Você está na página 1de 24

17 de março de 2018

A Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB) é uma


organização missionária evangélica que existe para CONTATO
compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo nas escolas
e universidades brasileiras, através da iniciativa dos Email: abu.abc.gb@gmail.com
próprios estudantes. O treinamento e formação de Face: facebook.com/Abuabc
estudantes e profissionais, visando o testemunho Site da ABUB: http://www.abub.org.br/
cristão e o serviço à Igreja e à sociedade, completam
nossa missão.
SUMÁRIO
Nossa visão:
Estudantes que formam comunidades de discípulos, Como começar um grupo..........................................2
transformados pelo Evangelho, e que impactem o Encontros bíblicos......................................................4
mundo estudantil, a igreja e a sociedade para a glória Cristo sobre as bandeiras...........................................5
de Cristo. Bíblia, fé e as questões raciais...................................6
Formei, e agora?........................................................8
Nossos objetivos: Ansiedade................................................................10
- A evangelização dos secundaristas, universitários e MATHETEUSATE (Evangelismo)...............................14
profissionais, por intermédio da comunicação da Desprezando o poder..............................................17
mensagem do evangelho e da demonstração prática Bases de fé...............................................................19
da vivência cristã, objetivando sua submissão ao Oração.....................................................................23
senhorio de Jesus Cristo.
- O desenvolvimento dos alunos secundaristas,
universitários e profissionais rumo à maturidade do
ser humano integral em Cristo Jesus, nos aspectos
pessoal e comunitário, de forma a assumirem sua PROGRAMAÇÃO DO TL!!!
responsabilidade no âmbito da família, da igreja e da
sociedade. 08:30 – Café da manhã
- A realização de missão e serviço pelos estudantes e 09:00 – Abertura + Louvor
profissionais, mediante a descoberta de seu lugar de 09:45 – Exposição Bíblica
chamado por Deus, na Igreja e no mundo. 10:45 – Respondendo à palavra
- Assistência ao estudante e à comunidade, visando 11:20 – Oficinas I
ao desenvolvimento do homem e da mulher, como 12:50 – Almoço
manifestação do amor de Deus, em Cristo. 14:10 – Louvor
14:30 – Oficinas II
No ABC, a ABU é composta de 4 grupos: Faculdade de 16:00 – Encerramento
Direito de São Bernardo (GEB FDSBC), FEI (ABU FEI),
UFABC Santo André (GEB SA) e UFABC São Bernardo
(GEB SBC). Temos também reuniões mensais da ABP.
2

ABU/S? Quero! Como começa?

Primeiro: Abu é o macaco do Aladdin!


Nós fazemos parte da ABU: Aliança Bíblica Universitária do Brasil

Mas para quê serve isso?


Por que tem tanta sigla?
Onde eu fico nessa história?

Perguntas iniciais...

O que é a escola / universidade?

Por que ela é importante?

Como é o contexto dela?

O que poderia diferenciar um cristão na escola/universidade? Ou na sociedade?

Qual o relato mais antigo de pelo menos um estudante testemunhando sobre sua fé?

De onde veio esse negócio?


- 1895: Início da FMEC (Federação Mundial de Estudantes Cristãos) em uma reunião na
Suécia. Eram 6 pessoas (Dinamarca, França, Suiça, India, Alemanha e Inglaterra)
- 1910: Cambridge sai do MEC Britânico
- 1928: grupos britânicos que sairam da FMEC formaram a Intervarsity Fellowship of
Evangelical Unions. Estudantes vão também para o Canadá e depois USA
- 1947: EEEEE COMEÇOOOOOOOOU! Em Harvard, uma reunião das intervarsity's:
formação da CIEE / IFES
- 1957: EEEEE COMEÇOOOOOOOOU! BRASIL-SIL-SIL-SIL Bob Young+Ruth
Siemens. Grupos no ITA, em São Paulo (SP) e em Aracaju (SE)

“Deus inspirou uma visão simples e uma mensagem básica aos estudantes: se você está nesta universidade pela
vontade de Deus, então ela é um campo missionário e você é um missionário dEle aqui”
Robert Young para Wayne Bragg (Encarnando a Palavra Libertadora)

O que é a ABU/S?
- organização missionária evangélica interdenominacional

Pra que a ABU/S existe?


- visão: estudantes que formam comunidades de discípulos, transformados pelo Evangelho, e que impactem o
mundo estudantil, a igreja e a sociedade para a glória de Cristo!

Como funciona?
- protagonismo estudantil
>> Quais as vantagens disso?
>> Quais os desafios?
- abuenses? absenses? assessores auxiliares? obreiros?
- movimento

Perfil abuense/absense?

"O evangelismo eficaz depende de duas coisas: manejo adequado das Escrituras e amizade" - Philip Rout
3

O que daria pra fazer na escola/universidade?


______________________________ ______________________________ ______________________________
______________________________ ______________________________ ______________________________
______________________________ ______________________________ ______________________________

- oração

- ministério e vocação

- #perseverar (Pv 16:1-3)

- procure outros estudantes

Precisa de autorização?

- Depende...

- ABU: facul pública x privada, confessional...

- ABS
Quando e onde?

- Fácil de achar e que as pessoas fiquem de boa na lagoa

- EVITE ficar mudando local/hora

Liderança? #dicas:
- Liderança “horizontal” - polêmica pra quê?
- Qual o papel do líder? - eventos da universidade/escola
- não é o trono da Inglaterra! - recepção dos calouros
#PassarOBastão

To sozinho nesse rolê?


- Não! Você pode contar com seu GRUPO BASE! Aqui no ABC!
- O que o GB pode fazer por você?

Última dúvida: Só existe a ABU?


- Não! Há uma série de movimentos cristãos estudantis também (Alfa e Ômega, Dunamis Pockets, Mocidade
para Cristo, Células...). Cada um com suas particularidades...

“Estamos preparados? Armar-nos de literatura, conhecer a situação, saber qual é o vento que sopre é
importantíssimo; mas ao lado disso, se não formos um Movimento que ora, que sabe ficar de joelhos, e que sabe
por que ora, declarando a nossa insuficiência diante do Senhor, não conseguiremos nada. Nunca seremos uma
Aliança Bíblica Universitária” – Neuza Itioka (Encarnando a Palavra Libertadora)

Dicas de leitura! (Ler não dói e não faz mal à saúde!)


- O estudo bíblico indutivo, de Antonia Leonara Van der Meer (ABU Editora)
- Brillando como Estrelas / Shining like stars, de Lindsay Brown (Editora 10 publishing)
- Eu, um missionário?, de Antonia Leonara Van der Meer (Editora Ultimato)

Dúvidas / Sugestões / Reclamações / Bater papo?!?!?!


Asaph
Facebook: Asaph Jac – email: asaph_jacinto@hotmail.com – WhatsApp: (11) 98545-3799
4

ENCONTROS BÍBLICOS

“A razão é a ordem natural da verdade; mas a imaginação é a ordem do sentido”. (C S Lewis)

Mateus 13:34-35 (NVI-PT)

34 35
Jesus falou todas estas coisas à multidão por parábolas. Nada lhes dizia sem usar alguma parábola,
cumprindo-se, assim, o que fora dito pelo profeta:

“Abrirei minha boca


em parábolas,
proclamarei coisas ocultas
desde a criação do mundo”

Durante o estudo: fale normalmente, sem termos e referências que só os cristãos vão entender; seja
natural e espontâneo; evite textos controversos ou que você não conhece muito bem para que a discussão
não se perca; se teus amigos não gostam da presença física da Bíblia, imprima o trecho num pedaço de
papel para que eles, mesmo com seus preconceitos, tenham acesso à Palavra; deixa todos falarem
abertamente; não prepare um sermão; etc.

Durante a preparação: observe sempre qual é o público e qual é a mensagem, disto pense qual é o
meio que você pode usar. Ore muito, leia e releia a Bíblia, peça ajuda se necessário.

1. USO DE PERGUNTAS
2. ESTUDO DETALHADO E ANALÍTICO DO TEXTO
3. INTERAÇÃO CRIATIVA COM O TEXTO
4. OUÇA MAIS, FALE MENOS (“O que mais?”)
5. PLANEJAMENTO

· Dramatização: Dividir o grupo para lerem o texto narrativo com cada um assumindo um personagem e
procurando ver o ponto de vista deste personagem (Lucas 7.36-50, por exemplo). Depois de um tempo,
o líder “entrevista” cada personagem de maneira bastante espontânea. Depois volta aos grupos para
conversar como aplicar os aprendizados na rotina.

· Introdução com produção cultural e da sociedade


Quadrinhos (Calvin & Haroldo, Mafalda, Um Sábado Qualquer, depositodocalvin.blogspot.com,
facebook.com/DepositoDeTirinhas, www.umsabadoqualquer.com.br)
Música (evangélicas... mas não também!)
Cinema (As Crônicas de Nárnia, Jornada pela Liberdade, Antes de Partir)
Arte em geral (sugestão: Jim LePage, jimlepage.com; arte renascentista)
Literatura (poesia, trechos de livros)
Notícias, reportagens de revistas

· Reunião Musical: “A reunião musical não é um simples cantarolar. É um espaço onde adoramos a
Deus e anunciamos seu amor e seus feitos. Assim, é importante, entre outras coisas, termos um assunto
ou tema que oriente a seleção das músicas, dando unidade e continuidade ao nosso louvor. Por exemplo,
podemos aproveitar um tema que esteja presente nos jornais ou outros meios de comunicação e utilizá-
lo em nossa reunião, onde poderemos cantar a respeito de tal assunto a partir de uma perspectiva cristã.”
5

(Retirado de: Apostila ABS e ABU, editado em Belo Horizonte em 2004 e reeditado em 2010 com o apoio
do último EBA).

· Calendário: “O calendário escolar ou religioso pode também oferecer motivos e temas para nossas
reuniões.” Aproveite a Páscoa, a Independência, a Abolição da Escravatura, o Natal, etc. Muitas pessoas
têm curiosidades em entender como estas datas surgem e são datas que têm abertura para temas
bíblicos.

· Fotografia: “A partir de uma seleção criativa e criteriosa de fotos jornalísticas, monte um cartaz ou uma
pequena “exposição” onde as fotos são apresentadas ao grupo. Procure reunir fotos que estejam
sugerindo um tema ou abordagem em comum. Você pode proceder consultando o grupo a respeito da
foto que mais gostou ou lhe impressionou; leve-o emitir sua opinião ou parecer sobre o assunto da foto
escolhida ou mesmo sobre a razão da escolha. No final, pode-se confrontar a mensagem ou realidade da
foto com o que a Bíblia diz sobre a questão.”

· Contexto Intelectual: Estudo Bíblico Temático (José Luiz Dietrich)


Temas filosóficos, contas matemáticas, ideias biológicas, de química, física...
Ex.: Medicina – Aborto, Filosofia – Ética, Economia – Divisão de Bens. Obs.: Importante buscar material
de estudo e pessoas da área.

· Dinâmica: Perguntas; contextualização da questão tratada (perdão, liderança, espelho); criação de


ambientes para reflexão; construção de algo comum com base no texto.

Dúvidas? Opiniões? Ideias? Dividir um doce? Dar ban?


Procure-nos!
Luana Nonato (luuh.nonato@gmail.com)
Raul Guimarães (guimaraes.raul@hotmail.com)

Cristo sobre as bandeiras – o senhorio de Cristo sobre o mundo e o cristão

 O senhorio de Cristo sobre o mundo


18
Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a
verdade em injustiça. 19 Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho
manifestou. 20 Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como
a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem
inescusáveis; 21 Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças,
antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. 22 Dizendo-se sábios,
tornaram-se loucos. 23 E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem
corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. 24 Por isso também Deus os entregou às
concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; 25 Pois mudaram a
verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito
eternamente. Amém. (Romanos 1:18-25)
6

 A redenção
23
Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; 24 Sendo justificados gratuitamente pela sua
graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. 25 Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue,
para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; 26
Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que
tem fé em Jesus. (Romanos 3:23-26)

 O senhorio de Cristo sobre os cristãos


19
Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus,
e que não sois de vós mesmos? 20 Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso
corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus. (1 Coríntios 6:20)

7
Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei. 8 Pede-me, e eu te darei os
gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão. 9 Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os
despedaçarás como a um vaso de oleiro. 10 Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da
terra. 11 Servi ao Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor. 12 Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais
no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.
(Salmos 2:7-12)

19
Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito
Santo; 20 Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco
todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. (Mateus 28:19,20)

Humberto Dimarchi

Bíblia, Fé e as questões raciais


Para começo de conversa, vamos pensar, onde está o racismo?

➢ Cite os nomes de cientistas da sua área que são negros?


➢ Quantos professores negros tem em sua universidade?
➢ Quem são os teólogos famosos e os grandes pregadores do evangelho negros?
➢ Você já foi vítima ou presenciou uma situação de racismo?

O que é racismo?

O racismo é herança do pensamento europeu, originado durante a colonização dos outros continentes e dominação
de seus povos. Por meio desta visão, os europeus - cujo perfil físico é pessoa branca, olhos azuis, cabelos lisos e
loiros - formariam o grupo superior, padrão de humanidade [...] Nós, brasileiros, herdamos a concepção ocidental de
supervalorização dos povos europeus e norte-americanos, bem como de suas culturas: conhecimentos tecnológicos,
filosóficos, científicos, artes, músicas, culinária, religiões... como nossa cultura. Porém, pela lente do racismo tem se
desenvolvido olhares marcados por (pré)juízos sobre outros povos e suas culturas, vistos como diferentes, inferiores,
exóticos, bárbaros, etc. [...] O racismo é uma lente que deturpa a visão de humanidade, deturpa o olhar, ao dar
7

diferentes valores a diferentes grupos humanos. Quem é o pior ou o melhor? Quem é o superior ou o inferior? [...].
(Racismo abrindo os olhos para ver e o coração para acolher - carta pastoral da igreja Metodista)

➔ Alguns dados acerca da realidade do negro no Brasil:

● Negros (pretos e pardos) são a maioria da população brasileira, (declarados 53,6% da população),
(os que se declaram brancos são 45,5%);
● Negros representam 54% da população do país, mas são só 17% dos mais ricos ;
● Na parcela do 1% mais ricos há 79% brancos e 17,4% negros. Por outro lado, na população que
forma o grupo 10% mais pobre 76% são negros. - IBGE (2014);
● 12,8% dos negros entre 18 e 24 anos chegaram ao nível superior, número mais de duas vezes inferior
ao de jovens brancos com a mesma faixa etária. - IBGE (2015).

Racismo é pecado!

Pecado estrutural: Pecado que não diz respeito ao comportamento individual. É um mal causado por um grupo ou
sociedade, algo realizado de forma coletiva, com conseqüências sociais. “Revela que há estruturas sociais,
econômicas, políticas ou culturais que são pecaminosas - produzem sofrimentos, opressões, o mal - pelo próprio
funcionamento da sua lógica, quase que independente das intenções das pessoas envolvidas nestas estruturas”.

Racismo estrutural: "O Brasil não pode mais ser chamado de uma democracia racial e alguns órgãos do Estado são
caracterizados por um racismo institucional, nos quais as hierarquias raciais são culturalmente aceitas como normais"
- destacou a ONU.

➔ Por que racismo é pecado de acordo com a Bíblia?

Gn 1:26 e 27 ___________________________________________
Cl 3:11; Gl 3:27 a 29 _____________________________________
At 10:34 e 35; Tg 2:1 ____________________________________

Temos esperança!

● Lucas 4:14-19
● João 7:24

- Significado de Oprimido: substantivo masculino Indivíduo que foi humilhado ou obrigado a se


sujeitar. Adjetivo Diz-se da pessoa que foi dominada de maneira violenta ou com brutalidade; tiranizado.

- Antônimos de Oprimido: Oprimido é o contrário de: livre, liberto, desoprimido.

- Minorias: Referente aos grupos sociais oprimidos ou com menos privilégios na sociedade, como
por exemplo idosos, pobres, negros, mulheres, entre outros.

De acordo com o trecho lido, para quem Jesus foi enviado? E para quê?
1- Os oprimidos citados no trecho podem ser comparados com as minorias da sociedade atual?

➔ Esperança que não nos decepciona!


8

“Que o DEUS DA ESPERANÇA os encha de toda alegria e paz, por sua confiança nEle, para que vocês transbordem
de ESPERANÇA, pelo poder do Espírito Santo.” - Romanos 15:13

➢ Tito 3: 7-8
➢ Colossenses 1:19-20

Ação urgente!

- Oração em primeiro lugar


- Parar de ser indiferente
- Aproveitar as oportunidades: Conscientização do tema nos ambientes de discussão na igreja, grupo
de ABU etc.

Sugestão de leitura:

www.buzzfeed.com/ramosaline/maneiras-de-pessoas-brancas-apoiarem-a-luta-contra-o-racismo

Conheça mais o Projeto ABUB Contra o racismo!

Gemima Jacinto (ABU ABC)


gemima_jj@hotmail.com
Alice Matos (ABU São Paulo)
alicematosdrr@gmail.com

Formei, e agora?
I Coríntios 12: 4-12
Há diferentes tipos de dons, mas o Espírito é o mesmo. Há diferentes tipos de ministérios, mas o Senhor
é o mesmo. Há diferentes formas de atuação, mas é o mesmo Deus quem efetua tudo em todos. A cada
um, porém, é dada a manifestação do Espírito, visando ao bem comum. Pelo Espírito, a um é dada a
palavra de sabedoria; a outro, a palavra de conhecimento, pelo mesmo Espírito; a outro, fé, pelo mesmo
Espírito; a outro, dons de cura, pelo único Espírito; a outro, poder para operar milagres; a outro, profecia;
a outro, discernimento de espíritos; a outro, variedade de línguas; e ainda a outro, interpretação de
línguas. Todas essas coisas, porém, são realizadas pelo mesmo e único Espírito, e ele as distribui
individualmente, a cada um, conforme quer. Ora, assim como o corpo é uma unidade, embora tenha
muitos membros, e todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo, assim também com
respeito a Cristo.

Parte 1 – Interpretando o texto


1. Qual o tipo de texto?
2. Quem é o autor e para quem estava escrevendo?
3. O que são esses dons, ministérios e atuações?
4. São esses dons, ministérios e atuações diferentes ou iguais entre si? Por quê?
5. Qual a finalidade deles?
9

6. O que é o “corpo de Cristo” expresso no texto?

Parte 2 – Aplicando na vida profissional


A graduação é um período de formação. Nela ganhamos condições técnicas para exercer a tão
sonhada profissão. Mesmo assim, ao final deste período muitas dúvidas nos afligem:
 Qual área vou trabalhar? Ela estará relacionada com o que estudei?
 Onde irei trabalhar?
 Qual será a minha especialidade?
 Farei um curso de pós-graduação? Qual? Onde?
 Meu trabalho trará as condições financeiras que almejo?
 Vou alcançar os objetivos que sempre desejei?
É um período novo e bastante diferente de todos os que passamos anteriormente, como estudantes.
Mas muito além do nosso estágio de vida (estudante, universitário, trabalhador, pai/mãe, avô/avó) somos
cristãos, e isto implica numa missão para toda a vida.
“ ‘Vocação’ é uma palavra latina e significa ‘chamamento’. (...) O chamado universal de Deus para nós não
é tanto para fazer alguma coisa (um trabalho), mas para ser alguma coisa (uma pessoa). Embora ele nos
chame para diferentes tarefas, primeiro ele nos chama para algo ainda mais significativo, isto é, para
sermos discípulos de Jesus Cristo, para vivermos uma vida nova. (...) Portanto, se alguém nos perguntar
‘Qual é a sua vocação?’, nossa primeira resposta – aliás, a resposta certa – deveria ser: ‘Eu sou chamado
para pertencer a Jesus Cristo’.” (John Stott, 1992)
“Onde as necessidades do mundo e os seus talentos se cruzam, aí está a sua vocação...” Aristóteles.
Tendo isso em mente, e o texto bíblico que lemos, vamos debater as seguintes questões:
 Qual a relação entre os dons do Espírito e a carreira profissional?
 Quais critérios devemos ter ao tomar decisões na vida profissional?

O QUE É A ABP?
Um grupo que integra o movimento da ABUB, formado por profissionais cristãos (ex ABUenses ou
não) e que tem essência caracterizada pela missão integral e bases de fé do movimento*. Suas frentes de
atuação/focos, são divididas em três grandes partes que se complementam:

Fortalecimento e formação de profissionais cristãos


 Promover encontros de comunhão, compartilhamentos de vivências e capacitação mútua entre
profissionais cristãos. A ideia é que, após cada encontro, o participante tenha fortalecido seu
repertório espiritual e profissional para lidar melhor em seu dia-a-dia.
Apoio à missão estudantil
10

 Ser responsável por apoiar os movimentos estudantis secundarista (ABS) e universitário (ABU) e
ajudar no amadurecimento da visão do formando em sua transição para o mercado de trabalho.
Realização de Missão e serviços
 Realizar projetos de ação social e evangelismo, com base nas competências, dons, talentos e
vocação das pessoas do grupo, em parceria com igrejas e estudantes.

Vamos falar sobre ansiedade? Um papo sobre ansiedade, fé, controle e Cristo.

Conhecendo a Ansiedade
A ansiedade já foi chamada de “emoção oficial da nossa época”, base de todas as neuroses e “o fenômeno
mais penetrante de nossa época”. Ela é tão antiga quanto a existência do homem, mas as complexidades
e o ritmo da vida moderna nos alertaram para a sua presença e, provavelmente, aumentaram a sua
influência.

A ansiedade é uma sensação interna de apreensão, insegurança, preocupação, inquietação e/ou


temor que é acompanhado de elevada excitação física.

Ela também é considerada como excesso de preocupação com o futuro e necessidade de controle.

Mas da onde vem a ansiedade?

O ego percebe uma ameaça. O id começa a superar o ego, fazendo a pessoa adotar um comportamento
agressivo visando suprir o sentimento de ameaça. O superego fica tão grande que esmaga a pessoa com
culpa e vergonha dos possíveis atos e atitudes que o id provocou.

Depois de Freud, pesquisadores começam a focar também em ansiedade adquirida pelo


comportamento e depois suas causas biológicas, chegando então a conclusão:

“Examinando essas e outras teorias, podemos concluir que a ansiedade é causada por ameaça, conflito,
medo, carências, características fisiológicas e diferenças individuais.” (Gary Collins)

O que a bíblia fala

Em Filipenses Paulo diz para não vivermos ansiosos com coisa alguma e nos alegrarmos em cristo (FL
4). Já Tiago é mais duro ao dizer que na ansiedade não incluímos a vontade de Deus e agimos como
ateus. (Ti 4:13-15)
11

“A ansiedade como aflição ou angústia pode ter sido o que o salmista tinha em mente quando escreveu
“nos muitos cuidados que dentro de mim se multiplicam” as consolações de Deus trouxeram alegria. “(SL
94.19 NVI)

E até o próprio Jesus diz no sermão do monte para não nos preocuparmos com as provisões diárias, pois
Deus há de prover no momento certo (Mt 6.25-34).

Controle x fé

“A ansiedade como aflição e angústia surge quando damos as costas para Deus, pegamos nossos fardos
e consideramos, pelo menos com nossas atitudes e gestos, que temos que resolver nossos problemas
sozinhos.

Em vez de reconhecermos a soberania e o poder de Deus, e de buscar o seu reino e a sua justiça em
primeiro lugar, muitos de nós caímos presas do pecado de confiar em nós mesmos e de nos
preocuparmos com as pressões que a vida nos impõe.”

Então tenha fé e confie em Deus. Aproveite os momentos onde a ansiedade não esta alta e/ou você não
esta em crise para refletir sobre a fé e aprender a confiar, assim quando a ansiedade atacar você estará
preparado.

Qual a relação entre os dois trechos?

“De acordo com os resultados de uma pesquisa, a ansiedade geralmente surge porque as pessoas têm
crenças irracionais1 que geram medo.” (Gary Collins)
No momento de uma crise ou do período de ansiedade a crença não parece ser tão irracional assim.

“Onde a fé começa, a ansiedade termina; onde a ansiedade começa, a fé acaba” (George Müller de
Bristol, Arthur T.Pierson)
______________________________________________________________________________
Ainda Timothy Keller diz:
Devemos examinar nossa vida para descobrir se nosso sofrimento não é aumentado desnecessariamente
porque colocamos demais nosso coração e esperança em outras coisas. Na maioria das vezes, o
sofrimento revela que algumas coisas sem as quais achávamos impossível viver não são imprescindíveis,
se dependermos de Deus.
______________________________________________________________________________

Mas e para diminuir a ansiedade?


Alguns passos para aliviar a crise:
• Procure o que esta te causando ansiedade.
• O que você pode fazer no momento? Existe algo que eu possa fazer para diminuir a
causa da minha ansiedade?
• Existiu algum gatilho? é possível trata-lo?
• Como você estava se sentindo antes de começar a crise? é possível fazer algo para
voltar aquele estado?

Se a ansiedade é causada pela quantidade absurda de tarefas:


• Esvazie sua mente! escreva tudo o que precisa fazer.
• Procure manter sua vida organizada, usando anotações, planners, agendas, assim se a
crise te pegar você tem uma ideia de controle sobre suas tarefas e poderá trazer alguma razão.

Porem em todas as situações:


Esteja sempre em oração. Peça a Deus que sonde seu coração, como o salmista fez.
“Examina-me, ó Deus, e conhece meu coração; prova-me e vê meus pensamentos. Mostra-me se há em
mim algo que te ofende e conduz-me pelo caminho eterno”
Salmos 139:23-25
12

*Consulte a folha a parte dessa oficina, ela é um exercício para identificar as causas e caminhos que
nossa mente toma em uma crise de ansiedade!

Conclusão

Alegre-se e Ame!:
“Alegrem-se sempre no Senhor. Repito: alegrem-se! Que todos vejam que vocês são amáveis em tudo
que fazem. Lembrem-se de que o Senhor virá em breve” Fl 4: 4-5

Ore:
“À medida que confiamos mais no Senhor em oração, menos a ansiedade e o medo habitam em nós. A
oração vence a ansiedade” (Garry Collins)

“Não vivam preocupados com coisa alguma; em vez disso, orem a Deus pedindo aquilo de que
precisam e agradecendo-lhe por tudo que ele já fez.” Fl 4:6

Confie:
O que determina a paz no barco não é a ausência da tempestade lá fora, mas a presença de Jesus do
lado de dentro (Mt 8.23-27)

“Eu lhes deixo um presente, a minha plena paz. E essa paz que eu lhes dou é um presente que o
mundo não pode dar. Portanto, não se alijam nem tenham medo.” Jo 14:27

Referencias
COLLINS, Gary R. Aconselhamento cristão: edição século 21; tradução Lucília Marques Pereira da Silva
— São Paulo: Vida Nova, 2004.

KELLER, T. Caminhando com Deus em meio a dor e ao sofrimento; tradução de Eulália Pacheco
Kregness — São Paulo: Vida Nova 2016
13
14

MATHETEUSATE

INTRODUÇÃO
Texto base: Mt 28:19

Fazer discípulos: do grego matheteusate - único imperativo no texto


Ide: do grego poreuthentes - no original, é um particípio aoristo, e não um imperativo, como em
nossas traduções.

“O aspecto de aoristo[1] torna o mandamento definido e urgente. Não é ‘caso você esteja indo’ ou ‘onde
quer que você esteja’, mas sim ‘vá e faça algo” (Cleon Rogers)

[1] Tempo verbal das línguas indo europeias. “Indica ação verbal ou acontecimento, sem definir
absolutamente o seu tempo de duração, ou sem definir com precisão o tempo em que a ação ocorreu”.

Pregar o evangelho é uma ordem/obrigação: 1Co 9:16, Mc 16:15

“O ato de fazer discípulos é um resultado de levarmos o evangelho ao mundo” (Hiran Amorim)

Antes de qualquer coisa: a oração é fundamental. Deve fazer parte do nosso dia a dia (1 Ts 5:17).
 Evangelizar é guerra espiritual, é fazer algo que o inimigo condena.

QUE EVANGELHO PREGAMOS

- Pregamos um evangelho onde o centro é Cristo Jesus, sua vida e ministério, morte e ressurreição;
Reflexos no evangelismo: O evangelho é focado nEle, então o evangelismo também
tem que ser. Não apresente o evangelho a partir dos benefícios que ele pode nos trazer. A
mensagem de Deus não é obrigada a nos trazer satisfação pessoal; o evangelho não está em
mim ou em atender as minhas necessidades materiais.
- Um evangelho não é entretenimento;
- Um evangelho não é pragmático.

“A evangelização pragmática se preocupa com promoção. Raramente se preocupa com a integridade da


mensagem, visto que lida mais com estilo e método do que com substância e autenticipade.Devemos estar
preocupados com a fidelidade em apresentar claramente a Cristo do que com resultados” (Mack Stiles)

POR QUE PREGAMOS

1 Co 9:16, Mc 16:15

At 2:42-46

1 Jo 5:19
15

Jo 9:4

Hb 9:27

Lc 16:19-31

Jo14:16

A QUEM PREGAMOS

- Sensibilidade quanto ao contexto;

“[...] varão e varoa! Abusam dos arcaísmos! Usam expressões tão ultrapassadas que às vezes me sinto nos
dias de Olavo Bilac! Dureza, não?! Expliquei que muitas das versões bíblicas que as pessoas leem são
muito antigas, e, por esse motivo, acabam trazendo o vocabulário delas para o dia a dia. “Que bizarro!”,
disse meu colega. E incomodado com isso, perguntei: “Por que bizarro?”. Ele prontamente me respondeu:
‘Porque isso assusta qualquer um! É uma linguagem muito distante da realidade!’ Nessa hora,
infelizmente, tive que concordar com ele. Nossa linguagem, às vezes, é tão descontextualizada que, em vez
de atrair, assusta os publicanos e pecadores de nossos dias.” Jonas Madureira

PENSE: Quem são as pessoas a quem você está se dirigindo? Elas conhecem algo sobre a palavra?
São muito céticas? São pessoas de fé, mas na “coisa” errada? São muito intelectuais, ou
analfabetos? Tiveram frustações com Cristo ou a igreja?

DE QUE MANEIRA PREGAMOS

Devemos enxergar as pessoas como amigas e não simplesmente como alvos de evangelismo?!
Alvos de convencimento para trazê-los para a “minha religião”, “minha verdade”, e “meu ponto”?
É fundamental se importar com o outro, ver-se no evangelho e entender-se como mais um
participante desse processo de converter seu coração em arrependimento todos os dias.

Sabendo para quem pregamos: conhecendo seus medos, angústias, pressupostos, necessidades e
contextos, fica mais fácel comunicar a palavra. Ouça antes de falar. Use brechas, desenvolva
relacionamentos. Isso é demonstração de amor.

DEDUTIVO: apresentar o plano de salvação para aplica-lo a um problema particular


do pecador.

INDUTIVO: inicia pelo problema da pessoa e chega ao plano de salvação.

 Devemos orar para que Deus abre as portas (Cl 4:2-3);


 Dependência de Deus: Ele quem capacita (At 1:8);
 Conhecimento daquilo que estou falando (2 Tm 2:15);
 Enfatizar Cristo, e não a igreja e seu testemunho (Jo 4:16);
16

 Inicie através de brechas;


 Não seja exagerado pelo interesse da pessoa;
 Se há interesse da pessoa, passe para a fase definitiva (chamado ao arrependimento);
 Muitos sabem quem foi Jesus e a bíblia, mas parta do pressuposto que não;
 Deixar claro que Cristo - ser cristão - não é uma religião ou estilo de vida, é uma pessoa.
Por isso não há uma maneira mecânica para apresentá-lo.

Onde evangelizar?

DIFICULDADES

“A maior dificuldade em fazer discípulos é entender que devemos apenas mostrar o caminho e nada mais.
Porém para mostrar o caminho é necessário primeiro trilhá-lo” (Hiran Amorim)

Vida de santidade, oração e dedicação ao Senhor (2 Tm 2:15)

PROBLEMAS SOLUÇÕES

Não sei o que dizer

Não sei como agir

Medo de questionamentos que não


sei responder

Medo de ser ignorado

Medo de ser mal visto

Medo de perder a amizade

Vergonha

Medo de incomodar

Medo de a pessoa não se converter

Medo de a pessoa compreender


17

errado

Medo de me acharem
intolerante/manipulado/alienado

CONCLUSÃO

É tempo de salvação: 2 Co 6:2

 Mas, no final das contas, quem abre os olhos é o espírito: Lc 24:45.

Dúvidas, sugestões, conversas:


Carolina Santana
ABU ABC
email: carolina.ibvn@gmail.com

DESPREZANDO O PODER

O que é
ser
líder?

Quem somos? Por que devemos agir? Qual o nosso objetivo?


I Co 4:1-2; Mt 28:19-20; 3 Jo 1:7

Servos, Fazer discípulos, Ensinar, Pelo Nome.

Serviço
Mc 10:42-45; Jo 13:1-17
18

- Diaconia
I Co 12:12-31

Exercício da minha fé em benefício do outro


“Juntos, todos vocês são o corpo de Cristo, e cada um é uma parte dele.” - v.27

Não há como nos conectarmos verdadeiramente com Cristo se não amarmos nossos irmãos e o amor é
manifesto em obras de serviço a eles.
I Jo 4:7-20

Fazer discípulos
Mt 28:19-20; Ec 4:9-10

“O plano de Deus é usar o homem e usá-lo muito mais do que qualquer outra coisa. Homens são o método
de Deus. A Igreja está procurando métodos melhores; Deus está procurando homens melhores.”²

A missão de Deus ocorre através de pessoas, portanto não as menospreze. Invés disso, invista, valorize,
dediquem-se a elas.

Lembre-se: Cada um é uma parte diferente do corpo, logo, nem todos compreenderão facilmente suas
palavras. Saiba lidar com os contextos diferentes, e não desista das pessoas.

Ensino
I Tm 4:11; Rm 12:7; At 18:11; Ex 35:34

“Ensine os estudantes a lerem a Bíblia. Este é o maior legado que se pode deixar. Você certamente
cometerá erros no ministério, mas a Palavra nunca erra. Se você ensinar os estudantes a confiarem na
Palavra eles sempre terão como acertar.” Jorge Atiencia

Jesus dedicou o tempo que passou na Terra ensinando as pessoas sobre o Reino dos Céus. Por que
agiríamos diferente?

Observações importantes:

● Disciplinas espirituais são PRIORIDADE


Você só pode dar aquilo que possui, e não há como anunciar a Cristo sem ter um relacionamento com
Ele.

“Os eclipses do sol raramente ocorrem sem testemunhas.”³ Se somos luz do mundo devemos entender
que as pessoas estão a nos observar continuamente e não podemos desonrar o nome de Cristo.

● Seja um mordomo do seu TEMPO


Sabemos que a vida passa e nem vemos, mas principalmente em um cargo com tantas tarefas, organizar-
se é primordial.

● Você IMPORTA!
Dedicar um tempo de lazer e descanso não significa que você é um péssimo líder. É sábio conhecer os
seus limites.

● DELEGUE
Ninguém consegue fazer tudo sozinho e dividir tarefas faz com que as pessoas se sintam valorizadas.
19

● Planeje a RENOVAÇÃO
Nem tudo dura para sempre, portanto esteja sempre atento as pessoas, experimente-os com funções
menores e forme-os. Não deixe para última hora!

Pelo Nome
Cl 3:17,23; I Co 10:31; Rm 11:36; Cl 1:15-20

“Ouçamos, então, às palavras de Cristo, [...]: Morri por eles, e vocês não querem cuidar deles? Eles foram
dignos do meu sangue e, todavia, não são dignos do seu labor? Eu desci do céu para a terra para buscar
e salvar o que estava perdido, e vocês não querem ir à porta ao lado ou à próxima rua ou povoação para
procurar por eles? O quanto são pequenos o seu trabalho e o seu compassivo cuidado, comparados aos
meus! Eu me rebaixei para fazê-lo, mas para vocês é uma honra empregar-se nisso. Fiz e sofri muitíssimo
pela salvação deles, me dispus a fazer de vocês cooperadores meus, e, contudo recusam-me a dar o
pouco que têm em mãos?” Richard Baxter

“Por quem você carrega a pedra?”

“Agora que vocês já sabem dessas coisas, felizes serão se as praticarem.” - Jo 13:17

Diante de tudo isso,


O que é ser líder para você? E como a sua fé influencia isso?

“A fé necessariamente implica em ações que glorificam a Deus e beneficiam o próximo.” - Carolina


Santana

Bibliografia
Bíblia Sagrada - Várias Editoras
2 - Poder através da oração - E.M. Bounds (Batista Regular)
3 - Manual pastoral de discipulado - Richard Baxter (Cultura Cristã)
A missão do povo de Deus - Christopher J. H. Wrigth (Vida Nova)
Oficina de liderança cristã do TMR 2016 ABU ABC (Paulo Matias) e na oficina de mesmo nome do CR
2017 e ABU Day ABC 2017 (Derek Vieira)

Críticas, sugestões, dúvidas ou convites para um açaí:


Ingrid Santos - ingrid.sto@hotmail.com - (11) 98651.3246

Bases de fé
1) O que são bases de fé?
- Base: o que serve de apoio, de princípio, ou fundamento; superfície inferior de um corpo; parte de uma
construção que se firma imediatamente no solo; (música) nota fundamental, tônica; (matemática) número
invariável com que se define um sistema de numeração; (geometria) linha que sustenta as outras linhas da
figura.
- Fé, de acordo com a Bíblia: “Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não
vemos. Pois foi por meio dela que os antigos receberam bom testemunho. Pela fé entendemos que o universo
foi formado pela palavra de Deus, de modo que o que se vê não foi feito do que é visível.” Hb 11:1-3
20

- Fé, de acordo com o dicionário: Adesão absoluta do espírito àquilo que se considera verdadeiro;
sentimento de quem acredita em determinadas ideias ou princípios religiosos; Estado ou atitude de quem
acredita ou crê em algo.
“As bases de fé adotadas pela Comunidade Internacional dos Estudantes Evangélicos (IFES, na sigla em inglês) em
sua fundação em 1947, derivam-se de afirmações doutrinárias anteriores formuladas em meados do século XIX. Seu
propósito fora o de unir cristãos pertencentes a diferentes grupos para que continuassem firmes na doutrina dos
apóstolos. Assim, poderiam expressar sua fraternidade através de uma unidade de fé e promover a causa de Cristo no
mundo.” (Bürki 2017, p.43).

2) Porque foram adotadas as bases de fé?


As bases de fé remontam a meados do século XIX, surgindo na mesma época que os movimentos estudantis
de cristãos. Sua adoção pela IFES (ou CIEE) se dá pela sua importância na manutenção do caráter
missionário da organização e de seu testemunho cristão, considerando as dificuldades que outros
movimentos passaram nas décadas anteriores devido ao liberalismo teológico, como o exemplo da
Cambridge Inter-Collegiate Christian Union (CICCU), movimento estudantil cristão fundado em 1877 e
precursor da IFES:
“O grupo de Cambridge, ou seja, a CICCU, se evidenciou, com diversos grupos espalhados por toda a Inglaterra e
outros países, mantendo a fidelidade às doutrinas básicas da Bíblia, quando o movimento nacional dos estudantes
evangélicos, conhecidos como Student Christian Movement, membro da Federação Mundial de Estudantes Cristãos,
começou a demonstrar evidências do abandono das convicções evangélicas: no eclesiástico e litúrgico imitando o
católico, e no intelectual, os protestantes liberais. Paulatinamente os conservadores estavam sendo afastados, a Bíblia
sendo substituída pela Teologia Moderna, a oração sendo substituída pela liturgia formalista e quase morta. A
resistência de Cambridge, onde os estudantes questionavam essas tendências do Student Christian Movement, já era
articulada desde 1904. A CICCU nunca esteve vinculada significativamente ao movimento nacional (SCM); com
todos esses conflitos, o grupo de Cambridge se separou do movimento nacional britânico.” (Itioka, 1981, ps. 2B e
3A).

3) Quais são as bases de fé?


Para entender as bases de fé, é mais fácil entender primeiro o todo e depois cada uma delas separadamente,
pois estão interligadas e sua apresentação segue uma ordem lógica, expondo alguns dos principais pontos
da Bíblia:
• 1. O mistério de Deus em sua relação com o homem;
• 2. O rompimento dessa relação acontece com o pecado;
• 3. A revelação de Deus (Escrituras) para o homem após a queda com o pecado;
• 4. A salvação de Deus na restauração deste relacionamento rompido, através da encarnação, morte e
ressurreição de Cristo;
• 5. A presença renovadora de Deus no homem através do Espírito Santo;
• 6. A nova humanidade na comunhão de Cristo (Igreja);
• 7. Cumprimento final da vontade de Deus em sua relação com o homem, pela volta de Cristo.
É possível reduzir estas declarações a palavras-chave e suas relações entre si formam a base da
crença: Deus, Homem, Escrituras, Jesus, Espírito Santo; Igreja; Vinda de Cristo.
Porém, deve-se tomar cuidado com essas reduções, pois manipulá-las levou a acontecimentos como
o exemplo da Student Christian Movement. Vale-se lembrar a importância da atuação do Espírito Santo em
nós para compreensão das Escrituras. Somos dependentes de Deus para entender Seus ensinos e colocá-los
em prática, conforme veremos nas próprias bases.
Abaixo seguem cada uma das doze bases. Inúmeros trechos da Bíblia justificam a cada uma, ou
várias, mas alguns foram escolhidos para serem expostos aqui e mostrar a coerência das bases com os
ensinos bíblicos:
a) A existência de um só Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, um em essência e trino em pessoa;
“Ouça, ó Israel: O Senhor, o nosso Deus, é o único Senhor.” Dt 6:4
21

“Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só
Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos.” Ef 4:4-6
“A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vocês.” 2 Co 13:14
“...escolhidos de acordo com a pré-conhecimento de Deus Pai, pela obra santificadora do Espírito, para a obediência
a Jesus Cristo e a aspersão do seu sangue: Graça e paz lhes sejam multiplicadas.” 1 Pe 1:2
b) A soberania de Deus na criação, revelação, redenção e juízo final;
“"O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há é o Senhor do céu e da terra, e não habita em santuários feitos por
mãos humanas. Ele não é servido por mãos de homens, como se necessitasse de algo, porque ele mesmo dá a todos a vida, o
fôlego e as demais coisas. De um só fez ele todos os povos, para que povoassem toda a terra, tendo determinado os tempos
anteriormente estabelecidos e os lugares exatos em que deveriam habitar. Deus fez isso para que os homens o buscassem e
talvez, tateando, pudessem encontrá-lo, embora não esteja longe de cada um de nós. ‘Pois nele vivemos, nos movemos e
existimos’, como disseram alguns dos poetas de vocês: ‘Também somos descendência dele’. "Assim, visto que somos
descendência de Deus, não devemos pensar que a Divindade é semelhante a uma escultura de ouro, prata ou pedra, feita pela
arte e imaginação do homem. No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo
lugar, se arrependam. Pois estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou. E
deu provas disso a todos, ressuscitando-o dentre os mortos".” At 17: 24-31 (Rm 9:14-18; Rm 11:33-36)
c) A inspiração divina, veracidade e integridade da Bíblia, tal como revelada originalmente, e sua
suprema autoridade em matéria de fé e conduta;
“Antes de mais nada, saibam que nenhuma profecia da Escritura provém de interpretação pessoal, pois jamais a
profecia teve origem na vontade humana, mas homens falaram da parte de Deus, impelidos pelo Espírito Santo.” 2 Pe 1:20,21
“Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou pela graça de Cristo, para
seguirem outro evangelho que, na realidade, não é o evangelho. O que ocorre é que algumas pessoas os estão perturbando,
querendo perverter o evangelho de Cristo. Mas ainda que nós ou um anjo do céu pregue um evangelho diferente daquele que
lhes pregamos, que seja amaldiçoado!” Gl 1:6-8
“Quanto a você, porém, permaneça nas coisas que aprendeu e das quais tem convicção, pois você sabe de quem o
aprendeu. Porque desde criança você conhece as sagradas letras, que são capazes de torná-lo sábio para a salvação mediante
a fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a
instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.” 2 Tm 3: 14-17
d) A pecaminosidade universal e culpabilidade de todos os homens, desde a queda de Adão, pondo-
nos sob a ira e condenação de Deus;
“Portanto, a ira de Deus é revelada do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela
injustiça, pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Pois desde a criação do
mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos
por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis; porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram
como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e os seus corações insensatos se
obscureceram. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos e trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a
semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis. Por isso Deus os entregou à impureza sexual,
segundo os desejos pecaminosos dos seus corações, para a degradação dos seus corpos entre si. Trocaram a verdade de Deus
pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém.” Rm
1:18-25 (Gn 6:5,6)
e) A redenção da culpa, pena, domínio e corrupção do pecado, somente por meio da morte expiatória
do Senhor Jesus Cristo, o filho encarnado de Deus, nosso representante e substituto;
“Mas quando se manifestaram a bondade e o amor pelos homens da parte de Deus, nosso Salvador,
não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, ele nos salvou pelo lavar regenerador e
renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós generosamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador. Ele o fez a
fim de que, justificados por sua graça, nos tornemos seus herdeiros, tendo a esperança da vida eterna.” Tt 3:4-7 (Jo 3: 16,17)
f) A ressurreição corporal do Senhor Jesus Cristo e sua ascensão à direita de Deus Pai;
“Esse poder ele exerceu em Cristo, ressuscitando-o dos mortos e fazendo-o assentar-se à sua direita, nas regiões
celestiais, muito acima de todo governo e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que se possa mencionar, não apenas
nesta era, mas também na que há de vir.” Ef 1:20,21 (1 Co 15:12-19)
22

g) A missão pessoal do Espírito Santo no arrependimento, na regeneração e na santificação dos


cristãos;
“Mas eu lhes afirmo que é para o bem de vocês que eu vou. Se eu não for, o Conselheiro não virá para vocês; mas se
eu for, eu o enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo. Do pecado, porque os homens não
crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e vocês não me verão mais; e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está
condenado. "Tenho ainda muito que lhes dizer, mas vocês não o podem suportar agora. Mas quando o Espírito da verdade vier,
ele os guiará a toda a verdade. Não falará de si mesmo; falará apenas o que ouvir, e lhes anunciará o que está por vir. Ele me
glorificará, porque receberá do que é meu e o tornará conhecido a vocês. Tudo o que pertence ao Pai é meu. Por isso eu disse
que o Espírito receberá do que é meu e o tornará conhecido a vocês.” Jo 16:7-15
“Aspergirei água pura sobre vocês, e vocês ficarão puros; eu os purificarei de todas as suas impurezas e de todos os
seus ídolos. Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei
um coração de carne. Porei o meu Espírito em vocês e os levarei a agirem segundo os meus decretos e a obedecerem fielmente
às minhas leis. Vocês habitarão na terra que dei aos seus antepassados; vocês serão o meu povo, e eu serei o seu Deus.” Ez
36:25-28
h) A justificação do pecador somente pela graça de Deus, por meio da fé em Jesus Cristo;
“Mas agora se manifestou uma justiça que provém de Deus, independente da lei, da qual testemunham a Lei e os
Profetas, justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo para todos os que crêem. Não há distinção, pois todos pecaram e estão
destituídos da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.
Deus o ofereceu como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue, demonstrando a sua justiça. Em sua
tolerância, havia deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; mas, no presente, demonstrou a sua justiça, a fim de
ser justo e justificador daquele que tem fé em Jesus. Onde está, então, o motivo de vanglória? É excluído. Baseado em que
princípio? No da obediência à lei? Não, mas no princípio da fé. Pois sustentamos que o homem é justificado pela fé, independente
da obediência à lei.” Rm 3:21-28 (1 Pe 1:17-21)
i) A intercessão de Jesus Cristo, como único mediador entre Deus e os homens;
“Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.
Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por
nós.” Rm 8:33,34
“saibam os senhores e todo o povo de Israel que por meio do nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem os senhores
crucificaram, mas a quem Deus ressuscitou dos mortos, este homem está aí curado diante dos senhores. Este Jesus é ‘a pedra
que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular’. Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu
não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos".” At 4:10-12
j) A única igreja, santa e universal, que é o corpo de Cristo, à qual todos os cristãos verdadeiros
pertencem e que na terra se manifesta nas congregações locais;
“Mulheres, sujeitem-se a seus maridos, como ao Senhor, pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o
cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres
estejam em tudo sujeitas a seus maridos. Maridos, amem suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si
mesmo por ela para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, e apresentá-la a si mesmo como
igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. Da mesma forma, os maridos devem amar
as suas mulheres como a seus próprios corpos. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. Além do mais, ninguém jamais odiou o
seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo.” Ef
5:22-30 (1 Pe 2:9,10)
k) A certeza da segunda vinda do Senhor Jesus Cristo em corpo glorificado e a consumação do seu
reino naquela manifestação;
“"Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações se verão em angústia e perplexidade com o bramido
e a agitação do mar. Os homens desmaiarão de terror, apreensivos com o que estará sobrevindo ao mundo; e os poderes celestes
serão abalados. Então se verá o Filho do homem vindo numa nuvem com poder e grande glória. Quando começarem a acontecer
estas coisas, levantem-se e ergam a cabeça, porque estará próxima a redenção de vocês". Ele lhes contou esta parábola:
"Observem a figueira e todas as árvores. Quando elas brotam, vocês mesmos percebem e sabem que o verão está próximo. Assim
também, quando virem estas coisas acontecendo, saibam que o Reino de Deus está próximo.” Lc 21:25-28 (1 Ts 4:16,17)
l) A ressurreição dos mortos, a vida eterna dos salvos e a condenação eterna dos injustos.
23

“Pois, como já lhes disse repetidas vezes, e agora repito com lágrimas, há muitos que vivem como inimigos da cruz de
Cristo. Quanto a estes, o seu destino é a perdição, o seu deus é o estômago e têm orgulho do que é vergonhoso; eles só pensam
nas coisas terrenas. A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente um Salvador, o Senhor Jesus
Cristo. Pelo poder que o capacita a colocar todas as coisas debaixo do seu domínio, ele transformará os nossos corpos
humilhados, para serem semelhantes ao seu corpo glorioso.” Fp 3:18-21 (Ap 20: 11-15)

4) Por que ainda ter bases de fé?


O tema de nosso treinamento é “Cristo além de bandeiras, a sabedoria resiste à pós-verdade”. Nosso
mundo possuí fácil acesso à informação, mas isto não significa que toda ela é boa, útil ou verdadeira, e
muito menos a impede de moldar o pensamento de muitos e de tratar como relativo aquilo que não é. Estas
bases não são como credo ou confissão na definição mais restrita (declarações que afirmam e definem a
igreja cristã, para relembrar quem somos), mas um resumo de doutrinas no qual a ABUB e toda IFES está
firmada, devendo todas as suas práticas serem coerentes com elas. Cristo é o Senhor desta missão e cabe a
nós estar firmados em seus ensinos para que eles não se percam ou sejam deturpados nesse mar perigoso e
traiçoeiro de informações.

Referências Bibliográficas:
BÜRKI, Hans. Cremos. 2ed. São Paulo: ABU Editora, 2017, 55 p.
ITIOKA, Neuza. Encarnando a palavra libertadora. 1ed. São Paulo: ABU Editora, 1981, 103 p.
Quer conversar mais? - e-mail: rodrigoalmeriaragio@gmail.com/ Facebook: Rodrigo Ragio

ORAÇÃO

“Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e
perseverem na oração por todos os santos.” Efésios 06:18

Hora Bendita – 148 do Cantor Cristão

“Falar com Deus, que privilégio! Abrir a alma ao Criador, sentir que os céus estão abertos e ouvir a voz do Criador”
Falar com Deus – Novo Tom

 “Antes de falar com Deus, é preciso saber pra quem eu oro. Quem consegue responder, quem é vivo e
reina, é um só”
Antes de falar com Deus – Marcos Almeida
“Deus é a base da súplica que fazemos” ... “Sinceridade, honestidade, confiança. Como uma criança que procura o
pai” ... “Um ser humano finito entra em diálogo com o Criador do Universo, um ser infinito”
Celebração da Disciplina – Richard J. Foster
“A ti me achego com temor no coração. Pai, a ti eu agradeço por tão infinito amor, que recebe com carinho este
pobre pecador”
Oração – purples

 “A ocupação é inimiga da quietude, mas a quietude é essencial para o louvor”


Vença a fadiga espiritual – Paul Borthwick
“Hoje eu priorizo na agenda: o Espírito Santo, o Filho e o Pai”
Hoje – Gerson Borges
24

“Tenho que ficar a sós, tenho que calar a voz, tenho que folgar os nós.”
Se eu quiser falar com Deus – Gilberto Gil
“Volto ao início, à oração. Volto ao silêncio, à oração. Oração viva aqui dentro. Oração, o pulso, a pulsação. Oração,
pão , alimento; sentido, significação. Oração, Jesus presente, bem aqui do lado a me amar; até cabe a mim a fala,
mas, essencialmente, é escutar”
O pulso, a pulsação – Gerson Borges

 “Somos treinados para autonomia [na vida], mas Cristo nos chama para dependência”
“Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento” Colossenses 02:03
“E dou de cara com a solidão nas curvas dessa falta de oração. Orar pedindo transformação; ajoelhar-se, molhar a
face e sem disfarce afirmar quem é, pedir mudanças em si pecador, ajoelhado aos pés do Senhor”
No chão das coisas – Gerson Borges
“Meu silêncio, meu vazio, já não nego, mas insisto: me dá teu amor. Todo erro que é velado trago em confissão,
essa rixa com meus vícios, já não nego”
Minha oração – Hélvio Sodré
“Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável” Salmos 51:10

 “A oração envolve um processo de aprendizagem”


Celebração da disciplina – Richard J. Foster
“Quero aprender a orar sem pressa em meio à pressa dos homens, ir ao contrário da corrente louca. Quero mais,
mas da presença de Deus. Solidária, minh’alma me diz: quero orar como eu nunca quis. Quebrantado, o meu peito
me diz: quero orar como eu nunca fiz”
Quero aprender a orar – Gerson Borges
“Eu lhes darei um coração capaz de conhecer-me e de saber que eu sou o Senhor. Serão o meu povo e eu serei o
seu Deus, pois eles de voltarão para mim de todo o coração” Jeremias 24:07

“Eu quero escutar e aprender. Ensina-me a pedir, te escutar, te conhecer. Ensina-me a orar com ou sem vontade”
Ensina-me a orar – Gerson Borges
“Dediquem-se à oração” Colossenses 04:02

Dúvidas, quer conversar, um sorvete, QUER ORAR? Chama no probleminha:


96323-7965 / face: Gemima Jac / gemima_jj@hotmail.com