Você está na página 1de 60

Filogenia dos grandes grupos de eucariontes fotossintetizantes

Linhagem dos Cromoalveolados: Algas Pardas

D
ep
a rta
m
en
to
de
Bo

ni
ca
- Filogenia dos grandes grupos de eucariontes fotossintetizantes.
-- Linhagem dos Cromoalveolados

D
---Algas Pardas

ep
a rta
•Filogenia dos organismos fotossintetizantes com clorofila a
•Filogenia dos grandes grupos de eucariontes fotossintetizantes

m
•Filogenia dos grupos de algas e significado taxonômico do termo alga

en
•Ambientes de ocorrência das algas – marés e zonação

to
•Linhagem dos Cromoalveolados e algas pardas
•Características das algas pardas: pigmentos, reserva, parede celular, tipo de

de
flagelos, estrutura dos cloroplastos, estrutura vegetativa, crescimento, tipos de
gametas e esporos, órgãos de reprodução, histórico de vida.

Bo
•Importância econômica e ecológica das algas pardas.


ni
c a
D
ep
a rta
m
As linhagens

en
das algas

to
de
(domínios)

Bo

ni
ac
Woese (1983)
Origem e evolução das algas

D
ep
a
Chromalveolados

rta
m
en
to
de
Bo
Unicontes


ni
c a
Excavados
audauf, 2008: árvore filogenética de eucariotos baseada em dados moleculares e ultra-estruturais. + Keeling 2004
ca
ni

Linhagens das algas?

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
Origem e evolução das algas

D
ep
a
Chromalveolados

rta
m
en
to
de
Bo
Unicontes


ni
c a
Excavados
audauf, 2008: árvore filogenética de eucariotos baseada em dados moleculares e ultra-estruturais. + Keeling 2004
D
ep
a
rta
m
en
O termo alga tem significado taxonômico?

to
de
Bo

ni
a c
D
•Organismos normalmente fotossintetizantes

ep
•Normalmente aquáticos ou de ambientes úmidos.
“Algas”

a
•Órgãos de reprodução normalmente não protegidos por células

rta
estéreis.

m
•Normalmente sem elementos de condução.

en
to
de
Na prática – grupo de organismos extremamente diverso e com

Bo
origens muito distintas!


ni
c a
Linhagens de algas que serão estudas neste curso

D
ep
a
Plastos Org. Histórico

rta
Grupo Parede Pigmentos Reserva Flagelo
(invólucros) tilacóides vida

m
Clorofila a, ficocianina,
Amido das
cianobactérias ficoeritrina, - - - -
cinofíceas

en
carotenóides

Clorofila a, ficocianina, T, h
Amido das

to
Vermelhas ficoeritrina, 2 Livres
florídeas D, h
carotenóides

de
Clorofila a, c D, h
Pardas carotenóides X 4 3
(fucoxantina) H, d

Bo
D, i
Clorofila a, b 2-6 ou
Verdes Amido X 2 H, d
carotenóides granum


H, h

ni
c a
Principais ambientes

D
ep
Ambientes : marinho ou de água doce (ou terrestres úmidos)

a
Ambiente marinho: bentos ou plâncton

rta
Ambiente bentônico: supra-litoral

m
médio-litoral (zona de marés)

en
infra-litoral

to
de
Bo

ni
c a
ZONAÇÃO

D
ep
a
SUPRA

rta
m
en
to
MARÉ

de
MÉDIO

Bo

ni
INFRA

a c
ca
ni

Bo
de
Perfil diagrama

to
en
m
arta
ep
D
ca
ni

Bo
de
to
Marés

en
m
arta
ep
D
ca
ni

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
Cenozóico
75 mi
Mesozóico

D
225 mi

Paleozóico
Ochrophyta

ep
- 570 mi anos

a
rta
600 mi

m
Chlorophyta

en
-0,8 bi anos

to
Pré-cambriano

de
Rhodophyta
-1,2 bi anos

Bo

ni
ca
Cyanophyta
Linhagem dos Chromoalveolados

D
ep
a
Chromalveolados

rta
m
en
to
de
Bo
Unicontes


ni
c a
Excavados
audauf, 2008: árvore filogenética de eucariotos baseada em dados moleculares e ultra-estruturais. + Keeling 2004
Algas com fucoxantina e clorofila c

D
ep
-Phaeophyta

a rta
-Bacillariophyta

m
- Dinophyta

en
to
de
Bo

ni
ac
-Phaeophyta
-Bacillariophyta

D
- Dinophyta

ep
arta
m
en
to
de
Bo

ni
c
a
Archibald & Keeling, 2002
Origem e evolução dos eucariotos

D
ep
a
Chromalveolados

rta
m
en
to
de
Bo
Unicontes


ni
c a
Excavados
audauf, 2008: árvore filogenética de eucariotos baseada em dados moleculares e ultra-estruturais. + Keeling 2004
Cloroplastos: ultra-estrutura
Envelope: quatro membranas

D
ep
arta
m
en
to
de
Bo

ni
c
a
D
ep
Flagelos (gametas e zoósporos)

a rta
- 2 flagelos:

m
1 longo e plumoso

en
1 curto e liso

to
- geralmente inseridos lateralmente.

de
Bo

ni
HETEROCONTES

a c
Em síntese:

D
ep
a rta
• As algas - em 4 das 5 linhagens (Keeling 2004): grupo não monofilético.

m
• Ocorrência - grande diversidade de ambientes.

en
• Ambientes marinhos – marés determinantes na distribuição (supralitoral,

to
médiolitoral e infralitoral).
• Principais características morfológicas e bioquímicas distintivas: pigmentos

de
fotossintetizantes, reserva, flagelo, invólucro dos cloplastos, organização

Bo
dos tilacóides, ciclo de vida.
• Posicionamento das algas pardas: Eucaria, Cromoalveolados, Stramenopila


ni
c a
Algas pardas: diversidade específica e ecológica

D
Importância

ep
a rta
m
en
to
de
Bo

ni
ca
Divisão = Filo: phyta
Classificação Classe: ceae

D
ep
van den Hoek, 1995

a
Lee, 1989 Heterokontophyta

rta
Phaeophyceae
Phaeophyta Bacillariophyceae

m
Chrysophyceae

en
to
de
Bold & Wynne, 1985 Graham & Wilcox, 2000

Bo
Phaeophyta Ochrophyta
Phaeophyceae


Phaeophyceae
Chrysophyta Bacillariophyceae

ni
Bacillariophyceae

c a
Filo Ochrophyta
Classe Phaeophyceae

D
(Algas Pardas)

ep
Ochre = Pardo

arta
PHYTON = Planta

m
en
Ocorrência e diversidade:

to
• ~265 gêneros, 1500-2000 sp.

de
• principalmente em águas frias

Bo
• 4-5 gêneros de água doce, o restante
é marinho


ni
ca
D
ep
a
rta
m
en
to
Foto: Jaime Ojeda

de
Bo
Foto: Jaime Ojeda


ni
ac
ca
ni

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
Características gerais
• Eucarióticas

D
ep
• Formas: Multicelulares

a
• Pigmentos:

rta
- Clorofila a, c,

m
- Xantofilas (fucoxantina)

en
- Carotenos (ß-caroteno)

to
• Parede cel.: celulose, ác. algínico e fucoidina

de
algumas c/ CaCO3 (em pouca quantidade ex. Padina).

Bo
• Reserva: laminarina e manitol compostos fenólicos
(vesículas de fucosana)


ni
• Flagelos: gametas e/ou esporos

ca
D
ep
• Cloroplastos:
- 1 a muitos por célula

a rta
- forma variada.
- Lamelas arranjadas em

m
grupos de 3.

en
- envolvido por 4

to
membranas.

de
- Pirenóide - está presente nas
ordens mais primitivas

Bo

ni
Cloroplasto de Fucus sp.
a c
Morfologia:

D
ep
• apenas formas multicelulares (gametas e esporos são unicelulares)

a
• formas microscópicas até algas com 60 m (ex. Macrocystis)

rta
m
• filamentosa, pseudoparenquimatosa ou parenquimatosa

en
to
de
Bo

ni
Dictyota Macrocystis

ac
Talo filamentoso: porção prostrada + filamentos eretos (ramificados ou não)

D
ep
a rta
m
en
to
de
Bo

ni
c a
Unisseriados Plurisseriados
Talo pseudoparenquimatoso: filamentos justapostos
- Aspecto cilíndrico achatado

D
Desmarestia

ep
a rta
m
en
Corte transversal

to
Porção apical

de
- Aspecto crostoso

Bo
Ralfsia


ni
Corte transversal
ca
Talo parenquimatoso: células podem se dividir em vários planos

D
formando um tecido verdadeiro

ep
a
• surgiu várias vezes no grupo

rta
• cilíndrico ou achatado

m
• com diferenciação de medula e córtex

en
to
de
Bo

ni
ac
Talo parenquimatoso

D
• pode atingir grande complexidade, com células ~ a tubos

ep
crivados que fazem o transporte de produtos da
fotossíntese.

a rta
m
en
to
de
Bo

ni
c a
Crescimento:

Intercalar ou difuso: maioria das células é capaz de se dividir.

D
Ex. Ectocarpales

ep
● Tricotálico: divisões das células na base dos filamentos.

a rta
Ex. Desmarestiales

m
● Apical: uma ou um grupo de células apicais.

en
Ex. Fucales

to
de
Bo
● Meristema intercalar: zona meristemática na base da
lâmina.


Ex. Laminariales

ni
c
● Meristoderme: meristema superficial que acrescenta células

a
de forma centrípeta ao córtex permitindo o aumento no
número de camadas e da superfície do talo.
● Reprodução: vegetativa, espórica e gamética

D
ep
● Gametas:

a
HETEROGAMIA

rta
ISOGAMIA ANISOGAMIA OOGAMIA

m
en
to
de
Bo
– +
(morfologicamente


Idênticos)

ni
c
a
Estruturas de reprodução

D
ep
● Estrutura plurilocular: produz células móveis derivadas de

a
mitose. Ocorre no gametófito (gametângio) e no esporófito

rta
(esporângio)

m
● Estrutura unilocular: apenas no esporófito, formado por uma

en
célula grande e esférica que corresponde ao centro da meiose.

to
de
Bo

ni
Ectocarpales
c
a
D
Ciclo de vida: haplobionte diplonte ou diplobionte (isomórfico ou

ep
heteromórfico).

a rta
m
singamia Zigoto 2n E!

en
Haplobionte diplonte
gametas (n) talo (2n)

to
(meiose gamética) R!

de
Bo
gametas zigoto 2n E!


E! singamia

ni
Diplobionte
talo (n)

c
talo (2n)
(meiose espórica)

a
R!
Esporos
Estrutura

D
Plurilocular

ep
2n

a rta
Estrutura

m
Unilocular

en
to
de
Bo

n

ni
c
Estrutura

a
Plurilocular

Diplobionte isomórfico Histórico de vida de Ectocarpus siliculosus


Ordem Ectocarpales

D
ep
-Unisseriadas

a
-Diplobiontes isomórficas

rta
-Colonizadores primários

m
-oportunistas

en
to
de
Bo

ni
ca
Ectocarpus
Diplobionte heteromórfico
(meiose espórica)

D
meiose

ep
arta
n

m
en
Gametófito
Esporófito

to
de
Bo

2n

ni
c a
Laminaria
“KELPS”
Ordem Laminariales

D
ep
- as macroalgas mais abundantes

a
em substrato rochoso no infralitoral

rta
de zonas temperadas e frias.

m
en
to
de
Nereocystis

Bo

Durvillea

ni
Laminaria- BR

c a
diferenciação de tecidos (córtex e medula)
diferentes órgãos (apressório, estipe e lâmina).
células especializadas para transporte.
Haplobionte diplonte
(meiose gamética)
2n

D
ep
arta
m
en
to
de
Bo

ni
c
a
meiose

Sargassum sp.
Ordem Fucales

D
-Talo diferenciado (flutuadores, ramos em forma de folha,

ep
receptáculos, eixo principal cilíndrico, apressório)

a
-Haplobiontes diplontes

rta
-Estágios avançados da sucessão ecológica

m
-Anuais ou perenes

en
Sargassum

to
de
Bo

ni
ca
Em síntese:

D
ep
Plastos Org. Histórico
Divisão Parede Pigmentos Reserva Flagelo
(invólucros) tilacóides vida

a
Clorofila a, ficocianina,

rta
Amido das
Cyanophyta aloficocianina,ficoeritrina, - - - -
cinofíceas
carotenóides

m
Clorofila a, ficocianina, Amido das T, h

en
Rhodophyta 2 Livres
ficoeritrina, carotenóides florídeas D, h

to
Clorofila a, c Crisolamin
Bacillariophyta X 4 3 H, d
carotenóides arina, óleos

de
Ochrophyta Celulose + Clorofila a, c
Laminarin, D, h
(Classe Ácido carotenóides Hetero 4 3
manitol

Bo
(fucoxantina) H, d
Phaeophyceae) algínico

D, i


Clorofila a, b 2-6 ou
Chlorophyta Amido X 2 H, d
carotenóides granum
H, h

ni
c
Clorofila a, b Paramilo
Euglenophyta X 3 3 -

a
carotenóides (grãos)
Divisão Ochrophyta
Classe Phaeophyceae
Diversidade nas escalas de comunidade (segundo Graham & Wilcox, 2000)

e ecossistema

D
ep
•colonizadores primários

a
topo da sucessão ecológica

rta
Ectocarpus

m
en
to
de
Sargassum

Bo

•estruturadores de habitat em

ni
diferentes escalas no ecossistemas

c
marinhos

a
D
ep
a rta
m
en
to
Foto: Jaime Ojeda

de
Bo

ni
ac Foto: F. Berchez
ca
ni

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
ca
ni

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
ca
ni

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
ca
ni

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
Divisão Ochrophyta
Classe Phaeophyceae
Importância econômica das algas (segundo Graham & Wilcox, 2000)

pardas

D
ep
• alimento para consumo humano devido ao seu alto valor nutricional

a
(sais minerais e vitaminas) – consumo direto/indireto.

rta
m
• alginatos: propriedades geleificante, de viscosidade, emulsificante,
formação de filmes (tintas, vernizes, papéis), imobilização de

en
moléculas.

to
de
• possuem importantes produtos naturais com elevada atividade
biológica – antioxidantes, surfactantes, antimicrobianos,

Bo
anticancerígenos, etc.


• diversos usos industriais, para ração de animais, fertilizantes,

ni
fármacos (ex. para combater o bócio - I).

c a
ca
ni

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
ca
ni

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
Divisão Ochrophyta
Classe Phaeophyceae
(segundo Graham & Wilcox, 2000)

Importância

D
ep
VITAMINAS (100 g)

a
A (iu) B1  B2  B6  B12  C  Niacina Ácido 

rta
(mg) (mg) (mg) (µg) (mg) (mg) fólico (µg)
Laminaria (kombu) 430 0,08 0,32 0,27 0,3 11 1,8

m
Hizikia fusiforme 150 0,01 0,02 0,57 0 4 21,8

en
(hijiki)
Undaria pinnatifida 140 0,11 0,14 15 10

to
(wakame)

de
Tomate 200 0,08 0,03 0,11 0 20 0,3 28
Espinafre 2.600 0,12 0,3 0,18 0 100 1 140

Bo
Maça 5 0,02 0,03 0,03 0 5 0,2 5


Couve 10 0,05 0,05 0,16 0 44 0,2 90

ni
(modificado de Arasaki & Arasaki, 1983)

c a
Divisão Ochrophyta
Classe Phaeophyceae
(segundo Graham & Wilcox, 2000)

Importância
SAIS MINERAIS (mg %)

D
Cálcio Ferro Iodo

ep
Laminaria sp. (kombu) 800 15 193 – 471

a
Undaria pinnatifida  1.300

rta
(wakame)
Hizikia fusiforme (hijiki) 1.400 29

m
Eisenia bicyclis 98 – 564

en
Sargassum confusum 300
Espinafre 98 3,3

to
Gergelim 1.100 16

de
Sardinha seca 330 10
Soja 190 7

Bo
Leite 100
Bife 3,6


Moluscos 0,29

ni
Crustáceos 0,15

c
Peixe 0,07

a
(modificado de Arasaki & Arasaki, 1983)
ca
ni

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D
AULA PRÁTICA
• Divisão Ochrophyta

D
Classe Phaeophyceae: Sargassum (parenquimatoso)

ep
Representante Ectocarpaceae

a
(filamentoso)

rta
m
• trazer material: pinças, estilete, papel sulfite ou caderno, lâmina

en
de barbear, lâmina e lamínula, lenço de papel.

to
•Bancadas – equipes fixas

de
• LIVROS:

Bo
- Joly (1976)


- Joly (1965). Flora marinha do litoral
norte do estado de SP...

ni
- Raven et al. (2007)

c
- Graham & Wilcox (2000)

a
- Bold & Wynne (1985)
.......outros ALGAS PARDAS
AULA PRÁTICA

D
ep
a
•Localize o balde com o material coletado por sua dupla na excursão e separe apenas as

rta
amostras de algas pardas.

m
•Com o auxílio de uma peneira lave delicadamente as algas em água de torneira para

en
retirar o excesso de formol (cuidado para não perder algas muito pequenas!).

to
•Acondicione cada espécie em placas de Petri.

de
•Enxague com água da torneira cada um dos sacos plásticos e reúna-os em um único

Bo
saco antes de colocá-los no lixo.


•Estude a organização vegetativa e reprodutiva das algas coletadas seguindo o roteiro

ni
abaixo para cada espécie. A observação de todos os materiais deve sempre partir de seu

c
aspecto macroscópico (a olho nu e/ou no estereomiscroscópio), indo depois para o

a
microscópico (montagem em lâmina, corte transversal, etc.).
ca
ni

Obrigado!!!

Bo
de
to
en
m
arta
ep
D