Você está na página 1de 27

ago201227

Como tirar o melhor timbre da sua guitarra15


Postado em Dicas, Guitarras
Você sabe como tirar o melhor timbre da sua guitarra?
O técnico em produtos de cordas da Sonotec, Mateus Manfredini, preparou várias dicas para você
deixar a sua guitarra caprichada.

Na próxima vez que você for tocar um solo de blues, em vez de tentar ser rápido e somar inúmeras
notas, tente construir uma melodia simples, com uma ou duas notas. Concentre-se na sensação e
ênfase de cada nota que você toca através das mudanças de acordes. Veja como o público responde
melhor para isso do que uma enxurrada de notas.

Se sua guitarra tem molas para equilibrar o seu sistema vibrato (como a grande maioria das stratos,
por exemplo), elas podem estar alterando seu som. Ao tocar com a guitarra desplugada, você
poderá ouvir uma espécie de ressonância que pode acabar encontrando o caminho para o seu som
amplificado e assim alterando-o. Se isso estiver incomodando, abra o compartimento e procure uma
forma de abafar esse barulho.
Para obter o melhor de sua guitarra é importante que os captadores estejam ajustados na altura certa.
Quanto mais perto eles são para as cordas, mais alto que irá soar, mas como sempre, não é apenas
um caso de mais alto é melhor …
Humbuckers
Como regra geral, humbuckers podem ser regulados perto das cordas para soar com mais volume.
Usando uma régua, ajuste a altura do humbucker dos lados agudos e graves, uniformemente em 2,5
milímetros abaixo das cordas.
Single-coils
As stratos devem ser ajustadas para ficarem com o lado agudo ligeiramente maior do que o grave
para um bom equilíbrio tonal. Ajuste deixando uma diferença entre o lado agudo e grave de 1mm,
sendo 2,5 mm para os graves e 3,5 mm para os agudos.
Cuidado: quando o campo magnético do captador fica muito próximo ao campo de seqüência de
movimentos. Isso impede as cordas de vibrarem naturalmente.
Cordas
Elas vibram mais livremente perto do braço que próximo da ponte, portanto os captadores próximos
à ele devem soar mais alto – faça testes com ajustes de altura pois pode ser necessário estabelecer
um bom equilíbrio de volume entre pares ou trios de captadores.

A maioria das ‘Stratos’ possuem as suas pontes de zinco, chumbo ou aço bloco vibrato. Tente trocar
o bloco de vibrato padrão para um aço sem chumbo. Se você tocar em volume alto vai ouvir uma
notável melhora na profundidade e sustain do seu som. Certifique-se de obter o tamanho certo para
sua guitarra.
Se você tiver uma guitarra com baixo/médio custo, pode melhorar as coisas substituindo a fiação
padrão e potenciômetros. O valor dos potenciômetros é importante porque quanto mais baratos,
mais tendem a variar. As stratos, por exemplo, podem soar muito diferentes com potenciômetros de
300k ou 200k já que os mais indicados são dos de 250k.

Quem nunca viu alguém que comprou um amplificador potente e economizou em uma caixa
acústica que não acompanha o amp?! É uma economia completamente falsa, já que o amplificador
precisa do melhor gabinete para obter um excelente desempenho. É possível, por exemplo,
encontrar gabinetes mais caros de 1×12” que falam melhores do que gabinetes baratos de 2×12”.

Isso é absolutamente essencial para fazer acordes e para que as notas soam perfeitamente em todo o
braço. Você mesmo pode verificar ou procurar por um profissional:
• Toque uma harmônica no 12 º traste.
• Compare o tom da nota produzida tocando a mesma nota no 12º traste.
• Se a nota produzida naturalmente e a harmonia não produzirem um som semelhante, suas oitavas
provavelmente estarão desafinadas. OBS: certifique-se que as cordas estejam novas, pois as cordas
velhas podem te enganar…
• Repita o procedimento em todas as cordas.
O violão é provavelmente o melhor instrumento para aprender a manipular o som, porque há várias
maneiras que você pode atacar as notas, tanto com a palhetada quanto no braço. Você precisa estar
realmente conectado e preciso com o que suas mãos estão fazendo.

Afine meio tom abaixo e faça com que a sua banda se junte a você. É claro que isso não se aplica a
todos os casos, mas é surpreendente ouvir a diferença pura em tom que só um semitom para baixo
pode trazer.

Uma distorção pesada faz você parecer confortável e pode te fazer pensar que melhora seu som. Na
verdade, um ganho muito alto na maioria das vezes é igual a muita compressão – o que ninguém
pode ouvir corretamente. É por isso que sons limpos muitas vezes parecem mais alto do que as
poluentes. Tente trabalhar com o menor ganho possível na sua distorção ou over, deixando seu som
saturado forte, porém claro.
Seus trastes provavelmente irão se desgastar ao longo do tempo, especialmente sob as cordas G e B.
Verifique se nessa região do braço eles já não estão achatados. Manter os trastes nivelados e polidos
definitivamente vai dar um pouco mais de clareza ao seu som.

Com que frequência devo mudar minhas válvulas?


Conheço guitarristas que trocam suas válvulas meticulosamente a cada seis meses, mas há outros,
inclusive eu, que deixam um pouco mais. Se você estiver tocando num amplificador em uma base
regular, é uma boa idéia mudar suas válvulas de saída uma vez por ano.
Quais são os sintomas reveladores de que seu amplificador está com as válvulas desgastadas?
Qualquer som estranho ou microfonia, falta de potência de saída ou o amplificador não estar
respondendo como deveria em termos de volume são sinais de que ele está cansando. Se você sentir
que está tendo que abrir o volume bem mais do que o normal para ter o mesmo rendimento,
verifique suas válvulas.
O que posso fazer para manter meu amplificador rendendo mais?
Para prolongar a vida da válvula, desligue seu amplificador depois de um show e deixe descansar
por alguns minutos antes de movê-lo. Deixe seu amplificador aquecer antes de tocar, durante o
tempo que você puder esperar. Você pode notar a diferença entre um amplificador que tenha sido
ligado há apenas cinco minutos e um amplificador que foi ligado há 45 minutos.
Como posso encontrar os melhores ajustes para meu amplificador?
Se você estiver usando um amplificador pela primeira vez, defina todas as marcações para cima na
posição de 12 horas (flat), pra que você tenha valores iguais em todos e, a partir daí, ajuste as
configurações conforme o seu gosto.
Lembre-se: Um amplificador valvulado quer ser tocado com volume aberto. Se você puder obter o
seu volume principal até cerca de três quartos, então você está no céu, é por aí que ele rende
melhor…
A ordem em que seus pedais de efeitos aparecem na cadeia de sinal em sua pedaleira faz uma
grande diferença para o som resultante. Há sempre combinações a serem feitas, e não há exatamente
como dizer o que é certo ou errado, mas algumas informações podem te ajudar e esclarecer suas
dúvidas sobre como montar sua pedaleira e tirar o melhor rendimento dela.
• Wah e manipuladores EQ funcionam melhor antes de dispositivos de distorção e overdrive, perto
do início da cadeia de sinal. A única exceção é o Fuzz Face ou qualquer fuzz estilo vintage, que
precisa ser encaixados antes do wah. Experimente colocar o seu wah antes e depois da distorção e
ouvir como ela soa diferente. Além disso, compressores tendem a trabalhar melhor quando colocado
antes dos efeitos de unidade.
• Os efeitos de distorção e overdrive também deve chegar perto do início de sua cadeia de sinal.
Prefira as distorções mais pesadas primeiro, depois overdrives mais leves; em seguida, boosters.
• Os efeitos de modulação como chorus, flanger e phaser geralmente funcionam melhor depois de
distorção. Vale a pena mencionar que muitos pedais analógicos muitas vezes funcionam melhor na
frente de distorção. Experimente.
• Os efeitos Delay e de eco são projetados para repetir o que foi jogado neles, para colocá-los para a
parte de trás da cadeia de sinal. Eles também são bons quando colocado em loop, se o seu
amplificador tiver um.
• Reverb é o único efeito que tradicionalmente funciona melhor quando colocado após os seus
efeitos de atraso e, como tal, deve ser parte final se você estiver usando um pedal em vez de a
reverberação de seu amplificador.

Abra o volume do seu amplificador. O som de sua guitarra vai soar melhor alto do que em baixo
volume. Toque o mais alto que você puder, sempre que for possível… só fique atento às
reclamações dos vizinhos!
Você pode pensar que isto é contraditório com o que acabamos de dizer acima, mas eles são
totalmente interdependentes se você quer um bom som. Veja como você pode fazê-lo:
Deixe o volume do seu amplificador o mais alto quanto você pode suportar. Escolha uma escala,
uma nota, um acorde e toque o mais suave possível. Entenda que é possível tocar com o volume alto
e o mesmo tempo ser suave. Dominando isso seu som terá mais definição.

Não importa quão bom você é, sempre pode melhorar. Um bom professor vai te auxiliar a ver as
coisas que você não consegue sozinho. Ele vai ajudá-lo a trabalhar técnicas cruciais, tais como
vibrato, string fraseado, curvatura e assim por diante – tudo isso para melhorar ainda mais a sua
fluência musical.

Se você estiver à procura de um som mais pesado, tente usar cordas mais grossas. Isso
provavelmente vai adicionar peso ao seu som, especialmente se você tiver uma pegada
forte. “Particularmente utilizei cordas 09 por muito tempo e só encontrei o que julgo ser meu
melhor timbre quando passei a usar as cordas 010. O mesmo aconteceu com meu violão, era
acostumado a usar cordas 010 e após a experiencia positiva com a guitarra troquei minhas cordas
por 011 e meu som melhorou muito. Ainda que seu professor ou seus amigos o induzam a utilizar
cordas mais leves, faça um teste, quem sabe você encontre algo melhor”, explica Mateus.
Você (ainda) pode não dar o mínimo de atenção a eles, mas são dos alto-falantes que o som se
propaga – e eles soam diferentes. As variáveis são inúmeras, mas os pontos mais importantes para
entender as especificações são:
• Peso do ímã e tipo – ímãs pesados geralmente são melhor manipulados. Cerâmica e Alnico são os
materiais magnéticos mais comuns, este último normalmente associado a mais vintage, tons de
1960. A maioria dos alto-falantes de guitarra têm ímãs de cerâmica, com apenas alguns usando
Alnico.
• Potência nominal em watts – quanto mais potentes os alto-falantes, menos eles vão distorcer sob o
volume pesado.
• Eficiência – também chamado sensibilidade, este é medido em decibel (dB), a uma distância de
um metro. Isso tem mais a ver com o quão alto um alto-falante parece, comparado à sua potência.
Um P10R Jensen, por exemplo, é avaliado em 95dB; um Celestion G12 65 a 97dB e um EVM12L a
100dB. Os números não parecem tão diferentes, mas a diferença em termos de volume percebido é
verdadeiramente impressionante.

O comprimento da escala de sua guitarra – a distância entre o nut e o 12 º traste, duas vezes –
influencia o timbre mais do que você imagina. Por exemplo a sonoridade e a “pegada” de uma
Gibson com comprimento de escala padrão de 24.75 polegadas é diferente ao da Fender Standard
de 25.5 polegadas.

A mão direita é onde tudo está acontecendo. Aperte firme a palheta de forma que apareça apenas um
pouco de plástico. Utilize a ponta da palheta para tocar as cordas e cuide para que a mesma jamais
escape. Ao tocar uma corda, evite o contato com outras de forma desordenada.

Compre um bom violão e pratique muito nele. Praticando em um violão você vai ganhar agilidade e
“pegada” para tocar em uma guitarra, nada melhor para tocar limpo do que praticar num violão.

Como um ímã pode influnciar tanto na captação da vibração das cordas?


Um ímã não produz som, mas é ele o motor que impulsiona as bobinas em um captador. Em um
humbucker você tem um ímã de barra localizado sob as bobinas, já na Stratocaster ou em uma
Telecaster você tem hastes magnéticas que estão no centro. Mas, essencialmente, todos eles estão
fazendo a mesma coisa: abrindo um campo magnético para captar a vibração das cordas quando
elas são tocadas.
O captador traduz essas vibrações em um sinal AC que passa através dos potenciômetros de volume
e tonalidade, vai ao amplificador (podendo passar antes pelos pedais) e chega ao alto-falante, que ao
produzir a sonoridade pode realimentar o captador gerando um over. Cada tipo de ímã produz um
efeito diferente, mas como regra geral, quanto mais poderoso o ímã melhores freqüências você vai
conseguir, baixas e altas. Para freqüências altas não é necessário ser tão forte, ao contrário das
frequências graves que são melhores geradas quando utilizamos um imã mais poderoso.

Você não tem que tocar tudo no mesmo volume. Tente aliviar o volume da guitarra durante um solo
e alterne na escolha dos dedos para oferecer uma dimensão extra tonal ao seu desempenho. Variação
é a chave para manter o público interessado e envolvido! Experimente fazer isso com relação aos
outros instrumentos que estão tocando junto: diminua a pegada quando entrar a voz (se estiver
tocando com um cantor) e acompanhe a evolução nos refrões – é nessa hora e nos solos que a
guitarra vem com força!

Você sempre quis saber como o som de alguém é distorcido e ainda assim limpo e claro? Pode ser
que ele esteja usando dois amplificadores: um conjunto para distorção e outro limpo, enfatizando
um conjunto específico de freqüências. Misturados, o som torna-se enorme. Experimente!

As dicas anteriores irão ajudar você a descobrir o que funciona e o que não funciona ao longo do
caminho, e se você explorar todas, possivelmente seu som irá melhorar. Mas a verdade máxima é
que seu melhor som vem de dentro de você, e isso depende de fatores físicos e mentais. O melhor
conselho que podemos dar é que você gaste seu tempo praticando, e quando se tratar de um show
ou gravação esqueça do resto e se comprometa apenas com a música e o momento.

15 comentários
1. muito bom.
16 de abril de 2014 às 9:14
eu gostei muito bom. eu sou luthier e gostei das explicações .
Responder
2. Marcos Dellisa
22 de março de 2014 às 9:25
Gostei muito do Blog de vocês, texto direto, simples, esbanja conhecimento mas de uma
forma “humilde”, sugerindo não impondo, dicas realmente preciosas para todos os amandes
de GUITARRAS.
Eu poderia sem sombra de dúvida classificar de excelente a matéria, porem faço uma
observação:
decibéis não existe, o correto é decibel. Segundo o professor João Cândido Fernandes da
USP-FOB e UNESP de Bauru Bell é nome próprio, não se usa no plural.
Parabéns e continuem assim. Marcos Dellisa
Responder
• Sonotec
26 de março de 2014 às 12:08
Obrigado pela sua correção, a palavra já foi alterada. Grande abraço!
Responder

3. antonio lazaro dos santos
6 de fevereiro de 2014 às 14:33
boa tarde mateus, gostei muito das suas dicas vai me ajudar demais obrigado! muito
obrigado!!!!!!!!. antonio.
Responder
4. guingo
26 de setembro de 2013 às 10:06
Sobre as dicas de válvulas ser substituídas a cada seis meses ou mesmo 1 vez ao ano, não
recomendo isso. Só se a válvula for de fabricação duvidosa e defeituosa. Basta dar umas
batidinhas nela com o dedo indicador e perceber o filamento meio solto ( esta não teve uma
boa fabricação). Trabalho com valvulados à décadas, tenho amplificadores que tem as
mesmas válvulas desde os anos 60 e nada foi alterado no seu timbre, mesmo sendo usado a
exaustão por todo estes anos. Percebo que se falam muito em troca de válvulas
periodicamente, mas que é para alimentar o mercado. Agora, quem já trocou e quer “doar”
ás válvulas pra mim ok. Ficarei agradecido em receber um Par de 6L6. Tenho um provador
de válvulas ( Labo) que costuma falar por mim.
Responder
5. GIOVANNE
22 de setembro de 2013 às 12:47
OTIMAS DICAS E CONSELHOS,PRINCIPALMENTE PARA QUEM É
INICIANTE,MUITO BOM MESMO O TEXTO,ESSENCIAL TANTO PRA QUEM TÁ
COMEÇANDO,TANTO PRA QUEM JÁ TEM EXPERIENCIA!!!!!!!
Responder
6. caio cesar
15 de agosto de 2013 às 20:03
Gostaria de saber mais sobre usar 2 amplificadores! entendi.. mas queria entender mais… se
poderem me ajudar nisso… obs: o texto ficou ótimo!
Responder
7. Marconi Oliveira
30 de julho de 2013 às 13:16
Parabens pelas dicas, abriram um leque em minha mente, tenho um Tube Mosnter
e a ultima vez que toquei, tive a tal microfonia, que você descreve no item valvula,
vou efetuar a troca e desde já agradeço a ajuda.
Att.
Marconi Oliveira
Responder
8. Gabriel Gomes
17 de maio de 2013 às 9:34
Muito boa mesmo as dicas!! mais fiquei com uma duvida… o captador tem um imã
cerâmico, embaixo dele.. se eu colocar um imã mais potente, o som vai fica melhor?? mais
grave?? mais limpo??
Responder
9. Marcos Antônio
9 de maio de 2013 às 16:08
Boas dicas,me ajudou muito.Parabéns pela publicação.
Responder
10.Eliabe Pantoja
7 de maio de 2013 às 20:19
caramba!!! Fiquei sem “fôlego”, foi surpreendente ler este artigo. Impecável. Parabéns pelo
artigo Sonotec (Mateus Manfredini).
Responder
11.Anibal
23 de dezembro de 2012 às 21:05
Excelente esta matéria!! muito bem eleborada,serve para iniciantes e profissionais.
Parabéns e muito obrigado.
Responder
12.Marcos
10 de dezembro de 2012 às 23:59
Sem dúvida alguma, essas foram as melhores e completas dicas que eu já encontrei na net.
Parabéns à todos da SONOTEC.
Responder
13.Juliano Souza
14 de setembro de 2012 às 20:50
Olá amigo, muito obrigado pela publicação do artigo, aprendi coisas legais e de muita
utilidade, vale.
Responder
14.vitor
31 de agosto de 2012 às 9:22
Muito boa as dicas! Vou começar a testa-las. Otima matéria! =)
15.
20 melhores dicas para você tirar um som de
guitarra animal

Musictube preparou uma lista com as 20 melhores dicas para você tirar um som de guitarra
animal!

1. Escolha seus equipamentos levando em consideração o custo-beneficio de cada item de seu


setup: guitarra, multiefeito e até os cabos. Procure informações sobre os equipamentos e converse
com vendedores e com quem os têm ou já os teve para saber como eles reagem em condições
adversas. Tente também experimentá-los, para ver se estão adequados às suas necessidades, pois
outro erro comum do músico é não levar em consideração a coerência da montagem de seu setup
como um todo. Quando possível, deve-se ir às lojas e testar alguns produtos, ligando, por exemplo,
um amplificador similar ao seu no multiefeito que você pretende adquirir, e também na sua guitarra,
antes de escolhê-lo.
2. Ao ligar o amplificador observe seu painel de controle dele e suas regulagens de equalização.
Tire o volume, o reverb e os efeitos dele e deixe toda a regulagem no meio – graves, médios agudos
– assim como as freqüências. É necessário deixar tudo neutro para você ter condições de saber se o
som está realmente equilibrado e ainda saber diferenciar as equalizações quando utilizar outro
amplificador. Se você trocar de amplificador, não mexa na pedaleira, nem em outro tipo de
periféricos – se as regulagens deles estavam perfeitas – mexa sim o novo item, adequando-o.
Comece a regular sem presence, bright ou reverb, mas com equalização geral no meio, ou flat, e
inicie o processo de modelagem de timbre.
3. As ligações são muito importantes, então não use efeitos de ambiência antes de distorções na
ordem de entradas e saídas. Nem use distorções externas nos amplificadores em loopings comuns,
que costumam ser paralelos e não do tipo insert – eles adicionam um som processado saindo “lado a
lado” com o som e não colocando o som adicionado após o pré, como é o caso do tipo de loping
insert. Aconselho o uso de efeitos plugado na entrada junto com o instrumento, leia o manual de
instruções de cada equipamento para se decidir.
4. Em 80% do tempo, o guitarrista toca usando o captador da ponte, ou agudo; assim, comece
usando-o como referencia auditiva, mas não esqueça de passar por todas as combinações possíveis
de chaveamento da guitarra.
5. É aconselhável que, ao começar a regular seu equipamento, as cordas de seu instrumento estejam
em um estado que possibilite uma avaliação boa de timbre – elas não devem estar desgastadas
demais.
6. Se você usa vários tipos de palheta, é importante variá-las na regulagem. Isso ajuda também a
ter um referencial adequado. O mesmo cabe com qualquer outro periférico.
7. A ordem mais aconselhável se você for ligar pedais um no outro é Volume e/ou Wah Wah, depois
distorções, compressores e limiters, equalizadores, efeitos de modulação, e efeitos de ambiência em
geral, tendo sempre delays antes de reverbs.
8. Nas pedaleiras, procure sempre entre os presets algo que lhe interesse, e a partir desta base
sonora, vá adequando-as.
9. Na ordem de efeitos, sempre comece pela distorção, se partir do zero, indo para equalização e
assim por diante, comprimindo ou limitando no final de tudo.
10. Se usar várias guitarras, timbre as regulagens levando todas em consideração, teste-as.
11. Nunca deixe de regular o volume em tom de uso, ou de show, pois regulando baixo o som é
diferente e a partir de certa altura tudo se propaga e é ouvido de outra forma.
12. Não regule equipamentos em salas com reverb, mas sim em salas neutras. Porém, não deixe de
experimentar salas vivas e com reverb, não para timbrar, mas para ver como você pode resolver este
tipo de encrenca com ajustes simples para não ser pego de surpresa em shows.

13. A potência é importante sim, mas a nitidez é mais, pois a clareza conta muito para que se ouça
com perfeição o que você vai tocar.
14. Às vezes, ter mais caixas é muito mais importante do que mais volume, pois a “massa” em si é
maior.
15. Falantes de 8, 10, 12 ou 15 polegadas, ou qualquer outro, obviamente, se mudados alterarão o
timbre do instrumento, portanto, a primeira e segunda dica sempre valem nesse momento.
16. Se possível, preocupe-se em adquirir um microfone para uso em shows, para que você saiba
muito bem como soará no palco.
17. Nunca escolha um setup que pode ser maravilhoso, mas que seu trabalho como músico não
pague. Muito menos um que seja grande demais para sua capacidade de transporte e de montagem.
18. Também experimente ver se tudo soa bem em linha, se ele tiver configurações de Amp
Simulator ou não, nunca se sabe quando você pode precisar.
19. Não adianta comprar o mesmo setup de seu ídolo, pois parte do timbre está na mão e não no
gasto. Estudar faz parte de tirar o som, já que até tocar grosseiramente, às vezes, se faz necessário
para soar de uma determinada forma, ou ter uma técnica mais limpa para soar de outra.
20. Gosto não se discute e mesmo se muitos odiarem seu timbre ele pode ser seu diferencial, pois
tem muita gente que construiu nome pelo experimentalismo e não pela música, portanto, siga seu
ouvido e seu coração em tudo o que fizer.

Read more http://musictube.com.br/20-melhores-dicas-para-voce-tirar-um-som-de-guitarra-animal/


Comprando o Primeiro Equipamento
23 01 2010
Começando com a movimentação aqui no blog, vou falar nesse primeiro post sobre o momento
mais aguardado na vida do aspirante a guitarrista: a compra do seu primeiro equipamento!

Os olhos até brilham quando a gente chega na loja


Mas antes de partir as compras, é preciso estabelecer quanto você pretende gastar. Esse é o ponto
chave na hora de comprar, seja o primeiro instrumento, seja uma roupa, seja um carro. A partir daí,
sim, você pode começar a pesquisar, garimpar, escolher e finalmente comprar a sua tão desejada
guitarra.
Bom, vamos então ao equipamento básico para começar a tocar. Ao meu ver, os itens essenciais
pra quem está começando são: Guitarra (óbvio), Amplificador, Cabo, Correia, Bag e Palhetas.
Como dois opcionais bem recomendados, colocaria um afinador, um pedal de efeitos simples e um
metrônomo. Vamos então começar por categorias.
A GUITARRA
Vamos já começar pela parte mais delicada da compra, o nosso item principal. Se você já deu uma
pesquisada por marcas, com certeza deve ter ouvido nomes como Fender, Gibson, Ibanez, Music
Man dentre outras. Boa parte do que há de melhor quando o assunto é guitarra está concentrado em
tais marcas. Porém, a não ser que você pretenda gastar quantias acima de R$4000,00 o nosso foco
não será este. Estamos falando do primeiro instrumento, aquele que vai lhe introduzir ao mundo da
guitarra. Uma das maiores preocupações dos pais (que na maior parte das vezes são os
financiadores desse primeiro instrumento) é de que os filhor larguem tudo, abandonem o
instrumento depois de pouco tempo. Muitas vezes esse fator, somado ao fato de instrumentos não
serem muito baratos, influencia na compra de equipamentos de uma qualidade duvidosa. Mas
vamos então dar algumas dicas para evitar equívocos na compra.
A primeira coisa que deve ser levado em conta é o que eu vou querer tocar. As guitarras em si,
oferecem uma vasta opção de sons, cada qual característicos de um estilo. O som pode ser
influenciado por diversos fatores, dentre os quais a captação, a madeira e até o cabo ou a palheta
que você usa.
Eu, particularmente, recomendo para iniciantes modelos no estilo stratocaster. Por quê?

Tagima T735 - um modelo de guitarra Strato


Primeiramente por eu considerar uma guitarra extremamente versátil. A guitarra strato possui um
som limpo muito bom e responde a distorções de uma maneira bem legal (o que melhora ainda mais
quando ela oferece um humbucker – aquele captador duplo). Outro aspecto que pesa muito a favor
das strato é a sua ponte, que oferece trêmolo e não tem as “dores de cabeça” dos modelos Floyd
Rose – o que chega a ser um verdadeiro tormento quando você é iniciante.
Aqui vão algumas dicas de modelos strato e as respectivas faixas de preço de cada um:
• Eagle STS001 – foi a minha primeira guitarra. Instrumento nacional, oferece um bom timbre
limpo, braço confortável pra tocar. Corpo em Basswood, braço em Maple e escala em
Rosewood. Varia de R$300,00 a R$450,00
• Condor RX20S – uma opção razoável pra quem tá começando também. Nunca toquei, mas
tem uma configuração legal. Mesmas madeiras da Eagle. Varia de R$330,00 a R$480,00
• Tagima T735 Special – guitarra nacional chinesa, configuração legal pra quem tá
começando. A linha Special (não só da Tagima) indica que é uma série “inferior” da marca,
ou seja, é uma réplica de um modelo superior. Nesse caso, a T735 Special é uma réplica da
T735 (que custa perto dos R$1400,00). Mas mesmo assim é uma boa guitarra, destaque para
o corpo em Alder e o fato de vir com bag e camiseta. Varia de R$450,00 a R$600,00
• Squier Bullet – pra quem não sabe, a Squier é uma marca da Fender, que produz réplicas de
suas guitarras. Como não é Fender, é mais barato. A Squier Bullet é a mais simples das
Squier. Eu, particularmente, não vejo muita vantagem nela, a não ser pelo acabamento, pois
tem a mesma madeira da Eagle e a Condor citadas acima. Corpo em Agathis, braço em
Maple, escala em Rosewood. Consegui encontrar por menos de R$600,00 (à vista).
Alguns poderiam ainda sugerir as guitarras Memphis (como a MG32). Não sugiro-as, pois, se você
for ver bem, ela chega a ser a 3ª linha da Tagima (Tagima – Tagima Special – Memphis), e apesar
do nome “by Tagima”, possuem um acabamento fraco… pelo menos foi a impressão das que toquei.
Possui a mesma madeira da Eagle/Condor/Squier. Você consegue encontrá-las por menos de
R$300,00.
Bom, esses modelos são as minhas sugestões pra primeiro instrumento. Claro, você pode procurar,
visitar lojas, TOCAR (sim, este é o ponto que mais deve pesar na escolha!). Tem que haver uma
sintonia entre a guitarra e o guitarrista. Acontece de você pegar uma guitarra e não rolar a
“química”. Vocês podem dar uma olhada também em modelos no estilo Les Paul (mais voltada pro
Rock) ou Telecaster (mais voltada pro Country). Mas a dica que eu dou é evitar pontes do tipo
Floyd Rose! (não que sejam ruins, mas você vai ter bastante dificuldade pra afinar, trocar cordas…
e seu uso indevido pode danificar as molas permanentemente!)
O AMPLIFICADOR
Sim, agora teremos que decidir o equipamento que irá transmitir o som de nossa guitarra aos nossos
ouvidos. Pra quem está começando, não é necessário uma potência muito grande, e contam os
“extras” que os amplificadores podem ter (como efeitos, afinadores, entradas auxiliares, saídas para
fones de ouvido). Se você pretende somente estudar, tocar uma coisinha ou outra em casa mesmo,
os modelos de 10W são os ideais. Agora, se você já tem aquela banda armada com seus amigos pra
começar a tocar, é preferível optar por modelos acima de 30W, senão sua guitarra vai “sumir” nos
ensaios.

O amplificador fará o som da guitarra chegar aos nossos ouvidos!


Aqui vão alguns modelos legais pra estudo:
• Meteoro Atomic Drive – 20W – possui drive (distorção) – achei por menos de R$400,00
• Meteoro Nitrous Drive – 15W – possui drive (distorção) – pouco mais de R$300,00
• Onerr Block FX 20 Plus – 20W – possui efeitos, metrônomo e bateria eletrônica – bastante
interessante pra estudar – cerca de R$600,00
• Groovin’ G18R – 18W – possui drive e reverb (eco) – achei por menos de R$200,00
• Meteoro Absolut 20 DSP – 20W – possui 16 efeitos integrados – achei por menos de
R$500,00
O CABO
Muitos podem não levar em conta o cabo na hora da compra, e acabar levando “o mais barato”.
Chegando em casa, liga a mesma guitarra no mesmo amplificador e… “putz… parece que o som tá
meio diferente do da loja?!”. É, cabos de baixa qualidade podem trazer perdas de qualidade no som,
ruídos e uma vida útil bem pequena. Eu particularmente, não me dei bem com algumas marcas
(pode ser simplesmente sorte), mas hoje em dia só utilizo cabos Santo Angelo.

Com cabo é bom não brincar muito!


São cabos nacionais de ótima qualidade e com um ótimo custo X benefício. A série Ninja ou a
Standard Series é uma opção robusta. Os preços variam de acordo com o tamanho do cabo. Na
maioria dos casos, os cabos com tamanhos entre 4 e 6 metros atendem a quase todas as
necessidades. Só evitem cabos muito grandes (10m ou mais), pois podem perder sinal e dão um
trabalhão pra enrolar! :)
O BAG, AS PALHETAS E A CORREIA
Aqui não tem muito o que falar, é questão de gosto e necessidade mesmo. Experimente as correias e
palhetas antes de comprar, verifique se você se sente confortável com elas. No caso das correias
ainda há opções de materiais diferentes, como nylon, couro, etc. Palhetas são baratas, já as correias
podem variar de R$10,00 a R$150,00 – pra todos os gostos e bolsos! Quanto ao bag, existem
diversos modelos, alguns mais simples, que só protegem da poeira, até outros mais protegidos, com
espuma, em couro, etc. Avalie a sua necessidade e escolha um que corresponda às suas expectativas.
Só pra constar, atualmente a palheta que uso e mais me adaptei foi essa:
Palheta Soop Dunlop 1.5mm
Bom, até aqui deu pra ter uma boa noção do equipamento pra começar, comprando cada um dos
itens separadamente. Uma outra opção são alguns Kits montados por marcas, ou pelas próprias
lojas. Vale as mesmas dicas já citadas acima: toque e sinta o instrumento antes de levar, e fique
atento aos equipamentos de qualidade “duvidosa”. Aqui vai a dica de dois kits legais que encontrei
à venda:
• Kit Kirk Hammett – leva a assinatura do guitarrista do Metallica. Os equipamentos são
Lyon by Washburn. É uma opção válida pra quem tá começando. No kit vai: Guitarra,
Amplificador 10W, Bag, 3 palhetas, Correia, DVD, Cabo e suporte pra guitarra ficar de pé.
O kit sai por R$777,00 dividido no cartão ou R$699,30 à vista no boleto. Link aqui.
Kit Kirk Hammett
1. Outro kit bem legal é o Kit Squier / Marshall. Nele vem uma guitarra Squier California
Series, um amplificador Marshall de 10W, bag e cabo. Sai R$1290,00 dividido no cartão ou
R$1161,00 à vista no boleto. Link aqui.
Kit Squier e Marshall
Bom, pessoal, é isso. Espero ajudar quem está começando a fazer uma boa escolha quando for à loja
comprar.
Muita música pra todos!

Comentários : 45 Comments »
Tags: amplificador, cabo, compra, guitarra, palheta
Categorias : Dicas

Prepare a Palheta!
23 01 2010
Fala galera!
Vou me apresentar, meu nome é Rafael Toledo, músico há 7 anos.
Atualmente estou estudando o curso técnico em
instrumento no Conservatório Estadual de Música Juscelino Kubitshek de Oliveira, em Pouso
Alegre – MG. Antes do curso técnico, eu estudei lá por 3 anos, tendo como professores Anderson
Soares, Daniel Marcossi e Endre Solti.
No momento, meu equipamento é uma Cort G260 e uma Zoom G2 para efeitos. Além disso também
tenho uma Eagle Stratocaster que comprei quando comecei a tocar. Pretendo dar um upgrade nela
quando estiver numa situção mais tranquila, mas ano passado já consegui trocar os trastes dela por
trastes de inox. Me encontro, por ora, sem amplificador :(
Sei que não sou nenhum virtuoso, rei da técnica ou coisa do tipo, mas pretendo com este blog passar
algumas dicas úteis para quem está começando, trocar experiência, dar toques sobre equipamentos
legais, postar coisas que estou estudando, enfim, compartilhar um pouco da bagagem que vim
armazenando nesses 7 anos.
Além da guitarra, toco também violão e um pouquinho de baixo e bateria.
Bom, é isso! Aguardem por novidades!
Fala pessoal! Vamos mostrar para vocês então algumas dicas para se tornar um guitarrista melhor,
são dicas e conselhos que podem fazer você acelerar o seu aprendizado na guitarra, pular etapas
desnecessárias e priorizar outras etapas importantes na hora de aprender a tocar guitarra.

38 Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor


Introdução
Estamos no comecinho do ano, e então agora é a hora perfeita para você começar a tocar guitarra de
uma vez, ou até mesmo tirar a poeira de sua guitarra e o enferrugem de suas 6 cordas. É isso
mesmo, estamos aqui com 38 dicas para se tornar um guitarrista melhor, todas extraídas de mentes
obcecadas por guitarras e astros do rock! Lembramos que não são dicas sobre técnicas e
equipamentos, e sim dicas onde normalmente você não aprende numa escola de música, num curso
ou vê na tv, mas são dicas que o farão abrir os olhos sobre alguns aspectos. Então vamos dar uma
conferida!
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 1/38
1) Toque com seus amigos!

Música é sobre comunicação e expressão, e mesmo que você progrida aos trancos e barrancos
tocando com outras pessoas, essa é uma etapa fundamental. Tocar com outras pessoas vai te
oferecer: ritmo para outra pessoa conduzir, desenvolver melhor os compassos, tempo e resposta
para tocar cada outro lick.
“Muita gente pode tocar muito bem sozinho em seu quarto, mas você fará mais progresso tocando
com outras pessoas. Você não desenvolve um senso de ritmo tocando sozinho.” Gary Moore.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 2/38
2) Aprenda a tocar as músicas nota-por-nota.
Por mais penoso que seja, aprender uma canção nota-por-nota e do começo ao fim não só aumenta
seu repertório – como também irá melhorar o seu foco, seu tempo (timing), e sua apreciação geral
do que um guitarrista deve (ou não) tocar quando não está no centro das atenções.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 3/38
3) Cursos Intensivos
Poucos músicos têm o luxo de estudar por anos, em tempo integral, para ganhar um grau ou
diploma na música popular. Assim, junto com seus programas de graduação, verifique se alguma
instituição acadêmica da sua região não desenvolveu algum curso focado e intensivo que pode durar
um final de semana ou uma semana. Este é um bom caminho para pegar uma boa base.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 4/38
4) Conheça um tutor ou aulas com um professor
Isto não apenas serve para os iniciantes. Mesmo se você tiver um talento natural ter um bom
professor poderá sempre apontar o que você poderia melhorar, ou ajudar a desenvolver melhor um
estilo que você nunca imaginou que conseguisse evoluir. Um bom tutor é sempre bem-vindo.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 5/38
5) Compre um livro
Um livro ao estilo Teach Yourself pode ser uma ferramenta poderosa para você erradicar velhos
hábitos, pegar uma base mais sólida, desenvolver melhor uma técnica. Esses livros são bons em
casos de você sentir que seus estudos andam meio atrofiados.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 6/38
6) Pense e faça diferente
Toque algum lick ou ligadura que você já esteja quase confortável em tocar em uma posição
diferente sobre o braço da guitarra: você vai expandir seu vocabulário na hora de solar e melhorar o
poder de visualização da escala de sua guitarra.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 7/38
7) Use a tecnologia a seu favor
Parece que super guitarristas estão se tornando mais raros nos dias de hoje, e o seu Iphone e Ipad
pode ser uma ferramenta útil para fazer música, são os tempos modernos.
O seu humilde MAC ou PC ainda pode ser o melhor amigo do guitarrista. Dê uma olhada e
pesquise pela internet por softwares, vídeo aulas, ebooks, sempre tem boas opções.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 8/38
8 ) Pratique sem a guitarra
Há muito o que aprender sem uma guitarra na mão. Identificar os tempos em sua rotina diária, tirar
meia hora para ler um livro de teoria musical, assistir a um DVD para treinamento e lições,
memorizar alguns tipos de acordes novos ou ouvir de volta as gravações de você tocando: no
ônibus, no metrô, no carro … tudo isso acrescenta na sua tocabilidade.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 9/38
9) Enfrente e aprenda uma teoria por vez
Se todas as escalas soam gregas para você, ou se CAGED faz você se sentir claustrofóbico, então
comece pequeno… mas certifique-se de começar.
“Você começa com Harmonia Diatônica (diatônica maior) – acordes na escala maior – e logo você
vai perceber que há outras coisas. Conhecimento é bom, mas pode, temporariamente, te parafusar
se você não perceber que você não sabe tudo. “ Paul Gilbert.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 10/38
10) Toque com os melhores músicos que você encontrar
Ter contato com músicos de alta qualidade é sempre bom, vê-los tocar e tocar junto com eles te fará
abrir os olhos para algumas coisas e um upgrade em algumas percepções.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 11/38
11) Desacelere
Pegue alguma coisa que você já sabe que está no limite de sua capacidade técnica, e toque
lentamente – em alternativa, você pode gravar e retardar isto em um tempo mais lento com ajuda de
Phrase Trainer se tiver um. Dessa forma você chega a sua perfeição, conhecendo um boa nota e
retardando um pouco as coisas tirando o máximo absoluto de cada nota.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 12/38
12) Compre um novo pedal de efeito
Hoje em dia há uma infinidade de pedais e pedaleiras para todos os gostos, mesmo em nosso site
temos um artigo sobre os diferentes tipos de pedais. (clique aqui)
“Às vezes você simplesmente coloca um efeito e chega a uma música inteira. O Riff de When The
World Was Young surgiu simplesmente porque eu tinha o efeito tremolo na minha AC30.” Jimmy
Page.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 13/38
13) Defina um bom lugar para praticar
Quanto melhor e mais agradável for o ambiente na qual você irá gastar seu tempo treinando, mais
você terá prazer em ficar lá.
Considere equipar a sua sala com um aparelho de som decente, e leitor de DVD ( com controle
remoto e ajustes programáveis para facilitar o aprendizagem). Compre também uma
pedestal/suporte para acompanhar as partituras. E tente manter um ambiente mais limpo e
organizado para eliminar as distrações externas.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 14/38
14) Cuide de sua guitarra
Mantenha a sua guitarra sempre em bom estado para manter o prazer de tocá-la sempre. Vale a pena
deixar a sua guitarra sempre bem afinada, com as cordas sempre em bom estado, e acredite, você
não vai querer uma guitarra que te desmotive a tocar. Dentro do nosso site temos em destaque um
artigo falando sobre manutenção e limpeza de guitarra.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 15/38
15) Compre um slide e um capotraste para guitarra
Poucas coisas te dão um retorno tão imediato e tão barato quanto esses itens, se você não tiver
compre logo, isso vai rejuvenescer o seu som permitindo também experimentar novos estilos.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 16/38
16) Compre um metrônomo
Isso é algo fundamental para o aprendizado ou para tirar algum solo em sua guitarra, se você ainda
tem dúvidas sobre isso, veja esse depoimento:
“Eu ainda pratico as minhas pentatônicas todos os dias usando um metrônomo. Uma boa
tocabilidade na guitarra é baseada em fraseados e é importante manter isto“. Zakk Wylde.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 17/38
17) Compre um pedal com função Phrase Trainer
Essa função é muito útil porque faz com que você diminua “as palhaçadas” que os seus guitarristas
favoritos fizeram, mantendo o seu tom original (e usa um EQ para isolar partes da guitarra em um
mix). É uma dádiva para os guitarristas aspirantes.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 18/38
18) Aprenda a como construir solos
Tocar escalas para cima e para baixo não é o suficiente para fazer um solo verdadeiramente
memorável. Experimente com o tempo, fazer coisas como tocar algumas notas com duração maior
do que outras, repetir uma sequência de notas para construir um memorável lick; deixe lacunas em
seu solo de modo que o resto da música possa continuar respirando.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 19/38
19) Identifique os problemas
Seu vibrato está sem empolgação? Seu hammer-on é ruidoso? Seus bends estão pegando as notas
certas? Ter a opinião de alguém, ou algum amigo seu que consiga ter uma boa crítica é importante,
e com o tempo, você poderá corrigir tais defeitos.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 20/38
20) Fraseados
Guitarristas acostumados a tocar por conta própria muitas vezes dão pouca atenção aos fraseados e
tendem a tocar quase que continuamente. Um bom fraseado é a marca de muitos guitarristas
famosos (pense em Eric Clapton, Knopfler..). Para desenvolver o seu, tente tocar um pouco fora da
batida, empregue uma repetição rítmica, e a melhor parte – toque com outras pessoas.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 21/38
21) Toque um instrumento diferente
Se você estiver numa banda, troque de instrumento no final de uma sessão. Além de garantir
algumas gargalhadas, você ganhará uma perspectiva refrescante no seu próprio instrumento. Muitos
guitarristas famosos são multi-instrumentistas, ou foram para o seu instrumento com uma base em
outro (geralmente bateria). Se você é um compositor, experimente trocar de instrumentos para
ajudar na sua criatividade.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 22/38
22) Listagem de técnicas
Dê uma olhada na lista abaixo e vê se você já dominou algumas dessas técnicas, ou ao menos já
tenha tentado algumas delas:
• Partitura a primeira vista
• Palhetada Alternada
• String skipping (saltos de cordas)
• Sweep picking
• Muting
• Thumb picking
• Dedilhados
• Oitavas
• Arpejos
• Acordes e as relações de escalas
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 23/38
23) Toque fora de sua zona de conforto
Nunca toque em piloto automático, além de não ter graça para você, isso fará a sua platéia se
entediar e fazer vários bocejos.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 24/38
24) Aproveite bem os seus ensaios
Faça um favor para a sua audição e vocais: não prolongue os seus ensaios desnecessariamente.
Escolha um bom tempo (algo como 2 horas), e faça um pacto de manter o foco por durante o todo o
ensaio.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 25/38
25) Reserve algum show
Se você estiver em uma banda, é sempre bom começar com pequenos shows e apresentações. Se
você for um músico solo, aproveite alguma noite que tenha microfone aberto, ou se for convidado
para tocar junto com alguém aproveite a oportunidade, essas datas são perfeitas para você se
concentrar melhor nas suas músicas.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 26/38
26) Use um captador diferente ao vivo
Parece tão óbvio – mas quando você vê bandas tocando ao vivo, inconstáveis guitarristas deixam
seu seletor de captador bloqueado em uma posição a noite toda. Há (provavelmente) mais de um
captador na sua guitarra por um bom motivo, então vale bem a pena experimentar diferentes
posições e combinações.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 27/38
27) Divirta-se
Pergunte-se a si mesmo por que você pegou na sua guitarra em primeiro lugar, e sempre tente tocar
com o mesmo entusiasmo e liberdade. Esteja preparado para erros porque é assim que você
aprende, é assim que você encontra um riff. Da mesma forma de quando estver tocando com
amigos, às vezes é trabalhoso, mas tem que ser divertido.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 28/38
28) Assista bandas ao vivo frequentemente
Ver shows ao vivo regularmente é bom para manter viva a sua motivação em continuar e inspirar na
hora de tocar, além é claro de apoiar as bandas locais.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 29/38
29) Experimente tocar sem palheta
Antigamente havia muitos guitarristas do rock que conseguiam ótimos timbres sem ajuda da palheta
– Brian May, Jeff Beck, Billy Gibbons, Mark Knopfler – frequentemente eles não usavam esse
objeto de plástico. Às vezes a sutileza e o ataque podem revitalizar o seu som.
Stevie Ray Vaughan era um guitarrista que não dependia da palheta nem sabia usar muito bem, ele
até tinha, mas ele apenas usava para tê-la lá. Assim como Jeff Beck..
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 30/38
30) Diferentes afinações
Você não precisa ser um instrumentista famoso para experimentar uma afinação diferente. Algo
como DADGAD, abra com afinações maiores e menores, e mesmo a afinação drop-D pode ser o
elo que faltava para abrir a sua criatividade.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 31/38
31) Nunca ache que já sabe tudo
Chegar num nível de profundidade de conhecimento é bom, mas sempre vai chegar uma hora em
que a sua aprendizagem chegará numa zona de conforto onde você terá preguiça por aprender mais,
nunca se deixe cair nessa armadilha e sempre evolua!
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 32/38
32) Durma e alimente-se bem
Estar com o corpo e a mente saudáveis é importante para ter a cabeça sempre aberta para criar
coisas ou aprender alguma habilidade nova. Use o seu corpo a seu favor!
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 33/38
33) Pense antes de tocar
Estruture a sua aprendizagem e prática, você notará uma melhora imediatamente..
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 34/38
34) Faça novos exercícios
Se a primeira coisa que você toca quando pega na sua guitarra é sempre mais ou menos a mesma
coisa – uma progressão de acorde favorito, ou lick – você pode simplesmente estar repetindo aquilo
que já sabe. Você está realmente ficando cada vez melhor? Lembre-se que o torna melhor é fazer
coisas diferentes.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 35/38
35) Aprenda um desenho novo de acorde todos os dias
Consiga algum livro de acordes, e vai tirando aos poucos todos os dias algum acorde. Os livros são
uma das melhores maneiras de adquirir novos acordes. Isso é importante para fazer com que seu
ouvido se acostume com certas mudanças de padrão.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 36/38
36) Simplifique seu solo
Se você tende a tocar seus solos de modo muito espalhafatoso, então imponha algumas limitações.
Tente solar em uma região mais limitada ou tocar apenas 3 notas; pense sobre repetição e ritmo em
seu fraseado.
“Um dos meus solos favoritos é a Cinnamon Girl de Neil Young. É um solo de uma nota e ele se
encaixa na música toda. Você tem que decidir – você está fazendo música para as pessoas ou você
está fazendo isso para si mesmo? ” Eddie Van Halen.
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 37/38
37) Feche os olhos
Para desenvolver uma compreensão inconsciente e um “mapa mental” do braço da guitarra – e para
ajudar na performance ao vivo – pratique algumas progressões de acordes e improvise alguns solos
com os olhos fechados. É mais difícil do que você imagina, mas você vai colher recompensas a
longo prazo …
Dicas Para Se Tornar Um Guitarrista Melhor 38/38
38) Uma corda para cada situação
Escolher uma corda certa para você é vital. Um conjunto de cordas leves (8-38) pode adicionar mais
brilho no seu som, enquanto que cordas mais grossas podem adicionar mais “carne” ao seu tom.
Tente experimentar cordas flatwound se rock clássico for do seu gosto. Nós temos um artigo sobre
cordas de guitarra clique aqui.
Final

Como podemos ver, foram dicas rápidas, se vocês tiverem mais


sugestões ou quiserem passar alguma experiência pessoal que ajudou a progredir na guitarra,
por favor, não exite e conte para nós mais algumas dicas para se tornar um guitarrista melhor.