Você está na página 1de 19

PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS

PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS


1. CRAQUEAMENTO TÉRMICO

1.1. Definição:
Processo que provoca a quebra das moléculas  aquecimento em
temperaturas elevadas (450°C) e ausência de ar/oxigênio.

Carga  resíduo atmosférico ou gasóleo.


Resíduo de vácuo: baixa conversão dos produtos comerciais.

A conversão e as características dos produtos formados são


determinadas pela severidade do tratamento térmico.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
1. CRAQUEAMENTO TÉRMICO

Conversão/características  conversão leve para redução da


viscosidade até ultrapirólise para conversão completa de olefinas
em frações leves.

Catalisador  auxilia a quebra das ligações químicas.


Exemplo: Óxido de silício (SiO2) e Óxido de alumínio (Al2O3).

.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
1. CRAQUEAMENTO TÉRMICO
1.2. Descrição Geral:
Carga é alimentada na torre de fracionamento, sendo o produto de
fundo direcionado aos fornos de craqueamento.
Aquecimento da carga nos fornos  alcançar 550ºC.
Câmara de reação  tempo de residência (1 a 2 min) para
completar a reação.
Câmara de expansão  separação gases e óleos residuais.
Retorno dos gases para a coluna de fracionamento.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
1. CRAQUEAMENTO TÉRMICO
1.2. Descrição Geral:
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
1. CRAQUEAMENTO TÉRMICO
1.2. Descrição Geral:
Principais produtos: vapores de nafta, gases,
gasóleo leve e pesado.
Principais problemas operacionais:
• Elevado acúmulo de coque na câmara de reação;
• Parada do processo  descoqueificação da câmara e
tubulações do forno.
• Condições operacionais mais severas.
• Menor rendimento.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
1. CRAQUEAMENTO TÉRMICO
1.3. Aplicação:
Obtenção de um combustível próximo ao óleo diesel.
Ex: Produção de biodiesel.
• Equipamento para pirólise possui custo elevado.
• Remoção de O2  diminui as vantagens ambientais,
produzindo um combustível próximo da gasolina.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
2. VISCORREDUÇÃO

2.1. Definição:
Processo de conversão térmica que tem como objetivo a redução da
viscosidade do resíduo através da quebra de suas moléculas mais
pesadas pela ação térmica.

Condições operacionais: mais brandas (craqueamento térmico


convencional).
• Evitar uma excessiva formação de coque.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
2. VISCORREDUÇÃO
Processo obsoleto:
• Alto custo operacional e baixa rentabilidade.
Severidade da processo depende:
• Estabilidade dos combustíveis residuais no tanque de
estocagem;
• Redução no percentual de viscosidade do produto (25 a 75%).

Principais produtos: gases, nafta, gasóleos e


resíduo (alcatrão de petróleo).
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
2. VISCORREDUÇÃO
2.2. Descrição Geral:
Carga é aquecida com aproveitamento das correntes quentes que
deixam a fracionadora.
Aquecimento nos fornos  alcançar 480ºC.
Escomento turbulento no forno, com tempo de residência mínimo.
Fracionamento da carga ocorre na coluna, com a formação dos
principais produtos.
Resíduo: viscosidade reduzida e incorporado a produção de óleo
combustível.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
2. VISCORREDUÇÃO
2.2. Descrição Geral:
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
2. VISCORREDUÇÃO
2.2. Descrição Geral:

Tabela 1- Rendimentos típicos do processo.


Produto % mássico
Gases 2-4
Nafta 5-7
Gasóleo 10-15
Resíduo 75-85
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
3. COQUEAMENTO RETARDADO

Crescente demanda de Diesel;

Decrescente demanda de óleo combustível;

Conseqüência? Processos térmicos em evidência:

Coqueamento Retardado
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
3. COQUEAMENTO RETARDADO
3.1. Importância:
Aumento da conversão dos petróleos pesados brasileiros.
• Marlim gera 60% de resíduo atmosférico.
Consome resíduo que geraria óleo combustível cuja demanda tem
decaído.
Aumento da margem de refino → elevada rentabilidade.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
3. COQUEAMENTO RETARDADO
3.1. Importância:
Aumento da produção de diesel.
Menor investimento inicial comparado com concorrentes.
Tecnologia consolidada.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
3. COQUEAMENTO RETARDADO
3.2.Princípios:

Petróleo submetido a temperatura > 400 ºC sofre


craqueamento térmico.

As ligações entre as moléculas de carbono são quebradas e


sofrem intenso rearranjo
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
3. COQUEAMENTO RETARDADO
3.2.Princípios:

Resultados:
• Há formação de coque de petróleo, que é um sólido
semelhante ao carvão mineral.
• Há também a formação de produtos líquidos com interesse
bem maior que o coque.
PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS
3. COQUEAMENTO RETARDADO
3.3. Cargas de alimentação:
Resíduo de vácuo na maioria das refinarias.
• Este é o produto que não destila na destilação a vácuo.
• É semelhante ao asfalto.
• É o produto de menor valor das correntes da destilação.

Resíduo atmosférico – carga que será utilizada na RNE.


PROMOVE – PROCESSOS TÉRMICOS

Esquema de refino da Refinaria Abreu e Lima.