Você está na página 1de 202

T OS H I B A

E6580757ℵ
Precauções de
Segurança I
Introdução II
Índice

Manual de Instruções Leia antes 1


Conexão do
equipamento 2
Inversor Compacto Operações 3
Operações básicas
do VF-S9 4
Parâmetros básicos 5

TOSVERT VF-S9 6
Parâmetros
estendidos

Operação aplicada 7
8
Monitoramento da
condição de
operação
monofásico classe 200 V 0,2 ~ 2,2 kW
9
Providências para
satisfazer as
trifásico classe 200 V 0,2 ~ 15 kW diretrizes CE/UL
trifásico classe 400 V 0,75 ~ 15 kW Dispositivos
periféricos 10
TOSHIBA DO BRASIL S.A. – DIVISÃO DE AUTOMAÇÃO
Tabela de
parâmetros e dados 11
Especificações 12
OBSERVAÇÕES
Antes de fazer uma
1. Certifique-se de que este manual de instruções seja entregue ao chamada para
serviço –
13
usuário final do inversor. Informações sobre
o desligamento e
2. Leia este manual antes de instalar ou de operar o inversor e reparos
mantenha-o em local seguro, para referência. Inspeção e
manutenção 14
Garantia 15
Disposição do
inversor 16
2001 Rev. 1 – 19/07/01
TBB-FSP
T OS H I B A E6580757

- Índice -
Manual de Instruções ...................................................................................................................................................................................1
I. Precauções de segurança.....................................................................................................................................................................1
II. Introdução..............................................................................................................................................................................................1
1. Leia antes .......................................................................................................................................................................................... A-1
1.1 Verifique o produto comprado.................................................................................................................................................... A-1
1.2 Significado do código do produto........................................................................................................................................... A-2
1.3 Nomes e funções ................................................................................................................................................................... A-3
1.4 Notas sobre a aplicação....................................................................................................................................................... A-10
2. Equipamento de conexão.................................................................................................................................................................. B-1
2.1 Cuidados na ligação.............................................................................................................................................................. B-1
2.2 Conexões padrão ................................................................................................................................................................... B-3
2.3 Descrição dos terminais ......................................................................................................................................................... B-6
3. Operações .........................................................................................................................................................................................C-1
3.1 Como operar o VF-S9 ............................................................................................................................................................C-2
3.2 Operação simplificada do VF-S9 ...........................................................................................................................................C-6
4. Operações básicas do VF-S9 ...........................................................................................................................................................D-1
4.1 Como ajustar os parâmetros ..................................................................................................................................................D-2
5. Parâmetros básicos .............................................................................................................................................................................. E-1
5.1 Ajuste do tempo de aceleração/desaceleração..................................................................................................................... E-1
5.2 Aumento do torque de partida................................................................................................................................................ E-3
5.3 Ajuste da proteção ambiental................................................................................................................................................. E-5
5.4 Ajuste de parâmetros de acordo com o método de operação............................................................................................... E-5
5.5 Seleção do modo de operação .............................................................................................................................................. E-7
5.6 Seleção e ajuste do medidor.................................................................................................................................................. E-8
5.7 Ajuste padrão ....................................................................................................................................................................... E-10
5.8 Selecionando operação normal e invertida (somente no painel de operação .................................................................... E-11
5.9 Freqüência máxima.............................................................................................................................................................. E-12
5.10 Limite superior e limite inferior de freqüências .................................................................................................................... E-12
5.11 Freqüência base.................................................................................................................................................................. E-13
5.12 Ajuste do modo de controle ................................................................................................................................................. E-14
5.13 Aumento de torque manual – Aumento do torque em baixas velocidades ......................................................................... E-18
5.14 Ajuste da proteção termo-eletrônica .................................................................................................................................... E-18
6. Parâmetros estendidos ..................................................................................................................................................................... F-1
6.1 Parâmetros de entrada/saída................................................................................................................................................. F-1
6.2 Seleção do sinal de entrada................................................................................................................................................... F-4
6.3 Seleção da função terminal.................................................................................................................................................... F-6
6.4 Parâmetros básicos 2........................................................................................................................................................... F-10
6.5 Seleção de prioridade da freqüência ................................................................................................................................... F-11
6.6 Freqüência de operação ...................................................................................................................................................... F-17
6.7 Frenagem em CC ................................................................................................................................................................. F-18
6.8 Modo de operação alternada (JOG) .................................................................................................................................... F-19
6.9 Salto de freqüência – salto de freqüências ressonantes ..................................................................................................... F-21

i
T OS H I B A E6580757

6.10 Freqüência de operação de velocidade pré-ajustada 8 a 15 .............................................................................................. F-22


6.11 Freqüência da portadora PWM ............................................................................................................................................ F-22
6.12 Intensificação sem parada ................................................................................................................................................... F-23
6.13 Ajuste das constantes do motor........................................................................................................................................... F-36
6.14 Modelo de aceleração/desaceleração e aceleração/desaceleração 2................................................................................ F-39
6.15 Funções de proteção............................................................................................................................................................ F-42
6.16 Parâmetro do painel de operação........................................................................................................................................... F-50
6.17 Função de comunicação (Serial comum) ............................................................................................................................ F-54
7. Operação aplicada ............................................................................................................................................................................G-1
7.1 Ajuste da freqüência de operação .........................................................................................................................................G-1
7.2 Ajuste do modo de operação .................................................................................................................................................G-5
8. Monitoramento da situação da operação..........................................................................................................................................H-1
8.1 Modo de monitoramento da situação.....................................................................................................................................H-1
8.2 Indicação de informações sobre desligamento .....................................................................................................................H-3
9. Medidas para satisfazer a diretriz CE/UL .......................................................................................................................................... I-1
9.1 Como atender a diretriz CE..................................................................................................................................................... I-1
10. Dispositivos periféricos.......................................................................................................................................................................J-1
10.1 Escolha de materiais e dispositivos para ligação ...................................................................................................................J-1
10.2 Instalação de um contator magnético .....................................................................................................................................J-3
10.3 Instalação de um relé de sobrecarga......................................................................................................................................J-4
10.4 Dispositivos externos opcionais ..............................................................................................................................................J-4
11. Tabela de parâmetros e dados ......................................................................................................................................................... K-1
11.1 Parâmetros do usuário ........................................................................................................................................................... K-1
11.2 Parâmetros básicos................................................................................................................................................................ K-1
11.3 Parâmetros estendidos ............................................................................................................................................................. K-2
12. Especificações................................................................................................................................................................................... L-1
12.1 Modelos e respectivas especificações................................................................................................................................... L-1
12.2 Dimensões externas e peso................................................................................................................................................... L-3
13. Antes de fazer uma chamada de serviço Informações sobre o desligamento e soluções............................................................... M-1
13.1 Motivos/avisos de desligamentos e soluções ....................................................................................................................... M-1
13.2 Restauração do inversor depois de um desligamento.......................................................................................................... M-5
13.3 Se o motor não funcionar quando nenhuma mensagem de desligamento é mostrada ...................................................... M-6
13.4 Como determinar as causas de outros problemas ............................................................................................................... M-7
14. Inspeção e manutenção ....................................................................................................................................................................N-1
14.1 Inspeção regular.....................................................................................................................................................................N-1
14.2 Inspeção periódica .................................................................................................................................................................N-2
14.3 Fazendo uma chamada para manutenção ............................................................................................................................N-4
14.4 Armazenagem do inversor .....................................................................................................................................................N-4
15. Garantia .............................................................................................................................................................................................O-1
16. Disposição do inversor ...................................................................................................................................................................... P-1

ii
T OS H I B A E6580757

I. Precauções de segurança
Os itens descritos nestas instruções e no próprio inversor são muito importantes para que você possa usar o inversor com
segurança e evitar ferimentos em si próprio e em outras pessoas, bem como para evitar danos físicos à área. Familiarize-se
plenamente com os símbolos e indicações abaixo e, então, continue a ler o manual. Assegure-se de observar todos os avisos.
Explicação das marcas
Marca Significado da Marca
Indica que erros de operação poderão provocar morte ou ferimentos graves.
Perigo
Indica que erros de operação poderão provocar ferimentos (*1) a pessoas ou que esses erros podem
Aviso provocar danos físicos a bens (*2).

(*1) Ferimentos, queimaduras ou choques que não exigirão hospitalização ou longos períodos de tratamento.
(*2) Danos físicos a bens referem-se a uma ampla faixa de ativos e materiais.
Significado dos símbolos
Símbolo Significado do Símbolo
Indica proibição (Não faça).
O que é proibido será descrito no ou próximo ao símbolo, na forma gráfica ou de texto.
Indica algo mandatório (Tem que ser feito).
O que é mandatório será descrito no ou próximo ao símbolo, na forma gráfica ou de texto.
Indica perigo.
O que é perigoso será descrito no ou próximo ao símbolo, na forma gráfica ou de texto.

Indica aviso.
O objeto do aviso será descrito no ou próximo ao símbolo, na forma gráfica ou de texto.

Limitações à utilização
Este inversor é utilizado para controlar a velocidade de motores de indução trifásicos para uso industrial geral.

Precauções de segurança
▼ inversor não pode ser utilizado com qualquer dispositivo que possa apresentar perigo ao corpo humano ou cujo
mau funcionamento ou erro de operação possa representar ameaça direta à vida humana (dispositivo de controle
de energia nuclear, dispositivo de controle de vôo aéreo ou espacial, dispositivo de tráfego, sistema de suporte à
vida ou operação vital, dispositivo de segurança, etc.). Se o inversor for utilizado para quaisquer fins especiais,
entre em contato com o pessoal encarregado de vendas.
▼ Este produto foi fabricado sob os controles da qualidade mais restritivos, mas se ele for utilizado em equipamentos
críticos como, por exemplo, equipamentos cujo erro de funcionamento em um sistema de sinal de saída puderem
provocar um acidente grave, deverão ser instalados dispositivos de segurança no equipamento.
▼ Não use o inversor para cargas que não motores de indução trifásicos normalmente aplicados para fins
industriais. (O uso em outras aplicações que não motores de indução trifásicos normalmente aplicados para fins
industriais poderá provocar acidentes).

1
T OS H I B A E6580757

Operação geral
Ver item
Perigo
• Nunca desmonte, modifique ou repare. Isso poderá provocar choque elétrico, incêndio ou 2.
ferimento. Para reparo, chame o seu agente de vendas.

Desmontagem
proibida
• Nunca remova a tampa frontal quando a energia estiver ligada ou se a porta estiver aberta, caso 2.1
esteja embutido em um gabinete. A unidade contém muitos componentes de alta tensão e o
contato com eles provocará choque elétrico.
• Não enfie os dedos nas aberturas, tais como a abertura para passagem de cabo e a tampa da 2.
ventoinha de arrefecimento. Isso poderá provocar choque elétrico ou outro ferimento.
Proibido • Não coloque ou insira qualquer tipo de objeto no inversor (cortadores de cabos, hastes, fios,
etc.). Isso poderá provocar choque elétrico ou incêndio. 2.
• Não permita que água ou qualquer outro fluido entre em contato com o inversor. Isso poderá
provocar choque elétrico ou incêndio. 2.
Ligue a energia somente após fechar a tampa frontal ou fechar a porta, caso esteja embutido em um 2.1
gabinete. Se a energia for ligada sem que a tampa frontal esteja fechada ou que a porta esteja
fechada, no caso de instalação em gabinete, isso poderá provocar choque elétrico ou outro ferimento.
Se o inversor começar a emitir fumaça, odor anormal ou ruídos anormais, desligue imediatamente a
energia. Se o equipamento continuar a operar nessa situação, a conseqüência poderá ser um 3.
Mandatório incêndio. Chame o seu agente local de vendas, para reparos.
Sempre desligue a energia se o inversor não for utilizado por longos períodos de tempo, pois existe a
possibilidade de mau funcionamento provocado por vazamentos, poeira ou outros materiais. Se a
energia for deixada ligada enquanto o inversor estiver nessa condição, poderá ocorrer um incêndio. 3.

Ver item
Aviso
• Não toque as aletas de irradiação de calor ou os resistores de descarga. Esses dispositivos são 3.
quentes e se você toca-los poderá se queimar.

Contato proibido
• Evite operar o inversor em qualquer local onde haja aspersão direta dos seguintes solventes ou 1.4.4
produtos químicos. Os componentes plásticos poderão ser danificados até um certo grau,
dependendo dos seus formatos, e há a possibilidade de as tampas plásticas estarem abertas e
os componentes de plástico serem respingados. Se o produto químico ou o solvente não for
algum dos indicados abaixo, favor contatar-nos com antecedência.
(Tabela 1) Exemplos de produtos químicos (Tabela 2) Exemplo de produtos
e solventes aplicáveis: químicos e solventes não aplicáveis:
Produto Químico Solvente Produto Químico Solvente
Ácido hidroclorídrico Metanol Fenol Gasolina, querosene,
Proibido (densidade de 10% ou menos) óleo leve
Ácido sulfúrico Etanol Ácido Turpentine oil
(densidade de 10% ou menos) Benzenosulfônico
Ácido nítrico Triol Benzol
(densidade de 10% ou menos)
Thinner
Soda cáustica Mesopropanol
Amônia Glicerina
Cloreto de sódio (sal)

2
T OS H I B A E6580757

Transporte / Instalação
Ver item
Perigo
• Não instale o inversor se ele estiver danificado ou com qualquer componente faltando. Isso poderá 1.4.4
provocar choque elétrico ou incêndio. Favor consultar o seu agente local de vendas a respeito de
reparos.
• Não coloque quaisquer objetos inflamáveis nas proximidades do inversor. Se for emitida uma 1.4.4
Proibido chama devido a um mau funcionamento, poderá haver um incêndio.
• Não instale o inversor em qualquer local onde ele possa entrar em contato com água ou outros 2.
fluidos. Isso poderá provocar choque elétrico ou incêndio.
• Deverá ser utilizado nas condições ambientais prescritas no manual de instruções. A utilização em 1.4.4
quaisquer outras condições poderá resultar em mau funcionamento.
• Deverá ser instalado em materiais não inflamáveis, tais como metais. O painel traseiro pode se 1.4.4
tornar muito quente. Se a instalação for em um material inflamável, isso poderá provocar um
incêndio.
• Não opere com a capa do painel frontal removida. Isso poderá provocar choque elétrico. 1.4.4
• Deverá ser instalado um dispositivo de parada de emergência, de acordo com as especificações 1.4.4
Mandatório
do sistema (por exemplo: desligamento da energia e, então, aplicação do freio mecânico). A
operação não pode ser parada imediatamente a partir exclusivamente do inversor, arriscando
assim um acidente ou um ferimento.
• Todas os opcionais utilizados deverão ser os especificados pela Toshiba. A utilização de qualquer 1.4.4
outro opcional poderá provocar um acidente.

Aviso Ver item


• Quando o inversor for transportando ou carregando, não segura-lo pelas tampas do painel frontal. 2.
As tampas poderão se soltar e a unidade poderá cair, provocando um ferimento.
• Não instale o inversor em qualquer área em que ele possa estar sujeito a grande vibração. Isso 1.4.4
Proibido
poderá provocar a queda do inversor, resultando em um ferimento.
• A unidade principal deverá estar instalada sobre uma base capaz de suportar o seu peso. Se a 1.4.4
unidade for instalada sobre uma base que não possa suportar o seu peso, a unidade poderá cair,
provocando um ferimento.
• Se for necessário um freio (para segurar o eixo do motor), instalar um freio mecânico. O freio do 1.4.4
Mandatório
inversor não funcionará como um freio mecânico e, se utilizado com esse fim, poderá provocar um
ferimento.

Ligação
Perigo Ver item
• Não conecte a entrada de energia aos terminais de saída do lado do motor (U/T1, V/T2, W/T3). 2.2
Isso destruirá o inversor e poderá provocar um incêndio.
• Não conecte resistores aos terminais de CC (entre PA-PC ou PO-PC). Isso poderá provocar um 2.2
incêndio. Conecte resistores conforme orientado pelas instruções para “Instalação de resistores de
Proibido frenagem separados”.
• Durante dez minutos após ligar a energia, não toque os fios dos dispositivos (MCCB) ligados ao 2.2
lado de entrada de energia do inversor. Isso poderá provocar choque elétrico.

3
T OS H I B A E6580757

Ver item
Perigo
• trabalho de montagem elétrica deverá ser feito por um especialista qualificado. A ligação da energia 2.1
de entrada por alguém que não tenha conhecimento especializado poderá provocar incêndio ou
choque elétrico.
• Conecte corretamente os terminais de saída (lado do motor). Se a seqüência de fases estiver 2.1
incorreta, o motor funcionará no sentido inverso e isso poderá provocar um ferimento.
• A ligação deverá ser feita após a instalação.
Se a ligação for feita antes da instalação, isso poderá provocar ferimento ou choque elétrico. 2.1
• Antes da ligação, deverão ser seguidos os seguintes passos:
(1) Desligar toda a energia de entrada; 2.1
(2) Aguardar pelo menos dez minutos e verificar para assegurar-se de que a lâmpada de carga não
está mais acessa; e
Mandatório
(3) Usar um testador que possa medir Corrente Contínua (800 VCC ou mais), e verificar para
assegurar-se de que a tensão nos principais circuitos de CC (entre PA-PC) é de 45 V ou menos.
Se esses passos não forem seguidos adequadamente, a ligação poderá provocar choque elétrico.
• Aperte os parafusos da placa de terminais com o torque especificado. Se os parafusos não forem 2.1
apertados com o torque especificado, isso poderá provocar um incêndio.
• Verifique para assegurar-se de que a tensão de entrada está entre +10% e –15% da classe de tensão 1.4.4
indicada na etiqueta (±10% quando a carga for 100% em operação contínua). Se a tensão de entrada
não estiver entre +10% e –15% da classe de tensão indicada na etiqueta (±10% quando a carga for
100% em operação contínua), isso poderá provocar um incêndio.
• O terra deverá ser conectado com firmeza. Se o terra não for conectado com firmeza, isso poderá 2.1
provocar choque elétrico ou incêndio, quando ocorrem uma falha ou fuga de corrente. 2.2
Aterrar

Ver item
Aviso
• Não conecte equipamentos (tais como filtros de ruído ou eliminador de picos) que tenham capacitores 2.1
embutidos, aos terminais de saída (lado do motor). Isso poderá provocar incêndio.
Proibido

Operações
Ver item
Perigo
• Não toque os terminais do inversor quando a energia elétrica estiver ligada, mesmo que o motor 3.
esteja parado. Tocar o inversor quando a energia estiver ligada poderá provocar choque elétrico.
• Não toque as chaves quando as mãos estiverem molhadas e não tente limpar o inversor com um
pano úmido. Essas práticas poderão provocar choque elétrico. 3.
Proibido • Não se aproxime do motor na condição de alarme- parada, quando a função religar estiver ativada. O
motor poderá partir repentinamente e isso poderá provocar ferimento. Tome medidas de segurança 3.
contra acidentes (por exemplo: fixar uma tampa ao motor), para o caso de o motor partir
inesperadamente.
• Ligue a energia somente após ter fechado a tampa frontal. Quando instalado dentro de um gabinete e 3.
utilizado sem a tampa frontal, sempre feche as portas do gabinete e, então, ligue a energia. Se a
energia for ligada com a tampa frontal ou com as portas do gabinete abertas, poderá ocorrer choque
elétrico.
Mandatório
• Após uma falha, assegure-se que os sinais de operação estão desligados antes de religar o inversor. 3.
Se o inversor for religado antes de desligar os sinais de operação, o motor poderá partir
repentinamente provocando um ferimento.

4
T OS H I B A E6580757

Ver item
Aviso
• Observe todas as faixas de operação permitidas dos motores e dos equipamentos mecânicos. 3.
(Referir-se ao manual de instruções do motor). A não observação dessas faixas poderá provocar
Proibido ferimentos.

Quando a seqüência para partida estiver selecionada, após uma queda


momentânea da energia (do inversor)
Ver item
Aviso
• Permaneça afastado de todos os motores e equipamentos mecânicos. Se o motor parar devido a 6.12.1
uma queda momentânea de energia, o equipamento partirá repentinamente após a volta da
energia. Isso poderá provocar em ferimento inesperado.
Mandatório • Coloque avisos a respeito da partida repentina, após queda momentânea de energia, nos 6.12.1
inversores, motores e equipamentos, para evitar acidentes.

Quando a função religar (do inversor) estiver selecionada


Ver item
Aviso
• Fique afastado de motores e de equipamentos. Se o motor ou os equipamentos pararem quando 6.12.3
for dado o alarme, a seleção da função religar partirá imediatamente o motor ou os equipamentos,
imediatamente após decorrido o tempo especificado. Isso poderá provocar ferimentos inesperados.
Mandatório • Coloque avisos sobre a partida repentina devida à função religar dos inversores, nos motores e nos 6.12.3
equipamentos, para evitar acidentes.

Manutenção e Inspeção
Ver item
Perigo
• Não substitua componentes. Isso poderá provocar choque elétrico, incêndio e ferimentos. Para a 14.2
substituição de componentes, chame o agente local de vendas.
Proibido
• equipamento deverá ser inspecionado todos os dias. Se o equipamento não for inspecionado e
mantido, erros e mau funcionamento poderão não ser percebidos e isso poderá provocar
acidentes.
• Antes da inspeção, siga os seguintes passos:
(1) Desligue toda a alimentação de energia para o inversor;
(2) Aguarde pelo menos dez minutos e verifique para certificar-se de que a lâmpada de energia
Mandatório não está mais acesa; e
(3) Use um testador que possa medir tensões em CC (800VCC ou mais) e verifique para
assegurar-se de que a tensão nos circuitos de CC (entre PA-PC) é de 45V ou menos.
Se a inspeção for executada sem a observação desses passos, poderá ocorrer choque elétrico.

5
T OS H I B A E6580757

Disposição

Ver item
Aviso
• Se você for jogar fora o inversor, faça-o por meio de um especialista em disposição de lixo
industrial*. Se você jogar fora o inversor com recursos próprios, isso poderá provocar uma
explosão do capacitor ou produzir gases nitrosos, provocando ferimentos.
• (*) Entidades especializadas no processamento de lixo industrial são conhecidas como
“coletores e transportadores de lixo industrial” ou “empresas de disposição de lixo industrial”.
Mandatório Se a coleta, transporte e disposição de lixo industrial forem feitos por entidade não licenciada
para a atividade, isso constituirá uma violação da lei, sujeita a punição (leis relativas à limpeza
e processamento de lixo).

Aplicação de etiquetas de aviso


Encontram-se abaixo exemplos de etiquetas de aviso para evitar acidentes relativos a inversores, motores e outros
equipamentos.
Se um inversor tiver sido programado para a função de inicio automático após falha momentânea de energia,
coloque etiquetas de aviso onde elas possam ser facilmente vistas e lidas.
Se o inversor foi programado para reinício após Se a função reinício foi selecionada, coloque etiquetas de
falha momentânea de energia, coloque etiquetas aviso em locais onde elas possam ser facilmente vistas e
de aviso em locais onde elas possam ser lidas.
facilmente vistas e lidas. (Exemplo de etiqueta de aviso)
(Exemplo de etiqueta de aviso)
Aviso (Funções Aviso (Funções
programadas para reinício) programadas para reinício)
Não se aproxime dos motores e dos Não se aproxime dos motores e dos equipamentos. Os
equipamentos. Os motores e os equipamentos motores e os equipamentos que pararem
que pararam temporariamente devido a falha temporariamente após um alarme partirão
momentânea de energia partirão repentinamente repentinamente após decorrido o tempo especificado.
após a recuperação da falha.

6
T OS H I B A E6580757

II. Introdução
Agradecemos a compra do inversor industrial “TOSVERT VF-S9” da Toshiba

Este é o inversor Versão 101 CPU.


Favor estar ciente de que esta versão será freqüentemente atualizada.

Características
1. Filtro de Ruído Embutido
1) Todos os modelos da série 200 V e 400 V têm um filtro de ruído.
2) Esses modelos estão em conformidade com as marcas européias CE e com as normas norte-americanas
UL.
3) Reduz as necessidades de espaço e diminui o tempo e a mão-de-obra necessários para a ligação.

2. Operação simples
1) Funções automáticas (aumento de torque, tempo de aceleração/desaceleração, programação de função,
programação de ambiente).
A simples ligação do motor à fonte de energia permite a operação imediata, sem a necessidade de
programar parâmetros.
2) Chaves e potenciômetro de disco no painel frontal, permitem a operação imediata e fácil.

3. Desempenho básico superior


1) Torque desde baixa freqüência até 150% e acima.
2) Operação suave: Ripple de rotação reduzido por meio da utilização de compensação de banda morta
exclusiva da Toshiba.
3) Circuito embutido de supressão de surto de corrente: Pode ser conectado com segurança, mesmo se a
carga for baixa.
4) Freqüência máxima de saída de 400 Hz: Ótima para uso com motores de alta velocidade, tais como os de
equipamentos de serraria e máquinas de usinagem.
5) Freqüência máxima da portadora de 16,5 kHz: operação silenciosa. O controle PWM exclusivo da Toshiba
reduz o ruído em baixa freqüência de portadora.

4. Compatibilidade global
1) Compatível com fontes de energia de 240 V e 500 V.
2) Conformidade com as marcas CE e com UL, CUL e C-Tick
3) Alteração do controle de entrada/saída para saída/fonte.

5. As opções permitem o uso em uma ampla faixa de aplicações


• Funções de comunicação (RS485/RS232C).
• Painel de extensão/registrador de parâmetros.
• Conjunto de barramento DIN (para 200 V, classe 0,2 a 0,75 kW).
• Filtro de redução de ruído do tipo montagem com base (Diretriz EMC: para Classe A e Classe B).
• Outras opções comuns a todos os modelos.

1
T OS H I B A E6580757

1. Leia antes
1.1 Verifique o produto comprado
Antes de utilizar o produto que você comprou, verifique para se certificar que é exatamente o que você pediu.

Aviso
Use um inversor que esteja de acordo com as especificações da fonte de energia e com o motor trifásico de
indução utilizados. Se o inversor não estiver de acordo com essas especificações, não apenas o motor
trifásico de indução não girará corretamente, mas poderão ocorrer sérios acidentes, devido a
Mandatório superaquecimento e incêndio.

A-1
T OS H I B A E6580757

1.2 Significado do código do produto


Encontra-se adiante a explicação do tipo e da forma indicados da etiqueta:

A-2
T OS H I B A E6580757

1.3 Nomes e funções


1.3.1 Vista externa

A-3
T OS H I B A E6580757

A-4
T OS H I B A E6580757

Nota 1: Retire esta etiqueta se a temperatura ambiente for elevada.


A remoção da etiqueta invalida a classificação NEMA 1, a menos que o inversor esteja embutido em um
gabinete.
Exemplo de etiqueta

A-5
T OS H I B A E6580757

1.3.2 Placa de terminais do circuito principal e do circuito de


controle
1) Placa do circuito principal
No caso de conector de encaixe, revestir o conector de encaixe com um tubo isolado ou usar um conector de
encaixe isolado.
Dimensões do parafuso Torque de aperto
Parafuso M 3 0,8 N x m
Parafuso M 4 1,2 N x m
Parafuso M 5 2,8 N x m
Parafuso M 6 5,0 N x m

VFS9S-2002PL ~ 2022PL

A-6
T OS H I B A E6580757

VFS9S-2002PM ~ 2015PM

VFS9-2022PM/2037PM
VFS9-400PL – 4037PL

A-7
T OS H I B A E6580757

VFS9-2055PL/2057PL
4055PL/4075PL

VFS9-2110PM/2150PM
4110PL/4150PL

No caso de conector de encaixe, revestir o conector de encaixe com um tubo isolado ou usar um conector de
encaixe isolado.

A-8
T OS H I B A E6580757

2) Placa de terminais do circuito de controle


A placa de terminais do circuito de controle é comum a todos os modelos.

Dimensões do fio: Dimensões do fio:


Fio sólido: 0,3 a 1,5 mm2 Fio sólido: 0,3 a 1,5 mm2
Fio trançado: 0,3 a 1,5 mm2 Fio trançado: 0,3 a 1,5 mm2
(AWG 22 a 16) (AWG 22 a 16)
Comprimento da blindagem exposta : 6 mm Comprimento da blindagem exposta : 5 mm

Ver 2.3.2 para detalhes a respeito das funções do terminal

1.3.3. Como abrir a tampa frontal (placa de terminais)


Para conectar a placa de terminais remova a tampa frontal de acordo com os passos abaixo:

Remova o parafuso da Puxe e levante a tampa


extremidade direita da frontal (painel de terminais)
tampa frontal. na sua direção.

A-9
T OS H I B A E6580757

1.4 Notas sobre a aplicação


1.4.1 Motores
Quando o VF-S9 e o motor são utilizados em conjunto, preste atenção aos seguintes itens:

Aviso
Use um inversor que esteja de acordo com as especificações do motor trifásico de indução e com
a fonte de energia que estão sendo utilizados. Se o inversor que está sendo utilizado não estiver
de acordo com as especificações, não apenas o motor trifásico de indução não girará
Mandatório corretamente, mas isso poderá provocar acidentes sérios, por meio de superaquecimento e
incêndio.

Comparações com operação com energia comercial


O Inversor VF-S9 emprega um sistema senoidal PWM. Entretanto, a tensão de saída e a
corrente de saída não assumem uma forma de onda senoidal exata. Elas têm uma onda
distorcida que é próxima a uma forma de onda senoidal. Esse é o motivo pelo qual, quando
comparado à operação com uma fonte comercial de energia, haverá um ligeiro aumento na
temperatura, no ruído e na vibração do motor.

Operação na área de baixas velocidades


Quando operando continuamente em baixa velocidade em conjunto com um motor para
aplicações gerais, poderá haver uma diminuição no efeito de arrefecimento do motor. Se isso
ocorrer, opere com a saída abaixo da classe de carga.
Se você desejar operar continuamente em baixa velocidade no torque especificado, favor utilizar
o motor VF fabricado especialmente para o inversor Toshiba. Quando operando em conjunto
com um motor VF, você deverá mudar o nível de proteção do inversor contra sobrecarga do
motor para “Uso de motor VL .

Ajuste do nível de proteção contra sobrecarga


O inversor VF-S9 protege contra sobrecarga por meio dos seus circuitos de detecção de
sobrecarga (termo-eletrônico). A corrente de referência termo-eletrônica é ajustada para a classe
de corrente do inversor, de modo que ele deverá ser ajustado de acordo com a classe de
corrente do motor para aplicações gerais utilizado em combinação com o inversor.

Operação em alta velocidade em e acima de 60 Hz


A operação em freqüências maiores que 60 Hz aumentará o ruído e a vibração. Existe também a
possibilidade de que essa operação ultrapasse os limites de resistência mecânica do motor e os
limites dos mancais, de modo que você deverá verificar essa operação com o fabricante.

Método de lubrificação dos mecanismos de carga

A operação de um redutor lubrificado a óleo e de um moto-redutor nas áreas de baixas


velocidades, piorará o efeito de lubrificação. Verifique a área de operação com o fabricante do
moto-redutor.

A-10
T OS H I B A E6580757

Cargas extremamente baixas e cargas com baixa inércia


O motor poderá apresentar instabilidades tais como vibrações anormais e paradas por
sobrecorrrente, em cargas baixas, de 50% ou menos do percentual de carga, ou quando o momento
de inércia da carga for extremamente pequeno. Se isso ocorrer, reduza a freqüência da portadora.

Ocorrência de instabilidade
O fenômeno de instabilidade poderá ocorrer sob as combinações de carga e motor indicadas
abaixo:
Combinada com um motor que ultrapassa as classificações aplicáveis do motor recomendadas
para o inversor.
Combinada com motores especiais tais como motores à prova de explosão.
Para operar nas circunstâncias acima, baixe os ajustes de freqüência da portadora do inversor.
(Não ajuste para 2,2 kHz ou menos durante o controle do vetor).
Combinada com acoplamentos entre dispositivos de carga e motores com reação elevada.
Neste caso, ajuste a função aceleração/desaceleração padrão S e ajuste o tempo de resposta
(ajuste do momento de inércia) durante o controle do vetor ou mude para controle V/f.
Combinada com cargas que têm flutuações rápidas na rotação, tais como movimentos de pistão.
Neste caso, ajuste o tempo de resposta (ajuste do momento de inércia) durante o controle do
vetor ou mude para controle V/f.

Freando um motor quando do desligamento da fonte de energia


Com a sua fonte de energia desligada, um motor gira livremente e não para imediatamente. Para
parar rapidamente o motor assim que a fonte de energia é desligada, instale um freio auxiliar.
Existem diferentes tipos de dispositivos de frenagem. Escolha o freio que seja melhor para o
sistema.

Cargas que geram torque negativo


Quando combinada com cargas que geram torque negativo, a proteção contra sobretensão e
sobrecorrente do inversor entrará em operação e poderá provocar um desligamento. Para esse
tipo de situação, você deverá instalar um resistor de frenagem dinâmica, etc., de acordo com as
condições locais.

Motor com freio


Se um motor com freio for conectado diretamente ao lado de saída do inversor, o freio não será
liberado devido à baixa tensão de partida. Conecte o circuito do freio separado dos circuitos
principais do motor.

A-11
T OS H I B A E6580757

No circuito de configuração 1, o freio é ligado e desligado por meio do MC2 e MC3. Se o circuito
for configurado de forma diferente, o desligamento por sobrecorrente poderá ser ativado devido a
corrente de motor travado, quando o freio entrar em operação. A configuração de circuito 2 utiliza
um sinal RY de baixa velocidade para ligar e desligar o freio. Nessas aplicações, como no caso
de elevadores, poderá ser melhor ligar e desligar o freio com um sinal de baixa velocidade. Favor
nos consultar antes de projetar o sistema.

1.4.2 Inversores

Proteção de inversores contra sobrecorrente


O inversor tem uma função de proteção contra sobrecorrente. Entretanto, uma vez que o nível de
corrente é programado para o maior motor aplicável ao inversor, se o motor for de pequena
capacidade e se ele estiver em operação, o nível de sobrecorrente e a proteção termo-eletrônica
deverão ser ajustados. Se for necessário o ajuste, consulte o item 5-14 do Capítulo 5 e faça os
ajustes conforme instruções.

Capacidade do inversor
Não opere um motor de grande capacidade com um inversor de baixa capacidade (kVA), mesmo
com pequenas cargas. O ripple de corrente elevará o pico de corrente de saída, facilitando a
ocorrência de desligamento por sobrecorrente.

Capacitores para melhorar o fator de potência


Capacitores para melhorar o fator de potência não podem ser instalados no lado de saída do
inversor. Quando for operar um motor que tem um capacitor para melhorar o fator de potência
instalado, remova os capacitores. Se isso não for feito, poderá ocorrer desligamento por mau
funcionamento do inversor e a destruição do capacitor.

Operação em tensão diferente da classe de tensão


Não podem ser feitas ligações a tensões diferentes da classe de tensão informada na etiqueta de
classificação. Se tiver que ser feita uma ligação a uma fonte de energia que não uma fonte com
da classe de tensão informada, use um transformador para elevar ou baixar a tensão para a
classe informada.

A-12
T OS H I B A E6580757

Interrupção do circuito quando são utilizados dois ou mais inversores na mesma linha de energia

Não existe fusível no circuito principal do inversor. Assim sendo, conforme indicado no diagrama
acima, quando for utilizado mais de um inversor na mesma linha de energia, você deverá
escolher as características de interrupção de modo que apenas o MCCB2 seja desligado e o
MCCB1 não seja desligado se ocorrer um curto no inversor (INV1). Se você não puder escolher a
característica adequada, instale um fusível de interrupção de circuito entre o MCCB2 e o INV1.

Disposição
Se um inversor não for mais utilizável, disponha-o como lixo industrial.

1.4.3 O que fazer a respeito de fuga de corrente


Aviso
Poderá haver fuga de corrente pelos fios de entrada/saída do inversor, devido à resistência de
isolamento insuficiente no motor, com efeitos ruins para os equipamentos periféricos. O valor da
fuga de corrente é afetado pela freqüência da portadora e pelo comprimento dos fios de
entrada/saída. Teste e adote as seguintes providências contra fuga de corrente.

(1) Efeitos da fuga de corrente pelo aterramento


A fuga de corrente poderá ocorrer não apenas através do sistema do inversor mas também pelos fios de
aterramento a outros sistemas. A fuga de corrente fará com que os disjuntores de falha de terra, os relés de
corrente de fuga, os alarmes de incêndio e os sensores operem de forma inadequada e provocará um ruído
superimposto na tela do CRT ou a indicação de valores de corrente incorretos durante a detecção de corrente
no CT.

A-13
T OS H I B A E6580757

Correções:
1. Reduza a freqüência da portadora PWM
O ajuste da freqüência da portadora PWM é feito com o parâmetro
2. Utilize produtos para solução de problemas de alta freqüência (Schneider Toshiba Elecrtic
Corporation: Série Esper Mighty) para disjuntores de falha de terra. Se você utilizar
equipamentos como esse, não há necessidade de reduzir a freqüência da portadora
PWM.
3. Se os sensores e o CRT forem afetados, isso pode ser corrigido por meio da redução da
freqüência da portadora PWM conforme descrito no item 1 acima, mas se isso não puder
ser corrigido devido a um aumento no ruído magnético do motor, favor consultar a
Toshiba.

(2) Efeitos de fuga de corrente entre as linhas

(1) Relés de proteção térmica


O componente de alta freqüência da corrente de fuga entre a resistência de isolamento entre os fios de
saída do inversor aumentará os valores da corrente eficaz e fará com que os relés de proteção térmica
instalados externamente operem de forma inadequada. Se os fios forem de mais de 50 m de comprimento,
será fácil a operação incorreta dos relés de proteção térmica externos com modelos para motores com baixa
classe de corrente (vários A (ampéres) ou menos), principalmente nos modelos de baixa capacidade da
classe 400 W (3,7 kW), uma vez que a corrente de fuga aumentará na proporção da classe do motor.

A-14
T OS H I B A E6580757

Correções:
1. Use a proteção termo-eletrônica embutida no inversor.

O ajuste da proteção termo-eletrônica é feito por meio do parâmetro


2. Reduza a freqüência da portadora PWM do inversor. Entretanto, isso aumentará o ruído magnético do
motor. Use o parâmetro (2) para ajustar a freqüência da portadora PWM.
3. Isso pode ser melhorado por meio da instalação de um capacitor de filme de 0,1 µF ~ 0,5 µF – 1000 V,
nos terminais de saída de cada fase do relé de proteção térmica.

(2) TC e amperímetro
Se um TC e um amperímetro estiverem conectados externamente para detectar a corrente de saída do
inversor, o componente de alta freqüência da corrente de fuga poderá destruir o amperímetro. Se os fios
tiverem mais de 50 m de comprimento, será fácil para o componente de alta freqüência passar pelo TC externo
e se superpor e queimar o amperímetro de modelo para classe de corrente baixa (vários A (ampéres) ou
menos), especialmente os modelos da classe 400 V com baixa capacidade (3,7 kW ou menos), uma vez que a
corrente de fuga aumentará na proporção da classe de corrente do motor.
Correções:
1. Use um terminal de medição de saída no circuito de controle do inversor.
A corrente de saída pode sair pelo terminal de medição de saída (FM). Se o medidor estiver
conectado, use um amperímetro de 1 mACC de plena escala ou um voltímetro de 7,5V-1 mA de
plena escala.
2. Use as funções do monitor embutido no inversor.
Use as funções do monitor do painel embutido no inversor para verificar os valores de corrente.

A-15
T OS H I B A E6580757

1.4.4 Instalação

Ambiente da instalação
O inversor VF-S9 é um instrumento de controle eletrônico. Tome o devido cuidado de instala-lo no ambiente
operacional adequado.

Perigo
• Não coloque quaisquer substâncias inflamáveis próximas ao Inversor VF-S9. Se ocorrer um acidente no
qual seja emitida chama, poderá ocorrer um incêndio.
Proibido
• Opere nas condições ambientais prescritas no manual de instruções. Operações sob quaisquer outras
condições poderão resultar em mau funcionamento.
Mandatório

Aviso
• Não instale o Inversor VF-S9 em qualquer local sujeito a grandes níveis de vibração. Isso poderá
provocar a queda da unidade, resultando em ferimentos.
Proibido
• Verifique e assegure-se de que a tensão de entrada é +10%, -15% da classe de tensão de alimentação
informada na etiqueta de classificação (±10% quando a carga for de 100% em operação contínua). Se a
tensão de saída não for de +10%, -15% da classe de tensão de alimentação informada na etiqueta de
Mandatório classificação (±10% quando a carga for de 100% em operação contínua), poderá ocorrer um incêndio.

Aviso
• Evite operar o inversor em qualquer local onde haja aspersão direta dos seguintes solventes ou produtos
químicos. Os componentes plásticos poderão ser danificados até um certo grau, dependendo dos seus
formatos, e há a possibilidade de as tampas plásticas estarem abertas e os componentes de plástico
serem respingados. Se o produto químico ou o solvente não for algum dos indicados abaixo, favor
contatar-nos com antecedência.
(Tabela 1) Exemplos de produtos químicos e solventes (Tabela 2) Exemplo de produtos químicos e
aplicáveis:
solventes não aplicáveis:
Produto Químico Solvente
Produto Químico Solvente
Ácido hidroclorídrico Metanol
(densidade de 10% ou menos) Fenol Gasolina, querosene,
Proibido óleo leve
Ácido sulfúrico Etanol
(densidade de 10% ou menos) Ácido Turpentine oil
Ácido nítrico Triol Benzenosulfônico
(densidade de 10% ou menos)
Benzol
Soda cáustica Mesopropanol
Thinner
Amônia Glicerina
Cloreto de sódio (sal)

Nota: A tampa plástica é resistente à deformação pelos solventes acima. Não há exemplos para resistência
a fogo ou explosão.

A-16
T OS H I B A E6580757

• Não instale em qualquer local sujeito a temperatura


elevada, umidade elevada, condensação de umidade
ou congelamento, e evite locais onde haja exposição
à água e/ou onde possa haver grandes quantidades
de poeira, fragmentos metálicos ou névoa oleosa.
• Não instale em qualquer local onde estejam
presentes gases corrosivos ou fluidos abrasivos.

• Opere em áreas onde a temperatura ambiente varie entre –10 oC e 60 oC.


(A operação acima de 40 oC é permitida se for retirada a etiqueta superior de aviso. A operação acima de 50
o
C é permitida com a redução da classe de corrente para 70 oC ou menos).

Nota: O inversor é um corpo emissor de calor. Assegure-se de fornecer espaço e ventilação suficientes, quando
da instalação em gabinetes. Quando da instalação fora de gabinetes, recomendamos a retirada da
etiqueta superior, mesmo em 40 oC ou menos.
• Não instale em qualquer local sujeito a grandes níveis de vibração.
Nota: Se o Inversor VF-S9 for instalado em um local sujeito a
vibração, são necessárias medidas anti-vibração. Favor
consultar a Toshiba a respeito de medidas anti-vibração.

• Se o Inversor VF-S9 for instalado próximo a qualquer dos equipamentos relacionados abaixo, tome
providências contra erros de operação.
Solenóides: Instale um supressor de picos na bobina.
Disjuntores: Instale um supressor de picos na bobina.
Contatores magnéticos: Instale um supressor de picos na bobina.
Lâmpadas fluorescentes: Instale um supressor de picos na bobina.
Resistores: Coloque bem longe do Inversor VF-S9.

A-17
T OS H I B A E6580757

■ Como instalar

Perigo
• Não instale ou opere o inversor se ele estiver danificado ou com qualquer componente faltando. Isso
poderá resultar em choque elétrico ou incêndio. Para reparos, favor consultar o agente local de vendas.
Proibido
• Deverá ser instalados em materiais não inflamáveis, tais como metais. O painel traseiro fica muito quente,
de forma que se a instalação for feita em materiais inflamáveis poderá ocorrer um incêndio.
• Não opere com a tampa do painel frontal removida. Isso poderá resultar em choque elétrico.
• Deverá ser instalado um dispositivo de parada de emergência de acordo com as especificações do
sistema (por exemplo: desligamento da energia e aplicação de freio mecânico). A operação não pode ser
Mandatório parada imediatamente apenas pelo inversor, aumentando assim o risco de acidente ou de ferimento.
• Todos os opcionais utilizados deverão ser os especificados pela Toshiba. A utilização de qualquer outro
opcional poderá resultar em acidente.

Aviso
• A unidade principal deverá ser instalada em uma base que possa suportar o peso da unidade. Se a
unidade for instalada em uma base que não possa suportar esse peso, a unidade poderá cair provocando
ferimento.
Mandatório • Se for necessário um freio (para parar o eixo do motor), instale um freio mecânico. O freio do inversor não
funcionará como um freio mecânico e, se utilizado com esse objetivo, poderá provocar ferimento.

Local da instalação
Escolha um local com boa ventilação interna, coloque o inversor na posição vertical e prenda-o a uma superfície
metálica.
Se você estiver instalando mais de um inversor, a separação entre os inversores deverá ser de pelo menos 5
centímetros e eles deverão estar dispostos em linhas horizontais.
Se os inversores estiverem dispostos horizontalmente sem espaço ente eles (instalação lado a lado), retire os selos
de ventilação do topo dos inversores e opere a 40 oC ou menos (modelo de 3,7 kW ou menos). Opere a 50 oC ou
menos (modelo de 5,5 kW ou mais).

O espaço indicado no diagrama é o espaço mínimo permitido, Uma vez que o equipamento resfriado a ar tem
ventoinhas para resfriamento na superfície do topo ou da base, deixe espaço tão grande quanto possível no topo e
na base, para permitir a passagem de ar.

A-18
T OS H I B A E6580757

Nota: Não instale em qualquer local onde haja umidade ou temperatura elevadas ou onde haja grandes
quantidades de poeira, fragmentos metálicos ou névoa oleosa. Se você vai instalar o equipamento em
qualquer área que apresente problemas potenciais, favor consultar a Toshiba antes de faze-lo.

Valores caloríficos do inversor e ventilação necessária


As perdas de energia quando o inversor converte energia de CA para CC e de volta para CA são de cerca de 5 por
cento. Para eliminar o aumento da temperatura no interior do gabinete, quando essa perda se transforma em perda
de calor, o interior do gabinete deverá ser ventilado e resfriado.
A quantidade de ventilação exigida para resfriamento por meio de ar forçado necessária e a quantidade de
superfície necessária para a dissipação de calor, quando da operação em um gabinete selado, de acordo com a
capacidade do motor, são as seguintes:

Valores Área da superfície


Capacidade do Quantidade de
Caloríficos ventilação exigida
de dissipação de
Classe de motor em Tipo de calor necessária
para resfriamento por
Tensão operação Inversor Freqüência Freqüência da ar forçado
para gabinete
(kW) 3 fechado
da Portadora Portadora (m /min) 2
(m )
4 kHz 12 kHz
Monofásico 0,2 VFS9S 2002PL 23 29 0,23 0,8
Classe 200 v 0,4 2004PL 47 60 0,29 1,0
0,75 2007PL 74 88 0,40 1,4
1.5 2015PL 142 169 0,60 2,1
2.2 2022PL 239 270 0,80 2,8
Monofásico 0,2 VFS9- 2002PM 21 26 0,23 0,8
Classe 200 v 0,4 2004PM 43 54 0,29 1,0
0,75 2007PM 67 79 0,40 1,4
1,5 2015PM 131 150 0,60 2,1
2,2 2022PM 168 195 0,80 2,8
3,7 2037PM 330 374 1,2 4,3
5,5 2055PL 450 510 1,7 6,1
7,5 2075PL 576 635 2,3 8,1
11 2110PM 750 820 3,4 12,0
15 2150PM 942 1035 4,6 16,00
Trifásico 0,75 VFS9- 2007PL 44 57 0,40 1,4
Classe 400 V 1,5 2015PL 77 99 0,60 2,1
2,2 2022PL 103 134 0,80 2,8
3,7 2037PL 189 240 1,2 4,3
5,5 2055PL 264 354 1,7 6,1
7,5 2075PL 358 477 2,3 8,1
11 2110PL 490 650 3,4 12,0
15 2150PL 602 808 4,6 16,0

Notas:
1. A perda de calor para dispositivos opcionais externos (reator de entrada, reator de CC, filtros para redução de
rádio-ruído, etc.) não está incluída nos valores caloríficos da tabela.
2. Caso de operação com 100% de Carga Contínua.

Ajuste do painel levando em conta os efeitos do ruído


O inversor gera ruído de alta freqüência. Quando da determinação do ajuste do painel de controle, deverá ser
considerado o ruído. Encontram-se abaixo exemplos de providências:
• Faça as ligações de forma que os fios do circuito principal e os do circuito de controle fiquem separados. Não
os coloque em um mesmo conduíte, não os caminhe e paralelo e não os agrupe.
• Utilize fio trançado e blindado para a ligação do circuito de controle.
• Separe os fios de entrada (energia) e de saída (motor) do circuito principal. Não os coloque no mesmo
conduíte, não os caminhe e paralelo e não os agrupe.

• Aterre os terminais de aterramento do inversor

A-19
T OS H I B A E6580757

• Instale um supressor de pico em qualquer contator magnético e bobina de relé utilizados no inversor.
• Instale filtros de ruído, se necessário.
• Instale a placa EMC (incluídas como padrão) e fios blindados na placa EMC.

Instalação de mais de uma unidade em um gabinete


Se você está instalando dois ou mais inversores em um gabinete, preste atenção ao seguinte:

• Garanta um espaço de pelo menos 5 centímetros nos lados esquerdo e direito dos inversores.
* Se os inversores estão dispostos horizontalmente sem espaço entre eles (instalação lado a lado), remova os
selos de ventilação do topo dos inversores e opere a 40 oC ou menos (modelo de 3,7kW ou menos) ou 50 oC
(modelo de 5,5kW ou mais).

• Garanta um espaço de pelo menos 20 centímetros no topo e na base dos inversores.

• Instale uma placa defletora de ar, de modo que o ar quente subindo do inversor de baixo não afete o inversor
de cima.

A-20
T OS H I B A E6580757

2. Equipamento de conexão

Perigo
• Nunca desmonte, modifique ou repare. Isso poderá provocar choque elétrico, incêndio e
ferimento. Para reparos, chame o seu agente de vendas.

Desmontagem
Proibida
• Não enfie os dedos em aberturas, tais como o orifício para ligação do cabo e as tampas das
ventoinhas de resfriamento. Isso poderá provocar choque elétrico e ferimento.
• Não coloque ou insira qualquer tipo de objeto no interior do inversor (cortadores de fios,
hastes, fios). Isso poderá provocar choque elétrico ou incêndio.
Proibido • Não permita que água ou outro fluido entre em contato com o inversor. Isso poderá resultar
em choque elétrico ou incêndio.

Aviso
• Quando do transporte ou carregamento, não segure o inversor pelas tampas do painel frontal.
As tampas poderão soltar e a unidade cairá, provocando um ferimento.
Proibido

2.1 Cuidados na ligação

Perigo
• Nunca remova a tampa frontal quando a energia estiver ligada ou, no caso de gabinete
fechado, se a porta estiver aberta.
Proibido
• Ligue a energia apenas após fechar a tampa frontal ou fechar a porta, se estiver instalado em
um gabinete. Se a energia for ligada sem a tampa frontal estar fechada ou sem fechar a porta,
se instalado em um gabinete, poderá ocorrer um choque elétrico ou outro ferimento.
• trabalho de montagem elétrica deverá ser feito por um especialista qualificado. A conexão da
energia por alguém que não tenha conhecimento especializado, poderá resultar em incêndio
ou choque elétrico.
• Conecte corretamente os terminais de saída (lado do motor). Se a seqüência de fases estiver
incorreta, o motor operará no sentido inverso e isso poderá resultar em ferimento.
• Antes da ligação deverão ser seguidos os seguintes passos:
(1) Desligue toda a energia de entrada.
Mandatório
(2) Aguarde pelo menos dez minutos, verifique e certifique-se de que a lâmpada de carga não
está mais acesa.
(3) Use um testador que possa medir tensão em CC (800 VCC ou mais) e verifique para
assegurar-se de que a tensão nos circuitos principais de CC (entre PA-PC) é de 45 V ou
menos.
• Se esses passos não forem seguidos corretamente, a ligação provocará choque elétrico.
• Aperte os parafusos da placa de terminais com o torque especificado. Se os parafusos não
forem apertados com o torque especificado, isso poderá provocar um incêndio.

B-1
T OS H I B A E6580757

Perigo
• O terra deverá ser conectado firmemente. Se o terra não for conectado firmemente,
poderá ocorrer choque elétrico ou incêndio, quando ocorrer uma falha ou fuga de
Aterrar corrente.

Aviso
• Não instale dispositivos com capacitores embutidos (tais como filtros de ruído ou
eliminadores de pico) no terminal de saída (lado do motor). Isso poderá provocar
Proibido incêndio.

■ Evitando rádio-ruído
Para evitar interferência elétrica, tal como rádio-ruído, empacote os fios para os terminais de força do circuito
principal (R/L1, S/L2, T/L3) separados dos fios para os terminais do motor (U/T1, V/T2 e W/T3).

Fonte de energia principal e de controle


A fonte de energia de controle e a fonte de energia principal do VF-S9 são a mesma.
Se uma falha ou parada provocar o desligamento do circuito principal, a energia de controle também será
desligada. Quando da verificação da causa da falha ou do desligamento, utilize o parâmetro seleção de
manutenção do desligamento.

Ligação
• Devido ao pequeno espaço entre os terminais do circuito principal, use terminais de pressão com luva para os
conectores. Conecte os terminais de modo que os terminais adjacentes não se toquem.

• Para o terminal de terra use fios de bitola equivalente ou superior às indicadas na tabela 10.2 e sempre
aterre o inversor (classe de tensão 200 V: terra tipo D [anteriormente terra tipo 3]; classe de tensão 400 V:
terra tipo C [anteriormente terra tipo 3]).
• Utilize fio terra tão curto e grosso quanto possível e ligue-o tão perto quanto possível do inversor.
• Para bitolas dos fios, ver tabela 9.1.
• O comprimento do fio do circuito principal na tabela 10-1 não deverá ser superior a 30 metros. Se o
comprimento do fio for superior a 30 metros, a bitola do fio (diâmetro) deverá ser aumentada.

B-2
T OS H I B A E6580757

2.2 Conexões padrão

Perigo
• Não conecte a energia de entrada aos terminais de saída (lado do motor) (U/T1, V/T2, W/T3). A
conexão da energia de entrada à saída poderá destruir o inversor e provocar incêndio.
• Não conecte resistores aos terminais de CC (entre PA-PC ou entre PO-PC). Isso poderá provocar
incêndio. Conecte resistores conforme indicado nas instruções para “Instalação de resistores de
frenagem separados”.
Proibido
• Primeiro desligue a energia de entrada e aguarde pelo menos dez minutos antes de tocar os fios
do equipamento (MCCB) que estão ligados ao lado de força do inversor. Tocar os fios antes desse
tempo poderá resultar em choque elétrico.
• Conecte firmemente ao terra com um fio terra. Se não for feita uma conexão firme ao terra, isso
poderá provocar choque elétrico ou incêndio, quando ocorrer um mau funcionamento ou fuga de
Conecte corrente.
sempre ao terra

B-3
T OS H I B A E6580757

2.2.1 Diagrama 1 de conexão padrão – saída (comum CC)


Este diagrama mostra uma ligação comum ao circuito principal.

B-4
T OS H I B A E6580757

2.2.2 Diagrama 2 de conexão padrão – fonte (comum: P24)

B-5
T OS H I B A E6580757

2.3 Descrição dos terminais


2.3.1 Terminais do circuito principal
Este diagrama mostra um exemplo de ligação do circuito principal. Se necessário, utilize opções.

B-6
T OS H I B A E6580757

■ Circuito principal
Símbolo do Função do Terminal
Terminal
Terminal de aterramento para conexão à carcaça do inversor.

R/L1, S/L2, T/L3 Classe 200 V: monofásico 200 ~ 400 V – 50/60Hz


Trifásico 200 ~ 230 v - 50/60Hz
Classe 400 V: trifásico 380 ~ 500 V - 50/60Hz
* A série monofásica não tem o terminal T/L3.
U/T1, V/T2, W/T3 Conectar ao motor (trifásico de indução).
PA, PB Conectar aos resistores de frenagem.
Se necessário, modificar os parâmetros e .
PC Este é um terminal de potencial negativo do circuito principal interno de CC. A energia
comum em CC pode ser introduzida através dos terminais PA (potencial positivo).
PÓ, PA Terminais para conexão de um reator de CC (DCL: dispositivo externo opcional). Ligado em
curto por meio de uma barra de curto fornecida pela fábrica. Remover a barra de curto
antes de instalar o DCL.

2.3.2 Terminais do circuito de controle (lógica de saída)


A placa de terminais do circuito de controle é a mesma para todos os modelos.
Bitolas dos fios: Ver 1.3.2.

Símbolo
Entrada/ Especificações
do Função Circuitos internos do inversor
Saída Elétricas
Terminal
F Entrada A ligação em curto entre F-CC provoca
rotação para diante. Aberto provoca
Contato de entrada multifunção programável.

diminuição da velocidade e parada.


R Entrada A ligação em curto entre R-CC provoca
rotação invertida. Aberto provoca diminuição
da velocidade e parada.
RST A ligação em curto entre RST-CC provoca
uma suspensão do religamento, quando a Nenhuma entrada de
função de proteção do inversor estiver contato de tensão 24
Entrada
operando. Observar que, quando o inversor vcc-5 mA ou menos.
está em operação normal, ele não operará
* Fonte-saída
mesmo se houver um curto entre RST-CC.
chaveável (JP301)
S1 Entrada A ligação em curto entre S1-CC provoca a
operação na velocidade pré-ajustada.
S2 Entrada A ligação em curto entre S2-CC provoca a
operação na velocidade pré-ajustada.
S3 Entrada A ligação em curto entre S3-CC
provoca a operação na velocidade
pré-ajustada.

B-7
T OS H I B A E6580757

Símbolo do Entrada/ Especificações


Função Circuitos internos do inversor
Terminal Saída Elétricas
CC Comum a Terminal equipotencial do circuito de
entrada/saída controle

Entrada analógica de ajuste da saída 10 VCC (corrente de carga


PP Saída
de força admissível: 10 mACC)

Entrada analógica programável


multifunção. Ajuste padrão: entrada de
4-20 mA
I* Entrada 4(0)~20 mACC e freqüência 0~50 Hz
(impedância interna: 400 Ω)
(ajuste 50 Hz) ou 0~60 Hz (ajuste 60
Hz)

Entrada analógica programável


10 VCC
VA * Entrada multifunção. Ajuste padrão: entrada de
(impedância interna: 30kΩ)
0~10 VCC e freqüência 0~80 Hz

Entrada analógica programável


multifunção. Ajuste padrão: entrada de 10 VCC
VIB Entrada
0~10 VCC e freqüência 0~50 hz (ajuste (impedância interna: 30kΩ)
50 hz) ou 0~60 hz (ajuste 60 hz)

Entrada analógica programável Amperímetro de 1 mACC de


multifunção. Ajuste padrão: corrente de escala plena ou voltímetro de
saída. Conectar um amperímetro de 1 CC de 7,5 VCC 1 mA de escala
FM Saída mACC de escala plena ou um plena
voltímetro de 7,5 VCC de escala plena.
Pode mudar para 0-20 mA (4-20 mA) Amperímetro de CC de 0-20
por meio da chave ponte JP302. ma (4-20 mA) de escala plena

Comum a Terminal equipotencial do circuito de


CC
entrada/saída controle

P24 Saída Saída de força 24 VCC 24 VCC – 100 mA

B-8
T OS H I B A E6580757

Símbolo do Entrada/ Especificações


Função Circuitos internos do inversor
Terminal Saída Elétricas

Coletor aberto de saída programável


multifunção. Saída do coletor aberto: 24 VCC-
OUT Saída O ajuste padrão detecta e produz 50 mA
freqüências de saída de sinal de * Saída-fonte Chaveável (JP301A)
baixa velocidade.

Relé de contato de saída


programável multifunção. Classes de
contato: 250 VCA-2 A (cosφ=1), 30 250 vca-2 a (cosφ=1): a uma
RC
Saída VCC-1 A, 250 vca-1 a (cosφ=4). carga de resistência de 30 vcc-1 a
RY
A ajuste padrão detecta e produz 250 vca-1 a (cosφ=4)
freqüências de saída de sinal de
baixa velocidade.

Relé de contato de saída


programável multifunção. Classes de
contato: 250 vca-2 a (cosφ=1), 30
FLA vcc-1 a, 250 vca-1 a (cosφ=4). 250 vca-2 a (cosφ=1): a uma
FLB Saída Detecta a operação da função de carga de resistência de 30 vcc-1 a
FLC proteção do inversor. O contato 250 vca-1 a (cosφ=4)
entre FLA-FLC é fechado e FLB-FLC
é aberto durante a operação da
função de proteção.

B-9
T OS H I B A E6580757

■ Lógica de saída (comum negativa)/lógica da fonte (comum positiva)


Alternância lógica dos terminais de entrada/saída
A corrente de saída liga os terminais de entrada de controle. Eles são chamados de terminais lógicos de saída
(final do Tipo/Forma: NA/WN). O método geral utilizado na Europa é o de fonte lógica na qual a corrente de entrada
no terminal de entra liga o terminal (final do Tipo/Forma: WP).

B-10
T OS H I B A E6580757

■ Alternância lógica/ Alternância de tensão-corrente de saída(ponte)


(1) Alternância lógicA
JP301: Entrada, JP310A: Saída
Faça a alternância lógica antes de conectar o inversor e sem fornecimento de energia. Se a saída e a fonte
estiverem alternadas na primeira vez que a energia for fornecida após a alternância lógica ou enquanto a
energia está sendo alimentada para o inversor, isso destruirá o inversor. Verifique primeiro para assegurar-
se de que a alternância está correta e, então, ligue a energia.
(2) Alternância de tensão-corrente de saída
JP302
Alterne os terminais FM de saída de tensão-corrente antes de conectar o inversor e sem fornecimento de
energia.

* Apos a alternância da saída fonte lógica, certifique-se de alternar novamente. A alternância não pode ser feita com
facilidade

B-11
T OS H I B A E6580757

3. Operações

Perigo
• Não toque os terminais do inversor quando a energia elétrica estiver conectada ao inversor, mesmo se o
motor estiver parado. Tocar os terminais do inversor enquanto a energia estiver conectada poderá
provocar choque elétrico.
• Não toque as chaves quando as mãos estiverem molhadas e não tente limpar o inversor com um pano
úmido. Essas práticas podem provocar choque elétrico.
Proibido • Não se aproxime do motor na condição de alarme-parado, quando a função religar estiver selecionada. O
motor poderá ser religado repentinamente e isso poderá provocar ferimento. Adote medidas de
segurança, como por exemplo: fixar uma tampa ao motor para evitar acidentes quando o motor for
religado inesperadamente.
• Ligue a energia somente após prender a tampa frontal ou fechar a porta, se instalado em um gabinete. Se
a energia for ligada sem a tampa frontal estar presa ou sem o fechamento da porta, se instalado em um
gabinete, poderá ocorrer um choque elétrico ou outros ferimentos.
• Se o inversor começar a emitir fumaça ou odores anormais, desligue imediatamente a energia. Se o
equipamento continuar operando nesse estado, poderá ocorrer um incêndio. Chame o representante local
de vendas para reparos.
• Sempre desligue a energia do inversor, se ele não for utilizado por longos períodos de tempo.
Mandatório • Ligue a energia de entrada após fixar a tampa frontal. Quando instalado em um gabinete e utilizado com
a tampa frontal removida, sempre feche as portas do gabinete primeiro e, então, ligue a energia. Se a
energia for ligada com a tampa frontal ou as portas do gabinete abertas, poderá ocorrer choque elétrico.
• Assegure-se de que os sinais de operação estão desligados antes de religar o inversor após uma falha.
Se o inversor for religado antes de desligar o sinal de operação, o motor poderá ser religado
repentinamente, provocando um ferimento.

Perigo
Não toque as aletas de irradiação de calor ou os resistores de descarga. Esses dispositivos são quentes e você
se queimará se toca-los.

Contato
Proibido
Observe sempre as faixas de operação permitidas dos motores e dos demais equipamentos (ver manual de
instruções do motor). Se essas faixas não forem observadas, poderá ocorrer um ferimento.
Proibido

C-1
T OS H I B A E6580757

3.1 Como operar o VF-S9


Visão geral de como operar o inversor, por meio de exemplos simples.

Exemplo 1: Definição da freqüência de operação por meio do potenciômetro embutido e


partindo/parando por meio do painel de operação.
(1) Ligação

(2) Ajuste dos parâmetros (ajuste padrão)


Título Função Valor Programado
Seleção do modo de comando 1

Seleção do modo de ajuste de freqüência 2

(3) Operação

Partida/Parada: Pressione as chaves e


Ajuste da freqüência: Acerte a posição de ajuste dos entalhes do potenciômetro.

C-2
T OS H I B A E6580757

Exemplo 2: Ajuste da freqüência de operação por meio do painel de operação e


partindo/parando por meio do painel de operação.

(1) Ligação

(2) Ajuste dos parâmetros


Título Função Programado Valor
Seleção do modo de comando 1

Seleção do modo de ajuste da freqüência 1

(3) Operação

Partida/parada: Pressione as teclas e do painel.

Ajuste da freqüência: Ajuste com as teclas e do painel de operação.

Para armazenar as freqüências na memória, pressione a tecla .


e as teclas de ajuste de freqüência piscarão alternadamente.

C-3
T OS H I B A E6580757

Exemplo 3: Ajuste da freqüência de operação por meio do potenciômetro embutido e


partindo/parando por meio dos sinais externos.

(1) Ligação

(2) Ajuste dos parâmetros


Título Função Programado Valor
Seleção do modo de comando 0

Seleção do modo de ajuste da freqüência 2

(3) Operação
Partida/parada: Entrar LIGA/DESLIGA em F-CC e R-CC (Ajustar JP301 para Saída lógica).
Ajuste da freqüência: Acerte a posição de ajuste dos entalhes do potenciômetro.

C-4
T OS H I B A E6580757

Exemplo 4: Ajuste da freqüência de operação e partida/parada por meio dos sinais externos
(1) Ligação

(2) Ajuste dos parâmetros


Título Função Programado Valor
Seleção do modo de comando 0

Seleção do modo de ajuste da freqüência 0

(3) Operação
Partida/parada: Entrar LIGA/DESLIGA em F-CC e R-CC (Ajustar JP301 para Saída lógica).
Ajuste da freqüência: VIA e VIB: 0~10 VCC (potenciômetro externo)
II: Entrada: 4~20 mACC
Nota: O terminal VIA e o Terminal II não podem ser utilizados ao mesmo tempo.

C-5
T OS H I B A E6580757

3.2 Operação simplificada do VF-S9


Os procedimentos para ajustar a freqüência e os métodos de operação podem ser selecionados entre os seguintes:
(1) Partida e parada usando os sinais externos do painel de
Partida e parada terminais; e
(2) Partida e parada a partir do painel de operação.
(1) Ajuste por meio dos sinais externos para o painel de terminais
Ajuste de Freqüência (0-10 VCC; 4-20 ACC);
(2) Ajuste por meio do painel de operação; e
(3) Ajuste por meio do potenciômetro da unidade principal do
inversor.

Utilize os parâmetros básicos (seleção do modo de comando) e (seleção do modo de ajuste da


freqüência) para selecionar.
Título Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: Painel de terminais
Seleção do modo de comando 1
1: Painel de operação
0: Painel de terminais
Seleção do modo de ajuste da freqüência 1: Painel de operação 2
2: Potenciômetro interno

[Etapas para ajuste dos parâmetros]


Tecla Acionada Indicador LED Operação
Indica a freqüência de operação (operação parada). (Quando a indicação
padrão do monitor é ajustada para [freqüência de operação]).

Pressione a tecla MON para mostrar o primeiro parâmetro básico


(aceleração/desaceleração automática).

Pressione a tecla ▲ ou a tecla para selecionar

Pressione a tecla ENTER para mostrar o parâmetro ajustado (Ajuste


padrão: (39)).

Mude o parâmetro para (Placa de terminais) pressionando a tecla ▲

Pressione a tecla ENTER para gravar o parâmetro modificado. eo


valor do parâmetro ajustado são mostrados alternadamente.

Pressione a tecla ▲ ou a tecla ▼ para selecionar

Pressione a tecla ENTER para mostrar o ajuste do parâmetro (Ajuste


padrão:

Mude o parâmetro (painel de operação) pressionando a tecla ▲.

Pressione a tecla ENTER para gravar o parâmetro modificado. e


o valor do parâmetro ajustado serão mostrados alternadamente.
* Pressionando a tecla MON duas vezes retorna o mostrador para o modo de monitor padrão (indicando a
freqüência de operação).

C-6
T OS H I B A E6580757

3.2.1 Como partir e parar


(1)- Partida e parada usando as teclas do painel de operação :

Use as teclas e do painel de operação para partir e parar o motor.

RUN: Parte o motor

STOP: para o motor (parada com desaceleração)


2- Partida e parada usando os sinais externos para o painel de terminais (6).
Use os sinais externos para o painel de terminais do inversor para partir e parar o motor (ajuste o JP301 para
saída lógica).

Terminais e ligados em
curto: acionamento para frente

Terminais e abertos:
desaceleração e partida

3.2.2 Como ajustar a freqüência


(1) Ajuste da freqüência usando o potenciômetro da unidade principal do inversor ( : )
Ajuste a freqüência por meio das ranhuras do potenciômetro.

Para freqüências mais elevadas, mova no sentido horário na direção


das ranhuras mais elevadas.

C-7
T OS H I B A E6580757

(2) Ajuste da freqüência por meio do painel de operação ( : )


Ajuste a freqüência a partir do painel de operação.

: Muda a freqüência para cima

: Muda a freqüência para baixo

■ Exemplo de partida por meio do painel de operação


Tecla Acionada Indicação do LED Operação
Indica a freqüência de operação.
(Quando a seleção padrão de indicação do monitor (11) for
ajustada para 0 [freqüência da operação])
Ajusta a freqüência da operação.

Pressione a tecla ENTER para gravar a freqüência de operação.


(12) e a freqüência ajustada são mostradas alternadamente.

Pressionando a tecla (13) ou a tecla (14) mudará a freqüência da


operação, mesmo durante a operação.

(3) Ajustando a freqüência por meio de sinais externos para o painel de terminais ( : ).

■ Ajuste da freqüência
1) Ajuste a freqüência por meio de um potenciômetro externo

C-8
T OS H I B A E6580757

2) Ajuste da freqüência por meio da tensão de entrada (0~10 V)

3) Ajuste da freqüência por meio da corrente de entrada (4~20 mA)

C-9
T OS H I B A E6580757

4. Operações básicas do VF-S9


O VF-S9 tem os seguintes três modos de monitor:
modo padrão do inversor O modo padrão do inversor. Esse modo é ativado quando é desligada a energia do inversor.

Este modo é para o monitoramento da freqüência de saída e para o ajuste do valor


designado da freqüência. Nesse modo é também mostrada informação a respeito dos
alarmes de situação durante a operação e os desligamentos.
• Ajuste dos valores designados de freqüência: ver 3.2.2
• Alarme de situação
Se houver um erro no inversor, o sinal de alarme e a freqüência piscarão
alternadamente no mostrador LED.

: Quando circula uma corrente no ou maior que o nível de parada por sobrecorrente.
: Quando é gerada tensão no ou maior que o nível de parada por sobretensão.

: Quando a carga atinge 50% ou mais do valor de desligamento por sobrecarga.


: Quando a temperatura interna do inversor atinge o nível de alarme da proteção
contra sobreaquecimento.
Modelo de 3,7kW ou menos: cerca de 115 oC.
Modelo de 5,5kW ou mais: cerca de 92 0C

O modo para ajuste dos parâmetros do inversor.


Modo Monitorarando Ajuste
Para mais detalhes a respeito de ajuste de parâmetros, ver 4.1.
O modo para monitoramento de todas as situações do inversor.
Permite o monitoramento do ajuste de freqüências, de tensão/corrente de saída e das
Modo Monitorando Status
informações sobre o terminal.
Para mais detalhes a respeito de ajuste de parâmetros, ver 8.1.

Pressionando a tecla o inversor mudará para cada um dos modos adiante:

D-1
T OS H I B A E6580757

Ajuste do modo do monitor

4.1 Como ajustar os parâmetros


Os parâmetros padrão são programados na fábrica. Os parâmetros podem ser divididos em três categorias
principais. Selecione o parâmetro a ser modificado ou a ser procurado e recuperado.
Os parâmetros básicos que têm que ser programados
Parâmetros básicos: antes da primeira utilização.
Parâmetros estendidos: Os parâmetros para ajustes detalhados ou especiais.
Indica os parâmetros que são diferentes dos parâmetros
Parâmetros do usuário padrão. Use-os para verificação após o ajuste ou a
(função de edição automática): modificação do ajuste.
(Nome do parâmetro: ).
Quando é introduzido o ajuste padrão ( ), este
Parâmetros de ajuste:
parâmetro é indicado.

* Faixa de ajuste dos parâmetros


: Foi feita uma tentativa de atribuir um valor que é maior que a faixa programável; ou, em
conseqüência da modificação de outro parâmetro, o valor programado do parâmetro atualmente
selecionado está acima do limite superior.
: Foi feita uma tentativa de atribuir um valor que é menor que a faixa programável; ou, em
conseqüência da modificação de outro parâmetro, o valor programado do parâmetro atualmente
selecionado está abaixo do limite superior.
Se os alarmes acima estiverem piscando, nenhum ajuste poderá ser feito nos valores que sejam iguais ou
maiores que ou iguais ou menores que .
Enquanto estes códigos estiverem piscando, nenhuma modificação poderá ser feita em qualquer parâmetro.

D-2
T OS H I B A E6580757

Parâmetros básicos

4.1.1 Como ajustar os parâmetros básicos


Todos os parâmetros básicos podem ser ajustados seguindo as mesmas etapas do procedimento adiante.
[Etapas de digitação de teclas para os parâmetros básicos]
Muda para o modo de monitoramento de ajuste.

* Os inversores vêm de fábrica com


os parâmetros ajustados de acordo
Seleciona o parâmetro a ser alterado. com o padrão.
* Selecione os parâmetros a serem
modificados a partir da “Tabela de
parâmetros”.
Lê o ajuste do parâmetro programado. * Se ocorrer algo que você não
consegue entender durante a
operação, pressione a tecla MON
para voltar para a indicação
Altera o ajuste do parâmetro. .

Grava o valor alterado do ajuste do parâmetro.

Os passos para o ajuste são os seguintes (o exemplo adiante é o da alteração da freqüência máxima de 80 Hz
para 60 Hz).
Tecla Mostrador Operação
Pressionada LED
Mostra a freqüência de operação (operação parada). (Quando a
indicação da seleção de monitor padrão (18) é ajustada para 0
[freqüência de operação]).
Pressione a tecla MON para mostrar o primeiro parâmetro básico (19)
(aceleração/desaceleração automática).

Pressione a tecla (20) ou (21) para selecionar (22).

Pressione a tecla ENTER para ler a freqüência máxima.

Pressione a tecla (23) para modificar a freqüência máxima para 60 hz.

Pressione a tecla ENTER para gravar a freqüência máxima alterada.


(24) e a freqüência são mostradas alternadamente.

Após esses
passos: ◊ Mostra o parâmetro ◊ Muda para ◊ Mostra os nomes dos
programado mostrador, na demais parâmetros.
situação de
monitoramento.

D-3
T OS H I B A E6580757

4.1.2 Como ajustar os parâmetros estendidos


O VF-S9 tem parâmetros estendidos para permitir que você utilize plenamente as suas funções. Todos os
parâmetros estendidos são expressos por meio de um F e três dígitos.

Pressione a tecla MON uma vez e use Pressione a tecla ▲ e a tecla ▼ para
a tecla ▲ e a tecla ▼ para selecionar selecionar o parâmetro a ser alterado.
F- - - a partir dos parâmetros Então, pressione a tecla ENTER para
básicos. mostrar o parâmetro ajustado.

[Etapas de digitação de teclas para os parâmetros estendidos]


: Muda para o modo de monitoramento de ajuste. (indica ).

: Seleciona “ “ a partir dos parâmetros básicos.

: Mostra o primeiro parâmetro estendido.

: Seleciona o parâmetro estendido a ser alterado.

: Lê o ajuste do parâmetro programado.

: Modifica o ajuste do parâmetro.

: Grava o valor alterado do parâmetro estendido.

Pressionando a tecla no lugar da tecla , volta ao estado inicial.

D-4
T OS H I B A E6580757

■ Exemplo de ajuste de parâmetro


Os passos para o ajuste são os seguintes:
Exemplo de alteração da seleção de freio dinâmico (1), de 0 para 1.

Tecla Indicação Operação


Operada LED
Mostra a freqüência de operação (operação parada). (Quando a seleção da
indicação de monitor padrão é ajustada para [freqüência de
operação].

Pressione a tecla MON para mostrar o primeiro parâmetro básico


(aceleração desaceleração automática).

Pressione a tecla ( ) ou a tecla ( ) para modificar para o grupo de parâmetros

Pressione a tecla ENTER para mostrar o primeiro parâmetro estendido .

Pressione a tecla ( ) para modificar a seleção de freio dinâmico .

Pressionando a tecla ENTER permite a leitura do ajuste do parâmetro.

Pressione a tecla ( ) para modificar a seleção de freio dinâmico de para .

Pressionando a tecla ENTER o parâmetro e o valor modificado piscam


alternadamente e permite a gravação desse valor.

Se houver algo que você não entendeu durante esta operação, pressione a tecla MON várias vezes para iniciar
novamente a partir do ponto da indicação .

4.1.3 Busca e restauração de parâmetros modificados


Busca automaticamente apenas os parâmetros que foram programados com valores diferentes dos valores padrão
e mostra-os no grupo de parâmetros do usuário . O ajuste dos parâmetros pode ser modificado também
dentro deste grupo.
Notas sobre a operação:
• Quando é programado um valor que é igual ao valor padrão, não haverá indicação dentro do grupo
• Os parâmetros programados por meio de ajuste do parâmetro são também indicados como parâmetros
modificados.

D-5
T OS H I B A E6580757

Como procurar e reprogramar parâmetros


As operações de busca e restauração de parâmetros são as seguintes:
Tecla Indicação
Operação
Operada LED
Indica a freqüência de operação (operação parada). (Quando a seleção
de indicação de monitor padrão é ajustada para [freqüência
de operação].
Pressione a tecla MON para indicar o primeiro parâmetro básico
(aceleração/desaceleração automática).

Pressione a tecla ▲ ou a tecla ▼ para selecionar .

Pressione a tecla ENTER para ativar a função de edição automática de


parâmetro do usuário.

Busca parâmetros com valores diferentes do padrão e mostra esses


parâmetros. Pressione a tecla ENTER ou a tecla ▲ para alterar o
( ) parâmetro mostrado. (pressionando a tecla ▼ muda a busca no sentido
inverso).

Pressione a tecla ENTER para mostrar o valor ajustado.

Pressione as teclas ▲ e ▼ para modificar o valor ajustado.

Pressione a tecla ENTER para gravar o valor modificado. O nome do


parâmetro e o valor programado piscarão alternadamente.

Siga os mesmos passos acima para mostrar os parâmetros que você


deseja procurar ou modificar com a tecla ▲ e a tecla ▼.

( )
Quando aparecer novamente, a busca está concluída.

Uma busca pode ser cancelada pressionando a tecla MON. Para voltar
para o modo de ajuste, pressione a tecla MON uma vez enquanto a
busca está em andamento.
Após isso, você pode pressionar a tecla MON para voltar ao modo de
monitoramento da situação ou para o modo de monitoramento padrão
(indicação da freqüência de operação).

Se houver algo que você não entendeu durante esta operação, pressione a tecla várias vezes e comece
novamente a partir da indicação da etapa .

D-6
T OS H I B A E6580757

Ajustar parâmetros

4.1.4 Como programar parâmetros ajustados


Quando o parâmetro padrão estiver ajustado para (ajuste padrão), o parâmetro ajustado será mostrado.
Ajuste do parâmetro ativado para operar.
O ajuste do parâmetro seleciona 50 Hz ou 60 Hz como com o a freqüência base do motor.
Ajuste esse parâmetro de acordo com as especificações do motor.
Os parâmetros ajustados programam automaticamente a freqüência base do motor e os respectivos parâmetros,
mas esses parâmetros poderão ser reprogramados mais tarde.
Os passos para o ajuste são:
Tecla Indicação
Operação
Operada LED

: Indica a freqüência base do motor.

Pressione a tecla ▲ ou a tecla ▼ para selecionar 50 Hz ou 60 Hz.


:

Pressione a tecla ENTER para selecionar a freqüência base do motor e os respectivos


parâmetros.

será indicado durante o ajuste.


Indica a freqüência de operação (enquanto parado).

Os seguintes parâmetros poderão ser modificados pelo ajuste de parâmetros.


Eles serão indicados como parâmetros modificados, durante o busca
Se for selecionado 60 Hz, e não serão indicados como parâmetros modificados.

Ajuste de valores 50 60
Título Função Ajuste de valores
Freqüência limite superior 50 Hz 60 Hz
Frequência base 1 60 Hz
50 Hz
(padrão)
Freqüência base 2 60 Hz
50 Hz
(padrão)
Freqüência no ponto de entrada 2 do VIA 50 Hz 60 Hz
Freqüência no ponto de entrada 2 do VIB 50 Hz 60 Hz

D-7
T OS H I B A E6580757

4.1.5 Parâmetros que não podem ser modificados durante a


operação
Por motivos de segurança, os seguintes parâmetros foram ajustados de modo que não possam ser reprogramados
durante a operação do inversor:
Parâmetros básicos:

(Aceleração/desaceleração automática)
(Aumento automático de torque)
(Ajuste automático de ambiente)
(Ajuste automático de função)
(Seleção do modo de comando)
(Modo de seleção de ajuste da freqüência) Os ajustes , e
podem ser modificados
(Freqüência máxima) durante a operação do inversor
(Ajuste padrão)
(Modo de seleção de controle V/F)
Seleção das características da proteção termo-eletrônica)
(Correção da fonte de tensão)
(Auto ajuste)
(Relação da classe de capacidade do motor em relação ao inversor).

4.1.6 Retorno de todos os parâmetros aos ajustes padrão


Ajustando o parâmetro padrão para 3, todos os parâmetros poderão ser retornados aos ajustes padrão de
fábrica (exceto o ).
Quando é ajustado para , o ajuste do parâmetro é mostrado.
Ajuste do parâmetro ativado para operação (ver 4.1.4).
Nota: Para mais detalhes a respeito do ajuste do parâmetro padrão , ver 5.7.

Notas sobre a operação:


• Recomendamos que antes desta operação seja anotado em um papel os valores desses parâmetros, uma
vez que ajustando o parâmetro para 3, todos os parâmetros com valores modificados retornarão os
valores padrão.

D-8
T OS H I B A E6580757

Passos para o retorno de todos os parâmetros para os valores padrão:

Tecla Indicação
Operação
operada LED
Indica a freqüência de operação (executar enquanto parado).

Pressione a tecla ENTER para indicar o primeiro parâmetro básico


(aceleração/desaceleração automática).

Pressionar a tecla ▲ ou ▼ para mudar para .

Pressionando a tecla ENTER são mostrados os parâmetros programados.


.
( indicará sempre zero “ ” à direita, e o valor anterior à esquerda).
Pressione a tecla ▲ ou a tecla ▼ para modificar o valor ajustado. Para retornar ao
. valor padrão de fábrica modifique para “ ”.
Pressionando a tecla ENTR indica “ ” e retorna todos os parâmetros aos
valores padrão de fábrica.

O monitor retorna o mostrador os valores ajustados. Para o ajuste dos parâmetros, ver
: 4.1.4.

Se houver algo que você não entendeu durante esta operação, pressione a tecla MON várias vezes e comece
novamente a partir da indicação da etapa .

D-9
T OS H I B A E6580757

5. Parâmetros básicos
Os parâmetros que você programa inicialmente, antes de operar o inversor, são os parâmetros básicos.

5.1 Ajuste do tempo de aceleração/desaceleração

: Aceleração/desaceleração automática

: Tempo de aceleração 1
: Tempo de desaceleração 1

• Função:
1. Para o tempo de aceleração , programar o tempo que para a freqüência de saída do inversor
leva ir de 0 Hz até a freqüência máxima
2. Para o tempo de desaceleração programar o tempo que a freqüência de saída do inversor leva
para ir da freqüência máxima para 0 Hz.

5.1.1 Aceleração desaceleração automática


Ajusta automaticamente o tempo de aceleração e desaceleração de forma compatível com a carga

=
* Ajusta automaticamente o tempo de aceleração e de desaceleração da classe de corrente do dentro de uma faixa
que vai desde 1/8 até o infinito do tempo e programado. Vai desde o valor ótimo, levando em
consideração uma tolerância marginal.

=
* Ajusta automaticamente para o tempo mais curto dentro de 120% da classe de corrente do inversor. É um valor
que é obtido levando em conta o tempo de aceleração/desaceleração.

Ajuste (aceleração/desaceleração automática) para ou para .

E-1
T OS H I B A E6580757

[ajuste de parâmetros]
Nome Função Faixa de ajuste Ajuste padrão
0: Desabilidado (manual)
Aceleração/desaceleração automática 1: Taxa ótima 0
2: Taxa mínima

* Quando o tempo de aceleração/desaceleração é ajustado automaticamente, mude sempre o tempo de


aceleração/desaceleração de modo que ele esteja de acordo com a carga. Para inversores que exigem um
tempo fixo de aceleração/desaceleração, use os ajuste manuais ( , )
* O ajuste do tempo de aceleração/desaceleração ( , ) de acordo com a carga média permite um
ajuste ótimo adequado mudanças posteriores na carga.
* Use este parâmetro após fazer a conexão do motor.
* A Aceleração poderá não se completar se a carga for tal que após o inversor opere próximo à classe de
corrente. Se a aceleração não se completar, ajuste manualmente a aceleração/desaceleração ( = )
Métodos para ajuste automático da aceleração/desaceleração
Indicação
Chave Operada Operação
LED
Indica a freqüência da operação. (Quando a seleção padrão de indicação do
monitor é ajustada para [freqüência de operação]).
Pressione a tecla ENTER para indicar o primeiro parâmetro básico
(aceleração/desaceleração automática).

Pressione a tecla ENTER para indicar o ajuste de parâmetro.

Pressione a tecla ▲ para modificar o parâmetro para ou para

Pressione a tecla ENTER para gravar o parâmetro modificado. e o parâmetro


são mostrados alternadamente.

5.1.2 Ajuste manual do tempo de aceleração/desaceleração


Ajusta o tempo de aceleração da freqüência de operação desde 0 Hz até a freqüência máxima e o tempo de
desaceleração como o tempo em que a freqüência de operação vai desde a freqüência máxima até 0 Hz.
Freqúência de
Saída (HZ)

= (ajuste manual)

[Ajuste de parâmetros]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Tempo de aceleração 1 0,1 a 3600 segundos 10,0
Tempo de desaceleração 1 0,1 a 3600 segundos 10,0

E-2
T OS H I B A E6580757

* Se o valor programado for menor que o tempo ótimo de aceleração/desaceleração determinado pelas
condições de carga, a função de desligamento por sobrecorrente ou sobretensão poderá fazer com que o
tempo de aceleração/desaceleração seja mais longo que o tempo programado. Mesmo que seja programado
um tempo de aceleração/desaceleração mais curto, poderá haver um desligamento por sobrecorrrente ou
sobretensão, para proteção do inversor (para mais detalhes, ver 13.1).

5.2 Aumento do torque de partida

: Automatic torque boost


* Função
Simultaneamente muda o controle de saída do inversor (V/F) e programa automaticamente as constantes do
motor (função on-line de ajuste automático) para melhorar o torque gerado pelo motor. Este parâmetro integra
o ajuste de seleção do controle especial V/F, tal como controle de vetor.

Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão


Aumento automático 0: Desativado
0
de torque 1: Controle de vetor sem sensor + auto ajuste

Nota: O parâmetro indicado à direita sempre volta para 0 após o ajuste. O ajuste anterior é indicado à esquerda.
Exemplo:

1) Quando o controle de vetor estiver sendo utilizado (aumento de torque de partida e operações de alta precisão)

Ajuste o controle automático para (controle de vetor sem sensor + auto ajuste)
O ajuste do controle automático para (controle de vetor sem sensor + auto ajuste) proporciona torque de
partida elevado de forma a obter o máximo das características do motor na faixa de baixas velocidades. Isso suprime
as variações na velocidade do motor provocadas por flutuações na carga, de forma a proporcionar uma operação de
alta precisão. Essa é uma característica ótima para elevadores e outros mecanismos de transporte de carga.
[Métodos de ajuste]
Chave Indicação
Função
Operada LED
Indica a freqüência de operação. (Executar durante a operação parada).
((Quando a seleção do mostrador do monitor padrão é ajustado para
[freqüência de operação]).

Pressione a tecla MON para indicar o primeiro parâmetro básico


(aceleração/desaceleração automática).

Pressione a tecla ▲ para modificar o parâmetro para (aumento automático


do torque).

Pressione a tecla ENTER para indicar o ajuste de parâmetro

Pressione a tecla ▲ para modificar o parâmetro para 1 (controle de vetor sem


sensor + auto ajuste)

Pressione a tecla ENTER para gravar o parâmetro modificado. eo


parâmetro são mostrados alternadamente.

E-3
T OS H I B A E6580757

Nota 1: Ajustando o controle V/F para (controle de vetor sem sensor) obtém-se as mesmas características
que quando (auto-ajuste) é ajustado para 2 (ver 5.12).
Nota 2: Ajustando para , é automaticamente ajustado para .

Se o controle de vetor não puder ser progamado...


Primeiro, leia as precauções a respeito do controle de vetor, em 5.12.6.
1) Se o torque desejado não puder ser obtido, ver 6.13.3.
2) Se aparecer erro de auto-ajuste , ver 6.13.3.

(aumento automático de torque) e (seleção do modo de controle V/F)

Aumento automático de torque é o parâmetro para ajuste da seleção do modo de controle V/F ( : ) e do
auto-ajuste simultâneo. Isso é porque os parâmetros relativos a mudam automaticamente
quando é modificado.

Parâmetros programados automaticamente

Verificar o valor programado de . (Se


Indica após a restauração - não tiver sido modificado, ele -
mudará para 0 (V/F constante)).
Executado
(controle de vetor sem sensor +
Controle de vetor sem sensor
auto ajuste)
( após a execução)

2) Aumento manual do torque (Controle de V/F constante)


O inversor VF-S9 é ajustado domo padrão de fábrica para este modo de controle.
Este é o ajuste das características de torque constante adequada para aplicações como transportadores. Ele
pode também ser usado para aumentar manualmente o torque de partida.
Se o controle de V/F constante é programado após a modificação de :
Ajuste a seleção do modo de controle V/F para 0 (V/F constante) (ver 5.12).
Nota 1: Se você desejar aumentar o torque posteriormente, aumente o valor do ajuste do aumento
manual de torque . Para ajuste manual do parâmetro de aumento de torque , ver 5.13.
Nota 2: A seleção de controle V/F para 1 (torque variável) é um ajuste eficiente para cargas de
equipamentos tais como ventiladores e bombas (ver 5.12).

E-4
T OS H I B A E6580757

5.3 Ajuste da proteção ambiental

: Ajuste ambiental automático


* Função
Programa automaticamente todos os parâmetros relacionados ao controle da proteção ambiental do inversor
(partida automática ou operação normal após falha momentânea de energia, correção da tensão de
alimentação, curva S de aceleração/desaceleração).
Este parâmetro é especialmente adequado para equipamentos de ventilação forçada ou equipamentos
hidráulicos, tais como ventiladores e bombas.
Nota: Não utilize este parâmetro para equipamentos tais como transportadores, uma vez que é perigoso
operar automaticamente esses equipamentos após paradas temporárias.

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
O: Desativado
Ajuste ambiental automático 0
1: Ajuste automático

Valores dos parâmetros programados automaticamente


Ajuste Padrão
Título Função :
Seleção do controle de partida 1: Partida automática após
: automática parada momentânea
0: Desativado

Controle de operação com energia


1: Ativado 0: Desativado
regenerativa
1: Tensão de alimentação 1: Tensão de alimentação
Correção de tensão de alimentação corrigida e tensão de saída corrigida e tensão de saída
limitada limitada
Aceleração/desaceleração padrão 1 1: Curva S 1 O: Linear

5.4 Ajuste de parâmetros de acordo com o método de operação


: Ajuste automático de função
* Função:
Programa automaticamente todos os parâmetros (parâmetros descritos abaixo) relacionados às funções, por
meio da seleção do modo de operação do inversor.
As principais funções podem ser programadas de forma simples.

[Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Ajustando o sinal Ajuste Padrão
O: Desativado
1: Parada livre
Seleção automática da 2: Operação trifásica
0
função 3: Entrada externa do ajuste UP/DOWN
4: Operação com corrente de entrada de 4 a 20
mA

E-5
T OS H I B A E6580757

Funções e valores de parâmetros programados automaticamente


4: Operação com
2: Operação 3: Entrada externa
Ajuste Padrão 1: Parada Livre corrente de entrada
trifásica do ajuste UP/DOWN
de 4 a 20 mA
2: Potenciômetro
1: Painel de
operação

(F) 2: F 2: F 2: F 2: F 2: F

(R) 3: R 3: R 3: R 3: R 3: R

(RST) 10: RST 10: RST 10: RST 10: RST 10: RST

(S1) 6: SS1 6: SS1 6: SS1 41: UP 6: SS1

(S2) 7: SS2 7: SS2 7: SS2 42: DON 38: FCHG

(S3) 8: SS3 9: ST 49: HD 43: CLEAR 1: ST

0: Ativado
1: Sempre 0: Ativado mudando
(ST) mudando o ST 1: Sempre ativado 1: Sempre ativado
ativado o ST para ativado
para ativado

0: VIA/II 0: VIA/II 0: VIA/II 3: UP/DOWN 0: VIA/II

- - - - -

- - - - -

- - - 1 -

- - - 0,1 Hz -

- - - 1 -

- - - 0,1 Hz -

Desativado ( : )
Os terminais de entrada e os parâmetros são os padrões programados na fábrica.

Parada livre ( : )
Ajusta para parada livre. É atribuído ST (sinal de disponível) ao terminal S3 e a operação é controlada por meio de
“on” e “off” no terminal S3.

Operação trifásica ( : )
Pode ser operado por meio de um botão momentâneo. É atribuído HD (operação paralizada) ao terminal S3. A
parada automática da operação é feita no inversor, conectando a chave de parada (contato “b”) ao terminal S3 e
conectando a chave de partida (contato “a”) ao terminal F ou ao terminal R.

E-6
T OS H I B A E6580757

Ajuste externo do sinal UP/DOWN ( : )


Permite o ajuste da freqüência por meio de entrada por um contato externo. Pode ser aplicado a mudanças de
freqüência de diversos locais. UP (entrada do sinal de freqüência UP do contato externo) pode ser atribuído ao
terminal S1, DOWN (entrada do sinal de freqüência DOWN do contato externo) pode ser atribuído ao terminal S2 e
CLR (entrada para limpar o sinal de freqüência UP/DOWN do contato extrno) é atribuído ao terminal S3. As
freqüências podem ser modificadas por meio de entrada para os terminais S1 eS2.

Operação com corrente de entrada de 4 a 20 mA ( : )


Utilizado para ajustar as freqüências com corrente de entrada de 4 a 20 mA. É dada prioridade à corrente de entrada e
a FCHC (alteração forçada de freqüência de comando) e o ST (terminal disponível) são atribuídos aos terminais S2
eS3, respectivamente. O controle remoto/manual (por meio de comandos de freqüência diferentes) podem ser
alternados por meio de entrada para o terminal S2. O terminal S3 poderá também ser utilizado para parada livre.

5.5 Seleção do modo de operação

: Seleção do modo de comando


: Seleção do modo de ajuste da freqüência
• Função
Esses parâmetros são para programar a que comando para o inversor (se do painel de operação ou do
placa de terminais) será dada prioridade para partida/parada e para ajuste de freqüência (potenciômetro
interno, painel de operação ou placa de terminais).

<Seleção do modo de comando>


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padão
0: Placa de terminais
Seleção do modo de comando 1
1: Painel de operação

[Ajuste do valor]
Operação pela placa de ON e OFF de um sinal externo parte e para a operação.
: terminais

Operação pelo painel de Pressione as teclas e do painel de operação para partir e


: operação parar a operação. Executa a partida e parada da operação, quando é
utilizado o painel de extensão opcional.

* Existem dois tipos de função: a função que está de acordo com os comandos selecionados por ,ea
função que está de acordo somente com os comandos do painel de terminais. Ver tabela de seleção de
funções do terminal de entrada, no Capítulo 11.
* Quando é dada prioridade aos comandos vindos de um computador ou de um painel de terminais interligado,
eles têm prioridade sobre o ajuste de .
<Seleção do modo de ajuste da freqüência>
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padão
0: Placa de terminais
Seleção do modo de ajuste da frequência 1: Painel de operação 2
2: Potenciômetro interno

E-7
T OS H I B A E6580757

[Ajuste dos valores]


Os comandos de ajuste da freqüência são por meio de
: Placa de terminais
sinais externos.

: Painel de operação Para ajustar a freqüência, pressione a tecla


operação ou no painel de expansão (opcional).
ou a tecla no painel de

O potenciômetro interno do inversor é usado para o ajuste das


: Potenciômetro interno
freqüências. Girando a chave no sentido horário, aumenta a freqüência.

* Independentemente dos valores da seleção do modo de comando e da seleção do modo de ajuste de


freqüência ajustados no controle, as funções do terminal de entrada descritas abaixo estarão sempre no
estado operativo.
• Terminal de retorno (ajuste padrão: RST, válido somente para paradas)
• Terminal disponível (quando programado por funções programáveis do terminal de entrada)
• Terminal externo de entrada de sinal de parada (quando programado por funções programáveis do
terminal de entrada)
* Para fazer modificações na seleção do modo de comando e na seleção do modo de ajuste de freqüência
, primeiro desligue temporariamente o inversor. (A modificação pode ser feita durante a operação quando
estiver ajustado para ).

■ Operação com velocidade pré-ajustada


: Ajustado para 0 (Placa de terminais)
: Válido para todos os valores ajustados
5.6 Seleção e ajuste do medidor

: Seleção do medidor
: Ajuste do medidor
• Função
O sinal de saída do terminal FM é um sinal analógico de tensão.
Para o medidor, use um amperímetro de 0 a 1 mACC de plena escala ou um voltímetro de 0 a 7,5 VCC (ou 10
VCC) de plena escala.
Observar que o pino ponte JP302 pode ser ajustado para mudar para corrente de saída de (0 a 20 mA (4 a 20
mA). Ajustar para 4 a 20 mA por meio do parâmetro (polarização do medidor).

E-8
T OS H I B A E6580757

■ Ajuste da escala por meio do ajuste do parâmetro do medidor


Conecte os medidores conforme indicado abaixo:

[Seleção dos parâmetros do medidor conectado]


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: Freqüência de saída
1: Corrente de saída
2: Ajuste de freqüência
Seleção do medidor 0
3: Para ajuste (corrente fixa em 100%)
4: Fator de carga do inversor
5: Potência de saída
Ajuste do medidor - -

■ Resolução
Todos os terminais de saída têm um máximo de 1/256.

■ Exemplo de saída programada de 4 a 20 mA (para detalhes ver 6.15.10):

E-9
T OS H I B A E6580757

[Exemplo de como ajustar o terminal FM do medidor de freqüência]


* Use o parafuso de ajuste do medidor de freqüência para pré-ajustar o ponto zero.
Tecla Operada Indicador LED Operação
Indica a freqüência de operação. (Quando a seleção do indicador do
- monitor padrão F 710 é ajustada para 0 [freqüência de
operação]).

Pressione a tecla MON para indicar o primeiro parâmetro básico AU


I (aceleração/desaceleração automática).

Pressione a tecla σ ou a tecla τ para selecionar “FN”.

Pressione a tecla ENTER para indicar a freqüência de operação.

Pressione a tecla σ ou a tecla τ para ajustar o medidor. Nesse instante


a leitura do medidor mudará, mas tenha cuidado Poe não haverá
mudança na indicação do LED digital (monitor) do inversor.

[Dica]
É mais fácil fazer o ajuste se você pressionar e
mantiver por vários segundos.

O ajuste está concluído. FN e a freqüência são mostrados


alternadamente.

O indicador retorna às indicações originais (indicação da freqüência


de operação). (Quando a seleção do indicador do monitor padrão
F710 é ajustada para 0 [freqüência de operação]).

■ Ajuste do medidor com o inversor parado


Se, quando do ajuste da corrente de saída do medidor, houver grandes flutuações de dados, tornando o ajuste
difícil, o medidor poderá ser ajustado com o inversor parado.
Ajustando para (100% de corrente fixa), haverá saída de um sinal de valor absoluto (classe de corrente
do inversor = 100%). Nessa condição, ajuste o medidor com o parâmetro (ajuste do medidor).
Após encerrado o ajuste do medidor, ajuste para (corrente de saída).

5.7 Ajuste padrão

: Ajuste padrão
• Função
Permite o ajuste de todos os parâmetros para o ajuste padrão, etc., ao mesmo tempo.

Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão


0 a 2: (inválido)
3: Ajuste padrão
Seleção do modo de ajuste
4: Parada cancelada 0
padrão
5: Limpeza do tempo acumulado deoperação
6: Inicializa o tipo de informação do inversor

E-10
T OS H I B A E6580757

* Esta função será mostrada como na leitura à direita. Será indicado o valor anterior.
Exemplo:

* Não poderá ser ajustado o valor durante a operação do inversor. Sempre desligue o inversor primeiro
e, então, programe.
[Ajuste dos valaores]

Ajuste padrão ( = )
O ajuste de para retorna todos os parâmetros para os valores padrão que foram programados na fábrica.

* Quando é programado 3, será indicado durante um tempo curto após o ajuste e, então, será apagado e

indicado o valor original do parâmetro . Nesse instante, os dados do histórico de paradas será limpo. Para
o ajuste dos parâmetros de ajuste, ver 4.1.4.

Limpeza da parada ( = )
O ajuste de para inicializa os últimos 4 grupos de dados gravados do histórico de erros.
* (O parâmetro não muda)

Limpeza do tempo acumulado de operação ( = )


O ajuste de para

Limpeza do tempo acumulado de operação ( = )


O ajuste de para limpa os desligamentos, quando ocorre o formato de erro . Entretanto, se for
indicado , contatar a Toshiba.

5.8 Selecionando operação normal e invertida (somente no painel


de operação
: Seleção de operação normal e invertida
• Função
Programa a direção de rotação, quando a partida e a parada são feitas usando as teclas RUN e STOP do
painel de operação. Válido quando (modo de comando) está ajustado para 1 (painel de operação).

Ajuste dos parâmetros


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
O: Operação normal
Seleção de operação normal/invertida 0
1: Operação invertida
* Verifique a direção de rotação no monitor de situação.

: Rotação normal
: Rotação invertida ◊
Para monitoramento, ver 8.1.
* Quando os terminais F e R são usado para alternar entre rotação normal e invertida a partir da placa de
terminais, a seleção para rotação normal/invertida é inválida.
Curto entre os terminais F-CC: rotação normal.
Curto entre os terminais R-CC: rotação invertida

E-11
T OS H I B A E6580757

A rotação invertida é válida se estiverem em curto os terminais F-CC e R-CC ao mesmo tempo.
* Esta função é válida semente quando é ajustado para 1 (painel de operação).

5.9 Freqüência máxima

: Freqüência máxima
• Função
Programa a faixa de freqüências de saída do inversor (valores máximos de saída).
Esta freqüência é usada como referência para os tempos de aceleração/desaceleração.

* Se for aumentado, ajuste o limite superior de freqüência, conforme necessário.


Ajuste dos parâmetros
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Freqüência máxima 30,0 a 400 Hz 80,0

5.10 Limite superior e limite inferior de freqüências

: Limite superior de freqüência

: limite inferior de freqüência

• Função
Programa o limite inferior de freqüência que determina o limite inferior da freqüência de saída e o limite
superior de freqüência que determina o limite superior da freqüência de saída.

E-12
T OS H I B A E6580757

■ Ajuste dos parâmetros


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Limite superior de freqüência 0,5 a Hz 50 ou 60 *

Limite inferior de frequência 0,0 a Hz 0,0

* O ajuste do valor depende do final do Tipo – forma.


NA, Wn: 60 Hz, WP: 50 Hz

5.11 Freqüência base

: Freqüência base 1
Função
Ajusta a freqüência base de acordo dom as especificações da carga o da classe de freqüência do motor

Nota: Este é um parâmetro importante, que determina a área de controle de torque constante.

Nome Função Faixa de Ajuste Valor Após Ajuste


Freqüência base 1 25 a 400 Hz 50 ou 60 *

* O ajuste do valor depende do final do Tipo – forma.


NA, Wn: 60 Hz, WP: 50 Hz

E-13
T OS H I B A E6580757

5.12 Ajuste do modo de controle

: seleção do modo de controle V/F


• Função
No VF-S9 podem ser selecionados os controles V/F indicados abaixo:
V/F constante
Torque variável
Aumento automático de torque
Controle de vetor sem sensor *1
Economia automática de energia
(*1) O parâmetro “Aumento automático de torque ” pode ajustar automaticamente este parâmetro e auto-
ajustar ao mesmo tempo.

■ Ajuste do parâmetro
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: V/F constante
1: Torque variável
Seleção do modo de
2: Aumento automático de torque 0
controle V/F
3: Controle de vetor sem sensor
4: Economia automática de energia

[Ajuste do modo de controle V/F para 3 [controle de vetor sem sensor)]


Tecla Operada Indicador LED Operação
Indica a freqüência de operação. (quando a seleção do indicador de
monitor padrão é ajustado para 0 (freqüência de operação)).

Pressione a tecla MON para indicar o primeiro parâmetro básico


(aceleração/desaceleração automática).

Pressione a tecla ▲ para alterar o parâmetro para (seleção do


modo de controle V/F).

Pressione a tecla ENTER para indicar o valor do parâmetro. (Ajuste

padrão: (V/F constante))

Pressione a tecla ▲ para mudar o parâmetro para 3 (controle de vetor


sem sensor).

Pressione a tecla ENTER para gravar o parâmetro alterado. eo


valor do parâmetro serão mostrados alternadamente.

E-14
T OS H I B A E6580757

1) Características do torque constante (método geral de utilização)

Ajuste da seleção do modo de controle V/F para (V/F constante)


Este modo aplica-se a cargas de equipamentos como transportadores e guindastes, que exigem o mesmo torque
tanto nas baixas velocidades como na velocidade da classe.

2) Ajuste para ventiladores e bombas

Ajuste da seleção do modo de controle V/F para (torque variável)


Este modo é adequado para características de carga tais como as de ventiladores, bombas e sopradores, nos
quais o torque em relação à velocidade de rotação da carga é proporcional ao seu quadrado.

E-15
T OS H I B A E6580757

3) Aumento do torque de partida

Ajuste da seleção do modo de controle V/F para (aumento automático de torque)


Detecta a corrente de carga em todas as faixas de velocidade e ajusta automaticamente a tensão de saída
(aumento de torque) do inversor.
Isso proporciona torque constante para operações estáveis.

Nota: Esse sistema de controle poderá oscilar e desestabilizar a operação, dependendo da carga. Se isso
acontecer, ajuste a seleção do modo de controle para (V/F constante) e aumente o torque
manualmente.
* A constante do motor deverá ser ajustada
Se o motor que você está usando é um motor 4P padrão Toshiba e se ele tem a mesma capacidade do inversor,
basicamente não existe necessidade de ajustar a constante do motor.
Existem dois procedimentos para ajustar a constante do motor:
A constante do motor pode ser ajustada automaticamente (auto ajuste). Programe o parâmetro estendido
para . ◊ Para detalhes, ver Seção 2, em 6.13.
Cada constante de motor pode ser ajustada individualmente. ◊ Para detalhes, ver Seção 3, em 6.13.
4) Controle de vetor sem sensor – aumento do torque de partida e obtendo operação de alta precisão

Ajuste da seleção do modo de controle V/F para (controle de vetor sem sensor)
Utilizando o controle de vetor sem sensor com um motor padrão Toshiba, o motor fornecerá o torque maior
torque nas menores faixas de velocidade. Os efeitos obtidos com a utilização do controle de vetor sem sensor
estão descritos abaixo:
Fornece torque de partida elevado
É eficaz quando é necessária operação estável para aceleração suave desde as baixas velocidades
Eficaz na eliminação das flutuações de carga provocadas pelo deslizamento do motor
* A constante do motor deverá ser ajustada
Se o motor que você está usando é um motor 4P padrão Toshiba e se ele tem a mesma capacidade do inversor,
basicamente não existe necessidade de ajustar a constante do motor.
Existem três procedimentos para ajustar a constante do motor:
1) O controle de vetor sem sensor e as constantes do motor (auto ajuste) podem ser ajustados ao mesmo
tempo. Ajuste o parâmetro básico para . ◊ para detalhes, ver 1 em 5.2.
2) A constante do motor pode ser ajustada automaticamente (auto ajuste). Ajuste o parâmetro estendido
para . ◊ Para detalhes, ver leleção 2 em 6.13.
Cada constante do motor pode ser ajustada individualmente. ◊ Para detalhes, ver seleção 3 em 6.13.

E-16
T OS H I B A E6580757

5) Economia de energia

Ajuste da seleção do modo de controle V/F para (controle automático de energia)


A energia pode ser economizada em todas as áreas de velocidade, detectando a corrente de carga e
alimentando a corrente ótima que se ajusta à carga.
* A constante do motor deve ser ajustada
Se o motor que você está usando é um motor 4P padrão Toshiba e se ele tem a mesma capacidade do
inversor, basicamente não existe necessidade de ajustar a constante do motor.
Existem dois procedimentos para ajustar a constante do motor:
1) A constante do motor pode ser ajustada automaticamente (auto ajuste). Ajuste o parâmetro estendido
para . ◊ Para detalhes, ver leleção 2 em 6.13.
2) Cada constante do motor pode ser ajustada individualmente. ◊ Para detalhes, ver seleção 3 em 6.13.
6) Precauções com o controle do vetor
1) O controle do vetor sem sensor aplica suas características com eficácia nas áreas de freqüência abaixo da
freqüência base . As mesmas características não serão obtidas nas áreas acima da freqüência base.

2) Durante o controle de vetor sem sensor ( = ), ajuste a freqüência para qualquer ponto entre 40
a 120 Hz.
3) Use um motor tipo gaiola para aplicações gerais, com capacidade que seja a mesma da classe do
inversor ou um nível abaixo.
4) A capacidade mínima aplicável do motor é 0,1 kW.
5) Use um motor de 2 a 8 P.
6) Sempre opere o motor no modo de operação simples (um inversor para um motor). O controle de vetor
sem sensor não pode ser utilizado quando um inversor é operado com mais de um motor.
O comprimento máximo dos fios entre o inversor e o motor é de 30 metros. Se os fios forem mais longos
que 30 metros, faça o auto-ajuste com os fios conectados para melhorar o torque em baixas velocidades
durante o controle de vetor sem sensor.
Os efeitos da queda de tensão fazem com que o torque gerado pelo motor nas proximidades da classe de
freqüência, durante o controle de vetor sem sensor.
7) A conexão de um reator ou um filtro supressor de pico de tensão entre o inversor e o motor, poderá
reduzir o torque gerado pelo motor. O auto-ajuste poderá também provocar uma parada ( )
tornando o controle de vetor sem sensor não utilizável.

E-17
T OS H I B A E6580757

5.13 Aumento de torque manual – Aumento do torque em baixas


velocidades

: Aumento de torque 1
• Função
Se o torque é inadequado em baixas velocidades, aumente o torque por meio da elevação da taxa de
aumento de torque, através deste parâmetro.

[Parâmetros]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão

Aumento de torque 1 0 a 30 (%) De acordo com o modelo (Ver Seção 11)

* Válido para o ajuste padrão = 0 (V/F constante) e 1 (torque variável)


Nota 1: O valor ótimo está programado para cada capacidade do inversor. Seja cuidadoso para não aumentar
demais a taxa de aumento de torque, uma vez que isso poderia provocar uma parada por sobrecorrente
durante a partida. Se você pretende modificar os valores ajustados, mantenha-os dentro de ±2% dos
valores padrão.

5.14 Ajuste da proteção termo-eletrônica


: Seleção da característica da proteção termo-eletrônica
: Proteção termo-eletrônica nível 1 do motor

• Função
Ajusta as características de proteção termo-eletrônica que combinam com as classes e características do motor.
Este parâmetro é idêntico ao parâmetro estendido . Os valores ajustados serão os mesmos,
independentemente do valor introduzido.

E-18
T OS H I B A E6580757

Ajuste do parâmetro
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Proteção contra Sobrecarga de
Valor
sobrecarga desligamento
0 Motor O X
Seleção das Padrão
1 O O
características
2 X X
da proteção 0
3 X O
termo-
eletrônica 4 O X
Motor VF
5 O O
(motor
6 X X
especial)
7 X O
Proteção
termo-
10 a 100 (%) 100
( ) eletrônica nível
1 do motor
O: válido, X: inválido

1) Ajuste das características da proteção termo-eletrônica e do nível 1 de proteção termo-eletônica


do motor .
A seleção das características da proteção termo-eletrônica é utilizada para ativar ou desativar a função
de desligamento do motor ( ) e a função de desligamento por sobrecarga.
Embora o desligamento do inversor por sobrecarga ( ) esteja constantemente no modo de detecção
durante a operação, o desligamento por sobrecarga do motor ( ) poderá ser selecionado por meio do
parâmetro .
Explicação dos termos:
Diminuição de velocidade por sobrecarga: Quando o inversor detecta uma sobrecarga, essa função baixa
automaticamente a freqüência de saída, antes que seja ativada a parada por sobrecarga
. A função de diminuição de velocidade permite que o acionador opere com freqüência
de corrente de carga balanceada, sem uma parada. Essa função é ótima para equipamentos
tais como ventiladores, bombas e sopradores com características de torque variável, onde a
corrente de carga diminui à medida que diminui a velocidade de operação.
Nota: Não use a função de diminuição de velocidade por sobrecarga com cargas com características de torque
constante (tais como correias transportadoras, nas quais a corrente e carga é fixa e não tem relação com a
velocidade).
[Usando motores normais (que não os motores indicados para uso com inversores)]
Quando um motor é utilizado na faixa de freqüências inferior à classe de freqüência, isso diminuirá o efeito de
resfriamento do motor. Isso acelera o acionamento da detecção de sobrecarga, quando é utilizado um motor
normal, com o objetivo de evitar o superaquecimento.

E-19
T OS H I B A E6580757

■ Ajuste da seleção das características da proteção termo-eletrônica


Diminuição de Velocidade por
Valor Proteção Contra sobrecarga
Sobrecarga
O X
O O
X X
X O
O: válido, X: inválido

■ Ajuste do nível 1 de proteção termo-eletrônica do motor


Se a capacidade do motor for menor que a capacidade do inversor ou se a classe de corrente do motor é menor
que a classe de corrente do inversor, ajuste o nível 1 de proteção termo-eletrônica de forma que ele se
ajuste à classe de corrente do motor.

Nota: O nível inicial de proteção contra sobrecarga do motor é fixado em 30 Hz.


[Exemplo de ajuste: Quando o VFS9-2007PM está operando com um motor de 0,4 kW e classe de corrente 2A]
Tecla operada Indicador LED Operação
Indica a freqüência de operação (executar durante a parada). (Quando a seleção
do indicador do monitor padrão é ajustada para [freqüência de
operação])

Pressione a tecla MON para indicar o primeiro parâmetro básico


(aceleração desaceleração automática).

Pressione a tecla ▲ ou a tecla ▼ para modificar o parâmetro para .

Pressione a tecla ENTER para mostrar o valor do parâmetro (valor padrão:


100%).
Pressione a tecla ▲ para modificar o parâmetro para (= classe de corrente
do motor/classe de corrente de saída do inversor X 100 = 2,0/4,8 X 100).

(Quando a freqüência da portadora PWM é ajustada para 12 kHz).


Pressione a tecla ENTER para gravar o parâmetro modificado.
e o valor do parâmetro serão mostrados alternadamente.

E-20
T OS H I B A E6580757

[Usando um motor VF (motor para uso com inversor)]

■ Ajuste da seleção das características da proteção termo-eletrônica]


Diminuição de
Proteção Contra
Valor Velocidade por
Sobrecarga
Sobrecarga
O X
O O

X X

X O
O: válido, X: inválido
Um motor VF (motor para uso com inversor) pode ser usado em faixas de freqüência menores que as dos motores
para usos gerais, mas se a freqüência for extremamente baixa, os efeitos da refrigeração do motor irão se
deteriorar.

■ Ajuste do nível 1 de proteção termo-eletrônica do motor


Se a capacidade do motor for menor que a capacidade do inversor ou se a classe de corrente do motor é menor
que a classe de corrente do inversor, ajuste o nível 1 de proteção termo-eletrônica de forma que ele se
ajuste à classe de corrente do motor.
Se as indicações forem em porcentagens (%), então 100% será igual à classe de corrente de saída (A) do inversor.

E-21
T OS H I B A E6580757

2) Características de sobrecarga do inversor


Ajustadas para proteger o inversor. Não pode ser modificada ou desligada por meio de ajustes de parâmetros.

A função de desligamento do inversor por sobrecarga ( )


é frequentemente ativada e isso pode ser
melhorado por meio do ajuste do nível de diminuição da velocidade de operação , diminuindo ou
aumentando o tempo de aceleração ou o tempo de desaceleração .

* Para proteger o inversor, a parada por sobrecarga poderá ser ativada em um curto espaço de tempo quando a
corrente de saída atingir 150% ou mais.
Características da proteção contra sobrecarga do inversor

5.15 Operação com velocidade pré-ajustada (velocidades em 15


etapas)

~ : Freqüências de 1 a 7 de operação com velocidade pré-ajustada


~ : O mesmo que em Sr1 a Sr7
~ : Freqüências de 8 a 15 de operação com velocidade pré-ajustada
• Função
Um máximo de 15 etapas de velocidade pode ser selecionado alterando o sinal de contato externo.
Freqüências de multi-velocidade podem ser programadas em qualquer ponto entre o limite inferior de
freqüência e o limite superior de freqüência .

[Método de ajsute]
1) Partida/parada
O controle de partida e de parada é feito a partir da placa de terminais.
Tempo Função Faixa de Ajuste Valor
0: Painel de terminais
Seleção do modo de comando 1
1: Painel de operação
Nota: Se os comandos de velocidade (sinal analógico ou entrada digital) forem alterados de acordo com as
operações com velocidade pré-ajustadas, selecionar a placa de terminais usando a lielção de modo de
ajuste de freqüência ◊ Ver 3) ou 5.5

E-22
T OS H I B A E6580757

2) Ajuste da freqüência da velocidade pré-ajustada


Ajuste a velocidade (freqüência) do número de etapas necessário
Ajuste da velocidade 1 a velocidade 7
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão

Freqüências de operação das velocidades pré-


Ou
ajustadas 1 a 7 ~ (Hz) 0,0

Ajuste da velocidade 8 a velocidade 15


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Freqüências de operação das velocidades pré-
ajustadas 8 a 15 ~ (Hz) 0,0

Exemplos de sinais de entrada de contato de velocidades pré-ajustadas (JP301 ajustado para saída lógica)
O: Ligado; -: Desligado (Comandos de velocidade que não os comandos de velocidade pré-ajustada são válidos
quando todos estiverem Desligados)
Velocidade Pré-Ajustada
Terminal
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15
S1-CC O - O - O - O - O - O - O - O
S2-CC - O O - - O O - - O O - - O O
S3-CC - - - O O O O - - - - O O O O
RST-CC - - - - - - - O O O O O O O O

* As funções dos terminais são as seguintes:


Terminal S1..........Seleção da função do terminal de entrada 4(S1) =6(SS1)
Terminal S2..........Seleção da função do terminal de entrada 5(S2) =7(SS2)
Terminal S3..........Seleção da função do terminal de entrada 6(S3) =8(SS3)
Terminal RST......Seleção da função do terminal de entrada 3(RST) =9(SS4)
* SS4 não está alocado a um ajuste padrão. Use a seleção de função do terminal de entrada para alocar SS4 a um
terminal vazio. No exemplo acima o terminal RST está utilizado para SS4.
Exemplo de um diagrama de conexão (JP301 ajustado para saída lógica):

E-23
T OS H I B A E6580757

3) Uso de outros comandos de velocidade com comandos de velocidade pré-ajustada


Seleção de Modo de Comando
0: Placa de Terminais 1: Painel de Operação
Seleção do modo de ajuste de
0: Placa de terminais 1: Painel de 2: 0: Placa de terminais 1: Painel de 2:
freqüência
Sinal analógico Operação Potenciômetro Sinal analógico Operação Potenciômetro
Comando do
Comando de velocidade pré-ajustada Sinal Analógico Painel de Potenciômetro
Inserido
Válido Nota) Válido Operação Válido
Comando de
Válido
velocidade pré-
Comando do
ajustada
Não Sinal Analógico Painel de Potenciômetro (O inversor não aceita comando de velocidade pré-
Inserido Válido Operação Válido ajustada)
Válido

Nota) O comando de velocidade pré-ajustada tem sempre prioridade, quando outros comandos de velocidade são
dados ao mesmo tempo.

Encontra-se abaixo um exemplo de operação de velocidade em 7 etapas, com ajuste padrão:

E-24
T OS H I B A E6580757

6. Parâmetros estendidos
Os parâmetros estendidos são disponibilizados para operações sofisticadas, ajustes finos e outras aplicações
especiais. Modifique os ajustes dos parâmetros conforme necessário. Ver Seção 11, Tabela de parâmetros
estendidos.

6.1 Parâmetros de entrada/saída

: Freqüência de saída de sinal de baixa velocidade


• Função
Quando a freqüência se saída ultrapassa o valor deste parâmetro, é gerado um sinal ON. Este sinal pode ser
utilizado como um sinal de excitação/liberação de freio eletromagnético.
* Saída de relé (250 VCC – 2A (cosØ=1), 30 VCC-1A (cosØ=4) nos terminais RY-RC ou FLA-FLC-FLB
(ajuste padrão: (RY-RC).
* Saída de coletor aberto (24 VCC – 50 mA (máximo),pode também ser atribuída ao terminal OUT.

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Freqüência de saída do sinal de baixa velocidade 0,0 a (Hz) 0,0

F-1
T OS H I B A E6580757

• Ajuste do terminal de saída


A saída do sinal de baixa velocidade (sinal ON) entre os trminais RY e RC é o ajuste padrão de fábrica para o
parâmetro de seleção do terminal de saída. Este ajuste deverá ser mudado para inverter a polaridade do sinal.
[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste
Seleção 1 do terminal de saída (RC-RY) 0 a 29 4 (Sinal ON)
(ver Seção 11) ou
(5 Sinal OFF)

Se o sinal sai do terminal OUT, ajustar para o valor.

6.1.2 Saída do sinal de busca da freqüência designada

: Faixa de detecção de busca da velocidade


• Função
Quando a freqüência de saída torna-se igual à freqüência designada ao valor este parâmetro ,é
gerado um sinal ON ou OFF.

■ Ajuste do parâmetro de freqüência designada e faixa de detecção


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Faixa de detecção de busca de velocidade 0,0 a FH (Hz) 2,5

■ Ajuste de parâmetro de seleção do terminal de saída


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
6: RCH (freqüência designada – sinal ON)
Seleção do terminal de saída 2 (OUT) 0,0 a 29 (Hz) ou
7: RCH (freqüência designada – sinal OFF)

Nota: Selecione o parâmetro para especificar o terminal de saída RY-RC ou o parâmetro para
especificar o terminal de saída FLA-FLC-FLB.

F-2
T OS H I B A E6580757

6.1.3 Saída do valor da freqüência do sinal de busca da


velocidade

: Ajuste da freqüência de busca da velocidade

: Faixa de detecção de busca da velocidade


• Função
Quando a freqüência de saída se tornar igual ao valor do parâmetro ± o valor do parâmetro ,
será gerado um sinal ON ou OFF.

■ Ajuste do parâmetro do valor da freqüência e da faixa de detecção


Nome Função Faixa de Ajuste Valor Padrão
Ajuste da freqüência de busca da velocidade 0,0 a (Hz) 0,0

Faixa de detecção de busca da velocidade 0,0 a (Hz) 2,5

■ Ajuste do parâmetro de seleção do terminal de saída


Nome Função Faixa de Ajuste Valor Padrão
0 a 29 6: RCH
(ver Seção 11) (Freqüência designada – sinal ON)
Seleção 2 de terminal de
ou
saída (OUT)
7: RCH
(Freqüência designada – sinal OFF)

Nota: Selecione o parâmetro para especificar o terminal de saída RY-RC ou o parâmetro para
especificar o terminal de saída FLA-FLC-FLB.

F-3
T OS H I B A E6580757

1) Se o valor da faixa de detecção + o valor da freqüência for menor que a freqüência designada

6.2 Seleção do sinal de entrada


6.2.1 Mudança da função do sinal de espera
: Seleção do sinal ST (espera)
• Função
O parâmetro F103 especifica o tempo de ativação da função espera, dependendo da situação específica do
sinal ST (espera).
1. Espera ligada, somente quando ST estiver ligado (ST-CC: ligado; ST-CC desligado: Porta desligada
[Parada livre])
2. Espera sempre ligada
3. Sincronizada com F/R (F/R-CC ligado: operação normal/invertida; F/R-CC desligado: Porta desligada:
Parada livre)
4. Espera sempre ligada, quando ST está desligado (ST-CC desligado: Espera; ST-CC ligado: Porta
desligada [Parada livre])

■ Ajuste do parâmetro
Nome Função Faixa de Ajuste Valor Padrão
0: Espera ligada quando ST está ligado
1: Espera sempre ligado
Seleção do sinal ST 1
2: Intertravado com F/R
3: Espera ligada quando ST está desligado

F-4
T OS H I B A E6580757

1) Espera ligada quando ST está ligado

2) Espera sempre ligada (Ajuste padrão)


O inversor fica na situação de espeta independentemente da situação do sinal ST. A rotação do motor para de
acordo com o tempo de desaceleração selecionado, na freqüência ajustada.
3) Intertravado com F/R

4) Espera ligado quando ST está desligado


Inversão do item 1) acima.

6.2.2 Ajuste do sinal de retorno

: Seleção do sinal RST (retorno)


• Função
O parâmetro F 104 especifica o tempo de ativação da função retorno, dependendo da situação
específica do sinal RST (retorno).
1. Ajuste padrão (retorno ligado, quando RST-CC muda de ligado para desligado)
2. Ativado pelo desligamento do RST (retorno ligado, quando RST-CC muda de desligado para ligado)

• Este parâmetro é disponibilizado modificando as funções do terminal de entrada ( ) = 10


(RST).
• Para retornar a função de proteção para o valor do parâmetro , execute qualquer dos seguintes:
1. Desligue a energia.
2. Pressione a tecla STOP duas vezes, enquanto é indicada a função de proteção.
3. Ligue e desligue o sinal de entrada de controle de cancelamento de erro.

F-5
T OS H I B A E6580757

■ Ajuste do parâmetro
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: Ajuste padrão (retorna quando RST-CC muda de ligado
para desligado)
Seleção do sinal RST 0
1: Ativado pelo desligamento do RST (retorna quando
RST-CC muda de desligado para ligado)

6.3 Seleção da função terminal


6.3.1 Mantendo uma função de terminal de entrada sempre
ativa (Ligada)
: Seleção da função sempre ativada
• Função
Este parâmetro especifica uma função de terminal de entrada que tem que ser mantida sempre ativa
(Ligada). Apenas uma função pode ser selecionada.

■ Ajuste do parâmetro
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Seleção da função sempre ativada 0 a 51 (Ver Seção 11 0

6.3.2 Modificação das funções do terminal de entrada

: Seleção 1 de terminal de entrada (F)


: Seleção 2 de terminal de entrada (R)
: Seleção 3 de terminal de entrada (RST)

: Seleção 4 de terminal de entrada (S1)


: Seleção 5 de terminal de entrada (S2)
: Seleção 6 de terminal de entrada (S3)
Use os parâmetros acima para enviar sinais de um controlador programável externo para vários terminais de
entrada de controle, para operar e/ou para ajustar o inversor.
As funções desejadas do terminal de entrada podem ser selecionadas entre 51 tipos. Isso confere flexibilidade ao
projeto do sistema.

F-6
T OS H I B A E6580757

■ Ajuste da função do terminal de entrada


Símbolo do
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Terminal
0 (sem função
- Seleção da função sempre ativada
atribuída)
F Seleção 1 de terminal de entrada (F) 2 (operação normal)
R Seleção 2 de terminal de entrada (R) 0 a 51 3 (operação invertida)
RST Seleção 3 de terminal de entrada (RST) (Ver Seção 11) 10 (retornar)
tabela de funções 6 (velocidade pré-
S1 Seleção 4 de terminal de entrada (S1) dos terminais de ajustada 1)
entrada
7 (velocidade pré-
S2 Seleção 5 de terminal de entrada (S2)
ajustada 2)
8 (velocidade pré-
S3 Seleção 6 de terminal de entrada (S3)
ajustada 3)

Nota: A função selecionada por meio de (parâmetro de seleção de função sempre ativada) estará
sempre ativada.

■ Método de conexão
1) Entrada pelo contato A (Saída lógica)

2) Método de saída com transistor

* Interface entre o controlador programável e o inversor.


Quando a operação for controlada por meio de um controlador programável do tipo saída com coletor aberto, se
o controlador programável for desligado com o inversor ligado, a diferença no potencial da energia de controle
fará com que sejam enviados sinais errados para o inversor, conforme indicado no diagrama abaixo. Certifique-
se de providenciar um intertravamento de forma que o controlador programável não possa ser desligado quando
o inversor estiver ligado.

F-7
T OS H I B A E6580757

3) Saída lógica/entrada de fonte lógica


É possível a alteração de saída lógica/entrada lógica (terminal lógico de entrada/saída).
Ver Seção 2.3 para mais detalhes.

■ Exemplo de Aplicação... Operação trifásica


Partida: Pressione START contato a
Parada: Pressione STOP contato b

[ajuste dos parâmetros]


Símbolo do
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Terminal
2 (Comando de operação
F Seleção 1 do terminal de entrada
0 a 51 normal)
(Ver Seção 11) 49
S3 Seleção 6 do terminal de entrada
(parada da operação)
1
Seleção do sinal ST 0a3
(Espera sempre ligada)

No caso de operação trifásica, deverá ser ajustado para 1.

F-8
T OS H I B A E6580757

6.3.3 Modificação das funções do terminal de saída


: Seleção 1 do terminal de saída (TY-RC)
: Seleção 2 do terminal de saída (OUT)
: Seleção 3 do terminal de saída (FLA/B/C)
Use os parâmetros acima para enviar vários sinais do inversor para equipamentos externos.
Podem ser usadas até 30 funções estabelecendo parâmetros especiais para os terminais RY-CC, OUT e FL(FLA,
FLB e FLC), na placa de terminais de controle.

■ Exemplos de aplicação:
Função do TY-CC:
Pode ser ativada por meio do parâmetro
Função do OUT:
Pode ser ativada por meio do parâmetro
Função do FLA/B/C:
Pode ser ativada por meio do parâmetro

■ Ajuste das funções do terminal de saída


Símbolo do
Nome Função Faixa de Ajuste AjustePadrão
Terminal
4 (Sinal de detecção de baixa
RY-CC Seleção 1 do terminal de saída
velocidade)
0 a 29
6 (Busca da freqüência
OUT Seleção 2 do terminal de saída (Ver Seção 11) designada)
FL Seleção 3 do terminal de saída 10 (Falha FL)

Saída lógica/fonte lógica (OUT)


É possível alterar saída lógica/fonte lógica (terminal de saída lógica)
Ver seção 2.3 para mais detalhes

F-9
T OS H I B A E6580757

6.4 Parâmetros básicos 2


6.4.1 Mudança das características do motor por meio do
terminal de entrada
: Freqüência base 2
: Aumento de torque 2
: Nível 2 de proteção termo-eletrônica do motor
• Função
Use os parâmetros acima para alterar a operação de dois motores com um único inversor e para selecionar as
características V/F (dois tipos) de acordo com as necessidades específicas ou com o modo de operação.
Nota: O parâmetro (seleção do modo de controle V/F) é ativado apenas para o motor 1. Se for selecionado
o motor 2, o controle V/F receberá características de torque constante.

■ Ajuste do parâmetro
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Freqüência base 2 25 a 400 (Hz) 50 ou 60
De acordo com o modelo
Aumento de torque 2 0,0 a 30,0 (%)
(Ver Seção 11)
Nível 2 de proteção termo-eletrônica
10 a 100 (%) 100
do motor
* O ajuste do valor de F170 depende da extremidade da Tipo-forma. AN, WN: 60 Hz: WP: 50 Hz

■ Ajuste dos terminais de chaveamento


O terminal para chaveamento para o motor 2 precisa estar ajustado, uma vez que essa função não é atribuída
como ajuste padrão. Atribua essa função a um terminal vago.
Os parâmetros a serem mudados dependem do número de identificação específico da função de seleção do
terminal de entrada.
Número da função do terminal de entrada Parâmetros a serem usados ou mudados
40: MCHG 39: THR2 5: AD2
Parâmetros a serem usados
OFF OFF OFF

Parâmetros a serem alterados


OFF OFF ON

Parâmetros a serem alterados


OFF ON OFF

Parâmetros a serem alterados


OFF ON ON

Parâmetros a serem alterados


ON - -

F-10
T OS H I B A E6580757

6.5 Seleção de prioridade da freqüência


6.5.1 Usando um comando de freqüência de acordo com a
situação específica

: Seleção do modo de ajuste da freqüência

: seleção de prioridade da freqüência


• Função
Use os parâmetros acima para selecionar o comando a ser usado para o ajuste da freqüência e para atribuir
prioridade a um ou aos dois tipos de sinais de referência de freqüência de entrada.

• Combinação dos parâmetros e F 200


• Mudança via entrada pela placa de terminais

■ Ajuste do parâmetro
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: Painel de terminais
Seleção do modo de ajuste de freqüência 1: Painel de operação 2
2: Potenciômetro interno

Ajuste do parâmetro
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: VIA/II, VIB
1: VIB, VIA/II
2: Chaveamento externo IFCHG ativado)
Seleção da prioridade de freqüência 3: Contato externo UP/DOWN 0
4: Contato externo UP/DOWN (Ajuste
mantido, mesmo se a energia for desligada)
5: VIA/II + VIB
O terminal VIA e o terminal II não podem ser usados ao mesmo tempo.
1) Mudança automática de freqüência

Parâmetro de seleção de prioridade da freqüência = (ajuste padrão)

= 0: Está selecionada placa de terminais


A primeira prioridade é atribuída aos terminais de entrada analógica VIA/II e a segunda prioridade aos
terminais de entrada analógica VIB.
Quando a entrada de primeira prioridade para os terminais VIA/II é nula, o controle mudará automaticamente
para o terminal VIB, com segunda prioridade.

F-11
T OS H I B A E6580757

2) Mudança automática de freqüência 2

Parâmetro de seleção de prioridade da freqüência =


= 0: Está selecionada a placa de terminais.
A primeira prioridade é atribuída aos terminais VIB de entrada analógica e a segunda prioridade aos terminais
VIA/II de entrada analógica.
Quando a entrada de primeira prioridade para o terminal VIB torna-se nula, o controle será transferido
automaticamente para o terminal VIA/II, com segunda prioridade.
3) Transferência externa (FCHG ativado)

Parâmetro de seleção de prioridade da freqüência =


= 0: Está selecionada a placa de terminais.
Introduza “38” (transferência forçada de comando de freqüência) como parâmetro de seleção da função do
terminal para especificar os terminais de entrada analógica a serem usados.
Quando a função de transferência forçada do comando de freqüência é OFF é selecionado o VIA/II e quando é
ON é selecionado o VIB. Essa função é aplicável à transferência automática e manual.
4) Contato externo UP/DOWN

Parâmetro de seleção de prioridade da freqüência =


= 1: Está selecionado o painel de operação.
Ajuste o parâmetro para “1” (painel de operação) quando a freqüência for ajustada por meio de
contatos externos.
Nesse caso, ajuste o parâmetro de seleção de prioridade da freqüência para “3” (contato externo UP/DOWN).
Ajuste o parâmetro de seleção da função do terminal para “41/42” (contato externo UP/DOWN) para selecionar
entrada pelo contato externo. Ver 5.5.2.
A freqüência ajustada é apagada automaticamente após o desligamento da energia.
5) Contato externo UP/DOWN (Ajuste mantido mesmo se a energia for desligada)

Parâmetro de seleção de prioridade da freqüência =


= 1: Está selecionado o painel de operação.
Ajuste o parâmetro para “1” (painel de operação) quando a freqüência for ajustada por meio de
contatos externos.
Nesse caso, ajuste o parâmetro de seleção de prioridade da freqüência para “4” (contato externo UP/DOWN).
Ajuste o parâmetro de seleção da função do terminal para “41/42” (contato externo UP/DOWN) para selecionar
entrada pelo contato externo. Ver 6.5.2.
A freqüência ajustada é armazenada automaticamente, mesmo se a energia for desligada.
Na próxima vez que o inversor for ligado, o ajuste anterior da freqüência será ativado.
6) VIA/II + VIB

Parâmetro de seleção de prioridade da freqüência =


= 1: Está selecionado o painel de operação.
Neste modo são adicionados o terminal de entrada de dados analógicos VIA/II e o terminal de entrada de
dados analógicos VIB.
A função de prevalência pode ser executada com o terminal de entrada de dados analógicos VIA/II como o
terminal de dados principais e o terminal de entrada de dados analógicos VIB como o terminal de dados de
correção.
Nota: Este modo é desativado durante a operação de feedback baseada no controle PI.

F-12
T OS H I B A E6580757

6.5.2 Ajuste das características do comando de freqüência


: Ajuste do ponto 1 de entrada do VIA/II
: Ajuste da freqüência 1 de entrada do VIA/II
: Ajuste do ponto 2 de entrada do VIA/II
: Ajuste da freqüência 2 de entrada do VIA/II
: Ajuste do ponto 1 de entrada do VIB (Tempo de resposta da freqüência UP)
: Ajuste da freqüência 1 de entrada do VIB (largura do degrau da freqüência UP)
: Ajuste do ponto 2 de entrada do VIB (Tempo de resposta da freqüência DOWN)
: Ajuste da freqüência 2 de entrada do VIB (largura do degrau da freqüência DOWN)

• Função
Estes parâmetros ajustam a freqüência de saída de acordo com o sinal analógico aplicado externamente
(tensão de 0 a 10 VCC e corrente de 4 a 20 mA) e com o comando introduzido para o ajuste da freqüência
de um sinal externo.

■ Ajuste dos parâmetros


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Ajuste do ponto 1 de entrada VIA/II 0 a 100 (%) 0
Freqüência do ponto 1 de entrada VIA/II 0,0 a 400,0 (Hz) 0,0
Ajuste do ponto 2 de entrada VIA/II 0 a 100 (%) 100
Freqüência do ponto 2 de entrada VIA/II 0,0 a 400,0 (Hz) 50 ou 60 *1
Ajuste do ponto 1 de entrada VIB 0 a 100 (%) 0
Tempo de resposta da freqüência UP 0 a 100 (1:0,1 s) 0
Freqüência do ponto 1 de entrada VIB 0,0 a 400,0 (Hz) 0,0
Largura do degrau da freqüência UP 0,0 a 400,0 (Hz) 0
Ajuste do ponto 2 da entrada VIB 0 a 100 (%) 100
Tempo de resposta da freqüência DOWN 0 a 100 (1:0,1 s) 100
Freqüência do ponto 2 da entrada VIB 0,0 a 400,0 (Hz) 50 ou 60 *1
Largura do degrau da freqüência DOWN 0,0 a 400,0 (Hz) 50 ou 60 *1
Nota 1) Ajustar o valor de e dependendo da extremidade da Tipo-forma. NA, WN: 60 Hz, WP:
50 Hz
Nota 2) ~ podem ser usados como função UP/DOWN, dependendo do ajuste.
Nota 3) Não ajuste o mesmo valor para o ponto 1 e o ponto 2.
Se for ajustado o mesmo valor será indicado .

F-13
T OS H I B A E6580757

1) Ajuste da tensão de entrada de 0 a 10 VCC (VIA, VIB)


7
2) Ajuste da corrente de entrada de 4 a 20 mACC (II)

3) Ajuste da freqüência por meio de entrada de contato externo


(somente quando = , = ou

■ Ajuste com sinais contínuos (Exemplo 1 de ajuste de parâmetros)


Estabeleça os parâmetros conforme adiante para ajustar a freqüência de saída para cima ou para baixo
proporcionalmente ao tempo do sinal de entrada de ajuste da freqüência:

Gradiente de aumento de freqüência no painel = / tempo de ajuste

Gradiente de diminuição de freqüência no painel = / tempo de ajuste

F-14
T OS H I B A E6580757

Estabeleça os parâmetros conforme adiante para ajustar a freqüência de saída para cima ou para baixo de forma
sincronizada com o ajuste pelo comando de freqüência do painel:
=
[ ( OU )/ ]<( / tempo de ajuste )
[ ( OU )/ ]<( / tempo de ajuste )
<<Exemplo 1 de diagrama de seqüência: Ajuste com sinais contínuos>>

■ Ajuste com sinais de pulso (Exemplo 2 de ajuste de parâmetros)


Estabeleça os parâmetros conforme adiante para ajustar a freqüência em etapas de um pulso:
, > tempo do pulso ON . 32 milisegundos
, = freqüência obtida com cada pulso
* Se o tempo de entrada de sinal for menor que , não terá resposta. É permitido um
tempo de sinal de apagamento de sinal de 12 milisegundos ou mais.

F-15
T OS H I B A E6580757

<<Exemplo 2 de diagrama de seqüência: Ajuste com sinais de pulso>>

■ Entrada simultânea
• Se o sinal de apagamento e o sinal de diminuição entrarem ao mesmo tempo, será aceito o sinal de
apagamento.
• Se o sinal de aumento e o sinal de diminuição chegarem ao mesmo tempo, será aceita a diferença entre
ambos os sinais.
Exemplo: se freqüência > ◊ aumento de ( – )

■ Armazenagem da freqüência ajustada


Ajuste o parâmetro = para selecionar automaticamente a armazenagem da freqüência ajustada.

■ Faixa de ajuste de freqüência


A freqüência pode ser ajustada de (limite inferior de freqüência) a (limite superior de freqüência). O
valor será ajustado tão logo seja introduzida a função de limpeza da freqüência ajustada (número da função:
43, 44) a partir do terminal de entrada.

■ Unidade mínima de ajuste de freqüência


Se o parâmetro de seleção da unidade = 2 (ativada a seleção de unidade livre) e o parâmetro de seleção
de unidade livre = 1,00, a freqüência de saída poderá ser ajustada em degraus de 0,01 Hz.

F-16
T OS H I B A E6580757

6.6 Freqüência de operação


6.6.1 Ajuste da freqüência
: Ajuste da freqüência e partida
• Função
A freqüência ajustada por meio do parâmetro é enviada imediatamente após o ajuste
da freqüência.
Use o parâmetro quando provavelmente um atraso na resposta ao torque de partida de acordo com
o tempo de aceleração/desaceleração puder afetar a operação. É recomendado o ajuste da freqüência de
partida para um valor entre 0,5 a 2 Hz (máximo: 5 Hz). A ocorrência de sobrecorrente pode ser eliminada
pelo ajuste da freqüência abaixo do índice de deslizamento do motor.

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Ajuste da freqüência de partida 0,5 a 10,0 (Hz) 0,5

F-17
T OS H I B A E6580757

6.6.2 Controle de partida/parada com sinais de ajuste de


freqüência
: Freqüência de partida da operação
: Histerese da freqüência de partida da operação
• Função
A partida/parada da operação pode ser controlada simplesmente por meio dos sinais de ajuste de
freqüência.

[Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Freqüência de partida da operação 0,0
0,0 a FH (Hz)
Histerese da freqüência de partida da operação 0,0
0,0 a FH (Hz)

6.7 Frenagem em CC
6.7.1 Frenagem em CC
: Freqüência inicial de frenagem em CC
: Corrente de frenagem em CC
: Tempo de frenagem em CC
• Função
Um torque de frenagem elevado pode ser obtido por meio da aplicação de corrente contínua ao motor.
Esses parâmetros determinam a corrente contínua a ser aplicada ao motor, o tempo de aplicação e a
freqüência inicial.

F-18
T OS H I B A E6580757

[Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão

Freqüência inicial de frenagem em CC 0,0 a FH (Hz) 0,0

Corrente de frenagem em CC 0,0 a 100 (%) 30,0


Tempo de frenagem em CC 0,0 a 20,0 (seg) 1,0

Nota: Durante a frenagem em CC aumenta a sensibilidade da proteção contra sobrecarga do inversor. A corrente de
frenagem em CC poderá ser ajustada automaticamente para evitar desligamento.

6.8 Modo de operação alternada (JOG)


: Freqüência da operação alternada
: Padrão de paradas da operação alternada
• Função
Use os parâmetros de operação alternada para operar o motor no modo alternado. A entrada de um sinal de
operação alternada gera imediatamente uma saída de freqüência de operação alternada,
independentemente do tempo de aceleração designado.

O motor poderá ser operado no modo alternado enquanto os terminais de ajuste do modo alternado estiverem
conectados (RST-CC ON). (Ajuste para ).

F-19
T OS H I B A E6580757

[Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Freqüência da operação alternada 0,0 a 20,0 (Hz) 0,0
0: Parada com diminuição de
Padrão de paradas da operação velocidade
0
alternada 1: Parada livre
2: Frenagem em CC

<Exemplos de operação alternada>


RST-CC (JOG) ON (ligado) + F-CC ON (ligado): Operação alternada normal

RST-CC (JOG) ON (ligado) + R-CC ON (ligado): Operação alternada invertida

Entrada de sinal de freqüência de operação normal + F-CC ON (ligado): Operação normal

Entrada de sinal de freqüência de operação normal + R-CC ON (ligado): Operação invertida

• O terminal de ajuste de operação alternada (RST-CCC) é ativado quando a freqüência de operação está
abaixo da freqüência de operação alternada. Essa conexão não funciona em freqüência de operação superior
à freqüência de operação alternada.
• O motor pode ser operado no modo alternado enquanto os terminais de ajuste de operação alternada
estiverem conectados (RST-CC ON (ligado)).
• A operação alternada tem prioridade, mesmo quando um novo comando de operação é dado durante a
operação.
• Mesmo para = ou , uma frenagem de emergência em CC é ativada quando o parâmetro
é ajustado para .
[Ajuste do terminal de operação alternada (RST-CC)]
Estabeleça o terminal de controle RST([4: sinal de retorno] no ajuste padrão) como o terminal de ajuste de
operação alternada.
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
4
Seleção do terminal de entrada (RST) 0 a 51 (terminal de ajuste de operação
alternada)
Nota: Durante o modo de operação alternada, existe a saída LOW (sinal de detecção de baixa velocidade) mas
não existe saída RCH (sinal de busca da freqüência designada) e o controle PID não funciona.

F-20
T OS H I B A E6580757

6.9 Salto de freqüência – salto de freqüências ressonantes


: Salto de freqüência 1
: Amplitude do salto 1
: Salto de freqüência 2
: Amplitude do salto 2
: Salto de freqüência 3
: Amplitude do salto 3

• Função
A ressonância devida à freqüência natural do sistema mecânico pode ser evitada por meio do salto da
freqüência ressonante durante a operação. Durante o salto as características de histerese relativas a
freqüência do salto são transmitidas para o motor.

[Ajuste dos parâmetros]

Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão

Salto de freqüência 1
~ (Hz)
0,0

Amplitude do salto 1 0,0 ~ 30,0 (Hz) 0,0

Salto de freqüência 2
~ (Hz)
0,0

Amplitude do salto 2 0,0 ~ 30,0 (Hz) 0,0

Salto de freqüência 3
~ (Hz)
0,0

Amplitude do salto 3 0,0 ~ 30,0 (Hz) 0,0

* Não ajuste parâmetros de salto com superposição de freqüências de salto.


* Durante a aceleração ou desaceleração, as função salto é desativada para a freqüência de operação.

F-21
T OS H I B A E6580757

6.10 Freqüência de operação de velocidade pré-ajustada 8 a 15


~ : Freqüência de operação de velocidade pré-ajustada 8 a 15
Ver Seção 15.5 para detalhes.

6.11 Freqüência da portadora PWM


: Freqüência da portadora PWM
: Modo aleatório
• Função
1. parâmetro F300 permite que a tonalidade do ruído magnético do motor seja mudada,
modificando a freqüência da portadora PWM. Esse parâmetro é também eficaz para evitar que
o motor entre em ressonância com a carga da máquina ou com a carcaça do ventilador.
2. Além disso, o parâmetro F300 reduz o ruído eletromagnético gerado pelo inversor. Reduza a freqüência da
portadora para reduzir o ruído eletromagnético. Nota: Embora o nível de ruído eletromagnético seja
reduzido, o ruído magnético do motor é aumentado.
3. O modo aleatório reduz o ruído eletromagnético do motor por meio da modificação do padrão da freqüência
da portadora. (Freqüência de operação máxima permitida: 80 Hz).

[Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Freqüência da portadora PWM 2,0 a 16,5 (kHz)* 12,0
Modo aleatório 0: Desativado; 1: Ativado 0
* Será necessária a redução da carga, se a freqüência da portadora PWM for modificada para cada
modelo de motor aplicável.
Índices de redução de carga exigidos
[Classe 200 V]
VFS9- Freqüência da portadora
VFS9S
4 kHz ou menos 12 kHz 15 kHz 16,5 kHz
2002PL/M 1,5A 1,5A 1,5A 1,5A
2004PL/M 3,3A 3,3A 3,1A 3,0A
2007PL/M 4,8A 4,4A 4,2A 3,9A
2015PL/M 7,8A 7,5A 7,2A 7,1A
2022PL/M 11.0A 10.0A 9,1A 8,7A
2037PM 17,5A 16,5A 15,0A 14,3A
2055PL 27,5A 25,0A 25,0A 25,0A
2075PL 33,0A 33,0A 29,8A 28,2A
2110PM 54,0A 49,0A 49,0A 49,0A
2150PM 66,0A 60,0A 54,0A 51,0A

F-22
T OS H I B A E6580757

[Classe 400 V]
480V ou menos
VFS9- 4 kHz ou 12 kHz 15 kHz 16,5 kHz 4 kHz ou 12 kHz 15 kHz 16,5 kHz
menos menos
4007PL 2,3A 2,1A 2,1A 2,1A 2,1A 1,9A 1,9A 1,9A
4015PL 4,1A 3,7A 3,3A 3,1A 3,8A 3,4A 3,1A 3,0A
4022PL 5,5A 5,0A 4,5A 4,3A 5,1A 4,6A 4,2A 4,0A
4037PL 9,5A 8,6A 7,5A 7,0A 8,7A 7,9A 6,9A 6,4A
4055PL 14,3A 13,0A 13,0A 13,0A 13,2A 12,0A 12,0A 12,0A
4075PL 17,0A 17,0A 14,8A 13,7A 15,6A 14,2A 12,4A 12,0A
4110PL 27,7A 25,0A 25,0A 24,7A 25,5A 23,0A 23,0A 23,0A
4150PL 33,0A 30,0A 26,4A 24,9A 30,4A 27,6A 24,3A 23,0A

• Nota
O ajuste padrão da freqüência da portadora PWM é 12 kHz, mas a classe de corrente de saída indicada na
etiqueta é 4 kHz.

6.12 Intensificação sem parada


6.12.1 Religamento automático (Religamento durante parada
livre)
: seleção de controle de religamento automático

Cuidado
• Permaneça longe de motores e equipamentos mecânicos. Se o motor parar durante uma
queda de energia, o equipamento partirá repentinamente quando a energia for restaurada.
Isso poderá provocar ferimento.
Mandatório
• Para evitar acidentes, fixe avisos a respeito do religamento repentino após falha
momentânea de energia nos inversores, motores e equipamentos.

• Função
O parâmetro F301 detecta a velocidade e a direção da rotação do motor durante a parada livre, no caso de
queda momentânea de energia e, após a energia ser restaurada, religa o motor suavemente (função de busca
da velocidade do motor). Esse parâmetro permite também que a operação com energia comercial seja mudada
para operação com inversor, sem paralisação do motor.
Durante a operação é indicado .

F-23
T OS H I B A E6580757

Ajuste
Nome Função Faixa de Ajuste
Padrão
0: Desativado
1: Em religamento automático após parada momentânea
2: Quando ligando ou desligando o ST-CC
3: Em religamento automático ou quando ligando ou desligando
Seleção do controle o ST-CC
de religamento 0
4: Movimento da frenagem em CC na partida (em religamento
automático
automático após parada momentânea)
5: Movimento da frenagem em CC na partida (quando ligando
ou desligando o ST-CC)
6: Movimento da frenagem em CC na partida (em religamento
automático ou quando ligando ou desligando o ST-CC)
* Se o motor for religado no modo de nova tentativa, esta função operará independentemente do ajuste deste
parâmetro.
1) Religamento automático após queda momentânea de energia (Função religamento automático)

* Ajuste de para , ( ) : Esta função operará após a energia ter sido restaurada, após a detecção de
uma subtensão pelos circuitos principais e energia de controle.
2) Religando o motor durante uma parada livre (Função de busca da velocidade do motor)

* Ajustando para ,( ) : Esta função operará após a conexão do terminal ST-CC ter sido aberta e
conectada novamente.
3) Frenagem em CC durante o religamento
Se este parâmetro for ajustado para , ou , a frenagem em CC especificada pelo parâmetro ou
atuará durante o religamento do motor.
Esta função é eficaz quando o motor está sob condição de falha momentânea de energia ou na situação de
parada livre e é revertido devido a algum motivo externo.

F-24
T OS H I B A E6580757

Aplicação!!
• É pré-ajustado um tempo de espera de 200 a 1.000 milisegundos para permitir que a tensão residual do motor caia
para um determinado nível durante o religamento. Por esse motivo a partida demora mais que o normal.
• Use esta função quando operar um sistema de um motor conectado a um inversor. Esta função poderá não operar
adequadamente em uma configuração de sistema com vários motores conectados a um inversor.
Aplicação com guindaste ou talha
O guindaste ou a talha poderá ter a sua carga movimentada para baixo durante o tempo de espera acima referido,
desde a entrada do comendo de início de operação até o religamento do motor. Assim sendo, para a aplicação do
inversor a essas máquinas ajuste o parâmetro de seleção do modo de controle de religamento automático para “0”
(desativado) e evite usar a função de nova tentativa de ligação. Se a função de nova tentativa estiver ativada, a
carga poderá se mover para baixo, provocando dano e/ou ferimento.

6.12.2 Controle de operação com energia regenerativa

: Controle de operação com energia regenerativa

• Função
O controle de operação com energia regenerativa continua a operação do motor por meio da utilização da
energia regenerativa do motor, em caso de falha momentânea de energia.

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Controle de operação com energia regenerativa 0: Desativado; 1: Ativado 0

Nota: Quando este parâmetro é ajustado, as condições específicas da carga poderão provocar uma parada livre
do motor. Nesse caso, use a função de religamento automático juntamente com este parâmetro de função.
[Quando a energia é interrompida]

[Se ocorrer uma falha momentânea de energia]

F-25
T OS H I B A E6580757

6.12.3 Função nova tentativa


: Seleção da função de nova tentativa (Selecionando o número de vezes que o motor deverá ser
religado automaticamente).

Aviso
• Não se aproxime do motor em situações de alarme-parada, quando a função de nova tentativa
estiver selecionada. O motor poderá partir repentinamente, resultando em ferimento.
Mandatório • Tomo medidas de segurança, como por exemplo fixar uma tampa ao motor, para evitar
acidentes caso o motor seja religado repentinamente.

• Função
Este parâmetro restaura automaticamente o inversor quando o inversor emite um alarme. Durante o modo
de nova tentativa a função de busca de velocidade do motor opera automaticamente conforme necessário
e, assim, permite o religamento suave do motor.

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Seleção da nova tentativa 0: Nenhuma; 1 a 10 tentativas 0

As causas prováveis do desligamento e o correspondente processo de novas tentativas estão relacionados abaixo:
Causa do
Processo de Nova Tentativa Condições de Cancelamento
Desligamento
Falha momentânea Até 10 tentativas seguidas A função de nova tentativa será cancelada imediatamente
de energia a
1 tentativa: Cerca de 1 seg após o desligamento se o desligamento tiver sido causado por um evento não
a usual, exceto: falha momentânea de energia,
Sobrecorrente 2 tentativa: Cerca de 2 seg após o desligamento
a
sobrecorrente, sobretensão ou sobrecarga. A função será
Sobretensão 3 tentativa: Cerca de 3 seg após o desligamento também cancelada se a nova tentativa não tiver sucesso
... dentro do número de vezes especificado.
Sobrecarga a
10 tentativa: Cerca de 10 seg após o
desligamento

* A função de nova tentativa será desativada caso ocorram os seguintes eventos não usuais:
: Sobrecorrente na armadura durante a partida : Falha na ROM da unidade principal
: Sobrecorrente no lado da carga durante a partida : Desligamento por falha na CPU
: Falha na fase de saída : Erro do controle remoto
: Desligamento térmico externo : Falha na EEPROM
: Desligamento por excesso de torque : Erro de auto-ajuste
: Desligamento Poe operação com corrente baixa
: Paralisação por desligamento externo : Desligamento por falha de terra
: Desligamento por subtensão (circuito principal) : Erro de tipo do inversor
: Falha na fase de entrada
: Falha na RAM da unidade principal
* Os sinais do relo de detecção de proteção de operação (sinais dos terminais FLA, FLB e FLC) não são
enviados durante o uso das funções de nova tentativa.
* Um tempo virtual para resfriamento é dado para o desligamento por sobrecarga ( ). Neste
caso, a função de nova tentativa opera após o tempo virtual para resfriamento e o tempo para a nova tentativa.
* No caso de desligamento por sobretensão ( ), poderá ocorrer o religamento a menos que a tensão
em CC caia abaixo de um nível pré-determinado.

F-26
T OS H I B A E6580757

* No caso de desligamento provocado por sobreaquecimento ( ), poderá ocorrer o religamento a menos que a
temperatura interna caia abaixo de um determinado nível, uma vez que a função de detecção da temperatura
interna funciona.
* Mesmo no caso de a seleção do parâmetro de retenção do desligamento ser ajustado para , a função
de nova tentativa será ativada pelo ajuste .
* Durante a nova tentativa, o mostrador alternará entre e a indicação especificada pelo parâmetro de
seleção do modo de indicação .

6.12.4 Frenagem dinâmica (regenerativa) – Para paradas


repentinas do motor
: Seleção de frenagem dinâmica
: Taxa de operação do resistor de frenagem
• Função
VFS9 não possui um resistor de frenagem. Conecte um resistor de frenagem externo nos seguintes casos,
para ativar a frenagem dinâmica:
1. Quando desacelerando repentinamente o motor ou se ocorrer um desligamento por sobretensão (OP)
durante uma parada com desaceleração.
2. Quando ocorrer uma situação regenerativa contínua durante o movimento de descida de um
levantamento ou durante a operação de desenrolamento de uma máquina de controle de tensão.
3. Quando a carga flutuar e resultar uma situação regenerativa contínua, mesmo durante a operação em
velocidade constante de uma máquina tal como uma prensa.

[Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
O: Frenagem dinâmica desativada
1: Frenagem dinâmica ativada; proteção contra
Seleção da frenagem
sobrecarga desativada 0
dinâmica
2: Frenagem dinâmica ativada, proteção contra
sobrecarga ativada
Taxa de operação do
1 ~ 100 (%ED) 3
resistor de frenagem

F-27
T OS H I B A E6580757

1) Conexão de um resistor de frenagem externo (opcional)


Resistor opcional do tipo separado (com fusível térmico)

[Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Ajuste Padrão
Seleção de frenagem dinâmica 2
Taxa de operação do resistor de frenagem qualquer valor
Limite de operação de sobretensão 1

* As capacidades dos resistores opcionais de frenagem dinâmica são selecionados para uma taxa de operação
de 3% ED.
* Para conectar um resistor de frenagem dinâmica, ajuste o parâmetro de limite de sobretensão de operação
para “1” (desativado).
* Para usar este inversor em aplicações que criem uma situação regenerativa contínua ( tal como o movimento
de descida de um guindaste, uma prensa ou uma máquina de controle de tensão) ou em aplicações que
exijam parada com desaceleração com momento inercial significativo da carga, aumente a capacidade do
resistor de frenagem de acordo com a taxa de operação necessária.
* Para conectar um resistor de frenagem externo, selecione um com valor final de resistência maior que o valor
mínimo permitido de resistência. Assegure-se de ajustar a taxa de operação adequada em para
garantir a proteção contra sobrecarga.
* Para usar um resistor de frenagem sem fusível térmico ou para usar um resistor de frenagem no modo 1 do
, conecte relés térmicos conforme indicado no diagrama acima, para obter um circuito de operação
para a operação de parada.

F-28
T OS H I B A E6580757

2) Ajuste da taxa de operação do resistor de frenagem


Calcule a taxa de operação do resistor de frenagem conforme adiante:

3) Resistores de frenagem dinâmica opcionais (Estão também disponíveis resistores de frenagem opcionais para
freqüências mais elevadas de frenagem regenerativas)
Os resistores de frenagem dinâmica opcionais estão relacionados abaixo. Todos esses resistores são de taxa de
operação de 3% ED.
Resistor de frenagem / Unidade de frenagem
Modelo de inversor
Número do modelo Classe
VFS9S-2002PL ~ 2007PL
PBR-2007 120W- 200Ω
VFS9-2002PM ~ 2007PM
VFS9S-2015PL ~ 2022PL
PBR-2022 120W- 75Ω
VFS9-2015PM ~ 2022PM
VFS9-2037PM PBR-2037 120W- 40Ω
VFS9-2055PL PBR3-2055 120W- 40Ω ⋅ 2P (240W- 20Ω)
VFS9-2075PL PBR3-2075 220W- 30Ω ⋅ 2P (440W- 15Ω)
VFS9-2110PM PBR3-2110 220W- 30Ω ⋅ 3P (660W- 10Ω)
VFS9-2150PM PBR3-2150 220W- 30Ω ⋅ 4P (880W- 7.5Ω)
VFS9-4007PL ~ 4022PL PBR-2007 120W- 200Ω
VFS9-4037PL PBR-4037 120W-160Ω
VFS9-4055PL PBR3-4055 120W-160Ω ⋅ 2P (240W- 80Ω)
VFS9-4075PL PBR3-4075 220W-120Ω ⋅ 2P (440W- 60Ω)
VFS9-4110PL PBR3-4110 220W-120Ω ⋅ 3P (660W- 40Ω)
VFS9-4150PL PBR3-4150 220W-120Ω ⋅ 4P (880W- 30Ω)

Nota: Os dados entre parênteses acima referem-se às capacidades de resistência resultantes (Watts) e valores
de resistência resultantes (Ohms) para os resistores de frenagem padrão.

F-29
T OS H I B A E6580757

4) Resistências mínimas de resistores de frenagem conectáveis


Os valores mínimos de resistência permitidos para os resistores de frenagem conectáveis externamente estão
relacionados na tabela abaixo.
Não conecte resistores de frenagem com resistências resultantes menores que os valores de resistência
mínima permitida relacionados.
Classe de capacidade Classe 200 V Classe 400 V
de saída do inversor Resistência do Resistência Resistência do Resistência
(kW) opcional padrão mínima permitida opcional padrão mínima permitida
0,2 200Ω 63Ω - -
0,4 200Ω 63Ω - -
0,75 200Ω 42Ω 200Ω 99Ω
1,5 75Ω 30Ω 200Ω 99Ω
2,2 75Ω 30Ω 200Ω 73Ω
3,7 40Ω 24Ω 160Ω 73Ω
5,5 20Ω 10Ω 80Ω 44Ω
7,5 15Ω 10Ω 60Ω 44Ω
11 10Ω 7Ω 40Ω 22Ω
15 7,5Ω 7Ω 30Ω 22Ω

6.12.5 Evitando desligamento por sobretensão


: Limite de sobretensão de operação

• Função
Este parâmetro mantém constante a freqüência de saída ou aumenta a freqüência para evitar um desligamento por
sobretensão devido a aumentos na tensão de CC durante a operação de desaceleração ou em velocidade constante. O
tempo de desaceleração durante a operação no limite de sobretensão poderá aumentar além do tempo designado.

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: Ativado
Limite de sobretensão de operação 0
1: Proibido

F-30
T OS H I B A E6580757

6.12.6 Ajuste da tensão de saída/Correção da tensão de


alimentação
: Ajuste da tensão de saída (Tensão na freqüência base)

: Correção da tensão de alimentação

• Função
Ajuste da tensão de saída (Tensão na freqüência base)
O parâmetro ajusta a tensão correspondente à freqüência base de modo que não seja dada
saída a qualquer tensão acima do valor ajustado . (Esta função é ativada somente quando
é ajustado para “0”, “1” ou “2”.
Correção da tensão de alimentação

O parâmetro mantém um índice V/F constante, mesmo quando a tensão de entrada diminui. É
evitada a diminuição do torque durante a operação em baixa velocidade.

Correção da tensão de alimentação Mantém um índice V/F constante, mesmo durante flutuações da
tensão de entrada.
Ajuste da tensão de saída Limita a tensão em freqüências superiores à freqüência base. Aplica-
se quando da operação de motor especial, com baixa tensão
induzida.
[Ajuste dos parâmetros]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Ajuste da tensão de saída
0 ~ 250 V, 0 ~ 500 V 200V/400V
(Tensão na freqüência base)
0: Tensão de alimentação não corrigida
Tensão de saída limitada
1: Tensão de alimentação corrigida
Tensão de saída limitada
2: Tensão de saída corrigida (desligado durante a
diminuição de velocidade)
Correção da tensão de Tensão de saída limitada
1
alimentação 3: Tensão de alimentação não corrigida
Tensão de saída não limitada
4: Tensão de alimentação corrigida
Tensão de saída não limitada
5: Tensão de saída corrigida (desligado durante a
desaceleração)
Tensão de saída não limitada

* Se é ajustado para “0” ou “3”, a tensão de saída mudará na proporção da tensão de entrada.
* Mesmo se a tensão na freqüência base (parâmetro ) for ajustado acima da tensão de entrada, a tensão
de saída não ultrapassará a tensão de entrada.
* O índice de tensão em relação à freqüência pode ser ajustado de acordo com a classe de capacidade do motor.
Por exemplo: O ajuste de para “ ” ou para “ “ impede o aumento da tensão, mesmo se a tensão
de entrada mudar quando a freqüência de operação ultrapassar a freqüência base.

F-31
T OS H I B A E6580757

Os ajustes de para e [tensão de entrada corrigida (desligado durante a desaceleração)]


significam a mesma operação que para e , respectivamente, exceto durante a desaceleração. Esses
ajustes impedem a sobretensão durante a desaceleração, enquanto minimiza as diminuições de torque em
operações de baixa velocidade devido a variações na tensão.

F-32
T OS H I B A E6580757

6.12.7 Execução do controle PI


: Controle proporcional/integral (Controle PI)
: Ganho proporcional
: Ganho integral

• Função
Esses parâmetros fornecem vários tipos de controle de processo, tais como manutenção de quantidade de
ar, fluxos e pressões constantes, por meio de sinais de retroalimentação do detector.

[Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
O: 0: Desativado
Controle PI 0
1: 1: Ativado
Ganho proporcional 0,01 ~ 100,0 0,30
Ganho integral 0,01 ~ 100,0 0,20

1) Conexão externa

F-33
T OS H I B A E6580757

2) Tipos de interfaces de controle PI


Os dados de entrada de quantidade do processo (freqüência) e os dados de entrada de retroalimentação podem
ser combinados conforme adiante para o controle PI do VF-S9:
Dados de entrada de quantidade do processo (ajuste da freqüência)
Método de ajuste Modo de ajuste da
freqüência
(1) Ajuste do potenciômetro interno Entrada analógica externa
Ajuste do painel de entrada (1) II (CC: 4 ~ 20 mA)

Ajuste da velocidade interna pré-ajustada (2) VIA (CC: 0 ~ 10 V)

(4) Ajuste do VIB analógico externo (CC: 0 ~ 10 V)

Nota: Quando é selecionado o PI ( = “1”), é desativada a seleção de prioridade de freqüência


( ). Assim sendo, neste caso, uma vez que II ou VIA estão reservados exclusivamente para entrada
do sinal de retroalimentação, não poderá ser feito o ajuste da freqüência por meio da mudança para VIB.
3) Ajuste do controle PI

Ajuste no parâmetros estendido (controle PI).


(1) Ajuste Os parâmetros (tempo de aceleração) e (tempo de desaceleração) para os seus valores
mínimos (0,1 seg.).
(2) Para limitar a freqüência de saída, ajuste os parâmetros (limite superior de freqüência) e (limite
inferior de freqüência). Entretanto, se as quantidades do processo forem ajustadas a partir do painel de
operação, a faixa de ajuste das quantidades do processo serão limitadas pelos valores de e .
4) Ajuste do nível de ganho do controle PI
Ajuste o nível de ganho do controle PI de acordo com as quantidades do processo, com os sinais de
retroalimentação e com o objeto a ser controlado.
Para o ajuste do ganho são fornecidos os seguintes parâmetros:
Parâmetro Faixa de ajuste Valor padrão
0,01 ~ 100,0 0,30
0,01 ~ 100,0 0,20

(Parâmetro de ajuste do ganho – P)


Este parâmetro ajusta o nível de ganho proporcional durante o controle PI. Um valor de correção
proporcional ao desvio específico (diferença entre o valor da freqüência e o valor da retroalimentação) é
obtido por meio da multiplicað desse desvio pelo valor do parâmetro.
Um valor maior do ajuste de ganho P fornece resposta mais rápida. Entretanto, um valor muito elevado do
ajuste resulta em um evento instável, tal como uma busca.

F-34
T OS H I B A E6580757

(Parâmetro de ajuste do ganho - I)


Este parâmetro ajusta o nível de ganho integral durante o controle PI. Quaisquer desvios que
permaneçam não removidos durante a ação proporcional são mudados para zero (função de
compensação de desvio residual).
Um valor maior do ajuste de ganho I reduz os desvios residuais. Entretanto, valores muito elevados do
ajuste resultam em um evento instável, tal como uma busca.

5) Ajuste das tensões do comando analógico


Para o uso de ajustes externos (VIB) ou de entrada de retroalimentação (II/VIA), fazer os ajustes de
tensão/escala conforme necessário. Para mais detalhes, ver Seção 6.5.2.

Exemplo de ajuste do terminal VIB Exemplo de ajuste do terminal VIA Exemplo de ajuste do terminal II

F-35
T OS H I B A E6580757

6.13 Ajuste das constantes do motor


: Auto ajuste
: Freqüência de deslizamento
: Constante primária do motor
: Constante secundária do motor
: Constante de excitação do motor
: Aumento do momento de inércia da carga
: Classe do índice de capacidade do motor com relação ao inversor
Para usar controle de vetor, aumento automático de torque e economia automática de energia, é necessário o
ajuste das constantes do motor (ajuste do motor). Os três métodos adiante estão disponíveis para ajustar as
constantes do motor (Entretanto, para o aumento automático de torque, estão disponíveis dois métodos).

1) Uso do aumento automático de torque ( ) para ajustar a seleção do modo de controle V/F ( ) e do
auto-ajuste ( ) ao mesmo tempo.
2) Ajuste do modo de controle V/F ( ) e do auto-ajuste ( ) independentes.
3) Combinação da seleção da seleção do modo de controle V/F ( ) e do ajuste manual.
O controle de vetor sem sensor pode não funcionar adequadamente, se a capacidade do motor for diferente da
classe de capacidade aplicável do inversor, em mais de dois graus.
[Seleção 1: Ajuste pelo aumento automático de torque]
Este é o mais fácil dos métodos disponíveis. Ele faz o controle de vetor e o auto-ajuste ao mesmo tempo.

Ajuste o parâmetro de aumento automático de torque ( ) para “ “


(controle de vetor sem sensor + auto-ajuste)
Para mais detalhes a respeito do método de ajuste, ver Seção 5.2.
[Seleção 2: Ajuste do controle de vetor sem sensor e auto-ajuste independentes]
Este método ajusta o controle de vetor sem sensor ou o aumento automático de torque e o auto-ajuste do forma
independente. Especificar o modo de controle no parâmetro de seleção de modo de controle V/F ( ) e, então,
ajustar o auto-ajuste.

Ajuste o parâmetro de auto-ajuste ( ) para “ “.

F-36
T OS H I B A E6580757

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: auto-ajuste desativado (uso de parâmetros internos)
Auto-ajuste 1: Aplicação de ajuste individuais de ~ 0
2: Auto-ajuste ativado (retorna para “1” após o auto-ajuste

Ajustar para .

Ajustar para , se a capacidade do motor for menor que a classe de capacidade aplicável do inversor.

* Precauções para o auto-ajuste


1. Fazer o auto-ajuste somente depois de o motor ter sido conectado e de a operação ter sido totalmente
parada.
Se o auto-ajuste for feito imediatamente após a parada da operação, a presença de tensão residual
poderá provocar funcionamento irregular.
2. A tensão é aplicada ao motor durante o ajuste, mesmo que ele esteja se movendo pouco.
3. Normalmente o ajuste é concluído em três segundos. Se ele for abortado, o motor desligará com uma
indicação e nenhuma constante será ajustada para esse motor.
4. Motores de alta velocidade, motores com deslizamento elevado e outros motores especiais não podem
ser auto-ajustados. Para esses motores, fazer o ajuste manual por meio da Seleção 3 descrita abaixo.
5. Prover os guindastes e talhas com circuito de proteção suficiente, tal como freio mecânico. Sem um
circuito de proteção suficiente, o torque insuficiente do motor durante o ajuste poderá criar um risco de
diminuição de velocidade/parada da máquina.

6. Se o auto-ajuste for impossível ou se for indicado um erro de auto-ajuste , fazer o ajuste manual
de acordo com a Seção 3.

[Seleção 3: Ajuste de controle de vetor e ajuste manual independentes]


Se um erro de ajuste for indicado durante o auto-ajuste ou quando as características de controle de vetor
forem melhoradas, as constantes do motor podem ser ajustadas de forma independente.

Ajuste
Nome Função Faixa de Ajuste
Padrão
0: Auto ajuste desativado (uso dos parâmetros
internos)
1: Aplicação de ajustes individuais de
Auto ajuste 0
~
2: Auto-ajuste ativado (retorna para “1” após o
auto-ajuste
Freqüência de deslizamento 0,0 ~ 10,0 Hz *
Constante primária do motor 0 ~ 255 *
Constante secundária do motor 0 ~ 255 *
Constante de excitação do motor 0 ~ 255 *
Aumento do momento de inércia da
0 ~ 200 (tempo) 0
carga
Classe do índice de capacidade do 0: Mesma capacidade do inversor
0
motor em relação ao inversor 1: Um ponto abaixo do inversor
* o valor padrão para os parâmetros acima varia de acordo com a capacidade. Ver seção 11.

F-37
T OS H I B A E6580757

Procedimento para ajuste:


Ajuste os seguintes parâmetros:

: Selecione para ajustar a constante do motor de forma independente, usando os parâmetros


~ .

: Estabeleça a freqüência de deslizamento do motor. Uma freqüência de deslizamento elevada reduz o


deslizamento do motor de modo correspondente. (A freqüência de deslizamento pode ser ajustada
com base nos registros de teste do motor).

: Ajuste o componente resistivo primário do motor. Diminuições no torque devidas a uma possível queda
de tensão durante operação em baixa velocidade, podem ser suprimidas estabelecendo um valor
elevado para este parâmetro.

: Ajuste o componente secundário do motor. Este parâmetro é ativado somente quando é


ajustado para . Um valor maior proporciona maior correção do deslizamento. (Faça os ajuste de
acordo com a operação real).

: Ajuste a indutância de excitação do motor. Uma indutância maior cria uma corrente sem carga menor.
(Faça os ajuste de acordo com a operação real).

: Ajuste o momento de inércia da carga com um múltiplo do momento de inércia do motor. A resposta
transiente pode ser ajustada. Um valor maior reduz a ultrapassagem do limite inercial e, assim
sendo, evita proporcionalmente a ocorrência de uma sobrecorrente e de uma sobretensão.

: Ajuste ”1”, se a classe de capacidade do motor for um grau menor que a do inversor.
* O controle de vetor sem sensor poderá não funcionar adequadamente se a capacidade do motor
for diferente da classe de capacidade aplicável do inversor em mais de dois graus.

F-38
T OS H I B A E6580757

6.14 Modelo de aceleração/desaceleração e


aceleração/desaceleração 2
: Tempo de aceleração 1
: Tempo de desaceleração 1
: Tempo de aceleração 2
: Tempo de desaceleração 2
: Modelo 1 de aceleração/desaceleração
: Modelo 2 de aceleração/desaceleração
: Seleção do modelo (1 ou 2) de aceleração/desaceleração
: Freqüência de mudança para aceleração/desaceleração 1 e 2

• Função
Esses parâmetros permitem a seleção do modelo adequado de aceleração/desaceleração de acordo com as
necessidades específicas.
É também possível a alteração para o modelo 2 de aceleração/desaceleração, usando parâmetros, freqüência e
terminais externos.

Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão


Tempo de aceleração 1 0,1 ~ 3.600 (s) 10,0
Tempo de desaceleração 1 0,1 ~ 3.600 (s) 10,0
Tempo de aceleração 2 0,1 ~ 3.600 (s) 10,0
Tempo de desaceleração 2 0,1 ~ 3.600 (s) 10,0
0: Linear
Modelo 1 de aceleração/desaceleração 1: Padrão S 1 0
2: Padrão S 2
0: Linear
Modelo 2 de aceleração/desaceleração 1: Padrão S 1 0
2: Padrão S 2
Seleção do modelo (1 ou 2) de 0: Aceleração/desaceleração 1
0
aceleração/desaceleração 1: Aceleração/desaceleração 2
Freqüência de mudança para
0~ (Hz) 0,0
aceleração/desaceleração 1 e 2

F-39
T OS H I B A E6580757

■ Modelos de aceleração/desaceleração
1) Aceleração/desaceleração linear
Modelo geral de aceleração/desaceleração. Este
modelo pode ser usado normalmente

2) Padrão S 1 de aceleração/desaceleração
Selecione este padrão para acelerar/desacelerar
rapidamente o motor para uma região de alta
velocidade, com uma freqüência de saída de 60
Hz ou mais ou para minimizar os choques
aplicados durante a aceleração/desaceleração.
Este padrão é adequado para máquinas
pneumáticas de transporte.

3) Padrão S 2 e aceleração/desaceleração
Selecione este padrão para obter uma
aceleração lenta na região de desmagnetização,
com um pequeno torque de aceleração do
motor. Este padrão é adequado para operação
de fusos de alta velocidade.

F-40
T OS H I B A E6580757

■ Mudança para aceleração/desaceleração


1) Seleção por meio de parâmetros

O tempo 1 de aceleração/desaceleração é ajustado inicialmente como o padrão. O tempo 2 de


aceleração/desaceleração pode ser selecionado por meio da modificação do ajuste do parâmetro
2) Mudança por meio de freqüências – Mudança automática do tempo de aceleração/desaceleração no ajuste de
freqüência .

F-41
T OS H I B A E6580757

3) Mudança por meio de terminais externos – Mudança do tempo de aceleração/desaceleração por


meio de terminais externos

Neste caso, ajuste para 0 (placa de terminais)


Um sinal de alteração para a aceleração/desaceleração 2 não é estabelecido como padrão.
Atribua o número de função 5 a um terminal ocioso, especificando o parâmetro de seleção
de função do terminal de entrada.
6.15 Funções de proteção
6.15.1 Ajuste da proteção termo-eletrônica do motor

: Nível 1 de proteção termo-eletrônica co motor


• Função
Este parâmetro permite a seleção das características adequadas de proteção termo-eletrônica, de acordo
com a classe e as características específicas do motor.
O parâmetro e o parâmetro estendido têm a mesma função. A modificação de qualquer dos
dois parâmetros significa que o mesmo valor é estabelecido para ambos os parâmetros.

■ [Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão

Nível 1 de proteção termo-eletrônica do motor 10 ~ 100 (%) 100


( )

F-42
T OS H I B A E6580757

6.15.2 Ajuste da diminuição de corrente


: Nível de prevenção da diminuição de corrente
• Função
Este parâmetro reduz a freqüência de saída por meio da ativação da função de prevenção de diminuição de
corrente, contra uma corrente superior a – nível especificado.

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
10 ~ 199 (%)
Nível de prevenção de diminuição 150
200: Desativado

[Indicação durante a situação de alarme: ]


Durante a indicação de uma situação de alarme (quando existe um fluxo de corrente superior ao nível de
prevenção de diminuição), a freqüência de saída muda. Ao mesmo tempo, à esquerda desse valor é
indicado piscando.
Exemplo de indicação:

6.15.3 Retenção do desligamento do inversor


: Seleção da retenção do desligamento do inversor
• Função
Se o inversor desligar, este parâmetro manterá a informação de desligamento correspondente. Assim, a
informação sobre o desligamento que foi armazenada na memória poderá ser mostrada, mesmo após a
restauração da energia.

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: Não retido
Seleção da retenção do desligamento do inversor 0
1: Retido

* Até quatro conjuntos de informações dos últimos desligamentos indicados no modo de monitoramento de situação
podem ser armazenados na memória.
* Quando a energia é religada, os dados do desligamento no modo de monitoramento de situação (tais como a
corrente e a tensão de desligamento) não serão armazenados.

F-43
T OS H I B A E6580757

6.15.4 Seleção do modo de entrada externa de parada no


desligamento
: Seleção do modo de entrada externa de parada no desligamento
: Tempo de frenagem de emergência em CC

• Função
Esses parâmetros estabelecem o método de desligamento do inversor no modo de parada externa no
desligamento. Quando o inversor é parado, a função de detecção de desligamento (indicação ) e o relé FL
são ativados. Se é ajustado para (frenagem de emergência em CC), ajuste também
(corrente de frenagem em CC) e (tempo de frenagem de emergência em CC).

1) Parada externa de desligamento por meio dos terminais


A função de parada externa de desligamento pode ser executada por meio do contato a.
Proceda conforma adiante para estabelecer um terminal externo de parada e para selecionar o
método de parada:

[Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste
Padrão
0: Parada livre
Seleção do modo de entrada externa de
1: Parada com diminuição de velocidade 0
parada no desligamento
2: Frenagem de emergência em CC
0,0 ~ 20,0 (s)
Tempo de frenagem de emergência em CC 1,0

Corrente de frenagem em CC 0 ~ 100 (%) 30

(Exemplo de determinação do terminal): Atribuição da função de parada do desligamento ao terminal RST


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
11
Seleção do terminal de entrada (RST) 0 ~ 51
(Parada externa de desligamento)

Nota:
1- É possível a parada de emergência por meio do terminal especificado, mesmo durante a operação pelo
painel.
2- Se for ajustado para “2” (Frenagem de emergência em CC) e a frenagem em CC não for necessária
para parada normal, ajuste o tempo de frenagem para 0,0 segundos.

F-44
T OS H I B A E6580757

2) Parada de emergência a partir do painel de operação


É possível a parada de emergência a partir do painel de operação pressionando a tecla STOP do painel duas
vezes, enquanto o inversor não está mo modo de controle pelo painel.
(1) Pressione a tecla STOP .............................. piscará
(2) Pressione a tecla STOP mais uma vez ... A operação paralisará de acordo com o ajuste do parâmetro
. Após isso, será mostrado e será gerado um sinal de
detecção de falha (relé FL desativado).

6.15.5 Detecção de falha de fase de saída


: Seleção do modo de detecção de falha de fase de saída

• Função
Este parâmetro detecta falha de fase de saída do inversor. Se a situação de falha de fase persistir por um
segundo ou mais, serão ativados a função de desligamento e o rela FL. Será informada, ao mesmo tempo, a
informação de desligamento .

Ajuste para para controlar a abertura da conexão do inversor com o motor e para conectar a
energia comercial ao motor.
Poderão ocorrer erros de detecção para motores especiais, tais como motores de alta velocidade.

= (desativado)
................................... Sem desligamento (relé FL desativado)
= (ativado durante a operação)
............................... A detecção de falha de fase é ativada durante a operação. O inversor desligará, se persistir
a situação de falha de fase por um segundo ou mais. (relé FL ativado).
= (ativado; desativado durante o religamento automático)
................................ Entretanto, esta função é desativada durante o religamento automático após queda
momentânea de energia. Quando é detectada falha de fase, a tensão de saída é
diminuída e é feito o religamento.

Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão


0: Desativado
Seleção do modo de
detecção de falha de fase de 1: Ativado (durante a operação) 0
saída
2: Ativado (desativado durante a partida automática)

F-45
T OS H I B A E6580757

6.15.6 Detecção de falha de fase de entrada


: Seleção do modo de detecção de falha de fase de entrada

• Função
Esse parâmetro detecta falha de fase de entrada do inversor. Se a situação de tensão anormal no capacitor
do circuito principal persistir por poucos minutos ou mais, a função de desligamento e o relé FL serão
ativados. Ao mesmo tempo, a informação de desligamento será mostrada.
Se a capacidade da fonte de energia for maior que a capacidade do inversor (mais de 200 kWA ou mais de
10 vezes), poderão ocorrer erros de detecção. Se isso ocorrer, instale um reator de CA ou de CC.

= (desativado) ... Sem desligamento (relé FL desativado)

= (ativado) ......... A detecção de falha de fase é atiçada durante a operação. O inversor desligará
se a situação de tensão anormal no capacitor do circuito principal persistir por
dez minutos ou mais. (relé FL ativado).

Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão


0: Desativado
Seleção do modo de detecção de falha de fase de entrada 1
1: Ativado

6.15.7 Modo de controle para corrente baixa


: Seleção de desligamento por corrente baixa

: Corrente de detecção de corrente baixa (desligamento/alarme)

: Tempo de detecção de corrente baixa (desligamento/alarme)

• Função
O parâmetro permite que o inversor seja desligado se uma corrente menor que (valor
especificado) fluir por mais de (tempo especificado). Quando é selecionado o desligamento,
introduzir o tempo para desligamento. A informação do desligamento é indicada Como .

= (OFF) ... Sem desligamento (relé FL desativado).


Poderá ser emitido um alarme de corrente baixa por meio do ajuste do parâmetro de
seleção do terminal de saída.
= (ON) ...... O inversor é desligado (relé FL ativado) somente após ter sido detectada corrente
baixa por mais de (tempo especificado durante a operação).

F-46
T OS H I B A E6580757

Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão


0: Desativado
Seleção de desligamento por corrente baixa 0
1: Ativado
Corrente de detecção de corrente baixa
0 ~ 100 (%) 0
(desligamento/alarme)
Tempo de detecção de corrente baixa
0 ~ 255 (%) 0
(desligamento/alarme)

6.15.8 Desligamento por excesso de torque


: Seleção de desligamento por excesso de torque
: Nível de excesso de torque (desligamento/alarme)
: Tempo de detecção de excesso de torque (desligamento/alarme)
: Nível de histerese de excesso de torque (desligamento/alarme)
• Função

Use o parâmetro para desligar o inversor se a corrente de torque ultrapassar (nível


especificado) por mais de (tempo especificado). A informação do desligamento é mostrada
como .

= (sem desligamento) ..... Sem desligamento (relé FL desativado)


Um alarme de excesso de torque pode ser emitido para o terminal de
saída, ajustando o parâmetro de seleção de função do terminal de
saída.
= (desligamento) ............. O inversor é desligado (relé FL ativado) semente após uma corrente
de torque superior a (nível especificado) ter sido detectada
por mais de (tempo especificado).

Ajuste
Nome Função Faixa de Ajuste
Padrão
0: Desativado
Seleção de desligamento por excesso de torque 0
1: Ativado
Nível de excesso de torque (desligamento/alarme) 0 ~ 250 (%) 150
Tempo de detecção de excesso de torque (desligamento/alarme) 0,00 ~ 10,0 (s) 0,5
Nível de histerese de excesso de torque (desligamento/alarme) 0 ~ 100 (%) 10

F-47
T OS H I B A E6580757

1) Função do terminal de saída (12) OT) Detecção de excesso de torque


= (sem desligamento)

Quando é ajustado para (desligamento), o desligamento ocorre após o tempo de detecção de


excesso de torque ajustado para .

2) Função do terminal de saída 20 (POT) Pré-alarme de detecção de excesso de torque = (sem


desligamento)

F-48
T OS H I B A E6580757

6.15.9 Desligamento por subtensão


: Seleção de desligamento por subtensão

• Função
Esse parâmetro é usado para selecionar o modo de controle, quando é detectada uma subtensão. A informação
do desligamento é mostrada como .

= (desativado) ....... O inversor é parado. Entretanto, ele não é desligado (relé FL desligado. O
Inversor é parado quando a tensão não ultrapassa 70% ou menos da sua
classe.

= (ativado) ........... O inversor é parado. Ele é também desligado (relé FL ativado), somente após
a detecção de uma tensão não além de 70% ou menos da sua classe.
= (desativado) ..... O controle continua mesmo a 60% da classe de tensão. O inversor para (relé
FL desativado) somente após a detecção de tensão não além de 45% da sua
classe. Deverá ser usado um reator de entrada de CC. Ver 10.4.

Ajuste
Nome Função Faixa de Ajuste
Padrão
0: Desativado
1: Ativado (desligamento a 70% ou menos)
Seleção de desligamento por subtensão 0
2: Desativado (parada (sem desligamento) a
45% ou menos – opcional)

6.16.10 Calibragem de 4 a 20 mA CC
: Polaridade do medidor
• Função
Os sinais de saída dos terminais FM são sinais analógicos de tensão. A faixa padrão de ajuste vai de 0 a 1
mACC ou de 0 a 7,5 VCC.
Essas faixas de valores padrão podem ser mudadas para 0 a 20 mACC mudando a posição do pino ponte
adequado (JP302) na unidade principal do inversor. A calibragem para saída de 4 a 20 mACC é possível,
por meio do ajuste desse parâmetro.

Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão


Polaridade do medidor 0 ~50 (%) 0

Nota: Use o pino ponte (JP302) para selecionar a saída FMC (0 a 20 mACC (4 a 20 mACC)).

F-49
T OS H I B A E6580757

■ Exemplos de ajuste

6.16 Parâmetro do painel de operação


6.16.1 Proibição de modificação dos valores dos parâmetros
: Proibição de modificação dos valores dos parâmetros

• Função
Esse parâmetro especifica quando um valor de parâmetro é modificável ou não.

Métodos de ajuste

: Permitido ............ É proibida a modificação de e durante a operação (ajuste


padrão). A modificação de é
também proibida.

: Proibido ......... ... São proibidas as operações de todos os parâmetros de leitura/gravação.


: Permitido .......... É permitida a modificação de e durante a operação.
Entretanto, é proibida a modificação de
durante a operação.

F-50
T OS H I B A E6580757

[Ajuste do parâmetro]
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
Proibição de modificação dos 0: Permitido 0
valores dos parâmetros e não podem ser alterados
durante a operação
1: Proibido
2: Permitido
e podem ser alterados
durante a operação

■ Método para retorno aos valores originais


Somente o parâmetro F 700 é projetado de modo que o seu valor possa ser alterado mesmo se 1
(proibido) estiver selecionado.
-1
6.16.2 Alteração da unidade do indicador para A/V/min
: Seleção da unidade

:: Seleção de unidade livre

• Função
Esses parâmetros são usados para mudar a unidade indicada no monitor.
% <--> A (ampere) / V (volt)
Freqüência <--> velocidade do motor ou da carga

■ [Ajuste dos parâmetros]


Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: Nenhuma modificação
1: % <--> A (ampere) / V (volt)
Seleção da unidade 2: Seleção de unidade livre ativada 0

3: % <--> A (ampere) / V (volt)


Seleção de unidade livre ativada
Seleção de unidade livre 0,01 ~ 200,0 0

■ Um exemplo de ajuste para mudança da indicação da porcentagem de tensão/corrente


para indicação de unidade V/A
Ajustar para ou para
Durante a operação do VFS9-2037PM (classe de corrente: 17,5 A) na classe de carga (100% da carga), as
unidades são indicadas conforme adiante:

F-51
T OS H I B A E6580757

1) Indicação em porcentagem: 2) indicação em amperes/volts

■ Um exemplo de ajuste da indicação da velocidade do motor ou da velocidade da carga


Ajuste para ou para
O valor obtido pela multiplicação da freqüência indicada por (valor ajustado) será indicado conforme
adiante:

Valor indicado = Freqüência indicada no monitor ou valor do parâmetro X


1) Indicando a velocidade do motor
Para mudar o modo de indicação de 60 Hz (padrão) para 1.800 min-1 (velocidade de rotação do motor 4P)

2) Indicando a velocidade da unidade de carga


Para mudar o modo de indicação de 60 Hz (padrão) para 6 m/min-1 (velocidade do transportador)

Nota: Este parâmetro indica a freqüência de saída do inversor como o valor obtido pela sua multiplicação por
um número positivo. Mesmo quando a velocidade real do motor muda de acordo com as mudanças de
carga, a freqüência de saída será sempre mostrada.

F-52
T OS H I B A E6580757

O converte os seguintes ajustes de parâmetro:


• Indicação em A Indica a corrente do motor
Nível 1/2 de proteção termo-eletrônica do motor

Corrente de frenagem em CC
Nível de prevenção de diminuição de velocidade
Nível de detecção de corrente baixa
• Indicação em V Indica a tensão
Aumento de torque 1/2
• Unidade livre Indica a freqüência
Parâmetros relacionados à freqüência

6.16.3 Modificação do formato de indicação do monitor de


situação
: Seleção da indicação padrão do monitor

• Função
Esse parâmetro especifica o formato da indicação, enquanto a energia está ligada.

Mudança do formato do indicador enquanto a energia está ligada


Quando a energia está ligada, o modo monitor indica a freqüência da operação (ajuste padrão) no formato ou
. Esse formato pode ser mudado para qualquer outro formato de indicação, por meio do ajuste do .
Entretanto, esse novo formato não indicará um prefixo atribuído, tal como ou .
• Modo monitor padrão --> Seleciona a indicação padrão do monitor
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: Freqüência de operação (Hz/Unidade livre)
1: Corrente de saída (%A)
Seleção da indicação padrão do 2: Comando de freqüência (Hz/Unidade livre)
0
monitor 3: Classe de corrente do inversor (A)
4: Fator de sobrecarga do inversor (A)
5: Capacidade de saída (%)

F-53
T OS H I B A E6580757

6.17 Função de comunicação (Serial comum)


: Velocidade de transferência de dados

: Paridade

: Número do inversor

: Tempo de desligamento por erro de comunicação


Para detalhes, referir-se ao MANUAL DO USUÁRIO PARA EQUIPAMENTO DE COMUNICAÇÃO

• Função
A Série VFS9 permite que seja formada uma rede de comunicação de dados para a troca de dados entre o
computador hospedeiro ou o controlador (referidos coletivamente como computador) e o inversor,
conectando uma unidade opcional de conversão de comunicação RS232C ou RS485.
<Funções de ligação com o computador>
As seguintes funções são habilitadas pela comunicação de dados entre o computador e o inversor:
1- Monitoramento da situação do inversor (tal como freqüência de saída, corrente e tensão)
2- Envio de comandos RUN, STOP e outros comandos de controle para o inversor
3- Leitura, edição e gravação de parâmetros do inversor
<Comunicações RS232C>
Podem ser trocados dados entre um computador e um inversor.
<Comunicações RS485>
Podem ser trocados dados entre o computador e um máximo de 64 inversores.

* As seguintes unidades estão disponíveis como unidades opcionais seriais comuns:


• Unidade de conversão de comunicações RS232C (Modelo: RS2001Z)
Cabo de comunicação (Modelo CAB001, com 1 m de comprimento; CAB0013, com 3 m de
comprimento; ou CAB0015, com 5 m de comprimento.
• Unidade de conversão de comunicação RS485, com painel de terminais (Modelo RS4001Z)
Cabo de comunicação (Modelo CAB001, com 1 m de comprimento; CAB0013, com 3 m de
comprimento; ou CAB0015, com 5 m de comprimento.
Notas:
1- Limitar a distância entre as unidades opcionais seriais comuns e o inversor, a 5 m.
2- Ajustar a velocidade de transferência de dados em 9.600 bps ou menos, no caso de troca de dados entre
as unidades opcionais de serial comum e o inversor.

F-54
T OS H I B A E6580757

Parâmetros da função de comunicação (opções de serial comum)


A velocidade de transferência de dados, o tipo de paridade, o número do inversor e o tempo de desligamento por
erro de comunicação pode ser ajustado/editado por meio do painel de comunicação ou da função de comunicação.
Nome Função Faixa de Ajuste Ajuste Padrão
0: 1.200 bps
1: 2.400 bps
Velocidade de transferência de dados 2: 4.800 bps 3
3: 9.600 bps
4: 19.200 bps
0: NON (sem paridade)
Paridade (serial comum) 1: EVEN (paridade par) 1
2: ODD (paridade ímpar)
Número do inversor 0 ~ 63 0
Tempo de desligamento por erro de 0: Desabilitado*
0
comunicação 1 ~ 100 (S)

* Desabilitado .................. Indica que o inversor não será desligado se ocorrer um erro de comunicação
Desligamento .............. O inversor desliga quando for ultrapassado o tempo de comunicação. Neste caso a
informação de desligamento será indicada de forma intermitente no painel
de operação.

6.17.2 Uso do RS232C/RS485


Ajuste das funções de comunicação
O ajuste de comandos e freqüências por meio de comunicações tem prioridade sobre o envio de comandos a partir
do painel de comando ou da placa de terminais. Assim sendo, o ajuste de comando/freqüência por meio de
comunicações poderá ser ativado independentemente do ajuste do modo de comando ou do modo de
ajuste da freqüência .
Entretanto, quando o parâmetro de seleção do terminal de entrada é ajustado para 48: SC/LC (seleção
Serial/Local), o inversor pode ser operado com os ajustes do modo de comando ou do modo de ajuste de
freqüência , por meio de entradas externas.
Especificações de transmissão
Item Especificação
Esquema de transmissão Semi-duplex
Esquema de conexão Controle centralizado
Esquema de sincronização Assíncrono
Taxa de transmissão Padrão: 9.600 bauds (valor do parâmetro)
Opc: 1.200, 2.400, 4.800, 9.600 ou 19.200 bauds
Transmissão de caracteres Código ASCII: JIS X 0201, 8 bit (fixo)
Código binário: Binário, 8 bit (fixo)
Comprimento do bit de parada Inversor recebendo: 1 bit; Inversor transmitindo: 2 bits
Detecção de erro Paridade: Par, Ímpar ou Nenhum selecionável por meio do ajuste do
parâmetro; método da verificação da soma
Formato de transmissão de Recebendo: 11 bits; Enviando: 12 bits
caracteres
Ordem de transmissão de bit Primeiro o bit menos significativo
Comprimento do quadro Variável, até o máximo de 15 bytes

F-55
T OS H I B A E6580757

■ Exemplo de conexão para comunicação RS485


<Comunicação independente>
Faça a conexão computador-inversor conforme adiante, para enviar comandos de freqüência de operação do
computador hospedeiro para o inversor No. 3:

“Rejeitado”: Somente o inversor com o número do inversor selecionado faz o processamento dos dados.
Todos os demais inversores, mesmo que tenham recebido dos dados, rejeitam os dados e
continuam disponíveis para receber o próximo dado.
*: Use o painel de terminais para ramificar o cabo.
1- Os dados são enviados pelo computador hospedeiro.
2- Os dados do computador são recebidos em cada inversor e os números do inversor são verificados.
3- O comando é decodificado e processado somente pelo inversor com o número de inversor selecionado.
4- O inversor selecionado responde enviando os resultados do processamento, juntamente com o seu próprio número
de inversor, para o computador hospedeiro.
5- Conseqüentemente, somente o inversor selecionado inicia a operação de acordo com o comando de freqüência de
operação, por meio de comunicação independente.

F-56
T OS H I B A E6580757

7. Operação aplicada
7.1 Ajuste da freqüência de operação
A operação aplicada pode ser feita selecionando o ajuste da freqüência do inversor, usando o parâmetro básico
(seleção do modo de ajuste de freqüência) e o parâmetro estendido (seleção de prioridade de
freqüência).

G-1
T OS H I B A E6580757

G-2
T OS H I B A E6580757

G-3
T OS H I B A E6580757

G-4
T OS H I B A E6580757

7.2 Ajuste do modo de operação


A operação aplicada pode ser executada por meio da seleção do modo de operação. Para ajustar o
modo de operação, use o parâmetro básico (seleção do modo de comando) e o parâmetro
de seleção do terminal de entrada.

G-5
T OS H I B A E6580757

Nota 1: No caso de operação trifásica, F 103 é ajustado


para 1 e é ajustado para 0.
Selecione um terminal de entrada e ajuste para HD
(operação suspensa).
Nota 2: Habilite a ligação do terminal de entrada quando a
energia for ligada.
Nota 3: Habilite a ligação dos terminais F e R quando HD:
ON.
Nota 4: Se o comando de operação alternada for selecionado
durante a operação trifásica, o inversor para.

selecionando HD (operação suspensa) com o parâmetro


de seleção de terminal de entrada permite a operação
com HD: ON e para com HD: OFF

G-6
T OS H I B A E6580757

(6) Alteração de um dispositivo exteno de entrada


para a placa de terminais

:I
Para mudar de operação pela placa de
terminais, use o PNL/TB externo.

G-7
T OS H I B A E6580757

8. Monitoramento da situação da operação


8.1 Modo de monitoramento da situação
Neste modo você pode monitorar a situação da operação do inversor.
Para mostrar a situação da operação durante a operação normal:

Pressione duas vezes a tecla .


Procedimento para o ajuste (por exemplo: operação em 60 Hz)
Tecla Indicação No. da
Item indicado Descrição
operada LED comunicação

A freqüência de operação é indicada (durante a


operação). (Quando o parâmetro padrão de seleção da
Nota 1
indicação do monitor é ajustado para 0
[freqüência da operação])

Modo de ajuste de O primeiro parâmetro básico “Aceleração/Desaceleração


parâmetro automática ” é indicado.

Freqüência da A freqüência de operação é indicada (durante a


FE00
operação operação).

Sentido da É indicado o sentido de operação. ( : normal; :


FE 01
rotação invertido)

Comando de
freqüência da FE 02 É indicado o valor do comando de freqüência de operação
operação

É indicada a corrente de saída do inversor (corrente da


Nota 2 Corrente da carga FE 03
carga). (Valor padrão: unidade %).

Tensão de É indicada a tensão de entrada do inversor (CC). Valor


Nota 3 FE 04
entrada CC padrão: unidade %).

É indicada a tensão de saída do inversor. (Valor padrão:


Tensão de saída FE 05
unidade %).

É indicada em bits a situação ON/OFF de cada um dos


terminais de entrada de sinal de controle (F, R, RST, S1,
S2 e S3).

Terminal de
FE 06
entrada

É indicada em bits a situação ON/OFF de cada um dos


terminais de saída de sinal de controle RY, OUT e FL)

Terminal de saída FE 07

H-1
T OS H I B A E6580757

Versão da CPU FE 08 É indicada a versão da CPU.

Versão da
FE 09 É indicada a versão da memória instalada.
memória

Desligamento Desligamento anterior 1 (indicado alternadamente em


Nota 4 FE 10
anterior 1 intervalos de 0,5 seg.)

Desligamento Desligamento anterior 2 (indicado alternadamente em


Nota 4 FE 11
posterior 2 intervalos de 0,5 seg.)

Desligamento Desligamento anterior 3 (indicado alternadamente em


Nota 4 FE 12
posterior 3 intervalos de 0,5 seg.)

Desligamento Desligamento anterior 4 (indicado alternadamente em


Nota 4 FE 13
posterior 4 intervalos de 0,5 seg.)

Tempo
É indicado o tempo acumulado de operação (0,01
Nota 5 acumulado de FE 14
corresponde a 1 hora)
operação

Corrente de
FE 20 A corrente de torque é indicada em %.
torque

retroalimentação É indicado o valor da retroalimentação PI.


FE 22
PI (Unidade: quantidade processada)

Fator de carga do
FE 26 O fator de carga do inversor é indicado em %.
inversor

Fator de O fator de sobrecarga do resistor de frenagem é indicado


FE 28
sobrecarga PBR em %.

Capacidade de
FE 30 A capacidade de saída do inversor é indicada em %.
saída

Indicação padrão É indicada a freqüência de operação (durante a


de modo operação).

Nota 1: Pressione a tecla ou a tecla (EO para mudar os itens indicados no modo de monitoramento
da situação.
Nota 2: Para o parâmetro de seleção de unidade de corrente ou com o parâmetro de seleção de unidade de
tensão, você pode escolher entre porcentagem e ampere (A) para corrente ou entre porcentagem e volt
(V) para tensão, respectivamente.
Nota 3: A tensão de entrada (CC) indicada é 1/•2 vezes a tens ão de entrada CC retificada.
Nota 4: É mostrado para indicar a ausência de erro.
Nota 5: O tempo acumulado de operação aumenta somente quando a máquina está em operação.

H-2
T OS H I B A E6580757

8.2 Indicação de informações sobre desligamento


Se o inversor desligar, é indicado um código de erro para sugerir o motivo. No modo de monitoramento da situação,
são mantidos todos os registros de desligamento.
Indicação das informações sobre desligamento
Código de Erro No. de Descrição
Comunicação
Sobrecorrente durante a aceleração
Sobrecorrente durante a desaceleração
Sobrecorrente durante a operação
Sobrecorrente no lado da armadura durante a partida
Sobrecorrente no lado da carga durante a partida
Sobretensão durante a aceleração
Sobretensão durante a desaceleração
Sobretensão durante operação em velocidade constante
Desligamento por sobrecarga no inversor
Desligamento por sobrecarga no motor
Falha de fase de saída
Falha de fase de entrada
Entrada térmica externa
Desligamento por excesso de torque
Desligamento por sobrecarga no registro de frenagem dinâmica
Desligamento por superaquecimento
Desligamento por subtensão
Desligamento por corrente baixa
Falha de terra
Parada de emergência
FAlha na RAM do inversor
Falha na ROM do inversor
Desligamento por falha na CPU
Erro de comunicação
Erro de tipo do inversor
Falha de EEPROM
Erro de auto-ajuste

(Nota): Os registros dos desligamentos anteriores (registros de desligamentos mantidos ou


desligamentos que ocorreram no passado) podem ser chamados. (Ver 8.1 “Modo de
monitoramento da situação”, para procedimento de chamada).
(*) Estritamente falando, este código não é um código de erro; é um código indicado para
mostrar a ausência de erro, quando é selecionado o modo de monitoramento de parada
anterior.

H-3
T OS H I B A E6580757

■ Exemplo de chamada de informação sobre parada


Tecla Indicação No. de
Item Mostrado Descrição
Operada LED Comunicação
Modo de monitoramento da situação (o código pisca, se
*1 ocorrer um desligamento).
O motor para livremente.
Modo de ajuste É indicado primeiro parâmetro básico
de parâmetro “Aceleração/desaceleração automática ”.
Freqüência de Na ocorrência de um desligamento, é indicada a
FE00
operação freqüência de operação.
Sentido de É indicado o sentido de operação. ( : normal; :
FE01
rotação invertido)
Comando de
Na ocorrência de um desligamento é indicado o valor do
freqüência de FE02
comando de freqüência de operação.
operação
Na ocorrência de um desligamento, é indicada a
Corrente da
FE03 corrente de saída do inversor (Valor padrão: Unidade
carga
%).
Tensão de Na ocorrência de um desligamento, é indicada a tensão
FE04
entrada (CC) de entrada (CC) (Valor padrão: Unidade %)
Na ocorrência de um desligamento, é indicada a tensão
Tensão de saída FE05
de saída (Valor padrão: Unidade %).
Na ocorrência de desligamento, é indicado, em bits, a
situação ON/OFF de cada um dos terminais de entrada
de sinal de controle (F, R, RST, S1 e S2).

Terminal de
FE06
entrada

Na ocorrência de desligamento, é indicado, em bits, a


situação ON/OFF de cada um dos terminais de saída de
sinal de controle (RY, OUT e FL).
Terminal de
FE07
saída

Versão da CPU FE08 É indicada a versão da CPU

H-4
T OS H I B A E6580757

(Continuação)

Versão da memória FE09 É indicada a versão da memória

Desligamento anterior 1 (indicado alternadamente


Desligamento anterior 1 FE19
em intervalos e 0,5 seg.)
Desligamento anterior 2 (indicado alternadamente
Desligamento anterior 2 FE11
em intervalos e 0,5 seg.)
Desligamento anterior 3 (indicado alternadamente
Desligamento anterior 3 FE12
em intervalos e 0,5 seg.)
Desligamento anterior 4 (indicado alternadamente
Desligamento anterior 4 FE13
em intervalos e 0,5 seg.)
Tempo acumulado de Tempo acumulado de operação (0,01 corresponde
FE14
operação a 1 hora)
Na ocorrência do desligamento, a corrente de
Corrente de torque FE20
torque é indicada em %
Na ocorrência do desligamento, é indicado o valor
Retroalimentação PI FE22
da retroalimentação PI (unidade: freqüência)

Fator de carga FE26 O fator de carga do inversor é indicado em %

Fator de sobrecarga Na ocorrência do desligamento, é indicado fator


FE28
PBR de sobrecarga do resistor de frenagem em %
Na ocorrência do desligamento, é indicada a
Capacidade de saída FE30
capacidade de saída do inversor em %

Modo padrão de
indicação X É indicado o motivo do desligamento
2

Nota 1: Pressione a tecla ou a tecla para modificar os itens mostrados no modo de


monitoramento da situação.
Nota 2: Se ocorrerem problemas enquanto a CPU estiver sendo inicializada após o inversor ser ligado ou
religado, a função de retenção do registro do desligamento não o registrará, mas indicará um item
de monitoramento de situação.

H-5
T OS H I B A E6580757

9. Medidas para satisfazer a diretriz CE/UL


9.1 Como atender a diretriz CE
Na Europa, a diretriz EMC e a diretriz de baixa tensão, que entraram em vigor em 1996 e 1997, respectivamente,
tornam obrigatória a colocação da marca CE em todos os produtos aplicáveis, para provar que eles estão de
acordo com as diretrizes. Os inversores não operam isolados, mas são projetados para serem instalados em um
painel de controle e serem sempre utilizados em combinação com outras máquinas ou sistemas que os controlam,
de modo que os inversores não são considerados sujeitos à diretriz EMC.
Entretanto, a marca CE tem que ser colocada em todos os inversores, uma vez que eles estão sujeitos à diretriz de
baixa tensão.
A marca CE tem que ser colocada em todas as máquinas e sistemas com inversores embutidos, uma vez que
essas máquinas e sistemas estão sujeitos às diretrizes acima. Se eles forem produtos “finais”, eles estarão sujeitos
também às diretrizes relativas às máquinas. É responsabilidade dos fabricantes desses produtos finais colocar a
marca CE em cada um deles. Com o objetivo de tornar máquinas e sistemas com inversores embutidos em
conformidade com a diretriz EMC e com a diretriz de baixa tensão, esta seção explica como instalar os inversores e
que medidas deverão ser tomadas para satisfazer a diretriz EMC.
Nós testamos modelos representativos instalados conforme descrito adiante neste manual, para verificar a
conformidade com a diretriz EMC. Entretanto, não podemos verificar todos os inversores quanto à conformidade,
uma vez que a conformidade ou não com a diretriz EMC depende de como eles são instalados e conectados. Em
outras palavras, a aplicação da diretriz EMC varia, dependendo da composição do painel de controle com
inversor(es) embutido(s), da relação com outros componentes elétricos embutidos, da condição da interligação, da
condição do arranjo físico, etc. Assim sendo, favor verificar se a sua máquina ou sistema está de acordo com a
diretriz EMC.

9.1.1 A respeito da diretriz EMC


A marca CE tem que ser colocada em todos os produtos finais que incluam inversor(es) e motor(es). A série de
inversores VF-S9 está de acordo com a diretriz EMC se um filtro EMI recomendado pela Toshiba for conectado a
ele(s) e se a ligação for feita corretamente.

■ Diretriz EMC 89/336/EEC


As normas EMC são divididas em duas categorias amplas: normas relativas a imunidade e normas relativas à
emissão, cada uma das quais é classificada de acordo dom o ambiente operacional de cada máquina específica.
Uma vez que os inversores tem como objetivo a utilização em sistemas industriais e em ambientes industriais, eles
se enquadram nas categorias EMC relacionadas na Tabela 1 abaixo. Os testes exigidos para máquinas e sistemas
considerados produtos finais são praticamente as mesmas das exigidas dos inversores.

I-1
T OS H I B A E6580757

Tabela 1 – Normas EMC


Categoria Subcategoria Normal Geral Norma e Nível de Teste
Emissão Ruído de radiação EM 55011, Grupo 1, Classe A
EN50081-2
Ruído de transmissão EM 55011, Grupo 1, Classe A
Descarga estática EM 61000-4-2
Imunidade Rádio-freqüência radioativa do campo do EM 61000-4-3
contator magnético
Primeiro impulso do transiente EN50082-2 EM 61000-4-4
Raio EM 61000-4-5
Rádio-freqüência de interferência por EM 61000-4-6
indução/transmissão

As normas de emissão, exceto as acima, são aplicadas a inversores utilizados em ambiente comercial, mas não
em ambiente industrial.

Categoria Subcategoria Norma Geral Norma e Nível de Teste


Emissão Ruído de radiação EN50081-2 EM 55011, Grupo 1, Classe B
Ruído de transmissão EM 55011, Grupo 1, Classe B

9.1.2 Medidas para satisfazer a diretriz EMC


Esta subseção explica as medidas que devem ser tomadas para satisfazer as diretrizes EMC.
(1) Inserir um filtro EMC recomendado (Tabela 2) no lado de entrada do inversor para reduzir os ruídos de
radiação e transmissão. Nas combinações relacionadas na Tabela 2, os inversores foram verificados
quanto à conformidade com a diretriz EMC. Para inversores utilizados no Japão, é recomendado o uso de
filtros de ruído série NF.
A Tabela 2 relaciona os filtros recomendados para os inversores.
* Dimensões dos filtros EMC: Ver 10.4 (Página J-11)
Tabela 2 – Combinações de inversores e filtros EMC
Trifásicos Classe 200 V Trifásicos Classe 400 V
Com filtro embutido Combinação de inversor e filtro
Inversor Filtro para Filtro para Inversor Filtro para conformidade Filtro para
conformidade com a conformidade com a Classe A conformidade
Classe A com a Classe B com a Classe B
VFS9-2002PM EMF2011BZ - VFS9-4007PL Com filtro embutido EMF4016CZ
VFS9-2004PM EMF2011BZ - VFS9-4015PL Com filtro embutido EMF4016CZ
VFS9-2007PM EMF2011BZ - VFS9-4022PL Com filtro embutido EMF4025DZ
VFS9-2015PM EMF2011BZ - VFS9-4037PL Com filtro embutido EMF4025DZ
VFS9-2022PM EMF4025BZ -- VFS9-4055PL Com filtro embutido EMF4045EZ
VFS9-2037PM EMF4025BZ - VFS9-4075PL Com filtro embutido EMF4045EZ
VFS9-2055PL Com filtro embutido EMF4045EZ VFS9-4110PL Com filtro embutido EMF4045FZ
VFS9-2075PL Com filtro embutido EMF4045EZ VFS9-4150L Com filtro embutido EMF4045FZ
VFS9-2110PM EMF2080GZ -
VFS9-2150PM EMF2080GZ -

* Fio de aterramento: Para conformidade com a Classe A, aterrar entre o filtro EMI e a placa EMC.
Bitola do fio: 6 mm2 ou mais (9 AWG ou maior)
Comprimento do fio: 29 cm ou menos

I-2
T OS H I B A E6580757

Monofásico Classe 200 V


Com filtro embutido
Inversor Filtro para Filtro para
conformidade com a conformidade
Classe A com a Classe B
VFS9S-2002PL Com filtro embutido EMFS2010AZ
VFS9S-2004PL Com filtro embutido EMFS2010AZ
VFS9S-2007PL Com filtro embutido EMF2010AZ
VFS9S-2015PL Com filtro embutido EMF2016AZ
VFS9S-2022PL Com filtro embutido EMF2025DZ

(2) Use cabos blindados para força e controle, incluindo os cabos do filtro de entrada e os cabos de saída do
inversor. Faça o caminhamento dos cabos e fios de modo a minimizar o comprimento. Mantenha distância
entre os cabos de força e os cabos de controle e entre os fios de entrada e de saída do cabo de força. Não
faça o caminhamento dos cabos em paralelo ou prenda-os juntos. Ao invés disso, faça o cruzamento em
ângulo reto.
(3) Instale o inversor e o filtro na mesma placa metálica. É mais eficaz na limitação do ruído de radiação instalar
o inversor em uma cabine de aço blindada. Utilizando fios tão grossos e curtos quanto possível, aterre
firmemente a placa metálica e o painel de controle mantendo distância entre o cabo de aterramento e o cabo
de força.
(4) Faça o caminhamento dos fios de entrada e de saída do filtro EMI separado um do outro.
(5) Para limitar o ruído de radiação dos cabos, aterre cada cabo blindado à placa metálica. É eficaz aterrar os
cabos blindados nas proximidades do inversor, da cabine e do filtro (dentro de um raio de 10 cm entre cada
um deles).
(6) Para limitar ainda mais o ruído de radiação, insira um reator fase-zero na linha de saída do inversor e insira
núcleos de ferrite nos cabos de aterramento da placa metálica e do gabinete.

Nota 1: Descasque e aterre os cabos blindados, seguindo o exemplo mostrado na Figura

I-3
T OS H I B A E6580757

9.1.3 Sobre a diretriz para baixa tensão


A diretriz para baixa tensão dispõe a respeito da segurança de máquinas e sistemas. Todos os inversores da
Toshiba são marcados com CE, de acordo com a norma EM 50178 especificada pela diretriz para baixa tensão e,
assim sendo, podem ser importados e instalados sem problemas em máquinas ou sistemas dos países europeus.
Norma aplicável: EM 50178 Equipamento eletrônico para instalações de força
Nível de poluição: 2 (5.2.15.2)
Categoria de sobretensão: 3
Classe 200 V: 3,0 mm (5.1.16.1)
Classe 400 V: 5,5 mm (5.2.16.1)
A EM 50178 aplica-se a equipamentos elétricos especialmente previstos para uso em instalações de força, e
estabelece as condições a serem observadas para prevenção de choques elétricos, quando do projeto, teste,
fabricação e instalação de equipamentos eletrônicos para uso em instalações de força.

9.1.4 Medidas para satisfazer a diretriz para baixa tensão


Quando da incorporação do inversor a uma máquina ou sistema, é necessário tomar as seguintes medidas para
que o inversor satisfaça a diretriz para baixa tensão.
(1) Quando da instalação do inversor fora do gabinete, estabeleça meios de proteção para o orifício de fiação
do inversor para evitar que pessoas enfiem os dedos através do orifício e toquem componentes
energizados do inversor.
(2) Não conecte dois ou mais cabos ao terminal de aterramento do circuito principal do inversor. Se
necessário, instale um terminal de aterramento adicional na placa metálica sobre a qual o inversor está
instalado e conecte outro cabo a ela. Alternativamente, instale a placa EMC (anexada como padrão) e
outro cabo para conectar ao terminal de aterramento da placa EMC. Referir-se à Tabela 10.2 para as
dimensões dos cabos de aterramento.
(3) Instale um disjuntor sem fusível no lado de saída do inversor.

I-4
T OS H I B A E6580757

10. Dispositivos periféricos

Perigo
• Quando utilizando uma seccionadora para o inversor, ela deverá ser instalada em um
gabinete. A falha em faze-lo poderá provocar risco de choque elétrico e poderá resultar em
Perigo morte ou ferimento sério.
Mandatório
• Conecte firmemente os cabos de aterramento. A falha em faze-lo poderá provocar risco de
choque elétrico ou incêndio ou, em caso de defeito, curto circuito ou fuga de corrente.
Aterrar

10.1 Escolha de materiais e dispositivos para ligação


Dimensões dos cabos
Capacidade do
Classe de Modelo do Resistor de
motor aplicável Circuito principal Reator de CC Cabo de
tensão inversor 2 2 frenagem/Unidade de
(kW) (mm ) (Ver Nota 1) (opcional) (mm ) 2 aterramento
frenagem (opcional) (mm )
0,2 VFS9S-2002PL 2,0 1,25 1,25 3,5
0,4 VFS9S-2004PL 2,0 1,25 1,25 3,5
Monofásico
0,75 VFS9S-2007PL 2,0 2,0 1,25 3,5
Classe 200 V
1,5 VFS9S-2015PL 3,5 2,0 1,25 3,5
2,2 VFS9S-2022PL 5,5 2,0 2,0 5,5
0,2 VFS9S-2002PM 1,25 1,25 3,5
0,4 VFS9S-2004PM 2,0 1,25 1,25 3,5
0,75 VFS9S-2007PM 2,0 2,0 1,25 3,5
1,5 VFS9S-2015PM 2,0 2,0 1,25 3,5
Trifásico 2,2 VFS9S-2022PM 2,0 2,0 2,0 3,5
Classe 200 V 3,7 VFS9S-2037PM 3,50 5,5 5,5 3,5
5,5 VFS9S-2055PM 8,0 5,5 5,5 8,0
7,5 VFS9S-2075PL 14 14 5,5 14
11 VFS9S-2110PM 14 14 5,5 14
15 VFS9S-2150PM 22 22 5,5 22
0,75 VFS9S-4007PL 2,0 1,25 1,25 3,5
1,5 VFS9S-4015PL 2,0 1,25 1,25 3,5
2,2 VFS9S-4022PL 2,0 2,0 1,25 3,5
Trifásico 3,7 VFS9S-4037PL 2,0 2,0 1,25 3,5
Classe 400 V 5,5 VFS9S-4055PL 3,5 2,0 2,0 3,5
7,5 VFS9S-4075PL 3,5 3,5 2,0 5,5
11 VFS9S-4110PL 5,5 5,5 3,5 8,0
15 VFS9S-4150PL 8,0 8,0 3,5 8,0

Nota 1: Dimensões dos cabos conectados aos terminais de entrada R, S e T e aos terminais de saída U, V
e W, quando o comprimento de cada cabo não ultrapassar 30 m.
Nota 2: Para o circuito de controle, use cabos blindados com diâmetro de 0,75 mm2 ou mais.
Nota 3: Para aterramento, use cabo com dimensões iguais ou maiores que as acima.

J-1
T OS H I B A E6580757

■ Escolha de dispositivos de ligação


Disjuntor não fusível Disjuntor de fuga para terra
Contator magnético (MC) Relé de sobrecarga (THR)
Capacidade (MCCB) (ELCB)
Classe de Modelo do
do moto Corrente
tensão inversor Classe de Tipo Classe de Tipo Tipo Classe de Tipo
aplicável ajustada(para
corrente (A) (Nota 1) corrente (A) (Nota 1) (Nota 1) corrente (A) (Nota 1)
referência)
0.2 VFS9S-2002PL 10 NJ30N 11 C11J 1.3 T13J 10 NJV50E
Monofásic 0.4 VFS9S-2004PL 15 NJ30N 11 C11J 2.3 T13J 15 NJV50E
o Classe 0.75 VFS9S-2007PL 20 NJ30N 11 C11J 3.6 T13J 20 NJV50E
200 V 1.5 VFS9S-2015PL 30 NJ30N 18 C20J 6.8 T13J 30 NJV50E
2.2 VFS9S-2022PL 40 NJ50E 35 C35J 9.3 T13J 40 NJV50E
0.2 VFS9-2002PM 5 NJ30N 11 C11J 1.3 T13J 5 NJV50E
0.4 VFS9-2004PM 5 NJ30N 11 C11J 2.3 T13J 5 NJV50E
0.75 VFS9-2007PM 10 NJ30N 11 C11J 3.6 T13J 10 NJV50E
1.5 VFS9-2015PM 15 NJ30N 11 C11J 6.8 T13J 15 NJV50E
Trifásico
2.2 VFS9-2022PM 20 NJ30N 13 C13J 9.3 T13J 20 NJV50E
Classe 200
V 3.7 VFS9-2037PM 30 NJ30N 26 C25J 15 T20J 30 NJV50E
5.5 VFS9-2055PL 50 NJ50E 35 C35J 22 T35J 50 NJV50E
7.5 VFS9-2075PL 60 EJ100F 50 C50J 28 T35J 60 NJV60F
11 VFS9-2110PM 100 EJ100F 65 C65J 44 T65J 100 NJV100F
15 VFS9-2150PM 125 EJ225F 80 C80A 57 T65J 125 NJV225F
0.75 VFS9-4007PL 5 NJ30N 9 C11J 1.6 T13J 5 NJV50E
1.5 VFS9-4015PL 10 NJ30N 9 C11J 3.6 T13J 10 NJV50E
2.2 VFS9-4022PL 15 NJ30N 9 C11J 5.0 T13J 15 NJV50E
Trifásico
3.7 VFS9-4037PL 20 NJ30N 13 C13J 6.8 T13J 20 NJV50E
Classe 400
V 5.5 VFS9-4055PL 30 NJ30N 17 C20J 11 T13J 30 NJV50E
7.5 VFS9-4075PL 30 NJ30N 25 C25J 15 T20J 30 NJV50E
11 VFS9-4110PL 50 EJ50E 33 C35J 22 T35J 50 NJV50E
15 VFS9-4150PL 60 EJ100F 48 C50J 28 T35J 60 NJV100F

Nota 1: Produzido por Schnaider Toshiba Corporation.


Nota 2: Assegure-se de ligar um supressor de pico à bobina de excitação do relé e do contator magnético.
Escolha de supressores de pico para contatores magnéticos Toshiba:
Classe 200 V: As unidades de supressão de pico estão disponíveis como opcional para os
Toshiba C11J a C65J ou o Modelo SS-2 para o C50J e C65J.
Classe 400 V: Para os circuitos de operação e de controle, regule a tensão para 200 V ou
menos, por meio de um transformador abaixador.
Nota 3: Quando utilizando os contatos auxiliares 2a do contator magnético MC do circuito de controle, conecte
os contatos 2a em paralelo para aumentar a confiabilidade.
Entre os dispositivos de ligação relacionados na tabela acima, os contatores magnéticos (MC) e os relés de
sobrecarga (Th-Ry) são para utilização com a série Mighty J. Quando utilizando séries mais antigas (série ESPER
Mighty), referir-se à tabela abaixo que indica a correspondência entre as duas séries.
Contator magnético (MC) Relé de sobrecarga
Série ESPER Mighty Série Mighty J Série ESPER Mighty Série Mighty J
C12A C13J T11A T13J
C20A C20J T20A T20J
C35A C35J T35A T35J
C50A C50J T65A T65J
C65A C65J

J-2
T OS H I B A E6580757

10.2 Instalação de um contator magnético


Se o inversor for usado sem a instalação de um contator magnético (MC) no circuito primário, use um MCCB (com
dispositivo de desligamento de energia) para abrir o circuito primário, quando o circuito de proteção do inversor
estiver ativado.
Se for usado um resistor de frenagem ou uma unidade de resistor de frenagem, instale um contator magnético
(MC) ou um disjuntor sem fusível com um dispositivo de desligamento de energia à fonte de energia do inversor, de
forma que o circuito de energia abra quando for ativado o relé de detecção de falha (FL) do inversor ou do relé de
falha externo.

■ Contator magnético no circuito primário


Um contator magnético instalado no circuito de fornecimento de energia do inversor corta o fornecimento de
energia para o circuito e evita que o inversor religue no caso de queda de energia, de desligamento do relé de
sobrecarga (Th-Ry) ou a ativação do circuito de proteção do inversor.
Além disso, se o contato FL do relé de detecção de falha do VF-S9 estiver conectado ao circuito de operação do
contator magnético no lado do primário, o contator magnético (MC) será desligado quando o circuito de proteção do
inversor for ativado.

Exemplo de conexão de um contator magnético ao circuito primário


Notas sobre a ligação:
• Quando mudando freqüentemente entre ligado e desligado, não use o contator magnético no lado do
primário como chave liga/desliga do inversor. Alternativamente, ligue e desligue o inversor usando os
terminais F e CC (operação normal) ou R e CC (operação invertida).
• Assegure-se de ligar um supressor de pico à bobina e excitação do contator magnético (MC).

■ Contator magnético no circuito secundário


Um contator magnético pode ser instalado no lado do secundário para ligar motores controlados ou para fornecer
energia comercial para a carga, quando o inversor estiver fora de operação.
Notas sobre a ligação:
• Assegure-se de intertravar o contator magnético no lado do secundário, com a fonte de energia, para evitar
que a energia comercial seja aplicada aos terminais de saída do inversor.
• Quando da instalação de um contator magnético (MC) entre o inversor e o motor, evite ligar e desligar o
contator magnético durante a operação. Ligar ou desligar o contator magnético durante a operação provoca
um fluxo de corrente para o inversor, que poderá provocar o mau funcionamento.

J-3
T OS H I B A E6580757

10.3 Instalação de um relé de sobrecarga


1- O inversor VF-S9 tem uma função de proteção termo-eletrônica. Entretanto, nos casos adiante, o nível de
ativação da unidade de proteção termo-eletrônica deverá ser ajustado e deverá ser instalado um relé de
sobrecarga adequado para o motor, entre o inversor e o motor.
• Quando da utilização de um motor com classe de corrente diferente da correspondente ao motor para
uso geral da Toshiba.
• Quando da operação de um único motor com capacidade menor que a do motor padrão adequado ou
mais que um motor simultaneamente.
2- Quando da utilização do inversor VF-S9 para operar um motor de torque constante, tal como o motor
Toshiba VF, ajuste a característica de proteção da unidade de proteção termo-eletrônica para utilização de
motor VF.
3- É recomendável utilizar um motor com relé térmico embutido na bobina do motor, para dar proteção
suficiente ao motor, principalmente quando ele opera na faixa de baixa velocidade.

10.4 Dispositivos externos opcionais


Os seguintes dispositivos externos estão disponíveis como opcionais para a série de inversores VF-S9:

J-4
T OS H I B A E6580757

Dispositivos externos opcionais


No. Dispositivo Função e Objetivo
(1) Usado para melhorar o fator de potência de entrada, reduzir as harmônicas e para suprimir
Reator de entrada CA picos extermos no lado da fonte de energia do inversor. Instalar quando a capacidade da
fonte for de 500 kVA ou mais, e 10 vezes ou mais que a capacidade do inversor, ou quando
uma fonte de geração de onda distorcida (como uma unidade de tiristor ou um inversor de
(2) grande capacidade) for ligada no mesmo sistema de distribuição.
Reator CC
Tipo do Reator Efeito
Melhoria do Supressão de Harmônicas Supressão de
Fator de 200 V – 3,7 kW Outros modelos Pico Externo
Potência ou menos
Reator de entrada AC O O O O
Reator de CC O grande O O grande X

O grande: grande eficácia O: eficaz X: ineficaz


Melhora o fator de potência mais do que o reator de entrada. Quando a instalação que
utiliza o reator exige alta confiabilidade, é recomendado usar o reator de CC com um reator
de entrada eficaz para supressão de picos externos.
* Um inversor de 200 V – 3,7 kW ou menos é conectado a um reator selecionado na
página J-8, 9, para conformidade com as “Orientações para limites para emissões de
correntes harmônicas em inversores para aplicações gerais com corrente de entrada de
até e inclusive 20 A por fase” da Associação Japonesa de Fabricantes do Setor Elétrico.
(3) Filtro de alta atenuação Estes tipos de filtro não são necessários porque todos os modelos monofásicos de 200 V ou
(Filtro LC) tipo NF fabricado modelos trifásicos de 400 V e os trifásicos de 200 V, 5,5 kW ou os modelos de 7,5 kW tem
pela Soshin Electric Co. como padrão um filtro de ruído EMI embutido, para conformidade com a Classe A. Instale
esses filtros caso necessite reduzir ainda mais o ruído.
Filtro para redução de rádio-interferência

• Eficaz para evitar a interferência em equipamentos de áudio usados próximo ao


inversor.
• Instalar no lado da saída do inversor
• Fornecido com ampla faixa de características de atenuação desde faixas de rádio AM
até próximo a 10 MHz.
• Usar quando o equipamento afetado pelo ruído estiver instalado nas proximidades.
(4) Reator fase-zero (filtro • Eficaz para evitar a interferência em equipamentos de áudio usado próximo ao inversor.
indutivo) tipo núcleo de • Eficaz para a redução de ruído nos lados da entrada e da saída do inversor.
ferrite fabricado pela Soshin
Electric Co. • Fornecido com características de atenuação de vários dB em freqüências desde faixas
de rádio AM até 10 MHz.
• Para contramedidas relativas a ruído, insira no lado do secundário do inversor.
(5) Filtro de redução de ruído Filtro de ruído EMI de alta atenuação exigindo apenas um pequeno espaço. Montado na
do tipo montado na base (a parte traseira do inversor. Este filtro pode ser instalado para conformidade com as seguintes
ser lançado em breve) classes da norma EMC EN5501 Grupo 1:
Modelos trifásicos 200 V, excluindo os de 5,5/7,5 kW: Conformidade com a Classe A.
Todos os demais modelos, exceto o acima: Conformidade com a Classe B.
(6) Resistor de frenagem Usar quando desaceleração rápida ou parada forem necessárias com freqüência ou quando
for necessário reduzir o tempo de desaceleração com carga elevada. Este resistor consome
energia regenerativa durante a frenagem com geração de energia.
• Resistor de frenagem – Com resistor + relé de proteção térmica embutidos.
(7) Filtro de supressão de pico de Use um motor com isolamento reforçado ou instale um filtro para restringir picos de tensão
tensão no lado do motor (somente para evitar a degradação do isolamento do motor provocada pela geração de picos de
para a Classe 400 V) tensão, dependendo do comprimento do cabo e do método de ligação, ou utilize um motor
classe 400 V acionado por um inversor.
(8) Kit para tubo conduíte (a ser Kit adicional utilizado para conformidade com a NEMA Tipo 1.
lançado em breve)
(9) Kit painel (a ser lançado em Kit adicional para conformidade do painel com a estrutura IP43.

J-5
T OS H I B A E6580757

breve)
(10) Kit de trilho DIN (a ser lançado Disponível para os modelos da Classe 200 V com 0,75 kW ou menos (Modelo DIN001Z)
em breve)
(11) Gravador de parâmetros Usar esta unidade para leitura, cópia e gravação de valores de parâmetros em lotes.
(12) Painel de extensão Kit de painel de operação estendido, oferecido com seção de indicador LED, tecla
RUN/STOP, tecla UP/DONW, tecla Monitor e tecla ENTER (Modelo: RKP001Z).
(13) Unidade conversora de Usado para conectar um computador pessoal para comunicação de dados com até 64
comunicação RS232C unidades (Modelo RS4001Z).
(14) Painel remoto Fornecido com indicador de freqüência, dispositivo para ajuste de freqüência e chave RUN-
STOP (normal/invertido) embutidos.
(15) Unidade de controle de A Série AP está disponível para permitir vários tipos de funções de controle de aplicação,
aplicação quando combinada com um inversor. Para mais informações, contatar o seu representante
Toshiba.

Tabela para seleção de dispositivos opcionais externos


Filtro de redução de rádio Filtro de Filtro de redução
Capacidade Reator CA
Classe de Modelo do Reator CC ruído Resistor de supressão de Kit de tubo de ruído tipo Adaptador
do motor de entrada
tensão inversor (Nota 2) Tipo alta Tipo núcleo frenagem ruído no lado do conduíte montado sobre DIN
aplicável (Nota 2)
atenuação (Ver Nota 1) motor base
0.2 VFS9S-2002PL PFL-2002S DCLS- - RC5078 PBR-2007 - NEM010Z EMFS2010AZ DIN001Z
2002
Monofásic
0.4 VFS9S-2004PL PFL-2005S DCL-2007 - RC5078 PBR-2007 - NEM010Z EMFS2010AZ DIN001Z
o Classe
0.75 VFS9S-2007PL PFL-2011S DCL-2022 - RC5078 PBR-2007 - NEM010Z EMFS2010AZ DIN001Z
200 V
1.5 VFS9S-2015PL PFL-2018S DCL-2037 - RC5078 PBR-2022 - NEM020Z EMFS2016CZ &
2.2 VFS9S-2022PL PFL-2018S DCL-2037 - RC5078 PBR-2022 - NEM030Z EMFS2025DZ &
0.2 VFS9-2002PM PFL-2001S DCL-2002 NF3005A-MJ RC5078 PBR-2007 NEM011Z EMF2011BZ DIN001Z
0.4 VFS9-2004PM PFL-2005S DCL-2007 NF3005A-MJ RC5078 PBR-2007 - NEM011Z EMF2011BZ DIN001Z
0.75 VFS9-2007PM PFL-2005S DCL-2007 NF3005A-MJ RC5078 PBR-2007 - NEM011Z EMF2011BZ DIN001Z
1.5 VFS9-2015PM PFL-2011S DCL-2022 NF3015A-MJ RC5078 PBR-2022 - NEM011Z EMF2011BZ &
Trifásico
2.2 VFS9-2022PM PFL-2011S DCL-2022 NF3015A-MJ RC5078 PBR-2022 - NEM031Z EMF4022DZ &
Classe 200
V 3.7 VFS9-2037PM PFL-2018S DCL-2037 NF3020A-MJ RC5078 PBR-2037 - NEM031Z EMF4022DZ &
5.5 VFS9-2055PL PFL-2025S DCL-2055 - RC9129 PB3-2055 - NEM040Z EMF4045EZ &
7.5 VFS9-2075PL PFL-2050S DCL-2110 - RC9129 PBR-2075 - NEM040Z EMF4045EZ &
11 VFS9-2110PM PFL-2050S DCL-2110 NF3050A-MJ RC9129 PBR-2110 - NEM050Z EMF2080GZ
15 VFS9-2150PM PFL-2100S DCL-2220 NF3080A-MJ RC9129 PBR-2150 - NEM050Z EMF2080GZ &
0.75 VFS9-4007PL PFL-4012S DCL-2007 - RC5078 PBR-2007 MSF-4015Z NEM020Z EMF4006CZ &
1.5 VFS9-4015PL PFL-4012S DCL-2007 - RC5078 PBR-2007 MSF-4015Z NEM020Z EMF4006CZ &
2.2 VFS9-4022PL PFL-4012S DCL-2022 - RC5078 PBR-2007 MSF-4037Z NEM030Z EMF4022DZ &
Trifásico
3.7 VFS9-4037PL PFL-4012S DCL-2022 - RC5078 PBR-2007 MSF-4037Z NEM030Z EMF4022DZ &
Classe 400
V 5.5 VFS9-4055PL PFL-4025S DCL-4110 - RC9129 PBR3-4055 MSF-4075Z NEM040Z EMF4045EZ &
7.5 VFS9-4075PL PFL-4025S DCL-4110 - RC9129 PBR3-4075 MSF-4075Z NEM040Z EMF4045EZ &
11 VFS9-4110PL PFL-4025S DCL-4110 - RC9129 PBR3-4110 MSF-4150Z NEM050Z EMF4045FZ &
15 VFS9-4150PL PFL-4050S DCL-4220 - RC9129 PBR3-4150 MSF-4150Z NEM050Z EMF4045FZ &

10
Nota 1: Este filtro é usado enrolado na linha de energia do lado da entrada (número de voltas: 4 ou mais). Este filtro pode
ser instalado também no lado da saída.
Nota 2: A conexão deste reator ao inversor torna-o em conformidade com a norma “Diretrizes Para a Execução de Medidas
de Supressão de Harmônicas em Inversores Para Aplicações Gerais (corrente de entrada de 20 A ou menos)”, da
Associação Japonesa dos Fabricantes do Setor Elétrico.

J-6
T OS H I B A E6580757

Dispositivos Dimensões externas e conexões


Reator CA de
entrada
(ACL)

Dimensões (mm) Peso aproximado


Tipo Classe Tipo do inversor Desenho Terminais
A B C D E F G (kg)
PFLS2002S 1φ-230V-2.0A-50/60Hz VFS9S-2002PL 80 55 115 63 45 5 45 M3.5 0.85
PFL2001S 3φ-230V-1.7A-50/60Hz VFS9-2004PM, 2007PM 105 65 115 90 55 5 40 M3.5 1.0
VFS9S-2004PL
PFL2005S 3φ-230V-1.7A-50/60Hz VFS9-2002PM 105 65 115 90 55 5 40 M3.5 1.2
PFL2011S 3φ-230V-11A-50/60Hz VFS9S-2007PL, VFS9-2015PM 130 70 140 115 60 5 50 A M3.5 1.2
VFS9S-2022PM
PFL2018S 3φ-230V-18A-50/60Hz VFS9-2037PM, VFS9S-2015PL, 130 70 140 115 60 5 50 M4 2.3
VFS9S-2022PL
PFL2025S 3φ-230V-25A-50/60Hz VFS9-2055PL 125 100 130 50 83 7 - M4 2.5
PFL2050S 3φ-230V-50A-50/60Hz VFS9-2075PL, VFS9-2110PM 155 115 140 50 95 7 - M6 3.4
PFL2100S 3φ-230V-100A-50/60Hz VFS9-2150PM 230 150 210 60 90 8 M8 8.2
PFL4012S 3φ-460V-12.5A-50/60Hz VFS9-4007PL, VFS9-4037PL 125 95 130 50 79 7 - B M4 2.3
PFL4025S 3φ-460V-25A-50/60Hz VFS9-4055PL, VFS9-4110PL 155 110 155 50 94 7 - 4.9
PFL4050S 3φ-460V-50A-50/60Hz VFS9-4150PL 155 140 165 50 112 7 - M6 6.6

Nota: O PFL2002S tem 4 terminais

J-7
T OS H I B A E6580757

Dispositivos Dimensões externas e conexões


Reator CC
(DCL)

Dimensões (mm) Peso


Classe de
Tipo Tipo do inversor A B C D E F G Desenho Terminais aproximado
corrente (A)
(kg)
DCLS-2002 2.5 VFS9S-2002PL, VFS9- 79 50 44 66 V1.25-3.5 0.6
2002PM
DCL-2007 7 VFS9-2004PM, 2007PM 92 65 70 82 V2-3.5 1.2
VFS9S-2004PL
VFS9-4007PL, 4015PL Nota
DCL-2022 14 VFS9-2015PM, 2022PM 86 110 80 71 64 M4 2.2
VFS9S-2007PL
VFS9-4022PL, 4037PL Nota)
DCL-2037 22.5 VFS9-2037PM 86 110 85 71 70 55 M4 2.5
VFS9S-2015PL, 2022PL
DCL-2055 38 VFS9-2055PL 75 130 140 50 85 85 55 M5 1.9
DCL-2110 75 VFS9-2075PL 100 150 150 65 85 95 60 M6 2.4
VFS9-2110PM
DCL-2220 150 VFS9-2150PM 117 170 190 90 90 130 - M8 4.3
DCL-4110 38 VFS9-4055PL 95 150 165 70 90 105 60 M5 3.0
VFS9-4110PL
DCL-4220 75 VFS9-4150PL 105 160 185 80 100 130 65

Nota: Os VFS9-4007PL usam reator DA parra a Classe 200 V.

J-8
T OS H I B A E6580757

Dispositivos Dimensões externas e conexões


Filtro de redução
de rádio-ruído de
alta atenuação

Classe de Dimensões (mm)


Peso aproximado
Tipo corrente Tipo do inversor A B C E F G H J K M N P (kg)
(A)
NF3005A-MJ 5 VFS9-2002PM -FS9-2007PM 1.0
NF3015A-MJ 15 VFS9-2015PM, VFS9-2022PM 174.5 160 145 110 80 32 70 20 45 φ5.5 M4
M4 1.6
NF3020A-MJ 20 VFS9-2037PM
NF3050A-MJ 50 VFS9-2110PM 267.5 250 235 170 140 44 90 60 4.6
30 φ6.5 M6
NF3080A-MJ 80 VFS9-2150PM 294.5 280 260 170 150 37 100 65 M6 7.0

Nota: Final do tipo do inversor:- PL tem embutido um filtro de atenuação de rádio-ruído de alta atenuação.

Filtro de redução
de rádio-ruído
tipo fase-zero
com núcleo de
ferrite

J-9
T OS H I B A E6580757

Dispositivos Dimensões externas e conexões


Filtro de ruído
montado na
base

Dimensões (mm)
Classe de
Tipo corrente Tipo do inversor W H D W1 H1 D2 E F G Peso Observações
(A) aproximado
(kg)
EMFS2010AZ 10 VFS9S-2002PL - 2007PL EMC: conformidade Classe B
105 185 50 85 170 0,9
EMF2011BZ 11 VFS9-2002PM - 2015PM EMC: conformidade Classe A
EMFS2016CZ 16 VFS9-2015PL 1,2 EMC: conformidade Classe B
130 205 110 190
EMF4006CZ 6 VFS9S-4007PL, 4015PL 10 8,5 8,5 1,25
EMFS2025DZ 25 VFS9S-2022PL 1,4
EMF4022DZ 22 VFS9-2022PM, 2037PM 140 250 120 2 EMC: conformidade Classe A
230 1,25
VFS9-4022PL, -4037PL 60 EMC: conformidade Classe B
EMF4045EZ 45 VFS9-2055PL, -2075PL
200 351 160 330 3,6
VFS9-4055PL, -4075PL
11 9,5 5,5
EMF4045FZ 45 VFS9-4110PL, -4150PL
245 372 205 360 5
EFM2080GZ 80 VFS9-2110PM, -2150PM EMC: conformidade Classe A*
* Cabo de aterramento: aterrar entre o filtro EMI e a placa EMC para conformidade com a Classe A.
Diâmetro do cabo: 6 mm2 ou mais (9 AWG ou mais)
Comprimento do cabo: 29 cm ou mais

J-10
T OS H I B A E6580757

Dispositivos Dimensões externas e conexões


Resistor de
frenagem

Nota: VFS9-4007PL ~ 4022PL usam resistor de frenagem Classe 200 V.

J-11
T OS H I B A E6580757

Dispositivos Dimensões externas e conexões


Gravador de parâmetros Painel de extensão Conversor de comunicação
Nota: As dimensões do painel de extensão Nota: A unidade adiante é a RS485.
são as mesmas do desenho adiante, As dimensões da unidade RS232C
mas a superfície do painel é são as mesmas das adiante, mas a
diferente. RS232C não tem conector.
Unidade de
conversão de
comunicação(R
S485/RS232C)
do gravador de
parâmetros do
painel de
extensão

Tipo do gravador de parâmetros: Tipo do painel de extensão: Tipo do conversor de Tipo do conversor de
PWU001Z PKP001Z comunicação RS485: RS4001Z comunicação RS232C:
Tipo do cabo do gravador de Tipo do cabo do painel de Tipo de cabo RS485: RS2001Z
parâmetros: extensão: Tipo de cabo RS232C:
CABO011 (1m) CABO011 (1m)
CABO013 (3m) CABO013 (3m)
CABO015 (5m) CABO015 (5m)

J-12
T OS H I B A E6580757

Dispositivos Dimensões externas e conexões


Painel remoto
CBVR-7B1

J-13
T OS H I B A E6580757

Dispositivos Dimensões externas e conexões


Medidor de
freqüência

Kit FRH

J-14
T OS H I B A E6580757

11. Tabela de parâmetros e dados


11.1 Parâmetros do usuário
*1: Depende da extremidade da tipo-forma
AN – WN: 60 Hz
WP: 50 Hz
*2: Depende do modelo
Nome Função Unidad Unidade Faixa de Ajuste Ajuste Ajuste do Referência
e Mínima de Padrão Usuário
Ajuste
60
- Hz - *1 4.1
50

Hz 0,1 0,0 3.2

*3: Este parâmetro é indicado quando é introduzido o valor padrão .


11.2 Parâmetros básicos
• Quatro funções automáticas
Unidade
No. de Ajuste Ajuste do
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Comunicação Padrão Usuário
Ajuste
0: Desativado (manual)
Aceleração/desaceleraçã
0000 - - 1: Taxa ótima 0 5.1
o automática
2: Taxa mínima
Aumento automático de 0: Desativado
0001 - - 0 5.1
torque 1: Controle de vetor + auto-ajuste
Ajuste automático de 0: Desativado
0002 - - 0 5.3
ambiente 1: Ajuste automático
0: Desativado
1: Parada livre
Ajuste automático de 2: Operação trifásica
0040 - - 0 5.4
função 3: Entrada interna do ajuste UP/DOWN
4: Operação de entrada de corrente de
4 a 20 mA
• Outros parâmetros básicos
Unidade
No. de Ajuste Ajuste do
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Comunicação Padrão Usuário
Ajuste
Seleção do modo de 0: Painel de terminais 1 5.5
0003 - -
comando 1: Painel de operação
0: Painel de terminais 2 5.5
Seleção do modo de
0004 - - 1: Painel de operação
ajuste de freqüência
2: Potenciômetro interno
0: Freqüência de saída 0 5.6
1: Corrente de saída
2: Freqüência ajustada
0005 Seleção do medidor - -
3: Para ajuste (corrente fixada em 100%)
4: Fator de carga do inversor
5: Potência de saída
0006 Ajuste do medidor - - - 5.6
0 ~ 2: (inválido) 0 5.7
3: Ajuste padrão
Seleção do modo de
0007 - - 4: Limpa apagamento
ajuste padrão
5: Limpa tempo acumulado de operação
6: Inicialização do tipo de informação

K-1
T OS H I B A E6580757

Unidade
No. de Ajuste Ajuste do
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Comunicação Padrão Usuário
Ajuste
0008 Seleção de operação - - 0: operação normal 0 5.8
normal/invertida (painel 1: operação invertida
de operação)
0009 Tempo 1 de aceleração s - 0,1 a 3.600 10,0 5.1
ACC
0010 Tempo 1 de s 0,1 0,1 a 3.600 10,0 5.1
desaceleração
0011 Freqüência máxima Hz 0,1 30,0 a 400 80,0 5.9
FH
0012 Limite superior de Hz 0,1 *1 5.10
UL freqüência
0,5 - FH
0013 Limite inferior de Hz 0,1 0,0 5.10
LL freqüência
0,0 – UL
0014 Freqüência base 1 Hz 0,1 25 a 400 60,0*1 5.11
0015 Seleção de modo de - - 0: V/F constante 0 5.12
controle V/F 1: Torque variável
2: Aumento de torque automático
3: Controle de vetor sem sensor
4: Economia automática de energia
0016 Aumento de torque %(v) 0,1 0,0 a 30,0 *2 5.13
0041 Nível 1 de proteção %(A) 1 10 a 100 100 5.14
EX- termo-eletrônica do
motor
0017 Seleção da característica - - Aju Tipo Proteção Dim. 0 5.14
de proteção termo- ste contra Vel. OL
eletrônica *4 sobrecarga
0 Motor O X
1 padrão O O
Oln 2 X X
3 X O
4 Motor VF O X
5 (motor O O
6 especial) X X
7 X O
0018 Freqüências 1 a 7 de Hz 0,1 0,0 5.15
S-1 a operação com
Para 0024 velocidade pré-ajustada
LL - UL
S-7
- Parâmetro estendido - - - - - 4.1
F---
-
- Edição automática de - - - - - 4.1
função
*4: O = Válido X = Inválido

11.3 Parâmetros estendidos


Unidade Ajuste Ajuste do Referência
No. de
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Padrão Usuário
Comunicação
Ajuste
0100 Freqüência de saída do sinal Hz 0,1 0,0 6.1.1
F de baixa velocidade
0,0 a fh
100
0101 Freqüência de ajuste do sinal Hz 0,1 0,0 6.1.3
F de busca
0,0 a fh
101
0102 Faixa de detecção do sinal de Hz 0,1 2,5 6.1.2
F busca
0,0 a fh
102

K-2
T OS H I B A E6580757

Unidade Ajuste Ajuste do Referência


No. de
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Padrão Usuário
Comunicação
Ajuste
0103 Seleção do sinal ST - - 0: Disponível ligado, quando ST está 1 6.2.1
ligado
F 1: Disponível sempre ligado
2: Intertravado com F/R
103 Disponível ligado quando ST está
desligado
0104 Seleção do sinal RST - - 0: Padrão 0 6.2.2
F 1: Ativado desligando RST
104
0110 Seleção de função sempre - - 0 a 51 0 6.3.1
F ativada
110
0111 Seleção 1 do terminal de - - 0 a 51 (F) 2 6.3.2
F entrada (F)
111
0112 Seleção 2 do terminal de - - 0 a 51 (R) 3 6.3.2
F entrada (R)
112
0113 Seleção 3 do terminal de - - 0 a 51 (RST) 10 6.3.2
F entrada (RST)
113
0114 Seleção 4 do terminal de - - 0 a 51 (S1) 6 6.3.2
F entrada (S1)
114
0115 Seleção 5 do terminal de - - 0 a 51 (S2) 7 6.3.2
F entrada (S2)
115
0116 Seleção 6 do terminal de - - 0 a 51 (S3) 8 6.3.2
F entrada (S3)
116
0130 Seleção 1 de terminal de - - 0 a 29 (LOW) 4 6.3.3
F saída (RY-RC)
130
0131 Seleção 2 de terminal de - - 0 a 29 (RCH) 6 6.3.3
F saída (OUT)
131
0132 Seleção 3 de terminal de - - 0 a 29 (FL) 10 6.3.3
F saída (FL)
132
0170 Freqüência base 2 Hz 0,1 25 a 400 *1 6.4.1
F
170
0172 Aumento de torque 2 %(V) 0,1 0,0 a 30,0 *2 6.4.1
F
172
0173 Nível 2 de proteção termo- %(A) 1 10 a 100 100 6.4.1
F eletrônica do motor
173
• Parâmetros de freqüência
Unidade Ajuste Ajuste do Referência
No. de
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Padrão Usuário
Comunicação
Ajuste
0200 Seleção de prioridade de - - 0: VIA/II, VIB 0 6.5.1
freqüência 1: VIB, VIA/II
2: Chaveamento externo (FCHG ativado)
F200 3: Contato externo (UP/DOWN) *5
4: Contato externo (UP/DOWN) *5 (Ajuste
retido mesmo se a energia for desligada)
5: VIA/II + VIB
0201 Ajuste do ponto 1 da % 1 0 a 100 0 6.5.2
F201 entrada VIA/II

K-3
T OS H I B A E6580757

0202 Freqüência do ponto 1 Hz 0,1 0,0 a 400,0 0,0 6.5.2


F202 da entrada VIA/II
0203 Ajuste do ponto 2 da % 1 0 a 100 100 6.5.2
F203 entrada VIA/II
0204 Freqüência do ponto 2 Hz 0,1 0,0 a 400,0 *1 6.5.2
F204 da entrada VIA/II
0210 Ajuste do ponto 1 da % 1 0 a 100 0 6.5.2
entrada VIB
F210 Tempo de resposta da (0,1s) 1 0 a 100 0
freqüência UP *5
0211 Freqüência do ponto 1 Hz 0,1 0,0 a 400 0,0 6.5.2
da entrada VIB
F211 Largura do degrau da 0,1 0,0 a 400 0,0
freqüência UP *5
0212 Ponto 2 de ajuste da % 1 0 a 100 100 6.5.2
entrada VIB
F212 Tempo de resposta da (0,1s) 1 0 a 100 100
freqüência DOWN *5
*5: Ajuste o parâmetro f 200 para 3 ou para 4, a função de f 210 a f 213 está no final do parágrafo.

K-4
T OS H I B A E6580757

Unidade
No. de Ajuste Ajuste do
Nome Comunicação Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Padrão Usuário
Ajuste
0213 Freqüência do ponto 2 de entrada VIB Hz 0,1 0-400 *1 6.5.2
F213 Largura do degrau da freqüência DOWN Hz 0,1 0.0-400.0 *1
*5
0240 Ajuste da freqüência de partida Hz 0,1 0.5-10.0 0,5 6.6.1
F240
0241 Freqüência de início de operação Hz 0,1 0,0 6.6.2
F241 0.0-FH
0242 Histerese de freqüência do início de Hz 0,1 0,0 6.6.2
F242 operação
0.0-FH
0250 Freqüência de início de frenagem em CC Hz 0,1 0,0 6.7.1
F250 0.0-FH
0251 Corrente de frenagem em CC %/(A) 0,1 0-100 30 6.7.1
F251
0252 Tempo de frenagem em CC S 0,1 0.0-20.0 1,0 6.7.1
F252
0260 Modelo de parada de operação alternada Hz 0,1 0.0-20.0 0,0 6.8
F260
0261 Modelo de parada de operação alternada - 0,1 0: Parada com diminuição de 0 6.8
F261 velocidade
1: Parada livre
2: Frenagem em CC
0270 Freqüência do salto 1 Hz 0,1 0,0 6.9
F270 LL-UL
0271 Largura do salto 1 Hz 0,1 0.0-30.0 0,0 6.9
F271
0272 Freqüência do salto 2 Hz 0,1 0,0 6.9
F272 LL-UL
0273 Largura do salto 2 Hz 0,1 0.0-30.0 0,0 6.9
F273
0274 Freqüência do salto 3 Hz 0,1 0,0 5.15
F274 LL-UL
0275 Largura do salto 3 Hz 0,1 0,0
F275 LL-UL
0280 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F280 pré-ajustada 1
LL-UL
0281 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F281 pré-ajustada 2
LL-UL
0282 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F282 pré-ajustada 3
LL-UL
0283 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F283 pré-ajustada 4
LL-UL
0284 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F284 pré-ajustada 5
LL-UL
0285 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F285 pré-ajustada 6
LL-UL
0286 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F286 pré-ajustada 7
LL-UL
0287 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F287 pré-ajustada 8
LL-UL
0288 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F288 pré-ajustada 9
LL-UL
0289 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F289 pré-ajustada 10
LL-UL
0290 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F290 pré-ajustada 11
LL-UL
0291 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F291 pré-ajustada 12
LL-UL
0292 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F292 pré-ajustada 13
LL-UL
0293 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F293 pré-ajustada 14
LL-UL
0294 Freqüências de operação em velocidade Hz 0,1 0,0
F294 pré-ajustada 15
LL-UL

K-5
T OS H I B A E6580757

• Parâmetros de modo de operação


Unidade
No. de Ajuste Ajuste do
Nome Comunicação Função Unidade Mínima Faixa de Ajuste Referência
Padrão Usuário
de Ajuste
0300 Freqüência da portadora kHz 0,1 2.0-16.5 12.0 6.11
0300 PWM
0301 Seleção do controle de - - 0: Desativado 0 6.12.1
0301 religamento automático 1: Em religamento automático após parada
momentânea
2: Quando ligando ou desligando ST-CC
3: Em religamento automático ou quando
ligando ou desligando ST-CC
4: Movimento de frenagem em CC na partida
(em religamento automático após parada
momentânea)
5: Movimento de frenagem em CC na partida
(quando ligando ou desligando ST-CC)
6: Movimento de frenagem em CC na partida
(em religamento automático ou quando
ligando ou desligando ST-CC)
0302 Controle da energia - - 0: Desativado 0 6.12.2
0302 regenerativa 1: Ativado
0303 Seleção de nova tentativa tempos 1 0-10 0 6.12.3
0303 (número de vezes) Vezes
0304 Seleção de frenagem - - 0: Frenagem dinâmica desativada 0 6.12.4
0304 dinâmica 1: Frenagem dinâmica ativada, proteção
contra sobrecarga desativada
2: Frenagem dinâmica ativada, proteção
contra sobrecarga ativada
0305 Limite de operação com - - 0: Ativado 0 6.12.5
0305 sobretensão 1: Proibido
0306 Ajuste da tensão de saída V 1 0 a 250 V; 0 a 500 V 200/400 6.12.6
0306 (tensão na freqüência base) V
0307 Correção da tensão da - - 0: Tensão da fonte não corrigida; tensão de 1 6.12.6
0307 fonte saída limitada
1: Tensão da fonte corrigida; tensão de saída
limitada
2: Tensão da fonte corrigida (desligado
durante a aceleração); tensão de saída
limitada
3: Tensão da fonte não corrigida; tensão de
saída não limitada
4: Tensão da fonte corrigida; tensão de saída
não limitada
5: Tensão da fonte corrigida (desligado
durante a desaceleração); tensão de saída
não limitada
0308 Taxa de operação do %ED 1 1-100 3 6.12.4
0308 resistor de frenagem
0312 Modo aleatório - - 0:Desativado 0 6.11
0312 1: Ativado
0360 Controle PI - - 0:Desativado 0 6.12.7
0360 1: Ativado
0362 Ganho proporcional - - 0-01-100.0 0.30 6.12.7
0362
0363 Ganho integral - - 0-01-100.0 0.20 6.12.7
0363

K-6
T OS H I B A E6580757

• Parâmetros de aumento de torque


Unidade Ajuste
No. de Ajuste do
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Comunicação Padrão Usuário
Ajuste
0400 Auto ajuste - - 0: Auto-ajuste desativado (utilização 0 6.13
F400 de parâmetros internos)
1: Aplicação de valores individuais
de F 401 a F 405
2: Auto ajuste ativado (retorna para
1 após o auto-ajuste)
0401 Freqüência de Hz - 0.0-10.0 *2 6.13
F401 deslizamento
0402 Constante primária do - - 0-255 *2 6.13
F402 motor
0403 Constante secundária do - - 0-255 *2 6.13
F403 motor
0404 Constante de excitação do - - 0-255 *2 6.13
F4F4 motor
0405 Aumento do momento de Tempos - 0-200 0 6.13
F405 inércia da carga
0408 Relação entre a Classe de - - 0: Mesma capacidade do inversor 0 6.13
F408 capacidade do motor e a do 1: Um grau menor que o inversor
inversor Vezes

• Parâmetros do tempo de aceleração/desaceleração


Unidade Ajuste
No. de Ajuste do
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Comunicação Padrão Usuário
Ajuste
0500 Tempo de aceleração 1 s 0.1 0.1-3600 10.0 6.14
F500
0501 Tempo de aceleração 2 s 0.1 0.1-3600 10.0 6.14
F501
0502 Modelo 1 de - - 0: Linear 0 6.14
F502 aceleração/desaceleração 1: Curva S 1
0503 Modelo 2 de - - 2: Curva S 2 0 6.14
F503 aceleração/desaceleração
0504 Seleção do modelo (1 ou 2) - - 0: Aceleração/desaceleração 1 0 6.14
F504 de aceleração/ 1: Aceleração/desaceleração 2
desaceleração
0505 Alteração entre freqüência Hz 0.1 0.0 6.14
F5F5 1 e freqüência 2 de
0- UL
aceleração/desaceleração

• Parâmetros de proteção
Unidade Ajuste
No. de Ajuste do
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Comunicação Padrão Usuário
Ajuste
0600 Nível 1 de proteção termo- %/(A) 1 0-100 100 6.15.1
F600 eletrônica do motor
0601 Nível 1 de prevenção de %/(A) 1 10-199 150 6.15.2
F601 diminuição de velocidade 200(desativado)
0602 Retenção da seleção de - - 0: Não retido 0 6.15.3
F602 desligamento do inversor 1: Retido
0603 Seleção da entrada externa - - 0: Parada livre 0 6.15.4
F603 do modo de parada do 1: Parada com diminuição de velocidade
desligamento 2: Frenagem de emergência em CC
0604 Tempo de frenagem de s 0.1 0.0-20.0 1.0 6,15.4
F604 emergência em CC
0605 Seleção do modo de - - 0: Desativado 0 6.15.5
F605 detecção de falha de fase 1: Ativado (durante a operação)
2: Ativado (desativado durante a partida
automática)

K-7
T OS H I B A E6580757

Unidade Ajuste
No. de Ajuste do
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Comunicação Padrão Usuário
Ajuste
0608 Seleção do modo de - - 0: Desativado
0608 detecção de falha de fase 1: Ativado
de entrada
0610 Seleção de desligamento - - 0: Desativado
0610 por corrente baixa 1: Ativado
0611 Corrente de detecção de % 1 0-100
0611 corrente baixa
(desligamento/alarme)
0612 Tempo de detecção de s 1 0-255
0612 corrente baixa
(desligamento/alarme)
0615 Seleção de desligamento - 0: Desativado
0615 por excesso de torque 1: Ativado
0616 Nível de excesso de torque % 1 0-200
0616 (desligamento/alarme)
0618 Tempo de detecção de s 0.1 0-10
0618 excesso de torque
0619 Nível de histerese de % 1 0-100
0619 excesso de torque
(desligamento/alarme)
0627 Seleção de desligamento - - 0: Desativado
0627 por subtensão 1: Ativado (desligamento a 70% ou menos)
2: Desativado (Parada (sem desligamento)
a 50% ou menos)
0692 Polaridade do medidor % 1 0-50
0692
• Parâmetros do painel de operação
Ajuste
Unidade
No. de Ajuste do
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Comunicação Padrão Usuári
Ajuste
o
0700 Proibição de alteração - - 0 6.16.1
0700 dos valores dos
0: Permitido ( e não podem ser
alterados durante a operação)
parâmetros 1: Proibido
2: Permitido ( e não podem ser
alterados durante a operação)
0701 Seleção da unidade - - 0: Nenhuma modificação 0 6.16.2
0701 1: % ◊ A(ampere)/V(volt)
2: Ativada a seleção de unidade livre (0702)
3: % ◊ A(ampere)/V(volt)
Ativada a seleção de unidade livre (0702)
0702 Seleção de unidade livre - 0.01 0.01-200.0 1.00 6.16.2
0702
0710 Seleção de indicação de - - 0: Freqüência de operação (Hz/Unidade livre) 0 6.16.3
0710 monitor padrão 1: Freqüência de saída (%A)
2: Comando de freqüência (Hz/Unidade livre)
3: Classe de corrente do inversor (A)
4: Fator de sobrecarga do inversor
5: Capacidade de saída (%)

• Parâmetros de comunicação
Unidade Ajuste
No. de Ajuste do
Nome Função Unidade Mínima de Faixa de Ajuste Referência
Comunicação Padrão Usuário
Ajuste
0800 Faixa de velocidade de - - 0:1200bps, 1:2400bps, 2:4800bps, 3 6.17
F80 comunicação 3:9600bps, 4:19200bps
0
0801 Paridade - - 0:NON, 1:EVEN, 2:ODD 1 6.17
F80
1
0802 Número de inversor - 1 0-63 0 6.17
F80

K-8
T OS H I B A E6580757

2
0803 Tempo para desligamento s 1 0(desativado), 1-100 0 6.17
F80 para erro de comunicação
3

K-9
T OS H I B A E6580757

■ Valores padrão por classe de inversor

Modelo do Aumento de Torque Freqüência de Constante Primária do Constante Secundária do Constante de


Inversor Deslizamento Motor Motor Excitação do
Motor
Ub/f 172 F401 F402 F403 F404
VFS9S&2002PL 6.0% 3.0Hz 33 35 35
VFS9S&2004PL 6.0% 3.0Hz 36 39 39
VFS9S&2007PL 6.0% 3.0Hz 36 28 44
VFS9S&2015PL 6.0% 2.7Hz 26 16 42
VFS9S&2022PL 5.0% 2.7Hz 28 17 44
VFS9&2002PM 6.0% 3.0Hz 33 35 35
VFS9&2004PM 6.0% 3.0Hz 36 39 39
VFS9&2007PM 6.0% 3.0Hz 36 28 44
VFS9&2015PM 6.0% 2.7Hz 26 16 42
VFS9&2022PM 5.0% 2.7Hz 28 17 44
VFS9&2037PM 5.0% 2.7Hz 27 15 37
VFS9&2055PL 4.0% 2.0Hz 17 11 37
VFS9&2075PL 3.0% 2.0Hz 13 12 36
VFS9&2110PM 2.0% 1.7Hz 13 11 42
VFS9&2150PM 2.0% 1.7Hz 9 11 37
VFS9&4007PL 6.0% 3.0Hz 27 15 38
VFS9&4015PL 6.0% 2.7Hz 28 16 39
VFS9&4022PL 5.0% 2.7Hz 28 39 39
VFS9&4037PL 5.0% 2.7Hz 28 26 41
VFS9&4055PL 4.0% 2.0Hz 17 11 43
VFS9&4075PL 3.0% 2.0Hz 13 12 37
VFS9&4110PL 2.0% 1.7Hz 13 11 42
VFS9&4150PL 2.0% 1.7Hz 9 11 37

■ Tabela de funções do terminal de entrada (1/3)


No. da Código Função Ação
Função
O - Nenhuma função está atribuída Desativado
1 ST Terminal disponível Quando f 103 é ajustado para 0 ON: Porta ligada; OFF: Porta
desligada (operação livre)
Quando f 103 é ajustado para 3 OFF: Porta ligada; ON: Porta
desligada (operação livre)
2 F Comando de operação normal ON: operação normal
OFF: Parada com diminuição de velocidade
3 R Comando de operação invertida ON: Operação invertida
OFF: Parada com diminuição de velocidade (a operação invertida tem
prioridade)
4 JOG Comando de operação alternada ON: Operação alternada
OFF: Operação alternada desligada
5 AD2 Seleção do modelo 2 de aceleração/desaceleração ON: Aceleração/desaceleração 2
OFF: Aceleração/desaceleração 1
6 SS1 Comando de velocidade pré-ajustada 1
7 SS2 Comando de velocidade pré-ajustada 2
Seleção de 15 velocidades com SS1 a SS4 (4 bits)
8 SS3 Comando de velocidade pré-ajustada 3
9 SS4 Comando de velocidade pré-ajustada 4
10 RST Comando de religamento ON ◊ OFF: Restauração do desligamento
11 EXT Comando de parada de desligamento a partir de
dispositivo externo
ON: E parada por desligamento
12 PNL/TB Alteração entre painel de operação/placa de terminais ON: Alteração forçada do painel de controle (potenciômetro interno) para
o controle pela placa de terminais
13 DB Comando de frenagem em CC ON: Frenagem em CC
14 PI Proibição de controle PI ON: Controle PI proibido
OFF: Controle PI permitido
15 PWENE Permissão para edição de parâmetro ON: Edição de parâmetro permitida;
OFF: Edição de parâmetro proibida

K-10
T OS H I B A E6580757

■ Tabela de funções do terminal de entrada (2/3)


No. da
Código Função Ação
Função
16 ST+RST Combinação dos comandos de disponível e restauração ON: Entrada simultânea a partir de ST e RST
17 ST+PNL/TB Combinação de disponível e alteração entre painel de operação e placa de ON: Entrada simultânea a partir de ST e
terminais PNL/TB
18 F+JOG Combinação de operação normal e operação alternada ON: Entrada simultânea a partir de F e JOG
19 R+JOG Combinação de operação invertida e operação alternada ON: Entrada simultânea a partir de R e JOG
20 F+AD2 Combinação de operação normal e aceleração/desaceleração 2 ON: Entrada simultânea a partir de F e AD2
21 R+AD2 Combinação de operação invertida e aceleração/desaceleração 2 ON: Entrada simultânea a partir de R e AD2
22 F+SS1 Combinação de operação normal e comando de velocidade pré-ajustada 1 ON: Entrada simultânea a partir de F e SS1
23 R+SS1 Combinação de operação invertida e comando de velocidade pré-ajustada 1 ON: Entrada simultânea a partir de R e SS1
24 F+SS2 Combinação de operação normal e comando de velocidade pré-ajustada 2 ON: Entrada simultânea a partir de F e SS2
25 R+SS2 Combinação de operação invertida e comando de velocidade pré-ajustada 2 ON: Entrada simultânea a partir de R e SS2
26 F+SS3 Combinação de operação normal e comando de velocidade pré-ajustada 3 ON: Entrada simultânea a partir de F e SS3
27 R+SS3 Combinação de operação invertida e comando de velocidade pré-ajustada 3 ON: Entrada simultânea a partir de R e SS3
28 F+SS4 Combinação de operação normal e comando de velocidade pré-ajustada 4 ON: Entrada simultânea a partir de F e SS4
29 R+SS4 Combinação de operação invertida e comando de velocidade pré-ajustada 4 ON: Entrada simultânea a partir de R e SS4
30 F+SS1+AD2 Combinação de operação normal, comando de velocidade pré-ajustada 1 e ON: Entrada simultânea a partir de F, SS1 e
aceleração/desaceleração 2 AD2
31 R+SS1+AD2 Combinação de operação invertida, comando de velocidade pré-ajustada 1 e ON: Entrada simultânea a partir de R, SS1 e
aceleração/desaceleração 2 AD2
32 F+SS2+AD2 Combinação de operação normal, comando de velocidade pré-ajustada 2 e ON: Entrada simultânea a partir de F, SS2 e
aceleração/desaceleração 2 AD2
33 R+SS2+AD2 Combinação de operação invertida, comando de velocidade pré-ajustada 2 e ON: Entrada simultânea a partir de R, SS2 e
aceleração/desaceleração 2 AD2
34 F+SS3+AD2 Combinação de operação normal, comando de velocidade pré-ajustada 3 e ON: Entrada simultânea a partir de F, SS3 e
aceleração/desaceleração 2 AD2
35 R+SS3+AD2 Combinação de operação invertida, comando de velocidade pré-ajustada 3 e ON: Entrada simultânea a partir de R, SS3 e
aceleração/desaceleração 2 AD2
36 F+SS4+AD2 Combinação de operação normal, comando de velocidade pré-ajustada 4 e ON: Entrada simultânea a partir de F, SS4 e
aceleração/desaceleração 2 AD2
37 R+SS4+AD2 Combinação de operação invertida, comando de velocidade pré-ajustada 4 e ON: Entrada simultânea a partir de R, SS4 e
aceleração/desaceleração 2 AD2
38 FCHG Alteração forçada do comando de freqüência Ativado se F200 = 2
ON: VIB
OFF: VIA/II
39 THR2 Alteração para o térmico No. 2 ON: Térmico No. 2
OFF: Térmico No. 1
40 MCHG Alteração para o motor No. 2 ON: Motor No. 2

OFF: Motor No. 1


Ativando-se:
41 UP Entrada de sinal de freqüência UP a partir de contatos externos Ativado se
: 0, F170, F172, F173,
F500, F501, F503
ON: Aumento de freqüência
42 DOWN Entrada de sinal de freqüência DOWN a partir de contatos externos Ativado se
ON: Diminuição de freqüência
43 CLR Entrada de sinal de apagamento de freqüência UP/DOWN a partir de OFF ◊ ON: Restauração da freqüência
contatos externos UP/DOWN por meio de contatos
externos
44 CLR+RST Combinação de apagamento e restauração de freqüência UP/DOWN por ON: Entrada simultânea de CLR e RST
meio de contatos externos

K-11
T OS H I B A E6580757

■ Tabela de funções do terminal de entrada (3/3)


No. da Código Função Ação
Função
Inversão do comando de parada e desligamento a
45 EXTN
partir de dispositivo externo
OFF: e - parada e desligamento

Entrada de sinal de parada e desligamento a partir de


46 OH
dispositivo externo
ON: oh2 - parada e desligamento

Inversão do comando de parada e desligamento


47 OHN
térmico a partir de dispositivo externo
OFF: oh2 - parada e desligamento

48 SC/LC Alteração forçada do controle local/remoto Ativado quando é exercido o controle remoto
ON: Controle local (ajuste de e
OFF: Controle remoto
49 HD Suspensão de operação (parada de operação ON: F (operação normal); R (operação invertida) suspensa, operação
trifásica) trifásica
OFF: Controle remoto
50 SDBF Operação normal após frenagem em CC ON: Operação normal após frenagem em CC
OFF: Parada com diminuição de velocidade
51 SDBR Operação invertida após frenagem em CC ON: Operação invertida após frenagem em CC
OFF: Parada com diminuição de velocidade

■ Tabela de funções do terminal de saída (1/2)


No. da Código Função Ação
Função
0 LL Limite inferior de freqüência ON: A freqüência de saída é igual ou maior que o valor l l
OFF: A freqüência de saída é menor que o valor l l
1 LLN Inversão do limite inferior de freqüência Inversão do valor LL
2 UL Limite superior de freqüência ON: A freqüência de saída é igual ou maior que o valor u l
OFF: A freqüência de saída é menor que o valor u l
3 ULN Inversão do limite superior de freqüência Inversão do valor UL
4 LOW Sinal de detecção de baixa velocidade ON: A freqüência de saída é igual ou maior que o valor f 1 0 0
OFF: A freqüência de saída é menor que o valor f 1 0 0
5 LOWN Inversão do sinal de detecção de baixa velocidade Inversão do valor LOW
6 RCH Sinal de busca de freqüência designada (término da ON: A freqüência de saída está dentro da (freqüência de entrada ±
aceleração/desaceleração) f 1 0 2 freqüência ajustada)
OFF: A freqüência de saída ultrapassa a (freqüência de entrada ±
f 1 0 2 freqüência ajustada)
7 RCHN Inversão do sinal de busca de freqüência designada Inversão do valor RCH
(inversão do término da aceleração/desaceleração)
8 RCHF Sinal de busca de freqüência ajustada ON: A freqüência de saída está dentro da (f 101 freqüência
ajustada ±f 1 0 2 freqüência ajustada)
OFF: A freqüência de saída ultrapassa a(f 1 0 1 freqüência ajustada
± f 1 0 2 freqüência ajustada)
9 RCHFN Inversão do sinal de busca de freqüência ajustada Inversão do valor RCHF
10 FL Falha FL (saída de desligamento) ON: Quando o inversor é desligado
OFF: Quando o inversor não está desligado
11 FLN Inversão de falha FL (inversão de saída de Inversão do valor FL
desligamento)
12 OT Detecção de excesso de torque ON: A corrente de torque é igual ou maior que o valor ajustado
f 6 1 6 e maior que o tempo ajustado f 6 1 8
OFF: A corrente de torque é menor que o valor ajustado f 6 1 6
13 OTN Inversão de detecção de excesso de torque Inversão do valor OT
14 RUN PARTIDA/PARADA ON: Quando da saída da freqüência de operação ou durante a frenagem
em CC
OFF: Operação paralisada

K-12
T OS H I B A E6580757

■ Tabela de funções do terminal de saída (2/2)


No. da Código Função Ação
Função
15 RUNN Inversão de PARTIDA/PARADA Inversão do ajuste de PARTIDA

16 POL Pré-alarme OL ON: 50% ou mais do valor calculado do nível de proteção contra sobrecarga
OFF: Menos que 50% do valor calculado do nível de proteção contra
sobrecarga
17 POLN Inversão do pré-alarme OL Inversão do valor POL

18 POHR Pré-alarme de sobrecarga do resistor de frenagem ON: 50% ou mais do valor calculado do nível de proteção contra sobrecarga
f 3 0 8 ajustado
OFF: Menos que 50% do valor calculado do nível de proteção contra
sobrecarga f 3 0 8 ajustado
19 POHR Inversão do pré- alarme de sobrecarga do resistor Inversão do valor POHR
N de frenagem

20 POT Pré-alarme de detecção se excesso de torque ON: A corrente de torque é 70% ou mais que o valor ajustado de f 616
OFF: A corrente de carga é menor que 70% do valor ajustado de f 616
21 POTN Inversão do pré-alarme de detecção se excesso Inversão do valor de POT
de torque
22 PAL Pré-alarme ON: Quando POL, POHR ou POT estão ligados, ou c, p ou h emitem um
alarme
OFF: Quando POL, POHR ou POT estão desligados, ou c, p ou h não
emitem alarme
23 PALN Inversão do pré-alarme Inversão do valor PAL

24 UC Detecção de corrente baixa ON: A corrente de saída é igual ou maior que o valor ajustado de F 611 e
mais longa que o tempo ajustado f 6 1 2
OFF: A corrente de saída é menor que o valor ajustado f 6 1 1
25 UCN Inversão da detecção de corrente baixa Inversão do valor UC

26 HFL Falha de hardware ON: Desligamento

OFF: Falha que não as acima


27 HFLN Inversão da falha de hardware Inversão do valor HFL

28 LFL Falha de software ON: Desligamento

OFF: Falha que não as acima


29 LFLN Inversão da falha de software Inversão do ajuste LFL

K-13
T OS H I B A E6580757

■ Ordem de precedência de funções combinadas


XX: Combinação impossível, X: Inválida, +: Válida em algumas condições, O: Válida, @: Prioridade
No. da Função / Função 2 3 4 5 6-9 10 11 12 13 14 15 46 48 41/ 43 49 38 50/
42 51

2 Comando de operação
X O O O O X O X O O X O O O O O +
normal

3 Comando de operação
@ O O O O X O X O O X O O O O O +
invertida

4 Comando de operação
+ + @ + O X O X @ O X O + O XX O XX
alternada (18/19)

5 Seleção de
O O X O O X O X O O X O O O O O O
aceleração/desaceleração 2

6-9 Comandos 1 a 4 de
O O X O O X O X O O X O O O O O O
operação em velocidade pré-
ajustada
10 Comando de restauração
O O O O O X O O O O X O O O O O O

11 Comando de parada com


@ @ @ @ @ @ O @ @ O X O @ O @ O @
desligamento por dispositivo
externo
12 Alteração painel de
O O O O O O O O O O O O O O O O O
operação/placa de terminais

13 Comando de frenagem em
@ @ @ @ @ O X O @ O X O @ O @ O @
CC

14 Proibição de controle PI
O O X O O O X O X O X O XX XX O O O

15 Permissão de edição de
O O O O O O O O O O O O O O O O O
parâmetro

46 Comando de parada com


@ @ @ @ @ @ @ O @ @ O O @ O @ O @
desligamento térmico por
dispositivo externo
48 Alteração forçada de
O O O O O O O O O O O O O O O O O
controle remoto/local

41/42 Sinal de freqüência


O O X O O O X O X XX O X O O O O O
UP/DOWN por contatos
externos
43 Apagamento de sinal de
O O O O O O O O O XX O O O O O O O
freqüência UP/DOWN por
contatos externos
49 Suspensão da operação
O O XX O O O X O X O O X O O O O XX
(cancelamento da operação
trifásica)
38 Alteração forçada de
O O O O O O O O O O O O O O O O O
comandos de freqüência

50/51 Comando de operação após


+ + XX O O O X O X O O X O O O XX O
frenagem em CC

* Para as funções de terminais combinados (funções combinadas), referir-se à tabela das respectivas funções

K-14
T OS H I B A E6580757

12. Especificações
12.1 Modelos e respectivas especificações
Especificações padrão
Item Especificação
Tensão de entrada Trifásico 200 V
Motor aplicável cv / kW (Nota5) 7,5 / 5,5 15 / 11
0,3 / 0,2 0,5 / 0,4 1,0 / 0,75 2,0 / 1,5 5,0 / 2,2 5,0 / 3,7 12,5 / 9 25 / 18,5
10 / 7,5 20 / 15
Tipo VFS9-
Forma 2002PM 2004PM 2007PM 2015PM 2022PM 2037PM 2055PM 2075PL 2110PM 2150PM
Capacidade kVA (Nota1) 0.6 1.3 1.8 3.0 4.2 6.7 10 13 21 25
Classe de corrente de 1.5 3.3 4.8 7.8 11.0 17.5 27.5 33 54 66
saída (A) Nota 2 (1.5) (3.3) (4.4) (7.5) (10.0) (16.5) 25.0 (33) (49) (60)
Classe de tensão de Trifásico 200 V a 230 V
saída (V) Nota 3
Classe de corrente de 60 segundos a 150%; 0,5 segundos a 200%
sobrecarga
Tensão-Freqüência Trifásico 200 V a 230 V – 5-/60 Hz
Fonte de
energia

Flutuação permissível Tensão + 10%, -15% Nota 4; Freqüência ±5%

Método de proteção IP20 incluído tipo JEM1030


Método de resfriamento Auto-resfriado Resfriamento forçado
Cor Munsel 5Y+8/0,5
Filtro Embutido Filtro EMI padrão Filtro EMI de alta atenuação Filtro EMI padrão

Item Especificação
Tensão de entrada Monofásico 200 V Trifásico 400 V
Motor aplicável cv / kW 0,3 / ,02 0,5 / 0,4 1 / 0,75 2 / 1,5 3 / 2,2 1 / 0,75 2 / 1,5 3 / 2,2 5 / 3,7
7,5 / 5,5
12,5 / 9
15 / 11
25 / 18,5
10 / 7,5 20 / 15
Tipo VFS9-
Forma 2002PM 2004PM 2007PM 2015PM 2022PM 4007PL 4015PL 4022PL 4037PL 4055PL 4075PL 4110PL 4150PL
Capacidade kVA (Nota1) 0.6 1.3 1.8 3.0 4.2 6.7 10 13 21 25
Classe de corrente de 1.5 3.3 4.8 7.8 11.0 17.5 27.5 33 54 66
saída (A) Nota 2 (1.5) (3.3) (4.4) (7.5) (10.0) (16.5) 25.0 (33) (49) (60)
Classe de tensão de Trifásico 200 V a 230 V Trifásico 200 V a 230 V
saída (V) Nota 3
Classe de corrente de 60 segundos a 150%; 0,5 segundos a 200% 60 segundos a 150%; 0,5 segundos a 200%
sobrecarga
Tensão-Freqüência Trifásico 200 V a 230 V – 5-/60 Hz Trifásico 200 V a 230 V – 5-/60 Hz
Fonte de
energia

Flutuação permissível Tensão + 10%, -15% Nota 4; Freqüência Tensão + 10%, -15% Nota 4; Freqüência ±5%
±5%
Método de proteção IP20 incluído tipo JEM1030 IP20 incluído tipo JEM1030
Método de resfriamento Auto- Resfriamento forçado Resfriamento forçado
resfriado
Cor Munsel 5Y+8/0,5 Munsel 5Y+8/0,5
Filtro Embutido Filtro EMI de alta atenuação Filtro EMI padrão

Nota 1: A capacidade é calculada a 220 V para os modelos de 220 V e a 440 V para os modelos de 400 V
Nota 2: Indica o ajuste da classe de corrente de saída quando a freqüência da portadora PWM (parâmetro F300) é
4 kHz ou menos
Quando ultrapassa kHz, o ajuste da classe de corrente é calculado entre parênteses. Quando a tensão da
entrada de energia dos modelos da Classe 400 V ultrapassa 480 V, é necessário reduzir ainda mais o
valor. O valor padrão da freqüência de portadora PWM é 12 kHz.
Nota 3: A tensão máxima de saída é a mesma da tensão de entrada.
Nota 4: ±10% quando o inversor for usado continuamente (carga de 100%)
Nota 5: As potências mencionadas na tabela acima são para motores de 4 polos, caso utilize motores com maior
número de polos ou com corrente superior, dimensionar o inversor através da corrente nominal do mesmo
mencionado na tabela acima.

L-1
T OS H I B A E6580757

Item Especificação
Sistema de controle Controle PWM senoidal

Principais funções de controle


Tensão de saída da classe Ajustável dentro da faixa de 100 a 120% da tensão corrigida da fonte (200/400 V) (Não ajustável para
qualquer tensão acima da tensão de entrada)
Faixa de freqüências de saída 0,5 a 400 Hz; valor padrão: 0,5 a 80 Hz; freqüência máxima: 30 a 400 Hz
Valor do patamar mínimo de 0,1 Hz: ajuste do painel de operação; o,2 Hz: entrada analógica (quando a freqüência máxima é 100 Hz)
freqüência
o
Precisão da freqüência Ajuste digital: dentro de ±0,01% da freqüência máxima (-10 a +50 C)
o o
Ajuste analógico: dentro de ±0,5% da freqüência máxima (25 C ±10 C)
Características de V/F constante, torque variável, controle de vetor, aumento automático de torque, freqüência base e valor do
tensão/freqüência aumento de torque ajustáveis
Sinal de ajuste da freqüência Potenciômetro frontal e potenciômetro externo (classe de impedância do potenciômetro conectável: 1 a 10
kÙ), 0 a 10 VCC (impedância de entrada: VIA = 30,55 kÙ), 4 a 20 mACC (impedância de entrada: 400 kÙ). A
característica pode ser ajustada arbitrariamente por meio de ajuste de dois pontos
Freqüência se partida/salto de Ajustável dentro da faixa de 0 a 10 kHz / Até 3 freqüências podem ser ajustada, juntamente com suas
freqüência amplitudes
Freqüência da portadora PWM Ajustável dentro da faixa de 2,0 a 16,5 Hz (padrão: 12 Hz)
(Nota 1)
Tempo de 0,1 a 3.600 segundos, modificável entre tempo de aceleração/desaceleração 1 e 2, ajustável entre Curva S
aceleração/desaceleração de aceleração/desaceleração 1 e 2
Especificações de operação

Nova tentativa Religamento após verificação dos elementos do circuito principal, caso a função de proteção esteja ativada:
10 vezes (máximo) (ajustável por meio de parâmetro)
Frenagem dinâmica Disponível com um circuito de frenagem dinâmica embutido e resistor externo de frenagem (opcional)
Frenagem em CC Freqüência de início de frenagem: 0 até a freqüência máxima; taxa de frenagem: 0 a 100%; tempo de
frenagem: 0 a 20 segundos
Funções do terminal de entrada Sinal de operação normal/invertida; sinal de entrada de operação alternada; sinal de disponível; sinal de
(selecionáveis) intrada de operação em velocidade pré-ajustada; sinal de entrada de religamento, etc.; Alteração entre
saída/fonte
Funções do terminal de saída Sinal de saída de limite inferior de freqüência, sinal de saída de limite superior de freqüência, sinal de saída
(selecionáveis) de detecção de baixa velocidade; sinal de saída de obtenção da velocidade especificada, etc. Coletor aberto,
saída RY
Sinal de detecção de falha Contato de saída 1c: 250 VCA/2A, cos Ö = 0,1; 250 VCA/1 A, cos Ö = 0,4; 3 VCC/1 A
Saída para o medidor de Saída analógica: (amperímetro de CC com 1 mACC de plena escala ou de 0,75 mACC de plena escala /
freqüência/saída para o voltímetro de CA tipo retificador, 225% corrente máxima de 1 mACC, 75 VCC de plena escala) saída de 4 a
amperímetro 20 mA/0 a 20 mA
Função de proteção Prevenção de diminuição de velocidade, limitação de corrente, sobrecorrente, curto circuito na saída,
sobretensão, limitação de sobretensão, subtensão, falha de aterramento, falha de fase da fonte de energia,
falha de fase de saída, proteção contra sobrecarga por função termo-eletrônica, sobrecarga na armadura
Função de
proteção

durante a partida (5,5 kW ou maior), excesso de torque no lado da carga durante a partida,
superaquecimento.
Proteção contra falha Controle de partida automática/não parada após falha momentânea de energia.
momentânea de energia
Característica termo-eletrônica Mudança de motor padrão para motor VF com torque constante, seleção de desligamento por sobrecarga,
diminuição de velocidade por sobrecarga.
LED de 4 dígitos e 7 segmentos Freqüência: freqüência de saída do inversor
Alarme: alarme de diminuição de velocidade “C”, alarme de sobretensão “P”, alarme de sobrecarga “L”,
alarme de superaquecimento “H”.
Funções do
indicador

Situação: situação do inversor (freqüência, motivo da ativação da função de proteção, tensão de


entrada/saída, corrente de saída, etc.) e valores dos parâmetros.
Indicador de unidade livre: unidade arbitrária (isto é: velocidade de rotação) correspondente à freqüência de saída.
Indicador Lâmpadas indicativas da situação do inversor, tais como lâmpada RUN, lâmpada MON, lâmpada PRG, lâmpada
ENC, lâmpada do valor do ajuste da freqüência do potenciômetro, lâmpada da tecla UP/DOWN e lâmpada RUN.
A lâmpada de mudança indica que os capacitores do circuito principal estão eletricamente carregados.
Ambientes de uso Interno, altitude: 1.000 (máx.) não exposto diretamente ao sol, gás corrosivo, gás explosivo, vibração (menos
2
Ambientes

que 5,9 m/s ) (10 a 55 Hz)


o
Temperatura ambiente -10 a +60 C Notas 1, 2 e 3
Temperatura de armazenagem -20 a +56 oC
Umidade relativa -20 a 93% (isenta de condensação e vapor)
Nota 1: Acima de 40 oC: Remover o selo de proteção do topo do VF-S9.
Nota 2: Acima de 50 oC: Remover o selo de proteção do topo do VF-S9 e rebaixar a classe de corrente de saída em 3%
para cada oC acima de 50 oC.
Nota 3: Instalação lado a lado:
• Modelos de 3,7 kW ou menos: de –10 a 40 oC (remover o selo de proteção do topo do VF-S9).
• Modelos de 5,5 kW ou mais: de –10 oC a 50 oC.

L-2
T OS H I B A E6580757

12.2 Dimensões externas e peso

■ Dimensões externas e peso

Tensão de Motor Tipo Dimensões (mm) Desenho Peso


entrada aplicável aproximado
W H D W1 H1 H2 D2
(kW) (kg)
0.2 VFS9-2002PL 1.9
0.4 VFS9-2004PL 105 130 140 93 118 1.9
0.75 VFS9-2007PL 14 8.5 A 1.9
1.5 VFS9-2015PL 130 150 150 118 138 2.9
Monofásico
2.2 VFS9-2022PL 140 195 163 126 182 4.5
200 V
0.2 VFS9-2002PM 1.8
0.4 VFS9-2004PM 130 118 1.8
105 130 93
0.75 VFS9-2007PM 1.8
14 A
1.5 VFS9-2015PM 150 138 2.0
2.2 VFS9-2022PM 4.0
140 195 147 126 182 8.5
3.7 VFS9-2037PM 4.0
Trifásico 200 5.5 VFS9-2055PL 9.2
200 270 170 180 255 B
V 7.5 VFS9-2075PL 9.2
12
11 VFS9-2110PM 15.8
245 330 195 225 315 C
15 VFS9-2150PM 15.8
0.75 VFS9-4007PL 2.9
130 150 150 118 138
1.5 VFS9-4015PL 2.9
14 A
2.2 VFS9-4022PL 4.5
140 195 163 126 182
Trifásico 400 3.7 VFS9-4037PL 4.5
8.5
V 5.5 VFS9-4055PL 9.2
200 270 170 180 255 B
7.5 VFS9-4075PL 9.2
12
11 VFS9-4110PL 15.8
245 330 195 225 315 C
15 VFS9-4150PL 15.8

L-3
T OS H I B A E6580757

■ Desenho de contorno

L-4
T OS H I B A E6580757

13. Antes de fazer uma chamada de serviço Informações


sobre o desligamento e soluções
13.1 Motivos/avisos de desligamentos e soluções
Quando surgir um problema, diagnostique-o de acordo com a tabela adiante. Se for concluído que é necessária a
substituição de componentes ou que o problema não pode ser resolvido por meio de uma das soluções da tabela,
contate o seu representante Toshiba.
[Informações sobre o desligamento]
Código No. da Problema Causas Possíveis Soluções
de Erro Comunicação
Sobrecorrente durante a • tempo de aceleração a c c é muito curto • Aumentar do tempo de aceleração
aceleração • valor de V/F e inadequado acc
• É enviado um sinal de religamento ao motor • Verificar o parâmetro V/F
OC1 1 após uma parada momentânea, etc. • Usar F 3 0 1 (partida automática) e
• Está sendo usado um motor especial (por F 3 0 2 (controle da operação)
exemplo: motor com baixa impedância) • Aumentar a freqüência da portadora
F300
Sobrecorrente durante a • O tempo de desaceleração é muito • Aumentar o tempo de desaceleração
OC2 2 desaceleração curto (durante a desaceleração)
Sobrecorrente durante a • A carga flutua abruptamente • Reduzir a flutuação da carga
OC3 3
operação • A carga está em condição anormal • Verificar a carga (máquina operada)
Sobrecorrente na • Um componente do circuito principal está • Fazer uma chamada de serviço
OCA 5 armadura durante a defeituoso
partida
Sobrecorrente • isolamento do circuito principal de saída ou • Verificar os fios e cabos quanto a
OCL 4 (Sobrecorrente no lado da do motor está defeituoso defeito de isolamento
carga durante a partida) • O motor tem impedância muito baixa
Sobretensão durante a A tensão de entrada flutua de forma anormal • Inserir um reator de entrada adequado
aceleração 1- A fonte de energia tem capacidade de 200
kA ou mais
2- Um capacitor de melhoria do fator de
potência está aberto ou fechado
OP 1 A 3- Um sistema que utiliza tiristor está
• Usar F 3 0 1 (religamento
conectado à mesma linha de distribuição de
força automático) e F 3 0 2 (controle de
• Um sinal de religamento é enviado ao operação)
motor em rotação após uma parada
momentânea, etc.
Sobretensão durante a • tempo de desaceleração é muito • Aumentar o tempo de desaceleração
aceleração curto (a energia regenerativa é muito
grande) • Instalar um resistor de frenagem
• F 3 0 4 (ativação do resistor de dinâmica adequado
frenagem dinâmica) está desligado • Ativar F 3 0 4 (seleção de frenagem
• F 3 0 5 (limite de sobretensão de dinâmica)
OP 2 B operação) está desligado • Ativar F 3 0 5 (limite de
1- A fonte de energia tem capacidade de 200 sobretensão de operação)
kA ou mais • Inserir um reator de entrada adequado
2- Um capacitor de melhoria do fator de
potência está aberto ou fechado
3- Um sistema que utiliza tiristor está
conectado à mesma linha de distribuição de
força

M-1
T OS H I B A E6580757

Código No. da
Comunicação Problema Causas Possíveis Soluções
de Erro
Sobretensão • A tensão de saída flutua abruptamente • Inserir um reator de entrada adequado
durante operação 1- A fonte de energia tem capacidade de 200 kA ou mais
com velocidade 2- O capacitor de melhoria do fator de potência está aberto
constante ou fechado
OP 3 C 3- Um sistema que utiliza tiristor está conectado à mesma
linha de distribuição de força
• O motor está no estado regenerativo porque a carga faz • Instalar um resistor de frenagem dinâmica
com que o motor opere em uma freqüência maior que a
freqüência de saída do inversor
Sobrecarga no
• O tempo de aceleração ACC é muito curto • Aumentar o tempo de aceleração A CC
inversor • Reduzir o valor F 2 5 1 da frenagem em
• O valor da frenagem em CC é muito alto
• O valor de V/F é inadequado CC e o tempo F 2 5 2 de frenagem em CC
OL 1 D • É enviado um sinal de religamento ao motor ainda • Verificar o valor do parâmetro V/F
girando, após uma parada momentânea, etc. • Usar F 3 0 1 (partida automática) e
• A carga é muito grande F 3 0 2 (controle de operação)
• Usar um inversor de classe maior
Sobrecarga no • O valor de V/F é muito grande • Verificar o valor do parâmetro V/F
motor • O motor está travado • Verificar a carga (máquina operada)
OL 2 E • A operação está continuamente em baixa velocidade • Ajustar à sobrecarga que o motor pode
• Está sendo aplicada uma carga excessiva ao motor suportar durante a operação na faixa de
durante a operação baixas velocidades
Falha de fase na • Ocorreu uma falha de fase na linha de saída do circuito • Verificar a linha de saída do circuito principal,
EPH saída principal o motor, etc., quanto a falha de fase
9
0 • Ativar F605 (detecção de falha de fase de
saída)
Falha de fase na • Ocorreu uma falha de fase na linha de entrada do • Verificar a linha de entrada do circuito
EPH 8
entrada circuito principal principal, o motor, etc., quanto a falha de fase
1 • Ativar F 6 0 8 (detecção de falha de fase
de entrada)
Desligamento • Um comando de desligamento térmico foi enviado por • Verificar o dispositivo de entrada externa
OH 2 2Eh
térmico na entrada um dispositivo externo
Desligamento por • O torque da carga aumenta até o nível de detecção de • Ativar F 6 1 5 (seleção de desligamento
Ot 20h excesso de torque torque excessivo, durante a operação por excesso de torque)
• Verificar se o sistema está em condições normais
Desligamento por • O tempo de desaceleração é muito curto • Aumentar o tempo de desaceleração
sobrecarga no • O valor da frenagem dinâmica é muito elevado • Usar um resistor dinâmico com capacidade
OL r F resistor de frenagem maior (W) e ajustar F 3 0 8 (parâmetro de
dinâmica capacidade PBR) de acordo
Superaquecimento • O ventilador de resfriamento não gira • Reiniciar a operação religando o inversor
• A temperatura ambiente está muito elevada após ele ter esfriado o suficiente
• A abertura de ventilação está bloqueada • O ventilador precisa ser substituído se ele
• Um dispositivo gerador de calor está instalado próximo não girar durante a operação
OH 10h
ao inversor • Garantir espaço suficiente ao redor do inversor
• O termistor da unidade está quebrado • Não coloque qualquer dispositivo gerador de
calor próximo ao inversor
• Fazer uma chamada de serviço
Desligamento por • A tensão de entrada (do circuito principal) está muito • Verificar a tensão de entrada
subtensão (circuito baixa • Ativar F 6 2 7 (seleção de desligamento
principal) por subtensão
UP1 1E • Para suportar uma parada momentânea devida
a subtensão, ativar F 3 0 2 controle de
operação) e F 3 0 1 (religamento
automático)

* Por meio de um parâmetro você pode escolher entre desligamento ativado e desativado

M-2
T OS H I B A E6580757

Código No. da Problema Causas Possíveis Soluções


de Erro Comunicação
Desligamento por • A corrente de saída cai para o nível de detecção • Ativar F 6 1 0 (parâmetro de detecção de
corrente baixa de corrente baixa, durante a operação corrente baixa)
• Verificar se o nível de detecção foi ajustado
UC 1D adequadamente no sistema (F 6 1 1 e
F612)
• Se não encontrado erro no ajuste, fazer
uma chamada de serviço
Desligamento por • Ocorre uma falha de aterramento no cabo de • Verificar o cabo e o motor, quanto a falha de
EF2 22h falha de aterramento saída ou no motor aterramento
Parada de • Durante operação automática ou operação • Religar o inversor
E 11h emergência remota, é enviado um comando de parada pelo
painel de operação ou pelo dispositivo remoto
Falha da RAM da • A RAM do controle está defeituosa • Fazer uma chamada de serviço
15h unidade principal
Falha da ROM da • A ROM do controle está defeituosa • Fazer uma chamada de serviço
16h unidade principal
Desligamento por • A CPU do controle está defeituosa • Fazer uma chamada de serviço
17h falha na CPU
Erro no controle • Ocorre um erro durante a operação remota • Verificar o dispositivo de controle remoto,
18h remoto cabos, etc.
Erro no tipo do • A placa de circuito de controle (placa do circuito • Fazer uma chamada de serviço
29h inversor principal ou placa do circuito de acionamento) foi
substituída
Falha na EEPROM • Ocorre erro de gravação de dados • Desligar o inversor e ligá-lo novamente. Se
12h o inversor não se recuperar do erro, fazer
uma chamada de serviço.
Erro de auto-ajuste • Verificar os valores dos parâmetros F 401 a F 408 do motor
• Verificar se o motor não tem dois ou três pontos de capacidade menor que o inversor
28h • Verificar se o cabo de saída do inversor não é muito fino
• Verificar se o motor não está operando
• Verificar se o motor é um motor trifásico de indução

* Por meio de um parâmetro, você pode escolher entre desligamento ativado e desativado
[Informação sobre o alarme] Cada mensagem da tabela é mostrada para dar um aviso, mas não provoca o desligamento do inversor
Código de Erro Problema Causas Possíveis Soluções
• O circuito ST-CC está aberto • Fechar o circuito ST-CC
OF F Terminal ST OFF
• A fonte de tensão entre R, S e T está com • Medir a tensão de alimentação do circuito
Subtensão no circuito
subtensão principal. Se a tensão estiver no nível
principal
normal, o inversor necessita de reparo
• O inversor está em processo de nova tentativa • O inversor está normal se ele religar após
• Ocorreu uma parada momentânea algumas dezenas de segundos. O inversor
Nova tentativa em
religa automaticamente. Tenha cuidado com
andamento
a máquina, pois ela poderá partir
repentinamente
• Os sinais de ajuste de freqüência nos pontos 1 e • Ajustar os sinais de ajuste de freqüência
Erro de ajuste de freqüência
2 estão muito próximos um do outro para pontos 1 e 2 separados um do outro
• Esta mensagem é mostrada quando a tecla • Pressionar a tecla STOP novamente para
Comando de apagamento
STOP é pressionada enquanto está sendo apagar o desligamento
aceitável
apresentado um código de erro
• O painel de operação é usado para parar a • Pressionar a tecla STOP para uma parada
Comando de parada de
operação no modo de controle automático ou de de emergência. Para cancelar a parada de
emergência aceitável
controle remoto emergência, pressionar qualquer outra tecla
Alarme de erro de ajuste / • Foi encontrado um erro quando os dados • Verifique se o ajuste foi feito corretamente
Um código de erro e um estavam sendo lidos ou gravados
H I /L O dado são indicados
alternadamente duas vezes

M-3
T OS H I B A E6580757

Código de Erro Problema Causas Possíveis Soluções


• Normal, se a mensagem desaparecer após
Frenagem em CC • Frenagem em CC em andamento
algumas dezenas de segundos (Ver Nota 2)
Parâmetros em • Normal, se a mensagem desaparecer após um
• Os parâmetros estão sendo
processo de instante (de vários segundos a algumas dezenas
inicializados para os valores padrão
inicialização de segundos)
Parâmetros de • Normal, se a mensagem desaparecer após um
• Os parâmetros de configuração
configuração sendo instante (de vários segundos a algumas dezenas
sendo ajustados
ajustados de segundos)
Auto-ajuste em • Normal, se a mensagem desaparecer após alguns
• Auto ajuste em andamento
andamento segundos

Nota 1: ST: Terminal de função de aguardando.


Nota 2: Quando é selecionada a função ON/OFF para frenagem em CC (DB) por meio do
parâmetro de seleção do terminal de entrada, você pode considerar o inversor normal
se desaparecer quando for aberto o circuito entre o terminal e CC.
[Alarmes mostrados durante a operação]

C Alarme de sobrecorrente O mesmo que OC (sobrecorrente)

P Alarme de sobretensão O mesmo que OP (sobretensão)

L Alarme de sobrecarga
O mesmo que OL 1 / OL 2 (sobrecarga)
H O mesmo que OH (superaquecimento)
Alarme de superaquecimento

Se ocorrerem dois ou mais problemas simultaneamente, um dos seguintes alarmes será mostrado piscando:

CP, PL, CPL


Os alarmes C, P, L, H são mostrados nessa ordem, piscando, da esquerda para a direita.

M-4
T OS H I B A E6580757

13.2 Restauração do inversor depois de um desligamento


Não religue o inversor após o desligamento provocado por uma falha ou erro, sem antes eliminar a causa. O
religamento do inversor desligado antes da eliminação das causas do problema fará com que ele desligue
novamente.
O inversor pode ser restaurado de um desligamento por meio de uma das seguintes operações:
1- Desligando a energia (Manter o inversor desligado até que o LED se apague).
Nota: Para detalhes, referir-se a 6.15.3 (Seleção da retenção do desligamento do inversor F 602).
2- Por meio de um sinal externo (Curto dos terminais de controle RST e CC)
3- Por meio de ação no painel de operação
4- Pela introdução de um sinal de apagamento do desligamento, a partir de um dispositivo remoto (Para detalhes,
referir-se a dispositivos remotos no manual de operação).

Para restaurar o inversor por ação no painel de operação, siga os passos adiante:
1- Pressione a tecla STOP e verifique se é indicado .
2- Pressionando novamente a tecla STOP, o inversor será restaurado se o motivo do desligamento já tiver sido
eliminado.
* Quando qualquer função de sobrecarga [OL 1: sobrecarga no inversor; OL 2: sobrecarga no motor;
sobrecarga no resistor de frenagem] estiver ativa, o inversor não pode ser restaurado pela entrada e um sinal de
restauração a partir de um dispositivo externo ou por meio de ação no painel de operação, antes que tenha
decorrido o tempo para o resfriamento virtual.
Tempo de resfriamento virtual: OL 1: cerca de 30 segundos após a ocorrência do desligamento
OL 2: cerca de 120 segundos após a ocorrência do desligamento
: cerca de 20 segundos após a ocorrência do desligamento
* No caso de desligamento devido a superaquecimento (OH ), o inversor verifica a temperatura interna. Aguarde
até que a temperatura do inversor diminua o suficiente antes de religar o inversor.
[Cuidado]
Desligar o inversor e liga-lo novamente restaura imediatamente o inversor. Você pode usar esse modo de
restauração se houver a necessidade de restaurar o inversor imediatamente. Observar, entretanto, que esta
operação poderá danificar o sistema ou o motor se for repetida com freqüência.

M-5
T OS H I B A E6580757

13.3 Se o motor não funcionar quando nenhuma mensagem de


desligamento é mostrada
Se o motor não funcionar quando nenhuma mensagem de desligamento é mostrada, siga os passos adiante para
verificar o motivo:

SIM
Se o motor não funcionar
NÃO

O LED de 7 segmentos Verifique a fonte de energia e o MCCB. A O fornecimento de


está apagado? alimentação de energia está normal? energia está normal.

Fazer uma chamada de serviço.

 está aceso? • circuito ST-CC está aberto, Feche o circuito entre CC e o terminal
ao qual está atribuída a função ST (aguardando) no terminal do
circuito de controle (Ver 6.3.2).
• Alterar de forma adequada o ajuste do parâmetro de seleção do
sinal ST (aguardando)  
(Ver 6.2.1).

Está indicada alguma Verifique e elimine a causa da falha e, então, restaure o inversor
mensagem de falha? (Ver 13.2).
(ver 13.1)

Estão indicados O inversor está em processo de nova tentativa. A função de nova tentativa
e uma mensagem de falha? pode ser desativada por meio de parada normal ou de emergência, ou
desligando o inversor.

• Quando o painel de operação estiver selecionado: Pressionar a


O LED da tecla tecla RUN para iniciar a operação
RUN/STOP está aceso? • Verificar se a freqüência de operação do painel de operação está
ajustada adequadamente (Ver 3.2.2).
• Quando outro modo de controle estiver selecionado: Modificar o
ajuste da seleção do modo de controle da operação
(Ver 3.2.1).
O LED da tecla • Quando o painel de operação estiver selecionado: Modificar o valor do
RUN/STOP parâmetro de seleção do modo de controle de operação para 1
está apagado? (Ver 5.5).
• Você pode verificar o ajuste de cada terminal de entrada, no monitor.
• Quando outro modo de controle estiver selecionado: Verificar se foi
enviado um comando externo de operação.

  • Verificar se o sinal de ajuste da freqüência não foi ajustado para zero
Está indicado ? • Verificar o valor dos parâmetros do sinal de ajuste de freqüência ,
 
,   e  z(Ver 6.5).
• Verificar os pontos 1 e 2 do sinal de ajuste de freqüência (Ver 8.1).
• Verificar se o valor da freqüência (freqüência de operação com
velocidade pré-ajustada, etc.) não foi ajustado para zero.
• Verificar se o motor não está sujeito a carga muito grande ou se não está
travado ◊ Reduzir a carga, se necessário.

Determine o motivo, usando a função de indicação de parâmetros e a função de monitoramento de


situação. Referir-se à Seção 11 para a função de indicação de parâmetros ou à Seção 8 para a função de
monitoramento da situação

M-6
T OS H I B A E6580757

13.4 Como determinar as causas de outros problemas


A tabela adiante fornece uma relação de outros problemas e as suas possíveis causas e soluções.
Problemas Causas e Soluções
O motor opera no sentido • Inverter as fases dos terminais de saída U, V e W.
errado. • Inverter os terminais de sinal de operação normal/invertida do dispositivo externo (Ver 6.3
“Atribuição de funções aos terminais de controle”).
• A carga está muito pesada. Diminuir a carga.
• Está desativada a função de parada com diminuição de velocidade. Desativar a função de
parada com diminuição de velocidade (Ver 5.14).
• A freqüência máxima f h e o limite superior de freqüência u l estão muito baixos.
O motor opera, mas a sua Aumentar a freqüência máxima f h e o limite superior de freqüência u l .
velocidade não muda de • O sinal de ajuste de freqüência está muito baixo. Verificar o valor do sinal, os cabos, o circuito,
forma normal. etc.
• Verificar as características do ajuste (ajuste do ponto 1 e ponto 2) dos parâmetros do sinal de
ajuste de freqüência (Ver 6.5).
• Se o motor operar em baixa velocidade, verifique se a função de prevenção de diminuição de
velocidade está ativada devido ao demasiado aumento de torque. Ajuste o valor do aumento
de torque e o tempo de aceleração a c c (Ver 5.12 e 5.1).
O motor não acelera ou • O tempo de aceleração a c c ou o tempo de aceleração estão muito curtos. Aumentar
desacelera suavemente. o tempo de aceleração a c c ou o tempo de aceleração .

Flui uma corrente muito • A carga está muito pesada. Diminuir a carga.
elevada para o motor. • Se o motor operar em baixa velocidade, verificar se o valor do aumento de torque não está
muito elevado (Ver 5.13).
• O motor tem uma classe de tensão inadequada. Usar um motor com a classe de tensão
adequada
• A tensão no terminal do motor está muito baixa. Verificar o valor do parâmetro de tensão da
O motor opera em freqüência base f 3 0 6 . (Ver 6.12.6). Substituir o cabo por um cabo de diâmetro maior.
velocidade maior ou menor • A razão de redução do redutor, etc., não estão adequados. Ajustar a razão de redução do
que a especificada. redutor, etc.
• A freqüência de saída não está ajustada corretamente. Verificar a faixa de freqüências de
saída.
• Ajustar a freqüência base (Ver 5.11).
• A carga está muito pesada ou muito leve. Reduzir a flutuação da carga.
• O inversor ou o motor usados não são de classe suficiente para acionar a carga. Usar um
A velocidade do motor inversor ou um motor de classe suficiente.
flutua durante a operação • Verificar se o sinal de ajuste de freqüência muda.
• Se o parâmetro de seleção de controle V/F estiver ajustado para 3, verificar o ajuste co
controle de vetor, as condições de operação, etc. (Ver 5.12).
• modificar o valor do parâmetro f 7 0 0 (proibição de modificação de valor dos parâmetros)
Os valores dos parâmetros
não podem ser alterados. para 0 (permitido), se ele estiver ajustado para 1
(proibido). Por motivos de segurança,
alguns parâmetros não podem ser reprogramados enquanto o inversor está operando.

M-7
T OS H I B A E6580757

Como tratar de problemas relacionados ao ajuste de parâmetros


Se você esqueceu os parâmetros • Você pode verificar todos os parâmetros e modificar os seus valores. Para detalhes, ver
que foram modificados. 4.1.4.

Se você deseja voltar todos os • Você pode voltar todos os parâmetros que foram modificados aos respectivos valores
parâmetros modificados aos padrão. Para detalhes, ver 4.1.6.
respectivos valores padrão.

M-8
T OS H I B A E6580757

14. Inspeção e manutenção

Perigo
• equipamento deve ser inspecionado todos os dias. Se o equipamento não for inspecionado e mantido,
erros e defeitos poderão não ser descobertos e poderão provocar acidentes.
• Antes da inspeção, sega os seguintes passos:
1. Desligar todas as entradas de energia para o inversor.
2. Aguardar no mínimo dez minutos e verificar se a lâmpada de carga não está mais acesa.
Perigo 3. Usar um testador que possa medir tensões em CC (800 VCC ou mais) e verificar se a tensão nos
circuitos principais de CC (entre PA-CC) não ultrapassa 45 V.
Mandatório • Quando for utilizada uma seccionadora para o inversor, ele deverá ser instalado em um gabinete. A falha
em faze-lo poderá provocar choque elétrico o poderá provocar morte ou ferimento sério.

Assegure-se de inspecionar o inversor regular e periodicamente para evitar que ele seja danificado pelo ambiente
de utilização, tal como temperatura, umidade, poeira e vibração, ou deterioração dos seus componentes pela idade.

14.1 Inspeção regular


Uma vez que os componentes eletrônicos são suscetíveis ao calor, instale o inversor em um local fresco, bem
ventilado e isento de poeira. Isso é essencial para o aumento da vida útil.
O objetivo das inspeções regulares é manter o ambiente de utilização correto e encontrar quaisquer sinais de falha
ou mau funcionamento, por meio da comparação dos dados atuais de operação com os registros de operações
anteriores.
Objeto da Procedimento de inspeção Critério de julgamento
inspeção
Item inspecionado Ciclo de inspeção Método de inspeção
1- Poeira, Ocasionalmente 1- Verificação visual, 1- Melhorar o ambiente, se for
temperatura e verificação por meio de considerado desfavorável.
gás termômetro, verificação
Ocasionalmente do cheiro 2- Verificar qualquer vestígio de
1. Ambiente
2- Gotas de água condensação de água
interno
ou outro líquido 2- Verificação visual o
Ocasionalmente 3- Temperatura máxima: 40 C (50
o
3- Temperatura 3- Verificação por meio de C dentro do gabinete).
ambiente termômetro
Se for encontrado algo anormal,
2. Unidades e abrir a porta e verificar o
Component 1- Vibração e ruído Ocasionalmente Verificação táctil do gabinete transformador, contatores, relés,
es ventilador de resfriamento, etc. Se
necessário parar a operação.
1- Corrente de Ocasionalmente Amperímetro portátil tipo CA Estar dentro da classe de corrente,
3. Dados de carga tensão e temperatura. Nenhuma
operação Retificador tipo CA diferença significativa em relação a
(lado da 2- Tensão (*) Ocasionalmente dados coletados em estado normal.
Voltímetro
saída) 3- TEmperatura Ocasionalmente
Termômetro

*) A tensão medida poderá variar ligeiramente de voltímetro para voltímetro, Quando da medição da tensão, sempre faça as leituras
com o mesmo testador de circuitos ou com o mesmo voltímetro.

N-1
T OS H I B A E6580757

■ Pontos de verificação
1- Algo anormal no ambiente da instalação
2- Algo anormal no sistema de resfriamento
3- Vibração ou ruído anormal
4- Superaquecimento ou descoloração
5- Odor anormal
6- Vibração, ruído ou superaquecimento anormal do motor.

14.2 Inspeção periódica


Faça uma inspeção periódica em intervalos de 3 ou 6 meses, dependendo das condições de operação.

Perigo
• Antes da inspeção seguir os seguintes passos:
1- Desligar toda a energia de entrada para o inversor
2- Aguardar pelo menos dez minutos e verificar se a lâmpada de carga não está mais
acesa.

Mandatório 3- Usar um testador que possa medir tensões em CC (800 VCC ou mais) e verificar se a
tensão nos circuitos principais de CC (entre PA-CC) não ultrapassa 45 V.
• A execução da inspeção periódica sem observar esses passos poderá provocar choque
elétrico.
• Nunca substitua qualquer componente. Isso poderá provocar choque elétrico, incêndio ou
ferimento. Para substituir componentes, chame o agente de vendas local.
Proibido

■ Itens de verificação
1- Verificar se todos os terminais parafusados estão firmemente apertados. Se for encontrado qualquer parafuso
solto, aperte-o novamente com uma chave de parafusos.
2- Verificar se todos os terminais prensados estão fixados adequadamente. Verifique-os visualmente para
constatar se existe ou não vestígios de superaquecimento em quaisquer deles.
3- Verificar visualmente todos os fios e cabos, quanto a danos.
4- Com um aspirador de pó, remover a sujeira e a poeira, particularmente das aberturas de ventilação e dos
circuitos impressos. Mantenha-os sempre limpos para evitar um acidente devido a sujeira ou poeira.
5- Quando o inversor ficar sem uso por muito tempo, verifique-o quanto ao funcionamento a cada dois anos ou
ligue-o por pelo menos 5 horas com o motor desconectado. É aconselhável não fornecer energia comercial
diretamente para o inversor, mas aumentar gradualmente a tensão da fonte de alimentação por meio de um
transformador.
6- Se houver necessidade, fazer um teste de resistência de isolamento, somente na placa de terminais do circuito
principal, usando um testador de isolamento de 500 V. Nunca faça um teste de resistência de isolamento nos
terminais de controle, exceto os terminais do circuito impresso ou os terminais de controle. Quando testando o
isolamento do motor, separa-lo do inversor, desconectando os cabos dos terminais de saída U, V e W do
inversor. Quando testando a resistência de isolamento dos circuitos periféricos que não o circuito do motor,
desconecte todos os cabos do inversor, de modo que não seja aplicada tensão ao inversor durante o teste.

N-2
T OS H I B A E6580757

Nota: Antes de um teste de resistência de isolamento, sempre desconecte todos os cabos da placa de
terminais do circuito principal e teste o inversor separadamente de outros equipamentos.

Testador de isolamento de
500 V
(Megger)

7- Nunca submeta o inversor a teste de pressão. O teste de pressão poderá danificar os componentes
8- Verificação de tensão e temperatura
Voltímetro recomendado:

Lado da entrada: Voltímetro do tipo ferro móvel ( )

Lado da saída: Voltímetro tipo retificador ( )


Será muito útil para detectar um defeito, se você sempre medir e registrar a temperatura ambiente, antes, durante e
após a operação.

■ Substituição de componentes caros


O inversor é constituído de um grande número de componentes eletrônicos, incluindo dispositivos simicondutores.
Os componentes adiantes deterioram com o passar do tempo, devido à composição e às características físicas. O
uso de componentes velhos ou deteriorados leva à degradação do desempenho ou à falha do inversor. Para evitar
esse problema, o inversor deverá ser verificado periodicamente.
Nota: De modo geral, a vida de um componente depende da temperatura ambiente e das condições de
utilização. Os tempos de vida indicados abaixo aplicam-se a componentes usados em condições
ambientais normais.
1- Ventilador de resfriamento
O ventilador, que resfria os componentes geradores de calor, tem uma vida útil de cerca de 30.000 horas (cerca
de 2 ou 3 anos de operação contínua). O ventilador precisa também ser substituído se ele fizer ruído ou vibrar de
forma anormal.
2- Capacitor de suavização
O capacitor de suavização, de alumínio eletrolítico, da seção de CC do circuito principal tem o seu desempenho
degradado devido a ripple de corrente, etc. Começa s se tornar necessária a substituição do capacitor após ele
ser usado por cerca de 5 anos em condições normais. Se o inversor for utilizado com motores de 3,75 kW ou
menores, substitua o capacitor de suavização junto com o circuito impresso no qual ele está montado.
<critério para inspeção visual>
• ausência de vazamento líquido
• válvula de segurança na posição baixada
• Medição da capacitância eletrostática e da resistência de isolamento

N-3
T OS H I B A E6580757

O tempo de operação é útil para a determinação grosseira do tempo de substituição. Para a substituição de
componentes, contate a rede serviço ou o escritório da Toshiba impresso na contracapa do manual de instrução.

■ Ciclos padrão para substituição dos componentes principais


A tabela abaixo fornece uma relação dos ciclos para substituição de componentes, quando utilizados em condições
normais (temperatura ambiente média: 30 oC, fator de carga: não acima de 80%, tempo de operação: 12 horas por
dia). O ciclo para substituição de cada componente não significa a sua vida útil, mas o número de anos dentro do
qual o índice de falhas não aumenta significativamente.
Nome do Componente Ciclo Padrão Para Substituição Modo de substituição e outros
Ventilador de resfriamento 2 a 3 anos Substituição por um novo
Capacitor de suavização 5 anos Substituição por um novo (dependendo dos resultados da
verificação)
Disjuntor e relés - A substituição ou não depende dos resultados da verificação
Timer - A substituição ou não depende dos resultados da verificação
Fusível 10 anos Substituição por um novo
Capacitor de alumínio no 5 anos Substituição por um novo circuito impresso (dependendo dos
circuito impresso resultados da verificação)

(Extraído do “Guia para inspeções periódicas de inversores para aplicações gerais” publicado pela Associação
Japonesa do Setor Elétrico).
Nota: A vida de um componente varia muito, dependendo do ambiente de utilização.

14.3 Fazendo uma chamada para manutenção


Para a rede de serviços da Toshiba, consultar a contracapa deste manual de instruções. Se forem encontradas
situações de defeitos, favor contatar a seção de serviço da Toshiba encarregada, por meio do seu distribuidor
Toshiba.
Quando fizer uma chamada para manutenção, favor nos informar o conteúdo da etiqueta de classificação no painel
direito do inversor, a presença ou o ausência de dispositivos opcionais, etc., além dos detalhes da falha.

14.4 Armazenagem do inversor


Tome as seguintes precauções quando mantiver o inversor armazenado por um logo período de tempo.
1- Armazene o inversor em um local bem ventilado, longe de calor, umidade, poeira e pó metálico.
2- Se o circuito impresso do seu inversor tiver uma capa anti-estática (capa preta), não a retire do circuito
impresso durante a armazenagem, embora a capa deva ser retirada antes de ligar o inversor.
3- Se o inversor não for ligado por muito tempo, ligue-o uma vez a cada cinco anos, por cinco horas ou mais
em cada vez, para recuperar o desempenho do capacitor eletrolítico de grande capacidade e também para
verificar o funcionamento do inversor. É aconselhável não alimentar energia comercial diretamente para o
inversor, mas aumentar gradualmente a tensão da fonte de energia, por meio de um transformador, etc.

N-4
T OS H I B A E6580757

15. Garantia
Qualquer parte do inversor que esteja comprovadamente defeituosa será reparada e ajustada sem custo, sob as
seguintes condições:
1- Esta garantia aplica-se somente à unidade principal do inversor.
2- Qualquer parte do inversor que falhe ou se danifique em condições normais de uso dentro de doze meses
contados da data do fornecimento será reparada sem custo.
3- Para os seguintes tipos de falha ou dano, o custo do reparo será suportado pelo cliente mesmo dentro do
prazo de garantia.
• Falha ou dano provocado por uso ou manuseio inadequado ou incorreto, ou reparo ou modificação
não autorizados do inversor.
• Falha ou dano provocado por queda do inversor ou acidente durante o transporte após a compra.
• Falha ou dano provocado por fogo, água salgada ou vento, gás corrosivo, terremoto, tempestade ou
inundação, raio, fonte de energia anormal ou outros desastres naturais.
• Falha ou dano provocado pelo uso do inversor para qualquer fim ou aplicação que não as indicadas.
4- Todas as despesas incorridas pela Toshiba com serviços no local serão cobradas do cliente, a menos que
tenha sido assinado um contrato de manutenção entre o cliente e a Toshiba, caso em que o contrato de
manutenção terá prioridade sobre esta garantia.

O-1
T OS H I B A E6580757

16. Disposição do inversor

Aviso
• Se você deseja jogar fora o inversor, faça-o por meio de um especialista no setor de
disposição de resíduos*.
Se você deseja jogar o inversor fora por si próprio, isso poderá resultar em explosão do
capacitor ou produzir gases nitrosos, resultando em ferimento.

Mandatório (*) Pessoas especializadas em processamento de resíduos e conhecidas como “coletores e


transportadores de resíduos industriais”. Se a coleta, transporte e disposição de resíduo
industrial for feita por alguém não licenciado para esse serviço, isso é um descumprimento
da lei sujeito a punição (leis relativas a limpeza e processamento de resíduos).

P-1
N osso n egócio é T ecn ologia

Via Anchieta, 1037/1043 – Ipiranga


CEP 04247-001 – São Paulo - SP
Tel.: (11) 6163-3886 - Fax.: (11) 6591-1759
E-mail: vendas01@motorsystem.com.br
Site: www.motorsystem.com.br
Filial Belo Horizonte – MG – Tel.:(31) 3335-2842

TOSHIBA
TOSHIBA INTERNATIONAL CORPORATION: TOSHIBA INTERNATIONAL CORP. PTY LTD.
Sun Francisco, Tulsa, Vancouver Unit 1, 9 Orion Road, Lane Cove
Houston: 13131 West Little York Road
TOSHIBA CORPORATION N.S.W 2066
P.O.Box 40906, Houston, Australia
Texas 77040, USA Tel.: 02-428-2077
Tel.: (713) 466-0277 Fax: 02-427-7405
Telex: 762078
INDUSTRIAL EQUIPMENT DEPART TOSHIBA INTERNATIONAL (EUROPE) LTD.
1-1, SHIBAURA 1-CHOME, MINATO-KU, 1 Roundwood Avenue
TOKYO, 105-8001 JAPAN Stockley Park, Uxbridge
TELEX: J22587 TOSHIBA CABLE: TOSHIBA Middlesex, UB11 AR
TOKYO PHONE: 3-3457-4900 England
Tel.: 081-848-4466
Fax: 081-848-4969

• Para mais informações, favor contatar o representante Toshiba mais próximo ou Operações Internacionais – Bens de Produção.
• Os dados fornecidos nesta brochura estão sujeitos a modificação sem aviso prévio.