Você está na página 1de 39

ESCOAMENTOS MULTIFÁSICOS: FUNDAMENTOS

E MODELAGEM COMPUTACIONAL

Karolline Ropelato

Aula 1
Professores da disciplina de escoamentos multifásicos

Karolline Ropelato

• Dedica-se a área de CFD desde o período de graduação em Eng.


Química (FURB), tendo mais de 15 anos de experiência na área.
• Desenvolveu o mestrado e doutorado na mesma área (UNICAMP) e
MBA na área de gerenciamento de projetos pela FGV.
• Os estudos de CFD foram desenvolvidos nas mais diversas áreas,
tendo atuado principalmente em tecnologias de refino, tais como os
processos de destilação, coqueamento retardado e FCC. Atualmente
é gerente técnica da equipe de CAE da ESSS

Rodrigo Peralta

• Engenheiro químico formado pela Universidade Federal de Santa


Catarina (UFSC), dedica-se a mais de 7 anos na área de CFD.
• Possui mestrado em engenharia química pela Universidade Federal
do Rio de Janeiro.
• Trabalha como especialista em aplicações CAE na ESSS na área de
CFD com foco em escoamentos multifásicos e reativos.

2
Distribuição das aulas
• Karolline Ropelato:
– 24/10 até dia 03/11 (4 aulas)
– 19 e 21/12 (2 aulas)
– Aulas presenciais
• Rodrigo Peralta
– 07/11 até 14/12
EMENTA

• Mecânica dos fluidos

– Deduções e conceitos de escoamento do fluido

• Introdução CFD

– Histórico

– Pacotes comercias  Como funcionam

• Turbulência

– Principais Modelos

– Aplicações / Simplificações adotadas

• Escoamentos multifásicos
• Escoamentos Reativos

– Principais Modelos

– Aplicações / Simplificações adotadas


EMENTA

• Introdução: Classificação de Escoamento Multifásico


– Escoamento Disperso-Contínuo
– Escoamento Contínuo-Contínuo
– Análise de regime de escoamento
• Modelagem Matemática: Equações Governantes
– Transferência de momentum
– Transferência de energia
– Transferência de massa
• Abordagem Lagrange
• Abordagem Euler
– Modelos Homogêneos
 VOF
 Superfície livre
– Modelos Heterogêneos
 Transferência de momento interfacial
 Modelo Algébrico
 Modelos de superfície livre
• Teoria cinética
• Referências Bibliográficas
• Como será a disciplina de escoamentos multifásicos?

Aulas teóricas

+
Exemplos com aplicações
dos conceitos
apresentados

• Avaliação:

Apresentação do projeto na aula presencial


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
INTRODUÇÃO

O que é um escoamento multifásico?


O que é um escoamento multifásico?

• Escoamento monofásico1 consiste em: 1 2

• Quando duas ou mais fases estão


escoando dentro de uma mistura, e Gás Líquido
• Possuem algum nível de separação 3
entre as fases, em uma escala maior
Sistema
que o nível molecular Sólido monofásico

• Escoamentos multifásicos podem existir


de várias formas. 4 5

• Escoamentos bifásicos podem ser Gás/Líquido


Líquido
/Sólido
classificados de acordo com as fases
envolvidas 6
• Gás-líquido, Gás/Sólido
Sistema
multifásico
• Gás-sólido,
• Líquido-sólido, e
• Mistura de líquidos imiscíveis

1=http://goo.gl/a69rhf, 2=http://goo.gl/F82TK5, 3=http://goo.gl/rSphqM,


4 = http://goo.gl/I14xli, 5=http://goo.gl/JJqOD3, 6=http://goo.gl/O5uc2X
INTRODUÇÃO

• Exemplos de casos industrias para escoamentos multifásicos:


– Turbina Pelton
INTRODUÇÃO
EXEMPLOS DE ESCOAMENTO MULTIFÁSICO
INTRODUÇÃO

– Parafuso de Archimedes
Coluna de bolhas

Spray
Exemplos:
– mistura água e óleo
– bolhas no líquido
– partículas de areia na água

O que é uma “fase” para CFD?


INTRODUÇÃO

• Diferença de fase de CFD versus fase termodinâmica


Fase termodinâmica: esta
vinculada ao estado da matéria
O conceito de fase para CFD:
diferentes fluidos na mesma fase
termodinâmica constituem fases diferentes em
CFD, mistura de fluidos imiscíveis

Dois estados termodinâmicos diferentes


podem representar três ou mais fases do
ponto de vista de CFD

Exemplo: Dois óleos com propriedades diferentes podem representar duas fases para CFD !!
Classificação do escoamento multifásico: gás-sólido

• Gás-sólido, escoamentos identificados


como sendo gás-sólido ou gás-líquido, são
os escoamentos em que as 1

gotas/partículas estão suspensas em uma


fase gás

• Dependendo da concentração de
partículas, os escoamento pode ser
considerado denso ou diluído
Dense Dilute

1=http://goo.gl/cxzTtH, 2=http://goo.gl/Ey4h6v
Escoamento Escoamento
denso diluído
Classificação do escoamento multifásico: gás-sólido

• Quando a concentração de partículas é


Ciclone
relativamente baixa, a influência do gás é
dominante:
• É dominado por forças de superfície e forças de corpo agindo
nas partículas
• Exemplo: separador ciclônico

• Quando a concentração de partículas sólidas é alta,


o movimento das partículas é definido pela
interação partícula-partícula
• Exemplo: Leito fluidizado

• Escoamentos gás-sólido também são conhecidos


pelo termo escoamentos dispersos
• As partículas (fase dispersa) estão dispersas na fase gás
(fase continua) Leito
1=http://goo.gl/Ey4h6v, 2=http://goo.gl/yrqI4s
fluidizado
Escoamento gás-sólido
Classificação do escoamento multifásico: líquido-sólido

• Escoamento líquido-sólido representa o 1


transporte de partículas sólidas na fase
líquida
• Também chamado de escoamento do tipo
slurry

• Escoamento slurry esta presente em


diversas áreas, desde a indústria alimentícia 2
até a indústria de mineração

1=http://goo.gl/ZV9zBA, 2 =http://goo.gl/YtB4UC
Escoamento líquido-sólido
Classificação do escoamento multifásico: gás-líquido
• Escoamento gás-liquido pode assumir diversas
configurações:
• Escoamento dispersos,
• Escoamento com mistos: 1

• Escoamento estratificados
• Alguns exemplos
• Movimentação de bolhas e fase líquida
• Fase líquida representa a fase continua e as bolhas
a fase dispersa
• Movimentação de gotas de líquido na fase gás
• Fase gás é a fase continua e as gotas a fase
dispersa
• Gotas e bolhas podem sofrer deformação ao longo do
escoamento da fase continua. Essas podem existir nas
mais diferentes formas: 1=http://goo.gl/LGW2T0

• Esféricas, elipticas, distorcidas e no formato cap


Classificação do escoamento multifásico: gás-líquido
• Além das estruturas de interface
apresentadas no escoamento dispersos de
forma geral, o escoamento gás-líquido
pode apresentar as seguintes estruturas
interfaciais:
• Escoamentos onde coexiste o escoamento continuo
e o disperso (Mixed or transitional flows)
Escoamento anular e um duto vertical
• Escoamentos estratificados
• Escoamentos de superfície livre são
identificados com a presença de uma
interface bem definida entre as fases,
nesse caso as duas fases são consideradas
como fases contínuas
Hydrodynamic wave loading on ship
1=http://goo.gl/KsiJRt, 2=http://goo.gl/KK2Oh6
Escoamento gás-liquido

Coluna de bolhas

Spray
Escoamento líquido-líquido
• Escoamento multicomponente:
– Espécies químicas estão misturadas a nível molecular;
– Cada espécie possui seu campo de velocidade. No entanto, é
razoável considerar um campo médio de velocidade
– Abordagem de fração mássica
• Escoamento multifásico
– A mistura entre as fases ocorre a nível macroscópico;
– Cada fase é modelada considerando seu próprio campo de
velocidade associando a transferência de quantidade de movimento
entre as fases;
– Abordagem de fração volumétrica
• Escoamento multifásico + multicomponente
– Evaporação e condensação de gotas;
– Reação de catalizadores em um leito fluidizado
INTRODUÇÃO – EXEMPLOS DE APLICAÇÕES INDUSTRIAIS

• Indústria de processos químicos


• Meio ambiente
– Limpeza de gases
– Reatores de leito fluidizado
– Derramamento de óleo
– Colunas de bolhas – Dispersão de gases
– Produção de polímeros – Erosão
– Misturadores
– Transporte de cascalhos durante a • Biomédica
perfuração de poços de petróleo – Fluxo sanguíneo
– Refino e transporte de petróleo
– Olhos
• Geração de energia
– pulmões
– Combustão
– Queima de carvão
– Condensação e evaporação
– Células combustíveis
– Cavitação
Definições importantes para escoamento
multifásico
DEFINIÇÕES

• Fração volumétrica (α): quantifica volume ocupado de


cada fase (0< α<1);

• Velocidade média: Em um escoamento multifásico


nenhuma das fases ocupa toda a seção transversal ;

– Monofásico:
Sendo uv a fase dispersa e ul a fase
contínua

– Multifásico:
Multiplicando e dividindo as
equações pela fração de fase:
DEFINIÇÕES

• Velocidade de fase, então, pode ser reescrita como:

– Onde j é a velocidade superficial ou fluxo volumétrico.

• E a relação entre fluxo volumétrico e velocidade é dado


por:

Sendo uv a fase dispersa e ul a fase


contínua
DEFINIÇÕES

Relações de mistura
• Densidade da mistura:

• Velocidade da mistura (média):


– Velocidade média ponderada

pela massa
Classificação dos
Escoamentos Multifásicos

• Disperso-Contínuo
• Contínuo-Contínuo
CLASSIFICAÇÃO DOS ESCOAMENTOS MULTIFÁSICOS

• Escoamento disperso-contínuo
– A fase é considerada dispersa se apresenta regiões
desconectadas no espaço. Senão é chamada de fase
contínua
– Altas razões de densidades estão relacionadas
 (c/ d=1000, c/ d=10-3)
– Campos de velocidade para cada fase bem diferentes
– Exemplos:
• escoamento gás-líquido

• escoamento gás-sólido

• escoamento líquido-sólido

• escoamento líquido-líquido
CLASSIFICAÇÃO DOS ESCOAMENTOS MULTIFÁSICOS

Escoamento gás-líquido:

• Ambas as fases podem ser dispersas ou contínuas!

• Exemplos: movimento de bolhas em líquidos, gotículas em uma


corrente de vapor

• Outro exemplo muito importante da indústria é o caso da atomização,


onde pequenas gotas são geradas para o processos de combustão

• Qual a influência do diâmetro da fase no escoamento?


Qual a influência do diâmetro da fase no escoamento?

A correta representação do diâmetro da fase dispersa influenciará no


comportamento fluidodinâmico (transf. de quantidade de
movimento) assim como na transferência de massa, calor
CLASSIFICAÇÃO DOS ESCOAMENTOS MULTIFÁSICOS

Escoamento gás-sólido:
• Em sua forma mais usual, são representados por uma fase
gás com a presença de partículas sólidas.
• Exemplos: leitos fluidizados, equipamentos para o controle
de poluição como por exemplo os ciclones e precipitadores
eletrostáticos.
• Além dessas aplicações outros exemplos podem ser
ressaltados, tais como o escoamento de partículas em dutos
inclinados e risers.
CLASSIFICAÇÃO DOS ESCOAMENTOS MULTIFÁSICOS

Escoamento líquido-sólido:

• Consistem em equipamentos os quais a fase sólida é arrastada pela fase


líquida, são conhecidos como escoamentos do tipo slurry.

• Nos escoamentos do tipo slurry estão presentes várias aplicações como


por exemplo o transporte de carvão e minérios.

• Grande aplicação na indústria de Petróleo

– Transporte horizontal de sólidos durante a perfuração de poços horizontais

• O estudo desse tipo de escoamento tem recebido bastante atenção da


comunidade científica nos últimos anos.
Como definir o diâmetro da fase dispersa?

Formas de se definir o diâmetro da fase dispersa:


• Diâmetro constante: é possível adotar um valor que seja
representativo para caracterizar o diâmetro da fase dispersa;
• Especificação de alguma correlação para representação de alguma
distribuição de diâmetros;
• Balanço populacional.
CLASSIFICAÇÃO DOS ESCOAMENTOS MULTIFÁSICOS

• Spray drier
– 3-componentes 2-fases
– envolve transferência de calor e
massa entre as fases;
– cada fase possui diferentes
temperaturas;
– modelagem altamente
complexa!
– Ex.: Fabricação do leite em pó