Você está na página 1de 2

Instituto Federal de Goiás

Aluno – Pedro Gabriel M Siqueira

Professora – Gabriela

Disciplina – Filosofia

Resenha – Os Corpos Dóceis

No inicio do século XVII o soldado era descrito como um ser reconhecível de


longe, portador de muito rigor, coragem, habilidade em suas funções e muito orgulho
pelo que é. O soldado tinha um corpo de atleta. No século XVIII os soldados passaram a
ser fabricados, o tornaram maquinas. Consertaram alguns hábitos considerados errados
para a função.

O corpo se tornou objeto de poder. Foi manipulado, modelado, aperfeiçoado,


enfim, foi treinado para ser mais hábil e cujas forças se multiplicassem. Não foi a
primeira vez que o corpo foi tão valorizado, em qualquer sociedade o corpo é objeto
importante e merece investimentos. Mas foi a primeira vez que o corpo esteve em meio
a essas técnicas de controle. O corpo foi esquadrinhado por uma indústria de poder,
tudo em busca da disciplina.

1) A disciplina distribui os indivíduos no espaço, esses espaços são


heterogêneos a todos e fechados em si mesmo, com regras rígidas, como
colégios e quartéis.
2) O principio de “clausura” não é suficiente nos ambientes disciplinares. O
esquadrinhamento fica em primeiro lugar, cada individuo é colocado em seu
lugar. O espaço disciplinar se divide em parcelas correspondentes aos corpos
a repartir. Controlar os indivíduos é essencial, saber mais sobre eles, se
comunicar com eles, para dominar e utilizar.
3) A regra das localizações funcionais transforma espaços que estavam livres
para vários usos, se especializarem para satisfazer a necessidade de vigiar e
romper com as comunicações perigosas, principalmente em hospitais
militares e marítimos.
4) Nas escolas os alunos eram colocados em lugares de acordo com padrões da
instituição de ensino. Nesses ambientes a disciplina criou sistemas
funcionais e hierárquicos, em que os indivíduos são engrenagens deste.