Você está na página 1de 3

Paulo Modesto

Coordenador

Nova organização
administrativa brasileira
ESTUDOS SOBRE A PROPOSTA DA COMISSÃO DE
ESPECIALISTAS CONSTITUÍDA PELO GOVERNO FEDERAL
PARA REFORMA DA
ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA BRASILEIRA

Apresentação
Paulo Bernardo

Introdução
Luiz Carlos Bresser-Pereira

Autores
Almiro do Couto e Silva
Carlos Ari Sundfeld
Fernando Luiz Abrucio
Floriano de Azevedo Marques Neto
Humberto Falcão Martins
Luiz Arnaldo Pereira da Cunha Júnior
Maria Coeli Simões Pires
Maria Sylvia Zanella Di Pietro
Paulo Modesto
Sergio de Andréa Ferreira

Área específica:
Direito administrativo, administração pública, organização 346 páginas
administrativa ISBN 978-85-7700-270-2
Formato: 17x24 cm
Áreas afins:
Gestão pública, ciência política,
http://www.editoraforum.com.br/loja
reforma do Estado, legislação brasileira

“Este livro apresenta os fundamentos teóricos e doutrinários e as abordagens e questões que pontuaram o notável
trabalho oferecido ao debate nacional pela comissão de juristas, autores dos artigos dessa coletânea coordenada
pelo professor Paulo Modesto.
Trata-se do Anteprojeto de Lei Orgânica da Administração Pública Federal e Entes de Colaboração, proposta
destinada a servir de referência para a consolidação do novo desenho institucional emergente na administração
pública brasileira. A divulgação dessa proposta e sua discussão pública, que já estão em andamento, deverão preparar
o caminho para seu encaminhamento ao Legislativo”
(Paulo Bernardo - Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão do Brasil).

“O trabalho realizado pelos sete eminentes administrativistas (Almiro do Couto e Silva, Carlos Ari Sundfeld, Floriano
de Azevedo Marques Neto, Maria Coeli Simões Pires, Maria Sylvia Zanella Di Pietro, Paulo Modesto e Sérgio de Andréa
Ferreira) é admirável porque é um belo exercício de racionalidade legislativa. E, principalmente, porque esse trabalho
disciplina e organiza a realidade da administração pública brasileira sem violentá-la, respeitando as formas de organização
e as práticas administrativas existentes. O anteprojeto é inovador; é mais do que uma lei orgânica porque amplia o escopo
de sua regulamentação para entidades paraestatais (tão mal reguladas) e principalmente para as entidades de colaboração
com o poder público, ou seja, para as organizações públicas não-estatais, que vêm se tornando tão importantes para a
transformação do velho Estado liberal efetivo em um Estado também social e eficiente”
(Luiz Carlos Bresser-Pereira - Ex-Ministro da Administração Federal e Reforma do Estado do Brasil).
“A proposta de reformulação da organização administrativa brasileira, ora proposta por juristas reunidos pelo
Ministério do Planejamento, é de suma importância para o Estado brasileiro. Ela poderá consagrar três princípios
fundamentais da gestão pública contemporânea: maior clareza e desburocratização de funções das unidades
administrativas, em contraste com o atual cipoal burocrático, típico do formalismo; maior flexibilidade e agilidade
na provisão dos serviços públicos, em contraposição à estrutura extremamente rígida e homogeneizadora definida
pela Constituição de 1988; além do reforço e melhoria dos mecanismos de controle, tornando-os mais vinculados
à busca por resultados e ao escrutínio social”
(Fernando Abrucio, Professor, Pesquisador e Coordenador do Mestrado e Doutorado em Administração Pública
e Governo da FGV-SP).

“Diversidade (de formas organizacionais, incluindo-se parcerias) e autonomia regulada de forma inteligente (e
sobretudo vinculada à resultados) são requisitos de desempenho da governança contemporânea. Este Anteprojeto
está absolutamente alinhado com estes requisitos. Oxalá os debates e tramitações legislativas mantenham suas
características originais. Este novo marco proposto nos permitirá inaugurar um novo e promissor momento na
história da nossa administração pública”

(Humberto Falcão Martins - Consultor em Gestão, Ex-Secretário de Gestão do Ministério do Planejamento,


Orçamento e Gestão).

Paulo Modesto
Professor de Direito Administrativo da Universidade Federal da Bahia. Presidente do Instituto Brasileiro de Direito
Público. Vice-Presidente da Academia de Letras Jurídicas da Bahia. Membro do Conselho de Pesquisadores do Instituto
Internacional de Estudos de Direito do Estado e Membro ativo do Instituto Brasileiro de Direito Administrativo. É
ainda Conselheiro Técnico da Sociedade Brasileira de Direito Público, Fundador e Vice-Presidente do Instituto de
Direito Administrativo da Bahia e Diretor-Geral da Revista Brasileira de Direito Público (RBDP), publicada pela
Editora Fórum.
É Membro do Ministério Público da Bahia, tendo ocupado o cargo de Assessor Jurídico Legislativo da Procuradoria-
Geral de Justiça e exercido funções junto ao Tribunal de Contas do Estado. Foi também Consultor Jurídico e
Assessor Especial do Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado do Brasil durante o debate sobre a
reforma administrativa (Emenda Constitucional nº 19/1998).
Foi Membro e Secretário-Geral da Comissão de Juristas responsável pela Elaboração do Anteprojeto de Lei sobre
Normas Gerais de Processo Administrativo da União, convertido posteriormente na Lei nº 9.784, de 29 de janeiro de
1999. Recentemente, foi também Membro e Secretário-Geral da Comissão de Juristas responsável pelo Anteprojeto
de Normas Gerais sobre Administração Pública Direta e Indireta, Entidades Paraestatais e Entidades de Colaboração,
entregue ao Ministro do Planejamento em julho de 2009.
É também editor do site <DireitodoEstado.com.br>, o primeiro site jurídico multimídia do Brasil, onde coordena
três revistas eletrônicas de direito, administração e reforma do Estado, mantém projeto de memória jurídica em
vídeo e divulga diversas iniciativas e eventos nas áreas de direito e da administração pública.
Autor de mais de sessenta trabalhos na área de direito administrativo e constitucional. Coordenou para esta mesma
Editora Fórum o livro Reforma da previdência: análise e crítica da Emenda Constitucional nº 41/2003.
SUMÁRIO DO LIVRO:

Apresentação
Paulo Bernardo

Introdução
Luiz Carlos Bresser-Pereira

Parte I – Estudos de membros da comissão

Transformações da organização administrativa. Diretrizes, relevância e amplitude do anteprojeto


Maria Sylvia Zanella Di Pietro

A administração direta e as autarquias: autarquias especiais, agências reguladoras e agências executivas


Almiro do Couto e Silva

Uma lei de normas gerais para a organização administrativa brasileira: o regime jurídico comum das entidades
estatais de direito privado e as empresas estatais
Carlos Ari Sundfeld

As fundações estatais e as fundações com participação estatal


Sergio de Andréa Ferreira

Legalidade e autovinculação da Administração Pública: pressupostos conceituais do contrato de autonomia no


anteprojeto da nova lei de organização administrativa
Paulo Modesto

Esgotamento do modelo de desenvolvimento excludente no Brasil e ressemantização das atividades de


planejamento e articulação governamentais à luz do paradigma democrático
Maria Coeli Simões Pires

Os grandes desafios do controle da Administração Pública


Floriano de Azevedo Marques Neto

Das entidades paraestatais e das entidades de colaboração


Maria Sylvia Zanella Di Pietro

Parte II – Estudos de gestão pública

Organização governamental – Problemas e soluções em perspectiva conceitual e da administração pública


brasileira
Humberto Falcão Martins, Luiz Arnaldo Pereira da Cunha Junior

Federalismo e Lei Orgânica da administração pública: desafios e oportunidades de modernização dos governos
subnacionais
Fernando Luiz Abrucio

Exposição de motivos do anteprojeto

Íntegra da proposta do anteprojeto


Lei nº , de de de 2009.

Sobre os autores

Índice