Você está na página 1de 2

BODNAR, Rejane Tereza Marcus.

Relação teoria-prática na formação em serviço de


profissionais da educação infantil: resinificando a prática pedagógica. In: KRAMER, S.;
ROCHA, E. A. C. (Org.). Educação Infantil: enfoques em diálogo. 1ed. Campinas:
Papirus, 2011, v. 1, p. 277-293.

Bodnar (2011), buscou em sua pesquisa, a compreensão das relações


entre teoria e prática na formação de professores de educação infantil, privilegiando uma
compreensão deste processo pela tomada de consciência da ação formada no espaço
coletivo.
Para a autora, a visão de que os professores são apenas consumidores,
em um processo de formação avançada, foi descontruída a partir que, com base na
concepção de que o conhecimento é uma construção coletiva e o espaço de formação é
um local de troca de saberes, acumulados por pesquisadores e pelas professoras.
Em sua grande maioria, as propostas de formação continuada, a relação
teoria-prática se demonstra como um desafio para os formadores e para as instituições
formadoras.
Durante o início de processos de formação, percebe-se que o
conhecimento de planejamento das professoras fora uma forma de aproximação de suas
práticas pedagógicas, tendo durante as conversas, o olhar e a escuta atenta ao que foi
indicado e subsidiado aos procedimentos metodológicos da pesquisa realizada, assim
como, as diferentes intervenções no processo formação em serviço (BODNAR, 2011).
Contatou-se durante as entrevistas, a importância de uma parceria entre
pesquisadoras e professoras e entre as próprias professoras para as diversas situações
cotidianas da instituição, evidenciando as vozes das professoras, da formadora e nos
documentos referentes às trocas entre os diferentes sujeitos, sejam experiências,
conhecimentos e respeito aos diferentes saberes, enfatizaram sobretudo, uma construção
coletiva.
Valendo-se dos depoimentos e dos documentos da formação, Bodnar
(2011) considerou que o serviço do subprojeto analisado se construiu com sentidos e
significados entre os sujeitos e as suas experiências, através de uma ação compartilhada
ente as professoras e as pesquisadora, o que evidenciou uma experiência de formação que
ressignificou o papel da coordenação pedagógica na instituição.

Ainda que seja visível um grande avanço na educação infantil e, sobretudo, na


formação dos professores, tendo em vista a exigência mínima para a atuação
nesse nível de ensino estabelecendo-se como um direito dos profissionais da
educação a formação dos professores da educação infantil, têm se revelado
objetivos e concepções (presentes nos documentos e nas políticas educacionais
vigentes) cujas orientações se baseiam nos princípios da competitividade e na
construção de competências, a fim de adequar os professores ao ideário
neoliberal (BODNAR, 2011, p. 209).

Enfatizando as competências práticas, se dissocia o trabalho docente de


uma reflexão mais ponderada sobre suas ações pedagógicas, que consequentemente
levará à um afastamento entre teoria e prática.
A reflexão entre teoria/prática coletivamente, demonstra que o trabalho
pedagógico deve ser um encontro entre os diferentes modos de compreensão, vendo e
sentindo as ações pedagógicas que envolve os profissionais responsáveis pela educação
infantil, não um ato solidário. É imprescindível o registro do mediador entre prática e
teoria, para uma reflexão sobre o trabalho pedagógico, considerando a realidade objetiva.
Sendo que a realização de um registro pedagógico dos professores um trabalho coletivo,
e não apenas individual, deve ser contemplado dentro do projeto político-pedagógico de
cada instituição (BODNAR, 2011).