Você está na página 1de 14

FACULDADE SATC

GABRIEL FELISBINO
GUSTAVO GHIZONI GESSER
RUI JÚNIOR FENILLI DA SILVA

RELATÓRIO AULA PRÁTICA - RESISTORES

Prof. Sandro Barreto de Souza

Criciúma
Setembro – 2017
1. OBJETIVO

Em um circuito é possível organizar conjuntos de resistores interligados,


chamada associação de resistores. O comportamento desta associação varia
conforme a ligação entre os resistores, sendo seus possíveis tipos: em série, em
paralelo e mista.
O presente trabalho tem como objetivo, mostrar a aplicação do estudo
sobre associação de resistores na prática, conciliando os estudos e resultados
teóricos com os encontrados na prática, utilizando equipamentos de geração e
medição de corrente e tensão, montados num pequeno circuito.
2. CONTEÚDO

A associação de resistores é muito comum em vários sistemas, quando


queremos alcançar um nível de resistência em que somente um resistor não é
suficiente. Qualquer associação de resistores será representado pelo Resistor
Equivalente, que representa a resistência total dos resistores associados.

2.1 Associação em série

Em uma associação em série de resistores, o resistor equivalente é igual


à soma de todos os resistores que compôem a associação. A resistência equivalente
de uma associação em série sempre será maior que o resistor de maior resistência
da associação. Veja porque:
 A corrente elétrica que passa em cada resistor da associação é
sempre a mesma: i = i1 = i2 = i3 = i4..
 A tensão no gerador elétrico é igual à soma de todas as tensões
dos resistores: V = V1 + V2 + V3 + V4 ..
 A equação que calcula a tensão em um ponto do circuito é: V = R
x I , então teremos a equação final:

Req . i = R1 . i1 + R2 . i2 + R3 . i3 + R4 . i4 ...

Como todas as correntes são iguais, podemos eliminar esses números da


equação, que é encontrado em todos os termos:
Req = R1 + R2 + R3 + R4 ..

2.2 Associação em paralelo

Em uma associação em paralelo de resistores, a tensão em todos os


resistores é igual, e a soma das correntes que atravessam os resistores é igual à
resistência do resistor equivalente (no que nos resistores em série, se somava as
tensões (V), agora o que se soma é a intensidade (i)).
A resistência equivalente de uma associação em paralelo sempre será
menor que o resistor de menor resistência da associação.

 Tensões iguais: V = V1 = V2 = V3 = V4 ...


 Corrente no resistor equivalente é igual à soma das correntes dos
resistores: i = i1 + i2 + i3 + i4 ..
 A equação que calcula a corrente em um ponto do circuito é: i = V /
R , logo:
V / Req = (V1 / R1) + (V2 / R2) + (V3 / R3) + (V4 / R4) ...

Como toda as tensões são iguais, podemos eliminá-las de todos os


termos da equação:

1 / Req = (1 / R1) + (1 / R2) + (1 / R3) + (1 / R4) ...

Quando se trabalha com apenas dois resistores em paralelo, podemos


utilizar a equação abaixo:

Req = (R1 . R2) / (R1 + R2)

2.3 Associação Mista

Em um mesmo circuito podem ser encontrados resistores em série e


resistores em paralelo. Para calcular a resistência total do circuito, deve-se primeiro
calcular a resistência equivalente dos resistores em paralelo, e em posse desse
valor, considerá-lo como se fosse mais um resistor em série.
3. DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE

A atividade foi baseada em três exercícios propostos, onde, calculamos


na forma literal a tensão e corrente de cada resistor. Em seguida, montamos os
circuitos em uma protoboard.
Para isso, utilizamos uma fonte com uma tensão de 10 Volts e com o
auxílio de um multímetro medimos novamente o circuito analisando como os
resultados se comportavam de acordo com os obtidos na forma literal.
Dessa forma avaliamos a relação entre a teoria e a pratica e qual a
diferença de resultados, assim concluímos se os resultados são satisfatórios para
ambos os lados.
4. MATERIAIS E FERRAMENTAS UTILIZADAS

4.1 Resistores

 Resistor de 550Ω;
 Resistor de 1200Ω.

4.2 Fonte de alimentação digital


4.3 Protoboard

4.4 Fios de conexão (fonte-protoboard)


4.5 Alicate de corte

4.6 Multímetro
5. COLETA DE DADOS/CÁLCULOS E MEDIÇÕES REALIZADAS

5.1 Exercício 1:

A) Cálculo literal do valor da tensão e corrente em cada resistor.

Resistor 1 550 Ω
Resistor 2 1200 Ω
Resistor equivalente (série) 1750 Ω
- R12
Tensão V1 3,14 V
Tensão V2 6,86 V
Corrente em ambos os 0,005714 A
resistores

R12=R1+R2 V12=R12xI12
R12=550+1200 10=1750xI12
R12=1750 Ω I12=0,005714 A

V1=R1xI1 V2=R2xI2
V1=550x0,005714 V2=1200x0,005714
V1=3,14 V V2=6,86 V

B) Cálculo da tensão e corrente em cada resistor com Multímetro.

Tensão V1 3,295 V
Tensão V2 6,71 V
Corrente I 0,006 A
5.2 Exercício 2:

A) Cálculo literal do valor da tensão e corrente em cada resistor.

Resistor 1 550 Ω
Resistor 2 1200 Ω
Resistor 3 550 Ω
Resistor equivalente 377,14 Ω
(paralelo) - R23
Resistor equivalente (série) 927,14 Ω
- R123
Corrente equivalente V123 0,01079 A
Tensão V23 (V2=V3) 4,07 V
Tensão V1 5,93 V
Corrente I1 0,01079 A
Corrente I2 0,003392 A
Corrente I3 0,007398 A

B) Cálculo da tensão e corrente em cada resistor com Multímetro.

Tensão V1 6,011 V
Tensão V2 4V
Tensão V3 4V
Corrente I1 0,01 A
Corrente I2 0,003 A
Corrente I3 0,007 A
5.3 Exercício 3:

A) A Calculo literal do valor da tensão e corrente em cada resistor.

Resistor 1 550 Ω
Resistor 2 1200 Ω
Resistor 3 550 Ω
Resistor 4 1200 Ω
Resistor equivalente (série) 1750 Ω
- R34
Resistor equivalente (série) 711,86 Ω
- R234
Resistor equivalente (série) 1261,86 Ω
- R1234
Corrente Equivalente-I1234 0,0079 A
Corrente I1 0,0079 A
Corrente I2 0,0047 A
Corrente I3=I4 0,0032 A
Tensão V1 4,34 V
Tensão V2 5,66 V
Tensão V3 1,76 V
Tensão V4 3,90 V

B) Cálculo da tensão e corrente em cada resistor com Multímetro.

Tensão V1 4,22 V
Tensão V2 5,75 V
Tensão V3 1,57 V
Tensão V4 4V
Corrente I1 0,007 A
Corrente I2 0,004 A
Corrente I3 0,003 A
Corrente I4 0,003 A
6. ANÁLISE DOS RESULTADOS/CONCLUSÃO

Com os resultados obtidos, analisamos que com os estudos sobre a


associação de resistores, podemos verificar o comportamento da tensão e corrente
em circuitos, bem como, comparar os resultados literais com os resultados
experimentais que possam aparecer no cotidiano.
Verificasse também que os resultados divergem em certo grau de erro
devido a outras variáveis que nos cálculos literais não são considerados e, por isso,
os erros possuem uma faixa para mais ou para menos nos valores encontrados com
o multímetro.
Concluísse que, com a aula em laboratório associamos a teoria com a
pratica, buscando um entendimento em campo junto com os demais colegas.
7. Referência Bibliográfica

Mundo Educação
< http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/o-multimetro.htm>;

Só Física
<http://www.sofisica.com.br/conteudos/Eletromagnetismo/Eletrodinamica/
associacaoderesistores.php>;

Info Escola
< http://www.infoescola.com/fisica/associacao-de-resistores/>.