Você está na página 1de 33

CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

Mestre Jigoro Kano (1860-1938)

Nascido em 28 de outubro de 1860, em Mikage, distrito de Hyogo, filho de


Jirosaku Maresiba Kano, Jigoro Kano com apenas onze anos de idade transferiu-se
para Kioto para estudar o idioma inglês, então indispensável para o progresso em
qualquer sentido e que, possibilitou mais tarde tornar-se professor e tradutor dessa
língua e ainda, montar sua própria escola em Tóquio, o Kodokan.
Galgou um a um os degraus da Escala Imperial Japonesa, chegando ao segundo
grau após sua morte, ocorrida em 4 de maio de 1938, portanto, com 77 anos de
idade, quando voltava do Cairo onde participou da Assembléia Geral do Comitê
Internacional dos Jogos Olímpicos.
Era de baixa estatura, medindo 1,50 metro e seu peso, proporcional a altura,
não ia além de 50 quilos. Aos dezessete anos, teve o seu primeiro professor, mestre
Fukuda, da escola Coração de Salgueiro, depois, mestre Iso, e ainda Iikugo. Buscou
conhecimento também em outras escolas, para tanto estudando com rara
persistência, o que lhe permitiu um pouco mais tarde formar um conjunto de técnicas,
regras e princípios que viriam a se constituir o Judô que hoje conhecemos.
Jigoro Kano, fundador do Judô, decidiu praticar a arte do JuJitsu, e teve como
mestre Tenosuke Yagui e Machinosoke Fukuda, herdando seus conhecimentos de
grande importância para o aperfeiçoamento do Judô, eliminando os golpes mais
lesivos (socos e pontapés), pois a finalidade era a de formar cidadãos pacíficos.
Em 1882, aos 22 anos Jigoro Kano funda o seu próprio Dojô, nas instalações do
templo budista Eishosi, em Tókio, foi denominado de Kodokan (Escola para o Estudo
da Vida). Ele começou com apenas nove alunos em um dojô de doze tatames. Em
poucos anos, o Judô do Kodokan foi reconhecido como sendo excelente uma vez que
seus alunos superaram os atletas do jiu-jitsu no Campeonato Policial Bujitsu.Este foi
de fato o primeiro degrau para um rápido progresso futuro.
O termo Judô é composto por dois ideogramas, o JU que significa agilidade, não
resistência, suavidade e o DÔ que significa via, caminho meio ou modo, como filosofia
de vida. Os ensinamentos máximos deixados pelo mestre estão gravados em duas
frases: "Seiryoku Zenyo" (O melhor uso da energia) e "Jita Kyoei" (Prosperidade e
benefício mútuo). Avançando com a organização do Kodokan e formulando as normas
do Judô, ele tornou-se o primeiro membro Asiático do Comitê Olímpico Internacional
em1909 e trabalhou para a difusão do Judô por todo o mundo. O Judô tornou-se uma

1
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
modalidade oficial nos Jogos Olímpicos de 1964, apoiado pelos fãns do Judô e
promotores esportivos de todo o mundo. No Brasil tem-se notícia que o Judô foi
introduzido no Pará através da imigração do Conde Koma e a partir daí difundiu-se até
os dias de hoje.
“Judô“, que é hoje praticado em muitos países do mundo, é o mesmo Judô do
Kodokan, criado em 1882 pelo Prof. Jigoro Kano. Está escrito claramente no “Artigo
1”. dos estatutos da Federação Internacional de Judô (FIJ): “A FIJ reconhece o ‘Judô’
que foi criado por Jigoro Kano”.
O Judô se diferencia de outras artes de luta e de outras escolas porque com
suas técnicas, normas e filosofia se tornam um esporte por excelência, diferenciando-
se de outros esportes que tem meta puramente superficiais e restritas.
O praticante do judô (judoca) que o pratica com seriedade se torna possuidor
de um equilíbrio de valores, que vão muitos além, do que aos olhos de um leigo possa
aparentar.
Não estão perfeitamente em consonância com os princípios do judô, aqueles
que buscam a vitória momentânea, porque não é a vitória o principal e único objetivo
do judô, como pensam alguns campeões, que não entendem ainda a essência das
metas do judô, são campeões, apenas isso, faltam-lhe ser judocas e não
simplesmente lutadores. Quando exaurirem-se-lhes as forças e a agilidade, não terão
nada para mostrar ou ensinar se tornarão fatalmente maus professores.
Segundo as próprias palavras do Dr. Kano, "... deveria haver um principio em
particular sobre todos os demais, que governaria todas as atividades do homem. Esse
princípio seria o maior e o mais eficiente uso do intelecto, aliado à energia física,
visando a realização de um propósito ou meta definida. Uma vez que se compreenda
o verdadeiro significado deste princípio, pode-se aplicá-lo em todas as fases e
atividades da vida, contribuindo assim para uma vida mais elevada e racional”.

Por que os Nossos Filhos Aprendem Judô?

Acostumamo-nos a ouvir, desde que iniciamos a prática do Judô, as mais


diversas respostas à pergunta: Por que meu filho deve aprender Judô?
Há respostas que podemos considerar honestas, como há as desprovidas de
consistência e sem sinceridade. Há professores que apresentam o Judô como
milagroso e capaz de, em curto prazo de tempo, livrar a criança de complexos,
tornando-as criaturas diferentes das demais, invencíveis, superinteligentes, e até
próximas da perfeição.
Inegavelmente, o Judô, como qualquer esporte, orientado criteriosamente,
apresentará resultados surpreendentes na educação do adolescente. Puro engano,
porém em se iludir que esses resultados serão imediatos, apesar de que, em alguns
casos, apareçam num período relativamente pequeno.
A formação da personalidade da criança sofre uma grande influência do meio
em que vive, principalmente dos pais, que são os que mais perto a exercem.

2
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
São eles, na sua ansiedade de corrigir possíveis defeitos psicológicos dos filhos,
que os apresentam nos clubes ou escolas de Judô, como crianças tímidas,
complexadas e sem espírito combativo, ou, de modo contrário, de gênio violento,
irascíveis e temperamentais.
Realmente, o ser humano nessa fase de sua evolução, ainda não se encontrou.
A sua alma, o seu ego, a sua personalidade sob qualquer título que se apresente
encontra-se embrionada e localizada bem no seu interior, na dependência de que algo
a desperte e faça com que se desenvolva e, aí então, se conduza e se oriente de
modo positivo e benéfico à sociedade.
O Judô apresenta-se como instrumento que contribui para localizar esse
embrião: uns mais cedo, outros mais demoradamente, conforme o estado em que se
apresente. Não temos dúvidas, porém, em afirmar o êxito desses resultados.
Exemplificando a criança do gênio violento, geralmente procura com isto
encobrir a sua covardia e, praticando o Judô, sofrerá inicialmente, um verdadeiro
impacto ao verificar que não é invencível e que outras crianças a dominam, ao
contrário, os tímidos descobrirão que podem competir em igualdade de condições com
os considerados "valentes".
Assim, por um verdadeiro processo evolutivo, todos vão se redescobrindo, até que se
localize a semente de sua personalidade, para que, então, se passe a cuidá-la com
carinho, regando-a, alimentando-a, protegendo-a e mantendo-a viva e saudável.

"O ESPÍRITO UNO E INDIVISÍVEL, ADAPTA-SE A DEZ MIL CIRCUNTÂNCIAS”.

“É muito melhor arriscar coisas grandiosas”,


Alcançar triunfos e glórias, mesmo expondo-se à derrota.
Do que tomar fila com os pobres de espírito que nem gozam muito nem
sofrem muito,
Porque vivem nessa penumbra cinzenta
Que não conhece vitória nem derrota.

AS FAIXAS
De acordo com os níveis de graduação dos judoístas, as faixas terão as seguintes cores:

KYUS (graduações inferiores)


FAIXA COR NOME
Branca Principiante
Cinza Hiti-Kyu
Azul Roku-Kyu
Amarela Gô-Kyu

Laranja Shi-Kyu

Verde San-Kyu

3
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
Roxa Ni-Kyu

Marrom Iti-Kyu

DAN (graduação superior)


Preta 1º Dan Shodan

Preta 2º Dan Nidan

Preta 3º Dan Sandan

Preta 4º Dan Yondan

Preta 5º Dan Godan

Preta 6º Dan Rokudan

Preta 7º Dan Hitidan

Preta 8º Dan Hatidan

Preta 9º Dan Shodan

Preta 10º Dan Dyudan

Como Adentrar no DOJÔ

O praticante ao adentrar no DOJÔ (local de prática do Judô) é obrigado a ter uniforme


limpo, pés descalços, saudar o local onde vai treinar.

Saudação

É uma demonstração de cortesia e de respeito mútuo e o judoca executa-a nas


seguintes circunstâncias:
Antes de adentrar no Dojô, e ao abandoná-lo, na beirada do tatame.
Diante do Mestre ou do Kandji (assistente), antes de começar o treinamento e no fim,
ao despedir-se.
Antes e depois de cada Randori. Em todos estes casos, a saudação se faz de pé:
"RITSUREI".
A saudação de cerimônia é o "ZAREI" (sentado) que precede o término de uma aula,
de um kata.

A saudação deve ser sempre feita com convicção e seriedade.

4
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
Joseki

É o local onde ficam autoridades e jurados. É costume ter uma fotografia do Mestre
Jigoro Kano e ainda um altar. O judoca ao adentrar no dojô olha para a foto do
Mestre, e faz uma referência de pé.

Dicionário

Aqui estão traduções para o Português, de diversos termos Japoneses usados nos dia-
a-dia do Judô.
- DOJÔ – Academia (Salão de Concentração)
- JÔ-SEKI – Lugar onde se sentam as autoridades (ao lado do altar)
- REI-HÔ – Saudação ( Maneira de Cumprimento)
- REI – Cumprimento
- MOKUSÔ – Meditação (Fechar os olhos e manter silêncio)
- ZA-REI – Cumprimento ajoelhado
- RITSU-REI – Cumprimento em pé
- SHI-HAN – Mestre
- SENSEI – Professor
- SEITÔ – Aluno
- DÔO-HAI – Colegas
- NINTAI – Perseverança (paciência)
- DORYOKU – Esforço (empenho)
- HISSHYÔ – Ei de vencer
- KATANÁ – Espada
- DAITÔO – Espada Maior
- SHÔOTÔO – Espada Menor
- TANTÔO – Punhal
- BOKKEN – Espada de Madeira
- TÊ – GATANÁ – Mão usada como Espada
- HÔOTYÔO – Faca
- HASSAMI – Tesoura
- TANJYÚ –Revolver
- TOKEI – Relógio
- TAIMU-DOKEI – Cronômetro
- JIKAN – Horário (ou horas)
- FUN – Minutos
- BYÔO – Segundos
- SEMPAI – Superiores (Classe)
- KÔ –HAI – Inferiores (Classe)
- ANATA – Senhor (ou Senhora)
- KIMI – Você
- WATAKUSHI – Eu
- BOKU – Eu (Masculino)
- OHAYÔ-GOZAIMASU – Bom Dia

5
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
- KON-NITI-WA – Boa Tarde
- KON-BAN-WA – Boa Noite
- SAYONARA – Até Logo
- GOMEM (SHIKKEI) – Perdão, desculpe-me
- GOMEN-KUDASSAI – Com licença
- ONEGAI-SHIMASU – Por Favor
- ARIGATÔ-GOZAIMASU – Obrigado
- SUMIMASEN – Perdão
- HATÁ – Bandeira
- KOKKI – Bandeira Nacional
- AKÁ – Vermelho
- SHIRÔ – Branco
- AÔ – Azul
- KII – Amarelo
- MIDORI – Verde
- MURASAKI – Roxo
- TYAIRÔ – Marrom
- ORENJI – Laranja
- KURÔ – Preto
- SENSHU-KEN – Campeonato
- SEKAI – Mundial
- KOKUSAI – Internacional
- NAMBEI – Pan americano
- ZENKOKU – Nacional
- KEN – Estadual
- CHI – Capital
- GUN – Município
- MURÁ – Bairro
- KUIKI –Distrito
- KIAI –Grito
- ATAMÁ = Cabeça.
- KAMI = Cabelo.
- MIMI = Orelha.
- HANÁ = Nariz.
- MÊ = Olho.
- MAYGUÊ = Sobrancelha.
- MATSUGUÊ = Cílios.
- KUTI = Boca.
- HÁ = Há.
- AGÓ = Queixo.
- KUBI = Pescoço.
- NODÔ = Garganta.
- KAO = Rosto.
- HITAI = Testa.
- KATÁ = Ombro.

6
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
- UDÊ = Braço.
- HIDI = Cotovelo.
- TÊ-KUBI = Pulso.
- KOBUSHI = Punho.
- TÊ-NO-KÔ = Dorso da Mão.
- TÊ = Mão.
- YUBI = Dedo.
- TSUMÊ = Unha.
- DÔO = Tronco.
- KOSHI = Quadris.
- MOMÔ = Cocha.
- WAKI = Axila.
- TAI = Corpo.
- HIZÁ = Joelho.
- KAKATO = Calcanhar.
- SUNÊ = Canela.
- KIBISU = Calcanhar.
- AKILES = Tendão de Aquiles.
- ASHI = Pé.
- ASHI = Perna.
- KURUBUSHI = Tornozelo.
- ASHI-NO-URA = Sola do Pé.
- ASHI-NO-YUBI = Dedo do Pé.
- ASHI-NO-KÔ = Dorso do Pé.
- KARADÁ = Corpo.
- HARÁ = Ventre.

OBJETOS DO JUDÔ:
- TATAMI = Acolchoado.
- ZÔRI = Chinelo.
- JUDOGUI = Roupa de Judô.
- OBI = Faixa
- ZUBON (SHITABAKI) = Calça
- HIMÔ = Fio
- ERI = Gola
- NAKAERI = Meio da Gola
- OKU – ERI = Fundo da Gola
- USHIRO – ERI = Atrás da Gola
- MON – DONKORÔ = 10 cm abaixo da gola
- UÊ = Acima
- SHITÁ = Abaixo
- KAMI = Acima
- SHIMÔ = Abaixo
- GYAKU= Contrário
- KESSA = Ângulo

7
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
- NIGUIRI = Apertar
- KÔ-TAI = Trocar de Adversário
- KIKEN = Desistência
- SHISÔO = Quatro Lados
- ZEMPÔ = Parte Frontal

TREINAMENTO:

1 - UTIKOMI-RENSHU = Treinamento de Técnicas


2 - KATA(KIHON-RENSHU) = Treinamento de Base
3 - RANDORI (JIYÚ-RENSHU) = Treino Livre
4 - KANGUEIKO = Treino de Inverno
5 - SHOTSUGUEIKO = Treino de Verão
6 - HARI-SOKE-GUEIKO = Ataque Combinado
7 - HYAPPON-GUEIKO = Treinamento com Queda
8 - SHIAI-GUEIKO = Treinamento de Disputa
9 - RENRAKU-RENKA-WASA = Técnica de Seqüência
10 – KAESHI-WAZA = Contra-Ataque

COMPETIÇÃO:
1 – TAIKAI = Campeonato.
2 – SHIAI-JO = Área de Competição.
3 – SHIN-PAN-HÔ = Arbitragem
4 – SHIN-PAN-IN = Árbitros
5 – SHUSHIN = Árbitros Central
6 – FUKUSHIN = Árbitros Lateral
7 – HAJIMÊ = Iniciar
8 – SOREMADÊ = Terminar
9 – MATÊ = Pare
10 – SONO-MAM A = Pare do Jeito que está
11 – YOSHI = Continuar
12 – OSAE-KOMI = Comando de Imobilização
13 – TOKETA = Comando de Desmobilização
14 – IPPON = Pontuação Completa
15 – WAZA-ARI = Meio Ponto
16 – YUKO = Um quarto de Ponto
17 – KOKÁ = Um oitavo de Ponto
18 – HANSOKU-MAKE = Penalidade Máxima (desclassificação)
19 – KEIKOKU = Penalidade (meioponto) igual a Waza-Ari
20 – CHUI = Penalidade (um quarto de ponto) igual a Yukô
21 – SHIDÔ = Penalidade (um oitavo de ponto) igual a Koká
22 – FUSEN-GÁTI = Vitória sem Adversário (ausência)
23 – SÔGO-GÁTI = Vitória a ponto somado.
24 – KIKEN-GATI = Vitória em desistência.

8
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
OUTROS TERMOS:
1 – KUZUSHI = Desequilíbrio
2 – TSUKURI = Preparo
3 – KAKÊ = Projeção (Executar)
4 – MIGUI = Direita
5 – HIDARI = Esquerda
6 - OMOTÊ = Frente
7 – URA = Atrás
8 – UTSUBUSSE = Bruço
9 – YUTSU-BAI = De quatro
10 – SANKAKU = Triângulo
11 – JU-JI = Cruzado
12 – TORI = Ataque (no caso de defesa pessoal, será contrário)
13 – UKE = Defesa (no caso de defesa pessoal, será contrário)
14 – MOROTE = Duas Mãos
15 – RYO-TÊ = Duas Mãos
16 – KATA-TÊ = Uma Mão
17 – WIKI = Puchada
18 – SHIBORI = Apertar (torcer)
19 – SEISHIN = Espírito
20 – SHIN-SHIN = Espírito e Físico (corpo)

NÚMEROS:

O estudante de Judô, que se preocupa seriamente em progredir, deverá manter o


corpo nas melhores condições físicas e mentais.

1-Iti. 11- Dyu-iti 21- Ni-dyu-iti


2- Ni. 12- Dyu-ni. 22- Ni-dyu-ni.
3- San. 13- Dyu-san 23- Ni-dyu-san.
4- Shi. 14- Dyu-shi 24- Ni-dyu-shi.
5- Gô. 15- Dyu-gô. 25- Ni-dyu-gô.
6- Roku. 16- Dyu-roku. 26- Ni-dyu-roku.
7-Shiti . . 17- Dyu-hiti. 27- Ni-dyu-hiti.
8- Rati. 18- Dyu-rati. 28- Ni-dyu-rati
9-Kyiu. 19- Dyu-kyu.
10- Dyu 20- Ni-dyu

.
.
.

9
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
CONDIÇÃO FÍSICA:

Prática freqüente da respiração profunda e da hidroterapia. Evitar todos os excessos


na alimentação, o abuso de bebidas alcoólicas, do fumo, pois sempre são prejudiciais.
Procurar manter-se constantemente em forma correta e moderar o corpo.
Eis alguns conselhos, que se dirigem particularmente aos iniciantes, e que a
experiência prova-nos serem de grande utilidade.
Não esgote completamente suas forças; conserve o domínio de si mesmo.
Respire, pelas narinas, de modo completo.
Mantenha o corpo ereto, tanto em pé como sentado.
Não pratique o Judô antes que uma hora pelo menos se tenha passado após uma
refeição.
Não comece os exercícios sem antes fazer todas as necessidades fisiológicas; a
inobservância desta regra poderá acarretar graves conseqüências.
As unhas das mãos e dos pés devem estar suficientemente curtas para não ferir o
parceiro ou a si mesmo.
Tome uma ducha quente após o treinamento.

CONDIÇÕES MENTAIS:

Controle das paixões prejudiciais, pois elas poderão restringir ou alienar a liberdade
do seu espírito e do seu corpo. Não se deixe dominar. O Judô ajudará a desenvolver o
poder de sua vontade.
Cultive a cortesia, a benevolência, a moderação no linguajar, particularmente no Dojô.
Seja sempre sincero, justo, esportivo.
Nas palavras ou nos atos, procure não lesar nunca a dignidade do homem, nem
atentar contra a liberdade de espírito e de consciência de quem quer que seja.
Uma intimidade baseada na estima recíproca deve substituir toda a familiaridade ou
camaradagem excessiva.
A nobreza do coração, característica do homem completo estampa-se nas atitudes, no
olhar e nas palavras.

Os Princípios do Judô

SEIRYOKU - ZEN -YO - MÁXIMA EFICIÊNCIA COM MÍNIMO ESFORÇO


JITA - KYOEI - BEM ESTAR E BENEFÍCIO MÚTUO

De que vale um físico perfeito, uma inteligência brilhante, mas uma moral de
"sarjeta”?
Como é natural a pessoa procurarem com bons professores (nas escolas,
faculdades, aulas de pintura, etc.), O judô também deve ser praticado sob o controle
de professores qualificados.

10
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
Lamentavelmente nem todos se conscientizam. Como é natural a pessoa
procurarem com bons professores (nas escolas, destes valores, nem todos os
professores educam seus alunos dentro destes princípios que nos propôs jigoro kano.
Há quem considere isto uma bobagem. Esses são indignos de serem chamados
de esportistas, muitos menos de judocas).
Assim, são muitos campeões que passaram longe da essência. Foram
campeões, mas apenas isso.
Apenas força física. Faltou o mais importante, ser judoca e não apenas um
lutador. No amanhã desses atletas, quando lhes faltar à força e a agilidade, nada
terão feito para mostrar, para ensinar. Vem daí alguns péssimos professores que
encontramos, explorando de maneira imprudente.
Assim, profundamente preocupado com o rumo que o judô vem tomando, quando
academias que deixam de competir por motivos políticos, quando o cavalheirismo
deixa de existir, pelas rixas e disputas antidesportivas.
Sendo parte fundamental do judô, a disciplina, respeito e fraternidade, não
podemos de maneira nenhuma, deixar que venha a ser quebrada essa linha de
conduta, pois tornaria o judô um esporte como outro qualquer.
E para que isso não aconteça e não se torne vulgar, é necessário o exemplo dos
professores que devem exigir de seus alunos a verdadeira disciplina do judô.

FILOSOFIAS DO JUDÔ
- O tatame é o mundo
- O judogui o metal
- A faixa é à vontade
- O hara é a fé
- Segurar é soltar
- A atenção é a consciência
- O adversário é nós mesmos;
- A arte é cultivada, mas a essência do Judô é a doutrina.
- Perfeito nunca, mas sempre suscetível de perfeição, o Judô é fonte inesgotável de
alegria e de progresso humano;
- Devemos fazer do mundo o nosso dojô e conduzirmos no mundo como em cima do
tatame, sabendo que o mestre em nosso interior está sempre observando. E o
objetivo nos dois casos é o mesmo: Conduzir com elegância;

- O corpo é uma arma cuja eficácia depende da precisão com que a usa a inteligência:
- O espírito de tolerância e de justiça, assim como os domínios de si mesmo, são as
características básicas do bom judoca:
- Perfeito nunca, mas sempre suscetível de perfeição, o Judô é fonte inesgotável de
alegria e de progresso humano;
- Ceder para vencer;
- A única vitória que perdura é a que se conquista sobre a própria ignorância;
- Nas águas do rio da vida, chega mais longe quem nada como deve, quando deve e
até onde deve;

11
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
- A franqueza é susceptível; a ignorância é rancorosa; o saber e a força dão
compreensão; aquele que compreende, perdoa;
- Conhecer-se é dominar-se. Dominar-se é triunfar;
- Quem teme perder, já está vencido;
- Somente se aproximam da perfeição, quem a procura com constância, sabedoria e,
sobretudo com humildade;
- Quando verificares, com tristeza, que não sabes nada, terás feito o seu primeiro
progresso no aprendizado;
- Nunca te orgulhes de ter vencido a um adversário; ao que venceste hoje, poderá
derrotar-te amanhã;
- O judoca não se aperfeiçoa para lutar, luta para se aperfeiçoar;
- Saber cada dia um pouco mais e usá-los todos os dias para o bem, esse é o caminho
dos verdadeiros judocas;
- Praticar Judô é ensinar a inteligência a pensar com velocidade e exatidão, bem como
a obedecer com justeza.
- O corpo é uma arma cuja eficiência depende da precisão com que se usa a
inteligência;

"O Shiai não é nem um fim em si, nem um divertimento, mas um meio de treinamento.
Qualquer que seja o resultado, vitória ou derrota, deve ser considerado como matéria de
experiência para o estudo, um passo para alcançar os degraus do progresso. Nós, os judocas,
não devem nos exceder no zelo, por fanatismo e espírito de competição; isto transformaria um
esporte agradável e sem defeitos num conflito perigoso, denominado ‘competição de Judô’. É
nosso dever, portanto, desencorajar a vulgaridade ruidosa de um entusiasmo exagerado.
Essa advertência não é apenas do interesse do Judô e dos judocas, mas serve para reverenciar
a memória sempre respeitada de seu fundador, o saudoso Professor e Mestre Jigoro KANO”.

PARA PRATICAR O JUDÔ DEVEMOS OBEDECER PRINCIPALMENTE AS


SEGUINTES REGRAS:
- Manter seu judogui limpo.
- Esta sempre calçada ao sair do Dojô.
- Conservar seus cabelos, barbas e unhas aparadas;
- O caminho para o judoca: DISCIPLINA; RESPEITO; EDUCAÇÃO e
DESENVOLVIMENTO DE FORÇA FÍSICA E TÉCNICA.
- Respeitar os superiores e os colegas.
- Cumprimentar corretamente ao entrar e sair do Dojô, o SENSEI e os seus colegas
para treino.
- Manter silêncio no Dojô.
- Ajoelhar em ordem, quando da chegada do professor.
- Estar atento as instruções do professor.
- Sentar-se corretamente no tatame.
- Não beber água durante as aulas.
- Sair durante as aulas somente em casos de extrema necessidade,com a devida
permissão do professor.

- Conservar o Dojô sempre limpo.

12
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
- Não treinar em outras academias sem a autorização do professor.

PROGRAMA PARA FAIXA AMARELA


O candidato à faixa Amarela terá que atender as condições básicas:
Ter 8 (oito) anos de idade e 6 (seis) meses como faixa azul e apresentar
habilidades técnicas especificas.

Saudação (Rei - Hô)


Tatirei (em pé) e Zarei (ajoelhado)

Postura (SHIZEI)
SHIZEN - HONTAI: postura natural.
MIGUI - SHIZENTAI: postura natural direita.
HIDARI - SHIZENTAI: postura natural esquerda.
JIGO - HONTAI: postura defensiva.
MIGUI - JIGÔ - HONTAI: postura defensiva direita.
HIDARI - JIGÔ - HONTAI: postura defensiva esquerda.

Deslocamento sobre o dojô (SHINTAI)


AYUMI - ASHI: passo normal
TSIGUI - ASHI: passo especial (emendado)
SURI - ASHI: passo normal (arrastado)

Movimento em giro de corpo (TAI - SABAKI)


MAE - SABAKI (Frente)
MAE - MIGUI - MAWARE - SABAKI: giro à frente (direita)
MAE - HIDARI - MAWARE - SABAKI: giro à frente (esquerda)
USHIRO - SABAKI (Costa, atrás)
USHIRO - SABAKI - MIGUI - MAWARE - SABAKI: giro para trás (direito)
USHIRO - SABAKI - HIDARI - MAWARE - SABAKI: giro para trás (esquerdo)

Em lado que seguramos o judogui do adversário (KUMI - KATA)


MIGUI - NO - KUMI - KATA: pegada de direita.
HIDARI - NO - KUMI - KATA: pegada de esquerda.

Formas de desequilíbrio pelos oitos lados (KUZUSHI - KATA)


KUZUSHI (desequilíbrios)
MAE-KUZUSHI (desequilíbrio para frente)
USHIRO-KUZUSHI (desequilíbrio para trás)
YOKO-MIGUI-KUZUSHI (desequilíbrio para o lado direito)
YOKO-HIDARI-KUZUSHI (desequilíbrio para o lado esquerdo)
MAE-SUMI-MIGUI-KUZUSHI (desequilíbrio para a diagonal dianteira direita)
MAE-SUMI-HIDARI-KUZUSHI (desequilíbrio para a diagonal dianteira esquerda)
USHIRO-SUMI-MIGUI-KUZUSHI (desequilíbrio para a diagonal traseira direita)
USHIRO –SUMI –HIDARI -KUZUSHI (desequilíbrio para a diagonal traseira esquerda)

13
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

FORMAS DE DESEQUÍBRIO PELOS OITOS LADOS

UKEMIS ---->> ROLAMENTOS E QUEDAS (Técnicas de


amortecimento)
MIGI DIREITA
HIDARI ESQUERDA

TÊ UCHI BATIDA DE
UKEMI MÃOS

ZEMPÔ QUEDA FRONTAL


KAITEM COM
UKEMI ROLAMENTO

14
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
YOKÔ QUEDA LATERAL
UKEMI
SOKOHÔ
UKEMI

USHIRO QUEDA PARA


UKEMI TRÁS
KOHÔ
UKEMI

MAE UKEMI QUEDA FRONTAL

15
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
NAGUE-WAZA
Técnicas de projeção demonstração prática.

1.De-ashi-harai 2. Hiza-guruma 3. Sasae-tsurikomiashi 4. Uki-goshi

5. O-soto-gari 6. O-goshi 7. Ouchi-gari 8. Ippon-seoi-nage

9. Morote-seoi-nage

16
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
OSSAE-KOMI-WAZA
Técnica de domínio no solo.

1.Hon-Kessa-Gatame 2. Kuzure-Kessa- 3. Makura-Kessa-


Gatame Gatame

4. Ushiho-Kessa-Gatame 5. Kata-Gatame

MATERIA DO JUDÔ

1- Quem foi o fundador do JUDÔ?


R - O professor JIGORO KANO que em 15 de fevereiro de l882 fundou o instituto
KODOKAN em Tóquio.

2- O que é JUDOGUI?
R - É a vestimenta com que se pratica o judô, compões-se de três peças:
Paletó (WAGUI), Calça (SHITABAKI) e Faixa (OBI).

3- O que é Postura?
R - É a Posição correta para a prática do judô, existindo dois tipos: Natural (SHIZEI-
TAI) e defensiva (JIGO-TAI).

4- O que é Saudação?
R - É uma demonstração de cortesia e respeito mútuo que se realiza nas seguintes
circunstâncias: Ao entrar e sair do DOJO, para cumprimentar o MESTRE, antes e
depois de cada HANDORI ou SHIAI.

5- O que é UKEMI?

17
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
R - É o exercício educativo de quedas que visa a capacidade do praticante a cair
controlando seu corpo para com isso evitar traumatismo (exercício de queda e
rolamento).

6- O que são KUMI -KATA?


R - São as diferentes formas de segurar o judogui do oponente.

7- O que é DOJO?
R - É uma sala ou uma área forrada com tatames para a pratica do judô.

8- Como se divide o Judô?


R - Se divide em três partes:
NAGE -WAZA – Parte que trata das projeções
KATAME- WAZA- Parte que trata das lutas no chão.
ATEMI- WAZA- Pancadarias em pontos vitais – Defesa Pessoal (não faz parte do Judô
esportivo)

FAIXA LARANJA

O candidato à faixa Laranja, terá que atender as condições básicas:


Ter (nove) anos de idade e 6(seis) meses de carência como faixa amarela e
apresentar habilidades especificas.

Todos os requisitos no exame da faixa anterior e mais;

NAGUE-WAZA se dividem em:

- TACHI-WAZA - Quando o executante ao projetar o oponente permanece em pé.


- SUTEMI-WAZA - Quando o executante ao projetar sacrifica a posição de pé
deitando-se no solo.

O TACHI-WAZA - Divide-se em três partes:

a) TE -WAZA - Quando a parte mais utilizada é o braço ou a mão;


b) KOSHI -WAZA- Quando a parte principal usada é o quadril;
c) ASHI -WAZA- Quando a parte principal utilizada é a perna ou o pé.

O SUTEMI-WAZA - Conforme o praticante se deita no solo de costa ou de lado, as


técnicas de sacrifícios se dividem em:

MA –SUEMI -WAZA - Quando o executante se deita de costa para


projetar o oponente;
YOKO -SUTEMI-WAZA- Quando o executante se deita de lado para projetar o
oponente.

18
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

KATAME -WAZA se dividem em:


- OSSAE -WAZA – Técnicas de imobilizar o adversário no solo.
- SHIME -WAZA- Técnicas de estrangular o adversário.
- KANSETSU -WAZA- Técnicas de aplicação de chaves de braços no
oponente.
NAGUE-WAZA – (Faixa Laranja)
Técnicas de projeção demonstração prática.

1.Kosoto-gari 2.Kouchi-gari 3.Koshi-guruma 4.Tsurikomi-goshi

5.Okuri-ashi-harai 6.Tai-otoshi 7.Harai-goshi 8.Uchi-mata

OSSAE –KOMI –(Faixa Laranja)


Técnicas de domínio no solo

1.KAMI – SHIHO – 2.TATE – SHIHO – 3.YOKO - SHIHO – GATAME


GATAME GATAME

19
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

4.KUZURE – TATE – 5.KUZURE – KAMI – 6.KUZURE – YOKO –


SHIHO – GATAME SHIHO – GATAME SHIHO – GATAME

SHIME – WAZA
Técnica de domínio de Estrangulamento

1.Nami-juji-jime 2.Kata-juji-jime 3.Gyaku-juji-jime

Demonstração de ataques combinados (RENRAKU - HENKA - WAZA)

1. KO - UTI - GARI / O - UTI – GARI


2. UTI - MATA / KO - UTI - GARI
3. DE - ASHI - HARAI / O - SOTO - GARI
4. SASSAE - TUSURI - KOINI - ASHI / O - SOTO – GARI

Demonstração de contra-ataques (KAESHI - WAZA)

1. O - SOTO - GARI / O - SOTO - GARI


2. DE - ASHI - HARAI - TSUBAME - GAESHI
3. DE - ASHI - HARAI / TAI – OTOSHI
4. UTI - MATA / TAI – OTOSHI

FAIXA VERDE

O candidato a exame a faixa verde terá que atender as condições básicas:

20
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
Ter 10(dez) anos de idade e no máximo 12 meses como faixa laranja e habilidades
técnicas especificam.

Todos os requisitos no exame da faixa anterior e mais;


Princípios de Arbitragem.

ÁRBITROS E OFICIAIS

Geralmente, o combate será dirigido por um árbitro e dois juizes, sob a supervisão da
Comissão de Arbitragem. O árbitro e os juizes serão auxiliados pelos cronômetristas e
membros da mesa de prova.
O árbitro deverá fazer os gestos a seguir indicados quando tomar as seguintes
decisões:

REGRAS
SINAIS DO ÁRBITRO E JUIZES
• ORDEM DE COMEÇAR
Sinal Verbal: HAJIME
Sinal de braço: NENHUM
Implicações: Esta ordem é dada para começar ou prosseguir a competição.
• ORDEM DE PARAR
Sinal Verbal: MATÊ
Sinal de braço: O braço estendido com a palma da mão
voltada para fora. (A ordem pára tanto a disputa quanto o
tempo de competição)
Implicações: É dada quando um dos participantes sai da área
de disputa, comete uma infração, precisa arrumar o judogui
ou no caso de ferimento.

• DECLARAÇÃO DE PONTO
Sinal Verbal: IPPON
Sinal de braço: Levanta-se o braço direito esticado. Este sinal
é
dado na hora que é feito o ponto.
Implicação: Anuncia quando um arremesso foi executado com
força suficiente, deixando o oponente deitado de costas no
chão; também é conferido por manter o oponente deitado de
costas por 25 segundos; submissão devido à sufocação ou
chave de braço; por ganhar com dois meio-pontos (Wazari), e
/ou combinação com excessivas infrações.

21
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
• DECLARAÇÃO DE MEIO PONTO
Sinal Verbal: WAZARI
Sinal de braço: O braço direito levantado formando um ângulo
de 90º com os dedos juntos, palma virada para baixo, paralela
ao chão. Este sinal é feito quando se ganha meio-ponto (por
qualquer método).
Implicação: Quando o arremesso não constitui um IPPON ou
quando o oponente foi mantido no chão de 20 a 24 segundos.

• VITÓRIA POR COMBINAÇÃO


Sinal verbal: Wazari-awasete-ippon
Sinal de braço: O braço direito levantado formando um ângulo
de 90º com os dedos juntos, palma virada para baixo, paralela
ao chão e em seguida traga para frente e levante com a palma
estendida para cima. Este sinal é feito quando se ganha um
ponto por combinação de técnicas

• DECLARAÇÃO DE CONTROLE (de um oponente


sobre o outro)
Sinal Verbal: OSSAEKOMI
Sinal de braço: O braço é estendido para baixo num ângulo de
30º em direção aos lutadores; palma virada para baixo, dedos
estendidos com o corpo ligeiramente inclinado para frente.
Implicação: Dado quando um dos lutadores assegurou um
golpe; o oponente está caído de costas e a pessoa que está
dando o golpe tem as pernas livres.

• DECLARAÇÃO DE QUEBRA DE CONTROLE


Sinal Verbal: OSSAEKOMI TOKETA
Sinal de braço: Braço levantado na mesma posição da
declaração de controle, mas o polegar fica levantado e o braço
é
balançado de um lado para outro várias vezes.
Implicação: O controle foi perdido pelo atacante.

• ORDEM PARA PARAR A LUTA NO CHÃO


Sinal Verbal: SONOMAMA
Sinal de braço: Ambos os braços estarão estendidos e tocam
os lutadores indicando que nenhum deles deve mover-se.
Implicação: A ordem MATE é normalmente usada quando os
lutadores estão em pé; este sinal é comumente usado quando
ambos os lutadores não têm seus pés no chão: Para indicar
infrações, verificar se houve ferimentos ou arrumar o judogui.
E também quando os lutadores saem da área de competição e
a disputa no chão não progride.

22
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
• DECLARAÇÃO DE ENGANO NA CONCESSÃO
Sinal Verbal: NENHUM
Sinal de braço: Enquanto o sinal relativo ao ponto considerado
errado é dado com um braço, o outro braço é agitado várias
vezes sobre a cabeça.
Implicação: Os dois juizes de canto podem achar que um
ponto foi dado incorretamente.

• EMPATE (MORTE SÚBITA)


Sinal Verbal:HAJIME
Sinal de braço: NENHUM
Quando a luta for empate, os lutadores recomeçaram a luta, e
quem fizer o primeiro ponte vence.

• DESIGNAÇÃO DO LUTADOR GANHADOR


Sinal Verbal: YUSEI-GACHI
Sinal de braço: Quando ambos os lutadores e o árbitro estão
em
seus devidos lugares, o árbitro levanta o braço ao lado do
vencedor num ângulo de 135º.

• ATRIBUIR UMA PENALIDADE


Sinal Verbal: (Shido, , Hansoku-make): aponta em direção do
competidor com o indicador estendido e a mão
fechada.

• INDICAR FALTA DE COMBATIVIDADE


Sinal verbal nenhum (somente quando indicar a falta)
Sinal de braço: Com as mais na frente do corpo, fazer um
círculo entre elas.
• ARRUMAR O JUDOGUI
Sinal verbal: nenhum
Sinal de braço: junte as mãos diagonal entre elas

• PEDIDO DE EXAME MÉDICO.


Sinal verbal: nenhum
Sinal de braço: com um braço indica o judoca com a outra
mostra para mesa de oficiais indicando o primeiro
atendimento.

OS JUIZES LATERAIS

I. DENTRO: para indicar que considera que o competidor que está a realizar uma
técnica de projeção tenha permanecido dentro da área de combate, o juiz levantará
uma mão no ar e baixá-la-á à altura do ombro com o polegar para cima e o braço

23
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
estendido no prolongamento da linha limite da zona de combate, mantendo-se nessa
posição por alguns momentos.

II. FORA: para indicar que na sua opinião um dos competidores saiu da zona de
combate, o juiz levantará uma das mãos à altura do ombro com o polegar para cima e
braço estendido ao longo da linha limite da zona de combate e movê-la á da direita
para a esquerda ou vice-versa, várias vezes.

III. NÃO VÁLIDO: para indicar que na sua opinião, um resultado, penalização ou
opinião dada pelo árbitro de acordo com não é válido, o juiz levantará a sua mão
acima da cabeça e movê-la-á da direita para a esquerda duas ou três vezes.

IV. Para indicar que a sua opinião difere da do árbitro, o juiz fará um dos gestos do

V. MATTE EM NE-WAZA: quando os juizes desejam que o árbitro anuncie Mate em


situação de Ne-waza (por exemplo, não progressão), devem efetuar um gesto,
levantando ambas as mãos à altura dos ombros com as palmas viradas para cima.

TEMPO DE OSAE-KOMI

• Ippon: total de 25 segundos.


• Wazari: 20 segundos ou mais, mas menos do que 25 segundos.
• Yuko: 15 segundos ou mais, mas menos do que 20 segundos.

FIM DO COMBATE

O árbitro deverá anunciar Soremade e terminará o combate:


• Quando um competidor marca Ippon ou Wazari-awasete-ippon
• Em caso de Sogo-gashi (vitória por abandono)
• Em caso de Fusen-gashi (vitória por ausência) ou Kiken-gashi (vitória por
combinação)
• Em caso de Hansoku-make
• Quando um competidor não pode continuar devido a uma lesão

24
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
• Quando o tempo geral do combate tenha expirado. Após o árbitro ter
anunciado Soremade, os competidores deverão regressar às posições
iniciais.

Atos proibidos e castigos correspondentes:

ShidoI é atribuído a qualquer competidor que tenha cometido uma infração ligeira.

Shido II é atribuído a qualquer competidor que tenha cometido uma infração séria
(ou que já tenha sido penalizado com Shido e volte a cometer uma infração ligeira).

Shido III é aplicado a qualquer competidor que tenha cometido uma infração grave
(ou que tenha sido penalizado com Shido II e volte a cometer uma infração ligeira ou
séria).

Hansoku-make é aplicado a qualquer competidor que tenha cometido


uma infração muito grave (ou que tenha já sido penalizado com Shido III e volte
a cometer uma infração de qualquer tipo).

NAGUE-WAZA
Técnicas de projeção demonstração prática.

1.Kosoto-gake 2.Tsuri-goshi 3.Yoko-otoshi 4.Ashi-guruma

5.Hane-goshi 6.Haraitsurikomi-ashi 7.Tomoe-nage 8.Kata-guruma

25
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

9.Sode-tsuri-komigoshi 10.Seoi-otoshi

OSSAE-KOMI
Técnicas de domínio no solo:

1. Kata-ossae-gatame

SHIME –WAZA
Técnicas de estrangulamento:

26
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

1.Hadaka-jime 2.Kataha-jime 3.Okuri-eri-jime

KANSETSU WAZA
Técnicas de chave de braço:

1.Ude-hishigi- 2. Ude-hishigi Ude 3. Ude-garame 1,2 4. Ude-garame 3


jujigatame gatame

Demonstração de ataques combinados (RENRAKU - HENKA - WAZA)


1. DE - ASHI - HARAI / TAI – OTOSHI
2. IPON - SEOI - NAGUE / KO - UTI – GAKE
3. HIZA - GURUMA / KO - UTI – GARI
4. O - UTI - GARI / KO - UTI – GARI
5. IPON - SEOI - NAGUE / KO - UTI - MAKI – KOMI

Demonstração de contra-ataques (KAESHI - WAZA)


1. DE - ASHI - HARAI / KO - UTI – GARI
2. SASSAE - TSURI - KOMI - ASHI / O - UTI – GARI
3. O - UTI - GARI / KO - SOTO – GARI
4. KO - UTI - GARI / SASSAE - TSURI - KOMI – ASHI

27
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

FAIXA ROXA

O candidato a exame a faixa verde terá que atender as condições básicas:


Ter 12(doze) anos de idade e no máximo 12 meses como faixa verde e habilidades
técnicas especificam.
Todos os requisitos no exame da faixa anterior e mais.

NAGUE-WAZA
Técnicas de projeção demonstração prática.

1.Sumi-gaeshi 2.Tani-otoshi 3.Hane-makikomi 4.Sukui-nage

5.Utsuri-goshi 6.O-guruma 7.Soto-makikomi 8.Uki-otoshi

9.Ko-uchi-maki-komi 10.Te-guruma

28
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

OSSAE-KOMI completo e mais;

SHIME – WAZA
Técnicas de estrangulamento.

1.Tsukomi-jime 2.Sankaku-jime 3.Ushiho-jime

KANSETSU-WAZA
Técnicas de chave de braço.

1.Hiza-gatame 2.Gyaku-juji 3.Waki-gatame

Demonstração de ataques combinados RENRAKU - HENKA – WAZA

1. DE - ASHI - HARAI / TAI – OTOSHI


2. IPON - SEOI - NAGUE / KO - UTI – GAKE
3. HIZA - GURUMA / KO - UTI – GARI
4. O - UTI - GARI / KO - UTI – GARI
5. IPON - SEOI - NAGUE / KO - UTI - MAKI – KOMI
6. KATA GURUMA / KO UCHI MAKI KOMI

29
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
7.O- UCHI -GARI / UCHI –MATA
8. O -SOTO -GURUMA / TAI- OTOSHI

Demonstração de contra-ataques - KAESHI – WAZA

1. UTI - MATA / TE - GURUMA


2. O - UTI - GARI / UKI - WAZA
3. KATA - GURUMA / TAWARA - GAESHI
4. HANE - GOSHI / TANI - OTOSHI
5. O - SOTO - GARI / TE - GURUMA
6. TAI - OTOSHI / YOKO – GURUMA

FAIXA MARROM
O candidato a exame a faixa MARROM terá que atender as condições básicas:
Ter 14(quatorze) anos de idade e no mínimo 12 meses como faixa roxa e habilidades
técnicas especifica.
Todos os requisitos no exame da faixa anterior e mais.

NAGUE-WAZA
Técnicas de projeção demonstração prática.

1.O-soto- 2.Uki-waza 3.Yoko-wakare 4.Yoko-guruma


guruma

5.Ushiro-goshi 6.Ura-nage 7.Sumi-otoshi 8.Yoko-gake

30
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

9.Morote-gari 10.Tawara-gaeshi

SHIME -WAZA
Técnicas de Estrangulamento demonstração pratica

1.Sode-guruma-jime 2.Ryote-jime

KANSETSU –WAZA
Técnica de Chave de braço demonstração pratica.

31
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN

1.Hara-gatame

Demonstração de ataques combinados (RENRAKU - HENKA - WAZA)

1. DE - ASHI - HARAI / KO - UTI - GARI


2. HIZA - GURUMA / O - SOTO - GARI
3. O - SOTO - GARI / O - SOTO -
GAESHI
4. HARAI - GOSHI / O - SOTO - GARI
5. UTI - MATA / O - UTI – GARI
6. KO UCHI GARI / KO UCHIKI TAOSHI
7. KO UCHI GARI / SEIO OTOSHI
8. HIZA GURUMA / O SOTO GARI
9. UCHI MATA / O UCHI GARI
10. HARAI GOSHI / O SOTO GARI

Demonstração de contra-ataques (KAESHI - WAZA)

1. UTI - MATA / TE - GURUMA


2. O - UTI - GARI / UKI - WAZA
3. KATA - GURUMA / TAWARA - GAESHI
4. HANE - GOSHI / TANI – OTOSHI
5. O - SOTO - GARI / TE - GURUMA
6. TAI - OTOSHI / YOKO – GURUMA
7. O SOTO GARI / O SOTO GURUMA
8. KOSHI GURUMA / UTSURI GOSHI

KAESHI WAZA RENKAKU HENKA WAZA


ATAQUE CONTRA ATAQUE PROJEÇÃO 1 PROJEÇÃO 2

32
CLUBE

SEISHIN
SENSEI Fábio Lins – 3 DAN SENSEI Adriano Lins – 3 DAN SENSEI Jadir Oliveira – 3 DAN
KOSHI GURUMA USHIRO GOSHI DE ASHI HARAI O SOTO GARI
TAI OTOSHI O SOTO GARI DE ASHI HARAI TAI OTOSHI
KO SOTO GAKE UCHI MATA DE ASHI HARAI KO UCHI GARI
TSURI KOMI GOSHI USHIRO GOSHI DE ASHI HARAI HARAI GOSHI
UCHI MATA TE GURUMA KO UCHI GARI O UCHI GARI
SASAE TSURI KOMI UCHI MATA KO UCHI GARI HANE GOSHI
ASHI
HARAI GOSHI TE GURUMA KO UCHI GARI KO UCHIKI TAOSHI
O SOTO GARI O SOTO GURUMA KO UCHI GARI SEIO OTOSHI
UKI GOSHI USHIRO GOSHI HIZA GURUMA KO UCHI GARI
SASAE TSURI KOMI KO SOTO GAKE HIZA GURUMA O SOTO GARI
ASHI
KOSHI GURUMA UTSURI GOSHI UCHI MATA KO UCHI GARI
KO UCHI GARI TOMOE NAGUE UCHI MATA O UCHI GARI
DE ASHI HARAI HANE GOSHI O UCHI GARI TAI OTOSHI
TSURI KOMI GOSHI UTSURI GOSHI O UCHI GARI KO UCHI GARI
IPPON SEOI NAGUE TAI OTOSH O UCHI GARI TAI OTOSHI
O SOTO GARI O SOTO OTOSHI IPPON SEIO KO UCHI MAKI KOMI
NAGUE
HANE GOSHI TE GURUMA IPPON SEIO KATA GURUMA
NAGUE
UCHI MATA TAI OTOSHI HARAI GOSHI O SOTO GARI
UKI GOSHI UTSURI GOSHI SASAE TSURI O SOTO GARI
KOMI ASHI
O UCHI GARI TOMOE NAGUE KATA GURUMA KO UCHI MAKI KOMI

33

Interesses relacionados