas na Lei do Espírito precede a
Matéria.

Como nós precisamos mudar o nosso sentimento, precisamos


refletir sobre o que viemos construindo até hoje.

No ensinamento intitulado “A Arte de Deus” (1949), Meishu-


Sama exemplifica o mundo como uma grande obra de arte elaborada
por Deus, fazendo o seguinte comentário sobre a humanidade atual.

“(...) os "ismos" ou ideologias podem ser comparados às tintas


fabricadas por cada país. Conseqüentemente, uma nação não pode
tentar pintar além da sua linha limite, porque isso provoca atritos com

223
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

as outras, cujos objetivos são os mesmos. Como esses atritos


constituem um estorvo para o quadro do mundo, elaborado por Deus
com base no amor à humanidade, obtém-se apenas um sucesso
temporário.” (Alicerce do Paraíso – vol. 5, pág 52 – vol. Único, pág.
317)

No ensinamento “O que são Princípios Ideológicos” (1948),


Meishu-Sama nos orienta que, “Originariamente, as ideologias são
limitadas, exclusivistas e egoístas, tendo como objetivo apenas os
benefícios da nação, de classes e organizações. Por isso, acabam,
inevitavelmente, criando as causas do conflito.” (ensinamento
inédito).

Meishu-Sama também se referiu a isto no poema,

“Como a palavra “ideologia” representa um caminho


extremamente estreito, o ser humano enfrenta muitas dificuldades ao
adentrar nele”

Eu sinto que os princípios e ideologias as quais Meishu-Sama


está se referindo, não são princípios e ideologias centralizados em
Deus, e sim centralizados na consciência egoísta (EGO –
autoconsciência) do ser humano.

Sinto que eu vim construindo princípios e ideologias ocultas


dentro de mim mesmo, justificando e defendendo estes através da
religião, para poder me enobrecer e criar uma razão para viver dentro
deste sentimento.

Quando conversamos naturalmente com nossos familiares ou


companheiros de trabalho, tentamos implantar nossa maneira de
pensar e ver situações dentro do coração do próximo. Precisamos
tomar cuidado para não esquecer que, nestes momentos, estamos
sendo utilizados como instrumentos para manifestar o conflito que
interpõe toda a humanidade.

224
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Isto acontece porque, mesmo parecendo ser algo


insignificante, a atuação da nossa consciência egoísta (EGO -
autoconsciência) que querer priorizar nossos ideais sobre o próximo,
é, na verdade, o alimento que nos faz crescer dentro destes
princípios e ideologias.

Sendo assim, ao invés de debatermos sobre os princípios,


ideologias e pensamentos das outras pessoas, não deveríamos, em
primeiro lugar, despertar para o fato de que estamos criando
princípios e ideologias humanas dentro de nós mesmos?

Perceber isso é o primeiro passo para obtermos a nossa


própria salvação. E ao mesmo tempo, o caminho para nos
aproximarmos do sentimento de Meishu-Sama em querer salvar e
vivificar todos os princípios, ideologias e religiões existentes no
mundo atual.

Meishu-Sama orientou varias vezes sobre, como é importante


para nós mudar o nosso sentimento humano.

Com relação a isto, Meishu-Sama nos orientou no ensinamento


“Era da Civilização Religiosa” (1951), “Não vejo a necessidade de
mencionar novamente, mas fundei a Igreja Messiânica Mundial e
venho desenvolvendo progressivamente atividades religiosas em prol
da salvação da humanidade. As religiões existentes até hoje também
anunciaram este objetivo, por isso pretendo tocar novamente neste
assunto, mas se não extrairmos a visão religiosa que existe
atualmente na sociedade, será muito difícil captar por completo a
essência da nossa igreja” (trecho inédito), e “A civilização atual será
obrigada a passar por uma transformação de 180 graus” (trecho
inédito).

No ensinamento “A Arte de Deus”, que citei a pouco, Meishu-


Sama nos orienta que, “Entretanto, para o nascimento desse Novo
Mundo, será necessário haver uma enorme revolução em todos os
setores, especialmente no pensamento humano.”

225
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Dessa maneira, Meishu-Sama nao enfatizou apenas a


salvação da humanidade, como as religiões existentes ate hoje
fizeram. Meishu-Sama enfatizou sobre o fato de que precisamos
mudar completamente a visão que temos atualmente sobre a religião,
proporcionando assim, uma “revolução do nosso pensamento”.

Entretanto, podemos perceber claramente como é difícil


realizar uma “revolução do nosso pensamento”.

Isto acontece porque há a necessidade de mudarmos nossa


própria maneira de pensar e compreender as coisas a nossa volta, ou
seja, o nosso padrão de pensamento.

Dentro no padrão de pensamento que nós viemos cultivando


ate hoje, consideramos apenas a essência do mundo da forma. E
dentro neste padrão de pensamento, está integrada a “visão religiosa
que existe atualmente na sociedade”, a qual Meishu-Sama se refere.

Mesmo aprendendo através dos ensinamentos, poemas e


realizações onde está impregnado o amor de Meishu-Sama,
dificilmente nós poderemos ter contato com a Sua essência e com a
essência divina de Seus ensinamentos, que compreendem todas as
doutrinas existentes no mundo atual, se continuarmos imbuídos no
pensamento solidificado nos conceitos que cultivamos até hoje.

Então, qual seria a transformação que precisamos ter em


nosso sentimento, através da “revolução do pensamento” a qual
Meishu-Sama esta se referindo?

Meishu-Sama enfatizou que a humanidade precisa reconhecer


a existência de Deus.

Eu acredito que nós estamos pensando sobre este assunto


sem a atenção necessária.

226
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Acreditarmos na existência de Deus, independente de


acreditarmos nisso ou não, é acreditarmos que Deus esta vivo.

“Tudo que existe a minha volta é a manifestação de Deus. Eu


estou constantemente envolvido pela aura de Deus. Deus está vivo
dentro de mim, Ele é a minha própria vida.” Quando procuro refletir
dentro do meu coração se acredito realmente nisso, consigo perceber
como é difícil reconhecer verdadeiramente a existência de Deus.

Foi por causa disso, que Meishu-Sama enfatizou como a nossa


igreja é uma religião repleta de milagres, e que através dos milagres
o ser humano se vê obrigado a reconhecer a existência de Deus.

Meishu-Sama explanou sobre isso no ensinamento “Religião é


Milagre” (Varias heranças..., 1949)

“(...) nesta fase de grande transição que estamos


atravessando, o objetivo da Igreja Messiânica Mundial é sacudir a
alma do ser humano, que está adormecida, despertando-a com o
poderoso sopro do milagre.” (Alicerce do Paraíso – vol. 2, pág, 46)

O milagre, mencionado por Meishu-Sama, não é algo para nos


vangloriarmos, para criarmos rivalidade com os outros, ou para
provarmos à realização de fatos que correspondem às esperanças e
desígnios do ser humano. Deus proporciona milagres ao ser humano
para mostrar-lhe a Sua existência, e que, se for de acordo com a Sua
vontade, Deus possui inteligência e força ilimitada para realizar
qualquer coisa.

E ao mesmo tempo, para mostrar como o ser humano é fraco e


debilitado perante Deus todo poderoso, e que precisamos ter
humildade para assimilar nossa posição como seres humanos.

Quando reconhecermos verdadeiramente a existência de


Deus, estaremos saboreando o prazer de saber que estamos sendo

227
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

vivificados por Ele. Com isso estaremos aptos a compreender o


verdadeiro significado da salvação de toda a humanidade.

Fui informado que atualmente estão acontecendo muitos


milagres, principalmente dentre os messiânicos no exterior. Estes
milagres estão acontecendo para que toda a humanidade possa
compreender a existência de Deus e do espírito.

Quando eu me encontro com os membros do exterior, fico


impressionado com pureza do seu sentimento em acreditar em
Meishu-Sama como o Messias, com a convicção de que estão se
ligando a Ele.

Também fico impressionado com o respeito que eles têm para


com os membros japoneses, que construíram os alicerces da Igreja
Messiânica Mundial, quando expressam o desejo de ser utilizados na
Obra Divina unidos em um só coração.

Assim como toda a humanidade, estou buscando me voltar


para o Paraíso que existe dentro de mim, para a origem da minha
existência e essência, orando para que possa unificar meu corpo e
meu espírito com Meishu-Sama neste Paraíso, e para que também
possa, conforme estou sendo educado para nascer novamente,
saborear cada vez mais a presença viva de Deus dentro de mim, e
para que possa mudar meu padrão de pensamento.

Movido pela minha curiosidade, peço para que Meishu-Sama


me mostre como devo agir para corresponder ao Seu sentimento.
Mesmo que levados pela curiosidade, precisamos determinar em
nossos corações o desejo de ser utilizados em Sua Obra.

A propósito, quando buscamos evitar dar prioridade aos nossos


pensamentos humanos, oramos à Meishu-Sama: “Seja feita a
vontade do Supremo Deus”, ou “Que o sentimento de Meishu-Sama
se concretize em nós”. Eu tenho reparado em um ponto muito
importante com relação a isso.

228
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O importante, é orarmos para que a Vontade Divina e o


sentimento de Meishu-Sama, se concretizem dentro de nossos
corações.

O Supremo Deus está projetando no mundo material, que é o


mundo dos fenômenos, tudo o que já se concretizou no Mundo
Divino, ultrapassando todas as outras dimensões, e as barreiras do
tempo e do espaço.

Por isso precisamos aceitar que os fenômenos naturais,


sociais, e que toda e qualquer acontecimento a nossa volta, por mais
insignificantes que sejam, são manifestados pelo Supremo Deus com
o objetivo de querer utilizar o ser humano, e todos os seres vivos,
para concretizar a Sua vontade.

Entretanto, como nós vivemos até hoje com base no padrão de


pensamento herdado de nossos antepassados, ou seja, com base em
conceitos e medidas próprias, dificilmente reconhecemos que o
Supremo Deus está manifestando a Sua vontade em tudo que
vemos, ouvimos e sentimos.

Nós consideramos a Doença, a Pobreza e o Conflito, as quais


Meishu-Sama se referiu, como problemas que se fazem presentes na
sociedade, em nós e em tudo a nossa volta. Porém, dificilmente
pensamos em entregá-las ao Supremo Deus, que vem manifestando
a vontade de recebê-las, para que sejam perdoadas, purificadas,
salvas e revitalizadas por Ele.

Mesmo conhecendo a palavra “processo de purificação”,


ensinada a nós por Meishu-Sama, não podemos dizer que estamos
fazendo dela um ensinamento vivo.

Além disso, ao invés de nos preocuparmos com nossas


próprias ações, ficamos presos às palavras e ações das outras
pessoas. Por isso, dificilmente pensamos que o Supremo Deus utiliza

229
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

a todos nós para concretizar Seu sentimento, ficando, na maioria das


vezes, com raiva ou de mau humor facilmente.

É muito difícil para nós compreender isso, pois raramente


pensamos que a causa da nossa raiva esta dentro de nós mesmos.

O fato de não percebermos os nossos próprios defeitos, é


representado pelo nosso orgulho. Este orgulho é o que nos faz
menosprezar Deus.

Por isso que nós precisamos dizer sempre, “Por favor, me


utilize, e que a vontade do Supremo Deus se manifeste em nós, por
intermédio do Messias – Meishu-Sama”.

É extremamente difícil para nós, mudar os defeitos do nosso


coração.

Entretanto, Deus esta querendo mudar a imperfeição do nosso


sentimento humano.

Nós temos várias reações fisiológicas dentro de nós, como por


exemplo, sentir o corpo pesado ou ficar com sono. Além disso, temos
reações sentimentais como a intranquilidade, a preocupação, entre
outras emoções.

Deus nos faz sentir reações boas ou ruins, de grande e


pequena escala, observando como cada um de nós se depara com
estas reações.

Não estaríamos tendo a oportunidade de aprofundar nosso


relacionamento com Deus quando percebemos estas reações
surgirem dentro de nós?

Deus proporciona estas reações para poder observar a


humanidade toda vez que nos utiliza, e, com todo o perdão do Seu
amor, poder nos envolver com Sua radiante Luz.

230
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Mesmo sentindo raiva ou insatisfação dos defeitos das


pessoas a nossa volta, como estas reações têm origem dentro de
nós, não temos o mínimo direito, nem a necessidade, de julgar as
atitudes do próximo.

Como somos seres imperfeitos, o ideal seria aceitar e acolher o


próximo dentro de nós como um representante de toda a
humanidade, agradecendo aos milhares de antepassados que foram
utilizados para criar a nossa natureza física e humana. Agradecendo
também as pessoas que são ligadas a nós graças à vontade de
Deus, falando “Muito obrigado” a cada uma delas.

Não podemos mais considerar como algo que nos pertence, as


pessoas e todos os seres vivos que existem a nossa. Precisamos nos
esforçar para aprender a fazer o sōnen de que tudo isso nos foi dado
por Meishu-Sama, e que o Supremo Deus deseja, com toda a sua
graça, nos receber no Paraíso.

Dedicando diariamente com este sōnen, pouco a pouco


conseguiremos corresponder à vontade de Meishu-Sama em querer
nos ensinar que o ser humano é um representante de Deus na Terra.

A nossa vida não é um livro que acaba no mundo material.

Como a nossa consciência egoísta (EGO - autoconsciência),


conhecida também como o sentimento, está viva hoje neste mundo
como um ser humano, ela é uma existência eterna.

Deus esta projetando na Terra o Paraíso, fazendo com que a


humanidade se volte para ele (o Paraíso). Acredito que esta é a
mudança do sentimento, que Deus está tentando realizar dentro de
nós.

Meishu-Sama, que concretizou esta obra dentro de si como o


Messias, está querendo nos unificar a ele. Por isso eu acredito que
precisamos nos tornar um só corpo com Meishu-Sama.

231
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O que me deixa mais feliz agora, é saber que esta brotando em


mim a convicção de que Deus se lembra de cada um de nós, como
candidatos a se tornarem “verdadeiros filhos de Deus”.

Estarei orando para que este sentimento se enriqueça cada


vez mais de agora em diante dentro de cada um de nós.

Por fim, estarei orando ao Supremo Deus, em nome de


Meishu-Sama como o Messias, para que todos nós seres humanos, o
fruto mais nobre de todo o ato da criação, possamos gerar bons
frutos, assim com os frutos colhidos durante o outono. Também
estarei orando para que cada um de nós possa ser colhido como
filhos que alegram o Supremo Deus. Encerro minhas palavras,
orando para que a prosperidade possa preencher o dia a dia de cada
um nos senhores, e para que todos sejam agraciados com as
maiores bênçãos divinas.

Muito obrigado a todos.

232
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

31 - PURIFICAÇÃO – DÁDIVA DE DEUS (JANEIRO DE 2008)

Saudação de Ano Novo de Kyoshu-Sama


1º de janeiro de 2008
Revista Izunome 1

É com profundo respeito que, como um elemento que está


recebendo a educação infinita, para poder ligar-se em um só corpo
com Meishu-Sama, que, pela vontade do Supremo Deus, que vive
por toda a eternidade, se tornou Seu verdadeiro filho, o Messias,
agradeço do fundo do meu coração por poder estar começando mais
um ano maravilhoso juntamente com todos os senhores.

Feliz Ano Novo a todos.

Neste início de ano gostaria de apresentar aos senhores, na


íntegra, o documento sobre o andamento do trabalho realizado pela
Sede de Desenvolvimento de Projetos em Conjunto, um órgão da
Igreja-Mãe.

1 - Retrospectiva do ano.

Ao relembrar o ano que passou, apesar de serem gradativos,


pudemos registrar grandes progressos rumo à verdadeira unificação
da Igreja:

1.1) Constantes reuniões informais dos diretores e das áreas


de difusão

1.1.1) As reuniões informais dos diretores lotados na Sede


Geral, que tiveram início em 2006, passaram, a partir do Culto do
Paraíso Terrestre do ano passado, a ser realizadas a cada dois
meses, até que aconteça a concretização de uma Igreja única.

1.1.2) No ano passado os representantes dos ministros


realizaram cerca de 170 reuniões informais, nas áreas de difusão,

233
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

praticamente o dobro do número de encontros que foram realizados


em 2006. Neste novo ano, também, essas reuniões acontecerão em
nove áreas de difusão.

1.1.3) Na época em que essas reuniões tiveram início, por


causa das divergências de mais de vinte anos, era notória a grande
diferença nos passos dados por cada grupo. Mesmo assim, a cada
encontro verificava-se a consolidação da compreensão dos
participantes. Além disso, pelo fato de as conversações se
desenvolverem com base nos Ensinamentos, percebia-se que, em
relação à fé em Meishu-Sama, não existia qualquer divergência.

1.1.4) Em 2007, começamos a realizar reuniões para repassar


e confirmar os trabalhos que desenvolvemos desde o início dos
encontros voltados para a verdadeira unificação da Igreja, em
dezembro de 1997.

1.1.5) De forma concreta, baseados na “Essência do Acordo de


Reconciliação” (Daikeirin n° 3), na “Diretriz que objetiva a realização
de uma Igreja única” (Daikeirin n° 3) e no “Objetivo para uma
verdadeira unificação da Igreja” (resumo, Daikeirin n° 5), pudemos
realizar estudos exaustivos sobre a vontade firme da diretoria
executiva da Igreja-Mãe que, com todo o respeito, tem acatado a
vontade de Kyoshu-Sama, o qual assume como sua própria missão
concretizar o acordo de reconciliação.

1.2) Organização dos Ensinamentos efetuada por cada equipe

1.2.1) Desde 2006 cada equipe, que é composta por elementos


das três Igrejas, vem realizando pesquisas e organização dos
Ensinamentos e realizações de Meishu-Sama, e apresentando-as
sucessivamente.

1.2.2) Acreditando que todos os trabalhos realizados irão servir


de apoio para a nossa união com a Obra Divina de Meishu-Sama,

234
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

estamos aguardando ansiosamente que cada projeto conclua, o


quanto antes, o seu material de compilação dos Ensinamentos.

1.3) Publicação e estudo dos Ensinamentos sobre o Solo


Sagrado.

1.3.1) Dentre essas atividades, é digna de menção a


publicação do livreto intitulado “A Obra Divina de Meishu-Sama – a
construção do Solo Sagrado e do protótipo do Paraíso Terrestre”.
Trata-se de uma extensa compilação de Ensinamentos, englobando
os estudos desenvolvidos por vários anos pela equipe que
desenvolve o “Projeto de Administração do Solo Sagrado” e que,
apresentada à Sede de Desenvolvimento de Projetos em Conjunto,
foi aprovada e publicada.

1.3.2) Nas reuniões informais dos diretores foram realizados


estudos, com toda seriedade, utilizando esse livreto. As conversações
se estenderam de forma abrangente, não se limitando ao
pensamento de que o Solo Sagrado é um lugar belo e artístico, que
purifica o espírito dos visitantes. Pudemos, por exemplo, despertar
para o extraordinário desejo de Meishu-Sama de construir os Solos
Sagrados e os Museus de Arte como “Protótipos do Belo”, com o
intuito de estender a sua filosofia às lideranças da sociedade, do
nosso país e do exterior.

1.3.3) Também foram realizados sucessivos aprimoramentos-


dedicação, com a participação dos diretores de cada Igreja-filial, dos
membros de cada equipe e dos ministros, inclusive com a presença
deles no Solo Sagrado.

1.3.4) Vamos apresentar, a seguir, as impressões que


consideramos mais relevantes dos participantes desses
aprimoramentos-dedicação:

1.3.4.a) “Acredito que, no passado, nunca houve busca tão


intensa e completa pelos Ensinamentos. Observando o Solo Sagrado

235
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

com os Ensinamentos em mãos, podemos sentir com que desejo e


sentimento Meishu-Sama construiu o Solo Sagrado, o que fortaleceu
o meu respeito por Ele”.

1.3.4.b) “ Pude sentir que, graças à sincera dedicação dos


numerosos precursores, ofertas monetárias puras chegaram à Igreja,
tornando possível a aquisição dos terrenos necessários. A construção
do Solo Sagrado de Hakone aconteceu em meio a sucessivos
milagres. Realmente vejo que aquele era um local determinado por
Deus e assim pude, uma vez mais, reconfirmar a extraordinária força
espiritual de Meishu-Sama.”

1.3.4.c) “Ao contemplar a bela paisagem vista do Palácio de


Cristal, onde Meishu-Sama teria dito “Gostaria que o maior número
de pessoas apreciasse e sentisse prazer observando, deste local, a
paisagem com que Deus nos agraciou”, ao mesmo tempo em que
pude ver que realmente aquele é um local preparado desde a época
da criação do Céu e da Terra, também senti fortemente como Meishu-
Sama se entregou, com todo fervor, à salvação das pessoas e na
construção do protótipo do Paraíso Terrestre.”

1.3.4.d) “Senti que, misteriosamente, todo o entorno do Solo


Sagrado de Kyoto, cidade de paisagens lindas onde se condensam a
história e a cultura do Japão, foi preparado há milhares de anos por
Deus, e que é considerado como área de preservação da paisagem
natural da velha capital, está recebendo um amplo empenho na sua
manutenção, por parte da municipalidade de Kyoto.

1.3.4.e) “Eu pensava, apreensivo, se realmente teríamos a


permissão de alcançar uma “Igreja única”. Porém, estar presente com
todos no mesmo Solo Sagrado, realizar o estudo dos mesmos
Ensinamentos e sentir, da mesma forma que todos, os sentimentos
de Meishu-Sama me fez entender que, através do empenho nessa
busca em conjunto, o destino que devemos alcançar é o mesmo.”

236
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

1.3.5) Podemos ter plena convicção de que nos será permitida


a concretização da Igreja Única, se os integrantes das Igrejas-filiais
se unirem num só corpo, realizando estudos dos sentimentos de
Meishu-Sama e da postura sincera dos servidores que dedicaram,
com todo amor e sinceridade, ao lado dele, tentando apreender com
que pensamento Ele se empenhou na construção dos Solos
Sagrados.

1.3.6) O que nos deixa profundamente feliz é que, ao mesmo


tempo em que, por um lado, está sendo respeitada a autonomia de
cada Igreja-filial, por outro, o estudo e a prática fundamentados nos
Ensinamentos e nas realizações de Meishu-Sama se tornaram
comuns a todas as Igrejas e assim se amplia , dia a dia, o mundo de
alegria e emoção dos que compartilham da mesma fé.”

1.4) Sobre a personalidade divina de Meishu-Sama.

É digno de menção que, em relação à personalidade divina de


Meishu-Sama, há 5 anos os órgão competentes da Igreja-Mãe e das
Igrejas-filiais o proclamaram o Salvador (Messias), e que,
recentemente, foi dado início ao movimento para tornar esse aspecto
divino concreto e evidente. Portanto, acreditamos que em breve essa
ação começará a produzir resultados.

2 - O direcionamento deste ano

2.1) Na diretriz consta: “Para estarmos unidos a Meishu-Sama,


é essencial e imprescindível centrar a busca e o estudo nos Seus
Ensinamentos e realizações. Acreditamos que a tarefa básica para
isso é colocarmos Meishu-Sama em nosso coração, e podermos
servir na sua Obra Divina.”

2.2) Esperamos que, neste ano, possamos mostrar ao mundo


as provas da força de Meishu-Sama como Salvador (Messias), nos
tornando pessoas ligadas a Ele, buscando nos Seus Ensinamentos e
em Seus feitos, a Sua vontade.

237
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

2.3) Com a soma desses trabalhos desejamos que, junto com


a reforma da própria fé de cada indivíduo, em cada Igreja filial,
possamos nos empenhar na ampliação da “salvação e construção”,
orando a Meishu-Sama para que possamos ser agraciados com Sua
grande proteção, e que tenhamos a permissão de obter ainda maior
avanço na verdadeira unificação da Igreja.

Sinto sincera gratidão aos senhores da Sede de


Desenvolvimento de Projetos em Conjunto, das Igrejas filiais,
integrantes e membros em geral, pelo empenho voltado para a
criação de uma Igreja única. Ao mesmo tempo, sinto profunda
gratidão pelo Supremo Deus, que se encontra junto de Meishu-Sama,
pela Sua grande benevolência de nos ter educado, criado e
conduzido.

Bem, nós fomos permitidos descer do Céu, eterno e ilimitado,


para esta terra, e vivemos no mundo dos fenômenos que possui um
tempo que passa incessantemente. Vivemos, utilizando o tempo
como se fosse algo de nossa propriedade. Por exemplo, realizamos a
nossa preparação para o futuro relembrando, medindo e marcando o
tempo em nossas ações do passado.

Todavia, como o tempo pertence originariamente ao Supremo


Deus, creio que nós estamos utilizando-o com a Sua permissão.

E será que nós não estamos podendo observar, no transcurso


do tempo, a obra de Deus, realizada conforme a Sua vontade,
transferindo do mundo celestial para o mundo material, utilizando a
nós e todas as coisas da Natureza?

No entanto, como vivemos com sentimento humano, será que


sem perceber, não estamos utilizando o tempo a nosso bel-prazer,
dando demasiada importância a certos fatos e assuntos do passado
ou em outros momentos considerando-os simples acontecimentos e
encarando-os de forma leviana, sem nenhuma seriedade?

238
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Enquadrando essa situação na questão da reconciliação da


Igreja, sinto que ela foi possível, evidentemente, pela colaboração
das pessoas envolvidas mas, na realidade, ela foi realizada graças à
vontade dos Céus que, ao se transpor para a Terra, nos possibilitou a
reconciliação, não acham?

O verdadeiro ponto de partida da reconciliação não estaria no


mundo celestial? Acredito que, ao mesmo tempo em que ele é eterno,
seja um mundo onde tudo pode se concretizar num piscar de olhos.
Pelo fato de uma obra do mundo celestial estar sendo refletida
incessante e ilimitadamente neste mundo material, que é constituído
de tempo e espaço, creio que a obra de reconciliação, já consumada
no mundo celestial, esteja sendo contínua e intermitentemente
refletida no mundo material. Por isso nós, que vivemos no mundo
material e estamos sendo educados pela eternidade, devemos
agradecer pelas obras efetivadas no mundo celestial. Também creio
que precisamos seguir avante, renovando sempre esse pensamento.

Devemos estar atentos para que não relevemos tudo por conta
de afirmativas como: “a história se repete” ou “após a comida passar
pela garganta, esquecemos a sua quentura”. Sinto também que,
enquanto o trabalho que visa a criação da “Igreja única” estiver
baseado na autonomia do mundo material, por mais que nos
empenhemos jamais romperemos o círculo vicioso em que ele se
encontra.

Para que nós possamos seguir avante, evoluindo e


aperfeiçoando-nos cada vez mais, devemos retornar ao mundo
celestial, que vem a ser a nossa verdadeira natureza, e que existe
dentro de cada um de nós. Isto é, sinto que precisamos voltar ao
“verdadeiro eu” e, recebendo essa atuação do mundo celestial, ter
sempre o pensamento “Utilizai-me, Senhor, para que a Vossa
Vontade seja concretizada.”

Ao mesmo tempo em que me deparei com a grandiosa e


invisível força do Johrei, também pude sentir quão grandiosa é a

239
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

força da ação do Sōnen, pensamento invisível que consegue


transformar até mesmo circunstâncias concretas. Sinto que preciso
entender ainda mais o sentimento de Meishu-Sama, que compôs o
salmo “A força visível é limitada, mas a invisível é ilimitada”.

Gostaria de dizer aos senhores o seguinte: nós afirmamos


“Estou servindo à Obra Divina”. Quando realizamos atividades com
formas visíveis ou praticamos alguma coisa útil, sentimos que
estamos servindo à Obra Divina. Por outro lado, quando nós nos
encontramos em purificação, em estado de sofrimento e angústia,
temos a sensação de que não estamos sendo úteis à Obra.
Entretanto, creio que, através do nosso pensamento humano que
visualiza as coisas apenas pelo aspecto físico, é difícil entender de
que forma Deus nos utiliza. Isso porque nós, que somos utilizados,
somos constituídos não apenas do corpo físico, mas, também, do
corpo espiritual. E é esse corpo espiritual que vem a ser o nosso
verdadeiro corpo.

Nós, por exemplo, dizemos “ultrapassar a purificação” mas,


nesses momentos, não devemos pensar separadamente sobre
“receber uma purificação” e “ser útil à Obra Divina”. Meishu-Sama nos
ensinou que a purificação é uma lei rigorosa do Céu e da Terra.
Sendo assim, ela certamente atua sem um segundo de interrupção,
tanto no homem como em todas as coisas da Natureza. Creio que,
através do Seu infinito amor, o Supremo Deus esteja acionando essa
lei constantemente, para dar prosseguimento à Sua Obra de perdoar,
purificar, salvar e fazer renascer a humanidade, para a purificação
espiritual e material do homem. Mesmo em se tratando da purificação
de um só indivíduo, ela se relaciona intimamente com a purificação
da humanidade e do globo terrestre, sendo uma parte importante da
Obra Divina. Meishu-Sama nos ensinou que não somente a doença,
mas todos os sofrimentos são ações purificadoras. Mesmo que eu
esteja ciente, teoricamente, do significado do Ensinamento que fala
sobre “purificação”, durante a sua atuação, desejando melhorar
rapidamente, o meu pensamento se volta somente para o ponto
problemático que deve ser resolvido e para as partes afetadas, que

240
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

devem ser purificadas, e acabo esquecendo que,por trás disso,


encontra-se preparada uma magnífica dádiva e que há uma atuação
extraordinária da força de purificação.

Apesar de ser uma pessoa imatura, Deus utiliza-me


gentilmente para conceder-me a Sua dádiva, mas nem consigo
perceber isso, o que acho uma grande desconsideração da minha
parte. Na verdade, quem melhor sabe sobre o nosso estado de
sofrimento e de angústia são o Supremo Deus e Meishu-Sama, e
também são Eles que estão desejando nos livrar dessa situação.
Acreditando no que acabei de afirmar, ao invés de agradecer, dizendo
que terminou a purificação, é no momento em que estamos
purificando que devemos crer, com coragem, que esse estado é a
prova de que realmente estamos sendo utilizados na Obra Divina e
orar: “Por favor, utilizai-me, juntamente com toda a humanidade e
todas as criaturas, para que a Vossa Vontade seja concretizada”. Se
conseguirmos orar com gratidão, dessa maneira, tenho plena certeza
de que Meishu-Sama ficará realmente feliz. Assim, aceitando esse
ato como condizente com a vontade dele e considerando-nos
instrumentos aptos, Ele nos utilizará, compartilhando conosco a Sua
maravilhosa dádiva. Tenho plena convicção de que assim Ele está
nos educando e criando. Eu também não consigo deixar de pensar
que estou acostumado, em demasia, pelo recebimento de incontáveis
graças divinas e que, sem poder reconhecer que a purificação é o
grande amor de Deus, eu a venho menosprezando.

Gravando profundamente no coração o seguinte salmo de


Meishu-Sama: “Sendo a doença uma ação para purificar o corpo e a
alma, ela é a maior bênção de Deus”, desejo que possamos seguir na
nossa jornada.

Para finalizar, em nome do Messias, Meishu-Sama, louvo o


Supremo Deus, orando para que Ele, através do espírito da palavra
“Messias”, faça penetrar e preencher com o sopro vital divino,
constantemente renovado, cada um dos senhores e todas as coisas

241
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

do Universo, para que tudo renasça e se liberte para a


resplandecente fonte da vida.

Muito obrigado.

242
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

32 - O NOVO PARAÍSO JÁ ESTÁ CONCLUÍDO (ABRIL DE 2008)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera, Templo Messiânico de Atami
4 de fevereiro de 2008
Revista Izunome 3

Minhas sinceras felicitações pelo Culto de Início da Primavera.

Com profundo respeito agradeci por poder participar deste


Culto como uma das pessoas que, pelas imensas bênçãos do
Supremo Deus, juntamente com todos os senhores, estão sendo
criadas e educadas unidas com o Messias, Meishu-Sama. Orei,
também, para que sejamos utilizados nas novas atividades da Obra
Divina neste ano, atividades estas que deverão concretizar o
sentimento de Meishu-Sama.

O Único e Supremo Deus, que vive por toda a eternidade,


preparou partículas de Seu próprio espírito para dar vida a Seus
filhos, ou seja, “representantes” que herdem a Sua Obra de Criação.
Dizendo de outra forma, penso que a Consciência Original, ou seja, o
propósito do Supremo Deus de dar vida a Seus filhos está presente
em todas as coisas.

Por isso nós, que somos as partículas do espírito do Supremo


Deus, fomos previamente preparados, no mundo divino, para servir à
Sua Obra, fundidos com a Consciência Original e feitos nascer na
Terra, cada um dotado de sua própria autoconsciência. De acordo
com isso, entendo que o nome que recebe essas partículas divinas
seja Messias.

Compreendo que, mesmo que o número dessas partículas


divinas seja incalculável, no eterno e ilimitado mundo divino, isto é,
junto ao Supremo Deus, elas sejam uma só unidade. Tenho a
impressão de que isto se assemelha ao fato de que, qualquer que
seja o copo com que apanhemos a água do mar, seu conteúdo será

243
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

sempre água do mar. A maneira humana de compreender as coisas é


totalmente diferente da maneira do Supremo Deus e, por isso,
devemos ser cautelosos para não tratarmos levianamente as coisas
que se referem ao invisível mundo do espírito. No entanto, creio que
seja permitido o uso desse tipo de exemplo, para a associação de
idéias, na tentativa de auxiliar o nosso entendimento.

Além de ter nascido na Terra como filho de seres humanos,


assim como todos nós, Meishu-Sama também concretizou o
propósito do Supremo Deus de nascer de novo, como Seu filho. Por
isso eu creio em Meishu-Sama como verdadeiro filho do Supremo
Deus, como Seu verdadeiro representante, e o chamo de Messias. A
partícula divina, que é a nossa alma, não pertence ao ser humano, e
sim, ao Supremo Deus. Assim, podemos pensar que ela possui
caráter divino. Mesmo considerando que existem inúmeras
divindades e entidades espirituais, devemos entender que apenas o
Supremo Deus possui o que chamamos de caráter divino e que tudo,
incluindo o homem e as demais criaturas, é a expressão do Único e
Supremo Deus.

No entanto, chegar a ter uma percepção assim é algo muito


difícil para nós, seres humanos, que fomos feitos portadores,
individualmente, de uma consciência e vivemos num mundo que
classifica e delimita todas as coisas.

Creio que podemos afirmar que Meishu-Sama, como Messias,


traz, dentro de si, o caráter divino do Supremo Deus justamente
porque Ele nasceu de novo como Seu filho, ao perceber e tornar-se
convicto de que a partícula divina que habitava Seu interior não era
Sua, mas sim, do Supremo Deus. Por isso preciso compreender, por
pouco que seja, o estado de espírito de Meishu-Sama quando Ele se
referia ao Seu trabalho, dizendo: “Não dá para pensar que seja obra
humana”, ou quando escrevia poemas como “Sou homem e não sou
homem. Sou Deus e não sou Deus. Fico a refletir sobre mim
mesmo...”.

244
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Isso significa que preciso conhecer a minha posição, como ser


humano, em relação ao Supremo Deus. Creio que só é possível
atingir um estado de espírito como o de Meishu-Sama quando
conseguimos nos conscientizar de que a partícula divina, que está em
nós foi outorgada com a sabedoria e a força absoluta e infinita do
Supremo Deus. Ao mesmo tempo precisamos compreender,
claramente, o quanto a natureza humana, que é o recipiente dessa
partícula divina, é impotente e imatura.

Não seria essa a conscientização que todos nós, humanos,


partículas do espírito do Supremo Deus, deveríamos passar a ter? Eu
compreendo que o nome “Messias”, originalmente, não é uma
denominação humana, atribuída com base nas suas atividades
terrenas, mas como uma denominação divina, que pertence ao
Supremo Deus.

Como a atuação do Messias envolve a construção do Paraíso


Terrestre e a salvação da humanidade, podemos considerá-lo
também como o Salvador, no sentido de “salvador do mundo”. Por ser
filho do Supremo Deus, herdeiro e representante de Sua obra, será
que o “Salvador”, ou seja, o Messias, não pode manifestar todo o
absoluto poder, força e sabedoria do Supremo Deus, como Meishu-
Sama nos ensinou?

Meishu-Sama nos orientou que “quando o homem se eleva,


torna-se divino”. Creio que esse Ensinamento nos mostra que o ser
humano, originalmente, é uma existência criada para crescer servindo
ao Supremo Deus, que é o pai da vida, e para herdar o Seu imenso
sentimento e a Sua obra. Além disso, se Meishu-Sama também nos
ensina que “podemos conceituar o progresso da civilização como a
evolução do homem animal para o homem divino”, e que “o lugar
onde se reúnem homens divinos poderá ser outro que não o Paraíso
Terrestre?”, Ele nos indica que, com o aumento do número de
homens que visam se tornar filhos do Supremo Deus, a Terra irá se
transformando em Paraíso. Portanto, ao invés de “idolatrar” Meishu-
Sama, como é comum se ver, será que não deveríamos respeitá-lo

245
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

como um modelo para a humanidade de como nos tornarmos


representantes do Supremo Deus? Será que, para seguir Seu
exemplo, não deveríamos desejar nascer de novo como filhos do
Supremo Deus? Eu acredito que Meishu-Sama está querendo nos
unir, em um só corpo, com Ele.

Meishu-Sama compôs o salmo:

“A bola de Luz que está em meu


ventre se expandirá, dia após dia, e
envolverá o mundo todo”

Como agora estamos envoltos pela Consciência Original do


Supremo Deus, que é a Bola de Luz a que Meishu-Sama se refere,
não há como pensar que Meishu-Sama e nós somos existências
distintas. Não é mesmo? Sendo assim, quando Meishu-Sama
escreve: “Eu, apenas eu, recebi do Supremo Deus a missão de salvar
o mundo”, nós também não estaríamos incluídos neste “apenas eu”?
Portanto, acho que o melhor é aceitar que cada um de nós vive no
mundo da consciência e que Meishu-Sama é a nossa cabeça e nós
somos seu corpo físico, seus pés e suas mãos.

Sinto que o verdadeiro significado da expressão “nascer de


novo” não se refere ao nosso nascimento, mas sim, à concretização
do propósito do próprio Supremo Deus, que é renascer dentro de nós.
Para isso, acredito que o mais importante é confiar plenamente que
Meishu-Sama estava nos unindo e determinar, em nossos corações,
que receberemos, dentro de nós, a partícula divina de Meishu-Sama
como o Messias, que renasceu e cumpriu o propósito do Supremo
Deus. Meishu-Sama percebeu que estava envolto pelo Supremo
Deus e, ao mesmo tempo, compreendeu claramente que o Criador
estava vivo dentro d’Ele. Este estava vivo dentro de si. Gostaria que
nos educássemos para que também alcancemos essa mesma
convicção de Meishu-Sama.

246
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Estou muito agradecido a todos os messiânicos que, através


do propósito de “Cultivar a fé que liga ao Messias – Meishu-Sama”,
estão aplicando todas as suas forças na construção do Solo Sagrado
de Heiankyô – a Terra da Tranqüilidade, e nas três Colunas da
Salvação – Johrei, Agricultura e Alimentação Natural, e a salvação
através do Belo. Também estou muito feliz por sentir, através das
inúmeras experiências de fé enviadas pelos messiânicos, não só do
Japão mas do mundo inteiro, que todos estão cultivando o sentimento
de expressar sempre a gratidão, gerando muita alegria e formando
uma corrente de salvação através da Prática do Sōnen.

Um ponto que tenho a observar, a respeito da “Prática do


Sōnen”, é o quanto temos noção ou não de que a nossa consciência
evolui o tempo todo e que, em nosso cotidiano, a disseminamos em
forma de Sōnen, sem percebermos. Fazemos uso dessa consciência
considerando-a nossa, achando que nós a criamos e nós é que a
estamos manifestando mas, na verdade, é o Supremo Deus que a
maneja a todo instante, como Sua consciência e para externar a Sua
própria manifestação. Eu acredito que o Supremo Deus está criando
e educando a nossa consciência como a Sua própria, para nascer
novamente dentro de cada um de nós.

Portanto, o simples fato de surgirem pensamentos, sejam eles


bons ou ruins, dentro de nossa consciência, já mostra o nosso
profundo relacionamento com a obra da Criação do Supremo Deus,
isto é, com a Obra Divina de Meishu-Sama. O Supremo Deus já deu
a permissão de purificar a um número incontável de antepassados. E,
para salvá-los, ligou-os a nós, do presente, fazendo-nos experimentar
um pouquinho do estado caótico do passado e reproduzindo-o em
nosso corpo e na nossa consciência. Ele está fazendo isso como um
treinamento para nós, para que possamos nos tornar os filhos que
herdarão a Sua obra de salvação.

Esse é o plano do Supremo Deus para concretizar, na Terra, a


Obra Divina de salvação da humanidade e da construção do Paraíso
Terrestre, já concretizadas no Mundo Divino. Por isso, creio que está

247
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

sendo exigido que nós nos dediquemos à obra de encaminhamento e


entrega dos antepassados ao Messias, Meishu-Sama, para que eles
possam ser recebidos no radiante e iluminado Paraíso preparado no
centro da nossa consciência. Para isso, da mesma forma que
estamos, agora, respirando o ar com a consciência de que o
recebemos do Supremo Deus, também não devemos nos descuidar
do treinamento para utilizar, de forma consciente, o Sōnen que
estávamos disseminando inconscientemente. E, também, devemos
nos manter atentos para sempre corrigir o rumo do nosso Sōnen,
para que o Supremo Deus possa se manifestar.

Ao mesmo tempo em que nós somos existências físicas,


também somos existências espirituais. Como a Lei “O Espírito
Precede a Matéria”, que atua em nós, é uma rigorosa lei do Universo,
certamente todo ser vivo e todas as demais existências também
estão sujeitas a ela. O fato de Meishu-Sama nos ensinar sobre esta
Lei, de maneira especial, de forma tão enfática, significa que não
basta apreendê-la como conhecimento. Ela precisa ser apreendida
como regra de vida do ser humano que deverá herdar a Obra de
Criação do Supremo Deus. Se tornamos a Lei “O Espírito Precede a
Matéria” a base da nossa maneira de viver, estamos posicionando
como “senhor” (o que comanda) a nossa alma, que é a nossa própria
essência, a nossa consciência original, a nossa vida, a nossa
semente, e posicionando como “subordinado” (o que obedece) a
nossa consciência, o “recipiente” da alma.

Não podemos deixar que a consciência seja controlada pela


natureza humana, chamada ego e, sim, fazer com que ela escute e
obedeça ao chamado da nossa alma, que é uma partícula do espírito
do Supremo Deus. Penso que, se conseguirmos que a nossa
consciência amadureça até o ponto de poder corresponder à vontade
divina contida em nossas almas, ou seja, se espírito e físico se
tornarem unos, as portas do Paraíso que existe dentro de nós se
abrirão amplamente.

248
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Assim, a luz da inteligência e a força ilimitada e absoluta deste


Paraíso fluirão para a nossa natureza humana, que é um recipiente, e
reavivarão completamente nosso corpo e espírito, revitalizando
também o mundo dos fenômenos (mundo material).

Em dois de Seus salmos relacionados com civilidade, Meishu-


Sama escreveu:

“Saibam os fiéis que a essência da fé consiste em


manter a civilidade”

“A desordem existente
no mundo material é uma conseqüência
do menosprezo da civilidade”

Através destes salmos, pude compreender o quanto é


importante manter a civilidade, e que seu significado consiste em
priorizar o respeito e a moderação, no contato com as pessoas.

Meishu-Sama também escreveu o salmo:

“No país em que superiores e


subalternos respeitam a
civilidade, sopram ventos
de verdadeira paz”

Nesse salmo, eu acho que Ele quis nos ensinar que a


expressão “superiores e subalternos” está além das diferenças de
posição entre pais e filhos, homem e mulher, idade, classes sociais e
capacidade. E que o ser humano precisa respeitar a civilidade no
contato com os outros. Entretanto, independente de Meishu-Sama
estar ensinando que existe uma forma mais importante de civilidade a
cumprir e que isso é a essência da própria fé, e que precisamos
respeitá-la, eu mesmo deixei isso passar despercebido até os dias de
hoje.

249
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

A mais importante de todas as formas de civilidade não seria o


respeito para com o Supremo Deus, o pai da nossa vida? Não seria
existindo o respeito para com o Supremo Deus que existe o respeito
entre os homens? Isso porque a alma não pertence ao ser humano,
mas sim, ao Supremo Deus. Não seria fato que estamos vivos porque
o Supremo Deus está vivo dentro de nós? O ar que nós inspiramos e
expiramos não é nosso. Esse ar não seria a própria respiração da
vida do Supremo Deus? Eu me questiono se consigo pensar que, se
não houvesse a força da vida do Supremo Deus, eu não poderia
respirar, movimentar meu corpo, exercitar os cinco sentidos, ter
emoções. Questiono, também, se consigo pensar que a vida de Deus
está presente dentro da pessoa que está à minha frente, bem como
em todas as outras.

Questiono-me, ainda, se acredito ou não que todas as


criaturas, incluindo os animais, os vegetais, todos os elementos
químicos, enfim, todo o Universo, são manifestações da vida do
Supremo Deus. Quando me questiono sobre isso, tenho a sensação
de que, preso somente à vida que tem forma, eu não estava
compreendendo verdadeiramente a essência e o valor do que é a
vida. Será que, ao acabar considerando ser suficiente unir as mãos e
orar diante do Altar, não vim negligenciando o respeito que devo ao
Supremo Deus que está vivo dentro de mim? Não posso deixar de
pensar nisso.
Às vezes, ficamos irritados quando somos ignorados ou
menosprezados. Tenho a impressão de que a ocorrência desse tipo
de reação desconfortável está nos ensinando que estamos sendo,
todos nós, a humanidade, responsabilizados por esquecer de prestar
respeito ao Supremo Deus e vir ignorando-O, até hoje. Em outras
palavras, durante muito tempo a humanidade veio ignorando o
Supremo Deus. Essa situação tornou-se informação genética.

Não só eu como também a pessoa com quem estou lidando,


herdamos essas informações. Mesmo assim, o Supremo Deus não
destruiu nem a nós, a humanidade, nem essas informações
genéticas. Só posso crer que é para nos tornar Seus filhos que Ele

250
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

está nos permitindo viver até hoje e está perdoando até mesmo a
nossa ignorância e arrogância, fazendo-nos crescer e evoluir
eternamente. Por isso, temos o importante papel de, em nome do
Messias, Meishu-Sama, comunicar aos nossos antepassados, vivos
em nós, em forma de informação genética, a boa-nova de que eles
estão sendo recebidos no caminho da salvação porque já receberam
a permissão de serem purificados do pecado de terem ignorado a
existência de Deus.

Além disso, acredito que o sentimento de prestar respeito ao


Supremo Deus é o fundamento do makoto, que devemos cultivar e
que, aliás, gostaria que todos os senhores cultivassem.

Meishu-Sama escreveu o seguinte salmo:

“É preciso que cada homem


retorne à sua verdadeira natureza e
exponha sua alma à Luz de Deus”

Sinto, neste salmo, que Ele nos ensina que cada um de nós
precisa retornar à sua verdadeira natureza, para fazer sua alma
brilhar através da Luz de Deus. Não consigo imaginar, entretanto, que
a verdadeira natureza, à qual preciso retornar, esteja na minha
consciência atual, que é instável e facilmente tomada pelo egoísmo e
pelo apego. Penso, sim, que a verdadeira natureza certamente se
encontra na minha consciência original, ou seja, no Paraíso existente
dentro da partícula do espírito do Supremo Deus, que é o meu
“verdadeiro eu”. Isso porque Meishu-Sama nos ensinou que a alma é
a natureza divina, é o próprio Bem.

Entretanto, apesar de possuirmos uma alma dentro de nós,


herdamos não só a dimensão do Paraíso, onde nossa alma foi
preparada, mas também a vida terrena, que é uma dimensão que
possui forma. Talvez, por isso, acabamos voltando nossa consciência
apenas para o mundo dos fenômenos, que possui forma, tornando-

251
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

se, assim, tão difícil direcioná-la para o nosso “verdadeiro domicílio”,


que é o Paraíso existente dentro de nós.

Dessa forma, mesmo que o nosso corpo físico viva na


dimensão terrena, deveremos desejar fortemente que a nossa
consciência retorne ao Paraíso existente no nosso interior, onde está
a nossa alma, para podermos contatar a verdadeira natureza de
Meishu-Sama, que ali está sempre presente, para que nossa alma
resplandeça através da Luz do Supremo Deus.

Desejo que consigamos nos tornar capazes de servir ao


Supremo Deus, a tudo e a todas as pessoas, com civilidade e
respeito, empenhando- nos para que a verdadeira natureza original
vá sendo projetada na nossa consciência atual. Acredito que essa
ação de “retornar” é algo extremamente importante.

Em nossa existência terrena, estamos presos ao tempo e ao


espaço e, dentro do nosso coração, ao nos considerarmos melhores
que os outros, vivemos julgando-nos, uns aos outros, com aquilo que
acreditamos ser bem ou mal. Isto não é fato? Não é esta a natureza
humana? Sendo assim, o que mais desejo é libertar-me dessa
natureza. Porém, isso é praticamente impossível somente com o
esforço para mudar de atitude, como se diz comumente. Não é fácil
libertar-nos da natureza humana, que veio sendo cultivada durante
gerações e gerações, pelos nossos antepassados. Se isso é possível
ou não depende de, acreditando na existência do Paraíso dentro da
nossa consciência, desejarmos verdadeiramente retornar a Meishu-
Sama, que está querendo nos receber nesse Paraíso, e de Ele
aceitar ou não esse nosso desejo. E, para isso, o melhor a fazer é
desejar, docilmente, sermos educados e criados por este Paraíso,
que é um mundo eterno e ilimitado e, ao mesmo tempo, um mundo
onde tudo se concretiza instantaneamente.

Eu acredito que o Paraíso, ao qual devemos retornar, é um


Paraíso novo e não aquele de até agora. Receber de Meishu-Sama a
revelação divina sobre a “Transição da Era da Noite para a Era do

252
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Dia” não significa, apenas, tomar conhecimento de que o mundo


espiritual, chamado Paraíso, se encontra em processo de transição
do mundo da noite, de até agora, para o novo mundo do dia.
Significa, também, que devemos realizar esta transição dentro de
cada um de nós. No salmo “A Obra Divina, invisível aos olhos
humanos, já está concretizada no mundo espiritual”, Meishu-Sama
nos mostra que a transição da Era da Noite para a Era do Dia, ou
seja, o novo Paraíso, já está concluído no mundo espiritual. Será que
isso não significa que o Paraíso, que existe no centro da nossa
consciência, já é um Paraíso renovado? Se for assim, precisamos
renovar a nossa consciência atual, para corresponder a essa
situação. E as atividades que desenvolvemos, nesta vida terrena,
também precisam se tornar atividades completamente renovadas.

Para isso, penso que seria necessário:

 Reconhecer que o novo Paraíso já está concluído;

 Retornar ao Paraíso que existe dentro de nós;

 Assimilar, no corpo e na alma, as novas atividades desse


Paraíso;

 Determinar, em nossos corações, que desejamos ser


utilizados na Obra de projeção desse novo Paraíso para o
plano terrestre.

Tenho a plena convicção de que assim, através da Lei da


Purificação, nossas imperfeições serão fortemente iluminadas e
teremos grande permissão de crescer, para que toda a humanidade,
que já se encontra dentro da permissão de purificar, possa de fato ser
purificada, salva e trazida de volta à vida, ou seja, para que o Paraíso
Terrestre se estabeleça.

Quando cada um de nós é utilizado pela poderosa ação de


purificação, temos a permissão de perceber e aprender sobre os

253
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

nossos próprios defeitos. Isso é algo que só a própria pessoa pode


experimentar. Poder fazer essa descoberta faz nascer alegria e
gratidão.

Quando estivermos passando por uma purificação, precisamos


sentir plena confiança no sentimento de Meishu-Sama contido no
salmo: “Não tema a doença. Lembre-se de que ela é uma bênção de
Deus, para purificar os pecados e as máculas acumuladas”.

Acreditando nisso gostaria de me empenhar, juntamente com


todos os senhores, para conseguir agradecer ao Supremo Deus Seu
grandioso amor e infinitas graças. Estarei orando para que, a partir
deste Culto de Início da Primavera, um novo sopro de vida do
Supremo Deus penetre, circule e reflua em cada um dos senhores e
que o sentimento de Meishu-Sama, juntamente com o espírito da
palavra Messias, possam se concretizar o mais rapidamente possível.

Estarei, também, sempre orando para que os novos dias, que


os senhores iniciarão a partir de agora, sejam plenos de riqueza de
espírito e paz.

Muito obrigado.

254
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

33 - VAMOS PARTILHAR AS BÊNÇÃOS DE DEUS (SETEMBRO DE


2008)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto aos Antepassados, Templo Messiânico de Atami
1º de julho de 2008
Revista Izunome 8

Minhas sinceras felicitações a todos pelo Culto aos


Antepassados.

Com imenso e profundo respeito lhes digo que o Único e


Supremo Deus, que é o Pai das nossas vidas, está vivo no passado,
no presente e por toda a eternidade. O Supremo Deus, como Pai,
está nos criando e nos vivificando através do sopro da vida eterna, da
consciência e da alma.

Meishu-Sama não nasceu somente como filho de seres


humanos, ou seja, filho de pais que possuem um corpo carnal, mas
também nasceu de novo como o filho que cumpriu o propósito do
Supremo Deus, ou seja, como o Messias. Eu acredito que a Obra do
Supremo Deus, consumada em Meishu-Sama, é um propósito que
precisa ser consumado em toda a humanidade.

Fomos feitos nascer neste mundo para renascermos, desta


vez, porém, como filhos do Supremo Deus. Por este motivo, Ele nos
uniu a Meishu-Sama fazendo- nos evoluir e crescer dentro de uma
formação contínua e eterna.

No Culto aos Antepassados que realizamos hoje, nós


expressamos nossa gratidão por tudo isso ao Messias, Meishu-Sama,
louvando de coração o Supremo Deus, que se encontra junto a
Meishu-Sama. Ao mesmo tempo, orei para que possamos ser
utilizados juntamente com nossos antepassados paternos e
maternos, vivos até hoje dentro de nós como a consciência de nossas
células, para concretizar a Vontade do Supremo Deus.

255
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Tenho profundo respeito por todos os senhores, messiânicos,


que vêm se empenhando diariamente com a intenção de transformar
o seu interior em paraíso, enquanto dedicam com afinco nas
atividades das três colunas da Obra Divina – Johrei, Agricultura
Natural (Alimentação Natural) e a salvação através do Belo – e na
construção do Solo Sagrado do Heiankyô (Terra da Tranqüilidade),
baseados na diretriz: “Cultivar uma fé que liga ao Messias – Meishu-
Sama”.

Com o objetivo de transformar seu interior em paraíso, os


senhores vêm se empenhando em realizar a “Prática do Sōnen” e em
educar o coração para agradecer em qualquer circunstância. Pude
perceber, através das inúmeras experiências de fé enviadas pelos
messiânicos, não só do Japão, mas de todo o mundo, a “Corrente de
Salvação”, que está surgindo através dessa prática e pude
compartilhar, assim, da mesma alegria e gratidão.

Estou muito agradecido por saber que os senhores não estão


limitando os sentimentos de alegria e gratidão que experimentaram, a
meras emoções, mas os estão estendendo ao trabalho de servir a
Deus, que é a idéia básica da “Prática do Sōnen”. Assim, estão
buscando a essência da prática do amor altruísta pregada por
Meishu-Sama, realizando, com o sentimento renovado, os atos que
objetivam levar a verdadeiro felicidade para as outras pessoas.

Fico muito feliz em saber que o esforço em levar a verdadeira


felicidade ao próximo está se ampliando de um em um originando,
assim, uma “Corrente de Felicidade”. Desejo que todos continuem
recebendo a ajuda e a orientação de Meishu-Sama nesta prática.

Partilhar as bênçãos de Deus com os outros

Bem, todos nós desejamos servir à Obra Divina de construção


do Paraíso Terrestre e de salvação da humanidade mencionada por
Meishu-Sama e também praticar o altruísmo; em outras palavras,

256
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

desejamos ser utilizados para partilhar as bênçãos de Deus com


muitas pessoas.

Sobre este tema, Meishu-Sama escreveu os seguintes


poemas:

“Nobre é o homem que,


desejando o bem do próximo,
coloca-se em segundo plano”

“Se você deseja corresponder


à Vontade de Deus, torne-se
uma pessoa que deseja
a felicidade do próximo”

Toda vez que me deparo com o sentimento de Meishu-Sama


de desejar a felicidade do próximo, percebo que preciso me tornar
uma pessoa capaz de corresponder a este sentimento. Entretanto, o
pensamento que nasce da vontade de receber as bênçãos, como, por
exemplo, o desejo de receber graças, de ser mais feliz, de ser uma
pessoa bem vista pelos outros, acabam surgindo em primeiro lugar, e
sinto que me falta generosidade para desejar a felicidade do próximo
e priorizar o outro no partilhar das bênçãos divinas.

Quando um problema que me atormentava é solucionado, sinto


alegria, gratidão e satisfação, como se isso já fosse o suficiente,
talvez porque eu esteja excessivamente envolvido com meus
problemas. Mesmo que eu consiga desejar tornar-me uma pessoa
que partilha as bênçãos Divinas com o próximo, na prática, este
desejo de partilhar não brota tão facilmente, e tenho a sensação de
que, na verdade, ele ainda não se tornou parte de mim. Além disso,
sinto que, em algum lugar do meu coração, alimento a idéia pré-
concebida de que um ser humano imperfeito como eu, prisioneiro do
egoísmo e do apego, jamais poderia ser capaz de fazer algo tão
grandioso como partilhar as bênçãos Divinas com outras pessoas,
resignando-me com esta situação.

257
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Desta maneira, ponho-me a reunir elementos negativos para


refletir sobre eles e me arrepender e, até mesmo, elementos para que
eu negue a mim mesmo, quando, na verdade, eu deveria procurar me
libertar e ampliar meus horizontes cada vez mais. Assim, sinto que
estamos nos impondo restrições, impedindo e limitando
conscientemente esse processo de formação que nos faz crescer e
evoluir.

Neste momento, eu percebi algo extremamente importante que


serve de base para minha própria formação e educação.

Meishu-Sama ensinou que nós, seres humanos, somos


“representantes de Deus”. O Supremo Deus concede Sua bênção
infinita a toda Sua Criação. Por isso, nosso dever como Seus
“representantes” não seria servir na divina tarefa de partilhar
plenamente Suas bênçãos? Será que não foi neste sentido que o
Supremo Deus nos preparou como partículas do Seu próprio espírito,
isto é, primeiramente nos preparou no Mundo Divino como filhos d’Ele
e, depois, fez cada um de nós nascer na Terra, vivificando-nos para
nos criar e educar como “representantes” que conseguem partilhar
Suas bênçãos?

No mundo dos seres humanos, nós fazemos a distinção entre


assuntos particulares e assuntos públicos. Entretanto, como a Obra
de Deus ordena o mundo inteiro de forma imparcial, ou seja, sem
sacrificar a verdade ou a justiça em favor de considerações
particulares, podemos dizer que tudo é público. Deus está sempre se
utilizando de nós, seres humanos, que somos inseparáveis de tudo o
que existe no mundo e, ao mesmo tempo, nos treina para fazer de
nós Seus filhos.

Portanto, por mais que pensemos que estamos fazendo algo


individualmente, por nossa própria conta, na verdade, será que não
estaríamos realizando o trabalho público de Deus? Creio que eu não
tinha consciência plena disto.

258
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Sendo assim, será que Deus não está nos dizendo: “Vocês
sempre pedem a minha ajuda e talvez pensem que eu não preciso da
de vocês. Mas, na verdade, eu preciso”? Não consigo deixar de
pensar nisso.

Eu acredito que Deus está tentando nos utilizar como veículo


de partilha de Suas bênçãos. Todavia, na prática, de nossa parte,
como pessoas que foram incumbidas do Propósito Divino, nossa
consciência encontra-se tão imatura e pouco evoluída que não
conseguimos pensar assim.

Dessa maneira, antes de mais nada, precisamos confirmar


este Propósito e responder dizendo: “Eu tinha recebido de antemão
esta missão, no Mundo Divino”. Esta precisa ser a base do nosso
modo de viver.

O que não podemos esquecer é que não somos nós que


fazemos por nós mesmos; mas, haja o que houver, somos sempre
utilizados de forma pública.

Como Meishu-Sama nos ensina no poema:

“Ao perceber o quanto a


força do homem é limitada, descobrimos
o quanto a força de Deus é
grandiosa”

Creio que é percebendo o quanto acreditamos


demasiadamente na força humana, que conseguiremos entender
verdadeiramente como a força divina é grandiosa. Mas sei que isto
não é fácil. Por isso, precisamos sempre dizer: “Desejo ser utilizado
para que Sua Vontade seja concretizada e eu seja formado e
educado adequadamente como Seu representante”.

Então, com o desejo de que as pessoas que correspondem à


Vontade de Deus recebam Suas bênçãos, não seríamos melhor

259
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

utilizados se pensássemos: “Senhor, eu lhe ofereço a alegria e a


felicidade que experimentei, portanto, por favor, utilize-me, pois
gostaria de partilhar Suas bênçãos e Sua força”?

Creio que isto está cada vez mais relacionado à prática de


entregar nas mãos de Deus e de manifestar nossa gratidão a Ele.
Além disso, ao sermos utilizados desta forma, Deus está nos
formando para sairmos de uma condição de desequilíbrio interior para
uma plenamente harmoniosa. É muito importante desejar que uma
nova etapa da Criação se manifeste neste exato momento em que
estamos vivendo a projeção no Mundo Material, da transição da Era
da Noite para a Era do Dia, que já se consumou no Mundo Divino.

A importância do espírito da palavra

Gostaria agora de ressaltar um ponto importante. O mundo em


que vivemos é o mundo onde ocorre a etapa final da criação, isto é, o
mundo da forma, que, na prática, é o lugar onde se manifestam não
somente o Sōnen, mas também as palavras que se originam dele. É
o mundo onde conversamos e cumprimentamos uns aos outros com
“bom dia” ou “boa-tarde”, por exemplo.

Não é preciso dizer que o trabalho do nosso Sōnen é essencial


e que ele está ligado diretamente ao Sōnen do Supremo Deus, ou
seja, à Vontade Divina; em outras palavras, ao propósito do Supremo
Deus, ao Seu sentimento e, como dizem, à Consciência Original.

Entretanto, se nós temos o desejo de servir a uma Obra Divina


cada vez mais forte e evoluída, simplesmente fazer Sōnen talvez não
seja suficiente. Será que Deus não estaria precisando não só do
nosso Sōnen como também das palavras que pronunciamos?

Geralmente, nós utilizamos as palavras livremente, de acordo


com nossa vontade humana, como se nos pertencessem. Porém, não
seriam as palavras na sua origem a representação do Espírito da
Palavra, que é a palavra de Deus, ou seja, a representação do

260
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Propósito do Supremo Deus? Meishu-Sama nos ensinou quão grande


é a influência do Espírito da Palavra.

Sobre isso, Ele escreveu os seguintes poemas:

“Por mais impuro que esteja


o mundo, se o espírito de palavras
de Makoto ecoar mundo a fora,
este será purificado”

“Nenhum esforço valerá a pena


se a poderosa força do espírito
da palavra não vier
de uma alma bela”

Nós não devemos utilizar as palavras que proferimos no dia-a-


dia apenas como expressão do nosso próprio pensamento. Se
conseguirmos expressá-las como palavras da Partícula Divina que
existe dentro de nós, devolvendo-as a Deus como Suas palavras,
elas emitirão luz e brilho, transformando-se na força que a tudo
perdoa e purifica.

Eu não percebia o quanto Meishu-Sama dava importância ao


Espírito da Palavra e por isso acabei tomando suas palavras de forma
leviana. Penso que o fato de toda e qualquer existência possuir um
nome, significa que tudo está ligado ao Espírito da Palavra, que
pertence a Deus, e as palavras que utilizamos no nosso dia-a-dia,
também.

Sendo assim, para podermos servir na divina tarefa de partilhar


as Bênçãos de Deus e para Seu imenso poder se manifestar, cada
vez mais, ao invés de proferirmos levianamente palavras que
recriminam os erros ou os defeitos alheios, precisamos pronunciar
palavras boas e paradisíacas. Acredito que, pronunciando tais
palavras, poderemos ser mais úteis no processo de transformação
desse mundo em Paraíso, uma vez que tornaremos o mundo da

261
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

forma num lugar mais cheio de vida e alegre. Todavia, não estou
dizendo que basta utilizar palavras polidas. Mesmo que alguém tenha
feito algo que pareça ruim, somente a graça divina, que existe junto
ao Messias Meishu-Sama, é capaz de reverter esta situação.
Portanto, antes de mais nada, devemos dizer: “Que, através do
Messias Meishu-Sama, possamos receber a proteção e as bênçãos
de Deus! Que tenhamos paz e tranqüilidade! Que tenhamos a
permissão de sermos utilizados, juntos, por Ele!”.

O importante é sempre ter em mente o desejo de ser utilizado


por Deus junto com o outro. Porém, se dissermos isso diretamente à
pessoa, podemos acabar ofendendo-a. Por tal razão, podemos deixar
para fazê-lo mais tarde.

Todavia, melhor do que isso é, de antemão, preencher com


uma energia paradisíaca toda a atmosfera do ambiente em que nos
encontramos com outras pessoas, proferindo boas palavras com o
mesmo sentimento a que eu me referi agora. Penso que, quando
ministramos Johrei, devemos ter a mesma postura. Se existe algo
que, realmente, eu posso partilhar com outras pessoas, isto é o
Espírito de Deus, o Espírito da Palavra, que une, cria e educa todas
as coisas. No entanto, tenho a sensação de que estou sendo
mesquinho ao deixar isto guardado dentro de mim.

Se desejamos verdadeiramente que a força de Deus se


manifeste, precisamos ter gratidão pelo Espírito da Palavra e, ao
invés de pedir esta força somente para nós, será que não estaria
mais de acordo com a Vontade Divina pedir para que ela seja
partilhada com muitas outras pessoas?

No mês passado, nós comemoramos o Culto do Paraíso


Terrestre. Há 77 anos, no dia 15 de junho de 1931, Meishu-Sama
teve a percepção da revelação divina sobre a transição da Era da
Noite para a Era do Dia no Mundo Espiritual.

262
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Eu acredito que, apesar da humanidade, por um longo período,


vir ignorando a Deus, a transição da Era da Noite, que se centraliza
na vontade humana, para a Era do Dia, que se centraliza na Vontade
Divina, só pôde ser concebida graças ao amor de Deus, que é o
grandioso perdão divino.

Como nós estamos convencidos de que vivemos somente num


mundo baseado nos critérios de Bem e de Mal, encontramo-nos num
estado em que sequer conseguimos discernir quais de nossas
atitudes revelam ignorância em Deus. Por conseguinte, estou
convicto de que o único caminho para conseguirmos receber, não o
julgamento de Deus, mas sim, Seu perdão, que já foi preparado para
nós, consiste em, primeiramente, aceitar docilmente este grandioso
perdão, tendo consciência de que não sabemos quais de nossas
atitudes ignoram a Deus.

Em seguida, devemos confiar, de coração, no Propósito Divino,


que concretizou a Transição da Era da Noite para a Era do Dia no
Mundo Divino e aceitá-lo em nosso interior, mesmo que tardiamente.

Por fim, ao invés de ficarmos nos defendendo insistentemente


como se estivéssemos totalmente corretos, devemos, como seres
imperfeitos que somos, mostrar a Deus nosso interior tal como ele é,
acumulando no Mundo Divino o tesouro da honestidade.

Como Meishu-Sama disse em seu poema:

“Quanto mais honesta


for a pessoa maiores bênçãos lhe serão
concedidas por Deus”

Acredito que o caminho para sermos formados e educados


como filhos amados por Deus seja voltar-se para Ele, ser cada vez
mais sinceros com nós mesmos e servir na divina tarefa de partilhar
com o maior número de pessoas a felicidade e as bênçãos Divinas,
que são dádivas do amor de Deus. Desejo, do fundo do meu coração,

263
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

saborear a felicidade de adentrar por este caminho junto com todos


os senhores.

Neste dia tão especial, que é o Culto aos Antepassados,


gostaria de encerrar minhas palavras agradecendo ao Supremo
Deus, juntamente com todos os antepassados da humanidade que
estão unidos a todos os seres vivos, pela realização da transição do
Mundo da Noite, quando nossos corações estavam envolvidos pela
escuridão, para o Mundo do Dia, uma etapa completamente nova e
radiante.

Estarei orando para que, neste exato instante, cada um dos


senhores receba a Luz e a Força de Deus em seu interior, trazendo
consigo o sopro da vida do Supremo Deus e as bênçãos do Messias
Meishu-Sama para que seus dias sejam repletos de prosperidade.

Muito obrigado.

264
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

34 - CULTO DO NATALÍCIO DE MEISHU-SAMA (DEZEMBRO DE


2008)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Natalício de Meishu-Sama
Templo Messiânico de Atami
Dezembro de 2008
Revista Izunome 12

Minhas sinceras felicitações a todos pelo Culto do Natalício de


Meishu-Sama. Com imenso e profundo respeito digo-lhes que o
desejo do Único e Supremo Deus, vivo por toda a eternidade, é fazer
de nós filhos que correspondam à Sua Divina vontade.

Com base em Seu plano, Ele, no Mundo Celestial, nos


preparou de antemão como partículas divinas dotadas de Sua vida e
consciência. Ao chegar o momento de nos fazer descer ao plano
terrestre, Ele realizou a sagrada obra de nos legar o sopro da vida e
fez com que nascêssemos através de nossos pais. É por isso que
podemos servir na divina obra de “construção do Paraíso Terrestre”,
que é a projeção do mundo celestial – terra natal de nossas vidas –
sobre o plano terrestre.

Meishu-Sama nasceu há 126 anos, no dia 23 de dezembro.


Obedecendo à ordem do Supremo Deus e servindo de acordo com
Sua vontade, Meishu-Sama percebeu que uma partícula do espírito
do Supremo Deus estava viva dentro de si atuando neste mundo.

Desejando retribuir a essa bênção divina, Meishu-Sama se


entregou a Deus como uma forma de demonstrar seu makoto.Eu
acredito que é justamente porque Deus recebeu esse makoto que
Meishu-Sama nasceu novamente como filho do Supremo Deus, ou
seja, como o Messias.

O Culto do Natalício representa um dia muito especial e de


profundo significado, um dia que nos enche de gratidão, pois foi

265
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

nessa data que Meishu-Sama recebeu a vida no plano terrestre para


renascer como filho do Supremo Deus, ou seja, como Messias.
Sendo assim, gostaria de comemorá-lo com muita alegria.

No Culto de hoje, compreendendo que nós somos uma prova


de que as partículas do Supremo Deus estão vivas e atuantes e
objetivando retribuir essa grandiosa bênção divina, comprometi-me a
entregar, juntamente com todos os senhores, meu corpo e minha
alma a Deus, através de Meishu-Sama. Agradecendo por estarmos
sendo formados para, unidos ao Messias Meishu-Sama, nascermos
mais uma vez, orei pedindo para ser utilizado junto com todos os
senhores na consumação do propósito divino, louvando do fundo do
meu coração, o Supremo Deus que se encontra junto a Meishu-
Sama.

Estou profundamente agradecido pelo empenho de todos os


messiânicos em cultivar a fé fortemente ligada ao Messias Meishu-
Sama, buscando compreender, através da “Prática do Sōnen” e da
“Prática do Sōnen de Gratidão” o significado da verdadeira felicidade
e do amor altruísta pregados por Ele. Ao mesmo tempo, esta prática
está gerando uma “Corrente da Salvação” que conduz à “Corrente da
Felicidade”, levando assim, a verdadeira felicidade a muitas pessoas.
Pude compreender como os senhores estão sendo guiados por estas
práticas, por meio das inúmeras experiências de fé enviadas pelos
messiânicos do Japão e de todo o mundo e, com muita gratidão,
compartilho do seu aprendizado e alegria.

Agradeço, ainda, por se empenharem diariamente, alicerçados


nessas práticas relacionadas ao Sōnen, no desenvolvimento da obra
divina de construção do Solo Sagrado de Kyoto e das três colunas de
salvação – Johrei, Agricultura (Alimentação) Natural e Salvação
através do Belo.

Sobre esta última, aprendendo com o dia-a-dia de Meishu-


Sama, os senhores estão se empenhando em contatar com obras de
arte de alto nível, em estreitar o relacionamento com a Natureza e em

266
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

tocar o sentimento das pessoas, dedicando-se, assim, em cultivar a


beleza do próprio sentimento, que é o sentido mais amplo da Prática
do Sōnen. Estou profundamente emocionado em saber que, através
dela, os senhores estão se empenhando para se tornarem
transmissores da vibração da beleza do coração, ou seja, “obras de
arte vivas” do Supremo Deus.

Agradeço também, de coração, a todos aqueles que, imbuídos


do sentimento de Meishu-Sama, que reuniu, com todo amor,
inúmeras obras de arte consideradas tesouros da humanidade,
tornaram-se “amigos do Museu MOA” por reconhecê-lo como museu
de Meishu-Sama e, hoje, apoiam suas atividades com muito amor e
presteza.

Atualmente, temos a oportunidade de apreciar a exposição dos


trabalhos da Terceira Líder Espiritual, presidente da Fundação
Cultural e Artística MOA, intitulada “Pequenos Esboços”. Eu também
apreciei esta mostra e, realmente, suas obras possuem um estilo
original que confortaram meu coração, graças à beleza e à suavidade
de suas cores. Expresso todo meu respeito e admiração pela postura
da Terceira Líder Espiritual em tomar a liderança de desenvolver a
Salvação através do Belo, herdando o sentimento de Meishu-Sama
que disse que o “Paraíso é o Mundo da Arte”.

Todas as vezes em que eu participo de um Culto, noto a


constante presença de muitos membros e ministros vindos de vários
países do exterior, que, apesar de terem feito uma longa viagem, têm
um olhar sempre brilhante. A pureza com que os membros do exterior
buscam Meishu-Sama, sua docilidade e alegria me impressionam e
me emocionam profundamente. Graças a este contato com os
membros do exterior, consegui compreender que os membros de
Meishu-Sama não estão apenas no Japão, mas sim em várias
regiões e países do mundo. Por isso, estou consciente de que preciso
me empenhar para compreender e praticar os Ensinamentos de
Meishu-Sama de maneira universal, para que eles se tornem alimento

267
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

espiritual de pessoas do mundo inteiro, ensinamentos que


permaneçam vivos para todo sempre.

Neste sentido, é muito importante aprofundar o intercâmbio


entre os membros do Japão e os membros do exterior.

Bem, nós desejamos servir à Divina obra de projeção do


Paraíso no plano terrestre chamada “Construção do Paraíso
Terrestre”. Sendo assim, onde estará este Paraíso, que é a parte
essencial? Quando penso nele, logo imagino um lugar muito alto e
distante, que indico apontando para cima, como se fosse no Céu.
Porém, Meishu-Sama escreveu a seguinte caligrafia: “O Paraíso está
dentro do meu coração”. Ele compreendia claramente que o Paraíso
estava dentro do seu coração, ou seja, no mundo da consciência.
Não consigo deixar de pensar que, se Meishu-Sama escreveu sua
forma de compreender o Paraíso em uma caligrafia e a outorgou aos
membros, foi para nos incentivar a ter a mesma compreensão.

Eu preciso tornar-me uma pessoa que acredita firmemente


estar unida a Meishu-Sama e que é capaz de dizer: “O Paraíso está
dentro do meu coração”. Meishu-Sama nos ensinou que a alma é o
centro do ser humano. Como nossa alma foi preparada de antemão
no Paraíso como uma partícula do Supremo Deus, e nós a
recebemos para ter a permissão de vivermos neste mundo, será que
não poderíamos afirmar com toda certeza que “o Paraíso está dentro
de nós”?

Meishu-Sama também diz em um de seus poemas:

“Apesar de não poder ser visto pelos olhos humanos,


o Plano de Deus já está pronto no Mundo Espiritual.”

Nesse poema Meishu-Sama está nos ensinando que, apesar


de ser invisível aos olhos humanos, o Plano de Deus já foi concluído
no Mundo Espiritual. Sendo assim, para nós, onde está o Mundo
Espiritual? O Mundo Espiritual é o mundo da nossa consciência, o

268
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

mundo do Sōnen; portanto, o Mundo Espiritual também não estaria


dentro de nós?

Se o Plano Divino está concluído no Mundo Espiritual, isso não


significaria que o Plano Divino está concluído dentro do mundo da
nossa consciência? Para mim, o ponto mais importante do Plano de
Deus é o que Meishu-Sama chama de “Transição da Era da Noite
para a Era do Dia”, ou seja, a grande transição realizada no Mundo
Espiritual, onde nosso coração passou do mundo encoberto pelas
trevas, que é o mundo da noite, para um mundo radiante de luz, que
é o mundo do dia.

O avanço do Plano de Deus tem o mesmo sentido que o


transcorrer da projeção da “Transição da Era da Noite para a Era do
Dia” realizada pelo Supremo Deus no mundo material, que é uma
dimensão onde existem tempo e espaço. Dentre as inúmeras
caligrafias de Meishu-Sama, podemos ver as caligrafias “Claridade
sobre o Céu e a Terra” e “Renascimento do Céu e da Terra”. Isto
significa que, dentro de sua consciência, Meishu-Sama já havia
intuído e adquirido a convicção de que a atuação da “Transição da
Era da Noite para a Era do Dia”, realizada pelo Supremo Deus, já
havia sido completamente renovada desde o Paraíso, que é o mundo
da essência, até o plano terrestre, que é o mundo da matéria,
permeando todas as dimensões, renovando também o Céu e a Terra.

Por isso, Meishu-Sama pôde dizer que iria “construir” o Paraíso


sobre a Terra. Eu acredito que existe uma grande diferença entre
esperar e “construir” o Paraíso Terrestre. Caso o Paraíso não
existisse dentro de nós, nossa vida não seria resumida a uma simples
espera pelo advento do Paraíso Terrestre? Se nós aceitarmos, em
nosso Sōnen, que o Paraíso existe dentro de nós mesmos e
reconhecermos que, com a “Transição da Era da Noite para a Era do
Dia”, o Céu e a Terra estão completamente renovados,
conseguiremos ser utilizados verdadeiramente na Obra Divina de
“construir” o Paraíso Terrestre, ou seja, na construção do Paraíso
Terrestre.

269
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

No entanto, nós acabamos achando que é difícil aproximar-nos


dessa compreensão adquirida por Meishu-Sama.

Por que será que nós pensamos dessa maneira?

Para nós, o mundo das atividades humanas, aqui incluindo as


atividades da Natureza e de todos os seres da Criação, é o mundo
que nos rodeia, que está fora de nós. Sentimos também que tanto os
fatos próximos a nós quanto os diversos acontecimentos do mundo
se sucedem no mundo visível, que se desdobra fora de nós. Assim,
alternando alegria e tristeza, esperança e decepção, chegamos a
pensar: “Quando será que o Paraíso Terrestre vai ficar pronto?” ou
“Parece que o Paraíso Terrestre não passa de um sonho”.

Porém, quem reconhece os acontecimentos que foram vistos,


ouvidos e sentidos, e manifesta diversas reações em relação a eles,
não é o nosso lado de fora, mas sim, nosso lado de dentro, não é
mesmo? Sendo assim, no final das contas, nós não deveríamos
reconhecer que tanto o Céu como a Terra, e até mesmo a sociedade
humana, não estão fora, mas sim, dentro de nós?

Como os cinco sentidos, responsáveis por esta percepção, e a


consciência, gerada com base nesta percepção, estão voltados
apenas para o mundo visível dos fenômenos, temos a tendência de
julgar as pessoas com base nos critérios de bem e mal do plano
terrestre. Nós não estaríamos sendo levados pela atuação de um
mundo desordenado, onde entramos em conflito uns com os outros?
E, devido a isso, não conseguimos pensar que o Paraíso existe
dentro do nosso coração e muito menos pensar que o Plano de Deus
já foi concluído no Mundo Espiritual, ou seja, dentro do nosso
coração, que é o mundo do Sōnen? O mundo do Sōnen, que é o
coração, ou seja, a autoconsciência,que existe junto ao nosso corpo
material na condição de recipiente [da alma, da vontade divina], é
responsável pelo mundo onde se realiza a etapa final da Criação, em
outras palavras, pela parte mais externa da Criação realizada pelo
Supremo Deus.

270
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Esta é a noção de “EU” que percebemos constantemente. A


consciência [do Supremo Deus], enquanto partícula divina que existe
junto ao nosso corpo espiritual, é responsável pelo mundo onde se
realiza o início dessa Criação.

Podemos dizer que temos dentro de nós o início e o fim da


Criação. Fomos preparados para fazer constantemente, dentro de
nós, o retorno e o intercâmbio com o “eu inicial” e o “eu final” junto
com o ar que inspiramos e expiramos. Nossa essência se encontra
na partícula divina, que é o mundo inicial. Nela existe o que
poderíamos chamar de a nossa “semente”. Esta “semente” não seria
o Paraíso dentro de cada um de nós? Esse Paraíso não é um jardim
limitado por fronteiras como geralmente o ser humano imagina, mas
sim, uma dimensão eterna e ilimitada repleta de verdade e de amor.

Portanto, mesmo que nós não consigamos perceber o mundo


dessa dimensão através de nossa autoconsciência atual, precisamos
voltar continuamente nosso sentimento para o “eu inicial”, pois nele
está a atuação do Paraíso que devemos herdar. Será que nós não
deveríamos nos esforçar para inspirar o sopro da vida do Supremo
Deus em meio ao ar que inspiramos e expiramos, junto com Meishu-
Sama?

Será que a realização do intercâmbio com o Supremo Deus


desta forma não seria a prática básica para sermos utilizados na
“Construção do Paraíso Terrestre”?

O Supremo Deus apiedou-se da humanidade, que


inevitavelmente caminhava rumo à extinção, perdoando-a. Com a
realização da “Transição da Era da Noite para a Era do Dia”, Ele se
encontra presente no plano terrestre através da “Força Absoluta”, que
consumou a divina obra de perdoar, purificar, salvar e dar nova vida a
toda humanidade.

Ainda mais, sinto que Ele está procurando nos ensinar sobre a
Obra que está realizando para nos treinar e criar como Seus

271
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“representantes”. Será que o Deus Supremo não estaria atuando para


que nós possamos perceber, com nosso corpo e nossa consciência,
que tanto os acontecimentos próximos a nós como os diversos
acontecimentos de âmbito mundial são obras Suas?

Ao nos fazer experimentar situações de destruição, o Supremo


Deus não estaria nos treinando para que reconheçamos nelas Sua
obra de construção e criação? Será que Ele não está querendo
receber, através de nós, a Obra que Ele próprio realizou, utilizando
nosso corpo espiritual e material e todos os demais seres?

Por conseguinte, colocando em nosso peito a lembrança de


nossos antepassados e muitas outras pessoas, precisamos anunciar
para o nosso interior que a “Transição da Era da Noite para a Era do
Dia” já se consumou e, ao mesmo tempo, por intermédio de Meishu-
Sama, entregar ao Supremo Deus a obra já realizada. Aqui eu
gostaria de falar um pouco sobre a questão de “entregar”.

É possível que estejamos selecionando o que vamos entregar,


de acordo com nossa conveniência. A cada instante surgem dentro de
nós inúmeros pensamentos e sentimentos. Dentre os primeiros, não
existem apenas os bons pensamentos, mas também os maus: “Estou
preocupado, acho que não estou bem de saúde”, “Meu trabalho não
vai bem por culpa daquela pessoa”, “Eles não me entendem”, “Por
que será que aquela pessoa é tão cabeça dura e não muda nunca?”,
“Por que será que eu sou tão azarado? Eu devo ter cometido muitos
pecados”, entre outros. Revolta contra Deus, ódio, desprezo,
julgamento e presunção ou, ao contrário, autodepreciação, são os
vários tipos de pensamentos e sentimentos que surgem em nós.
Nesse momento, determino, segundo meus critérios, ou que estes
sentimentos são naturais a qualquer pessoa ou que eu não posso
pensar desta maneira. Assim, acabo guardando em meu coração
coisas importantes que deveriam ter sido entregues e, deste modo,
tenho a impressão de que estou cultivando as sementes da lamúria e
da insatisfação.

272
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Na verdade, o simples fato do nosso coração ficar preso a


certas coisas gerando vários pensamentos já não seria uma prova de
que Deus nos perdoou com seu grande amor, consumando assim,
Sua divina obra com Sua força absoluta?

Seria melhor aceitar com gratidão o fato de Deus estar


procurando receber Sua obra, exatamente agora, como manifestação
de Sua glória. Ao nos fazer saborear sensações que somente a
pessoa que vivenciou certa experiência é capaz de sentir, levando-
nos a vivenciá-las na prática e voltarmos nossa consciência a elas,
Deus está nos ensinando a olhar para toda a humanidade através da
ação de olharmos para os antepassados e para um grande número
de pessoas com quem nos relacionamos.

Portanto, da mesma forma que Deus, com Seu ilimitado amor,


olhou para mim e me salvou, eu devo me esforçar para receber, no
Paraíso que existe dentro de mim, um grande número de pessoas, a
começar pelos meus antepassados, todos os seres vivos e todos os
elementos confiando-os ao Messias Meishu-Sama e entregando-os
ao Supremo Deus para que todos possam ser perdoados, purificados,
salvos e contemplados com uma nova vida.

Deus conhece todos os nossos pensamentos e está presente


em qualquer um deles . Gostaria que todos tivessem o cuidado para
não se apropriarem desses pensamentos, guardando-os em seu
coração ao invés de devolvê-los a Deus. Isto acabaria interrompendo
o fluxo de retorno a Deus, tornando-se um empecilho para Ele,
gerando assim, sofrimento físico e espiritual para nós.

Ao invés disso, o que mais corresponde à Vontade Divina não


seria lembrar que somos uma partícula divina ligada a Meishu-Sama?
Será que a partir dessa posição não seria ideal encararmos, como se
fôssemos uma terceira pessoa, a real situação da nossa
autoconsciência e comunicar a conclusão da “Transição da Era da
Noite para a Era do Dia” aos nossos antepassados e demais pessoas
que estão presentes na nossa autoconsciência, entregando-nos por

273
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

completo ao Supremo Deus? Certamente o Céu, a Terra e o mundo


transbordarão de alegria quando nossos antepassados forem
informados dessa bênção, a qual poderíamos chamar de Evangelho
do Paraíso, e conseguirem retornar ao Supremo Deus onde se
encontra Meishu-Sama.

É essa alegria que eu gostaria de sentir, junto com os


senhores, de corpo e alma.

Além do mais, quando dizemos “entregar”, temos a tendência


de pensar em entregar como se estivéssemos jogando algo para bem
longe de nós. Entretanto, como Meishu-Sama e o Supremo Deus
estão vivos dentro do meu “EU”, talvez seja melhor desejar cultivar o
pensamento de que o local de entrega é sempre o centro do meu
“EU”.

Baseando-se na atuação de um novo Paraíso que concretizou


a “Transição da Era da Noite para a Era do Dia”, é importante dizer:
“Utilize-me juntamente com as demais pessoas para partilhar as
bênçãos divinas com toda a criação”. Dessa forma, gostaria que
todos nós trabalhássemos na dedicação de semear pela superfície
terrestre a “semente” chamada Paraíso.

Deus recebe e utiliza este meu “eu do presente” que está


sendo “entregue”. Isso acontece porque tudo está dentro do presente,
determinado por cada um de nós. Como nós medimos o fluir do
tempo, determinamos os períodos e percebemos sua duração,
acabamos separando o passado e o futuro do presente com
expressões como “acontecimentos passados”ou “futuro que ainda
está por vir”. Porém, será que tanto o passado como o futuro não
estariam ligados ininterruptamente dentro da linha do tempo?

Quem ri ou chora ao se lembrar de acontecimentos do passado


não é o “eu do presente”? Quem pensa no futuro que está por vir,
preocupa-se ou fica na expectativa também não é o “eu do
presente”? Da mesma forma que os antepassados estão vivos dentro

274
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

do “eu do presente”, o passado também está ligado a este “eu do


presente”.

Portanto, o “momento presente” é tudo para o “EU”. Acredito


que, se ao invés de continuarmos sem entregar, conseguirmos
entregar a Deus tudo o que sentimos e pensamos no presente –
inclusive pensamentos como “vou deixar para entregar depois que
entender melhor” ou “um dia, mais tarde, entregarei” –, Ele
certamente receberá tudo o que existe dentro do presente
determinado por cada um de nós e concretizará Sua Vontade.
Gostaria que todos tomassem cuidado para não deixar passar cada
chance em que Deus nos ensina e nos faz sentir algo.

No início deste mês, foi celebrado o Culto de Agradecimento


pela Colheita. E, agora, estamos agradecendo todas as grandiosas
bênçãos recebidas, refletindo sobre todos os acontecimentos e
resultados alcançados durante o ano.
Podemos cultivar diversos produtos, colher seus frutos e
oferecê-los a Deus. Porém, por mais que nós, seres humanos, nos
esforcemos, nunca conseguiremos criar tais produtos. Todas as
bênçãos da Grande Natureza também são preparadas por Deus.

Será que, neste mundo, existe alguma coisa criada por nós,
seres humanos?

Todas as criações não teriam sido obras de Deus? Sendo


assim, qual será o fruto mais importante para Deus dentro de tudo
que Ele criou? Será que este fruto em questão não seríamos nós
mesmos, ou seja, nossa autoconsciência? Deus nos legou uma
partícula divina, que é a nossa “semente”, que resultou no fruto
chamado consciência. Será que nosso dever não seria oferecer este
fruto a Deus?

Gostaria que nos tornássemos a própria oferenda, um fruto


que, oferecido a Deus, Ele se alegre e aprecie. Com este objetivo,
não deveríamos dedicar pedindo a Meishu-Sama para sermos

275
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

criados e educados mais e mais como filhos que correspondam ao


sentimento de Deus?

Quando oferecemos a Deus os alimentos produzidos no campo


ou relatamos os resultados alcançados com nosso esforço,
deveríamos também entregar junto com estas oferendas nossa
consciência, que está sendo criada e educada neste presente
momento, para que ela seja recebida por Deus. Esta seria a
verdadeira oferenda que Deus receberia de nós, não é?

Para encerrar, vou orar para que, com a chegada de mais um


novo ano, a força e a luz ilimitada do Supremo Deus possam ser
partilhadas a todos os seres vivos através de cada um dos senhores,
unidos ao Messias Meishu-Sama. Oro também para que seus dias
sejam repletos de prosperidade.

Muito obrigado.

276
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

35 - CULTO DO INÍCIO DA PRIMAVERA (MARÇO DE 2009)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
Templo Messiânico de Atami
Março de 2009
Revista Izunome 14

Felicitações a todos pelo Culto do Início da Primavera.

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o Supremo


Deus, Criador de todas as coisas, ao dar início à criação, preparou
inúmeras partículas do Seu Espírito para criar o ser humano como
Seu “representante”, ou seja, para fazer nascer os filhos que dariam
continuidade à Sua sagrada obra. Uma vez que essas inúmeras
partículas divinas contêm de maneira plena o ideal da criação do
Supremo Deus, creio que elas, que são a essência da existência,
podem ser chamadas de Messias. Por isso, “Messias” é a palavra
que expressa a essência da existência denominada Partícula Divina.

A alma, ou seja, a Partícula Divina, que é o corpo original de


nós, seres humanos, não pertence a nós, mas sim ao Supremo Deus.
Por isso, será que “Messias” não seria um nome sagrado que
pertence ao Supremo Deus e não ao ser humano? Meishu-Sama
afirma que “Deus é um e muitos ao mesmo tempo”, ou seja, a
partícula divina do Supremo Deus é uma só e, simultaneamente,
representa o todo.

Sendo assim, creio que todos nós, toda a humanidade,


estamos unidos à sagrada palavra Messias. Foi-nos revelado que,
obedecendo ao ideal da criação do Supremo Deus, Meishu-Sama
nasceu novamente como o Messias.

Será que isto não significa que nós, ou seja, nossa


consciência, unida a Meishu-Sama, está sendo criada e educada,

277
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

para nascer novamente tendo como modelo Meishu-Sama, que


concretizou a essência denominada Messias?

Como essa essência pertence ao Supremo Deus, na condição


de veículo da realização do plano divino de salvação da humanidade
e de estabelecimento do Paraíso na Terra, ela tem a capacidade de
manifestar toda sabedoria e força do Supremo Deus. Não seria por
isso que nós, seres humanos, chamamos de “Salvador” a existência
que consumou a essência denominada Messias?

O fato de termos, dentro de nós, uma partícula do espírito do


Supremo Deus significa que somos realmente existências únicas e
estamos recebendo uma bênção grandiosa e indescritível.

Entretanto, como o ser humano nunca teve consciência de que


a partícula divina existente dentro de si possui o propósito Divino
chamado Messias, ele veio até hoje ignorando a existência do
Supremo Deus. Apesar disso, será que o Supremo Deus não estaria
nos perdoando, mantendo-nos vivos, criando-nos e educando-nos
para fazer de nós, Seus filhos, Seus “representantes”?

Em 1935, Meishu-Sama escreveu o seguinte poema:

“Arrependi-me do pecado de ter voltado as costas


a Deus e, hoje, prosto-me diante d’Ele.”

Em 1952, ele escreveu o seguinte poema:

“É a força do Messias que vivifica o mundo


de pecado que está prestes a extinguir-se.”

Sei que não chego aos pés do nobre sentimento de Meishu-


Sama que, como um ser humano, ignorou o Supremo Deus,
arrependeu-se do pecado de ter voltado as costas para Ele e, por fim,
prostrou-se diante d’Ele. Ao mesmo tempo, não existe alegria maior
do que ter a permissão de conhecer Meishu-Sama, que foi alguém

278
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

que conseguiu vivenciar e adquirir a convicção de que a humanidade,


apesar de ter dado as costas para Deus e encontrar-se em iminente
destruição, está sendo perdoada e acolhida como ser vivo pela força
do Supremo Deus, ou seja, pela “força do Messias”.

Se até Meishu-Sama reconheceu abertamente que estava


virando as costas para o Supremo Deus, será que nós também não
precisamos nos empenhar ao máximo para, enquanto tivermos a
permissão de viver neste mundo, perceber, por pouco que seja, e
reconhecer, do fundo do coração, quais atitudes nossas demonstram
que estamos ignorando a Deus? Se eu não me conscientizar de que
eu era uma existência que precisava ser perdoada, como poderei
saber que estou sendo perdoado e que estou tendo a permissão de
viver? Se eu não tiver essa consciência, poderei agradecer por tudo
isso?

Será que não é a partir daí que nasce a verdadeira gratidão?

A nossa alma é realmente uma brilhante partícula do espírito


do Supremo Deus. Isto é uma realidade. Caso contrário, seria mera
fantasia. Eu acredito que não existe meio-termo para isso. Se a
partícula do espírito do Supremo Deus não tivesse sido confiada a
nós, como poderíamos nos tornar Seus representantes?

O Supremo Deus faz parecer que as partículas do Seu espírito


sejam nossas. Apesar da autoconsciência também Lhe pertencer, Ele
permite que nós a sintamos e a utilizemos como se fosse nossa.
Desta forma, ao permitir que Sua vida, alma e consciência aparentem
ser nossas, o Deus Supremo, em um eterno processo de formação,
nos ensina e nos guia.

Ele se empenha sem cessar para que, como filhos que


poderão herdar a vida eterna, ou seja, como Seus verdadeiros filhos,
possamos nascer novamente no Mundo Celestial. Será que o amor
do Supremo Deus, que faz com que o que é Seu pareça ser nosso,
não é a essência, a verdadeira face do que chamamos de amor?

279
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Será que o nosso ser já não está suficientemente preenchido pelo


imenso perdão e amor de Deus? Será que a prática do amor altruísta
não seria um treinamento para reconhecermos que esse amor existe
plenamente em tudo e, juntos a Meishu-Sama, recebermos a
permissão de retornarmos para junto do Supremo Deus? E mais: será
que não passaremos a compreender e a praticar, cada vez mais, o
ensinamento de Meishu-Sama “Não julgueis”, ao nos darmos conta
de que julgar o outro é julgar a nós mesmos?

Bem, estou profundamente agradecido a todos os messiânicos


por estarem se empenhando diariamente, com base na diretriz
“cultivar a fé que liga ao Messias Meishu-Sama”, visando ao
aperfeiçoamento do indivíduo e à transformação do seu redor em
paraíso.

Eu suponho que, este ano, de acordo com as palavras do


Revmo. Watanabe em sua saudação de Ano-Novo, os senhores já
começaram a se empenhar no sentido de expandir o círculo de
transformação do seu interior em paraíso, estendendo-o à família, à
localidade onde vivemos e à sociedade. Mesmo sendo um pequenino
modelo, isso se dará conforme cada pessoa conseguir acreditar que
dentro de si existe o paraíso, o qual deverá ser manifestado através
de palavras e ações perfeitamente coesas à trilogia Verdade-Bem-
Belo. Para que isso se torne possível, é necessário dar continuidade
à “Prática do Sōnen”, que se completa com o amor altruísta,
começando pelo próprio lar, que é a menor unidade da sociedade.
Desejo que as infinitas bênçãos de Meishu-Sama possam se
manifestar nessas práticas dos senhores.

O primeiro salmo de Meishu-Sama entoado no Culto de hoje


foi:

“Chegou a hora da minha Obra florescer como as


flores que desabrocham e exalam sua fragrância com
a passagem do inverno e a chegada da primavera.”

280
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Neste salmo, Meishu-Sama está expressando toda a sua


alegria pela chegada do momento de evolução da Obra Divina, assim
como as flores exalam sua fragrância com a chegada da primavera.

O terceiro salmo de Meishu-Sama entoado no Culto de hoje é:

“Povos de todas as nações!


Abram os olhos, pois chegou a hora da verdadeira
salvação tão esperada por todos.”

Como que comprovando o conteúdo deste poema, recebi o


relatório que, atualmente, existem mais de 1.000.000 de messiânicos
no exterior.

No Culto do Início da Primavera realizado hoje, nós temos a


presença de messiânicos vindos da Tailândia e de mais 10 países.
Desta forma, pessoas não só do Japão, mas de diversos países,
despertaram para a “verdadeira salvação” e vêm descansar no Solo
Sagrado construído por Meishu-Sama. Tenho certeza que Meishu-
Sama, como se estivesse observando seus amados filhos que
retornam ao Paraíso, se alegra ao ver membros de todo o mundo que
se reúnem para orar ou para aprimorar juntos.

Há poucos dias, eu atendi um pedido especial para


consagração de 50.000 Ohikaris que serão outorgados no continente
africano este ano. A fé cultivada pelos membros da África, uma fé
dócil e pura, torna-se uma grande força de concretização da
“verdadeira salvação” preconizada por Meishu-Sama, pois tem algo
de novo e emocionante, sendo um grande aprendizado para mim.

Lembrando a história, Meishu-Sama instituiu a nossa igreja


com o nome de Dai Nippon Kannon Kai em 1º de janeiro de 1935.
Posteriormente, para acompanhar o desenvolvimento da Obra Divina,
por ocasião do início da primavera de 1950, fundou a Igreja
Messiânica Mundial, “sob uma nova concepção”. Creio que a palavra
“mundial” colocada no nome da nova igreja tem um grande

281
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

significado. Existem muitos povos, religiões, idiomas e costumes em


todo o mundo. Creio que Meishu-Sama fundou a Igreja Messiânica
Mundial para levar a verdadeira salvação para os povos do mundo
inteiro.

No momento presente, estou renovando minha maneira de


pensar, pois acredito que preciso me empenhar para compreender e
esclarecer de maneira universal os Ensinamentos de Meishu-Sama,
bem como sua aplicação e prática, uma vez que eles também
incluem Ensinamentos de diversas religiões do mundo e conseguem
vivificar estes últimos verdadeiramente.

No Ensinamento “Pragmatismo”, lido hoje, Meishu- Sama


afirma que o religioso deve ser polido, eliminando o ranço da fé. Creio
que, conforme vamos dominando e compreendendo claramente o
fato de que os Ensinamentos de Meishu-Sama abrangem os
Ensinamentos de diversas religiões do mundo e os vivifica, o ranço
de nossa própria fé vai desparecendo naturalmente.

Hoje é o dia 4 de fevereiro, dia do início da primavera. Meishu-


Sama preconizou que o início da primavera não indica somente uma
mudança da Natureza, mas também uma “mudança do mundo”,
sendo um importante nó que se forma no ano. A maioria dos anúncios
e eventos importantes dentro da Obra Divina foi feita por ocasião do
início da primavera. Há também muitos poemas de Meishu-Sama que
se referem a esta ocasião. Dentre eles, temos o seguinte:

“A alegria pela tão esperada expansão


da Obra Divina aumenta a cada início da primavera.”

Assim, Meishu-Sama comemorava o início de cada primavera,


todos os anos, como um importante marco para a Obra Divina. O que
será que Meishu-Sama quer nos mostrar através dessa alegria
renovada sentida a cada primavera?

282
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O Supremo Deus, com o passar do tempo, está


constantemente preparando para cada um de nós uma nova
atividade, fazendo com que evoluamos constantemente e nos
formando para que amadureçamos. Será que Meishu-Sama não
estava tentando fazer com que confirmássemos que estamos aqui
para correspondermos a tal formação e sermos utilizados? Por
exemplo, a afirmação de que o Sol nasce no leste e se põe no oeste
é uma verdade aceita por todas as pessoas. Mesmo admitindo tal
afirmação como verdade, esta não passa da visão que os seres
humanos têm do Sol a partir da Terra. De forma objetiva, sabemos
que a Terra gira ao redor do Sol.

Hoje em dia, este fato é aceito com naturalidade. Entretanto,


para as pessoas da antiguidade, que acreditavam que o Sol girava ao
redor da Terra, ele causou uma grande reviravolta na visão de
universo, de mundo. Atualmente, não ficamos presos apenas à
maneira de ver o Sol tendo a Terra como centro, mas também
podemos ver a Terra tendo o Sol como centro. Podemos ainda,
pensar que é possível uma visão mais ampla partindo do imenso
espaço sideral. O fato de conseguirmos desenvolver novas maneiras
de ver algo pode parecer que estamos explorando mundos
desconhecidos e fazendo novas descobertas.

Porém, na verdade, não estaríamos relembrando a época em


que, ainda no Mundo Celestial, tivemos a permissão de participar da
criação de todas as coisas? Desta forma, creio que viemos trilhando o
caminho da evolução e do desenvolvimento, enquanto relembramos
as tarefas do Mundo Celestial. Meishu-Sama nos ensinou que, neste
exato instante, o mundo está passando por um período de grande
transição.

O segundo salmo de Meishu-Sama entoado no Culto de hoje é:

“Apesar de invisível aos olhos humanos,


a grandiosa mudança do mundo avança dia após dia.”

283
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Este poema foi escrito por Meishu-Sama no dia do Culto do


Início da Primavera de 1952. Ele nos mostra que estamos vivendo o
exato momento da importante mudança do mundo, ou seja, um
momento de grande transição, apesar de invisível aos olhos
humanos. Não posso deixar de pensar que Meishu-Sama está
estimulando a mudança de nosso padrão de pensamento e
concepção para que nossa mente não fique presa a noções e
preconceitos que dizem respeito não só à relação Deus e homem,
mas também aos mais diversos temas e, assim, sejamos capazes de
continuar evoluindo.

Eu acredito que realizar esta grande transformação dentro de


si salva cada um de nós, síntese de nossos antepassados, e nos guia
ao aperfeiçoamento. Creio que essa expansão conduzirá à salvação
e ao aperfeiçoamento do mundo.

Tomando o Ensinamento de Meishu-Sama sobre o processo de


purificação, por exemplo, sinto que Ele me orienta e me faz evoluir:
através deste Ensinamento, Ele faz com que nossa visão abandone o
preconceito de que tanto a doença quanto qualquer sofrimento ou
angústia são meros acontecimentos destrutivos e negativos e, assim,
poderemos ter verdadeira noção de que tais fatos são maravilhosas
ações purificadoras de criação, que o Supremo Deus, através de Seu
imenso perdão, está realizando. Na minha opinião, este Ensinamento
sobre o “processo de purificação” nos impõe uma grande mudança
em nossa maneira convencional de ver, pensar e viver, idêntica à
mudança do geocentrismo para o heliocentrismo.

Por isso, meu desejo é amadurecer o suficiente para que, ao


ler os Ensinamentos ou ao tomar conhecimento ou vivenciar os
diversos acontecimentos que me rodeiam, possa me libertar das
concepções que tinha até agora e aceitá-los de maneira mais
evoluída.

Meishu-Sama vem mostrar os diversos “becos sem saída” com


que as mais diversas áreas vêm se deparando, no decorrer do

284
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

progresso da civilização até os dias de hoje. Ele também proclama


veementemente o caminho e a solução para aqueles. Será que esses
“becos sem saída” não são, em resumo, a manifestação da postura
adotada pela humanidade de colocar a matéria precedendo o espírito,
ao invés do espírito precedendo a matéria, isto é, a manifestação da
postura que não coloca Deus como elemento principal mas o ser
humano? Desta forma, por mais que nos empenhemos desejando o
progresso e a elevação, se continuarmos como até agora, vivendo a
ilusão de que nosso “eu” nos pertence, e seguirmos levando uma vida
baseada na natureza humana centralizada no “eu”, não poderemos
ansiar pela evolução do ser humano no verdadeiro sentido da
palavra.

Meishu-Sama nos ensina: “Minha missão é retirar a natureza


animal dos seres humanos animalescos, fazendo-os evoluir ao nível
de verdadeiros seres humanos. Como a condição fundamental para
isso é vencer o pensamento ateísta, em outras palavras, trata-se da
obra de reforma do ser humano”. Nós, que chegamos a um beco sem
saída, não temos outro meio para evoluir e chegar a ser “verdadeiros
seres humanos” que não seja entrando em contato com a dimensão
do “eu do início”, que é nosso corpo original.

Em outras palavras, devemos voltar à dimensão da partícula


divina e entrar em contato com a “existência real” que Meishu-Sama
denominou “existência real de Deus”. Acredito que “evoluir e tornar-se
um verdadeiro ser humano” é evoluir para chegarmos a ser
verdadeiros filhos do Deus Supremo.

O Supremo Deus, que é a vida eterna e Criador de todas as


coisas, que a tudo vivifica; o Supremo Deus, que tudo realiza e tem
poder sobre tudo, o Supremo Deus, que é a origem de todas as
bênçãos – haverá alguma maneira do ser humano evoluir sem adorar
esse Supremo Deus como pai de toda a vida?

Será que o beco sem saída ao qual nosso dia-a-dia chegou,


não se deve ao fato de, por falta desta postura básica, estarmos

285
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

impedindo o fluxo da vida eterna, fazendo com que todas as coisas –


inclusive nosso corpo e mente – acabem se esgotando? Será que
não foi para nos fazer ganhar o perdão e a salvação que o Supremo
Deus realizou a grande transição do mundo das trevas para o mundo
da luz, ou seja, a “transição da noite para o dia”, previamente, na
dimensão do Mundo Celestial?

Creio que a força que realizou a Transição da Era da Noite


para a Era do Dia é o poder do Messias, mencionado por Meishu-
Sama.

Esse poder atua incessantemente na nossa autoconsciência,


que traz em si a dimensão do mundo em que vivemos e vem nos
ensinando e guiando para que nós, a humanidade, sejamos
igualmente acolhidos como filhos do Supremo Deus.

Assim, será que o caminho para nossa evolução não consistiria


em nos lembrar do Mundo Celestial, que é a fonte da vida, e retornar
à consciência original, ao invés de continuar no caminho que vem
sendo trilhado pela humanidade até hoje?

Não será esta a nossa evolução, o nosso progresso, o nosso


desenvolvimento e o nosso crescimento, para que consumamos o
propósito de criação do Deus Supremo, ou seja, para que toda a
humanidade seja filha de Deus?

Nós não evoluímos e crescemos para sermos reconhecidos


pelos outros, para nos orgulharmos, para nos gabarmos ou para
sermos melhor que os demais. Será que nosso esforço em evoluir e
crescer não seria para conseguirmos nos tornar pessoas que, ao
aprender algo ou conseguir realizar algo e, até mesmo, ao praticar o
amor altruísta, consigam voltar-se para o Supremo Deus e dizer: “Foi
o Senhor que realizou tudo, não foi? Muito obrigado”?

Será que estas palavras não seriam palavras para nos


tornarmos filhos que alegram o Supremo Deus? Será que “retornar” e

286
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“entregar” também não se traduzem nestas palavras? Não será por


isso que nós estamos sendo formados diariamente, passando por
várias experiências e aprendizados, vivendo as mais variadas
emoções?

Gostaria que, confiando no propósito divino, cuidassem para


não negligenciar esse treinamento. Isto também serve para a “Prática
do Sōnen”, que deve ser praticada como um treinamento não para
“minha” alegria, mas para que Deus e Meishu-Sama se alegrem.

Na Natureza, tudo é realizado em ciclos. Da mesmaforma, será


que a nossa autoconsciência – que é o “eu do presente”, que partiu
da “dimensão do início da criação” e chegou à “dimensão do final da
criação” – não recebeu a ordem de se empenhar para servir à
dinâmica da evolução, que consiste em retornar, partindo do final em
direção ao início e levando consigo todas as atividades do mundo?
Não consigo deixar de pensar que a “grande transição” e a “mudança
de 180 graus”, mencionadas por Meishu-Sama, significam servir nas
atividades de retorno ao mundo da nossa origem, ao mundo da
causa.

Assim como todo o universo, todos os diversos elementos,


todas as emoções e todas as atividades humanas estão ligados ao
“eu do presente”, através da “Prática do Sōnen”, gostaríamos de ser
utilizados para entregar tudo o que levamos conosco a Meishu-Sama
e de ter a permissão de que o Supremo Deus, Criador de todas as
coisas, receba tudo isso. O que importa neste instante é saber onde,
dentro de nós, devemos fazer essa entrega. Mesmo que tentemos
entregar na nossa autoconsciência, que é o “eu do presente”, que
pertence à dimensão do final da criação, acabamos sempre
favorecendo nossa conveniência uma vez que nosso interior é
instável.

A partícula do espírito do Supremo Deus é o nosso corpo


original e está unida diretamente a Meishu-Sama. Nós estamos tendo
a permissão de estar na dimensão deste mundo em que vivemos,

287
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

que é a parte mais periférica da Criação, para servirmos aos


trabalhos do Mundo Celestial.

Por isso, nós devemos retornar à dimensão do Mundo Celestial


onde existe nossa partícula divina, ou seja, ao nosso “eu do início”,
levando conosco todas as atividades ligadas ao “eu do presente”.

Será que não é somente através desse retorno que poderemos


entregar tudo a Meishu-Sama, que ali se encontra, e ao Supremo
Deus? Ao invés de entregar nossos sentimentos sozinhos, seria
melhor entregá-los acreditando que estamos fazendo junto com
Meishu-Sama e com inúmeros antepassados. Isto porque Meishu-
Sama sempre está entregando ao Supremo Deus o sentimento do
exato instante em que retornamos ao Paraíso.

Nesse momento, devemos pensar que, como Meishu-Sama


sempre entrega tudo a Deus por nós, não devemos tentar entregar
sozinhos. Creio ser melhor entregar com o sentimento de fazê-lo
junto com Meishu-Sama e com muitas outras pessoas. Será que o
esforço para servir neste sentido não seria um aprimoramento
importante para evoluirmos e nos tornarmos filhos do Supremo Deus?

Com relação à atividade de retornar diante do Supremo Deus e


entregar, creio que Ele está utilizando nossa respiração para
concretizar Seu propósito. A respiração a que me refiro, não é a
respiração somente da dimensão habitualmente pensada. Como já
disse por ocasião do Culto de Natalício do ano passado, nossa
respiração é uma atividade muito importante que permite que o “eu
do início” e o “eu do final” fluam continuamente entre si, em constante
intercâmbio.

Creio que, quando respiramos, deveríamos cuidar para que


inspirássemos com o sentimento: “Estou tendo a permissão de
inspirar o ar assoprado pelo Messias Meishu-Sama.” E quando
expirássemos, pensar: “Estou tendo a permissão de expirar em
harmonia com o ar através do qual o Messias Meishu-Sama tudo

288
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

recebe.” Assim como nas expressões “tomar fôlego” e “fôlego vivo”


(que significa “ser humano”), o Supremo Deus, através da respiração,
está tentando nos unir ao Messias Meishu-Sama, estabelecer um elo
de reciprocidade d’Ele conosco, transmitir-nos Seu propósito e nos
fazer herdar a vida eterna. Nós devemos, sem falta, agradecer por
essa grandiosa bênção e corresponder ao desejo divino.

Encerro minhas palavras orando para que as bênçãos do


Supremo Deus possam ser partilhadas a todos os seres vivos através
de cada um dos senhores, que estão unidos a Meishu-Sama, e que,
como a brisa da primavera, tudo possa revitalizar, retornando a
Meishu-Sama através da inspiração e expiração dos senhores.

Agradeço do fundo do coração ao Supremo Deus, que está


concretizando Seu propósito chamado Messias. Oro também para
que os dias de todos os senhores sejam repletos de prosperidade.

Muito obrigado.

289
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

36 - A TRANSIÇÃO PARA A ERA DO DIA ESTÁ CONCLUÍDA EM


VOCÊ? (JULHO DE 2009)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Paraíso Terrestre
Templo Messiânico de Atami
Junho de 2009
Revista Izunome 18

Felicitações a todos pelo Culto do Paraíso Terrestre realizado


no dia de hoje. Com imenso e profundo respeito, eu acredito que o
único Supremo Deus, que está vivo por toda a eternidade, tem como
objetivo da criação fazer todos os seres humanos se tornarem Seus
verdadeiros filhos. Para isso, Ele preparou a humanidade como
inúmeras partículas do Seu espírito e está realizando Sua Obra
incessantemente, neste instante também. Sendo assim, todos os
seres humanos carregam consigo, desde o princípio, a missão de
Messias, ou seja, de nascer novamente como filhos do Deus
Supremo.

Meishu-Sama utilizou as expressões “vinda do Messias” e


“nascer novamente”. Eu acredito que a Obra realizada pelo Supremo
Deus dentro de Meishu-Sama é um “modelo” da Obra que precisa ser
realizada dentro de todos os seres humanos. O Supremo Deus está
vivo dentro de cada um de nós, tentando fazer com que renasçamos
como Seus filhos. Não consigo deixar de pensar que Meishu-Sama
nos ensinou isso através da Sua postura.

Como, originariamente, somos filhos do Supremo Deus e


partículas do Seu espírito, será que Sua vida e a nossa vida não
estão unidas numa só? Será que a consciência original do Supremo
Deus e a nossa autoconsciência, chamada “eu” do presente, não
estão unidas numa só?

Como, desde o princípio, nós também recebemos o sopro da


vida do Supremo Deus e continuamos herdando-o agora também,

290
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

devo pensar que o espírito e o corpo, ou seja o Céu e a Terra, não


são existências completamente distintas e que, apesar das diferenças
entre uma dimensão e outra, eles são unos. Por não ter essa
consciência, eu considerava que tudo o que está ligado à minha
autoconsciência me pertence, ou seja, considerava como meu tudo o
que vejo, escuto, sinto ou acredito ser bom ou ruim.

Por isso, preciso que o Messias Meishu-Sama receba tudo que


eu sinto no meu coração e no meu corpo físico, entregando ao
Supremo Deus tudo aquilo que vim considerando até hoje como meu,
e orar para ser vivificado, juntamente com todas as coisas, por uma
atuação de grande harmonia.

Apesar de pensar que somos nós que estamos fazendo esta


oração, como na verdade Meishu-Sama está dentro de nós orando ao
Supremo Deus, precisamos rezar com o Sōnen de estar orando junto
com Meishu-Sama, retornar ao princípio da vida e ter uma relação
mais íntima com o Supremo Deus – o Pai da vida.

Agradeço de todo coração pelo empenho de todos os


messiânicos em cultivar a fé que liga ao Messias Meishu-Sama, e em
querer participar da Divina Obra de salvação da humanidade e
construção do Paraíso Terrestre, não medindo esforços para
aperfeiçoarem se individualmente, e para transformar seu redor em
Paraíso através do estudo e prática dos Ensinamentos.

Por meio, especialmente, da “Prática do Sōnen” os senhores


estão se empenhando para se tornarem pessoas capazes de
agradecer em qualquer circunstância e, desejando a felicidade do
outro, estão se dedicando à prática do amor altruísta, revelando
assim, imenso respeito pelo sentimento de Meishu-Sama expresso
nas palavras:

“Se não fizermos a felicidade do próximo,


não poderemos ser felizes”

291
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Para mim, essa postura dos senhores é muito nobre. Bem, de


onde surge o sentimento do amor altruísta que os senhores estão
praticando? Será que ele não surge do Supremo Deus, que é a
origem de todas as coisas? Ele ama todos os seres humanos e o Seu
amor está presente em todos os seres, em toda a Natureza, enfim,
em toda a Criação.

Penso que a Divina obra de salvação da humanidade e de


construção do Paraíso Terrestre, bem como todos os Ensinamentos
de Meishu-Sama são, ao mesmo tempo, a concretização da Verdade
e a expressão do amor do Supremo Deus. Sendo assim, qual será o
objetivo, o propósito desse amor? Acredito que é fazer do ser humano
Seu verdadeiro filho. Será que não foi para realizar este objetivo que
o Supremo Deus preparou inúmeras partículas do Seu próprio
espírito? Por isso, acredito que Seu amor foi vertido sobre todas as
pessoas, de maneira imparcial. Creio que a “Prática do Amor
Altruísta”, que vem sendo realizada por todos os senhores
corresponde ao propósito do amor do Supremo Deus e é uma prática
extremamente nobre, através da qual podemos servi-Lo.

Será que os senhores não estão sendo utilizados na Divina


Obra que fará com que as pessoas que ainda não despertaram para
o amor e o propósito do Supremo Deus, bem como os antepassados
que desconheciam este propósito, possam todos retornar ao
Paraíso? Acredito que, desde o princípio da criação, o Supremo Deus
deixou preparado o caminho para retornarmos a esse princípio. E eu
acredito que este caminho não é outro senão o propósito divino de
fazer todos os seres humanos serem contemplados com uma nova
vida. Sendo assim, o mais importante é praticar o amor altruísta com
o sentimento de que todos os nossos antepassados, todas as
pessoas que vêem à nossa mente e todas as pessoas que se
relacionam conosco estão ligadas a este caminho.

O primeiro salmo de Meishu-Sama entoado no Culto de hoje


foi:

292
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“A grandiosa força de salvação do Messias,


tão esperada por toda humanidade, irá se manifestar”

Dessa maneira, Meishu-Sama percebeu que a força de


salvação do Messias, tão ansiada por toda a humanidade, tomava
todo o Seu interior. Nós somos seres que servem à “salvação
realizada pelo Messias” na condição de instrumentos de Meishu-
Sama, como se fôssemos parte do Seu corpo. Sendo assim, apesar
de sermos seres individualizados, sem sombra de dúvida formamos
um só corpo com Meishu-Sama. Por isso, será que não deveríamos
entender que este poema escrito por Ele está se referindo a cada um
de nós também, já que estamos unidos em um só corpo?

Na condição de pessoas que servem a Meishu-Sama como


Seus instrumentos, a nossa maior e mais importante tarefa é saber
onde devemos centralizar o nosso Sōnen. Se o centralizamos neste
mundo da forma, um mundo que tem como sujeito principal a
autoconsciência, acabamos nos colocando em primeiro plano. Dessa
forma, nosso sentimento de querer receber graças, de querer ser
abençoado, acaba sendo predominante.

Meishu-Sama escreveu o seguinte poema:

“Com o desejo de salvar


a humanidade, conduzindo-a
ao Paraíso, primeiramente
tornei-me, eu próprio,
habitante do Paraíso”

Este poema mostra que, para salvar pessoas, em primeiro


lugar nós precisamos nos tornar um habitante do Paraíso. Tenho a
impressão de que Meishu-Sama está nos ensinando: “Olha, mesmo
que se diga que a humanidade está esperando ansiosamente a
salvação do Messias, somos nós os responsáveis pela nossa própria
salvação, pois, no final das contas, tudo está ligado a nós mesmos.”
É por causa disso que, reconhecendo que o Paraíso – princípio da

293
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

minha vida – existe até hoje no âmago da minha consciência, desejo


ser utilizado, junto com todos os senhores, na salvação que nos
permite retornar ao Paraíso junto com um grande número de
pessoas.

Tenho a impressão de que o fato de conseguirmos reconhecer,


de coração, Meishu-Sama como o Messias, bem como o fato de
estarmos nos empenhando em agradecer e também em oferecer
nosso servir por meio da “Prática do Sōnen” e da “Prática do Amor
Altruísta”, enfim, o fato de estarmos conseguindo sentir todas essas
coisas não seria porque o Supremo Deus nos agraciou com o
grandioso perdão que é o Seu amor, e estamos recebendo a
permissão de nos lembrarmos de como são as coisas no Paraíso?
Por meio do Seu grandioso perdão, o Supremo Deus se apercebe da
humanidade, que ignorava o propósito do Seu amor, e concretiza a
“transição da Era da Noite para a Era do Dia”, ou seja, salva a
humanidade do mundo coberto pelas trevas da ignorância e a guia ao
mundo de Luz. Ou seja, Ele realizou uma grande transição no mundo
espiritual.

Meishu-Sama percebeu a revelação da transição da Era da


Noite para a Era do Dia ao subir o Monte Nokogiri, na província de
Chiba, em 15 de junho de 1931. Tenho a forte sensação de que,
neste exato instante, Ele está me perguntando: “Em você, a transição
da Era da Noite para a Era do Dia já está concluída?”.

Eu nunca havia pensado na relação que esta transição poderia


ter comigo. Até então, minha compreensão sobre ela se limitava à
revelação divina recebida por Meishu-Sama, 78 anos atrás. No
entanto, como somos partes do seu “corpo” e formamos uma
existência una com Ele, será que, na verdade, cada um de nós não
está recebendo a permissão de recebe, por Seu intermédio, a força
do Supremo Deus que concretizou a “transição da Era da Noite para
a Era do Dia”? A força que realizou esta transição é o “poder de
salvação do Messias”, a força que impulsiona a Divina Obra de
salvação da humanidade e de construção do Paraíso Terrestre. É o

294
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

poder que perdoa, purifica, salva, ressuscita e faz com que os seres
humanos nasçam renovados.

Hoje, quando já ocorreu a “transição da Era da Noite para a


Era do Dia”, será que, no mundo espiritual, todos os seres vivos e
todos os seres humanos já não teriam entrado em uma fase
completamente nova? Se conseguirmos compreender que, neste
exato momento,nós estamos sendo criados e educados dentro de
uma fase completamente nova, na qual a “transição da Era da Noite
para a Era do Dia” já se realizou, e conseguirmos servir com esta
consciência, certamente Meishu-Sama se alegrará e encaminhará
cada um de nós para que, pouco a pouco, nosso interior também seja
totalmente tomado pela força do Supremo Deus.

Meishu-Sama mostrou-nos, com Sua vida, o modelo do


habitante do Paraíso. Da mesma forma, gostaria que continuássemos
nos empenhando em nos aprimorar para que tenhamos, cada um de
nós, a permissão de sermos utilizados como “modelos” unidos a Ele.

Por fim, estarei orando para que a graça Divina e a paz


estejam sempre com os senhores. Junto ao Messias Meishu-Sama,
manifesto minha mais profunda gratidão ao Supremo Deus pela força
que realizou a “transição da Era da Noite para a Era do Dia” e
perpassa todas as coisas, perdoando e vivificando a todos.

Que os dias de todos os senhores sejam repletos de


prosperidade.

Muito obrigado

295
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

37 - MEISHU-SAMA, O MODELO BÁSICO DO SER HUMANO


PARADISÍACO (NOVEMBRO DE 2009)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Outono, Templo Messiânico de Atami
Outubro de 2009
Revista Izunome 22

Felicitações a todos pelo Culto de Outono realizado no dia de


hoje.

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o único e


Supremo Deus preparou cada um de nós, que somos partículas do
Seu espírito, para fazermos com que todos os homens sejam
verdadeiros seres humanos, isto é, para cumprirmos o propósito de
fazer de nós Seus verdadeiros filhos.

Meishu-Sama se conscientizou do fato indiscutível de que esta


partícula do Supremo Deus habitava seu interior e nele atuava. O fato
de Meishu-Sama nascer novamente por intermédio do propósito
Divino significa que o Supremo Deus tornou plena Sua própria
divindade dentro de Meishu-Sama. É por isso que digo que Meishu-
Sama é o Messias. No culto de hoje, com sentimento renovado e com
muita gratidão por estarmos sendo criados e educados em união com
Meishu-Sama, louvamos o Supremo Deus, que se encontra junto a
ele.

O Supremo Deus está vivo dentro de nós. Nossa vida é a Sua


vida. Nosso corpo original é a partícula do Seu espírito. O fato dessa
partícula existir dentro de nós, significa que Sua divindade existe. Nós
precisamos devolver a Ele, que atua dentro de nós, toda autoridade,
honra, força, virtude e salvação.

Ao longo da história, o ser humano construiu uma grande


barreira entre si e Deus, que é a origem da vida, da consciência e da
alma. Até agora, viemos tentando acreditar n’Ele, colocando-O num

296
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

lugar muito distante de nós. A maior ignorância de toda a humanidade


foi ignorar a verdade de que Deus, o pai da vida, existe dentro de
cada um. Precisamos reconhecer que esta ignorância se transformou
no nosso subconsciente e está profundamente gravada no coração
de cada um de nós, que somos a síntese de nossos antepassados.

Porém, só continuamos recebendo a permissão de estarmos


vivos e de sermos criados e educados, porque fomos perdoados de
tal ignorância. Meishu-Sama nos ensinou que Deus existe. Contudo,
tenho a impressão de que eu estava interpretando esse fato de
maneira não muito séria. Reconhecer como realidade que o Supremo
Deus é a nossa própria vida e que Ele está vivo dentro de nós por
toda a eternidade significa aceitar a divindade que existe dentro de
nós. Isto também significa admitir a divindade presente em cada
pessoa.

Creio que, ao invés de tentar entender este fato por meio da


inteligência humana, seria melhor tentar fazê-lo com o sentimento de
nos estar lembrando da nossa terra natal. Se conseguirmos pensar,
ao menos um pouco, dessa maneira, acredito que o mínimo que
podemos fazer para corresponder à Vontade de Meishu-Sama e
externar nossa profunda consideração a Deus é comunicar
claramente a Deus e a Meishu-Sama algo nesse sentido:

“Recebi a permissão de me conscientizar


de que o Supremo Deus realmente existe dentro
de mim, de todos os seres humanos e de tudo o que
existe. Estou imensamente agradecido! E oro para
que esta graça de Deus esteja junto a todos!”

Acredito que o Supremo Deus nos uniu a Meishu-Sama e, ao


nos fazer retornar a Ele, está se esforçando para fortalecer o elo de
reciprocidade conosco. Seguir se esforçando nas práticas que
correspondem à vontade de Meishu-Sama e, ao mesmo tempo, tentar
fortalecer o elo de reciprocidade com o Supremo Deus sozinho, não é
fácil. O contato com outras pessoas e as inúmeras experiências

297
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

vividas por nós são treinamentos muito importantes. Quando


tentamos praticar isso sozinhos ou em um grupo limitado, com
freqüência acabamos nos sentindo auto-suficientes, o que poderá nos
levar a um beco sem saída.

Neste sentido, a participação de messiânicos pertencentes às


três Igrejas Filiais que integram a Igreja Messiânica Mundial (Igreja
Mãe) no 2º Congresso Internacional de Membros, realizado pela
Igreja Su no Hikari, no último dia 5 de julho, na cidade de Matsuyama,
é algo muito significativo. Este grandioso evento contou com a
participação de 2.400 messiânicos. A Igreja Izunome foi representada
por cerca de 165 caravanistas vindos de 13 países e por 300
messiânicos japoneses. Eu estive lá e pude sentir alegria e gratidão
pelo fato desse congresso ter se mostrado como um local de
intercâmbio e de aprendizado, repleto de alegria e motivação. Creio
que um encontro com a participação de messiânicos das três Igrejas
em um mesmo lugar só pôde ser realizado porque Meishu-Sama
considera e utiliza todos os membros, sejam do Japão ou do exterior,
como um só corpo, o seu.

Além do mais, desejo que intercâmbios como este, sejam eles


grandes ou pequenos, que permitem aos nossos corações
comunicar-se, continuem a ser realizados. Oro para que, dessa
forma, unidos num só coração com Meishu-Sama, consigamos
aceitar as diferenças e as peculiaridades da maneira de atuar de
cada um, vivificando uns aos outros e, de mãos dadas, servir à divina
obra de Meishu-Sama, de maneira desimpedida.

Sinto muita gratidão pelo empenho de todos os messiânicos da


Igreja Izunome em elevar a consciência de que estamos unidos ao
Messias Meishu-Sama, desejando tornar-se um modelo do ser
paradisíaco por meio da Prática do Sōnen de Altruísmo.

Considero esta prática a atividade básica para corresponder ao


sentimento de amor do Supremo Deus, que flui sem cessar dos
Ensinamentos e das realizações de Meishu-Sama.

298
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama afirmou:

“Se não fizermos a felicidade


do próximo, não poderemos ser felizes”

Este ensinamento me faz pensar que a alegria do Supremo


Deus está em amar toda a humanidade sem distinção e em desejar a
felicidade de cada pessoa. A essência do sentimento do Supremo
Deus não consiste em julgar o ser humano – mas em perdoar e fazer
todos os homens se tornarem verdadeiramente vivos. Meishu-Sama
escreveu o seguinte poema sobre si mesmo:

“Tornei-me um ente do Paraíso


Ao ter meu corpo e alma purificados
pela Luz de Deus”

Neste poema, ele, como representante do Supremo Deus, nos


mostra como realmente é: alguém que habita o paraíso e que deverá
personificar o sagrado sentimento de amor que salva o maior número
de pessoas possível. Nós estamos nos esforçando para nos tornar
modelos de pessoas paradisíacas, e Meishu-Sama deve ser tomado
como nosso exemplo. Ele é, para nós, o modelo básico do ser
humano paradisíaco.

Sendo assim, no que diz respeito à realização da Prática do


Sōnen de Altruísmo, o fundamental é servir com o sentimento: “Que a
vontade de Meishu-Sama se concretize em mim!”, “Que eu tenha a
permissão de ser utilizado juntamente com todas as pessoas que se
encontram junto a mim, a começar por meus antepassados, desde
meus pais até os mais distantes.” Como a nossa terra natal é o
Mundo Celestial, devemos confiar incondicionalmente no que o
Supremo Deus, que está com Meishu-Sama, deseja. Devemos,
ainda, reconhecer o fato de que Ele atua dentro de nós e está, assim,
comprovando Sua existência. Esta é a nossa fé em sua essência.

299
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Entretanto, durante muito tempo, grande parte da humanidade


acreditou que seu desejo era igual ao de Deus e, para que Este
atuasse e o realizasse, veio crendo n’Ele fervorosamente. A gratidão
e as práticas priorizavam os próprios desejos, muito mais do que os
desejos de Deus. Esta é uma postura de fé que coloca o homem
como elemento principal e Deus, como secundário. É como se
colocássemos o carro à frente dos bois. E, bem no fundo, nosso
sentimento está impregnado deste tipo de fé.

Nós falamos em eliminar o ego e a ambição, mas não


conseguimos evitar que nosso sentimento prevaleça quando
desejamos algo. É porque Deus conhece todos os nossos desejos e
se manifesta neles, derramando Sua Luz, que é possível preocupar-
nos com os problemas que nos cercam, ter esperanças ou desejar
várias coisas. Sendo assim, antes de mais nada, o ideal seria
agradecer a Deus por ter derramado Sua luz em nossos corações,
firmar o sentimento de querer ser utilizado para que a Vontade Divina
se concretize em nós e servir com sinceridade, deixando os desejos
pessoais em segundo plano.

No Ensinamento “Ser amado por Deus”, lido no culto de hoje,


está escrito que “(...) o que desagrada a Deus é agir fora do caminho,
mentir, fazer os outros sofrer e causar incômodo à sociedade”. Mentir
é, dentre as atitudes que desagradam a Deus, a primeira a ser citada
neste Ensinamento. Será que, para sermos amados por Deus, não
deveríamos, pelo menos em relação a Meishu-Sama, deixar de
mentir sobre nós mesmos e, com o coração aberto, entregar tudo, o
bom e o mau, da maneira como realmente é? No final deste mesmo
Ensinamento, está escrito que “se praticamos a fé, mas não
alcançamos a felicidade, é porque o motivo, infalivelmente, se
encontra em nossos próprios corações.”

Ao buscar essa causa, eu sempre esbarro na seguinte


questão: consegue-se ou não ter gratidão? A gratidão também é
muito importante para a Prática do Sōnen de Altruísmo.

300
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama afirma:

“Meu ser está sempre pleno


de gratidão a Deus”

Creio que, assim, ele está nos guiando para conceder-nos


esse sentimento de gratidão contínua. Isto porque, sem ela, somos
tomados pela insegurança e pela preocupação, começamos a
comparar nossa situação à das outras pessoas e, como sentimos
muita dificuldade em nos colocar no lugar delas, pensamos que Deus
é injusto e acabamos lamuriando.

Ou talvez acabamos nos esquecendo de que fomos perdoados


da ignorância de menosprezar e blasfemar contra Deus e, para nos
proteger, acabamos, sem nos darmos conta, nos considerando
melhores que os outros e deixamos de perceber que assim estamos
acusando e julgando o próximo. Por conseguinte, de onde surge
nosso sentimento de gratidão? Eu creio que a gratidão só surge
porque existe alegria dentro do coração. Tal alegria resulta da alegria
do Supremo Deus, que já concretizou, no Mundo Celestial, o plano de
dar vida ao seres humanos, como Seus filhos.

Ao mesmo tempo, Ele faz com que o coração das pessoas


retorne ao Mundo Celestial e projeta a atuação deste mundo sobre a
Terra, transbordando de alegria com a construção do Paraíso
Terrestre. Sendo assim, o Mundo Celestial, que existe no interior de
nossa consciência, está pleno da alegria do Supremo Deus. Ele
perdoa nossa ignorância e se faz presente em nós para que cada um
de nós possa saborear Sua alegria. Como o sentimento do Supremo
Deus e o nosso caminham juntos, Ele permite que a sintamos em
forma de gratidão.

Por isso, mesmo que, no momento, não consigamos perceber


a alegria de Deus em nosso coração, precisamos acreditar que, lá no
fundo, certamente, ela existe. Seguindo adiante, ao comunicarmos

301
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

esse sentimento, ele finalmente se traduzirá numa vida de constante


gratidão.

Além disso, se conseguirmos perceber que existe gratidão


dentro dos nossos corações, é importante não vê-la apenas como um
sentimento de alegria nosso, mas sim, considerá-la como a
manifestação da alegria do Supremo Deus.

Neste momento, por exemplo, precisamos tomar cuidado para


não nos esquecermos de orar a Deus dizendo: “É o Senhor quem
está se alegrando, não é? Por favor, me utilize para que Vossa alegria
possa ser partilhada com o maior número possível de pessoas”.
Como eu já repeti várias vezes, o Mundo Celestial, ao qual nós
precisamos retornar, não está fora de nós. Ele é um mundo de
dimensão e de densidade muito elevadas, e existe dentro da nossa
consciência.

É o mundo da nossa essência, na qual existe a partícula do


espírito do Supremo Deus e é também onde se encontra Meishu-
Sama. Meishu-Sama afirmou que Deus é Luz. Nós somos partículas
do espírito do Supremo Deus, por isso, a Luz existe dentro de cada
um de nós. Meishu-Sama nos chamou de “companheiros da Luz”.
Nós usamos o Ohikari no pescoço para confirmar que a Luz existe
dentro de cada um de nós. Vamos todos servir juntos com o Messias
Meishu-Sama na Obra Divina e, com a luz da salvação e da
esperança, iluminar todas as dimensões que existem dentro de nós –
o Mundo Divino, Espiritual e Material – tendo a permissão de seguir
trilhando, com firmeza, o caminho de luz que brilha por toda a
eternidade.

Encerro minhas palavras, oferecendo minha mais sincera


gratidão ao Supremo Deus – que vive por toda a eternidade – e
orando para que as bênçãos e a paz de espírito de Meishu-Sama –
que se encontra junto ao sopro da vida do Supremo Deus – possam
recair sobre toda a humanidade e sobre toda a criação.

302
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Que os dias de todos os senhores sejam repletos de


prosperidade.

Muito obrigado.

303
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

38 - UM NOVO SOLO SAGRADO INVISÍVEL ESTÁ BRILHANDO


DENTRO DE CADA UM DE NÓS (NOVEMBRO DE 2009)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto aos Antepassados, Solo Sagrado de Guarapiranga
Novembro de 2009
Revista Izunome 23

Bom dia a todos. Os senhores estão passando bem?

Hoje, eu estou muito feliz por estar aqui no Brasil e poder me


encontrar com todos os senhores. Eu estava pensando em falar só
isso em português. Mas quando eu ainda estava no Japão, perguntei
para o Presidente Watanabe quem seria meu tradutor no Brasil. Aí ele
me respondeu: “Não tem ninguém!”.

Então, eu perguntei para ele: “É mesmo? E como eu vou


fazer?”. Ele me falou: “Pois é, o senhor vai ter que se virar sozinho”.
O Presidente Watanabe é realmente um “amigo da onça”. Por isso eu
vou ter que falar em português.

Acho que os senhores terão dificuldade para entender a minha


pronúncia, mas gostaria que todos prestassem bastante atenção nas
minhas palavras.

Aproveito esta oportunidade para parabenizar todos os


brasileiros pela realização da Copa do Mundo em dois mil e catorze e
a confirmação da primeira Olimpíada na América do Sul que será
realizada em 2016 no Rio de Janeiro.

Meus parabéns!

Estou muito agradecido por participar junto com todos os


senhores no Culto aos Antepassados aqui neste esplêndido e
maravilhoso Solo Sagrado de Guarapiranga.

304
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Eu fiquei muito feliz quando soube do empenho diário de todos


os senhores que estão fazendo a Prática do Sōnen para se aproximar
do sentimento de Meishu-Sama.

E também da firme decisão que tomaram de ser um portador


da Luz do Messias Meishu-Sama se empenhando cada vez mais nas
três colunas da Salvação (Johrei, Agricultura e Alimentação Natural e
atividades artísticas e culturais através do Belo).

Ainda agora recebi o magnífico presente que os senhores


prepararam para mim. Este presente é o fruto da dedicação de todos
os senhores, que seguiram a orientação do Presidente Watanabe nos
últimos seis meses sobre a Prática do Sōnen de Altruísmo.

Com esta dedicação, os senhores estão se esforçando para se


tornar protótipos de homens paradisíacos que desejam a felicidade
de outras pessoas. Este presente maravilhoso encheu meu coração
de alegria e felicidade.

Muito obrigado.

Os senhores estão felizes?

Os senhores estão realmente felizes?

Que bom! Agora sim, eu sinto que recebi o presente dos


senhores de verdade.

Eu agradeço a Meishu-Sama por ter guiado todos os senhores


nesta prática. Eu encaminho a Meishu-Sama o sentimento puro e
sincero de todos os senhores! Para mim, esse sentimento puro e
sincero é a prova da atuação de Meishu-Sama dentro de cada um
dos senhores.

Eu acredito que Meishu-Sama ficou muito feliz ao receber a


sinceridade de cada um dos senhores. Além disso, eu orei para que a

305
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

alegria de Meishu-Sama possa ser compartilhada com todos os seres


humanos.

Também fiquei muito feliz por saber que a Segunda Etapa da


construção do Solo Sagrado de Guarapiranga está avançando
bastante, envolvida por muitos milagres.

Há muito tempo eu já sabia que todos os senhores possuíam


um sentimento puro por Meishu-Sama e também um sentimento
fervoroso pelos Solos Sagrados do Japão.

Mas eu fiquei muito emocionado quando cheguei no Brasil e


senti na pele a fé pura de todos os senhores.

Eu senti também como o Solo Sagrado do Brasil fica longe do


Solo Sagrado do Japão. Mas para mim, apesar da grande distância
que separa os dois Solos Sagrados, o seu centro é um só.

Meishu-Sama construiu sobre a face da Terra, os Solos


Sagrados como protótipos visíveis de um Paraíso invisível aos
nossos olhos.

Por isso, mesmo que venham a existir vários Solos Sagrados


sobre a superfície terrestre, existirá apenas um único Solo Sagrado
invisível aos nossos olhos, que é o centro de todos os outros.

Esse Solo Sagrado está brilhando intensamente dentro de


cada um de nós. E o Supremo Deus e Meishu-Sama estão vivos
dentro desse Solo Sagrado invisível. Nossos antepassados também
estão vivos dentro dele.

Hoje nós estamos participando do Culto aos Antepassados.


Mas na verdade, é Meishu-Sama quem está realizando o culto dentro
de nós. Por isso, nossos antepassados estão sendo banhados pela
Luz da Salvação de Meishu-Sama.

306
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama é a Luz da salvação e a Luz da esperança. Ele é


a Luz que ilumina, a Luz que purifica e a Luz que guia todas as
coisas. Certamente, a Luz Divina existe dentro de cada um de nós
que está ligado ao Messias Meishu-Sama.

Vamos caminhar juntos com o Messias Meishu-Sama pelo


caminho que brilha eternamente. E juntos, vamos carregar a Luz da
salvação e a Luz da esperança que ilumina cada um de nós e todas
as existências para sermos utilizados na Obra Divina de salvação.

Encerro minhas palavras oferecendo a minha mais sincera


gratidão ao Supremo Deus. E oro para que todos os seres humanos e
todas as existências possam receber as bênçãos e o conforto de
Meishu-Sama que se encontra junto ao sopro da vida do Supremo
Deus que vive eternamente.

Muito obrigado

307
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

39 - A LUZ ESTÁ BRILHANDO DENTRO DA NOSSA


CONSCIÊNCIA (JANEIRO DE 2010)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Saudação de Ano Novo
Janeiro de 2009
Revista Izunome 25

Com imenso e profundo respeito, digo lhes que o único


Supremo Deus, que vive por toda a eternidade, nos preparou como
inúmeras partículas do Seu espírito, portadoras da Sua divindade, e
outorgou-nos o espírito da palavra Messias, ou seja, nos impregnou
de seu propósito de fazer de nós Seus representantes, e deu início a
toda criação.

Inicio minha saudação agradecendo do fundo do coração a


permissão de começar este novo ano juntamente com todos os
senhores na condição de elemento que, unido a Meishu-Sama – o
qual, de acordo com o propósito divino, renasceu como verdadeiro
filho do Supremo Deus, ou seja, como Messias –, está sendo
agraciado com uma contínua formação física e espiritual.

Feliz ano-novo a todos!

Agradeço sinceramente a todos os senhores por se


empenharem diariamente na divina obra de levar verdadeira salvação
e felicidade às pessoas, cultivando a fé com base no sentimento de
Meishu-Sama.

Mesmo que nos seja algo imperceptível, estamos tendo a


permissão de sermos utilizados juntamente com todos os
antepassados e com toda a humanidade, superando a diferença de
gostos, de raça e de religião, vencendo a distinção entre bem e mal
etc.

Há algo que venho percebendo ultimamente.

308
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Nós falamos em aprender com os Ensinamentos e as


realizações de Meishu-Sama. Entretanto, a maneira de compreendê-
los pode se dar a partir de diversos ângulos e dimensões. Por
conseguinte, não devemos discutir sobre quais maneiras estão de
acordo com a vontade de Meishu-Sama ou não, como se isso fosse
uma disputa, uma questão de bem ou mal, de certo ou errado. Os
Ensinamentos pertencem a Meishu-Sama, pertencem ao Supremo
Deus.

Hoje, como lemos os Ensinamentos expressos principalmente


na forma de textos escritos, nós nos mostramos inclinados a tratá-los
como algo pertencente ao mundo terreno, que se encontra fora de
nós. E, na tentativa de compartilhá-los neste mundo, tendemos a
classificá-los e a selecioná-los para aplicá-los e transmiti-los.

Todavia, os Ensinamentos se fazem por meio de palavras. E a


origem destas é o espírito das palavras do mundo celestial, que é o
centro da nossa consciência.

Nós recebemos constantemente o espírito das palavras do


Mundo Celestial, repletas de amor e de verdade. Não será por essa
razão que precisamos retornar ao Mundo Celestial, impregnado pelo
espírito das palavras do Supremo Deus, e nos unir novamente a
Meishu-Sama, que lá se encontra?

Por isso, quando lermos os Ensinamentos, é melhor termos o


sentimento de que, iluminados, estamos sendo criados e educados
por Meishu-Sama, não a partir do mundo exterior, mas a partir do
Mundo Celestial, que é o centro da nossa consciência.

Sendo assim, mantendo, por pouco que seja, essa postura em


nosso dia a dia, conseguiremos nos dar conta de alguns pontos
importantes que, como seres humanos, estávamos esquecendo,
pontos que estávamos deixando passar despercebidos.
Conseguiremos nos libertar de nossos becos sem saída e de nossas
prisões. Conseguiremos descobrir a alegria de experimentar a

309
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

verdadeira gratidão e felicidade e pedir permissão para sermos


utilizados para compartilhar essa alegria com o maior número de
pessoas possível.

Meishu-Sama escreveu o seguinte poema:

“Durante longo tempo, vim


duvidando e vacilando. Mas que alegria!
Pela Luz de Deus, despertei!”

Durante muito tempo, Meishu-Sama percorreu caminhos


incertos. E a alegria sentida por Ele no momento em que descobriu o
fato de que a Luz do Supremo Deus brilhava em seu interior invade-
me profundamente o coração.

É este Meishu-Sama que está unindo cada um de nós a ele.


Por esse motivo, essa Luz está brilhando no centro da nossa
consciência.

Meishu-Sama escreveu o seguinte poema sobre a Luz que


brilha dentro de si:

“Luz! Oh Luz! Dissipas todas as trevas,


por mais profundas que sejam.”

Como está claro neste poema, por mais densa e profunda que
seja a escuridão em que estejamos, se percebermos o ponto de luz
que existe dentro de nós, veremos que lá não há escuridão, mas sim
um mundo de Luz.

Vamos reconhecer e acreditar na Luz que existe no centro da


nossa consciência e viver este novo ano que se inicia mantendo o
sonho e a esperança, a fim de conseguirmos iluminar a nós mesmos
e nos tornarmos a Luz que ilumina o mundo.

310
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Por fim, encerro minha saudação de ano-novo, orando para


que o grandioso amor de Meishu-Sama pelos senhores, a radiante
luz do Supremo Deus e o sopro da vida possam ser compartilhados
com toda a humanidade e com todos os seres e que todos possam
renascer.

Que a nova obra de Criação do Supremo Deus se desenvolva


plenamente!

Muito obrigado.

311
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

40 - AS PESSOAS QUE DESEJAM CONDUZIR OUTRAS


PESSOAS AO PARAÍSO, NATURALMENTE O ALCANÇAM
(FEVEREIRO DE 2010)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
4 de fevereiro de 2010
Revista Izunome 27

Parabéns a todos pelo Culto de Início da Primavera. É com


imenso e profundo respeito que afirmo que o Supremo Deus está
vivo. Acredito que, como partículas do Seu espírito, recebemos o
desígnio divino de nos tornarmos filhos que correspondam à Sua
vontade. Cumprindo este desígnio, Meishu-Sama renasceu como
Messias, ou seja, como verdadeiro filho do Supremo Deus. No culto
de hoje, renovamos nosso sentimento e louvamos o Supremo Deus,
que se encontra junto a Meishu-Sama, agradecendo profundamente a
permissão de, unidos a Meishu-Sama, estarmos sendo guiados para
renascer.

O Supremo Deus possui critérios que transcendem os critérios


de bem e de mal estabelecidos por nós, seres humanos. Seus
critérios, como disse Meishu-Sama, são “livres e desimpedidos”,
insondáveis para o ser humano. Ele possui, ainda, o poder que une e
harmoniza forças antagônicas como o positivo e o negativo, o ying e
o yang, o bem e o mal deste mundo, o certo e o errado etc. Meishu-
Sama se referiu a este poder como “Força Absoluta”. Gostaria que
oferecêssemos, de todo coração, nossa gratidão por estarmos tendo
a permissão de, unidos a Meishu-Sama, estarmos sendo criados e
educados dentro da dinâmica da grande harmonia gerada por esta
Força Absoluta.

Agradeço sinceramente a todos os senhores por estarem se


empenhando na prática do sōnen de altruísmo para – como disse o
presidente Watanabe em sua saudação de Ano-Novo – “conduzir o
maior número possível de pessoas ao caminho da felicidade, tendo o

312
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Johrei e os Ensinamentos como guia, e a postura de Meishu-Sama


como exemplo”. Creio que Meishu-Sama deva estar extremamente
feliz com o sentimento sincero de todos os senhores, que, visando se
tornar pessoas paradisíacas, vêm se empenhando em progredir,
passo a passo, por meio do exercício das práticas do sōnen de
altruísmo e das pequenas ações altruístas. Estas últimas são a nossa
diretriz para este ano.

A propósito, que tipo de ser humano seria a “pessoa


paradisíaca” mencionada por Meishu-Sama? Acredito que essa
pessoa seja o “ser humano de natureza divina”, tal qual ele explicou.
Meishu-Sama nos ensina que, originalmente, o ser humano possui
duas naturezas: a divina e a animal. Além disso, afirmou:
“Desenvolvimento cultural significa o ser humano de natureza animal
elevar-se à [condição] de natureza divina”, e ainda, “o local onde se
reúnem seres humanos divinos não pode ser outro senão o Paraíso
Terrestre”. E, para conduzir-nos a esta [condição] de ser humano
divino, o Supremo Deus preparou, dentro de cada um de nós, uma
autoconsciência, chamada também de consciência/sentimento
(kokoro). Desta forma, nosso eu não nos pertence. O Supremo Deus
é que faz com que ele pareça ser nosso. A consciência/sentimento
criada por Ele é importantíssima e está repleta do Seu ilimitado amor.
Sem ela, nós não conseguiríamos sentir a alegria do Supremo Deus,
que está concretizando a Obra da criação, e não nasceria em nós a
emoção, a gratidão, o amor sincero e o makoto.

Por meio da consciência/sentimento, Ele está tentando se


manifestar como natureza humana rica, alegre e harmônica. Por isso,
para o Supremo Deus, a consciência/sentimento é um importante
ponto de apoio para Ele se manifestar na Terra. Mais que tudo, não
seria justamente por existir esse eu que o Supremo Deus consegue
nos fazer renascer como Seus verdadeiros filhos, cumprindo, assim,
o propósito da Criação? Talvez seja em prol dessa formação que o
Supremo Deus está nos permitindo sentir o eu como se fosse algo
nosso.

313
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Sinto que isso é o profundo amor do Supremo Deus como o


Pai da vida. Uma vez que, a começar por nossos pais e
antepassados, viemos acreditando que o eu era propriedade nossa,
travamos batalhas interiores, fazendo com que o bem e o mal se
digladiassem dentro de nós e, para nos protegermos, acabamos
ficando num mundo no qual precisávamos viver pensando nisso o
tempo todo. A nós, que nos encontrávamos neste mundo, Meishu-
Sama ensinou que a consciência denominada paraíso, ou seja, a
natureza divina, encontra-se no centro da nossa
consciência/sentimento. Além disso, Meishu-Sama está nos
conduzindo com paciência e tolerância para que possamos despertar
para a luz que é a natureza divina que brilha dentro de nós e para
que possamos ser utilizados na sagrada Obra, que fará com que a
dinâmica do Paraíso seja refletida no plano terrestre. Não teria sido
exatamente por isso que Meishu-Sama orientou sobre “eliminar” ou
“descartar” o ga [ego] e o apego? Mesmo que se diga “eliminar o
egoísmo e o apego”, tudo o que existe no mundo foi criado pelo
Supremo Deus; por isso, na verdade, não existe nada para ser
eliminado.

Acredito que a razão para Meishu-Sama ter dito para


“eliminarmos [o ga]” foi porque ele pretendia nos advertir para o fato
de que consideramos nossa consciência/sentimento como algo que
nos pertence; confiamos demasiado em nossa sabedoria e força;
somos arrogantes; criticamos e somos criticados. Em outras palavras,
ele queria nos prevenir do fato de que estamos vivendo como se
fôssemos o centro, o sujeito principal. Nossa individualidade,
originalmente, existe dentro da natureza divina, que se encontra no
centro da nossa consciência/sentimento. Trata-se da natureza divina
do Supremo Deus. Nós precisamos reconhecer e acreditar que essa
natureza divina existe no centro da nossa consciência/sentimento.

Além disso, dentro de nós, Meishu-Sama se coloca, o tempo


todo, face a face conosco, observando tudo o que se passa em nossa
consciência/sentimento e ouvindo todos os nossos pensamentos.
Sendo assim, não devemos tentar afastar ou eliminar o eu – que, em

314
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

meio à ignorância e à divagação, ainda permanece amarrado ao ga e


ao apego – como se ele fosse um problema ou algo impuro. Pelo
contrário, como tudo já está envolvido pelo amor e pelo perdão [do
Supremo Deus], seria melhor que, aceitando este fato, orássemos
para que tudo fosse perdoado, purificado, salvo e revitalizado; e que,
entregando-nos ao Supremo Deus, por intermédio de Meishu-Sama,
pedíssemos, mais uma vez, para que esse sentimento seja utilizado
como Seu. E ainda, agradecer a permissão de guardar em nós o eu –
que é algo da maior importância para o Supremo Deus –, e ter o
dever de servir com o sentimento de querermos ser utilizados para
que Ele e Meishu-Sama apareçam, e não nós mesmos. Dessa forma,
o eu, que era utilizado até hoje como nosso, se unirá em um só
sentimento e consciência com a natureza divina que existe dentro de
cada um de nós. Eu acredito que esse é o verdadeiro significado da
união.

Toda e qualquer pessoa vive em busca da felicidade. No


Ensinamento “Nós é que traçamos o destino”, lido no culto de hoje,
Meishu-Sama nos ensina que precisamos cultivar o sentimento de
amor altruísta para sermos felizes e que a fé é o único caminho para
cultivarmos esse sentimento. Em uma palestra de 1953, Meishu-
Sama orientou sobre a fé afirmando que, quando oramos a Deus, o
apego em querer ajudar ou querer ser ajudado acaba interferindo
negativamente. Além disso, ele apresentou experiências pessoais
para enfatizar que tudo precisa ser entregue a Deus com confiança
na grandeza e na profundidade do Seu amor. Ele também ensinou
que precisamos mudar o conceito, a visão e a compreensão que
tínhamos sobre Deus até hoje. Outrossim, enfatizou que existe uma
diferença fundamental entre aquele que, por egoísmo, quer ir sozinho
para o Paraíso, e aquele que quer conduzir outras pessoas ao
Paraíso. Ele também afirma que as pessoas que desejam conduzir
outras pessoas ao Paraíso, naturalmente o alcançam. Nós fomos
salvos por Meishu-Sama e conduzidos até aqui por seus
Ensinamentos. Sendo assim, precisamos dar um passo à frente e nos
libertar da fé professada até hoje, que objetiva retorno, recompensa
ou premiação. Por meio da prática de pequenas ações altruístas, que

315
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

está sendo feita por todos os senhores, crescerá dentro de cada um,
sem que o percebamos, uma fé em que nossa alegria é alegrar o
Supremo Deus e Meishu-Sama e não uma fé que objetiva apenas
nossa própria felicidade.

Neste sentido, sinto que amadurecer como verdadeiros fiéis de


Meishu-Sama, cuidando bem desse tipo de fé, é o verdadeiro
caminho para sermos felizes. Além do mais, cada um de nós recebeu
do Supremo Deus a permissão de nos relacionarmos com Ele usando
as palavras e o sōnen. Sendo assim, nós precisamos comunicar
todos os acontecimentos e sentimentos a Meishu-Sama e deixá-los
entregues aos desígnios do Supremo Deus. Desse modo, gostaria
que nos dedicássemos no partilhar das bênçãos do Paraíso com
todos os seres, por meio de nós e a partir de nós. Gostaria,
igualmente, que o ato de comunicar a dedicação realizada e o de se
entregar [a Deus] se tornem um hábito plenamente assimilado, e
também, uma grande alegria.

Dessa maneira, nossa verdadeira missão como seres humanos


que possuem o Paraíso como local de origem, é a de sermos
utilizados, juntamente com o sopro da vida do Supremo Deus, na
divina obra de retorno ao eixo vertical que une o Céu e a Terra,
conscientes da palavra e do sōnen vivos do Supremo Deus. Se
consideramos as diversas atividades humanas como o movimento de
rotação, creio que a roda formada por tais atividades só gira de
maneira adequada e satisfatória porque o eixo vertical existente no
centro de cada um de nós está bem firme. Sendo assim, vamos nos
empenhar para que, por meio da prática do amor altruísta, possamos
nos aproximar cada vez mais do ser paradisíaco que é Meishu-Sama,
construindo um “eixo da fé”, um eixo vertical inabalável.

Encerro minhas palavras orando para que toda a grande


natureza possa ser revitalizada por intermédio da brisa da primavera
e para que todas as coisas possam ser revitalizadas pelo constante
retorno ao Supremo Deus, que se encontra junto ao Messias Meishu-
Sama. Oro para que sejamos utilizados dessa maneira juntamente

316
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

com toda a humanidade e com tudo o que existe. Que a nova obra de
criação do Supremo Deus seja repleta de prosperidade.

Muito obrigado.

317
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

41 - SALVAR É CONSCIENTIZAR AS PESSOAS SOBRE A


ETERNIDADE DA VIDA (JULHO DE 2010)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto aos Antepassados
1º e 2 de julho de 2010
Revista Izunome 33

Felicitações a todos pelo Culto aos Antepassados!

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o único


Supremo Deus, que vive por toda a eternidade, preparou inúmeras
partículas do Seu próprio espírito no mundo celestial.

Nós somos estas inúmeras partículas, e o Supremo Deus deu


início à Criação outorgando-nos o divino sopro da vida juntamente
com o Seu propósito — fazer de nós Seus representantes. Em outras
palavras, fazer-nos nascer como Seus verdadeiros filhos, como
Messias.

E ainda, o Supremo Deus, realizador da grande mudança, a


qual chamamos de “Transição da Era da Noite para a Era do Dia”, fez
com que Meishu-Sama renascesse como Seu verdadeiro filho, para
que ele nos pudesse servir de modelo, enquanto as coisas são
renovadas em sua totalidade.

Juntamente com o que existe no Universo — com a


humanidade e todos os seus ancestrais e antepassados —, nós, que
estamos unidos a Meishu-Sama, somos, sem cessar, criados e
educados para nascermos novamente.

Acreditando nisso, renovei meu sentimento durante o culto que


celebramos hoje e louvei o Supremo Deus, que se encontra junto a
Meishu-Sama, agradecendo, do fundo do meu coração, Seu imenso
amor e infinitas bênçãos.

318
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Sinto imensa gratidão também por todos os messiânicos, que,


a começar pelo Johrei, se empenham diariamente na prática dos
Ensinamentos de Meishu-Sama com o intuito de apreendê-los e
vivificá-los em sua maneira de pensar e de viver, ou seja, em seu dia
a dia.

Acredito, ainda, que Meishu-Sama deva estar muito feliz pelo


fato de cada um dos senhores estar se dedicando, diligentemente,
aos treinamentos chamados “prática do sōnen” e “prática das
pequenas ações altruístas”, visando ao ser paradisíaco iluminado e
radiante, plenamente afinado com a Era do Dia.

Bem, hoje é o dia do Culto aos Antepassados. Afinal, onde


estarão os antepassados? Onde existe o tal mundo espiritual no qual
se diz estar todos eles?

Quando falamos em Mundo Espiritual, nós nos inclinamos a


criar a visão equivocada de que se trata de um mundo existente fora
de nós. Meishu-Sama nos ensinou que ele é o “mundo do sōnen”.

Os antepassados, definitivamente, não estão separados de


nós. Não estariam eles dentro do nosso sōnen, juntamente com o
Supremo Deus e com Meishu-Sama?

Em seus Ensinamentos, Meishu-Sama afirma que nós somos a


síntese de um incontável número de antepassados. Portanto, não
deveríamos reconhecer que eles estão vivos conosco, já que se
encontram dentro do nosso sōnen e, ao mesmo tempo, nas células
de todo nosso corpo, na forma do denso e invisível código genético?

Dessa maneira, o mundo espiritual e o mundo material não


existem separadamente: o Supremo Deus os governa como um único
mundo.

Neste momento, sinto a necessidade de modificar minha


maneira habitual de pensar a vida. Isto porque, até então, quando se

319
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

falava em vida, eu acabava centrando meu pensamento na vida


física, visível. Em outras palavras, quando eu pensava “sou um ser
vivo”, era muito forte a idéia de vida a partir do momento em que
nasci neste mundo até meu último suspiro. Quando se dizia “teve a
vida salva”, eu pressupunha somente a vida física, a saúde.

Sendo assim, qual será o verdadeiro significado da expressão


“ter a vida salva”?

O primeiro poema entoado no culto de hoje foi:

“Salvar a humanidade
significa conscientizar
as pessoas da eternidade
da vida”

Creio que, por meio deste poema, Meishu-Sama está nos


ensinando como é importante para o ser humano saber que a vida é
eterna e que a verdadeira salvação é ter consciência disso.

A meu ver, conscientizar-se da eternidade da vida significa


reconhecer que ela não pertence a nós, mas ao Supremo Deus. A
morte é uma imagem criada pelo próprio ser humano, que se baseia
na idéia de que ele é o dono da vida, a qual, portanto, fica limitada ao
mundo visível.

O Supremo Deus está vivo por toda a eternidade. Ele é nossa


própria vida.

Sendo assim, precisamos nos conscientizar de que nossa vida


pertence ao Supremo Deus. Somente quando reconhecermos
docilmente este fato é que, pela primeira vez, conseguiremos dizer
que “tivemos a vida salva”, no real sentido da expressão.

O segundo poema entoado no culto de hoje foi:

320
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“O ser humano é o senhor da vida eterna, que alterna


nascimento e morte”

Meishu-Sama afirmou que “o ser humano é o senhor da vida


eterna”. Não teria sido devido ao fato do ser humano —
representando todos os seres, especialmente, os vivos — possuir a
tarefa de reconhecer que é uma “existência agraciada” com a vida
eterna que Meishu-Sama fizera esta afirmação?

O que dizer sobre a vida dos antepassados? Poderíamos


afirmar que somos uma espécie de “guia” deles. Contudo, por
estarmos aprisionados à idéia fixa mais comum de que o mundo
espiritual é o mundo após a morte, acabamos pensando que os
antepassados estão mortos e, ainda, fazendo diferença entre os
nossos antepassados e os das outras pessoas.

Entretanto, precisamos reconhecer que, assim como a nossa


própria vida, a de todos os antepassados, quero dizer, a alma deles, é
a vida do Supremo Deus.

Nós formamos um só corpo com os antepassados, e Meishu-


Sama libertou-nos do mundo das trevas chamado morte, preparando-
nos o caminho por meio do qual conseguiremos viver dentro da luz da
salvação.

Sendo assim, o verdadeiro guia dos antepassados é Meishu-


Sama, que se acha junto a nós; além do mais, nós nos encontramos
na posição de sermos utilizados livremente por ele, como se
fôssemos seus braços e pernas.

Agora que adentramos uma nova Era do Dia, não deveríamos


começar a servir com a convicção de que nossos antepassados não
estão mortos, mas muito vivos dentro do nosso sōnen, em cada uma
de nossas células, juntamente com Meishu-Sama, recebendo o sopro
da vida do Supremo Deus e se desenvolvendo continuamente?

321
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Ademais, cientes de que formamos um só corpo com os


antepassados, que continuam vivos, gostaria que seguíssemos,
acreditando que, conforme vamos ganhando idade, não estamos nos
debilitando, mas renascendo dia após dia, para nascer de novo junto
com eles.

O Supremo Deus nos criou a partir d’Ele e nos ama como a Si


mesmo. Em outras palavras, Sua intenção é receber-nos como Seus
filhos.

Seu amor é a essência do que chamamos de amor e foi devido


a isso que o Supremo Deus preparou todas as existências.

É por essa razão que o amor do Supremo Deus está presente


em mim, no meu próximo, em todas as pessoas e em todos os
antepassados; enfim, ele existe em todos os seres, inclusive nas
crianças que virão a nascer neste mundo.

O Supremo Deus nos uniu, desde o início, a Meishu-Sama por


meio do Seu amor e está nos criando e educando. Não seria por isso
que estamos conseguindo realizar, junto com todos, a prática do amor
altruísta, agradecendo Seu amor?

O importante é entregar-se a Ele por intermédio de Meishu-


Sama, rogando ser perdoado, purificado, salvo e ressuscitado para
viver plenamente, junto com o grande número de antepassados e
pessoas que não reconheciam o amor divino. Além disso, é
importante manter aceso o desejo de servir para que o amor do
Supremo Deus seja compartilhado com todos os seres.

Uma vez que a existência individualizada presente na natureza


humana parece pertencer a nós, acaba preponderando a idéia de que
quem está realizando algo é o indivíduo chamado “eu”, e a noção de
“juntos” tende a ser esquecida.

322
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Acredito, porém, que esta noção é a base do sentimento


altruísta, por meio do qual louvamos a glória do Supremo Deus, que
não pode ser blasfemada.

Desde o princípio, a Virtude pertence ao Supremo Deus e a Ele


deve retornar.

O Supremo Deus perdoou nossa presunção e o pecado de


considerarmos como nossas Suas virtudes e conduziu-nos ao
fulgurante mundo do dia, onde nos recebeu. Apesar de nossa
imperfeição, Ele continua nos criando e educando, permitindo que
continuemos a perceber a consciência/sentimento do “eu” como se
fosse algo nosso. Isto é uma manifestação do Seu grandioso amor.

Estamos na posição de servir, junto com Meishu-Sama, como


recipientes que tornam manifesta a virtude do Supremo Deus.

Acumular virtudes é ofertar ao Supremo Deus a


consciência/sentimento do “eu” e as virtudes que, embora fossem
Suas, vínhamos considerando como nossas. E também devolver a
Ele a partícula divina chamada alma, que também vínhamos
considerando como nossa.

Dessa forma, será que servir para acumular virtudes não seria
uma prática para retornar ao Paraíso, que é o nosso mundo original?
O terceiro poema entoado no culto de hoje foi:

“A virtude ostensiva não é verdadeira.


Somente a virtude oculta comunica-se com Deus”

A atuação da nossa consciência/sentimento é invisível.

Entretanto, o Supremo Deus sabe de todas as coisas porque


tudo Lhe pertence. Será que nossa consciência/sentimento não
restabeleceria a comunicação com Ele caso reconhecêssemos tudo,

323
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

inclusive essa consciência/sentimento, como virtude divina, e


oferecêssemos nossa gratidão, juntamente com todos?

No mês passado, celebramos o Culto do Paraíso Terrestre.

Acredito que a construção de um Paraíso Terrestre, ou seja, de


um mundo isento de doença, pobreza e conflito, precisa ser feita
primeiramente nos nossos corações.

Meishu-Sama escreveu o seguinte poema:

“Tanto a criação do Paraíso como a criação do inferno


dependem unicamente do sentimento do homem”

Nós possuímos uma alma, que é a partícula divina do espírito


do Supremo Deus. Ou seja, existe dentro de nós o Paraíso, que é o
mundo de origem de toda a criação.

Meishu-Sama escreveu uma caligrafia em que consta:

“O Paraíso se
encontra dentro do
meu coração”

Meishu-Sama está vivo e atuante no interior de cada um de


nós. Ele vive e atua no centro da nossa consciência.

Por essa razão, ao invés de buscarmos o mundo chamado


Paraíso Terrestre fora de nós, o mais importante é acreditar e
reconhecer como um fato a existência de Meishu-Sama e do Paraíso
Terrestre no nosso interior.

Meishu-Sama afirmou:

324
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“Cada indivíduo precisa se tornar


paradisíaco. Aliás, está chegando a época
em que isto se tornará possível”

Não seria exatamente devido ao fato do Paraíso Terrestre


existir dentro de cada um que ele teria feito esta afirmação?

Para que consigamos relembrar que, a princípio, vivíamos no


Paraíso, que é o nosso mundo de origem, precisamos nos lançar de
corpo e alma ao Paraíso que existe no centro da nossa vida, da
nossa consciência, da nossa alma, e direcionar, constantemente,
nosso pensamento e sentimento para Meishu-Sama, que lá se
encontra.

Fomos conscientizados de que a humanidade está passando


pela salvação denominada transição da Era da Noite para a Era do
Dia. Hoje, estamos vivendo um mundo do dia completamente
renovado. Precisamos agradecer, junto com todas as existências, por
estarmos sendo criados e educados com vistas ao nosso
aperfeiçoamento. Além disso, precisamos ser úteis à Obra Divina,
que estabeleceu o Paraíso Terrestre dentro de cada um de nós.

Em 1935, no momento da fundação da Igreja Messiânica


Mundial, Meishu-Sama afirmou que o indivíduo precisa ser salvo e
aperfeiçoar-se. Será que esse não seria o caminho para
correspondermos ao Seu sentimento?

Encerro minhas palavras orando para que todos os senhores


possam viver dias de paz e tranqüilidade, evoluindo com saúde
graças ao sopro da vida do Supremo Deus, que existe em todas as
coisas, e à orientação de Meishu-Sama. Que a renovada obra de
criação do Supremo Deus, que está vivo por toda a eternidade,
prospere cada vez mais.

Muito obrigado.

325
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

42 - O SUPREMO DEUS GOVERNA CADA INSTANTE DA NOSSA


VIDA (DEZEMBRO DE 2010)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Natalício de Meishu-Sama
22 e 23 de dezembro de 2010
Revista Izunome 38

Felicitações a todos pelo Culto do Natalício de Meishu-Sama!

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o Supremo


Deus está vivo e que todos os seres criados recebem d’Ele o sopro
da vida e levam uma existência com entusiasmo. Foi Ele que gerou
todas as coisas. Sem exceção, somos todos Seus filhos.

Na dimensão chamada vida, o objetivo da Criação é fazer de


nós, verdadeiros filhos, messias que realmente conhecem e servem
ao Pai da vida.

Para a realização deste propósito, acredito que o Supremo


Deus preparou todas as partículas divinas no Mundo Celestial,
utilizando o espírito da palavra chamada messias, e deixou-as unidas
a Ele.

Por conseguinte, nós, seres humanos, portadores da partícula


do espírito do Supremo Deus, recebemos o divino propósito de
nascer novamente como Seus verdadeiros filhos.

Sem reconhecer que o Supremo Deus é o Pai da nossa vida e


da vida de todas as coisas, a humanidade ignorou-O e permaneceu
no mundo da Noite, coberto pela escuridão.

O Supremo Deus, com Seu infinito amor, perdoou a


humanidade e, realizando uma grande mudança, chamada “transição
da Noite para o Dia”, recebeu a todos nós no mundo do dia,
totalmente novo, em que brilha radiante Luz.

326
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O mundo criado pelo Supremo Deus, tanto o Céu como a


Terra, está envolto em Luz e profusamente preenchido por Sua
alegria.

Como o Supremo Deus nos ama, Ele nos guia, o tempo todo,
para que Sua alegria se torne nossa.

Meishu-Sama percebeu dentro de si a realização do grande


perdão chamado “transição da Noite para o Dia”, passou a servir tal
como ordenava a Vontade Divina e chegou à convicção de que
renascera como uma existência una com o Supremo Deus.

É por isso que digo: Messias Meishu-Sama, verdadeiro filho do


Supremo Deus, sustentáculo a ser herdado e transmitido por nós e
por nossos descendentes.

Unidos a este Meishu-Sama, estamos sendo criados – junto


com toda a humanidade, antepassados e demais seres – para
nascermos novamente.

Agradeço do fundo do coração a permissão de podermos


louvar o Supremo Deus, que se encontra junto a Meishu-Sama, e de
podermos orar para que o propósito Divino se realize. Agradeço aos
messiânicos o empenho em aprender e praticar, diariamente, os
ensinamentos de Meishu-Sama visando ao aperfeiçoamento
individual e à transformação do seu meio em paraíso, exercitando,
diligentemente, o amor altruísta a partir de pequenas práticas.

Por meio dos aprendizados adquiridos a partir das inúmeras


experiências vividas na prática do dia a dia, os senhores estão
aprofundando a relação de reciprocidade com Meishu-Sama e
fortalecendo e tornando cada vez mais consistente a ligação que os
une ao Supremo Deus. E isso tem sido um grande estímulo e alegria
para mim.

327
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Também agradeço, de todo coração, o empenho de todos na


construção do Solo Sagrado – o protótipo do Paraíso Terrestre. A
esse respeito, no Solo Sagrado de Atami, foi iniciada a obra de
restauração do Palácio de Cristal – a última edificação feita por
Meishu-Sama em sua vida terrena. Ela é muito significativa e motivo
de grande alegria, pois representa uma nova etapa na construção do
Solo Sagrado.

Ao mesmo tempo em que estou orando para que as obras de


restauração sejam concluídas sem obstáculos, gostaria de lembrar as
palavras de Meishu-Sama que refletem seu sentimento por este
prédio: “O Palácio de Cristal não pertence exclusivamente a nós.
Desejo que um maior número de pessoas se deleite com este lugar
apreciando daqui a maravilhosa vista da natureza concedida por
Deus.” Oro para que, com a conclusão dessa restauração, todos
aqueles que visitarem o Palácio de Cristal possam sentir alívio e
tranqüilidade em seus corações.

Da mesma maneira que as obras de restauração do Palácio de


Cristal, começarão as obras de conclusão do Shunjû-an, a Vila
Primavera-Outono, do Solo Sagrado de Quioto.

O contato de um grande número de pessoas com a beleza e o


vigor emanados do Solo Sagrado fará com que, sem se darem conta,
elas se recordem do Solo Sagrado eterno que existe dentro de seus
corações e se sintam revigoradas.Meishu-Sama certamente ficará
muito feliz ao ver isto acontecer.

Desejo que essa alegria de Meishu-Sama se torne a nossa


alegria e a de todos os seres. Precisamos dedicar, com gratidão e
esperança, como se fôssemos seus braços e pernas, na Obra Divina
de construção do Solo Sagrado.

O primeiro poema do culto de hoje foi:

328
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“Eu, apenas eu, recebi do Supremo Deus


a missão de salvar o mundo.”

Creio que Meishu-Sama compôs um poema como este porque


chegou à convicção de que se encontrava na posição de servir ao
Supremo Deus, cumprindo sua missão enquanto partícula divina, ou
seja, na posição de salvador.

Gostaria agora de refletir sobre qual seria nossa relação com


Meishu-Sama, que afirmou ser o único que recebeu esta missão.

Acredito que nós estamos incluídos na idéia do “apenas eu” de


Meishu-Sama. Ao mesmo tempo, ele, que disse “apenas eu”,
encontra-se no centro da consciência de cada um de nós. Isto é o
que significa estar unido a Meishu-Sama num só corpo.

Dentre outros poemas que expressam seu sentimento, Meishu-


Sama escreveu:

“Cumprindo o desígnio
de Deus, eu, no momento
presente, estou salvando todos
os seres viventes.”

A expressão “momento presente”, à qual Meishu-Sama se


refere, seria distinta do “momento presente” que estamos vivendo?

O tempo chamado eternidade pertence ao Supremo Deus.


Nela, Ele uniu e governa o “momento presente” de Meishu-Sama e o
“momento presente” de cada um de nós.

Ele governa cada instante da nossa vida.

Todos os acontecimentos, tanto os do passado quanto os do


futuro que se aproxima, estão ligados ao momento presente de cada

329
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

um e, no centro dessa noção de “momento presente”, se encontram


Meishu-Sama e o Supremo Deus.

Se conseguirmos encaminhar e entregar todas as coisas,


inclusive o passado e o futuro, ao centro do “momento presente”, não
conseguiremos perdoar e salvar a nós mesmos, servindo à obra que
traz perdão e salvação para todos?

É fundamental não nos perdermos do ponto central da nossa


consciência e estarmos cientes de que, por meio da expressão “eu,
no momento presente”, utilizada por Meishu-Sama, o Supremo Deus
está nos fazendo lembrar que estamos unidos a Ele e que, mesmo
não sendo perfeitos, enquanto partículas do Seu espírito,
constituímos o eixo central que, junto com Meishu-Sama, serve na
posição de salvar.

Dessa maneira, enquanto partículas do espírito do Supremo


Deus, encontramo-nos na posição de servi-Lo. Contudo, não é só
isso: recebemos um corpo que acompanha nossa consciência /
sentimento.

O segundo poema do culto de hoje diz:

“Pensando na felicidade de ter sido salvo,


empenho-me, de coração em retribuir a graça
que me foi concedida.”

Quando penso na felicidade de ter sido salvo, empenho-me de


corpo e alma para retribuir essa graça. Mais do que isso, não consigo
ficar sem fazê-lo. Será que este não seria o significado desse salmo?

Este poema me faz pensar que, por meio dele, Meishu-Sama


está expondo seu mais sincero sentimento enquanto pessoa
posicionada do lado de ser salva, como portadora da partícula divina
que não consegue mais viver sem servir à Obra de Deus de
compartilhar esta salvação com um maior número de seres.

330
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Por essa razão, quando Meishu-Sama afirma que somos a


síntese de incontáveis antepassados, creio que ele está se referindo
ao indivíduo que serve [ao Supremo Deus] na posição de receber a
salvação junto com todos os seres.

Será que não recebemos o corpo material, que acompanha


nossa imatura e imperfeita consciência / sentimento, para que
possamos, junto com toda a humanidade, com todos os
antepassados, enfim, com todos os seres, servir à divina tarefa de
agradecer as graças, receber e compartilhar a salvação?

Nosso dever mais importante, como seres que receberam a


partícula divina, é servir sem nos esquecermos de que devemos fazê-
lo junto com todos os outros.

Desse modo, trazemos em nós, simultaneamente, duas


posições. A de quem se encontra na condição de salvar e a de quem
se encontra, junto com todos os seres, na condição de ser salvo.

Isto significa que cada um de nós é dotado de um eixo vertical,


central; e, no plano horizontal, de largura.

A forma “su”, desenhada por Meishu-Sama, expressa essas


duas posições que trazemos. O ponto no centro do círculo representa
o ponto que se encontra no centro da nossa consciência e simboliza
nossa posição de salvadores, por sermos partícula do espírito do
Supremo Deus.

O círculo em torno do ponto simboliza nossa posição de


recebedores da salvação junto com todos os seres, pois somos
também recipientes [da partícula divina]. Podemos dizer que este
círculo representa o corpo material que traz consigo nossa
consciência / sentimento.

Estas duas posições não são distintas, são unas.

331
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O Supremo Deus preparou partículas do Seu espírito


chamadas alma e criou o corpo físico junto com a consciência /
sentimento como o recipiente que recebe e abriga Sua partícula,
utilizando ambos, corpo e alma, como se fossem uma coisa só.

Não existimos, neste exato instante, graças à união do corpo e


da alma?

É por isso que podemos servir à atuação do Izunome – o


centro que uniu o vertical e o horizontal.

Meishu-Sama também escreveu o seguinte poema:

“Sou homem e não sou homem.


Sou Deus e não sou Deus.
Fico a refletir sobre mim mesmo.”

Creio que o sentimento expresso por ele neste poema é


resultado da sua compreensão acerca das duas posições que
existiam dentro dele.

Meishu-Sama serviu humildemente ao Supremo Deus e, até


hoje, continua nos guiando de acordo com a vontade Divina, porque
conseguiu perceber estas duas posições dentro de si. O Supremo
Deus as utiliza como se fossem uma só: a de salvar, que é inerente à
partícula divina, e a de ser salvo, que é intrínseca ao recipiente dessa
partícula.

Com relação a isso, gostaria de refletir sobre o terceiro poema


do culto de hoje:

“A Fé pode ser resumida


em uma única palavra: makoto”.

Qual seria a melhor maneira de compreendermos o significado


da expressão: “(...) resumida em uma única palavra: makoto”?

332
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O Supremo Deus, por intermédio de Meishu-Sama, está nos


mostrando Sua existência e semeando em nós o sentimento de fé.

A fé é algo que recebemos do Supremo Deus.

Cada um de nós, por meio dos Ensinamentos de Meishu-


Sama, despertou para o sentimento de fé, que sempre existiu dentro
de nós.

E estes ensinamentos se constituem por meio das palavras. As


palavras existem junto com as idéias e vice-versa.

Quando digo “palavras”, estou me referindo também àquelas


que contêm idéias que não podem ser expressas por meio da voz, da
escrita etc.

As palavras possuem espírito. A origem e o centro do espírito


das palavras é o próprio Supremo Deus.
Será que, em última instância, Meishu-Sama não teria utilizado
a palavra makoto para se referir ao Supremo Deus e representá-Lo?

Dessa maneira, por intermédio dos ensinamentos de Meishu-


Sama, ou seja, pelo espírito das palavras, que pertencem ao
Supremo Deus, estamos sendo unidos a Ele.

As palavras são do Supremo Deus. No entanto, até hoje, cada


um de nós as utilizava como se nos pertencessem e, por meio delas,
viemos empenhando-nos para compreender os ensinamentos, pregá-
los e convencer o outro.

Creio que, se tivermos percebido que estávamos utilizando as


palavras como se elas nos pertencessem, devemos comunicar nosso
sentimento a Meishu-Sama, pedir-lhe perdão e restituí-las ao
Supremo Deus.

333
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Como todas as coisas e as circunstâncias existem junto com


as palavras, “devolver as palavras ao Supremo Deus” significa
retornar para junto d’Ele.

Será que não precisamos devolver as palavras ao Supremo


Deus para que, a partir de agora, Ele as utilize como Sua própria
palavra e, pelos ensinamentos de Meishu-Sama, possa expandir
nossa compreensão e conhecimento? Será que não devemos orar
desejando que as práticas diárias, desenvolvidas com base nos
ensinamentos, tenham energia e correspondam à vontade do
Supremo Deus?

Meishu-Sama também escreveu o seguinte poema:

“Certamente será amado por Deus


aquele que se empenha fervorosamente,
carregando consigo uma grande esperança”.

Para mim, ter uma “grande esperança” significa conseguir ter a


esperança de que, seja como for, se tornará um verdadeiro filho de
Deus, que consegue manter o sentimento / pensamento ligado a Ele,
pois sabe que d’Ele recebeu a vida como filho, mesmo que seja, hoje,
um grande teimoso, um pobre de espírito ou um grande sofredor.

Foi para isso que Deus, com Seu grandioso perdão, uniu cada
um de nós a Meishu-Sama. Agradecendo por estarmos sendo criados
e educados por meio de inúmeras experiências, gostaria de poder
servir juntamente com todos os senhores, sem nos envaidecermos ou
nos menosprezarmos, mas levando uma grande esperança no
coração.

O Culto do Natalício de Meishu-Sama, realizado hoje, é uma


importante cerimônia litúrgica de encerramento deste ano.

334
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Creio que, na celebração do seu Natalício, nenhum presente


poderia alegrar mais a Meishu-Sama do que nós mesmos,
exatamente como somos.

Se reconhecermos sinceramente que Deus é o Pai da nossa


vida e comunicarmos, sem relutar, este fato a Meishu-Sama, que foi
quem nos fez compreender isso, estaremos inteiramente presentes
dentro do sentimento comunicado. Para Meishu-Sama, seria uma
grande alegria receber de nós este presente.

Encerro minhas palavras orando para que, por intermédio dos


senhores, as bênçãos que se encontram junto ao Messias Meishu-
Sama possam ser compartilhadas com a humanidade e todos os
demais seres. Oro também para que o novo ano, que estamos para
adentrar, seja um ano repleto de esperança, tranqüilidade e radiante
Luz.

Agradeço de todo meu coração por poder louvar ao Supremo


Deus – que está vivo por toda eternidade – junto com todos os
senhores.

Muito obrigado.

335
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

43 - NÃO PODEMOS NOS ESQUECER DO NOSSO SENTIMENTO


INICIAL (JANEIRO DE 2011)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Saudação de Ano Novo
1º de janeiro de 2011
Revista Izunome 37

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o propósito do


único Supremo Deus, que vive por toda eternidade, é levar a
humanidade a retornar ao Seu Paraíso, fazendo com que todos os
seres humanos renasçam como Seus verdadeiros filhos para que o
Paraíso Terrestre seja estabelecido.

Seguindo este desígnio, fomos unidos ao Messias Meishu-


Sama, que nasceu novamente como verdadeiro filho do Supremo
Deus, e recebemos o sustento da vida, junto com toda a humanidade,
com os antepassados e com os demais seres. Agradeço de todo
coração a permissão de estarmos iniciando um ano radiante.

Feliz ano-novo a todos!

Somos continuamente criados e educados por meio de


diversas experiências, a começar pelo nosso cotidiano. Em meio a
este processo, os senhores vêm se dedicando à sagrada tarefa que
permite a cada um salvar-se e aperfeiçoar-se. Ao mesmo tempo,
envidam esforços no sentido de compartilhar com o maior número de
pessoas possível a salvação alcançada. Sinto-me imensamente grato
por isto.

Meishu-Sama compôs o seguinte poema em 1954, um ano


antes da sua ascensão:

“A Obra Divina prospera plenamente


a cada ano. Por isso, com muita alegria,
glorifico a Deus neste início de ano”.

336
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Este poema é um dos vários que ele escreveu para celebrar o


ano-novo.

Na época, ele já tinha iniciado a construção do protótipo do


Paraíso Terrestre em Atami – A Terra Celestial – e vivia dias
extremamente atarefados, devido ao notável desenvolvimento da
Obra Divina.

Em dezembro daquele ano, foi parcialmente concluída a


construção do Palácio de Cristal – que foi uma concepção
arquitetônica original de Meishu-Sama e a última obra edificada por
ele em sua vida terrena.

A obra de restauração que estamos realizando neste edifício


tem um profundo significado, uma vez que representa uma nova
etapa da construção do Solo Sagrado, após a ascensão de Meishu-
Sama. Sinto uma enorme alegria e agradeço de coração esse
acontecimento.

Certa vez, Meishu-Sama disse: “O Palácio de Cristal não


pertence exclusivamente a nós. Desejo que um maior número de
pessoas se deleite com este lugar apreciando daqui a maravilhosa
vista da natureza concedida por Deus.” Estou orando para que sua
restauração transcorra sem problemas e que, após sua conclusão,
possa se tornar um local de merecido descanso e tranqüilidade para
os visitantes.

Assim como a restauração do Palácio de Cristal, em breve,


iniciaremos as obras para a conclusão do Shunjû-an, a Vila
Primavera-Outono, do Solo Sagrado de Quioto.

O contato de um grande número de pessoas com a beleza e o


vigor emanados do Solo Sagrado farão com que, sem se darem
conta, elas despertem para o Solo Sagrado eterno que existe dentro
do seu próprio coração e se sintam revigoradas. Meishu-Sama
certamente ficará muito feliz ao ver isto acontecer.

337
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Desejo que a alegria de Meishu-Sama se torne a nossa alegria


e a de todos os seres. Precisamos dedicar com gratidão e esperança,
como se fôssemos seus braços e pernas, para dar continuidade à
Obra Divina de construção do Solo Sagrado.

Um novo ano começou e, com ele, uma nova etapa.

Costumamos dizer que não podemos nos esquecer do nosso


sentimento inicial e, para retornarmos ao Supremo Deus, é
necessário regressar àquele sentimento.

Sentimento inicial é aquele que recebemos juntamente com


Meishu-Sama no Paraíso, mundo que dá origem a todas as coisas.
Tal sentimento é aquele mesmo propósito divino de nos fazer nascer
em forma de partícula divina, para tornar a humanidade, ou seja,
todos nós, Seus verdadeiros filhos.

Todas as partículas do espírito do Supremo Deus estão


repletas do Seu infinito amor. Ademais, em cada uma delas estão
alojados o sopro divino da vida e Seu desejo de nos criar e de nos
educar como representantes que salvarão a humanidade e que
construirão o Paraíso Terrestre. Em outras palavras, cada uma delas
porta Seu desejo de nos criar e de nos educar como pessoas que
herdarão a divina obra da Criação, que consiste em perdoar e restituir
uma nova vida a todas as coisas.

Estamos na posição de servir ao sentimento inicial recebido do


Supremo Deus e, portanto, devemos retornar constantemente a este
sentimento, relembrando a missão que recebemos. Gostaria que,
juntos com Meishu-Sama, saboreássemos a alegria de nos dedicar à
nova fase e às novas tarefas que se iniciam com este ano.

Encerro minha saudação, orando para que todos os seres e


toda a humanidade sejam ressuscitados pelo novo sopro da vida.
Agradeço juntamente com os messiânicos do mundo inteiro a

338
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

permissão de poder louvar Meishu-Sama, que está dentro de nós, e o


Supremo Deus, que se encontra junto a ele.

Muito obrigado.

339
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

44 - O PARAÍSO É A ORIGEM DE TODA A CRIAÇÃO (ABRIL DE


2011)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera, Templo Messiânico de Atami
4 de fevereiro de 2011
Revista Izunome 40

Felicitações a todos pelo Culto do Início da Primavera.

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o único e


Supremo Deus está vivo dentro de cada um de nós e dentro de todas
as existências.

O propósito da Criação do Supremo Deus é fazer com que


toda a humanidade retorne ao Seu Paraíso e renasça como Seus
verdadeiros filhos, para que o Paraíso Terrestre se estabeleça.

O Messias Meishu-Sama consumou este propósito e renasceu.


Unidos a ele, nós estamos recebendo a permissão de sermos criados
e educados para que, junto com toda a humanidade, com todos os
antepassados e demais seres da Criação, possamos servir ao
Supremo Deus.

Hoje é o dia em que celebramos o início da primavera.


Renovando meu sentimento, agradeço de todo coração a permissão
de poder louvar o Supremo Deus, que se encontra junto a Meishu-
Sama, e de orar com todos os senhores para que a Vontade Divina
seja concretizada.

Estou muito feliz por saber que os messiânicos estão se


empenhando na prática do sōnen de gratidão e das pequenas ações
altruístas para fazer com que o sōnen – que até hoje considerávamos
ser nosso – seja utilizado para o Supremo Deus e Meishu-Sama se
manifestarem nele. Por meio da constância destas práticas, todos

340
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

estão se esforçando em partilhar a alegria de desejar a felicidade do


próximo com o maior número de pessoas.

Além disso, agradeço de coração a dedicação sincera de todos


na Obra Divina de construção dos Solos Sagrados – Terra Divina
(Hakone), Terra Celestial (Atami) e Terra da Tranqüilidade (Quioto) –,
que são os protótipos do Paraíso Terrestre construídos por Meishu-
Sama.

Ao servir à Obra Divina de construção dos Solos Sagrados,


ganhamos a convicção de que o Paraíso – o solo sagrado eterno –
existe no centro dos nossos corações. Agradeço profundamente
Meishu-Sama por estar cultivando em nós a consciência / sentimento,
que nos possibilitará habitar o Paraíso.

A propósito, existe uma consciência que é a origem de todas


as coisas. Nós a chamamos de Supremo Deus, que é a vida e a alma
eternas.

Meishu-Sama escreveu uma série de poemas intitulados


“Louvar a Deus”. Dentre eles, existe o seguinte:

“Todos os seres que vivem neste mundo


são abençoados por Deus.”

Ou seja, ele reconheceu, dentro de si, que todas as criaturas


estão sob as bênçãos divinas e, por meio deste poema, louvou o
Supremo Deus.

O Paraíso é a origem de toda a criação. Por esse motivo, os


humanos e todos os demais seres formam uma existência una com o
Criador.

No Paraíso original, formamos um só corpo com Meishu-Sama


e, junto com ele, estamos unidos à humanidade, aos nossos
ancestrais e antepassados e a todas as existências. É por isso que,

341
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

agora também, estamos unidos a Meishu-Sama, à humanidade, aos


antepassados e aos demais seres.

É por sermos unidos que temos a possibilidade de, por


intermédio de Meishu-Sama, retornar ao Supremo Deus, que nos
concedeu a vida como filhos do Seu espírito – ou seja, como
partículas divinas –, que nos confiou Sua consciência, vida e alma
eternas e que nos fez descer à Terra, concedendo a cada um de nós
a consciência chamada “eu”.

Com o propósito de nos fazer retornar ao Paraíso e nos tornar


aptos a habitá-lo, fazendo-nos renascer como Seus verdadeiros
filhos, o Supremo Deus está desenvolvendo o Plano Divino de
salvação da humanidade e de construção do Paraíso Terrestre.

Vivemos neste mundo, tendo que distinguir entre as atividades


públicas e as atividades pessoais, ou seja, entre os assuntos da
coletividade e os particulares.

Entretanto, como tudo está inserido no Plano Divino chamado


construção do Paraíso Terrestre, todas as nossas atividades, vistas
pelo Supremo Deus, são públicas e pertencem ao âmbito da
coletividade.

Meishu-Sama afirmou que para o mundo se tornar um Paraíso,


primeiro precisamos analisar a menor unidade que o compõe, ou
seja, o ser humano. Com isso, ele está nos ensinando que a salvação
do indivíduo e da família está diretamente ligada à salvação do
mundo.

Sinto que não posso tratar assuntos particulares ou familiares


apenas como assuntos pessoais. Preciso aceitar que eles estão
intimamente relacionados a toda a humanidade, sendo mesmo um
modelo; em outras palavras, uma representação em escala reduzida
de tudo que acontece nela.

342
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O Supremo Deus, junto com Meishu-Sama, está atuando e


utilizando todos nós, a todo momento, para desenvolver Seu Divino
Plano, que é para a coletividade.

Creio que, apesar de ter percebido isto, eu não estava


aceitando, não estava reconhecendo bem a atuação clara do
Supremo Deus dentro de mim.

Não podemos permitir que as coisas se limitem ao campo da


percepção. Uma vez percebida, precisamos aceitar a realidade dos
fatos e fazer com que esta se manifeste em nosso pensamento. Ou
seja, não podemos nos esquecer de relatar ao Supremo Deus nosso
reconhecimento. Reconhecer a atuação do Supremo Deus e torná-la
evidente no nosso pensamento são maneiras de louvá-Lo. No
entanto, mais do que reconhecer que o Supremo Deus estava
atuando constantemente dentro de si, os seres humanos, até hoje,
estiveram voltados para a busca das conveniências e satisfação
pessoal, para o prevalecimento da sua justiça, dos seus “ismos” e de
seus argumentos. Enfim, tenho a impressão de que viemos, o tempo
todo, fazendo pedidos que priorizavam somente a nossa vontade.

O Supremo Deus, que está junto a Meishu-Sama, perdoou a


humanidade com Seu amor imparcial e, para recebê-la no Seu
Paraíso, realizou a transição da Era da Noite para a Era do Dia. O
caminho da salvação, para a humanidade retornar ao Paraíso, já foi
concluído por meio desta transição. Creio que a salvação depende de
estarmos convictos ou não de sua conclusão.

Não seria justamente pelo fato de este caminho estar pronto


que é possível retornar ao Paraíso por meio de várias práticas de
salvação, a começar pelo Johrei?

Meishu-Sama escreveu o seguinte salmo:

343
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

“Mesmo invisível
aos olhos humanos,
o Plano Divino
se realizou no mundo
espiritual”.

Estamos entrando, neste momento, numa etapa de formação e


aperfeiçoamento apropriada à fase inédita que sucede à concluída
transição da Era da Noite para a Era do Dia.

A luz dessa nova era, que brilha intensamente, irradia-se do


centro da consciência de cada ser humano, iluminando e purificando
toda a nossa mente e corpo.

O fato de problemas virem à tona em todas as partes do


mundo e de ocorrerem incidentes à nossa volta, é decorrência da
manifestação de Deus e da Sua luz. Esta ilumina e faz emergir aquilo
que se encontra nos recônditos sombrios do nosso ser para que,
então, Ele possa nos receber no Paraíso, fonte de Luz.

Em nosso dia-a-dia, somos levados a ver, ouvir ou sentir


muitas coisas. Isto porque Deus está atuando e nos utilizando como
instrumentos coletivos.

Assim como na máxima: “Rogar a Deus em momentos


difíceis”, sentimos vontade de orar com afinco, pedindo auxílio
apenas quando nos encontramos em dificuldade. Fazemos isso
porque queremos nos ver livres do sofrimento, porque queremos
eliminá-lo. Entretanto, será que Deus não estaria atuando, inclusive,
nos momentos de sofrimento?

Deus possui o poder da Grande Harmonia.

Quando sofremos, não significa que Deus não está atuando.


Na verdade, por meio do poder da Grande Harmonia, Ele está

344
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

justamente realizando Seu propósito, enquanto harmoniza o bem e o


mal. Não seria isto que nos está sendo ensinado?

Meishu-Sama escreveu o seguinte poema:

“Abram os olhos e vejam que,


por trás da destruição, existe a Obra Divina
e sua marreta da construção”.

Este poema nos ensina que “destruição” e “criação” não


trabalham separadamente: elas estão juntas, como a frente e o verso
de uma moeda.

Em meio a processos destrutivos que nos causam sofrimento,


sempre encontramos também ações construtivas e benéficas. Por
isso, quando estivermos preocupados e sofrendo devido aos mais
variados tipos de problemas, como doenças, ao invés de tentarmos
ser salvos do sofrimento, entregando somente aquilo que estamos
percebendo como mau, o ideal é que encaminhemos e entreguemos
a Deus nosso sentimento em relação à harmonia entre o bem e o mal
que está sendo promovida por Ele.

Mesmo não compreendendo bem o profundo sentimento de


Deus, o mais importante é reconhecer a atuação divina e ter o
seguinte pensamento: “Eu estou sofrendo. Isto significa que o Senhor
estava me vendo e que, pelo perdão, está me estendendo a mão da
salvação, não é mesmo?”

O caminho da salvação já está concluído. Por esse motivo, é


importante que pensemos: “Que eu tenha a permissão de retornar ao
Paraíso junto com o maior número de pessoas e de seres. Que, sob a
Grande Harmonia de Deus, eu possa ser utilizado em trabalhos que
promovam a harmonia. Que eu possa ser útil!”. Se conseguirmos
pensar dessa maneira, ao menos por um instante, com o
encaminhamento e entrega desse sentimento, nossa existência terá
sentido. Manifestar isso no nosso pensamento significa criar e educar

345
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

nosso sentimento de servir à Obra Divina da Era do Dia, juntamente


com todos os seres.

Dentre as várias maneiras de servir existe a dedicação


monetária, que consiste na oferta de dinheiro para Deus, como os
donativos oferecidos para a construção dos Solos Sagrados. A
propósito, o que o dinheiro significa para nós?

Na época atual, não fazemos mais troca de produtos, como era


no passado. Utilizamos o dinheiro, principalmente para movimentar a
economia, e é ele que determina o “valor de tudo”. Formamos uma
existência una com todos os seres e não conseguimos viver sem as
bênçãos da Natureza e sem o dinheiro.

Viemos utilizando todas as coisas e o dinheiro, como se ambos


fossem propriedades nossas. Estipulamos um preço e praticamos o
comércio livremente. No entanto, isto só é possível porque Deus
permite.

Todas as existências, incluindo o dinheiro, pertencem a Deus.


Nós, que usufruímos livremente das coisas e do dinheiro, também
pertencemos a Deus. Portanto, ofertar dinheiro, utilizando a palavra
“donativo” significa, junto com o dinheiro, devolver a nós mesmos a
Deus – o verdadeiro dono de tudo.

Sendo assim, aparentemente estamos oferecendo uma parte


do dinheiro que por Ele nos foi confiado. Entretanto, creio que
estaríamos mais concordes com a Vontade Divina se realizássemos o
donativo com o desejo de retornar ao Paraíso junto com toda a
humanidade, com todos os antepassados e com todos os demais
seres, entregando o “próprio eu” ao Supremo Deus, por intermédio de
Meishu-Sama, que se encontra no centro da nossa consciência.

Como eu disse, nós utilizávamos a mente, o corpo, o dinheiro e


todos os outros seres como se fossem propriedades nossas. Deus
nos perdoou e, justamente por essa razão, a dedicação monetária é

346
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

um meio pelo qual nós – e tudo o que a nós está ligado – seremos
acolhidos. Por isso, poder servir por meio da dedicação monetária é
também uma grandiosa bênção divina. E mais: o dinheiro que restou
em nossas mãos também pertence a Deus e nos foi confiado por Ele.
Por conseguinte, mesmo pensando em utilizá-lo para o nosso bem, é
preciso ter o desejo de servirmos, todos juntos, à Obra Divina e de,
unidos, retornarmos ao Paraíso original. Utilizá-lo, deixando claro e
evidente este sentimento, é o nosso papel, nossa formação, enquanto
seres que possuem “domicílio” no Paraíso e que servem como
instrumentos coletivos.

Para mim, o fato de o Supremo Deus estar nos criando e


educando, por intermédio de Meishu-Sama, só pode ser fruto do Seu
profundo e imensurável amor.

No mundo dos homens, quando os outros nos ignoram ou não


ouvem nossas palavras, costumamos recriminá-los e sentir o desejo
de lhes impor alguma punição. O Supremo Deus, todavia, mesmo
conhecendo perfeitamente o espírito vaidoso do ser humano, que
vem ignorando-O, perdoou-nos e, sem nos exterminar, permitiu que
clamássemos por Seu nome e que utilizássemos palavras de gratidão
e de prece. Só posso pensar que isto acontece porque o Supremo
Deus tem o forte desejo de nos criar e educar como Seus verdadeiros
filhos, para habitarmos o Paraíso. Como o amor do Supremo Deus é
profundo!

Meishu-Sama escreveu os seguintes poemas:

“Fico olhando a imensidão do céu,


refletindo comigo mesmo
sobre a infinitude do sentimento de Deus”.

“Incalculáveis são as bênçãos divinas.


Sua grandeza é maior que montanhas e sua
profundidade, maior que a dos oceanos”.

347
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O Supremo Deus não é apenas o Pai que nos concedeu a


vida. Ele é também o Pai que está nos criando e educando com todo
amor. Precisamos corresponder ao Seu sentimento, para que Ele se
alegre conosco e esta Sua alegria possa ser partilhada entre todos os
seres. Para tanto, vamos servir junto com Meishu-Sama.

Encerro minhas palavras orando para que, como a brisa da


nova primavera, o sopro da vida do Supremo Deus, que se encontra
junto a Meishu-Sama, possa ser partilhado por todos os seres por
intermédio dos senhores, trazendo-lhes uma nova vida. Oro, de
coração, para que todos que servem dessa maneira possam, com
coragem e esperança, viver seus dias com muita alegria.

Muito obrigado.

348
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

45 - CONDOLÊNCIAS AOS FAMILIARES DAS VÍTIMAS DO


TERREMOTO E DO TSUNAMI QUE ATINGIRAM A REGIÃO
NORDESTE DO JAPÃO EM 11 DE MARÇO DE 2011

Mensagem de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Abril de 2011
Revista Izunome 40

É com muita tristeza e dor no coração que presto minhas


sinceras condolências a todos aqueles que perderam seus entes
queridos, principalmente familiares, na catástrofe ocorrida no
nordeste do Japão, assolado pelo grande terremoto seguido de
tsunami que afetou a vida de milhares de pessoas.

Aqueles que faleceram devido a essa catástrofe continuam


vivos e estão ligados a Meishu-Sama, que está dentro de cada um de
nós.

Encaminho essas pessoas ao Supremo Deus, por intermédio


de Meishu-Sama, juntamente com a humanidade, seus pais e
ancestrais, e ainda, com todas as criaturas, para que todos possam
ser recebidos no Paraíso que está dentro de cada um e utilizados no
sentido de concretizar a Vontade do Altíssimo.

Antes de tecer comentários sobre a difícil situação em que


vivem todos os afetados por essa catástrofe, admito que, por mais
que eu tente, não é fácil imaginar a dura realidade do dia a dia
dessas pessoas.

Porém, o que toca fundo em meu coração, é saber que,


mesmo vivendo em meio a incertezas e sofrimentos ou mesmo
enfrentando o frio intenso e as dificuldades geradas pela situação
calamitosa, os messiânicos continuam acreditando em Meishu-Sama,
sem perder de vista a luz da esperança, ajudando e motivando uns
aos outros e vivendo seus dias com muita dignidade.

349
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Agradeço de todo coração aos messiânicos que, guiados por


Meishu-Sama, estão se oferecendo de corpo e alma em ações de
ajuda humanitária, não só na parte material, como também no apoio
emocional às vítimas, mesmo que para isso estejam enfrentando
diversas dificuldades.

Meu maior desejo agora é que essa situação possa melhorar,


um pouco que seja, e que todas as vítimas possam sentir-se mais
aliviadas, emocional e fisicamente. Desejo também que a
reconstrução de suas vidas possa ser providenciada o mais rápido
possível.

Meishu-Sama estará sempre ao lado dos senhores em


qualquer situação, dando-lhes todo o apoio necessário! Quem mais
conhece nossa dor e sofrimento é o próprio Meishu-Sama. É ele
quem mais deseja atenuar isso!

Meishu-Sama está dentro de cada messiânico, sempre dando


força e coragem! Portanto, gostaria que todos acreditassem no seu
profundo amor, aceitando-o em sua plenitude.

Ele compôs o seguinte poema:

“Abram os olhos e vejam que,


por detrás da destruição, existe a Obra Divina
e sua marreta da construção”.

Especialmente neste momento, quero que a vontade de


Meishu-Sama seja a minha própria vontade e, com a certeza de que
estou sendo utilizado numa nova obra de criação, olhar para frente e
avançar passo a passo de mãos dadas com todos os senhores!

Encerro minha mensagem orando para que a tranqüilidade, a


coragem e a luz da esperança que existem dentro do coração de
todos os messiânicos, a começar por aqueles que foram afetados
pela catástrofe, possam preencher todas as existências. Também vou

350
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

orar para que o brilho que irradia dos seguidores de Meishu-Sama


possa ser compartilhado com todos os seres.

351
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

46 - JUÍZO FINAL: O FIM DO NOSSO SENTIMENTO EGOÍSTA


(JULHO DE 2011)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Paraíso Terrestre, Templo Messiânico de Atami
15 e 16 de junho de 2011
Revista Izunome 43

Felicitações a todos pelo do Paraíso Terrestre.

Com profundo e imenso respeito, digo-lhes que o único e


Supremo Deus vive, com certeza, dentro de cada um de nós e de
todas as existências.

Meishu-Sama nos ensinou que o propósito do Supremo Deus


para com a Criação é estabelecer o Paraíso Terrestre. Penso,
portanto, que estabelecer o Paraíso na Terra significa retornar ao
Paraíso presente dentro de nós e tornar-nos verdadeiros filhos do
Criador.

Para poder realizar Seu propósito, o Supremo Deus colocou


Sua vontade no espírito da palavra Messias e alojou-a em cada um
de nós e em todas as existências. Assim, Ele está nos criando e
educando.

Meishu-Sama nasceu novamente, cumprindo este propósito.

Por essa razão, agradeço de todo coração e louvo o Supremo


Deus pela graça de, unidos a Meishu-Sama, podermos servir ao
propósito da Criação juntamente com nossos pais e antepassados,
com toda a humanidade, enfim, com todas as criaturas.

Como todos sabem, muitas pessoas foram afetadas pelo


grande terremoto que atingiu o nordeste do Japão. Contudo, em
decorrência da crise nuclear, ainda existem muitos desabrigados.
Tenho recebido constantes relatos sobre a situação dessas pessoas e

352
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

de seus familiares. Tudo o que estão passando vai muito além da


minha imaginação.

Mesmo na dor e no sofrimento, elas descobriram a gratidão e a


alegria e, ajudando umas às outras, vivem seus dias com entusiasmo
e otimismo. Fiquei muito comovido quando soube disso.

Emocionei-me também quando soube que o brilho dos


membros de Meishu-Sama está iluminando as pessoas à sua volta,
transmitindo-lhes tranqüilidade e esperança.

Agradeço a atuação de Meishu-Sama, que nos vem guiando


dessa maneira. E, inspirado na postura desses messiânicos, quero
empenhar-me para sempre confiar nele e nunca esquecer o
sentimento de gratidão, haja o que houver.

Sei que as campanhas em prol das vítimas continuam e que


muitos estão contribuindo com dinheiro e produtos de primeira
necessidade, desejando ser úteis às pessoas que foram afetadas por
esta catástrofe.

Sinto-me muito agradecido e, ao mesmo tempo, encorajado


pela atitude sincera e solidária de todos os senhores.

Além disso, agradeço de coração aos messiânicos de todo o


mundo que, desde a ocorrência do terremoto, logo nos prestaram
solidariedade e carinho, enviando ajuda financeira e doações.

Por intermédio desta catástrofe e de todo o trabalho de


recuperação que vem sendo desenvolvido, Meishu-Sama está nos
ensinando que as vítimas estão ligadas a toda humanidade, a
começar pelo povo japonês, e que, juntos, estamos todos sendo
conduzidos à verdadeira salvação.

353
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Para conseguirmos servir ao propósito Divino com o


sentimento renovado, precisamos fazer uma reflexão sobre nós
mesmos e seguir adiante com passos firmes.

Neste sentido, desejo que as práticas do sōnen de gratidão e


do amor altruísta, desenvolvidas pelos senhores, cresçam e ganhem
plenitude para que nos aproximem do sentimento de Meishu-Sama.

Bem, hoje faz 80 anos que Meishu-Sama subiu ao topo do


Monte Nokogiri, na manhã do dia 15 de junho de 1931, e recebeu a
revelação sobre a Transição da Noite para o Dia no Mundo Espiritual.

O primeiro salmo entoado hoje diz:

No maravilhoso dia 15 de
junho de 1931, abriram-se as
portas do Céu.

Meishu-Sama compôs este poema para o culto realizado no


dia 15 de junho de 1951, exatamente 20 anos após ter recebido a
revelação sobre a transição da Era da Noite para a Era do Dia.

O fato de ele ter escrito “abriram-se as portas do Céu” não


significaria que as portas do seu próprio coração, sem que ninguém
soubesse, tinham se aberto, permitindo penetrar luz na escuridão?

Portanto, este poema demonstra que, para Meishu-Sama, a


data 15 de junho de 1931 representa o dia no qual ele confirmou, por
si mesmo, que a transição da Noite para o Dia fora consumada no
interior de sua própria consciência.

Creio que Meishu-Sama percebeu este acontecimento


justamente porque o Supremo Deus está realizando a grande
transição no Paraíso, que é o centro do mundo do espírito.

354
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Sinto que ele está querendo que cada um de nós reconheça a


abertura das portas do Céu em nossos corações, da mesma maneira
que ele confirmou isso dentro de si.

Estamos unidos a Meishu-Sama, independentemente de


estarmos no Mundo Espiritual ou na Terra. Por conseguinte, assim
como ele se deu conta desta transição, certamente nós também
conseguiremos captá-la em nossa própria consciência.

Meishu-Sama também escreveu o seguinte poema:

Se as portas do coração de todos


os homens se abrirem,
desaparecerão as trevas deste mundo.

Para corresponder ao sentimento de Meishu-Sama, creio que


preciso reconhecer docilmente que as portas do meu coração já
foram abertas e que a transição da Noite para o Dia se realizou
dentro de mim. Assim feito, devo comunicar-lhe as coisas das quais
me conscientizei.

Sobre a transição da Noite para o Dia, Meishu-Sama afirmou


que ela também tem o sentido de Juízo Final. Acredito que a
consumação desta grande transição no centro do Mundo Espiritual
significa que o Supremo Deus já realizou Seu julgamento e perdoou a
humanidade.

Não foi, como dizemos neste mundo, um julgamento do Bem e


do Mal. Creio que este julgamento seja parte do insondável e
grandioso plano do Supremo Deus e que ele seja mesmo uma
bênção Divina.

Transpondo o que convencionamos chamar de Bem e de Mal,


o Supremo Deus utilizou a todos nós: tanto aqueles que nos parecem
bons, quanto os que nos parecem maus.

355
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama nos ensinou que a história da humanidade até


hoje constituiu estágios preparatórios, degraus para se estabelecer o
Paraíso na Terra. E, ainda, que “o Mal foi necessário até o momento
porque, através do atrito entre ele e o Bem, a cultura material pôde
progredir até chegar ao ponto em que se encontra.”

Seguindo os desígnios de Deus, cada um de nós veio sendo


utilizado tanto para o bem como para o mal.

Para nos criar e educar dentro de uma fase completamente


nova, será que o Supremo Deus – que a todos ama – não teria
olhado para as coisas que fizemos até hoje e, por meio da bênção
Divina chamada “juízo”, não as teria considerado como “atitudes a
serviço de Deus” e que por isso Ele nos perdoaria? Será que não foi
para nos perdoar que Ele realizou o “acerto de contas”, tirou-nos do
mundo das Trevas e nos recebeu no mundo da Luz?

Apesar de Deus – o Pai da vida – estar vivo dentro de nós,


viemos ignorando-O. Mundo das Trevas é o estado de espírito no
qual não percebemos nossa ignorância em fazer isto. Entendo por
Mundo da Luz o estado de espírito no qual nos damos conta dessa
ignorância. O fato de perceber já não seria uma demonstração de que
um feixe de luz penetrou a escuridão de nossos corações – chamada
ignorância? Não estaria a luz iluminando as trevas?

Entretanto, há um ponto ao qual precisamos estar sempre


atentos: quando percebemos, não podemos pensar que isto foi um
feito nosso. Precisamos entender que foi por termos recebido a
permissão de sermos perdoados que nos foi permitido perceber.
Assim, por intermédio de Meishu-Sama, juntamente com a nossa
gratidão, precisamos nos entregar e comunicar nosso
reconhecimento ao Supremo Deus, rogando-Lhe que nos utilize ao
partilhar Suas bênçãos com todos os seres.

Com relação ao termo “final” da expressão “Juízo Final”, creio


que ele simbolize a nossa autoconsciência.

356
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

O ponto de partida da nossa existência é o Paraíso – dimensão


inicial da Criação – e o ponto de chegada é a autoconsciência – a
dimensão final [a última dimensão] da Criação. É assim que nos
tornamos o “eu do presente”.

Será que a expressão “Juízo Final” não é utilizada porque, de


fato, o que será julgado é a nossa consciência – que é a dimensão
final da Criação? Como responsáveis pela última dimensão da
Criação, se reconhecermos que o julgamento terminou e que, junto
com todos os seres, fomos perdoados e se, depois disso,
retornarmos ao Paraíso – que é a dimensão inicial – poderemos,
verdadeiramente, encerrar o “Juízo Final”.

Neste mundo, não conseguimos ver, ouvir ou sentir a


realização da grande transição. Entretanto, será que o Supremo Deus
não teria preparado a palavra “fé” para que possamos acreditar e
reconhecer as coisas que ainda não conseguimos enxergar nem
imaginar que estão sendo realizadas?

Será que, por meio da fé, Ele não estaria mantendo conosco
uma relação contínua de reciprocidade, conduzindo-nos ao mundo já
concretizado por Ele?

Creio que, desejando nos transmitir a vontade do Supremo


Deus, Meishu-Sama estimulou-nos a nos tornarmos dóceis e a
aceitarmos o perdão de Deus, explicando várias vezes a importância
da fé e, em alguns momentos, advertindo-nos do Juízo Final.

Por isso, se não aceitarmos o amor Divino, que nos perdoou,


tudo poderá ser visto como uma obra realizada pela força humana.
Se for assim, será que a humanidade não terá que continuar
acertando suas contas, sozinha, como veio sendo feito até hoje?

Creio que foi para salvar o maior número de pessoas desta


situação que fomos enviados à Terra e estamos sendo utilizados para
ligá-las a Meishu-Sama.

357
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama escreveu o seguinte poema:

Não sejam negligentes, achando que este


será sempre um mundo de trevas.
A Luz já rompeu as nuvens da
escuridão.

Uma nova manhã chegou, e o Sol já está brilhando.

O novo Paraíso, no qual se concluíra a transição da Noite para


o Dia, está dentro de nós.

O propósito Divino de perdoar, purificar, salvar e restituir todos


à vida já foi consumado dentro de nós. Não seria justamente por isso
que, aqui na Terra, conseguimos nos entregar a Deus para que Sua
vontade seja concretizada?

Além disso, apesar das nossas imperfeições, será que não


conseguimos sentir o desejo de sermos úteis, ao menos um pouco, à
obra de construção do Paraíso Terrestre?

O Supremo Deus – origem de todas as coisas – colocou dentro


de nós Seu próprio sopro e Sua preciosa semente e nos fez descer à
Terra. Esta semente é Sua consciência, vida e alma eternas.

A vontade do Supremo Deus é realizar o objetivo de frutificar-


Se dentro de cada um de nós. Para tanto, com o intuito de gerar bons
frutos que correspondam ao Seu propósito, o Supremo Deus está
envidando esforços e, por intermédio de Meishu-Sama, está tentando
criar, educar e utilizar como Seus nossa mente e nosso corpo.

Creio que “gerar bons frutos que correspondam ao propósito


Divino” significa “nascer novamente”. Entretanto, a expressão “nascer
novamente”, na verdade, não significa que nós nasceremos, mas que
o próprio Supremo Deus nascerá novamente dentro de cada um de

358
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

nós. Ou seja, Ele está querendo fazer com que cada um de nós se
torne Sua própria expressão.

Falando do ponto de vista humano, servimos para receber o


Supremo Deus e manifestá-Lo. Em outras palavras, somos um
recipiente, um instrumento.

É por isso que Meishu-Sama referiu-se à virtude oculta e


escreveu o poema: “A virtude ostensiva não é verdadeira. Somente a
virtude oculta comunica-se com Deus”. Por meio deste, creio que ele
está nos advertindo para não nos envaidecermos, assumindo como
nosso o mérito das coisas.

Não sou “Eu” quem se manifesta. Quem se sou “Eu” quem


brilha. Quem brilha é o Supremo Deus.

O fato de Meishu-Sama estar se manifestando e irradiando Luz


significa que o Supremo Deus, nele presente, está atuando e
emitindo Sua Luz.

Desejo que nós, que estamos ligados a Meishu-Sama,


possamos ser utilizados como recipientes e instrumentos por meio
dos quais o Supremo Deus, que se encontra em Meishu-Sama, possa
Se manifestar e irradiar Sua Luz. Que, juntamente com toda a
humanidade, com nossos pais e antepassados, enfim, com todas as
criaturas, possamos servir na nova fase, pós-transição da Noite para
o Dia.

Encerro minhas palavras agradecendo de todo meu coração ao


Supremo Deus, que tudo realiza com imenso amor. Oro para que, por
intermédio dos senhores, que foram ligados a Meishu-Sama, a Luz e
a força de Deus possam ser partilhadas a todas as criaturas.

Muito obrigado.

359
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

47 - UMA CIVILIZAÇÃO ONDE O SUPREMO DEUS SE MANIFESTA


(DEZEMBRO DE 2011)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto de Outono, Templo Messiânico de Atami
1º e 2 de outubro de 2011
Revista Izunome 48

Bom dia a todos! Felicitações pelo Culto Especial de Outono e


sejam bem-vindos ao Solo Sagrado de Atami!

Com imenso e profundo respeito, reconheço que cada


respiração nossa tem origem no sopro da vida concedido pelo
Supremo Deus, que é único e está vivo em nós e em tudo o que
existe no universo.

Meishu-Sama nos ensina que o propósito Divino da Criação é


a concretização do Paraíso Terrestre. A Terra, onde o paraíso pode
ser concretizado, pertence a Deus Criador. Entretanto, nós, seres
humanos, viemos nos enganando, acreditando que somos os donos
deste planeta, tratando-o como bem queremos. Deus, em Seu
profundo amor, ao invés de nos punir, perdoa nossa atitude
equivocada, pois Ele deseja fazer com que a Terra Lhe pertença
verdadeiramente, além de querer saudá-la quando ela retornar ao
Seu mundo, o paraíso. Se desejamos concretizar o Paraíso Terrestre,
devemos reconhecer que viemos tratando o planeta como se este
pertencesse somente a nós e, após nos conscientizarmos de nosso
engano, devolvê-lo a Deus.

Nós, que vivemos nesta Terra, também pertencemos a Deus.


Sempre dizemos que é Deus quem nos concede a vida e que Ele nos
permite viver. Isso significa que Ele nos permite sentir Sua vida como
se fosse nossa, a fim de nos criar.

Nossa vida, consciência e alma não são nossas, pertencem a


Deus. E esta é a razão pela qual devemos valorizá-las e tratá-las com

360
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

respeito. Devemos devolver a Deus por intermédio de Meishu-Sama,


nossa vida, consciência, alma, assim como tudo o que existe sobre a
Terra, que consideramos como sendo nossa, para que possam ser
utilizados como coisas de Deus.

Se queremos servir a Meishu-Sama e contribuir para a


concretização do Paraíso na Terra, precisamos, em primeiro lugar,
devolver tudo, inclusive nós mesmos, a Deus e ter o constante desejo
de viver e servir no paraíso, verdadeira origem de nossa vida que
existe no âmago de nossa consciência. Acredito que servir a Deus
com esta atitude nos permitirá, sem dúvida, levar uma vida mais
significativa e tornar nossas práticas, baseadas nos ensinamentos de
Meishu-Sama, mais proveitosas.

Sei que os senhores vêm se esforçando em praticar o sōnen


de gratidão e em “amar o próximo um pouquinho mais”, com o
objetivo de alcançar a “auto-realização” e criar condições
paradisíacas ao redor de si e em sua vida pessoal. Sei também que
os senhores vêm se empenhando na ministração do Johrei, que é a
cristalização do amor de Meishu-Sama pela humanidade, para ligar
aqueles que estão ao seu redor a Meishu-Sama. Estou
profundamente agradecido a todos os senhores por este magnífico
esforço! Espero que estas práticas ajudem também a cultivar nos
senhores a capacidade de se observarem de maneira objetiva e que
os levem a se tornarem pessoas que servem a Deus com alegria e
gratidão.

Gostaria também de dizer que o fato de colocarmos nossa fé


em tais práticas é prova de que Deus já nos perdoou e que o novo
paraíso já está se estabelecendo dentro de nós. Por essa razão,
devemos nos lembrar sempre que já fomos perdoados por Deus por
meio do Messias Meishu-Sama e que não podemos permitir que
nosso sentimento de fé e imenso respeito e reverência a Deus
desapareçam.

361
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

É realmente difícil tomar consciência de que nós, seres


humanos, precisávamos ser perdoados por Deus. Em geral, nós não
nos damos conta de que nos desviamos da Vontade Divina, de que
desobedecemos a Deus. Apesar de Ele ser o Criador de todo o
universo, nós consideramos tudo o que existe como se fosse nosso.
Tratamos a vida como se fosse nossa e usamos as palavras como se
também nos pertencessem. Viemos utilizando inconscientemente as
palavras “Deus” e “fé” em nosso próprio benefício quando queremos
orientar outras pessoas com nossa sabedoria humana. Definimos o
bem e o mal de acordo com um padrão próprio, como se
possuíssemos uma medida de julgamento para as pessoas e para a
sociedade. Nós nos consideramos acima de todos – às vezes, até
mesmo acima de Deus. Devemos despertar para o fato de que
estamos aqui, hoje, somente porque Deus perdoou nossa ignorância
e arrogância.

Então, de onde vem o perdão? Segundo Meishu-Sama, o


poder do perdão vem de Deus. E Messias, sendo a própria
manifestação de Deus, recebe tal poder e concede o perdão divino a
todos.

Messias, “aquele que perdoa”, está vivo no âmago da nossa


consciência. O perdão divino está dentro de nós. Por isso, é tão
importante que aceitemos que Messias é “aquele que perdoa” e que
sejamos gratos por termos a permissão de receber o perdão divino
por intermédio do Messias Meishu-Sama.

Às vezes, ficamos ansiosos, temos dúvidas. Outras, temos


raiva ou medo. Nossa tendência é pensar que tais sentimentos são
nossos. Porém, na verdade, trata-se dos sentimentos negativos de
nossos antepassados que ainda não se conscientizaram de que já
foram perdoados por Deus. Este deseja profundamente que esses
antepassados tomem conhecimento de Seu perdão e quer também
recebê-los de volta em Seu paraíso. Nós, que já conhecemos o
perdão divino, somos os únicos que podemos avisá-los. Esta é a
razão por que Deus utiliza nossos sentimentos e nos permite

362
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

perceber os sentimentos de nossos antepassados a fim de


correspondermos à Vontade Divina, que é perdoar e receber a todos
em Seu paraíso.

Quando sentimos dúvidas, ansiedade, raiva ou medo, temos,


de fato, a responsabilidade de corresponder ao desejo divino e de
confiar nossos antepassados que ainda possuem tais sentimentos
negativos a Deus por meio de Meishu-Sama para que possam ser
perdoados, purificados, salvos e recebidos no paraíso.

Na minha opinião, ter recebido de Deus a tarefa de comunicar


o perdão divino aos antepassados expressa o verdadeiro significado
da frase de Meishu-Sama: “Nós somos a soma de nossos
antepassados”.

Deus pôs fim à Era da Noite para nos criar na Era do Dia.
Agora é a nossa vez de seguir Seus passos e pôr um fim na Era da
Noite. Então, a pergunta com a qual nos deparamos agora é: “O que
é a ’Era da Noite’ e como a terminamos?”

Após ter criado toda a natureza, Deus criou a consciência


humana, ou seja, nossa individualidade, a noção do eu como o toque
final da criação. Nossa noção do eu caracteriza-se por nosso
profundo apego a nós mesmos ou pelo amor-próprio. Isso faz com
que queiramos ser superiores aos outros e que tenhamos orgulho de
nós mesmos. Nós também nos arrependemos freqüentemente e
ponderamos bastante, tudo dentro do limite desta mesma consciência
humana. É difícil conseguir corrigir ou recuperar tal tendência pelo
esforço pessoal.

Não estou sugerindo aqui que devamos considerar nossa


consciência como algo negativo. Muito pelo contrário: a consciência
humana é uma criação divina tão preciosa que, se permitirmos a
Deus utilizá-la em Seu universo ou na Era do Dia, ela terá o potencial
de fazer com que nos sintamos renascidos. Entretanto, enquanto
continuarmos nos recusando a aceitar que a consciência humana é

363
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

uma criação divina, estaremos condenados a viver na Era da Noite ou


no que Meishu-Sama chama de mundo do materialismo ou civilização
materialista. Sendo assim, a Era da Noite refere-se, simplesmente, à
nossa percepção errônea de que a consciência humana é nossa e
não de Deus.

Como disse anteriormente, não é fácil mudar a maneira de


usar nossa consciência. Outrossim, não conseguimos, com esforço
próprio, reconhecer que tal consciência humana é de Deus. Foi Ele
quem, por amor, perdoou nossa ignorância e percepção errônea,
decidindo encerrar a Era da Noite e nos criar na Era do Dia. Por esse
motivo, podemos reconhecer nossos erros e considerar a consciência
humana como pertencente a Deus – um pensamento que só pode
existir na Era do Dia. Nós devemos agradecer sinceramente isso a
Deus e corresponder ao Seu amor, devolvendo a Ele nosso eu, nossa
consciência humana, com nosso sentimento egoísta de amor-próprio
– retornar tudo a Ele por intermédio de Meishu-Sama. Devemos
devolver a consciência humana bem como toda a natureza ao
paraíso divino, onde teve início a Criação e se originou todo o
universo. Creio que a devolução da consciência humana a Deus é a
maneira como nós conseguiremos dar fi m à Era da Noite.

Meishu-Sama escreveu o seguinte poema: “Destruirei a


civilização antiga e provisória que temos hoje para estabelecer a
verdadeira civilização”. Em outro poema, ele nos ensina: “A religião e
a ciência atual são provisórias e durarão até que a verdadeira
civilização seja estabelecida.” Meishu-Sama chamava a civilização da
Era da Noite de provisória ou semi-civilização. Ele nos orienta ainda
que, durante a Era do Dia, Deus cria um mundo verdadeiramente
civilizado onde tanto o aspecto material quanto o espiritual se
desenvolvem de maneira harmoniosa e simultânea. Não acredito que
desenvolver uma verdadeira civilização signifique, necessariamente,
que teremos que criar algo especial ou uma civilização única a partir
de agora.

364
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Nosso dia-a-dia é cercado de vários aspectos da civilização


desenvolvida pelo homem: política, economia, religião, ciência e
ideologia. Superficialmente, parece que estas se tornaram possíveis
graças ao esforço humano. Porém, na verdade, foi Deus quem
preparou tudo. Acredito que a verdadeira civilização deve ser a
civilização de Deus, em que Ele possa surgir e manifestar-se
livremente. O Deus vivo só poderá aparecer quando admitirmos que
Ele está vivo e manifestando-Se a cada instante.

Já que sabemos que a transição da Era da Noite para a Era do


Dia já aconteceu, podemos colaborar para o estabelecimento da
verdadeira civilização de Deus. Para fazermos isso, devemos
devolver as várias culturas e civilizações às mãos de Deus. Ou seja,
devemos, voluntariamente, devolver a Deus nosso pensamento e
modo de viver materialista por intermédio de Meishu-Sama. Devemos
orar para que todas as civilizações sejam absorvidas e integradas no
mundo espiritual ou paraíso que existe dentro de nós e onde Deus
está vivo. Esta devolução das civilizações a Deus corresponde à
maneira como serviremos o plano divino de criação de uma
verdadeira civilização na qual o lado material e o espiritual se
desenvolvem harmoniosamente.

Quando nossas atividades centralizadas no ser humano,


semelhantes à civilização materialista atual, forem usadas como
atividades centralizadas em Deus, as palavras e os ensinamentos de
Meishu-Sama começarão a brilhar dentro de nós e seu significado
mais profundo será revelado, gradualmente, a cada um. Desta forma,
tudo o que fizermos em nosso cotidiano acabará sendo diferente do
que foi feito no dia anterior. Não teremos mais uma continuação do
passado: tudo parecerá novo, e poderemos encontrar um novo
sentido para nossas vidas.

O fato de termos aprendido com Meishu-Sama que Deus é o


Criador de tudo o que existe e que Ele é o Pai de nossa vida já é, por
si só, uma grandiosa bênção. E como fomos abençoados, podemos
chamar por Deus, do fundo de nossos corações, e dizer: “Sou Teu

365
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

filho.” E Deus nos responderá misericordiosamente: “Sim, com


certeza, eu te dei a vida.” Meishu-Sama nos ensinou isso porque
Deus é quem deseja ser nosso verdadeiro Pai – tanto em nome
quanto de fato.

Deus criou a palavra Messias para concretizar Seu desejo. O


som da palavra Messias tem um poder espiritual especial e contém a
Vontade Divina de fazer com que renasçamos. O espírito da palavra
Messias foi introduzido por Deus em cada um de nós para que Ele
possa nos criar e educar como Seus verdadeiros filhos. Meishu-Sama
correspondeu a este desejo divino e renasceu como verdadeiro filho
de Deus, como um Messias.

Devo esclarecer que Meishu-Sama não é o único que pode ser


Messias. Nós também, se conseguirmos renascer como fi lhos de
Deus, poderemos ser Messias. Ou seja, Meishu-Sama é nosso
modelo e antecessor, é quem nos mostrou o caminho para que
possamos nos tornar filhos de Deus. Como seguidores de Meishu-
Sama, recebemos de Deus, hoje, a oportunidade de seguir seus
passos e nos tornarmos Messias. Aliás, quando me referi
anteriormente à auto-realização, queria me referir a este
renascimento. Meishu-Sama atingiu a auto-realização antes de nós e,
por esse motivo, valorizamos e apreciamos sua vida e obra.

Fomos abençoados por Deus com o perdão incondicional


graças ao Messias Meishu-Sama. Por essa razão, aconteça o que
acontecer, devemos continuar seguindo nossa vida com a firme
convicção e gratidão de que Deus já nos conduziu de volta ao paraíso
e está nos criando a cada momento para que nos tornemos Seus
verdadeiros filhos.

Por fim, manifesto minha mais profunda gratidão a Deus, que


concretiza tudo com o novo sopro vindo de Seu novo paraíso e
estarei orando para que a graça Divina e a paz estejam sempre com
os senhores durante todos os instantes, no ar que os senhores
inspiram e expiram por meio do Messias Meishu-Sama.

366
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Muito obrigado!

367
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

48 - OS SERES HUMANOS SÃO A CASA DE DEUS (JANEIRO DE


2012)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Saudação de Ano Novo
1º de janeiro de 2012
Revista Izunome 49

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o único e


Supremo Deus – que é a vida eterna – outorgou a vida a todos os
seres criados por Ele.

Deus é o Pai das nossas vidas. Seguindo Seu propósito,


juntamente com tudo o que existe no universo, somos nutridos por
Suas bênçãos e energia e fomos unidos a Meishu-Sama, que
renasceu como Messias – verdadeiro filho de Deus – para que
também possamos nascer novamente. Agradecendo profundamente
por isso, expresso minha mais sincera saudação pelo ano-novo.

Já se passaram 10 meses desde o grande terremoto que


ocorreu no nordeste do Japão. Caminhamos para a recuperação
desta região, mas ainda existem muitas pessoas que vivem seu dia a
dia repleto de dificuldades e insegurança. Além disso, tivemos muitas
calamidades em todo o mundo, como as grandes enchentes na
Tailândia.

Dentro desta situação, fiquei extremamente emocionado com a


postura de todos os messiânicos que, acreditando em Meishu-Sama
e não perdendo o sentimento de gratidão, mantiveram-se firmes,
esforçaram-se para seguir em frente com alegria, ajudando e
incentivando uns aos outros. Essa postura levou paz e esperança
àqueles que estavam ao seu redor.

Em qualquer circunstância, Meishu-Sama está sempre junto


dos senhores, protegendo-os e apoiando-os. Meishu-Sama é quem
mais os conhece. Ele está dentro do coração de cada um dos

368
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

senhores, confortando-os e encorajando-os. Precisamos, pois,


acreditar em seu grandioso amor, recebendo-o plenamente para que
possamos compartilhá-lo com muitas pessoas.

Meishu-Sama afirmou que Deus é Luz. Em 1935, quando


instituiu nossa Igreja, ele fez uma palestra intitulada “A Construção do
Mundo da Grandiosa Luz”. Por meio de expressões como “Mundo da
Grandiosa Luz”, ele anunciou o surgimento da “Grande Luz”, em
outras palavras, o aparecimento da “luz espiritual do Sol”. Ele afirmou
também que “as pessoas que escutarem estas palavras e abrirem
docilmente suas portas, serão imediatamente banhadas pela Luz e
salvas”. E completou: “Basta abrir as janelas do coração”.

No princípio, estávamos no Paraíso radiante da grandiosa Luz


e brilhávamos intensamente. Além disso, servíamos nele com
Meishu-Sama. Essa Luz, juntamente com Meishu-Sama, continua
presente até hoje dentro de nós, preenchendo toda nossa
consciência, que mistura o Bem e o Mal. Ela ilumina e clareia nossos
sentimentos mais sombrios e perturbados que se alojam nos mais
obscuros recônditos de nossos corações, como a preocupação e a
lamúria. Deus a tudo observa e está nos perdoando, nos purificando
e nos recebendo no Mundo da Luz.

Onde quer que estejamos, esta Luz e Meishu-Sama


continuarão brilhando dentro de nós. Não será por este motivo que,
mesmo estando aqui na Terra, os senhores conseguem servir em
consonância com o Paraíso?

Agora é o momento de retornarmos à nossa origem, o Paraíso,


de abrirmos bem as janelas dos nossos corações e, no centro dele,
recebermos Meishu-Sama. E ainda, considerando esta luz como a
Luz da Salvação, vamos ser úteis à divina obra de transmiti-la a
muitas pessoas.

Neste ano, serão concluídas as obras de restauração do


Palácio de Cristal, no Solo Sagrado de Atami, e de ampliação da Vila

369
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Primavera-Outono (Shunju-an), no Solo Sagrado de Kyoto, que


incluiu uma sala para cerimônia de chá. Meishu-Sama construiu os
Solos Sagrados para que pessoas do mundo todo neles pudessem se
reunir, viver momentos alegres, descansar e, ao mesmo tempo, voltar
seus sentimentos e sua mente para o Paraíso invisível aos nossos
olhos. Ele desejava que as pessoas se elevassem, a ponto de seus
corações se comunicarem com Deus.

Para corresponder a este desejo de Meishu-Sama, os


senhores vêm se dedicando com toda sinceridade para manter e
ampliar a beleza os Solos Sagrados, edificando, inclusive, novas
construções. Acredito que Meishu-Sama deve estar muito feliz com
tudo isso. E para que essa alegria de Meishu-Sama se torne a nossa
alegria e a de muitas pessoas, vamos continuar servindo cada vez
mais na Obra Divina de construção de Solos Sagrados.

Todo Solo Sagrado possui em seu centro um templo, ou seja,


uma “casa de Deus”. Meishu-Sama afirmou que os seres humanos
são a casa de Deus. Dessa maneira, recebemos d’Ele a vida para O
servirmos como Sua própria morada. Sendo assim, vamos agradecer
a permissão de estarmos sendo vivificados como modelos de Paraíso
no qual, por intermédio de Meishu-Sama, receberemos Deus na
“casa” construída em nosso coração. Que, assim como as ondas
concêntricas formadas pela pedrinha que cai no lago, possamos
servir com sentimento renovado à expansão da divina obra de
salvação, que conduz muitas pessoas de volta ao Paraíso.

Encerro esta saudação orando para que, durante todo este


ano, as bênçãos e a Luz do Supremo Deus – que se encontra junto a
Meishu-Sama – possam ser compartilhadas com a humanidade e
todos os demais seres por intermédio dos senhores.

Muito obrigado.

370
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

49 - O SUPREMO DEUS É A ESSÊNCIA QUE SE ENCONTRA NO


CERNE DE TODOS OS SERES (MARÇO DE 2012)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
4 de fevereiro de 2012
Revista Izunome 51

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o único e


Supremo Deus está vertendo dentro de nós e de todas as criaturas o
sopro da Sua eterna vida.

Se, neste momento, temos um corpo físico e estamos


respirando, é porque, no Paraíso – nosso mundo original –,
recebemos este sopro, que é o espírito de Deus.

Meishu-Sama explicou que os seres humanos são


considerados filhos ou templos de Deus porque possuem uma
partícula Divina, a qual recebeu os desígnios do Criador.

Fomos agraciados com a permissão de nos tornarmos


“templos”, ou melhor, “filhos de Deus”, que mora dentro de nós.

Acredito que o propósito Divino chamado “Paraíso Terrestre” é


o estabelecimento do Paraíso Eterno, eixo do nosso ser. Em outras
palavras, é o nosso renascimento, promovido por Deus, como Seus
filhos.

Deus impregnou Seu propósito na palavra “Messias” e com ela


deu início a toda Criação. Não seria por isso que todas as existências
estão unidas a esta palavra?

Correspondendo à vontade Divina, Meishu-Sama renasceu


como Messias, um verdadeiro filho de Deus 1.
1
O Líder Espiritual vem desenvolvendo esta temática desde 2005. Para um maior aprofundamento,
recomendamos o estudo de suas orientações, publicadas na Revista Izunome, edições: abr/08;
mar/09; jul/09; jan/10 e dez/11.

371
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Neste dia em que celebramos o início da primavera, o risshun 2,


gostaria de, juntamente com todos os senhores, elevar a Deus nossa
mais sincera gratidão, pois sabemos que Ele está nos preparando
para renascer, unindo-nos (a humanidade, os ancestrais e
antepassados e todas as criaturas) a Meishu-Sama.

Agradeço de coração a todos os messiânicos, que, cultivando


diariamente o amor altruísta e o sentimento de gratidão, e imbuídos
do desejo de se tornarem “pioneiros da salvação”, se dedicam
diligentemente à prática e à difusão do Johrei, da Agricultura e
Alimentação Natural e da Arte – as três formas de salvação – para
que o maior número de pessoas possível seja salvo por Meishu-
Sama.

Quando leio os relatos de experiências de fé enviados pelos


senhores, o que mais sinto é que, de fato, estamos todos nas mãos
de Meishu-Sama, sendo utilizados, criados e educados por ele dentro
do nosso cotidiano para desenvolvermos o sentimento de servir e
agradecer a Deus enquanto vamos recebendo e vivenciando graças,
milagres, provações, alegrias e preocupações.

Emociona-me saber que os senhores vêm se empenhando em


aceitar os problemas com os quais se deparam no cotidiano como um
treinamento concedido por Deus. Fico emocionado também ao ouvir
que, conforme os senhores vão consolidando, passo a passo, as
práticas da fé, estão percebendo que o sōnen – a atitude mental que
viemos utilizando até agora como se fosse nossa –, na verdade,
existe para que Deus se manifeste nele e, cientes disto, estão se
empenhando em servir com este sentimento.

2
N.T.: O “Início da Primavera”, “risshun”, em japonês, ou “lichun”, em inglês, é o nome da primeira
estação do ano, segundo o calendário lunissolar do extremo Oriente. Nesta época, costumava-se
comemorar, no Japão, o início do Ano-Novo (na China, comemora-se até hoje). A origem do nome
talvez seja pelo fato de que, apesar de ainda prevalecer o rigoroso frio do inverno, as fl ores das
ameixeiras – as primeiras a se abrirem – começam a desabrochar nesse período. Meishu-Sama
ensinou que esta época do ano é muito importante: a purifi cação se torna mais intensa, porque a
atuação de Deus começa a mudar e é feito o ajuste de contas dos pecados e impurezas do Mundo da
Noite.

372
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

As obras de ampliação da Vila Primavera-Outono – o Shunju-


an –, no Solo Sagrado de Kyoto (com a construção, inclusive, de uma
sala para cerimônia de chá), e as de restauração do Palácio de
Cristal, no Solo Sagrado de Atami, estão chegando ao seu fim.
Ganhamos a permissão de aprender ainda mais sobre o sentimento
de Meishu-Sama com relação à construção de protótipos do Paraíso
Terrestre. Agradeço, portanto, do fundo do coração, os messiânicos
por estarem se devotando com todo amor a esta sagrada dedicação,
tornando-se herdeiros da Divina obra de construção do Paraíso
Terrestre.

Desejo que todos recebam o infinito amor e a poderosa


orientação de Meishu-Sama durante o ano que acaba de se iniciar.

Deus é o Senhor e Criador, a Fonte de toda vida. É para


conhecê-Lo que estamos vivos. É para conhecê-Lo que Ele está nos
criando e educando.

Meishu-Sama escreveu os seguintes poemas:

Quando a prática do bem, seja ela qual for, é


realizada por pessoas que desconhecem Deus, na
maioria das vezes, visam a benefícios próprios.

O makoto3 das pessoas que não


conhecem Deus é mera forma.
Só aqueles que O conhecem,
possuem verdadeiro makoto.

Por meio deles, Meishu-Sama está nos ensinando a


importância de conhecermos a Deus.

Tenho a impressão de que, quando eu falava em Deus,


imaginava um Deus que simplesmente correspondia ou não à minha

3
N.T.: Makoto é uma palavra japonesa, na qual estão implícitos muitos sentidos: sinceridade, fé,
amor, lealdade, honestidade, cordialidade, devoção, lisura e constância, dentre outros.

373
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

vontade. Não dava o devido valor ao fato de que Ele é a própria vida
e que esta se encontra presente em todos os seres humanos, em
todos os antepassados, em todas as existências, enfim, em tudo o
que acontece.

Será que o maior desejo de Meishu-Sama não seria que, antes


de mais nada, reconhecêssemos a existência de Deus, que é a fonte
da vida?

Creio que, quando brotar em nosso coração o sentimento de


alegria e admiração por compreender que a vida que existe em nós é
o próprio Deus, conseguiremos afirmar que este é o Seu presente
para todas as criaturas; ou seja, esta é a verdadeira graça, o maior
milagre a ser compartilhado com todos.

Por intermédio de Meishu-Sama, o Supremo Deus transmitiu-


nos Seu sentimento em forma de palavras.

Em 1935, quando instituiu nossa Igreja, Meishu-Sama proferiu


uma palestra intitulada “A Construção do Mundo da Grandiosa Luz”,
na qual anunciou a chegada de uma extraordinária Luz, isto é, o
surgimento do “Sol”.

Este “novo Sol” já raiou e está brilhando intensamente dentro


de nós.

Meishu-Sama trouxe, portanto, a Luz da verdade, que torna


evidente o brilho da nossa vida. Confiando nele e aceitando as
palavras que vêm da Fonte, nossa vida poderá se tornar radiante.

O Supremo Deus é a essência que se encontra no cerne de


todos os seres, assim como nos mostra a palavra su4 representada,
por Meishu-Sama, por meio de um círculo com um ponto no centro
( ). Ao mesmo tempo, Sua aura, que brilha imensa e infinitamente,
envolve tudo o que existe.

374
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Sendo assim, por mais que existam trevas, se formos


envolvidos pela radiante aura de Deus, elas se dissiparão e tudo se
transformará num Mundo de Luz. Concordam?

Vivemos até hoje priorizando o sentimento humano e fazendo


pouco caso de Deus. Mesmo assim, fomos perdoados, salvos e
recebidos no Paraíso – que é o mundo no qual tudo é realizado tendo
Deus como centro –, e obtivemos, assim, a permissão de ter nosso
sentimento e consciência totalmente reestruturados.

Por isso, a expressão “Transição da Noite para o Dia”,


empregada por Meishu-Sama, não ensina que o Mundo da Noite
chegará ao fim para, em seguida, começar a se transformar em
Mundo do Dia; mas sim, que, justamente por termos sido envolvidos
pela Luz do Mundo do Dia, o Mundo da Noite chegará ao seu fim.

Não seria exatamente por já estarmos sendo criados e


educados por Deus dentro do ritmo do Mundo do Dia que
conseguimos reconhecer as doenças do corpo e do espírito, bem
como todo tipo de dor e sofrimento como uma bênção chamada
“processo de purificação”? Não seria, por este mesmo motivo, que
temos a permissão de desenvolver diversas práticas, a começar
pelas três formas de salvação: Johrei, Agricultura e Alimentação
Natural e Arte?

Meishu-Sama escreveu os seguintes poemas:

Pobres aqueles que ainda


não despertaram,
sem perceberem que a noite
chegou ao fim.
Pobre ovelha perdida!
Não se deu conta de que
a longa noite se acabou.

375
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Por meio destes textos, Meishu-Sama nos diz o quanto é triste


o fato de haver pessoas que ainda não têm consciência de que já
adentramos o novo Mundo do Dia. Por outro lado, utilizando-nos,
procura salvá-las.

O fato de sentirmos dor e sofrimento não seria porque, para


salvar as pessoas que ainda se encontram perdidas devido à
ignorância, Deus está unindo o sentimento delas ao nosso?

Deste modo, Ele olha por todos e nos faz perceber a escuridão
e a incompletude que existem em nós, nas pessoas e nos ancestrais
e antepassados, para que cada um consiga pôr um ponto final no
Mundo da Noite. Isto porque, Ele deseja que tenhamos um novo
começo.

Sendo assim, quando nos depararmos com um problema, é


melhor não sofrer nem ficar tristes e desesperados.O ideal seria
dirigir-nos a Deus: “Senhor,neste momento, estais enviando Vossa
Luz a todas as pessoas que estão em sofrimento e ligadas a mim,
não é mesmo? Estais nos salvando, criando e educando-nos, não é?
Isto é uma graça maravilhosa! Juntamente com toda a humanidade e
todos os seres, recebo esta graça com muita gratidão. Senhor, por
favor, utilizai-me na concretização da Vossa vontade! Por intermédio
de Meishu-Sama, entrego-me em Vossas mãos, para que o meu ser
e todas as pessoas ligadas a mim sejam perdoados, salvos e
recebidos no Paraíso. Senhor, que as Vossas bênçãos recaiam sobre
todos os seres!” Responder desta maneira à Vontade de Deus, que
percebemos por meio da insegurança e da dor que sentimos, é uma
maneira de encerrar o Mundo da Noite e, ao mesmo tempo,
manifestar nosso desejo de servir numa nova etapa.

Desta forma, podemos dizer que o fato de conseguirmos elevar


a Deus nossas orações e gratidão por intermédio de Meishu-Sama,
que se encontra dentro de nós, se deve às suas orações e à relação
contínua de reciprocidade que ele mantém com Deus. Mesmo que
nossas preces e nossa gratidão não sejam suficientemente maduras,

376
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

creio que Meishu-Sama as corrige, complementa-as e faz com que


cheguem a Deus.

No seguinte poema, Meishu-Sama diz:

Como ser humano, desprovido


de forças, não tenho escolha
senão entregar-me à Vontade de Deus.

Precisamos compreender que não somos capazes de fazer


nada com nossa própria força.

O Supremo Deus, com Seu amor imparcial, uniu todos nós a


Meishu-Sama. Somos o que somos, porque Meishu-Sama vive dentro
de nós. Portanto, acredito que, se tivermos gravado bem firme no
coração o desejo de servir junto com ele, dia e noite, em qualquer
lugar, corresponderemos à Vontade de Deus, que realizou essa
união.

Durante este ano, gostaria de, juntamente com todos os


senhores, servir à Obra Divina com muita alegria, leveza e amor.
Contem comigo.

Encerro minhas palavras orando para que tenhamos a


permissão de devolver ao Supremo Deus, por intermédio de Meishu-
Sama, o brilho e a força da vida presentes em toda a humanidade e
em todas as existências.

Que Deus seja louvado para todo o sempre!

Muito obrigado.

377
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

50 - O SOL ESPIRITUAL QUE BRILHA EM CADA UM DE NÓS


(JANEIRO DE 2013)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Saudação de Ano Novo
1º de janeiro de 2013
Revista Izunome 61

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o único e


Supremo Deus vive eternamente dentro de nós e de todos os seres.
Quando ainda nos encontrávamos no Céu, que é a origem de toda a
Criação, Deus, com Seu sopro, concedeu-nos Sua vida, consciência
e alma eternas. Isto porque Ele deseja, do fundo do coração, que
retornemos ao Paraíso e que renasçamos como Seus verdadeiros
filhos, vivendo conosco.

Meishu-Sama renasceu e realizou a Vontade Divina, como um


verdadeiro filho de Deus.

Quero iniciar esta saudação louvando a Deus de todo coração


e agradecendo profundamente a permissão de estarmos começando
um novo ano radiante, unidos a Meishu-Sama e sendo criados e
educados para nascermos novamente.

Um novo ano chegou! No primeiro dia do ano, quando o Sol


desponta no horizonte, costumamos vislumbrá-lo com um sentimento
especial. Assim, o Sol de todos os dias ganha um brilho particular e
até nos parece novo, porque olhamos para ele com um sentimento
renovado.

Na verdade, o que está brilhando não é somente o Sol que


vemos lá fora. Existe dentro de cada um de nós, no interior da nossa
consciência, um “sol espiritual”, que não podemos ver. Para mim,
Meishu-Sama é este “sol espiritual”, que brilha intensamente. Mesmo
que não o percebamos, ele constantemente resplandece como o Sol,
em nossa consciência, iluminando com Sua Luz todo o nosso ser,

378
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

cada célula do nosso corpo. Por essa razão, vamos despertar do


longo sono e saudar Meishu-Sama com o mesmo sentimento com
que recebemos o Sol de uma nova manhã. Vamos também nos
oferecer a ele de corpo e alma, com o sentimento de estarmos nos
lançando, mergulhando em sua Luz.

Agindo assim, será que não conseguiremos perceber que já


estamos sendo utilizados na nova etapa pós-transição da Noite para
o Dia? Após esta fase, Deus está anunciando que Ele uniu todos os
seres da Criação ao nosso sentimento / consciência e, utilizando-nos,
vem estendendo Seu imenso perdão e salvação a todas as criaturas.

Reconhecendo este fato, não deveríamos nos comprometer –


juntamente com toda a humanidade, com os ancestrais e
antepassados e com todas as criaturas –, a servir a Deus, que se
encontra junto a Meishu-Sama? Neste sentido, gostaria de fazer um
breve comentário sobre a essência da fé dedicada ao servir a Deus
como seguidor de Meishu-Sama.

Ano passado, reinauguramos o Palácio de Cristal no Solo


Sagrado de Atami, concluímos, com a construção de uma nova sala
de chá, a ampliação da Vila Primavera-Outono – o Shunju-an, do Solo
Sagrado de Kyoto –, e iniciamos outras obras. Tudo isto só foi
possível graças à dedicação sincera de todos. Por conseguinte, estou
profundamente agradecido.

Quando vemos ou ouvimos falar da surpreendente maneira


como as novas obras dos Solos Sagrados estão avançando, somos
tomados de alegria e, naturalmente, nosso sentimento para com
estes locais se eleva. Mesmo que não ocorra nenhuma grande
mudança nos mesmos, creio que não podemos deixar de amá-los e
devemos sentir gratidão por estarem sendo, diariamente, cuidados e
tendo toda a sua beleza preservada. Assim, se sempre amarmos os
Solos Sagrados que recebemos de Meishu-Sama e nos
relacionarmos com eles do modo como saudamos o Sol, com
sentimento renovado, tenho certeza de que eles continuarão

379
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

brilhando todos os dias, proporcionando alívio e paz ao coração de


muitas pessoas.

Além dos Solos Sagrados sobre a Terra, existe, dentro da


nossa consciência, um solo sagrado eterno, que é a origem desses
outros. Meishu-Sama é o responsável, o “administrador” deste solo
sagrado. Assim, vamos, por seu intermédio, retornar aos braços de
Deus, juntamente com toda a humanidade, com os ancestrais e
antepassados e com todas as criaturas, acreditando que, não importa
quando e onde quer que estejamos, nosso verdadeiro domicílio é
este solo sagrado eterno. E ainda, oremos para que tenhamos a
permissão de sermos utilizados juntamente com Meishu-Sama, que
leva conforto e tranqüilidade a todas as pessoas.

Gostaria de finalizar esta saudação, louvando a Deus, que tudo


realiza, e rogando para que, ao longo deste ano, o novo Sol nasça,
diariamente, dentro de cada pessoa unida a Meishu-Sama. Que, por
intermédio de todos os senhores, a infinita Luz de Deus, que nada
discrimina, possa guiar e iluminar o caminho de todas as pessoas!

Muito obrigado e feliz ano novo!

380
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

51 - DEUS ESTÁ ABSOLUTAMENTE VIVO DENTRO DE NÓS


(AGOSTO DE 2012)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto às Almas dos Antepassados
Templo Messiânico de Atami
1º de julho de 2012
Revista Izunome 56

Felicitações a todos pelo Culto às Almas dos Antepassados!

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o único e


Supremo Deus é a consciência que dá origem a todas as coisas. Ele
é a própria vida eterna. Como Pai da nossa vida, Sua consciência
existe no centro da nossa e é daí que nós nascemos.

Sendo assim, quando digo que é com imenso e profundo


respeito que me refiro a Deus, isto não significa de modo algum que
O vejo como uma existência distante de nós. Pelo contrário. É
justamente por Ele – o mais importante e venerável de todos – ser o
Pai da nossa vida e Se encontrar dentro de nós, que me sinto
impelido a referir-me a Ele desta maneira. Tenho a sensação de que
nosso grandioso Pai está nos convocando: “Lembrem-se de Mim e
retornem aos Meus braços.”

Neste culto, agradecemos a graça de poder, por intermédio de


Meishu-Sama, retornar aos braços de Deus juntamente com nossos
antepassados. Com sentimento renovado, vamos também reafirmar
nosso compromisso de servir a Deus, que se encontra junto a
Meishu-Sama.

Como todos sabem, no mês passado, antes do Culto do


Paraíso Terrestre, foi concluída a reconstrução do Palácio de Cristal,
que voltou a resplandecer sua luz clara e pura no Solo Sagrado de
Atami, a Terra Celestial.

381
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama escreveu o seguinte poema:

Está para nascer em Atami


um lugar-modelo
de beleza jamais vista.

Durante sua construção, quase todos os dias, Meishu-Sama


inspecionava as obras do Solo Sagrado da Terra Celestial,
demonstrando especial entusiasmo pela construção do Templo
Messiânico (inaugurado em junho de 1955 e reconstruído em 1972) e
do Palácio de Cristal. Por este motivo, podemos imaginar quão feliz
Meishu-Sama deve estar.

Membros e pioneiros, que, naquela época, vieram em grande


número de todas as partes do país para dedicar na construção do
Solo Sagrado de Atami, também devem estar muito felizes.

Estou profundamente grato, pois sei que a permissão de


termos concluído a reconstrução do Palácio de Cristal é um presente
advindo do grande amor de todos os messiânicos que se
empenharam integralmente na dedicação da grande construção, pois
se tratava de uma divina obra de Meishu-Sama.

Estou orando para que, de agora em diante, juntamente com


todos que venham visitar o Palácio de Cristal, possamos apaziguar
nosso coração e alegrar nosso espírito. Que possamos perceber que
a partícula divina, pura e imaculada como o cristal, brilha
intensamente dentro de nós. Da mesma forma que o Solo Sagrado é
um lugar que transmite paz de espírito a milhares de pessoas, oro
para que todos nós possamos servir, ao menos um pouquinho, como
modelos de paraíso na Terra, acolhendo o maior número possível de
pessoas com a luz que resplandece em nós.

Sei que os senhores estão se dedicando com toda sinceridade


à prática do amor altruísta, centralizando-se no Johrei e no
desenvolvimento de atividades ligadas à agricultura e à alimentação

382
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

naturais e ao belo. Em outras palavras, por meio destes três pilares,


os senhores, como pioneiros da salvação, estão se dedicando para
que surja o maior número possível de pessoas ligadas a Meishu-
Sama. Agradeço de coração o empenho constante de todos.

Gostaria de dizer também que as inúmeras experiências de fé,


relatando como os senhores continuam se dedicando à prática do
sōnen, são muito inspiradoras. Por diversas vezes, Meishu-Sama
enfatizou a importância da atuação do sōnen, da atitude mental. No
ano que antecedeu sua ascensão (1954), temos registros de que ele
passou a dizer mais ou menos o seguinte aos dedicantes que
serviam diretamente consigo: “Olhem, diferentemente do que foi até
hoje, daqui por diante, o sōnen se tornará ainda mais importante.”

O fato de Meishu-Sama ter passado a enfatizar a importância


do sōnen às vésperas de sua ascensão constitui-se uma importante
mensagem para nós.

Em um de seus poemas, ele disse:

Embora a salvação da
humanidade seja obra Sua,
Deus a realiza através do homem.

A partir deste poema, sinto que Deus está desenvolvendo Sua


obra de salvação não somente por meio do Johrei que ministramos
ou das muitas atividades que realizamos. Ele utiliza o nosso sōnen
também.

O sōnen é invisível. Meishu-Sama nos ensina, no seguinte


poema:

Toda força visível é limitada.


As invisíveis não têm limite.

383
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Meishu-Sama ensinou-nos, ainda, que “o pensamento [sōnen],


que não podemos ver, num instante pode estender-se até o infinito” 4.
Desse modo, acredito que o poder do invisível sōnen vai muito além
da nossa imaginação: ele é imensamente forte e abrangente e tem a
capacidade de transformar o mundo visível.

Deus fez com que o sōnen parecesse ser uma coisa nossa,
mas, na verdade, não é. Ele pertence a Deus, que o utiliza. Por este
motivo, é melhor não nos apropriarmos do sōnen como se ele fosse
nosso nem tentarmos delimitar sua atuação ou ficar criando
classificações com base na comparação do nível espiritual das
pessoas: baixo ou elevado. Seria mais adequado não discriminarmos
as atuações do sōnen, justificando-nos, por exemplo, que fazemos
isso porque temos um eu [ga] muito forte.

Não devemos tratar o sōnen levianamente por ele ser invisível.


Precisamos, sim, reconhecer o fato inexorável de que ele se encontra
sob o domínio de Deus.

Deus conhece perfeitamente nossa teimosia e, mesmo assim,


nos perdoou e está nos criando e educando. Por esta razão, acho
muito importante manifestarmos, antes de tudo, nossa intenção de
encaminhar e entregar o sōnen, que nos foi permitido pensar que era
nosso, Àquele que o utiliza.

Como este encaminhamento e entrega devem ser feitos ao


Supremo Deus, que se encontra junto a Meishu-Sama, isto significa
que aqueles não deverão ser dirigidos a um “lugar” longínquo,
distante de nós; mas, sim, ao Supremo Deus, que se encontra no
centro da nossa consciência.

Outra coisa que não podemos esquecer é que, se temos a


permissão de “encaminhar e entregar” o sōnen é porque, por
intermédio de Meishu-Sama, Deus está nos convocando e acolhendo.

4
Ensinamento “Materialismo e espiritualismo”. Coletânea Alicerce do Paraíso, vol. 1.

384
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Portanto, precisamos servir, tendo cuidado para não pensar que isto
seja obra humana.

Hoje, celebramos o Culto às Almas dos Antepassados. Que


tipo sōnen se liga à salvação dos antepassados quando servimos a
Deus? Primeiramente, precisamos saber por que, nós e os
antepassados, nascemos neste mundo. Para nos tornarmos que tipo
de existência? Não foi para morrer que viemos a este mundo, mas
sim, para nascermos novamente como seres que viverão
eternamente.

Para chamar nossa atenção para este fato, em 1954, ano que
antecedeu sua ascensão, Meishu-Sama disse que a experiência do
“nascimento do Messias” vivida por ele não significava um “retornar à
vida”, mas um “nascer de novo na mesma vida”.

Logo, como estamos unidos a Meishu-Sama no Paraíso, que é


o nosso mundo de origem, fomos e continuamos sendo abençoados,
com a possibilidade de renascermos como filhos do Supremo Deus e
de nos tornarmos seres que viverão para todo o sempre.

Por meio da celebração da “Cerimônia Provisória da Vinda do


Messias”, Meishu-Sama revelou-nos o “renascimento”, o fato, que
ocorrera dentro dele. Se nos consideramos seus discípulos,
aceitamos que esta realidade se aplica a nós também. Portanto,
devemos comunicar a Meishu-Sama nosso desejo de conhecer, ao
menos um pouco, esta sensação.

Cada um de nós recebeu a missão de “nascer novamente” e


para tanto existem esforços e avanços que precisam ser feitos
diariamente. Contudo, movidos pela ignorância com relação a Deus,
Pai da nossa vida, nós e os antepassados acabamos tomando a vida
e toda a Criação como se fossem nossas. Acabamos, então, vivendo
durante muito tempo sem saber que “nascer novamente” é o nosso
destino.

385
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Com Seu imenso amor, Deus perdoou a todos nós, seres


humanos, que viemos ignorando-O. Além disso, promoveu a grande
transição da Noite para o Dia, que nos desperta do Mundo da Noite,
encoberto pelas trevas da ignorância e da ilusão, transformando-o no
Mundo do Dia, repleto de luz.

Por intermédio de Meishu-Sama, tomamos conhecimento do


perdão divino chamado “Transição da Noite para o Dia”. Entretanto, a
maior parte dos nossos antepassados deixou este mundo sem saber
que, justamente porque recebemos este perdão, fomos abençoados
com a possibilidade de renascer. Mesmo dando tudo de si, muitos
destes antepassados, assim como nós, acabaram se acostumando a
uma vida cheia de altos e baixos, de alegrias e tristezas.

Conforme Meishu-Sama nos ensinou, somos a síntese de um


número incontável de antepassados. Estes continuam vivos, neste
momento, conosco, dentro de todas as nossas células, da nossa
consciência. Por este motivo, cada movimento do nosso coração, da
nossa mente, está intimamente ligado ao sentimento deles.

Por algum motivo, estamos sempre nutrindo a insatisfação, a


ira ou a resignação. Não raro, pensamos que não podemos nos
considerar pessoas felizes; sentimo-nos tristes e preocupados com os
diversos problemas da nossa sociedade. E ainda, estamos
constantemente tentando demarcar o bem e o mal das coisas.

Penso, porém, que é melhor não tentarmos negar ou repelir


estas emoções. Isto porque, quando os vários tipos de problemas
vêm à tona de forma que possamos percebê-los, reagimos. O fato de
estas reações aflorarem em nosso coração, significa que Deus está
revendo, com os antepassados, nossa arrogância, mesquinhez e
parcialidade e está nos mostrando que Ele nos perdoou e que está
nos acolhendo no Paraíso.

Por esta razão, quando nos damos conta de que dentro de nós
também existem arrogância, mesquinhez e outras características do

386
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

gênero, é melhor compreendermos que Deus está salvando um


grande número de pessoas, utilizando o nosso sōnen – ou seja, o
sōnen das pessoas que estão unidas a Meishu-Sama.

Acredito, ainda, que é muito importante transmitirmos nosso


sentimento aos antepassados, que estão vivos dentro de nós, sem
nos limitarmos à ocasião dos cultos matinais e vesperais, dos
sufrágios e das visitas aos túmulos. Precisamos dizer a eles: “Muito
obrigado por tudo até hoje. Deus já perdoou a todos, viu? E, por
intermédio de Meishu-Sama, vamos, juntos, retornar ao Paraíso.
Vocês estão vivos!”. Assim, vamos nos entregar – nós e nossos
antepassados – a Deus por meio de Meishu-Sama. Creio que
Meishu-Sama está aguardando pacientemente este momento.

Quando os antepassados conseguirem tomar conhecimento de


que Deus já lhes concedeu o perdão para que possam nascer
novamente como Seus filhos, já imaginaram quão imensa será sua
alegria e salvação?

Nós nos encontramos na posição de educar o nosso sōnen


como “recipientes” do espírito do Supremo Deus para, juntamente
com os antepassados vivos dentro de nós, voltarmos nosso
sentimento e nossa mente para Ele.

Meishu-Sama atribuía toda a sua obra a Deus, pois não a


considerava humana. Ele costumava dizer: “Não sou eu que sou
importante. Maravilhoso é Deus, que nos concede Sua força.” Temos
muito a aprender com esta postura de Meishu-Sama. Tenho certeza
de que ele ficaria muito feliz se conseguíssemos manifestar nosso
sōnen de louvor a Deus. Quando, no nosso dia a dia, no trabalho e
em outros lugares, acontecer qualquer coisa, mesmo que seja a mais
corriqueira, que consigamos pensar: “Senhor, sois vós que estais
realizando isto, não é? Muito obrigado!”

387
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Entretanto, não é fácil manter este sōnen constantemente.


Para tanto, precisamos nos exercitar com consciência. É como
Meishu-Sama escreveu no seguinte poema:

Ao perceber quão limitada


e pequena é a força humana,
sentimos a alma viva de Deus
dentro do nosso coração.

Conduzidos por Meishu-Sama, vamos crescer e amadurecer


para saborear, juntamente com os antepassados, a felicidade de
saber que Deus está absolutamente vivo dentro de nós! E, cientes de
que as bênçãos divinas recaem sobre todas as criaturas, vamos
agradecer Seu amor, que nada discrimina. Juntamente com os
antepassados, vamos louvar a Deus e a Meishu-Sama, que se
encontra uno a Ele.

Por último, oro para que, por meio dos senhores, as bênçãos
de Deus possam ser plenamente partilhadas com a humanidade, os
antepassados e todas as criaturas.

Muito obrigado!

388
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

52 - AS BÊNÇÃOS DE DEUS SE ESTENDEM A TODOS


(FEVEREIRO DE 2013)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Natalício de Meishu-Sama
Templo Messiânico de Atami
22 e 23 dezembro de 2012
Revista Izunome 62

Parabéns a todos pelo Culto do Natalício de Meishu-Sama!

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o ar que


inspiramos e expiramos é a respiração do Supremo Deus. Com Seu
sopro, Ele colocou em nós Sua vida, Sua consciência e Sua alma.
Além disso, o sopro Divino não existe somente dentro de nós, mas
em toda a Criação.

Como, originalmente, nós nos encontrávamos junto a Deus –


que é a fonte de toda a vida –, o Paraíso existe, ainda hoje, no centro
da nossa consciência. Assim, continuamos herdando, juntamente
com Meishu-Sama e com todos os seres, o sopro da Divina vida
eterna.

Deus nos concedeu o próprio ar porque deseja,


profundamente, estabelecer sobre a Terra Seu reino – o Paraíso –,
morar conosco. É por esta razão que estamos sendo criados e
educados pelo sopro Divino, para que possamos servir,
verdadeiramente, a Deus e renascer como filhos dignos de viver com
Ele.

Deus preparou Meishu-Sama para ser nosso modelo e nos


uniu a ele. Sendo assim, nossa respiração é também o ar inspirado e
expirado pelo Messias Meishu-Sama. No culto de hoje, gostaria de
agradecer a Deus e louvá-Lo de coração por, juntamente com toda a
humanidade, com nossos pais, ancestrais e antepassados, estarmos

389
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

sendo preparados para renascer, unidos pela respiração de Meishu-


Sama, que continua vivo.

Sinto-me profundamente agradecido pelo fato de os senhores,


messiânicos, estarem despertando para a prática da horta caseira e
praticando, com todo afinco, o amor altruísta, desejosos de se
tornarem pioneiros da salvação de alguém. Os senhores buscam a
vontade de Meishu-Sama e a força que atua no centro do Johrei, da
Agricultura e Alimentação Naturais e do Belo: a horta caseira e a
vivência do amor altruísta fazem parte deste ciclo de aprendizado e
de sua aplicação.

Por meio dessas práticas, aprendemos que a fonte do amor e


da salvação está em Deus. Sendo assim, não podemos pensar que
nossas ações e seus resultados são frutos da nossa capacidade e
virtude: eles fazem parte da glória de Deus, são obras Suas. Meishu-
Sama ficaria imensamente feliz se conseguíssemos reconhecer isto.

Todos os anos, fiéis com essas características – conscientes


da glória divina –, percorrem um longo caminho e vêm de toda parte
do mundo visitar os Solos Sagrados do Japão. Quando penso na
grande quantidade de pessoas que compartilham o amor de Meishu-
Sama em todos os cantos do planeta, percebo que,
independentemente do país no qual estejamos, somos utilizados por
ele juntamente com os fiéis do mundo inteiro. Ter consciência plena
deste fato possui um grande significado.

Uma vez que estamos tendo a permissão de servir dessa


maneira, ao vivenciar mos uma experiência ou ao nos
conscientizarmos de algo, precisamos admitir que isso não pertence
somente a nós, mas a todos. Portanto, quando nos recuperamos de
uma grave doença ou solucionamos um problema difícil, é muito
importante reconhecer que fomos agraciados com um milagre de
Meishu-Sama e, com o sentimento de agradecer juntamente com
todas as pessoas, manifestar nossa gratidão a Deus. E essa postura
não se limita à ocorrência desse tipo de milagre. Cada um de nós,

390
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

sem exceção, está recebendo um maravilhoso milagre: a graça de


poder dirigir o sentimento e o pensamento a Deus e a Meishu-Sama e
oferecer nossa gratidão.

Deus providenciou o significado das palavras “fé” e “gratidão”


para que nos déssemos conta da realidade e, por meio destas,
mantém conosco uma relação de reciprocidade, um intercâmbio. É
por este motivo que, quando me refiro a Deus, tenho que fazê-lo com
imenso e profundo respeito.

Bem, Meishu-Sama se referiu repetidas vezes à importância do


sōnen, da atitude mental. Conforme ele ensinou, Deus realiza Sua
obra, utilizando, o tempo todo, o nosso sōnen. Ele criou e governa o
Universo e tudo o que nele existe. E como é este Deus que está
utilizando o nosso sōnen, a abrangência deste ultrapassa o tempo e o
espaço, a tudo podendo se estender. Na raiz da atuação do sōnen,
existe nossa consciência. E bem no centro desta, há um ponto em
cujo cerne se encontra a consciência de Deus. E por que é assim?
Porque somos filhos nascidos d’Ele.

Meishu-Sama nos deixou um grande número de imagens da


divindade Kannon desenhadas por ele. No centro de sua testa, há
sempre um peque no círculo, simbolizando o “terceiro olho”. Além
disso, ele adquiriu diversas estátuas budistas, e a maioria delas tem
um sinal semelhante. Meishu-Sama explicou-nos, ainda, que essa
região é o local mais importante do ser humano, porque é a partir
dela que o espírito de Deus se comunica.

Meishu-Sama caligrafou a letra su ( ), colocando um ponto no


centro de uma circunferência. Creio que, por meio desta
representação, ele está nos apontando que, no centro mais profundo
da nossa consciência, existe o ponto mais importante. Neste,
encontra-se a consciência do Supremo Deus e nós precisamos
reconhecer este fato. Agindo assim, ficaremos aptos a receber a
formação necessária para renascermos como verdadeiros filhos de
Deus: o que significa que, como seres humanos, deixaremos de ser

391
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

uma existência finita, limitada, para nos tornarmos unos com a


consciência Divina e vivermos por toda a eternidade.

Deus é o criador de tudo e, por esta razão, Suas bênçãos se


estendem a todos. Contudo, temos uma imensa dificuldade de
perceber isto, principalmente quando nos encontramos em meio a
doenças, sofrimentos, aflições, preocupações, insegurança, tristeza e
ira. Diante deste fato, Meishu-Sama utilizou o conceito de purificação
para nos orientar e nos encorajar. Como podemos constatar no
poema abaixo, ele nos ensinou que a doença é uma bênção divina,
pois ela ocorre para nos purificar. Sendo a doença uma ação para
purificar o corpo e o espírito, ela é a maior bênção de Deus.

Por conseguinte, é possível dizer que o fato de recebermos a


permissão de purificar ocorre porque Deus, com Seu imenso amor,
está perdoando a nós, seres imperfeitos.

Nós éramos escravos do pensamento superficial e viciado


segundo o qual todo e qualquer sofrimento, a começar pela doença,
é, pura e simplesmente, ruim. Meishu-Sama, porém, nos libertou
desse pensamento e, ensinando-nos a respeito das bênçãos de Deus
chamadas “purificações”, salvou-nos.

Reconhecer este fato significa dar uma guinada de 180 graus,


conforme tantas vezes nos orientou Meishu-Sama. É justamente
dessa maneira que conseguiremos colocar um ponto final no Mundo
da Noite.

Purificação é uma bênção divina. Eu entendo que purificar


significa estar sendo iluminado pela Luz de Deus. E esta Luz não
atua somente em nós. Ela perdoa, purifica e salva todas as pessoas.
Na verdade, ela se encontra dentro de cada um. Brilhante e eterna,
ela nos foi concedida quando ainda nos encontrávamos no Paraíso,
unidos a Meishu-Sama e juntos de Deus Criador, Pai de toda a vida.

392
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

No ensinamento “Características da salvação pela Igreja


Messiânica Mundial”, Meishu-Sama ensina que: “Para que o homem
seja conduzido ao Céu, é necessário que ele próprio se eleve,
tornando-se um ente celestial, a fim de que, por sua vez, possa salvar
o seu semelhante.” E continua: “Compete a cada homem tornar-se
um ente celestial; aliás, chegou o tempo em que isso é possível.”
Com estas palavras, ele está nos fazendo recordar que, em nossa
origem, somos seres celestiais que pertencem ao Paraíso pleno de
Luz e nos chama a retornar a este.

Da nossa parte, parece-me que estamos convencidos de que


pertencemos somente ao plano terrestre e que, por sabermos dos
nossos pontos fracos, das nossas imperfeições, não conseguimos
sequer imaginar a possibilidade de nos tornarmos, por exemplo,
pessoas paradisíacas.

Entretanto, Meishu-Sama nos alertou: “Chegou o tempo em


que isso é possível.” Ao realizar a “Transição da Noite para o Dia”,
Deus nos considera como pessoas já perdoadas. Por este motivo,
precisamos acreditar sinceramente no perdão Divino e aceitá-lo,
juntamente com todos os seres, pois, assim, brotará em nós a
verdadeira consciência do ser paradisíaco. A Luz existente no centro
da nossa consciência se tornará capaz de iluminar a nós e a todos.

Pensando desta forma, sinto que existe um grande significado


no fato de trazermos em nosso peito o Ohikari 5, no qual está contida
a palavra Luz, caligrafada por Meishu-Sama. Acredito que uma das
razões de ele existir é para que possamos gravar em nossos
corações e jamais esquecer que nossa vida é a eterna vida de Deus
e que, no núcleo do nosso ser, foi-nos outorgada a Sua Luz, que
brilha por toda a eternidade.

Não teria sido por este motivo, por sermos seres assim, que
Meishu-Sama nos permitiu transmitir o Johrei (Johrei, que é obra

5
Relicário em forma de medalha que os ministrantes de Johrei trazem ao peito, pendurado no
pescoço.

393
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

divina e não humana) do mesmo modo como ele o fazia? Não é por
isso que ele compartilha conosco o sabor e a alegria de poder servir a
esta Obra?

Creio que Deus, Pai de toda a vida, deseja ardentemente


estabelecer o Paraíso Terrestre, no qual habitará com Seus filhos –
que somos nós, seres humanos –, e está nos convocando a retornar
à Luz, ao Paraíso. É por esse motivo que, com Seu amor
incondicional, Ele está estendendo a mão da grande salvação a todas
as pessoas do mundo e, por intermédio de Meishu-Sama, está nos
convidando à Sua morada.

Acredito também que o fato de levantarmos nossa mão para


ministrar Johrei a alguém, significa que Deus está salvando, elevando
ao Paraíso de Luz resplandecente todas as pessoas, sem Lhe
escapar nenhuma. Não será isso que Meishu-Sama está nos
ensinando?

Por essa razão, no nosso dia-a-dia, quando estivermos


realizando qualquer coisa com base no amor altruísta, que o façamos
com esse mesmo sentimento que temos para com o Johrei. Que
tenhamos sempre a convicção de que estamos juntos de Meishu-
Sama; de que, conforme ele nos ensinou, estamos desenvolvendo
uma obra em união com Deus e com todos os seres humanos. Que
no trato com as pessoas (tanto aquelas com as quais estamos nos
encontrando quanto aquelas nas quais pensamos), desejemos
sempre: “Que todas elas possam ser acolhidas dentro da Luz que
brilha no fundo do meu ser!” Acredito que, se conseguirmos repetir
isto em nosso coração, Meishu-Sama há de ficar muito feliz.

É também para o núcleo da nossa consciência – em que brilha


esse ponto de Luz, ao qual me venho referindo – que devemos
encaminhar e entregar nossos sentimentos e pensamentos.

Meishu-Sama escreveu um poema que diz o seguinte:

394
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Companheiros da Luz! Sejam


a chama que ilumina o caminho
daqueles que vagam pela
escuridão da noite.

Acreditando nesta chama que foi preparada dentro de nós,


gostaria que conseguíssemos corresponder ao sentimento de
Meishu-Sama, que nos incentiva, nos anima, chamando-nos de
“companheiros da Luz”.

Ele está sempre nos ensinando a agradecer as bênçãos de


Deus e a louvá-Lo. Entretanto, não podemos esquecer que agradecer
e louvar significam perdão e bênçãos divinos.

Não seria este o fundamento do terceiro poema de Meishu-


Sama entoado no culto de hoje?

Senhor! No culto de hoje,


oro rogando permissão
para louvar
Vossas infinitas bênçãos.

Ou seja, em sua oração, Meishu-Sama está pedindo a Deus


permissão para manifestar sua gratidão e louvor a Ele. Nós também,
antes de mais nada, não deveríamos orar assim?

Para concluir, gostaria que, ao final do ano que se encerra,


merecêssemos ser recebidos alegremente por Deus, na condição de
bons frutos cultivados por Meishu-Sama. Oro para que a alegria
Divina seja compartilhada com todas as criaturas e que 2013 seja
repleto de esperança e paz. Que este ano possa marcar uma nova
partida!

Muito obrigado.

395
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

53 - NOSSO JOHREI É O MESMO MINISTRADO POR MEISHU-


SAMA (MARÇO DE 2013)

Saudação de Kyoshu-Sama, líder espiritual da IMM


Culto do Início da Primavera
Templo Messiânico de Atami
4 de fevereiro de 2013
Revista Izunome 63

Felicitações a todos pelo Culto do Início da Primavera.

Com imenso e profundo respeito, digo-lhes que o Único e


Supremo Deus é a nossa vida e, com toda certeza, está vivo dentro
de nós.

Ainda no Céu, que é a origem de todas as coisas, Ele


concedeu à humanidade e a toda a Criação o sopro de Sua eterna
vida. Portanto, antes mesmo de nascermos no plano terrestre, já
tínhamos recebido este sopro, com a vida, a consciência e a alma do
Supremo Deus; e nossa existência continua, agora e sempre, a
recebê-lo.

Deus comanda a respiração. Prosseguir recebendo o sopro


divino significa retornar a Ele e servi-Lo com tudo o que existe.

Apesar de ter sido Deus quem instalou dentro de nós Sua


consciência, acabamos nos apropriando dela como se pertencesse a
nós. Mesmo assim, Ele nos perdoou e realizou a transição da Noite
para o Dia, com o intuito de nos fazer renascer como Seus
verdadeiros Johrei filhos, criando-nos e educando-nos com o Seu
sopro. O ar que respiramos, hoje, é o ar da nova Era do Dia, pós-
transição. Ele é repleto de vida e a tudo vivifica.

Além disso, Deus fez Meishu-Sama renascer como modelo


para nós e nos uniu a ele. Por este motivo, o ar que respiramos é o

396
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

mesmo ar inspirado e expirado por Meishu-Sama, que nasceu


novamente como verdadeiro filho de Deus, como Messias.

Sendo assim, como pessoa ligada a Meishu-Sama, quero


oferecer a Deus, que Se encontra junto d’ele, minha mais sincera
gratidão pela permissão de estarmos sendo agraciados com o sopro
que nos fará renascer juntamente com toda a humanidade,
antepassados e demais seres da Criação.

Sou ainda imensamente grato pelo fato de os messiânicos


continuarem esmerando-se, mais que no ano passado, na prática do
amor altruísta, no cultivo do sentimento de gratidão e na dedicação
incansável às atividades relacionadas aos três pilares da salvação.
Tudo isto com o intuito de, através de suas atitudes cotidianas, levar a
salvação de Meishu-Sama às pessoas que estão à sua volta,
tornando-se, para tanto, simpáticos e pioneiros da salvação.

Os inúmeros relatos de fé que chegam a mim, descrevendo as


circunstâncias nas quais os senhores vivem o dia a dia, me
proporcionam vários aprendizados. Um deles refere-se ao seguinte
ponto: quando, através de uma experiência vivida, aprendemos algo,
por mais modesto que seja, precisamos saber que este aprendizado
não pertence somente a quem viveu a experiência. A razão disto é
que só temos a permissão de compreender algo novo porque
estamos sendo utilizados por Deus e Meishu-Sama juntamente com
um grande número de pessoas.

Além disso, costumamos ter a sensação de que somos o


centro de tudo quando estamos sendo utilizados por Meishu-Sama.
Porém, ele utiliza pessoas que, à primeira vista, não se destacam
muito ou que, normalmente, jamais ocupariam o centro do palco.
Corrigindo e suprindo imperfeições que nós, sozinhos, não
percebemos, ele as utiliza. É ele que prepara todas as situações e
que também cuida do desfecho, realizando a Vontade de Deus.

397
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Sendo assim, não podemos determinar o bem e o mal ou os


méritos e os deméritos de alguém com base em sua atuação que se
mostra diante de nossos olhos. Não importa o que nos pareça,
precisamos reconhecer que todos estão sendo, igualmente, utilizados
por Meishu-Sama. Sendo isto, pois, a Vontade Divina, devemos
agradecer.

Outra coisa. Os senhores estão se dedicando à prática de levar


amor ao próximo, ou seja, estão exercitando o altruísmo. Devemos
nos lembrar, contudo, de que o verdadeiro amor de Deus já existe
dentro de nós mesmos e também das pessoas que são alvo da nossa
prática. Este amor Divino é o desejo de Deus de fazer de nós Seus
filhos.

Como o Supremo Deus, que habita nas outras pessoas, é


exatamente o mesmo que habita em mim, quando penso no próximo
e decido realizar alguma prática altruísta, primeiramente, eu deveria
voltar-me para o Supremo Deus dentro de mim e, juntamente com
Meishu-Sama, reconhecer a existência do Seu amor, comunicando-
Lhe: “Senhor, lembro-me, agora, que Vosso amor já se encontra
dentro desta pessoa.” Creio que esta atitude mental é uma
importantíssima prática do sōnen.

Hoje, gostaria também de tratar de outro assunto.

Estamos iniciando uma nova primavera. Creio que, assim


como todas as coisas que ganham nova vida com a energia desta
estação, nós também precisamos nos tornar um novo ser humano.

No ensinamento “Sejam homens do presente”, Meishu-Sama


orienta: “O homem deve progredir e elevar-se continuamente,
sobretudo aqueles que possuem fé”. E ainda: “Observemos a
Natureza. Ela procura renovar-se e progredir constantemente, sem
um minuto de interrupção. (...) É natural que os homens também
devam evoluir continuamente, seguindo o exemplo da Natureza.”
Referindo-se à própria pessoa, prossegue: “Neste sentido, eu mesmo

398
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

faço esforço contínuo para elevar-me e progredir cada vez mais: este
mês, mais do que no mês anterior; este ano, mais do que no ano
passado.” Para concluir, afirmou que o progresso e a elevação da
alma são indispensáveis.

Mas o que significa “progresso e elevação da alma”?

Meishu-Sama nos deixou claro que o “protagonista” da


existência de cada um de nós não é a autoconsciência chamada “eu”,
mas sim, a alma, que é a partícula divina, o próprio Supremo Deus; e
este fato pode não ser nada cômodo para nós, que pensávamos que
o nosso “eu” era o principal.

Tivemos, porém, a permissão de ser lembrados de que a


expressão “progresso e elevação da alma” não significa o
engrandecimento da existência chamada “eu”. Simboliza, sim, a
alegria de amar verdadeiramente a Deus, o Pai da vida, de louvá-Lo e
de servir a Ele e o brilho que a alma possui desde o início, recebendo
o alimento e a educação necessários para renascermos como Seus
verdadeiros filhos.

Geralmente, somos tomados pelas preocupações com nós


mesmos ou com as circunstâncias nas quais estamos envolvidos, ou
ainda, pelo desejo de querer que nós e as outras pessoas nos
tornemos melhores. Contudo, além de estarmos sendo criados e
educados por Deus, fomos agraciados com a posição de ser Seus
servidores oficiais, o que significa que devemos, como intermediários,
conduzir e entregar a Ele tudo o que está ligado a nós. Esta é a
essência do espírito altruísta.

Com relação à posição de servidores oficiais, Meishu-Sama


explica que não se trata de salvar as pessoas, erguendo-as de baixo
para cima. Pelo contrário, ensina-nos que, assim como ele, devemos
primeiramente nos tornar seres celestiais para, então, trazer as
pessoas infelizes para a salvação: o que é uma característica da
nossa Igreja – uma religião paradisíaca e revolucionária.

399
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Elevar-se ao Paraíso significa lembrar-se de que você,


originalmente, o habitava na condição de pessoa ligada a Meishu-
Sama. Significa, igualmente, reconhecer que este Paraíso existe,
ainda hoje, dentro de si, num determinado ponto no centro da
consciência e que é preciso retornar a ele.

Tenho certeza de que, somente quando conseguirmos retornar


ao Paraíso, levando conosco tudo o que se encontra ligado a nós,
seremos capazes de servir à obra de construção do Paraíso Terrestre
– uma obra típica de uma religião inédita que marca época. Só
conseguiremos isto, se devolvermos, juntamente com Meishu-Sama,
tudo a Deus – fonte da salvação.

Servir nesta nova etapa da Obra Divina é o caminho seguro


para se elevar e progredir como fiel de Meishu-Sama.

No dia-a-dia, quando ministramos Johrei, é forte o desejo de


querermos que as pessoas melhorem de modo que possamos
percebê-lo. Por este motivo, frequentemente, questionamos se o
Johrei funciona ou não; se temos ou não capacidade para ministrá-lo;
se confiamos nele ou não. Todavia, creio que eu estava me
esquecendo do principal: o fato de que o Johrei – Obra Divina –
ministrado por Meishu-Sama é o mesmo ministrado por nós e que eu
estava lidando com esta realidade de uma forma leviana.

Se Meishu-Sama nos concedeu a permissão para ministrar


Johrei e, assim como ele, servir a Deus, é porque, por mais
imperfeitos que sejamos, ele perdoa nossos defeitos e nos considera
servidores do Criador que se dedicam como mediadores para
conduzir a tudo e a todos a Deus.

Desse modo, uma vez que recebemos a permissão para


ministrar Johrei, precisamos tomar a firme decisão de nos tornar,
assim como Meishu-Sama, servidores de Deus, convictos de que Ele
está vivo em forma de nossa vida.

400
Palestras de Kyoshu-Sama 1998 - 2013

Seria justo dizer que ministramos Johrei, mas que não


conseguimos nos assemelhar a Meishu-Sama? Será que é correto
simplesmente colocá-lo num pedestal, considerando-o um ser de
outro mundo?

Meishu-Sama dedicou-se, e ainda se dedica, a Deus,


depositando n’Ele toda a confiança.

Nós somos fiéis de Meishu-Sama. Ele é nosso modelo e brilha


constantemente no centro da nossa consciência. Portanto, ao longo
deste ano, vamos nos dedicar, com disposição e alegria, ao
progresso e à elevação da nossa alma, sem nos esquecermos de que
formamos um só corpo com ele.

Encerro minhas palavras, reafirmando que recebemos o eterno


sopro divino e que fomos unidos a Meishu-Sama. Juntamente com
toda a humanidade, ancestrais, antepassados e a Criação, louvemos
por todo o sempre o Supremo Deus, que a todos salva e perdoa, e
que tudo realiza.

Muito obrigado.

401