Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO

Disciplina: Ecologia (ANI0014 -1200052)

Professor Renan de Souza Rezende

ALUNO:
ESTUDO DIRIGIDO:
a) A sazonalidade é um evento de pouca modificação na estrutura dos
ecossistemas, que ocorre numa escala geológica. (F )

b) Fator limitante é qualquer condição ou recurso dentro dos limites de tolerância


de um organismo. ( F )

c) Cascata trófica é definida como a ausência de efeito que um nível trófico exerce
em demais níveis tróficos através de um nível trófico intermediário. (F)

d) Existe uma tendência em aumentar a diversidade com o aumento da latitude em


ecossistemas. (F)

e) A produtividade primária líquida no oceano aberto é comparável à de florestas


tropicais. (F)

f) O fluxo de energia é bidirecional, enquanto os elementos ciclam entre os


compartimentos bióticos e abióticos. (F )

g) As comunidades não apresentam uma faixa de tolerância a variações em seu


ambiente físico e químico, enquanto os seus indivíduos, dentro desta população,
respondem diferenciadamente aos fatores que estão sujeitos. ( F )

h) A deciduidade das florestas temperadas é um evento não sazonal. (F )

i) Em geral, os invertebrados são os principais organismos responsáveis pela


decomposição de detritos foliares nos ecossistemas, levando-se a biomassa em
consideração. ( V )

j) A transferência de energia entre os níveis tróficos é um processo que ocorre sem


perdas energéticas. ( F )

k) O único mecanismo que os organismos produtores possuem para a assimilação


de energia é a fotossíntese. (F )

l) Produção primária bruta em vegetais é a quantidade total de energia fixada pela


fotossíntese descontada a respiração. ( V )

m) A produção secundária não é afetada diretamente pela produção primária. ( F )

n) A lei do mínimo de Leibig caracteriza os primeiros níveis tróficos. ( V )

o) A lei de tolerância de Shelford não indica os limites máximos de nutriente que


os organismos podem viver sem estresse. ( F )
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO
Disciplina: Ecologia (ANI0014 -1200052)

Professor Renan de Souza Rezende

p) A biomassa e qualidade energética dos herbívoros é invariavelmente menor do


que a das plantas, consumidas por eles. ( F )

q) A eficiência de produção de ectotermos é menor do que a de endotermos, que


gastam energia na manutenção da temperatura corporal. ( F )

r) A eficiência de assimilação em herbívoros é maior que em carnívoros, pois a


proteína é mais facilmente digerida que a celulose e lignina. ( F )

s) A energia e os nutrientes seguem o mesmo caminho, têm a mesma origem e


destino ao longo das cadeias alimentares. ( F )
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO
Disciplina: Ecologia (ANI0014 -1200052)

Professor Renan de Souza Rezende

Questão 1 – Defina comunidade e caracterize o conceito HOLÍSITICO e


INDIVIDUALISTA de comunidade, indicando qual cientista propôs ambos os
conceitos.

Uma comunidade é uma associação de populações interagindo.

Holístico: Unidade de organização ecológica com fronteiras definidas, cuja estrutura e


funcionamento são regulados pelas interações entre as espécies, proposto por Clements;

Individualista: Associação fortuita de espécies, cujas adaptações e requisitos as


capacitavam a viverem juntas sob condições físicas e biológicas de um determinado
lugar, proposto por Gleason.

Questão 2 - Cite e conceitue TODOS os atributos (propriedades emergentes) de


comunidade ecológica.

Diversidade: é uma medida que combina tanto o número de espécies (riqueza), quanto
suas abundâncias relativas comparadas umas as outras (equabilidade das espécies).

Riqueza de espécies: é a determinação de todas as espécies de interesse na comunidade


delimitada.

Equabilidade de espécies: diz respeito à existência de espécies comuns ou raras, requer


conhecer a abundância (número, biomassa, percentual de cobertura, etc.) de cada
espécie em relação às outras espécies dentro da comunidade.

Questão 3 - Defina diversidade alfa, beta e gama.

Alfa: diversidade local, número de espécies numa pequena área de habitat homogêneo.

Beta: substituição nas espécies de um habitat para outro. Quanto maior a diferença de
espécies entre os habitats, maior a diversidade beta.

Gama: diversidade regional, número total de espécies observado em todos os habitats


dentro de uma área geográfica, sem barreiras significativas para a dispersão dos
organismos.

Questão 4 - Defina hotspots de diversidade e cite quais/onde são os localizados no


Brasil.

Área de alta biodiversidade e ameaçada no mais alto grau. Mata Atlântica e Cerrado.

Questão 5 – Cite e exemplifique pelos menos 5 padrões de biodiversidade global.

Comunidade biológica: conjunto de espécies que ocorrem em um mesmo lugar,


conectados uns aos outros por suas relações de alimentação e outras interações. As
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO
Disciplina: Ecologia (ANI0014 -1200052)

Professor Renan de Souza Rezende

inter-relações dentro das comunidades governam o fluxo de energia e a reciclagem


de alimentos dentro do ecossistema; também influenciam os processos
populacionais e, ao fazer isso, determinam as abundâncias relativas das espécies.

As comunidades são caracterizadas em termos do número de espécies presentes,


suas abundâncias relativas, sua organização em guildas (conjuntos de espécies com
habitats de alimentação semelhantes) e teias alimentares retratando relações de
alimentação entre as espécies.

Uma das medidas mais simples e reveladoras da estrutura de uma comunidade é o


número de espécies que ela inclui. Esta medida é freqüentemente denominada
riqueza de espécies. Entretanto nem todas as espécies vão contribuir igualmente
para a estimativa da diversidade total, porque seus papéis funcionais numa
comunidade variam em proporção à sua abundância total. Assim, quando a
contribuição de cada espécie é ponderada por sua abundância relativa (nº de
indivíduos numa amostra), obtemos índices de diversidade.

A diversidade tem componentes regionais e locais: a diversidade pode ser medida


em diversos níveis espaciais. A diversidade local (ou diversidade alfa) é o número
de espécies numa pequena área de hábitat homogêneo. A diversidade local é
sensível a como se delimitam os habitats e ao esforço amostral.

A diversidade regional (ou diversidade gama) é o número total de espécies


observado em todos os habitats dentro de uma área geográfica, que não inclui
fronteiras significativas para a dispersão de organismos. Assim, a maneira com que
definimos uma região depende de quais organismos estamos considerando.

Se todas as espécies ocorressem em todos os habitats dentro de uma região, as


diversidades local e regional seriam iguais. Contudo se cada habitat tivesse uma
única flora e fauna, a diversidade regional seria igual à soma das diversidades locais
de todos os habitats da região. A diferença ou substituição de espécies de um habitat
para o outro dentro da mesma região, é considerada a diversidade beta. Qto maior a
diferença nas espécies entre os habitats, maior a diversidade beta.

A diversidade beta é calculada pelo número de habitats dentro de uma região


dividido pelo número de habitats ocupados por espécies. Assim a diversidade
regional é igual a diversidade local multiplicada pela diversidade beta. Ex.:

Ilha de St. Lucia nas West Indies  9 habitats com uma média de 15,2 espécies
(diversidade local). Cada espécie ocupava em média 4,15 dos 9 habitats, assim temos:

Diversidade beta  9 habitats/4,15 habitats ocupados = 2,17

Diversidade regional (nº de aves observada em todos os habitats)  15,2 espécies x


2,17 = aproximadamente 33 espécies.
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO
Disciplina: Ecologia (ANI0014 -1200052)

Professor Renan de Souza Rezende

Questão 6 – Conceitue extinção local, biológica e ecológica.

Local: desaparece de um local mais ainda persiste na natureza em outros locais.

Biológica: não persiste na natureza.

Ecológica: ainda persiste na natureza, mas em número pequeno e incapaz de executar


sua função ecológica.

Questão 7 – Conceitue espécies nativas, exóticas e chaves.

Nativa: natural de um determinado ecossistema ou região.

Exótica: é uma espécie que não habita seu local natural, normalmente tendo sido
introduzidas ao lugar pela ação do homem.

Chaves: espécie cujo impacto na sua comunidade ou ecossistema é


desproporcionalmente grande relativamente à sua abundância, ou seja, desempenha
papel vital.

Questão 8 – Conceitue teias de Conectividade, Fluxo de Energia e Funcionais.

Conectividade: Realçam as relações de alimentação entre as espécies.

Fluxo de Energia: Representam o ponto de vista ecossistêmico, no qual as conexões


entre as espécies são codificadas pelo fluxo de energia entre um recurso e seu
consumidor.

Funcionais: Reflete a influência de determinadas espécies sobre as taxas de crescimento


de populações de outras espécies, mostrando a importância de cada espécie em manter a
integridade da comunidade.

Questão 9 – Cascata trófica descendente e ascendente.

Descendente: um predador afeta um nível trófico basal através do consumo direto de um


nível trófico intermediário.

Ascendente: quando um nível trófico na base da cadeia trófica afeta de forma indireta
um nível trófico superior.

Questão 10 - Defina e exemplifique resiliência e resistência ecológica.

Resiliência: velocidade com a qual a comunidade volta ao seu estado original após um
distúrbio.

Resistência: descreve a capacidade inicial da comunidade de evitar o deslocamento por


uma perturbação.
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO
Disciplina: Ecologia (ANI0014 -1200052)

Professor Renan de Souza Rezende

Questão 11 – Explique a figura a baixo.

1º Baixa estabilidade Local e baixa estabilidade global;

2° Alta estabilidade local e baixa estabilidade global;

3° Baixa estabilidade local e Alta estabilidade global;

4° Baixa estabilidade local e baixa estabilidade global.

Questão 12 – Defina e exemplifique 3 modelos conceituais da sucessão ecológica

Facilitação: Espécie aumenta a probabilidade de uma segunda espécie se estabelecer em


determinado local.

Inibição: Determinadas espécies impedem o estabelecimento local de outras (reduzindo


os recursos).

Tolerância: É caracterizada pela capacidade de dispersão e tolerância às condições


físicas do ambiente.

Questão 13 – Defina e exemplifique sucessão primaria e secundária.

Primária: ocorre em sistemas novos ou sem legado biológico. Inicia-se com a


colonização do substrato por microrganismos e lenta formação de solo. Ex: bactérias e
musgos numa ilha vulcânica recém-formada.
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO
Disciplina: Ecologia (ANI0014 -1200052)

Professor Renan de Souza Rezende

Secundária: ocorre em sistemas com legado biológico após os distúrbios (ex. fogo,
furacões, extração de madeira e agricultura). Ex: reflorestamento de uma área atingida
por um alagamento ou pela erupção de um vulcão.

Questão 14 – Defina e exemplifique a hipótese da razão de recursos de Tilman.

Esta hipótese tem dois processos principais: a competição inter-específica por recursos e
o padrão de longevidade para suprimento de recursos limitados no tempo, chamado pelo
autor de trajetória de suprimento de recursos. A hipótese “razão de recursos” prediz que,
quando nutrientes estão disponíveis em pequena quantidade no início da sucessão, a
competição por eles é mais importante que a competição pela luz.

Questão 15 – Defina e exemplifique o mecanismo de "mortalidade compensatória" de


Jansen.

De acordo com essa hipótese, os herbívoros, patógenos ou outros inimigos naturais


específicos do hospedeiro (muitas vezes denominados predadores) tornam as áreas
próxima a uma árvore mãe (árvore produtora de sementes) inóspita para a sobrevivência
de mudas. Esses inimigos naturais são chamados de predadores a distância se matarem
as sementes ou mudas perto da árvore mãe, ou predadores dependentes da densidade se
matarem as sementes ou mudas onde elas são mais abundantes (o que geralmente está
perto da árvore mãe). De maneira resumida, perto da planta mãe, haverá alta predação e
baixa disponibilidade de nutrientes, enquanto que longe haverá pouca predação e baixa
competição.

Questão 16 – Defina e explique os 3 conceitos de clímax.

Clímax Climático: Fatores físicos dominantes que determinam suas composições de


espécies (Ex. fogo).

Clímax transitório: Decorrente de mudanças sazonais extremas.

Clímax cíclico: Espécie A só germina sob a espécie B, a espécie B só germina sob C, e


a C só sob a A.

Questão 17 – Defina e explique os tipos de clímax-padrão.

Proposta por Whittaker em 1953:

Esta teoria reconhece um padrão regional aberto de comunidades clímax, onde a


composição de qualquer uma das localidades depende das condições particulares de
cada ponto.
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO
Disciplina: Ecologia (ANI0014 -1200052)

Professor Renan de Souza Rezende

– Continuum- De acordo com este conceito, dentro de hábitats amplamente definidos,


como florestas, campos ou estuários, as populações de plantas e animais substituem-se
umas às outras ao longo de gradientes de condições físicas. (Ricklefs, 2003, p. 374)

– Análise de Gradientes- Ela consistia em uma continuidade de tipos de clímax,


variando gradualmente ao longo de gradientes ambientais e não necessariamente
separáveis em unidades discretas de climaxes.

– Comunidades Clímax abertas- cuja composição em qualquer localidade depende dad


condições ambientais particulares daquele ponto.

Questão 18 – Quais são os 3 fatores que regulam a decomposição?

Fatores químicos( água,ar,lignina,detrito,pH), físicos(Temperatura,turbides e vazão ) e


biológicos ( Invertebrados e Microorganismos).

Questão 19 – A figura abaixo mostra a concentração de nutrientes (mg L-1), em relação


ao tempo, na água de um córrego que passa dentro de uma floresta intacta e na água de
um córrego que passa em uma região desmatada, na floresta experimental de Hubard
Brook, EUA. As setas mostram o momento do desmatamento. (4,0)

a. Qual foi o objetivo do trabalho? b. Explique os resultados obtidos.


UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO
Disciplina: Ecologia (ANI0014 -1200052)

Professor Renan de Souza Rezende

a) Mostrar concentração de nutrientes (mg L-1), em relação ao tempo, na água de


um córrego que passa dentro de uma floresta intacta e na água de um córrego
que passa em uma região desmatada, na floresta experimental de Hubard Brook,
EUA.
b) Nas três experiências realizadas, sempre a concentração de nutrientes no córrego
que passa por dentro da floresta desmatada foi muito maior que no da floresta
intacta. Esse resultado foi obtido pela grande quantidade de matéria orgânica
presente no solo e que esses nutrientes derivados da matéria escorrem para o
córrego graças as chuvas, sendo essa matéria orgânica derivada do
desmatamento da mesma.

Questão 20 – Explique o caminho da energia através do nível trófico

a- Ingestão
b- Excreção
c- Assimilação
d- Respiração
e- Crescimento

A energia entra no ecossistema como energia luminosa e é degradada em calor; Os


nutrientes circulam indefinidamente, convertidos da forma inorgânica na forma orgânica
e de volta novamente.
A Energia é ingerida , excretado a parte que não continha nutrientes para serem
aproveitados, assimilado os nutrientes que se aproveitam e divididos para a respiração e
o crescimento do individuo. A energia fica disponível para o próximo nível em menor
quantidade devido o organismo ter consumido uma parcela de energia.

a e
c